Antenas, Cabos e Rádio-Enlace

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Antenas, Cabos e Rádio-Enlace"

Transcrição

1 Alan Menk Santos Camada Física: Redes Sem Fio Antenas, Cabos e Rádio-Enlace Rádio Transmissor (Tx) Linha de Transmissão (LT) Antena Transmissora Meio de Propagação Antena Receptora Linha de Transmissão (LT) Rádio Receptor (Rx) Componentes essenciais para uma comunicação Wireless 1

2 A Escala Logarítmica O db é uma escala usada para representar a relação entre duas potências. dbw, dbi e dbm são variantes do db. Podemos afirmar que uma antena não amplifica um sinal, e sim concentra o mesmo, e esta capacidade de concentrar o sinal, é medida em dbi ou dbd sendo a unidade mais usada o dbi. Conversor mw para dbm Simplificando (ou tentando): A Escala Logarítmica dbi é a unidade de ganho de uma antena; dbm podemos dizer que é a unidade de medida do sinal irradiado (já no espaço livre) db é a unidade de medida simplesmente do sinal do transmissor até a antena. dbi - Ganho de Antena; dbm - Potencia de rádios; db - Atenuações de cabos e conectores. Como estas medidas são em logaritmo todas se equivalem ou seja: 1 db = 1dbi = 1dbm, portanto não há necessidade de conversão entre elas, Só é necessário fazer a conversão se tiveres unidade de medidas diferentes como mmw x qualquer uma destas acima. 2

3 Antenas de Transmissão Ondas Eletromagnéticas OEM Conceito: Conceito: Perturbação física composta por um campo elétrico (E) e um campo magnético (H) variáveis no tempo, perpendiculares entre si, capaz de se propagar no espaço. Frequência: número de oscilações por unidade de tempo (Hz). Velocidade de propagação: depende do meio onde a onda se propaga. A velocidade máxima de uma OEM é a velocidade da luz, km/s, no vácuo. Comprimento de onda: distância percorrida pela onda durante um ciclo. É definido pela velocidade de propagação dividida pela frequência. Linhas de Transmissão É uma linha com dois ou mais condutores isolados por um dielétrico que tem por finalidade fazer com que uma OEM se propague de modo guiado. Esta propagação deve ocorrer com a menor perda possível. As linhas de transmissão podem ser construídas de diversas maneiras, cabos pararelos, pares trançados, cabos coaxiais, guias de onda, etc. 3

4 Perdas em Cabos Coaxiais Linhas de Transmissão A atenuação é proporcional ao comprimento do cabo, a suas características construtivas e à frequência. CONECTORES: Antenas A abertura física de uma LT paralela que transporta uma OEM, proporciona uma variação senoidal de potencial (Volts) e de corrente (Amperes) nos condutores, provocando o aparecimento de linhas de campo magnético e elétrico variáveis em torno do dipolo formado, dando origem a uma onda eletromagnética que se propaga. 4

5 Polarização de uma Antena Irradiação de uma antena Diagrama de irradiação é representação gráfica da forma como energia eletromagnética se distribui no espaço. Antena Direcional: manual_mm_5825.pdf Antena Setorial: Manual MM5817s90.pdf Antena Omnidirecional: manual_mm_2415o.pdf 5

6 Ângulos de meia potência (-3dB) Os ângulos de meia potência são definidos pelos pontos no diagrama onde a potência irradiada equivale à metade da irradiada na direção principal. Estes ângulos definem a abertura da antena no plano horizontal e no plano vertical. -3 db = 50% Potência No exemplo ao lado temos: Ângulo de 3dB = 55 Ganho de uma Antena O ganho pode ser entendido como o resultado da diretividade menos as perdas. Matematicamente, é o resultado do produto da eficiência pela diretividade. A eficiência de uma antena, diz respeito ao seu projeto eletromagnético como um todo, ou seja, são todas perdas envolvidas. 6

7 Cálculo da potência efetivamente irradiada (ERP) A Potência ERP é a potência realmente irradiada pela antena. PT (db): Potência em db do transmissor GT (db): Ganho em dbi da antena P(dB): perda por atenuação do cabo coaxial. Antenas Antenas de Transmissão Antenas são um dos principais elementos presentes em um circuito RF (Radio Frequência). É através delas que os sinais de RF são transmitidos e recebidos. Existem dois pontos fundamentais que precisamos saber sobre antenas. Convertem sinais elétricos em sinais de RF e vice-versa. As dimensões físicas de uma antena estão diretamente relacionadas a frequência na qual a antena pode propagar e receber ondas de RF. Elas não amplificam o sinal (SANCHES, 2007, p. 23). As antenas trabalham tanto para transmitir quanto para receber os sinais, em que se pode chamar isto de reciprocidade. As antenas podem ser classificadas em Omnidirecionais e direcionais. As omnidirecionais irradiam em todas as direções; Enquanto que as direcionais apenas em uma determinada direção; 7

8 Tipos de Antenas de Transmissão Yagi Painel Setorial Omnidirecional Parábolas Antenas Patch Log Periódicas Helicoidal Tipos de Antenas de Transmissão Antenas Yagis Conceito: Antena direcional composta de um refletor (simples ou grade) um dipolo (simples ou dobrado) e vários diretores. Pode ser instalada na pol. vertical ou horizontal. São utilizadas geralmente em sistemas ponto a ponto, porém as yagis de três elementos possuem um ângulo de abertura de até 120 graus, possibilitando seu uso em sistemas ponto - multiponto. Yagi: 8

9 Antenas Setoriais Tipos de Antenas de Transmissão Antena composta um conjunto de dipolos alimentados em fase, e uma chapa refletora. Utilização: para enlaces ponto multiponto, onde o ângulo de abertura da antena, atende a uma determinada região. O ganho e o ângulo de abertura de um painel depende do número de dipolos, das dimensões da chapa refletora, da distância entre os dipolos e sua eficiência na alimentação dos dipolos, que muitas vezes, torna-se bastante complexa. Podem ser construídos com dipolos na pol. vertical, horizontal ou 45 graus. Antenas Direcionais Tipos de Antenas de Transmissão As antenas parabólicas podem ter refletores do tipo sólido ou vazado. Quanto a sua posição de alimentação, pode ser do tipo focal point ou off-set. Existem vários tipos de alimentação, mas o fundamental é que o diagrama de irradiação do alimentador coincida com as bordas do refletor. 9

