PRODUÇÃO HORIZONTAL E NARRATIVAS VERTICAIS 1 : novos padrões para as narrativas jornalísticas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRODUÇÃO HORIZONTAL E NARRATIVAS VERTICAIS 1 : novos padrões para as narrativas jornalísticas"

Transcrição

1 PRODUÇÃO HORIZONTAL E NARRATIVAS VERTICAIS 1 : novos padrões para as narrativas jornalísticas HORIZONTAL PRODUCTION AND VERTICAL STORYTELLING: new patterns for the journalistc narratives Suzana Barbosa 2 Naara Normande 3 Yuri Almeida 4 Resumo: O artigo objetiva discutir as narrativas multimídias como uma potencialidade da metáfora da estética base de dados, capaz de romper com a metáfora do impresso - broadsheet metaphor. Como aporte teórico, são apresentados conceitos relacionados à convergência jornalística, ao continuum multimídia, às narrativas digitais e às bases de dados. Nosso procedimento metodológico é estruturado na aplicação de fichas de análise que visam identificar o perfil, o design, a multimidialidade e a interatividade das narrativas jornalísticas em redes digitais que despontaram como casos paradigmáticos, produzidas pelos grupos The New York Times, The Guardian e Folha de S. Paulo. Como conclusão, identificamos padrões para essas narrativas a partir de elementos relevantes e diferenciadores, tais como a densidade informativa, a verticalização, a integração dos recursos multimídias, a utilização consistente de menus de navegação e os botões de compartilhamento para as redes sociais. Palavras-Chave: Narrativas multimídias. Convergência jornalística. Bases de dados Abstract: The article seeks to discuss multimedia storytelling as a potential for the metaphor of database aesthetic, which is able to break the metaphor of print - broadsheet metaphor. As a theoretical contribution, we introduce concepts related to journalistic convergence, continuum multimedia, multimedia narratives and databases. The methodological procedure is the application of analysis records, seeking to identify the profile, design, interactivity and multimediality of journalistic narratives in digital networks which emerged as paradigmatic cases, produced by The New York Times, The Guardian and Folha de S. Paulo. As a conclusion, we identified patterns for these narratives ranging from relevant to differentiating elements, such as information density, vertical dimension, integration of multimedia elements, navigation menus and share icons for social networks.. Keywords: Multimedia storytelling. Journalistic convergence. Databases. 1 Trabalho apresentado ao Grupo de Trabalho Estudos de Jornalismo do XXIII Encontro Anual da Compós, na Universidade Federal do Pará, Belém, de 27 a 30 de maio de Federal da Bahia (UFBA). Investigadora-coordenadora do Grupo de Pesquisa em Jornalismo On-line (GJOL). Convergente (Labjor). 3 Mestre em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Facom/UFBA. Integrante do GJOL e do Labjor. 4 Jornalista e Mestre em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Facom/UFBA. Integrante do GJOL e do Labjor. 1

2 1 O processo de convergência jornalística e o continuum multimídia Em um ecossistema midiático estruturado na lógica multiplataforma, de continuum multimídia de cariz dinâmico (BARBOSA, 2013), a criação de novos padrões/formatos de narrativas integra os resultados da convergência jornalística, tendo em vista que a web atua como um catalisador de potencializações, possível, sobretudo, graças à integração de mídias na narração de uma história. As narrativas, estruturadas de maneira justaposta, talvez sejam meras continuações dos suportes anteriores. De maneira integrada, contudo, destacam cada detalhe a partir de seus elementos mais representativos. A busca por uma atuação de maneira convergente resultou em uma série de formulações (DAILEY et al., 2005; GORDON, 2003; LAWSON-BORDERS, 2003), porém, a complexidade do fenômeno exigiu uma ampliação para além do âmbito tecnológico, deslocando, assim, a atenção para o aspecto cultural como o grande diferenciador do processo (JENKINS, 2008). A proclamada convergência jornalística, que integra ferramentas, espaços, métodos de trabalho e linguagens, influencia diretamente nas dimensões tecnológica, empresarial, profissional e editorial dos meios de comunicação (SALAVERRIA et al., 2010). Esse processo implica em mudanças no ambiente físico das organizações jornalísticas, fundamentais para promover as transformações no fluxo da produção, edição, distribuição e circulação do conteúdo jornalístico. Inspirado no modelo adotado (FIG 1) pelo jornal alemão Die Welt, Filloux (2013) propõe que as empresas jornalísticas precisam evoluir para plataformas de notícias multimídia. Nesta estrutura, a redação teria uma arquitetura mais dinâmica buscando atender a diversidade e os imperativos, principalmente temporais, das narrativas. No centro, estariam os editores-chefes do plantão, dos dispositivos móveis, de inovação e da parte técnica. No entorno, os editores das versões para a web, para tablets, mobile, das editorias - opinião, nacional, economia, vídeo, design, entre outros. Um pouco mais afastada estaria a equipe que pro z õ, como especiais e produtos para o fim de semana. 2

3 FIGURA 1 Arquitetura da redação do Die Welt FONTE Filloux (2013, Online). Contudo, Filloux (2013) pontua que a estrutura física da redação é apenas uma parte da equação desta mudança necessária. Para ele, é importante mudar o fluxo de trabalho nas redações, evoluindo para uma plataforma de notícias, onde as notícias constituam produtos de alto valor independente do device. Assim, o fluxo ideial de notícias deve ser dividido em vários formatos para atender aos diferentes dispositivos em distintos momentos do dia. B g wh h 'first' in digital, publishers must figure out the right w k w (FILLOUX, 2013, online). O modelo proposto por Filloux (2013) materializa, de certa forma, o esquema Convergence Continuum proposto por Dailey et al. (2005) por meio do qual uma organização jornalística precisaria enfrentar quatro diferentes estágios: Promoção cruzada; Clonagem ou Transposição de conteúdos; Coopetition, ou seja, um híbrido de competição e cooperação; e Compartilhamento de informações para, então, obter o nível pleno de convergência. Cada etapa possui características específicas que podem ser sobrepostas às outras conforme o aumento da cooperação e interação entre os distintos estágios. O nível convergente é aquele em que os meios de comunicação parceiros possuem uma atribuição compartilhada, pois trabalham juntos na apuração e na publicação das informações, entretanto, identificam os pontos fortes de cada meio para contar a história da maneira mais eficaz. 3

4 FIGURA 2 Modelo Convergence Continuum FONTE Dailey et al. (2005). Barbosa (2013) frisa que na atual conjuntura do jornalismo nas redes digitais, a lógica estrutural está associada aos processos de integração e remediação, no lugar da oposição ou concorrência entre os meios e/ou produtos jornalísticos. cenário atual é de atuação conjunta, integrada, entre os meios, conformando processos e produtos, marcado pela horizontalidade nos fluxos de produção, edição, e distribuição dos conteúdos, o que resulta num continuum multimídia z â (. 33). O continuum multimídia, de acordo com Barbosa (2013), traduz melhor o processo de gê í, g g multiplataforma/cross media (. 37), compondo, dessa forma, aquilo que a autora propõe como a quinta geração do jornalismo em redes digitais, cujos elementos constitutivos são a medialidade (Grusin, 2010), o Paradigma Jornalismo em Base de Dados (Barbosa, 2007), a horizontalidade como uma especificidade do fluxo de informações, o continuum multimídia e as mídias móveis. São os novos agentes que reconfiguram a produção, a publicação, a distribuição, a circulação, a recirculação, o consumo e a recepção de conteúdos jornalísticos em multiplataformas. As mídias móveis são também propulsoras de um novo ciclo de inovação, no qual surgem os produtos aplicativos (apps) jornalísticos para tablet e smartphones (BARBOSA, 2013, p. 42). 2 - Narrativas jornalísticas a partir das bases de dados Na web, as narrativas vão além da estruturação clássica e passam a agregar novos atributos. Nora Paul e Christina Fiebich (2005) elencaram cinco aspectos principais: 1) Mídia compõe os elementos utilizados para produzir o pacote informativo, relacionados à criação do roteiro e suporte da narrativa; 2) Ação refere-se ao movimento realizado dentro do próprio conteúdo e também ao movimento do usuário na obtenção das informações; 3) 4

5 Relacionamento diz respeito à forma como o conteúdo pode ser acessado, seja pela personalização ou interatividade; 4) Contexto potencializado no ambiente digital pelo uso dos links que fornecem informações adicionais; e 5) Comunicação relacionado à habilidade de se conectar com outras pessoas. As autoras acrescentam que a grande mudança de paradigma das narrativas digitais deve-se à participação do usuário. Portanto, o sucesso de uma história depende dos interesses da audiência e do tipo de narrativa que melhor se adapte àquele público. Bertocchi (2006) analisou as principais transformações da narrativa jornalística no ciberespaço. Conforme a pesquisadora, a grande diferença nesse ambiente é a alteração da retórica, baseada na tríplice exigência, ou seja, nas possibilidades do hipertexto, da multimidialidade e da interatividade. A autora acrescenta que o conjunto de regras e padrões das narrativas ciberjornalísticas deve seguir três princípios: Conexão - relacionado à hipertextualidade -, Unidade (ou coesão) relacionado à multimidialidade, e Liberdade aparente relacionado à interatividade. Para a autora, a retórica ciberjornalística aplicada às narrativas digitais tem se desenvolvido de maneira mais conservadora, apesar da tentativa de equilibrar as estratégias da narrativa clássica com as possibilidades do meio digital. Assim como Ribas (2005), ela considera a reportagem multimídia e a infografia interativa como exemplos plenos de narrativas no ciberespaço. Em sua tese doutoral, Daniela Bertocchi (2013) vai trabalhar a noção de sistema narrativo como um modelo no atual contexto da quinta geração do jornalismo nas redes digitais, também empregando o Paradigma Jornalismo em Base de Dados (JDBD) a narrativa digital jornalística é sistema, processo, fluxo. Colocamos a narrativa neste estudo como um ato contínuo com capacidade de ir se modelando em diferentes substâncias e formatos e no ecrã de distintos dispositivos a partir do g. (. 39) Sobre a existência dos infográficos nas narrativas jornalísticas na web, Mielniczuk (2008) considera que os movimentos e as animações permitem a fluidez a partir das bases de dados. Pesquisadora de infográficos jornalísticos, Tattiana Teixeira (2009) os conceitua como elementos icônicos e tipográficos, tais como mapas, fotografias, ilustrações, gráficos, partindo sempre da relação indissociável da imagem + texto. Na internet, a autora argumenta que os infográficos podem incluir recursos multimídias, como vídeos e áudios, além de permitir que o usuário utilize informações disponibilizadas em bases de dados para produzir a infografia a partir de seus próprios interesses. Cairo (2008) destaca ainda que o aumento dos recursos 5

