Valter Campanato / ABr. Figueiredo: Tecnologia do TAV será a tecnologia do Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Valter Campanato / ABr. Figueiredo: Tecnologia do TAV será a tecnologia do Brasil"

Transcrição

1 1 1A ANO Publicação dos Despachos da Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro PÁGINAS 4 e 5 1ª Fase 1875 a ª Fase Ano II Edição nº 293 Câmbio (R$) Dólar / BC Compra Venda Paralelo 1,72 1,84 Comercial 1,669 1,671 Turismo 1,653 1,767 Euro / BC 2,265 2,680 Ouro (R$) Grama 76,610 Variação + 0,01% Blue Chips % BMF Bovespa ON + 1,92 Bradesco PN + 2,71 Gerdau PN + 1,48 Itaú Unibanco PN + 2,24 Petrobras PN + 1,26 Sid Nacional PN + 2,53 Vale PNA + 0,64 Economia A Câmara aprovou em votação simbólica (pelos líderes das bancadas), na noite de ontem, o projeto que fixa em R$ 545 o valor do novo mínimo. Duas emendas que não tinham sido votadas até o fechamento desta edição ainda poderiam alterar o valor do salário de Economia A inflação medida pelo Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10) em fevereiro foi de 1,03%, segundo informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O resultado revela aceleração da alta de preços, já que o indicador havia atingido 0,49% em janeiro. PÁGINA 3 José Geraldo da Fonseca Direitos e Deveres Arbitros de futebol queriam receber indenização por uso de suas imagens nas transmissões dos jogos. Em suma: o direito de arena, que autoriza a fixação, transmissão ou retransmissão de imagem de espetáculo desportivo. PÁGINA 8 Quinta-feira, 17 de Fevereiro de 2011 R$ 1,00 Economia já apresentava ritmo menor e mais próximo de sua capacidade no último trimestre O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), divulgado ontem, revela que a economia brasileira cresceu em torno de 7,8% em 2010, mas já apresentava ritmo menor e mais próximo de sua capacidade no último trimestre do ano. O IBC-Br é um indicador antecedente do resultado do Produto Interno Bruto (PIB) e fechou o mês de dezembro em 140,6 pontos, praticamente estável ante novembro. O indicador mostra que houve crescimento, na média, de 1,02% no último trimestre do ano em relação ao terceiro trimestre. Em termos anualizados, essa taxa representa pouco mais de 4% de alta. Isto evidencia uma aceleração no final do ano em comparação com o ritmo apresentado nos três meses anteriores, quando o crescimento sobre o segundo trimestre foi de apenas 0,3%. Já na comparação com o quarto trimestre de 2009, o IBC-Br apresentou, na média, alta de 5%, taxa abaixo do resultado do ano, mas que ainda mostra um ritmo de crescimento econômico significativo da economia. Figueiredo: Tecnologia do TAV será a tecnologia do Brasil O diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Bernardo Figueiredo, disse ontem que as empresas detentoras de tecnologia que não participarem do leilão do trembala, que ligará Rio de Janeiro, São Paulo e Campinas, ficarão de fora das futuras extensões do projeto. A tecnologia que ganhar esse projeto é a tecnologia que será adotada no Brasil para todos os outros projetos, disse Figueiredo. PÁGINA 2 A partir de 2014, a PSA Peugeot Citröen migrará toda a sua produção de veículos médios na América Latina para a Argentina e centrará a fabricação de compactos no Brasil. Com isso, o presidente do grupo para o Brasil e a América Latina, Carlos Gomes, acenou com a possibilidade de uma nova versão do Peugeot 207, hoje produzido na Argentina, passará a ser fabricada no País. A medida visa aumentar a eficiência das unidades. PÁGINA 6 O professor de Economia da Universidade de São Paulo (USP), Fábio Kanczuk, disse que esperava resultado muito forte no quarto trimestre, até por conta do fraco desempenho nos três meses anteriores. Mas os números mostram a economia andando Valter Campanato / ABr Fábio Rodrigues Pozzebom / ABr mais lentamente do que se imaginava, afirmou o economista, que já prevê aumento do PIB de apenas 3,5% em Para Kanczuk, é possível que as medidas macroprudenciais tenham impactado a economia em dezembro, afetando o IBC-Br. PÁGINA 2 INOVAÇÃO - O presidente mundial da General Eletric (GE), Jaffrey Immelt, apresentou ontem à presidente Dilma Rousseff o plano de investimentos de US$ 550 milhões, nos próximos dois anos, em atividades no Centro de Inovação, no Rio. PÁGINA 9 O País deixou de ser o patinho feio da economia mundial e está na vanguarda das nações que mais registram expansão, disse ontem o ministro da Fazenda, Guido Mantega (foto), em palestra fechada para 600 investidores, promovida ã pelo banco BTG Pactual. O PIB do País deve superar o Reino Unido e a França até 2015, em paridade de poder de compra, comentou. Antonio Cruz / ABr O Brasil já atraiu neste ano US$ 18,09 bilhões do exterior, segundo informações do Banco Central. Até o dia 11 deste mês, a entrada de dólares já representa 74,31% de todo o fluxo cambial para o País registrado no ano passado (US$ 24,354 bilhões). Esse resultado desafia as medidas adotadas pelo governo para conter o ingresso de capital externo e está relacionada à alta rentabilidade proporcionada aos investidores pelos juros elevados Se não fossem as fortes intervenções do Banco Central comprando dólares no mercado, a taxa de câmbio estaria num patamar ainda mais baixo do valor atual por conta da pressão dos dólares que ingressam no País. O ingresso de dólares no País voltou a ganhar força na segunda semana de fevereiro. O fluxo cambial para o Brasil no mês, até o dia 11, ficou positivo em US$ 2,58 bilhões. Na primeira semana do mês, o saldo foi positivo foi de apenas US$ 39 milhões. O desempenho do fluxo cambial tem sido determinado principalmente pela conta financeira, que contabiliza os ingressos de dólares de investimentos estrangeiros (diretos na produção ou em títulos e ações), empréstimos e remessas de lucros, entre outros. De acordo com o BC, o ingresso de dólares por essa conta somou US$ 17,57 bilhões até o último dia 11. O diretor de câmbio da Fair Corretora, Mário Battistel, destacou que, se não fosse a ação do BC, a taxa de câmbio estaria abaixo de R$ 1,50. PÁGINA 3 Com a ajuda de auditoria externas, a atual administração do Banco PanAmericano conseguiu desmontar, no final de 2010, uma complexa engenharia envolvendo a maquiagem das contas, que revela um rombo de R$ 4,3 bilhões, bem maior do que o inicialmente estimado, de R$ 2,5 bilhões. Ontem foi divulgado o primeiro balanço após o afastamento de 40 funcionários. Em dezembro, houve prejuízo consolidado de R$ 133,617 milhões. PÁGINA 6

2 2 ECONOMIA Quinta-feira, 17 de Fevereiro de 2011 IBC-Br mostra que economia cresceu, em média, 1,02% no último trimestre Fabio Graner O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou ontem que o Brasil deixou de ser o patinho feio da economia mundial e está na vanguarda das nações que mais registram expansão. O PIB do País deve superar o Reino Unido e a França até 2015, em paridade de poder de compra, comentou, em palestra fechada para 600 investidores, promovida durante a manhã pelo banco BTG Pactual. O áudio da palestra foi distribuído aos jornalistas mais tarde. Mantega fez uma avaliação positiva das perspectivas de crescimento do País nos próximos anos e ressaltou que o A economia brasileira cresceu em torno de 7,8% no ano passado, mas já rodava a um ritmo menor e mais próximo de sua capacidade no último trimestre. É o que apontou ontem o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), que fechou o mês de dezembro em 140,6 pontos, praticamente estável ante novembro, já com os ajustes de fatores típicos do período. O IBC-Br é um indicador antecedente do resultado do Produto Interno Bruto (PIB) que vem sendo divulgado pela autoridade monetária desde o ano passado. Olhando-se apenas para os dados do último trimestre de 2010, o IBC-Br mostra que houve crescimento, na média, de 1,02% ante o terceiro trimestre do mesmo ano. Em termos anualizados, essa taxa representa pouco mais de 4% de alta. Isto evidencia uma aceleração no final do ano em comparação com o ritmo apresentado nos três meses anteriores, quando o crescimento sobre o segundo trimestre foi de apenas 0,3%. Na comparação com o quarto trimestre de 2009, o IBC-Br apresentou, na média, alta de 5%, taxa abaixo do resultado do ano, mas que ainda mostra um ritmo de crescimento econômico significativo da economia brasileira. Os resultados apontados pelo indicador do BC, segundo economistas ouvidos pelo Grupo Estado, já sinalizam que o País entrou em uma rota de crescimento menos intensa e que não colocará em risco os índices de inflação, o que pode representar menor carga de juros por parte do Comitê de Política Monetária (Copom), que terá nova reunião no início de março. Algo acontecendo - O professor de Economia da Universidade de São Paulo (USP), Fábio Kanczuk, disse que esperava um resultado muito forte no quarto trimestre, até por conta do fraco avanço da economia nacional deve ser puxado especialmente por investimentos e pelo contínua evolução da demanda interna. Segundo o ministro, a demanda interna deve ter crescido cerca de 10% em 2010, o que para ele talvez tenha sido excessivo. Ele completou afirmando que neste ano o consumo interno vai desacelerar, mas mesmo assim será robusto a ponto de puxar investimentos. Mantega destacou que o Brasil já está num novo patamar de crescimento, pois deixou de avançar à média de 2,5% ao ano e agora cresce à taxa de 5% ao ano. desempenho nos três meses anteriores. Mas os números mostram a economia andando mais lentamente do que se imaginava, afirmou o economista, que já vislumbra um aumento do PIB de apenas 3,5% em Para Kanczuk, é possível que as medidas macroprudenciais tenham impactado a economia em dezembro, afetando o IBC-Br. O professor considera que os dados de janeiro servirão para consolidar tal percepção. Já tem algo acontecendo. A economia está trabalhando em um nível mais próximo do seu potencial, afirmou. O economista acredita que dado esse quadro, o BC pode fazer um ajuste menor do que o antecipado pelo mercado na Selic (os analistas esperam que os juros saiam dos atuais 11,25% para 12,50% ao ano), de modo a evitar que a economia não desacelere demais. Juros - O ex-diretor do BC Carlos Thadeu de Freitas concorda que a situação já permite se vislumbrar um ajuste menos intenso da Selic. O IBC-Br já mostra a economia se desacelerando, por isso, o ciclo de juros deve ser mais curto, afirmou Freitas, destacando que a autoridade monetária deve fazer mais uma elevação na Selic e depois avaliar o quadro. Na visão do economista, a indústria já tem mostrado enfraquecimento, o comércio, com base nos resultados de dezembro, já mostra um ímpeto menos intenso, além disso, o governo já está atuando para conter a expansão econômica com aperto fiscal, monetário e creditício. O crescimento econômico mudou de faixa. A partir de agora está mais na casa dos 4%, o que não é um resultado ruim, já que o País cresceu demais no ano passado, afirmou Freitas, destacando ainda que o real valorizado deve manter o estímulo às importações, garantindo uma perda de crescimento (chamado no jargão de vazamento externo) ainda significativo em Rosana de Cassia O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, encaminhou à presidente Dilma Rousseff a recomendação de indicação dos nomes de Altamir Lopes para ocupar o cargo de diretor de Administração e de Sidnei Corrêa Marques para o cargo de diretor de Liquidações e Controle de Operações de Crédito Rural. Altamir Lopes é formado em economia e atualmente chefia o Departamento Econômico do BC. Já Sidnei Corrêa Marques é formado em ciências contábeis e chefia o Departamento de Monitoramento do Sistema Financeiro e de Gestão da Informação do BC. Os nomes ainda terão de ser submetidos à aprovação do Senado. Em nota divulgada ontem, o BC informa também que, após oito anos no cargo, Antonio Gustavo Matos do Vale deixa, a pedido, a Diretoria de Liquidações e Controle de Operações de Crédito Rural e que Alvir Alberto Hoffmann deixa, também a pedido, depois de três anos, a Diretoria de Fiscalização. Ambos permanecerão na diretoria colegiada do Banco Central até que os novos nomes sejam apreciados pelo Senado, informa a nota A Diretoria de Fiscalização será assumida pelo atual diretor de Administração, Anthero de Moraes Meirelles. Os novos nomes indicados para ocupar a diretoria do Banco Central garantem a manutenção de um perfil majoritariamente técnico, com funcionários de carreira do serviço público para o comando colegiado da autoridade monetária A escolha de Altamir Lopes para a diretoria de Administração e de Sidnei Corrêa Marques para a diretoria de Liquidações e Controle de Operações de Crédito Rural, ambos atualmente chefes de departamentos na autoridade monetária que estão sob diretorias diferentes das que ocuparão, junto com a movimentação de Anthero Meirelles da diretoria de Administração para a de Fiscalização, tem o significado de reforçar as decisões colegiadas da direção do BC. Afinal, com os diretores conhecendo diversas áreas da autoridade monetária, as discussões no colegiado se tornam mais qualificadas e as decisões com um maior respaldo de conhecimento técnico. Ainda restam em tese, duas diretorias a serem ocupadas: Normas, que vem sendo acumulada pelo diretor de Assuntos Internacionais, Luiz Pereira, e a de Estudos Especiais, que está congelada há algum Elza Fiúza / ABr Altamir Lopes deve assumir Diretoria de Administração tempo e pode ser reaberta. O presidente do BC, Alexandre Tombini, ainda não definiu os nomes que as ocuparão e também ainda não bateu o martelo se realmente vai descongelar a diretoria de Estudos, hipótese que já foi mais forte em outros momentos. Luiz Pereira poderá acabar ficando em definitivo com a diretoria de Normas, deixando vaga a de Assuntos Internacionais. Um nome do mercado financeiro pode ser chamado para completar o quadro de diretores. Zeina Latif, economista-chefe do RBS Global é favorita na bolsa de apostas e não encontraria resistências no Palácio do Planalto, embora o Ministério da Fazenda preferisse uma diretoria só com nomes do serviço público no BC. De qualquer forma, o fato é que Tombini ainda não fechou o terceiro nome para sua diretoria e, por enquanto, optou apenas por agilizar as substituições mais urgentes, já que os diretores Gustavo do Vale (Liquidações) e Alvir Hoffmann (Fiscalização) já haviam manifestado o desejo de se aposentar do BC. Gustavo do Vale possivelmente ocupará outro cargo no governo, já que ele é cotado para presidir a Infraero. Karla Mendes Das Agência Estado As empresas detentoras de tecnologia que não participarem do leilão do trem-bala, que ligará as cidades de Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro, ficarão de fora das futuras extensões do projeto para outras cidades, como Curitiba e Belo Horizonte, previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A tecnologia que ganhar esse projeto é a tecnologia que vai ser adotada no Brasil para todos os outros projetos, disse ontem à reportagem o diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Bernardo Figueiredo. Não tenha dúvida de que a tecnologia que ganhar agora será a tecnologia do Brasil. E a tecnologia do Brasil, provavelmente, será a tecnologia mais competitiva na Argentina, Chile e em outros lugares, reforçou Figueiredo. A lógica é a mesma do sistema do modelo nipo-brasileiro de TV digital, que está sendo exportado para vários países. É o mesmo pensamento, afirmou. Na opinião de Figueiredo, é a partir dessa visão global do negócio que o consórcio coreano mantém firme sua proposta para participar do leilão. Por que o coreano é o cara que não questiona, estuda, fala que não tem dúvida que vai entrar? Ele sabe que, se ele ganhar esse leilão, a tecnologia dele vai ganhar uma escala que na Coreia ele não consegue ganhar. O Brasil pode demorar, mas vai ter um sistema de alta velocidade muito maior do que a Europa, ressaltou. Estratégia - A partir da definição da tecnologia vencedora, explicou Figueiredo, o Brasil fará a internalização do modelo, de modo a propiciar a produção desses equipamentos no Brasil. Aí vou fazer outra licitação e abrir de novo (para escolha de tecnologia)? Aí nunca vou ter escala de produção nacional, enfatizou. Por essa razão, Figueiredo alerta que as empresas de tecnologia devem ver a participação no leilão do Trem de Alta Velocidade (TAV), marcada para abril, de forma estratégica. Esse pessoal de tecnologia não está vendo isso do ponto de vista estratégico. Eles acham que o governo vai sair contratando tecnologia diferente a cada momento. Mas o governo não fará e nem pode, observou. Se isso acontecesse, Figueiredo alerta que será impossível ter produção em escala no Brasil. A tecnologia que ficar fora agora, vai ficar fora do mercado brasileiro. Quem não participar, não está vendo o mercado brasileiro como uma coisa importante para ele, frisou. Consórcios - O impasse entre construtoras e detentores de tecnologia para a formação dos consórcios que participarão do leilão do TAV parece estar chegando ao fim. As construtoras estão se colocando, objetivamente, como investidor, afirmou Figueiredo. Até poucas semanas atrás, essa era a maior dificuldade para a composição dos grupos que participariam da disputa. Para Figueiredo, haverá pelo menos três consórcios: o coreano, um liderado pela Associação Paulista de Empresários de Obras Públicas (Apeop), que agrega as grandes empresas, e outro encabeçado por gigantes do setor, como Odebrecht e Andrade Gutierrez. Eles estão conversando separado. Se estão se juntando lá trás, eu não sei, mas com certeza tem um grupo que está separado mesmo, que é a Apeop, disse. Como as obras de construção civil representam 70% do investimento necessário para o projeto, Figueiredo acredita que faz todo sentido os outros consórcios serem liderados pelas construtoras. Para ele, os detentores de tecnologia podem, inclusive, sair da posição de investidor para fornecedor de tecnologia. Os planos de previdência privada aberta tiveram arrecadação de R$ 46 bilhões em 2010, 18,79% maior que em 2009, quando atingiu R$ 38,7 bilhões. A Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (Fenaprevi) informa que somente em dezembro, as aplicações somaram R$ 6,7 bilhões, o que representa aumento de 21,14% na comparação com o mesmo período de O número de titulares de planos de aposentadoria privada chegou a 77 mil em dezembro, variação de 0,34% sobre igual período do ano anterior. No acumulado de 2010, o plano do tipo VGBL ficou com R$ 36,7 bilhões, avanço de 21,59% ante 2009, e o PGBL arrecadou R$ 6 bilhões, ou 16,58% a mais. Já os planos tradicionais responderam por R$ 3,2 bilhões, enquanto outros produtos, como FAPI, PGRP e O diretor-geral da ANTT, Bernardo Figueiredo, afirma que empresas de tecnolofia devem ver a participação no leilão do TAV, marcada para abril, de forma estratégica VGRP, somaram R$ 15,9 milhões. Em dezembro, os VGBLs tiveram depósitos de R$ 5,2 bilhões, alta de 23,33% ante o igual mês do ano anterior, enquanto os PG- BLs cresceram 21,36%, para R$ 1,2 bilhão em dezembro. Os planos tradicionais recuaram 7,94%, para R$ 298,9 milhões. Segundo a Fenaprevi, em 2010 os planos individuais foram o destaque, com aportes de R$ 39,1 bilhões, 27,26% superior aos de Já os planos empresariais cresceram 16,42%, para R$ 5,4 bilhões e os aportes destinados a planos para menores registraram R$ 1,4 bilhão no ano. O ranking de captação no ano passado apresenta o Bradesco Vida e Previdência na liderança, com 31,18% do total dos aportes arrecadados, seguido por Brasil- Prev (21,05%. Publicação da empresa JGN Editora Ltda. Departamento Comercial e Administração Rua Debret, 23 Sobreloja 116 e 117 Centro - Rio de Janeiro CEP Diretora Geral Elizabeth Campos Comercial: PABX (21) Conselho Editorial: Des. José Geraldo da Fonseca Des. José Lisboa da Gama Malcher Mônica de Cavalcanti Gusmão Redação: (21) / Projeto Gráfico:dtiriba design gráfico Impressão: Gráfica Monitor Mercantil Rua Marcílio Dias, 26 - Centro - RJ Editor- chefe: Jorge Chaves Subeditora: Rafaela Pereira Diagramação: Felipe Ribeiro Rodrigo Gurski Artigos & Colunas: Filiado à Preços de Assinatura Trimestral...R$ 60,00 Semestral...R$ 110,00 Anual...R$ 210,00 Serviço Noticioso Agências Brasil e Estado As matérias e artigos são de responsabilidade dos autores e não representam, necessariamente, a opinião deste jornal

