CURSO DE EXERCÍCIOS DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO PROFESSORA: MARA QUEIROGA CAMISASSA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CURSO DE EXERCÍCIOS DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO PROFESSORA: MARA QUEIROGA CAMISASSA"

Transcrição

1 Olá pessoal! CURSO DE EXERCÍCIOS DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO Nesta aula vamos fazer exercícios sobre a NR7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) e a NR9 - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA). Como na aula anterior, os exercícios estão dispostos de uma forma didática, começando por aqueles que contêm as definições iniciais, seguindo mais ou menos a ordem dos itens da norma, para facilitar o entendimento. Também como na aula anterior, faremos vários exercícios da ESAF. Pelo fato das NRs 7 e 9 serem bastante conceituais, elaborei alguns quadros para facilitar o entendimento de vocês ao longo dos comentários. Na parte final desta aula, vocês encontrarão uma tabela comparativa entre o PCMSO e o PPRA, do tipo revisão rápida para o dia da prova! Mas antes de começarmos as questões queria conversar sobre o tempo dedicado aos estudos para este concurso. Vocês que estão começando a estudar agora, meses antes da publicação do edital, já estão saindo na frente, com certeza. Porém, às vezes, a demora na publicação do edital faz com que a gente desanime e "relaxe" nos estudos, mas vocês devem ficar atentos e não deixar isto acontecer. A quantidade de matérias deste concurso é absurda, chega ao nível da crueldade!..., o volume de informações é absurdamente grande e por estes motivos, uma preparação feita com antecedência é pré-requisito para o sucesso. No meu caso, quando comecei a estudar, me dedicava mais às matérias nas quais eu tinha dificuldade, ou achava mais chatas..! E não tinha muito tempo para estudar, tinha que ser à noite, nos finais de semana e feriados, na sala de espera do dentista ou do pediatra das crianças!!!! Gravava as aulas e ia escutando no caminho do trabalho, escutava tanto que já sabia a fala do professor!! E sabe aquela máxima que no dia da prova você deve relaxar, para não estressar? Nem pensar..., estudei no dia do concurso, na fila para entrar, e só fechei o livro quando entrei na sala para fazer a prova!! Claro, eu não tinha muito tempo disponível, e precisava aproveitar cada minuto!! Um último detalhe: na aula demonstrativa eu disse que haviam 34 NRs, na verdade temos 33NRs, uma vez que a NR27 foi revogada. Então vamos lá! Prof. Mara Queiroga Camisassa 1

2 NR 7 - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL QUESTÃO 01 - TEC SEG/PETROBRAS/CESPE UNB/2004 O Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional (PCMSO) é um instrumento previsto na NR-07. Com relação à elaboração de um PCMSO em uma empresa de transporte de cargas, julgue o item subseqüente: 1- A elaboração do PCMSO e do PPRA é obrigatória caso a empresa tenha empregados contratados pelo regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), independentemente do número de trabalhadores e do seu grau de risco. Assertiva correta: Pessoal, antes de mais nada, vamos entender a origem da NR7: Esta NR foi elaborada a fim de regulamentar o artigo 168 da CLT que torna obrigatória a realização de exames médicos, por conta do empregador, de acordo com as condições estabelecidas naquele artigo. E também a fim de atender a Convenção 161 da OIT (Organização Internacional do Trabalho), que determina que "..todo Membro (leia-se país signatário) se compromete a estabelecer progressivamente serviços de saúde no trabalho para todos os trabalhadores..". O PCMSO é basicamente um programa de promoção e preservação da saúde dos trabalhadores. Voltando ao comentário da assertiva: O item da NR7 determina que todos "os empregadores e instituições" que admitam trabalhadores como empregados, devem elaborar e implementar o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional, com o objetivo de promover e preservar a saúde de seus trabalhadores. (sobre o PPRA veremos na segunda parte desta mesma aula) Por isto a assertiva está correta, pois a elaboração e implementação do PCMSO é obrigatória, independente da quantidade de trabalhadores e do grau de risco da empresa. A única condição que determina se a empresa é obrigada ou não a elaborar o PCMSO é que ela possua empregados contratados pelo regime celetista, ainda que seja um único empregado!!. IMPORTANTE!!! Não somente a ELABORAÇÃO do PCMSO é obrigatória, mas também sua IMPLEMENTAÇÃO!! Isto quer dizer que não basta escrever um documento lindo e maravilhoso, onde constem todos os exames médicos a serem realizados, sem que os trabalhadores não sejam submetidos a estes exames na prática, e da forma como está determinado no programa. Prof. Mara Queiroga Camisassa 2

3 PCMSO Toda empresa que possua empregados: deve ELABORAR e IMPLEMENTAR Independente da quantidade de empregados e do grau de risco da empresa QUESTÃO 02 - ENG SEG/PREF CAMAÇARI/AOCP/2010 Quanto às diretrizes da Norma Regulamentadora N 7 - PCMSO - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL, podemos afirmar que : I. o PCMSO é parte integrante do conjunto mais amplo de iniciativas da empresa no campo da saúde dos trabalhadores, devendo estar articulado com o disposto nas demais Normas Regulamentadoras. II. o PCMSO deverá considerar as questões incidentes sobre o indivíduo e a coletividade de trabalhadores, não devendo privilegiar o instrumental clínicoepidemiológico na abordagem da relação entre sua saúde e o trabalho. III. o PCMSO deverá ter caráter de prevenção, rastreamento e diagnóstico precoce dos agravos à saúde relacionados ao trabalho, inclusive de natureza subclínica, além da constatação da existência de casos de doenças profissionais ou danos irreversíveis à saúde dos trabalhadores. IV. o PCMSO deverá ser planejado e implantado com base nos riscos à saúde dos trabalhadores, especialmente os identificados nas avaliações previstas nas demais NR. (A) Apenas I, II e III. (B) Apenas II e III. (C) Apenas II e IV. (D) Apenas I, III e IV. (E) Apenas I, II e IV. RESPOSTA: D A assertiva I está correta. Esta é a redação do item da NR7. E traz duas informações importantes: A primeira é que o PCMSO não deve ser um programa isolado, ele deve ser uma dentre várias iniciativas da empresa que visem a promoção da saúde dos trabalhadores. A segunda informação importante é que ele deve estar articulado, ou seja, integrado com as determinações das demais normas regulamentadoras. Mas como isto acontece? Prof. Mara Queiroga Camisassa 3

4 Vejamos: o PCMSO deve ser elaborado a partir de uma análise prévia dos riscos ocupacionais existentes no ambiente de trabalho. A partir desta análise, deve-se estabelecer o conjunto de exames clínicos e complementares específicos (quando for o caso) aos quais os trabalhadores devem ser submetidos, a fim de se prevenir ou detectar de forma precoce quaisquer complicações à sua saúde. Por exemplo, o PCMSO pode determinar que trabalhadores expostos a ambientes com poeira excessiva, devem fazer um exame complementar chamado espirometria, comumente conhecido como prova da função pulmonar. Ou ainda, trabalhadores que trabalhem em ambientes onde haja fonte radioativa, ainda que usem medidas de controle de exposição, devem fazer hemograma com contagem de plaquetas. Desta forma, como a identificação dos riscos ocupacionais é o ponto de partida do PCMSO, ele deverá estar intimamente articulado com o PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais), descrito na NR9, que, como veremos mais adiante nesta aula, tem como um dos seus objetivos principais a identificação dos riscos existentes no ambiente de trabalho. A assertiva II está incorreta. Redação do item da NR7. O PCMSO deve ser elaborado considerando não somente cada trabalhador de forma individual (contexto clínico), mas também a coletividade dos trabalhadores (contexto epidemiológico). A assertiva incorre em erro quando diz que o PCMSO não deve privilegiar o instrumental clínico-epidemiológico na abordagem da relação entre sua saúde e o trabalho. Ao contrário!!! O instrumental clínico-epidemiológico é a base para a identificação precoce de agravos à saúde dos trabalhadores, um dos principais objetivos do PCMSO. Mas o que significa esta expressão: instrumental clínico-epidemiológico?? Vamos por partes! - O instrumental clínico se refere à abordagem individual, ou seja, à avaliação clínica à qual cada trabalhador deve ser submetido, e que deve incluir anamnese ocupacional, exame físico e mental, e se for o caso, exames complementares (estes, realizados de acordo com o disposto na NR7). - O instrumental epidemiológico tem um contexto coletivo e se refere à análise das informações obtidas a partir dos exames realizados nos trabalhadores e respectivos resultados, confrontando-as aos riscos aos quais eles estão submetidos. Para isto, são utilizados os instrumentos de epidemiologia (investigação de fatores determinantes de doenças, padrões de ocorrência, dentre outros) a fim de verificar se há locais de trabalho ou conjuntos de trabalhadores com mais agravos à saúde do que outros, e caso positivo, deverão ser realizadas investigações específicas, a fim de se identificar a causa deste agravo, visando seu combate e prevenção. Prof. Mara Queiroga Camisassa 4

5 CURIOSIDADE! Antes da publicação da NR 9, os exames médicos realizados nos trabalhadores tinham caráter genérico, sem nenhuma preocupação com a atividade que eles iriam exercer. Com a publicação da NR9 os exames médicos passaram a ter um caráter ocupacional, mas ainda com uma visão somente do ponto de vista clínico (ou seja, individual), sem abranger a coletividade dos trabalhadores. O nome inicial desta NR era: "Exames Médicos" Em 1994, com a publicação da Portaria 24, o texto da NR9 passou por profunda alteração, uma delas, a inclusão da diretriz que determinava a necessidade da consideração das "questões incidentes sobre o indivíduo e a coletividade de trabalhadores", incluindo então o caráter coletivo da NR. Seu título também foi modificado para o nome atual. A assertiva III está correta. Redação do item da NR7. Esta assertiva traz informações importantíssimas sobre o PCMSO e por isso, vamos analisá-la por partes: O PCMSO tem caráter prevencionista e de rastreamento O médico do trabalho deverá identificar os indícios que podem sinalizar um provável adoecimento de determinados trabalhadores (exames de indivíduos assintomáticos) e agir antes que a doença se manifeste. O PCMSO tem a função de realizar o diagnóstico precoce dos agravos à saúde relacionados ao trabalho, inclusive de natureza subclínica, uma vez que a realização periódica de exames ocupacionais pode permitir a identificação de determinados sintomas relacionados ao ambiente de trabalho. Mas o que são os agravos à saúde de natureza subclínica? São as lesões ou doenças que ainda não apresentaram sintomas. O PCMSO deve constatar a existência de casos de doenças profissionais ou danos irreversíveis à saúde dos trabalhadores: Claro! Como vimos anteriormente, através da análise dos resultados dos exames clínicos e complementares, é possível que o médico do trabalho identifique a existência de determinada lesão ou doença ocupacional, ou seja, provocada por fatores relacionados ao trabalho. A assertiva IV está correta. Como vimos anteriormente, o planejamento e implantação do PCMSO, em especial a definição dos exames médicos aos quais os trabalhadores devem ser submetidos, deve ser feita a partir dos riscos existentes no ambiente de trabalho, especialmente aqueles identificados no PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (NR9), do qual falaremos mais adiante. Prof. Mara Queiroga Camisassa 5

