EXMO JUIZ DE DIREITO DA 6ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE MA INGÁ

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EXMO JUIZ DE DIREITO DA 6ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE MA INGÁ"

Transcrição

1 EXMO JUIZ DE DIREITO DA 6ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE MA INGÁ Autos nº 800/2011 (número único: ) MM JUIZ: O Ministério Público do Estado do Paraná, neste ato representado pela Promotora de Justiça que esta subscreve, vem respeitosamente à insigne presença de Vossa Excelência expor e requerer o que segue. Em meados do mês de julho do corrente ano, este órgão ministerial ajuizou Ação Civil Pública com preceito cominatório de Obrigação de Fazer em que no mérito pugnou pela condenação do Estado do Paraná a observar o artigo 17, III da Lei nº /1990, ou seja, executar supletivamente de ações e serviços de saúde na cidade de Paiçandu. Em suma, a Ação funda-se no fato de que o Município em questão é habilitado na ge s tão plena da atenç ão bás ic a e m s aúde, portanto, assumindo as responsabilidades previstas a Portaria nº 337/2002-MS. O Estado do Paraná, por sua vez, é habilitado na g es tão ple na do s is tema es tadual, razão pela qual possui responsabilidades ainda mais apuradas dentro da rede de gestão do Sistema Único de Saúde.

2 Ocorre que, nada obstante tais modelos, a Administraçã Pública de Paiçandu não vem cumprindo sua parte e o Estado do enviar recursos sem fiscalizar a correta destinação. É o re s umo. araná limita-se a Em decorrência da inércia Municipal em aplicar corretamente os valores que lhe são destinados, a população padece com falta atendimento, médicos, insumos farmacológicos, etc..., o que ensejou na propositura de Ação por este órgão. I. Do cenário atual e ncontrado no Município de Paiç andu; Excelência, na petição inicial restou detalhada a Vistoria realizada entre os dias 09 e 17 do mês de março deste ano, a qual, sem dúvidas, já revelava irregularidades. Co ntudo, o que era de ve ras preoc upante, tornou-s e agora insus tentável. No final do m ês de outubro foi realizada nova Vis to ria Sanitária em todos o s e stabelecime nto s de s aúde Paiç anduens e s, s ndo que o Ofício nº 254/2011/S CVSAT arrola, po rmenorizadam ente, as inc o s is tências enco ntradas. No Po s to de Saúde de Água Bo a, foram cons tatadas apenas 37 (trinta e s ete) irreg ularidades, as sim como no Pos t do Jardim Pioneiro Novo (outras 46) e no Pos to do Jardim Canadá (49). No Pos to de Saúde do Centro s ão 64 (se s s enta e quatro ) ponto s de irre gulari ade s! Como podem estabelecimentos de saúde funcionar em condições tão precárias? A ação de Vistoria culminou com a adoção das seguintes providências:

3 1) Lavratura de Auto de Infraç ão nº 3036 referente ao Posto de Saúde do Distrito de Água Boa, vez que o Município não cumpriu o Termo de intimação nº 2964 de 13/09/2011; 2) Lavratura do Auto de In fraç ão nº 3039 relativo ao Posto de Saúde Centro, pois igualmente o Município não cumpriu de Intimação nº 2956 de 13/09/2011; 3) Auto de Infraç ão nº 3037 relativo ao Posto de Saúde Canadá, por motivo análogo; 4) Lavratura do Auto d e Infração nº 3038 relativo ao Hospital Municipal São José, por razão análoga; 5) Au to de Infraç ão nº 3035 do Posto de Saúde Pioneiro Novo também por descumprimento de Termo de Intimação (nº 2963); 6) Auto de Infraç ão nº 3034 do Pos to de S aúde Jardim Cate dral por descumprimento de Termo Intimação anterior e, 6.1) Termo de Inte rdição des te lo cal em razão das g raves irregularidade s s anitárias c ons tatadas ; 7) Lavratura de Auto de Infração nº 3030 refe rente ao Po s to de S aúde Pion eiro Velho Intimação anterior e, Termo por descumprimento de Termo de 7.1 Termo de Interdição do me sm o loc al em razão das graves irregularidades sanitárias constatadas; A autoridade sanitária foi bastante clara nestes 2 (do s) Termos de Interdição descrevendo numerosas inconsistências encontradas tais como: apresentação de laudo técnico de teste bacteriológico dedetização, infiltrações, não manutenção no abrigo de resíduos sólidos, locais sem acabamento com massa corrida e pintura nos locais onde foram feitas as correções de infiltrações com cimento, piso irregular, sem abrigo de GLP.

4 Na inspeção realizada pela Vigilância Sanitária nos serv os de saúde do Município de Paiçandu foram constatadas (e documentadas, através de fotografias) outras irregularidades preocupantes, das quais destacam-se: 1) os portões de entrada não garantem acessibilidade, sendo estreitos e, em alguns casos, também desprovidos de rampa (presença de escadas). 2) A falta de organização e, principalmente, de higiene é gritante: os materiais são acondicionados de forma inadequada, os sanitários encontram-se sujos, com pias e torneiras enferrujadas. Em um dos estabelecimentos de saúde, o banco para espera de pacientes é improvisado, const ído com tijolos sobrepostos e um pedaço de madeira. A parte externa está tomada por mato e entulhos e os lençóis são colocados para secar neste local, evidentemente, com muitas sujidades e poeira. Após, as roupas de cama são armazenadas em prateleiras abertas ao lado de materiais de uso hospitalar. 3) A realidade do interior dos prédios também é alarmante: existem macas rasgadas, com pés enferrujados apoiados m copos plásticos descartáveis, as balanças e janelas também estão enfer A s ituação torna-s e ainda m ais g rave s e considerarmos que as unidade s de s aúde apres e ntam irre gularidades que - em curto prazo - s ão c apaze s de compro me ter o funcionam ento dos se rviços, o que acarretará, fatalmente, na interdição de outros locais. adas. Existem, ainda, tomadas soltas (caindo), com fios a mostra. Não fosse tudo isso suficiente, o forro de madeira está podre, há diversos remendos pelas paredes, sem nova pintura e as cadeiras onde os pacientes são atendidos são de mad soltas. a e estão com lascas Veja, Excelência, no início da Ação o Hospital Municipal e o Centro Odontológico estavam parcialmente interditados e agora, outras 2 (duas) unidades de Saúde daquele Município juntam-se à lista.

