SELEÇÃO DE CLÁUSULAS DE CONVENÇÕES COLETIVAS 2013 Ano base 2012

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SELEÇÃO DE CLÁUSULAS DE CONVENÇÕES COLETIVAS 2013 Ano base 2012"

Transcrição

1 SELEÇÃO DE CLÁUSULAS DE CONVENÇÕES COLETIVAS 2013 Ano base 2012

2 Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro A Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro FECOMÉRCIO-RJ, com este trabalho, apresenta uma seleção de cláusulas das Convenções Coletivas negociadas, referentes ao ano de 2012, compiladas pelo Núcleo de Relações Sindicais, de forma a permitir uma visualização dos principais temas negociados com os trabalhadores, na área do comércio de bens, serviços e turismo, em especial, no Estado do Rio de Janeiro. Este trabalho tem o propósito de auxiliar os sindicatos filiados nas negociações por eles protagonizadas, permitindolhes uma melhor avaliação dos impactos setoriais e de vizinhança que podem vir a ser gerados pelas normas pactuadas, bem como a possibilidade de inovar em suas convenções na busca de melhores condições para o exercício da atividade empresarial. Cabe registrar que a redação das cláusulas constantes desta coletânea representa a reprodução do texto original dos respectivos instrumentos coletivos de trabalho. Página 2

3 Coletâneas 2013 SUMÁRIO A Q ACIDENTE DE TRABALHO 4 QUEBRA DE CAIXA 43 ADICIONAL DE INSALUBRIDADE 4 AJUDA DE CUSTO 7 R AVISO PRÉVIO 8 REAJUSTE SALARIAL 45 B T BANCO DE HORAS 10 TRABALHO AOS DOMINGOS 48 TRABALHO AOS FERIADOS 51 H HOMOLOGAÇÃO 17 ANEXO I HORÁRIO DE TRABALHO ESPECIAL 19 DATAS BASE DAS NEGOCIAÇÕES COLETIVAS 60 HORAS EXTRAS 24 P ANEXO II PISO SALARIAL 26 CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 7º 71 PISO SALARIAL REPIS REGIME ESPECIAL DE PISO SALARIAL 30 CLT ART. 611 A PONTO ELETRÔNICO 40 SÚMULA Nº 277, DO C. TST 83 Página 3

4 Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro ACIDENTE DE TRABALHO ADICIONAL DE INSALUBRIDADE SINDICATO DOS EMPREGADOS EM EMPRESAS DE ASSEIO E CONSERVAÇÃO DE VOLTA REDONDA, BARRA MANSA, RESENDE, BARRA DO PIRAÍ, VALENÇA, VASSOURAS E ANGRA DOS REIS e SINDICATO DAS EMPRESAS DE ASSEIO E CONSERVAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SINDICATO DOS EMPREGADOS EM EMPRESAS DE ASSEIO E CONSERVAÇÃO DE VOLTA REDONDA, BARRA MANSA, RESENDE, BARRA DO PIRAÍ, VALENÇA, VASSOURAS E ANGRA DOS REIS e SINDICATO DAS EMPRESAS DE ASSEIO E CONSERVAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 2012 CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA QUARTA - PLANTÃO DE ACIDENTES As empresas manterão funcionando plantão, para registro de acidentes e outras ocorrências, durante o tempo que houver serviço na rua. CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA NONA - COMUNICAÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO (CAT) Torna-se obrigatório o registro no INSS de todos os acidentes e doenças ocupacionais por meio de Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT), devendo as Empresas encaminharem, cópias das referidas CAT s ao SIEEACON. CLÁUSULA 39ª INSALUBRIDADE Fica concedido aos empregados que exerçam as funções de auxiliar de serviços gerais, ajudantes de equipes diversas, varredor, servente de aterro, coletor, operador de roçadeira/ moto serra e demais empregados administrativos e operacionais um adicional de insalubridade, calculado de acordo com o piso da categoria de auxiliar de serviços gerais desde o laudo do SESMET da empresa prestadora de serviço considere os respectivos locais insalubres, na forma abaixo: * 10% (dez por cento) para auxiliar de serviços gerais; Página 4

5 Coletâneas 2013 * 10% (dez por cento) para Ajudantes de equipes diversas; * 20% (vinte por cento) para varredor; * 20% (vinte por cento) para operador de roçadeira/ moto serra; * 40% (quarenta por cento) para coletores; * 40% (quarenta por cento) para servente de aterro. Fica concedido aos empregados que exerçam as funções de limpeza, limpador, serventes, auxiliares de serviços gerais ou faxineiras, recepcionistas e demais empregados administrativos ou operacionais, um adicional de insalubridade, calculado de acordo com o Piso Salarial da Categoria Profissional de Servente, desde que o laudo do SESMET das empresas prestadoras de serviços considere os respectivos locais insalubres, na forma abaixo: b) 40% (quarenta por cento) de adicional de insalubridade, Grau Máximo, para os empregados supracitados que exerçam suas funções em leprosários, hospitais para tratamento do câncer, sanatórios para tratamento de tuberculose, AIDS, e dentro das lixeiras dos prédios e/ou condomínios, além de dedetizador, imunizador e calafate. c) o adicional de insalubridade previstos nas letras a e b do caput, somente serão alteradas mediante laudo pericial expedido por órgão de segurança e medicina do trabalho vinculado ao Ministério do Trabalho e Emprego. a) 20% (vinte por cento) de adicional de insalubridade, Grau Médio, para os empregados que exerçam suas funções nas SIDERÚRGICAS, METALÚRGICAS, MONTADORAS DE VEÍCULOS, FÁBRICAS GERADORAS DE ENERGIA ELÉTRICA E DEMAIS INDÚSTRIAS E DA REGIÃO SUL FLUMINENSE. Página 5

6 Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro SINDICATO DOS EMPREGADOS DE EDIFICIOS DE NITEROI e SINDICATO DOS CONDOMÍNIOS COM RES E MISTOS DE NITERÓI E SÃO GONCALO SINCOND 2012 CLÁUSULA 14ª INSALUBRIDADE O(a) empregado(a) que trabalhar na dependência de lixeira, de compactador de lixo, fará jus a um adicional de 20% (vinte por cento), do salário base a título de insalubridade. Não caracteriza manuseio de lixo, o transporte do mesmo já acondicionado até o local de coleta pelo serviço de limpeza pública; a simples varredura; o recolhimento de garrafas; papéis; caixotes; roupas velhas ou madeiras deixadas nas dependências do condomínio. SINDICATO DOS FARMACÊUTICOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO e SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE PRODUTOS FARMACÊUTICOS DE NITERÓI E SÃO GONCALO 2012 CLÁUSULA NONA - INSALUBRIDADE/PERICULOSIDADE Quando houver insalubridade e/ou periculosidade constatada por perícia do Ministério do Trabalho e Emprego, sem prejuízo das perícias judiciais, será pago o respectivo adicional legal a todos os empregados que estiverem sob os efeitos do agente insalubre e/ou risco de periculosidade. Único: As empresas garantirão à empregada gestante o remanejamento durante a gravidez, caso o seu local de trabalho seja insalubre, conforme definido no caput. PARÁGRAFO PRIMEIRO: O E.P.I. é de uso obrigatório pelo empregado e sua não utilização será considerada falta grave. PARÁGRAFO SEGUNDO: Caberá ao condomínio prova da efetiva entrega do referido equipamento. Página 6