3 Entrada de dólares até o dia 11 representa 74,31% de todo o fluxo em 2010 (US$ 24,354 bi) Adriana Fernandes Com os juros altos garantindo alta rentabilidade para os investidores, o Brasil já atraiu neste ano US$ 18,09 bilhões do exterior. A entrada de dólares de janeiro até o dia 11 de fevereiro já representa 74,31% de todo o fluxo cambial para o País registrado no ano passado (US$ 24,354 bilhões), desafiando as medidas adotadas pelo governo para conter o ingresso de capital externo. Todos os dólares estão sendo comprados pelo Banco Central. Se não fossem as fortes intervenções do BC no mercado cambial, a taxa de câmbio estaria num patamar ainda mais baixo do valor atual por conta da pressão dos dólares que ingressam no País. Segundo dados divulgados ontem pelo BC, o ingresso de dólares no País voltou a ganhar força na segunda semana de fevereiro. O fluxo cambial para o Brasil no mês, até o dia 11, ficou positivo em US$ 2,58 bilhões. Na primeira semana do mês, o saldo foi positivo foi de apenas US$ 39 milhões. O desempenho forte do fluxo cambial no ano foi determinado principalmente pela conta financeira, que contabiliza os ingressos de dólares de investimentos estrangeiros (diretos na produção ou em títulos e ações), empréstimos e remessas de lucros, entre outros. O ingresso por essa conta somou US$ 17,57 bilhões até o dia 11 passado. Já no segmento comercial, que contabiliza as operações de câmbio para importações e exportações, o saldo é positivo em US$ 518 milhões. As compras de dólares feitas pelo BC em fevereiro reforçaram as reservas internacionais em US$ 4,35 bilhões. A quantidade comprada é maior do que o fluxo de entrada de dólares no mês. Falta ação agressiva - O diretor de câmbio da Fair Corretora, Mário Battistel, destacou que, se não fosse a ação do BC, a taxa de câmbio estaria abaixo de R$ 1,50. Segundo Battistel, a autoridade monetária tem até procurando antecipar as compras quando identifica a realização de captações externas de empresas. Para ele, o governo não tem uma ação ainda mais agressiva no câmbio porque o ECONOMIAQuinta-feira, 17 de Fevereiro de dólar baixo funciona como uma ferramenta adicional para o controle da inflação. Na avaliação de Battistel, o fluxo forte está associado ao capital especulativo em busca da alta rentabilidade provocada pelo diferencial de juros do Brasil com o exterior. O economista da LCA consultoria, Flavio Samara, avaliou que a tendência é de continuidade do fluxo elevado de ingresso de dólares. Segundo ele, o diferencial de juros e os fundamentos positivos da economia mantêm o País atrativo para o capital externo. O cenário só deve mudar, acredita o economista, quando o Banco Central dos Estados Unidos (FED) começar a aumentar os juros. O grupo das 20 maiores economias do mundo (G20) vê o aumento dos preços das commodities, o potencial superaquecimento das economias emergentes e os problemas das dívidas soberanas nos países desenvolvidos como os principais riscos para a recuperação global, segundo o esboço do documento que será divulgado no próximo sábado na reunião dos ministros de Finanças e autoridades dos bancos centrais do grupo, em Paris. A declaração preliminar também destaca que cortes orçamentários, taxas de câmbios mais livres e reformas estruturais estão entre as prioridades políticas do grupo. O rascunho do documento, ao qual a agência Dow Jones teve acesso, afirma que os países desenvolvidos e os em desenvolvimento concordaram sobre um conjunto limitado de indicadores para avaliar os grandes desequilíbrios econômicos, mas o comunicado sugere que esses indicadores ainda terão de ser determinados. O G20 pede no documento preliminar uma ação política coordenada para assegurar o crescimento equilibrado e sustentável para a economia mundial, onde a recuperação está progredindo em linha com nossas expectativas, mas ainda é irregular. Enquanto a maior parte das economias desenvolvidas está observando um modesto crescimento e um alto desemprego persistente, as economias em desenvolvimento estão apresentando um crescimento robusto, parte delas com sinais de superaquecimento, afirma o G20, segundo o esboço da declaração Os riscos de desaceleração permanecem, incluindo as atuais tensões nos mercados de dívida soberana das economias avançadas, as pressões inflacionárias que, juntamente com os fluxos significativos de capital nas economias emergentes, criam riscos de bolhas de ativos, além dos preços das commodities que levantam preocupações sobre a sustentabilidade do crescimento e a segurança alimentar. Diretrizes - O G20 desenvolverá diretrizes para avaliar os desequilíbrios globais antes da sua próxima reunião, em abril, afirma o rascunho. A questão provou-se polêmica nas últimas reuniões do G20, com os Estados Unidos pedindo que as maiores nações poupadoras, como a China, Alemanha e o Japão, façam mais para impulsionar o consumo doméstico ao invés de basear o crescimento de suas economias nas exportações. O tema assume uma importância relevante, visto que a lenta recuperação dos EUA sinaliza que não se pode mais contar com As taxas de câmbio deverão ter lugar proeminente nas discussões do G20, com os Estados Unidos e potências emergentes, como o Brasil, dizendo que a China desvaloriza deliberadamente sua moeda para beneficiar seus exportadores. A China, por sua vez, acusa os EUA de usar a política monetária frouxa para desvalorizar o dólar, que também serve como principal moeda de reserva mundial. O esboço do documento reconhece que as tensões e as vulnerabilidades são claramente aparentes no sistema monetário internacional, e pede melhorias para assegurar a estabilidade sistêmica e evitar maiores flutuações das taxas de câmbio e dos fluxos de capital O documento prevê que a os consumidores americanos para impulsionar o crescimento global. Os EUA apresentaram no ano passado uma proposta preliminar para que os países reduzam os Anne Warth A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, disse ontem não saber quando será dada a licença definitiva para a usina hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu (PA). Segundo Izabella, o assunto está sendo conduzido pelo Ibama, com base em critérios técnicos, e não deve sofrer influência política. O licenciamento como um todo segue o rito. Se você me perguntar quando é que sai, eu não tenho a menor ideia. Vou ser comunicada disso porque o Ibama está conduzindo o assunto, afirmou a ministra, após se reunir com empresários na sede da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), em São Paulo. A licença definitiva não saiu, está em análise e segue o processo interno no Ibama, com todos os requisitos. Isso tem sido uma orientação minha desde que assumi o ministério. Ministro não vai para dentro de Ibama negociar nada. O Ibama é órgão técnico e trabalha dentro de decisões técnicas, afirmou Izabella. Críticas - A ministra refutou as críticas segundo as quais os processos de licenciamento para obras são conduzidas de forma muito lenta pelo Ibama. Em 2002, o Ibama recebia anualmente 610 processos. Em 2010, foram 1,9 mil. Eu não dou licença em um mês. Entendam isso: o processo de licenciamento usualmente demora no mínimo de seis meses a 18 meses, dependendo do empreendimento. Na avaliação da ministra, a concessão de licenciamentos ambientais não pode ser politizada. Ela defendeu a atuação do Ibama, que concedeu ao consórcio Norte Energia, responsável pela obra da usina de Belo Monte, a licença de autorização de supressão de vegetação no último dia 26 de janeiro. A licença prévia permite que o consórcio instale a infraestrutura necessária para o canteiro de obras. A ministra disse que o Ibama não sofreu pressões para conceder a licença prévia. O Ibama não deu parecer contrário, é importante ressaltar. Tem cinco pareceres do Ibama sinalizando, no caso dessa licença, que havia viabilidade para dar, afirmou. Segundo ela, todos os ritos foram seguidos. Izabella disse que as reivindicações do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, que tem pressionado pela liberação da licença definitiva, são legítimas. O ministro Edison Lobão fala sobre as questões do setor dele e tem competência para falar, mas quem vai liberar a licença é o Ibama. O ministro pode solicitar e para isso tem de ver se as condições técnicas do licenciamento estão preenchidas, disse. reunião do G20, em Paris, levará a um plano de trabalho para fortalecer o sistema monetário, incluindo medidas para administrar os fluxos de capital e a liquidez global. O esboço do comunicado também diz que o grupo irá discutir os relatórios do Fundo Monetário Internacional (FMI), do Banco Mundial, e de outras instituições, sobre o sistema monetário e controles de capitais. O rascunho também expressa preocupação sobre o impacto da volatilidade dos preços das commodities, incumbindo os membros do G20 a criarem um plano de ação. O G20 diz no documento preliminar que pedirá ao FMI e a outras instituições que recomendem medidas para reduzir a volatilidade excessiva dos preços da gasolina e do carvão. desequilíbrios em conta corrente para 4% ou menos de seus respectivos Produtos Internos Brutos (PIBs) até 2015, mas a China e a Alemanha se opuseram. COMÉRCIO EXTERIOR O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) publicou ontem portaria regulamentando o regime especial de Drawback Integrado Isenção, que permite a reposição de estoques pela indústria, com isenção de impostos, de mercadoria utilizada na fabricação de produtos exportados. O regime vigora na segundafeira. Hoje, o exportador já pode comprar produtos importados para usar na fabricação de bens exportáveis sem pagar tributos. A portaria dá o mesmo benefício na compra de insumos nacionais O regime dá isenção de Imposto de Importação, IPI, PIS/Pasep e Cofins. Para ter direito ao benefício, a empresa deverá solicitar a isenção, por formulário, no modelo e padrão especificado pela Secretaria de Comércio Exterior. Precisa provar que usou os insumos para produzir bens que foram exportados. Alessandra Saraiva A inflação medida pelo Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10) em fevereiro foi de 1,03%, segundo informou ontem a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O resultado revela uma aceleração da alta de preços, já que o indicador havia registrado taxa de 0,49% em janeiro. Economistas esperavam um resultado entre 0,83% e 1,05% em fevereiro. A mediana das expectativas estava em 0,98%. No caso dos três indicadores que compõem ao IGP-10, o Índice de Preços por Atacado - 10 (IPA-10) subiu 1,16%, após avançar 0,35% em janeiro. Por sua vez, o Índice de Preços ao Consumidor - 10 (IPC-10) apresentou alta de 0,92% em fevereiro, ante o aumento de 0,9% no primeiro mês do ano. Já o Índice Nacional do Custo da Construção - 10 (INCC-10) teve taxa positiva de 0,42% em fevereiro, ante o aumento de 0,50% em janeiro. Até fevereiro, o IGP-10 acumula alta de 1,53% no ano e de 11,44% em 12 meses. O período de coleta de preços para o IGP- 10 deste mês foi do dia 11 de janeiro ao dia 10 de fevereiro. Segundo o coordenador de Análises Econômicas da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Salomão Quadros, os maiores impactos na aceleração do indicador foram originados de commodities, tanto do setor agrícola quanto do setor industrial. No entanto, os movimentos de alta de preços no setor agropecuário são mais preocupantes no cenário da inflação no longo prazo, na análise do especialista. Quadros comentou que, no caso do minério de ferro, que saiu de uma queda de 0,92% para uma alta de 5,62% de janeiro para fevereiro, a elevação foi causada principalmente devido ao reajuste promovido pela Vale, que ajusta o preço do produto de três em três meses, de acordo com as oscilações no mercado internacional. Mas Quadros observou que este impacto, embora expressivo, vai ser completamente captado em fevereiro pelos Índices Gerais de Preços (IGPs). O mesmo não pode ser dito das atuais elevações de preços nas commodities agropecuárias. Segundo o técnico da FGV, a inflação das matérias primas agropecuárias, que representa as commodities no atacado, saltou de 1,12% para 2,67% de janeiro para fevereiro. Entre os aumentos mais expressivos estão as altas de algodão em caroço (19,68%); e milho em grão (8,37%). Estes itens também acumulam elevação expressiva em 12 meses até fevereiro. Somente o algodão em caroço já registra alta de 147,32% em 12 meses. Já o milho em grão registra inflação de 60,79% em 12 meses. Quadros explica que estes itens têm uma longa cadeia de derivados no atacado e no varejo. Ou seja: uma parte destes aumentos, em algum momento, vai ser repassada para outros itens, pressionando para cima a inflação. O impacto do minério vai ceder nos IGPs, e isso vai ajudar a inflação do atacado a desinflar um pouco. Só temos que acompanhar o que vai acontecer com as matérias-primas agropecuárias, afirmou o economista. A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) foi de 0,82% até a quadrissemana finalizada em 15 de fevereiro (segunda prévia do mês), informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV). A taxa ficou abaixo da apurada na prévia anterior, de até 7 de fevereiro, quando houve alta de preços de 1,16%. Entre as sete classes de despesa pesquisadas pela FGV, cinco apresentaram decréscimos em sua taxa de variação de preços, entre a primeira e a segunda quadrissemana de fevereiro. A perda de força na inflação dos alimentos, de 1,15% para 0,55%, levou à taxa menor do IPC- S de até 15 de fevereiro. Os destaques ficaram por conta da desaceleração e das quedas de preços em hortaliças e legumes (de 11,22% para 8,39%), frutas (de 0,17% para -1,59%) e carnes bovinas (de -1,85% para -2,7%) entre a primeira e a segunda prévia de fevereiro. Mais quatro classes de despesa mostraram decréscimos em sua taxa de variação de preços: Educação, Leitura e Recreação (de 2,92% para 1,95%), Transportes (de 2,80% para 2,21%), Vestuário (de -0,06% para -0,47%) e Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,39% para 0,32%). As outras classes apresentaram aceleração de preços no período: Habitação (de 0,39% para 0,46%) e Despesas Diversas (de 1,41% para 1,48%). Entre os produtos pesquisados no varejo, a FGV informou que as altas mais expressivas foram registradas em tarifa de ônibus urbano (4,64%), tomate (19,76%) e alface (21,4%). Já as mais expressivas quedas foram apuradas em limão (baixa de 28,18%), feijão carioquinha (recuo de 11,67%) e batata-inglesa (queda de 8,28%). O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), apurado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) na cidade de São Paulo, registrou alta de 0,95% na segunda quadrissemana de fevereiro, desacelerando em relação à alta de 1,12% da primeira quadrissemana. Três dos sete grupos pesquisados registraram desaceleração da alta de preços: Alimentação (de 0,29% para 0,06%), Transportes (de 3,24% para 2,47%) e Educação (de 4,81% para 3,48%). Os preços aceleraram nos grupos Habitação (de 0,58% para 0,67%), Despesas Pessoais (0,89% para 0,90%), Saúde (de 0,73% para 0,92%) e Vestuário (de 0,15% para 0,28%).