5 A ino perância do Município de Paiç andu é evidente, vez que s eus Adminis trado res não cons eguem s olucionar ques tõe s das m ais s imples. Visando evitar tal ocorrência é que é a tutela antecipatória adquire caráter salutar, imprescindível e urgente. As ações anteriormente ajuizadas contra o Município não tomaram o efeito desejado, não restando outra alternativa ao judicialmente, providências do Estado ao Paraná. parquet senão requerer, II. Do s Recurs os de s tinado s ao Município; O registro mais atualizado do Portal da Transparência 1 revela que até esta data o Município recebeu R$ ,37 (treze milhõe s no ve c entos e no venta mil s eis c ento s e quarenta e quatro re ais e trinta s ete centavos ) do Governo Federal, destinado, em grande parte, ao cus eio dos serviços de saúde. O total de repasse líquido destinado pelo Governo do Estado do Paraná para o Município é de R$ ,55 (trê s milhõ es trezentos e trinta e cinco mil s ete cento s e trinta e cinc o reais e cinqüent e cinc o c entavo s), segundo fontes oficiais 2. Questiona-se: para onde foi este numerário? Recente notícia veiculada no Jornal Diário do Norte do Paraná revela que o alcaide Municipal está respondendo Processo Admini trativo para explicar esta questão. 1 Portal da Trans parênc ia do Go verno Fe deral. Disponível em: < oes.asp?exercicio=2011&seleca ouf=1&siglauf=pr&nomeuf=paran%c1&codmun=7731&nomemun=p ICANDU&ValorMun= ,37 >. Acesso em: 11.nov Sis te ma Integrado de Aco mpanhamento Financeiro (S IAF). Disponível em: <http://www.gestaodinheiropublico.pr.gov.br/gestao/repa es/repassesmun.jsp?param_ano=2011 &Param_CodMunicipio=708>. Acesso em: 11.nov.2011.

6 III. Do pe dido de c once s s ão de liminar: art. 21 CDC e 273 e 461 do CPC; Faz-se imprescindível a antecipação dos efeitos da tutela, no sentido de que o Estado do Paraná intervenha im ediatamen te no Município de Paiçandu, com fundamento no artigo 17, III da Lei nº /1990 c/c art. 273 e 461 do CPC. Prescreve o artigo 461 do CPC: Art Na ação que tenha por objeto o cumprimento de obrigação de fazer ou não fazer, o juiz concederá a tutela específica da obrigação ou, se procedente o pedido, de erminará providências que assegurem o resultado prático equival te ao do adimplemento. [...] 3 o S e ndo re levante o fundame nto da demanda e have ndo jus tific ado re c eio de ine fic ácia do provimento final, é lícito ao juiz co nc e der a tute la liminarmente o u mediante jus tificação prév ia, citado o ré u. A medida liminar po derá s e r rev ogada ou mo dific ada, a qualquer tempo, e m de c isão fundame ntada. [...] 5 o Para a efetivação da tutela específica ou a obtenção do resultado prático equivalente, poderá o juiz, de ofício ou a requerimento, determinar as medidas necessárias, tais como a imposição de multa por tempo de atraso, busca e apreensão, remoção de pessoas e coisas, desfazimento de obras e impedimento de atividade nociva, se necessário com req isição de força policial. 6 o O juiz poderá, de ofício, modificar o valor ou a periodicidade a multa, caso verifique que se tornou insuficiente ou ex va. (negritei) O fundamento da demanda, per s i, é relevante, pois envolve a questão da saúde, direito fundamental exposto na Constituição Federal em seu artigo 6º 3. 3 Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentaç o, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternid à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição.

7 A norma fundamental preconiza, em seu artigo 196, que A s aúde é direito de todo s e dever do Es tado garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e e outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação. Por fim, conclamo o artigo 17, III da Lei Orgânica do SUS, que dispõe como responsabilidade dos Estados: Art. 17. À dire ção es tadual do S is tema Únic o de S aúde (S US ) c ompe te: I - promover a descentralização para os Municípios dos se iços e das ações de saúde; II - acompanhar, c ontrolar e avaliar as redes hie rarquizadas do S is tema Únic o de Saúde (S US ); III - pres tar apo io téc nic o e financeiro aos Munic ípio s e exe c utar s uple tiv ame nte aç õ es e s e rv iços de saúde ; IV - coordenar e, em caráter complementar, executar ações e serviços: a) de vigilância epidemiológica; b) de vigilância sanitária; c) de alimentação e nutrição; e d) de saúde do trabalhador; V - participar, junto com os órgãos afins, do controle do agravos do meio ambiente que tenham repercussão na saúde humana; VI - participar da formulação da política e da execução de ações de saneamento básico; VII - participar das ações de controle e avaliação das condições e dos ambientes de trabalho; VIII - em caráter suplementar, formular, executar, acompanha e avaliar a política de insumos e equipamentos para a saúde; IX - identificar estabelecimentos hospitalares de referência e gerir sistemas públicos de alta complexidade, de referência stadual e regional; X - coordenar a rede estadual de laboratórios de saúde pú a e hemocentros, e gerir as unidades que permaneçam em sua organização administrativa; XI - estabelecer normas, em caráter suplementar, para o co role e avaliação das ações e serviços de saúde; XII - formular normas e estabelecer padrões, em caráter suplementar, de procedimentos de controle de qualidade para produtos e substâncias de consumo humano;

8 XIII - colaborar com a União na execução da vigilância sanit ria de portos, aeroportos e fronteiras; XIV - o acompanhamento, a avaliação e divulgação dos indicadores de morbidade e mortalidade no âmbito da unidade federada. em que com o pas s ar dos me s e s mais es tabele cim entos de s aúde s e r fe chado s, tendo em vis ta as condiçõe s ins alubres e prec árias em que s e enco ntram. Já o receio da ineficácia do provimento final revela-se na medida Veja, digno magistrado, o erário provavelmente está sendo malversado, pois a quantia enviada pelos Entes Federal e Estadual (tópico II) é suficiente para administrar a saúde de Paiçandu, no entanto, o que se vê é este quadro aterrorizante. A população está indignada, mas está principalmente desamparada frente a este panorama. Quanto maior a demora para que interferência Estadual seja realizada, mais grave pode se tornar o caso, Sistema de Saúde Paiç anduens e parar por completo!!! 4 rão inclus ive c om a pe rspectiva do Como já consignado, da Carta Magna extraímos que: Na áre a da s aúde é fundamental que os se rviç os de uns inte rco nec tem ou interajam co m os dos outros, para c om r uma re de de s erv iço s que s eja capaz de garantir ao mun c ipe de um ou de o utro município a inte g ralidade da s aúde, uma vez que a maio ria do s municípios não é capaz de arcar s ozinho c o m a as s is tê ncia à s aúde do c idadão. É aqui que deve s urg ir a rede interfe de rativ a de s aúde. 4 E por sua vez: [...] A rede inte rfede rativa é a união dos e ntes po lít c os, autô no mo s, que juntos dev em ge rir um s is tema integ rado de CARVALHO, Gilson et at.; organizador: Silvio Fernandes da Silva. Re des de ate nção à s aúde no SUS o pacto pela saúde e redes regionalizadas de ações de serviços de saúde. Campinas: IDISA, p. 44/45.

