LÓGICA TERRITORIAL NA ORGANIZAÇÃO SÓCIO-ESPACIAL DA CIDADE DE SALVADOR: APLICANDO AS GEOTECNOLOGIAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LÓGICA TERRITORIAL NA ORGANIZAÇÃO SÓCIO-ESPACIAL DA CIDADE DE SALVADOR: APLICANDO AS GEOTECNOLOGIAS"

Transcrição

1 LÓGICA TERRITORIAL NA ORGANIZAÇÃO SÓCIO-ESPACIAL DA CIDADE DE SALVADOR: APLICANDO AS GEOTECNOLOGIAS RIOS, R.B. 1 RESUMO: Nos dias atuais o ordenamento territorial, torna-se de suma importância frente aos novos desafios encontrados nas grandes cidades, principalmente uma metrópole regional como Salvador que encontra grandes disparidades socioeconômicas em seu território. Sendo assim o uso das geotecnologias, surgem como ferramenta primordial para a realização desses estudos, contribuindo para uma visão ampla dos novos arranjos territoriais, facilitando as práticas e medidas facilitadoras para a reorganização sócio-espacial do território soteropolitano. PALAVRAS-CHAVE: Sig, problemas urbanos, Salvador. TERRITORIAL LOGIC IN THE PARTNER-SPACE ORGANIZATION OF THE CITY OF SALVADOR: APPLYING THE GEOTECHNOLOGIES ABSTRACT: In the current days the territorial order, becomes of utmost importance front the new challenges found in the great cities, mainly a regional metropolis as Salvador that finds great economic disparities socio without its territory. Being thus the use of the geotechnologies, they appear with primordial tools for the contribution of these studies, contributing for an ample vision of the new territorial arrangements, facilitating practical and the facilitator s measures for the partner-space reorganization of the soteropolitano territory. KEYWORDS: Gis, urban problems, Salvador. INTRODUÇÃO: O homem é um ser que vive em constantes transformações de pensamento, de comportamento etc., um ser mutável e adaptável aos mais deferentes tipos de ambientes. Essas características marcantes ao ser humano fortaleceram sua relação de permanência e sobrevivência sobre os quatro cantos do mundo. Mas o homem moderno se vê perdido em busca de novos espaços, em virtude do processo de crescimento urbano rápido e por vez desordenados. Sendo assim a busca por novos espaços urbanos se torna fundamental porque ele necessita desses espaços para sua sobrevivência, até então pouco urbanizados, para que haja nele um novo processo de organização e reprodução social, um enraizamento em locais até então pouco habitado dentro da sua própria cidade. Ao criar novos espaços de expansão urbana, criam-se diferenças espaciais que podem ser continua ou não, depende dos grupos sociais que neles irão conviver, a seletividade espacial contribuirá para a 1 Mestrando em Geografia Universidade Federal da Bahia.

2 existência e a fixação de alguns grupos em determinados pontos do território, uns terão seu espaços mais valorizados em função da própria ocupação por parte de uma elite citadina, ocorrendo uma valorização espacial e outros espaços menos valorizados no qual servirá de sitio para uma nova organização espacial por parte das classes menos favorecidas, desse modo Os lugares, então se diferenciam: de um lado, pelo grau de modernização dos recursos de outro lado pela forma com se combinam as diferentes modalidades de recursos. (SANTOS, 2004, pág. 217). Nesse contexto encontra-se o bairro de Pau da Lima, que nasce dentro de uma política de expansão urbana da Cidade de Salvador/BA, de ocupação dos espaços vazios da região central geográfica da cidade no inicio de Inicialmente a população pioneira é atraída pela tranqüilidade e pelos caracteres rurais ali existentes. Nesse primeiro momento predominava no bairro pequenos sítios e chácaras que eram desmembrados das fazendas que até então constituía essa região. Assim vai se formado o Bairro por pessoas que fugiam da agitação do centro de Salvador. Principalmente daqueles que residiam nos bairros de consolidação antiga, com o bairro da Ribeira, Jardim cruzeiro, centro e redondezas. MATERIAL E MÉTODOS: Na construção dessa pesquisa, foram realizadas saídas de campo ao bairro de Pau da Lima, Salvador/Bahia, no qual foram realizadas entrevistas com os moradores locais para o levantamento de dados primários como: satisfação com o local das residências, dificuldades encontrados, problemas enfrentados de segurança e transporte etc. Foi realizado em locus observações das atividades ali existentes e da espacialização sócio-espacial do bairro e sua relação com seu entorno. Posteriormente foram coletados dados secundários com números de residentes, nível de escolaridade, pessoas ocupadas por atividade entre outras, em órgãos oficiais com IBGE (Instituto de Geografia e Estatística), CONDER (Companhia de desenvolvimento urbano do Estado da Bahia) que serviram de banco de dados para a confecção de cartogramas, gráficos e tabelas, que foram analisados para a conclusão da pesquisa. RESULTADOS E DISCUSSÃO: Geograficamente Pau da Lima está localizado no miolo da cidade (vide figura 1) bem próximo a dois corredores de fluxo intenso a oeste a BR-324 e a leste a Avenida Paralela, tendo duas vias complementares a Avenida Aliomar Baleeiro e a San Rafael responsáveis pela ligação com as mesmas, cortando a porção leste do bairro sem atravessá-lo na sua totalidade. Devido a este fato, Pau da Lima é uma espécie de corredor de ligação para alguns bairros adjacentes como Castelo Branco, sete de Abril e Nova Brasília. Tais vias acabam por fortalecer as relações do bairro com seu entorno, essa característica favoreceu ainda mais ao seu densamente populacional visto a facilidades de deslocamento para o centro de Salvador, quando para os bairros vizinhos. Em relação a seu entorno Pau

3 da Lima possui uma certa centralidade capaz de polarizar sua adjacência em virtude de ser um corredor urbano de ligação aos demais pontos da cidade. Figura 1: Localização do Bairro de Pau da Lima em relação à cidade do Salvador. A organização do Bairro se processa, principalmente através das adições dos instrumentos de trabalhos diretos (produção propriamente dita) ou indiretos, por essa razão a paisagem vai se tornando heterogênea, já que o local abarca diversos tipos de produção. Desse modo a paisagem se cria por acréscimo e substituições ao longo da história, passam a entender a lógica de produção do espaço de cada momento que veio a fortalecer um crescimento muito rápido e desordenado nesses últimos quarenta anos. O processo de ocupação ocorre primeiramente com construção das casas ao longo das vias principais Aliomar Baleeiro, Juntai Magalhães, São Marcos e a Dr. Artur Gonzalez, ruas e avenidas que constitui a parte alta do grande espigão que forma o bairro, enquanto as vertentes e vales eram tidos como os famosos quintais, áreas de lazer e de pequenas plantações onde as famílias possuíam seus pomares e criavam seus animais. Aos poucos esses pequenos sítios foram sendo desmembrados e vendidos para uma população, expulsa do centro e atraídas pelo sonho da casa própria. As vertentes iam aos poucos sendo ocupadas de tal modo a atingir os vales. O Bairro de Pau da Lima passava de um bairro de descanso e rural de Salvador para um bairro residencial popular que iria fomentar os interesses imobiliários local.

