UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM BUSINESS INTELLIGENCE: ORIENTAÇÃO EMPRESARIAL PARA A TOMADA DE DECISÃO Por: Adriana Barbosa da Penha Orientadora Profª. Alessandra Sliwowska Rio de Janeiro 2012

2 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM BUSINESS INTELLIGENCE: ORIENTAÇÃO EMPRESARIAL PARA A TOMADA DE DECISÃO Apresentação de monografia à Universidade Cândido Mendes como requisito parcial para obtenção do grau de especialista em Gestão Empresarial. Por: Adriana Barbosa da Penha.

3 3 AGRADECIMENTOS À Deus, em primeiro lugar, pela minha vida e por permitir mais esta vitória. Pela resposta silenciosa e poderosa em todos os momentos que O busquei. Pela inspiração, fé, determinação ao longo dos períodos e por permitir que eu não desistisse. À minha querida e amada mãe: pelo companheirismo de sempre, pelas horas de sono perdidas até eu chegar em casa em segurança após sair da faculdade, pela preocupação e incentivos aos estudos, e, sobretudo, por acreditar em meu potencial e ter permanecido ao meu lado até a conclusão desta monografia. Aos meus amigos (as) e familiares que, direta ou indiretamente, contribuíram para que este trabalho tomasse forma. Pelo apoio, compreensão da ausência e felicidade com o alcance do meu sucesso. Ao meu namorado, pela compreensão nos momentos onde a dedicação para escrever foram maiores e pelo entusiasmo com que reagiu as minhas ideias. À orientadora Alessandra pelo coleguismo com que me tratou durante o período de escrita da monografia.

4 4 DEDICATÓRIA Aos que lutam um dia e são bons; Aos que lutam um ano e são melhores; Aos que lutam uma vida inteira. Estes são imprescindíveis. (Autor Desconhecido)

5 5 RESUMO O ambiente organizacional é composto de instabilidade e transformações e gera a necessidade de tomada de decisões mais assertivas e ágeis. Propondo-se ser auxílio neste âmbito, Business Intelligence (BI) é uma solução empresarial que alcançou posição e enraizou-se nos diferentes tipos de organizações por conceber informação e conhecimento a serem utilizados no processo decisório. Unindo tempo, competência e empenho na seleção das informações necessárias para a tomada de decisão, esta solução pode auferir novas oportunidades ou até mesmo aproveitar as já existentes no mercado, abrindo extensão para uma gestão com base na TI, prezada como causa importante de vantagem competitiva. Assim, o presente trabalho destaca as principais influências desta solução para as organizações, primando à importância da informação e do conhecimento no processo decisório. Palavras-chave: Business Intelligence, Tomada de Decisão, Informação e Conhecimento.

6 6 METODOLOGIA A metodologia empregada para a composição deste trabalho de monografia veio através da consulta a livros de autores como Primak, Vercellis, Chiavenato, entre outros para base da conceituação e definição do termo Business Intelligence, artigos científicos extraídos da Internet (Google Acadêmico) que fizeram o link à temática, vídeo-entrevista utilizada para exemplificar o case de sucesso no uso de um sistema de BI e outras pesquisas bibliográficas.

7 7 SUMÁRIO INTRODUÇÃO 08 CAPÍTULO I - O Conceito de Business Intelligence 09 CAPÍTULO II - A Importância da Informação e do Conhecimento 27 CAPÍTULO III Evolução das Tecnologias 36 CAPÍTULO IV Inteligência Empresarial 44 CONSIDERAÇÕES FINAIS 46 BIBLIOGRAFIA CONSULTADA 48 BIBLIOGRAFIA CITADA 50 ÍNDICE 52

8 8 INTRODUÇÃO O Business Intelligence é um termo atual e disseminado no mundo corporativo. Com definição abrangente, que vai além de um sistema, já se enquadra e faz correlação a vários segmentos de negócios. Está presente em organizações de diferentes tipos, independente do segmento de negócio ou porte da organização, onde decisões são tomadas com frequência e continuamente e a informação necessita chegar de forma veloz e em abundância, pois seu objetivo fundamental é recolher dados, transformá-los em informação, em seguida em conhecimento propício para a tomada de decisão. A velocidade dos negócios na web exige impõe que seja dado a quem decide autonomia para agir e que a tomada de uma decisão seja feita com o toda a informação possível e disponível, levando a afirmação de que todas as empresas devem fazer uma reestruturação organizacional em torno dela. O BI veio para realizar a tarefa de captação de oportunidades atuais e conferir vantagem estratégica para as organizações, assumindo um papel extremamente significativo no ambiente dos negócios. Com contribuições no processo de extração de grandes quantidades de dados, de análise de forma mais eficiente e transformação das informações em conhecimento para as organizações; no aumento da inteligência coletiva, facilitando a construção do conhecimento; no aumento da capacidade de aprendizagem da empresa, alterando a forma de captação, entendimento e comportamento, numa contínua remodelagem; no aumento da criatividade organizacional e apoio a produção de novas ideias ou até mesmo produtos/serviços, permite a organização a adaptar-se e se tornar mais dinâmica aos desafios, oportunidades e ameaças impostas pelo ambiente extraorganizacional e intraorganizacional.

9 9 CAPÍTULO I O CONCEITO DE BUSINESS INTELLIGENCE Nunca avalie a altura de uma montanha até que atinja o cume. Verá, então, como era baixa. (Dag Hammarkjold) As organizações estão inseridas em ambientes mutáveis, que exigem delas capacidade para serem adaptáveis e acompanharem as necessidades do mercado empresarial. A facilidade em ter respostas torna-se não somente artifício estratégico, mas também a distinção de cada organização. Cada vez mais criar estratégias será fator essencial no mercado. A partir do cruzamento de dados, será possível sintetizar informações e conhecimentos mais específicos e úteis no processo de tomada de decisão, inclusive na elaboração de estratégias de negócio, pois estes são fundamentos obrigatórios da produtividade e da competitividade. Desde o advento da Internet, na década de 90, ocorreram profundas alterações nos métodos de produção, nas relações econômicas e nos modelos de gestão, que levaram ao crescimento da importância das informações e do conhecimento. O efeito da globalização e do uso da tecnologia da informação intensificou a aceleração do ritmo dos processos de transformação atuais. Constatase um crescimento potencializado por parte das corporações de terem cada vez mais informações relevantes para à tomada de decisão, e, paralelamente, é observado um incremento nos instrumentos gerenciais hábeis de externar estas informações tão almejadas pelos executivos. Elucidado a partir da ideia de que as organizações precisam ser mais ágeis em todos os sentidos, o BI é um sistema que se utiliza da tecnologia da informação para propor soluções de contorno ou adaptação às alterações no ambiente empresarial verificadas nos macrossistemas. Desta maneira, tornam-se significativos os estudos sobre o BI oferecido às empresas que buscam o alinhamento entre quantidade e qualidade informacionais pertinente ao processo decisório, construindo o sucesso e continuidade destas.