10 Tipos de Antenas de Transmissão Antenas Omnidirecionais Antena que irradia uniformemente no plano de azimute. Consiste em vários dipolos empilhados e alimentados em fase. O ganho é obtido com relação ao número de dipolos e a distância entre eles. Elevação Terrestre e Radiovisibilidade Uma portadora pode tomar vários caminhos entre as antenas que compõe um rádio-enlace. Dependendo das características do meio, a OEM pode sofre desvios de percurso. A Sinal Refratado B Sinal Refletido C Sinal Difratado 10

11 Difração das ondas eletromagnéticas devido a obstáculos Uma nova onda é composta pelos radiadores, com características de frentes de onda diferentes da onda original. Visada Direta Antenas de Transmissão Para que haja comunicação entre transmissor e receptor é preciso que haja visada direta entre as antenas dos dois lados. Por esse motivo, elas devem estar posicionadas nos lugares mais altos, e livres de obstáculos. 11

12 Zona de Fresnel Antenas de Transmissão Zona de Fresnel foi nomeado pelo físico Augustin-Jean Fresnel, é uma das elipsoides que define a forma ou padrão da irradiação do sinal sem fio. A Zona de Fresnel é a área ao redor da linha de visada que o sinal de rádio espalha após sair da antena. É imprescindível que a linha de fresnel esteja Livre de obstáculos (morros, prédios, árvores, carros, água, etc.). O formato da zona de fresnel é como uma bola de futebol-americano. Ou seja, deve estar livre a quantidade de metros descrito na fórmula abaixo para esquerda, direita, cima e para baixo. Zona de Fresnel Antenas de Transmissão Tipicamente 20% de bloqueio da zona de fresnel é aceitável por equipamentos adequados. Acima de 40% de bloqueio, a perda de sinal e performance é MUITO significante. Estes cálculos levam em consideração apenas a "terra chata", este cálculo é útil para enlaces de até 20km. Acima destes valores, uma analise de espectro, incluindo a topografia, deve ser considerada. Esta fórmula é válida apenas para frequências abaixo de 6 GHz. 12

13 Zona de Fresnel Antenas de Transmissão Entrada de Informações para o Cálculo: d Distância dos links (Em KM) f Frequência de operação em MHz (Exemplo: 5800MHz para 5.8 GHz) Resultado: Raio da Zona de Fresnel (r) Área livre para estabelecer um enlace. 80% mínimo da Zona de Fresnel (r) Mínimo necessário para uso. Obstruções maiores de 20% podem ocasionar perda de sinal ou até perda completa de link mesmo com bom sinal. Zona de Fresnel Antenas de Transmissão Prática: Calcule os enlaces dos pontos do projeto que cada grupo está desenvolvendo. Para calcular acesse o site: 13

14 Tipos de Interferências As interferências podem ser classificadas de acordo com suas fontes e também em fixas e variáveis; Interferências Fixas: São as que mantêm a relação sinal ruído fixas; Interferências Variáveis: São as que não mantêm o SNR constante; Interferências de acordo com suas Fontes: Do mesmo Enlace (mutua) (sistemas com multiplos canais); Interferência do sinal Refletido; Interferência de outros Enlaces (diagrama de radiação das outras antenas). Outros Fatores que Proporcionam Perdas na Atmosfera Atenuação devido a Chuvas; Atenuação devido aos gases da Atmosfera; Variação do Nível de Ruído Espectral; 14

15 Antenas DÚVIDAS?!?!? O Avião e suas antenas 15

16 Próxima Equipamentos 16

5 - Antenas LINHAS DE TRANSMISSÃO. Antenas, Cabos e Rádio-Enlace. Componentes essenciais para uma comunicação Wireless ONDAS ELETROMAGNÉTICAS -OEM-

5 - Antenas LINHAS DE TRANSMISSÃO. Antenas, Cabos e Rádio-Enlace. Componentes essenciais para uma comunicação Wireless ONDAS ELETROMAGNÉTICAS -OEM- Antenas, Cabos e Rádio-Enlace Componentes essenciais para uma comunicação Wireless Uso permitido por Luciano Valente Franz luciano@computech.com.br Rádio Transmissor (Tx) Linha de Transmissão (LT) Antena

Leia mais

Antenas, Cabos e RádioR

Antenas, Cabos e RádioR CONCEITOS BÁSICOS A ESCALA LOGARÍTMICA O que é o db? Antenas, Cabos e RádioR dio-enlace O db é uma escala usada para representar a relação entre duas potências. db = 1log medida referência A unidade de

Leia mais

TE155-Redes de Acesso sem Fios Antenas. Antenas

TE155-Redes de Acesso sem Fios Antenas. Antenas Antenas Antenas Ewaldo LuIz de Mattos Mehl Universidade Federal do Paraná Departamento de Engenharia Elétrica mehl@ufpr.br Antenas Ondas Eletromagnéticas Linha e Antena Cálculos em db / dbi Antenas para

Leia mais

Relatório de Teste de Diferentes Antenas e Equipamentos para o Protocolo NOVUS IEEE 802.15.4

Relatório de Teste de Diferentes Antenas e Equipamentos para o Protocolo NOVUS IEEE 802.15.4 Relatório de Teste de Diferentes Antenas e Equipamentos para o Protocolo NOVUS IEEE 802.15.4 ÍNDICE Índice 1 Introdução 2 Equipamentos Utilizados 3 Modelo de Propagação do Sinal 5 Zona de Fresnel 6 Link

Leia mais

Antena Escrito por André

Antena Escrito por André Antena Escrito por André Antenas A antena é um dispositivo passivo que emite ou recebe energia eletromagnéticas irradiada. Em comunicações radioelétricas é um dispositivo fundamental. Alcance de uma Antena

Leia mais

UFSM-CTISM. Comunicação de Dados Meios de transmissão - Exemplos práticos Aula-05. Professor: Andrei Piccinini Legg.