7 Coletâneas 2013 AJUDA DE CUSTO SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DO RIO DE JANEIRO e FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE MACAÉ e SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE MACAÉ 2012 CLÁUSULA 15ª - AJUDA DE CUSTO Será assegurada a todos os comissionistas, puros e mistos, uma ajuda de custo mensal no valor de R$ 23,00 (vinte e três reais). CLÁUSULA DÉCIMA SÉTIMA - AJUDA DE CUSTO AO COMISSIONISTA Fica fixado um ajuda de custo para os comissionistas, no percentual de 2% (dois por cento) sobre o piso da categoria, como forma de minimizar as despesas decorrentes da atividade laboral. SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE PETRÓPOLIS e SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE PETRÓPOLIS 2012 CLÁUSULA 22ª - AJUDA DE CUSTO COMISSIONISTA Será assegurada aos empregados que percebam comissão, uma ajuda de custo mensal no valor correspondente a 5% (cinco por cento) do piso salarial normativo. Página 7

8 Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro AVISO PRÉVIO SINDICATO DOS LOJISTAS DO COMÉRCIO DE NITERÓI e SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE NITERÓI CLÁUSULA 13ª - AVISO PRÉVIO Descrição: Durante o prazo do aviso prévio, dado por qualquer das partes, ficam vedadas as alterações nas condições de trabalho, na forma do art. 468 da CLT e seu parágrafo único. PARÁGRAFO 1º - No início do período do aviso prévio promovido pelo empregador, o empregado poderá optar pela redução de 2 (duas) horas no começo ou no final da jornada, ou 7 (sete) dias corridos, caso não seja dispensado do mesmo. (art. 488 e único CLT). Aos empregados com mais de 1 (um) ano de tempo de serviço na mesma empresa, serão acrescidos 3 (três) dias por ano de serviço prestado na mesma até o máximo de 60 (sessenta) dias perfazendo um total de 90 (noventa) dias (lei de 10/2011). PARÁGRAFO 2º - O empregado despedido fica dispensado do cumprimento do aviso prévio quando comprovar a obtenção de novo emprego, desonerando a empresa do pagamento dos dias não trabalhados (PN 24 TST). PARÁGRAFO 3º - Na hipótese das empresas dispensarem seus empregados do cumprimento do aviso prévio, deverão fazê-lo, por escrito, no verso do próprio aviso. PARÁGRAFO 4º - A data de saída a ser anotada na CTPS deve corresponder a do término do prazo do aviso prévio (30 dias), ainda que indenizado. (OJ 82 TST). PARÁGRAFO 5º - Aplica se a regra prevista no caput do art. 132 do Código Civil de 2002, à contagem do prazo do aviso prévio, excluindo se o dia do começo e incluindo o dia do vencimento (SÚM TST 380). Página 8

9 Coletâneas 2013 SINDICATO DOS EMPREGADOS EM INSTITUIÇÕES BENEFICENTES RELIGIOSAS E FILANTRÓPICAS DO ESTADO DO RJ e SINDICATO DAS INSTITUIÇÕES, BENEFICENTES, RELIGIOSAS E FILANTRÓPICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SINDICATO DOS EMPREGADOS EM TURISMO E HOSPITALIDADE DE CAMPOS, FEDERAÇÃO DOS EMPREGADOS EM TUR E HOSP DO RIO DE JANEIRO e SINDICATO DAS EMPRESAS DE ASSEIO E CONSERVAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CLÁUSULA DÉCIMA SÉTIMA - AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL Aos empregados com idade superior a 60(SESSENTA) anos, será garantido um aviso prévio adicional de 30(trinta) dias, além daquele previsto em Lei. Por ocasião da demissão, se o aviso prévio for concedido trabalhado, esse não poderá ultrapassar o previsto em lei. Neste caso o aviso prévio adicional será indenizado, desde que os empregados tenham prestado 02 (DOIS) anos de serviço ao mesmo empregador. CLÁUSULA 24ª - AVISO PRÉVIO Descrição: O empregado que estiver em cumprimento do aviso prévio, não poderá ser transferido do Município onde exerce suas funções. E se, neste período, o empregado demitido conseguir outro emprego, fica dispensado do restante do cumprimento do aviso. Parágrafo Único: Fica ressalvado que desde 13/10/2011 entrou em vigor a nova lei de Aviso prévio, portanto a partir da presente data todas empresas devem seguir as novas regras do aviso prévio estabelecidas pela LEI No /2011. Página 9

10 Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro BANCO DE HORAS SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DO RIO DE JANEIRO e FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CLÁUSULA 22ª - BANCO DE HORAS Descrição: As empresas só poderão aderir ao banco de horas, assinando o Termo de Adesão ao Regime de Banco de Horas, constantes do respectivo Instrumento Normativo, sendo ambos, parte integrante desta Convenção Coletiva, nos termos da Lei nº 9.601/98. Parágrafo Primeiro: Em qualquer situação fica estabelecido que: a) O regime de Banco de Horas só poderá ser aplicado para prorrogação da jornada de trabalho não podendo ultrapassar o limite máximo de 10 (dez) horas diárias e 60 (sessenta) horas semanais; b) Nos cálculos de compensação, cada hora trabalhada em prorrogação da jornada de trabalho será computada como 01 (uma) hora de liberação; c) A compensação deverá ser completada no período máximo de 180 (cento e oitenta) dias; d) No caso de haver crédito no final de 180 (cento e oitenta) dias a empresa obriga-se a quitar de imediato as horas extras trabalhadas, com o adicional de 50% (cinquenta por cento). Parágrafo Segundo: O acréscimo de salário correspondente às horas suplementares será dispensado, quando o excesso de horas de um dia for compensado pela correspondente diminuição em outro dia, de maneira que não exceda, no período de 180 (cento e oitenta) dias, à soma das jornadas semanais de trabalho ajustadas com o empregado. a) Na hipótese do empregado solicitar demissão antes do fechamento do período de 180 (cento e oitenta) dias, será contabilizado o total de horas trabalhadas e o total de horas compensadas. Se houver débito de horas do empregado para com a empresa as horas não trabalhadas serão descontadas das verbas que o empregado tiver direito na rescisão. No entanto, se houver crédito a favor do empregado, as horas não compensadas serão computadas com o adicional de horas extras devido; Página 10