6 interativos e, sobretudo das bases de dados na composição da infografia, resulta em um produto específico para cada usuário. Precisamos ressaltar que toda a discussão sobre a produção de narrativas na web tem como estrutura as bases de dados, das simples às mais complexas. Manovich (2001) as considera como o centro do processo criativo na era do computador, possibilitando, assim, a visualização do conteúdo por diferentes interfaces e em distintas plataformas. Segundo o teórico, o usuário de uma história está, na verdade, atravessando uma base de dados a partir dos links nela indicados. Dessa forma, conceitua uma hipernarrativa como a soma dos múltiplos caminhos através de uma base de dados. Na mesma linha de raciocínio, Machado (2007) defende a atualização do conceito de narrativa no contexto desses conjuntos estruturados por dados. O autor afirma que na narrativa moderna, ouvinte, leitor e telespectador acompanham a narração sem interferir no fluxo da narrativa. No ambiente do ciberespaço, ao contrário, a narrativa depende da intervenção do usuário, que ao navegar em uma publicação jornalística, realiza uma ação que altera todo o desenvolvimento. Barbosa e Farbiarz (2009) defendem a estética base de dados como uma nova metáfora para a representação da informação jornalística. Em consonância com os autores, entendemos que a estética base de dados é a metáfora para compreender a visualização/apresentação das narrativas verticais. No contexto atual, marcado pelo uso exponencial de bases de dados (BDs) para estruturar, organizar, armazenar e apresentar os conteúdos noticiosos, uma nova metáfora para a representação da informação jornalística vem ganhando espaço: a metáfora da estética base de dados. Isto é, um modo particular para a apresentação das informações jornalísticas já desvinculado da metáfora do impresso broadsheet metaphor e que procede diretamente do emprego das BDs para a estruturação dos conteúdos no jornalismo digital ou ciberjornalsimo (BARBOSA, FARBIAZ, 2009, p. 1). A é é g V z Jornalismo Digital em Base de Dados (BARBOSA, 2007, 2013; BARBOSA, FARBIARZ, 2009; BARBOSA, TORRES, 2012). Para a autora, tal categoria refere-se aos diversos modos de representação de informações jornalísticas, tendo as bases de dados como estrutura fundamental, seja por meio de metadados, data mining, tagging, squarified, entre outros. Das mais de 20 funcionalidades desempenhadas pelas bases de dados na estrutura e organização 6

7 da produção do conteúdo, identificadas por Barbosa (2007; 2013) e Barbosa e Torres (2012), cabe sinalizar as que estão associadas com a elaboração de narrativas, a saber: Integrar distintas plataformas; Gerenciar o fluxo de informação e o conhecimento nas redações; Garantir a flexibilidade combinatória e o relacionamento entre os conteúdos; Agilizar a produção de conteúdos, em particular os de tipo multimídia; Transmitir e gerar informação para dispositivos móveis, como computadores de mão, ipods, celulares e, mais recentemente smartphones e tablets. Bertocchi (2013) destaca que no formato de narrativas guiadas por dados e metadados, a visualização de dados é o resultado mais comum, pois revela-se como o aproveitamento do agenciamento entre as camadas de dados e metadados no âmbito do sistema narrativo, o qual privilegia a apresentação vi. (p.180). O sistema narrativo proposto por Bertocchi (2013) é dividido em três atos (FIG 3): FIGURA 3 O Sistema Narrativo no Jornalismo Digital FONTE Bertocchi (2013). 1- Antenarrando os dados: intrinsicamente relacionada ao publicador escolhido pela empresa (. 82) antenarrar dados insere-se num "cultura de software" e dialoga diretamente com o jornalismo de dados (p. 114); 7

8 2- Antenarrando os metadados: implica em atribuir significado aos dados selecionados em uma respectiva base de dados, ou seja, o ato de organizar dados e categorizá-los com o objetivo de recuperar e reaproveitar informaçõe (. 115). S g, a antenarração de metadados incide, ao mesmo tempo, na organização interna dos dados que ulteriormente irão compor a narrativa renderizada como na organização externa do formato narrativo que o usuário acessa via ecrã digital e tem um duplo papel: no frontend e no backend jornalístico. 3- Os formatos no ecrã, etapa em que se pode observar a narrativa ganhando mais corporeidade e tangibilidade n g á (p.159). Para a autora, o design da interface digital é o lugar onde o formato se substancializa e ganha vida aos olhos daqueles que o acessam, o visualizam e com ele interagem, construindo a partir desse contato uma exp ê í (p.202). 3 Novos padrões de narrativas? A publicação de Snow Fall: The avalanche at Tunnel Creek 5, produzida pelo The New York Times, em dezembro de 2012, colocou em pauta na academia e no mercado jornalístico o debate sobre o futuro do jornalismo digital, a viabilidade financeira para a produção de narrativas semelhantes e até a importância do jornalismo profissional no desenvolvimento de novos formatos narrativos. Mais importante do que o reconhecimento com a premiação do Pulitzer ao repórter John Branch, Snow Fall tornou-se um verbete entre os pesquisadores e jornalistas e figurou com sinônimo de inovação de narrativa jornalística. h (2010) q,, é é, tecnologias, procesos, lenguajes, formatos, equipos, dispositivos y aplicaciones, valores o modelos de negocios destinados a dinamizar y potenciar la producción y consumo de las í (.67). h (2010) q jornalística busca maximizar a produção e atender os leitores com notícias de qualidade, além de ser acessíveis por todos os meios. Apesar de reconhecer o êxito no aspecto estético, Cairo 6 (2013) questiona a eficiência narrativa de Snow Fall. Na avaliação do pesquisador, os recursos multimídia encantam mais do que explicam o fato, que deve ser o objetivo final de uma narrativa. 5 Disponível em: Acesso em: 03/02/ Disponível em: Acesso em: 02/02/2014 8

9 Na mesma linha, Khoi Vinh 7 (2013), ex-diretor de design do NYTimes.com, mostra-se cético com a possibilidade de narrativas como o Snow Fall resultarem em inovação no jornalismo, uma vez que, na opinião dele essas narrativas são criadas mais para serem admiradas do que lidas. Em uma avaliação mais detalhada, Jeremy Rue 8, da Escola de Jornalismo de Berkeley na Universidade da Califórnia, avaliou que além da integração das mídias, vários componentes técnicos e de design contribuíram para a receptividade de Snow Fall: - Há vídeos silenciosos que são reproduzidos automaticamente, alguns deles proporcionando um cenário gráfico, outros como gráficos informativos; - Existe um mecanismo de rolagem (jquery.inview) que irá desencadear ações conforme o usuário utiliza. Por exemplo, ele irá reproduzir um vídeo, animação gráfica ou alterar algumas propriedades CSS como desaparecendo no fundo. - Um efeito "cortina" que revela ou cobre imagens e vídeos a partir da rolagem realizada pelo usuário. Esses elementos, considerados inovadores até o momento, refletiram no espalhamento do conteúdo pela rede, conceito proposto por Henry Jenkins, Joshua Green e Tom Ford no livro Spreadable Media: creating value and meaning in a networked culture (2013). Os autores buscaram compreender o porquê e como as pessoas estão assumindo uma função cada vez mais ativa na definição do fluxo de mídia para seus próprios interesses nessa cultura em rede. Segundo eles, o termo relaciona-se ao fluxo de ideias, aos materiais dispersos, experiências diversificadas, participação aberta, motivação e facilidade dos h, õ õ, ê, bem como um embaralhamento entre esses cargos. Uma frase resume a : S g h, á ( ENKINS et al. 2013, p. 1). Singer (2013), por sua vez argumenta que em ambientes digitais, os usuários tornaram-se secondary gatekeepers do conteúdo publicado nos sites jornalísticos. Neste processo, os usuários atuam na recirculação das notícias, a partir das percepções individuais do valor e da qualidade dos produtos jornalísticos. The result is a two-step gatekeeping process, in which initial editorial decisions to make an item part of the news product are 7 Disponível em: Acesso em: 02/02/ Disponível em: Acesso em: 03/02/2014 9

