INFORMATIZAÇÃO DE INDICADORES DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR. A EXPERIÊNCIA DO HOSPITAL DE CLINICAS DE PORTO ALEGRE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INFORMATIZAÇÃO DE INDICADORES DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR. A EXPERIÊNCIA DO HOSPITAL DE CLINICAS DE PORTO ALEGRE"

Transcrição

1 INFORMATIZAÇÃO DE INDICADORES DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR. A EXPERIÊNCIA DO HOSPITAL DE CLINICAS DE PORTO ALEGRE Beatriz Graeff Santos Seligman; Ricardo Kuchenbecker; Adão Rogério Leal Machado; Loriane Rita Konkewicz; Nádia Mora Kuplich; Márcia Rosane Pires; Mayde Torriani; Thalita Silva Jacoby Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Ramiro Barcelos 2350 sala 2225 Brasil, Fone: , Fax: Resumo: Introdução: O Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) possui um sistema informatizado on line para controle e vigilância de infecções hospitalares (IH), responsável por relatórios de IH; tabelas de apoio contendo diagnósticos e critérios básicos para notificações de doenças infecciosas; manuais de normas e rotinas de controle de IH. Metodologia: A partir da implantação do Projeto Informações Gerenciais (IG) do HCPA, prevendo a criação de bancos de dados orientado por assuntos (Data Warehouse), foi criado um banco de dados orientado para IH que permite a informatização dos indicadores de IH. O desenvolvimento envolveu a identificação de necessidades, definição e padronização da origem dos dados, periodicidade da atualização, criação das estruturas das tabelas de fatos e dimensões, definição da seqüência de carga de dados e do projeto dos cubos (diagramação das tabelas multidimensionais), disponibilização das consultas e análise crítica das informações. Também foi criado um dicionário de dados (glossário) de expressões utilizadas na definição dos indicadores. Resultados: Atualmente, os indicadores de infecção hospitalar do HCPA encontram-se informatizados e integram o sistema de indicadores gerenciais da instituição. A informatização dos indicadores tornou possível a utilização das informações pelos usuários de forma intuitiva, amigável, sem necessidade de auxílio de analistas de sistemas na modelagem e interpretação. Palavras-chave: Infecção hospitalar, epidemiologia hospitalar, data warehouse, indicadores gerenciais Abstract: Background: Nosocomial infections surveillance is made through active searching, definition of precise infection control actions and indicators assessment. Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) has computer-based model for hospital infection control (HI) that provides information of HI rates. Methods: We developed a computer-based framework that was built in order to integrate HI rates with business intelligence at HCPA. An HI database was created through a Data Warehouse concept. Results: An online system was created, which is topic-oriented and shaped according to data warehouse modeling. Data framework was performed on a new concept the cube model. It comprehends a multidimensional data modeling, where related tables ar organized by topic areas. Results: The system permits easy accessibility of all HI data. HI indicators are part of business information system at HCPA. Health professionals can perform their own view of data information, and can export it to any other software. The final users of the system have a user-friendly presentation of the date, easy made for interpretation. Key-words: Hospital infection, hospital epidemiology, data warehouse, business intelligence Introdução A atividade de vigilância epidemiológica representa a ação central de um programa de controle de infecções hospitalares (IH). Diferentes técnicas são utilizadas com o intuito de identificar e rastrear infecções hospitalares. Essas técnicas envolvem um trabalho complexo e detalhado, de natureza multidisciplinar. No HCPA, o método adotado para a vigilância das IH consiste na busca ativa dos casos de IH através de pistas (febre, presença de secreções suspeitas, exames radiológicos compatíveis, piora clínica de suspeita infecciosa, uso de antibiótico ou alteração do esquema de antibioticoterapia, entre outros) coletadas através de contato com profissionais que prestam a assistência aos pacientes internados, além dos resultados dos exames microbiológicos fornecidos através de 1

2 relatórios diários pela Unidade de Microbiologia. Também são coletados dados dos procedimentos invasivos realizados nos pacientes internados nas Unidades de Tratamento Intensivo Adulto, Pediátrica e Neonatal, através da aplicação do sistema de vigilância utilizado pelo Sistema Nacional de Vigilância Nosocomial 1 (NNISS) proposto pelo Centro de Controle de Doenças Norte-americano, possibilitando o ajuste das taxas de infecção relacionadas aos procedimentos invasivos e a comparação com um referencial externo de credibilidade internacional. O HCPA possui um sistema informatizado on line para controle e vigilância de IH, responsável por: relatórios de IH; tabelas de apoio contendo diagnósticos e critérios básicos para notificações de doenças infecciosas; manuais de normas e rotinas de controle de IH. Esse artigo descreve o processo de informatização dos indicadores de IH no HCPA, que passaram a fazer parte do ambiente de Informações Gerenciais (IG) da instituição a partir de agosto de Anteriormente à implantação do IG, o processo de elaboração dos indicadores de infecção hospitalar partia de relatórios mensalmente emitidos pelo Grupo de Sistemas do HCPA a partir do banco de dados corporativo. Esses dados eram novamente digitados em softwares estatísticos de modo a produzir as informações relativas à IH. Havia o inconveniente de que esse processo implicava tempo e chance de erro no processamento das informações. Além disso, por vezes havia dificuldade na interpretação das informações, determinando demora e re-trabalho; imprecisão de termos necessários ao correto processamento dos dados e a concreta impossibilidade de realização de uma avaliação completa e dinâmica das informações disponíveis. Por último os membros executivos da CCIH apresentavam completa dependência dos profissionais do Grupo de Sistemas para efetuar os boletins periódicos de IH. A figura 1 apresenta uma representação esquemática do processo de vigilância de infecções hospitalares praticado antes da informatização dos indicadores de IH. Trata-se de um processo complexo que envolve inúmeras etapas, incluindo as informações da busca ativa de infecções, o processamento mensal dos dados no banco de dados corporativo e a inclusão de informações adicionais relacionadas aos numeradores e denominadores dos coeficientes de IH. Além disso, o processo também implicava emissão de relatórios mensais que eram exportados para outros softwares estatísticos de modo a permitir a análise dos dados e elaboração dos boletins periódicos. Metodologia A partir da implantação do IG do HCPA, prevendo a criação de bancos de dados orientado por assuntos (Data Warehouse) disponibilizados aos níveis gerenciais como subsídio ao processo decisório, foi criado um banco de dados orientado para IH que permite a completa informatização dos indicadores da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH). Foram criadas ferramentas para migração dos dados relativos aos indicadores de IH da base operacional do HCPA à uma base gerencial criada para esse fim. A metodologia de desenvolvimento do processo de informatização dos indicadores de IH envolveu: identificação de necessidades de informações para gestão da CCIH, definição e padronização da origem dos dados, periodicidade da atualização, criação das estruturas das tabelas de fatos e dimensões, definição da seqüência de carga de dados e do projeto dos cubos (diagramação das tabelas multidimensionais), disponibilização das consultas e análise crítica das informações. Também foi criado um dicionário de 2