9 s aúde inte rmunic ipal, reg ional, es tadual, interes tadua e nac ional, s em mac ular a autonomia fe derativ a c o ns tituc ional. 5 Excelência, a gestão do SUS deve ser compartilhada, razão pela qual o Pacto Federativo estará sendo respeitado ainda que o Estado do Paraná designe uma Equipe para interferir na saúde de Paiçandu. Cito julgado do STF sobre o tema: S EPARAÇÃO DOS PODERES. POSS IBILIDADE DE ANÁLISE DE ATO DO P ODER EXECUTIVO PELO PODER JUDICIÁRIO. (...) CABE AO PODER JUDICIÁRIO A ANÁLIS E DA LEGALIDADE E CONS TITUCIONALIDADE DOS ATOS DOS TRÊS PODERES CONS TITUCIONAIS, E, EM VIS LUMBRANDO MÁCULA NO ATO IMPUGNADO, AFASTAR A S UA APLICAÇÃO. (STF. AI AgR, Rel. Min. Ricardo Lewandowski, julgamento em , Primeira Turma, DJ de ) No mesmo sentido: AI AgR, Rel. Min. Cármen Lúcia, julgamento em , Primeira Turma, DJE de O deferimento da medida não significa a aceitação do ativismo judicial (criação de Lei pelo Poder Judiciário) mas sim, aplicação da Lei préexistente. Outrossim, a jurisprudência acena positivamente quanto à possibilidade de antecipar a tutela em face da Fazenda Pública, inclusive no STJ: RECURSO ESPECIAL Nº MA (2011/ ) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS. RECORRENTE : MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS. PROCURADOR : JOS É BORRALHO RIBEIRO FILHO E OUTRO(S). RECORRIDO : MOIZANIELLE LEITE RODRIGUES. ADVOGADO : FÁBIO MAG ALHÃES PINTO - DEFENSOR PÚBLICO PROCESS UAL CIVIL. ANTECIPAÇÃO DE TUTELA. REQUIS ITOS LEGAIS. FUNDAMENTOS CONSTITUCIONAIS E INFRACONSTITCIONAIS. AUSÊNCIA DE INTERPOS IÇÃO DE RECURSO EXTRAORDINÁRIO. S ÚMULA 126 DO STJ. RECURSO ES PECIAL NÃO CONHECIDO. DECISÃO "Antecipação Tutela. Fazenda Pública Municipal. concessão. Possibilidade. Paciente. Doença 5 CARVALHO, Gilson et at.; organizador: Silvio Fernandes da Silva. Re de s de atenção à s aúde no SUS o pacto pela saúde e redes regionalizadas de ações de serviços de saúde.campinas: IDISA, p. 50.

10 grave. Alimentação Industrializada. custeio. Direito à vida. A con são de tutela antecipada contra a Fazenda Pública é possível nas hipóteses em que não incidam as vedações previstas na Lei 9.494/ 997, quais sejam demandadas sobre reclassificação, equiparação, a ento ou extensão de vantagens pecuniárias de servidor público u concessão de pagamento de vencimento (Precedentes do STJ). [...] A efetivação do dire ito à s aúde é dever inafas tável do Es tado, de ve ndo ele e mpree nder to dos os e sforço s para s ua concretização, s ob pena de vio lação ao direito fundame ntal à s aúde, à vida e ao princípio fundame ntal da dig nidade da pes s oa humana. É o que s e reque r co m e xtrem a urgê ncia. IV. Do re querimento : Face a todo o exposto, pleiteia-se: 1. A antecipação dos efeitos da tutela (art. 273 e 461 do CPC) com o fito de que Estado do Paraná s eja im ediatamente co mpelido a obs ervar o artigo 17, III da Lei nº /1990, exe cutando s upletivamente açõ e s e s e rviços de s aúde na cidade de Paiç andu; 2. Após, seja averiguado o cumprimento da Carta Precatória de citação Estadual. Termos em que pede deferimento. Maringá, 16 de novembro de Stella Maris S ant anna Ferreira Pinheiro Promotora de Justiça Instrui esta petição: - Portaria nº 373, DE 27 de fevereiro de 2002 do Ministério da Saúde; - Ofício nº 254/2011/SCVSAT;

11 - Autos de Infração e Termo de Interdição do Posto Pioneiro Velho e Catedral; - Extratos do Portal da Transparência do Governo Federal e Sistema Integrado de Acompanhamento Financeiro do Estado do Paraná; - Notícia veiculada no dia 04/11/2011 no Jornal O Diário do Norte do Paraná; - CD ROM co m foto s do e s tado atual das unidades interditadas.

EXECUÇÕES ESPECÍFICAS

EXECUÇÕES ESPECÍFICAS EXECUÇÕES ESPECÍFICAS Prof. Ms. Bernardo Ribeiro Câmara Advogado e sócio do Escritório Freire, Câmara & Ribeiro de Oliveira Advogados; Mestre em Direito Processual Civil pela PUC/MG Especialista em Direito

Leia mais

Excelentíssimo{a) Senhor(a) Doutor(a) Juiz(a) de Direito do Juizado Especial da Fazenda Pública da Comarca de -MG * '

Excelentíssimo{a) Senhor(a) Doutor(a) Juiz(a) de Direito do Juizado Especial da Fazenda Pública da Comarca de -MG * ' Excelentíssimo{a) Senhor(a) Doutor(a) Juiz(a) de Direito do Juizado Especial da Fazenda Pública da Comarca de -MG OBJETO: ( ) INSUMO DE INTERESSE PARA A SAÚDE HUMANA (exceto cirurgia e transporte) ( )

Leia mais

Precedentes jurisdicionais deste Tribunal e do STJ.

Precedentes jurisdicionais deste Tribunal e do STJ. DECISÃO MONOCRÁTICA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA APELAÇÃO CÍVEL N 200.2011.017155-6/001 ORIGEM : 6' Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital.

Leia mais

VISTOS, relatados e discutidos, os autos acima

VISTOS, relatados e discutidos, os autos acima ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Gen ésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO N 001.2011.015750-81001 RELATOR : Dr. Aluízio Bezerra Filho, Juiz Convocado para

Leia mais

ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA 'TRIBUNAL DE JUSTIÇA

ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA 'TRIBUNAL DE JUSTIÇA ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA 'TRIBUNAL DE JUSTIÇA Apelação Cível n2 200.2009.027892-61001 Origem : 13 2 Vara Cível da Comarca da Capital Relator : Desembargador Frederico Martinho da Nóbrega

Leia mais

Informação de fato novo Pedido de prioridade no julgamento do feito

Informação de fato novo Pedido de prioridade no julgamento do feito EXMO. SR(A). JUIZ(A) FEDERAL DO TRABALHO DA 12ª VARA DO TRABALHO EM MANAUS-AM. Informação de fato novo Pedido de prioridade no julgamento do feito Processo nº 0001270-41.2013.5.11.0012 Autor: MINISTÉRIO

Leia mais

VISTOS, relatados e discutidos estes autos, em que são partes as acima identificadas:

VISTOS, relatados e discutidos estes autos, em que são partes as acima identificadas: . ' ESTADO DA PARAÍBA t-n " PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Apelação Civel n 200.2004.038313-1/001 Relator: Des. Luiz Silvio Ramalho Júnior Apelante: Executivos Administração e Promoção de Seguros

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO/REEXAME NECESSÁRIO N. 0042882-45.2010.4.01.3400/DF

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO/REEXAME NECESSÁRIO N. 0042882-45.2010.4.01.3400/DF (ZæHÂ141R0) PODER JUDICIÁRIO RELATOR(A) : DESEMBARGADOR FEDERAL JIRAIR ARAM MEGUERIAN APELANTE : AGENCIA NACIONAL DE VIGILANCIA SANITARIA - ANVISA PROCURADOR : ADRIANA MAIA VENTURINI APELADO : ASSOCIACAO

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba Gabinete do Desembargador José Ricardo Porto

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba Gabinete do Desembargador José Ricardo Porto Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba Gabinete do Desembargador José Ricardo Porto DECISÃO MONOCRÁTICA APELAÇÃO CÍVEL N. 001.2010.019169-9/001 CAMPINA GRANDE RELATOR : Des. José Ricardo

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho AGRAVO DE INSTRUMENTO N 037.2011.000.844-0/001 RELATOR: Des. Genésio Gomes Pereira Filho. AGRAVANTE: Ministério

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA o. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOÃO ALVES DA SILVA DECISÃO MONOCRÁTICA AGRAVO DE INSTRUMENTO NQ 001.2010.006903-6/001 RELATOR : Desembargador João Alves da Silva AGRAVANTE

Leia mais

Afirmando fazer jus ao re 1 bi dos medicamentos pleiteados, requereu a

Afirmando fazer jus ao re 1 bi dos medicamentos pleiteados, requereu a PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA DECISÃO MONOCRÁTICA RECURSO OFICIAL E APELAÇÃO CÍVEL N 001.2011.021744-3/001. ORIGEM : Vara da Fazenda

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES DECISÃO TERMINATIVA Agravo de Instrumento 200.2011.026679-4/001 2 1' Vara Civel da Capital. Relator : Des. Saulo Henriciues

Leia mais

02/2011/JURÍDICO/CNM. INTERESSADOS:

02/2011/JURÍDICO/CNM. INTERESSADOS: PARECER Nº 02/2011/JURÍDICO/CNM. INTERESSADOS: DIVERSOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS. ASSUNTOS: BASE DE CÁLCULO DO ADICIONAL DE INSALUBRIDADE DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS. DA CONSULTA: Trata-se de consulta

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0000.00.300188-0/000 Númeração 3001880- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Nilson Reis Des.(a) Nilson Reis 06/05/2003 18/06/2003 EMENTA: A gravo de

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO Registro: 2015.0000853162 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 1012384-11.2014.8.26.0576, da Comarca de São José do Rio Preto, em que é apelante ALEX VOLTOLINI, é apelado MOLISE

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0052654-08.2013.8.19.0000 Agravante: Município de Armação de Búzios Agravado: Lidiany da Silva Mello

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. Assunto: Desconto da Contribuição Sindical previsto no artigo 8º da Constituição Federal, um dia de trabalho em março de 2015.

Leia mais

RECOMENDAÇÃO ADMINISTRATIVA nº 01/2012

RECOMENDAÇÃO ADMINISTRATIVA nº 01/2012 RECOMENDAÇÃO ADMINISTRATIVA nº 01/2012 CONSIDERANDO: 1. A existência do Procedimento Preparatório n. 0089.11.000011-7, cujo objeto é apurar eventual irregularidade em casa de abrigo para idosos na Rua

Leia mais

Caixa Econômica Federal - DIJUR. Alienação Fiduciária de Imóvel

Caixa Econômica Federal - DIJUR. Alienação Fiduciária de Imóvel Caixa Econômica Federal - DIJUR Alienação Fiduciária de Imóvel Alguns aspectos relativos à recuperação do crédito Setembro/2012 1 Expectativa de prazo da cobrança judicial Fazenda quer acelerar cobrança

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE CUIABÁ - MT VARA ESPECIALIZADA AÇÃO CIVIL PÚBLICA E AÇÃO POPULAR

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE CUIABÁ - MT VARA ESPECIALIZADA AÇÃO CIVIL PÚBLICA E AÇÃO POPULAR ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE CUIABÁ - MT VARA ESPECIALIZADA AÇÃO CIVIL PÚBLICA E AÇÃO POPULAR PROC. Nº. 33906-55.2012.811.0041 Vistos, etc. Trata-se de Ação Civil Pública de Obrigação

Leia mais

EXCELENTISSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DA COMARCA DE...

EXCELENTISSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DA COMARCA DE... EXCELENTISSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DA COMARCA DE... Excelência, INTERPOR..., vem por intermédio de sua advogada infra-assinada, à presença de Vossa AÇÃO DE CONCESSÃO

Leia mais

ARTIGO: O direito à saúde e a judicialização da política

ARTIGO: O direito à saúde e a judicialização da política ARTIGO: O direito à saúde e a judicialização da política Carlos Roberto Pegoretti Júnior 1 RESUMO: Os entes políticos, por vezes, encontram-se no pólo passivo de demandas judiciais referentes à entrega

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0071.07.034954-4/001 Númeração 0349544- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Bitencourt Marcondes Des.(a) Bitencourt Marcondes 25/03/2009 30/04/2009

Leia mais

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E LEGISLAÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL ADRIANO CRISTIAN CARNEIRO

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E LEGISLAÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL ADRIANO CRISTIAN CARNEIRO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E LEGISLAÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL ADRIANO CRISTIAN CARNEIRO Fortalecimento do SUS Constituição Federal de 1988, artigos 196 a 200; Lei Federal nº. 8.080, de 19/09/1990 Lei

Leia mais

Orientações a respeito dos aplicativos Secret e Cryptics

Orientações a respeito dos aplicativos Secret e Cryptics Orientações a respeito dos aplicativos Secret e Cryptics José Sérgio Miranda 1 jose.sergio@ucb.org.br Em fevereiro de 2014 foi lançado o aplicativo Secret. Contudo, ganhou notoriedade no Brasil a partir

Leia mais

QUARTACÂMARA CÍVEL REEXAME NECESSÁRIO Nº 33071/2012 - CLASSE CNJ - 199 - COMARCA CAPITAL ESTADO DE MATO GROSSO

QUARTACÂMARA CÍVEL REEXAME NECESSÁRIO Nº 33071/2012 - CLASSE CNJ - 199 - COMARCA CAPITAL ESTADO DE MATO GROSSO INTERESSADOS: JOAO LIVALDA ESTADO DE MATO GROSSO Número do Protocolo: 33071/2012 Data de Julgamento: 18-09-2012 E M E N T A REEXAME NECESSÁRIO DE SENTENÇA AÇÃO DE OBRIGAÇÃO DE FAZER TRATAMENTO DE SAÚDE