10 followed by user decisions to upgrade or downgrade the visibility of that item for a secondary (Idibem, p. 2). Ainda de acordo com Singer (2013), a internet reconfigurou a relação dos usuários com os sites jornalísticos. Agora, os leitores podem compartilhar suas impressões e julgamentos do conteúdo publicado para as suas respectivas redes, agindo como distribuidores secundários das notícias que considerarem importantes. Com o secondary gatekeeping, as notícias ignoradas ou subvalorizadas pelos editores na capa do jornal, por exemplo, podem ganhar relevância e visibilidade a partir do compartilhamento dos leitores, assim a própria noção do gatekeeping é relativizada, pois a visibilidade do conteúdo depende mais da audiência do que colocar determinada informação no topo da página. This shift can be understood as occurring along a continuum of journalistic control over content decisions. At one end of the continuum is the traditional process, in which journalists make and enact decisions about virtually all editorial content that h h h. A h h w environment in which users make all the decisions; social bookmarking sites such as Digg, which typically display lists of clickable headlines based on user recommendations, are examples of aggregated user-generated visibility (SINGER, 2013, p. 13) Informações publicadas pelo editor executivo do New York Times, Jill Abramson, ratifica a importância do secondary gatekeepers (SINGER, 2013). De acordo com Abramson, o projeto foi compartilhado por mais de dez mil usuários no Twitter, recebeu quase três milhões de visitas e os usuários gastaram, em média, doze minutos. Grande parte do fluxo de acesso foi proveniente das redes sociais e muitas visitas ocorreram antes do destaque do projeto na página principal do nytimes.com. Em paralelo a criação de produtos jornalísticos nesses padrões, destacadamente como narrativas verticais, tem surgido ferramentas que facilitam tais experiências como Shorthand 9 e o Scroll Kit 10. O Shorthand criado pelo Leep Labs está em fase beta e busca empresas parceiras para o desenvolvimento da aplicação. Entretanto, no site institucional, o Shorthand apresenta duas narrativas criadas com a ferramenta pela ESPN (Football - best of ) e pelo The Guardian (England vs Australia 12 ). Já o Scroll Kit é uma start-up que trabalha no 9 Disponível em: Acesso em: 02/02/ Disponível em: Acesso em: 02/02/ Disponível em: Acesso em: 02/02/ Disponível em: Acesso em: 02/02/

11 processo de simplificação do processo "kit de rolagem", característica principal das narrativas verticais. No site da start-up é possível visualizar os projetos criados com a ferramenta. O espalhamento e a repercussão de Snow Fall foram tão intensos que o ano de 2013 se configurou como um ano extremamente relevante na publicação de conteúdo jornalístico multimídia. Apenas o NYT publicou treze histórias que foram reunidas em um post 13 retrospectivo sobre histórias multimídias, visualização de dados, infográficos e destaques interativos do ano que passou. No caso das narrativas multimídias, a empresa reforça que houve variedade temática, mas considera que o elemento central foi a forma de se contar histórias, integrando textos, vídeos, fotografias e infográficos. Para nossa análise, desenvolvemos uma ficha, a partir de outras previamente existentes (BARBOSA et al., 2012; BARBOSA, MIELNICZUK, 2011; MASIP et al., 2011; PALOMO et al., 2012), que teve o objetivo de identificar o perfil, o design, a multimidialidade e a interatividade de cada narrativa. Como corpus, elencamos S w : Th A he T k, do NYT, NSA : Wh h y 14, do The Guardian, A B h B 15, da Folha de S. Paulo, consideradas por nós como exemplos extremamente relevantes e que materializam a metáfora da estética base de dados, caracterizada sobretudo x gê á q g seja nos conteúdos, seja nas opções de visualização para os mesmos ou nas opções de interação e, assim, realizarem uma experiência de navegação mais envolvente em sites jorn í (Barbosa e Farbiarz, 2009, p. 2) Snow Fall: The Avalanche at Tunnel Creek The New York Times Proposta pela editoria de esportes do NYT S w uma trágica avalanche ocorrida com esquiadores no vale Tunnel Creek, em Washington (EUA). Inicialmente, podemos verificar uma grande diferenciação das narrativas até então publicadas na web: a dimensão das páginas a partir do design verticalizado, mais comum nos produtos autóctones, com aproximadamente 604 pixels 16 de altura. O design é limpo e suave, com o fundo 13 Disponível em: Acesso em: 04/02/ Disponível em: Acesso em: 05/02/ Disponível em: Acesso em: 05/02/ Dado obtido a partir da ferramenta MeasureIt. 11

12 inteiramente branco remetendo à neve, contrastado apenas pela publicidade de cor preta. Possui menu de navegação, consistente em todas as páginas, posicionado na parte superior e de maneira horizontal, com seis diferentes partes (Tunnel Creek; Em direção ao topo da montanha; O início da descida; Mancha branca; Descoberta; A história se espalha), e outras duas com a visualização do mapa das montanhas e com a identificação de todo o grupo que se aventurou na região, composto por dezesseis esquiadores. A g S w, x ág, é intuitivamente realizada pela barra de rolagem (scroll) em cada parte. Além do destaque para o g, S w g, g, recursos multimídias. Identificamos a presença de fotografias, galerias de imagens, áudios, vídeos, mapas estáticos, slideshows e, principalmente, infografias interativas. Essas últimas, inseridas em seis distintos momentos da narrativa, foram os elementos diferenciadores na apresentação do conteúdo jornalístico que situaram os detalhes da região de esqui, a tempestade que resultou no grande acúmulo de neve, a formação da avalanche, o trajeto realizado por cada esquiador, a expansão da neve nas montanhas e a localização aproximada daqueles que não sobreviveram à tragédia. A linguagem audiovisual conta parte da história e é apresentada de maneira integrada, compondo uma unidade narrativa. Todos os dez vídeos rodam em um aplicativo próprio incorporado à narrativa e foram explorados no que diz respeito à emoção dos depoimentos, não só narrados pela equipe de jornalistas, mas também aqueles produzidos logo após o acidente quando os sobreviventes procuravam os colegas entre os escombros encobertos pela neve. Da mesma forma, os cinco áudios disponibilizados foram bem expressivos, pois registraram as ligações dos esquiadores em diferentes horários para o número de emergência nos EUA, o 911. N q à S w, é á õ compartilhamento para as redes sociais Facebook e Twitter e do envio por , destacou o diálogo com a equipe idealizadora do projeto a partir de replies no espaço destinado aos comentários. Para a produção dessa narrativa houve envolvimento de dezessete profissionais, sendo onze desses direcionados apenas para os elementos gráficos e de design. 12

13 FIGURA 4 Snow Fall: um caso paradigmático FONTE nytimes.com NSA Files Decoded: What de Revelations Means for You The Guardian Em novembro de 2013, q S w, The Guardian NSA Wh h y partir dos dados disponibilizados por Edward Snowden sobre a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos. A temática da narrativa abrange a segurança, a espionagem, o grande volume de dados e, consequentemente, a atuação política do governo norte-americano. Para a publicação foram entrevistadas fontes estratégicas, como congressistas e senadores norte-americanos, ex-funcionários da agência, especialistas em tecnologia, advogados, diretores jurídicos e jornalistas. Além, claro, dos próprios dados armazenados por Snowden, que são a atração de todo esse debate. O The Guardian selecionou quatorze arquivos e os disponibilizou ao final da narrativa. Aliada a qualidade do conteúdo jornalístico, a produção visual elaborada pelo grupo britânico foi fundamental para a compreensão da complexidade desse fenômeno. Sobre o design, também é uma narrativa vertical, com cerca de 650 pixels 17 de altura. Possui um menu de navegação na parte superior e horizontal da página e foi dividida em seis partes (The NSA ; A h y ; A g ; A y?; Wh 17 Dado obtido a partir da ferramenta MeasureIt. 13

14 w h g Wh w?). A g pelas partes ou pela barra de rolagem (scroll) que disponibiliza todos os níveis em uma única página. Não foi identificado nenhum tipo de publicidade. A S w,. T fundo possui a cor branca e isso proporcionou a integração com os recursos multimídias. No caso dos vídeos, por exemplo, esses também possuíam um fundo branco, com destaque apenas para a imagem do entrevistado. Esse foi um diferencial da linguagem audiovisual de NSA, onde não há a limitação do enquadramento do vídeo devido à fusão dos dois planos de branco. FIGURA 5 Em NSA Files Decoded auto-play deu maior fluidez a narrativa FONTE The Guardian. - y, q integração plena com fluidez bastante agradável para a navegação no conteúdo. Ao todo foram trinta e dois vídeos e todos com curta duração, com as fontes aparecendo em momentos diferentes da narração. É pertinente comentar que não há uma grande diversidade de recursos empregados. Além dos vídeos, existem dez infografias interativas sobre a rede política, os níveis de separação que permitem a investigação pela NSA, o rastro digital gerado a partir de Facebook, Twitter, s, buscas no Google, os cabeamentos ópticos entre os países de todo o mundo, entre outros. 14

15 A interatividade é resumida pelos botões de compartilhamento para as redes sociais Facebook e Twitter o que gerou um compartilhamento de e 11.1 K tweets, respectivamente. Um detalhe é que esse espalhamento também pode ser realizado de maneira fragmentada, pois cada parágrafo do texto possui um ícone com direcionamento para o microblog ou então para a cópia do URL da página. No caso dos vídeos, por exemplo, é gerada uma frase do depoimento daquele entrevistado com a identificação a partir da conta do mesmo no Twitter e ainda com o auxílio de hashtags. Por fim, identificamos que treze profissionais se dedicaram para a elaboração do texto, vídeos, produção e pós-produção A Batalha de Belo Monte Folha de S. Paulo No último mês de 2013, a Folha de S. Paulo A Batalha de Belo, é T q á ê g g O material é bem denso e abrange a temática econômica, ambiental e social a partir da construção da usina de Belo Monte, no Pará, que será a terceira maior hidrelétrica do mundo. A g z A B h B w publicação da versão em outro idioma, nesse caso o inglês indicado por um ícone com a bandeira dos Estados Unidos da América, ampliando, assim, o espalhamento da mesma pela rede para além dos países que possuem o português como idioma oficial. 15