6 OK, mas qual a periodicidade destes exames?? O empregado irá fazê-los assim que ele tiver "um tempinho?" Não!!! O médico coordenador do PCMSO é quem irá definir a periodicidade dos exames, e o empregado não vai pagar nada por eles. Se o exame não puder ser realizado na própria empresa o empregador deverá pagar o transporte até o local onde eles serão realizados. Sempre dentro do horário de trabalho! Veremos detalhes sobre a periodicidade dos exames mais adiante. QUESTÃO 03 - ENG SEG/FUB/CESPE/2009 A respeito do programa de controle médico de saúde ocupacional (PCMSO), previsto na norma regulamentadora NR 7, do Ministério do Trabalho e Emprego, julgue o item subseqüente: 1-Considere que uma empresa tenha sido contratada para elaborar um trabalho em um campus universitário, executando serviço de construção de nova edificação de ensino e pesquisa. Nesse caso, a contratante não tem obrigatoriedade alguma com relação aos riscos existentes, nem na elaboração e implementação do PCMSO nos locais de trabalho onde os serviços serão prestados. Assertiva incorreta. A NR7 determina que a empresa contratante tem a obrigação não só de informar à contratada os riscos existentes, como também auxiliar na elaboração e implementação do PCMSO nos locais de trabalho onde os serviços estão sendo prestados. CONTRATANTE INFORMA a CONTRATADA sobre os riscos existentes no local onde os serviços serão prestados AUXILIA a CONTRATADA na elaboração e implementação do PCMSO QUESTÃO 04 - EXERCÍCIO PROPOSTO Analise as assertivas a seguir: 1 - A NR7 estabelece os parâmetros máximos e diretrizes mínimas a serem observados na execução do PCMSO. A assertiva está incorreta. O item da NR7 dispõe que esta NR estabelece os parâmetros mínimos e diretrizes gerais a serem observados na execução do PCMSO, e não os parâmetros máximos e diretrizes mínimas. 2 - Os parâmetros e diretrizes estabelecidos na NR7 e que devem ser observados no PCMSO podem ser ampliados mediante negociação coletiva de trabalho. Prof. Mara Queiroga Camisassa 6

7 A assertiva está correta. Esta é a redação do item da NR7. Atenção! Os parâmetros e diretrizes podem ser ampliados e não reduzidos! 3 - Compete ao empregador garantir a elaboração e efetiva implementação do PCMSO, bem como zelar pela sua eficácia. A assertiva está correta. Conforme a redação do item letra a) da NR7, uma das responsabilidades do empregador é garantir a elaboração e efetiva implementação do PCMSO, bem como zelar pela sua eficácia. Mas como o empregador garante isto? Através da indicação de um médico do trabalho que será o coordenador do PCMSO, e responsável pela elaboração e implementação deste programa. Veremos mais detalhes sobre o médico coordenador na próxima questão. 4 - Algumas empresas, a depender do grau de risco e da quantidade de empregados, podem ficar desobrigadas de indicar médico coordenador. A assertiva está correta. O item e subitens dispõem que é possível que algumas empresas fiquem dispensadas de indicar médico coordenador, dependendo do seu grau de risco e da quantidade de empregados. O quadro a seguir mostra quais são estas empresas: Empresas desobrigadas de indicar médico coordenador* 1 e 2 Até 25 Desobrigadas 1 e 2 Mais de 25 até 50 Desobrigadas (negociação coletiva) 3 e 4 Até 10 Desobrigadas 3 e 4 Mais de 10 até 20 Desobrigadas (negociação coletiva assistida por profissional do orgão competente SSTj PESSOAL!! NÃO VAMOS CONFUNDIR!!!!! A OBRIGATORIEDADE DA ELABORAÇÃO DO PCMSO INDEPENDE DO GRAU DE RISCO E DA QUANTIDADE DE EMPREGADOS, MAS A DISPENSA DA INDICAÇÃO DO MÉDICO COORDENADOR DO PCMSO DEPENDE DESTAS INFORMAÇÕES, OU SEJA: Prof. Mara Queiroga Camisassa 7

8 INDEPENDE GRAU DE RISCO E QUANTIDADE DE EMPREGADOS DEPENDE * Ainda, é possível que uma determinada empresa, mesmo atendendo aos requisitos do quadro anterior (por exemplo, Grau de Risco 2, com 20 empregados) seja obrigada a indicar médico coordenador? Resposta: Sim!! A redação do item determina que, caso as condições de trabalho representem risco grave aos trabalhadores, a empresa poderá ser obrigada a indicar médico coordenador, mesmo estando incluída em uma das opções do quadro anterior. E esta obrigatoriedade deverá ser fixada através de um dos seguintes instrumentos: 1. Determinação do Superintendente Regional do Trabalho (antigo Delegado Regional do Trabalho), com base no parecer técnico conclusivo da autoridade regional competente em matéria de segurança e saúde do trabalhador ou 2. Negociação coletiva QUESTÃO 05 - ENG SEG/PREF.CONGONHAS/CONSULPLAN/ 2009 A NR 07 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional possui 4 diretrizes. Assinale a alternativa que NÃO figura nas diretrizes da norma: A) O PCMSO é parte integrante do conjunto mais amplo de iniciativas da empresa no campo da saúde dos trabalhadores, devendo estar articulado com o disposto nas demais NR's. B) O PCMSO deverá considerar as questões incidentes sobre o indivíduo e a coletividade de trabalhadores, privilegiando o instrumental clínicoepidemiológico na abordagem da relação entre sua saúde e o trabalho. C) O PCMSO deverá ter caráter de prevenção, rastreamento e diagnóstico precoce dos agravos à saúde relacionados ao trabalho, inclusive de natureza Prof. Mara Queiroga Camisassa 8

9 subclínica, além da constatação da existência de casos de doenças profissionais ou danos irreversíveis à saúde dos trabalhadores. D) O PCMSO deverá ser planejado e implantado com base nos riscos à saúde dos trabalhadores, especialmente os identificados nas avaliações previstas nas demais NR's. E) O PCMSO deverá ser elaborado, implementado, acompanhado e avaliado pelo Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho - SESMT ou por pessoa ou equipe de pessoas que, a critério do empregador, sejam capazes de desenvolver o disposto nesta NR. RESPOSTA: E A assertivas A, B, C e D estão corretas. Estas assertivas correspondem à redação dos itens a da NR7, respectivamente, e integram o conjunto de diretrizes do PCMSO, representadas no quadro a seguir: O PCMSO é parte integrante do conjunto mais amplo de iniciativas da empresa no campo da saúde dos trabalhadores, devendo estar articulado com o disposto nas demais NR. O PCMSO deverá considerar as questões incidentes sobre o indivíduo e a coletividade de trabalhadores, privilegiando o instrumental clínico-epidemiológico na abordagem da relação entre sua saúde e o trabalho. O PCMSO deverá ter caráter de prevenção, rastreamentoe diagnóstico precoce dos agravos à saúde relacionados ao trabalho, inclusive de natureza subclínica, além da constatação da existência de casos de doenças profissionais ou danos irreversíveis à saúde dos trabalhadores O PCMSO deverá ser planejado e implantado com base nos riscos à saúde dos trabalhadores, especialmente os identificados nas avaliações previstas nas demais NR A assertiva E está incorreta. Além de não conter uma diretriz do PCMSO conforme pede o comando da questão, a própria frase da assertiva está incorreta. Vimos anteriormente que o PCMSO deve ser elaborado e executado por um médico do trabalho, que é chamado pela norma de médico coordenador. De acordo com o item letra c da NR7, é responsabilidade do empregador indicar, dentre os médicos dos Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho - SESMT, da empresa, um coordenador responsável pela execução do PCMSO. Mas e se a empresa não estiver obrigada a manter médico do trabalho? Esta pergunta deve ser feita porque é possível que uma empresa possua o SESMT, integrado apenas por 01 (um) técnico de segurança (por exemplo, empresa com grau de risco 3, e 200 empregados - Quadro II da NR4 - a título Prof. Mara Queiroga Camisassa 9

10 informativo, apenas, não precisa guardar esta informação!! :). Ou seja, não é obrigatória a contratação de médico do trabalho para compor o SESMT neste caso. Então, o empregador deverá indicar médico do trabalho, empregado ou não da empresa, para coordenar o PCMSO. E se não existir médico do trabalho na localidade? Neste caso o empregador poderá contratar médico de outra especialidade para coordenar o PCMSO. Resumindo: Como veremos mais adiante, o examinador pretendeu confundir o concursando, pois a redação da assertiva estaria correta se ao invés da PCMSO estivesse escrito PPRA. QUESTÃO 06 - MED TRAB/FUNDACAOCASA/VUNESP/2010 A NR-7 determina que, para coordenar o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO), o empregador (A) deverá indicar um médico do trabalho dentre os médicos do Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT) da empresa. (B) jamais poderá contratar médico de outra especialidade que não a Medicina do Trabalho. (C) deverá custear o curso específico para a formação de médicos coordenadores. (D) poderá sempre contratar um médico da cooperativa, qualquer que seja o número de empregados da empresa. (E) poderá estar desobrigado de indicar médico coordenador para qualquer número de empregados da empresa, mediante negociação coletiva. Prof. Mara Queiroga Camisassa 10

11 RESPOSTA: A Como vimos anteriormente, caso a empresa possua SESMT e caso o SESMT tenha em seu quadro um ou mais médicos do trabalho, o empregador deverá indicar dentre eles, o médico coordenador do PCMSO. Caso a empresa não possua SESMT ou ainda, caso o SESMT não tenha médico do trabalho em sua composição, o empregador deverá indicar um médico do trabalho, empregado ou não da empresa, para coordenar o PCMSO. Caso não exista médico do trabalho na localidade, o empregador poderá contratar médico de outra especialidade para coordenar o PCMSO. QUESTÃO 07 - ENG SEG/PREF. CURITIBA/UFPR/2010 As empresas desobrigadas de indicar médico para coordenar o PCMSO ficam dispensadas de: A) emitir o atestado de saúde ocupacional. B) realizar exame de retorno ao trabalho por motivo de doença. C) realizar exame de retorno ao trabalho após parto. D) programas de prevenção de acidentes. E) elaborar o relatório anual do PCMSO. RESPOSTA: E Segundo a redação do item , ficam dispensadas da elaboração do relatório anual, as empresas desobrigadas de indicar médico para coordenar o PCMSO. Mas o que é o relatório anual? É um documento onde constam todas as ações de saúde que foram executadas durante o ano (últimos doze meses). Estas ações devem ser discriminadas por setor da empresa, e devem constar das seguintes informações: - Número e natureza dos exames realizados (avaliações clínicas e exames complementares) - Estatísticas dos resultados anormais - Planejamento para o próximo ano O quadro III da NR7 propõe o seguinte modelo para o relatório anual: Prof. Mara Queiroga Camisassa 11