4 4 Quinta-feira, 17 de Fevereiro de 2011 JUCERJAJUNTA COMERCIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Despachos de 16 de Fevereiro de 2011 Documentos Deferidos PROC. EMPRESA POR CENTO CLEAN EMPRESA DE SERVICOS GERAIS LTDA IDEIAS PUBLICIDADE LTDA DITRAL DIAGNOSTICO E TRATAMENTO LTDA L SOLUCOES E INTERMEDIACOES FINANCEIRA LTDA MV BAR E WHISKERIA LTDA ME A C BARBOSA REFORMAS ME A C LEAL SERVICOS EM TECNOLOGIA ME A D R DISTRIBUIDORA DE PRODUTOS ALIMENTICIOS LTDA A D R DISTRIBUIDORA DE PRODUTOS ALIMENTICIOS LTDA A DE OLIVEIRA BEBIDAS ME A F DE LIMA PRODUTOS ALIMENTICIOS ME A FAVORITA KIDS DE MIRACEMA COMERCIO DE ROUPAS E CONFECCOES LTDA A FAVORITA KIDS DE MIRACEMA COMERCIO DE ROUPAS E CONFECCOES LTDA A G CARVALHO PERSIANAS A G CARVALHO PERSIANAS A G M EMPREENDIMENTOS IMOBILIARIOS LTDA A J SOUZA FURTADO COMERCIO DE AGUA MINERAL E REFRIGERANTES LTDA A R ACAO CONSTRUCOES E COMERCIO LTDA A S LIMA SERVICOS E RFEFORMAS A S PARENTE COMERCIO, DISTRIBUIDORA E LOCACOES ME A SCHINAIDER SERVICOS ADMINISTRATIVOS ME A SCHINAIDER SERVICOS ADMINISTRATIVOS ME AALBORG INDUSTRIES S.A AALBORG INDUSTRIES S.A AALBORG INDUSTRIES S.A ABARUNA REPRESENTACAO COMERCIAL LTDA ABARUNA REPRESENTACAO COMERCIAL LTDA ABSOLUTE EXAMINACOES NAO DESTRUTIVAS LTDA ABSOLUTE EXAMINACOES NAO DESTRUTIVAS LTDA AC LOBATO S/A ACACIO JAEGGE FILHO ACACIO JAEGGE FILHO ACARA BRASIL OTICA LTDA ACARA BRASIL OTICA LTDA ACCIOLI COMERCIO E IMPORTACAO DE MOVEIS E ARTIGOS PARA DECORACOES LTDA EPP ACOUGUE GAUCHO LTDA ME ADAO DOS SANTOS ADEGA STOCK DISTRIBUIDORA DE BEBIDAS LTDA ME ADRIANA DA COSTA ROSA FARIA ADRIANA DA SILVA DE ABREU MODAS ADRIANA DA SILVA DE ABREU MODAS AFS COMERCIO REPRESENTACAO E PRESTACAO DE SERVICOS LTDA AGLAIA COMERCIO DE ROUPAS LTDA AGROCOMERCIAL DISTRIBUIDORA DE HORTIFRUTGRANJEIRO N E F LTDA ME ALDO FAGUNDES ALEXANDRE JOSE DE CAMPOS ALEXANDRE PEREIRA DA COSTA ALEXANDRE PEREIRA DA COSTA ALEXSANDER GRILLI ALLAN A DA SILVA CALCADOS ALLAN A DA SILVA CALCADOS ALLPARK EMPREENDIMENTOS PARTICIPACOES E SERVICOS S/A ALP CENTRO DE BELEZA LTDA ALTEC COMERCIO E INDUSTRIA DE ESTRUTURAS METALICAS LTDA ME ALTEC MONTAGENS DE EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS LTDA ALTHA RJ PARTICIPACOES S A ALYBERT CONSTRUTORA LTDA ME AMA COMERCIO DE LIVROS LTDA AMA COMERCIO DE LIVROS LTDA AMERICO HOMERO DA FONSECA ME ANA ISA SOARES DE AMORIM ANA PAULA DE OLIVEIRA CARDOZO ANA PAULA DE OLIVEIRA CARDOZO ANA PAULA GOMES DA SILVA ANA PAULA JARDIM ANAHOLA COMERCIO VAREJISTA DE ROUPAS LTDA ANAHOLA COMERCIO VAREJISTA DE ROUPAS LTDA ANDREIA C DA SILVA SERVICOS DE FACCAO ANDREIA C DA SILVA SERVICOS DE FACCAO ANGELA M A DE SOUZA ARTIGOS PARA PRESENTES ANGELA M A DE SOUZA ARTIGOS PARA PRESENTES ANILHAS TABACARIA LTDA ME ANTONIO CARLOS CAETANO RIBEIRO AR EMPREENDIMENTOS IMOBILIARIOS LTDA ARIADNE DE SOUZA COELHO ARMADA ROZZO COMERCIO DE VEICULOS LTDA ARMCO STACO S/A INDUSTRIA METALURGICA ARMORGROUP DO BRASIL SERVICOS DE CONSULTORIA DE SEGURANCA PRIVADA LTDA ARMORGROUP DO BRASIL SERVICOS DE CONSULTORIA DE SEGURANCA PRIVADA LTDA ARMORGROUP DO BRASIL SERVICOS DE CONSULTORIA DE SEGURANCA PRIVADA LTDA ARTEL SERVICOS TECNICOS LTDA EPP ASA DEPILACAO LTDA ASA DEPILACAO LTDA ASSESSORIA COMERCIAL DE SANTA CRUZ LTDA ME ATELIER DUMONT LTDA ME ATEND RIO DE JANEIRO SERVICOS DE INFORMATICA LTDA ME ATHOS FARMA SUDESTE S/A A-TONO LATIN AMERICA MARKETING E SERVICOS DIGITAIS LTDA AURORA GOLD MINERACAO LTDA AUTO CRISCAR VEICULOS 2004 LTDA ME AUTO MECANICA PARAGUACU LTDA ME AUTO MECANICA WEST CAR SERVICOS DE MANUTENCAO LTDA ME AUTO PECAS TRAJANE MELHOR PRECO LTDA ME AUTO SOCORRO JB LTDA AVANTE POR JESUS CARGA E DESCARGA LTDA AX INDUSTRIA E COMERCIO DE EMBALAGENS LTDA B & T TURKIENICZ INFORMATICA LTDA B E L ESTUDIO GRAFICO LTDA ME BAR E LANCHONETE SO AMIGOS LTDA ME BAR E RESTAURANTE XUKA S LTDA ME BARBARA SAPECA MOTO PECAS LTDA ME BARRATIBA INCORPORACAO E EMPREENDIMENTOS LTDA BARRETO CONGELADOS LTDA BARRETO CONGELADOS LTDA BARROS COMERCIO VAREJISTA DE GENEROS ALIMENTICIOS LTDA BARROS COMERCIO VAREJISTA DE GENEROS ALIMENTICIOS LTDA BARROZO & SOUZA LTDA ME BAZAR E MERCEARIA MONTEIRO CHAGAS LTDA ME BAZAR SOLIVEIRA COMERCIO E SERVICOS LTDA ME BAZAR VASSOURINHA LTDA ME BELA VISTA MIDIA EXTERIOR LTDA BERNIE C PIRES BERNIE C PIRES BERTOL & BERTOL CONSTRUCOES LTDA EPP BETTER PLUS CONSULTORIA EMPRESARIAL LTDA BIA E JULI COMERCIO DE BIJUTERIAS E PRESENTES LTDA ME BIG RESTAURANTE HOTEL E PIZZARIA DE IMBARIE LTDA BIG RESTAURANTE HOTEL E PIZZARIA DE IMBARIE LTDA BIO CONTROL CONTROLE DE PRAGAS E VETORES LTDA EPP BISCOITOS DA MARE COMERCIAL LTDA BISCOITOS DA MARE COMERCIAL LTDA BJ3 CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA BN 32 PARTICIPACOES LTDA BON PRIX COMERCIO VAREJISTA DE ARTIGOS PARA BAZAR LTDA BON PRIX COMERCIO VAREJISTA DE ARTIGOS PARA BAZAR LTDA BONOMO SERVICOS DE INFORMATICA LTDA BORRACHACAR 2000 COMERCIO ATACADISTA DE ARTEFATOS DE BORRACHA LTDA ME BPN SOLUCOES FINANCEIRAS LTDA BR METALS FUNDICOES LTDA BRASIL TELECOM S/A BRASIL TELECOM S/A BRASIL TELECOM S/A BRIEFING MARKETING LTDA ME BRINDISI RJ PARTICIPACOES S/A BRUNA E VANIA COMERCIO DE ROUPAS LTDA BRUNA E VANIA COMERCIO DE ROUPAS LTDA BURTON DO BRASIL LTDA BURTON DO BRASIL LTDA BUSINESS TO BUSINESS MARKETING ESPORTIVO LTDA BUTEKO DO VARZEA BAR LANCHONETE E RESTAURANTE LTDA BUTEKO DO VARZEA BAR LANCHONETE E RESTAURANTE LTDA BY KONECTA INFORMATICA LTDA ME C & J COMERCIO DE BEBIDAS LTDA ME C A DOS SANTOS TRANSPORTES C F SILVA COSTA LIVRARIA ME C H COMERCIO DE VEICULOS LTDA C H COMERCIO DE VEICULOS LTDA C H HONORIO DA GRACA ME C L & P SERVICOS WEB LTDA C L & P SERVICOS WEB LTDA C P MARQUES PACHECO C P MARQUES PACHECO C R DOS SANTOS JUNIOR PRODUTOS DE LIMPEZA HIGIENE ELETRO ELETRONICOS C R DOS SANTOS JUNIOR PRODUTOS DE LIMPEZA HIGIENE ELETRO ELETRONICOS C S SOLUCAO TOTAL LTDA C S SOLUCAO TOTAL LTDA C V M GUIMARAES REPRESENTACAO COMERCIAL LTDA C V M GUIMARAES REPRESENTACAO COMERCIAL LTDA CAFE E BAR CATEDRAL LTDA CAFE SORELLE LTDA ME CAFE VELLOSO BOTAFOGO LTDA CAFE VELLOSO BOTAFOGO LTDA PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS CAFETERIA OLIVEIRA GUIMARAES LTDA CAFETERIA OLIVEIRA GUIMARAES LTDA CAFOX SERVICOS DE CONSULTORIA E APOIO ADMINISTRATIVO LTDA CAFOX SERVICOS DE CONSULTORIA E APOIO ADMINISTRATIVO LTDA CAPRI ATACADISTA DE INSUMOS INDUSTRIAIS LTDA CAPULLETO DE ANGRA SELF SERVICE LTDA ME CARATINGA COMERCIO DE MAQUINAS E EQUIPAMENTOS NOVOS USADOS E REFORMADOS LTDA CARATINGA COMERCIO DE MAQUINAS E EQUIPAMENTOS NOVOS USADOS E REFORMADOS LTDA CARDOSO PRIMO RESTAURANTE LTDA CARDOSO PRIMO RESTAURANTE LTDA CARISMA COMERCIO DE ALIMENTOS E DESCARTAVEIS LTDA ME CARISMA COMERCIO DE ALIMENTOS E DESCARTAVEIS LTDA ME CARLOS AUGUSTO GOMES DA SILVA ME CARLOS FREDERICO REICH VALLE ME CARRAO AUTO PECAS E MECANICA LTDA CARRINHO COLETIVO.COM PRESTACAO DE SERVICOS DIGITAIS LTDA CARROCERIAS CENTRO MANILHAS LTDA CASA 3 IRMAOS BAZAR E MATERIAL DE CONSTRUCAO LTDA CENTRO DE FORMACAO DE CONDUTORES AMARAL LTDA CENTRO DE FORMACAO DE CONDUTORES AMARAL LTDA CHECAR PADUA AUTO MECANICA LTDA ME CHOC SHOW CHOCOLATES FINOS LTDA ME CIENCIA E VIDA LABORATORIO DE ANALISES CLINICAS LTDA ME CINARA FRANKLIN PICININI CINGULAR TELEFONIA LTDA ME CLAUDIA VALERIA DA SILVA ME CLINIC ESTETIC LTDA ME CLINICA DE OLHOS DR LUIS CLAUDIO DIAS DA SILVA LTDA CMG RIO COMERCIO E DISTRIBUIDORA LTDA EPP COFFEINSIDE VIDEO E INFORMATICA LTDA COLHER DE PAU GOURMET ALIMENTACAO RESTAURANTE BUFFET E EVENTOS LTDA ME COMEMORE PUBLICIDADE NA WEB LTDA COMEMORE PUBLICIDADE NA WEB LTDA COMERCIAL CAMPO ALEGRE DE PESCA PISCINA E JARDIM LTDA ME COMERCIO DE ALIMENTOS TERRAFORTE LTDA COMERCIO DE BEBIDAS E ALIMENTOS LBM LTDA COMERCIO DE BEBIDAS E ALIMENTOS LBM LTDA COMERCIO DE MATERIAIS DE CONSTRUCAO JUST LTDA ME COMESTIVEIS DA WL 1783 JCMR LTDA EPP COMEX CARE COMERCIO INTERNACIONAL LTDA CONFIANCA MUDANCAS E TRANSPORTES LTDA CONFIDERE IMOBILIARIA INCORPORADORA E ADMINISTRADORA DE IMOVEIS CIDADE NOVA LTDA CONSORCIO DE VOZ OI/COPASA CONSTRUTORA ARAUJO E OLIVEIRA LTDA CONSTRUTORA PETROPOLIS LTDA CONSTRUTORA PETROPOLIS LTDA CONSTRUTORA QUEIROZ GALVAO S/A CONTASS CONTABILISTAS ASSOCIADOS LTDA CONTUDO CONSTRUCOES SERVICOS E COMERCIO LTDA CONTUDO CONSTRUCOES SERVICOS E COMERCIO LTDA CONVERTEDORA POR DO SOL PADUA CONVERTEDORA POR DO SOL PADUA CONVIDA ALIMENTACAO LTDA COOPERATIVA DOS VENDEDORES DE PLANOS DE SAUDE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO C V P S CORDEIRO E BARBOSA CURSOS PREPARATORIOS LTDA CORMAQ COMERCIO DE PIGMENTOS LTDA CRIHEN INVESTIMENTOS E PARTICIPACOES LTDA CUSTODIA ARMAZENS GERAIS LTDA CUSTODIA ARMAZENS GERAIS LTDA CUSTODIA ARMAZENS GERAIS LTDA CUSTODIA ARMAZENS GERAIS LTDA CUSTODIA ARMAZENS GERAIS LTDA D E N DE THUIN ME D L CONSTRUCOES LTDA D L CONSTRUCOES LTDA D R DO NASCIMENTO SPERANDIO TREINAMENTO EM DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL D R DO NASCIMENTO SPERANDIO TREINAMENTO EM DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL D ROLE INDUSTRIA E COMERCIO DE ROUPAS LTDA ME D ROSARIO GUIMARAES D ROSARIO GUIMARAES D S REYS ENGENHARIA DE AVALIACOES D S REYS ENGENHARIA DE AVALIACOES DALECA COMERCIO DE VESTUARIO LTDA DALET COMERCIO DE ROUPAS LTDA DALET COMERCIO DE ROUPAS LTDA DEPON INTERMEDIACAO DE NEGOCIOS NA ODONTOLOGIA LTDA DEPOSITO DOCE DEZ PORTAS LTDA ME DFL BAR E RESTAURANTE LTDA ME DFRANCY OLIVEIRA CONSTRUCOES A SECO DFRANCY OLIVEIRA CONSTRUCOES A SECO DIRCINHA BORGES RIBEIRO ESTACIONAMENTO DE VEICULOS DISTAC S S INDUSTRIA E COMERCIO DE PRODUTOS FARMACEUTICOS LTDA ME DISTRIBUIDORA DE BEBIDAS BARAO LTDA ME DMR MEIER CABELEIREIRO LTDA ME DODOGA COMERCIO DE PRODUTOS PARA ANIMAIS LTDA DODOGA COMERCIO DE PRODUTOS PARA ANIMAIS LTDA DRJ DISTRIBUIDORA DE RECARGAS LTDA DROGARIA DIAS DO JARDIM MARAVILHA LTDA DROGARIA DIAS DO JARDIM MARAVILHA LTDA DROGARIA DIAS DO MAGARCA LTDA DROGARIA DIAS DO MAGARCA LTDA DROGARIA DIAS DO PILAR LTDA DROGARIA DIAS DO PILAR LTDA DROGARIA FARMA BELLE LTDA ME DROGARIA VIVA BEM 2011 LTDA DROGARIA VIVA BEM 2011 LTDA DROP INDUSTRIA E COMERCIO DE CONFECCOES LTDA DTS CURSO DE APERFEICOAMENTO EM SAUDE LTDA E J BAETA COMERCIO DE MOVEIS ME E LOPES DA SILVA BAZAR ME E P DE CABUCU PROJETOS E CONSTRUCAO CIVIL LTDA ECODIM CONSULTORIA IMAGENS MARCAS E NEGOCIOS LTDA ECOPETROL OLEO E GAS DO BRASIL LTDA EDUARDO BARGIONA COMERCIO DE ALIMENTOS EDUARDO BARGIONA COMERCIO DE ALIMENTOS EDUARDO CALHEIROS BARBOSA DA CUNHA EDUARDO CALHEIROS BARBOSA DA CUNHA EDUCLEA MERCEARIA LTDA ME EDX LOGISTICA E SERVICOS LTDA EDX LOGISTICA E SERVICOS LTDA EIF COMERCIO DE ROUPAS LTDA EPP ELECTRO VIDRO S/A ELECTRO VIDRO S/A ELETREL SERVICOS DE TELECOMUNICACOES E ELETRICA LTDA ME ELIANE DA CUNHA ALVES ELIAS PEREIRA PESCADOS ELIAS PEREIRA PESCADOS ELIEZER GARCIA CORREA DOS SANTOS ELIEZER GARCIA CORREA DOS SANTOS ELISANGELA S ALVES CONFECCAO DE MALHARIA ME EMAG MANUTENCAO GLOBAL LTDA ME EMBRACREDI BRASIL EMPRESA BRASILEIRA DE APOIO AO CREDITO LTDA EMBRACREDI BRASIL EMPRESA BRASILEIRA DE APOIO AO CREDITO LTDA EMPORIO RURAL AGROPECUARIA LTDA ME EMPRESA JORNALISTICA CAMPEAO S A EMPRESA MUNICIPAL DE INFORMATICA S/A IPLANRIO EMPRESA MUNICIPAL DE INFORMATICA S/A IPLANRIO EMPRESA MUNICIPAL DE INFORMATICA S/A IPLANRIO EMPRESA SANTO ANTONIO 2 DE COMERCIO E EVENTOS LTDA EMPRESA SANTO ANTONIO 2 DE COMERCIO E EVENTOS LTDA EMPRESAS REUNIDAS PAULISTA DE TRANSPORTES LTDA ENDOSERVICE ASSISTENCIA TECNICA E COMERCIO LTDA ENDOSERVICE ASSISTENCIA TECNICA E COMERCIO LTDA ENILENE CRISTINA TOMAZ JUNGER ENILENE CRISTINA TOMAZ JUNGER ENTRE FIOS E MEADA ARMARINHO LTDA ME ERMELINDA LIMA TEIXEIRA COMERCIO DE ROUPAS E ACESSORIOS ESPERANCA VIVA BAZAR LTDA ME ESSENCE 170 PECAS E ACESSORIOS NAVAIS LTDA ME ESTEVAO GRAN DECOR MATERIAIS DE CONSTRUCOES E PEDRAS DECORATIVAS LTDA ESTILO LIVRE DE PADUA ROUPAS E ACESSORIOS LTDA ME ETICA E VIRTUDE IMPORTACAO E EXPORTACAO LTDA EUSTAKIU S VASCONCELOS BAR E LANCHONETE LTDA ME EVENTOS ARTISTICOS E CULTURAIS ELISE RICHON LTDA EVEREST RIO HOTEL S/A EX BRAZIL QUALITY SERVICE LTDA EXPERT DISTRIBUIDORA DE ALIMENTOS LTDA ME EXTRAFARMA DROGARIA LTDA ME EXXATA ASSESSORIA EMPRESARIAL LTDA F E FRANCO DA SILVA BAR E RESTAURANTE F E FRANCO DA SILVA BAR E RESTAURANTE F M AQUINO COMERCIO DE PRODUTOS ALIMENTICIOS LTDA ME F M DE VOLTA REDONDA COMERCIO E DISTRIBUICAO LTDA F M DE VOLTA REDONDA COMERCIO E DISTRIBUICAO LTDA F R SIQUEIRA ME F S DAMASCENO ME F S MARTINS COMERCIO VAREJISTA DE PRODUTOS FARMACEUTICOS ME F W DISTRIBUIDORA LTDA FANY SPECTEROV MEDINA FARMACIA COLETIVO LTDA ME FARMACIA CRISAN DE CPO GDE LTDA ME FARMACIA E PERFUMARIA VENDE MAIS LTDA ME FARMACIA GENERIFARMA LTDA FARMACIA GENERIFARMA LTDA FARMACIA MAXFARMA DO PEDREGOSO LTDA ME FASHION COMERCIO DE BIJUTERIAS TRES RIOS LTDA FASHION COMERCIO DE BIJUTERIAS TRES RIOS LTDA FAZENDA ATLANTICA LTDA ME FBA SERVICOS DE CALIBRACAO LTDA ME FELIPE PEREIRA DA CRUZ MERCEARIA ME FERGON SERVICOS DE LIMPEZA E CONSERVACAO LTDA ME FERGON SERVICOS DE LIMPEZA E CONSERVACAO LTDA ME FERMARGRAN MARMORES GRANITOS E PEDRAS LTDA ME FERNANDA AZEVEDO CARDOSO FERNANDO WILLIAM DA SILVA ROCHA DOS SANTOS FFG SERVICOS GERAIS LTDA FFG SERVICOS GERAIS LTDA FIGUEIROA E SOUZA PRESENTES E ACESSORIOS LTDA FIGUEIROA E SOUZA PRESENTES E ACESSORIOS LTDA FIORENZA AUTO DISTRIBUIDORA LTDA FIORENZA AUTO DISTRIBUIDORA LTDA FIUZA & FIUZA LANCHONETE E RESTAURANTE LTDA ME FLAME EMPREENDIMENTOS IMOBILIARIOS LTDA FLEXBOR BORRACHAS E PLASTICOS LTDA FLORINDA DA COSTA POLIDO DROGARIA ME FONTANA RJ PARTICIPACOES LTDA FONTANA RJ PARTICIPACOES LTDA FONTANA RJ PARTICIPACOES LTDA FONTANA RJ PARTICIPACOES LTDA FORCA UNIDA COMERCIO DE ALIMENTOS E DESCARTAVEIS LTDA ME FORCA UNIDA COMERCIO DE ALIMENTOS E DESCARTAVEIS LTDA ME FOTO BAZAR VOVO ADRIANO LTDA ME FOTOJORNALISMO E DOCUMENTACAO PLATZ & MENDONCA LTDA ME FOUR SEASON CONFECCAO E COMERCIO DE ROUPAS LTDA ME FRAEND CONSULTORIA INSPECAO E TREINAMENTO LTDA ME FRANCIMAR AUTOMOVEIS LTDA ME FRB PAR INVESTIMENTOS S/A FULY E MACHADO PROSPERITY APOIO ADMINISTRATIVO LTDA ME G COELHO DE BARROS ME G F PASSOS REPRESENTACOES LTDA ME G FERNANDES RODRIGUES BAR E LANCHONETE LTDA ME G K DA SILVA CORDEIRO RESTAURANTE ME G K DA SILVA CORDEIRO RESTAURANTE ME G S OLIVEIRA COMERCIO DE EQUIPAMENTOS ELETRONICOS LTDA ME GABRIELLE DE ARAUJO HEZER GALETO FORMULA III LTDA EPP GASINDUR DO BRASIL LTDA GASINDUR DO BRASIL LTDA GASINDUR DO BRASIL LTDA GECALTEC SERVICOS DE INSPECAO E MANUTENCAO DE CALDEIRAS LTDA ME GELLI INDUSTRIA DE MOVEIS S/A GELO CARIOCA COMERCIO DE ALIMENTOS LTDA GENESE CONSULTORIA E PROJETOS AMBIENTAIS LTDA ME GEOFLEX 2000 COMERCIO E REPRESENTACOES LTDA GEOMAG S/A PROSPECCOES GEOFISICAS GEONAVEGACAO S A GEOPLAN DO BRASIL S A GET EMPREENDIMENTOS TEMATICOS LTDA GLOBAL PACKING INTERNATIONAL MOVERS LTDA EPP GUADALUPE RJ PARTICIPACOES S A GUIOMAR TRANSPORTES LTDA ME GUSTAVO PEDRO DE LIMA DE PAULA H 25 COMERCIO DE MATERIAL DE LIMPEZA LTDA ME H F MELLO CONSULTORIA H4 ADORNOS LTDA HAAF COMERCIO DE MOBILIARIOS E ACESSORIOS LTDA HARSCO RAIL LTDA HATAR PARTICIPACOES LTDA HI LO DE PADUA COMERCIO DE ROUPAS LTDA HI LO DE PADUA COMERCIO DE ROUPAS LTDA HILL DE MAGE LANCHES E SORVETES LTDA ME HORT & CIA MERCEARIA E SACOLAO LTDA ME HOUSE ANT FIRE COMERCIAL LTDA ME I M P FILHO SERVICOS GRAFICOS ME I VITIPO ME IBM PARTICIPACOES LIMITADA ICREDITO PROMOTORA DE VENDAS E COBRANCA LTDA IGOR MAURO MENDEL IGOR MAURO MENDEL ILND COMERCIO DE ROUPAS LTDA ME ILUKA BRASIL MINERACAO LTDA IMOBILIARIA CACULINHA S LTDA ME IMOBILIARIA LIDER RJ LTDA ME INDIO LANCHES DE MARAPICU LTDA INDIO LANCHES DE MARAPICU LTDA INDUSTRIA E COMERCIO DE CONCENTRADOS BIO GREEN INGREDIENTS LTDA ME INFRATEC EQUIPAMENTOS CIENTIFICOS LTDA EPP INFRATEC EQUIPAMENTOS CIENTIFICOS LTDA EPP INSETNEIA SERVICOS DE LIMPEZA DE CAIXA D AGUA E DEDETIZACAO LTDA ME INTERNATIONAL NAVAL SURVEYS BUREAU SOCIEDADE CLASSIFICADORA E CERTIFICADORA DE NAVIOS LTDA IRMAOS MOTA ELETRO E CONSTRUCAO LTDA ME IROCO PRODUCOES ARTISTICAS LTDA EPP ITABAPOANA COMERCIO DE VEICULOS LTDA ITABAPOANA COMERCIO DE VEICULOS LTDA ITAFAC ITAIPAVA FOMENTO MERCANTIL LTDA ME ITAPUCA COMERCIO DE PLANTAS ORNAMENTAIS MEDICINAIS FRUTIFERAS E ESPECIAIS LTDA ITAQUA DROGAS LTDA ME IVANICE FERNANDES DE SOUZA IVANICE FERNANDES DE SOUZA J B DOS SANTOS JOIAS E RELOGIOS J B PRINT SERVICOS AUTOMOTIVOS LTDA J C BATISTA MANUTENCAO DE VEICULOS LTDA J C GANIN ME J C TAVARES EMPREENDIMENTOS EMPRESARIAIS ME J D R VEIGA COMERCIO VAREJISTA DE HORTIFRUTIGRANJEIROS J D R VEIGA COMERCIO VAREJISTA DE HORTIFRUTIGRANJEIROS J F A SILVA TRANSPORTE DE CARGAS J F A SILVA TRANSPORTE DE CARGAS J F DO BRASIL LTDA ME J F R COZINHA INDUSTRIAL LTDA ME J HOLMES DA SILVA EMPREITEIRA J HOLMES DA SILVA EMPREITEIRA J L LOUREIRO PEREIRA J L R 06 REPRESENTACAO LTDA ME J L SILVA COMERCIO VAREJISTA DE EQUIPAMENTOS E SUPRIMENTOS PARA INFORMATICA ME J M N MACEDO EMPREENDIMENTOS EMPRESARIAIS J M N MACEDO EMPREENDIMENTOS EMPRESARIAIS J R ALVES COMERCIO DE PESCADOS ME J RICARDO ROSALES RODRIGUES J RICARDO ROSALES RODRIGUEZ J V F SILIPRANDI BAR RESTAURANTE E DANCETERIA J V F SILIPRANDI BAR RESTAURANTE E DANCETERIA JAMES TAVEIRA RACHID ME JANDIARA GARCIA ROCHA FARIA JANDIARA GARCIA ROCHA FARIA JAS EMPREENDIMENTOS IMOBILIARIOS LTDA JC DOS SANTOS COMERCIO E SERVICO DE INSTALACAO DE GNV E MECANICA LTDA JC DOS SANTOS COMERCIO E SERVICO DE INSTALACAO DE GNV E MECANICA LTDA JM COMERCIO DE ALIMENTOS LTDA EPP JOAO J DE SOUZA ME JOEL PEDRO CAMPOS PEREIRA JOELI MOTOS LTDA ME JONAS DA HORA GUIMARAES ME JORGE M ALMEIDA BAZAR ME JOSE CARLOS BARBOSA DA SILVA JOSE RICARDO DA COSTA GARCIA JOSEMAR GOMES TAVARES JP MELO EMPREENDIMENTOS LTDA JP MELO EMPREENDIMENTOS LTDA K Z CIMENTO ARMADO LTDA ME KAMAL KALAOUN COMERCIO DE ROUPAS KAMAL KALAOUN COMERCIO DE ROUPAS KARLA LUDMILA PEPE AGUIAR KI PIZZARIA BAR E RESTAURANTE LTDA KI TINTURARIA LTDA ME KNV INSTITUTO DE BELEZA LTDA KNV INSTITUTO DE BELEZA LTDA KR KATIA & REGINA DEPOSITO DE BEBIDAS E MATERIAIS DESCARTAVEIS LTDA ME L & C GRAJAU CENTRO DE EDUCACAO FISICA LTDA ME L & C GRAJAU CENTRO DE EDUCACAO FISICA LTDA ME L A C DE OLIVEIRA L A C DE OLIVEIRA L A FERNANDES SERVICOS E AUTO PECAS L A FERNANDES SERVICOS E AUTO PECAS L DA SILVA BUENO COMERCIO DE GAS ME L DE A RODRIGUES SERVICOS GRAFICOS L DE A RODRIGUES SERVICOS GRAFICOS L L MACABU ME L M C PAES EPP L M S DOS ANJOS MODAS LTDA ME L. F. R. TORRES LANCHONETE E PASTELARIA TAKYOI LTDA ME LANCHONETE E PIZZARIA BIG ZE LTDA ME LE SAC COMERCIAL CENTER COUROS LTDA LEAL E TORRES JOGOS ELETRONICOS LTDA ME LECCE RJ PARTICIPACOES S/A LEISTER COMERCIO E IMPORTACAO DE PRODUTOS HOSPITALARES LTDA EPP LELALEX COMERCIO DE ROUPAS LTDA ME LEON COMERCIO E SERVICOS TECNICO LTDA LETICIA IZIDORO DA SILVA LI JIEXING PASTELARIA LI JIEXING PASTELARIA

