FUNGOS FILAMENTOSOS ASSOCIADOS ÀS FORMIGAS CORTADEIRAS DO GÊNERO ATTA FABRICIUS E ESTUDO DA AÇÃO DE FUNGOS ENTOMOPATOGÊNICOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FUNGOS FILAMENTOSOS ASSOCIADOS ÀS FORMIGAS CORTADEIRAS DO GÊNERO ATTA FABRICIUS E ESTUDO DA AÇÃO DE FUNGOS ENTOMOPATOGÊNICOS"

Transcrição

1 FUNGOS FILAMENTOSOS ASSOCIADOS ÀS FORMIGAS CORTADEIRAS DO GÊNERO ATTA FABRICIUS E ESTUDO DA AÇÃO DE FUNGOS ENTOMOPATOGÊNICOS Samuel Eustáquio Morato Barbosa 1 ; Danival José de Sousa 2 ; 1 Aluno do Curso de Agronomia; Campus de Gurupi; PIBIC/CNPq 2 Orientador(a) do Curso de Agronomia; Campus de Gurupi; RESUMO Existem relatos escritos sobre as formigas cortadeiras desde a época do descobrimento do Brasil. Das muitas espécies de cortadeiras com ocorrência constatada no país, nove são do gênero Atta. O objetivo do presente trabalho foi amostrar espécies de fungos filamentosos associados a duas espécies do gênero Atta com ocorrência em Gurupi e avaliar a mortalidade ocasionada pelo fungo M. anisopliae às operárias das formigas Atta sexdens sexdens e Atta laevigata, as quais foram coletadas em seis sauveiros diferentes livres de produtos fitossanitários. Do total de formigas levadas a laboratório, trinta de cada ninho fizeram parte do experimento, sendo quinze para o grupo controle, mergulhadas rapidamente apenas em água destilada e esterilizada, e quinze para o grupo tratamento, mergulhadas em uma suspensão de esporos de M. anisopliae de 1,0 x 10 7 conídios / ml. Verificou-se que várias espécies de fungos filamentosos são encontradas em operárias das duas espécies de cortadeiras, sendo que algumas delas podem ser entomopatogênicas. Também, verificou-se que as operárias de Atta sexdens sexdens e Atta laevigata são suscetíveis a ação patogênica do M. anisopliae. Palavras-chave: Formigas cortadeiras, Atta sexdens sexdens, Atta laevigata, Metarrizium anisopliae. INTRODUÇÃO Relatos escritos sobre as formigas cortadeiras existem desde a época do descobrimento do Brasil. Das muitas espécies de cortadeiras com ocorrência constatada no Brasil nove do gênero Atta e vinte e três do gênero Acromyrmex algumas poucas são pragas, mas estas trazem prejuízos consideráveis para a agricultura brasileira. Por exemplo, elas representam 75% dos custos e do tempo gasto no controle de pragas florestais (Zanetti et al. 2002). O controle químico permanece a tática mais empregada no manejo de formigas cortadeiras, principalmente a utilização de iscas tóxicas granuladas. O controle biológico, principalmente

2 a utilização de microrganismos, continua apenas no estágio experimental. A principal vantagem do controle biológico seria a redução do uso de inseticidas que poluem o ambiente e podem constituir uma barreira à exportação de produtos brasileiros. Saúvas é designação comum às formigas do gênero Atta ativas do Novo Mundo e abundantes na região neotropical. No Brasil, são uma das mais importantes pragas agrícolas devido ao seu hábito de cortar pedaços de folhas, que carregam para os ninhos a fim de criar os fungos que constituem seu alimento (Della Lucia 2011). Atta laevigata e Atta sexdens sexdens são espécies de formigas-cortadeiras com ocorrências constatadas no Estado do Tocantins (Borgmeier 1959; Gonçalves 1961). A saúva A. laevigata, popularmente conhecida como "saúva cabeça de vidro", utiliza como substrato para o fungo folhas de inúmeras plantas dicotiledôneas e algumas gramíneas (Paiva Castro et al. 1961). Apesar de sua importância como praga agrícola, praticamente inexistem estudos sobre bioecologia dessa espécie na região. Atta sexdens sexdens é uma subespécie ocorrendo mais ao norte do Brasil. O objetivo do presente trabalho foi avaliar a mortalidade ocasionada pelo fungo M. anisopliae associado às espécies de formigas Atta sexdens sexdens e Atta laevigata. MATERIAL E MÉTODOS As operárias de A. sexdens sexdens e A laevigata foram coletadas no Campus Universitário de Gurupi, em seis sauveiros diferentes livres de produtos fitossanitários, três de cada espécie em horário de alto forrageamento. Com o auxílio de pinça entomológica, cinquenta indivíduos de cada formigueiro foram cuidadosamente recolhidos e depositados em frascos de plástico com tampa telada e levados para laboratório. Elas foram mantidas em sala climatizada com temperatura de 26 C e 80% U. R., em condições ideais para a sobrevivência dos insetos e desenvolvimento dos fungos. Antes dos testes de mortalidade, as formigas passaram por um período de aclimatação de três horas ao final do qual foram eliminadas as formigas que morreram ou aparentavam qualquer sinal anormal. Do total de formigas levadas a laboratório, trinta de cada ninho fizeram parte do experimento, conferindo quinze para controle, mergulhadas rapidamente apenas em água destilada e esterilizada, quinze para tratamento, mergulhadas em uma suspensão de esporos de M. anisopliae de 1,0 x 10 7 conídios / ml. Após essa etapa, os exemplares selecionados foram colocados em placas de Petri (9 cm de diâmetro), identificadas e vedadas com Parafilm. As placas continham em sua parte superior dois orifícios que serviram de encaixe para dois tubo.

3 s de plástico, contendo em seu interior algodão, mel e água. O experimento foi visitado diariamente para troca dos tubos contendo mel e água. Os indivíduos mortos eram removidos das placas e lavados em uma série de soluções de álcool 70%, hipoclorito 4% e água destilada esterilizada, por cinco segundos respectivamente, e colocados em papel filtro para secar e transferidos a tubos Eppendorf identificados e umedecidos internamente com algodão, tudo em condições estéreis. A cada três dias, os cadáveres de operárias eram inspecionados em lupa, observando o desenvolvimento do fungo inoculado. A avaliação terminou ao final do 12, sendo que as operárias sobreviventes eram consideradas não recenseadas. Para comparar o efeito do fungo M. anisopliae sobre as operárias e as diferenças de mortalidade entre as colônias, foi empregada uma análise de sobrevivência de Kaplan-Meier, seguida de comparação múltipla através do teste de Log-Rank. Para análise e construção dos gráficos foi empregado o programa Statistica 7.0. RESULTADOS E DISCUSSÃO Em A. sexdens sexdens, oito espécies foram isoladas, incluindo um isolado de Trichoderma sp. Que pode atuar como antagonista do fungo simbionte das formigascortadeiras. Em A. laevigatta, foram isoladas e identificadas 10 espécies. A comparação das múltiplas colônias mostrou que houve variação significativa entre elas, obtendo o valor de χ 2 = 48,06, Gl = 5 para A. sexdens sexdens (Fig. 1) e, χ 2 = 32,07 Gl = 5 para A. laevigata (Fig. 2). A suspensão de 1,0 x 10 7 conídios / ml é letal. Foi observado maior índice de mortalidade a partir do terceiro dia de experimento, o que demonstra o desenvolvimento do fungo em 72 horas após ser inoculado. A esporulação em cadáveres de seus hospedeiros é uma prova da capacidade do fungo em penetrar e colonizar, causando-lhes, então, a morte (DIEHL-FLEIG et al., 1988). M. anisopliae é eficiente no manejo de formigas cortadeiras, podendo ser uma alternativa de controle biológico para as duas espécies testadas. Várias espécies de fungos filamentosos são encontradas em operárias das duas espécies de cortadeiras, sendo que algumas delas podem ser entomopatogênicas; Operárias de Atta sexdens sexdens e Atta laevigata são suscetíveis a ação patogênica do M. anisopliae. LITERATURA CITADA ALVES, S.B. Fungos entomopatogênicos. In: ALVES, S.B.(Ed.). Controle microbiano de Insetos. Piracicaba: Fealq,1998. cap. 11, p