12 Responsável: Data: Assinatura: Finalmente, duas informações importantes sobre o relatório anual: O Relatório Anual deve ser apresentado e discutido na CIPA O Relatório Anual pode ser armazenado em arquivo informatizado, desde que esteja sempre disponível ao Auditor Fiscal do Trabalho QUESTÃO 08 - EXERCÍCIO PROPOSTO Conforme a NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional - PCMSO, compete ao médico coordenador deste Programa: I - Realizar os exames médicos previstos na NR7 ou encarregar os mesmos a profissional enfermeiro familiarizado com os princípios da patologia ocupacional e suas causas, bem como com o ambiente, as condições de trabalho e os riscos a que está ou será exposto cada trabalhador da empresa a ser examinado; II - Encarregar dos exames complementares previstos nos itens, quadros e anexos da NR7, profissionais devidamente capacitados, equipados e qualificados III - Encarregar dos exames complementares previstos na NR7 entidades devidamente capacitadas, equipadas e qualificadas Está correto o que se afirma em: A) Somente I B) Somente II C) Somente III D) Somente II e III E) Somente I e III RESPOSTA: D Prof. Mara Queiroga Camisassa 12

13 A assertiva I está incorreta. O médico coordenador poderá ele mesmo realizar os exames previstos no PCMSO, ou então encarregar, ou seja, delegar esta atribuição a outro(s) médico(s), e não a enfermeiros, como diz a questão. E os médicos que receberem esta atribuição deverão estar familiarizados com os princípios da patologia ocupacional e suas causas, bem como com as condições de trabalho e os riscos aos quais os trabalhadores estarão expostos. A assertivas II e III estão corretas. Na maioria das vezes, os exames complementares são mais complexos (por exemplo, audiometria, espirometria, hemograma, raio X de tórax, etc) e não podem ser feitos no próprio consultório, daí a necessidade de encarregar tais exames a outros profissionais ou entidades devidamente capacitados, equipados e qualificados. QUESTÃO 09 - AFT/MTE/ESAF/2006 Em relação ao Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional - PCMSO (NR-07), é correto afirmar: A) O PCMSO deverá ter caráter assistencialista, sendo que cada exame será feito e analisado individualmente. B) O "exame médico admissional" deverá, em geral, ser realizado antes do trabalhador iniciar suas atividades na empresa, porém, em casos excepcionais, é facultada sua realização até a data que antecede o final do período de experiência. C) O "exame médico de mudança de função" deverá, necessariamente, ser realizado antes do final da primeira semana na nova função. D) Todos os empregados demitidos pela empresa deverão realizar o exame médico demissional até a data da homologação da demissão. E) O Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) deverá, necessariamente, constar os riscos ocupacionais específicos existentes, ou a ausência deles na atividade do empregado. RESPOSTA: E A assertiva A está incorreta. O PCMSO não possui caráter assistencialista, mas sim, prevencionista. Cada exame é realizado individualmente, porém a análise, além de ser feita individualmente, também deve ser feita de forma coletiva a fim de se identificar a ocorrência de lesões ou doenças ocupacionais em grupos de trabalhadores expostos aos mesmos riscos (lembram-se do "instrumental clínico-epidemiológico?") A assertiva B está incorreta. Conforme determina o item , a avaliação clínica do exame médico admissional deve ser realizada ANTES que o trabalhador assuma suas atividades, sem exceções. Prof. Mara Queiroga Camisassa 13

14 Vamos estudar então, quais os exames médicos que devem estar incluídos no PCMSO: O item determina que o PCMSO deve incluir, entre outros, os seguintes exames médicos: - Admissional - Periódico - De retorno ao trabalho - De mudança de função - Demissional PESSOAL, ATENÇÃO: Cada um dos exames acima deve incluir: 1. Avaliação clínica: anamnese ocupacional, exame físico e mental 2. Exames complementares, realizados de acordo com termos da NR7 A NR7 determina ainda, o prazo e periodicidade para realização da avaliação clínica. Elaborei os quadros a seguir a fim de facilitar a memorização destes prazos: PRAZO PARA REALIZAÇÃO DA AVALIAÇÃO CLÍNICA NOS EXAMES MÉDICOS: ADMISSIONAL, RETORNO AO TRABALHO E MUDANÇA DE FUNÇÃO EXAME MÉDICO Prazo Admissional ANTES que o trabalhador assuma suas atividades Retorno ao trabalho No PRIMEIRO dia da volta ao trabalho de trabalhador ausente por período igual ou superior a 30 (trinta) dias por motivo de: - Doença ou acidente, de natureza ocupacional ou não - ou Parto Mudança de função ANTES da data da mudança (nos casos em que haverá exposição do trabalhador a risco DIFERENTE daquele a que estava exposto antes da mudança) Prof. Mara Queiroga Camisassa 14

15 PERIODICIDADE PARA REALIZAÇÃO DA AVALIAÇÃO CLÍNICA NO EXAME MÉDICO PERIODICO Trabalhadores expostos a riscos ou a situações de trabalho que impliquem o desencadeamento ou agravamento de doença ocupacional, ou, portadores de doenças crônicas a A cada ano ou intervalos MENORES* Trabalhadores expostos a condições hiperbáricas De acordo com o Anexo 6 da NR 15 Demais trabalhadores ANUAL: Para menores de 18 e maiores de 45 anos A CADA DOIS ANOS: Para trabalhadores entre 18 e 45 anos * A critério do médico encarregado, ou se notificado pelo Auditor Fiscal Médico do Trabalho ou ainda como resultado de negociação coletiva de trabalho. PRAZO PARA REALIZAÇÃO DA AVALIAÇÃO CLÍNICA NO EXAME MÉDICO DEMISSIONAL A avaliação clínica do exame demissional deve ser realizada ATÉ a data da homologação* desde que o ÚLTIMO exame médico ocupacional tenha sido realizado há mais de: 135 dias No caso de empresas de grau de risco 1 e 2 90 dias No caso de empresas de grau de risco 3 e 4 * Homologação da Rescisão do Contrato de Trabalho, de acordo com o Art 477, 1 da CLT: "O pedido de demissão ou recibo de quitação de rescisão, do contrato de trabalho, firmado por empregado com mais de 1 (um) ano de serviço, só será válido quando feito com a assistência do respectivo Sindicato ou perante a autoridade do Ministério do Trabalho.." Com relação à avaliação clínica do exame periódico, os prazos de 135 e 90 dias poderão ser ampliados em decorrência de negociação coletiva, assistida por: Profissional indicado de comum acordo entre as partes ou Profissional do órgão regional competente em segurança e saúde no trabalho Prof. Mara Queiroga Camisassa 15

16 A assertiva C está incorreta. O "exame médico de mudança de função" deverá ser realizado antes da data da mudança, e não no final da primeira semana na nova função, como diz a assertiva. A assertiva D está incorreta. Somente deverão ser submetidos ao exame médico demissional até a data da homologação, os empregados cujo último exame ocupacional tenha sido realizado há mais de 135 dias no caso de empresas de grau de risco 1 e 2, ou há mais de 90 dias, no caso de empresas de grau de risco 3 e 4. A assertiva E está correta. Para cada exame médico realizado, o médico deverá emitir um atestado, chamado Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) no qual deverá constar os riscos ocupacionais aos quais o trabalhador está exposto, ou a ausência deles. O ASO deve ser emitido em 02 (duas) vias, sendo que a primeira via deve ficar arquivada no local de trabalho do trabalhador (incluindo frente de trabalho ou canteiro de obras) e à disposição da fiscalização do trabalho. A segunda via do ASO deve ser entregue ao trabalhador, mediante recibo na primeira via. Veremos o ASO em detalhes na próxima questão. QUESTÃO 10 - ENG SEG PLENO/TBG/NCE UFRJ/2006 De acordo com a NR 7, para cada exame médico realizado, o médico emitirá o Atestado de Saúde Ocupacional - ASO. Este ASO deve conter no mínimo: (A) nome do trabalhador, número de registro de sua identidade, função, definição de apto ou inapto para a função, data e assinatura do médico encarregado do exame e carimbo contendo seu número de inscrição no CRM (B)nome do trabalhador, número de registro de sua identidade, função, riscos ocupacionais específicos, indicação dos procedimentos médicos, definição de apto ou inapto para a função, data e assinatura do médico coordenador (C) nome do trabalhador, número de registro de sua identidade, função, riscos ocupacionais específicos, indicação dos procedimentos médicos, definição de apto ou inapto para a função, dados obtidos nos exames médicos, incluindo a avaliação clínica e exames complementares, as conclusões e as medidas aplicadas (D) nome do trabalhador, número de registro de sua identidade, função, riscos ocupacionais específicos existentes, indicação dos procedimentos médicos, incluindo os exames complementares e a data em que foram realizados, nome do médico coordenador (quando houver) e o CRM do médico, definição de apto ou inapto para a função, nome do médico encarregado do exame e endereço Prof. Mara Queiroga Camisassa 16

17 ou outra forma de contato, data e assinatura do médico encarregado do exame e carimbo contendo seu número de inscrição no CRM (E) nome do trabalhador, número de registro de sua identidade, função, riscos ocupacionais específicos existentes, indicação dos procedimentos médicos, incluindo a data e os exames complementares realizados, nome do médico coordenador (se houver) e o CRM do médico, definição de apto ou inapto para a função, nome do médico encarregado do exame, data e assinatura do médico encarregado do exame e carimbo contendo seu número de inscrição no CRM, dados obtidos nos exames médicos, incluindo a avaliação clínica e exames complementares, as conclusões e as medidas aplicadas RESPOSTA: D Segundo o item o ASO deverá conter no mínimo as seguintes informações: a) nome completo do trabalhador, o número de registro de sua identidade e sua função; b) os riscos ocupacionais específicos existentes, ou a ausência deles, na atividade do empregado c) indicação dos procedimentos médicos a que foi submetido o trabalhador, incluindo os exames complementares e a data em que foram realizados; d) o nome do médico coordenador, quando houver, com respectivo CRM; e) definição de apto ou inapto para a função específica que o trabalhador vai exercer, exerce ou exerceu; f) nome do médico encarregado do exame e endereço ou forma de contato; g) data e assinatura do médico encarregado do exame e carimbo contendo seu número de inscrição no Conselho Regional de Medicina. A assertiva D é a única que contém todas estas informações. O quadro a seguir tem o objetivo de facilitar a memorização do conteúdo mínimo do ASO. Prof. Mara Queiroga Camisassa 17