11 Coletâneas 2013 b) Havendo rescisão do contrato por iniciativa da empresa, antes do fechamento do período de 180 (cento e oitenta) dias, será contabilizado o total de horas trabalhadas e o total de horas compensadas. Se houver débito de horas do empregado para com a empresa as horas não trabalhadas serão abonadas, se houver crédito a favor do empregado as horas não serão compensadas e serão remuneradas com o adicional de horas extras devido; Parágrafo Terceiro: As horas trabalhadas em prorrogação de jornada para fins de compensação, no regime de Banco de Horas, não se caracterizam como horas extras, sobre elas não incidindo qualquer adicional, salvo as hipóteses previstas no parágrafo primeiro, letra D e no parágrafo segundo; Parágrafo Quarto: Para utilização das condições ora contratadas, as empresas deverão recolher, por estabelecimento, ao Sindicato de classe, para reposição de despesas, a importância estabelecida através de recibo: De 01 a 05 empregados R$ 155,00 De 06 a 10 empregados R$ 255,00 De 11 a 20 empregados R$ 380,00 De 21 a 30 empregados R$ 490,00 De 31 a 50 empregados R$ 550,00 De 51 a 100 empregados R$ 650,00 De 101 a 200 empregados R$ 850,00 Acima de 200 empregados R$ 1.100,00 Parágrafo Quinto: O regime de Banco de Horas poderá ser aplicado tanto para antecipação de horas de trabalho, com liberação posterior, quanto para liberação de horas com reposição posterior, sendo vedada sua utilização para compensação das horas trabalhadas nos dias de domingos e feriados; Página 11

12 Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro Parágrafo Sexto: A empresa deverá instituir sistema de controle individual das horas antecipadas e das horas liberadas, a fim de comprovação da compensação. SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE TRÊS RIOS, PARAÍBA DO SUL, COMENDADOR LEVY GASPARIAN E AREAL e SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE TRÊS RIOS 2012 CLÁUSULA VIGÉSIMA NONA - BANCO DE HORAS Fica facultada a todas as empresas abrangidas por este instrumento, a criação de BANCO DE HORAS, nos termos da Lei n.º /98, através de TERMO DE ADESÃO à Convenção Coletiva de Trabalho, que será firmado pelos sindicatos convenentes. PARÁGRAFO PRIMEIRO: A implantação do Banco de Horas, com assistência dos Sindicatos convenentes, só poderá ser efetivada, mediante a assinatura pela empresa de TERMO DE ADESÃO AO REGIME DE BANCO DE HORAS e, respectiva RELAÇÃO DE EMPREGADOS INCLUSOS NO REGIME DE PRORROGAÇÃO E COMPENSAÇÃO DE JORNADA, que constitui parte integrante da Convenção Coletiva de Trabalho, sob a forma em anexo. Página 12

13 Coletâneas 2013 PARÁGRAFO SEGUNDO: O Termo de Adesão referido no parágrafo primeiro com a respectiva relação de empregados será protocolado pela empresa, no Sindicato Patronal - Sicomércio em 03 (três) vias de igual teor, que o encaminhará ao SECTR Sindicato dos Comerciários, sob protocolo, no prazo máximo de 05 (cinco) dias úteis, devendo o SECTR devolver o referido termo em até 10 dias. O Termo de Adesão terá validade máxima de 06 (seis) meses, a contar da data de sua instituição pelos sindicatos convenentes, significando dizer, que a apuração de haveres se dará sempre nos meses de junho e novembro de cada ano, sendo certo ainda, que no mês de dezembro, não serão aplicadas às regras aqui estabelecidas para o Banco de Horas. PARÁGRAFO TERCEIRO: O regime de Banco de Horas deverá ser negociado previamente com os trabalhadores, podendo abranger a totalidade, ou não, assim como, poderá ser de um ou mais setores ou departamentos empresa. PARÁGRAFO QUARTO: A empresa manterá obrigatoriamente uma via do termo de Adesão ao Regime de Banco de Horas no estabelecimento junto ao quadro funcional. PARÁGRAFO QUINTO: Os empregados admitidos posteriormente à celebração do presente instrumento, no que se aplicar, caso desejem, aderem automaticamente às condições ora estabelecidas, obedecendo aos termos do parágrafo segundo. PARÁGRAFO SEXTO: As horas trabalhadas em prorrogação de jornada para posterior compensação, no Regime de Banco de Horas, não se caracterizam como horas extras, sobre elas não incidindo quaisquer adicionais. PARÁGRAFO SÉTIMO: O Regime de Banco de Horas poderá ser aplicado, tanto para antecipação de horas a trabalhar, com liberação posterior; bem como, para liberação de horas com reposição posterior, para tanto, o empregado deverá ser comunicado previamente de sua escala de trabalho extra. Página 13

14 Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro PARÁGRAFO OITAVO: A empresa deverá instituir sistema de controle individual das horas trabalhadas antecipadamente e das horas liberadas, a fim de comprovação da compensação. O SECTR poderá fornecer uma caderneta ao empregado para as anotações de suas horas efetivamente trabalhadas e compensadas. PARÁGRAFO NONO: O Regime de Banco de Horas só poderá ser aplicado para prorrogação e antecipação da jornada de trabalho, não podendo ultrapassar o limite máximo de 10 (dez) horas diárias e de 56 (cinqüenta e seis) horas semanais: A No caso de haver crédito no final do período, a empresa obriga-se a quitar de imediato às horas extras trabalhadas, com adicional de 50% (cinqüenta por cento). B Caso haja habitualidade nas horas extras, terá aplicação a Súmula nº 172 do C. TST. PARÁGRAFO DÉCIMO: Na hipótese de o empregado solicitar demissão antes do fechamento do período, será contabilizado o total de horas trabalhadas e o total de horas compensadas. Se houver débitos de horas do empregado para com a empresa, as horas serão descontadas das verbas que o empregado tiver direito na rescisão. No entanto, se houver crédito a favor do empregado, as horas não compensadas, serão computadas com o adicional de horas extras devidas, que serão pagas na rescisão de contrato de trabalho. PARÁGRAFO DÉCIMO PRIMEIRO: Havendo rescisão do contrato por iniciativa da empresa, antes do fechamento do período de 6 (seis) meses, será contabilizado o total de horas trabalhadas e o total de horas compensadas. Se houver débito de horas do empregado com a empresa, as horas não trabalhadas serão abonadas sem qualquer desconto nas verbas a que o empregado tiver direito na rescisão; se houver crédito a favor do empregado, as horas não compensadas serão remuneradas com o adicional de horas extras devido, que serão pagas na rescisão de contrato de trabalho. Página 14