UFSM-CTISM. Comunicação de Dados Meios de transmissão - Exemplos práticos Aula-05. Professor: Andrei Piccinini Legg. UFSM-CTISM Comunicação de Dados - Exemplos práticos Aula-05 Professor: Andrei Piccinini Legg Santa Maria, 2012 Meio de é o caminho físico entre o transmissor e o receptor. Como visto numa aula anterior

Leia mais

Luiz Bertini. Antenas Parabólicas

Luiz Bertini. Antenas Parabólicas Antenas Parabólicas Possuem uma alta diretividade o que nos leva a perceber que possui um alto ganho. Uma antena receptora de satélites de 3 metros de diâmetro, por exemplo, tem um ganho de 33dB, ou seja,

Leia mais

Antenas e Sistemas de Rádio- Enlace

Antenas e Sistemas de Rádio- Enlace Antenas e Sistemas de Rádio- Enlace Componentes essenciais para uma comunicação Wireless distância Rádio Transmissor (Tx) Antena Atmosfera Antena Linha de Transmissão (LT) Antena Transmissora Meio de Propagação

Leia mais

Antena omni vs. antena direcional

Antena omni vs. antena direcional Antena omni vs. antena direcional Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Definições básicas e conceitos da antena Efeitos internos Prós e contras da antena Omni Prós

Leia mais

5 Setup de Medidas. 5.1. Introdução

5 Setup de Medidas. 5.1. Introdução 5 Setup de Medidas 5.1. Introdução Para realização desse trabalho foi montada uma configuração de setup de medidas em UHF, mais precisamente no canal 42, freqüência central de 641 MHz em acordo com o Plano

Leia mais

Tipos de Antenas e suas propriedades

Tipos de Antenas e suas propriedades Tipos de Antenas e suas propriedades TV Antenas Lineares: Yagi-Uda Log-Periódica Painel Dipolos MO/OC/X Painel H (Duplo Delta) Superturnstile (Batwing) Antenas de Abertura: Parabólica Slot Figura 2 - Tipos

Leia mais

Transmissão das Ondas Eletromagnéticas. Prof. Luiz Claudio

Transmissão das Ondas Eletromagnéticas. Prof. Luiz Claudio Transmissão das Ondas Eletromagnéticas Prof. Luiz Claudio Transmissão/Recebimento das ondas As antenas são dispositivos destinados a transmitir ou receber ondas de rádio. Quando ligadas a um transmissor

Leia mais

5 VIATURA DE MEDIDAS, PLANEJAMENTO E OS TESTES DE CAMPO

5 VIATURA DE MEDIDAS, PLANEJAMENTO E OS TESTES DE CAMPO 5 VIATURA DE MEDIDAS, PLANEJAMENTO E OS TESTES DE CAMPO A viatura de medidas é equipada para o levantamento com mastro retrátil de até 10 m de altura, um conjunto de instrumentos de medida e de armazenamento

Leia mais

Antenas Parabólicas. - Tela de alumínio; - Fibra de vidro; - Alumínio.

Antenas Parabólicas. - Tela de alumínio; - Fibra de vidro; - Alumínio. Antenas Parabólicas Possuem uma alta diretividade o que nos leva a perceber que possui um alto ganho. Uma antena receptora de satélites de 3 metros de diâmetro, por exemplo, tem um ganho de 33dB, ou seja,

Leia mais

Antenas Parabólicas -- Apostila Básica

Antenas Parabólicas -- Apostila Básica Antenas Parabólicas -- Apostila Básica Antenas parabólicas são usadas em UHF e Microondas. Possuem uma alta diretividade o que nos leva a perceber que possuem um alto ganho. Uma antena receptora de satélites

Leia mais

Link Budget. TE155-Redes de Acesso sem Fios

Link Budget. TE155-Redes de Acesso sem Fios Cálculo de perdas e ganhos nas instalações físicas Link Budget ( Contabilidade do Link) Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Universidade Federal do Paraná Departamento de Engenharia Elétrica mehl@eletrica.ufpr.br

Leia mais

Telefonia Celular. Renato Machado

Telefonia Celular. Renato Machado Renato Machado UFSM - Universidade Federal de Santa Maria DELC - Departamento de Eletrônica e Computação renatomachado@ieee.org renatomachado@ufsm.br 23 de Setembro de 2011 Sumário 1 2 3 Fórmula de Friis

Leia mais

Comunicação sem fio - antenas

Comunicação sem fio - antenas Comunicação sem fio - antenas Antena é um condutor elétrico ou um sistema de condutores Necessário para a transmissão e a recepção de sinais através do ar Na transmissão Antena converte energia elétrica

Leia mais

Treinamento Técnico Wireless 2015

Treinamento Técnico Wireless 2015 Treinamento Técnico Wireless 2015 TERMINAL CELULAR FIXO TCF-100D 1 - Torre com pára-raios e bom aterramento (vide norma NBR-5419). Sistema SPDA - Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas 2 - Possibilita

Leia mais

MANUAL RÁDIO MODEM COMPACTO 900 MHz RMC-900

MANUAL RÁDIO MODEM COMPACTO 900 MHz RMC-900 MANUAL RÁDIO MODEM COMPACTO 900 MHz RMC-900 Versão 1.01 Infinium Automação Industrial Ltda contato@infiniumautomacao.com.br 1. APRESENTAÇÃO O rádio modem RMC-900 foi projetado para utilização em sistemas

Leia mais

TE155-Redes de Acesso sem Fios Cabos e Acessórios

TE155-Redes de Acesso sem Fios Cabos e Acessórios Cabos e Acessórios Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Universidade Federal do Paraná Departamento de Engenharia Elétrica mehl@ufpr.br Cabos e Assessórios Cabos Coaxiais Conectores e Pigtails Cabos Coaxiais Irradiantes

Leia mais

Lista de Exercícios A1

Lista de Exercícios A1 1 a QUESTÃO: A figura abaixo mostra simplificadamente um sistema de televisão inter-oceânico utilizando um satélite banda C como repetidor. O satélite tem órbita geoestacionária e está aproximadamente

Leia mais

4. Tarefa 16 Introdução ao Ruído. Objetivo: Método: Capacitações: Módulo Necessário: Análise de PCM e de links 53-170

4. Tarefa 16 Introdução ao Ruído. Objetivo: Método: Capacitações: Módulo Necessário: Análise de PCM e de links 53-170 4. Tarefa 16 Introdução ao Ruído Objetivo: Método: Ao final desta Tarefa você: Estará familiarizado com o conceito de ruído. Será capaz de descrever o efeito do Ruído em um sistema de comunicações digitais.