16 FIGURA 6 Reportagem da Folha de São Paulo foi uma das pioneiras no Brasil a apostar na verticalização FONTE Folha de São Paulo. Com uma redação bem ponderada nos moldes do texto jornalístico, buscando o equilíbrio das declarações e opiniões apresentadas, a narrativa conta com uma série de depoimentos de operários; engenheiros; diretores da empresa responsável pela obra (Norte Engenharia); professores da Universidade de São Paulo e Universidade Federal do Rio de Janeiro; gestores ambientais; relatórios de órgãos públicos e ONGs; defensores públicos; prefeitura e responsáveis pelo trânsito, policiamento, produtores e feirantes de Altamira; moradores; líderes indígenas e comunidades ribeirinhas, entre outras. Desse modo não há um personagem principal, mas sim o encadeamento de diversas fontes relacionadas à situação. A navegação é guiada a partir de um menu localizado em duas posições diferentes. Um na margem direita e vertical, consistente em todas as páginas, e que corresponde a ¼ da dimensão horizontal da página inicial. O outro fica disponível no fim da experiência de cada parte, de maneira bem mais discreta. A narrativa é dividida em cinco partes (Obra, Ambiente, Sociedade, Povos Indígenas e História) e conta ainda com outras quatro seções, compostas pelo making of, por um espaço Opinião, o game Folhacóptero e um Mapa da Bacia do Xingu. Em cada nível, a navegação é realizada pela barra de rolagem e não há links nos textos. Verificamos também que não há qualquer tipo de publicidade. Em relação aos recursos multimídias empregados foram identificados vinte e quatro í, g - y dos em players incorporados à narrativa; cinquenta e cinco fotografias; dezoito infográficos; um game; um mapa interativo e uma linha do tempo interativa. É preciso advertir que a maioria desses recursos se encontrava de maneira a compor uma unidade comunicativa e não estavam dispostos em seções específicas, com exceção do mapa interativo e do game Folhacóptero. No que diz respeito à interatividade, não há contribuição do público e nem espaço para comentários, mas apenas botões de compartilhamento para o Facebook, Twitter e Google+. A A B h B é, ê de texto, um fotográfico e outro de vídeo que passaram três semanas na cidade de Altamira. Segundo informações da própria empresa, o material começou a ser produzido em março do 16

17 mesmo ano, quando o grupo iniciou uma pesquisa para elaboração de infográficos, e contou com uma produção total de dezenove profissionais. Considerações finais A inovação trazida,, S w e, posteriormente, pelas narrativas que se seguiram resulta do emprego das bases de dados e de suas funcionalidades no jornalismo em redes digitais, com destaque para a otimização do fluxo de informação e flexibilização para outros devices. Desse modo, essas narrativas multimídia se enquadram no processo de inovação jornalística descrita por Machado (2010), tendo em vista a mudança, sobretudo, na utilização de técnicas e linguagens na composição do produto e na dinâmica do processo produtivo, com a integração da equipe de diversos setores da redação e, por fim, na potencialização do consumo das publicações jornalísticas. Por outro lado, tais narrativas representam uma ruptura com o padrão da broadsheet metaphor e aproximam-se da metáfora da estética base de dados, uma vez que atendem as necessidades dos usuários em sua busca por originalidade e novas experiências de navegação nas narrativas jornalísticas. O resultado obtido com a investigação coaduna com o que Bertocchi (2013) trabalha de modo aprofundado em sua tese, na qual traz a noção de sistema narrativo para caracterizar a narrativa na quinta geração do jornalismo em redes digitais (BARBOSA, 2013) no qual o agenciamento entre as camadas de dados e metadados potencializa a apresentação visual relevante e de impacto das narrativas jornalísticas. A interatividade é fundamental para o êxito das narrativas multimídia, pois o leitor além de assumir o controle do fluxo narrativo, escolhendo o início, meio e fim da sua navegação, demanda um produto capaz de atrair e manter sua atenção ao longo da leitura, também atua de modo ativo no compartilhamento e espalhamento do conteúdo jornalístico, tendo em vista que as narrativas abordam temáticas atemporais que, em um primeiro momento, poderiam atrair um grupo mais restrito de usuários. Com a intervenção desses usuários que são distribuidores secundários das informações, as narrativas ganham mais relevância e visibilidade. Snow Fall é considerada por nós como um caso paradigmático na produção multimídia para a web, indicando, inclusive, a existência de uma grande potencialização das narrativas digitais, ainda pouco exploradas pela plataforma. Indicamos a existência de padrões, ou seja, 17

18 de elementos que modelam a estruturação e apresentação dos conteúdos nessas narrativas a partir das bases de dados. Em nossa análise, identificamos que, no momento atual, a densidade informativa, a verticalização, a integração dos recursos multimídias, a utilização consistente de menus de navegação e os botões de compartilhamento para as redes sociais podem sugerir novos padrões para as narrativas multimídias, visto aqui como uma estratégia comunicacional mais apropriada à produção jornalística em redes digitais. Referências ALMEIDA, Yuri. A segunda geração do jornalismo colaborativo: quando as bases de dados se tornam dispositivos para a produção colaborativa de conteúdo. Dissertação (Mestrado) Faculdade de Comunicação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BARBOSA, Suzana. Jornalismo convergente e continuum multimídia na quinta geração do jornalismo nas redes digitais. In: CANAVILHAS, J. Notícias e mobilidade: o jornalismo na era dos dispositivos móveis. Covilhã, PT: Livros LabCom, 2013, p Disponível: Acesso em: 07 de out. de Jornalismo Digital em Base de Dados (JDBD) - Um paradigma para produtos jornalísticos digitais dinâmicos (Tese de Doutorado). PósCOM/UFBA. Disponível em: Acesso em: 05 de jul. de BARBOSA, Suzana; TORRES, Vitor. Extensões do Paradigma JDBD no Jornalismo Contemporâneo: modos de narrar, formatos e visualização para conteúdos. In: Anais eletrônicos do XXI Encontro Compós. N. 21, v. 1. Juiz de Fora, MG: UFJF, BARBOSA, S; FIRMINO DA SILVA, F; NOGUEIRA, L. Análise da convergência de conteúdos em produtos jornalísticos com presença multiplataforma. In: Anais 10º Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo SBPJor. Curitiba, Disponível em: Acesso em: 20 de out. de BARBOSA, Suzana; FARBIAZ, Alexandre. A estética base de dados e os modos diferenciados para visualização da informação jornalística. In: Anais eletrônicos do III Simpósio Nacional ABCiber. ESPM/SP BERTOCCHI, Daniela. Dos dados aos formatos - Um modelo teórico para o desenho do sistema narrativo no jornalismo digital. Tese (Doutorado) Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, BERTOCCHI, D. A Narrativa Jornalística no Ciberespaço: transformações, conceitos e questões. Dissertação (Mestrado). Universidade do Minho, Braga, Portugal, CAIRO, Alberto. Infografia 2.0 visualización interactiva de información en prensa. Madrid: Alamut, CANAVILHAS, J. Da remediação à convergência: um olhar sobre os media portugueses. Brazilian Journalism Research v. 8, n. 1, p Disponível em: Acesso em: 11 de out. de DAILEY, L; DEMO,L; SPILLMAN, M. The Convergence Continuum: A model for studying collaboration between media newsrooms. Atlantic Journal of Communication, 13(3), p Disponível em: Acesso em: 08 de ago. de

19 FILLOUX, Frédéric. The Age of the Platform Disponível em: Acesso em: 10 de fev. de GORDON, R. Convergence defined. Online Journalism Review Disponível em: Acesso em: 10 de ago. de GRUSIN, R. Premediation: affect and mediality after 9/11. London, New York: Palgrave, 2010 LAWSON, G. Integrating New Media and Old Media: Seven Observations of Convergence as a Strategy for Best Practices in Media Organizations. The International Journal on Media Management, v. 5, n. II, 2003, p Disponível em: Acesso em: 02 de ago. de JENKINS, Henry; FORD, Sam; GREEN, Joshua. Spreadable Media: Creating Value and Meaning in a Networked Culture (Postmillennial Pop). NYU Press JENKINS, H. Cultura da convergência. São Paulo: Aleph, MACHADO, Elias. Creatividad e innovación en el periodismo digital. In: II Congreso Internacional de Ciberperiodismo y Web MANOVICH, Lev. The language of new media. Cambridge, MA: The MIT Press, MIELNICZUK, Luciana. O estudo da narratividade no ciberjornalismo. In: PALACIOS, Marcos; DÍAZ NOCI, Javier (Org.). Metodologia para o estudo dos cibermeios. Estado da arte & perspectivas. Edufba, Salvador, p NORMANDE, Naara Lima. Padrão de narrativas multimídias: análise de produções premiadas e casos ilustrativos. Dissertação (Mestrado) Faculdade de Comunicação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, PALOMO, B; QUADROS, I; SILVA, F.F. Ferramenta para Análise de Design em Cibermeios. IN: Ferramentas para Análise da Qualidade no Ciberjornalismo. Marcos Palacios (org). LabCom Books, PAUL, N; FIEBICH, C. The elements of digital storytelling. Disponível em: Acesso em: 01/02/2014. SA AVERRÍA, R; GAR IA, AVI ÉS,.A.; ASI,.. g í. I : LÓPEZ GARCIA, X; PEREIRA FARINA, X. Convergencia Digital: reconfiguracion de los medios de comunicación em España. Santiago de Compostela: Universidade de Santiago de Compostela, P SINGER, Jane. User-generated visibility: Secondary gatekeeping in a shared media space. In: New Media & Society, 0(0) pp. 1 19, TEIXEIRA, Tatiana. O futuro do presente: os desafios da Infografia jornalística Disponível em: Acesso em: 10 de fev. de