4 Principais atividades Comerciais: A distancia de Pau da Lima com o centro comercial da cidade e o difícil meio de transporte fez com que o comércio local começasse a se desenvolver, muito para atender as necessidades da comunidade. O Bairro se caracteriza por possui uma bi-funcionalidade, ao mesmo tempo de residencial com ares de comercial. As atividades comerciais se concentrar ao longo das vias principais Aliomar Baleeiro, Juntai Magalhães, São Marcos e a Dr. Artur Gonzalez, onde podemos encontrar os mais diversos serviços e comércio, Vide figura 2. Porém o que se destacar são os pequenos mercados e farmácias e lojas de roupas. De modo mais pontual podemos apontar uma espacialização mais detalhada das atividades comerciais ao longo dessas vias. Figura 2: Principais Vias onde podemos encontrar os mais diversos serviços e comércio. Na Av. Aliomar Baleeiro predominam as lojas de auto peças e oficinas, na Juntai Magalhães temos uma espacialização mista, onde encontrarmos pequenos mercados padarias e onde se concentra os principais serviços do bairro como casa lotéricas (onde a população pagar boa parte das sua contas), delegacia. A rua Dr. Artur Gonzalez é o único eixo principal onde predominado as residências, encontramos papelarias, mercearias, padarias e alguns mercados, já a Rua São Marcos se caracteriza

5 pela sua especialização dos mercadinhos populares (um numero bem elevado) farmácia e escolas. Podemos considerar com centro nervoso do comércio local. Nas travessas, a essas vias, se restringir as ruas residenciais com pequenos bares. CONCLUSÃO: O uso do sistema de informação geográfica para a análise da organização sócioespacial da Cidade de Salvador tomando como exemplo o bairro de Pau da Lima, revela-se com um poderoso instrumento para o entendimento da lógica territorial da cidade e mais especificamente do Bairro. Com o auxílio dessa técnica foi possível analisar a importância do bairro que se revela como um ponto central, exercendo um poder de polarização com sua adjacência. Por possuir uma gama de atividades comerciais, que acabam atraindo para si um contingente de pessoas de outros bairros vizinhos que realizam algum tipo de atividades principalmente as comerciais. Um grande exemplo da importância de Pau da Lima com seu entrono, E claramente verificado, quando pegamos à questão da segurança, onde temos a sede da delegacia dentro do próprio bairro, Delegacia que irá atender toda população dos bairros circundantes. Analisando a paisagem de Pau da Lima através do Sig, notamos que sua configuração espacial, seguese uma permanente mudança, motivada pelo o surgimento de novas técnicas e funções locais, que vem em substituição de uma forma de trabalho por outra, de uma configuração territorial por outra. A modificação da paisagem, ou seja, a paisagem não é dada para o todo sempre, é palco de mudanças sucessivas do natural para o artificial, processado pelo o trabalho, construindo o espaço do Bairro seu uma política de planejamento. Assim um fenômeno típico da segunda metade do século XX de expansão das áreas urbanas das grandes cidades em direção às periferias, origina o Bairro de Pau da Lima, mal planejado e de ocupação irregular e ao mesmo tempo predatória, vai gerar problemas de infra-estrutura urbana (transportes coletivos, segurança, moradia, saneamento etc.). Os pontos fortes do bairro ficam associados a sua intenção polarização e concentração de serviços encontrados ao longo do seu espaço, uma aptidão natural, pois o bairro se constitui com um intenso corredor de passagem, já os pontos fracos ficam associados com a péssima atenção dos serviços públicos ali dispensados, facilmente visto quando no bairro não encontramos nenhuma agência de Correios, um posto de Saúde inoperante ficando aquém da sua verdadeira importância do Bairro. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico Brasileiro Rio de Janeiro: IBGE, 2002.

6 SANTOS, Milton. Metamorfoses do espaço habitado. São Paulo: Hucitec, SANTOS, Milton. Por uma nova geografia: da crítica da geografia a uma geografia nova. São Paulo: Edusp, SILVA, S.C.B. de M. e; SILVA, B.C. Nentiwg. Estudos sobre globalização, territórios e Bahia. Salvador: UFBA. Mestrado em Geografia, Departamento de Geografia, 2003, p.182.

METAMORFOSES NA PAISAGEM PELA TURISTIFICAÇÃO DO RURAL EM UBERLÂNDIA - MG

METAMORFOSES NA PAISAGEM PELA TURISTIFICAÇÃO DO RURAL EM UBERLÂNDIA - MG METAMORFOSES NA PAISAGEM PELA TURISTIFICAÇÃO DO RURAL EM UBERLÂNDIA - MG Raphaella Karla Portes Beserra raphaella_udi@hotmail.com Geografia - Universidade Federal de Uberlândia 375 Resumo Jéssica Soares

Leia mais

Análise da expansão urbana de Feira de Santana através de condomínios fechados

Análise da expansão urbana de Feira de Santana através de condomínios fechados Análise da expansão urbana de Feira de Santana através de condomínios fechados Bethsaide Souza Santos bethsaide@gmail.com Rosangela Leal Santos Resumo Feira de Santana é uma cidade importante no Estado

Leia mais

A DINÂMICA AMBIENTAL VERIFICADA NO BAIRRO DO IMBUÍ SALVADOR BAHIA BRASIL

A DINÂMICA AMBIENTAL VERIFICADA NO BAIRRO DO IMBUÍ SALVADOR BAHIA BRASIL A DINÂMICA AMBIENTAL VERIFICADA NO BAIRRO DO IMBUÍ SALVADOR BAHIA BRASIL Antonio Leonardo Guimarães de Mello: Geógrafo formado pela Universidade Federal da Bahia UFBA, Salvador, Bahia, Brasil. uleonardo@bol.com.br

Leia mais

CENTRALIDADE POLINUCLEADA: UMA ANÁLISE DOS SUBCENTROS POPULARES DE GOIÂNIA O CASO DO SETOR CAMPINAS

CENTRALIDADE POLINUCLEADA: UMA ANÁLISE DOS SUBCENTROS POPULARES DE GOIÂNIA O CASO DO SETOR CAMPINAS CENTRALIDADE POLINUCLEADA: UMA ANÁLISE DOS SUBCENTROS POPULARES DE GOIÂNIA O CASO DO SETOR CAMPINAS Flavia Maria de Assis Paula 1,3 Elaine Alves Lobo Correa 2,3 José Vandério Cirqueira Pinto 2,3 RESUMO

Leia mais

O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO E A MOBILIDADE DO CAMPO PARA A CIDADE EM BELO CAMPO/BA

O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO E A MOBILIDADE DO CAMPO PARA A CIDADE EM BELO CAMPO/BA O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO E A MOBILIDADE DO CAMPO PARA A CIDADE EM BELO CAMPO/BA Silmara Oliveira Moreira 1 Graduanda em Geografia/UESB, Bolsista da UESB E-mail: silmara.geo@gmail.com Resumo: O objetivo

Leia mais

Pedro João de Albuquerque Araújo Universidade Federal de Pernambuco Laboratório de Pesquisas sobre Espaço, Cultura e Política (LECGEO)

Pedro João de Albuquerque Araújo Universidade Federal de Pernambuco Laboratório de Pesquisas sobre Espaço, Cultura e Política (LECGEO) Vidas exclusivas: Territorialização, transformação dos usos e apropriações da Praia do Paiva-PE Pedro João de Albuquerque Araújo Universidade Federal de Pernambuco Laboratório de Pesquisas sobre Espaço,

Leia mais

Cidade e Urbano: uma caracterização do terciário superior (mini-curso)

Cidade e Urbano: uma caracterização do terciário superior (mini-curso) 1 Cidade e Urbano: uma caracterização do terciário superior (mini-curso) II Seminário do Centro de Ciências Sociais e Aplicadas As Ciências Sociais e Aplicadas na era dos Serviços. Profa.Mariângela Alice