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE)

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE) INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE) Concurso Público - NÍVEL SUPERIOR CARGO: Tecnologista da Carreira de Desenvolvimento Tecnológico Classe: Tecnologista Sênior Padrão I TEMA: CADERNO DE PROVAS

Leia mais

PROJETO DE DIMENSIONAMENTO DE ENLACE DE RÁDIO

PROJETO DE DIMENSIONAMENTO DE ENLACE DE RÁDIO PROJETO DE DIMENSIONAMENTO DE ENLACE DE RÁDIO Diego de Brito Piau, Gilberto Arantes Carrijo Universidade Federal de Uberlândia, Faculdade de Engenharia Elétrica, Uberlândia-MG diegopiau@yahoo.com.br, gilberto@ufu.br

Leia mais

Uso do Espectro em 3,5GHz e Recepção Satélite na Banda C

Uso do Espectro em 3,5GHz e Recepção Satélite na Banda C Uso do Espectro em 3,5GHz e Recepção Satélite na Banda C Agosto de 2012 1 Agenda Testes da Star One A Questão afeta toda a Banda C e não somente a Banda Estendida Tanto a Transmissão Digital quanto a Analógica

Leia mais

4 Descrição do Sistema e Campanha de Medição

4 Descrição do Sistema e Campanha de Medição 4 Descrição do Sistema e Campanha de Medição Neste capítulo são descritos o sistema de transmissão, recepção e aquisição de dados utilizados no experimento. São descritas, ainda, a metodologia utilizada

Leia mais

Redes sem Fio 2016.1. Redes Locais Wireless (WLANs) 802.11. Ricardo Kléber. Ricardo Kléber

Redes sem Fio 2016.1. Redes Locais Wireless (WLANs) 802.11. Ricardo Kléber. Ricardo Kléber Redes sem Fio 2016.1 Redes Locais Wireless (WLANs) 802.11 Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Turma: TEC.SIS.5M Principais Elementos de Placas de rede sem fio e/ou cartões (PC Card);

Leia mais

Análise do Enlace de Comunicação

Análise do Enlace de Comunicação Análise do Enlace de Comunicação Edmar José do Nascimento (Tópicos Avançados em Engenharia Elétrica I) http://www.univasf.edu.br/ edmar.nascimento Universidade Federal do Vale do São Francisco Colegiado

Leia mais

A Telemetria via Sistemas de Rádio Modem

A Telemetria via Sistemas de Rádio Modem A Telemetria via Sistemas de Rádio Modem Uma Abordagem Prática Voltada à Automação e Sistemas SCADA C R D1. D2 R = 547 ----------------- f. d A D1 d D2 B R = raio de Fresnel (m) D1 = distância AC (km)

Leia mais

Teste de interferência de equipamentos WiMax em recepção de satélite banda C

Teste de interferência de equipamentos WiMax em recepção de satélite banda C Teste de interferência de equipamentos WiMax em recepção de satélite banda C Antonio Vivaldi Rodrigues Diretor de Engenharia CelPlan 2/32 Í N D I C E 1. SUMÁRIO EXECUTIVO... 5 2. INTRODUÇÃO... 6 3. SETUP

Leia mais

2 Meios de transmissão utilizados em redes de telecomunicações 2.1. Introdução

2 Meios de transmissão utilizados em redes de telecomunicações 2.1. Introdução 2 Meios de transmissão utilizados em redes de telecomunicações 2.1. Introdução Atualmente, as estruturas das redes de comunicação são classificadas conforme a escala: rede de acesso, rede metropolitana

Leia mais

Conceitos de RF e Wireless Outdoor. Eng. Alessandro C. Bianchini alessanc@gmail.com

Conceitos de RF e Wireless Outdoor. Eng. Alessandro C. Bianchini alessanc@gmail.com Conceitos de RF e Wireless Outdoor Eng. Alessandro C. Bianchini alessanc@gmail.com Apresentação Alessandro Coneglian Bianchini exerce a função de engenheiro na NEC Brasil, atuando na elaboração de projetos

Leia mais

Principais Meios de Transmissão Par Trançado Cabo Coaxial Fibra Ótica Micro Ondas

Principais Meios de Transmissão Par Trançado Cabo Coaxial Fibra Ótica Micro Ondas Modelo de Comunicação Propósito principal A troca de informação entre dois agentes Comunicação de Computadores Comunicação de Dados Transmissão de Sinais Agente Dispositivo de entrada Transmissor Meio

Leia mais

Medidas elétricas em altas frequências

Medidas elétricas em altas frequências Medidas elétricas em altas frequências A grande maioria das medidas elétricas envolve o uso de cabos de ligação entre o ponto de medição e o instrumento de medida. Quando o comprimento de onda do sinal

Leia mais

Underwater Comunicação Rádio

Underwater Comunicação Rádio Underwater Comunicação Rádio por VK5BR Butler Lloyd (Originalmente publicado em Rádio Amador, Abril de 1987) Até onde podemos comunicar submerso no mar ou em um lago. Quão grande é a atenuação do sinal

Leia mais

INTRODUÇÃO INDICE. Utilização de Antenas de Transmissão. Introdução... 01

INTRODUÇÃO INDICE. Utilização de Antenas de Transmissão. Introdução... 01 INDICE INTRODUÇÃO Introdução... 01 Capítulo 1 Conceitos e Definições de Antenas... 02 Capítulo 2 Tipos de Antenas e suas propriedades... 16 Capítulo 3 Arranjo de Antenas... 28 Capítulo 4 Tilt e Null Fill...

Leia mais

Atualmente é Agente Fiscal Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Amazonas (CREA-AM).