10 Dado, Informação e Conhecimento Para melhor entendimento do conceito de BI, é primordial a definição dos termos dado, informação e conhecimento, pertencentes ao processo que culmina nas decisões gerenciais. Dado é entendido aqui como um elemento da informação que, isoladamente, não transmite nenhum conhecimento. São apenas elementos primários não trabalhados. É a matéria-prima de um sistema de BI. Informações são os dados selecionados, organizados e processados para se tornarem com algum desígnio e as formadoras do conhecimento dentro das organizações. Conhecimento é o processo de metamorfosear a informação em resultado que orienta ações estratégicas. Decisão, por sua vez, é o processo de escolher opções para ações a serem realizadas em função do negócio. Os elementos que compõe a cadeia dados-informação-conhecimento-decisão são considerados componentes importantes de qualquer sistema, inclusive do BI, pois são usados diretamente para fins de tomada de decisão. Uma vez que os dados brutos são convertidos em informações úteis e estas, por sua vez, geram conhecimento às organizações para posicionar-se estrategicamente e encaminharem seus negócios de maneira inteligente, a modificação dos dados em informação e conhecimento, por meio de ferramentas de extração adequadas, são mais aproveitados quando inseridos em um sistema de BI, dando suporte aos gestores no processo de tomada de decisões mais acertadas e eficazes, o armazenamento destes elementos são capazes de fornecer informações precisas sobre a organização. 1.2 Definindo Business Intelligence

11 11 Muito se ouve falar em Business Intelligence e em seus benefícios. Entretanto, não se tem uma ideia exata do que seja. O BI, que pode ser traduzido em Inteligência em Negócios, representa o processo de coleta de dados, organização, análise e que culmina em informações, oferecendo suporte à gestão de negócio e integração dos aplicativos e tecnologias capazes de extrair e analisar estes dados corporativos de forma mais simples, de modo que a organização ganhe tempo e produtividade e gestores possam tomar as melhores decisões para o negócio. De forma mais detalhada, existem muitas definições para o termo: Vercellis (2009) Conjunto de modelos matemáticos e metodologias de análise que exploram os dados disponíveis para gerar informações e conhecimento útil para complexos processos decisórios. Sezões, Oliveira e Baptista (2006) Conceito que engloba um vasto conjunto de aplicações de apoio à tomada de decisão que possibilitam um acesso rápido, partilhado e interativo das informações, bem como a sua análise e manipulação. Antonelli (2009) Ferramenta que se utiliza da tecnologia da informação para coletar dados, analisá-los e transformá-los em informação para as organizações. Primak (2008) É o processo inteligente de coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoração de dados contidos em Data Warehouse e/ou Data Mart, gerando informações para o suporte à tomada de decisões no ambiente de negócios. Barbieri (2001) A utilização de variadas fontes de informação para se definir estratégias de competitividade nos negócios da empresa. Partindo da afirmação que informação é fator crucial para gerar produtividade e competitividade às organizações, pode-se afirmar também que o conhecimento adquirido por elas é essencial para o processo decisório. Tal afirmativa pode ser considerada a justificativa para a existência do BI, pois como principal suporte a tomada de decisões, sua serventia vem sendo comprovada pela dinâmica adquirida na obtenção das informações e melhoria dos processos.

12 12 Por fornecer perspectiva sistêmica do negócio, e, sobretudo, ajudar na uniformização dos dados e na transformação em informações de qualidade, a tomada de decisão torna-se mais eficiente em várias dimensões, servindo até na análise dos indicadores de desempenho empresarial. Um fato a ser frisado refere-se ao BI poder proporcionar ganhos não somente ao alto escalão executivo, mas também a determinados setores que precisem se basear em informações concretas para tomar decisões, como comercial, marketing, recursos humanos, finanças, operacional, etc.. O grande desafio é saber gerenciar da melhor forma as informações, exigindo do gestor (ou quem for decidir) ter capacidade analítica de compreensão e interpretação, pois o BI quando bem utilizado pode até detectar tendências, cenários e oportunidades e permitir a tomarem-se decisões eficazes, precisas e no tempo correto. A sobrevivência e continuidade das organizações dependem do seu tempo de resposta às mudanças do ambiente externo, bem como das adaptações que devem ocorrer a nível ambiente interno, para que as respostas sejam subsequentes. Para tornar possível a integração de todos os setores da organização, o BI e os sistemas de informação atuam da mesma maneira que as pessoas, isto é, integrando dados, informação, imagem, gráficos, relatórios, etc e induz à organização ao empowerment, conferindo informação e poder decisório aos seus usuários. O envolvimento das pessoas e o conhecimento adquirido por elas para tomar decisões são fatores que influenciam o desempenho organizacional e aumentam a superioridade competitiva, independente das funções ou níveis hierárquicos. As evidências apontam que, portanto, as organizações não poderão perder tempo com processos decisórios lentos e ineficazes. O uso do BI diminuirá o tempo gasto e aumentará a competitividade, e, exigirá das mesmas mais ênfase no gerenciamento do conhecimento e não apenas na administração de dados ou informações Histórico e Evolução A expressão Business Intelligence não é moderna. Estudos indicam que o conceito já era utilizado pela sociedade há milhares de anos. Primak (2008, p.1)