18 ASO - CONTEÚDO MÍNIMO Trabalhador Riscos ocupacionais Procedimentos médicos Nome -No. identidade Função Riscos Ocupacionais específicos ou ausência deles, na atividade -Avaliação clínica -Exames Complementarei; - Data Apto? Médico encarregado Médico coordenador* Apto ou Inapto para a função que vai exercer, exerce ou exerceu -Nome - Endereço ou forma de contato - Data - Assinatura - Carimbo com CRM -Nome -CRM Observações: * Quando houver 1. Caso o trabalhador não esteja exposto a riscos ocupacionais específicos, deve constar expressamente no ASO, a ausência destes. 2. As informações do médico coordenador que devem constar do ASO são apenas seu nome e CRM (número de registro no Conselho Regional de Medicina). Não há necessidade de o médico coordenador assinar o ASO, uma vez que o mesmo não realizou os exames, que ficam sob responsabilidade do médico encarregado. Este sim, deve assinar o ASO. Prof. Mara Queiroga Camisassa 18

19 3. Nâo se esqueçam que o trabalhador deve recebe a segunda via do ASO, mediante recibo na primeira via, ou seja, a ASSINATURA do trabalhador também deve contar no ASO. 4. Lembrem-se também que a empresa pode estar dispensada de indicar médico coordenador, neste caso, constarão no ASO as informações do médico que realizou os exames (médico encarregado). QUESTÃO 11 - TEC ENFERM TRAB/FUNDACAOCASA/VUNESP /2011 A. C., 39 anos, cozinheira, compareceu ao Serviço de Saúde Ocupacional da empresa onde trabalha após alta de licença de 60 dias para tratamento de fratura de perna, devido a acidente de trabalho de trajeto. Nessa oportunidade, deve ser encaminhada (A) ao supervisor para retomar suas atividades laborais. (B) para exame médico admissional. (C) para exame médico de retorno ao trabalho. (D) para exame médico demissional. (E) ao INSS para regularizar sua licença e receber o auxílio- -doença. RESPOSTA: C Como a empregada ficou afastada mais de 30 dias, ela deverá realizar exame médico de retorno ao trabalho. Você se lembra da data em que este exame deve ser realizado??? No primeiro dia da volta ao trabalho. Veja que o que determina se o exame médico de retorno ao trabalho deve ser feito é o período do afastamento, que deve ser superior a 30 (trinta) dias. Não importa se o afastamento teve natureza ocupacional ou não. QUESTÃO 12 - TEC SEG TRABALHO/UFG/CENTRO SELEÇÃO /2010 O PCMSO NR-7 deve ser planejado e implantado pelas empresas com base nos riscos à saúde dos trabalhadores. O exame médico demissional será realizado até a data da homologação, desde que o último exame médico ocupacional tenha sido realizado há mais de (A) 135 dias para as empresas de grau de risco 1 e 2. (B) 120 dias para as empresas de grau de risco 3 e 4. (C) 90 dias para as empresas de grau de risco 1 e 2. (D) 30 dias para as empresas de grau de risco 3 e 4. Prof. Mara Queiroga Camisassa 19

20 RESPOSTA: A Segundo o item , no caso de empresas de grau de risco 1 e 2, o exame médico demissional deverá ser realizado até a data da homologação, caso o ultimo exame médico ocupacional do trabalhador tenha sido realizado há mais de 135 dias. QUESTÃO 13 - TEC SEG JR/PETROBRAS/CESGRANRIO/2OO8) Sendo constatada a ocorrência de doenças profissionais numa empresa, por meio de exames médicos que incluem os definidos na NR-7, o médico coordenador do PCMSO deve (A) encaminhar o trabalhador à DRT para estabelecimento do nexo causal. (B) encaminhar o trabalhador ao posto de saúde para avaliação de incapacidade. (C) encaminhar o trabalhador à DSST para definição da conduta previdenciária em relação ao trabalho. (D) indicar o afastamento do trabalhador do trabalho, mesmo não sendo necessário. (E) solicitar a emissão da Comunicação de Acidente de Trabalho. RESPOSTA: E A assertiva A está incorreta. No caso de ocorrência ou agravamento de doença profissional, o médico coordenador deverá encaminhar o trabalhador à Previdência Social e não à DRT, conforme consta na assertiva. Este encaminhamento tem como objetivo o estabelecimento de nexo causal, avaliação de incapacidade e definição da conduta previdenciária em relação ao trabalhador. E não só o médico coordenador poderá fazer este encaminhamento, como também o médico encarregado dos exames. As assertivas B e C também estão incorretas. O trabalhador deve ser encaminhado à Previdência Social e não ao posto de saúde nem ao DSST (Departamento de Segurança e Saúde do Trabalho). A assertiva D está incorreta. O médico coordenador ou encarregado deverá indicar o afastamento do trabalhador da exposição ao risco ou do trabalho, somente quando for necessário! A assertiva E está correta. No caso de ocorrência ou agravamento de doença profissional, o médico coordenador deverá solicitar à empresa a emissão da CAT que é a Comunicação de Acidente do Trabalho. Veremos mais detalhes sobre a CAT na nossa última aula. Prof. Mara Queiroga Camisassa 20

21 QUESTÃO 14 - MED TRAB/FUNDACAO CASA/VUNESP/2010 Segundo a NR-7, a avaliação clínica no exame médico admissional (A) poderá ser realizada durante o período de experiência. (B) será realizada no término do período de experiência. (C) poderá ser realizada em qualquer época, a critério do empregador. (D) será realizada apenas pelo médico coordenador do PCMSO. (E) deverá ser realizada antes que o trabalhador assuma suas atividades. RESPOSTA: E Segundo o item a avaliação clínica do exame médico admissional deve ser realizada ANTES que o trabalhador assuma suas atividades. Pessoal, atenção, na prova o examinador pode tentar confundir com assertivas do tipo "o exame admissional deve ser realizado em no máximo 24 horas após o início das atividades" o que poderia parecer razoável mas não é!!! A palavra chave é ANTES: A avaliação clínica do exame médico admissional deve ser realizada ANTES que o trabalhador assuma suas atividades. QUESTÃO 15 - ENG SEG/BNB/ACEP/2006 Deverá estar equipado com material necessário à prestação de primeiros socorros, estabelecimento com: A) mais de 5 empregados. B) mais de 10 empregados. C) mais de 15 empregados. D) mais de 20 empregados. E) qualquer número de empregados. RESPOSTA: E Segundo o item da NR7, todos os estabelecimentos devem possuir material necessário à prestação de primeiros socorros, independente da quantidade de empregados, porém, considerando as atividades desenvolvidas!! Além de ficar guardado em local adequado, este kit deve permanecer sob a responsabilidade de pessoa treinada para este fim: Prof. Mara Queiroga Camisassa 21

22 KIT PRIMEIROS SOCORROS TODAS AS EMPRESAS DEVEM POSSUIR SEU CONTEÚDO DEVE CONSIDERAR AS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA EMPRESA INDEPENDENTE DA QUANTIDADE DE EMPREGADOS!!! MANTIDO EM LOCAL ADEQUADO SOB GUARDA DE PESSOA TREINADA PARA ESTE FIM QUESTÃO 16 - EXERCÍCIO PROPOSTO A NR7 prevê as seguintes periodicidades para a avaliação clínica do exame periódico, exceto: A) A cada ano ou a intervalos menores, no caso de trabalhadores expostos a riscos ou a situações de trabalho que impliquem o desencadeamento ou agravamento de doença ocupacional ou portadores de doenças crônicas B) De acordo com a NR15, no caso de trabalhadores expostos a condições hiperbáricas C) Anual para menores de 18 e maiores de 45 anos (desde que não expostos a riscos ou condições hiperbáricas) D) A cada dois anos para trabalhadores entre 18 e 45 anos (desde que não expostos a riscos ou condições hiperbáricas) E) Seis meses para menores aprendizes RESPOSTA: E As assertivas A, B, C e D correspondem à redação do itens e seus subitens. Para os menores aprendizes vale a mesma periodicidade prevista na NR7. QUESTÃO 17 - EXERCÍCIO PROPOSTO Sobre o prontuário clínico individual previsto na NR7, marque a assertiva incorreta: A) Deve registrar os dados obtidos nos exames médicos, conclusões e medidas aplicadas B) Deve ficar sob responsabilidade do médico encarregado C) Os registros devem ser mantidos por no mínimo 20 (vinte) anos após o desligamento do trabalhador Prof. Mara Queiroga Camisassa 22

23 D) Caso o médico coordenador seja substituído, os registros devem ser transferidos para o seu sucessor. RESPOSTA: B A assertiva A está correta. O prontuário clínico individual deve conter todas as informações dos exames médicos aos quais cada trabalhador foi submetido, e deve incluir, além dos resultados, as conclusões e medidas aplicadas. A assertiva B está incorreta. O prontuário clínico individual deve permanecer sob responsabilidade do médico coordenador do PCMSO. A assertiva C está correta. Os registros dos exames médicos devem ser mantidos por no mínimo 20 (vinte) anos. E este prazo começa a contar a partir do desligamento do trabalhador!!! A assertiva D está correta. No caso de substituição do médico coordenador, os prontuários clínicos devem ficar ser transferidos para o substituto. NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS - PPRA QUESTÃO 18 - Auditor Fiscal do Trabalho/MTE/ESAF/2010 Julgue as proposições seguintes e assinale a opção correta. I. O contador da empresa Prevenir Para Sempre Ltda. é uma pessoa autodidata e muito comprometida com as questões sociais envoltas ao trabalho e goza de prestígio perante o conselho de administração da empresa ao ponto de indicar, com êxito, a contratação de um amigo, médico do trabalho, para coordenar o PCMSO. Nesse cenário, é possível que a empresa designe esse contador como responsável pelo PPRA. II. O AFT, em pleno exercício de suas prerrogativas legais, poderá autuar a empresa por apresentar como responsável pelo PPRA uma pessoa inepta em função do baixo desempenho decorrente de avaliação, por escrito, a que foi submetida pelo AFT, sobre o tema, em consonância com o devido processo legal. III. Cabe ao empregador, bem como aos trabalhadores, assegurar o cumprimento do PPRA como atividade permanente da empresa, inclusive nas fases de elaboração, implantação e execução. A) Apenas a I está correta. B) Todas as proposições estão corretas. C) Todas as proposições estão erradas. D) Apenas a II está correta. E) Apenas a III está correta. Prof. Mara Queiroga Camisassa 23