4 BARRON, G. L The genera of Hyphomycetes from soil. Huntington, New York: Robert E. Krieger Publishing Co. BARSON, G., RENN, N. & BYWATER, A. F Laboratory evaluation of six species of entomopathogenic fungi for the control of the house fly (Musca domestica), a pest of intensive animal units. Journal of invertebrate Pathology 64, HERNANDEZ, J.V.; JAFFÉ, K. Dano econômico causado por populações de formigas Attalaevigata (F. Smith) em plantações de Pinus caribaea Mor. Elementos para o manejo da praga. Anais da Sociedade Entomológica do Brasil, v.24, n.2, p , LOUREIRO, E.S. Patogenicidade de isolados dos fungos Beauveria bassiana, Metarhizium anisopliae e Paecilomyces farinosus sobre Atta sexdens sexdens (Linnaeus, 1758) em condições de laboratório. Jaboticabal: Universidade Estadual Paulista, p. (Trabalho de Graduação em Agronomia). GONÇALVES, C. R gênero Acromyrmex no Brasil (Hymenoptera: Formicidae). Studia Entomologica 4, DELLA LUCIA, T. M. C As formigas cortadeiras. Viçosa, MG: Folha de Viçosa. ZANETTI, R., CARVALHO, G. A., SANTOS, A., SOUZA-SILVA, A., GODOY, M. S Manejo integrado de formigas cortadeiras. Lavras: UFLA. PAIVA CASTRO,U., ZAMITH, A.P.L. & MARICONI, F. A. M Contribuição para o conhecimento da "saúva de vidro" Atta laevigata (Fred. Smith, 1858). Anais da ESALQ 18, AGRADECIMENTOS O presente trabalho foi realizado com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico CNPq Brasil.

5 Fig. 1 1,0 Proporção Cumulativa de Sobrevivência 0,9 0,8 0,7 0,6 0,5 0,4 0,3 0,2 0,1 0,0-0, Tempo (dias) Tratamento Colônia 1 Controle Colônia 1 Tratamento Colônia 2 Controle Colônia 2 Tratamento Colônia 3 Controle Colônia 3 Fig. 2 1,0 Proporção Cumulativa de Sobrevivência 0,9 0,8 0,7 0,6 0,5 0,4 0,3 0,2 0,1 0,0-0, Tempo (dias) Tratamento Colônia 1 Controle Colônia 1 Tratamento Colônia 2 Controle Colonia 2 Tratamento Colônia 3 Controle Colônia 3

APRIMORAMENTO DE METODOLOGIAS EXPERIMENTAIS PARA CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS

APRIMORAMENTO DE METODOLOGIAS EXPERIMENTAIS PARA CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS APRIMORAMENTO DE METODOLOGIAS EXPERIMENTAIS PARA CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS INTRODUÇÃO Forti,L.C. 1 Pretto, D.R. 1 Garcia, I.P. 1 Em função da necessidade premente de padronização das metodologias

Leia mais

REDUÇÃO DE CUSTOS NO COMBATE ÀS FORMIGAS CORTADEIRAS EM PLANTIOS FLORESTAIS

REDUÇÃO DE CUSTOS NO COMBATE ÀS FORMIGAS CORTADEIRAS EM PLANTIOS FLORESTAIS Manutenção de Florestas e Manejo Integrado de Pragas REDUÇÃO DE CUSTOS NO COMBATE ÀS FORMIGAS CORTADEIRAS EM PLANTIOS FLORESTAIS Wilson Reis Filho 1 Mariane Aparecida Nickele 2 Entre os 15 gêneros existentes

Leia mais

RIQUEZA DE FORMIGAS CULTIVADORAS DE FUNGO (FOMICIDAE: ATTINI) ASSOCIADAS A CULTURAS FLORESTAL E AGRÍCOLA NA REGIÃO DE IPAMERI, GO

RIQUEZA DE FORMIGAS CULTIVADORAS DE FUNGO (FOMICIDAE: ATTINI) ASSOCIADAS A CULTURAS FLORESTAL E AGRÍCOLA NA REGIÃO DE IPAMERI, GO RIQUEZA DE FORMIGAS CULTIVADORAS DE FUNGO (FOMICIDAE: ATTINI) ASSOCIADAS A CULTURAS FLORESTAL E AGRÍCOLA NA REGIÃO DE IPAMERI, GO Raiane Lima 1, Pedro Ivo Decurcio Cabral 2, José Rosa Paim Neto 3, Márcio

Leia mais

Revista Controle Biológico (BE-300) On-Line. Vol.2. Janeiro de 2010 http://www.ib.unicamp.br/profs/eco_aplicada/

Revista Controle Biológico (BE-300) On-Line. Vol.2. Janeiro de 2010 http://www.ib.unicamp.br/profs/eco_aplicada/ AVALIAÇÃO DO FORMICIDA Citromax À BASE DE FIPRONIL NO COMBATE ÀS SAÚVAS (Atta sexdens) MARIANA PERES ALMEIDA SANTOS1 Trabalho da Disciplina BE-300 Controle Biológico / 2010 1Graduanda em Ciências Biológicas

Leia mais

Registros de Agrotóxicos para Jardinagem Amadora - Lei 6.360/76 - Lei 7.802/89 SITUAÇÃO ATUAL

Registros de Agrotóxicos para Jardinagem Amadora - Lei 6.360/76 - Lei 7.802/89 SITUAÇÃO ATUAL Registros de Agrotóxicos para Jardinagem Amadora - Lei 6.360/76 - Lei 7.802/89 SITUAÇÃO ATUAL Iscas Formicidas para o controle de formigas cortadeiras uso irregular/desvio de uso produtos irregulares registros

Leia mais

IV Seminário de Iniciação Científica

IV Seminário de Iniciação Científica AVALIAÇÃO DO EFEITO DA MONOCULTURA SOBRE O PADRÃO DE DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DE FORMIGAS CORTADEIRAS (ATTA e ACROMYRMEX) Filipe de Arruda Viegas 1,4, Marcos Antônio Pesquero 2,4, Danilo Jacinto Macedo 3,4,

Leia mais

IN 36-modificada pela IN 42

IN 36-modificada pela IN 42 IN 36-modificada pela IN 42 Exigências para apresentação do laudo de eficiência agronômica Edson Dias da Silva Diretor Técnico Juliana Berti Secretária Executiva ABRAISCA Histórico Até 2009, falta de padronização

Leia mais

PALESTRA PERSPECTIVA DA CONTRIBUIÇÃO DE FORÍDEOS PARASITÓIDES NO MANEJO DE FORMIGAS CORTADEIRAS

PALESTRA PERSPECTIVA DA CONTRIBUIÇÃO DE FORÍDEOS PARASITÓIDES NO MANEJO DE FORMIGAS CORTADEIRAS PALESTRA XVIII Simpósio de Mirmecologia 177 PERSPECTIVA DA CONTRIBUIÇÃO DE FORÍDEOS PARASITÓIDES NO MANEJO DE FORMIGAS CORTADEIRAS M.A.L. Bragança Universidade Federal do Tocantins, Rua 7, Qd. 15 s/n o,

Leia mais

AVALIAÇÃO DE MICRO-PORTA-ISCAS PARA O CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS. Luis Henrique da Silva¹, Daniele Ukan²

AVALIAÇÃO DE MICRO-PORTA-ISCAS PARA O CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS. Luis Henrique da Silva¹, Daniele Ukan² AVALIAÇÃO DE MICRO-PORTA-ISCAS PARA O CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS Luis Henrique da Silva¹, Daniele Ukan² 1 Acadêmico de Engenharia Florestal da Universidade Estadual do Centro-Oeste, Irati, Paraná,

Leia mais

CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS, UTILIZANDO-SE EFLUENTE LÍQUIDO DE CASAS DE FARINHA

CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS, UTILIZANDO-SE EFLUENTE LÍQUIDO DE CASAS DE FARINHA CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS, UTILIZANDO-SE EFLUENTE LÍQUIDO DE CASAS DE FARINHA Narcísio Cabral de Araújo Graduando em Engenharia Sanitária e Ambiental, pela Universidade Estadual da Paraíba, Campus