Atualmente é Agente Fiscal Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Amazonas (CREA-AM). Instalação de Repetidor Celular em Atalaia do Norte - AM Esta Série Especial de Tutoriais apresenta os trabalhos premiados no III Concurso Teleco de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) 2007. O conteúdo

Leia mais

Camada Física: Meios de transmissão não guiados

Camada Física: Meios de transmissão não guiados Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Camada Física: Meios de transmissão não guiados Transmissão sem Fio Pessoas cada vez mais dependente das redes; Alguns especialistas afirmam

Leia mais

Sistemas de Distribuição de CATV e Antenas Coletivas

Sistemas de Distribuição de CATV e Antenas Coletivas Sistemas de Distribuição de CATV e Antenas Coletivas O objetivo deste tutorial é conhecer os componentes utilizados em sistemas de distribuição de CATV (TV à cabo) e antenas coletivas, usadas para a recepção

Leia mais

PROJETO DE ENLACE RADIO COMUNICAÇÃO DIGITAL

PROJETO DE ENLACE RADIO COMUNICAÇÃO DIGITAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE LOGÍSTICA E FINANÇAS DIVISÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SEÇÃO DE INFRA-ESTRUTURA PROJETO DE ENLACE RADIO COMUNICAÇÃO DIGITAL FLORIANÓPOLIS JULHO

Leia mais

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 15/03/2004)

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 15/03/2004) Sistemas de Distribuição de CATV e Antenas Coletivas O objetivo deste tutorial é conhecer os componentes utilizados em sistemas de distribuição de CATV (TV à cabo) e antenas coletivas, usadas para a recepção

Leia mais

MANUAL RÁDIO MODEM SPREAD SPECTRUM RMSS-900 V2

MANUAL RÁDIO MODEM SPREAD SPECTRUM RMSS-900 V2 MANUAL RÁDIO MODEM SPREAD SPECTRUM RMSS-900 V2 Versão 2.03 Infinium Automação Industrial Ltda Site: email: contato@infiniumautomacao.com.br 1. APRESENTAÇÃO O Rádio modem RMSS-900V2 foi projetado para utilização

Leia mais

Fundamentos de Medidas Elétricas em Alta Freqüência

Fundamentos de Medidas Elétricas em Alta Freqüência Centro de Pesquisas de Energia Elétrica Fundamentos de Medidas Elétricas em Alta Freqüência Apresentador: André Tomaz de Carvalho Área: DLE Medidas Elétricas em Alta Frequência Quando o comprimento de

Leia mais

Capítulo 2: Introdução às Redes de Computadores Camada Física. Redes para Automação Industrial Luiz Affonso Henderson Guedes

Capítulo 2: Introdução às Redes de Computadores Camada Física. Redes para Automação Industrial Luiz Affonso Henderson Guedes Capítulo 2: Introdução às Redes de Computadores Camada Física Redes para Automação Industrial Luiz Affonso Henderson Guedes Camada Física Trata da geração de sinais físicos e sua propagação através do

Leia mais

Modelo de um Sistema de Transmissão

Modelo de um Sistema de Transmissão Modelo de um Sistema de Transmissão A finalidade dos sistemas de telecomunicações é a de transformar um ou mais pontos as informações provenientes de uma ou mais fontes. uma configuração típica temos:

Leia mais

Solução Acesso Internet Áreas Remotas

Solução Acesso Internet Áreas Remotas Solução Acesso Internet Áreas Remotas Página 1 ÍNDICE GERAL ÍNDICE GERAL... 1 1. ESCOPO... 2 2. SOLUÇÃO... 2 2.1 Descrição Geral... 2 2.2 Desenho da Solução... 4 2.3 Produtos... 5 2.3.1 Parte 1: rádios

Leia mais

TRANSMISSÃO DE TV 1 TRANSMISSÃO COM POLARIDADE NEGATIVA

TRANSMISSÃO DE TV 1 TRANSMISSÃO COM POLARIDADE NEGATIVA STV 18 ABR 2008 1 TRANSMISSÃO DE TV método de se transmitir o sinal de imagem modulado em amplitude a amplitude de uma portadora de RF varia de acordo com uma tensão moduladora a modulação é o sinal de

Leia mais

Segurança em redes sem fio Freqüências

Segurança em redes sem fio Freqüências Segurança em redes sem fio Freqüências Carlos Lamb Fausto Levandoski Juliano Johann Berlitz Vagner Dias Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) 16/08/2011 AGENDA INTRODUÇÃO ESPECTRO ELETROMAGNÉTICO

Leia mais

UFMG - 2005 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2005 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2005 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Física Questão 01 Durante um voo, um avião lança uma caixa presa a um paraquedas. Após esse lançamento, o paraquedas abre-se e uma força F,

Leia mais

2 Fundamentos de Propagação

2 Fundamentos de Propagação 15 2 Fundamentos de Propagação 2.1.Propagação em Espaço Livre As ondas de rádio em propagação são afetadas pela presença da terra e da atmosfera. Para enlaces de microondas ponto a ponto a camada da atmosfera

Leia mais

Circuitos de Comunicação Introdução

Circuitos de Comunicação Introdução Circuitos de Comunicação Introdução Gil Pinheiro UERJ-FEN-DETEL Circuitos de Comunicação Objetivo: Estudar os blocos funcionais eletrônicos e de processamento digital de sinais que são utilizados nas comunicações

Leia mais

Transitores de tempo em domínio de tempo

Transitores de tempo em domínio de tempo Em muitos processos, a regulação do caudal permite controlar reacções químicas ou propriedades físicas através de um controlo de variáveis como a pressão, a temperatura ou o nível. O caudal é uma variável

Leia mais

5. Método técnico para avaliação da eficiência de uso do espectro

5. Método técnico para avaliação da eficiência de uso do espectro 5. Método técnico para avaliação da eficiência de uso do espectro Para o desenvolvimento do método de avaliação do uso eficiente e adequado do espectro foi realizado um agrupamento dos serviços de telecomunicações

Leia mais

Características das Faixas de VHF e UHF

Características das Faixas de VHF e UHF 1 2 Nas faixas de VHF e UHF, o mecanismo principal de propagação é através de Ondas Diretas, com eventual difração em obstáculos. Podem ocorrer Ondas Refletidas, que são indesejáveis, pois geram alterações

Leia mais

Capítulo 3: A CAMADA FÍSICA

Capítulo 3: A CAMADA FÍSICA Capítulo 3: A CAMADA FÍSICA PCS 2476 Introdução - 1 Meios Físicos e Suas Características PCS 2476 Introdução - 2 Linhas Físicas Linhas Bifilares Par de fios Cabo de Pares Linha Aberta Linha de Alta Tensão

Leia mais

ENLACE DE MICRO-ONDAS RELACIONADO A ATENUAÇÃO DEVIDO À CHUVA

ENLACE DE MICRO-ONDAS RELACIONADO A ATENUAÇÃO DEVIDO À CHUVA ENLACE DE MICRO-ONDAS RELACIONADO A ATENUAÇÃO DEVIDO À CHUVA Caio Matheus Pereira Braga, Diego de Brito Piau, Heitor Ferreira Camargos Silva, Rafael Resende Moraes Dias, Yago Gomes Dos Santos Universidade