24 RESPOSTA: A A assertiva I está correta. Com relação à indicação do médico do trabalho como médico coordenador vamos considerá-la correta, como vimos na anteriormente nesta aula. O que nos interessa neste momento é a segunda parte da assertiva, que diz que um contador pode ser responsável pelo PPRA. E isto está correto! De acordo com o item , a elaboração, implementação, acompanhamento e avaliação do PPRA poderão ser feitas pelo Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho - SESMT ou por pessoa ou equipe de pessoas que, a critério do empregador, sejam capazes de desenvolver o disposto na NR9. Então, a princípio, e de acordo com o disposto na NR9, é possível que qualquer pessoa, a critério do empregador seja responsável pela elaboração, implementação, acompanhamento e avaliação do PPRA. (Entretanto, dada a importância deste programa, e a necessidade do conhecimento técnico, teórico e prático de diversos conceitos da higiene ocupacional, a situação ideal é que este programa seja elaborado por profissional especializado na área de segurança do trabalho.) A assertiva II está incorreta. A indicação do responsável pela elaboração, implementação, acompanhamento e avaliação do PPRA é uma responsabilidade do empregador. Porém, o empregador não poderá ser autuado pelo fiscal do trabalho caso esta pessoa não seja capaz ou não tenha condições de realizar tais atividades. É claro que tal indicação terá outro tipo de consequência, por exemplo, um PPRA que não estiver alinhado com a realidade da empresa, não identificará corretamente os riscos ambientais, etc. E existem várias autuações que o fiscal do trabalho deverá fazer caso o PPRA não esteja de acordo com o disposto pela NR9, mas o que não pode acontecer é o empregador ser autuado pela escolha de pessoa inepta. E menos ainda, não há que se falar em avaliação por escrito aplicada pelo fiscal!!! Viagem... A assertiva III está incorreta. O item 9.4 determina quais são responsabilidades do empregador e do empregado. Uma das responsabilidades do empregador é assegurar o cumprimento do PPRA como atividade permanente da empresa. Esta não é uma responsabilidade do empregado, como consta na assertiva. Os quadros a seguir apresentam as responsabilidades do empregador e dos empregados: Prof. Mara Queiroga Camisassa 24

25 RESPONSABILIDADE DO EMPREGADOR O CUMPRIMENTO DO PPRA RESPONSABILIDADES DOS EMPREGADOS COLABORAR E PARTICIPAR NA IMPLANTAÇÃO E EXECUÇÃO DO PPRA SEGUIR INFORMAR AS ORIENTAÇOES RECEBIDAS NOS TREINAMENTOS OFERECIDOS DENTRO DO PPRA AO SUPERIOR HIERÁRQUICO OCORRÊNCIAS QUE IMPLIQUEM EM RISCO À SAÚDE DOS TRABALHADORES QUESTÃO 19 - EXERCÍCIO PROPOSTO Marque a assertiva correta, nos termos da NR9: A) O PPRA é um programa que visa a preservação da saúde dos trabalhadores, através da antecipação, reconhecimento, avaliação e controle da ocorrência de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho, tendo em consideração a proteção do meio ambiente e dos recursos naturais. B) Empresas com grau de risco 1 e 2, que possuem em seu quadro pelo menos 10 (dez) empregados estão obrigadas a elaborar o PPRA. Prof. Mara Queiroga Camisassa 25

26 C) Deverá ser realizada análise global do PPRA a cada 24 (vinte e quatro) meses. D) O PPRA é parte integrante do conjunto mais amplo das iniciativas da empresa no campo da preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, não precisando estar articulado com o disposto nas demais NRs. E) A NR9 estabelece os parâmetros mínimos para o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA). Tais parâmetros podem ser ampliados através de portaria da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego. RESPOSTA: A A assertiva A está correta. O PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais - é um programa de higiene do trabalho (ou higiene ocupacional) cujo objetivo é preservar a saúde e a integridade física dos trabalhadores, através da identificação e gerenciamento dos riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho. A assertiva B está incorreta. Segundo o item 9.1.1, todos os empregadores e instituições que admitam trabalhadores como empregados, estão obrigados a elaborar e implementar o PPRA. Ou seja, empresas que admitam empregados, independente do seu grau de risco e da quantidade de empregados, estão obrigadas a elaborar e implementar o PPRA. A assertiva C está incorreta. Item da NR9. A análise global deve ser realizada sempre que necessário e pelo menos uma vez ao ano, e não a cada 24 (vinte e quatro) meses como consta na assertiva. O objetivo da análise global é (1) avaliar o desenvolvimento do PPRA, (2) realizar os ajustes necessários e (3) estabelecer novas metas e prioridades. Entendendo melhor estes três objetivos: (1) A avaliação do desenvolvimento do PPRA permite verificar se a implantação do programa, na prática, está de acordo com as determinações estabelecidas no documento, por exemplo, verificação se as medidas de controle sugeridas foram implantadas. (2) Realizar os ajustes necessários: Por exemplo, caso seja identificado um novo risco devido à implantação de novo processo de trabalho, ou ainda no caso de alteração de um processo já existente, este risco deverá ser incluído no PPRA, bem como as respectivas medidas de controle e monitoramento. (3) Estabelecer novas metas e prioridades, por exemplo, implantar em até seis meses, o isolamento de nova fonte de ruído excessivo através de enclausuramento por barreiras físicas. Prof. Mara Queiroga Camisassa 26

27 A assertiva D está incorreta. O item nos ensina que o PPRA é parte integrante de um conjunto de iniciativas da empresa no campo da preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, e deve sim estar articulado com o disposto nas demais NR, em especial com o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional - PCMSO previsto na NR-7. É extremamente importante esta integração entre a NR7 - PCMSO e a NR9 - PPRA, pois uma vez identificados os riscos aos quais os trabalhadores estarão expostos, o médico coordenador do PCMSO poderá melhor determinar os exames médicos que deverão ser realizados. Mas quais seriam estes riscos? Veremos na questão 21. A assertiva E está incorreta. Segundo o item 9.1.4, a NR9 estabelece os parâmetros mínimos e diretrizes gerais que devem ser observados na execução do PPRA, sendo que estes parâmetros e estas diretrizes podem ser ampliados mediante convenção coletiva de trabalho, e não através de portaria da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, conforme consta na assertiva. QUESTÃO 20 - Auditor Fiscal do Trabalho/MTE/ESAF/2010 Considere as proposições abaixo, quanto à necessária presença na estrutura do PPRA, e assinale a seguir a opção correta. I. Planejamento anual, metas, prioridades, cronograma e homologação pelo MTE. II. Estratégia, metodologia de ação e homologação por entidade certificadora credenciada pelo MTE. III. Forma do registro, manutenção e divulgação dos dados e homologação do sindicato patronal registrado no MTE. IV. Periodicidade, forma de avaliação e homologação do sindicato dos trabalhadores registrado no MTE. A) Todas as proposições estão corretas. B) Apenas uma proposição está correta. C) Todas as proposições estão erradas. D) Apenas três proposições estão corretas. E) Apenas duas proposições estão corretas. RESPOSTA: C Não existe a obrigatoriedade de homologação do PPRA nem no MTE nem em nenhum outro orgão ou entidade pública ou privada. Por este motivo, todas as assertivas estão erradas, pois contêm esta opção. Prof. Mara Queiroga Camisassa 27

Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo XXXVI CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO

Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo XXXVI CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo XXXVI CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO 2015 XXXV CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE

Leia mais

NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2)

NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2) Página 1 de 6 NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2) 7.1. Do objeto. 7.1.1. Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação, por parte

Leia mais

MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO 6 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO AMBIENTAL INEAA MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO José Roberto Teixeira NOVEMBRO/2002 MEIO AMBIENTE, SAÚDE E

Leia mais

Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Objetivo A Norma Regulamentadora 9 estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação,

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 4 Programa Controle MÇdico de SaÉde Ocupacional

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 4 Programa Controle MÇdico de SaÉde Ocupacional Curso Técnico Segurança do Trabalho Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 4 Programa Controle MÇdico de SaÉde Ocupacional PCMSO Estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação,

Leia mais

NR.07 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL 09/12/2013

NR.07 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL 09/12/2013 NR.07 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL 09/12/2013 Do Objeto Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação, por parte de todos os empregadores

Leia mais

TÓPICO 01: DISPOSIÇÕES GERAIS

TÓPICO 01: DISPOSIÇÕES GERAIS TÓPICO 01: DISPOSIÇÕES GERAIS O Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional PCMSO, se configura em uma obrigatoriedade legal a ser cumprida por todos os empregadores e instituições que admitam trabalhadores

Leia mais

PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional).

PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional). PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional). PCMSO O PCMSOé definido e regulamentado pela Norma Regulamentadora nº 7, contida na Portaria 3214, de 8 de Junho de 1978, do Ministério do Trabalho

Leia mais

Estabelecer critérios para a padronização do PCMSO visando obter a uniformização dos documentos nas áreas na UNIDADE LOGÍSTICA.