3 dados (glossário) de expressões utilizadas na definição dos indicadores. O banco de dados orientado por assuntos (Data Warehouse) permite a definição de um sistema de armazenamento dos dados relativos às IH, constituindo um data mart. O data mart pode ser explorado pelos gerentes e profissionais de controle de infecção hospitalar, mediante processo analítico e modelagem multidimensional de fatos, conforme múltiplos eixos ou dimensões, à semelhança de um cubo. Dessa forma, o cubo contendo as informações relativas à IH foi elaborado e implementado. Resultados Atualmente, os coeficientes de infecção hospitalar do HCPA estão disponíveis no IG e podem ser facilmente adaptados a diferentes situações de busca e análise. O IG está incorporado ao Microsoft Office XP disponível no computador de trabalho de 60 gerentes do HCPA, que consultam as informações conforme suas necessidades. A tela de interface dos dados relativos ao IG foi incluída no Outlook de cada gerente, conforme ilustra a figura 2 abaixo. Figura 2 Tela de acesso aos cubos Selecionada a unidade de internação de interesse, o usuário pode facilmente definir o indicador desejado, o período de competência e as informações adicionais, relacionadas aos numeradores e denominadores. Foi acrescentado um glossário de termos que apresenta cada um dos conceitos utilizados nos indicadores de IH. Os dados podem ser modelados no cubo referente ao assunto controle de IH, conforme expresso na figura 3 ou exportados para qualquer outro software existente no Microsoft Office XP, como é o caso do Excel, ilustrado na figura 4. Figura 4 Indicadores de IH exportados para o Excel Uma vez acessados, os indicadores podem ser modelados e analisados individualmente. A figura 3 apresenta a tela que contém os dados de um dos indicadores de IH a partir de uma unidade selecionada como exemplo, o Centro de Terapia Intensiva de Adultos. Figura 3 Indicador Selecionado A figura 5 apresenta as etapas que puderam ser suprimidas no processo de vigilância de IH mediante a informatização dos indicadores, determinando a redução de etapas de re-trabalho envolvendo digitação e limpeza de banco de dados. Todas essas etapas foram suprimidas pela completa informatização dos indicadores IH. 3

4 UTI Pediátrica Zero - 4,5 9,6 UTI Neonatal 1,3 3,5 - - Infecção Respiratória Associada à Ventilação Mecânica CTICC Adulto 6,3 8,3 13,2 14,4 UTI Pediátrica Zero 7,1 1,9 7,9 UTI Neonatal 5,2 8,7 - - Como exemplo dos resultados da informatização dos indicadores de IH, incluímos os dados de um mês aleatoriamente escolhido, os quais encontram-se na tabela 1, que apresenta os indicadores de infecção hospitalar por topografia nas áreas de tratamento intensivo do HCPA referentes ao mês de outubro de 2001, suas respectivas mediana dos últimos seis meses e os percentis 25 e 75 do NNISS, referente aos dados dos Hospitais Universitários Norte-americanos de Grande Porte em escala internacional. A utilização de parâmetros externos permite a definição de metas para os coeficientes de infecção hospitalar a serem buscadas. A identificação da média, mediana e desviopadrão dos indicadores permitem identificar nosso nível endêmico, a ocorrência de surtos epidêmicos e o reconhecimento de prováveis áreas onde ocorra sub-notificação. Tabela 1 - Indicadores de Infecção Hospitalar por Topografia nas áreas críticas. Coeficientes de Outubro de 2001, suas medianas e percentis 25 e 75 do NNIS Infecções por Topografia / (Desfecho/ procedimentosdia x 1000) Coeficiente de outubro Media na P25 do NNIS P75 do NNIS Infecção Urinária após Procedimentos Invasivos CTICC Adulto 7,1 7,1 4,4 9,8 UTI Pediátrica 5,4 7,8 2,6 7,2 UTI Neonatal 6,8 7,1 - - Infecção Relacionada a Cateteres Venosos Centrais CTICC Adulto 1,7 3,5 3,5 7,6 O novo sistema vem sendo utilizado e submetido a processo de validação desde agosto de 2001, determinando, mediante o avanço na tecnologia da informação, que se possa partir do enfoque operacional para a gestão estratégica dos indicadores da CCIH. O sistema informatizado de indicadores de IH do HCPA apresenta agilidade, facilidade, flexibilidade e independência da base operacional, permitindo a análise multidimensional dos dados. Tornou possível a utilização das informações pelos usuários de forma intuitiva, amigável, gráfica e sem qualquer tipo de treinamento específico e sem necessidade de auxílio de analistas de sistemas nos processos de modelagem e interpretação dos dados, diferentemente do sistema anterior. Etapas onde potenciais erros poderiam ser esperados foram eliminadas. Os relatórios de IH podem ser automaticamente gerados e a padronização das informações permitem a comparabilidade externa com NNISS Norte-americano, possibilitando a definição de metas de coeficientes de infecção hospitalar a serem buscadas. A comparação externa com um sistema de informações de credibilidade internacional, como é o caso do NNISS, também minimiza um histórico problema relacionado à epidemiologia das infecções hospitalares. Considerando seu comportamento, as IH comumente assumem distribuição nãoparamétrica, dificultando a observância dos limiares e níveis endêmicos e epidêmicos. O sistema implantado possibilita a estimativa das medidas de tendência central e variância dos indicadores, facilitando o processo de avaliação seja dos níveis epidêmicos seja da própria capacidade de detecção de casos de IH por parte da estrutura de vigilância epidemiológica adotada no HCPA. As próximas etapas de implantação dos indicadores gerenciais relativos à IH incluem a descentralização das informações junto a algumas áreas críticas em termos de risco de infecção e a avaliação dos custos e o tempo necessário à realização do processo de vigilância epidemiológica de IH na instituição. 4

5 Referências Bibliográficas 1 National Nosocomial Surveillance System Percentis agregados de jan-95 a jun AJIC 2001:29;

Experiência: Tecnologia da Informação como Suporte à Gestão em Controle de Infecções Hospitalares Impacto na Qualidade Assistencial

Experiência: Tecnologia da Informação como Suporte à Gestão em Controle de Infecções Hospitalares Impacto na Qualidade Assistencial Experiência: Tecnologia da Informação como Suporte à Gestão em Controle de Infecções Hospitalares Impacto na Qualidade Assistencial Ministério da Educação Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) -

Leia mais

Gráfico 01: Número de EAS que notificaram mensalmente dados de IRAS no SONIH em 2013:

Gráfico 01: Número de EAS que notificaram mensalmente dados de IRAS no SONIH em 2013: BOLETIM INFORMATIVO DENSIDADES DE INCIDÊNCIA DE INFECÇÕES RELACIONADAS À ASSISTÊNCIA À SAÚDE NO ESTADO DO PARANÁ, NOTIFICADAS ATRAVÉS DO SISTEMA ONLINE DE NOTIFICAÇÃO DE INFECÇÃO HOSPITALAR (SONIH) Os

Leia mais

1. CONCEITOS E OBJETIVOS DA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

1. CONCEITOS E OBJETIVOS DA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA 1. CONCEITOS E OBJETIVOS DA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA A VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA SEGUNDO A LEI 8.080, DE 1990, QUE INSTITUIU O SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS), PODE SER DEFINIDA COMO: O CONJUNTO DE AÇÕES

Leia mais

Manual Ilustrado TOTVS Controle de Infecção Hospitalar Apoio Gerencial

Manual Ilustrado TOTVS Controle de Infecção Hospitalar Apoio Gerencial Manual Ilustrado TOTVS Controle de Infecção Hospitalar Apoio Gerencial Março 2014 Índice Título do documento 1. Como utilizar esse material em seus estudos?... 4 2. Introdução... 4 3. Relatórios Descritivos...

Leia mais

Como avaliar dados de infecção hospitalar

Como avaliar dados de infecção hospitalar Montando meu programa de vigilância epidemiológica: o que não pode faltar Parte II Como avaliar dados de infecção hospitalar Geraldine Madalosso Divisão de Infecção Hospitalar-CVE gmadalosso@saude.sp.gov.br

Leia mais

TOTVS Controle de Infecção Hospitalar Manual Ilustrado - Apoio Gerencial. 11.8x. março de 2015. Versão: 3.0

TOTVS Controle de Infecção Hospitalar Manual Ilustrado - Apoio Gerencial. 11.8x. março de 2015. Versão: 3.0 TOTVS Controle de Infecção Hospitalar Manual Ilustrado - Apoio Gerencial 11.8x março de 2015 Versão: 3.0 1 Sumário 1 Como utilizar esse material em seus estudos?... 4 2 Introdução... 4 3 Relatórios Descritivos...

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Análise dos dados das Infecções Hospitalares/Infecções Relacionadas a Assistência a Saúde do Estado do Paraná no período entre Junho a Dezembro de 2009. Departamento de Vigilância Sanitária/SESA Comissão

Leia mais

HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS

HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE LORIANE KONKEWICZ CCIH Hospital de Clínicas de Porto Alegre Hospital de Clínicas de Porto Alegre HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE Hospital

Leia mais

DoctorClean Controle de Infecção Hospitalar

DoctorClean Controle de Infecção Hospitalar DoctorClean Controle de Infecção Hospitalar Aspectos Técnicos - Especificação Funcional InfoMed Systems Cetarius A solução InfoMed Systems-Cetarius para Serviços de Controle de Infecção Hospitalar promove

Leia mais

Relatório de Gestão da CCIH

Relatório de Gestão da CCIH Relatório de Gestão da CCIH 1 - Apresentação A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar CCIH é formada por membros executores -01 enfermeira, 01 farmacêutica e 01 infectologista e consultoresrepresentantes

Leia mais

ANEXO ROTEIRO DE INSPEÇÃO DO PROGRAMA DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR

ANEXO ROTEIRO DE INSPEÇÃO DO PROGRAMA DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 1 OBJETIVO: ANEXO ROTEIRO DE INSPEÇÃO DO PROGRAMA DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR Este Roteiro estabelece a sistemática para a avaliação do cumprimento das ações do Programa de Controle de Infecção

Leia mais

USO PRÁTICO DOS INDICADORES DE IRAS: SUBSIDIANDO O TRABALHO DA CCIH HOSPITAIS COM UTI

USO PRÁTICO DOS INDICADORES DE IRAS: SUBSIDIANDO O TRABALHO DA CCIH HOSPITAIS COM UTI USO PRÁTICO DOS INDICADORES DE IRAS: SUBSIDIANDO O TRABALHO DA CCIH HOSPITAIS COM UTI Débora Onuma Médica Infectologista INTRODUÇÃO O que são Indicadores? 1. Indicador é uma medida quantitativa que pode

Leia mais

Relatório de Gestão da CCIH

Relatório de Gestão da CCIH Relatório de Gestão da CCIH 1 - Apresentação A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar CCIH é formada por membros executores -01 Enfermeira, 01 Farmacêutica e 01 Medico Infectologista e consultores-representantes

Leia mais

ANEXO I TERMO DE COMPROMISSO DE APOIO À ASSISTÊNCIA HOSPITALAR

ANEXO I TERMO DE COMPROMISSO DE APOIO À ASSISTÊNCIA HOSPITALAR ANEXO I TERMO DE COMPROMISSO DE APOIO À ASSISTÊNCIA HOSPITALAR Pelo presente termo de compromisso, de um lado a Secretaria de Estado da Saúde do Estado do Rio de Janeiro/ Fundo Estadual de Saúde, com endereço

Leia mais

Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL

Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL Hospital de Clínicas de Porto Alegre Ministério da Educação Responsável: Sérgio Carlos Eduardo Pinto

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÂO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (CCIH) E SERVIÇO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (SCIH) DO HU/UFJF

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÂO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (CCIH) E SERVIÇO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (SCIH) DO HU/UFJF REGIMENTO INTERNO DA COMISSÂO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (CCIH) E SERVIÇO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (SCIH) DO HU/UFJF CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO Artigo 1º Atendendo à Portaria de número

Leia mais

Estabelecimentos de Saúde/Infec

Estabelecimentos de Saúde/Infec Secretaria Estadual de Saúde Centro Estadual de Vigilância em Saúde Divisão de Vigilância Sanitária Núcleo de Vigilância em Estabelecimentos de Saúde/Infec Ana Luiza Rammé Ana Carolina Kraemer Roberta

Leia mais

A importância da. nas Organizações de Saúde

A importância da. nas Organizações de Saúde A importância da Gestão por Informações nas Organizações de Saúde Jorge Antônio Pinheiro Machado Filho Consultor de Negócios www.bmpro.com.br jorge@bmpro.com.br 1. Situação nas Empresas 2. A Importância

Leia mais

FUNDAÇÃO SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DO PARÁ. N 0 Recomendação REC - 003

FUNDAÇÃO SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DO PARÁ. N 0 Recomendação REC - 003 Página 1/6 1- INTRODUÇÃO: O trato urinário é um dos sítios mais comuns de infecção hospitalar, contribuindo com cerca de 40% do total das infecções referidas por hospitais gerais. Além das condições de

Leia mais

Prevenção de Infecção de Corrente Sanguínea Associada ao Cateter na Prática. Drª Marta Fragoso NGSA Hospitais VITA fragoso@hospitalvita.com.