Leia mais

ENGENHARIA TELECOMUNICAÇÕES

ENGENHARIA TELECOMUNICAÇÕES I TELECOM CÁLCULO DE SISTEMA RÁDIO ENLACE DIGITAL ENGENHARIA TELECOMUNICAÇÕES UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA UNISANTA Prof : Hugo Santana Lima Santana@unisanta.br ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...1 1.1. OBJETIVOS DE

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA ESTAÇÃO REPETIDORA DIGITAL P25, FASE COM SISTEMA IRRADIANTE

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA ESTAÇÃO REPETIDORA DIGITAL P25, FASE COM SISTEMA IRRADIANTE ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA ESTAÇÃO REPETIDORA DIGITAL P25, FASE COM SISTEMA IRRADIANTE COMPOSIÇÃO DA ESTAÇÃO REPETIDORA DIGITAL P25 A estação repetidora digital P25 será composta pelos seguintes equipamentos:

Leia mais

05 - Camada de Física. 10 de novembro de 2014

05 - Camada de Física. 10 de novembro de 2014 05 - Camada de Física 10 de novembro de 2014 Conteúdo 2/33 3/33 Camada física Camada OSI mais baixa: PHY Natureza do meio Constituição Forma (dimensões dos fios) Parâmetros físicos (impedância, atenuação)

Leia mais

Torres de Telefonia Celular: Minimizando a Exposição Ocupacional a Campos Eletromagnéticos. Alexssandro Ramos da Cruz; Maria Cristina Aguiar Campos

Torres de Telefonia Celular: Minimizando a Exposição Ocupacional a Campos Eletromagnéticos. Alexssandro Ramos da Cruz; Maria Cristina Aguiar Campos Torres de Telefonia Celular: Minimizando a Exposição Ocupacional a Campos Eletromagnéticos Alexssandro Ramos da Cruz; Maria Cristina Aguiar Campos Sistemas de comunicação sem fio telefone celular internet

Leia mais

ANTENAS E FILTROS PARA FM (87-108 MHz)

ANTENAS E FILTROS PARA FM (87-108 MHz) ANTENAS E FILTROS PARA FM (87-108 MHz) Ra Chamantá, 383 - V.Prdente - SP - Fone/Fax (11) 2020-0055 - SITE: www.electril.com - e-mail: electril@terra.com.br 87 a 98MHz 97 a 108MHz ANTENA BANDA LARGA PARA

Leia mais

Tabela de Preços Wi-Fi 2009 / Decembro.N.12

Tabela de Preços Wi-Fi 2009 / Decembro.N.12 Tabela de Preços Wi-Fi 2009 / Decembro.N.12 Antenas Painel Setoriais 2.4-2.5 GHz (Polarização Vertical) Linha profissional em aço INOX EMC WF 15, EMC WF 17 EMC WF 17 EMC WF 20 SUP-VAR EMC-WF 20 EMC SUP-VAR

Leia mais

MODELO MULTI-OBJETIVO PARA O PROBLEMA DE LOCALIZAÇÃO DE ANTENAS DE TRANSMISSÃO PARA INTERNET A RÁDIO NO MUNICÍPIO DE ITAPERUNA

MODELO MULTI-OBJETIVO PARA O PROBLEMA DE LOCALIZAÇÃO DE ANTENAS DE TRANSMISSÃO PARA INTERNET A RÁDIO NO MUNICÍPIO DE ITAPERUNA MODELO MULTI-OBJETIVO PARA O PROBLEMA DE LOCALIZAÇÃO DE ANTENAS DE TRANSMISSÃO PARA INTERNET A RÁDIO NO MUNICÍPIO DE ITAPERUNA Marcelo David Siliprande LEPROD - UENF Campos dos Goytacazes - RJ siliprande@gmail.com

Leia mais

MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão

MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão Os meios físicos de transmissão são compostos pelos cabos coaxiais, par trançado, fibra óptica, transmissão a rádio, transmissão via satélite e são divididos em duas

Leia mais

Tabela de Preços Wi-Fi

Tabela de Preços Wi-Fi Tabela de Preços Wi-Fi Antenas Paineis Setoriais 2.4-2.5 GHz (Polarização Vertical e Horizontal) N.01/2012 Janeiro Linha profissional em aço INOX EMC WF 15 EMC WF-15/RFL EMC WF-15 Homologação Anatel N.

Leia mais

Sistemas que incluem amplificação podem possuir grandes valores de g, é assim, é conveniente expressar o ganho de potência em decibéis (db): produto

Sistemas que incluem amplificação podem possuir grandes valores de g, é assim, é conveniente expressar o ganho de potência em decibéis (db): produto 3.33 Perdas de transmissão e Decibéis Além de distorção de sinal, um sistema de transmissão também reduz o nível de potência ou vigor do sinal de saída. Esta redução no vigor do sinal é expresso em termos

Leia mais

Procedimentos para predição de transmissão do sinal de televisão digital

Procedimentos para predição de transmissão do sinal de televisão digital Procedimentos para predição de transmissão do sinal de televisão digital Maria Emília Gomes Pereira Instituto Nacional de Telecomunicações Inatel mariae@gee.inatel.br Anderson Fagiani Fraga Instituto Nacional

Leia mais

Apesar das vantagens, essa tecnologia apresenta a mesma desvantagem de outras tecnologias para a transmissão de dados: os cabos.