Leia mais

Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino Pinto Orientadora: Regina Célia de Mattos. Considerações Iniciais

Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino Pinto Orientadora: Regina Célia de Mattos. Considerações Iniciais AS TRANSFORMAÇÕES ESPACIAIS NA ZONA OESTE DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO A PARTIR DOS INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA PARA COPA DO MUNDO EM 2014 E AS OLIMPÍADAS DE 2016 Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos 2ª ETAPA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos 2ª ETAPA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos PAAES - Programa de Ação Afirmativa de Ingresso no Ensino Superior

Leia mais

DISPARIDADES ENTRE A ZONA SUL E A ZONA NORTE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO/SP

DISPARIDADES ENTRE A ZONA SUL E A ZONA NORTE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO/SP DISPARIDADES ENTRE A ZONA SUL E A ZONA NORTE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO/SP Luiz Henrique Mateus Lima lugano_lima@yahoo.com.br Mestrado em Geografia FCT UNESP Campus de Presidente Prudente 1088 Resumo As

Leia mais

A REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ E OS CENSOS DEMOGRÁFICOS: EVOLUÇÃO E DINÂMICA DEMOGRÁFICA (1991, 2000 e 2010)

A REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ E OS CENSOS DEMOGRÁFICOS: EVOLUÇÃO E DINÂMICA DEMOGRÁFICA (1991, 2000 e 2010) A REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ E OS CENSOS DEMOGRÁFICOS: EVOLUÇÃO E DINÂMICA DEMOGRÁFICA (1991, 2000 e 2010) Adriana Eliane Casagrande 1 Edson Belo Clemente de Souza 2 Eixo temático: POLITICAS DE ESTADO

Leia mais

INDUSTRIALIZAÇÃO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, SP: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES ECONÔMICAS DO DISTRITO INDUSTRIAL DO CHÁCARAS REUNIDAS

INDUSTRIALIZAÇÃO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, SP: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES ECONÔMICAS DO DISTRITO INDUSTRIAL DO CHÁCARAS REUNIDAS INDUSTRIALIZAÇÃO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, SP: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES ECONÔMICAS DO DISTRITO INDUSTRIAL DO CHÁCARAS REUNIDAS Gustavo Andreiev Nunes Serra 1, Adriane Aparecida Moreira de Souza 2 Universidade

Leia mais

UMA ABORDAGEM AMBIENTAL DO SANEAMENTO BÁSICO UTILIZANDO GEOTECNOLOGIAS

UMA ABORDAGEM AMBIENTAL DO SANEAMENTO BÁSICO UTILIZANDO GEOTECNOLOGIAS Letícia Celise Ballejo de Oliveira Roberto Cassol leticelise@yahoo.com.br, rtocassol@gmail.com Universidade Federal de Santa Maria - UFSM UMA ABORDAGEM AMBIENTAL DO SANEAMENTO BÁSICO UTILIZANDO GEOTECNOLOGIAS

Leia mais

ESPACIAL DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO - RJ Gisele dos Santos de Miranda Clarisse da Cunha Müller PUC Rio gigisa@gmail.com

ESPACIAL DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO - RJ Gisele dos Santos de Miranda Clarisse da Cunha Müller PUC Rio gigisa@gmail.com AS TRANSFORMAÇÕES LOCAIS NO BAIRRO RIO DA PRATA, EM CAMPO GRANDE, A PARTIR DA EXPANSÃO DE CONDOMÍNIOS FECHADOS: UMA PERSPECTIVA MULTIESCALAR DA DINÂMICA INTRODUÇÃO ESPACIAL DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

Leia mais

DIRETRIZES PROJETUAIS PARA A REABILITAÇÃO DO CENTRO OLÍMPICO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP

DIRETRIZES PROJETUAIS PARA A REABILITAÇÃO DO CENTRO OLÍMPICO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 213 DIRETRIZES PROJETUAIS PARA A REABILITAÇÃO DO CENTRO OLÍMPICO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP Melina Yumi Koyama¹; Hélio

Leia mais

Políticas Públicas e Qualidade de Vida na Baía de Sepetiba (RJ): modernização infraestrutural afetando a população carioca

Políticas Públicas e Qualidade de Vida na Baía de Sepetiba (RJ): modernização infraestrutural afetando a população carioca Departamento de Geografia e Meio Ambiente Políticas Públicas e Qualidade de Vida na Baía de Sepetiba (RJ): modernização infraestrutural afetando a população carioca Introdução/Justificativa: Aluna: Izânia

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL MEDIATECA RS Autor: Pedro Arthur Câmara O terreno está localizado na cidade de Porto Alegre, no Bairro Centro Histórico. Á área é de uso misto, tendo uma grande concentração de atividades comerciais e

Leia mais

Palavras-chave: Ambiente Urbano, Produção do Espaço, Problemática Ambiental, Áreas de Risco.

Palavras-chave: Ambiente Urbano, Produção do Espaço, Problemática Ambiental, Áreas de Risco. Revista Geográfica de América Central Número Especial EGAL, 2011- Costa Rica II Semestre 2011 pp. 1-15 INDICADORES DE VULNERABILIDADE E CLASSIFICAÇÃO DE ÁREAS DE RISCO AMBIENTAL NA VERTENTE SUL DA SERRA

Leia mais

URBANIZAÇÃO BRASILEIRA: ALGUNS COMENTÁRIOS. Profa. Dra. Vera Lúcia Alves França

URBANIZAÇÃO BRASILEIRA: ALGUNS COMENTÁRIOS. Profa. Dra. Vera Lúcia Alves França URBANIZAÇÃO BRASILEIRA: ALGUNS COMENTÁRIOS Profa. Dra. Vera Lúcia Alves França A década de 1930 do século XX traz para a população brasileira um novo momento, quanto a sua distribuição. Até então, a população

Leia mais

Centro Educacional Juscelino Kubitschek

Centro Educacional Juscelino Kubitschek Centro Educacional Juscelino Kubitschek ALUNO: N.º: DATA: / /2011 ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIE: 6ª série/7 ano TURMA: TURNO: DISCIPLINA: GEOGRAFIA PROFESSOR: Equipe de Geografia Roteiro e lista de Recuperação

Leia mais

A AGRICULTURA URBANA COMO MANIFESTAÇÃO DA RURALIDADE NA CIDADE DE ALFENAS

A AGRICULTURA URBANA COMO MANIFESTAÇÃO DA RURALIDADE NA CIDADE DE ALFENAS A AGRICULTURA URBANA COMO MANIFESTAÇÃO DA RURALIDADE NA CIDADE DE ALFENAS Deywison Tadeu Resende Gonçalves deywisont@hotmail.com Bolsista PIBIC/CNPq Geografia UNIFAL-MG Ana Rute do Vale ana.vale@unifal-mg.edu.br

Leia mais

Anais do Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto - GEONORDESTE 2014 Aracaju, Brasil, 18-21 novembro 2014

Anais do Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto - GEONORDESTE 2014 Aracaju, Brasil, 18-21 novembro 2014 O USO DO GEOPROCESSAMENTO COMO APOIO AO DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DA BACIA HIDROGRÁFICA DO CÓRREGO BOM RETIRO, JAÚ SP Fábio César Martins 1, Rafael Aleixo Braga 2, José Carlos Toledo Veniziani Junior 3 1 Tecnólogo