15 Coletâneas 2013 PARÁGRAFO DÉCIMO SEGUNDO: Para todos os efeitos, as partes esclarecem que não será permitida a inclusão no Regime de Banco de Horas do Trabalho realizado nos feriados, tendo estes uma remuneração específica de conformidade com o previsto nas Convenções de Trabalho que regulamentam as condições para o trabalho naqueles dias. SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DO RIO DE JANEIRO e SINDICATO DOS ESTABELECIMENTOS DE SERVIÇOS FUNERÁRIOS DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO 2012 CLÁUSULA 19ª - BANCO DE HORAS Descrição: Fica facultada a todas as empresas abrangidas por este Instrumento a criação de "BANCO DE HORAS", nos termos da Lei n 9.601/98, através de Termo de Adesão à Convenção Coletiva de Trabalho firmada pelas entidades convenentes. Página 15

16 Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro SINDICATO EMP INST BELEZA CAB SENHORAS DO M R JANEIRO e SINDICATO DOS INSTITUTOS DE BELEZA E CABELEIREIROS DE SENHORAS DO RIO DE JANEIRO CLÁUSULA 18ª - BANCO DE HORAS Descrição: Fica instituído pelos Sindicatos Convenentes, o BANCO DE HORAS, nos termos dos parágrafos 2º e 3º do artigo 59 da CLT, respeitado o disposto no Artigo 413 da CLT, devendo a empresa apresentar o Termo de Adesão dos funcionários, no Sindicato Laboral, tendo o Termo de Adesão validade de 01 (um) ano. Página 16

17 Coletâneas 2013 HOMOLOGAÇÃO SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE NITERÓI, COM BASE TERRITORIAL EM SÃO GONCALO, ITABORAÍ, RIO BONITO, MARICÁ, SAQUAREMA, E SILVA JARDIM e SINDICATO DOS LOJISTAS DO COMÉRCIO DE NITERÓI 2012 CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA HOMOLOGAÇÃO O Setor de Homologação do Sindicato dos Empregados no Comércio de Niterói atenderá aos comerciários, sujeito a agendamento, para assistência às homologações das Rescisões de Contrato de Trabalho, de 2ª a 6ª feira, no horário de 09h00min as 11h00min e, das 13h00min às 18h00min, em sua sede. SINDICATO DOS EMPREGADOS DE EDIFÍCIOS DE NITERÓI e SINDICATO DOS CONDOMINIOS COMERCIAIS RESIDENCIAIS E MISTOS DE NITERÓI E SÃO GONÇALO SINCOND 2012 CLÁUSULA VIGÉSIMA SEGUNDA - CLÁUSULA VIGÉSIMA SEGUNDA - DOCUMENTOS PARA HOMOLOGAÇÃO Compete ao Sindicato dos Empregados proceder a homologação do (a) empregado (a) que tiver mais de um ano no emprego. Na homologação da Rescisão de Con trato de Trabalho, o condomínio deverá apresentar os documentos a que se refere o art. 477 da CLT, Instrução Normativa SRT nº 3 de 21/06/2002, comprovante do recolhimento das Contribuições Sindicais dos empregados e dos Condomínios, dos últimos 05 ( cinco) anos. Página 17

18 Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro SINDICATO DOS FARMACÊUTICOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO e SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE PRODUTOS FARMACÊUTICOS DE NITERÓI E SAO GONÇALO 2012 CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA - HOMOLOGAÇÃO DAS RESCISÕES O pedido de demissão e recibos de quitação da rescisão de contrato de trabalho dos farmacêuticos superior a 1 (um) ano de trabalho, serão realizados com a assistência do Sindicato Profissional ou do órgão especializado do Ministério do Trabalho e Emprego. Página 18

19 Coletâneas 2013 HORÁRIO DE TRABALHO ESPECIAL 1º - Os empregados que tiverem suas jornadas de trabalho prorrogadas em Dezembro de 2012 terão direito a compensação SINDICATO EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE ITAPERUNA, FEDERACAO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO E SERVICOS DOS ESTADOS DO RIO DE JANEIRO E ESPÍRITO SANTO e FEDERACAO DO COMÉRCIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE ITAPERUNA de suas horas trabalhadas com o fechamento do comércio no período de Carnaval, com o encerramento no sábado em horário normal, dia 09 de fevereiro e abertura dos mesmos no dia 14 de Fevereiro de 2013, também em horário normal. As horas excedentes deverão ser remuneradas em conformidade com a Clausula Sexta. CLÁUSULA VIGÉSIMA QUINTA - DESCANSO SEMANAL REMUNERADO, COMPENSAÇÃO JORNADA DE TRABALHO REPOUSO SEMANAL REMUNERADO - O REPOUSO SEMANAL SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DO RIO DE JANEIRO e SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE JOIAS DO MUNICIPIO DO RIO DE JANEIRO 2012 REMUNERADO deverá coincidir no período máximo de 3 (três) semanas, com o domingo. FUNCIONAMENTO NO PERIODO NATALINO O comércio lojista funcionará em horário especial no mês de Dezembro de 2012 e os empregados terão direito a receber uma Ajuda de custo no valor de R$ 80,00 (oitenta reais) que deverão ser pagas juntamente com o salário do mês de Dezembro. CLÁUSULA TRIGÉSIMA QUARTA - HORÁRIO DE TRABALHO ESPECIAL EM DATAS COMEMORATIVAS As empresas que desejarem trabalhar com seus empregados na denominada maratona de vendas nos dias que antecedem o Natal, só poderão fazê-lo por meio de Acordo ou Convenção Coletiva de Trabalho, devidamente assistidos pelos Sindicatos convenentes, de forma a regulamentar as condições daqueles que vierem a laborar em jornadas excepcionais de trabalho. Página 19