13 13 corrobora com esta ideia ao afirmar que a sociedade do Oriente Médio antigo utilizavam os princípios básicos do BI quando cruzavam informações obtidas junto à natureza em benefício de suas aldeias. Através de princípios simples e básicos tornou-se possível obter as informações necessárias para classificar decisões importantes destinadas à melhoria de vida. Desde aquele período, muitas mudanças ocorreram na sociedade, marcando a evolução do mundo. Todavia, a premissa do BI se manteve e não sofreu muita alteração. Claro que ocorreram mudanças significativas no processo de produção dos bens de consumo e alimentos, bem como na forma das empresas se projetarem e na sociedade propriamente dita, mas é notório que as metodologias usadas pelos povos antigos para garantirem sobrevivência e continuidade de suas comunidades se apuraram para acompanhar as emergentes transformações. Primak (2008, p.4-5) expõe os principais acontecimentos que marcaram a sociedade e que expressam o crescimento do BI: PERÍODO Idade Antiga Século XVI Década de 60 Década de 70 Década de 80 Década de 90 ACONTECIMENTOS Povos do Oriente Médio cruzavam informações da natureza, marés, entre outros fatores para analisarem a viabilidade do cultivo de determinadas espécies, períodos de pesca abundante, etc. Rainha Elizabeth I determinou que a base da força inglesa fosse informação e comércio e ordenou, então, ao filósofo Francis Bacon que inventasse um sistema dinâmico de informação, o qual foi amplamente aplicado pelos ingleses. Evolução dos computadores e mudança de foco das empresas, que passaram a perceber os dados como uma possível e importante fonte geradora de informações decisórias e que renderiam eventuais lucros. Época também dos cartões perfurados e da predominância das linguagens de programação COBOL, ASSEMBLY e FORTRAN. Evolução das formas de armazenamento e acesso a dados DASD e SGBD (Sistema Gerenciados de Banco de Dados) e desenvolvido o EIS. Desenvolvimento e evolução das linguagens de programação CLIPPER e PASCAL e início da aplicação do termo Business Intelligence; Início do termo CPD nas empresas, desenvolvimento do Data Warehouse e maior interesse do setor corporativo pelas soluções de BI.

14 14 Década de 2000 Evolução dos conceitos de DSS (Decision Support System), um sistema de suporte a decisão, das planilhas eletrônicas, geradores de consultas e de relatórios, Data Marts, Data Mining, ferramentas OLAP, entre outras, estreitamento das conexões entre BI e o ERP e surgimento do termo E- Business. Pela interpretação do quadro, muito antes da era Pré-BI, defendida por Lima (2010, p.2) e posicionada cronologicamente entre 30/40 anos atrás, ocorreram manifestações no sentido da informação. Os acontecimentos importantes para a administração dos negócios e que fazem referência ao uso do BI nas organizações, começaram a serem mais expressivos a partir da década de 60, quando os computadores diminuíram de tamanho para ocupar as residências, tendo seu posicionamento mais claro a partir da década de 70 pelo desenvolvimento do EIS, uma ferramenta de consulta que auxiliava a alta administração e oferecia aos usuários uma visão sistêmica de toda a organização. Todavia, foi somente na década de 80 que se inaugurou a aplicação do BI nas organizações, pela percepção de que os dados poderiam ser fonte de informações para a tomada de decisão. No decorrer dos anos seguintes, os desenvolvimentos das linguagens de programação, dos computadores e dos modelos gerenciais, propuseram às organizações várias mudanças de foco e aproveitamento das oportunidades que eclodiram a partir deles. Todas as contingências que sinalaram os períodos culminaram para que, na década de 90, ocorresse a criação, disseminação e desenvolvimento do Data Warehouse, grande repositório de dados ou sistema de armazenamento de dados que produze aplicações otimizadas que são um auxiliar precioso no momento da escolha da melhor opção dentre o leque de possibilidades. Desde a década de 2000, que o desenvolvimento do BI está atrelado aos Sistemas Integrados de Gestão, popularmente conhecimentos como ERPs (Enterprise Resources Planning), cujas funções eram facilitar o aspecto operacional das empresas, registrando, processando e documentando cada fato novo na engrenagem corporativa e distribuindo a informação de maneira clara, segura e em tempo real, e que surgiram no final do século XX prometendo otimizar os processos organizacionais de forma integrada e tinham como propósito controlar uma empreendimento de ponta a ponta, da produção às finanças, como um todo.

15 15 Antes de ocorrer o estreitamento das relações entre os ERPs e o BI, ocorreram as evoluções dos conceitos de DSS, sistema que dava suporte a decisão, e das ferramentas de consultas e geradoras de relatórios, como o Data Marts e Data Mining. O surgimento do termo E-Business, solução que tinha como premissa a integração de todas as atividades da organização, incluindo seus processos operacionais, produtos, vendas, marketing, contabilidade, produção e serviços com a Internet, transformando o negócio em eletrônico, ampliou o desenvolvimento das ferramentas e serviços que assistenciava o administrador e o negócio, representando um up gerencial. O propósito do DSS foi aprimorada para se transformar em E-DSS, um serviço do E-Business que tratava das informações compiladas para a tomada de decisão estratégica de uma empresa em tempo real (online). Desde o advento da Internet e a globalização dos mercados, onde as forças econômicas ultrapassam fronteiras, resultando em mais comunicação, mais comércio e mais oportunidades, já existia a exigência que as corporações deveriam se modificar e adaptar-se, não somente aos avanços tecnológicos e as inclinações (tendências) anunciadas, mas também aos cenários que se projetam diariamente, a cada momento, indicando o progresso do uso da Internet e de uma nova maneira de se fazer negócios. O uso da rede e dos negócios online permitiu disponibilizar soluções para um número maior de pessoas ao redor do mundo. As contribuições da Web e Internet, dos ERPs e do E-Business aceleraram os negócios em todos os níveis. O novo panorama permitiu maior conexão entre os serviços de E-DSS e ERPs às soluções de BI. O desenvolvimento da ferramenta ganhou destaque no mundo corporativo, principalmente por fornecer as competências necessárias para que as organizações pudessem atender aos novos consumidores, cada vez mais exigentes. A mudança de direcionamento e da visão das organizações sobre o melhoramento dos processos operacionais e das relações interdepartamentais foi o escopo para ideais de uma orientação empresarial com base nas informações, no conhecimento e melhoria dos processos gerenciais, onde as organizações podiam dispor de uma ferramenta que permitisse agrupar dados numa base única e manejá-los de forma que fosse possível realizar diferentes análises sob vários ângulos, em único sistema partilhado.