Leia mais

CONFLITOS NO SUBCENTRO DA PERIFERIA: UM ESTUDO DA AVENIDA FREI BENJAMIM VITÓRIADA CONQUISTA / BA

CONFLITOS NO SUBCENTRO DA PERIFERIA: UM ESTUDO DA AVENIDA FREI BENJAMIM VITÓRIADA CONQUISTA / BA CONFLITOS NO SUBCENTRO DA PERIFERIA: UM ESTUDO DA AVENIDA FREI BENJAMIM VITÓRIADA CONQUISTA / BA Bruno Pereira Marques Graduando, em Geografia/UESB e Bolsistado PIBID/CAPES. E-mail: brunop_marques@hotmail.com

Leia mais

Moradia e Meio Ambiente: a construção do diálogo na urbanização do assentamento Pilarzinho ILHA

Moradia e Meio Ambiente: a construção do diálogo na urbanização do assentamento Pilarzinho ILHA Moradia e Meio Ambiente: a construção do diálogo na urbanização do assentamento Pilarzinho ILHA O que é? É um projeto de extensão universitária do curso de Arquitetura e Urbanismo, da Universidade Tecnológica

Leia mais

Urbanização Brasileira

Urbanização Brasileira Urbanização Brasileira O Brasil é um país com mais de 190 milhões de habitantes. A cada 100 pessoas que vivem no Brasil, 84 moram nas cidades e 16 no campo. A população urbana brasileira teve seu maior

Leia mais

ENCONTRO REGIONAL DE PROCURADORAS E PROCURADORES DOS DIREITOS DO CIDADÃO 2015 HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA

ENCONTRO REGIONAL DE PROCURADORAS E PROCURADORES DOS DIREITOS DO CIDADÃO 2015 HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA ENCONTRO REGIONAL DE PROCURADORAS E PROCURADORES DOS DIREITOS DO CIDADÃO 2015 HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA CONTEXTO O déficit habitacional no Brasil, em 2008, segundo a

Leia mais

Situação Geográfica e Demográfica

Situação Geográfica e Demográfica Guarulhos História A memória é a base para a construção da identidade, da consciência do indivíduo e dos grupos sociais de um determinado local. A maioria das fontes de memória de Guarulhos traz que sua

Leia mais

Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL. Debora Barbosa da Silva

Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL. Debora Barbosa da Silva Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL META Refletir sobre as características da população brasileira como fundamento para a compreensão da organização do território e das políticas de planejamento e desenvolvimento

Leia mais

7ºano 2º período vespertino 25 de abril de 2014

7ºano 2º período vespertino 25 de abril de 2014 GEOGRAFIA QUESTÃO 1 A Demografia é a ciência que estuda as características das populações humanas e exprime-se geralmente através de valores estatísticos. As características da população estudadas pela

Leia mais

A urbanização Brasileira

A urbanização Brasileira A urbanização Brasileira Brasil Evolução da população ruralurbana entre 1940 e 2006. Fonte: IBGE. Anuário estatístico do Brasil, 1986, 1990, 1993 e 1997; Censo demográfico, 2000; Síntese Fonte: IBGE. Anuário

Leia mais

OCUPAÇÕES IRREGULARES E IMPACTOS SÓCIO-AMBIENTAIS NA REGIÃO NOROESTE DE GOIÂNIA

OCUPAÇÕES IRREGULARES E IMPACTOS SÓCIO-AMBIENTAIS NA REGIÃO NOROESTE DE GOIÂNIA OCUPAÇÕES IRREGULARES E IMPACTOS SÓCIO-AMBIENTAIS NA REGIÃO NOROESTE DE GOIÂNIA Wellington Nunes de Oliveira Universidade Federal de Goiás, Tecnólogo em Geoprocessamento, Especialista em Perícia Ambiental,

Leia mais

Conceitos básicos: Cuidar, Inovar e Avançar

Conceitos básicos: Cuidar, Inovar e Avançar PROGRAMA DE GOVERNO PAULO ALEXANDRE BARBOSA Conceitos básicos: Cuidar, Inovar e Avançar O programa de governo do candidato Paulo Alexandre Barbosa está baeado em três palavras-conceito: cuidar, inovar

Leia mais

Mas com tantas contradições, desigualdades e injustiças, será que houve realmente uma evolução do tecido urbano?

Mas com tantas contradições, desigualdades e injustiças, será que houve realmente uma evolução do tecido urbano? 112 Mas com tantas contradições, desigualdades e injustiças, será que houve realmente uma evolução do tecido urbano? Ao levantar este questionamento é pertinente esclarecer qual deve ser a real evolução.

Leia mais

-Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante a Oficina 3 - Financiamento para habitação social em Centros.

-Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante a Oficina 3 - Financiamento para habitação social em Centros. -Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante a Oficina 3 - Financiamento para habitação social em Centros. -Data: 05/12/2008 -Local: Instituto Pólis MORADIA É CENTRAL

Leia mais

Karyna D Onofre Neves Universidade Federal de São Carlos UFSCar, Bacharelado em Gestão e Análise Ambiental Wagner Sousa, Marcilene Dantas Ferreira

Karyna D Onofre Neves Universidade Federal de São Carlos UFSCar, Bacharelado em Gestão e Análise Ambiental Wagner Sousa, Marcilene Dantas Ferreira Goiânia/GO 19 a 22/11/2012 PERCEPÇÃO AMBIENTAL NA MICRO BACIA DO CÓRREGO DA ÁGUA QUENTE, SÃO CARLOS SP: ÁREAS DEGRADADAS COMO FATORES DE INFLUÊNCIA NA QUALIDADE DE VIDA DA POPULAÇÃO Karyna D Onofre Neves

Leia mais

Urban View. Urban Reports. Êxodo urbano: por que as cidades de médio porte estão atraindo os moradores das metrópoles?

Urban View. Urban Reports. Êxodo urbano: por que as cidades de médio porte estão atraindo os moradores das metrópoles? Urban View Urban Reports Êxodo urbano: por que as cidades de médio porte Morar nos grandes centros tem suas vantagens, como mais opções de trabalho, educação e lazer. Mas também tem seu lado negativo.

Leia mais

Danilo Munhoz Alves Corrêa Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC-Rio danilomunhoz@globo.com. 1 - Introdução

Danilo Munhoz Alves Corrêa Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC-Rio danilomunhoz@globo.com. 1 - Introdução Sistema Modal de Transportes no Município do Rio de Janeiro: a modernização dos eixos de circulação na cidade carioca para a Copa do Mundo de Futebol em 2014 e as Olimpíadas em 2016. 1 - Introdução Danilo

Leia mais

CORREDOR LESTE-OESTE: LIGAÇÃO ENTRE A ÁREA CENTRAL DO RECIFE E A CIDADE DA COPA EM SÃO LOURENÇO DA MATA 1

CORREDOR LESTE-OESTE: LIGAÇÃO ENTRE A ÁREA CENTRAL DO RECIFE E A CIDADE DA COPA EM SÃO LOURENÇO DA MATA 1 Andresa Maria Mendes da Silva¹ Ana Regina Marinho Dantas Barboza da Rocha Serafim² ¹ Graduanda do Curso de Licenciatura em Geografia do Campus Mata Norte da Universidade de Pernambuco. Bolsista PFA/UPE.