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0024.14.148142-4/001 Númeração 0807534- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Mariângela Meyer Des.(a) Mariângela Meyer 24/02/2015 06/03/2015 EMENTA:

Leia mais

MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR

MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR : MIN. GILMAR MENDES REQUERENTE(S) : PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA REQUERIDO(A/S) : UNIÃO ADVOGADO(A/S) : ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO REQUERIDO(A/S) :

Leia mais

Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Legitimidade ativa (Pessoas relacionadas no art. 103 da

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOSÉ RICARDO PORTO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOSÉ RICARDO PORTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOSÉ RICARDO PORTO DECISÃO MONOCRÁTICA REMESSA NECESSÁRIA N. 011.2010.000052-7/001 CABACEIRAS. Relator : Des. José Ricardo

Leia mais

CÍVEL Nº 71002427482 COMARCA DE PORTO ALEGRE

CÍVEL Nº 71002427482 COMARCA DE PORTO ALEGRE COBRANÇA. CONSUMIDOR. CONTRATO. SEGURO DE VIDA. RESSARCIMENTO/COMPLEMENTAÇÃO DE AUXILIO FUNERAL. DEVOLUÇÃO EM DOBRO DAS PRESTAÇÕES COBRADAS/PAGAS APÓS A MORTE DO SEGURADO. 1. Restou incontroversa a contratação

Leia mais

Da TUTELA ANTECIPADA. Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO

Da TUTELA ANTECIPADA. Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO Da TUTELA ANTECIPADA Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO ANTECIPAÇÃO DE TUTELA - REQUISITOS Art. 273. O juiz poderá, a requerimento da parte, antecipar, total ou parcialmente, os efeitos da tutela pretendida

Leia mais

Ministério Público do Rio Grande do Sul PROMOTORIA DE JUSTIÇA CÍVEL DE ERECHIM

Ministério Público do Rio Grande do Sul PROMOTORIA DE JUSTIÇA CÍVEL DE ERECHIM Procedimento n.º INQUÉRITO CIVIL: 00763.00041/2014 Investigada: ASSOCIAÇÃO CULTURAL E INDUSTRIAL DE ERECHIM TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA No dia 18 de novembro de 2014, o MINISTÉRIO PÚBLICO

Leia mais

DECISÃO. Relatório. 2. A decisão impugnada tem o teor seguinte:

DECISÃO. Relatório. 2. A decisão impugnada tem o teor seguinte: DECISÃO RECLAMAÇÃO. CONSTITUCIONAL. ALEGADO DESCUMPRIMENTO DA SÚMULA VINCULANTE N. 10 DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. RECLAMAÇÃO PROCEDENTE. Relatório 1. Reclamação, com pedido de antecipação de tutela, ajuizada

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE ALTA FLORESTA 6ª VARA. Vistos.

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE ALTA FLORESTA 6ª VARA. Vistos. Autos n.º 3022-48.2012.811.0007. Código nº 101526. Ação de Obrigação de Fazer. Vistos. Trata-se de ação nominada Ação Cominatória de Obrigação de Fazer com pedido expresso de tutela de urgência interposta

Leia mais

Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete do Desembargador Marcos A. Souto Maior

Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete do Desembargador Marcos A. Souto Maior Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete do Desembargador Marcos A. Souto Maior DECISÃO APELAÇÃO CIVEL N 048.2003.001021-8/001 CUITEGI RELATOR: Juíza Maria das Neves do Egito

Leia mais

Sentença Tipo A MANDADO DE SEGURANÇA INDIVIDUAL Impetrante: GUSTAVO BARBOSA DE MIRANDA Impetrado: DELEGADO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM GOIÂNIA/GO

Sentença Tipo A MANDADO DE SEGURANÇA INDIVIDUAL Impetrante: GUSTAVO BARBOSA DE MIRANDA Impetrado: DELEGADO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM GOIÂNIA/GO Sentença Tipo A MANDADO DE SEGURANÇA INDIVIDUAL Impetrante: GUSTAVO BARBOSA DE MIRANDA Impetrado: DELEGADO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM GOIÂNIA/GO SENTENÇA Cuida-se de mandado de segurança impetrado

Leia mais

MODELO DE PETIÇÃO INICIAL RITO ORDINÁRIO. (espaço aproximadamente 10 cm 4 )

MODELO DE PETIÇÃO INICIAL RITO ORDINÁRIO. (espaço aproximadamente 10 cm 4 ) Modelos práticos 1. Petição inicial rito ordinário MODELO DE PETIÇÃO INICIAL RITO ORDINÁRIO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO 1 DA VARA CÍVEL 2 DO FORO DA COMARCA DE CAMPINAS 3 NO ESTADO DE

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Fórum João Mendes Júnior - 18º Andar, sala 1806, Centro - CEP 01501-900, Fone: 2171-6315, São Paulo-SP

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Fórum João Mendes Júnior - 18º Andar, sala 1806, Centro - CEP 01501-900, Fone: 2171-6315, São Paulo-SP Registro: 2015.0000075537 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Recurso Inominado nº 1008924-47.2014.8.26.0016, da Comarca de São Paulo, em que é recorrente CHAMALEON EVEN EMPREENDIMENTOS

Leia mais

(ambas sem procuração).

(ambas sem procuração). ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa AGRAVO DE INSTRUMENTO N. 001.2009.006097-9 / 001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa. Agravante: Itatj Seguros S/A. Advogado:

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO N º 904.124-0/9 São Paulo Agravante: Patrícia de Carvalho Izoldi Agravado: Paulo Penido Pinto Marques

AGRAVO DE INSTRUMENTO N º 904.124-0/9 São Paulo Agravante: Patrícia de Carvalho Izoldi Agravado: Paulo Penido Pinto Marques AGRAVO DE INSTRUMENTO N º 904.124-0/9 São Paulo Agravante: Patrícia de Carvalho Izoldi Agravado: Paulo Penido Pinto Marques AÇÃO DE DESPEJO POR FALTA DE PAGAMENTO CUMULADA COM COBRANÇA DE ALUGUERES E ENCARGOS.

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA COMARCA DE

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA COMARCA DE 1 EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA COMARCA DE O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO MARANHÃO, por seu representante legal infra-assinado, com fundamento nos art. 129, inciso III e 1º, da Carta Magna,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. O julgamento teve a participação dos Desembargadores ANTÔNIO CARLOS MALHEIROS (Presidente) e LEONEL COSTA.