Leia mais

IMPACTO DA ADIÇÃO DE CROMO HEXAVALENTE NA ATIVIDADE MICROBIANA E REDUÇÃO EM CONDIÇÕES DE INCUBAÇÃO

IMPACTO DA ADIÇÃO DE CROMO HEXAVALENTE NA ATIVIDADE MICROBIANA E REDUÇÃO EM CONDIÇÕES DE INCUBAÇÃO Outras Produções e destinações de Resíduos IMPACTO DA ADIÇÃO DE CROMO HEXAVALENTE NA ATIVIDADE MICROBIANA E REDUÇÃO EM CONDIÇÕES DE INCUBAÇÃO Suéllen Pereira Espíndola (1), Adão de Siqueira Ferreira (2),

Leia mais

Controle de Alphitobius diaperinus com Beauveria bassiana Associada a Produtos Alternativos

Controle de Alphitobius diaperinus com Beauveria bassiana Associada a Produtos Alternativos Controle de Alphitobius diaperinus com Beauveria bassiana Associada a Produtos Alternativos Control of Alphitobius diaperinus with Beauveria bassiana associated with alternative products SANTORO, Patricia

Leia mais

EFEITO OVICIDA DE METARHIZIUM ANISOPLIAE IP 46, EM SOLO, SOBRE RHIPICEPHALUS SANGUINEUS

EFEITO OVICIDA DE METARHIZIUM ANISOPLIAE IP 46, EM SOLO, SOBRE RHIPICEPHALUS SANGUINEUS EFEITO OVICIDA DE METARHIZIUM ANISOPLIAE IP 46, EM SOLO, SOBRE RHIPICEPHALUS SANGUINEUS Macsuel Corado Barreto, Christian Luz Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública Universidade Federal de Goiás,

Leia mais

Ciência Floretal, Santa Maria, v.10, n.1, p.45-56 45 ISSN 0103-9954

Ciência Floretal, Santa Maria, v.10, n.1, p.45-56 45 ISSN 0103-9954 Ciência Floretal, Santa Maria, v.10, n.1, p.45-56 45 ISSN 0103-9954 CONTROLE DA FORMIGA-PRETA-PASTADEIRA, Acromyrmex crassispinus, COM FORMICIDAS EM PÓ CONTROL OF THE BLACK LEAF CUTTING ANT, Acromyrmex

Leia mais

LEVANTAMENTO DAS ESPÉCIES DE CUPINS ATACANDO RESIDÊNCIAS NOS BAIRROS DO MUNICIPIO DE GURUPI TO.

LEVANTAMENTO DAS ESPÉCIES DE CUPINS ATACANDO RESIDÊNCIAS NOS BAIRROS DO MUNICIPIO DE GURUPI TO. LEVANTAMENTO DAS ESPÉCIES DE CUPINS ATACANDO RESIDÊNCIAS NOS BAIRROS DO MUNICIPIO DE GURUPI TO. Gracielle Rodrigues da Costa 1 ; Edy Eime Pereira Baraúna 2 ; Renato da Silva Vieira 3 1 Aluno do Curso de

Leia mais

MANEJO INTEGRADO DE FORMIGAS CORTADEIRAS

MANEJO INTEGRADO DE FORMIGAS CORTADEIRAS 1 MANEJO INTEGRADO DE FORMIGAS CORTADEIRAS As formigas cortadeiras são insetos sociais que apresentam castas reprodutoras e não reprodutoras, vivendo em colônias permanentes. São mastigadores e se desenvolvem

Leia mais

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015 CONTROLE BIOLÓGICO DE PRAGAS DA CANA- DE AÇÚCAR NA PRÁTICA Resumo Bruno Pereira Santos 1 ; Profa. Dra. Ana Maria Guidelli Thuler 2 1, 2 Universidade de Uberaba bruno pereira santos 1, bpereiira955@gmail.com

Leia mais

EFEITO DE AGENTES BIO-CONTROLADORES DO BICUDO Anthonomus grandis (COLEOPTERA; CURCULIONIDAE) NO CULTIVO DO ALGODÃO COLORIDO

EFEITO DE AGENTES BIO-CONTROLADORES DO BICUDO Anthonomus grandis (COLEOPTERA; CURCULIONIDAE) NO CULTIVO DO ALGODÃO COLORIDO EFEITO DE AGENTES BIO-CONTROLADORES DO BICUDO Anthonomus grandis (COLEOPTERA; CURCULIONIDAE) NO CULTIVO DO ALGODÃO COLORIDO Carlos Alberto Domingues da Silva 1, José Ednilson Miranda 2, Marciene Dantas

Leia mais

TAXA DE PARASITISMO DE FORÍDEOS (DIPTERA: PHORIDAE) EM SAÚVAS Atta laevigata E A. sexdens (HYMENOPTERA: FORMICIDAE)

TAXA DE PARASITISMO DE FORÍDEOS (DIPTERA: PHORIDAE) EM SAÚVAS Atta laevigata E A. sexdens (HYMENOPTERA: FORMICIDAE) TAXA DE PARASITISMO DE FORÍDEOS (DIPTERA: PHORIDAE) EM SAÚVAS Atta laevigata E A. sexdens (HYMENOPTERA: FORMICIDAE) Layara Alexandre Bessa 1,3, Hellen Cássia Moreira Silva 1,3, Lívia do Carmo Silva 1,3,

Leia mais

BIOECOLOGIA DE TRÊS ESPÉCIES DE FORÍDEOS PARASITOIDES DA SAÚVA Atta bisphaerica

BIOECOLOGIA DE TRÊS ESPÉCIES DE FORÍDEOS PARASITOIDES DA SAÚVA Atta bisphaerica HENDRIA CIRQUEIRA MARTINS BIOECOLOGIA DE TRÊS ESPÉCIES DE FORÍDEOS PARASITOIDES DA SAÚVA Atta bisphaerica Dissertação apresentada à Universidade Federal de Viçosa, como parte das exigências do Programa

Leia mais

CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA KFPC - PR

CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA KFPC - PR CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA KFPC - PR Bansho,J.Y. 1 Carneiro, D.A. 1 Cordeiro, L. 1 RESUMO De forma genérica pode-se afirmar que não há áreas de pastagem, floresta nativas ou reflorestamentos no

Leia mais

ESTER FOELKEL MANEJO INTEGRADO DE FORMIGAS CORTADEIRAS EM PINUS E A CERTIFICAÇÃO FLORESTAL

ESTER FOELKEL MANEJO INTEGRADO DE FORMIGAS CORTADEIRAS EM PINUS E A CERTIFICAÇÃO FLORESTAL ESTER FOELKEL MANEJO INTEGRADO DE FORMIGAS CORTADEIRAS EM PINUS E A CERTIFICAÇÃO FLORESTAL LAVRAS, MINAS GERAIS, BRASIL 2009 i ESTER FOELKEL MANEJO INTEGRADO DE FORMIGAS CORTADEIRAS EM PINUS E A CERTIFICAÇÃO

Leia mais

D O S S I Ê T É C N I C O

D O S S I Ê T É C N I C O D O S S I Ê T É C N I C O Estratégias de Controle de Formigas Cortadeiras Luciane Gomes Batista Pereira Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais CETEC maio 2007 DOSSIÊ TÉCNICO Sumário 1 Introdução...

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 PATOGENICIDADE DE Colletotrichum gloeosporioides PENZ, AGENTE ETIOLÓGICO DA MANCHA-MANTEIGOSA, EM HIPOCÓTILOS DE CULTIVARES DE CAFEEIROS HEBE PEREZ DE CARVALHO 1, MATHEUS BORNELLI DE CASTRO 2 ; ANA PAULA

Leia mais

Controle de pragas - formigas

Controle de pragas - formigas Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos Engenharia Florestal Tratos e Métodos Silviculturais Controle de pragas - formigas Eng. Ftal. Dr. Prof. Eleandro José Brun Dois Vizinhos

Leia mais

Ubiquidade de microorganismos. Introdução. Materiais Necessários

Ubiquidade de microorganismos. Introdução. Materiais Necessários dução Os microorganismos (fungos, bactérias e vírus) são chamados assim por terem um tamanho bastante reduzido. Eles são tão pequenos que não conseguimos enxergá-los a olho nu, mas apenas utilizando microscópio

Leia mais

Paisagens da Avenida A. C. M. Em São Felipe-BA com a plantação das árvores.