Prevenção de Infecção de Corrente Sanguínea Associada ao Cateter na Prática. Drª Marta Fragoso NGSA Hospitais VITA fragoso@hospitalvita.com. Prevenção de Infecção de Corrente Sanguínea Associada ao Cateter na Prática Drª Marta Fragoso NGSA Hospitais VITA fragoso@hospitalvita.com.br Definição de caso de Infecção de Corrente Sanguínea relacionada

Leia mais

DA IH À IACS: A NOMENCLATURA MUDOU ALGUMA COISA? Elaine Pina

DA IH À IACS: A NOMENCLATURA MUDOU ALGUMA COISA? Elaine Pina DA IH À IACS: A NOMENCLATURA MUDOU ALGUMA COISA? Hospitais Públicos P e Privados Elaine Pina O NOME DAS COISAS What s s there in a name? A rose by any other name would smell as sweet William Shakespeare

Leia mais

Informações Gerenciais em Hospital de Referência

Informações Gerenciais em Hospital de Referência Informações Gerenciais em Hospital de Referência Sérgio Felipe Zirbes 1, Maria Luiza Falsarella Malvezzi 2 1 Departamento de Informática Aplicada, Instituto de Informática, Universidade Federal do Rio

Leia mais

PROGRAMA DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR-PCIH

PROGRAMA DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR-PCIH Código: PCIH. SCIH. 001 Versão: 1.0 Revisão: 00 Página: 1de 9 PROGRAMA DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR-PCIH 2013 Código: PCIH. SCIH. 001 Versão: 1.0 Revisão: 00 Página: 2de 9 Programa de Atividades

Leia mais

CASE BI - INFORMAÇÕES GERENCIAIS EM HOSPITAL DE REFERÊNCIA

CASE BI - INFORMAÇÕES GERENCIAIS EM HOSPITAL DE REFERÊNCIA CASE BI - INFORMAÇÕES GERENCIAIS EM HOSPITAL DE REFERÊNCIA Rejane Blomberg Audy, Ana Cristina Trois Endres, Maria Luiza Falsarella Malvezzi Hospital de Clínicas de Porto Alegre Rua Ramiro Barcelos, 2350,

Leia mais

CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR É DEFICIENTE EM MAIS DE 90% DOS HOSPITAIS DE SÃO PAULO

CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR É DEFICIENTE EM MAIS DE 90% DOS HOSPITAIS DE SÃO PAULO CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR É DEFICIENTE EM MAIS DE 90% DOS HOSPITAIS DE SÃO PAULO 13/04/2009 Levantamento inédito sobre a situação do controle da infecção hospitalar realizado pelo Conselho Regional

Leia mais

Aline França a de Abreu, Ph.D

Aline França a de Abreu, Ph.D Aline França a de Abreu, Ph.D igti.eps.ufsc.br 07 / 10/ 04 Núcleo de estudos Criado em 1997 - UFSC/EPS Equipe multidisciplinar, com aproximadamente 20 integrantes OBJETIVO Gerar uma competência e uma base

Leia mais

Objetivos, métodos e abrangência da Vigilância Epidemiológica das IRAS

Objetivos, métodos e abrangência da Vigilância Epidemiológica das IRAS III Simpósio Estadual de Controle de Infecção Hospitalar Objetivos, métodos e abrangência da Vigilância Epidemiológica das IRAS Enf. Thiago Batista Especialista em controle de infecção MBA em gestão em

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Sistemas de Informação 2013-1 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Sistemas de Informação 2013-1 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Sistemas de Informação 2013-1 DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO BOOK PLUS: UM AMBIENTE DE

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA 21cir FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecimento: Portaria nº 604, de 31 de maio de 1995 E-mail: denf@unir.br Campus Porto Velho/RO. BR 364,

Leia mais

Priscila do Nascimento Cordeiro de Almeida DCIH/DVS/SESPA

Priscila do Nascimento Cordeiro de Almeida DCIH/DVS/SESPA Priscila do Nascimento Cordeiro de Almeida DCIH/DVS/SESPA PARA QUÊ SERVE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO? Os sistemas de informação têm como objetivo a aquisição do conhecimento que deve fundamentar a gestão

Leia mais

Prevenção e Controle de Infecção em Situações Especiais: Pacientes em atendimento domiciliar. Enfª. Viviane Silvestre

Prevenção e Controle de Infecção em Situações Especiais: Pacientes em atendimento domiciliar. Enfª. Viviane Silvestre Prevenção e Controle de Infecção em Situações Especiais: Pacientes em atendimento domiciliar Enfª. Viviane Silvestre O que é Home Care? Metas Internacionais de Segurança do Paciente Metas Internacionais

Leia mais

Enfª Ms. Rosangela de Oliveira Serviço Estadual de Controle de Infecção/COVSAN/SVS/SES-MT

Enfª Ms. Rosangela de Oliveira Serviço Estadual de Controle de Infecção/COVSAN/SVS/SES-MT Informações do Sistema de Notificação Estadual de Infecções Hospitalares de Mato Grosso Enfª Ms. Rosangela de Oliveira Serviço Estadual de Controle de Infecção/COVSAN/SVS/SES-MT Indicadores de IH Sistema

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Esp. Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com Sistemas de informação Disciplina: Introdução a SI Noções de sistemas de informação Turma: 01º semestre Prof. Esp. Marcos Morais

Leia mais

TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE

TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE Engenharia de Computação Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto OLPT x OLAP Roteiro OLTP Datawarehouse OLAP Operações OLAP Exemplo com Mondrian e Jpivot

Leia mais

2 Por que o reprocessamento de materiais médico-hospitalares é necessário no âmbito hospitalar

2 Por que o reprocessamento de materiais médico-hospitalares é necessário no âmbito hospitalar 2 Por que o reprocessamento de materiais médico-hospitalares é necessário no âmbito hospitalar Este capítulo tem por objetivo apresentar de maneira sucinta questões pertinentes a infecção hospitalar, por

Leia mais

Vigilância epidemiológica da infecção

Vigilância epidemiológica da infecção Vigilância epidemiológica da infecção Maria Teresa Neto UCIN, Hospital de Dona Estefânia CCIH, Hospital de Dona Estefânia Coordenadora do Programa Nacional de Vigilância Epidemiológica das Infecções em

Leia mais

Vigilância Epidemiológica

Vigilância Epidemiológica O que é Vigilância Epidemiológica Infecções Adquiridas em Serviços de Saúde Coleta e análise sistemáticas de dados de interesse sanitário. Vigilância Epidemiológica Vigilância de situações potenciais ou