16 16 A fusão de várias ferramentas de consulta, análise e geração de relatórios em uma única solução de negócio, o BI, na prática fez com que as empresas conseguissem melhorar seus processos em diferentes segmentos, gerando mais recursos e capital para elas. A informação, que acabou caindo no esquecimento de grandes bancos de dados existentes nos sistemas isolados, voltou a ter importância. O agrupamento das várias vertentes em uma ferramenta de gestão que proporcionasse a ordenação e usufruto de toda comunicação informacional gerada, fez e faz do BI uma solução vital para um direcionamento empresarial próspero, sólido e duradouro, aliado as competências de cada segmento e fundida às principais características da realidade empresarial. A certeza de que o BI é o atual caminho gerencial tem embasamento nas possibilidades de realização de uma série de análises e projeções que podem agilizar os processos de tomada de decisão e à formulação de estratégias e vantagens competitivas para as organizações, uma vez que o direcionamento para o sucesso de uma organização passa pela designação de estratégias adequadas e, como tal, pelo aproveitamento de sistemas de informação especializados e especialmente desenhados para servirem de suporte às decisões. Formular estratégias de desenvolvimento e inovação de modo a estabelecer vantagem competitiva e tirar o máximo proveito das oportunidades que surgem no mercado a todo momento, exige das organizações mecanismos de armazenamento de enormes quantias de dados em formas eletrônicas e à necessidade iminente de extrair delas informações e conhecimentos úteis a diversas aplicações (como por exemplo, na análise de mercado, administração empresarial, apoio à decisão, etc). Atentas a este fato, as organizações entendem a importância que as informações têm para a geração do conhecimento utilizada nos processos decisórios e na geração de lucros, resultados e alavancagem do negócio Aplicabilidade Durante anos iniciais a sua difusão no mundo corporativo, o BI pertenceu ao departamento de TI, por ser um termo que expressa tecnologia e informática de acordo com Primak (2008, p.6), e dos responsáveis pela exposição dos resultados

17 17 aos executivos tomadores de decisões. Hoje, ele pertence a todos os membros da organização que necessitam de informações para se tomar decisões. A aplicabilidade do BI dentro das organizações é vasta e tem atuação em diferentes níveis estruturais, o que permite as mesmas de tomar ações preventivas, a organizar-se, posicionar-se, antecipar-se e agir mais prontamente as mutações do ambiente externo. De maneira mais detalhada, é: Gerir e antecipar o risco, analisando as potenciais tendências e evoluções do mercado, através da análise das forças, fraquezas, ameaças e oportunidades (análise SWOT) para minimizar os riscos ligados à incerteza; Organizar as informações dispersas, extraindo somente as que possam ser relevantes para o negócio, e construir cenários para ajudar os gestores na tomada das decisões; Inovar pela detecção de oportunidades e de novos negócios, através da exploração dos dados que se tenham tornado pertinentes; Agir oportunamente face aos concorrentes, conhecendo o mercado, analisando quais as potencialidades de crescimento, quais os produtos ou serviços que mais se adaptem às necessidades dos clientes, etc; Posicionar-se estrategicamente no mercado adquirindo um conhecimento aprofundado do ambiente que envolve à organização: nível de competitividade, o número de concorrentes, market share, capacidade financeira, produtos e serviços, procedimentos, tecnologia de que dispõem e até estratégia. A ideia é aprender a explorar as fraquezas dos concorrentes e aumentar as forças; Antecipar as mudanças nos mercados assegurando as informações relevantes e determinar entre elas, quais representam ameaças ou oportunidades. Em diferentes segmentos de negócios, são notórios os resultados trazidos pela implementação do BI, o que compensa seu investimento. Empresas do varejo, por exemplo, através de pesquisas relativas ao comportamento do consumidor, poderá descobrir quais serviços atendem melhor seus clientes. Nas empresas

18 18 financeiras, como bancos e corretoras, por exemplo, a partir do BI podem mais rapidamente selecionar os grandes clientes para o tratamento personalizado ou ainda selecionar os clientes potenciais. Na indústria, seu uso pode ampliar a produção e conter as despesas fixas, reduzindo os custos operacionais. De uma maneira geral, observa-se aplicação do BI para qualquer tipo de negócio, independente do porte da empresa que se destinar, podendo ser destinadas as áreas comerciais (por exemplo: análise da força de vendas e comportamento de consumo), marketing (por exemplo: análise do ciclo de vida do produto e formas de penetração no mercado e segmentação), finanças (por exemplo: previsão, planejamento e orçamentação), logística (por exemplo: controle da qualidade e da logística), gestão de talentos (por exemplo: avaliação da performance e competências), entre outras. Atualmente, o direito de decidir não está mais concentrada nas mãos dos executivos. O conhecimento se distribuiu a todos que necessitam das informações para gerir os negócios. A eliminação da hierarquia e a ampliação da delegação de tarefas e poderes tornou-se diferencial competitivo, uma vez que colaboradores que mantêm contato direto com clientes, fornecedores, distribuidores ou parceiros de negócios, já tomam decisões baseadas em informações consistentes e fazem uso da inteligência e do conhecimento oriundos da organização para eliminar a lentidão que qualificava o processo decisório. A maioria dos estudiosos vê uma aplicabilidade eficaz do BI em todas as empresas, desde que analisado o custo x benefício e haja o alinhamento objetivo do projeto de BI com os interesses da organização. Aproveitar as funcionalidades e conhecimentos que o BI proporciona não é somente um fator de sucesso, mas (essencialmente) um fator de sobrevivência. Cada vez mais uma empresa demanda ter agilidade comercial, habilidade de tomar decisões e refinamento na elaboração de estratégias para clientes. Tudo isso dentro do menor tempo executável. Atingir as metas passou a requerer um envolvimento maior e o BI a ser encarado como uma aplicação integrada para o alcance dos resultados e para um melhor planejamento estratégico e gestão Objetivos