PODER JUDICIÁRIO. O julgamento teve a participação dos Desembargadores ANTÔNIO CARLOS MALHEIROS (Presidente) e LEONEL COSTA. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRATICA REGISTRADO(A) SOB N í um! mil mu um mu um um mu m m *03417005* Vistos, relatados e discutidos estes

Leia mais

Nº 2324/2014 - ASJTC/SAJ/PGR

Nº 2324/2014 - ASJTC/SAJ/PGR Nº 2324/2014 - ASJTC/SAJ/PGR Suspensão de Liminar nº 764/AM Relator: Ministro Presidente Requerente: Estado do Amazonas Requerido: Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas Interessado: Ministério Público

Leia mais

AC no 001.2010.024808-5/001 1

AC no 001.2010.024808-5/001 1 1 Poder Judiciário da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL No 001.2010.024808-5/001 - CAMPINA GRANDE RELATOR: Juiz Marcos

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. Gabinete da Desembargadora Elizabeth Maria da Silva

PODER JUDICIÁRIO. Gabinete da Desembargadora Elizabeth Maria da Silva APELAÇÃO CÍVEL Nº 481605-21.2009.8.09.0143 (200994816057) COMARCA DE SÃO MIGUEL DO ARAGUAIA 4ª CÂMARA CÍVEL APELANTES : ADEMIR CARDOSO DOS SANTOS E OUTRA APELADO : MINISTÉRIO PÚBLICO RELATOR : Juiz SÉRGIO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL C O N C L U S Ã O Nesta data, faço os autos conclusos ao MM. Juiz Federal Substituto, nesta 15ª Vara, Dr. Eurico Zecchin Maiolino. São Paulo,...Eu,..., Analista Judiciário 15ª Vara Cível Processo nº 2009.61.00.010245-7

Leia mais

Ordem dos Advogados do Brasil Seção do Estado do Rio de Janeiro Procuradoria

Ordem dos Advogados do Brasil Seção do Estado do Rio de Janeiro Procuradoria EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA A ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL SEÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, serviço público independente, dotado de personalidade jurídica e forma

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA APELAÇÃO CÍVEL N. 001.2008.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA APELAÇÃO CÍVEL N. 001.2008. Ntátuald, TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA - APELAÇÃO CÍVEL N. 001.2008.012051-0/002, ORIGEM :Processo n. 001.2008.012051-0 da 3 a Vara

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Presidência da Seção de Direito Público

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Presidência da Seção de Direito Público Registro: 2011.0000045096 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0589042-57.2010.8.26.0000, da Comarca de Bragança Paulista, em que é apelante ANDRÉ BUENO DE CAMARGO sendo apelado

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL N. 283218-56.2009.8.09.0015 (200992832187) COMARCA DE AURILÂNDIA APELANTE

APELAÇÃO CÍVEL N. 283218-56.2009.8.09.0015 (200992832187) COMARCA DE AURILÂNDIA APELANTE APELAÇÃO CÍVEL N. 283218-56.2009.8.09.0015 (200992832187) COMARCA DE AURILÂNDIA APELANTE : MUNICÍPIO DE AURILÂNDIA APELADA : GERALDA GUILHERMINA DE JESUS RELATOR : DES. ROGÉRIO ARÉDIO FERREIRA RELATÓRIO

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA. Acorda a Segunda Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraiba, por unanimidade, DAR PROVIMENTO AO RECURSO

ESTADO DA PARAÍBA. Acorda a Segunda Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraiba, por unanimidade, DAR PROVIMENTO AO RECURSO r rtl (4:, -,iaáro ESTADO DA PARAÍBA al 4. ' PODER JUDICIARIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Desembargador 1891 iiriír7v Marcos Cavalcanti J 0-"LT-Irj de Albuquerque ri bile: ACÓRDÃO N 001 2006 028 192-8/002

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE 10ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE NATAL

PODER JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE 10ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE NATAL \d \w1215 \h1110 FINCLUDEPICTURE "brasoes\\15.bmp" MERGEFORMAT PODER JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE 10ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE NATAL Processo n. 001.08.020297-8 Ação: Ação Civil Pública Autor: Ministério

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DA COMARCA DE CAMPO LARGO PARANÁ

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DA COMARCA DE CAMPO LARGO PARANÁ EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DA COMARCA DE CAMPO LARGO PARANÁ O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ, por sua Promotora de Justiça que ao final assina, nos autos de Ação

Leia mais

AUTOR : ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL/OAB SEÇÃO DE PE E OUTRO. Objetos: 01.04.08.07 Telefonia Concessão/Permissão/Autorização Serviços Administrativo

AUTOR : ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL/OAB SEÇÃO DE PE E OUTRO. Objetos: 01.04.08.07 Telefonia Concessão/Permissão/Autorização Serviços Administrativo 0019828 49.2011.4.05.8300 Classe: 1 AÇÃO CIVIL PÚBLICA AUTOR : ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL/OAB SEÇÃO DE PE E OUTRO ADVOGADO: PAULO HENRIQUE LIMEIRA GORDIANO RÉU: TIM NORDESTE TELECOMUNICACOES S.A. E

Leia mais

D E C I S Ã O. Vistos.

D E C I S Ã O. Vistos. D E C I S Ã O Vistos Trata-se de mandado de segurança impetrado pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos ECT pretendendo a concessão de liminar nas modalidades initio litis e inaudita altera pars

Leia mais

VISTOS, relatados e discutidos estes autos, em que são partes as acima identificadas: RELATÓRIO

VISTOS, relatados e discutidos estes autos, em que são partes as acima identificadas: RELATÓRIO ESTADO DA PARAÍBA 21 PODER JUDICIÁRIO 1 Apelação Cível n. 888.2002.014.833-4/001 Relator: Des. Luiz Silvio Ramalho Júnior Apelante: GM Factoring Sociedade de Fomento Comercial Ltda Advogada: Maria Irinea

Leia mais

AÇÃO CIVIL PÚBLICA CONSUMERISTA com pedido de liminar

AÇÃO CIVIL PÚBLICA CONSUMERISTA com pedido de liminar Exmo. Sr. Dr. Juiz de Direito da Empresarial da Comarca da Capital Vara Banco Bradesco Cartão de crédito Cobrança dos juros de mora duas vezes, em patamares superiores ao limite legal O MINISTÉRIO PÚBLICO

Leia mais

02579887423 MI 4208 MANDADO DE INJUNÇÃO COLETIVO EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

02579887423 MI 4208 MANDADO DE INJUNÇÃO COLETIVO EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL A UNIÃO DOS ADVOGADOS PÚBLICOS FEDERAIS DO BRASIL UNAFE, pessoa jurídica de direito privado, sem fins econômicos, associação civil

Leia mais

F. Tratamento fora do domicílio

F. Tratamento fora do domicílio F. Tratamento fora do domicílio artigos 197 e 198 da Constituição Federal de 1988; Lei Orgânica da Saúde nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, disciplinada pela Portaria Federal nº 055, de 24 de fevereiro

Leia mais

Ministério Público Federal Procuradoria da República em Pernambuco

Ministério Público Federal Procuradoria da República em Pernambuco Procedimento Preparatório n. º 1.26.000.002835/2013-65 Promoção de Arquivamento nº 617-2013/MPF/PRPE/AT PROMOÇÃO Trata- se de proc edimento pre paratório instaurado nesta Procuradoria da Repúb lic a, com

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo fls. 142 Registro: 2014.0000196662 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 2032279-20.2014.8.26.0000, da Comarca de, em que é agravante ENGELUX CONSTRUTORA LTDA.