Leia mais

http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_impressao.ph...

http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_impressao.ph... Page 1 of 6 Comunicação Social 29 de novembro de 2010 Resultados do Censo 2010 Censo 2010: população do Brasil é de 190.732.694 pessoas Após cerca de quatro meses de trabalho de coleta e supervisão, durante

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 5 - GEOGRAFIA AGRÁRIA

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 5 - GEOGRAFIA AGRÁRIA Questão n o 1 Conhecimentos Específicos O candidato deverá contemplar em seu texto os seguintes aspectos: Na perspectiva da Geografia Tradicional, até os anos 60 do século XX, período em que se enfatizavam

Leia mais

O TERRITÓRIO BRASILEIRO. 6. Fronteiras Terrestres

O TERRITÓRIO BRASILEIRO. 6. Fronteiras Terrestres O TERRITÓRIO BRASILEIRO 6. Fronteiras Terrestres Até o começo do século XVII, os colonizadores se concentraram em cidades fundadas na região litorânea do Brasil, principalmente no Nordeste. A principal

Leia mais

O USO DO TERRITÓRIO PELOS SERVIÇOS PRIVADOS DE SAÚDE EM NATAL/RN E A FORMAÇÃO DE UM CORREDOR SANITÁRIO EM PETRÓPOLIS E TIROL

O USO DO TERRITÓRIO PELOS SERVIÇOS PRIVADOS DE SAÚDE EM NATAL/RN E A FORMAÇÃO DE UM CORREDOR SANITÁRIO EM PETRÓPOLIS E TIROL Edseisy Silva Barbalho Tavares Mestre em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN); Graduanda em Geografia Bacharelado pela UFRN e professora da rede municipal de ensino de Parnamirim/RN

Leia mais

Praça Roosevelt Dos anos 40 à Construção. Praça Roosevelt Dos anos 40 à Construção: O Processo de Mudança de um Local

Praça Roosevelt Dos anos 40 à Construção. Praça Roosevelt Dos anos 40 à Construção: O Processo de Mudança de um Local Praça Roosevelt Dos anos 40 à Construção: O Processo de Mudança de um Local Introdução O espaço da atual Praça Roosevelt teve sua configuração a partir dos anos 40, com a desapropriação de um terreno atrás

Leia mais

Regionalização Brasileira

Regionalização Brasileira GEOGRAFIA DO BRASIL Regionalização Brasileira A República Federativa do Brasil é formada por 26 estados e pelo Distrito Federal. Os estados, por sua vez, dividem-se em municípios, os quais são as menores

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DO USO DO SENSORIAMENTO REMOTO COMO FERREMENTA NA GESTÃO HÍDRICA E AMBIENTAL: O CASO DO IGARAPÉ ÁGUA AZUL

A CONTRIBUIÇÃO DO USO DO SENSORIAMENTO REMOTO COMO FERREMENTA NA GESTÃO HÍDRICA E AMBIENTAL: O CASO DO IGARAPÉ ÁGUA AZUL A CONTRIBUIÇÃO DO USO DO SENSORIAMENTO REMOTO COMO FERREMENTA NA GESTÃO HÍDRICA E AMBIENTAL: O CASO DO IGARAPÉ ÁGUA AZUL rocha. e.b Geógrafo - Mestrando em Gestão de Recursos Naturais e Desenvolvimento

Leia mais

TIPOLOGIA SÓCIO-ECONÓMICA DA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA

TIPOLOGIA SÓCIO-ECONÓMICA DA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA Informação à Comunicação Social 3 de Fevereiro de 2000 TIPOLOGIA SÓCIO-ECONÓMICA DA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA Introdução Este estudo procura caracterizar as estruturas territoriais na Área Metropolitana

Leia mais

INFORME INFRA-ESTRUTURA

INFORME INFRA-ESTRUTURA INFORME INFRA-ESTRUTURA ÁREA DE PROJETOS DE INFRA-ESTRUTURA MARÇO/96 N 8 Serviços de Saneamento Básico - Níveis de Atendimento O presente trabalho informa sobre o nível de atendimento em serviços de saneamento

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DAS ÁREAS QUE APRESENTAM RISCOS GEOMORFOLÓGICOS PARA A POPULAÇÃO DA CIDADE DE MARAU/RS

IDENTIFICAÇÃO DAS ÁREAS QUE APRESENTAM RISCOS GEOMORFOLÓGICOS PARA A POPULAÇÃO DA CIDADE DE MARAU/RS Salvador/BA 25 a 28/11/2013 IDENTIFICAÇÃO DAS ÁREAS QUE APRESENTAM RISCOS GEOMORFOLÓGICOS PARA A POPULAÇÃO DA CIDADE DE MARAU/RS Daniel Varriento Escobar*, Alcindo Neckel, Suelen Marques * Gestor Ambiental.E-mail:

Leia mais

A REINSERÇÃO DE NOVA ESPERANÇA NA REDE URBANA DE MARINGÁ: UMA PROPOSTA DE ESTUDO

A REINSERÇÃO DE NOVA ESPERANÇA NA REDE URBANA DE MARINGÁ: UMA PROPOSTA DE ESTUDO A REINSERÇÃO DE NOVA ESPERANÇA NA REDE URBANA DE MARINGÁ: UMA PROPOSTA DE ESTUDO 5 Amanda dos Santos Galeti Acadêmica de Geografia - UNESPAR/Paranavaí amanda_galeti@hotmail.com Kamily Alanis Montina Acadêmica

Leia mais

2 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de História e Geografia Nome: NASCE O COMÉRCIO

2 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de História e Geografia Nome: NASCE O COMÉRCIO 2 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de História e Geografia Nome: NASCE O COMÉRCIO A aldeia cresceu. O número de pessoas aumentou. Novas atividades surgiram. Em uma aldeia, algumas pessoas só

Leia mais

GEOGRAFIA-2009. Com base nas informações do texto, na análise do mapa e nos conhecimentos sobre os elementos e fatores geográficos do clima,

GEOGRAFIA-2009. Com base nas informações do texto, na análise do mapa e nos conhecimentos sobre os elementos e fatores geográficos do clima, UFBA UFBA- -2ª2ªFASE FASE 2009 2009-2009 01. A variação climática na superfície terrestre está diretamente ligada à localização de cada região nas diversas latitudes, sendo, portanto, resultante do comportamento

Leia mais

Oportunidades criadas pelo Plano Diretor Estratégico

Oportunidades criadas pelo Plano Diretor Estratégico A CRIAÇÃO DE TERRITÓRIOS DE OPORTUNIDADE JUNTO AO SISTEMA METRO-FERROVIÁRIO: EM PROL DE UMA PARCERIA MAIS EFETIVA NOS PROCESSOS DE TRANSFORMAÇÃO URBANA NO ENTORNO DAS ESTAÇÕES. ABSTRACT Ao longo dos trinta

Leia mais

Jornada dos Cursos de História, Geografia e Arquitetura: Espaço, História e Globalização

Jornada dos Cursos de História, Geografia e Arquitetura: Espaço, História e Globalização 28 Jornada dos Cursos de História, Geografia e Arquitetura: Espaço, História e Globalização TOPOFILIA E PRESERVAÇÃO TERRITORIAL: IDENTIDADE LOCAL E GLOBALIZAÇÃO Mariana Polidoro da Silva 1 Patrícia Adriana

Leia mais

O TRABALHO SOCIAL EM HABITAÇÃO COM UM CAMPO DE ATUAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL

O TRABALHO SOCIAL EM HABITAÇÃO COM UM CAMPO DE ATUAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL O TRABALHO SOCIAL EM HABITAÇÃO COM UM CAMPO DE ATUAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL HADDAD, Tatiana Paula (Estágio I), e-mail: tphaddad@hotmail.com; PETILO, Kássia Schnepper (Estágio I), e-mail: kassiaschnepper@hotmail.com;

Leia mais

ANALISE TEMPORAL DA EVOLUÇÃO URBANA DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ, USANDO O PROGRAMA SPRING.