Apesar das vantagens, essa tecnologia apresenta a mesma desvantagem de outras tecnologias para a transmissão de dados: os cabos. Página 1 de 9 PROJETOS / Telecom 25/08/2008 10:44:40 Sistemas Wireless em chão de fábricas. Existem diversas opções de padrões de conexão entre equipamentos industriais e computadores. Dentre essas opções,

Leia mais

Infra-Estrutura de Redes

Infra-Estrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul Infra-Estrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Objetivos: Camada física

Leia mais

1 - Uma onda plana monocromática no espaço livre tem por equação fasorial para a componente campo eléctrico, o seguinte vector complexo:

1 - Uma onda plana monocromática no espaço livre tem por equação fasorial para a componente campo eléctrico, o seguinte vector complexo: Ondas 1 Ondas móveis 1 - Uma onda plana monocromática no espaço livre tem por equação fasorial para a componente campo eléctrico, o seguinte vector complexo: u y + e π + j + jkx E = e u z, sendo k o número

Leia mais

Mecanismos básicos de Propagação

Mecanismos básicos de Propagação Mecanismos básicos e Propagação Reflexão: Ocorre quano a ona propagaa se encontra com objetos muito granes quano comparaos com o comprimento e ona; Difração: Ocorre quano o caminho entre o transmissor

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Meios de Transmissão Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Abril de 2012 1 / 34 Pilha TCP/IP A B M 1 Aplicação Aplicação M 1 Cab M T 1 Transporte Transporte

Leia mais

ANTENAS. TIPOS e CONCEITOS BÁSICOS

ANTENAS. TIPOS e CONCEITOS BÁSICOS ANTENAS TIPOS e CONCEITOS BÁSICOS Desde os primeiros dias do rádio as antenas envolveram os operadores. Houveram muitos desejos e restrições. Cada tipo de antena foi desenvolvido para ajudar alguém em

Leia mais

Introdução a Propagação Prof. Nilton Cesar de Oliveira Borges

Introdução a Propagação Prof. Nilton Cesar de Oliveira Borges Introdução a Propagação Prof. Nilton Cesar de Oliveira Borges Como a luz, uma onda de rádio, perderia-se no espaço, fora do nosso planeta, se não houvesse um fenômeno que provocasse sua curvatura para

Leia mais

Sistemas de Comunicações Ópticas. 1870 : O físico inglês John Tyndall demonstrou o princípio de guiamento da luz,

Sistemas de Comunicações Ópticas. 1870 : O físico inglês John Tyndall demonstrou o princípio de guiamento da luz, Capítulo 1 1. INTRODUÇÃO AS FIBRAS ÓPTICAS 1.1 Histórico 1870 : O físico inglês John Tyndall demonstrou o princípio de guiamento da luz, através de uma experiência que consistia em injetar luz em um jato

Leia mais

COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS ONDAS ELETROMAGNÉTICAS E COMUNICAÇÃO

COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS ONDAS ELETROMAGNÉTICAS E COMUNICAÇÃO COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS À medida que uma onda se propaga, por mais intensa que seja a perturbação que lhe dá origem, uma parte da sua energia será absorvida pelo meio de propagação,

Leia mais

MODELAGEM DE CANAL DE UMA REDE SEM FIO 802.16 APLICAÇÃO PARA A AVENIDA ENTRE ENTRADAS 2 E 3 DO CAMPUS I DA PUC-CAMPINAS

MODELAGEM DE CANAL DE UMA REDE SEM FIO 802.16 APLICAÇÃO PARA A AVENIDA ENTRE ENTRADAS 2 E 3 DO CAMPUS I DA PUC-CAMPINAS MODELAGEM DE CANAL DE UMA EDE SEM FIO 8.16 APLICAÇÃO PAA A AVENIDA ENE ENADAS E 3 DO CAMPUS I DA PUC-CAMPINAS Guilherme Cezarini eieira PUC-Campinas CEAEC gui_cezarini@puc-campinas.edu.br Norma eggiani

Leia mais

Sequência. Critérios de Instalação. [ Fixação dos elementos radiantes. [ Fixação do sistema de distribuição de potência

Sequência. Critérios de Instalação. [ Fixação dos elementos radiantes. [ Fixação do sistema de distribuição de potência Critérios de Instalação Sequência [ Fixação dos elementos radiantes [ Fixação do sistema de distribuição de potência [ Interligação antena(s) - cabo(s) - divisor(es) [ Testes : Pressurização Potência Cobertura

Leia mais

Baluns Como eles trabalham Como eles são feitos

Baluns Como eles trabalham Como eles são feitos Baluns Como eles trabalham Como eles são feitos O que é um balun? O Balun é um tipo especial de transformador que faz duas funções: Transformador de impedância Transformador de linha balanceada para linha

Leia mais

Quanto à origem uma onda pode ser classificada em onda mecânica e onda eletromagnética.

Quanto à origem uma onda pode ser classificada em onda mecânica e onda eletromagnética. CLASSIFICAÇÃO DAS ONDAS Podemos classificar as ondas quanto à: sua origem direção de oscilação tipo de energia transportada. ONDAS QUANTO À ORIGEM Quanto à origem uma onda pode ser classificada em onda

Leia mais

O Radar Meteorológico

O Radar Meteorológico O Radar Meteorológico Demilson Quintão PY2UEP Bauru, 2014 1 Previsão Meteorológica 1-Climática: indica tendência das estações em escalas regionais, continentais, globais. 2-Previsão Meteorológica comum

Leia mais

2- Conceitos Básicos de Telecomunicações

2- Conceitos Básicos de Telecomunicações Introdução às Telecomunicações 2- Conceitos Básicos de Telecomunicações Elementos de um Sistemas de Telecomunicações Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Telecomunicações 2 1 A Fonte Equipamento que origina

Leia mais

DH 406A SISTEMA DE TREINAMENTO EM MICROONDAS. Descrição de componentes

DH 406A SISTEMA DE TREINAMENTO EM MICROONDAS. Descrição de componentes DH 406A SISTEMA DE TREINAMENTO EM MICROONDAS Descrição de componentes 2 1 INTRODUÇÃO O sistema de treinamento em microondas DH-0406A foi desenvolvido para permitir explorar experimentalmente alguns conceitos

Leia mais

x d z θ i Figura 2.1: Geometria das placas paralelas (Vista Superior).

x d z θ i Figura 2.1: Geometria das placas paralelas (Vista Superior). 2 Lentes Metálicas Este capítulo destina-se a apresentar os princípios básicos de funcionamento e dimensionamento de lentes metálicas. Apresenta, ainda, comparações com as lentes dielétricas, cujas técnicas

Leia mais

5 Metodologias de medidas dos níveis de radiação das ERBs de um sistema celular

5 Metodologias de medidas dos níveis de radiação das ERBs de um sistema celular 61 5 Metodologias de medidas dos níveis de radiação das ERBs de um sistema celular As medidas dos níveis de radiação serão feitas através de duas metodologias. Na metodologia de medidas 1, o principal