Sistemas de Publicação em Ciberjornalismo Rotinas produtivas

Sistemas de Publicação em Ciberjornalismo Rotinas produtivas Sistemas de Publicação em Ciberjornalismo Rotinas produtivas Luciana Mielniczuk UFRGS UFSM luciana.mielniczuk@gmail.com redação jornalística em fins de 1980 X redação jornalística hoje Uma redação jornalística

Leia mais

COMUNICAUFMA Um experimento em jornalismo digital baseado em sistemas de gerenciamento de conteúdo e cloud computing. 1

COMUNICAUFMA Um experimento em jornalismo digital baseado em sistemas de gerenciamento de conteúdo e cloud computing. 1 I Jornada de Pesquisa e Extensão Projeto Experimental COMUNICAUFMA Um experimento em jornalismo digital baseado em sistemas de gerenciamento de conteúdo e cloud computing. 1 Leonardo Ferreira COSTA 2 Pablo

Leia mais

A Rotina de Atualização na TV Uol: Produção, Participação e Colaboração 1. Thais CASELLI 2. Iluska COUTINHO 3

A Rotina de Atualização na TV Uol: Produção, Participação e Colaboração 1. Thais CASELLI 2. Iluska COUTINHO 3 A Rotina de Atualização na TV Uol: Produção, Participação e Colaboração 1 RESUMO Thais CASELLI 2 Iluska COUTINHO 3 Universidade Federal de Juiz De Fora, Juiz de Fora, MG Este trabalho verifica como é a

Leia mais

O Desenho: desenhando com Kari Galvão 1

O Desenho: desenhando com Kari Galvão 1 O Desenho: desenhando com Kari Galvão 1 Paulo Souza dos SANTOS JUNIOR 2 Maria Carolina Maia MONTEIRO 3 Universidade Católica de Pernambuco, Recife, PE RESUMO Este trabalho apresenta uma produção multimídia

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB

TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB Gestão do Conhecimento hoje tem se materializado muitas vezes na memória organizacional da empresa. O conteúdo

Leia mais

Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário

Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário SOUZA, Kauana Mendes 1 ; XAVIER, Cintia 2 Universidade Estadual de Ponta Grossa, Paraná, PR RESUMO O projeto Portal

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Aprecie as apresentações a seguir. Boa leitura!

APRESENTAÇÃO. Aprecie as apresentações a seguir. Boa leitura! APRESENTAÇÃO A Informatiza Soluções Empresariais está no mercado desde 2006 com atuação e especialização na criação de sites e lojas virtuais. A empresa conta com um sistema completo de administração de

Leia mais

WEBJORNALISMO. Aula 03: Contextualizando o webjornalismo. Conceitos e Nomenclaturas

WEBJORNALISMO. Aula 03: Contextualizando o webjornalismo. Conceitos e Nomenclaturas WEBJORNALISMO Aula 03: Contextualizando o webjornalismo Prof. Breno Brito Conceitos e Nomenclaturas Jornalismo digital Jornalismo eletrônico Ciberjornalismo Jornalismo on-line Webjornalismo 2 Prof. Breno

Leia mais

JORNALISMO NA INTERNET

JORNALISMO NA INTERNET UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE COMUNICAÇÃO DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO JORNALISMO NA INTERNET Coord. Prof. Dr. Marcos Palacios Equipe: Susana Barbosa Carla Schwingel Salvador, 2002 1. Definição

Leia mais

Apresentação do Website Diário Manezinho: Notícias sobre a Ilha e a região 1

Apresentação do Website Diário Manezinho: Notícias sobre a Ilha e a região 1 Apresentação do Website Diário Manezinho: Notícias sobre a Ilha e a região 1 Ana Carolina Fernandes MAXIMIANO 2 Bruno da SILVA 3 Rita de Cássia Romeiro PAULINO 4 Universidade Federal de Santa Catarina,

Leia mais

Reconfigurações do jornalismo: das páginas impressas para as telas de smartphones e tablets 1

Reconfigurações do jornalismo: das páginas impressas para as telas de smartphones e tablets 1 Artigo recebido em 29/03/2015 Aprovado em 17/04/2015 Maíra Sousa Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) jornalista.maira@gmail.com Doutoranda em Comunicação e Informação na Universidade Federal

Leia mais

Cadernos de Reportagem: Incentivo ao Senso Crítico no Jornalismo 1

Cadernos de Reportagem: Incentivo ao Senso Crítico no Jornalismo 1 Cadernos de Reportagem: Incentivo ao Senso Crítico no Jornalismo 1 Vinícius DAMAZIO 2 Luciana PACHECO 3 Gabriel SAMPAIO 4 Sylvia MORETZSOHN 5 Ildo NASCIMENTO 6 Universidade Federal Fluminense, Niterói,

Leia mais

NOVAS MÍDIAS DIGITAIS - AULA 01 - APRESENTAÇÃO

NOVAS MÍDIAS DIGITAIS - AULA 01 - APRESENTAÇÃO NOVAS MÍDIAS DIGITAIS - AULA 01 - APRESENTAÇÃO O QUE É MÍDIA DIGITAL? É conjunto de meios de comunicação baseados em tecnologia digital, permitindo a distribuição de informação na forma escrita, sonora

Leia mais

Jornalismo Interativo

Jornalismo Interativo Jornalismo Interativo Antes da invenção da WWW, a rede era utilizada para divulgação de informações direcionados a públicos muito específicos e funcionavam através da distribuição de e-mails e boletins.

Leia mais

Design de navegação para tablet : Abordagem projetual da revista digital Wired

Design de navegação para tablet : Abordagem projetual da revista digital Wired Design de navegação para tablet : Abordagem projetual da revista digital Wired Gabriel da Costa Patrocínio Universidade Anhembi Morumbi patrocínio.design@gmail.com O presente artigo tem como proposta analisar

Leia mais

SISTEMAS DE PUBLICAÇÃO NO CIBERJORNALISMO O caso experimental do portal reginal Educação em Pauta

SISTEMAS DE PUBLICAÇÃO NO CIBERJORNALISMO O caso experimental do portal reginal Educação em Pauta SCHWINGEL, C. Sistemas de publicação no Jornalismo Digital: o caso do portal regional experimental Educação em Pauta. In: Fórum de Professores de Jornalismo, Maceió. 2005. CD ROM. SCHWINGEL, C. Sistemas

Leia mais

Título: Conteúdo jornalístico interativo para tablets: uma forma inovadora de. Linha 2. Tecnologias, Linguagens e Inovação no Jornalismo

Título: Conteúdo jornalístico interativo para tablets: uma forma inovadora de. Linha 2. Tecnologias, Linguagens e Inovação no Jornalismo Pesquisador: Rita de Cássia Romeiro Paulino Título: Conteúdo jornalístico interativo para tablets: uma forma inovadora de conteúdo digital Período de execução: 17/Setembro/2012 a 31/Julho/2013 Linha de

Leia mais

A revista Superinteressante para tablet Um exemplo de inovação

A revista Superinteressante para tablet Um exemplo de inovação A revista Superinteressante para tablet Um exemplo de inovação The magazine Superinteressante for tablet - An example of incremental Gabriel Patrocinio; Mestrando em Design; Universidade Anhembi Morumbi

Leia mais

DESIGN DE LIVRO DIGITAL

DESIGN DE LIVRO DIGITAL DESIGN DE LIVRO DIGITAL Aluna: Mariana Ferreira Gomes Corrêa Orientadora: Rita Maria de Souza Couto Co-orientadora: Cristina Portugal Introdução A pesquisa desenvolvida foi parte integrante do trabalho

Leia mais

São 30 as categorias do Prêmio Abril de Jornalismo 2015

São 30 as categorias do Prêmio Abril de Jornalismo 2015 REGULAMENTO I - AS CATEGORIAS São 30 as categorias do Prêmio Abril de Jornalismo 11 de Matéria Completa 3 de Texto 4 de Arte 4 de Fotografia 5 Digitais 2 Especiais Prêmio Roberto Civita Prêmio Matéria

Leia mais

APRESENTAÇÃO COMERCIAL. www.docpix.net

APRESENTAÇÃO COMERCIAL. www.docpix.net APRESENTAÇÃO COMERCIAL www.docpix.net QUEM SOMOS Somos uma agência digital full service, especializada em desenvolvimento web, de softwares e marketing online. A Docpix existe desde 2010 e foi criada com

Leia mais

O QUE FAZEMOS MISSÃO VISÃO QUEM SOMOS

O QUE FAZEMOS MISSÃO VISÃO QUEM SOMOS O QUE FAZEMOS Provemos consultoria nas áreas de comunicação online, especializados em sites focados na gestão de conteúdo, sincronização de documentos, planilhas e contatos online, sempre integrados com

Leia mais

A resolução semântica no jornalismo de base de dados: uma análise das hipernarrativas do jornal Diario do Pernambuco no tablet 1

A resolução semântica no jornalismo de base de dados: uma análise das hipernarrativas do jornal Diario do Pernambuco no tablet 1 A resolução semântica no jornalismo de base de dados: uma análise das hipernarrativas do jornal Diario do Pernambuco no tablet 1 Karolina de Almeida CALADO 2 Resumo O presente artigo tem como objetivo

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu Mídias Digitais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu Mídias Digitais Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu Mídias Digitais Apresentação A emergência de novas tecnologias de informação e comunicação e sua convergência exigem uma atuação de profissionais com visão

Leia mais

Colóquio Internacional Democracia e interfaces digitais para a participação

Colóquio Internacional Democracia e interfaces digitais para a participação Colóquio Internacional Democracia e interfaces digitais para a participação pública (Projeto) PPG-AU/UFBA Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo 1 Contexto e justificativa Odesenvolvimento

Leia mais

Um Jornal Laboratório multimídia, multi-usuário e descentralizado. O caso da Plataforma Panopticon