ANALISE TEMPORAL DA EVOLUÇÃO URBANA DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ, USANDO O PROGRAMA SPRING. ANALISE TEMPORAL DA EVOLUÇÃO URBANA DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ, USANDO O PROGRAMA SPRING. RODRIGUES, Caroline Gomes 1, COSTA, Bruno Lopes ², CORREIA, Mariana Ribeiro³ 1 Universidade do Estado do Rio de

Leia mais

A PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO NO BAIRRO DA MARAMBAIA, BELÉM-PA: UM ESTUDO DE CASO

A PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO NO BAIRRO DA MARAMBAIA, BELÉM-PA: UM ESTUDO DE CASO A PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO NO BAIRRO DA MARAMBAIA, BELÉM-PA: UM ESTUDO DE CASO Evandro Neves evandronevez@live.com Universidade do Estado do Pará Filipe Dias Evandro Neves li.pedias@hotmail.com Universidade

Leia mais

Três exemplos de sistematização de experiências

Três exemplos de sistematização de experiências Três exemplos de sistematização de experiências Neste anexo, apresentamos alguns exemplos de propostas de sistematização. Estes exemplos não são reais; foram criados com propósitos puramente didáticos.

Leia mais

DESMATAMENTO DA MATA CILIAR DO RIO SANTO ESTEVÃO EM WANDERLÂNDIA-TO

DESMATAMENTO DA MATA CILIAR DO RIO SANTO ESTEVÃO EM WANDERLÂNDIA-TO DESMATAMENTO DA MATA CILIAR DO RIO SANTO ESTEVÃO EM WANDERLÂNDIA-TO Trabalho de pesquisa em andamento Sidinei Esteves de Oliveira de Jesus Universidade Federal do Tocantins pissarra1@yahoo.com.br INTRODUÇÃO

Leia mais

O GEOPROCESSAMENTO E O PLANEJAMENTO TERRITORIAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS: A DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DAS ESCOLAS ESTADUAIS EM CAMPINA GRANDE-PB

O GEOPROCESSAMENTO E O PLANEJAMENTO TERRITORIAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS: A DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DAS ESCOLAS ESTADUAIS EM CAMPINA GRANDE-PB O GEOPROCESSAMENTO E O PLANEJAMENTO TERRITORIAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS: A DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DAS ESCOLAS ESTADUAIS EM CAMPINA GRANDE-PB Erbeth Yuri dos Santos Nascimento¹, Antônio Pereira

Leia mais

REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA DE ÁREAS PÚBLICAS. Cartilha de orientação sobre o Programa de Regularização Urbanística e Fundiária

REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA DE ÁREAS PÚBLICAS. Cartilha de orientação sobre o Programa de Regularização Urbanística e Fundiária REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA DE ÁREAS PÚBLICAS Cartilha de orientação sobre o Programa de Regularização Urbanística e Fundiária APRESENTAÇÃO Esta Cartilha foi desenvolvida como suporte ao trabalho da Prefeitura

Leia mais

A LÓGICA DO PLANEJAMENTO URBANO EM UMA CIDADE PEQUENA: REFLEXÕES SOBRE O CASO DE RIO DE CONTAS/BA

A LÓGICA DO PLANEJAMENTO URBANO EM UMA CIDADE PEQUENA: REFLEXÕES SOBRE O CASO DE RIO DE CONTAS/BA A LÓGICA DO PLANEJAMENTO URBANO EM UMA CIDADE PEQUENA: REFLEXÕES SOBRE O CASO DE RIO DE CONTAS/BA Alexandre Custódio de Jesus Dias 1 Graduando em Geografia/UESB e Bolsista Fapesb e-mail: alexandrecjdias@hotmail.com

Leia mais

A INSERÇÃO ECÔNOMICA DOS AGRICULTORES FAMILIARES INSERIDOS NO ASSENTAMENTO ERNESTO CHE GUEVARA

A INSERÇÃO ECÔNOMICA DOS AGRICULTORES FAMILIARES INSERIDOS NO ASSENTAMENTO ERNESTO CHE GUEVARA A INSERÇÃO ECÔNOMICA DOS AGRICULTORES FAMILIARES INSERIDOS NO ASSENTAMENTO ERNESTO CHE GUEVARA Mercedes Ferreira 1 - mercedita4@hotmail.com Maria Inês Vidal 2 Orientador: Luiz Alexandre Gonçalves Cunha

Leia mais

Revista da ESPM Janeiro/Fevereiro de 2002. Aera da mídia exterior ORLANDO MARQUES

Revista da ESPM Janeiro/Fevereiro de 2002. Aera da mídia exterior ORLANDO MARQUES Aera da mídia exterior ORLANDO MARQUES 27 No mundo urbano em que vivemos, passamos mais tempo fora de casa, que dentro. Quando estamos em casa, são tantas as alternativas de comunicação, que o tempo de

Leia mais

Metodologia. Resultados

Metodologia. Resultados ENCONTRO INTERNACIONAL PARTICIPAÇÃO, DEMOCRACIA E POLÍTICAS PÚBLICAS: APROXIMANDO AGENDAS E AGENTES UNESP SP 23 a 25 de abril de 2013, UNESP, Araraquara (SP) AGENTES SOCIAIS E A PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO

Leia mais

DESIGUALDADE AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE SALINAS MG

DESIGUALDADE AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE SALINAS MG DESIGUALDADE AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE SALINAS MG BRENO FURTADO LIMA 1, EDUARDO OLIVEIRA JORGE 2, FÁBIO CHAVES CLEMENTE 3, GUSTAVO ANDRADE GODOY 4, RAFAEL VILELA PEREIRA 5, ALENCAR SANTOS 6 E RÚBIA GOMES

Leia mais

O Rio de Janeiro, com a extinção da FUNDREM, em 1989, não possui, até hoje, o órgão gestor dos assuntos metropolitanos.

O Rio de Janeiro, com a extinção da FUNDREM, em 1989, não possui, até hoje, o órgão gestor dos assuntos metropolitanos. Atualmente, existem 41 regiões metropolitanas no Brasil, sendo que 21 possuem mais de 1 milhão de habitantes, 19 entre 1 milhão e 5 milhões e 2, com mais de 10 milhões, respectivamente a região de São

Leia mais

UMA MOBILIDADE URBANA OU UMA PSEUDOMOBILIDADE URBANA ESTÁ SENDO CONSTRUÍDA NAS CIDADES?