Leia mais

Cartilha REGISTROS DE CÂNCER E O RHC DO HAJ

Cartilha REGISTROS DE CÂNCER E O RHC DO HAJ Cartilha REGISTROS DE CÂNCER E O RHC DO HAJ O que é um registro de câncer? -Centro de coleta, armazenamento, processamento e análise - de forma sistemática e contínua - de informações (dados) sobre pacientes

Leia mais

REDE NACIONAL DE MONITORAMENTO DA RESISTÊNCIA MICROBIANA EM SERVIÇOS DE SAÚDE REDE RM NOVO TERMO DE ADESÃO

REDE NACIONAL DE MONITORAMENTO DA RESISTÊNCIA MICROBIANA EM SERVIÇOS DE SAÚDE REDE RM NOVO TERMO DE ADESÃO REDE NACIONAL DE MONITORAMENTO DA RESISTÊNCIA MICROBIANA EM SERVIÇOS DE SAÚDE REDE RM NOVO TERMO DE ADESÃO Atribuições dos participantes da Rede RM 1) Gestor dos Hospitais Colaboradores da Rede RM Indicar

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DOS INDICADORES DE INFECÇÃO HOSPITALAR DO ESTADO DA BAHIA NECIH 2008

RELATÓRIO ANUAL DOS INDICADORES DE INFECÇÃO HOSPITALAR DO ESTADO DA BAHIA NECIH 2008 RELATÓRIO ANUAL DOS INDICADORES DE INFECÇÃO HOSPITALAR DO ESTADO DA BAHIA NECIH 28 1 INTRODUÇÃO Apesar dos avanços técnico-científicos da era moderna, as infecções hospitalares constituem um problema de

Leia mais

Para melhorar a saúde no Brasil com RFID

Para melhorar a saúde no Brasil com RFID Para melhorar a saúde no Brasil com RFID João Ricardo Tinoco de Campos Diretor de Enfermagem IDR Instituto Data Rio para Administração Pública RFID usado a favor da Biossegurança e da CCIH: Comissão de

Leia mais

Data Warehouse. Debora Marrach Renata Miwa Tsuruda

Data Warehouse. Debora Marrach Renata Miwa Tsuruda Debora Marrach Renata Miwa Tsuruda Agenda Introdução Contexto corporativo Agenda Introdução Contexto corporativo Introdução O conceito de Data Warehouse surgiu da necessidade de integrar dados corporativos

Leia mais

Nota Técnica Conjunta SESA N 02/2014 1

Nota Técnica Conjunta SESA N 02/2014 1 Nota Técnica Conjunta SESA N 02/2014 1 Assunto: Fluxo para solicitação, distribuição e dispensação do medicamento Palivizumabe para o tratamento profilático do Vírus Sincicial Respiratório (VSR) no Estado

Leia mais

Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e de bancos de dados

Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e de bancos de dados Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e de bancos de dados slide 1 1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall Objetivos de estudo Como um banco de dados

Leia mais

SISTEMA DE AUDITORIA ELETRONICA DE CONTAS MEDICO- HOSPITALARES: UM ALIADO NO TRABALHO DOS AUDITORES EM SAÚDE

SISTEMA DE AUDITORIA ELETRONICA DE CONTAS MEDICO- HOSPITALARES: UM ALIADO NO TRABALHO DOS AUDITORES EM SAÚDE SISTEMA DE AUDITORIA ELETRONICA DE CONTAS MEDICO- HOSPITALARES: UM ALIADO NO TRABALHO DOS AUDITORES EM SAÚDE ELECTRONIC AUDIT SYSTEM FOR MEDICAL ACCOUNTS: AN ALLY IN THE WORK OF HEALTHCARE AUDITORS Sergio

Leia mais

Critérios rios Diagnósticos e Indicadores Infecção do Trato Urinário ITU Infecção Gastrointestinal IGI. Hospitais de Longa Permanência.

Critérios rios Diagnósticos e Indicadores Infecção do Trato Urinário ITU Infecção Gastrointestinal IGI. Hospitais de Longa Permanência. Critérios rios Diagnósticos e Indicadores Infecção do Trato Urinário ITU Infecção Gastrointestinal IGI Hospitais de Longa Permanência ncia 2011 Premissas 1.Todos os sintomas devem ser novos ou com piora

Leia mais

Instruções para o preenchimento da planilha de indicadores epidemiológicos de infecção relacionada à asssistência à saúde (IrAS)

Instruções para o preenchimento da planilha de indicadores epidemiológicos de infecção relacionada à asssistência à saúde (IrAS) PREFEITURA DE GOIÂNIA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA COORDENAÇÃO MUNICIPAL DE CONTROLE DE INFECÇÃO EM SERVIÇOS DE SAÚDE COMCISS (Av.

Leia mais

BUSINESS INTELLIGENCE OPERACIONALIZANDO O PROGRAMA DE ANTICOAGULAÇÃO DO HU

BUSINESS INTELLIGENCE OPERACIONALIZANDO O PROGRAMA DE ANTICOAGULAÇÃO DO HU BUSINESS INTELLIGENCE OPERACIONALIZANDO O PROGRAMA DE ANTICOAGULAÇÃO DO HU Stanley Galvão 1, Cláudia Miranda 2, Cristiano Souza 3 e Liz Yoshihara 4 1 Departamento de Informática do HU, São Paulo, Brasil

Leia mais

Sumário. 1. A Empresa 2. O Produto = Medsoft 3. As Modalidades de Suporte 4. As Especialidades 5. Medsoft Corporativo 6. Contatos. www.gentus.com.

Sumário. 1. A Empresa 2. O Produto = Medsoft 3. As Modalidades de Suporte 4. As Especialidades 5. Medsoft Corporativo 6. Contatos. www.gentus.com. Sumário 1. A Empresa 3. As Modalidades de Suporte 4. As Especialidades 5. Medsoft Corporativo 6. Contatos 1. A Empresa A Gentus Automação de Processos na Medicina é resultado da união entre profissionais

Leia mais

CUIDADO PREVENTIVO EM PRECAUÇÕES DE CONTATO: ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA 1

CUIDADO PREVENTIVO EM PRECAUÇÕES DE CONTATO: ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA 1 CUIDADO PREVENTIVO EM PRECAUÇÕES DE CONTATO: ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA 1 ROSSATO, Karine 2 ; GIRARDON-PERLINI, Nara Marilene 3 ; MISTURA, Claudelí 4 ; ROSO, Camila Castro 5

Leia mais

Software para Saúde Conectada

Software para Saúde Conectada TrakCare LAB Inovação na evolução dos pacientes, performance de laboratórios e comunicação entre os profissionais de saúde. Software para Saúde Conectada Mais poder para seu laboratório, mais benefícios

Leia mais

Modelo de dados do Data Warehouse

Modelo de dados do Data Warehouse Modelo de dados do Data Warehouse Ricardo Andreatto O modelo de dados tem um papel fundamental para o desenvolvimento interativo do data warehouse. Quando os esforços de desenvolvimentos são baseados em

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA: MONITORIA DA HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS DOS PROFISSIONAIS DO HOSPITAL REGIONAL DE PONTA GROSSA

RELATO DE EXPERIÊNCIA: MONITORIA DA HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS DOS PROFISSIONAIS DO HOSPITAL REGIONAL DE PONTA GROSSA 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA RELATO DE

Leia mais

Aplicação A. Aplicação B. Aplicação C. Aplicação D. Aplicação E. Aplicação F. Aplicação A REL 1 REL 2. Aplicação B REL 3.