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça Corregedoria PROVIMENTO Nº 12

Conselho Nacional de Justiça Corregedoria PROVIMENTO Nº 12 Conselho Nacional de Justiça Corregedoria PROVIMENTO Nº 12 O Corregedor Nacional de Justiça, Ministro Gilson Dipp, no uso de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO que durante as inspeções

Leia mais

Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios

Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Órgão 1ª Turma Cível Processo N. Agravo de Instrumento 20130020241390AGI Agravante(s) GOLDEN CROSS ASSISTENCIA INTERNACIONAL

Leia mais

RECOMENDAÇÃO Nº 05/2009

RECOMENDAÇÃO Nº 05/2009 Procedimento Administrativo Tutela Coletiva nº 1.34.030.000124/2009-41 RECOMENDAÇÃO Nº 05/2009 O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, pelo Procurador da República signatário, no uso de suas atribuições constitucionais

Leia mais

CONCLUSÃO Em 04/05/2015, faço conclusão destes autos a MM. Juíza de Direito, Dra. Fernanda Gomes Camacho. Eu,, Escrevente, subscrevi.

CONCLUSÃO Em 04/05/2015, faço conclusão destes autos a MM. Juíza de Direito, Dra. Fernanda Gomes Camacho. Eu,, Escrevente, subscrevi. fls. 1075 CONCLUSÃO Em 04/05/2015, faço conclusão destes autos a MM. Juíza de Direito, Dra. Fernanda Gomes Camacho. Eu,, Escrevente, subscrevi. SENTENÇA Processo nº: 1040391-49.2015.8.26.0100 Classe -

Leia mais

Telefone: 9216-7597 E-mail: andreisaacadv@yahoo.com.br

Telefone: 9216-7597 E-mail: andreisaacadv@yahoo.com.br BREVE RELATÓRIO DAS DEMANDAS (atualizado em 23 de junho de 2009) Processo número: 2008.001.158371-4 Ação: Medida Cautelar Inominada. Partes: Sociedade Brasileira de Cães Pastores Alemães - SBCPA; Confederação

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Tutela antecipada e suspensão da exigibildade do crédito tributário Eduardo Munhoz da Cunha* Sumário:1. Introdução. 2. A possibilidade de concessão de tutela antecipada contra a

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal AÇÃO CÍVEL ORIGINÁRIA 2.166 MATO GROSSO RELATOR AUTOR(A/S)(ES) PROC.(A/S)(ES) RÉU(É)(S) PROC.(A/S)(ES) : MIN. LUIZ FUX :MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO :PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO

Leia mais

Depto de Meio Ambiente

Depto de Meio Ambiente Depto de Meio Ambiente DR - S orocaba Paulo Mendonça Depto Meio Ambiente - Sorocaba Paulo Mendonça Legislação e ISO 14001 Edson Narita Solo Karen Newman - Água Apoio / Cons elheiros Jussara Carvalho Jeferson

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA 1 PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA DECISÃO MONO CRÁTICA APELAÇÃO CÍVEL N" 200.2009.044444-5/001. ORIGEM : 7 Vara Cível da Comarca da

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL DE 1ª INSTÂNCIA

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL DE 1ª INSTÂNCIA DECISÃO Nº : /2013 PCTT: 90.07.00.04 PROCESSO Nº: 12980-94.2013.4.01.3200 CLASSE : 1100 AÇÃO ORDINÁRIA/TRIBUTÁRIA AUTOR : ESTADO DO AMAZONAS RÉU : CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DO AMAZONAS CRF/AM

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 4ª Promotoria de Justiça da Comarca de Parnamirim Defesa da Saúde e Educação

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 4ª Promotoria de Justiça da Comarca de Parnamirim Defesa da Saúde e Educação MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 4ª Promotoria de Justiça da Comarca de Parnamirim Defesa da Saúde e Educação EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA DA FAZENDA PÚBLICA

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores VICE PRESIDENTE (Presidente sem voto), MARIA OLÍVIA ALVES E MARTINS PINTO.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores VICE PRESIDENTE (Presidente sem voto), MARIA OLÍVIA ALVES E MARTINS PINTO. Registro: 2011.0000086162 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0403953-58.2010.8.26.0000, da Comarca de Fernandópolis, em que é apelante PROMOTOR JUSTIÇA VARA INFANCIA E JUVENTUDE

Leia mais

DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL

DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL PROCESSO N.º 0045124-85.2009.8.19.0066 APELANTE: TATIANA PRADO MONTEIRO DA SILVA APELADA: UNIMED VOLTA REDONDA RELATOR: DES. WAGNER CINELLI DE PAULA FREITAS Apelação

Leia mais

. k )1R, ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA QUARTA CÂMARA CINTEL

. k )1R, ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA QUARTA CÂMARA CINTEL 4. k )1R, _ ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA QUARTA CÂMARA CINTEL ACÓRDÃO Processo : N. 001.2006.007851-4/001 Natureza : Agravo de Instrumento Comarca : Campina Grande - Quinta Vara

Leia mais

Nº 70048989578 COMARCA DE PORTO ALEGRE BARBARA DE PAULA GUTIERREZ GOOGLE BRASIL INTERNET LTDA A C Ó R D Ã O

Nº 70048989578 COMARCA DE PORTO ALEGRE BARBARA DE PAULA GUTIERREZ GOOGLE BRASIL INTERNET LTDA A C Ó R D Ã O APELAÇÃO CÍVEL. DIREITO PRIVADO NÃO ESPECIFICADO. SITE DE BUSCA. O trabalho da demandada é tão somente de organizar o conteúdo já existente na internet, cuja elaboração é realizada por terceiros. Ou seja,

Leia mais

WAGNER ADVOGADOS ASSOCIADOS

WAGNER ADVOGADOS ASSOCIADOS Vistos, etc. O ESTADO DO AMAPÁ, por seu procurador, interpôs Agravo de Instrumento, com pedido de efeito suspensivo, contra a decisão do Juízo de Direito da Sexta Vara Cível e de Fazenda Pública da Comarca

Leia mais

OAB 2ª FASE DE DIREITO EMPRESARIAL Profª. Elisabete Vido PEÇA 01

OAB 2ª FASE DE DIREITO EMPRESARIAL Profª. Elisabete Vido PEÇA 01 OAB 2ª FASE DE DIREITO EMPRESARIAL Profª. Elisabete Vido PEÇA 01 (OAB/LFG 2009/02). A sociedade Souza e Silva Ltda., empresa que tem como objeto social a fabricação e comercialização de roupas esportivas,

Leia mais

PROCESSO Nº: 0800340-07.2015.4.05.0000 - AGRAVO DE INSTRUMENTO RELATÓRIO

PROCESSO Nº: 0800340-07.2015.4.05.0000 - AGRAVO DE INSTRUMENTO RELATÓRIO RELATÓRIO O DESEMBARGADOR FEDERAL ÉLIO SIQUEIRA (RELATOR CONVOCADO): Agravo de Instrumento manejado em face da decisão que deferiu o pedido de antecipação dos efeitos de tutela, determinando que a União

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli APELAÇÃO CÍVEL Nº 550822-PE (2001.83.00.010096-5) APTE : INSS - INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL REPTE : PROCURADORIA REPRESENTANTE DA ENTIDADE APDO : LUZIA DOS SANTOS SANTANA ADV/PROC : SEM ADVOGADO/PROCURADOR

Leia mais

Os argumentos expostos pela banca foram: Não cabe mandado de segurança pelas seguintes razões: 1) É inviável a postulação de perdas e danos.