5 LIGA ALUGUEL DE MAQUINAS E EQUIPAMENTOS LTDA LIGUE SERVICE MANUTENCAO E SERVICOS LTDA ME LILIAN F DA SILVA LILIAN F DA SILVA LIMA & AMARAL MERCEARIA LTDA ME LINHAS DE MACAPA TRANSMISSORA DE ENERGIA S A LINHAS DE XINGU TRANSMISSORA DE ENERGIA S A LMV COMERCIO DE MEIAS E ACESSORIOS LTDA LOG 19 MANEQUINS & EXPOSITORES LTDA ME LOIRE INPORT LTDA ME LOUREIRO ROSA TERRAPLANAGEM LTDA LOUREIRO ROSA TERRAPLANAGEM LTDA LSL DE MARICA AUTO PECAS LTDA ME LUBRIZOL DO BRASIL ADITIVOS LTDA LUCIANA PEREIRA DE CARVALHO LUCICLEIDE M DO NASCIMENTO PIZZARIA LUCICLEIDE M DO NASCIMENTO PIZZARIA LUIZ ANDRE WENCESLAU ALMEIDA LUIZ ANTONIO J VIDAL CONTABILIDADE LUIZ ANTONIO J VIDAL CONTABILIDADE LUIZ CLAUDIO DE SA DIAS DA SILVA LUIZ F DE OLIVEIRA COMERCIO DE ROUPAS LUIZ F DE OLIVEIRA COMERCIO DE ROUPAS LUIZA DAS DORES TAVARES BUENO LUJOMA RESTAURANTE E BAR LTDA LUJOMA RESTAURANTE E BAR LTDA M A DE SOUZA CONSULTORIA IMOBILIARIA E SERVICOS EM CONSTRUCAO M A F DA COSTA ME M B R O DA VEIGA COMERCIO VAREJISTA DE ROUPAS E ACESSORIOS M C A COMERCIO E DISTRIBUICAO DE LUBRIFICANTES LTDA M DE S NEVES DISTRIBUIDORA ME M DIAS DA SILVA REFRIGERACAO M DIAS DA SILVA REFRIGERACAO M G M INDUSTRIA COMERCIO E SERVICOS DE MARMORES E OUTRAS PEDRAS LTDA ME M L COMERCIO DE IMPORTACAO E EXPORTACAO LTDA M R ALVES CARVAO ME M S IZAGUIRRE CONSTRUCAO LOCACAO MANUTENCAO E INSTALACAO ELETRICA ME M SANTANNA COMERCIO DE MATERIAIS DE CONSTRUCAO LTDA M SANTANNA COMERCIO DE MATERIAIS DE CONSTRUCAO LTDA M SANTANNA COMERCIO DE MATERIAIS DE CONSTRUCAO ME MAGEON MOSAIZ DO BRASIL LTDA MAGEON MOSAIZ DO BRASIL LTDA MANCHESTER PATRIMONIAL S/A MANGUINHOS DISTRIBUIDORA S/A MANIA DE FESTAS DOCES E SALGADOS FINOS LTDA ME MANTECORP INDUSTRIA QUIMICA E FARMACEUTICA S A MAR & TERRA LOCACOES LTDA MAR & TERRA LOCACOES LTDA MARCIA TOMICH TABAJARA MARCIA TOMICH TABAJARA MARCIO CORREA LIMA MERCEARIAS E HORTIFRUTIGRANJEIROS MARCIO CORREA LIMA MERCEARIAS E HORTIFRUTIGRANJEIROS MARCOS AURELIO SOARES ALEXANDRE MARCRED REPRESENTACOES TECNICAS E CONSULTORIA LTDA MARIA AUXILIADORA DE MOURA MARIA DA PIEDADE FERNANDES ATHAYDE DE MORAES MARIA DA PIEDADE FERNANDES ATHAYDE DE MORAES MARIA DE FATIMA SALGADO DOS SANTOS CARVALHAL MARILENE VILELA GRILLI MARINETE FONTES PASSALINI ME MARISE DE F FERREIRA IGNACIO SERVICOS E BAZAR ME MARLUCIA BARRETO PEREIRA CABRAL MARMORARIA ITATIBA DE CAMPO GRANDE LTDA ME MARTINS ARAUJO ENGENHARIA LTDA MASTERCRED CORRESPONDENTE FINANCEIRO LTDA MASTERCRED CORRESPONDENTE FINANCEIRO LTDA MATHEUS GARCIA SIMAO MAURICIO ANTONIO KARAM MAURO LUIZ DOS REIS MACHARETH MAXI PET BAZAR E ARTIGOS PARA ANIMAIS LTDA ME MAZAL CONSULTORIA SAUDE LTDA MBP ISOBLOCK SISTEMAS TERMOISOLANTES S/A MCFL LANCHONETE LTDA ME MECANICA L S CAR LTDA ME MED EX COMERCIO DE PRODUTOS MEDICOS LTDA ME MEGA GOURMERT RESTAURANTE LTDA MEGA GOURMERT RESTAURANTE LTDA MERCEARIA PRINCESA DO ENGENHAO LTDA MF BRACKET IMPORTACAO E COMERCIO DE INSTRUMENTOS E MATERIAIS ODONTOLOGICOS LTDA MGN MARMORES E GRANITOS DE NILOPOLIS LTDA MGN MARMORES E GRANITOS DE NILOPOLIS LTDA MIGUEL PTA & GESAUDE MIRIAM BRAGANGNOLO SERVICOS DE BELEZA LTDA MIRIAM BRAGANGNOLO SERVICOS DE BELEZA LTDA MIRTA INDUSTRIA E COMERCIO LTDA ME MISS MARTHA MODAS EM BOLSAS E CALCADOS LTDA MISS MARTHA MODAS EM BOLSAS E CALCADOS LTDA MOBILITEC COMERCIO DE MOVEIS LTDA MONARQUE INDUSTRIA E COMERCIO DE ALIMENTOS LTDA MONARQUE INDUSTRIA E COMERCIO DE ALIMENTOS LTDA MONTREAL TURISMO LTDA MOPI MODERNA ORGANIZACAO PEDAGOGICA INFANTIL LTDA MOPI MODERNA ORGANIZACAO PEDAGOGICA INTEGRADA LTDA MORAES TAVARES MODAS MASCULINAS E FEMININAS LTDA ME MORANGOS COMERCIO DE ROUPAS LTDA EPP MOVEIS E DECORACOES GALLO S 2001 LTDA ME MOVEIS ESCOLARES TECNOLOGICOS LTDA ME MOVICARGA S A MUR SHIPPING DO BRASIL LTDA MUR SHIPPING DO BRASIL LTDA MVP SERVICOS DE LOCACAO LTDA N DE SOUZA SILVA RACOES N DE SOUZA SILVA RACOES N HOH PUBLICIDADE N HOH PUBLICIDADE NAIR STUDIO W CABELEIREIROS E ESTETICA LTDA NAIR STUDIO W CABELEIREIROS E ESTETICA LTDA NANDERNILSON RESTAURANTE E LANCHONETE LTDA NANDERNILSON RESTAURANTE E LANCHONETE LTDA NAOMI COMERCIO DE ALIMENTOS LTDA NATACHA COIFFEUR SALAO DE BELEZA LTDA NATACHA COIFFEUR SALAO DE BELEZA LTDA NES GLOBAL LTDA NESPEREIRA BAR E RESTAURANTE LTDA ME NET PRICE TURISMO S A NET PRICE TURISMO S A NEW SATOR DISTRIBUIDORA DE BEBIDAS LTDA NEW SATOR DISTRIBUIDORA DE BEBIDAS LTDA NEW WAVE ROYAL COMERCIO & IMPORTACAO LTDA NIPO ORIENTAL COMERCIO DE COLCHOES LTDA EPP NOLELAT DESENHOS TECNICOS LTDA NOLELAT DESENHOS TECNICOS LTDA NORTELIMP COMERCIO E DISTRIBUICAO DE MATERIAL DE LIMPEZA LTDA NORTELIMP COMERCIO E DISTRIBUICAO DE MATERIAL DE LIMPEZA LTDA OCEAN MERGULHO E COMERCIO DE ARTIGOS ESPORTIVOS LTDA ME OCEAN MOTO MERCANTIL E REPRESENTACOES LTDA ME OES SERVICOS E EQUIPAMENTOS DE PETROLEO E GAS LTDA OFFSHOPPER COMERCIO DE ROUPAS LTDA OFFSHOPPER COMERCIO DE ROUPAS LTDA OLIVEIRA E LAUERMANN COMERCIO DE ARTESANATO E DE UNIFORMES LTDA ORAMA DISTRIBUIDORA DE TITULOS E VALORES MOBILIARIOS S/A ORBE CONSULTORIA EM GESTAO EMPRESARIAL E TREINAMENTO LTDA ORION CONSULTORIA FINANCEIRA LTDA ORMA COMERCIO EMPREENDIMENTOS E PARTICIPACOES LTDA OSMANE LEAL DA SILVA ROSA OSTRAPAN COMERCIO DE PRODUTOS ALIMENTICIOS LTDA ME OTICAS TALITA LTDA OTICAS TALITA LTDA P C B DA NOBREGA SERVICOS MEDICOS P C B DA NOBREGA SERVICOS MEDICOS P ESTEVES DE LIMA COMERCIO DE RACOES E MEDICAMENTOS P ESTEVES DE LIMA COMERCIO DE RACOES E MEDICAMENTOS PADARIA E CONFEITARIA BOQUEIRAO LTDA PADARIA E CONFEITARIA VITORIA 2011 LTDA PADARIA E CONFEITARIA VITORIA 2011 LTDA PADARIA E PIZZARIA TIO ANDRE LTDA ME PADUA MUNDO CELULAR LTDA ME PAMAR PARTICIPACOES MARITIMAS S/A PANIFICACAO CONFEITARIA E LANCHONETE CENTRAL DA BARREIROS LTDA ME PANIFICACAO E CONFEITARIA CANTINHO DO PAO LTDA ME PANIFICADORA ABAETE LTDA PAPELARIA BOSQUE DE JACAREPAGUA LTDA ME PAPELARIA BOSQUE DE JACAREPAGUA LTDA ME PARCO DISTRIBUIDORA LTDA ME PATTO ROCCO PROMOCOES REPRESENTACOES PUBLICITARIAS E CINEMATOGRAFICAS LTDA PAULO CESAR DA SILVA BRAZ PAULO ROBERTO DEOLINDO PAVIMIL PAVIMENTACAO LTDA PEDRAS BARREIROS DE PADUA LTDA ME PENA CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTABIL RIO DE JANEIRO LTDA PENA CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTABIL RIO DE JANEIRO LTDA PEPEMALE COLETA DE DADOS E MALOTES LTDA ME PERGAMON TREINAMENTO E ASSESSORIA EM PESQUISA LTDA PERGAMON TREINAMENTO E ASSESSORIA EM PESQUISA LTDA PERSONAL TV LTDA PERSONAL TV LTDA PERSONALITEE LOGISTICA DE VEICULOS LTDA JUNTA COMERCIAL DO JUCERJAESTADO DO RIO DE JANEIRO PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS PETRO BRASIL SERVICOS MARITIMOS E PORTUARIOS LTDA PHAROS HOSPITALAR LTDA ME PHITOTERAPHIA BIOFITOGENIA LABORATORIAL BIOTA LTDA PIED A TERRE S/A EMPREENDIMENTOS IMOBILIARIOS PJG INDUSTRIA MECANICA LTDA PJG INDUSTRIA MECANICA LTDA PJS DE SEIXAS LANCHONETE LTDA ME PLANEDUTO PIPE SHOP MONTAGEM INDUSTRIAL LTDA PLANET RECORDS COMERCIO MUSICAL LTDA PONTO DAS CORES COMERCIO DE TINTAS & MATERIAIS DE CONSTRUCAO LTDA PONTO DAS CORES COMERCIO DE TINTAS & MATERIAIS DE CONSTRUCAO LTDA POSTO DE COMBUSTIVEIS BEIRA VALAO DE CAMPOS LTDA POSTO DE COMBUSTIVEIS BEIRA VALAO DE CAMPOS LTDA POSTO DE GASOLINA AMIGAO DE TANGUA LTDA POSTO DE GASOLINA AMIGAO ITABORAI LTDA POSTO DE GASOLINA AMIGAO ITABORAI LTDA POSTO DE GASOLINA PEDRA BONITA LTDA POSTO PESQUE E PAGUE CIDADE DE TANGUA LTDA EPP POSTO RETIRO DOS BANDEIRANTES LTDA POUSADA DON ANGELO EMPREENDIMENTOS TURISTICOS LTDA POUSADA DON ANGELO EMPREENDIMENTOS TURISTICOS LTDA PRAIA DA COSTA ALIMENTOS LTDA EPP PRESERVE PRESTADORA DE SERVICOS ESPECIALIZADOS LTDA EPP PREVIMIL PREVIDENCIA COMPLEMENTAR S/A PRIME RIO TRANS AGENCIAMENTO E GERENCIAMENTO DE TRANSPORTES LTDA PRO META PARTICIPACOES LTDA PROJETO POPULAR MAIS ACADEMIA LTDA PROJETO POPULAR MAIS ACADEMIA LTDA PROLUVI MODAS COMERCIO LTDA ME PROQUEST LATIN AMERICA SERVICOS E PRODUTOS PARA ACESSO A INFORMACAO LTDA PROTEUS DROGARIAS LTDA ME QUALITY INSPECOES LY LTDA QUIP S A R B A COMERCIO DE ROUPAS LTDA R D LAY CENTRO MODA FEMININA LTDA ME R K LOCACAO DE EQUIPAMENTOS EM GERAL LTDA ME R L DO NASCIMENTO DISTRIBUICAO DE PRODUTOS ALIMENTICIOS R L DO NASCIMENTO DISTRIBUICAO DE PRODUTOS ALIMENTICIOS R2 LAN HOUSE LTDA ME RA IND & COM ALCAS E AVIAMENTOS FRIBURGO LTDA ME RABISCO COMUNICACAO E MARKETING LTDA RABISCO COMUNICACAO E MARKETING LTDA RACA MATERIAL DE CONSTRUCAO LTDA RACA MATERIAL DE CONSTRUCAO LTDA RAFROM COMERCIO E REPRESENTACOES LTDA ME RAFROM COMERCIO E REPRESENTACOES LTDA ME RAYOL E RAYOL DISTRIBUIDORA DE RACOES LTDA RAYOL E RAYOL DISTRIBUIDORA DE RACOES LTDA RDA ATIVIDADES DE CONSULTORIA EM GESTAO EMPRESARIAL LTDA RDA ATIVIDADES DE CONSULTORIA EM GESTAO EMPRESARIAL LTDA REAL CRED SERVICOS E INFORMACOES DE CREDITOS LTDA REAL CRED SERVICOS E INFORMACOES DE CREDITOS LTDA REAL D2 DISTRIBUIDORA DE AUTO PECAS LTDA ME REINALVA ANJOS SILVA REINALVA ANJOS SILVA RENALFORD HOSPITAL DE CLINICA MEDICA E NEFROLOGIA LTDA RENASCER DAS CINZAS TRANSPORTES E MECANICA LTDA ME RENTAMAR TURISMO LTDA EPP REPRESENTACOES COMERCIAIS CANDIDO SILVA 2008 LTDA ME RESTAURANTE DELICIA TROPICAL LTDA RESTAURANTE DELICIA TROPICAL LTDA RESTAURANTE E CHURRASCARIA IRAJA LTDA RESTAURANTE E CHURRASCARIA IRAJA LTDA RESTAURANTE O FRANGO DE CABO FRIO LTDA RESTAURANTE O FRANGO DE CABO FRIO LTDA RETICENCIAS PONTO COM PRESENTES LTDA RETICENCIAS PONTO COM PRESENTES LTDA REUAS JOIAS E RELOGIOS LTDA RG MARKETING E COMUNICACAO LTDA RG MARKETING E COMUNICACAO LTDA RICARDO ALEXANDRE VILLELA DE ANDRADE POUSADA RICARDO IGNACIO XAVIER CORREA RIO DE OURO COMERCIO IMPORTACAO E EXPORTACAO LTDA RIO MOVEIS PARA CABELEIREIROS LTDA ME RIO SHOP SERVICOS LTDA ME RIVER SUB SERVICOS SUBAQUATICOS LTDA RIVER SUB SERVICOS SUBAQUATICOS LTDA RM ACESSORIA ESPORTIVA LTDA RM ACESSORIA ESPORTIVA LTDA ROBERTA DUARTE DE OLIVEIRA ROBERTO ANTONIO PENSABEM ROBERTO DA COSTA PECANHA ROUPAS ME RODRIGO DA SILVA COSTA RODRIGO DA SILVA COSTA RODRIGO DA SILVA COSTA RODRIGO DA SILVA COSTA RODRIGO MONTEIRO ROGERIO MENEZES NUNES ROGERIO MENEZES NUNES ROGERIO MENEZES NUNES ROGERIO MENEZES NUNES ROGERIO MENEZES NUNES ROGERIO MENEZES NUNES ROGERIO MENEZES NUNES ROLF SERVICOS DE INSTALACAO E MANUTENCAO LTDA ROLF SERVICOS DE INSTALACAO E MANUTENCAO LTDA ROLLS- ROYCE MARINE BRASIL LTDA ROSANA COELHO LOBO DE CARVALHO ROSEANE CLAUDIA NOBRE DE GUSMAO ROSEANE CLAUDIA NOBRE DE GUSMAO ROSEIRA AZTECA FLORES LTDA RPM ESPORTES LTDA ME RUBENS NOGUEIRA BOMFIM ENGENHARIA RUBENS NOGUEIRA BOMFIM ENGENHARIA S DA S COELHO CABELEREIROS S DA S COELHO CABELEREIROS S FRANCO DE LIMA MODAS ME S L FERREIRA DA SILVA SERRALHERIA EM GERAL S P RODRIGUES BAR ME S R M ROSA TRANSPORTES S R M ROSA TRANSPORTES S RAMOS DA SILVA RELOJOARIA SABOROSA ALIMENTOS DE SANTA CRUZ LTDA ME SACO 110 LANCHONETE LTDA ME SACOLAO E MERCEARIA GUARANI DE PIABETA LTDA ME SAND OVAL 2006 MECANICA E ELETRICA LTDA ME SANSIL PRODUTOS OPTICOS LTDA SANSIL PRODUTOS OPTICOS LTDA SANTA FE COMERCIO E CONFECCOES LTDA SANTHE INDUSTRIA E COMERCIO DE MOVEIS LTDA ME SANTOS & AMARAL EMPRENDIMENTOS TURISTICOS LTDA SANTOS & AMARAL EMPRENDIMENTOS TURISTICOS LTDA SANTOS E THURLER INDUSTRIA COMERCIO E DISTRIBUIDORA DE PROD ALIMEN LTDA SAO MARCOS EMPREENDIMENTOS IMOBILIARIOS LTDA SAPHYR INVESTIMENTOS S A SCOOBY S 327 COMERCIO DE FILMES E ACESSORIOS VEICULAR LTDA ME SCP CONFECCOES E COMERCIO DE ARTIGOS DO VESTUARIO LTDA ME SEA INFORMATICA DE UNAMAR LTDA ME SECULO 19 BONECAS ANTIGAS E ANTIQUARIO LTDA ME SERGIO GRAVACOES INDUSTRIA E COMERCIO DE ARTIGOS ESPORTIVOS LTDA SERGIO GRAVACOES INDUSTRIA E COMERCIO DE ARTIGOS ESPORTIVOS LTDA SERGIO LEONARDO VILLAR PINTO EPP SERRARIA DE MARMORE PISOMAR LTDA SERVPRED CONSTRUTORA LTDA ME SERVTUBOS CURVADOS LTDA SERVTUBOS CURVADOS LTDA SEVES GLASSBLOCK BRASIL S A SEVES GLASSBLOCK BRASIL S A SH FORMAS ANDAIMES E ESCORAMENTOS LTDA SHOPPING HAIR DE INOA COMERCIO DE COSMETICOS LTDA SHOPPING HAIR DE INOA COMERCIO DE COSMETICOS LTDA SIDNEI BITTENCOURT DE QUEIROZ SIEMENS VAI METALS SERVICES LTDA SIENO PERFUMARIA LTDA SIENO PERFUMARIA LTDA SILVIA HELENA ROCHA SOUZA SIMPLE LIFE COMERCIO DE COSMETICOS LTDA ME SINGULAR CONSTRUCOES LTDA ME SISTEMA TRANSRIO DE COMUNICACAO LTDA SNAPPY II CONFECCOES E COMERCIO DE VESTUARIOS LTDA ME SO ELETRICA COMERCIO DE PECAS LTDA ME SOARES DIESEL AUTO PECAS LTDA SOARES DIESEL AUTO PECAS LTDA SOLTANDO OS BICHOS PET SHOP COMERCIO DE ARTIGOS PARA ANIMAIS E SERVICOS LTDA ME SOMAT CONSULTORIA EMPRESARIAL LTDA SONFEL INDUSTRIA E COMERCIO DE EQUIPAMENTOS DE VOO LTDA SOUZA E SA SERVICOS DE COBRANCAS E INFORMACOES CADASTRAIS LTDA ME SOUZA SAMPAIO GESTAO EMPRESARIAL LTDA ME SPACETEL PARTICIPACOES S/A SPEED POTATO BATATA RECHEADA LTDA SPORT MAGIC X COMERCIO DE ROUPAS LTDA ME SSC ASSESSORIA ADMINISTRATIVA E OPERACIONAL LTDA SSC ASSESSORIA ADMINISTRATIVA E OPERACIONAL LTDA STRATEGY RH IT SOLUTIONS CONSULTORIA E ASSESSORIA EMPRESARIAL LTDA ME SUELI A F DOS SANTOS SUELI A F DOS SANTOS Quinta-feira, 17 de Fevereiro de SUELY DA PAZ SILVA DE SANTANA SUL AMERICA SANTA CRUZ PARTICIPACOES S/A SUL AMERICA SANTA CRUZ PARTICIPACOES S/A SUPER COOKER DISTRIBUIDORA LTDA SUPER COOKER DISTRIBUIDORA LTDA SUPER SIGNS TECNOLOGIA EM SINALIZACAO LTDA SUPERIOR ROUPAS PROFISSIONAIS LTDA SURYA SOLUCOES EM TELECOMUNICACOES LTDA SUSPENSYS SIATEMAS AUTOMOTIVOS LTDA TAPE LIMP COMERCIO DE MATERIAL DESCARTAVEL LTDA ME TAPE LIMP COMERCIO DE MATERIAL DESCARTAVEL LTDA ME TATIPE BAZAR LTDA TATIPE BAZAR LTDA TAVARES MODAS MASCULINA E FEMININA LTDA ME TBQ SOLUCOES TECNICAS LTDA TBQ SOLUCOES TECNICAS LTDA TECH 21 AUDIO E VIDEO LTDA ME TECHNIP BRASIL ENGENHARIA INSTALACOES E APOIO MARITIMO LTDA TECNOMAD MARCENARIA LTDA ME TECNORAP COMERCIO IMPORTACAO E EXPORTACAO LTDA TECNORAP REPRESENTACOES COMERCIAIS LTDA TEGAS I DISTRIBUIDORA DE PRODUTOS DE BAZAR LTDA TELAVIVA EQUIPAMENTOS E ESTRUTURAS LTDA ME TELEMAR NORTE LESTE S/A THIAGO MENDONCA NICOLAU ME TIA PENHA COMERCIO DE ALIMENTOS LTDA TIA PENHA COMERCIO DE ALIMENTOS LTDA TNL PCS S/A TNL PCS S/A TNL PCS S/A TOESA SERVICE S/A TOFFANI COMERCIO E SERVICOS DE TELECOMUNICACOES LTDA TOPAC BUSINESS SOLUTIONS TECNOLOGIA DO BRASIL LTDA TOPSTAR 2000 ENGENHARIA E TELEINFORMATICA LTDA TOPSTAR 2000 ENGENHARIA E TELEINFORMATICA LTDA TORRES FORTE INSTALACAO E MANUTENCAO LTDA ME TRAKTANA MARCENARIA LTDA ME TRAKTANA MARCENARIA LTDA ME TRANSFAL TRANSPORTES LTDA TRANSJO TRANSPORTES E LOCACAO DE VEICULOS LTDA TRANSJO TRANSPORTES E LOCACAO DE VEICULOS LTDA TRANSVELOS TRANSPORTES E ENCOMENDAS LTDA ME TRANSVICTORIA TRANSPORTES E GUARDA MOVEIS LTDA ME TRAPEZIO RESTAURANTE E BAR LTDA EPP TRINDADE REPRESENTACOES LTDA TROVOADA ACADEMIA DE GINASTICA LTDA TUMAN TOPOGRAFIA LTDA TWI BRASIL SERVICOS DE TECNOLOGIA LTDA ULTRIUM TECNOLOGIAS PARA FITOTECAS AUTOMATIZADAS LTDA UMBRELLA COMUNICACAO E PUBLICIDADE LTDA UNCLE III COMERCIO DE ARTIGOS DE COURO E VESTUARIO LTDA EPP UNIAO DE LOJAS LEADER S/A UNISYS BRASIL LTDA UNIVERSAL BUSINESS INTELLIGENCE ASSESSORIA EMPRESARIAL LTDA UROMED ASSISTENCIA MEDICA LTDA UTEC SURVEY DO BRASIL LTDA UTEC SURVEY DO BRASIL LTDA UTEC SURVEY DO BRASIL LTDA V L B SANCHES CABELEIREIRA ME VANESSA RAMOS DE MORAES VARESE RJ PARTICIPACOES S A VEDATUDO INDUSTRI A E COMERCIO DE ADESIVOS E SELANTES LTDA VEPO TRANSPORTES E LOCACAO LTDA VEPO TRANSPORTES E LOCACAO LTDA VEPO TRANSPORTES E LOCACAO LTDA VERA M DE R CHEVALIER ESTUDOS E RESPONSABILIDADE AMBIENTAL VERA M DE R CHEVALIER ESTUDOS E RESPONSABILIDADE AMBIENTAL VERTATIS REPRESENTACOES LTDA ME VERTICAL EDITORA LTDA ME VIANNA CONSULTORIA IMOBILIARIA LTDA VICENTE FERRER NUNES VICENTE RUBEN CARDONE VICENZA CONFECCOES LTDA ME VIPAN CONSULTORIA E SERVICOS LTDA VITAL SERVICE LTDA VITAL SERVICE LTDA VIVIANE DAMOUS DE MORAES SERVICOS DE PSICOLOGIA W A FRUTUOSO MAQUINAS E EQUIPAMENTOS W A FRUTUOSO MAQUINAS E EQUIPAMENTOS W DE FREITAS SANTOS REBOQUES E SALVAMENTOS MARITIMOS W DE FREITAS SANTOS REBOQUES E SALVAMENTOS MARITIMOS W F A DE ALMEIDA BELEZA & COMPLEMENTOS ME W J A COMERCIO E TRANSPORTE LTDA W J A CRUZ CONTROLE E FISCALIZACAO PATRIMONIAL W R CONSULTORIA E SERVICOS DE ENGENHARIA LTDA W R CONSULTORIA E SERVICOS DE ENGENHARIA LTDA WALTER FONSECA REZENDE FILHO WANDA CONFECCOES DA MODA INTIMA LTDA ME WARTSILA BRASIL LTDA WCLOU CONSTRUCOES LTDA WD SERVICOS CADASTRAIS LTDA WD SERVICOS CADASTRAIS LTDA WEST NALLY & TRENGROUSE MARKETING ESPORTIVO S A WIND FARMA COMERCIO FARMACEUTICO LTDA EPP WJ NEGOCIOS ASSESSORIA FINANCEIRA LTDA XP GESTAO DE RECURSOS LTDA YES SOL BRAZIL TOUR LTDA ME ZELI R PIRES PAPELARIA ME ZELIA PEREIRA CANTINA E BAZAR LTDA ZETA EVEN EMPREENDIMENTOS IMOBILIARIOS LTDA Documento Indeferido PROC. EMPRESA INTERSEA AMBIENTAL COMERCIO E SERVICOS LTDA ME DOCUMENTOS EM EXIGÊNCIA