Aplicação A. Aplicação B. Aplicação C. Aplicação D. Aplicação E. Aplicação F. Aplicação A REL 1 REL 2. Aplicação B REL 3. Sumário Data Warehouse Modelagem Multidimensional. Data Mining BI - Business Inteligence. 1 2 Introdução Aplicações do negócio: constituem as aplicações que dão suporte ao dia a dia do negócio da empresa,

Leia mais

EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES

EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES Rigoleta Dutra Mediano Dias 1, Lívia Aparecida de Oliveira Souza 2 1, 2 CASNAV, MARINHA DO BRASIL, MINISTÉRIO DA DEFESA, BRASIL Resumo: Este

Leia mais

Data Warehouses Uma Introdução

Data Warehouses Uma Introdução Data Warehouses Uma Introdução Alex dos Santos Vieira, Renaldy Pereira Sousa, Ronaldo Ribeiro Goldschmidt 1. Motivação e Conceitos Básicos Com o advento da globalização, a competitividade entre as empresas

Leia mais

Business Intelligence e ferramentas de suporte

Business Intelligence e ferramentas de suporte O modelo apresentado na figura procura enfatizar dois aspectos: o primeiro é sobre os aplicativos que cobrem os sistemas que são executados baseados no conhecimento do negócio; sendo assim, o SCM faz o

Leia mais

CARACTERÍSTCAS DOS ATENDIMENTOS AOS PACIENTES COM GRIPE H1N1 EM UM SERVIÇO DE REFERÊNCIA

CARACTERÍSTCAS DOS ATENDIMENTOS AOS PACIENTES COM GRIPE H1N1 EM UM SERVIÇO DE REFERÊNCIA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 CARACTERÍSTCAS DOS ATENDIMENTOS AOS PACIENTES COM GRIPE H1N1 EM UM SERVIÇO DE REFERÊNCIA Regina Lúcia Dalla Torre Silva 1 ; Marcia helena Freire Orlandi

Leia mais

VISÃO GERAL POR QUE ADQUIRIR A SOLUÇÃO SCOLA? CATÁLOGO D ESCRITIVO

VISÃO GERAL POR QUE ADQUIRIR A SOLUÇÃO SCOLA? CATÁLOGO D ESCRITIVO CATÁLOGO D ESCRITIVO VISÃO GERAL A solução SCOLA (Sistema de Controle Laboratorial) é um sistema de gestão de alto nível voltado para Laboratórios de Análises Clinicas, que controla desde o atendimento

Leia mais

Proposta de Atualização Regin

Proposta de Atualização Regin Proposta de Atualização Regin Atualização SIARCO A partir das informações coletadas no REGIN e no DBE o módulo deverá atualizar a base de dados do SIARCO, para os Atos: Constituição, Alteração e Baixa.

Leia mais

Guia de Farmacovigilância - Anvisa. ANEXO IV - Glossário

Guia de Farmacovigilância - Anvisa. ANEXO IV - Glossário Guia de Farmacovigilância - Anvisa ANEXO IV - Glossário De acordo com a RESOLUÇÃO - RDC Nº 4, DE 10/02/09 (DOU 11/02/09): Dispõe sobre as normas de farmacovigilância para os detentores de registro de medicamentos

Leia mais

768 Rev Saúde Pública 2003;37(6):768-74 www.fsp.usp.br/rsp

768 Rev Saúde Pública 2003;37(6):768-74 www.fsp.usp.br/rsp 768 Rev Saúde Pública 2003;37(6):768-74 Uso de diagramas de controle na vigilância epidemiológica das infecções hospitalares Use of statistical process control charts in the epidemiological surveillance

Leia mais

Uma análise multidimensional dos dados estratégicos da empresa usando o recurso OLAP do Microsoft Excel

Uma análise multidimensional dos dados estratégicos da empresa usando o recurso OLAP do Microsoft Excel Uma análise multidimensional dos dados estratégicos da empresa usando o recurso OLAP do Microsoft Excel Carlos Alberto Ferreira Bispo (AFA) cafbispo@siteplanet.com.br Daniela Gibertoni (FATECTQ) daniela@fatectq.com.br

Leia mais

SIP Sistema de Informação de Produtos Histórico de Versões

SIP Sistema de Informação de Produtos Histórico de Versões SIP Sistema de Informação de Produtos Histórico de Versões Versão 3.2.3 de 02/03/2009 Versão 3.2.2 de 04/07/2008 Versão 3.2.1 de 14/09/2007 Versão 3.2.0 de 06/08/2007 Versão 3.1.1 de 24/01/2007 Versão

Leia mais

Resumo dos principais conceitos. Resumo dos principais conceitos. Business Intelligence. Business Intelligence

Resumo dos principais conceitos. Resumo dos principais conceitos. Business Intelligence. Business Intelligence É um conjunto de conceitos e metodologias que, fazem uso de acontecimentos e sistemas e apoiam a tomada de decisões. Utilização de várias fontes de informação para se definir estratégias de competividade

Leia mais

Palavras- chave: Vigilância epidemiológica, Dengue, Enfermagem

Palavras- chave: Vigilância epidemiológica, Dengue, Enfermagem ANÁLISE DAS NOTIFICAÇÕES DE DENGUE APÓS ATUAÇÃO DO SERVIÇO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR INTRODUÇÃO: A Dengue é uma doença infecciosa febril aguda de amplo espectro clínico e de grande importância

Leia mais

1- O que é infecção hospitalar? Para fins de classificação epidemiológica, a infecção hospitalar é toda infecção adquirida durante a internação

1- O que é infecção hospitalar? Para fins de classificação epidemiológica, a infecção hospitalar é toda infecção adquirida durante a internação 1- O que é infecção hospitalar? Para fins de classificação epidemiológica, a infecção hospitalar é toda infecção adquirida durante a internação hospitalar (desde que não incubada previamente à internação)