19 19 O objetivo a que se destina o BI é justamente auxiliar as pessoas no momento de decidir através das funções de extração, análise e aplicação das informações recebidas, de forma que os executivos do alto nível obtenham o lucro almejado. De acordo com Vercellis (2009, p.6-8) o principal objetivo dos sistemas de BI é fornecer conhecimento aos usuários (indivíduo ou equipe) com ferramentas e metodologias que lhes permitam tornar decisões eficazes. Nos dias de hoje, as mais diferentes circunstâncias para a tomada de decisão faz com que o BI seja assumido, neste contexto, como uma poderosa ferramenta de gestão que viabiliza o processo decisório e integra as atividades. Com função estratégica pela sua capacidade de converter dados em informação, conhecimento e a descoberta de novos conhecimentos dentro da organização, seu papel é vital no planejamento das atividades empresariais com o único propósito de servir como instrumento apoiador da apreciação dos dados sobre os quais o coletivo desenvolve atividades Componentes do BI Associado a um sistema, o BI, como tal, possui componentes que devem ser levados em consideração para melhor entendimento de seu funcionamento. Em um sistema, os dados primários (entrada) que são inseridos e convertidos em informações (saída), são processados, filtrados e analisados em diferentes fases. De maneira mais simplificada, a figura abaixo mostra um sistema: DADOS (Entrada) PROCESSAMENTO INFORMAÇÃO E CONHECIMENTO (Saída) Segundo Antonelli (2009, p.81), os componentes do BI consistem em ferramentas que realizam em conjunto o trabalho de armazenamento de dados, análise de informações e na mineração de dados. Assim sendo, são componentes de um sistema de BI os dados operacionais, as ferramentas de armazenagem e mineração destes dados, as ferramentas de consulta e elaboração de relatórios e

20 20 gráficos simples, que geram as informações e o conhecimento a ser utilizado na tomada de decisão. Sucintamente, uma típica estrutura de um sistema de BI possui ferramentas de consulta para a análise e exploração das várias alternativas a serem consideradas no ato de decidir. Contudo, antes de até mesmo explorar as informações e os conhecimentos gerados, faz-se necessário uma gestão mais cuidadosa do armazenamento da matéria-prima do sistema, os dados operacionais. Estes dados são originados a partir de todos os processos operacionais da empresa e são armazenados pelos sistemas de informação utilizados por ela. Estruturas exclusivas como o ODS (Operacional Data Store) que garantem o armazenamento e a integridade dos dados e o ETL (Extraction, Transformation and Load) ou denominado por autores como Data Integration se responsabilizam pela preparação, descobrimento da origem, limpeza e transformação em único padrão (formato) para utilização. Depois de selecionados pelo ODS e ETL, os dados operacionais podem ser armazenados no Data Mart ou Data Warehouse, estruturas com o principal objetivo de armazenar informações capazes de sustentar a inteligência da organização, para ser aplicada na tomada de decisão. Juntamente com o DM e o DW, o Data Mining corresponde a ferramenta de exploração e mineração dos dados. Esta ferramenta é decisiva para o processo de BI por oferecer uma poderosa alternativa para a descoberta de novas oportunidades de negócio e, acima de tudo, traçarem novas estratégias para o futuro. A arquitetura de um sistema de BI pode ser revelada de várias formas. Das mais simplistas às complexas, a característica diferencial é a interface (parte visual), o que é um dos elementos importante para absorção e percepção de quem o usa. As análises tradicionais já não mais assertivas face as necessidade de análise por diversas variáveis, sejam comerciais, políticas, geográficas, demográficas ou organizacionais. A utilização de tabelas e gráficos mais enxutos e básicos, bem como a utilização de indicadores e ferramentas animadas que ampliam a interação entre o usuário e o sistema. Esta necessidade de diferenciação permitiu o incremento de outras ferramentas, como Front-end (parte visível do sistema ao usuário e representado por relatórios padronizados, portal de intranet/internet/extranet e funções de forecasting projeções de cenários baseados em premissas),

01/12/2009 BUSINESS INTELLIGENCE. Agenda. Conceito. Segurança da Informação. Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento.

01/12/2009 BUSINESS INTELLIGENCE. Agenda. Conceito. Segurança da Informação. Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento. BUSINESS INTELLIGENCE Agenda BI Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento Segurança da Objetivo Áreas Conceito O conceito de Business Intelligencenão é recente: Fenícios, persas, egípcios

Leia mais

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos Denis Alcides Rezende Do processamento de dados a TI Na década de 1960, o tema tecnológico que rondava as organizações era o processamento de

Leia mais

BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios-

BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios- UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS, HUMANAS E SOCIAIS BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios- Curso: Administração Hab. Sistemas de Informações Disciplina: Gestão de Tecnologia

Leia mais

srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo

srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo CBSI Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação BI Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Tópicos Especiais em Sistemas de Informação Faculdade de Computação Instituto

Leia mais

BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES.

BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES. Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 88 BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES. Andrios Robert Silva Pereira, Renato Zanutto

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani BI Business Intelligence A inteligência Empresarial, ou Business Intelligence, é um termo do Gartner Group. O conceito surgiu na década de 80 e descreve

Leia mais

Aline França a de Abreu, Ph.D

Aline França a de Abreu, Ph.D Aline França a de Abreu, Ph.D igti.eps.ufsc.br 07 / 10/ 04 Núcleo de estudos Criado em 1997 - UFSC/EPS Equipe multidisciplinar, com aproximadamente 20 integrantes OBJETIVO Gerar uma competência e uma base

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS Linha de pesquisa: Sistema de informação gerencial Pâmela Adrielle da Silva Reis Graduanda do Curso de Ciências

Leia mais

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO*

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* RESUMO Marilia Costa Machado - UEMG - Unidade Carangola Graciano Leal dos Santos

Leia mais

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Sistema Tipos de sistemas de informação Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Um sistema pode ser definido como um complexo de elementos em interação (Ludwig Von Bertalanffy) sistema é um conjunto

Leia mais

Inteligência Empresarial. BI Business Intelligence. Business Intelligence 22/2/2011. Prof. Luiz A. Nascimento

Inteligência Empresarial. BI Business Intelligence. Business Intelligence 22/2/2011. Prof. Luiz A. Nascimento Inteligência Empresarial Prof. Luiz A. Nascimento BI Pode-se traduzir informalmente Business Intelligence como o uso de sistemas inteligentes em negócios. É uma forma de agregar a inteligência humana à

Leia mais

Divulgação Portal - METROCAMP. Você não quer exercer a profissão mais importante do futuro (Bill Gates)?