Estabelecer critérios para a padronização do PCMSO visando obter a uniformização dos documentos nas áreas na UNIDADE LOGÍSTICA. 1 1 OBJETIVO Estabelecer critérios para a padronização do PCMSO visando obter a uniformização dos documentos nas áreas na UNIDADE LOGÍSTICA. 2 USUÁRIOS Componentes do SESMT Local Componentes do SESMT Corporativo

Leia mais

PCMSO MEDSET QUALIDADE DE VIDA MEDICINA, SEGURANÇA, ENGENHARIA DO TRABALHO

PCMSO MEDSET QUALIDADE DE VIDA MEDICINA, SEGURANÇA, ENGENHARIA DO TRABALHO PCMSO MEDSET QUALIDADE DE VIDA MEDICINA, SEGURANÇA, ENGENHARIA DO TRABALHO MED-SET QUALIDADE DE VIDA 1 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL EMPRESA: BORSARI - ENGENHARIA E MEIO AMBIENTE

Leia mais

NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS. Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila

NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS. Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS Alunos: Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila NR 7 PCMSO - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL Esta Norma Regulamentadora - NR

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Gestão Aplicada a SST Segurança e Saúde do Trabalho AULA 7

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Gestão Aplicada a SST Segurança e Saúde do Trabalho AULA 7 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Gestão Aplicada a SST Segurança e Saúde do Trabalho AULA 7 COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Compreender a importância do PCMSO como instrumento

Leia mais

PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL - PCMSO

PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL - PCMSO 1 PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL - PCMSO PORTARIA Nº 3.214 DE 08/06/78 - NR7 (com redação dada pela Portaria nº 24 de 29/12/94 e Portaria nº 8 de 08/05/96) DO OBJETO A Norma Regulamentadora

Leia mais

ANEXO I TERMOS DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMOS DE REFERÊNCIA 1. INTRODUÇÃO ANEXO I TERMOS DE REFERÊNCIA NÚMERO /DATA 009/01-25/10/2001 ORIGEM SRF/RFFC/ER-6 1.1 Tendo em vista que o contrato firmado com a Sul América não prevê a realização de exames admissionais,

Leia mais

Art. 1º - Aprovar o texto da Norma Regulamentadora n.º 7 EXAMES MÉDICOS, que passa a ter a seguinte redação:

Art. 1º - Aprovar o texto da Norma Regulamentadora n.º 7 EXAMES MÉDICOS, que passa a ter a seguinte redação: MINISTÉRIO DO TRABALHO SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO PORTARIA N.º 24, DE 29 DE DEZEMBRO DE 1994 (D.O.U. de 30/12/94 Seção 1 págs. 21.278 e 21.280) O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BARRA MANSA CURSO DE NUTRIÇÃO ADMINISTRAÇÃO DE UNIDADES DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO AULA 23

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BARRA MANSA CURSO DE NUTRIÇÃO ADMINISTRAÇÃO DE UNIDADES DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO AULA 23 CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BARRA MANSA CURSO DE NUTRIÇÃO ADMINISTRAÇÃO DE UNIDADES DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO AULA 23 Profa. M.Sc Vanessa Vasconcelos Fonseca Mestre em Ciência de Alimentos Especialista MBA

Leia mais

NR-7 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL. Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi

NR-7 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL. Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi NR-7 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL Curso:Tecnólogo em Gestão Ambiental Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira OBJETO: Estabelece

Leia mais

ANEXO I CONDIÇÕES DE CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS

ANEXO I CONDIÇÕES DE CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS 1.OBJETO ANEXO I CONDIÇÕES DE CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS Contratação de empresa especializada na prestação de serviços de Assistência Médica de Segurança e Medicina do Trabalho, para atendimento aos colaboradores

Leia mais

PCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional

PCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional VIGÊNCIA: 1 ANO EMPRESA: Virtual Machine Data da Elaboração Data de Vencimento 18/ 02 /2008 17 / 02/2009 CARACTERIZAÇÃO DA EMPRESA Razão Social: Vitual Machine CNPJ: 08.693.563/0001.14 CNAE: 4751200 Grau

Leia mais

III ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO ALTO SAPUCAÍ PCMSO E SAÚDE DO SERVIDOR

III ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO ALTO SAPUCAÍ PCMSO E SAÚDE DO SERVIDOR III ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO ALTO SAPUCAÍ PCMSO E SAÚDE DO SERVIDOR Sônia Cristina Bittencourt de Paiva Consultora em Saúde Ocupacional e Ergonomia A RELAÇÃO

Leia mais

1.2 EXAME MÉDICO MÓDULO 1 ADMISSÃO

1.2 EXAME MÉDICO MÓDULO 1 ADMISSÃO MÓDULO 1 ADMISSÃO 1.2 EXAME MÉDICO ESTE FASCÍCULO SUBSTITUI O DE IGUAL NÚMERO ENVIADO ANTERIORMENTE AOS NOSSOS ASSINANTES. RETIRE O FASCÍCULO SUBSTITUÍDO, ANTES DE ARQUIVAR O NOVO, PARA EVITAR A SUPERLOTAÇÃO

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 3

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 3 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Saúde Ocupacional AULA 3 Competências a serem trabalhadas nesta aula Estabelecer os parâmetros e diretrizes necessários para garantir um padrão

Leia mais

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite ENGº DE SEGURANÇA DO TRABALHO LUIZ PAUMGARTTEN

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional PCMSO

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional PCMSO Programa de Controle Médico de Saúde 29/10/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 4 5. Informações Complementares...

Leia mais

GR ASSESSORIA LTDA. Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho. Fones 3274.7841 / 3091.0306 / 3257.4685 / 87578392 / 8778.

GR ASSESSORIA LTDA. Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho. Fones 3274.7841 / 3091.0306 / 3257.4685 / 87578392 / 8778. GR ASSESSORIA LTDA Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho Fones 3274.7841 / 3091.0306 / 3257.4685 / 87578392 / 8778.4561 PCMSO Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional PPRA Programa

Leia mais

01. Quais são os exames especificados na NR7 que devem ser realizados e que geram ASO:

01. Quais são os exames especificados na NR7 que devem ser realizados e que geram ASO: 01. Quais são os exames especificados na NR7 que devem ser realizados e que geram ASO: 01. Quais são os exames especificados na NR7 que devem ser realizados e que geram ASO: Admissional, Periódico, de

Leia mais

MÓDULO ADMISSÃO 1.2 EXAME MÉDICO

MÓDULO ADMISSÃO 1.2 EXAME MÉDICO MÓDULO 1 ADMISSÃO 1.2 EAME MÉDICO DEPARTAMENTO DE PESSOAL MANUAL DE PROCEDIMENTOS SUMÁRIO ASSUNTO PÁGINA 1.2. EAME MÉDICO... 3 1.2.1. INTRODUÇÃO... 3 1.2.2. PENALIDADES... 3 1.2.3. ADMISSIONAL OU PRÉ-ADMISSIONAL...

Leia mais

NP-NORMAS E PROCEDIMENTOS EM SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL

NP-NORMAS E PROCEDIMENTOS EM SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL Página 1 de 7 1. OBJETIVO 1.1. Estabelecer procedimentos técnico-administrativos para Registro, Análise e Investigação de Acidente do Trabalho envolvendo os servidores públicos e empregados fundacionais

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO PORTARIA N.º 24, DE 29 DE DEZEMBRO DE 1994 (D.O.U. de 30/12/94 Seção 1 págs. 21.278 e 21.280) O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO,

Leia mais

Nº XXXXX-XX/201X (código: XXXX) CONVÊNIO PARA ELABORAÇÃO DOS PROGRAMAS PCMSO (NR-7) E PPRA (NR-9)

Nº XXXXX-XX/201X (código: XXXX) CONVÊNIO PARA ELABORAÇÃO DOS PROGRAMAS PCMSO (NR-7) E PPRA (NR-9) Nº XXXXX-XX/201X (código: XXXX) CONVÊNIO PARA ELABORAÇÃO DOS PROGRAMAS PCMSO (NR-7) E PPRA (NR-9) Pelo presente instrumento particular, o SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO DO RIO DE JANEIRO - SECONCI-RIO,

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE MATO GROSSO

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE MATO GROSSO 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 PARECER CONSULTA CRM-MT Nº 13/2012 DATA DA ENTRADA: 12 de junho de 2012 INTERESSADO: Dr. MHM CRM-MT XXXX CONSELHEIRA CONSULTORA: Dra. Hildenete Monteiro Fortes ASSUNTO:

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP DIVISÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL - DVSS Sumário 1. OBJETIVO...

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE ATESTADOS MÉDICOS. Caxias do Sul, 23 de julho de 2015

CONSIDERAÇÕES SOBRE ATESTADOS MÉDICOS. Caxias do Sul, 23 de julho de 2015 CONSIDERAÇÕES SOBRE ATESTADOS MÉDICOS Caxias do Sul, 23 de julho de 2015 Conceito de Atestado Declaração escrita e assinada que uma pessoa devidamente qualificada faz sobre a verdade de um fato, e que

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO TERMO DE AJUSTE DE CONDUTA N.º 105/2013 MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA DO TRABALHO NO MUNICÍPIO DE SANTO ÂNGELO, por seu órgão, Procurador do Trabalho ROBERTO PORTELA MILDNER, toma o presente

Leia mais

d) condições ergonômicas não ensejam aposentadoria especial e) o trabalho penoso é aceito para enquadramento para aposentadoria especial.

d) condições ergonômicas não ensejam aposentadoria especial e) o trabalho penoso é aceito para enquadramento para aposentadoria especial. QUESTÕES DE PROVA BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS 1. Considerando a análise do direito ao auxílio doença, analise as situações abaixo e assinale S (sim) ou N (não) quanto a essa concessão. A seguir, assinale

Leia mais

16/04/2014. Ética e medicina do trabalho: Ética e medicina do trabalho:

16/04/2014. Ética e medicina do trabalho: Ética e medicina do trabalho: Ética e medicina do trabalho: Ética e medicina do trabalho: Dispositivos legais que disciplinam a atuação dos profissionais e médicos do trabalho em conformidade com os princípios éticos. 1) OIT - Serviços

Leia mais

CARTILHA PPP VERSÃO 1 (30-06-2003) O quê é?

CARTILHA PPP VERSÃO 1 (30-06-2003) O quê é? CARTILHA PPP VERSÃO 1 (30-06-2003) O quê é? Documento histórico-laboral do trabalhador que reúne informações administrativas, ambientais e biológicas, durante todo o período em que prestou serviço para

Leia mais

Legislação Comentada:

Legislação Comentada: Serviço Social da Indústria Departamento Regional da Bahia Legislação Comentada: NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) Salvador-Bahia 2008 Legislação Comentada: NR 7 - Programa

Leia mais

PARECER Nº 11174 SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS. DISCIPLINA DA MATÉRIA: ART. 168 DA CLT

PARECER Nº 11174 SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS. DISCIPLINA DA MATÉRIA: ART. 168 DA CLT PARECER Nº 11174 SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS. OS EXAMES ADMISSIONAIS PARA INGRESSO NAS EMPRESAS E ENTIDADES PRIVADAS NÃO SÃO DA COMPETÊNCIA DAS UNIDADES SANITÁRIAS INTEGRANTES DO SUS. DISCIPLINA DA MATÉRIA:

Leia mais

CURSO ONLINE NR-7 PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL (PCMSO)

CURSO ONLINE NR-7 PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL (PCMSO) CURSO ONLINE NR-7 PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL (PCMSO) NR-7 PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL (PCMSO) Descrição: 01) O que é uma "NR"? 02) De que trata a Lei n. 6.514?