Um Jornal Laboratório multimídia, multi-usuário e descentralizado. O caso da Plataforma Panopticon Um Jornal Laboratório multimídia, multi-usuário e descentralizado. O caso da Plataforma Panopticon Marcos Palacios, Elias Machado, Carla Schwingel Lucas Rocha Grupo de Pesquisa em Jornalismo On-line Brasil

Leia mais

EXAMES ÉPOCA ESPECIAL

EXAMES ÉPOCA ESPECIAL EXAMES ÉPOCA ESPECIAL ANO LETIVO 2014/2015 LICENCIATURAS MESTRADOS PÓS-GRADUAÇÃO EXAMES ÉPOCA ESPECIAL 2014/2015 LICENCIATURA // AUDIOVISUAL E MULTIMÉDIA 4º Semestre 1º Semestre Teorias da Comunicação

Leia mais

Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1

Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1 Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1 Aparecido Marden Reis 2 Marli Barboza da Silva 3 Universidade do Estado de Mato Grosso, Unemat - MT RESUMO O projeto experimental

Leia mais

Augusto Lohmann, Breno Bitarello, Leonardo Rocha. 1 Introdução

Augusto Lohmann, Breno Bitarello, Leonardo Rocha. 1 Introdução Do impresso aos tablets: um estudo sobre a influência da evolução tecnológica e da transposição do conteúdo jornalístico para novos dispositivos no fluxo narrativo da notícia From printing to tablets:

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DAS MÍDIAS SOCIAIS CLUBE TURISMO

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DAS MÍDIAS SOCIAIS CLUBE TURISMO MANUAL DE UTILIZAÇÃO DAS MÍDIAS SOCIAIS CLUBE TURISMO INTRODUÇÃO: As mídias sociais estão cada vez mais presentes no dia-a-dia das pessoas, oferecendo soluções e transformando as relações pessoais e comerciais.

Leia mais

Vamos, juntos. Equipe de Atendimento.

Vamos, juntos. Equipe de Atendimento. Vamos, juntos Somos agência de publicidade e consultoria em marketing digital com a missão de atender as necessidades de comunicação da sua empresa, com serviços que abrangem desde campanhas integradas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 65, DE 11 DE MAIO DE 2012 O DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO, tendo em vista a decisão tomada em sua 257ª Reunião Extraordinária, realizada em 11 de maio de 2012, e considerando

Leia mais

Rompimento dos modelos de negócio e o papel das mídias sociais

Rompimento dos modelos de negócio e o papel das mídias sociais Disciplina: Administração de Produtos Editoriais Prof. Renato Delmanto (renato.delmanto@gmail.com) Aula Mercado Ediorial Texto de apoio Rompimento dos modelos de negócio e o papel das mídias sociais Nic

Leia mais

Revistas digitais educativas para tablet: possibilidade de enriquecimento audiovisual da revista Nova Escola

Revistas digitais educativas para tablet: possibilidade de enriquecimento audiovisual da revista Nova Escola Revistas digitais educativas para tablet: possibilidade de enriquecimento audiovisual da revista Nova Escola Francisco Rolfsen Belda e-mail: belda@faac.unesp.br Danilo Leme Bressan e-mail: danilo.bressan@gmail.com.br

Leia mais

Sites e aplicativos noticiosos: um estudo do webjornalismo de Natal 1

Sites e aplicativos noticiosos: um estudo do webjornalismo de Natal 1 Sites e aplicativos noticiosos: um estudo do webjornalismo de Natal 1 Catarina FREITAS 2 Taciana BURGOS 3 Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN Resumo Este artigo analisa o conteúdo narrativo

Leia mais

Características do jornalismo on-line

Características do jornalismo on-line Fragmentos do artigo de José Antonio Meira da Rocha professor de Jornalismo Gráfico no CESNORS/Universidade Federal de Santa Maria. Instantaneidade O grau de instantaneidade a capacidade de transmitir

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PELOTAS CENTRO DE LETRAS E COMUNICAÇÃO CURSO DE JORNALISMO TUTORIAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PELOTAS CENTRO DE LETRAS E COMUNICAÇÃO CURSO DE JORNALISMO TUTORIAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PELOTAS CENTRO DE LETRAS E COMUNICAÇÃO CURSO DE JORNALISMO TUTORIAL http://pt.wordpress.com http://.wordpress.org Autor: Calvin da Silva Cousin Orientação: Profª Drª Sílvia Porto

Leia mais

Internet, ensino de jornalismo e comunidade

Internet, ensino de jornalismo e comunidade Internet, ensino de jornalismo e comunidade Paulo Roberto Botão Mestre em Comunicação Social pela Umesp Instituto Superior de Ciências Aplicadas (Isca Faculdades) Limeira/SP Universidade Metodista de Piracicaba

Leia mais

A DIVULGAÇÃO DO CURSO DE JORNALISMO ATRAVÉS DO SITE E DAS REDES SOCIAIS

A DIVULGAÇÃO DO CURSO DE JORNALISMO ATRAVÉS DO SITE E DAS REDES SOCIAIS 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

JORNALISMO CONVERGENTE: o portal de notícias G1 Maranhão

JORNALISMO CONVERGENTE: o portal de notícias G1 Maranhão JORNALISMO CONVERGENTE: o portal de notícias G1 Maranhão Marcos Arruda Valente de FIGUEIREDO 37 RESUMO: Este artigo trata sobre as mídias digitais e sua influência no comportamento das pessoas com base

Leia mais

Tabela de Preços Sugeridos

Tabela de Preços Sugeridos WEBSITE Estrutura básica Área institucional Área estática: quem somos, o que fazemos, onde estamos etc. Área de contato E-mail, telefone, formulário etc. Área core Gerenciador de conteúdo para cadastro

Leia mais

A ATUAÇÃO JORNALÍSTICA EM PLATAFORMAS MÓVEIS

A ATUAÇÃO JORNALÍSTICA EM PLATAFORMAS MÓVEIS DOSSIÊ A ATUAÇÃO JORNALÍSTICA EM PLATAFORMAS MÓVEIS Estudo sobre produtos autóctones e a mudança no estatuto do jornalista1 Copyright 2013 SBPjor / Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PELOTAS CENTRO DE LETRAS E COMUNICAÇÃO CURSO DE JORNALISMO TUTORIAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PELOTAS CENTRO DE LETRAS E COMUNICAÇÃO CURSO DE JORNALISMO TUTORIAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PELOTAS CENTRO DE LETRAS E COMUNICAÇÃO CURSO DE JORNALISMO TUTORIAL www.blogger.com Autor: Calvin da Silva Cousin Orientação: Profª Drª Sílvia Porto Meirelles Leite SUMÁRIO 1. O

Leia mais

Monitoramento de Redes Sociais

Monitoramento de Redes Sociais Monitoramento de Redes Sociais O QlikBrand é uma ferramenta profissional para monitoramento de mídias sociais e o primeiro "Social Mídia Discovery" com Qlikview. Localiza menções nas mídias sociais, interage

Leia mais

TVVILAEMBRATEL.WEBS.COM 1 Uma experiência com sistemas de CMS

TVVILAEMBRATEL.WEBS.COM 1 Uma experiência com sistemas de CMS TVVILAEMBRATEL.WEBS.COM 1 Uma experiência com sistemas de CMS Anissa CAVALCANTE 2 Jessica WERNZ 3 Márcio CARNEIRO 4, São Luís, MA PALAVRAS-CHAVE: CMS, webjornalismo, TV Vila Embratel, comunicação 1 CONSIDERAÇÕES

Leia mais

Análise da convergência de conteúdos em produtos jornalísticos com presença multiplataforma 1

Análise da convergência de conteúdos em produtos jornalísticos com presença multiplataforma 1 Análise da convergência de conteúdos em produtos jornalísticos com presença multiplataforma 1 Suzana Barbosa 2 Fernando Firmino da Silva 3 Leila Nogueira 4 Resumo: O artigo sistematiza discussões sobre

Leia mais

EXAMES ÉPOCA DE RECURSO

EXAMES ÉPOCA DE RECURSO EXAMES ÉPOCA DE RECURSO 2.º SEMESTRE ANO LETIVO 2014/2015 LICENCIATURAS MESTRADOS PÓS-GRADUAÇÃO EXAMES ÉPOCA DE RECURSO 2.º, 4.º e 6.º SEMESTRES 2014/2015 LICENCIATURA // AUDIOVISUAL E MULTIMÉDIA Comunicação

Leia mais

O ANews está baseado em três importantes pilares: a mobilidade, a comunicação eficiente e a facilitação do fluxo de trabalho.

O ANews está baseado em três importantes pilares: a mobilidade, a comunicação eficiente e a facilitação do fluxo de trabalho. ANews é o que você precisa O ANews chegou ao mercado para inovar. Não é mais um programa, é o software que os jornalistas precisavam e não existia. É muito mais que um simples programa, é um sistema que

Leia mais

BASES DE DADOS NO JORNALISMO DIGITAL: A RESOLUÇÃO SEMÂNTICA NAS NOTÍCIAS E REPORTAGENS SOBRE O ATAQUE À MARATONA DE BOSTON 1

BASES DE DADOS NO JORNALISMO DIGITAL: A RESOLUÇÃO SEMÂNTICA NAS NOTÍCIAS E REPORTAGENS SOBRE O ATAQUE À MARATONA DE BOSTON 1 Performances Interacionais e Mediações Sociotécnicas Salvador - 10 e 11 de outubro de 2013 BASES DE DADOS NO JORNALISMO DIGITAL: A RESOLUÇÃO SEMÂNTICA NAS NOTÍCIAS E REPORTAGENS SOBRE O ATAQUE À MARATONA

Leia mais

Franquias Jornalísticas e Dispositivos Autóctones: potencialização da lógica transmídia no jornalismo para tablets 1

Franquias Jornalísticas e Dispositivos Autóctones: potencialização da lógica transmídia no jornalismo para tablets 1 Franquias Jornalísticas e Dispositivos Autóctones: potencialização da lógica transmídia no jornalismo para tablets 1 Vivian de Carvalho BELOCHIO 2 Universidade Federal do Pampa, São Borja, RS Gabriela

Leia mais

Manual do Professor versão 2.0. FTD Sistema de Ensino

Manual do Professor versão 2.0. FTD Sistema de Ensino Manual do Professor versão 2.0 FTD Sistema de Ensino Plataforma Digital do FTD Sistema de Ensino Concepção Fernando Moraes Fonseca Jr Arquitetura e coordenação de desenvolvimento Rodrigo Orellana Arquitetura,

Leia mais

Jornalismo de Revista: Análise comparativa entre os formatos impresso e web nas revistas Boa Forma e TPM 1.