6 6 Quinta-feira, 17 de Fevereiro de 2011ECONOMIA Dos 2 mil funcionários, 40 foram trocados por estarem envolvidos ou saberem da fraude Altamiro Silva Junior Somente uma minoria dos executivos do Banco PanAmericano sabia das fraudes contábeis que geraram um rombo de R$ 4,3 bilhões, disse ontem o diretor superintendente do banco, Celso Antunes da Costa. Dos 2 mil funcionários da instituição, cerca de 40 precisaram ser trocados por estarem envolvidos diretamente ou saberem da existência das operações irregulares. A principal mudança foi na diretoria, com a troca de todos os executivos. Costa afirmou que o PanAmericano agora é um novo banco, que passou por mudanças radicais desde o dia 9 de novembro de 2010, quando foi anunciado o rombo, que na época era calculado em R$ 2,5 bilhões. Segundo o diretor, houve melhora da governança, revisão de políticas e corte de custos. Por isso, o banco optou por publicar apenas as informações financeiras de dezembro de 2010 porque, de acordo com Costa, eram as únicas que espelhavam fielmente o que o banco é atualmente. Os resultados anteriores devem ser descartados, pois não são comparáveis, afirma o diretor. O executivo disse que em dezembro começaram a surgir indícios de que o rombo total era maior do que o anunciado em novembro, de R$ 2,5 bilhões. Foi contratada a Pricewaterhouse- Coopers, que passou a analisar os números. A Deloitte e o próprio banco também analisaram o balanço e chegaram aos mesmos valores sobre o rombo. Do rombo total, de R$ 4,3 bilhões, o registro de cessão de carteiras de créditos inexistentes foi responsável por R$ 1,3 bilhão. Nesse tipo de operação, o banco vendia a mesma carteira de empréstimo para mais de um banco, inflando seus ativos de crédito. Há ainda passivos não registrados de operações de cessão de crédito liquidadas ou refinanciadas, de R$ 1,7 bilhão. Irregularidades na constituição de provisão para devedores duvidosos geraram perdas de R$ 500 milhões. Costa cita ainda operações com derivativos (swap cambial) que foram registradas como ganho, mas na verdade eram perdas provocadas por variações do dólar e das taxas de juros. Elas somaram R$ 340 milhões e ajudaram a inflar o rombo. O banco informou que tem atualmente 270 pontos de venda em todo o território nacional, 20 mil parceiros comerciais e uma central de atendimento (call center) com 800 posições. Luana Pavani Altamiro Silva Júnior O Banco PanAmericano projeta gerar empréstimos de R$ 10 bilhões a R$ 12 bilhões este ano. Desse total, pode ceder até R$ 8 bilhões para a Caixa Econômica Federal. O BTG Pactual pode fazer ainda um aporte de R$ 4 bilhões ou até uma quantia maior, segundo o diretor superintendente do banco, Celso Antunes da Costa. Os resultados recordes de dezembro no crédito mostraram que o banco tem força de venda capaz de gerar crédito. No crédito a pequena e média empresa, a expectativa é chegar a R$ 2 bilhões O Banco PanAmericano apresentou no mês de dezembro um prejuízo consolidado de R$ 133,617 milhões, resultado que inclui as empresas controladas nos segmentos de seguros, arrendamento mercantil e consórcios. As demonstrações financeiras divulgadas na madrugada de ontem também foram apresentadas individualmente em relação ao banco, que teve prejuízo de R$ 142,244 milhões no mês. A decisão da administração de informar apenas o resultado do mês de dezembro - e não do trimestre - deve-se às irregularidades constatadas no balanço, que somam R$ 4,3 bilhões, e não permitem base de comparação. Como explica o relatório da companhia, a complexidade dos mecanismos adotados na geração das inconsistências contábeis impediu a definição do momento exato em que começaram a ocorrer as irregularidades contábeis e fragilidades dos controles internos que ocasionaram a falta de confiabilidade dos registros. Por conta dessa situação, a administração não encontrou alternativa que não a de estabelecer uma nova base contábil confiável, através da elaboração de um balanço patrimonial especial de abertura. Para análise da situação patrimonial, foi feito um levantamento dos direitos e obrigações da companhia tendo como ponto de partida a data de 30 de novembro de Assim, o PanAmericano optou, para efeito de comparação, utilizar a situação patrimonial nessa data em vez da relativa a 31 de dezembro de 2009, em decorrência da inviabilidade de se mensurar, pelo exercício social já encerrado, as significativas distorções contábeis decorrentes das inconsistências e demais na carteira, ainda diminuta dentro das operações do banco. Em dezembro, estava em R$ 600 milhões. É uma das áreas mais promissoras para o crédito, disse o executivo, em entrevista à imprensa. A Caixa ainda pode liberar R$ 2 bilhões no interbancário, a preços de mercado, segundo o executivo. Também de acordo com Costa, a Caixa e o BTG já fizeram os custos de captação do PanAmericano, que eram muito altos, cair. Mas ele acredita que os custos poderão cair ainda mais. O PanAmericano fechou dezembro com ativos de R$ 11,563 bilhões. O patrimônio ficou em R$ 197 milhões. irregularidades identificadas, ou mesmo, de se reelaborar demonstrações financeiras confiáveis de exercícios anteriores. Quanto às irregularidades, o montante final apurado e ajustado no balanço patrimonial de abertura é de R$ 4,3 bilhões, descrito da seguinte maneira no relatório da administração: R$ 1,6 bilhão referente à carteira de crédito insubsistente; R$ 1,7 bilhão referente a passivos não registrados de operações de cessão liquidados/referenciados; R$ 500 milhões referentes à irregularidades na constituição de provisões para perdas de crédito; R$ 300 milhões referentez a ajustes de marcação a mercado; e R$ 200 milhões referentes a outros ajustes. Limites operacionais - A administração do PanAmericano informou que a atual situação de Glauber Gonçalves A PSA Peugeot Citröen anunciou ontem que a partir de 2014 migrará toda a sua produção de veículos médios na América Latina para a Argentina e centrará a fabricação de compactos no Brasil. Com isso, o presidente do grupo para o Brasil e a América Latina, Carlos Gomes, acenou com a possibilidade de uma nova versão do Peugeot 207, hoje produzido no vizinho do Mercosul, passar a ser fabricada no País. Segundo o executivo, a medida visa aumentar a eficiência das unidades e criar melhores condições de negociação com fornecedores. Com mais plataformas, a complexidade industrial aumenta e a qualidade não é tão boa, porque há mais processos industriais envolvidas, explica. A definição de que tipo de veículos será produzido em cada país levou em conta as especificidades de cada mercado. O segmento B pesa 72% no Brasil. É aqui que está o mercado dos carros compactos, afirma. Por outro lado, diz o executivo, na Argentina o mercado dos segmentos médios é maior. Hoje a empresa fabrica sete modelos no país vizinho, dos quais dois são compactos. No Brasil, apenas um dos oito modelos é médio. Detentora de uma fatia de 5,2% do mercado brasileiro e de 5,4% do latino-americano, o grupo pretende chegar a uma participação de 7,5% na região em A empresa já aprovou o aumento da capacidade da planta de Porto Real, no Rio, de 150 mil para 220 mil veículos por ano a partir de fevereiro de Em 2009, foram produzidos 140 mil veículos, alta de 26% ante O plano de investimentos prevê 700 milhões para a América Latina. Os emplacamentos de veículos novos no mercado brasileiro somaram unidades na primeira quinzena de fevereiro, um crescimento de 10,56% em relação ao igual período do ano passado. Em relação aos primeiros 15 dias de janeiro, o crescimento foi de 14,22%. Os dados incluem automóveis e comerciais leves e foram divulgados ontem pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Considerando todos os segmentos analisados pela Fenabrave, que inclui caminhões, ônibus, motos e implementos rodoviários, o setor automotivo vendeu unidades na primeira quinzena de fevereiro, um acréscimo de 13,37% em comparação ao mesmo período do ano passado. Em relação ao mesmo período de janeiro, houve crescimento de 13,06%. Ainda de acordo com a Fenabrave, foram vendidas motocicletas nos primeiros 15 dias de fevereiro, aumento de 15,01% ante o mesmo período do ano passado e de 10,73% ante janeiro. desenquadramento dos limites operacionais estará revertida até o fim de fevereiro. Como explica o relatório da companhia, os ajustes corretivos realizados em novembro de 2010 apresentaram reflexos sobre a estrutura de capital do banco, resultando no desenquadramento em relação aos limites operacionais regulatórios, ou seja, Índice de Basileia e margem operacional. O quadro deve ser revertido considerando os negócios já realizados pelo banco no mês de janeiro de 2011, o suporte oferecido pela Caixa Econômica Federal, pelo novo controlador, o Banco BTG Pactual, e pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), além do depósito adicional de R$ 1,3 bilhão feito em conta de Depósito de Acionista pelo então controlador, o Grupo Silvio Santos, em 31 de janeiro. O banco afirmou ainda que as demonstrações financeiras consolidadas, a serem preparadas de acordo com as práticas contábeis internacionais (IFRS), serão encaminhadas ao Banco Central (BC) e à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) dentro do prazo regulamentar. Em 31 de dezembro de 2010, o capital social do PanAmericano era representado por ações, sendo ações ordinárias nominativas e ações preferenciais nominativas. Após aprovação do BC e na data de 31 de janeiro, o BTG Pactual passou a deter 37,6% do capital total (fatia que era do Grupo Silvio Santos), a CaixaPar manteve-se com 36,6% e os demais 25,8% estão no mercado. LINHA BRANCA A Panasonic do Brasil anunciou ontem a construção na cidade de Extrema, em Minas Gerais, da terceira unidade fabril da empresa no País. A estimativa é de que a nova fábrica da multinacional japonesa entre em operação no primeiro semestre de 2012, com foco na produção de produtos de linha branca. Investimento- Com um investimento de R$ 200 milhões, a empresa pretende ampliar em 10% a sua atuação no mercado nacional de refrigeradores e máquinas de lavar. A nova unidade produzirá uma demanda inicial de produtos com flexibilidade para expandir a sua capacidade. O aumento da produção dependerá da demanda do mercado, que está em crescimento devido à expansão da classe C nos últimos anos, explica o presidente da Panasonic do Brasil, Masanobu Matsuda. A expectativa é de que a unidade fabril gere 400 empregos diretos. Claudia Violante, Silvana Rocha e Denise Abarca Depois da pausa de terça-feira, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) voltou a fechar em alta e recuperou o nível de 67 mil pontos, registrado apenas no primeiro pregão deste mês. O clima positivo no exterior e o vencimento de índice futuro trouxeram compras às ações domésticas, com destaque para os ganhos do setor bancário O Ibovespa terminou a sessão em alta de 1,86%, aos ,62 pontos. Na mínima, registrou pontos (estabilidade) e, na máxima, os pontos (+2,19%). O resultado de ontem finalmente trouxe o índice de volta ao terreno positivo no acumulado de fevereiro, agora de +1,5%. No ano, no entanto, a bolsa ainda tem perdas, de 2,5%. O giro financeiro totalizou R$ 9,953 bilhões. O sinal positivo no exterior decorreu de indicadores e dados corporativos favoráveis nos EUA e Europa. No meio do dia, entretanto, os ganhos lá diminuíram um pouco em razão da notícia dada por Israel de que o Irã está enviando dois navios de guerra para o Mar Mediterrâneo. A informação trouxe um pouco de cautela, ajudou a pressionar o petróleo, mas não apagou o clima positivo do dia. Na Nymex, o contrato do petróleo para março subiu 0,79%, a US$ 84,99 o barril. Tal desempenho, os dados de estoques da commodity nos EUA e o anúncio, anteontem, de uma nova descoberta de reserva no pré-sal fizeram a Petrobras subir. As ações, que já estavam pressionadas com o vencimento, avançaram 0,91% na ação ON e 1,26% na PN. Vale ON terminou com +0,96% e PNA, em +0,64%. O destaque, no entanto, foi o setor bancário, que está com preços defasados e foi bastante procurado ontem. Santander unit terminou com elevação de 3,38%, Bradesco PN, 2,71%, Itaú Unibanco PN, 2,24%, e BB ON, 3,39%. Fora do índice, PanAmericano PN subiu 0,52%. O banco divulgou seu balanço do mês de dezembro, período no qual apresentou prejuízo consolidado de R$ 133,617 milhões. No exterior, as bolsas americanas operavam em alta. Às 18h21, o Dow Jones subia 0,48%, o S&P avançava 0,58% e o Nasdaq, 0,77%. Os investidores viram com bom bons olhos o anúncio de que a companhia de biotecnologia americana Genzyme fechou um acordo para ser vendida à francesa Sanofi-Aventis. Também agradaram os balanços da Dell e da Deere. Já do lado dos indicadores, agradou principalmente o aumento de 14,6% nas construções de moradias nos EUA em janeiro, o maior nível desde setembro do ano passado. Câmbio - No fechamento, o dólar à vista subiu 0,12%, para R$ 1,6710 no balcão, ampliando a valorização acumulada em três sessões para 0,3%. No mês, contudo, a divisa apura baixa de 0,18%. No ano, o ganho está acumulado em 0,42%. Na BM&F, o dólar pronto avançou 0,13%, para R$ 1,6714. Até às 16h47, o giro financeiro em D+2 somava cerca de US$ 2 bilhões, informou uma fonte de banco nacional. No mercado futuro nesse mesmo horário, o dólar com vencimento em 1º de março próximo estava estável, em R$ 1,6760, após movimentar cerca de US$ 8,789 bilhões. Pelo segundo dia seguido, o Banco Central fez apenas dois leilões de compra à vista, nos quais as taxas de corte ficaram em R$ 1,6699 e R$ 1,6715. Às 16h48, o euro subia a US$ 1,3562, de US$ 1,3485 no fechamento de anteontem em Nova York. O dólar valia 83,65 ienes, de 83,78 ienes na véspera. Juros - Ao término da negociação normal da BM&F, o DI mais líquido, o janeiro de 2013 ( contratos), recuava de 12,82% no ajuste de anteontem para 12,73%. O DI janeiro de 2012, com contratos, passava de 12,39% para 12,37%. Os vencimentos de longo prazo derreteram. O DI janeiro de 2017 ( contratos) estava em 12,53%, de 12,67% no ajuste anterior, e o DI janeiro de 2021 (4.570 contratos) caía a 12,42%, de 12,56% anteontem. A construção de moradias nos Estados Unidos cresceu em janeiro para o maior nível desde setembro do ano passado, segundo o Departamento de Comércio. O número de construções aumentou 14,6%, para a taxa anualmente ajustada de 596 mil, em comparação com o dado revisado de 520 mil em dezembro. No entanto, as novas permissões para construção, que são um sinal de desempenho futuro do setor, caíram 10,4% em janeiro, para a taxa anual de 562 mil. Em dezembro, as permissões haviam registrado alta mensal de 15,3%. Economistas ouvidos pela Dow Jones esperavam que as construções aumentassem 0,2% em janeiro, para a taxa anual de 530 mil. A previsão para as permissões era de queda para uma taxa anual de 545 mil. Em comparação com janeiro de 2010, as construções diminuíram 2,6%. Produção - As indústrias americanas inesperadamente reduziram a produção em janeiro, à medida que o frio extremo do fim do ano passado deu lugar a uma temperatura mais amena e provocou queda na demanda dos produtos das concessionárias públicas. A produção industrial caiu 0,1% no mês passado, segundo o Federal Reserve (Fec, o banco central dos EUA), contrariando as estimativas dos economistas ouvidos pela Dow Jones, que era de alta de 0,5%. O dado de dezembro foi revisado para mostrar ganho de 1,2%, ante o cálculo original de alta de 0,8%. A utilização da capacidade da indústria também recuou levemente, para 76,1% em janeiro, de 76,2% em dezembro. Economistas esperavam taxa de 76,3%. As taxas operacionais continuam abaixo da média do período de 1972 a 2009, que foi de 80,6%. A produção das concessionárias caiu 1,6%, depois de recuar 4,1% em dezembro. No entanto, a produção em um dos principais setores da economia dos EUA aumentou. O setor de manufatura teve alta de 0,3% na produção em janeiro, depois do ganho revisado de 0,9% em dezembro. Em comparação com janeiro do ano passado, a produção do setor de manufatura cresceu 5,5%. Nesse setor, a utilização da capacidade aumentou para 73,7%, de 73,5 em dado revisado de dezembro. A produção de bens duráveis subiu 0,6%, puxada pelo avanço de 3,2% em veículos e autopeças. Excluindo o setor automotivo, a produção industrial dos EUA aumentou 0,1%. A atividade do setor de construção diminuiu 0,2% e a de mineração declinou 0,7%. PPI - Os preços ao produtor dos EUA aumentaram para seu patamar mais alto em mais de dois anos em janeiro, o que pode levantar preocupações sobre a inflação, à medida que a economia do país cresce. Segundo o Departamento de Trabalho, o índice de preços ao produtor (PPI) subiu 0,8% em janeiro, em termos sazonalmente ajustados, na comparação com dezembro, conduzido pelo aumento dos preços da energia.

7 SENADO Caberá ao PSDB presidir uma das mais cobiçadas, a de Serviços de Infraestrutura O PMDB indicou o senador Vital do Rego (PMDB-PB) para presidir a Comissão Mista do Orçamento deste ano. Essa comissão, integrada por deputados e senadores, é responsável pela análise das propostas orçamentárias do governo federal, além de ser encarregada de votar o Plano Plurianual (PPA), com metas a serem atingidas nos próximos quatro anos. Vota também a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que estabelece os parâmetros do orçamento, e a lei orçamentária anual, que deveria organizar as receitas e despesas que o governo terá no próximo ano. Na reunião, os partidos com representação no Senado finalmente concluíram a distribuição das 11 comissões técnicas permanentes da Casa. O PMDB comandará três comissões: Constituição, Justiça e Cidadania, com Eunício Oliveira (PMDB-CE); Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática, com Eduardo Braga (PMDB- AM); e Educação, Cultura e Esporte, cujo nome ainda será decidido. Também com três indicações, o PT terá as comissões de Assuntos Econômicos, com Delcídio do Amaral (PT-MS); Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle, com Rodrigo Rollemberg (PSB-DF); e Direitos Humanos e Legislação Participativa, com Paulo Paim (PT-RS). Caberá ao PSDB presidir uma das mais cobiçadas comissões, a de Serviços de Infraestrutura, encarregada de avaliar as obras do Programa de Aceleração de Crescimento (PAC), além das obras que serão feitas para os jogos olímpicos. O PTB indicou o senador Fernando Collor (PTB- AL) para a comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional. Já o bloco comandado pelo PT escolheu o líder do PDT, Acir Gurgacz (PDT-RO), para presidir a Comissão de Agricultura e Reforma Agrária. Caberá ao DEM indicar a presidência da comissão de Assuntos Sociais. Marcos Chagas Da Agência Brasil A ministra de Aquicultura e Pesca, Ideli Salvatti, solicitou ontem a ajuda do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), para que sejam priorizadas as análises de dois projetos que tramitam na Casa e que, segundo ela, são fundamentais para o setor. Um deles, que está na Comissão de Meio Ambiente, Ciência de Tecnologia, repassa aos estados a prerrogativa de concessão de licenciamentos ambientais, atualmente sob a responsabilidade do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama). A outra matéria que trata de recursos hídricos, uma vez aprovada pelo Senado, segue para apreciação na Câmara. Só para que as pessoas tenham uma dimensão do que estou falando se nós instalarmos tanques-redes para a produção de pescado nas usinas hidrelétricas que hoje já existem nós teremos a capacidade de fazer a equivalência de produção com a China, disse a ministra. Ela acrescentou que, para a instalação desses tanques-redes, é necessária à concessão de licenciamento ambiental, pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), em cada um dos projetos o que retarda o crescimento do setor. Eduardo Bresciani O líder do PT na Câmara, Paulo Teixeira (SP), anunciou ontem que o partido vai indicar João Paulo Cunha (SP) para presidir a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. A decisão deve ser referendada pela bancada na próxima semana. Ex-presidente da Câmara, Cunha é réu no processo do mensalão que corre no Supremo Tribunal Federal. Para o líder do partido, esse passivo não é um problema para a indicação. O João Paulo Cunha foi eleito pela população de São Paulo e teve uma grande votação. Ele tem uma enorme experiência por já ter sido presidente da Casa e tem toda a condição de exercer bem a função, afirmou Teixeira. A definição de Cunha para presidir a CCJ foi tomada em uma reunião de um grupo de trabalho de deputados do partido. Pelo acordo construído, Ricardo Berzoini (PT-SP), que também pleiteava o cargo, assumirá o comando da comissão em NEGOCIAÇÕES O PSB, que há algumas semanas começou a negociar a mudança do prefeito de São Paulo Gilberto Kassab (hoje no DEM) para suas fileiras, aguarda apenas a formalização da criação de um novo partido para discutir uma futura fusão. É um partido novo que eventualmente se fundiria com o PSB, explicou o presidente do PSB em São Paulo, Márcio França. Nos bastidores da negociação, especula-se que o prefeito levaria não apenas o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, mas outros democratas de peso, entre eles o da senadora Kátia Abreu (TO) e Indio da Costa, ex-deputado federal e vice na chapa presidencial de José Serra. As tratativas do PSB começaram com a investida sobre Colombo, que viabilizou o contato com Kassab. Como o prefeito poderá manter seu mandato mesmo se desfiliando do DEM, a preocupação de Kassab é estender a mesma garantia jurídica para seus aliados e evitar a perda de mandato por infidelidade partidária. É uma possibilidade real, sim, admitiu o deputado federal Rodrigo Garcia (SP) ao se referir à fusão com o PSB. Kassab já contratou dois escritórios de advocacia para cuidar da estrutura jurídica do novo partido, o PDB (Partido da Democracia Brasileira). Essa é a primeira fase, que vai levar alguns meses, contou França. As negociações estão sendo conduzidas diretamente pelo presidente nacional do PSB, o governador de Pernambuco Eduardo Campos. Segundo França, a saída de Kassab do DEM e a criação do novo partido seriam a brecha que muitos esperam para mudar de legenda. Neste período podemos ter surpresas. Ele (Kassab) pode arrastar com ele mais do que se imagina, sugeriu França. Debandada - Além dos aliados em São Paulo, Kassab poderia provocar uma debandada de democratas ilustres. Nos bastidores, os nomes citados são da senadora Kátia Abreu, que não esconde seu vínculo com o grupo de Kassab, Colombo e do presidente de honra do DEM, o exsenador Jorge Bornhausen. É claro que as pessoas com quem temos convergência devem refletir sobre isso, revelou o deputado Rodrigo Garcia, aliado próximo de Kassab. No entanto, Garcia ressalta que a prioridade Minas Gerais tem 127 cidade em estado de emergência devido às chuvas Subiu para 127 o número de cidades em situação de emergência em Minas Gerais por conta das chuvas. As últimas cidades a decretarem situação de emergência foram Passa Vinte, Brasília de Minas, Ponto Chique e Bonito de Minas. De acordo com boletim divulgado pela Defesa Civil do Estado nesta quartafeira, 16, são 171 os municípios afetados pelas chuvas. Ainda segundo o balanço da Defesa Civil, em todo o Estado, foram afetadas de alguma maneira pelos temporais, que deixaram desalojados, que estão na casa de parentes ou amigos, e desabrigados, que perderam tudo e ocupam abrigos públicos. Mais de sete mil casas foram danificadas pelas chuvas, sendo 303 destruídas. Minas Gerais já registra 17 mortes em decorrência das chuvas desde outubro de 2010, quando tem início o período de chuvas no Estado. do grupo no momento é buscar a conciliação interna na legenda. O partido corre atrás dos dissidentes para convencê-los a ficar, uma vez que é dada como certa a desfiliação de Kassab. Kátia Abreu rebateu as especulações, que apontam seu nome como articuladora financeira da nova legenda. Eu já fui Democrata, estou Democrata e vou dar voto de confiança ao meu líder Agripino (Maia, do Rio Grande do Norte, líder do DEM no Senado), porque ele é merecedor. A senadora tem evitado manifestações públicas sobre a crise interna no DEM. No entanto, assessores próximos dizem que a senadora ainda não tomou uma decisão. Procurado, Indio da Costa - apontado como negociador político do novo partido de Kassab - não retornou às ligações. Cauteloso, Márcio França aguarda as negociações ganharem consistência para comemorar a incorporação de Kassab e seus aliados. Ele lembra que inúmeros boatos sobre o destino de Kassab ganharam grande repercussão sem que nenhum deles se confirmasse. Ele já teve várias ideias, então é preciso ter um certo resguardo em relação a isso, C U R T A S O acordo divide ainda outras comissões da Casa entre as correntes do partido. A corrente Mensagem ao Partido vai indicar o presidente da comissão de Finanças e Tributação e a Movimento PT ficará com a Educação. Faz parte da composição a designação do relator do Orçamento de Segundo Teixeira, a tarefa caberá a Arlindo Chinaglia (PT-SP). justificou. Caso as negociações avancem nos próximos meses, o PSB terá de aprovar a proposta em congresso com os filiados. Negociações paralisadas - Enquanto a aproximação com o PSB avança, as conversas com o PMDB estão paralisadas. O presidente da Comissão Provisória do PMDB de São Paulo, deputado estadual Baleia Rossi, afirmou que as negociações do partido com Kassab seguem sem novidades e que o partido esperaria uma posição do prefeito paulista até 15 de março, quando o DEM realiza sua convenção nacional. Quanto às negociações de Kassab para fundar outro partido, Baleia desconversou: Ele tem muito tempo até o dia 15 de março para avaliar as alternativas, só posso dizer que com o PMDB não mudou nada. Há cerca de 15 dias, o pai de Baleia, ministro da Agricultura Wagner Rossi, declarou à Agência Estado que Kassab seria um bom quadro para o PMDB, mas que ele não seria um cacique caso fosse para a sigla. A declaração teria afastado o prefeito paulistano do PMDB e feito com que ele optasse pela ideia de fundar o PDB e estreitasse relações com o PSB. Governo vai rever mais de 2 mil anistias a cabos da Força Aérea O Ministério da Justiça e a Advocacia-Geral da União (AGU) vão rever a condição de anistiado de cabos da Força Aérea Brasileira, cujos processos foram aprovados durante os governos Fernando Henrique e Luiz Inácio Lula da Silva. A portaria publicada ontem no Diário Oficial da União fixa critérios para a revisão e cria um grupo de trabalho interministerial de nove pessoas para rever cada uma das anistias. O governo quer saber se realmente existem perseguidos políticos entre os cabos anistiados. De acordo com a portaria, o procedimento de revisão das anistias será feito por meio da averiguação de cada caso, inicialmente a partir de critério geográfico que reflita um contexto político empiricamente relevante. Posteriormente, serão analisados critérios formulados pelo grupo de trabalho que qualifiquem presunção de que o interessado fora atingido por motivos políticos. PAÍSQuinta-feira, 17 de Fevereiro de CONTAS PÚBLICAS Luciana Nunes Leal No dia da votação no Congresso do reajuste do salário mínimo para R$ 545, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva lembrou, em conversas no Rio de Janeiro, como foi difícil para ele, em 2004, conceder um aumento menor do que gostaria. Lula também disse que, em 2003, primeiro ano de governo, fez um ajuste fiscal tão forte quanto o de agora. Os comentários do ex-presidente foram feitos durante reunião com o presidente do IBGE, Eduardo Nunes, e com o economista Marcelo Néri, da Fundação Getúlio Vargas, especializado em estudos sobre a pobreza. Segundo assessores, Lula tem se dedicado a ouvir análises sobre a conjuntura nacional e internacional, ao mesmo tempo que define a estrutura e as funções do futuro Instituto Luiz Inácio Lula da Silva, que vai dirigir. Rio - Na primeira viagem ao Rio desde que deixou o poder, Lula repetiu pelo menos um hábito dos tempos da presidência. Ele se hospedou no Hotel Sofitel, na Praia de Copacabana, um dos mais sofisticados da cidade. A gerência não informou se Lula hospedou-se na suíte que costumava frequentar, a presidencial. No fim da tarde, Lula recebeu a visita do cantor e compositor Chico Buarque, e estava previsto para a noite um jantar com o governador Sérgio Cabral (PSDB). Lula chegou ao hotel no início da tarde e, bem humorado, disse que não tem sido fácil desencarnar do papel de presidente. Primeiro eu tenho que desencarnar. É difícil. Quando o governante sai da presidência com o povo escrevendo faixa na rua `fora fulano, CONFINS fora beltrano, ele esquece logo. Mas quando você sai com 90% (de aprovação), é muito difícil porque a população ainda tem muito presente, faz pouco tempo ainda. Memorial - Na conversa com Eduardo Nunes e Marcelo Néri, o ex-presidente repetiu que tem intenção de montar um memorial que reúna informações sobre as lutas sociais. Questionado sobre o instituto que vai fundar em breve, Lula disse que ainda não tem o modelo definido. Estou tranquilo. Vou tomar muito cuidado para não dar nenhum passo errado, para fazer as coisas bem feitas. Tenho todo tempo da vida pela frente. Mas de política só (vou comentar) depois do carnaval, quando eu sair da minha quarentena. O petista disse ter vontade de passar o carnaval no Rio, mas que tudo dependerá do estado de saúde de seu vice, José Alencar, que tem câncer e voltou a ser internado na semana passada. Se você olhar o Zé Alencar fisicamente e a vontade que ele tem de conversar, se fizer um comício ele vai. Mas sei que não é fácil o que ele teve, perfurou o intestino, é grave. A gente está torcendo, eu sou um cristão que tem muita fé. Vamos ver se Deus ajuda nisso, declarou Lula. Ao sair do encontro de mais de uma hora com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o cantor e compositor Chico Buarque disse que conversou amenidades com o amigo de mais de 30 anos. Ele está muito bem, feliz, tranquilo. No tempo da presidência tivemos encontros rápidos. Conversamos amenidades, e marcamos de um dia jogar uma pelada, disse Chico. Questionado sobre o estado de espírito do presidente, o cantor e compositor respondeu: Todo mundo fica muito mais à vontade. Daniella Jinkings Da Agência Brasil Infraero tem, no máximo, 15 dias para apresentar justificativas acerca dos indícios de irregularidades que motivaram a adoção da medida cautelar O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou à Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) que suspenda a concorrência internacional para execução das obras de reforma, ampliação e modernização do terminal de passageiros do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins (MG). A obra, que prevê melhorias para a Copa do Mundo de 2014, está estimada em R$ 294,7 milhões. De acordo com o ministro do TCU Valmir Campelo, a análise técnica revela várias possíveis irregularidades no edital denunciado, incluindo indícios de sobrepreço de R$ 45,9 milhões sobre o valor estimado para a obra. Para Campelo, o principal indício da irregularidade é a proibição para que consórcios participem da disputa. Percebo que, a se confirmar a gravidade das irregularidades presentes no edital, o risco de dano às contas públicas é expressivo, afirma o ministro. A Infraero tem, no máximo, 15 dias para apresentar justificativas acerca dos indícios de irregularidades que motivaram a adoção da medida cautelar. Em nota, a Infraero informou que está empenhada para fazer as adequações necessárias recomendadas pelo TCU. A Infraero, dentro de sua proposta de modernizar e ampliar os aeroportos sob sua administração para atender não apenas à demanda provocada por eventos pontuais, como Copa do Mundo e Olimpíadas, mas àquela projetada para o setor aéreo, destaca que eventuais atrasos gerados pela readequação do edital para ampliação de Confins serão compensados na fase de execução da obra, informou a estatal. 5ª VARA CÍVEL EDITAL DE CITAÇÃO Com o prazo de vinte dias O MM Juiz de Direito, Dr.(a) Bianca Ferreira do Amaral Machado Nigri - Juiz em Exercício do Cartório da 5ª Vara Cível da Regional da Barra da Tijuca, RJ, FAZ SABER aos que o presente edital com o prazo de vinte dias virem ou dele conhecimento tiverem e interessar possa, que por este Juízo, que funciona a Av. Luiz Carlos Prestes, s/nº 2º andar CEP: Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - RJ Tel.: tramitam os autos da Classe/Assunto Procedimento Ordinário - Interpretação E/ou Revisão de Contrato / Responsabilidade do Fornecedor, de nº ( ), movida por ELISIO MOREIRA; GIZELIA FREIRE MOREIRA em face de NATANIEL ALVES, objetivando CITAÇÃO. Assim, pelo presente edital CITA o réu NATANIEL ALVES, que se encontra em lugar incerto e desconhecido, para no prazo de quinze dias oferecer contestação ao pedido inicial, querendo, ficando ciente de que presumir-se-ão aceitos como verdadeiros os fatos alegados, caso não ofereça contestação. Dado e passado nesta cidade de Rio de Janeiro, AOS VINTE E SEIS DIAS DO MÊS ABRIL DO ANO DE DOIS MIL E DEZ. Eu, Mônica Cardoso Monteiro de Barros do Rego Barros - Técnico de Atividade Judiciária - Matr , digitei. E eu, Flavia Ventura Lang - Responsável pelo Expediente - Matr , o subscrevo.