Paisagens da Avenida A. C. M. Em São Felipe-BA com a plantação das árvores. .Infelizmente no entanto, devido a sua popularidade, o ficus vêm sendo implantado em locais impróprios, como em calçadas, ruas e próximo a muros e construções, Com o desenvolvimento da árvore, as raízes

Leia mais

Caracterizar a estrutura e o funcionamento de um laboratório de microbiologia; Executar técnicas de preparo e montagem para esterilização.

Caracterizar a estrutura e o funcionamento de um laboratório de microbiologia; Executar técnicas de preparo e montagem para esterilização. Caracterizar a estrutura e o funcionamento de um laboratório de microbiologia; Executar técnicas de preparo e montagem para esterilização. Uma laboratório de microbiologia destina-se principalmente em

Leia mais

Laboratório de Controle Biológico, Centro Experimental do Instituto Biológico, CP 70, CEP 13001-970, Campinas, SP, Brasil. RESUMO

Laboratório de Controle Biológico, Centro Experimental do Instituto Biológico, CP 70, CEP 13001-970, Campinas, SP, Brasil. RESUMO CONTROLE DE HETEROTERMES TENUIS (HAGEN) (ISOPTERA: RHINOTERMITIDAE) E CORNITERMES CUMULANS (KOLLAR) (ISOPTERA: TERMITIDAE) COM INSETICIDA FIPRONIL ASSOCIADO AO FUNGO ENTOMOPATOGÊNICO BEAUVERIA BASSIANA

Leia mais

Profa Dra. Fernanda Basso Eng. Agr. Msc. Bruno Lodo

Profa Dra. Fernanda Basso Eng. Agr. Msc. Bruno Lodo UNIPAC Curso de Agronomia Manejo Fitossanitário na Cana-de-açúcar Insetos-Pragas GRANDES CULTURAS I - Cultura da Cana-de-açúcar Profa Dra. Fernanda Basso Eng. Agr. Msc. Bruno Lodo Introdução Os danos causados

Leia mais

Palavras-chaves: Algodão, controle biológico, levantamento de pragas.

Palavras-chaves: Algodão, controle biológico, levantamento de pragas. FLUTUAÇÃO POPULACIONAL DE PRAGAS DO ALGODOEIRO COLORIDO BRS VERDE EM CATALÃO - GO. Nilton Cezar Bellizzi 2,4 ; David Hudson lopes Junior 1,4 ; Roberli Ribeiro Guimarães 3,4 ; Juliana Costa Biscaia 3,4

Leia mais

AL 0.1 10º ano Separar e purificar DESSALINIZAÇAO DE ÁGUA SALGADA

AL 0.1 10º ano Separar e purificar DESSALINIZAÇAO DE ÁGUA SALGADA Projeto Ciência Viva INTRODUÇÃO À QUÍMICA VERDE, COMO SUPORTE DA SUSTENTABILIDADE, NO ENSINO SECUNDÁRIO AL 0.1 10º ano Separar e purificar DESSALINIZAÇAO DE ÁGUA SALGADA 1. REAGENTES Reagentes - Solução

Leia mais

Controle Microbiano de Fernanda Goes Mendes Marina Chamon Abreu Seminário de Microbiologia do Solo 2014/1 O controle de na agricultura é um fator limitante e resulta no aumento do custo de produção; O

Leia mais

UFPB PRG X ENCONTRO DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA

UFPB PRG X ENCONTRO DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA 7CTDTQAMT03.P QUALIDADE HIGIÊNICO SANITÁRIO DO AR DE AMBIENTES DE ALGUMAS INDÚSTRIAS DE ALIMENTOS DO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA PB Inessa Adolfo de Jesus (2), Ana Maria Vieira de Castro (1), Angela Lima

Leia mais

da Embrapa no campo da pesquisa e transferência de tecnologias alternativas ao uso de agrotóxicos

da Embrapa no campo da pesquisa e transferência de tecnologias alternativas ao uso de agrotóxicos Atuação da Embrapa no campo da pesquisa e transferência de tecnologias alternativas ao uso de agrotóxicos Rose Monnerat Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia Núcleo de Controle Biológico Autores Dra.

Leia mais

PRAGAS DO PARICÁ (Shizolobium amazonicum, Duke) NA AMAZÔNIA OCIDENTAL

PRAGAS DO PARICÁ (Shizolobium amazonicum, Duke) NA AMAZÔNIA OCIDENTAL ISSN 1517-4077 Amapá ~ Ministério ~a Agricultura e do Abastecimento N 51, dez/2000, PRAGAS DO PARICÁ (Shizolobium amazonicum, Duke) NA AMAZÔNIA OCIDENTAL César A. D. Teixeira 1 Arnaldo Bianchetti' 1. Introdução

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Influência de Temperaturas de Secagem no Vigor de Sementes de Milho Geneticamente Modificadas Patrícia Marluci da

Leia mais

10732 - Iscas agroecológicas no manejo de formigas Acromyrmex spp. Agroecological baits in the management of Acromyrmex spp. ants

10732 - Iscas agroecológicas no manejo de formigas Acromyrmex spp. Agroecological baits in the management of Acromyrmex spp. ants 10732 - Iscas agroecológicas no manejo de formigas Acromyrmex spp. Agroecological baits in the management of Acromyrmex spp. ants GIESEL, Alexandre 1 ; BOFF, Mari I. Carissimi 1 ; BOFF, Pedro 2 1 Universidade

Leia mais

Revista Árvore ISSN: 0100-6762 r.arvore@ufv.br Universidade Federal de Viçosa Brasil

Revista Árvore ISSN: 0100-6762 r.arvore@ufv.br Universidade Federal de Viçosa Brasil Revista Árvore ISSN: 000-6762 r.arvore@ufv.br Universidade Federal de Viçosa Brasil Almeida Reis, Marcelo de; Zanetti, Ronald; Soares Scolforo, José Roberto; Ferreira, Maria Zélia Amostragem de formigas-cortadeiras

Leia mais

ATRATIVIDADE DE CULTIVARES DE FEIJÃO-CAUPI PARA ALIMENTAÇÃO DE MOSCA-BRANCA

ATRATIVIDADE DE CULTIVARES DE FEIJÃO-CAUPI PARA ALIMENTAÇÃO DE MOSCA-BRANCA Área: Fitossanidade ATRATIVIDADE DE CULTIVARES DE FEIJÃO-CAUPI PARA ALIMENTAÇÃO DE MOSCA-BRANCA Márcia Patrícia Paula Nascimento 1 ; Laysa Luna de Moura Carvalho 2 ; Paulo Henrique Soares da Silva 3. 1

Leia mais

Efeito de hipoclorito de sódio na desinfestação de meristemas de bastão-do-imperador

Efeito de hipoclorito de sódio na desinfestação de meristemas de bastão-do-imperador Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 10., 2013, Belo Horizonte Efeito de hipoclorito de sódio na desinfestação de meristemas de bastão-do-imperador Sueli Lourdes Ferreira Tarôco (1), Erivelton

Leia mais

MACROFAUNA EDÁFICA DO SOLO E LÍQUENS COMO INDICADORES DE DEGRADAÇÃO EM REMANESCENTES FLORESTAIS URBANOS

MACROFAUNA EDÁFICA DO SOLO E LÍQUENS COMO INDICADORES DE DEGRADAÇÃO EM REMANESCENTES FLORESTAIS URBANOS MACROFAUNA EDÁFICA DO SOLO E LÍQUENS COMO INDICADORES DE DEGRADAÇÃO EM REMANESCENTES FLORESTAIS URBANOS Gabriela Fernandes Zangirolami Faculdade de Engenharia Ambiental CEATEC gabifz@terra.com.br Resumo:

Leia mais

Ciência Florestal, Santa Maria, v.11, n.1, p.1-11 1 ISSN 0103-9954

Ciência Florestal, Santa Maria, v.11, n.1, p.1-11 1 ISSN 0103-9954 Ciência Florestal, Santa Maria, v.11, n.1, p.1-11 1 ISSN 0103-9954 ALTERNATIVAS DE FORMICIDAS EM PÓ NO CONTROLE DA FORMIGA- VERMELHA-DE-MONTE, Acromyrmex heyeri ALTERNATIVES OF POWDERED FORMICIDES ON THE

Leia mais

ORIENTAÇÕES TÉCNICA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONTROLE / COMBATE A FORMIGAS CORTADEIRAS NAS ESTAÇÕES EXPERIMENTAIS.