20 Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE MACAÉ e SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE MACAÉ 2012 (setenta por cento) para as horas trabalhadas até às 20:00 horas e 90% (noventa por cento) para as horas trabalhadas além das 20:00 horas; CLÁUSULA VIGÉSIMA TERCEIRA - HORÁRIO ESPECIAL Fica estabelecido pelas partes contratantes, que poderá ser prorrogado o horário de trabalho da categoria profissional do comércio lojista em geral, com a seguinte escala: 1º - Mês de dezembro de 2012: a)de 01 a 24 até às 22:00 horas b)de 26 a 30 até às 20:00 horas 2º - 11/05/2013 véspera do dia das Mães até às 22:00 horas; 3º - 11/06/2013 véspera do dia dos namorados até às 22:00 horas; 4º - 11/08/2012 véspera do dia dos Pais até às 22:00 horas; 5º - 11/10/2012 véspera do dia das Crianças até às 22:00 horas; 6º - As horas excedentes nos dias mencionados acima nestes parágrafos, serão pagas como extras com adicional de 70% 7º - Os comerciários terão direito por dia de horário especial trabalhado, ao lanche no valor de R$10,00 (dez reais). SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE NOVA FRIBURGO e SIND. DO COMÉRCIO VAREJISTA DE NOVA FRIBURGO CLÁUSULA DÉCIMA OITAVA - HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO NAS DATAS ESPECIAIS As empresas, associadas ou não ao Sincomércio, poderão estender o seu horário de funcionamento nos dias abaixo discriminados, sendo vedada expressamente a abertura em outros dias sem que haja a formalização de Termo Aditivo específico para este fim: Página 20

21 Coletâneas 2013 Em 05, 07, 08, 09, 10, 11 e 12/05/2012 DATAS QUE ANTECEDEM O DIA DAS MÃES; Em 31/05, 01, 02, 04, 05, 06, 07, 08, 09 e 11/06/ DATAS QUE ANTECEDEM O DIA DOS NAMORADOS; Em 04, 06, 07, 08, 09, 10 e 11/08/2012 DATAS QUE ANTECEDEM O DIA DOS PAIS. Nestas datas as empresas estarão autorizadas a funcionar até as 20 horas. PARÁGRAFO PRIMEIRO: Nas segundas-feiras que antecederem o Dia das Crianças, ou seja, dias 01 e 08/10/2012, as empresas comerciais poderão funcionar a partir das 9 horas, desde que respeitada a Legislação Trabalhista. PARÁGRAFO SEGUNDO: Nos dias 06/05, 03/06, 10/06 e 05/08 domingos, as empresas comerciais poderão funcionar das 9 horas às 18 horas. PARÁGRAFO TERCEIRO: Nos dias 07/05, 04/06, 11/06, 06/08, 01/10 e 08/10, segundas-feiras, as empresas comerciais estarão autorizadas a iniciar o seu funcionamento a partir das 9 horas. PARÁGRAFO QUARTO: Fica autorizado às lojas comerciais funcionarem nos feriados de Aniversário da Cidade, Corpus Christis, Independência, Padroeira do Brasil, Finados, Proclamação da República, Feriado Estadual de Zumbi dos Palmares, Sexta-feira Santa, Tiradentes e São Jorge, feriados estes que, em 2012 e 2013, até a próxima data-base, cairão nos seguintes dias: 16 de maio (quarta-feira), 07 de junho (quintafeira), 07 de setembro (sexta-feira), 12 de outubro (sexta-feira), 02 de novembro (sexta-feira), 15 de novembro (quinta-feira), 20 de novembro (terça-feira), 29 de março (sexta-feira Santa), 21 de abril (domingo), e 23 de abril/2013 (terça-feira), remunerando os trabalhadores conforme a cláusula referente às horas extras ou fazendo uso do Banco de Horas. PARÁGRAFO QUINTO: O comércio da cidade terá seus horários de funcionamento autorizado para até 22 horas nas datas dos feriados acima especificados. PARÁGRAFO SEXTO: Nos feriados, as horas trabalhadas serão remuneradas com o adicional de 100% (cem por cento), conforme legislação em vigor, ou compensadas no Banco de Horas. Página 21

22 Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro PARÁGRAFO SÉTIMO: Nos domingos e feriados em que houver expediente de trabalho, as empresas se obrigam a fornecer 02 (dois) vales-transporte, que deverão ser entregues aos empregados que forem convocados, até a véspera. PARÁGRAFO OITAVO: No término de horário, nos dias em que houver prorrogação de jornada, as portas das lojas serão fechadas, mas os clientes que já estiverem no seu interior deverão ser atendidos. PARÁGRAFO NONO: Antes do período extraordinário, haverá um intervalo de 15 (quinze) minutos para descanso, de forma alternada entre os funcionários do estabelecimento que forem convocados. CLÁUSULA DÉCIMA NONA - HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO NO PERÍODO NATALINO As empresas do Comércio Varejista, associadas ou não ao Sincomércio, e os comerciários de Nova Friburgo, associados ou não ao SECNF, em razão do período natalino, quando se intensifica a atividade do comércio, trabalharão nos dias, 26, 27, 28, 29 e 30/11, 01, 03, 04, 05, 06, 07 e 08 de dezembro até às 20 horas. Nos dias 10, 11, 12, 13, 14, 15, 17, 18, 19, 20, 21, 22 e 24 de dezembro, até às 22 horas. Nos dias 02, 09, 16 e 23 de dezembro, domingos, as lojas estarão autorizadas a funcionar até às 22 horas. Nos dias 26/11, 03, 10, 17 e 24 de dezembro de 2012, segundas-feiras, a jornada poderá ser a partir das 9 horas. PARÁGRAFO ÚNICO: - O funcionamento nas datas acima especificadas, bem como o pagamento das horas extraordinárias, cumprirá as determinações dos parágrafos 6º, 7º, 8º e 9º da cláusula relativa ao horário de funcionamento nas datas especiais. CLÁUSULA VIGÉSIMA - LOJAS COMERCIAIS As empresas do comércio, associadas ou não ao Sincomércio, poderão funcionar nos seguintes horários: às segundas-feiras, das 12 horas às 20 horas; de terça-feira a sábado, das 9 horas às 20 horas; e, aos domingos, das 10 horas às 18 horas. Excluem-se desta cláusula as empresas que já cumprem horário diferenciado. Página 22

23 Coletâneas 2013 PARÁGRAFO PRIMEIRO: As lojas estabelecidas em shopping centers poderão funcionar nos seguintes horários: às segundas-feiras, das 12 horas às 22 horas; de terça-feira a sábado, das 10 horas às 22 horas; e, aos domingos, das 14 horas às 22 horas. PARÁGRAFO SEGUNDO: A carga horária dos empregados no comércio ficará limitada, conforme previsto na Constituição Federal CF, a 44 (quarenta e quatro) horas semanais, excetuando-se as 02 (duas) horas extras permitidas pela Consolidação das Leis do Trabalho CLT. PARÁGRAFO QUARTO: De acordo com o parágrafo único do artigo 6º da Lei /2000, com a redação dada pela Lei /2007, o repouso semanal remunerado deverá coincidir, pelo menos uma vez no período máximo de três semanas, com um domingo. Os empregados que trabalharem aos domingos terão uma folga na semana seguinte. PARÁGRAFO TERCEIRO: Para funcionarem nos horários estabelecidos no caput desta cláusula, tanto as lojas comerciais como as localizadas em shopping centers deverão utilizar sistema de segundo turno ou escala de revezamento. As empresas que não seguirem os horários estabelecidos nesta cláusula não precisam utilizar sistema de segundo turno nem escala de revezamento. Página 23