8 JUSTIÇA 8 Quinta-feira, 17 de Fevereiro de 2011 José Geraldo da Fonseca PROCURADORIA Alterar a convenção pode significar um retrocesso na implementação do direito A Procuradoria Geral da República enviou ao Supremo Tribunal Federal parecer pela improcedência da ação direta de inconstitucionalidade (Adim 4245) ajuizada pelo partido Democratas (DEM) contra artigos da Convenção de Haia sobre os Aspectos Civis do Sequestro Internacional de Crianças. Em caso de entendimento contrário, o parecer sugere a modulação temporal dos efeitos da declaração de inconstitucionalidade, para que tenha eficácia somente a partir da denúncia da Convenção pelo Brasil. A convenção tem por objetivo assegurar o retorno imediato de crianças ilicitamente transferidas para qualquer Estado Contratante ou nele retidas indevidamente. Segundo o parecer, o acolhimento da ação pode significar um perigoso retrocesso na busca da difícil implementação do direito à convivência familiar nos casos de retenção ilícita de crianças de cunho internacional. Esses casos eram de solução quase impossível, pois as barreiras de acesso à Justiça nos litígios que envolvem mais de uma jurisdição nacional são evidentes, diz. A ação alega que dispositivos da Convenção de Haia amesquinharam a proteção constitucional da criança e do adolescente e pede que seja atribuída aos seus artigos 1º, 7º, caput, 11 e 18 interpretação conforme a Constituição, no sentido de que o retorno imediato do menor e a adoção de medidas de urgência só possam ser determinados após avaliadas as peculiaridades do caso. Mas o parecer junta dados da Nota Técnica da Secretaria Especial de Direitos Humanos (SEDH) para mostrar que a experiência brasileira é extremamente proveitosa, tanto na devolução criteriosa de crianças retidas ilicitamente no Brasil quanto na obtenção da devolução de crianças retiradas do Brasil e enviadas ao exterior. Nesse último caso, obteve-se um excepcional alento às famílias brasileiras na busca do retorno de suas crianças, diz. Interesse da criança Em relação aos artigos 12 e 13, b, da Convenção, o parecer afirma que a Adim quer que o STF imponha aos juízes um direcionamento forçado, ou seja, que analisem a situação não só da criança ou do adolescente, mas do responsável pela subtração, que pode não querer voltar ao Estado que ordenou a guarda ou direito de visita por diversos motivos, inclusive profissionais. Tal pretensão, no entanto, rotulada como interpretação ampliativa, contraria a essência da proteção dos interesses da criança e do adolescente nesse hipótese específica, afirma. Rediscussão da guarda A Procuradoria Geral da República considera que não convencem o pedido de interpretação conforme ao artigo 16 para que seja analisado, no Brasil, o mérito do direito de guarda, e de que seja declarada a inconstitucionalidade do artigo 17, por suposta ofensa à proteção constitucional da criança e do adolescente ao acesso à justiça, à separação dos poderes e à garantia da coisa julgada. Para ele, esses artigos representam um limite à jurisdição brasileira, imposto pelo Direito Internacional e em consonância com o direito da criança e do adolescente à convivência familiar. MPF/MS O julgamento dos três acusados pelo assassinato do cacique guarani-kaiowá Marcos Veron, ocorrido em janeiro de 2003 em Juti, no interior de Mato Grosso do Sul, acontece na próxima segunda-feira, em São Paulo. A pedido do Ministério Público Federal (MPF), o Tribunal do Júri foi transferido de MS para SP para garantir a imparcialidade dos jurados e evitar que a decisão sofra influência social e econômica dos envolvidos no crime. Pelo MPF, participam do julgamento, no Fórum Jarbas Nobre, na capital paulista, os procuradores da República Marco IMPEDIMENTO O Ministério Público Federal quer levar à Corte Especial do Tribunal Regional Federal da 1ª Região decisão que autorizou a exploração e produção de petróleo num raio de 50 km do Parque Nacional Marinho de Abrolhos, na Bahia. Com o argumento de evitar grave lesão à ordem e economia públicas, o presidente do TRF1 acatou pedido da Petrobras e da Agência Nacional de Petróleo e suspendeu os efeitos de medida cautelar que protegia a região. Não é razoável que interesses econômicos de empresas públicas ou particulares se confundam com a ordem ou economia públicas, principalmente em face da importância ambiental do santuário de Abrolhos para o Atlântico Sul, explica o procurador regional da República Marcelo Antônio Serra Azul no agravo regimental que pede a revisão da decisão. Antônio Delfino de Almeida, de Dourados, Rodrigo de Grandis e Marta Pinheiro de Oliveira Sena, de São Paulo, além do procurador regional da República Luiz Carlos dos Santos Gonçalves. O julgamento é considerado histórico pois é a primeira vez que acusados pela morte de um indígena em Mato Grosso do Sul vão para o banco dos réus. Estevão Romero, Carlos Roberto dos Santos e Jorge Cristaldo Insabralde são acusados de homicídio duplamente qualificado por motivo torpe e meio cruel, tortura, seis tentativas qualificadas de homicídio, seis crimes de sequestro, fraude processual e formação de quadrilha. Outras 24 pessoas foram denunciadas por envolvimento no crime. Entenda o caso - Acampados na Fazenda Brasília do Sul, em Juti, região sul do estado, na área reivindicada por eles como Tekohá Takuara, os kaiowá sofreram ataques nos dias 12 e 13 de janeiro de 2003, de um grupo de trinta a quarenta homens armados que foram contratados para agredi-los e expulsá-los daquelas terras. No dia 12, um veículo dos indígenas com duas mulheres, um rapaz de 14 anos e três crianças USO INDEVIDO A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) ganhou uma ação contra a Mastercard por uso indevido da logomarca da entidade. De acordo com os autos do processo, a Credicard utilizou, sem autorização, os símbolos e insígnias da CBF em campanha publicitária veiculada na mídia. A decisão é dos desembargadores da 19ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio. Confirmando a tese autoral, verifica-se da narrativa do caso, bem como do amplo acervo probatório produzido nos autos, que não houve autorização expressa, tampouco qualquer licenciamento da marca CBF pelo seu titular, em favor da sociedade empresária ré, fato esse que denota locupletamento indevido a ensejar ressarcimento, destacou o relator do processo, desembargador Ferdinaldo Nascimento. Vítima que se queimou com vapor de saco de pipoca tem recurso negado A 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio, por unanimidade de votos, negou o pedido de indenização por danos morais de R$ 100 mil e a retirada da pipoca Yoki para microondas das prateleiras dos supermercados. A ação foi proposta pela mãe de uma adolescente que, aos 11 anos, sofreu queimaduras após abrir um saco de pipocas recém-saído do microondas. Para o relator do processo, desembargador Paulo Maurício Pereira, embora a relação seja de consumo, a responsabilidade dos réus o supermercado Mundial e a Yoki Alimentos está afastada diante da prova de que foi a própria autora que deu causa ao lamentável acidente. Ele disse que a embalagem contém todas as informações necessárias para sua utilização de forma segura. Uma criança dessa idade não possui o devido discernimento e nem o cuidado necessário. Desembargadores modificaram a sentença para que o dano material fique proporcional ao que a autora efetivamente receberia A empresa foi condenada a pagar indenização por danos morais e materiais à CBF. O valor, todavia, ainda será calculado, pois, de acordo com o desembargador Ferdinaldo Nascimento, deve ser considerada a efetiva extensão e proporção da perda material, já C U R T A S de 6, 7 e 11 anos foi perseguido por 8 km, sob tiros. Na madrugada do dia 13, os agressores atacaram o acampamento a tiros. Sete índios foram sequestrados, amarrados na carroceria de uma camionete e levados para local distante da fazenda, onde passaram por sessão de tortura. Um dos filhos de Veron, Ládio, quase foi queimado vivo. A filha dele, Geisabel, grávida de sete meses, foi arrastada pelos cabelos e espancada. Marcos Veron, à época com 73 anos, foi agredido com socos, pontapés e coronhadas de espingarda na cabeça. Ele morreu por traumatismo craniano. que a campanha foi publicada nas revistas Caras e Época, veículos de comunicação de âmbito nacional, em detrimento da empresa Visa, concorrente direta da ré. Na 1ª Instância, a Mastercard foi condenada a pagar indenização por perdas e danos materiais, incluindo lucros cessantes, apurados em liquidação de sentença, tomando-se como base contratos que a CBF celebrou com outras empresas, como a Nike, Itaú, Ambev, Vivo e Tam. A ré também terá que pagar, a título de dano moral, valor idêntico ao apurado acima. A Mastercard recorreu e os desembargadores decidiram, por unanimidade de votos, modificar parcialmente a sentença somente para que o dano material seja proporcional ao que a autora efetivamente receberia, caso tivesse autorizado tais publicações. Comparsa de Marcinho VP é condenado a 16 anos de prisão O 1 Tribunal do Júri da capital condenou o traficante Eduardo Luiz Paixão, mais conhecido como Duda 2D, a 16 anos de prisão, em regime inicialmente fechado, pela morte e esquartejamento de André Luis dos Santos Jorge, o Dequinha. O motivo do crime teria sido a disputa pelo tráfico de drogas no Complexo do Alemão, tendo como mandante Márcio dos Santos Nepomuceno, o Marcinho VP, atualmente preso na Penitenciária Federal de Porto Velho, em Rondônia. Duda 2D foi denunciado, juntamente com Marcinho VP e outros cinco réus. O grupo também teria participado da morte de Rubem Pereira de Andrade. As vítimas foram executadas na madrugada do dia 11 de outubro de 1996, na localidade conhecida como Grota e na Avenida Central, próximo à Praça do Terço, no Complexo do Alemão. Duda 2D estava foragido e foi preso durante a operação de ocupação do Complexo do Alemão. Direitos e Deveres blogzegera.blogspot.com A 3ª Câmara Civil do TJ carioca julgou improcedente um pedido inusitado: árbitros de futebol cariocas e paulistas queriam receber indenização por uso de suas imagens nas transmissões dos jogos. Em suma: direito de arena! O pedido se apoiava na interpretação da Lei Pelé (L. nº 9.615/98), que dá aos clubes o direito de negociar a transmissão dos jogos. O TJ entendeu que árbitros e auxiliares não são atletas e já recebem remuneração por atuação; não podem, por isso, pretender direito de imagem. O art.28 da L. nº 9/615/98 diz que o contrato de trabalho do atleta profissional de futebol se rege pela legislação trabalhista, pelas normas gerais da seguridade social, pelas especificidades de seu texto e pelas singularidades do contrato de atleta profissional. O direito de arena, previsto no 1º do art.42 da L. nº 9.615/98 é acessório do contrato de trabalho e, como tal, não pode escapar à abrangência da competência material da Justiça do Trabalho. Direito de arena é o direito de autorizar a fixação, transmissão ou retransmissão de imagem de espetáculo desportivo de que participem. O art.42 da Lei Pelé determina a divisão entre os atletas, em partes iguais, de 20% do preço da autorização da divulgação do espetáculo desportivo, por qualquer meio. A lei fala em rateio entre atletas. Árbitros e auxiliares não são atletas. Para ser honesto, com o nível da arbitragem no país, árbitros e bandeirinhas deveriam pagar pra apitar. O futebol viveria muito bem sem eles. Deveria ser como na várzea: se a falta é feia, o pessoal se embola no local do crime e começa uma discussão acalorada. Vale xingar a mãe e relembrar até mesmo aquele carrinho maldoso do domingo passado. É só mostrar a marca na canela. Quando o ânimo se acalma, dá-se novo pontapé e a luta continua. Essa de árbitro e bandeirinha ganhar pra aparecer no espetáculo é o fim da picada! A coisa alheia móvel Desde que me entendo por gente, furtar é subtrair para si ou para outrem a coisa alheia móvel. A E. 5ª Turma do STJ decidiu que a tentativa de furto de um estepe de automóvel não constitui crime. Usou o tal princípio da insignificância. Não tenho nada contra o uso do princípio, mas pode chegar a hora em que a mídia vai entender insignificante o próprio papel do juiz. E nem sei se vai dar tempo de mudar de profissão. Concordo com a construção do princípio da bagatela. De verdade. Não se pode botar na mesma cela um ladrão de galinha e o sujeito que fraudou a previdência e desviou para a Suíça um milhão de dólares. O que não se deve é levar ao extremo a ideia de que não houve crime. Houve crime, sim senhor. O que o crime não tem é aquela dose de ofensividade de conduta, aquele grau de periculosidade social e aquele nível de reprovabilidade que justifique a intervenção repressiva do Estado em sua força máxima. Não me parece razoável levar em conta na aplicação do princípio da bagatela a inexpressividade da lesão jurídica provocada. Qualquer que seja a expressão jurídica da lesão, a ordem jurídica é afetada. Não importa se o sujeito furtou uma bicicleta ou um colar de diamantes de dois milhões de dólares. Furto é furto, e em qualquer dos seus graus a ordem social é atingida. O que deve variar é a pena, é o grau de repressividade. Tá certo que, no caso que aqui relato houve mera tentativa. Mas foi tentativa de furto. Dizer que tentativa de furto não tipifica crime é desprezar toda uma construção doutrinária que diz exatamente o contrário. No furto, há subtração da coisa alheia. O crime se consuma quando o sujeito ativo se apossa, ainda que momentaneamente, da coisa alheia móvel. O crime de furto é doloso, pois o agente quer, efetivamente, apoderar-se do que não é seu. Mas o crime de furto admite tentativa. É, portanto, crime comum, doloso,comissivo, de dano, material e instantâneo. Dizer que o furto de um estepe de um fusca não tem relevância jurídica é perigoso. Não tem relevância para quem? Para o ministro? Para sociedade? Ou para o dono do fusca? A questão, parece-me, não é essa. Está fora de foco. O que o STJ deve fazer é tipificar o crime, condenar e aplicar pena alternativa ao delinquente. Amanhã, quando o sujeito furtar o estepe do carro do ministro, talvez o conceito de furto mude. O crime de tentativa de furto,senhores, existiu de fato. É na aplicação da pena do crime de furto que o julgador deve levar em conta a pouca ofensividade de conduta, o grau mínimo de periculosidade social do agente e aquele nível baixo de reprovabilidade da conduta que talvez não justifique a intervenção do Estado com todo o seu rigor. É na cominação da pena, e não na tipificação do delito, que o princípio da bagatela deve guiar a mão do juiz. Arbitros de futebol cariocas e paulistas queriam receber indenização por uso de suas imagens nas transmissões dos jogos. Em suma: direito de arena! José Geraldo da Fonseca é desembargador Federal do Trabalho no Rio de Janeiro (7ª Turma), membro da SEDI e da Comissão de Jurisprudência do TRT/ RJ, presidente do Conselho Consultivo da ESACS (Escola de Capacitação do TRT/RJ), especialista em Processo Civil pela PUC/SP e em Direito Processual do Trabalho pela UFF/Escola Judicial do TRT/RJ, autor e professor universitário.