ORIENTAÇÕES TÉCNICA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONTROLE / COMBATE A FORMIGAS CORTADEIRAS NAS ESTAÇÕES EXPERIMENTAIS. 1. OBJETO CONSTITUI O OBJETIVO DESTA LICITAÇÃO A CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE COMBATE A FORMIGAS CORTADEIRAS NAS ESTAÇÕES EXPERIMENTAIS DE ANHEMBI E ITATINGA DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS

Leia mais

III Seminário sobre Intensificação Ecológica da Fruticultura

III Seminário sobre Intensificação Ecológica da Fruticultura III Seminário sobre Intensificação Ecológica da Fruticultura III Reunião Comitê Gestor do Projeto Sistema Ecologicamente Intensivo de Produção de Frutas (Seifrut) Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE GRÃOS DE ARROZ COM Metarhizium anisopliae CONTRA LARVAS DE Aedes aegypti EM CONDIÇÃO DE SEMICAMPO

UTILIZAÇÃO DE GRÃOS DE ARROZ COM Metarhizium anisopliae CONTRA LARVAS DE Aedes aegypti EM CONDIÇÃO DE SEMICAMPO UTILIZAÇÃO DE GRÃOS DE ARROZ COM Metarhizium anisopliae CONTRA LARVAS DE Aedes aegypti EM CONDIÇÃO DE SEMICAMPO Adriano Rodrigues de Paula, Anderson Ribeiro, Cátia Oliveira de Paula Morais, Ruth de Souza

Leia mais

Avaliação de Redução de Estande em Milho por Cupim.

Avaliação de Redução de Estande em Milho por Cupim. Avaliação de Redução de Estande em Milho por Cupim. WINDER, A. R. S. da. 1, COUTO, L. P. P. 1, SILVA A. R. da. 2, BELLIZZI, N. C. 1 BARBOSA. E. S 1. 1 Docente e acadêmicos do Curso de Agronomia da Universidade

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 03/2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 03/2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 03/2015 Descarte de resíduos infectantes e perfurocortantes. 1. Objetivo e aplicação Conforme as resoluções vigentes, os estabelecimentos de serviços de saúde são responsáveis pelo

Leia mais

Influência da Temperatura e da Salinidade no Cultivo da Microalga Dunaliella tertiolecta em Fotobiorreator Airlift

Influência da Temperatura e da Salinidade no Cultivo da Microalga Dunaliella tertiolecta em Fotobiorreator Airlift Influência da Temperatura e da Salinidade no Cultivo da Microalga Dunaliella tertiolecta em Fotobiorreator Airlift Nicéia Chies Da Fré 1, Luce Helena Kochen 1, Tobias Dierings 1, Géssica Marchese Roman

Leia mais

CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA DURATEX

CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA DURATEX CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA DURATEX INTRODUÇÃO EQUIPE TÉCNICA DA DURATEX A DURATEX planta, maneja e explota florestas de Eucalyptus spp. e Pinus spp. nos estados da Bahia, São Paulo e Rio Grande

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS DEPARTAMENTO DE FITOPATOLOGIA (DFP) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA FITOPATOLOGIA (PPG-FITO)

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS DEPARTAMENTO DE FITOPATOLOGIA (DFP) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA FITOPATOLOGIA (PPG-FITO) UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS DEPARTAMENTO DE FITOPATOLOGIA (DFP) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA FITOPATOLOGIA (PPG-FITO) ADITIVO AO EDITAL PRP/UFLA N. 0/203 PARA SELEÇÃO DO PPG-FITO DE 202 PARA

Leia mais

Dinâmica de forrageamento e caracterização de colônias de Acromyrmex balzani (Emery, 1890) (Hymenoptera: Formicidae) em ambiente de cerrado goiano

Dinâmica de forrageamento e caracterização de colônias de Acromyrmex balzani (Emery, 1890) (Hymenoptera: Formicidae) em ambiente de cerrado goiano REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE ENGENHARIA FLORESTAL - ISSN 1678-3867 PUBLICAÇÃO CI ENTÍFICA DA FACULDADE DE AGRONOMIA E ENGENHARIA FLORESTAL DE GARÇA/FAEF ANO V, NÚMERO, 09, FEVEREIRO DE 2007. PERIODICIDADE:

Leia mais

SISTEMA MONITORADO DE CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA MANNESMANN

SISTEMA MONITORADO DE CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA MANNESMANN SISTEMA MONITORADO DE CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA MANNESMANN Morais, E.J. de 1 Oliveira, A.C. de 1 Barcelos, J.A.V. 1 Cruz, J.E. da 1 Os novos tempos de recursos escassos e elevada competitividade

Leia mais

BICUDO DA CANA (SPHENOPHORUS LEVIS)

BICUDO DA CANA (SPHENOPHORUS LEVIS) BICUDO DA CANA (SPHENOPHORUS LEVIS) 1. INTRODUÇÃO Uma outra praga que vem assumindo um certo grau de importância é conhecida como o bicudo da cana-de-açúcar de ocorrência restrita no Estado de São Paulo,

Leia mais

HADSON HOFFER SUBSÍDIOS PARA O MONITORAMENTO DE FORMIGAS CORTADEIRAS EM PLANTIOS FLORESTAIS NO PLANALTO CATARINENSE

HADSON HOFFER SUBSÍDIOS PARA O MONITORAMENTO DE FORMIGAS CORTADEIRAS EM PLANTIOS FLORESTAIS NO PLANALTO CATARINENSE HADSON HOFFER SUBSÍDIOS PARA O MONITORAMENTO DE FORMIGAS CORTADEIRAS EM PLANTIOS FLORESTAIS NO PLANALTO CATARINENSE Dissertação apresentada ao curso de Pós- Graduação em ProduçãoVegetal do Centro de ciências

Leia mais

Caramuru Alimentos Ltda, Rod. BR 060 Km 388 s/n Zona Rural, C.E.P: 75.901.970 - Rio Verde/GO e-mail: zeronaldo@caramuru.com

Caramuru Alimentos Ltda, Rod. BR 060 Km 388 s/n Zona Rural, C.E.P: 75.901.970 - Rio Verde/GO e-mail: zeronaldo@caramuru.com Teores de óleo e proteína em grãos de soja, com diferentes manejos de percevejo, da colheita ao armazenamento, utilizando a espectroscopia no infravermelho próximo (NIR) 59 Marcelo Alvares de Oliveira

Leia mais

EXTRATOS VEGETAIS EFEITOS SOBRE O DESENVOLVIMENTO IN VITRO DO FUNGO SIMBIONTE E NA LONGEVIDADE DE OPERÁRIAS DE Atta sexdens (HYMENOPTERA: FORMICIDAE)

EXTRATOS VEGETAIS EFEITOS SOBRE O DESENVOLVIMENTO IN VITRO DO FUNGO SIMBIONTE E NA LONGEVIDADE DE OPERÁRIAS DE Atta sexdens (HYMENOPTERA: FORMICIDAE) UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE ENGENHARIA FLORESTAL Programa de Pós Graduação em Ciências Florestais e Ambientais EXTRATOS VEGETAIS EFEITOS SOBRE O DESENVOLVIMENTO IN VITRO DO FUNGO SIMBIONTE

Leia mais

Efetividade no processo de desinfecção de escovas de cabelo utilizadas em salões de beleza da cidade de São Carlos por meio da utilização do

Efetividade no processo de desinfecção de escovas de cabelo utilizadas em salões de beleza da cidade de São Carlos por meio da utilização do Efetividade no processo de desinfecção de escovas de cabelo utilizadas em salões de beleza da cidade de São Carlos por meio da utilização do equipamento SHIVA da empresa Bio Art. 2007 Efetividade no processo

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 6 a 0 de Agosto de 0 Qualidade de Sementes Híbridas de Milho Processadas em Separador por Cor Cibele Aparecida Teixeira da Silva, João Almir