Leia mais

T-DOC CyCle RegisTRO De DaDOs De máquinas DigiTalize seus CiClOs De PROCessO

T-DOC CyCle RegisTRO De DaDOs De máquinas DigiTalize seus CiClOs De PROCessO T-DOC Cycle Registro de dados de máquinas Digitalize seus CICLOS DE PROCESSO Always with you 2 T-DOC Cycle Documentação digital monitore seus parâmetros de ciclo em tempo real Pode ser muito difícil aumentar

Leia mais

Indicadores hospitalares

Indicadores hospitalares Indicadores hospitalares Núcleo de Informação em Saúde de- NIS Hospital das Clínicas - FMUSP Departamento de Medicina Preventiva Faculdade de Medicina USP Hospital das Clinicas - FMUSP Complexo hospitalar

Leia mais

I M P L E M E N TA Ç Ã O D O C Ó D I G O B I D I M E N S I O N A L D A T A M A T R I X

I M P L E M E N TA Ç Ã O D O C Ó D I G O B I D I M E N S I O N A L D A T A M A T R I X I M P L E M E N TA Ç Ã O D O C Ó D I G O B I D I M E N S I O N A L D A T A M A T R I X T E C N O L O G I A D A I N F O R M A Ç Ã O C Ó D I G O B I D I M E N S I O N A L D A T A M A T R I X PROCESSOS E

Leia mais

Sistemas de Informação Hospitalar: Presente e Futuro

Sistemas de Informação Hospitalar: Presente e Futuro Sistemas de Informação Hospitalar: Presente e Futuro Halley Johanston Unysis Corporation, EUA Revista Informédica, 1 (2): 5-9, 1993. A utilização da Informática na gestão hospitalar evoluiu, nos últimos

Leia mais

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE por Miguel Aguiar Barbosa Trabalho de curso II submetido como

Leia mais

Data Warehousing. Leonardo da Silva Leandro. CIn.ufpe.br

Data Warehousing. Leonardo da Silva Leandro. CIn.ufpe.br Data Warehousing Leonardo da Silva Leandro Agenda Conceito Elementos básicos de um DW Arquitetura do DW Top-Down Bottom-Up Distribuído Modelo de Dados Estrela Snowflake Aplicação Conceito Em português:

Leia mais

BIM BIM. Building Information Modeling no Projeto Estrutural. Impactos e benefícios potenciais. Modelagem de Informação do Edifício Projeto Estrutural

BIM BIM. Building Information Modeling no Projeto Estrutural. Impactos e benefícios potenciais. Modelagem de Informação do Edifício Projeto Estrutural BIM Building Information Modeling no Impactos e benefícios potenciais Nelson Covas BIM Building Information Modeling ou Modelagem de Informação da Construção ou Modelagem de Informação do Edifício Premissas

Leia mais

Tecnologia para resultados Mais ERP

Tecnologia para resultados Mais ERP Tecnologia para resultados Mais ERP Cada vez mais as pequenas empresas, precisam e procuram a melhor tecnologia que traga resultados concretos na gestão de seus negócios. Porém a falta de recursos sempre

Leia mais

Inovações Métodos Analíticos - Microbiologia. Gabriel T. Luiz Outubro/2012

Inovações Métodos Analíticos - Microbiologia. Gabriel T. Luiz Outubro/2012 Inovações Métodos Analíticos - Microbiologia Gabriel T. Luiz Outubro/2012 Sistema MICROSCAN Siemens Healthcare Diagnostics 2012 Siemens Healthcare Diagnostics. All rights reserved PAINÉIS ANALISADORES

Leia mais

RESUMO DA SOLUÇÃO CA ERwin Modeling. Como eu posso gerenciar a complexidade dos dados e aumentar a agilidade dos negócios?

RESUMO DA SOLUÇÃO CA ERwin Modeling. Como eu posso gerenciar a complexidade dos dados e aumentar a agilidade dos negócios? RESUMO DA SOLUÇÃO CA ERwin Modeling Como eu posso gerenciar a complexidade dos dados e aumentar a agilidade dos negócios? O CA ERwin Modeling fornece uma visão centralizada das principais definições de

Leia mais

Business Intelligence aplicado a área da saúde: potencializando a tomada de decisão

Business Intelligence aplicado a área da saúde: potencializando a tomada de decisão Business Intelligence aplicado a área da saúde: potencializando a tomada de decisão Daiane Kelly de Oliveira 1, Dorirley Rodrigo Alves 1 1 Instituto de Ciências Exatas e Informática PUC Minas Campus Guanhães

Leia mais

Implementação de um Data Warehouse para Analise Multidimensional de Informações da Secretária de Trânsito de Guaíba

Implementação de um Data Warehouse para Analise Multidimensional de Informações da Secretária de Trânsito de Guaíba Implementação de um Data Warehouse para Analise Multidimensional de Informações da Secretária de Trânsito de Guaíba Fernando Maganha 1, Daniel Murara Barcia 2 1 Acadêmico do Curso de Sistemas de Informação

Leia mais

PROTOCOLO PARA INVESTIGAÇÃO DE SURTOS

PROTOCOLO PARA INVESTIGAÇÃO DE SURTOS PROTOCOLO PARA INVESTIGAÇÃO DE SURTOS Proposta Final Salvador, Agosto de 2011 1 PROTOCOLO DE AÇÃO PARA AS SITUAÇÕES DE SURTOS CLASSIFICADOS COMO EMERGÊNCIA EM SAÚDE PÚBLICA O conceito de emergência de

Leia mais

Controle da infecção hospitalar no Estado de São Paulo. Cilmara Polido Garcia

Controle da infecção hospitalar no Estado de São Paulo. Cilmara Polido Garcia Controle da infecção hospitalar no Estado de São Paulo Cilmara Polido Garcia Períodos de 1855 N. de soldados admitidos no hospital N. (%) de soldados que morreram Janeiro a março 10.283 3354 (33) Abril

Leia mais

Chapter 3. Análise de Negócios e Visualização de Dados

Chapter 3. Análise de Negócios e Visualização de Dados Chapter 3 Análise de Negócios e Visualização de Dados Objetivos de Aprendizado Descrever a análise de negócios (BA) e sua importância par as organizações Listar e descrever brevemente os principais métodos

Leia mais

SOBRE A SOFTLOG. APRESENTAÇÃO - SoftLog LOGuinho

SOBRE A SOFTLOG. APRESENTAÇÃO - SoftLog LOGuinho SOBRE A SOFTLOG A SoftLog Tecnologia é uma empresa especializada no desenvolvimento de soluções tecnológicas para empresas e instituições de diversos modais de transporte. Dentre os diversos tipos de soluções