9 SECRETARIA DE CULTURA Estado oferece R$ 797 mil a grupos carnavalescos Paulo Virgilio Da Agência Brasil Duzentas e duas instituições, entre blocos, bandas, associações e federações - receberão recursos da Secretaria Estadual de Cultura para o carnaval deste ano. O edital de carnaval 2011 liberou R$ 797 mil e contemplou 64 agremiações a mais do que a lista do ano passado. Também foram incluídos grupos de regiões do interior do estado. Entre os grupos selecionados estão a Federação de Blocos Carnavalescos do Rio de Janeiro, a Associação das Escolas de Samba Mirins, a Liga Independente dos Blocos do Rio de Janeiro, e agremiações tradicionais como o Cordão da Bola Preta, o Clube do Samba e o Bloco Cacique de Ramos. Sem as vultosas verbas de patrocínio com que contam as escolas de samba do Grupo Especial e do Grupo de Acesso, essas instituições dependem do apoio da secretaria para fazer o seu carnaval sair do papel. C U R T A A gente se sente responsável pelo sucesso do carnaval de rua do Rio, porque a gente faz isso há mais de 12 anos. Somos a resistência pura do carnaval, afirma Robson Silva, vice-presidente da Liga Independente dos Blocos do Rio de Janeiro. Para ele, sem a verba do governo, os 19 blocos da liga, que desfilam na Avenida Rio Branco e em diversos bairros da zona norte, não conseguiriam fazer o carnaval. De acordo com a Secretaria de Cultura, os critérios que mais pesaram na seleção dos grupos foram a tradição, a importância cultural da agremiação e o seu papel como agente de acesso à cultura em sua comunidade. Com ou sem apoio oficial, o carnaval que ocorre fora dos limites do Sambódromo da Marquês de Sapucaí cresce a cada ano no Rio de Janeiro. Somente na capital, 424 blocos estão inscritos na Riotur para desfilarem este ano pelas ruas da cidade. Governo lança plano para melhorar transporte de carga no estado O Rio de Janeiro lançou ontem um plano destinado a diagnosticar os problemas e melhorar o transporte de carga no estado. Segundo a Secretaria de Transportes do estado, a primeira etapa do plano é fazer um levantamento de todos as vias e dos acessos a terminais de cargas (como portos e aeroportos), para verificar as condições e identificar possíveis gargalos. Em uma segunda etapa, serão feitos diagnósticos mais detalhados em três áreas do estado: as regiões serrana e do litoral sul fluminense, além das áreas petrolíferas do Rio. Para isso, o governo espera conseguir um financiamento do Banco Mundial. Depois de finalizar os diagnósticos, o governo do estado pretende fazer intervenções para melhorar o transporte de carga em possíveis áreas de gargalo. CONTROLE Itália consegue apoio para conter imigrantes ilegais Atendendo a um pedido do governo da Itália, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras da Europa (SEF) vai adotar um sistema de controle na ilha italiana de Lampedusa. O objetivo é conter a chegada de imigrantes ilegais do Norte da África, especialmente da Tunísia. O fluxo aumentou depois da crise política no país e passou a ser tratado como um problema de Estado na Itália. A medida vale também para egípcios, afegãos, iranianos, iraquianos e paquistaneses que chegam diariamente à região. PALESTINA Desde 15 de janeiro, desembarcaram no Sul da Itália 5,2 mil tunisianos, sendo 4 mil só na última sexta-feira. De acordo com as autoridades de imigração da Itália, as operações de controle têm o objetivo de conter o fluxo migratório. O responsável pelo centro de imigrantes de Lampedusa, Flávio Di Giacomo, disse que o local dispõe de 800 vagas e está lotado. Segundo ele, há cerca de 2 mil pessoas no albergue. Mas ele ressaltou que, além dos tunisianos, há também imigrantes do Egito Eleições acontecem mesmo sem Hamas As eleições palestinas serão realizadas independentemente da participação do Hamas, afirmou ontem Yasser Abed Rabbo, auxiliar do presidente palestino Mahmoud Abbas. A declaração de Abed Rabbo significa que as eleições presidenciais e parlamentares podem acontecer apenas na Cisjordânia, já que o Hamas se recusa a permitir a realização do pleito na Faixa de Gaza. Não podemos ficar reféns do Hamas e continuar sem eleições, afirmou Abed Rabbo. O governo palestino da Cisjordânia anunciou no último final de semana que a votação, adiada há tempos, vai acontecer até setembro. A medida foi vista como uma resposta aos amplos protestos contra regimes autocráticos no Oriente Médio que resultaram na queda de ditadores na Tunísia e no Egito. MUNDO REVOLTA ÁRABE RIOQuinta-feira, 17 de Fevereiro de INVESTIMENTOS GE apresenta a Dilma plano de US$ 550 milhões Recursos serão aplicados em atividades no Centro de Inovação, na Ilha do Fundão Leonencio Nossa Mercadante, João Geraldo Ferreira e Pimentel no encontro A direção da General Eletric (GE) apresentou ontem à presidente Dilma Rousseff plano de investimentos de US$ 550 milhões, nos próximos dois anos, em atividades no Centro de Inovação na Ilha do Fundão, no Rio de Janeiro. O encontro contou com as presenças dos ministros Aloizio Mercadante (Ciência e Tecnologia) e Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), além do presidente da GE no Brasil, João Geraldo Ferreira, e do presidente mundial da GE, Jaffrey Immelt. Em entrevista após o encontro, Mercadante disse que os investimentos serão aplicados nas áreas de gás, petróleo e energia, equipamentos de saúde e tecnologia da informação. Serão gerados, segundo o ministro, mil empregos diretos, sendo que 200 para pesquisadores. Mercadante ressaltou que serão registradas por residentes no Brasil todas as patentes que forem obtidas por meio de pesquisas do Centro de Inovação. Antonio Cruz / ABr Ele destacou ainda que a GE adquiriu nos últimos seis meses três empresas para fornecer produtos para a indústria do pré-sal. João Geraldo Ferreira disse que a GE faturou no ano passado, no Brasil, US$ 2,6 bilhões e a expectativa é que o faturamento aumente 30% neste ano na comparação com Na avaliação de Ferreira, o Centro de Inovação se destaca pela proximidade de universidades e sedes de empresas parceiras. Há um acordo, segundo ele, na área técnica com a Petrobras, mas Ferreira não quis dar detalhes. Segundo o presidente da GE no Brasil, do total de US$ 550 milhões a serem investidos nos próximos dois anos, pelo menos, US$ 50 milhões serão investidos na capacitação de mão-de-obra local. A meta da GE é fornecer tecnologia a curto prazo para empresas como Petrobras, Embratel e Vale. O ministro Fernando Pimentel disse que o governo está fazendo um grande esforço para recuperar o papel do setor de bens e faturados ao qual está inserida a GE. MEIO AMBIENTE Destinados R$ 4,5 milhões para saneamento do entorno da Baía O governo do Rio de Janeiro vai destinar R$ 4,5 milhões para que 14 municípios do entorno da Baía de Guanabara elaborem planos regionais de saneamento da região, em atendimento a uma das exigências do Comitê Olímpico Internacional (COI) para a Olimpíada de De acordo com o subsecretário estadual do Ambiente, Luiz Firmino, o objetivo é tratar a totalidade dos esgotos que vão hoje para a Baía de Guanabara e torná-la inteiramente limpa. Firmino disse que um estudo mostra o que já existe e o que ficou do antigo Programa de Despoluição da Baía de Guanabara (PDBG). Segundo Firmino, o conjunto de obras inclui a interligação dos coletores-tronco com as estações de tratamento, além da construção de novas estações. Basicamente. vamos colocar as estações do PDGB, que não estavam em uso, em pleno funcionamento. O programa permitirá que voltemos a ter a Baía de Guanabara em condições sanitárias. As intervenções beneficiarão o Rio de Janeiro e municípios da Baixada Fluminense, além de Itaboraí e São Gonçalo. Atualmente, 30% do esgoto fluminense é tratado. A intenção é dobrar esse número até Para isso, o projeto foi submetido ao Banco Interamericano de Desenvolvimento, que aprovou R$ 800 milhões de recursos para as ações, com contrapartida do estado de R$ 330 milhões. Para a presidente da organização não governamental (ONG) Instituto Baía de Guanabara, Dora Hees, muito pouco foi feito nos últimos anos a respeito dos esgotos domésticos. Líbia é palco de protestos Autoridades demonstram preocupação com a escalada das manifestações Centenas de líbios pedindo a queda do governo do coronel Muamar Kadafi entraram em choque com a polícia ontem em Benghazi, segunda maior cidade do país, e foram dispersos quando os policiais dispararam gás lacrimogêneo e balas de borracha. Na cidade de Zentan, sul do país, manifestantes atearam fogo a uma sede dos serviços de segurança e a uma delegacia, disseram testemunhas. Outra delegacia foi queimada por centenas de manifestantes na cidade de Beyida, ao leste de Benghazi. A oposição marcou protestos ainda maiores para hoje. Kadafi tenta conter os protestos e ainda nesta quarta-feira o governo anunciou a libertação de 110 supostos militantes islamitas e também propôs um aumento de 100% nos salários dos funcionários públicos. Em Beyida, jovens convocaram um protesto pelo Facebook para hoje. Eles se manifestam em apoio a um clérigo islâmico, o xeque Ahmed al-dayekh, que criticou Kadafi e a corrupção do governo no sermão em uma mesquita na sexta-feira passada. Segundo uma testemunha, a polícia hoje disparou para o ar para dispersar os manifestantes. Início - Os protestos foram desencadeados após a prisão de um ativista líbio nesta terçafeira em Benghazi, mas rapidamente ganharam um contorno contra o regime de Kadafi, que governa o país desde Testemunhas e ativistas afirmam que os protestos em Benghazi foram relativamente pequenos, mas eles sinalizaram que também na Líbia a população foi influenciada pelas revoluções na Tunísia e no Egito, além das revoltas em outros países árabes como o Bahrein e o Iêmen. Ontem também ocorreu uma manifestação com 3 mil pessoas a favor de Kadafi em Tripoli. A agência oficial de notícias líbia Jana não mostrou reportagens sobre os protestos contra o governo, mas apenas as manifestações a favor de Kadafi realizadas nesta quarta-feira em Trípoli, Benghazi e outras cidades. Segundo a Jana, os protestos contra o governo foram feitos por traidores e covardes. Números - Um oficial da segurança líbia, falando sob anonimato, disse que 14 pessoas, incluídos 10 policiais, ficaram feridas nos choques de terça-feira e ontem em Benghazi. Segundo ele, os manifestantes estavam armados com facas e pedras. Testemunhas disseram que a manifestação era pacífica, mas foi atacada por homens de Kadafi. A multidão em Benghazi gritava Não existe Deus além de Alá, Muamar é inimigo de Alá e Abaixo a corrupção. Segundo a agência Ansa da Itália, centenas de pessoas se manifestaram a favor de Kadafi, marchando até a praça Verde, no centro de Tripoli. A agência exibiu um vídeo de manifestantes levando retratos de Kadafi e gritando palavras de ordem a favor do líder líbio. Autoridades demonstraram certa preocupação com a escalada dos potenciais protestos, lançando uma campanha para desacreditar os dissidentes. No Bahrein, oposição continua nas ruas Os protestos no Bahrein continuaram ontem, com dezenas de milhares de pessoas ocupando uma área na capital do país, Manama. Outros milhares de manifestantes marcharam para lembrar o segundo homem morto durante confrontos com as forças de segurança. Um comitê estabelecido por sete grupos de oposição para coordenar os protestos convocou uma grande manifestação para este sábado, prevendo a participação de pelo menos 50 mil pessoas. Ontem, milhares foram até o necrotério de um hospital, onde estava o corpo de um homem morto na terça-feira. Milhares acompanharam o caixão, realizando protestos. As forças de segurança não foram até as áreas das manifestações. A Praça Pérola, área central para o tráfego no distrito financeiro da capital, estava tomada pelos manifestantes, muitos dos quais passaram a noite ali, em tendas. O rei do Bahrein, Hamad bin Isa Al Khalifa, em um raro discurso na TV, ofereceu suas condolências às vítimas nesta terça-feira. Ele prometeu que serão investigadas as mortes e a resposta das forças de segurança aos protestos. Também prometeu realizar reformas, como reduzir o controle da mídia e pagar benefícios extras prometidos para a população. Os protestos e confrontos que começaram no domingo transformaram o Bahrein no mais recente alvo das rebeliões árabes, que já depuseram regimes na Tunísia e no Egito. Também podem representar um dilema para o governo dos Estados Unidos, que trabalha para seguir os eventos sem prejudicar os interesses norte-americanos. O Bahrein é uma pequena nação do Golfo Pérsico.

10 10 ARTES Quinta-feira, 17 de Fevereiro de 2011 O trabalho de Gaye só passou a ser reavaliado após a sua morte, e seu ato de liberdade artística serviu de inspiração BLACK MUSIC Marvin Gaye será Sexual Healing é o nome provisório do longa, sob o comando de Julien Temple Gravação do disco Midnight Love será o foco de cinebiografia sobre Marvin GayeMarvin. Com título provisório Sexual Healing, o longa-metragem terá direção do britânico Julien Temple (que comandou o documentário Joe Strummer: O Futuro Está para Ser Escrito, sobre o ex-frontman do The Clash). As filmagens estão programadas para terem início neste ano, ESPORTES em Ostende (onde o cantor morou por um período), na Bélgica, e a EMI, dona dos direitos das canções do artista, liberará as faixas para o projeto. A história focará no álbum Midnight Love (o último de estúdio de Gaye, que traz em sua tracklist a clássica Sexual Healing ), gravado na cidade de Bruxelas, no início dos anos 80, e lançado em Ainda não se sabe quais serão os atores a integrar o elenco, sobretudo no papel do protagonista. Também não há previsão de estreia e mais informações deverão ser liberadas em breve. História - A carreira de Marvin Gaye - um dos artistas mais talentosos e visionários já lançados pela máquina de hits da Motown - contribuiu e muito para a evolução da chamada black music. O trabalho do cantor redefiniu o soul como uma forma de expressão criativa e, Mano Menezes convocará, no dia 4, a Seleção Brasileira para amistoso em Londres COPA DE 2014 Medalha de Mérito Esportivo a Ronaldo Imagem consagrada do jogador fora do País será utilizada Fábio Hecico Desde o anúncio da aposentadoria, nesta segunda-feira, Ronaldo optou pela reclusão, ficando em casa com a família. Nada de aparições em público. Futebol, só pela tevê e muito descanso na agenda. Ontem, ele deu uma pausa da vida de ex-jogador para receber homenagem e se tornar mais um integrante do comitê paulista para a Copa do Mundo de No lançamento do programa Cidade Base, no Museu do Futebol, que apresentou 37 cidades do estado que serão candidatas a sedes das seleções do próximo Mundial, garantindo boa estrutura hoteleira e de treinamentos, o Fenômeno ganhou a medalha de Mérito Esportivo do Governo do Estado de São Paulo. O evento contou com a presença do governador Geraldo Alckmin (PSDB), do prefeito Gilberto Kassab (DEM), do presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), Marco Polo del Nero, do presidente da CBF, Ricardo Teixeira, e de Fúlvio Danilas, gerente da Fifa que fiscaliza as obras para o Mundial no País. Com as cores do ex-clube - camisa branca, calça e tênis escuros -, o jogador parecia já ter superado a emoção da despedida e, bastante sorridente, mais uma vez viu seu grande serviço ao esporte reconhecido. Ao receber a medalha de Alckmin, ele voltou a ser aplaudido calorosamente. Agradeceu a todos e discursou, brevemente. José Patrício / AE Ricardo Teixeira, Ronaldo e Geraldo Alckmin na cerimônia Novamente, fazendo questão de agradecer a todos os presentes ali. Essa medalha representa muito para mim, tudo que fiz foi com muito amor e gosto pelo futebol, discursou. Sobre se tornar um membro titular do comitê paulista para a Copa do Mundo, disse ser uma honra poder ajudar. Com sua experiência, ele espera ajudar São Paulo a fazer a melhor sede de todos os tempos. Espero contribuir agora fora dos campos, disse. A imagem consagrada do jogador fora do País será bastante utilizada pelo comitê estadual para a captação de recursos e parceiros. São Paulo, além de querer sediar a abertura da Copa, no programado estádio do Corinthians, em Itaquera, ainda planeja ser o Centro de Imprensa (no Complexo do Anhembi) e o Congresso da Fifa (no futuro Centro de Convenções de Pirituba). Descontração - Ronaldo passou quase o tempo todo falando ao pé do ouvido de Ricardo Teixeira, numa prova de que as desavenças após a Copa de 2006 estão completamente superadas. Ronaldo não poupou elogios ao melhor presidente que já teve e tratou de seu jogo de despedida com a camisa da seleção. O Fenômeno não esconde sua vontade de reunir os melhores amigos para partida no meio do ano e, pelo semblante de felicidade, parece ter gostado do que ouviu. Estádio - O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e do comitê organizador da Copa no Brasil, Ricardo Teixeira, cobrou, ontem, do governo do Estado e municipal a construção até 2013 do estádio do Corinthians, que será a sede dos jogos do Mundial de 2014 e concorre pela partida de abertura da Copa. Precisamos do estádio de vocês para a Copa das Confederações, disse, referindo-se ao torneio internacional que antecede os Mundiais um ano antes. Divulgação diga-se de passagem, nem um pouco conformista (o impacto da música era amplamente utilizado como um agente transformador da nossa triste realidade social). Talvez o maior mérito de Gaye tenha sido mesmo a notória guinada que ele deu em sua própria trajetória: cansado dos temas amenos abordados em suas primeiras canções, o cantor ousou contestar questões políticas e pessoais através da música. FLUMINENSE Muricy deseja escalar Marquinho Fifa apura envolvimento Jack Warner, um dos vice presidentes, em venda ilegal de ingressos da Copa Ao que tudo indica, Muricy Ramalho vai promover uma mudança no meio de campo do Fluminense para a partida contra o Boavista, neste sábado, pela semifinal da Taça Guanabara (primeiro turno do Campeonato Carioca). O treinador está insatisfeito com o rendimento de Souza e demonstrou isso ao escalar Marquinho entre os titulares no coletivo de ontem, nas Laranjeiras. O meia, muito utilizado por sua versatilidade, já fala como se tivesse se retorno à equipe garantido. Voltar a jogar como titular é sempre muito bom. Mostra que o trabalho está sendo bem feito e sou lembrado pelo Muricy. Estou no caminho certo. Mas ainda preciso evoluir para chegar ao estágio de me manter na equipe titular, comentou Marquinho. Antes da atividade, Muricy conversou com o elenco durante 40 minutos, nos quais dedicouse a destacar os erros defensivos que a equipe vem cometendo e acarretando em gols. A entrada de Marquinho também indica uma preocupação maior com a marcação, já que o jogador tem características mais defensivas do que Souza. Eu marco e jogo. Não tem como tirar de jogadores como Souza e Conca a marcação. Vai acabar tirando as características deles. De repente, como temos sofrido muitos gols, o Muricy optou por esse estilo, analisou. Na zaga, o treinador manteve Digão como dupla de Gum, enquanto Leandro Euzébio ainda se recupera de lesão. Ricardo Berna, que voltou ao gol na última partida, também foi mantido entre os titulares. MUSEU MNBA reabre Galeria de Arte do Século 19 Roberta Pennafort Quando a ministra da Cultura, Ana de Hollanda, reabrir hoje a Galeria de Arte Brasileira do Século 19 do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), que estava cerrada desde 2008, por conta das obras no prédio centenário, vai receber um folder explicativo da exposição permanente. Se quiser, ouvirá explicações num dispositivo auditivo trilíngue. Pois o público do MNBA não dispunha desses itens, presentes em todo grande museu do mundo, antes da reforma estrutural e interna, que consumiu R$ 15 milhões - e ainda não acabou, segundo a diretora, Monica Xexéo. Ela precisa de outros R$ 10 milhões. Parece mentira. São coisas pequenas, mas grandes avanços para nós, uma instituição pública no Brasil, ela diz. C U R T A Grande também é a importância da galeria. Aberta no início do século 20, tem 2 mil m² e a coleção do século 19 mais significativa do País. Estão nela os mais relevantes artistas que trabalharam por aqui no período: os brasileiros Pedro Américo, Vitor Meireles, Rodolfo Amoedo, Almeida Junior e Antônio Parreiras, o italiano Eliseu Visconti, o mexicano Rodolfo Bernardelli, os franceses da Missão Artística - uns historicamente mais reconhecidos do que outros. Restauradas em sua maioria, cem obras que não eram expostas há décadas foram retiradas da abarrotada reserva técnica pelo curador, Pedro Xexéo: retratos, nus, paisagens de ateliê, esculturas. Agora, a galeria tem 220 obras. Um dos destaques, a primeira tela impressionista do Brasil, Efeitos de Sol, pintada por Belmiro de Almeida em Anúncio do projeto de um filme sobre Éder Jofre é bem recebido Repercutiu bastante na Berlinale - e ganhou abre de página na revista Variety, a bíblia do show bizz - o anúncio de que a RioFilme vai produzir e distribuir um filme sobre Éder Jofre. Será o mais alto investimento da empresa em um só filme, em toda a sua história. Intitulado Seconds, será rodado no segundo semestre. Breno Silveira ( Dois Filhos de Francisco ) vai produzir e a qualidade das imagens está antecipadamente assegurada porque a fotografia será de Walter Carvalho. O diretor Chico Abreia vai realizar o filme com base no roteiro que ele próprio escreveu. Antes da estreia na Copa do Brasil, Ricardo Gomes testa Bernardo, recémcontratado, como titular FÓRMULA 1 Nick Heidfeld de Robert Kubica Livio Oricchio Com o esforçado alemão Nick Heidfeld no lugar do talentoso polonês Robert Kubica, oficializado ontem, os resultados da renovada equipe Lotus Renault não serão, provavelmente, os planejados em princípio. Mas diante de o time cada vez menos francês começar o campeonato com um projeto avançado, revolucionário aerodinamicamente, a experiência dos 172 GPs do alemão de 33 anos foi a melhor opção existente no mercado. Vai precisar da sua orientação segura. O brasileiro Bruno Senna, piloto reserva da escuderia, já havia adiantado, nos testes de Jerez de la Frontera, na Espanha, na semana passada, que o conhecimento adquirido por Heidfeld em 11 temporadas era uma opção lógica da Lotus Renault. Por maior que seja a capacidade de Bruno, assumir o carro de Kubica significaria assumir parte do que se esperava do polonês e o que falta ao sobrinho de Ayrton Senna é exatamente experiência. Será um ano de grandes aprendizados para Bruno Senna e, quando tiver nova oportunidade, estará bem mais preparado. Se corresse no lugar de Kubica, a possibilidade de comprometer o seu futuro na Fórmula 1 seria maior que a chance de impressionar a todos, como terá depois do curso intensivo administrado pela Lotus Renault. Pesou muito na decisão de Eric Boullier, chefe da equipe, o trabalho superprofissional de Divulgação Heidfeld assume o carro Heidfeld no último sábado, dia que testou o modelo R31 em Jerez. Não pelo fato de ter estabelecido o melhor tempo do dia, provavelmente com pneus macios, para o time compreender a velocidade do piloto, mas pelas consistentes 86 voltas sem erros e informações técnicas enriquecedoras aos engenheiros. Ele nos impressionou, disse Boullier, nesta quarta, no comunicado da Lotus Renault. Heidfeld, claro, lembrou que não gostaria de disputar o campeonato dessa forma, substituindo Kubica, acidentado no último dia 6 numa prova de rali, na Itália. Kubica necessitará de um longo período de recuperação. Sobre sua nova escuderia, o alemão falou: Fiquei também impressionado com o entusiasmo do grupo e as instalações, em Enstone (Inglaterra). A partir de amanhã, Heidfeld e seu companheiro, o russo Vitaly Petrov, começarão a trabalhar juntos por quatro dias nos treinos de Barcelona, terceira série da pré-temporada.

Relatório Mensal. 2015 Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

Relatório Mensal. 2015 Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal 2015 Março Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Composição da Carteira Ativos Mobiliários, Imobiliários e Recebíveis

Leia mais

Cenário Macroeconômico

Cenário Macroeconômico INSTABILIDADE POLÍTICA E PIORA ECONÔMICA 24 de Março de 2015 Nas últimas semanas, a instabilidade política passou a impactar mais fortemente o risco soberano brasileiro e o Real teve forte desvalorização.

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Agosto 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

EconoWeek Relatório Semanal. EconoWeek 18/05/2015

EconoWeek Relatório Semanal. EconoWeek 18/05/2015 18/05/2015 EconoWeek DESTAQUE INTERNACIONAL Semana bastante volátil de mercado, com uma agenda mais restrita em termos de indicadores macroeconômicos. Entre os principais destaques, os resultados de Produto

Leia mais

Dólar sem freios. seu dinheiro #100. Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana

Dólar sem freios. seu dinheiro #100. Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana #100 seu dinheiro a sua revista de finanças pessoais Dólar sem freios Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana Festa no exterior Brasileiros continuam gastando cada vez mais fora

Leia mais

Preços. 2.1 Índices gerais

Preços. 2.1 Índices gerais Preços A inflação, considerada a evolução dos índices de preços ao consumidor e por atacado, apresentou contínua elevação ao longo do trimestre encerrado em maio. Esse movimento, embora tenha traduzido

Leia mais

Monitor do Déficit Tecnológico. Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro

Monitor do Déficit Tecnológico. Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro Monitor do Déficit Tecnológico Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro de 2012 Monitor do Déficit Tecnológico de 2012 1. Apresentação

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O Copom decidiu, por unanimidade, elevar a taxa de juros Selic em 0,5 p.p., a 14,25% ao ano, conforme esperado pelo mercado. A decisão ocorreu após elevação de 0,5 p.p no último encontro.

Leia mais

101/15 30/06/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

101/15 30/06/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados 101/15 30/06/2015 Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Junho de 2015 Sumário 1. Perspectivas do CenárioEconômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Março

Leia mais

Panorama Econômico Abril de 2014

Panorama Econômico Abril de 2014 1 Panorama Econômico Abril de 2014 Alerta Esta publicação faz referência a análises/avaliações de profissionais da equipe de economistas do Banco do Brasil, não refletindo necessariamente o posicionamento

Leia mais

PANORAMA EUA VOL. 3, Nº 5, JUNHO DE 2013

PANORAMA EUA VOL. 3, Nº 5, JUNHO DE 2013 PANORAMA EUA VOL. 3, Nº 5, JUNHO DE 2013 PANORAMA EUA OBSERVATÓRIO POLÍTICO DOS ESTADOS UNIDOS INSTITUTO NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARA ESTUDOS SOBRE OS ESTADOS UNIDOS INCT-INEU ISSN 2317-7977 VOL.