Jornalismo de Revista: Análise comparativa entre os formatos impresso e web nas revistas Boa Forma e TPM 1. Jornalismo de Revista: Análise comparativa entre os formatos impresso e web nas revistas Boa Forma e TPM 1. Resumo Alana Damasceno Arruda Camara 2 Paula Janay Alves 3 João Eduardo Silva de Araújo 4 L.Graciela

Leia mais

Prêmio Gabriel García Márquez de Jornalismo Medellín comemora as melhores histórias da Ibero- América

Prêmio Gabriel García Márquez de Jornalismo Medellín comemora as melhores histórias da Ibero- América Prêmio Gabriel García Márquez de Jornalismo Medellín comemora as melhores histórias da Ibero- América Regras da terça edição de 2015 Por favor, leia com atenção as regras antes de iniciar o processo de

Leia mais

Eurípedes Alcântara Diretor de Redação

Eurípedes Alcântara Diretor de Redação 1 Informar, esclarecer e entreter o leitor, elevando seu nível de compreensão dos fatos, das tendências que sejam relevantes para a sua vida pessoal, profissional e sua compreensão do mundo. Eurípedes

Leia mais

Conceitos Fundamentais

Conceitos Fundamentais 19 Capítulo 1 Conceitos Fundamentais Para compreendermos este livro, há que se entender alguns conceitos-chave que vão permear a sua leitura. O blog hoje é o melhor mecanismo para construir relacionamentos

Leia mais

LIVRO EM PUBLICAÇÃO DIGITAL INTERATIVA PARA EAD

LIVRO EM PUBLICAÇÃO DIGITAL INTERATIVA PARA EAD LIVRO EM PUBLICAÇÃO DIGITAL INTERATIVA PARA EAD Daiany Berenice Zago 1 ; Paulo Roberto Montanaro 2 ; Joice Lee Otsuka 3 Grupo 4.4. Multimídias: linguagens, signos e discursos em textos, imagens, áudios,

Leia mais

Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa

Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa Agenda Introdução Aplicações interativas de TV Digital Desafios de layout e usabilidade Laboratório de usabilidade Desafios

Leia mais

Emerald Group Publishing Limited. Descubra como aproveitar os benefícios da editora líder mundial de Pesquisa em Gestão. www.emeraldinsight.

Emerald Group Publishing Limited. Descubra como aproveitar os benefícios da editora líder mundial de Pesquisa em Gestão. www.emeraldinsight. Emerald Group Publishing Limited Descubra como aproveitar os benefícios da editora líder mundial de Pesquisa em Gestão www.emeraldinsight.com Conteúdo Esta apresentação foi elaborada para ajudá-lo a aproveitar

Leia mais

criar colaborar comunicar Tecnologia para Crescer

criar colaborar comunicar Tecnologia para Crescer Tecnologia para Crescer Com o crescimento da banda larga e smartphones/ tablets, conteúdos têm sido criados e consumidos em uma taxa alarmante. Atualmente, a definição de conteúdo mudou e não se trata

Leia mais

Do jornalismo online ao webjornalismo: formação para a mudança

Do jornalismo online ao webjornalismo: formação para a mudança Do jornalismo online ao webjornalismo: formação para a mudança João Manuel Messias Canavilhas Universidade da Beira Interior Índice 1 Formação actual dos jornalistas 2 2 Formar webjornalistas 3 3 Conclusão

Leia mais

Em 2012, a Abril Mídia lançou a 1ª edição do HOTEL PRO, uma publicação focada nas necessidades da indústria hoteleira.

Em 2012, a Abril Mídia lançou a 1ª edição do HOTEL PRO, uma publicação focada nas necessidades da indústria hoteleira. Em 2012, a Abril Mídia lançou a 1ª edição do HOTEL PRO, uma publicação focada nas necessidades da indústria hoteleira. Um grande sucesso editorial, ela vai agora para a segunda edição (com lançamento em

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE PORTAIS DE NOTÍCIAS E HIPERTEXTUALIDADE*

A RELAÇÃO ENTRE PORTAIS DE NOTÍCIAS E HIPERTEXTUALIDADE* A RELAÇÃO ENTRE PORTAIS DE NOTÍCIAS E HIPERTEXTUALIDADE* Maria Lourdilene Vieira Barbosa UFMA Emanoel Barbosa de Sousa UFPI Resumo: O valor social do hipertexto na sociedade digital tem despertado bastantes

Leia mais

SONHE. PLANEJE.EMBARQUE.

SONHE. PLANEJE.EMBARQUE. SONHE. PLANEJE.EMBARQUE. [na direção certa] A Viagem e Turismo é feita por pessoas que amam viajar e têm a sorte de trabalhar com o que amam. Isso se reflete em todas as dimensões da nossa marca. Nossa

Leia mais

WEBJORNALISMO. Aula 04: Características do Webjornalismo. Características do webjornalismo

WEBJORNALISMO. Aula 04: Características do Webjornalismo. Características do webjornalismo WEBJORNALISMO Aula 04: Características do Webjornalismo Prof. Breno Brito Características do webjornalismo O webjornalismo apresenta algumas características específicas em relação a aspectos que quase

Leia mais

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS FACTOS A Internet mudou profundamente a forma como as pessoas encontram, descobrem, compartilham, compram e se conectam. INTRODUÇÃO Os meios digitais, fazendo hoje parte do quotidiano

Leia mais

Tecnologia em. Design Gráfico

Tecnologia em. Design Gráfico Tecnologia em Design Gráfico Tecnologia em Design Gráfico CARREIRA O Curso Superior de Tecnologia em Design Gráfico oferece oportunidade para o trabalho profissional em diversas profissões relacionadas

Leia mais

A revista Superinteressante para tablet Um exemplo de inovação

A revista Superinteressante para tablet Um exemplo de inovação A revista Superinteressante para tablet Um exemplo de inovação The magazine Superinteressante for tablet - An example of incremental Gabriel Patrocinio; Mestrando em Design; Universidade Anhembi Morumbi

Leia mais

#pulafogueira: aprofundamento do modelo News Diamond na cobertura das manifestações de junho/2014 em Belo Horizonte.1

#pulafogueira: aprofundamento do modelo News Diamond na cobertura das manifestações de junho/2014 em Belo Horizonte.1 #pulafogueira: aprofundamento do modelo News Diamond na cobertura das manifestações de junho/2014 em Belo Horizonte.1 Jorge Rocha2 Resumo: As manifestações populares iniciadas em 2013, partindo do mote

Leia mais

Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper

Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper ÍNDICE ÍNDICE...2 RESUMO EXECUTIVO...3 O PROBLEMA...4 ILHAS DE INFORMAÇÃO...4 ESTRUTURA FRAGMENTADA VS. ESTRUTURA

Leia mais

A confluência dos vídeos e a Internet

A confluência dos vídeos e a Internet WHITEPAPER A confluência dos vídeos e a Internet Por que sua empresa deveria investir em vídeos em 2013 e como a Construção Civil pode utilizar os vídeos como diferencial competitivo. 1 Saiba como os vídeos

Leia mais

INDE X AÇÃO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS EM 2015 PEL A SIZMEK. Análises de formatos, adoção e desperdício em dispositivos móveis.

INDE X AÇÃO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS EM 2015 PEL A SIZMEK. Análises de formatos, adoção e desperdício em dispositivos móveis. INDE X AÇÃO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS EM 2015 PEL A SIZMEK Análises de formatos, adoção e desperdício em dispositivos móveis. CO N T EÚ D O S O RESUMO GERAL DO MARKETING PARA MÓVEIS Inventário Móvel CH A

Leia mais

Convergência tecnológica em sistemas de informação

Convergência tecnológica em sistemas de informação OUT. NOV. DEZ. l 2006 l ANO XII, Nº 47 l 333-338 INTEGRAÇÃO 333 Convergência tecnológica em sistemas de informação ANA PAULA GONÇALVES SERRA* Resumo l Atualmente vivemos em uma sociedade na qual o foco

Leia mais

Colaboração e interação em dispositivos móveis: um estudo dos aplicativos jornalísticos para iphone e ipad 1

Colaboração e interação em dispositivos móveis: um estudo dos aplicativos jornalísticos para iphone e ipad 1 Colaboração e interação em dispositivos móveis: um estudo dos aplicativos jornalísticos para iphone e ipad 1 Yuri ALMEIDA 2 Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia RESUMO Os dispositivos móveis

Leia mais

Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões

Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões MÍDIA KIT INTERNET Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões Segundo pesquisa da Nielsen IBOPE, até o 1º trimestre/2014 número 18% maior que o mesmo período de 2013. É a demonstração

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA LET 02630 LÍNGUA PORTUGUESA Noções gerais da língua portuguesa. Leitura e produção de diferentes tipos de textos, em especial os relativos à comunicação de

Leia mais

ana.estela@grupofolha.com.br PUC-RS abril 2010

ana.estela@grupofolha.com.br PUC-RS abril 2010 ana.estela@grupofolha.com.br PUC-RS abril 2010 INCERTEZAS DIGITAIS 4 QUALIDADES INDISPENSÁVEIS >> seleção >> credibilidade >> ecletismo >> interatividade 4 QUALIDADES INDISPENSÁVEIS >> seleção >> credibilidade

Leia mais

UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO. Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012

UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO. Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012 UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012 Cruz das Almas BA 2013 UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Internet; Web; Webjornalismo; Portal; Estadão.