Leia mais

Insetos e Microrganismos. BAN 160 Entomologia Geral Insetos e Microrganismos. Sam Elliot. Insetos e Microrganismos TIPOS DE MICRORGANISMOS

Insetos e Microrganismos. BAN 160 Entomologia Geral Insetos e Microrganismos. Sam Elliot. Insetos e Microrganismos TIPOS DE MICRORGANISMOS BAN 160 Entomologia Geral Fenótipo Extendido e Teias Alimentares Exemplos Sam Elliot Vírus TIPOS DE MICRORGANISMOS Bactérias Protozoários 1 Vírus Eucariota (ex. Protozoário, Levedura) Fungos (incl. Leveduras)

Leia mais

AVALIAÇÃO DO MÉTODO ESTATÍSCO DE ANÁLISE DA COMPONENTE PRINCIPAL (PCA) PARA NÍVEIS DE INFESTAÇÃO DE FORMIGAS CORTADEIRAS EM PLANTAÇÕES DE EUCALIPTO

AVALIAÇÃO DO MÉTODO ESTATÍSCO DE ANÁLISE DA COMPONENTE PRINCIPAL (PCA) PARA NÍVEIS DE INFESTAÇÃO DE FORMIGAS CORTADEIRAS EM PLANTAÇÕES DE EUCALIPTO 181 AVALIAÇÃO DO MÉTODO ESTATÍSCO DE ANÁLISE DA COMPONENTE PRINCIPAL (PCA) PARA NÍVEIS DE INFESTAÇÃO DE FORMIGAS CORTADEIRAS EM PLANTAÇÕES DE EUCALIPTO ANDRADE, Joissy M. A. De (IC) - Centro Universitário

Leia mais

Modificações nas características estomáticas de plantas de genótipos de milho (Zea mays L. spp mays) em função da morfologia foliar

Modificações nas características estomáticas de plantas de genótipos de milho (Zea mays L. spp mays) em função da morfologia foliar Modificações nas características estomáticas de plantas de genótipos de milho (Zea mays L. spp mays) em função da morfologia foliar Geovana Cremonini Entringer 1 ; Samara Arcanjo e Silva; Fabrício José

Leia mais

Anais do 1º Simpósio do Cone Sul sobre Manejo de Pragas e Doenças de Pinus

Anais do 1º Simpósio do Cone Sul sobre Manejo de Pragas e Doenças de Pinus SÉRIE TÉCNICA IPEF, v. 13, n. 33, março, 2 ISSN 1-8137 Anais do 1º Simpósio do Cone Sul sobre Manejo de Pragas e Doenças de Pinus Carlos Frederico Wilcken, coord. Alberto Jorge Laranjeiro, coord. Rubens

Leia mais

SECA DA MANGUEIRA: VIII. RESISTÊNCIA DE PORTA-ENXERTOS DE MANGUEIRA AO FUNGO CERATOCYSTIS FIMBRIATA ELL. & HALST. ( 1 )

SECA DA MANGUEIRA: VIII. RESISTÊNCIA DE PORTA-ENXERTOS DE MANGUEIRA AO FUNGO CERATOCYSTIS FIMBRIATA ELL. & HALST. ( 1 ) SECA DA MANGUEIRA: VIII. RESISTÊNCIA DE PORTA-ENXERTOS DE MANGUEIRA AO FUNGO CERATOCYSTIS FIMBRIATA ELL. & HALST. ( 1 ) IVAN JOSÉ ANTUNES RIBEIRO ( 2-6 ), CARLOS JORGE ROSSETTO ( 3> 6 ) JOSÉ CARLOS SABINO

Leia mais

INSETICIDAS QUÍMICOS E MICROBIANOS NO CONTROLE DA LAGARTA-DO-CARTUCHO NA FASE INICIAL DA CULTURA DO MILHO

INSETICIDAS QUÍMICOS E MICROBIANOS NO CONTROLE DA LAGARTA-DO-CARTUCHO NA FASE INICIAL DA CULTURA DO MILHO INSETICIDAS QUÍMICOS E MICROBIANOS NO CONTROLE DA LAGARTA-DO-CARTUCHO NA FASE INICIAL DA CULTURA DO MILHO Gustavo Mamoré Martins Engenheiro Agrônomo. Mestrando em Agronomia (Sistemas de Produção) - UNESP/Faculdade

Leia mais

Desafios para o controle biológico em cana com ênfase em microrganismos entomopatogênicos. José Eduardo Marcondes de Almeida Pesquisador Científico

Desafios para o controle biológico em cana com ênfase em microrganismos entomopatogênicos. José Eduardo Marcondes de Almeida Pesquisador Científico Desafios para o controle biológico em cana com ênfase em microrganismos entomopatogênicos José Eduardo Marcondes de Almeida Pesquisador Científico CANA-DE-AÇÚCAR A área cultivada com cana-de-açúcar no

Leia mais

PERFIL BACTERIOLÓGICO DAS MÃOS DE PROFISSIONAIS DE SAÚDE DO CENTRO CIRÚRGICO E DO PÓS-OPERATÓRIO DO HOSPITAL GERAL DE PALMAS

PERFIL BACTERIOLÓGICO DAS MÃOS DE PROFISSIONAIS DE SAÚDE DO CENTRO CIRÚRGICO E DO PÓS-OPERATÓRIO DO HOSPITAL GERAL DE PALMAS PERFIL BACTERIOLÓGICO DAS MÃOS DE PROFISSIONAIS DE SAÚDE DO CENTRO CIRÚRGICO E DO PÓS-OPERATÓRIO DO HOSPITAL GERAL DE PALMAS Gabriella Oliveira Mendes¹, Maria Cristina da Silva Pranchevicius² e Pedro Manuel

Leia mais

ESTUDO DA REMOÇÃO DE ÓLEOS E GRAXAS EM EFLUENTES DE PETRÓLEO UTILIZANDO BAGAÇO DA CANA

ESTUDO DA REMOÇÃO DE ÓLEOS E GRAXAS EM EFLUENTES DE PETRÓLEO UTILIZANDO BAGAÇO DA CANA ESTUDO DA REMOÇÃO DE ÓLEOS E GRAXAS EM EFLUENTES DE PETRÓLEO UTILIZANDO BAGAÇO DA CANA Petrus Ferreira de Souza Orientadora: Elba Gomes dos Santos Resumo A presença de óleos em efluentes, pode se bastante

Leia mais

Implantação de espécies nativas em área de preservação no IFMG - Câmpus Bambuí José Augusto Melo de RESENDE¹; Maria Carolina Gaspar BOTREL²;

Implantação de espécies nativas em área de preservação no IFMG - Câmpus Bambuí José Augusto Melo de RESENDE¹; Maria Carolina Gaspar BOTREL²; Implantação de espécies nativas em área de preservação no IFMG - Câmpus Bambuí José Augusto Melo de RESENDE¹; Maria Carolina Gaspar BOTREL²; ¹ Aluno do curso de Agronomia e bolsista do Programa Institucional

Leia mais

Série 1000 Manual de Instruções da Unidade de Sucção. pulmocare DISPOSITIVO DE SUCÇÃO MÉDICA. Modelos No. SU-DC02

Série 1000 Manual de Instruções da Unidade de Sucção. pulmocare DISPOSITIVO DE SUCÇÃO MÉDICA. Modelos No. SU-DC02 medcare a saúde em 1º lugar Série 1000 Manual de Instruções da Unidade de Sucção pulmocare DISPOSITIVO DE SUCÇÃO MÉDICA Modelos No. SU-02 Modelos No. SU-DC02 Esta unidade é compatível com a EU EMC norma

Leia mais

YMIDALAM 200 SC. Dosagem: 20ml do produto para 10L de água. Composição: Imidacloprido 10% p/v Lambda Cialotrina 5% p/v

YMIDALAM 200 SC. Dosagem: 20ml do produto para 10L de água. Composição: Imidacloprido 10% p/v Lambda Cialotrina 5% p/v EMPRESA A Interfina nasceu em 2010 com o objetivo de criar soluções inovadoras em agroquímicos, desenvolvendo um mix de produtos que tenham tecnologia, qualidade e colaborem com eficácia no combate as

Leia mais

Código de Boas Práticas. para a Prevenção e Redução. de Micotoxinas em Cereais

Código de Boas Práticas. para a Prevenção e Redução. de Micotoxinas em Cereais Código de Boas Práticas para a Prevenção e Redução de Micotoxinas em Cereais Índice: Introdução... 3 I. Práticas recomendadas com base nas Boas Práticas Agrícolas (BPA) e nas Boas Práticas de Fabrico (BPF)...