24 Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro HORAS EXTRAS SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE PETRÓPOLIS e SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE PETRÓPOLIS 2012 CLÁUSULA DÉCIMA SEXTA - ADICIONAL DE HORAS EXTRAS Será assegurado aos empregados, quando em horário extraordinário, o acréscimo de 60% (sessenta por cento) nas duas primeiras horas, e de 70% (setenta por cento) para as excedentes, em casos excepcionais, desde que realizadas no mesmo dia, inclusive para os que percebam comissão, incidindo sobre o total de seu salário (parte fixa e variável), tendo como base a média dos últimos 6 (seis) meses trabalhados, ou o número de meses integrais de trabalho na empresa. SIND. TRAB. COM. NOVA IGUACU, NILÓPOLIS, ITAGUAÍ, PARACAMBI, BELFORD ROXO, QUEIMADOS, JAPERI, SEROPÉDICA E MESQUITA e SIND COMÉRCIO VAREJ N IGUACU BELFORD ROXO J QUEIMADOS e SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE NILÓPOLIS 2012 CLÁUSULA SÉTIMA - HORAS EXTRAS As horas extraordinárias serão remuneradas com acréscimo de 80% (oitenta por cento), tendo como base de cálculo o divisor de 220 (Duzentos e Vinte), horas. Página 24

CIRCULAR INFORMATIVA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016

CIRCULAR INFORMATIVA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 CIRCULAR INFORMATIVA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 Segue para conhecimento da categoria, a presente circular informativa conjunta das Entidades: Sindicato dos Empregados no Comércio de São Carlos

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2012

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2012 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002030/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/09/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR054079/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.033057/2010-51 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024957/2015 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 11/05/2015 ÀS 10:51 NÚMERO DO PROCESSO DA CONVENÇÃO COLETIVA PRINCIPAL: 46215.016776/2014

Leia mais

TERMO DE ADITAMENTO À CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2007/2008

TERMO DE ADITAMENTO À CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2007/2008 TERMO DE ADITAMENTO À CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2007/2008 Por este instrumento e na melhor forma de direito, de um lado como representante da categoria profissional o SINDICATO DOS EMPREGADOS NO

Leia mais

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PE000698/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/07/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR012138/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46213.014461/2014-79

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Página 1 de 5 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000946/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR031181/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.015923/2015-36

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002142/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 23/10/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR067522/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46666.003592/2015-83 DATA

Leia mais

3ª CLÁUSULA PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS: Os empregados participarão nos lucros de suas empresas empregadoras, na forma que vier estabelecida em lei.

3ª CLÁUSULA PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS: Os empregados participarão nos lucros de suas empresas empregadoras, na forma que vier estabelecida em lei. 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO FIRMADA ENTRE O SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMERCIO DE JACOBINA E O SINDICATO PATRONAL DO COMERCIO VAREJISTA DE JACOBINA E REGIÃO, PARA O PERIODO DE 01 DE JUNHO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO COMÉRCIO E TRABALHO DOS COMERCIÁRIOS -2015-

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO COMÉRCIO E TRABALHO DOS COMERCIÁRIOS -2015- , SINCCMEACIÃAICS SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMERCIO DE SIN OM CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO COMÉRCIO E TRABALHO DOS COMERCIÁRIOS -2015- Por este instrumento e na melhor

Leia mais

Parágrafo Único -- Não serão compensados os aumentos decorrentes de promoção, transferência, equiparação salarial e término de aprendizagem.

Parágrafo Único -- Não serão compensados os aumentos decorrentes de promoção, transferência, equiparação salarial e término de aprendizagem. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CELEBRADA ENTRE O SINDIMVET SINDICATO DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS DO ESTADO DE SÃO PAULO e SINPAVET SINDICATO PATRONAL DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS DO ESTADO DE SÀO PAULO PERÍODO

Leia mais

1ª TERMO ADITIVO Convenção Coletiva de Trabalho 2013/2015 COMERCIO

1ª TERMO ADITIVO Convenção Coletiva de Trabalho 2013/2015 COMERCIO 1ª TERMO ADITIVO Convenção Coletiva de Trabalho 2013/2015 COMERCIO SINDICATO DO COMERCIO DE MARABA, CNPJ n. 83.211.862/0001-90, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). FELIX GONÇALVES DE MIRANDA;

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL 1 de 7 28/12/2015 17:24 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC003175/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 21/12/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR081080/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 47620.002006/2015-72

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002716/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 16/11/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR064091/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.006426/2015-78 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002025/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 23/12/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR057047/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46666.003085/2009-00 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002661/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 15/12/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR073959/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46666.003210/2011-98 DATA

Leia mais

CLÁUSULA QUINTA - REGIME ESPECIAL DE PISO SALARIAL - REPIS - CLAUSULA POR ADESÃO

CLÁUSULA QUINTA - REGIME ESPECIAL DE PISO SALARIAL - REPIS - CLAUSULA POR ADESÃO CLÁUSULA QUINTA - REGIME ESPECIAL DE PISO SALARIAL - REPIS - CLAUSULA POR ADESÃO PARÁGRAFO PRIMEIRO Em observância aos ditames da Lei Complementar n.º 123/2006 que institui o Estatuto Nacional da Microempresa

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: DF000433/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/09/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR054260/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46206.010934/2010-24 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Page 1 of 6 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR004589/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR057715/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.013061/2013-75 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029594/2015 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 21/05/2015 ÀS 15:50 SINDICATO DOS EMP NO COM DE CONSELHEIRO LAFAIETE, CNPJ n. 19.721.463/0001-70,

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001633/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/04/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017942/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.001682/2013-16 DATA DO

Leia mais

TERMO ADITIVO À CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO PARA OS SUPERMERCADOS REFERENTE AO PERÍODO NATALINO ANO 2013/2014

TERMO ADITIVO À CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO PARA OS SUPERMERCADOS REFERENTE AO PERÍODO NATALINO ANO 2013/2014 TERMO ADITIVO À CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO PARA OS SUPERMERCADOS REFERENTE AO PERÍODO NATALINO ANO 2013/2014 Por este instrumento e na melhor forma de direito, de um lado o SINCOMERCIÁRIOS SINDICATO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000433/2008 DATA DE REGISTRO NO MTE: 14/10/2008 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR015947/2008 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.032963/2008-13 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001621/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/05/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR020706/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.008089/2011-29 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 14 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002347/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/10/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR058561/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46230.013022/2012-79

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR012087/2015 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 06/03/2015 ÀS 08:38 FEDERACAO DOS EMPREGADOS NO COMERCIO E CONGENERES DO ESTADO DE MINAS GERAIS,

Leia mais

CONVENÇAO COLETIVA DE TRABALHO 2006/2008

CONVENÇAO COLETIVA DE TRABALHO 2006/2008 CONVENÇAO COLETIVA DE TRABALHO 2006/2008 ABRANGENCIA EMPRESAS E EMPREGADOS NO COMERCIO EM GERAL DOS MUNICIPIOS DE BRASNORTE, JUINA, CASTANHEIRA, JURUENA, COTRIGUAÇU E ARIPUANÃ. Por este instrumento, de

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 15 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MT000295/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 16/06/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029297/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46306.000364/2010-36

Leia mais

Supermercados e Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios de São José, Biguaçu e Palhoça.