PALAVRAS-CHAVE: Internet; Web; Webjornalismo; Portal; Estadão. Análise das características do webjornalismo no portal de notícias Estadão 1 ROCHA, Arisson Leda da 2 JÚNIOR, Josemar Pereira de Freitas 3 MATOS, Igson Luiz de Souza 4 MACIEL, Alexsander Nickson Leda 5

Leia mais

O MAIOR E MAIS INFLUENTE PROJETO GASTRONÔMICO DO PAÍS.

O MAIOR E MAIS INFLUENTE PROJETO GASTRONÔMICO DO PAÍS. O MAIOR E MAIS INFLUENTE PROJETO GASTRONÔMICO DO PAÍS. O Guia Comer & Beber Os Eventos Comer & Beber Comer & Beber Digital Envolvimento da Marca Proposta Comercial Patrocínio Nacional Apoio Nacional Apoio

Leia mais

C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO. A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes

C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO. A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes FLORIANÓPOLIS 2014 2 RESUMO: O projeto apresentado é resultado

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: website; jornalismo online; comunicação organizacional.

PALAVRAS-CHAVE: website; jornalismo online; comunicação organizacional. Contribuições para a comunicação organizacional de um curso de Jornalismo: Website do Curso de Comunicação Social - Jornalismo da UFSJ 1 Priscila NATANY 2 Alessandra de FALCO 3 Universidade Federal de

Leia mais

Blog FocAia: Vale do Araguaia no mapa da blogosfera 1

Blog FocAia: Vale do Araguaia no mapa da blogosfera 1 Blog FocAia: Vale do Araguaia no mapa da blogosfera 1 Fábio Silva de OLIVEIRA 2 Ana Carolina Vilela Souza Silvestre de PAIVA 3 Atila Cezar Rodrigues LIMA e COELHO 4 Hélio Ferreira MENDES JÚNIOR 5 Lazaro

Leia mais

JORNALISMO CULTURAL E CRÍTICA DE ARTE NA WEB. ANÁLISE DA PRODUÇÃO TEXTUAL E PARTICIPAÇÃO DO PÚBLICO EM SITES

JORNALISMO CULTURAL E CRÍTICA DE ARTE NA WEB. ANÁLISE DA PRODUÇÃO TEXTUAL E PARTICIPAÇÃO DO PÚBLICO EM SITES Revista Eletrônica Novo Enfoque, ano 2013, v. 17, n. 17, p. 01 06 JORNALISMO CULTURAL E CRÍTICA DE ARTE NA WEB. ANÁLISE DA PRODUÇÃO TEXTUAL E PARTICIPAÇÃO DO PÚBLICO EM SITES AGUIRRE, Alexandra 1 BASÍLIO,

Leia mais

Portal de conteúdos Linha Direta

Portal de conteúdos Linha Direta Portal de conteúdos Linha Direta Tecnologias Educacionais PROMOVEM SÃO Ferramentas Recursos USADAS EM SALA DE AULA PARA APRENDIZADO SÃO: Facilitadoras Incentivadoras SERVEM Necessárias Pesquisa Facilitar

Leia mais

Uma solução completa para sua estrátegia de SOCIAL MEDIA HELLO WORLD!

Uma solução completa para sua estrátegia de SOCIAL MEDIA HELLO WORLD! Uma solução completa para sua estrátegia de SOCIAL MEDIA HELLO WORLD! SocialSuite Rua Claudio Soares, 72-16 andar +55 11 3032 1982 São Paulo - SP Brasil Introdução Esse material foi desenvolvido pela equipe

Leia mais

Maíra Sousa2. Palavras- chave: Jornalismo. Notícia. Redes Sociais na Internet. Linguagem Digital.

Maíra Sousa2. Palavras- chave: Jornalismo. Notícia. Redes Sociais na Internet. Linguagem Digital. A DINÂMICA DA NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS NA INTERNET: uma proposta de categorização da circulação a partir da forma de apresentação das postagens no Twitter e no Facebook1 Maíra Sousa2 RESUMO: O uso e as

Leia mais

AUTOR(ES): CARLOS ANTONIO PINHEIRO PINTO, ERMÍNIO PEDRAL SANTANA, GUILHERME CASSIANO DA SILVA

AUTOR(ES): CARLOS ANTONIO PINHEIRO PINTO, ERMÍNIO PEDRAL SANTANA, GUILHERME CASSIANO DA SILVA Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: SISTEMA MÓVEL DE COMPRAS POR QR CODE CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA:

Leia mais

VixBus: informação em tempo-real sobre horários de ônibus em Vitória

VixBus: informação em tempo-real sobre horários de ônibus em Vitória VixBus: informação em tempo-real sobre horários de ônibus em Vitória VixBus: realtime information about bus timetables in Vitória Schmidt, Marianna; Graduanda; Universidade Federal do Espírito Santo mariannaschmidt@gmail.com

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 17/06/2015 17:31. Centro de Ciências Humanas e da Comunicação

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 17/06/2015 17:31. Centro de Ciências Humanas e da Comunicação 7/6/5 7: Centro de Ciências Humanas e da Comunicação Curso: 85 Jornalismo (Matutino) Currículo: / COM..- Teorias da Comunicação I Ementa: Conceituação e objetivo da Comunicação Social. História da comunicação.

Leia mais

Mídias Sociais. Fatos e Dicas para 2013. Esteja preparado para um ano digital, social e interativo

Mídias Sociais. Fatos e Dicas para 2013. Esteja preparado para um ano digital, social e interativo Mídias Sociais Fatos e Dicas para 2013 Esteja preparado para um ano digital, social e interativo NESTE E-BOOK VOCÊ VAI ENCONTRAR: 1 - Porque as mídias sociais crescem em tamanho e em importância para o

Leia mais

Rastreamento da notícia: a produção jornalística no Jornal De Fato 1

Rastreamento da notícia: a produção jornalística no Jornal De Fato 1 Rastreamento da notícia: a produção jornalística no Jornal De Fato 1 André Luís da SILVA 2 Tamara de Sousa SENA 3 Marcília Luzia Gomes da Costa MENDES 4 Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Mossoró,

Leia mais

O JORNALISMO AUDIOVISUAL ON-LINE E SUAS FASES NA WEB

O JORNALISMO AUDIOVISUAL ON-LINE E SUAS FASES NA WEB V CONGRESO IBEROAMERICANO DE PERIODISMO EN INTERNET SOCIEDAD IBEROAMERICANA DE ACADÉMICOS, INVESTIGADORES Y PROFESIONALES DEL PERIODISMO EN INTERNET AIAPI FACULTAD DE COMUNICACIÓN - UNIVERSIDAD FEDERAL

Leia mais

Formação de professores para docência online

Formação de professores para docência online Formação de professores para docência online uma pesquisa interinstitucional Marco Silva EDU/UERJ Educar em nosso tempo conta com uma feliz coincidência histórica: a dinâmica comunicacional da cibercultura,

Leia mais

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5 Para entender bancos de dados, é útil ter em mente que os elementos de dados que os compõem são divididos em níveis hierárquicos. Esses elementos de dados lógicos constituem os conceitos de dados básicos

Leia mais

SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIBERJORNALISMO A rastreabilidade como característica do ciberjornalismo1

SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIBERJORNALISMO A rastreabilidade como característica do ciberjornalismo1 SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIBERJORNALISMO A rastreabilidade como característica do ciberjornalismo1 2 Lucas Santiago Arraes Reino Resumo: Por muitos anos as características do ciberjornalismo foram definidas

Leia mais

A grande reportagem multimídia como gênero expressivo no ciberjornalismo

A grande reportagem multimídia como gênero expressivo no ciberjornalismo A grande reportagem multimídia como gênero expressivo no ciberjornalismo 1 Raquel Ritter Longhi 2 Resumo: Conteúdos noticiosos ciberjornalísticos mostram uma consolidação em produtos que exploram de forma

Leia mais

Com a chegada das tablets, os hábitos de leitura estão mudando.

Com a chegada das tablets, os hábitos de leitura estão mudando. Com a chegada das tablets, os hábitos de leitura estão mudando. Para começar a ler, toque e arraste a página para a esquerda Você e sua empresa precisam acompanhar esta mudança. Toda empresa pode ganhar

Leia mais

Preferências do consumidor de notícias em plataformas móveis

Preferências do consumidor de notícias em plataformas móveis Preferências do consumidor de notícias em plataformas móveis Marina Lisboa Empinotti1 Resumo: Este artigo reúne pesquisas recentes sobre as preferências dos consumidores de notícias em plataformas móveis

Leia mais

Roteiro A/V Quinto Tratamento WEBSITES. Por Best Web Fast. Best Web FAst. vídeo de animação 3D duração 3 minutos

Roteiro A/V Quinto Tratamento WEBSITES. Por Best Web Fast. Best Web FAst. vídeo de animação 3D duração 3 minutos Roteiro A/V Quinto Tratamento WEBSITES Por Best Web Fast Best Web FAst vídeo de animação 3D duração 3 minutos são paulo, 16 de outubro de 2014 1 websites vinheta BEST WEB FAST em seguida letterings:websites

Leia mais