Leia mais

ENGENHARIA DE SEGURANÇA

ENGENHARIA DE SEGURANÇA ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ENGENHARIA DE SEGURANÇA P R O F ª K A R E N W R O B E L S T R A

Leia mais

5º WORSHOP DO ALGODÃO AMPASUL NOÇÕES BÁSICAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO RURAL

5º WORSHOP DO ALGODÃO AMPASUL NOÇÕES BÁSICAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO RURAL 5º WORSHOP DO ALGODÃO AMPASUL NOÇÕES BÁSICAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO RURAL Instituto Algodão Social Missão Promover aos associados do setor algodoeiro a responsabilidade social empresarial, a cidadania,

Leia mais

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE Pág.: 1 de 8 1. OBJETIVO Estabelecer as diretrizes e as atividades relativas à identificação, avaliação e desenvolvimento da competência das pessoas, por meio de ações de treinamento e conscientização.

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL

PROCEDIMENTO OPERACIONAL Coordenadoria de Recursos Humanos (CRH) Secretaria Estadual da Saúde PROCEDIMENTO OPERACIONAL Número: 3.3 Revisão: 0 Página: 1/8 Vigência: Indeterminada Titulo: Implantação e adequação do Serviço Especializado

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ASSUNTO PADRONIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, A SEREM EXECUTADAS PELAS EMPRESAS CONTRATADAS PELA INFRAERO RESPONSÁVEL DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO (DA) GERÊNCIA DE DINÂMICA LABORAL

Leia mais

AS DOENÇAS E AS RELAÇÕES COM OS PROCESSOS TRABALHISTAS

AS DOENÇAS E AS RELAÇÕES COM OS PROCESSOS TRABALHISTAS AS DOENÇAS E AS RELAÇÕES COM OS PROCESSOS TRABALHISTAS Ana Maria Selbach Rodrigues Médica do Trabalho SAÚDE Saúde: do latim, salute salvação, conservação da vida (Dicionário Aurélio) OMS = saúde é um estado

Leia mais

60.107 - EXAMES MÉDICOS DE SAÚDE OCUPACIONAL DATA DE APROVAÇÃO: 21/12/1999 ÍNDICE - EXAMES MÉDICOS DE SAÚDE OCUPACIONAL...01/02

60.107 - EXAMES MÉDICOS DE SAÚDE OCUPACIONAL DATA DE APROVAÇÃO: 21/12/1999 ÍNDICE - EXAMES MÉDICOS DE SAÚDE OCUPACIONAL...01/02 60.107 - EXAMES MÉDCOS DE SAÚDE OCUPACONAL DATA DE APROVAÇÃO: 21/12/1999 ÍNDCE CAPÍTULO - GENERALDADES...01/02 - Objetivo - Aplicação - Definições CAPÍTULO - EXAMES MÉDCOS DE SAÚDE OCUPACONAL...01/02 -

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA REMESSA DE DOCUMENTOS PARA CONTABILIZAÇÃO

MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA REMESSA DE DOCUMENTOS PARA CONTABILIZAÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA REMESSA DE DOCUMENTOS PARA CONTABILIZAÇÃO Através deste manual, a Tecnicont pretende orientar seus clientes e facilitar os procedimentos a serem realizados no envio de documentos

Leia mais

COMENTÁRIOS JURÍDICOS AO PCMSO E À EMISSÃO DE ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL AVULSO ASO AVULSO.

COMENTÁRIOS JURÍDICOS AO PCMSO E À EMISSÃO DE ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL AVULSO ASO AVULSO. COMENTÁRIOS JURÍDICOS AO PCMSO E À EMISSÃO DE ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL AVULSO ASO AVULSO. Eduardo Carvalho Abdalla Advogado, Especialista em Gestão Jurídica da Empresa Consultor de Saúde, Segurança

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 5 Programa PrevenÇÉo Riscos Ambientais (VisÉo Geral)

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 5 Programa PrevenÇÉo Riscos Ambientais (VisÉo Geral) Curso Técnico Segurança do Trabalho Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 5 Programa PrevenÇÉo Riscos Ambientais (VisÉo Geral) Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece a obrigatoriedade

Leia mais

NORMA REGULAMENTADORA 5 - NR 5 COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO OBJETIVO

NORMA REGULAMENTADORA 5 - NR 5 COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO OBJETIVO Page 1 of 7 NORMA REGULAMENTADORA 5 - NR 5 COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO OBJETIVO 5.1 a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e

Leia mais

INSS ALTERA MAIS UMA VEZ AS CONDIÇÕES PARA A CONCESSÃO DA APOSENTADORIA ESPECIAL IMPONDO NOVOS ÔNUS PARA AS EMPRESAS

INSS ALTERA MAIS UMA VEZ AS CONDIÇÕES PARA A CONCESSÃO DA APOSENTADORIA ESPECIAL IMPONDO NOVOS ÔNUS PARA AS EMPRESAS INSS ALTERA MAIS UMA VEZ AS CONDIÇÕES PARA A CONCESSÃO DA APOSENTADORIA ESPECIAL IMPONDO NOVOS ÔNUS PARA AS EMPRESAS Jaques Sherique - Engenheiro de Segurança do Trabalho, Presidente da ABPA-SP 2º Vice-Presidente

Leia mais

XIV Simpósio, XIII Encontro Jurídico de Direito e. III Mostra de Pesquisa em Direito de Lagoa Vermelha. Questionamentos posteriores a palestra:

XIV Simpósio, XIII Encontro Jurídico de Direito e. III Mostra de Pesquisa em Direito de Lagoa Vermelha. Questionamentos posteriores a palestra: XIV Simpósio, XIII Encontro Jurídico de Direito e III Mostra de Pesquisa em Direito de Lagoa Vermelha. Questionamentos posteriores a palestra: Gestão da Saúde e Segurança dos Trabalhadores. Boa tarde!

Leia mais

PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO E SAÚDE OCUPACIONAL

PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO E SAÚDE OCUPACIONAL INFORMATIVO Divino Marra da Silva Contador CRC-GO 3538/O-6 Kéllia Lucia Morais da Silva Tec. Contábil CRC-GO 12809/O-0 Tel.: (64) 3603.1313 www.exatoassessoriacontabil.com.br dmarra@exatoassessoriacontabil.com.br

Leia mais

PORTARIA N.º 19, DE 09 DE ABRIL DE 1998

PORTARIA N.º 19, DE 09 DE ABRIL DE 1998 PORTARIA N.º 19, DE 09 DE ABRIL DE 1998 O Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho, no uso de suas atribuições legais, considerando o disposto no artigo 168 da Consolidação das Leis do Trabalho, o disposto

Leia mais

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Responsável: Diretoria de Administração (DA) Superintendência de Recursos Humanos (DARH) Gerência de Dinâmica Laboral

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM MEDICINA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL DA COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA -

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM MEDICINA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL DA COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA - TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM MEDICINA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL DA COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA - CODEBA 1. OBJETO Prestação de serviços em medicina

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Gestão Aplicada a SST Segurança e Saúde do Trabalho ACI

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Gestão Aplicada a SST Segurança e Saúde do Trabalho ACI FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Gestão Aplicada a SST Segurança e Saúde do Trabalho ACI COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTA AULA Compreender a importância do PCMSO como instrumento

Leia mais

MANUAL OPERATIVO DO PROGRAMA DE DEMISSÃO VOLUNTÁRIA DA CEASA/PR

MANUAL OPERATIVO DO PROGRAMA DE DEMISSÃO VOLUNTÁRIA DA CEASA/PR MANUAL OPERATIVO DO PROGRAMA DE DEMISSÃO VOLUNTÁRIA DA CEASA/PR PDV 2013 O presente Manual apresenta as normas e os procedimentos que o candidato à rescisão contratual incentivada deve seguir para sua

Leia mais

www.cpsol.com.br MODELO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES

www.cpsol.com.br MODELO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES MODELO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES CONTRATANTE: (Nome da Contratante), com sede em (...), na Rua (...), nº.

Leia mais

Procedimento de Operação Padrão REVISÃO N o : 01 PÁG: 1 de 6

Procedimento de Operação Padrão REVISÃO N o : 01 PÁG: 1 de 6 1 OBJETIVO PÁG: 1 de 6 Estabelecer os princípios básicos para o uso de protetores auditivos na CP SOLUÇÕES. Facilitar a administração de todas as etapas para atender ao disposto no PCA Programa de Conservação

Leia mais

FAP Faculdade de Apucarana CESUAP Centro de Ensino Superior de Apucarana CNPJ 73243164/0001-13. NR5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

FAP Faculdade de Apucarana CESUAP Centro de Ensino Superior de Apucarana CNPJ 73243164/0001-13. NR5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes NR5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes DO OBJETIVO 5.1 a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo

Leia mais

Faz os seguintes questionamentos:

Faz os seguintes questionamentos: PARECER CFM nº 9/16 INTERESSADO: 1ª Vara da Fazenda da Comarca de Joinville/SC ASSUNTO: Dúvidas quanto à necessidade de especialidade médica para realização de exame pericial e determinação de capacidade

Leia mais

OBSERVAÇÃO: O USUÁRIO É RESPONSÁVEL PELA ELIMINAÇÃO DAS REVISÕES ULTRAPASSADAS DESTE DOCUMENTO

OBSERVAÇÃO: O USUÁRIO É RESPONSÁVEL PELA ELIMINAÇÃO DAS REVISÕES ULTRAPASSADAS DESTE DOCUMENTO Página 1 de 10 DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REV DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 08/06/29 Emissão Inicial OBSERVAÇÃO: O USUÁRIO É RESPONSÁVEL PELA ELIMINAÇÃO DAS REVISÕES ULTRAPASSADAS DESTE DOCUMENTO ELABORAÇÃO Nome

Leia mais

O que faz o Departamento Técnico de Medicina e Segurança do Trabalho?