UMA MOBILIDADE URBANA OU UMA PSEUDOMOBILIDADE URBANA ESTÁ SENDO CONSTRUÍDA NAS CIDADES? UMA MOBILIDADE URBANA OU UMA PSEUDOMOBILIDADE URBANA ESTÁ SENDO CONSTRUÍDA NAS CIDADES? BUENO, Maria Helena Berardo Graduanda em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Estadual de Goiás - UnUCET ( Unidade

Leia mais

Roça agroecológica das mulheres do Assentamento Dandara dos Palmares, Camamu (BA)

Roça agroecológica das mulheres do Assentamento Dandara dos Palmares, Camamu (BA) Produção de alimentos agroecológicos da roça das mulheres Roça agroecológica das mulheres do Assentamento Dandara dos Palmares, Camamu (BA) Ana Celsa Sousa, Carlos Eduardo de Souza Leite e Luciana Rios

Leia mais

Dinamização imobiliária no entorno da unidade de conservação Mata de Santa Genebra, Campinas (SP)

Dinamização imobiliária no entorno da unidade de conservação Mata de Santa Genebra, Campinas (SP) Dinamização imobiliária no entorno da unidade de conservação Mata de Santa Genebra, Campinas (SP) Mariana Ferreira Cisotto maricisotto@yahoo.com.br IG/UNICAMP Antonio Carlos Vitte IG/UNICAMP Palavras-chave:

Leia mais

Estratégias de Desenvolvimento Regional

Estratégias de Desenvolvimento Regional Estratégias de Desenvolvimento Regional Mesa Redonda sobre Desenvolvimento Regional nos Estados Brasileiros Marcelo Sacenco Asquino Coordenador da Área Regional Secretaria de Economia e Planejamento do

Leia mais

Julieta Cristina Fernandes (*)

Julieta Cristina Fernandes (*) Curso de Gestão da Mobilidade Urbana Ensaio Crítico - Turma 7 Os muros e a mobilidade urbana: considerações a partir dos condomínios fechados no Setor Sul de Uberlândia-MG Julieta Cristina Fernandes (*)

Leia mais

Compreendendo o espaço

Compreendendo o espaço Módulo 1 Unidade 2 Compreendendo o espaço Para início de conversa... A forma como você se locomove na cidade para ir de um lugar a outro tem a ver com as direções que você toma e com o sentido para o qual

Leia mais

Pré-vestibulares comunitários e o movimento territorial: Os casos dos pré-vestibulares da Maré e do Caju *

Pré-vestibulares comunitários e o movimento territorial: Os casos dos pré-vestibulares da Maré e do Caju * Pré-vestibulares comunitários e o movimento territorial: Os casos dos pré-vestibulares da Maré e do Caju * Kayobi de Azevedo Vargas Discente do Curso de Especialização em Ensino de Geografia Universidade

Leia mais

O BOTICÁRIO - FRANQUIA DE SÃO GONÇALO - RJ

O BOTICÁRIO - FRANQUIA DE SÃO GONÇALO - RJ O BOTICÁRIO - FRANQUIA DE SÃO GONÇALO - RJ RESPEITO AO MEIO AMBIENTE: Programa de Incentivo ao Plantio de Mudas e Manutenção de Vias Públicas e Escolas Municipais Para a franquia O Boticário de São Gonçalo

Leia mais

Silvia Delpizzo Bortoluzzi (UFSC) silbort@yahoo.com.br Norberto Hochheim (UFSC) hochheim@ecv.ufsc.br

Silvia Delpizzo Bortoluzzi (UFSC) silbort@yahoo.com.br Norberto Hochheim (UFSC) hochheim@ecv.ufsc.br Mapeamento do uso atual do solo no bairro centro de Florianópolis (SC) e caracterização das suas funções urbanas como base para o planejamento urbano e gestão ambiental. Silvia Delpizzo Bortoluzzi (UFSC)

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL A FUNÇÃO SOCIAL DA CIDADE E O PAPEL SOCIAL DA PROPRIEDADE Autor(es): Pascoal Mário Costa Guglielmi e Pedro Ribeiro Guglielmi Condicionada pela sua complexa topografia, a ocupação inicial do Rio de Janeiro

Leia mais

PATRUS ANANIAS DE SOUZA Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

PATRUS ANANIAS DE SOUZA Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome apresentação do programa Brasília, maio 2007 PATRUS ANANIAS DE SOUZA Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome ONAUR RUANO Secretário Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional CRISPIM

Leia mais

LÓGICAS ESPACIAIS DAS EMPRESAS FRANQUEADAS DO RAMO COMERCIAL DE CONFECÇÕES E CALÇADOS: CIDADES MÉDIAS E CONSUMO

LÓGICAS ESPACIAIS DAS EMPRESAS FRANQUEADAS DO RAMO COMERCIAL DE CONFECÇÕES E CALÇADOS: CIDADES MÉDIAS E CONSUMO LÓGICAS ESPACIAIS DAS EMPRESAS FRANQUEADAS DO RAMO COMERCIAL DE CONFECÇÕES E CALÇADOS: CIDADES MÉDIAS E CONSUMO Ariane Barilli de Mattos Graduação em Geografia Faculdade de Ciências e Tecnologia ane_cbj@hotmail.com

Leia mais

Mapeamento Participativo em Sete Unidades de Conservação no Extrativismo Não Madeireiro

Mapeamento Participativo em Sete Unidades de Conservação no Extrativismo Não Madeireiro Mapeamento Participativo em Sete Unidades de Conservação no Extrativismo Não Madeireiro Mônica Suani Barbosa da Costa 1 Karina de Oliveira Milhomem 2 Therezinha de Jesus Pinto Fraxe 3 Suellen Amorim da

Leia mais

Agora é só com você. Geografia - 131

Agora é só com você. Geografia - 131 Geografia - 131 3 Complete: O espaço da sala de aula é um domínio delimitado por um(a)..., que é sua fronteira. Ainda em grupo faça o seguinte: usando objetos como lápis, palitos, folhas e outros, delimite

Leia mais

A USINA HIDRELÉTRICA DO ESTREITO-MA: ANÁLISE DE SEUS ESPAÇOS DE INFLUÊNCIA SOB A CONTRIBUIÇÃO DO TRABALHO DE MILTON SANTOS

A USINA HIDRELÉTRICA DO ESTREITO-MA: ANÁLISE DE SEUS ESPAÇOS DE INFLUÊNCIA SOB A CONTRIBUIÇÃO DO TRABALHO DE MILTON SANTOS Thaís Samara de Castro Bezerra José Carlos Bezerra Universidade Estadual da Paraíba UEPB thaissamara@hotmail.com karligor@hotmail.com A USINA HIDRELÉTRICA DO ESTREITO-MA: ANÁLISE DE SEUS ESPAÇOS DE INFLUÊNCIA

Leia mais

UM ESTUDO CRÍTICO SOBRE O PROCESSO DE TRANFORMAÇÃO ÁREA DE RISCO EM ÁREA DE RICOS NA AVENIDA FILADÉLFIA EM ARAGUAÍNA - TO

UM ESTUDO CRÍTICO SOBRE O PROCESSO DE TRANFORMAÇÃO ÁREA DE RISCO EM ÁREA DE RICOS NA AVENIDA FILADÉLFIA EM ARAGUAÍNA - TO UM ESTUDO CRÍTICO SOBRE O PROCESSO DE TRANFORMAÇÃO ÁREA DE RISCO EM ÁREA DE RICOS NA AVENIDA FILADÉLFIA EM ARAGUAÍNA - TO Antonio Marcos P. Marinho - Acadêmico do curso de Geografia do CAMUAR-UFT marcosnvo@hotmail.com

Leia mais

EUCLIDES DA CUNHA PAULISTA: ENTRE O URBANO E O RURAL

EUCLIDES DA CUNHA PAULISTA: ENTRE O URBANO E O RURAL EUCLIDES DA CUNHA PAULISTA: ENTRE O URBANO E O RURAL Gabriel de Freitas Borges Faculdade de Arquitetura e Urbanismo CEATEC PUC Campinas email_address@puccamp.edu.br Luiz Augusto Maia Costa História das

Leia mais

Dinâmica dos finais de linha em Salvador/BA: O caso do bairro da Santa Cruz. 1

Dinâmica dos finais de linha em Salvador/BA: O caso do bairro da Santa Cruz. 1 Dinâmica dos finais de linha em Salvador/BA: O caso do bairro da Santa Cruz. 1 1. INTRODUÇÃO Caê Garcia Carvalho. Juarez Souza Lima. Jullie Souza de Santana Santos. Lara Moraes Borowski. Leandro Lopes