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 008 PIB avança e cresce 6% Avanço do PIB no segundo trimestre foi o maior desde 00 A economia brasileira cresceu mais que o esperado no segundo trimestre, impulsionada

Leia mais

Perspectivas para a Inflação

Perspectivas para a Inflação Perspectivas para a Inflação Carlos Hamilton Araújo Setembro de 213 Índice I. Introdução II. Ambiente Internacional III. Condições Financeiras IV. Atividade V. Evolução da Inflação 2 I. Introdução 3 Missão

Leia mais

Introdução. PIB varia 0,4% em relação ao 1º trimestre e chega a R$ 1,10 trilhão

Introdução. PIB varia 0,4% em relação ao 1º trimestre e chega a R$ 1,10 trilhão 16 a 31 de agosto de 2012 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015 Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 O cenário econômico nacional em 2014 A inflação foi superior ao centro da meta pelo quinto

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Novembro 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

Análise Macroeconômica Projeto Banco do Brasil

Análise Macroeconômica Projeto Banco do Brasil Análise Macroeconômica Projeto Banco do Brasil Segundo Trimestre de 2013 Energia Geração, Transmissão e Distribuição Conjuntura Projeto Banco Macroeconômica do Brasil Energia Geração, Transmissão e Distribuição

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Crise Mundo Os EUA e a Europa passam por um forte processo de desaceleração economica com indicios de recessão e deflação um claro sinal de que a crise chegou

Leia mais

Carta Mensal Fev/Mar de 2013 nº 173

Carta Mensal Fev/Mar de 2013 nº 173 Carta Mensal Fev/Mar de 2013 nº 173 Destaques do mês - Copom sinaliza alta de juros, mas não se compromete com ação já na próxima reunião, em meados de abril; - Atividade econômica mostra sinais de recuperação

Leia mais

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 15 de maio de 2007

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 15 de maio de 2007 M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 1 de maio de 27 Síntese gráfica trimestral do comércio bilateral e do desempenho macroeconômico chinês Primeiro trimestre de 27 No primeiro trimestre de 27, a economia chinesa

Leia mais

Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line

Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line Boletim 853/2015 Ano VII 15/10/2015 Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line O impacto das novas plataformas deve ser maior no médio e longo prazo, principalmente com a

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julho 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

12 de setembro de 2014

12 de setembro de 2014 Capacidade de promover mudanças Para o rating brasileiro a recuperação econômica conduzida por investimento e o rígido cumprimento das metas de superávit primário entre 2% e 3% são essenciais. Por outro

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Setembro 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA HENRIQUE MARINHO MAIO DE 2013 Economia Internacional Atividade Econômica A divulgação dos resultados do crescimento econômico dos

Leia mais

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando INFORMATIVO n.º 42 NOVEMBRO de 2015 A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando Fabiana D Atri - Economista Coordenadora do Departamento de Pesquisas e

Leia mais

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Henrique de Campos Meirelles Novembro de 20 1 Fundamentos macroeconômicos sólidos e medidas anti-crise 2 % a.a. Inflação na meta 8 6 metas cumpridas

Leia mais

ANO 4 NÚMERO 28 JUNHO DE 2014 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO

ANO 4 NÚMERO 28 JUNHO DE 2014 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO ANO NÚMERO 28 JUNHO DE 21 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO 1 - CONSIDERAÇÕES INICIAIS A divulgação do crescimento do PIB no primeiro trimestre desse ano, além de revelar uma taxa

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O saldo total das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional atingiu 54,5% do PIB, com aproximadamente 53% do total do saldo destinado a atividades econômicas. A carteira

Leia mais

Atravessando a Turbulência

Atravessando a Turbulência 1 Atravessando a Turbulência Guido Mantega Novembro de 20 1 2 Crise financeira sai da fase aguda A Tempestade financeira amainou. Há luz no fim do túnel. Crise não acabou, mas entra em nova fase. As ações

Leia mais

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado Políticas Públicas Lélio de Lima Prado Política Cambial dez/03 abr/04 ago/04 dez/04 abr/05 ago/05 Evolução das Reservas internacionais (Em US$ bilhões) dez/05 abr/06 ago/06 dez/06 abr/07 ago/07 dez/07

Leia mais

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal Brasília, 22 de maio de 2012 1 A situação da economia internacional

Leia mais

Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio

Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio MB ASSOCIADOS Perspectivas para o Agribusiness em 2011 e 2012 Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio 26 de Maio de 2011 1 1. Cenário Internacional 2. Cenário Doméstico 3. Impactos no Agronegócio 2 Crescimento

Leia mais

ANEXO VII OBJETIVOS DAS POLÍTICAS MONETÁRIA, CREDITÍCIA E CAMBIAL LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS

ANEXO VII OBJETIVOS DAS POLÍTICAS MONETÁRIA, CREDITÍCIA E CAMBIAL LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS ANEXO VII OBJETIVOS DAS POLÍTICAS MONETÁRIA, CREDITÍCIA E CAMBIAL LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS - 2007 (Anexo específico de que trata o art. 4º, 4º, da Lei Complementar nº 101, de 4 de maio de 2000)

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

ANO 1 NÚMERO 03 NOVEMBRO 2011 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO

ANO 1 NÚMERO 03 NOVEMBRO 2011 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO ANO 1 NÚMERO 03 NOVEMBRO 2011 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO CONSIDERAÇÕES INICIAIS Aos poucos as turbulências no mercado financeiro europeu e seus impactos nas atividades econômicas

Leia mais

Cenário Econômico para 2014

Cenário Econômico para 2014 Cenário Econômico para 2014 Silvia Matos 18 de Novembro de 2013 Novembro de 2013 Cenário Externo As incertezas com relação ao cenário externo em 2014 são muito elevadas Do ponto de vista de crescimento,

Leia mais

Discurso Presidente do Banco Central do Brasil Alexandre Tombini

Discurso Presidente do Banco Central do Brasil Alexandre Tombini Discurso Presidente do Banco Central do Brasil Alexandre Tombini Boa tarde. É com satisfação que estamos aqui hoje para anunciar o lançamento das novas cédulas de 10 e 20 reais, dando sequência ao projeto

Leia mais

Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano

Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano Associação Brasileira de Supermercados Nº51 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 29 de Abril de 2015 Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano Crescimento moderado

Leia mais

Cenário Macroeconômico 2015 X-Infinity Invest

Cenário Macroeconômico 2015 X-Infinity Invest Cenário Macroeconômico 2015 X-Infinity Invest SUMÁRIO PANORAMA 3 ATUAL CONTEXTO NACIONAL 3 ATUAL CONTEXTO INTERNACIONAL 6 CENÁRIO 2015 7 CONTEXTO INTERNACIONAL 7 CONTEXTO BRASIL 8 PROJEÇÕES 9 CÂMBIO 10

Leia mais

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Fevereiro de 2015 Sumário 1. Perspectivas do Cenário Econômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Fevereiro de 2015...

Leia mais

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO GRÃOS: SOJA, MILHO, TRIGO e ARROZ TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 NO BRASIL E NO MUNDO Carlos Cogo Setembro/2012 PRODUÇÃO MUNDIAL DEVE RECUAR 4,1% NA SAFRA 2012/2013 ESTOQUES FINAIS MUNDIAIS DEVEM

Leia mais

Relatório Semanal de Estratégia de Investimento

Relatório Semanal de Estratégia de Investimento 12 de janeiro de 2015 Relatório Semanal de Estratégia de Investimento Destaques da Semana Economia internacional: Deflação na Europa reforça crença no QE (22/11); Pacote de U$1 trilhão em infraestrutura

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014 ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014 Data: 29/04/2014 Participantes Efetivos: Edna Raquel Rodrigues Santos Hogemann Presidente, Valcinea Correia da Silva Assessora Especial,

Leia mais

Informe Econômico N 3

Informe Econômico N 3 Conjuntura Econômica Gerente Legislativa: Sheila Tussi da Cunha Barbosa Analista Legislativa: Cláudia Fernanda Silva Almeida Assistente Administrativa: Quênia Adriana Camargo Ferreira Estagiário: Tharlen

Leia mais

A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil

A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil 1 A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil Guido Mantega Outubro de 2008 1 2 Gravidade da Crise Crise mais forte desde 1929 Crise mais grave do que as ocorridas nos anos 1990 (crise de US$ bilhões

Leia mais

Unidade de Política Econômica

Unidade de Política Econômica Unidade de Política Econômica Brasília, abril de 2007 Superávit na balança comercial e juros altos sustentam valorização do real No primeiro bimestre de 2007, o dólar foi negociado a R$ 2,10, na média

Leia mais

Destaque Setorial - Bradesco

Destaque Setorial - Bradesco Siderurgia 12 de maio de 2015 Demanda externa deve compensar parcialmente retração doméstica de produtos siderúrgicos Leandro de Oliveira Almeida Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos A retração

Leia mais

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Prof. Onivaldo Izidoro Pereira Finanças Corporativas Ambiente Econômico Em suas atividades uma empresa relacionase com: Clientes

Leia mais

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012 Palestra: Macroeconomia e Cenários Prof. Antônio Lanzana 2012 ECONOMIA MUNDIAL E BRASILEIRA SITUAÇÃO ATUAL E CENÁRIOS SUMÁRIO I. Cenário Econômico Mundial II. Cenário Econômico Brasileiro III. Potencial

Leia mais

ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base

ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base Cenário Econômico Internacional & Brasil Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda antonio.lacerda@siemens.com São Paulo, 14 de março de 2007

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Tópicos Economia Americana: Confiança em baixa Pág.3 EUA X Japão Pág. 4 Mercados Emergentes: China segue apertando as condições monetárias Pág.5 Economia Brasileira:

Leia mais

Terça-feira, 28 de Abril de 2015. DESTAQUES

Terça-feira, 28 de Abril de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Petrobras é alvo de vendas e puxa correção da bolsa Hypermarcas prevê aumento de preços de produtos de consumo Lopes vende participação majoritária na Dall'Oca Tractebel vê tendência de crescimento

Leia mais

Em Compasso de Espera

Em Compasso de Espera Carta do Gestor Em Compasso de Espera Caros Investidores, O mês de setembro será repleto de eventos nos quais importantes decisões políticas e econômicas serão tomadas. Depois de muitos discursos que demonstram

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Junho 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

inflação de 2001. Supera a Meta 15 C ONJUNTURA FLÁVIA SANTOS DA SILVA* LUIZ ALBERTO PETITINGA**

inflação de 2001. Supera a Meta 15 C ONJUNTURA FLÁVIA SANTOS DA SILVA* LUIZ ALBERTO PETITINGA** 15 C ONJUNTURA Inflação de 2001 Supera a Meta A inflação em 2001, medida pelo IPCA, atingiu o patamar de 7,67%, superando a meta de 6% estabelecida pelo Banco Central. Choques internos e externos à economia

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Junho 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações Apesar do bom crescimento de Produtos Alimentícios e Máquinas e Equipamentos,

Leia mais

Relatório Mensal - Junho de 2013

Relatório Mensal - Junho de 2013 Relatório Mensal - Relatório Mensal Carta do Gestor Junho foi mais um mês bastante negativo para o Ibovespa. O índice fechou em queda pelo sexto mês consecutivo impactado pela forte saída de capital estrangeiro

Leia mais

O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas

O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas 1 O conturbado cenário nacional Economia em recessão: queda quase generalizada do PIB no 2º trimestre de 2015, com expectativa de

Leia mais

A Ameaça Inflacionária no Mundo Emergente

A Ameaça Inflacionária no Mundo Emergente BRICS Monitor A Ameaça Inflacionária no Mundo Emergente Agosto de 2011 Núcleo de Análises de Economia e Política dos Países BRICS BRICS Policy Center / Centro de Estudos e Pesquisa BRICS BRICS Monitor

Leia mais

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 17 de agosto de 2011.

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 17 de agosto de 2011. Análise CEPLAN Recife, 17 de agosto de 2011. Temas que serão discutidos na VI Análise Ceplan A economia em 2011: Mundo; Brasil; Nordeste, com destaque para Pernambuco; Informe sobre mão de obra qualificada.

Leia mais

Perfil Econômico Municipal

Perfil Econômico Municipal indústria Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não-metálicos Fabricação de alimentos e bebidas Fabricação de produtos do fumo

Leia mais

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Abril de 2015 Sumário 1. Perspectivas do Cenário Econômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Março de 2015... 5 3.

Leia mais

China: crise ou mudança permanente?

China: crise ou mudança permanente? INFORMATIVO n.º 36 AGOSTO de 2015 China: crise ou mudança permanente? Fabiana D Atri* Quatro grandes frustrações e incertezas com a China em pouco mais de um mês: forte correção da bolsa, depreciação do

Leia mais

RB CAPITAL ANHANGUERA FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO- FII. CNPJ nº 13.568.181/0001-07 (Administrado por INTRADER DTVM Asset servicing.

RB CAPITAL ANHANGUERA FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO- FII. CNPJ nº 13.568.181/0001-07 (Administrado por INTRADER DTVM Asset servicing. RB CAPITAL ANHANGUERA FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO- FII CNPJ nº 13.568.181/0001-07 (Administrado por INTRADER DTVM Asset servicing.) 1 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Seção I Objeto do Fundo 2 Seção I

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA INDICADORES SELECIONADOS PELO FAE INTELLIGENTIA 1 IPC-FAE ÍNDICE DE PREÇOS DA CLASSE MÉDIA CURITIBANA

CONJUNTURA ECONÔMICA INDICADORES SELECIONADOS PELO FAE INTELLIGENTIA 1 IPC-FAE ÍNDICE DE PREÇOS DA CLASSE MÉDIA CURITIBANA CONJUNTURA ECONÔMICA INDICADORES SELECIONADOS PELO FAE INTELLIGENTIA 1 IPC-FAE ÍNDICE DE PREÇOS DA CLASSE MÉDIA CURITIBANA O Índice de Preços ao Consumidor da Classe Média de Curitiba - IPC-FAE, medido

Leia mais

Baixa do dólar e recuo das Treasuries corroboram para fechamento dos juros futuros; Fatores domésticos levam a depreciação do dólar frente ao real;

Baixa do dólar e recuo das Treasuries corroboram para fechamento dos juros futuros; Fatores domésticos levam a depreciação do dólar frente ao real; 20-jan-2014 Baixa do dólar e recuo das Treasuries corroboram para fechamento dos juros futuros; Fatores domésticos levam a depreciação do dólar frente ao real; Ibovespa recuou 1,04% na semana, seguindo

Leia mais

O CENÁRIO ECONÔMICO EM 2015

O CENÁRIO ECONÔMICO EM 2015 O CENÁRIO ECONÔMICO EM 2015 Luís Artur Nogueira Jornalista e economista Editor de Economia da IstoÉ DINHEIRO Comentarista Econômico da Rádio Bandeirantes São Paulo 11/11/2014 Qual é o verdadeiro Brasil?

Leia mais

DESEMPENHO DOS BANCOS 1º SEMESTRE DE 2012

DESEMPENHO DOS BANCOS 1º SEMESTRE DE 2012 Set/2012 DESEMPENHO DOS BANCOS 1º SEMESTRE DE 2012 Provisionamento excessivo e fechamento de postos de trabalho são destaques nos balanços dos seis maiores bancos no 1º semestre de 2012 A s demonstrações

Leia mais

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO REGIÃO OESTE

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO REGIÃO OESTE FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO ANÁLISE CONJUNTURAL DO MÊS DE NOVEMBRO DE 2013 REGIÃO OESTE Este relatório, referente ao mês de NOVEMBRO de 2013, da Pesquisa Conjuntural

Leia mais

Considerações Iniciais

Considerações Iniciais ANO 2 NÚMERO 6 ABRIL 212 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO RABELO Considerações Iniciais Neste primeiro trimestre de 212 a economia brasileira apresenta índices econômicos preocupantes

Leia mais

para 2006 Everton Freire de Carvalho*

para 2006 Everton Freire de Carvalho* para 2006 Everton Freire de Carvalho* O ano de 2005 foi marcado por uma política econômica que alcançou bastante êxito, dentro dos objetivos traçados. Os principais índices de preços registraram altas

Leia mais

4278866 - O ESTADO DE S. PAULO - NOTAS E INFORMAÇÕES - SÃO PAULO - SP - 16/04/2014 - Pág A3

4278866 - O ESTADO DE S. PAULO - NOTAS E INFORMAÇÕES - SÃO PAULO - SP - 16/04/2014 - Pág A3 Investimentos em queda 4278866 - O ESTADO DE S. PAULO - NOTAS E INFORMAÇÕES - SÃO PAULO - SP - 16/04/2014 - Pág A3 As mudanças de atitude do governo em relação ao novo Código de Mineração tornaram mais

Leia mais

TÓPICO ESPECIAL Agosto

TÓPICO ESPECIAL Agosto Jan-94 Dec-94 Nov-95 Oct-96 Sep-97 Aug-98 Jul-99 Jun-00 May-01 Apr-02 Mar-03 Feb-04 Jan-05 Dec-05 Nov-06 Oct-07 Sep-08 Aug-09 Jul-10 Jun-11 May-12 Apr-13 Mar-14 Feb-15 Mar-10 Jul-10 Nov-10 Mar-11 Jul-11

Leia mais

Relatório Mensal - Setembro de 2013

Relatório Mensal - Setembro de 2013 Relatório Mensal - Relatório Mensal Carta do Gestor O Ibovespa emplacou o terceiro mês de alta consecutiva e fechou setembro com valorização de 4,65%. Apesar dos indicadores econômicos domésticos ainda

Leia mais

Faz sentido o BNDES financiar investimentos em infraestrutura em outros países?

Faz sentido o BNDES financiar investimentos em infraestrutura em outros países? Faz sentido o BNDES financiar investimentos em infraestrutura em outros países? Marcos Mendes 1 O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) tem financiado a construção de infraestrutura

Leia mais

Boletim de Comércio Exterior da Bahia Março 2015

Boletim de Comércio Exterior da Bahia Março 2015 ISSN 2179-8745 Boletim de Comércio Exterior da Bahia Março 2015 Sumário SUMÁRIO Governo do Estado da Bahia Rui Costa Secretaria do Planejamento João Leão Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais

Leia mais

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Janeiro de 2014

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Janeiro de 2014 Associação Brasileira de Supermercados Nº48 tou ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Janeiro de 2014 Vendas dos supermercados crescem 2,24% em 2014 Em dezembro, as

Leia mais

ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE EMBALAGENS

ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE EMBALAGENS ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE EMBALAGENS Jun/15 Análise de Competitividade Embalagens Resumo da Cadeia de Valores Painel de Indicadores de Monitoramento da Competitividade Setorial Percepção empresarial da

Leia mais

ECONOMIA INTERNACIONAL

ECONOMIA INTERNACIONAL No mês de fevereiro foram divulgadas as estatísticas das principais economias mundiais. Cabe ressaltar ainda, o efeito negativo da crise na Ucrânia nos mercados internacionais, uma vez que o grau de tensão

Leia mais

Panorama da Economia Brasileira. Carta de Conjuntura do IPEA

Panorama da Economia Brasileira. Carta de Conjuntura do IPEA : Carta de Conjuntura do IPEA Apresentadoras: PET - Economia - UnB 25 de maio de 2012 1 Nível de atividade 2 Mercado de trabalho 3 4 5 Crédito e mercado financeiro 6 Finanças públicas Balanço de Riscos

Leia mais

Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula

Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula Esta apresentação foi preparada pelo Grupo Santander Banespa (GSB) e o seu conteúdo é estritamente confidencial. Essa apresentação não poderá ser reproduzida,

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julho 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO PONTA GROSSA

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO PONTA GROSSA FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO ANÁLISE CONJUNTURAL DO MÊS DE JANEIRO DE 2014 PONTA GROSSA Este relatório, referente ao mês de Janeiro de 2014, da Pesquisa Conjuntural

Leia mais

Paineiras Hedge FIC FIM

Paineiras Hedge FIC FIM Cenário Econômico e Perspectivas A experiência de observar ciclos econômicos no passado sugere que é sempre prudente analisar a conjuntura econômica sob dois prismas interligados, porém distintos: o fundamento

Leia mais

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 4 11 de maio de 2006

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 4 11 de maio de 2006 M A C R O C H I N A Ano Nº 11 de maio de 6 Síntese gráfica trimestral do comércio bilateral e do desempenho macroeconômico chinês - Primeiro trimestre de 6. Para surpresa de muitos analistas, o Banco Central

Leia mais

RENDA FIXA TESOURO DIRETO 09/10/2012

RENDA FIXA TESOURO DIRETO 09/10/2012 DESTAQUES DO RELATÓRIO: Carteira Recomendada A nossa carteira para este mês de Outubro continua estruturada considerando a expectativa de aumento da taxa de juros a partir do próximo ano. Acreditamos que

Leia mais

Argumentos Contra e a Favor da Valorização O que é o IOF Medidas Adotadas Resultados. Câmbio X IOF Resumo da Semana

Argumentos Contra e a Favor da Valorização O que é o IOF Medidas Adotadas Resultados. Câmbio X IOF Resumo da Semana Câmbio X IOF Nesta apresentação será exposto e discutido parte do debate sobre a valorização do real frente outras moedas, em especial o dólar. Ao final será apresentado um resumo das notícias da semana.

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa encerrou ontem em queda de 0,34% aos 50.993 pontos com volume reduzido de R$ 4,2 bilhões. Os investidores estão fora do mercado aproveitando o noticiário fraco e agenda econômica

Leia mais

O AMBIENTE ECONÔMICO. Boletim n.º 05 1º trimestre de 2013. Taxa de juros - SELIC (fixada pelo Comitê de Política Monetária COPOM)

O AMBIENTE ECONÔMICO. Boletim n.º 05 1º trimestre de 2013. Taxa de juros - SELIC (fixada pelo Comitê de Política Monetária COPOM) Boletim n.º 05 1º trimestre de O AMBIENTE ECONÔMICO Taxa de juros - SELIC (fixada pelo Comitê de Política Monetária COPOM) Atividade econômica A economia brasileira, medida pelo desempenho do Produto Interno

Leia mais

RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014*

RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014* RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014* Estabelece parâmetros para o Licenciamento Ambiental das atividades de comércio atacadista e de confecção e fabricação de produtos têxteis. O SECRETÁRIO

Leia mais

São Paulo 08/11/2012

São Paulo 08/11/2012 São Paulo 08/11/2012 Patrocinadores do 13 Fórum Acrílico tecnologia em corte e gravação a laser O atelier do acrílico soluções industriais para gravação e corte a laser Tecnologia Laser Temas do 13º Fórum

Leia mais

Superintendência de Desenvolvimento Industrial Setembro, 2011

Superintendência de Desenvolvimento Industrial Setembro, 2011 Integração de Cadeias Produtivas Superintendência de Desenvolvimento Industrial Setembro, 2011 Agenda 1. Crescimento do Mercado Consumidor e Ascensão da Classe Média 1. Áreas de Investimento e Adensamento

Leia mais

Apresentação do presidente da FEBRABAN, Murilo Portugal no 13º Seminário Tendências Perspectivas da Economia Brasileira: Cenário Econômico e Político

Apresentação do presidente da FEBRABAN, Murilo Portugal no 13º Seminário Tendências Perspectivas da Economia Brasileira: Cenário Econômico e Político 1 Apresentação do presidente da FEBRABAN, Murilo Portugal no 13º Seminário Tendências Perspectivas da Economia Brasileira: Cenário Econômico e Político Cenários para os países desenvolvidos, sua inter

Leia mais

Boletim de Comércio Exterior da Bahia Janeiro 2014

Boletim de Comércio Exterior da Bahia Janeiro 2014 ISSN 2179-8745 Boletim de Comércio Exterior da Bahia Janeiro 2014 Sumário SUMÁRIO Governo do Estado da Bahia Jaques Wagner Secretaria do Planejamento José Sergio Gabrielli Superintendência de Estudos Econômicos

Leia mais

DEFESA DE MONOGRAFIA Sala: 101

DEFESA DE MONOGRAFIA Sala: 101 CURSO DE BANCA 1 15/12 (Terça) 17:30h Prof. André Brown de Carvalho, Prof. Carlos Henrique Soares e Profa. Carolina Silveira Machado ALINE SIMÕES BARROS A IMPORTÂNCIA DOS INDICADORES SOCIAIS E ECONÔMICOS

Leia mais