Supermercados e Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios de São José, Biguaçu e Palhoça. SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE SÃO JOSÉ E REGIÃO Fundado em 09/08/1999 CNPJ: 03.392.229/0001-07 Base Territorial: São José, Biguaçu, Antonio Carlos, Governador Celso Ramos e São Pedro de Alcântara.

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP001750/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/02/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR062938/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46259.012448/2009-91 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001554/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 12/08/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR032670/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.023032/2010-49 DATA DO

Leia mais

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/resumo/resumovisualizar?nrsolicitacao...

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/resumo/resumovisualizar?nrsolicitacao... Página 1 de 5 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: GO000542/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 13/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024046/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46290.001101/2013-11 DATA DO PROTOCOLO: 23/05/2013 CONVENÇÃO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR025147/2015 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 08/05/2015 ÀS 16:48 NÚMERO DO PROCESSO DA CONVENÇÃO COLETIVA PRINCIPAL: 46215.016005/2014

Leia mais

Principais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho

Principais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho SINPEFESP-(empregados)-SINDELIVRE-(patronal) Principais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho 2014/2015. VIGÊNCIA E DATA-BASE As cláusulas e condições da presente Convenção Coletiva de Trabalho que

Leia mais

JORNADA DE TRABALHO DURAÇÃO, DISTRIBUIÇÃO, CONTROLE, FALTAS

JORNADA DE TRABALHO DURAÇÃO, DISTRIBUIÇÃO, CONTROLE, FALTAS Page 1 of 10 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PE000608/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 12/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029924/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46213.009880/2013-16

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 7 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002511/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053502/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.005004/2012-32 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 SINDICATO DOS TECNICOS EM SEGURANCA TRABALHO DO ESTADO DE MINAS GERAIS, CNPJ n. 25.578.642/0001-01, neste ato representado por seu Presidente, Sr. CLÁUDIO FERREIRA SANTOS;

Leia mais

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005/2006 PELO PRESENTE INSTRUMENTO DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO DE UM LADO O SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE RÁDIODIFUSÃO DO ESTADO DO PARANÁ, A SEGUIR DENOMINADO

Leia mais

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now.

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CELEBRADA ENTRE O SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE CONGONHAS E A FEDERAÇÃO DOS TRABALHADORES NO COMÉRCIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS, CONFORME AS SEGUINTES CLÁUSULAS E CONDIÇÕES:

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR003439/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/08/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR046249/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.012779/2015 14 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO 2008/2009

ACORDO COLETIVO 2008/2009 SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA E ATACADISTA DE VITÓRIA DA CONQUISTA ACORDO COLETIVO 2008/2009 SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO EM VITÓRIA DA CONQUISTA - BAHIA 01 DE MARÇO DE 2008 CONVENÇÃO COLETIVA

Leia mais

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2012

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2012 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: TO000023/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/04/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017571/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46226.009193/2012-62

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000145/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 31/01/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR080680/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.001357/2014-74 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG002058/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 15/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR018377/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.004510/2012-13 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MT000213/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 16/04/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR018205/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46210.000661/2015-55 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: AL000123/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 23/05/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR023370/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46201.002929/2011-79 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA 2014

CONVENÇÃO COLETIVA 2014 CONVENÇÃO COLETIVA 2014 SINDICATO DOS MENSAGEIROS MOTOCICLISTAS E CICLISTAS, MOTO- FRETE, MOTOBOYS E MOTO-TAXISTAS DE CURVELO E REGIÃO, CNPJ n 17.437.757/0001-40, NESTE ATO REPRESENTADO POR SEU PRESIDENTE,

Leia mais

Convenção Coletiva 2014

Convenção Coletiva 2014 Convenção Coletiva 2014 SINDICATO DOS MENSAGEIROS MOTOCICLISTAS E CICLISTAS, MOTO- FRETE, MOTOBOYS E MOTO-TAXISTAS DE CURVELO E REGIÃO, CNPJ n 12.512.993/0001-60, NESTE ATO REPRESENTADO POR SEU PRESIDENTE,

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000797/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/05/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024575/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.013979/2015-56 DATA

Leia mais

Parágrafo Único: A presente condição não se aplica aos menores aprendizes.

Parágrafo Único: A presente condição não se aplica aos menores aprendizes. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR043980/2013 JOHN DEERE BRASIL LTDA, CNPJ n. 89.674.782/0010-49, neste ato representado(a) por seu Gerente, Sr(a). EDISON LUIS HAUSER e por

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR034439/2012 SINDICATO DOS FARMACEUTICOS DO ESTADO DE M GROSSO DO SU, CNPJ n. 15.939.572/0001-08, neste ato representado(a) por seu Presidente,

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG000363/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/02/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR002753/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.000337/2015-27 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MT000334/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 08/07/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR039626/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46210.001278/2014-33 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2007/2008 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MS000146/2007 DATA DE REGISTRO NO MTE: 29/10/2007 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR001271/2007 NÚMERO DO PROCESSO: 46312.005618/2007-28 DATA

Leia mais

SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE TRÊS RIOS, PARAÍBA DO SUL, COMENDADOR LEVY GASPARIAN E AREAL.

SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE TRÊS RIOS, PARAÍBA DO SUL, COMENDADOR LEVY GASPARIAN E AREAL. SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE TRÊS RIOS, PARAÍBA DO SUL, COMENDADOR LEVY GASPARIAN E AREAL. SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE TRÊS RIOS, PARAÍBA DO SUL, COMENDADOR LEVY GASPARIAN, AREAL E SAPUCAIA.