O que faz o Departamento Técnico de Medicina e Segurança do Trabalho? O que faz o Departamento Técnico de Medicina e Segurança do Trabalho? O DTMST é responsável pela realização dos exames médicos admissional, demissional e periódico, emissão dos abonos de atestados médicos

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO

ACIDENTE DE TRABALHO 1 - DEFINIÇÃO 1.1 - Acidente de trabalho Qualquer prejuízo à saúde ou integridade física do trabalhador ocorrida no trabalho ou em decorrência do trabalho. 1.1.1 - Acidente Típico Acidente que ocorre numa

Leia mais

INDUSTRIAS QUIMICAS TAUBATE S A IQT - Atendimento de Saúde São Paulo

INDUSTRIAS QUIMICAS TAUBATE S A IQT - Atendimento de Saúde São Paulo Proposta INDUSTRIAS QUIMICAS TAUBATE S A IQT - Atendimento de Saúde São Paulo À INDUSTRIAS QUIMICAS TAUBATE S A IQT A\C: Camila Borges de Carvalho camila.borges@iqt.com.br Apresentação da Proposta Conforme

Leia mais

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE PREFEITURA DE BELO HORIZONTE Gerência de Saúde e Segurança do Trabalho GSST À Gerência de Saúde do Servidor e Perícia Médica compete supervisionar e subsidiar a formulação e proposição de diretrizes, normas

Leia mais

Programa de Prevenção de Riscos Ambientais

Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Introdução à Segurança do Trabalho Desde seu aparecimento na Terra, o homem convive com situações de risco e por não ter controle sobre elas, esteve sempre sujeito a todo tipo de acidentes. Com o passar

Leia mais

CARTILHA DO PPP PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO

CARTILHA DO PPP PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO O quê é? Para que serve? Documento histórico laboral do trabalhador que presta serviço à empresa, chancelatório das habilitações de benefícios e serviços previdenciários. É comumente associado à aposentadoria

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 3 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 3 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 3 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP DIVISÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL - DVSS Sumário 1. OBJETIVO...

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Município de Venâncio Aires

Estado do Rio Grande do Sul Município de Venâncio Aires DECRETO Nº 5.672, DE 02 DE ABRIL 2015 Dispõe sobre as inspeções de saúde física e mental no Poder Executivo Municipal. AIRTON LUIZ ARTUS, PREFEITO MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES, no uso de suas atribuições

Leia mais

- NORMA REGULAMENTADORA Nº 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

- NORMA REGULAMENTADORA Nº 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS - NORMA REGULAMENTADORA Nº 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS 9.1 - Do Objeto e Campo de Aplicação Item 9.1 da NR 9 alterado pelo art. 1º da Portaria SSST nº 25 - DOU 30/12/1994 - Republicada

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 22

PROVA ESPECÍFICA Cargo 22 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 22 QUESTÃO 31 Os Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho, obedecendo ao Quadro II da NR- 4, subitem 4.4, com redação dada pela Portaria nº

Leia mais

Diretrizes e Parâmetros Mínimos para Avaliação e Acompanhamento da Audição em Trabalhadores Expostos a Níveis de Pressão Sonora Elevados

Diretrizes e Parâmetros Mínimos para Avaliação e Acompanhamento da Audição em Trabalhadores Expostos a Níveis de Pressão Sonora Elevados MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO PORTARIA 3214 - NR 7 - ANEXO I - QUADRO II Diretrizes e Parâmetros Mínimos para Avaliação e Acompanhamento da Audição em Trabalhadores Expostos a Níveis de Pressão Sonora

Leia mais

PALESTRA Treinamentos e documentos utilizados pela Aterpa para atender a NR 12

PALESTRA Treinamentos e documentos utilizados pela Aterpa para atender a NR 12 PALESTRA Treinamentos e documentos utilizados pela Aterpa para atender a NR 12 PALESTRANTE Guaraci Silva da Fonseca, engenheiro e Gerente de QSMR da Construtora Aterpa SA 12.112 As manutenções preventivas

Leia mais

NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS Transcrito pela Nutri Safety * O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO no uso de suas atribuições legais, e CONSIDERANDO o disposto nos artigos 155

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS 1 MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS 2 Índice 1- Exames Médicos Ocupacionais. 2- Controle de Atestados Médicos. 3 - Afastamentos: INSS/Licença Maternidade. 4 - Avaliação Médica.

Leia mais

NOVO PRISMA AGRO FLORESTAL

NOVO PRISMA AGRO FLORESTAL NOVO PRISMA AGRO FLORESTAL PROCEDIMENTO INTERNO PARA INGRESSO DE COLABORADORES DAS EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS FLORESTAIS HISTÓRICO DAS REVISÕES: REVISÃO DESCRIÇÃO 01 Criação do procedimento 11/2007

Leia mais

Secretaria de Estado da Saúde - SES/GO SESMT

Secretaria de Estado da Saúde - SES/GO SESMT Secretaria de Estado da Saúde - SES/GO SESMT Juliana A. Nepomuceno Eng. de Seg. do Trabalho Cood. SESMT/SES SESMT O que é? Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho EQUIPES

Leia mais

Portaria nº 1109 de 10 de dezembro de 2010

Portaria nº 1109 de 10 de dezembro de 2010 Portaria nº 1109 de 10 de dezembro de 2010 Dispõe sobre a Política de Segurança e Saúde no Trabalho e de Prevenção de Riscos Ocupacionais no âmbito da UFJF. A Pró-Reitora de Recursos Humanos da Universidade

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Norma Regulamentadora Nº 9 - Descrição das medidas de controles já existentes

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Norma Regulamentadora Nº 9 - Descrição das medidas de controles já existentes medidas de controles já existentes 04/04/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 5 5. Informações Complementares...

Leia mais

3.1. O valor total estimado para a contratação do (s) referido objeto (s) será verificado através da pesquisa de mercado.

3.1. O valor total estimado para a contratação do (s) referido objeto (s) será verificado através da pesquisa de mercado. ANEXO II - TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO 1.1. Contratação de Empresa Especializada em Engenharia e Medicina do Trabalho e Saúde Ocupacional para Elaboração e Implantação do Programa de Controle Médico

Leia mais

Edos trabalhadores dos

Edos trabalhadores dos GOVERNADOR DO ESTADO DO CEARÁ Lúcio Gonçalo de Alcântara SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DO CEARÁ Jurandi Frutuoso Silva COORDENADORIA DE VIGILÂNCIA AVALIAÇÃO E CONTROLE Diana Carmem Almeida Nunes de Oliveira

Leia mais

NR 4. SESMT Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho. Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978

NR 4. SESMT Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho. Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978 NR 4 SESMT Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978 A Norma Regulamentadora 4, cujo título é Serviços Especializados em Engenharia

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 11.788 DE 25/09/2008 Dispõe sobre o estágio de estudantes, altera a redação do art. 428 da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e a

Leia mais

TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO Comunicado de Processo Seletivo Externo Nº 003/2015 para Provimento de Vaga para Contrato por Prazo Indeterminado

TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO Comunicado de Processo Seletivo Externo Nº 003/2015 para Provimento de Vaga para Contrato por Prazo Indeterminado TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO Comunicado de Processo Seletivo Externo Nº 003/2015 para Provimento de Vaga para Contrato por Prazo Indeterminado O SESI Piauí, assessorado pelo IEL, torna pública a realização

Leia mais

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas 1. Objetivo Este Procedimento tem como objetivo fixar os requisitos de segurança e medicina do trabalho para as atividades de empresas contratadas, que venham a executar obras e/ou serviços nas dependências

Leia mais

Prezados Senhores, MANUAL DA UNIDADE SUMÁRIO O PAPEL DO RESPONSÁVEL PELA UNIDADE INFORMAÇÕES IMPORTANTES:

Prezados Senhores, MANUAL DA UNIDADE SUMÁRIO O PAPEL DO RESPONSÁVEL PELA UNIDADE INFORMAÇÕES IMPORTANTES: MANUAL DA UNIDADE Prezados Senhores, Com o intuito de promover a excelência e a qualidade na prestação de nossos serviços, vimos por meio deste, agradecer pela confiança e credibilidade. A Engemed Saúde

Leia mais

CAT. Perguntas e Respostas sobre a. Telefones úteis:

CAT. Perguntas e Respostas sobre a. Telefones úteis: Telefones úteis: Perguntas e Respostas sobre a CAT SUBDELEGACIA DO TRABALHO: (19) 3433-9563 INSS: 0800-780191 / 135 MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO: (19) 3796-9600 DELEGACIA SECCIONAL: (19) 3434-4133 SERVIÇO

Leia mais

MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA.

MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. CLAUSULA PRIMEIRA: OBJETIVO. 1.1. Estabelecer diretrizes de

Leia mais

Verificação do Cumprimento e Avaliação dos Indicadores do Compromisso Nacional para Aperfeiçoar as Condições de Trabalho na Indústria da Construção

Verificação do Cumprimento e Avaliação dos Indicadores do Compromisso Nacional para Aperfeiçoar as Condições de Trabalho na Indústria da Construção Verificação do Cumprimento e Avaliação dos Indicadores do Compromisso Nacional para Aperfeiçoar as Condições de Trabalho na Indústria da Construção JUSTIFICATIVA O método de verificação e avaliação dos

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VIII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO II DA SEGURIDADE SOCIAL Seção II Da Saúde Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante

Leia mais

Manual de Recursos Humanos

Manual de Recursos Humanos Manual de Recursos Humanos 1º Edição 01/2016 SUMÁRIO INTRODUÇÃO CAPÍTULO I - RECRUTAMENTO E SELEÇÃO CAPÍTULO II - TREINAMENTO & DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO III CARGOS & SALÁRIOS CAPÍTULO IV BENEFÍCIOS CAPÍTULO

Leia mais

MANUAL INTEGRADO DOS SISTEMAS DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA (EHS)

MANUAL INTEGRADO DOS SISTEMAS DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA (EHS) 1/20 DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE Emitido pelo Coordenador de EHS Luis Fernando Rocha Aguiar Aprovado pela Gerência da Usina de Itaúna Valério Toledo de Oliveira 2/20 Índice: 1 Objetivo e campo de aplicação

Leia mais

CONTRATO N.º 10-04/2013 TERMO DE CONTRATO QUE CELEBRAM A CÂMARA MUNICIPAL DE BLUMENAU E A EMPRESA ROTTA SAÚDE OCUPACIONAL LTDA.

CONTRATO N.º 10-04/2013 TERMO DE CONTRATO QUE CELEBRAM A CÂMARA MUNICIPAL DE BLUMENAU E A EMPRESA ROTTA SAÚDE OCUPACIONAL LTDA. CONTRATO N.º 10-04/2013 TERMO DE CONTRATO QUE CELEBRAM A CÂMARA MUNICIPAL DE BLUMENAU E A EMPRESA ROTTA SAÚDE OCUPACIONAL LTDA. Aos dezoito dias do mês de setembro do ano de 2013 (dois mil e treze), a

Leia mais

5. JORNADA DE TRABALHO

5. JORNADA DE TRABALHO 5. JORNADA DE TRABALHO 5.1 DURAÇÃO DA JORNADA A duração normal do trabalho não pode ser superior a oito horas diárias e 44 semanais, sendo facultada a compensação de horários e a redução da jornada, mediante

Leia mais

SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO DIRETRIZES BÁSICAS

SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO DIRETRIZES BÁSICAS SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO DIRETRIZES BÁSICAS Elaborado em: 05/01/2011 Autor: Borges 1.Introdução É comum entre empregadores e colaboradores que exerçam cargos de confiança a preocupação em gerir

Leia mais