Divulgação Portal - METROCAMP. Você não quer exercer a profissão mais importante do futuro (Bill Gates)? Divulgação Portal - METROCAMP Você não quer exercer a profissão mais importante do futuro (Bill Gates)? Torne se um Trabalhador de Conhecimento (Kowledge Worker) de Werner Kugelmeier WWW.wkprisma.com.br

Leia mais

Business Intelligence e ferramentas de suporte

Business Intelligence e ferramentas de suporte O modelo apresentado na figura procura enfatizar dois aspectos: o primeiro é sobre os aplicativos que cobrem os sistemas que são executados baseados no conhecimento do negócio; sendo assim, o SCM faz o

Leia mais

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4.

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4. SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4.1 Armazenamento... 5 4.2 Modelagem... 6 4.3 Metadado... 6 4.4

Leia mais

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com. Conceitos - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação - Dados x Informações Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.br Definição de Sistema Uma coleção de objetos unidos por alguma forma

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani Data Warehouse - Conceitos Hoje em dia uma organização precisa utilizar toda informação disponível para criar e manter vantagem competitiva. Sai na

Leia mais

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Comunidades de Prática Grupos informais e interdisciplinares de pessoas unidas em torno de um interesse

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais

Sistemas de Informações Gerenciais Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 Sistema de Informação SI baseado em computadores Organização, administração e estratégia Professora: Cintia Caetano INTRODUÇÃO Sistemas de Informação são parte

Leia mais

Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper

Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper ÍNDICE ÍNDICE...2 RESUMO EXECUTIVO...3 O PROBLEMA...4 ILHAS DE INFORMAÇÃO...4 ESTRUTURA FRAGMENTADA VS. ESTRUTURA

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Prof a.:lillian Alvares Fóruns óu s/ Listas de discussão Espaços para discutir, homogeneizar e compartilhar informações, idéias

Leia mais

SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO SAD

SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO SAD SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO SAD Conceitos introdutórios Decisão Escolha feita entre duas ou mais alternativas. Tomada de decisão típica em organizações: Solução de problemas Exploração de oportunidades

Leia mais

Interatividade aliada a Análise de Negócios

Interatividade aliada a Análise de Negócios Interatividade aliada a Análise de Negócios Na era digital, a quase totalidade das organizações necessita da análise de seus negócios de forma ágil e segura - relatórios interativos, análise de gráficos,

Leia mais

Os Sistemas de Informação e a Evolução das Organizações

Os Sistemas de Informação e a Evolução das Organizações Os Sistemas de Informação e a Evolução das Organizações Leonardo C. de Oliveira1, Diogo D. S. de Oliveira1, Noemio C. Neto 1, Norberto B. de Araripe1, Thiago N. Simões1, Antônio L. M. S. Cardoso 1,2 1.Introdução

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos 2010 0 O Processo pode ser entendido como a sequência de atividades que começa na percepção das necessidades explícitas

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Esp. Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com Sistemas de informação Disciplina: Introdução a SI Noções de sistemas de informação Turma: 01º semestre Prof. Esp. Marcos Morais

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Lembrando... Aula 4 1 Lembrando... Aula 4 Sistemas de apoio

Leia mais

CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA

CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA Habilidades Computacionais 32 h/a Oferece ao administrador uma visão sobre as potencialidades da tecnologia

Leia mais

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES 202 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO ALGUNS COMENTÁRIOS ANTES DE INICIAR O PREENCHIMENTO DO QUESTIONÁRIO: a) Os blocos a seguir visam obter as impressões do ENTREVISTADO quanto aos processos de gestão da Policarbonatos,

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Business Intelligence

Business Intelligence e-book Senior Business Intelligence 1 Índice 03 05 08 14 17 20 22 Introdução Agilize a tomada de decisão e saia à frente da concorrência Capítulo 1 O que é Business Intelligence? Capítulo 2 Quatro grandes

Leia mais

Competindo com Tecnologia da Informação. Objetivos do Capítulo

Competindo com Tecnologia da Informação. Objetivos do Capítulo Objetivos do Capítulo Identificar as diversas estratégias competitivas básicas e explicar como elas podem utilizar a tecnologia da informação para fazer frente às forças competitivas que as empresas enfrentam.

Leia mais

Planejamento de sistemas de informação.

Planejamento de sistemas de informação. Planejamento de sistemas de informação. O planejamento de sistemas de informação e da tecnologia da informação é o processo de identificação das aplicações baseadas em computadores para apoiar a organização

Leia mais

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 -

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - O Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação é um curso da área de informática e tem seu desenho curricular estruturado por competências

Leia mais

Modelagem de Sistemas de Informação

Modelagem de Sistemas de Informação Modelagem de Sistemas de Informação Professora conteudista: Gislaine Stachissini Sumário Modelagem de Sistemas de Informação Unidade I 1 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO...1 1.1 Conceitos...2 1.2 Objetivo...3 1.3

Leia mais

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec Capital Intelectual O Grande Desafio das Organizações José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago Novatec 1 Tudo começa com o conhecimento A gestão do conhecimento é um assunto multidisciplinar

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Prof a Lillian Alvares

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Prof a Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Prof a Lillian Alvares Fóruns Comunidades de Prática Mapeamento do Conhecimento Portal Intranet Extranet Banco de Competências Memória Organizacional

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1.1 2003 by Prentice Hall Sistemas de Informação José Celso Freire Junior Engenheiro Eletricista (UFRJ) Mestre em Sistemas Digitais (USP) Doutor em Engenharia de Software (Universit(

Leia mais

Solução em Software e Automação Comercial

Solução em Software e Automação Comercial Solução em Software e Automação Comercial EMPRESA A Aps Informática é uma empresa de desenvolvimento de sistemas voltados para a gestão empresarial localizada em Recife, Pernambuco. Desde 1992 no mercado,

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação INSTITUTO VIANNA JÚNIOR LTDA FACULDADES INTEGRADAS VIANNA JÚNIOR Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação Lúcia Helena de Magalhães 1 Teresinha Moreira de Magalhães 2 RESUMO Este artigo traz