Leia mais

Palavras-chave: associações, semiárido, espaço rural. INTRODUÇÃO

Palavras-chave: associações, semiárido, espaço rural. INTRODUÇÃO 1412 OS SUJEITOS COLETIVOS NO ESPAÇO RURAL DO MUNIÍPIO DE CONCEIÇÃO DO COITÉ 1; Joselane da Rocha Brandão Edinusia Moreira Carneiro Santos 2 1. Graduada em Geografia, Universidade Estadual de Feira de

Leia mais

Caracterização da coleta seletiva de resíduos sólidos no Brasil: avanços e dificuldades

Caracterização da coleta seletiva de resíduos sólidos no Brasil: avanços e dificuldades Revista Economia & Tecnologia (RET) Volume 9, Número 4, p. 129-136, Out/Dez 2013 Seção: Tecnologia & Inovação Caracterização da coleta seletiva de resíduos sólidos no Brasil: avanços e dificuldades Alessandra

Leia mais

Estado da tecnologia avançada na gestão dos recursos genéticos animais

Estado da tecnologia avançada na gestão dos recursos genéticos animais PARTE 4 Estado da tecnologia avançada na gestão dos recursos genéticos animais A caracterização de raças e ambientes de produção precisa ser melhorada para fomentar políticas de decisão na gestão dos recursos

Leia mais

FGTS poderá financiar imóveis de até R$ 300 mil

FGTS poderá financiar imóveis de até R$ 300 mil FGTS poderá financiar imóveis de até R$ 300 mil Atualmente, o limite é de R$ 190 mil para propriedades nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro e no Distrito Federal. Página 3 JORNAL QUE

Leia mais

DIAGNÓSTICO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DO MUNICÍPIO DE CANHOBA/SE

DIAGNÓSTICO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DO MUNICÍPIO DE CANHOBA/SE DIAGNÓSTICO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DO MUNICÍPIO DE CANHOBA/SE Josiene Ferreira dos Santos Lima¹-Tecnóloga em Saneamento Ambiental. Aluna do Curso de Geografia (UFS). Pós-Graduanda em Gestão Ambiental e Desenvolvimento

Leia mais

A CHEIA DO RIO NEGRO EM MANAUS E SEUS IMPACTOS NO CENTRO E NA PONTA NEGRA EM 2009

A CHEIA DO RIO NEGRO EM MANAUS E SEUS IMPACTOS NO CENTRO E NA PONTA NEGRA EM 2009 A CHEIA DO RIO NEGRO EM MANAUS E SEUS IMPACTOS NO CENTRO E NA PONTA NEGRA EM 2009 1. INTRODUÇÃO Diego Lopes Morais 1 1 Graduando em Geografia / Universidade do Estado do Amazonas - UEA Instituto Nacional

Leia mais

III FÓRUM DE PESQUISA FAU.MACKENZIE I 2007. Introdução A PRESENÇA DO MACKENZIE NO BAIRRO DE HIGIENÓPOLIS

III FÓRUM DE PESQUISA FAU.MACKENZIE I 2007. Introdução A PRESENÇA DO MACKENZIE NO BAIRRO DE HIGIENÓPOLIS 1 A PRESENÇA DO MACKENZIE NO BAIRRO DE HIGIENÓPOLIS Maria Elena Merege Vieira Θ Resumo Este trabalho apresenta as alterações da paisagem do espaço urbano do Bairro de Higienópolis, com ênfase na importância

Leia mais

O ESPAÇO URBANO DE VILA VELHA-ES E A SEGREGAÇÃO SÓCIO ESPACIL ENTRE 1970 E 2010

O ESPAÇO URBANO DE VILA VELHA-ES E A SEGREGAÇÃO SÓCIO ESPACIL ENTRE 1970 E 2010 O ESPAÇO URBANO DE VILA VELHA-ES E A SEGREGAÇÃO SÓCIO ESPACIL ENTRE 1970 E 2010 Eder Lira Universidade federal do Espírito Santo-UFES. Brasil ederlira@hotmail.com INTRODUÇÃO O projeto lança uma proposta

Leia mais

30/11/2012. do adensamento populacional. crescimento desordenado. ocupação de áreas naturais e frágeis

30/11/2012. do adensamento populacional. crescimento desordenado. ocupação de áreas naturais e frágeis Universidade Metodista Recuperação Ambiental de Áreas Degradadas Impactos gerados pelo uso e ocupação do solo no meio urbano Final século XVIII Revolução Industrial Migração do homem do campo objetivo

Leia mais

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE PARA O ENFRENTAMENTO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS EM ÁREAS URBANAS: UM ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE BELÉM, PARÁ, BRASIL

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE PARA O ENFRENTAMENTO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS EM ÁREAS URBANAS: UM ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE BELÉM, PARÁ, BRASIL INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE PARA O ENFRENTAMENTO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS EM ÁREAS URBANAS: UM ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE BELÉM, PARÁ, BRASIL Priscila da Silva Batista Instituto Tecnológico, Universidade

Leia mais

Conteúdo: - Ambiente rural - Ambiente urbano - Gênero textual: Carta LÍNGUAGENS C. HUMANAS FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES INTERATIVIDADE

Conteúdo: - Ambiente rural - Ambiente urbano - Gênero textual: Carta LÍNGUAGENS C. HUMANAS FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES INTERATIVIDADE CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA INTERATIVIDADE Conteúdo: - Ambiente rural - Ambiente urbano - Gênero textual: Carta 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDO I ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 3.º ANO/EF 2015

ROTEIRO DE ESTUDO I ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 3.º ANO/EF 2015 SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA MANTENEDORA DA PUC Minas E DO COLÉGIO SANTA MARIA ROTEIRO DE ESTUDO I ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 3.º ANO/EF 2015 Caro(a) aluno(a), É tempo de conferir os conteúdos estudados na

Leia mais

Pedagogia Estácio FAMAP

Pedagogia Estácio FAMAP Pedagogia Estácio FAMAP # Objetivos Gerais: O Curso de Graduação em Pedagogia da Estácio FAMAP tem por objetivo geral a formação de profissionais preparados para responder às diferenciadas demandas educativas

Leia mais

SITUAÇÃO DOS ODM NOS MUNICÍPIOS

SITUAÇÃO DOS ODM NOS MUNICÍPIOS SITUAÇÃO DOS ODM NOS MUNICÍPIOS O presente levantamento mostra a situação dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) nos municípios brasileiros. Para realizar a comparação de forma mais precisa,

Leia mais

Transporte fluvial Mobilidade com Desenvolvimento Turístico Urbano e Inclusão Social

Transporte fluvial Mobilidade com Desenvolvimento Turístico Urbano e Inclusão Social Transporte fluvial Mobilidade com Desenvolvimento Turístico Urbano e Inclusão Social O Rio Capibaribe já foi navegável e suas águas limpas serviam para banhos medicinais. Ele serviu de escoamento para

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA APP DO BAIRRO BEIJA FLOR II

DIAGNÓSTICO DA APP DO BAIRRO BEIJA FLOR II DIAGNÓSTICO DA APP DO BAIRRO BEIJA FLOR II SOUSA, K.C. 1 ; SOUSA, K.C. 2 ; OLIVEIRA, A.C. 3 ; NETO, A.T. 4 1 Estudante 4 período de Engenharia Ambiental - Universidade de Uberaba; 2 Estudante 4 período

Leia mais