Leia mais

NORMAS PARA O PROCESSAMENTO DE ARTIGOS - LIMPEZA, DESINFECÇÃO E ESTERILIZAÇÃO.

NORMAS PARA O PROCESSAMENTO DE ARTIGOS - LIMPEZA, DESINFECÇÃO E ESTERILIZAÇÃO. NORMAS PARA O PROCESSAMENTO DE - LIMPEZA, DESINFECÇÃO E ESTERILIZAÇÃO. ATENÇÃO Para desenvolver esta atividade, sem risco de contaminação por material orgânico (sangue, fluídos orgânicos, secreções e excreções)

Leia mais

GRUPO II GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO TÉRMICA E FONTES NÃO CONVENCIONAIS

GRUPO II GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO TÉRMICA E FONTES NÃO CONVENCIONAIS SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GPT 26 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO II GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO TÉRMICA E FONTES NÃO CONVENCIONAIS MINIMIZAÇÃO

Leia mais

MELIPONICULTURA: OPORTUNIDADE DE RENDA COMPLEMENTAR PARA OS QUILOMBOLAS DO MUNICÍPIO DE DIAMANTE PB

MELIPONICULTURA: OPORTUNIDADE DE RENDA COMPLEMENTAR PARA OS QUILOMBOLAS DO MUNICÍPIO DE DIAMANTE PB MELIPONICULTURA: OPORTUNIDADE DE RENDA COMPLEMENTAR PARA OS QUILOMBOLAS DO MUNICÍPIO DE DIAMANTE PB Rosélia Maria de Sousa Santos¹; José Ozildo dos Santos 2 ; Rafael Chateaubriand de Miranda¹; Iluskhanney

Leia mais

Levantamento de pragas na cultura da laranja do pomar do IFMG- campus Bambuí

Levantamento de pragas na cultura da laranja do pomar do IFMG- campus Bambuí Levantamento de pragas na cultura da laranja do pomar do IFMG- campus Bambuí Luan Cruvinel Miranda (1) ; Mateus Murilo Rosa (1) ; Ricardo Monteiro Corrêa (2) (1) Estudante de Agronomia. Instituto Federal

Leia mais

Ações da UNEMAT no município de Alta Floresta. Prof. Dr. Luiz Fernando Caldeira Ribeiro Departamento de Agronomia

Ações da UNEMAT no município de Alta Floresta. Prof. Dr. Luiz Fernando Caldeira Ribeiro Departamento de Agronomia Ações da UNEMAT no município de Alta Floresta Prof. Dr. Luiz Fernando Caldeira Ribeiro Departamento de Agronomia INTRODUÇÃO Laboratório de Fitopatologia e a Clínica de Doenças de Plantas atuam em 4 áreas:

Leia mais

Plano de Restauro Florestal. IBF Instituto Brasileiro de Florestas

Plano de Restauro Florestal. IBF Instituto Brasileiro de Florestas Plano de Restauro Florestal IBF Instituto Brasileiro de Florestas 28 de setembro de 2011 Plano de Recuperação Local do plantio da Floresta da Embaixada Alemã: Área para plantio A área do IBF onde são plantadas

Leia mais

COMBATE EXPERIMENTAL AO CUPIM Cornitermes cumulans (KOLLAR, 1832) EM PASTAGEM*

COMBATE EXPERIMENTAL AO CUPIM Cornitermes cumulans (KOLLAR, 1832) EM PASTAGEM* COMBATE EXPERIMENTAL AO CUPIM Cornitermes cumulans (KOLLAR, 1832) EM PASTAGEM* SUGAHARA, C.A.** RAIZER, A. J. * * MOTTA, R.** ARASHIRO, F.Y.** SILVA, J.M.** MARICONI, F. A. M.*** RESUMO Com o objetivo

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE À VESPA-DA-MADEIRA. Susete do Rocio Chiarello Penteado Edson Tadeu Iede Wilson Reis Filho

PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE À VESPA-DA-MADEIRA. Susete do Rocio Chiarello Penteado Edson Tadeu Iede Wilson Reis Filho PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE À VESPA-DA-MADEIRA Susete do Rocio Chiarello Penteado Edson Tadeu Iede Wilson Reis Filho Introdução de Pragas Florestais no Brasil Globalização Turismo Internacional Fronteiras

Leia mais

INFLUÊNCIA DA QUEBRA DE DORMÊNCIA NA GERMINAÇÃO IN VITRO DE SEMENTES DE PARICÁ

INFLUÊNCIA DA QUEBRA DE DORMÊNCIA NA GERMINAÇÃO IN VITRO DE SEMENTES DE PARICÁ INFLUÊNCIA DA QUEBRA DE DORMÊNCIA NA GERMINAÇÃO IN VITRO DE SEMENTES DE PARICÁ Andredy Murilo Trindade Amorim¹, Oriel Filgueira de Lemos², Camila Beatriz Lima de Souza ³,Dávia Rosane Rodrigues Leite 3

Leia mais

RESISTÊNCIA INTRA-ESPECÍFICA DE EUCALIPTOS A FORMIGAS- CORTADEIRAS * RESUMO

RESISTÊNCIA INTRA-ESPECÍFICA DE EUCALIPTOS A FORMIGAS- CORTADEIRAS * RESUMO RESISTÊNCIA INTRA-ESPECÍFICA DE EUCALIPTOS A FORMIGAS- CORTADEIRAS * Dalva Luiz de Queiroz Santana ** Laércio Couto *** RESUMO Objetivando selecionar procedências de eucalipto resistentes às formigas-cortadeiras

Leia mais

Qualidade de Grãos de Soja, com Diferentes Teores de Água, Aerados com Ar Natural e Ar Esfriado Artificialmente

Qualidade de Grãos de Soja, com Diferentes Teores de Água, Aerados com Ar Natural e Ar Esfriado Artificialmente Qualidade de Grãos de Soja, com Diferentes Teores de Água, Aerados com Ar Natural e Ar Esfriado Artificialmente 05 Adilio Flauzino de Lacerda Filho 1 ; Roberta Jimenez de Alameida Rigueira 2 ; Kaio Kauê

Leia mais

III-162 ESTUDO DA BIORREMEDIAÇÃO EM SOLO CONTAMINADO DO ANTIGO LIXÃO DE CUIABÁ MT

III-162 ESTUDO DA BIORREMEDIAÇÃO EM SOLO CONTAMINADO DO ANTIGO LIXÃO DE CUIABÁ MT III-162 ESTUDO DA BIORREMEDIAÇÃO EM SOLO CONTAMINADO DO ANTIGO LIXÃO DE CUIABÁ MT Mayara Cristina Santos Marques (1) Graduanda em Engenharia Sanitária e Ambiental pela Universidade Federal de Mato Grosso

Leia mais

Controle do crescimento de micro organismos nos alimentos

Controle do crescimento de micro organismos nos alimentos Departamento de Microbiologia Instituto de Ciências Biológicas Universidade Federal de Minas Gerais Controle do crescimento de micro organismos nos alimentos Introdução Os micro organismos estão diretamente

Leia mais

Manejo Integrado de Pragas

Manejo Integrado de Pragas Universidade Federal de Viçosa Departamento de Biologia Animal BAN 160 Entomologia Geral Manejo Integrado de Pragas Prof. Eliseu José G. Pereira eliseu.pereira@ufv.br O que é? Exemplos Organismo Praga

Leia mais

MANEJO INTEGRADO DE FORMIGAS CORTADEIRAS

MANEJO INTEGRADO DE FORMIGAS CORTADEIRAS Notas de Aula de Entomologia 1 MANEJO INTEGRADO DE FORMIGAS CORTADEIRAS 1. INTRODUÇÃO RONALD ZANETTI 1 GERALDO ANDRADE CARVALHO 1 ALEXANDRE DOS SANTOS 2 ALAN SOUZA-SILVA 3 MAURÍCIO SEKIGUCHI GODOY 3 As