Leia mais

MANUAL RÁDIO MODEM COMPACTO 900 MHz RMC-900

MANUAL RÁDIO MODEM COMPACTO 900 MHz RMC-900 MANUAL RÁDIO MODEM COMPACTO 900 MHz RMC-900 Versão 1.00 Agosto 2012 Infinium Automação Industrial Ltda contato@infiniumautomacao.com.br 1. APRESENTAÇÃO O rádio modem RMC-900 foi projetado para utilização

Leia mais

Documento sujeito a revisões periódicas CEP 59056-450 Tel: (84) 3232-2102 / 3232-2118 / 3232-1975 / 0800-281-1975

Documento sujeito a revisões periódicas CEP 59056-450 Tel: (84) 3232-2102 / 3232-2118 / 3232-1975 / 0800-281-1975 Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Estações de Radiocomunicação - Licença de Operação

Leia mais

ANÁLISE DA PROPAGAÇÃO DE SINAIS DE TV DIGITAL NA CIDADE DE UBERLÂNDIA - MG

ANÁLISE DA PROPAGAÇÃO DE SINAIS DE TV DIGITAL NA CIDADE DE UBERLÂNDIA - MG ANÁLISE DA PROPAGAÇÃO DE SINAIS DE TV DIGITAL NA CIDADE DE UBERLÂNDIA - MG Tiago Nunes Santos, Gilberto Arantes Carrijo Universidade Federal de Uberlândia, Faculdade de Engenharia Elétrica, Uberlândia-MG.

Leia mais

3B SCIENTIFIC PHYSICS

3B SCIENTIFIC PHYSICS 3B SCIENTIFIC PHYSICS Conjunto para microondas 9,4 GHz (230 V, 50/60 Hz) Conjunto para microondas 10,5 GHz (115 V, 50/60 Hz) 1009950 (115 V, 50/60 Hz) 1009951 (230 V, 50/60 Hz) Instruções de operação 10/15

Leia mais

SISTEMAS DE RADIOENLACES DIGITAIS

SISTEMAS DE RADIOENLACES DIGITAIS Geraldo Gil Ramundo Gomes SRD-0V2011PG ii APRESENTAÇÃO A principal motivação para a preparação deste material origina-se na necessidade de atender às ementas de alguns cursos cujos principais objetivos

Leia mais

Satélites http://www.acssjr.hpg.ig.com.br/brasilsat.htm

Satélites http://www.acssjr.hpg.ig.com.br/brasilsat.htm Satélites http://www.acssjr.hpg.ig.com.br/brasilsat.htm Histórico no Brasil -Os primeiros estudos para implantação de um satélite doméstico, no Brasil, datam de 1968, com o Projeto SACI, no âmbito do Instituto

Leia mais

SOLUÇÃO DE TELEMETRIA PARA SANEAMENTO

SOLUÇÃO DE TELEMETRIA PARA SANEAMENTO SOLUÇÃO DE TELEMETRIA PARA SANEAMENTO Marcelo Pessoa Engenheiro de soluções para saneamento Introdução As indústrias buscam eficiência, aumento da qualidade e a redução de custos. Para alcançar isto investem

Leia mais

PORTARIA Nº 4773, DE 05 DE OUTUBRO DE 2004 RESOLVE:

PORTARIA Nº 4773, DE 05 DE OUTUBRO DE 2004 RESOLVE: PORTARIA Nº 4773, DE 05 DE OUTUBRO DE 2004 A Diretora Geral do CENTRO DE RECURSOS AMBIENTAIS CRA, no exercício da competência que lhe foi delegada pela Lei Estadual nº 7.799/01, regulamentada pelo Decreto

Leia mais

Descritivo Técnico BreezeACCESS-VL

Descritivo Técnico BreezeACCESS-VL Broadband Wireless Access -Visualização da linha de produtos BreezeACCESS VL- Solução completa ponto multiponto para comunicação Wireless em ambiente que não tenha linda de visada direta, utiliza a faixa

Leia mais

FÍSICA FENÔMENOS ONDULATÓRIOS E MAGNETISMO FÍSICA 1

FÍSICA FENÔMENOS ONDULATÓRIOS E MAGNETISMO FÍSICA 1 20_Física_2 ano FÍSICA Prof. Bruno Roberto FENÔMENOS ONDULATÓRIOS E MAGNETISMO FÍSICA 1 1. (Ufg 20) O princípio de funcionamento do forno de micro-ondas é a excitação ressonante das vibrações das moléculas

Leia mais

Local Multipoint Distribuition Service (LMDS)

Local Multipoint Distribuition Service (LMDS) Local Multipoint Distribuition Service (LMDS) Este tutorial apresenta a tecnologia LMDS (Local Multipoint Distribuition Service), acesso em banda larga para última milha por meio de rádios microondas.

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE UM SISTEMA MICRO-ONDAS PARA DISTRIBUIÇÃO DE SINAIS DE TV DIGITAL USANDO O SOFTWARE RADIO MOBILE RESUMO

DIMENSIONAMENTO DE UM SISTEMA MICRO-ONDAS PARA DISTRIBUIÇÃO DE SINAIS DE TV DIGITAL USANDO O SOFTWARE RADIO MOBILE RESUMO 68 DIMENSIONAMENTO DE UM SISTEMA MICRO-ONDAS PARA DISTRIBUIÇÃO DE SINAIS DE TV DIGITAL USANDO O SOFTWARE RADIO MOBILE André Antônio dos Anjos 1 Ricardo Augusto da Silva Junior 2 Rodrigo Cogliatti 3 RESUMO

Leia mais

Antenas e Propagação. Objetivo

Antenas e Propagação. Objetivo Objetivo O texto de Antenas e Propagação, escrito sob a forma de curso, compreende o princípio de funcionamento, projeto e construção prática dos principais tipos de antenas para diversas freqüências com

Leia mais

57)Assinale a alternativa que não representa o nome de um oscilador: A ( ) A cristal B ( ) De relaxação C ( ) Zener D ( ) Colpetts E ( ) Hartley

57)Assinale a alternativa que não representa o nome de um oscilador: A ( ) A cristal B ( ) De relaxação C ( ) Zener D ( ) Colpetts E ( ) Hartley LIGA DE AMADORES BRASILEIROS DE RADIO EMISSÃO LABRE/RN SEDE: CAIC de Lagoa Nova Vila das Federações Cx. Postal 251, Natal/RN, 59010-970) Home Page http://www.ps7aa.kit.net Tel. 3086 2140 (Ed PS7DX) e-mail:

Leia mais