Leia mais

SISGAP - Sistema Gerenciador de Avaliações Psicopedagógicas

SISGAP - Sistema Gerenciador de Avaliações Psicopedagógicas SISGAP - Sistema Gerenciador de Avaliações Psicopedagógicas Geandré Meller Zacher 1 Luiz Gustavo Galves Mahlmann 2 Newton Muller 3 RESUMO Este artigo tem como finalidade apresentar o projeto SISGAP, que

Leia mais

O Valor Comercial do Business Intelligence do SQL Server 2005 para Usuários do SQL Server 2000

O Valor Comercial do Business Intelligence do SQL Server 2005 para Usuários do SQL Server 2000 O Valor Comercial do Business Intelligence do SQL Server 2005 para Usuários do SQL Server 2000 Artigo Técnico sobre o SQL Server Autores: Douglas McDowell Publicado: Outubro de 2005 Aplica-se a: SQL Server

Leia mais

PREVENÇÃO DE INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO ASSOCIADA ÀSONDA VESICAL: UMA ABORDAGEM PRÁTICA

PREVENÇÃO DE INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO ASSOCIADA ÀSONDA VESICAL: UMA ABORDAGEM PRÁTICA PREVENÇÃO DE INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO ASSOCIADA ÀSONDA VESICAL: UMA ABORDAGEM PRÁTICA IRAS As infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS) consistem em eventos adversos ainda persistentes nos

Leia mais

Uma estrutura (framework) para o Business Intelligence (BI)

Uma estrutura (framework) para o Business Intelligence (BI) Uma estrutura conceitural para suporteà decisão que combina arquitetura, bancos de dados (ou data warehouse), ferramentas analíticas e aplicações Principais objetivos: Permitir o acesso interativo aos

Leia mais

CSI IT Solutions. WebReport2.5. Relatórios abertos. Acesso controlado Extensibilidade de módulos IMPACTO AMBIENTAL

CSI IT Solutions. WebReport2.5. Relatórios abertos. Acesso controlado Extensibilidade de módulos IMPACTO AMBIENTAL CSI IT Solutions 2.5 solução CSI PrintManager G e s t ã o d e A m b i e n t e d e I m p r e s s ã o O CSI dá aos gestores de TI o poder de uma gestão integral através do acesso fácil às informações gerenciais

Leia mais

A segurança do paciente como um valor para os hospitais privados: a experiência dos hospitais da ANAHP. Laura Schiesari Diretora Técnica

A segurança do paciente como um valor para os hospitais privados: a experiência dos hospitais da ANAHP. Laura Schiesari Diretora Técnica A segurança do paciente como um valor para os hospitais privados: a experiência dos hospitais da ANAHP Laura Schiesari Diretora Técnica AGENDA I. A ANAHP II. Melhores Práticas Assistenciais III. Monitoramento

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS 7 ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS OBJETIVOS Por que as empresas sentem dificuldades para descobrir que tipo de informação precisam ter em seus sistemas de informação ão? Como um sistema de gerenciamento

Leia mais

Sistema de Vigilância Epidemiológica das Doenças Transmitidas por Água e Alimentos ROTINA OPERACIONAL

Sistema de Vigilância Epidemiológica das Doenças Transmitidas por Água e Alimentos ROTINA OPERACIONAL SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/SP COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS - CCD CENTRO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA - CVE DIVISÃO DE DOENÇAS DE TRANSMISSÃO HÍDRICA E ALIMENTAR DDTHA Av. Dr. Arnaldo, 351

Leia mais

Qualidade e Segurança do Paciente: A perspectiva do Controle de Infecção. Paula Marques Vidal APECIH Hospital São Camilo Unidade Pompéia

Qualidade e Segurança do Paciente: A perspectiva do Controle de Infecção. Paula Marques Vidal APECIH Hospital São Camilo Unidade Pompéia Qualidade e Segurança do Paciente: A perspectiva do Controle de Infecção Paula Marques Vidal APECIH Hospital São Camilo Unidade Pompéia Tópicos 1. CCIH no Brasil 2. CCIH e a Segurança do Paciente: Qual

Leia mais

Sistema Online de Gerenciamento de Dados Clínicos Utilizando RIA (Rich Internet Applications)

Sistema Online de Gerenciamento de Dados Clínicos Utilizando RIA (Rich Internet Applications) Sistema Online de Gerenciamento de Dados Clínicos Utilizando RIA (Rich Internet Applications) ANTUNES, M. S.¹, SILVA, R. E. S. 2 (orientadora) ¹ Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas RS (FATEC-PEL) Rua

Leia mais

IBM WebSphere Business Monitor

IBM WebSphere Business Monitor Obtenha visibilidade em tempo real do desempenho dos processos de negócios IBM WebSphere Business Monitor Fornece aos usuários de negócios uma visão abrangente e em tempo real do desempenho dos processos

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE PLUG-INS KETTLE PARA GERAÇÃO DE MONDRIAN SCHEMA A PARTIR DE BASES RELACIONAIS, UTILIZANDO A METODOLOGIA AGILE ROLAP.

DESENVOLVIMENTO DE PLUG-INS KETTLE PARA GERAÇÃO DE MONDRIAN SCHEMA A PARTIR DE BASES RELACIONAIS, UTILIZANDO A METODOLOGIA AGILE ROLAP. DESENVOLVIMENTO DE PLUG-INS KETTLE PARA GERAÇÃO DE MONDRIAN SCHEMA A PARTIR DE BASES RELACIONAIS, UTILIZANDO A METODOLOGIA AGILE ROLAP. Eduardo Cristovo de Freitas Aguiar (PIBIC/CNPq), André Luís Andrade

Leia mais

Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação. Sistemas de Informação no SUS Informação para Gestão

Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação. Sistemas de Informação no SUS Informação para Gestão Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação Sistemas de Informação no SUS Informação para Gestão Contato Cláudio Giulliano Alves da Costa, MD, MSc. Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo Assessoria

Leia mais

Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado

Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado DW OLAP BI Ilka Kawashita Material preparado :Prof. Marcio Vitorino Sumário OLAP Data Warehouse (DW/ETL) Modelagem Multidimensional Data Mining BI - Business

Leia mais

Avaliação de Desempenho das Organizações de Saúde

Avaliação de Desempenho das Organizações de Saúde Avaliação de Desempenho das Organizações de Saúde Segurança do Paciente Camila Sardenberg Associação Congregação de Santa Catarina Curso pré-congresso QUALIHOSP 2015 Para o IOM, qualidade no cuidado de

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE RESUMOS PARA A VI JORNADA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE DOENÇAS TROPICAIS HDT/HAA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE RESUMOS PARA A VI JORNADA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE DOENÇAS TROPICAIS HDT/HAA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE RESUMOS PARA A VI JORNADA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE DOENÇAS TROPICAIS HDT/HAA Período de envio dos resumos: 08/10/15 à 10/11/15. Envio dos resumos: os resumos deverão ser enviados

Leia mais