Leia mais

EFICIÊNCIA DE FUNGOS ENTOMOPATOGÊNICOS PARA O CONTROLE DE NINFAS DE

EFICIÊNCIA DE FUNGOS ENTOMOPATOGÊNICOS PARA O CONTROLE DE NINFAS DE 47 47 EFICIÊNCIA DE FUNGOS ENTOMOPATOGÊNICOS PARA O CONTROLE DE NINFAS DE Bemisia tuberculata (Bondar, 1923) (Hemiptera: Aleyrodidae) EM CULTIVO DE MANDIOCA Eficiency of entomapathogenic fungi for controlling

Leia mais

AVALIAÇÃO DE TENSOATIVOS COMERCIAIS EM SISTEMAS MICROEMULSIONADOS NA QUEBRA DE EMUSÃO DE PETRÓLEO

AVALIAÇÃO DE TENSOATIVOS COMERCIAIS EM SISTEMAS MICROEMULSIONADOS NA QUEBRA DE EMUSÃO DE PETRÓLEO AVALIAÇÃO DE TENSOATIVOS COMERCIAIS EM SISTEMAS MICROEMULSIONADOS NA QUEBRA DE EMUSÃO DE PETRÓLEO Diego Rodrigo Queiroz Alves de Souza 1 ; Leandro Assis de Oliveira 2 ; Gabriela Fontes Deiró Ferreira 3

Leia mais

tecnologia Engenharia Agrícola y

tecnologia Engenharia Agrícola y tecnologia Engenharia Agrícola y Caetano Barreira / olhar imagem 64 z março DE 2015 A contribuição do campo Irrigação com água tratada de esgoto diminui a retirada dos mananciais e economiza fertilizantes

Leia mais

QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE ÁGUA DESTILADA E OSMOSE REVERSA 1. Wendel da Silva Lopes 2, Andressa da Silva Lopes 3, Adriana Maria Patarroyo Vargas 4.

QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE ÁGUA DESTILADA E OSMOSE REVERSA 1. Wendel da Silva Lopes 2, Andressa da Silva Lopes 3, Adriana Maria Patarroyo Vargas 4. 525 QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE ÁGUA DESTILADA E OSMOSE REVERSA 1 Wendel da Silva Lopes 2, Andressa da Silva Lopes 3, Adriana Maria Patarroyo Vargas 4. Resumo: A água utilizada para fins farmacêuticos

Leia mais

AVALIAÇÃO DE INSETICIDAS E FUNGOS ENTOMOPATOGÊNICOS PARA O CONTROLE DE CUPINS SUBTERRÂNEOS DA CANA-DE-AÇÚCAR

AVALIAÇÃO DE INSETICIDAS E FUNGOS ENTOMOPATOGÊNICOS PARA O CONTROLE DE CUPINS SUBTERRÂNEOS DA CANA-DE-AÇÚCAR 347 AVALIAÇÃO DE INSETICIDAS E FUNGOS ENTOMOPATOGÊNICOS PARA O CONTROLE DE CUPINS SUBTERRÂNEOS DA CANA-DE-AÇÚCAR J.E.M. Almeida, A. Batista Filho 2, S.B. Alves 3, T. Shitara 4 Centro de Pesquisa e Desenvolvimento

Leia mais

Edital 02/ 2015. Processo de seleção de bolsistas de Iniciação Científica na Embrapa Agrobiologia

Edital 02/ 2015. Processo de seleção de bolsistas de Iniciação Científica na Embrapa Agrobiologia 1 Edital 02/ 2015 Processo de seleção de bolsistas de Iniciação Científica na Embrapa A, unidade de pesquisa da Pesquisa Agropecuária, torna público o Edital 02/2015, que trata do processo de seleção,

Leia mais

ZONEAMENTO AGROCLIMÁTICO PARA A CULTURA DO DENDÊ (ELAEIS GUINEENSIS JACQ.)E EFEITO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NO ESTADO DO TOCANTINS

ZONEAMENTO AGROCLIMÁTICO PARA A CULTURA DO DENDÊ (ELAEIS GUINEENSIS JACQ.)E EFEITO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NO ESTADO DO TOCANTINS ZONEAMENTO AGROCLIMÁTICO PARA A CULTURA DO DENDÊ (ELAEIS GUINEENSIS JACQ.)E EFEITO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NO ESTADO DO TOCANTINS Bruno Guimarães de Oliveira 1 ; Erich Collicchio 2 1 Aluno do Curso de

Leia mais

PROJETO INOVAR OTIMIZAÇÃO DE RECURSO PARA LIMPEZA E DESINFECÇÃO DE SUPERFÍCIES

PROJETO INOVAR OTIMIZAÇÃO DE RECURSO PARA LIMPEZA E DESINFECÇÃO DE SUPERFÍCIES PROJETO INOVAR OTIMIZAÇÃO DE RECURSO PARA LIMPEZA E DESINFECÇÃO DE SUPERFÍCIES Belo Horizonte Setembro, 2013 PROJETO INOVAR OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS PARA LIMPEZA E DESINFECÇÃO DE SUPERFÍCIES Relatório técnico-científico

Leia mais

1Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar - CCTA, UFCG/ Campus de Pombal - PB. roseliasousasantos@hotmail.com

1Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar - CCTA, UFCG/ Campus de Pombal - PB. roseliasousasantos@hotmail.com CARACTERIZAÇÃO MORFOTINTORIAL DE COLLETOTRICHUM SPP. CAUSADOR DE ANTRACNOSE EM FRUTOS DE FIGO CULTIVADOS EXPERIMENTALMENTE NO PERÍMETRO IRRIGADO DE SÃO GONÇALO, SOUSA-PB 1 Damião Junior Gomes; 1 Rosélia

Leia mais

CONTROLE DE CAMPONOTUS PUNCTULATUS MAYR, 1868 (HYMENOPTERA: FORMICIDAE).

CONTROLE DE CAMPONOTUS PUNCTULATUS MAYR, 1868 (HYMENOPTERA: FORMICIDAE). CONTROLE DE CAMPONOTUS PUNCTULATUS MAYR, 1868 (HYMENOPTERA: FORMICIDAE). CONTROL STUDY ABOUT CAMPONOTUS PUNCTULATUS MAYR, 1868 (HYMENOPTERA: FORMICIDAE). Vicente Rodrigues Simas 1 ; Ervandil Corrêa Costa

Leia mais

REDUÇÃO DE DERIVA DE HERBICIDAS COM USO DE ADJUVANTE E DIFERENTES PONTAS DE PULVERIZAÇÃO

REDUÇÃO DE DERIVA DE HERBICIDAS COM USO DE ADJUVANTE E DIFERENTES PONTAS DE PULVERIZAÇÃO REDUÇÃO DE DERIVA DE HERBICIDAS COM USO DE ADJUVANTE E DIFERENTES PONTAS DE PULVERIZAÇÃO Taffaréu Oliveira Agostineti (PIBIC/CNPq), Marco Antonio Gandolfo (Orientador), e-mail: agostineti@outlook.com Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS PROGRAMA MULTI-INSTITUCIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA DOUTORADO EM BIOTECNOLOGIA - UFAM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS PROGRAMA MULTI-INSTITUCIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA DOUTORADO EM BIOTECNOLOGIA - UFAM UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS PROGRAMA MULTI-INSTITUCIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA DOUTORADO EM BIOTECNOLOGIA - UFAM Antagonismo de bactérias endofíticas de plantas da Amazônia contra o jardim

Leia mais

VI Semana de Ciência e Tecnologia IFMG- campus Bambuí VI Jornada Científica 21 a 26 de outubro

VI Semana de Ciência e Tecnologia IFMG- campus Bambuí VI Jornada Científica 21 a 26 de outubro Potencial da Doru luteipes (Scudder, 1876) (Dermaptera: Forficulidae) no controle da Spodoptera frugiperda (J. E. Smith, 1797) (Lepidoptera: Noctuidae). Willian Sabino RODRIGUES¹; Gabriel de Castro JACQUES²;

Leia mais