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR035802/2015 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 12/06/2015 ÀS 18:03 SIND. TRAB. COM. NOVA IGUACU, NILOPOLIS, ITAGUAI, PARACAMBI, BELFORD ROXO,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000571/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 15/04/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR015784/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.005633/2015-54 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002460/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/10/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR039198/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46313.003316/2014-34 DATA

Leia mais

celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes:

celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes: CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NITERÓI NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000909/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 05/06/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR032596/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46230.004145/2015-61

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 1/5 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ENTIDADES CULTURAIS, RECREATIVAS, DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, DE ORIENTAÇÃO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, NO ESTADO DO PARANÁ SENALBA/PR, CNPJ 75.992.446/0001-49,

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR025123/2015 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 03/06/2015 ÀS 10:18 NÚMERO DO PROCESSO DA CONVENÇÃO COLETIVA PRINCIPAL: 46215.020989/2014

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001254/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/04/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017099/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.006142/2011-57 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Imprimir Salvar CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000309/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 27/02/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR007995/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.002706/2015

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR037248/2014 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 26/06/2014 ÀS 10:42 SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMERCIO DE NITEROI, COM BASE TERRITORIAL EM

Leia mais

SENAC/DF - SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL

SENAC/DF - SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL CAMPANHA SALARIAL - 2014/2015 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SENAC-SERVICO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COM COMERCIAL-ADMINISTRACAO REGIONAL DO DF O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ENTIDADES DE ASSISTÊNCIA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MS000222/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 05/06/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR028253/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46312.002753/2014-41 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: GO000007/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 09/01/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR072509/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46208.000014/2014-10 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: BA000348/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 25/06/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR028635/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46204.003385/2015-66 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 Page 1 of 6 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RN000247/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR026524/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46217.003899/2011-49 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 6 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001428/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021439/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.003413/2010-41 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 6 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000276/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 15/02/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR005346/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.024928/2011-26

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO Pelo presente instrumento, de um lado o Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de Alagoas, estabelecido na Rua Prof. José da Silveira Camerino, 930,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2014

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2014 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2014 SIND TRAB MOVIMENTACAO MERC EM GERAL CAT REGIAO, CNPJ n. 01.348.321/0001 44, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). REGINALDO MARCELO BORGES; E SINDICATO

Leia mais

ADITAMENTO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2 0 0 4 / 2 0 0 6 INDAIATUBA

ADITAMENTO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2 0 0 4 / 2 0 0 6 INDAIATUBA ADITAMENTO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2 0 0 4 / 2 0 0 6 INDAIATUBA Por este instrumento, e na melhor forma de direito, de um lado, como representante da categoria profissional, o SINDICATO DOS

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012 2013

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012 2013 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012 2013 Por este instrumento, de um lado, representando os empregados, o SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE CUIABÁ E VÁRZEA GRNADE, e do outro lado, representando

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016 Por este instrumento, de um lado, representando os empregados, o SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE CUIABÁ E VÁRZEA GRANDE, por seu Presidente, Sr.. OLAVO DOURADO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 8 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000942/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/07/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR023659/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46313.001224/2009-52

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Página 1 de 7 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000170/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/02/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR000920/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46301.000168/2015-16

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE COMPENSAÇÃO DE HORÁRIO ATRAVÉS DE BANCO DE HORAS

ACORDO COLETIVO DE COMPENSAÇÃO DE HORÁRIO ATRAVÉS DE BANCO DE HORAS ACORDO COLETIVO DE COMPENSAÇÃO DE HORÁRIO ATRAVÉS DE BANCO DE HORAS Pelo presente termo de Acordo Coletivo de Trabalho, e de acordo com a convenção Coletiva de Trabalho conforme cláusulas específicas celebraram

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 10 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC001530/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR022315/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46301.004377/2013-77 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO REAJUSTES/CORREÇÕES SALARIAIS

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO REAJUSTES/CORREÇÕES SALARIAIS 1 de 7 25/07/2014 09:03 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001369/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 24/07/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR038747/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.014791/2014-44

Leia mais

7,5% (SETE E MEIO POR CENTO)

7,5% (SETE E MEIO POR CENTO) CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2008/2009 FIRMADA ENTRE O SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE SANTO ANTONIO DE JESUS E O SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE SANTO ANTONIO DE JESUS CLÁUSULA 1 - AUMENTO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PB000247/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 01/07/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021198/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46224.001800/2010-02 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DE 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DE 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DE 2013/2014 ACORDO COLETIVA DE TRABALHO QUE ENTRE SI FAZEM DE UM LADO O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM EMPRESAS DE SEGUROS PRIVADOS E CAPITALIZAÇÃO E DE AGENTES AUTÔNOMOS DE SEGUROS

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE001186/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 14/09/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR054961/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.013060/2015-81 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR034158/2014 SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMERCIO DE CANOAS, CNPJ n. 90.811.605/0001-55, neste ato representado(a) por seu Tesoureiro, Sr(a).

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PB000202/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/06/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021878/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46224.002474/2009-17 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO, que celebram de um lado, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo SESCOOP NACIONAL - CNPJ N.º 03.087.543/0001-86,

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC003161/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 19/12/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR083843/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46304.003527/2014-86 DATA

Leia mais

Celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes:

Celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes: SINDICATO TRABALHADORES MOV MERC EM GERAL DE PASSOS, CNPJ n. 64.480.692/0001-03, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). Manoel Messias dos Reis Silva; E FEDERACAO DO COMERCIO DE BENS, SERVICOS

Leia mais

b) Encarregado de serviço de limpeza e office-boy R$ 900,00 (novecentos reais);

b) Encarregado de serviço de limpeza e office-boy R$ 900,00 (novecentos reais); CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001652/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 12/08/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR047277/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.012572/2014-09 DATA

Leia mais

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES COMERCIARIOS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO 2015/2016

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES COMERCIARIOS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO 2015/2016 PAUTA DE REIVINDICAÇÕES COMERCIARIOS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO 2015/2016 1. Salário, reajustes e pagamentos. 1 REAJUSTE SALARIAL 2 REAJUSTE SALARIAL DOS COMERCIÁRIOS ADMITIDOS ENTRE 01/09/14 ATÉ

Leia mais

Convenção Coletiva De Trabalho 2012/2013. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Convenção Coletiva De Trabalho 2012/2013. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. Convenção Coletiva De Trabalho 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001765/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/08/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR039970/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.023016/2012-18 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR004005/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 12/09/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR049134/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46317.000734/2014-30 DATA DO PROTOCOLO: 05/09/2014 CONVENÇÃO COLETIVA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002547/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 29/11/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR069674/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.031201/2012-86 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 6 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG004008/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR057851/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.008943/2011-67 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR084215/2015 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 11/01/2016 ÀS 10:09 SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMERCIO DE RIO PARDO, CNPJ n. 91.340.455/0001-01,

Leia mais