Leia mais

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO As Empresas e os Sistemas Problemas locais - impacto no sistema total. Empresas como subsistemas de um sistema maior. Uma empresa excede a soma de

Leia mais

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE 1. INTRODUÇÃO A contabilidade foi aos poucos se transformando em um importante instrumento para se manter um controle sobre o patrimônio da empresa e prestar contas e informações sobre gastos e lucros

Leia mais

18. Qualidade de Dados em Data Warehouse - Objetivos e Sucesso

18. Qualidade de Dados em Data Warehouse - Objetivos e Sucesso 18. Qualidade de Dados em Data Warehouse - Objetivos e Sucesso Uma das características das Ciências Exatas é a precisão das informações obtidas; a segurança dos dados extraídos nos processos usados. Cálculos

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br

Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Agenda Componentes de uma empresa Objetivos Organizacionais X Processos de negócios Gerenciamento integrado

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

Sistemas de Informação Gerenciais (SIG)

Sistemas de Informação Gerenciais (SIG) Faculdade de Engenharia - Campus de Guaratinguetá Sistemas de Informação Gerenciais (SIG) Prof. José Roberto Dale Luche Unesp Um SISTEMA DE INFORMAÇÃO é um conjunto de componentes inter-relacionados, desenvolvidos

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Internet promoveu: Transformação Novos padrões de funcionamento Novas formas de comercialização. O maior exemplo desta transformação é o E- Business

Leia mais

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS Graduação PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS Prepara os estudantes para o empreendedorismo e para a gestão empresarial. Com foco nas tendências

Leia mais

Sistemas de Informação Gerenciais Primeira Aula

Sistemas de Informação Gerenciais Primeira Aula Faculdade Pitágoras de Uberlândia Pós-graduação Sistemas de Informação Gerenciais Primeira Aula Prof. Me. Walteno Martins Parreira Júnior www.waltenomartins.com.br Maio -2013 Bibliografia básica LAUDON,

Leia mais

1. COORDENAÇÃO ACADÊMICA. Prof. RONALDO RANGEL Doutor - UNICAMP Mestre PUC 2. APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA PÓS-MBA

1. COORDENAÇÃO ACADÊMICA. Prof. RONALDO RANGEL Doutor - UNICAMP Mestre PUC 2. APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA PÓS-MBA 1. COORDENAÇÃO ACADÊMICA SIGA: PMBAIE*08/00 Prof. RONALDO RANGEL Doutor - UNICAMP Mestre PUC 2. APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA PÓS-MBA As grandes questões emergentes que permeiam o cenário organizacional exigem

Leia mais

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia.

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Introdução Sávio Marcos Garbin Considerando-se que no contexto atual a turbulência é a normalidade,

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE IV: Fundamentos da Inteligência de Negócios: Gestão da Informação e de Banco de Dados Um banco de dados é um conjunto de arquivos relacionados

Leia mais

Identificar as mudanças que acontecem na forma e no uso de apoio à decisão em empreendimentos de e-business. Identificar o papel e alternativas de

Identificar as mudanças que acontecem na forma e no uso de apoio à decisão em empreendimentos de e-business. Identificar o papel e alternativas de 1 Identificar as mudanças que acontecem na forma e no uso de apoio à decisão em empreendimentos de e-business. Identificar o papel e alternativas de relatórios dos sistemas de informação gerencial. Descrever

Leia mais

Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória

Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória Não há mais dúvidas de que para as funções da administração - planejamento, organização, liderança e controle

Leia mais

e-business A IBM definiu e-business como: GLOSSÁRIO

e-business A IBM definiu e-business como: GLOSSÁRIO Através do estudo dos sistemas do tipo ERP, foi possível verificar a natureza integradora, abrangente e operacional desta modalidade de sistema. Contudo, faz-se necessário compreender que estas soluções

Leia mais

E-Business global e colaboração

E-Business global e colaboração E-Business global e colaboração slide 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. 2.1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall Objetivos de estudo Quais as principais

Leia mais

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 141 A LOGÍSTICA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Douglas Fernandes 1, Josélia Galiciano Pedro 1 Docente do Curso Superior

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS 1 SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS John F. Eichstaedt, Toni Édio Degenhardt Professora: Eliana V. Jaeger RESUMO: Este artigo mostra o que é um SIG (Sistema de Informação gerencial) em uma aplicação prática

Leia mais

Capítulo 13: Tecnologia da Informação. Prof.: Roberto Franciscatto

Capítulo 13: Tecnologia da Informação. Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 13: Tecnologia da Informação Prof.: Roberto Franciscatto Introdução Uma informação é um arranjo de dados (nomes, palavras, números, sons, imagens) capazes de dar forma ou sentido a algo do interesse

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS O PODER DA INFORMAÇÃO Tem PODER quem toma DECISÃO Toma DECISÃO correta quem tem SABEDORIA Tem SABEDORIA quem usa CONHECIMENTO Tem CONHECIMENTO quem possui INFORMAÇÃO (Sem

Leia mais

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Profa. Lillian Alvares

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Profa. Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares Fóruns / Listas de discussão Espaços para discutir, homogeneizar e compartilhar informações, idéias e experiências que

Leia mais

A importância da. nas Organizações de Saúde

A importância da. nas Organizações de Saúde A importância da Gestão por Informações nas Organizações de Saúde Jorge Antônio Pinheiro Machado Filho Consultor de Negócios www.bmpro.com.br jorge@bmpro.com.br 1. Situação nas Empresas 2. A Importância

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Esp. Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com Sistemas de informação Disciplina: Introdução a SI 19/04 Recursos e Tecnologias dos Sistemas de Informação Turma: 01º semestre

Leia mais

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação Módulo 15 Resumo Neste módulo vamos dar uma explanação geral sobre os pontos que foram trabalhados ao longo desta disciplina. Os pontos abordados nesta disciplina foram: Fundamentos teóricos de sistemas

Leia mais

Módulo 6. Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa do autor.