Os argumentos expostos pela banca foram: Não cabe mandado de segurança pelas seguintes razões: 1) É inviável a postulação de perdas e danos. FUNDAMENTOS PARA O CABIMENTO DE MANDADO DE SEGURANÇA NA PROVA DE 2º FASE DE DIREITO CONSTITUCIONAL DO IX EXAME DA OAB. A sempre justa banca de Direito Constitucional cometeu, ao meu ver, um grande equivoco

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 003, de 13 de Abril de 2012. (Publicado no DODF, Nº 78 de 19 de abril de 2012).

RESOLUÇÃO Nº 003, de 13 de Abril de 2012. (Publicado no DODF, Nº 78 de 19 de abril de 2012). RESOLUÇÃO Nº 003, de 13 de Abril de 2012. Disciplina os procedimentos a serem observados nos processos administrativos instaurados pelo prestador de serviços públicos de abastecimento de água e de esgotamento

Leia mais

PROMOÇÃO DE ARQUIVAMENTO

PROMOÇÃO DE ARQUIVAMENTO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 41ª PROMOTORIA DE JUSTIÇA DA COMARCA DE NATAL/RN PROMOÇÃO DE ARQUIVAMENTO Procedimento Preparatório nº 037/09 Assunto: Poluição sonora e outros provocados

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo. Acompanhamento Processual Unificado. Não vale como certidão

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo. Acompanhamento Processual Unificado. Não vale como certidão Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo Acompanhamento Processual Unificado Não vale como certidão Processo: 0019173 17.2015.8.08.0024 Petição Inicial: 201500835324 Situação: Tramitando

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA REGISTRADO(A) SOB N ACÓRDÃO I MUI mil mu mu uni um um imi mi 111 *03043864* Vistos, relatados e discutidos

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL Ng- 018.2006.002439-7/001 (Oriunda da 4fī Vara da Comarca de Guarabira/PB)

APELAÇÃO CÍVEL Ng- 018.2006.002439-7/001 (Oriunda da 4fī Vara da Comarca de Guarabira/PB) ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO DECISÃO APELAÇÃO CÍVEL Ng- 018.2006.002439-7/001 (Oriunda da 4fī Vara da Comarca de Guarabira/PB) RELATOR APELANTE

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL Apelação Cível nº. 0096526-41.2011.8.19.0001 Apelante: Amil Assistência Médica Internacional S/A Apelado: Raul Ricardo Raposo Filho Relator: Des. Elton M.

Leia mais

ok PACIENTE: Antônio Carlos da Silva Felipe

ok PACIENTE: Antônio Carlos da Silva Felipe PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAIBA GABINETE DO DESEMBARGADOR LUIZ SILVIO RAMALHO JÚNIOR ACÓRDÃO HABEAS CORPUS (Processo n 999.2012.001461-11001) RELATOR: Marcos William de Oliveira,

Leia mais

CONHEÇA A VERDADE SOBRE A EC 50

CONHEÇA A VERDADE SOBRE A EC 50 CONHEÇA A VERDADE SOBRE A Porque os interesses de Goiás e do povo goiano estão acima de interesses pessoais e corporativistas. O que é a /2014? É uma Emenda Constitucional, que disciplina a representação

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 119427-CE (0014160-68.2011.4.05.0000) AGRTE : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL AGRDO : CARLOS FLÁVIO OLIVEIRA SILVEIRA ADV/PROC : JOÃO OLIVARDO MENDES ORIGEM : 18ª Vara Federal do Ceará

Leia mais

1 Juiz do Trabalho, titular da 11ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte.

1 Juiz do Trabalho, titular da 11ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte. A contratação de servidores por prazo determinado para atender necessidade temporária de excepcional interesse público e a competência da Justiça do Trabalho. Cleber Lúcio de Almeida 1 I. Constitui objeto

Leia mais

MUNICIPIO DE PORTO ALEGRE A C Ó R D Ã O

MUNICIPIO DE PORTO ALEGRE A C Ó R D Ã O AGRAVO DE INSTRUMENTO. DIREITO PÚBLICO NÃO ESPECIFICADO. ABRIGAMENTO DE CÃES COM PERFIL AGRESSOR SOLTOS OU ABANDONADOS EM VIA PÚBLICA. RESPONSABILIDADE DO MUNICÍPIO. O abrigamento de cães abandonados ou

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2013.0000250943 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0080413-48.2010.8.26.0002, da Comarca de São Paulo, em que é apelante

Leia mais

Sistema Único de Saúde (SUS)

Sistema Único de Saúde (SUS) LEIS ORGÂNICAS DA SAÚDE Lei nº 8.080 de 19 de setembro de 1990 Lei nº 8.142 de 28 de dezembro de 1990 Criadas para dar cumprimento ao mandamento constitucional Sistema Único de Saúde (SUS) 1 Lei n o 8.080

Leia mais

HIDROCEFALIA. LAUDO MÉDICO QUE COMPROVA A NECESSIDADE DO PROCEDIMENTO. DECISÃO DETERMINA A REALIZAÇÃO, SOB PENA DE MULTA

HIDROCEFALIA. LAUDO MÉDICO QUE COMPROVA A NECESSIDADE DO PROCEDIMENTO. DECISÃO DETERMINA A REALIZAÇÃO, SOB PENA DE MULTA DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0022741-44.2014.8.19.0000 AGRAVANTE: MUNICÍPIO DE ARRAIAL DO CABO AGRAVADO: BRYAN RODRIGUES ALVES PINTO REP/S/MÃE NATALY RODRIGUES ALVES DES. RELATOR:

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO

DIREITO ADMINISTRATIVO DIREITO ADMINISTRATIVO PEÇA PROFISSIONAL A administração pública local desencadeou procedimento licitatório, na modalidade de tomada de preços, tendo por objeto a construção de uma ponte de 28 metros.

Leia mais

ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA REGISTRADO(A) SOB N *02921223* Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento

Leia mais

Caso prático V exame de ordem unificado

Caso prático V exame de ordem unificado Caso prático V exame de ordem unificado Em 19 de março de 2005, Agenor da Silva Gomes, brasileiro, natural do Rio de Janeiro, bibliotecário, viúvo, aposentado, residente na Rua São João Batista, n. 24,

Leia mais