Módulo 6. Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa do autor. Módulo 6 Módulo 6 Desenvolvimento do projeto com foco no negócio BPM, Análise e desenvolvimento, Benefícios, Detalhamento da metodologia de modelagem do fluxo de trabalho EPMA. Todos os direitos de cópia

Leia mais

Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior

Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior Conceitos Por que eu preciso deste curso? Não sou de TI Sou de TI conteúdo utilizado exclusivamente para fins didáticos 2 Não sou

Leia mais

Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii. Parte I - Empresa e Sistemas, 1

Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii. Parte I - Empresa e Sistemas, 1 Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii Parte I - Empresa e Sistemas, 1 1 SISTEMA EMPRESA, 3 1.1 Teoria geral de sistemas, 3 1.1.1 Introdução e pressupostos, 3 1.1.2 Premissas

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Franco Vieira Sampaio 1 Atualmente a informática está cada vez mais inserida no dia a dia das empresas, porém, no início armazenavam-se os dados em folhas,

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Proposta de Formação Complementar: BUSINESS INTELLIGENCE E SUA APLICAÇÃO À GESTÃO Aluno: Yussif Tadeu de Barcelos Solange Teixeira

Leia mais

Tecnologias e Sistemas de Informação

Tecnologias e Sistemas de Informação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 02 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

Aula 03 CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Aula 03 CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Aula 03 CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Na prática, não existe uma classificação rígida, permitindo aos autores e principalmente as empresas classificar seus sistemas de diversas maneiras. A ênfase

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

Uma estrutura (framework) para o Business Intelligence (BI)

Uma estrutura (framework) para o Business Intelligence (BI) Uma estrutura conceitural para suporteà decisão que combina arquitetura, bancos de dados (ou data warehouse), ferramentas analíticas e aplicações Principais objetivos: Permitir o acesso interativo aos

Leia mais

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial Prof. Pedro Luiz de O. Costa Bisneto 14/09/2003 Sumário Introdução... 2 Enterprise Resourse Planning... 2 Business Inteligence... 3 Vantagens

Leia mais

ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE MRP I EM UMA MICRO-EMPRESA MOVELEIRA LOCALIZADA NO VALE DO PARAIBA

ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE MRP I EM UMA MICRO-EMPRESA MOVELEIRA LOCALIZADA NO VALE DO PARAIBA ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE MRP I EM UMA MICRO-EMPRESA MOVELEIRA LOCALIZADA NO VALE DO PARAIBA Tiago Augusto Cesarin 1, Vilma da Silva Santos 2, Edson Aparecida de Araújo

Leia mais

APLICATIVOS CORPORATIVOS

APLICATIVOS CORPORATIVOS Sistema de Informação e Tecnologia FEQ 0411 Prof Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br Capítulo 3 APLICATIVOS CORPORATIVOS PRADO, Edmir P.V.; SOUZA, Cesar A. de. (org). Fundamentos de Sistemas

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto CURRÍCULO DO PROFESSOR Administradora com mestrado e doutorado em engenharia de produção

Leia mais

#11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

#11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO #11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ÍNDICE 1. 2. 3. 4. 5. 6. Apresentação Níveis de planejamento Conceito geral Planejamento estratégico e o MEG Dicas para elaborar um planejamento estratégico eficaz Sobre a

Leia mais

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes Mais que implantação, o desafio é mudar a cultura da empresa para documentar todas as interações com o cliente e transformar essas informações em

Leia mais

Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT CIÊNCIAS CONTÁBEIS e ADMINISTRAÇÃO Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT maio/2014 APRESENTAÇÃO Em um ambiente onde a mudança é a única certeza e o número de informações geradas é desmedido,

Leia mais

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr.

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. 15 Aula 15 Tópicos Especiais I Sistemas de Informação Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. Site Disciplina: http://fundti.blogspot.com.br/ Conceitos básicos sobre Sistemas de Informação Conceitos sobre Sistemas

Leia mais

Data Warehouse Processos e Arquitetura

Data Warehouse Processos e Arquitetura Data Warehouse - definições: Coleção de dados orientada a assunto, integrada, não volátil e variável em relação ao tempo, que tem por objetivo dar apoio aos processos de tomada de decisão (Inmon, 1997)

Leia mais

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA Constata-se que o novo arranjo da economia mundial provocado pelo processo de globalização tem afetado as empresas a fim de disponibilizar

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser:

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser: CONCEITOS INICIAIS O tratamento da informação precisa ser visto como um recurso da empresa. Deve ser planejado, administrado e controlado de forma eficaz, desenvolvendo aplicações com base nos processos,

Leia mais

CAPÍTULO 7. SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO (SAD) SISTEMAS DE SUPORTE À DECISÃO (SSD)

CAPÍTULO 7. SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO (SAD) SISTEMAS DE SUPORTE À DECISÃO (SSD) 1 CAPÍTULO 7. SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO (SAD) SISTEMAS DE SUPORTE À DECISÃO (SSD) A necessidade dos SAD surgiu em decorrência de diversos fatores, como, por exemplo: Competição cada vez maior entre as

Leia mais

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Uma visão abrangente dos negócios Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Negócios sem barreiras O fenômeno da globalização tornou o mercado mais interconectado e rico em oportunidades.

Leia mais

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO Profa. Leonor Cordeiro Brandão Relembrando Vimos alguns conceitos importantes: O que são dados; O que é informação; Quando uma informação se transforma em conhecimento;

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani Ementa Conceitos básicos de informática; evolução do uso da TI e sua influência na administração; benefícios; negócios na era digital; administração

Leia mais

LIVRO O GERENTE INTERMEDIÁRIO Autor: Wellington Moreira

LIVRO O GERENTE INTERMEDIÁRIO Autor: Wellington Moreira LIVRO O GERENTE INTERMEDIÁRIO Autor: Wellington Moreira Manual de Sobrevivência dos Gestores, Supervisores, Coordenadores e Encarregados que atuam nas Organizações Brasileiras Capítulo 2 O Gestor Intermediário

Leia mais

Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte

Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte IBM Global Technology Services Manutenção e suporte técnico Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte Uma abordagem inovadora em suporte técnico 2 Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável

Leia mais

DATA WAREHOUSE. Introdução

DATA WAREHOUSE. Introdução DATA WAREHOUSE Introdução O grande crescimento do ambiente de negócios, médias e grandes empresas armazenam também um alto volume de informações, onde que juntamente com a tecnologia da informação, a correta

Leia mais