ATA DA 3ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ATA DA 3ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO - 2006"

Transcrição

1 ATA DA 3ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO Atuação: GEC E GET's 1 A 6 Av. Nações Unidas, 7163 térreo Tel.: Data: 14/02/2006 Horário: 09h00 às 17h00 Local: GET 3 PRESENTES: SESMT: Sindviarios: Engª Maria de Fátima G.de Macedo, Carlos A. B. Souza e Engº Franklim Nanfal Alfredo Colleti CIPA: Pres. Osmar Torres GET 1 Frank M. Morimitsli e Luiz Claudio da Silva GET 2 Ivo Lopes de Oliveira GET 3 Maurilio Gomes dos Reis, Alvaro de Jesus L. Godarh GET 4 Robson William Lorono e Milton Ricoy GET 5 Marcos Mattos T. Pinto GET 6 Emerson Luiz Micossi e Keigo M Tanabe GEC Edson dos Santos Nunes Foram apresentados os seguintes itens de pauta abaixo: 1-SIPAT 2-Campanha do 1 Semestre Segurança no Trajeto Segurança no Lar Direção Segura dos Motociclistas. 3- Data Para entrega dos Mapas de Risco 14/03/06 4- Agressão a Poi s 5-Levantamento de Profissionais com LER (Lesão de Esforços Repetitivos) 6-Procedimentos de Abertura do CRA 7-Pendências das 1ª e 2ª reuniões 8-Qualidades das luvas dos Motociclistas 9-Integração da CIPA CET-SP com outras empresas de Transito 10-Comissões Gerais 11-Mobiliário 12-Grau de Risco (FUNDACENTRO) 1

2 O cipeiro Robson agradece a presença do representante do Sindviarios Sr Alfredo Colleti, ressaltando que o apoio do Sindicato é fundamental na solução de diversos problemas pertinentes a segurança dos trabalhadores da empresa. O Sr Alfredo Colleti informa que pelo Sindicato está liberado a utilização do quadro e espaço junto a informativo, espaço para divulgar informações que a CIPA julgue importante para os trabalhadores. Dando inicio aos trabalhos, o Presidente da CIPA solicita aos demais cipeiros que informem as necessidades de cada área para conhecimento e debate junto a esta comissão. GET 1 Porta corta - fogo O cipeiro Frank informa que a porta corta-fogo do 1 Sub-solo do prédio da Bela Cintra se encontra com a dobradiça quebrada, tendo risco de acidente. Ar-condicionado Luiz Cláudio pede para que seja feita verificação do Ar-condicionado, pois faz muito barulho, Robson informa que este problema já é perdura desde a CIPA anterior. FUMODROMO: Comunica ainda, que funcionários estão fumando em locais impróprios, Robson complementa que na gestão anterior da CIPA este assunto foi discutido a pedido do Presidente do CRE Sr Morais, principalmente no 1º subsolo onde há departamentos que não possuem ventilação adequada e nem local apropriado para fumantes. DEC CENTRO. Foi comentado a respeito da Dec Centro de que o lavatório se encontra quebrado desde 2004 aguardando uma solução para esta situação. Extintores; foi questionada a necessidade de reposição de extintores sobressalentes vencidos. O técnico de Segurança Carlos do DSI informa que as responsabilidades dos extintores são as seguintes; VTR: Predial; Sobressalente: GAF DSI. Área Foi solicitado ainda, a Dedetização e Desratização no Pat Rangel. GET 2 2

3 Protetor solar: O cipeiro Ivo comenta a falta de protetor solar, os poucos que vieram estão a disposição para uso dos operadores do turno 2, há casos de suspeita de câncer de pele. Os cipeiros Milton Ricoy e Robson ressaltaram que é comum a falta deste e outros EPIS, questiona-se a necessidade de haver um plano de reposição preventiva dos mesmos visando resguardar a saúde dos funcionários. Ventilação Dec FL: Ivo informa ainda, calor intenso junto a Dec FL, necessitando mais ventilação no local, conforme estudo a ser efetuado. Foi sugerido reforma nos vestiários, devido necessidade constatada no local. Dedetização: Ivo informa que a ultima Dedetização efetuada não foi satisfatória, sendo necessário efetuar nova Dedetização no local. Marina comenta que o D S A esclareceu que nesta época de chuvas o trabalho de Dedetização fica prejudicado e assim que as chuvas diminuírem a situação tende a melhorar. GET 3 Foi dada a palavra ao Sr Paulo Cardone do DPO da GET 3, onde o mesmo ressaltou a importância da soluções caseiras e sua disponibilidade de executa-las, e importância da CIPA. A Get 3 tem cerca de 350 funcionários e para que estes funcionários possam trabalhar com maior segurança possível os mesmos se utilizam na maioria das vezes a caixa de soluções caseiras e que este espírito de soluções caseiras é o que permeia toda a empresa. Foi informado ainda pelo Sr Paulo Cardone que foi a contento a chegada da VTR especifica para a montagem e desmontagem da reversível. Ressalta ainda, que a idade da frota em média é de 12 anos, mas o pessoal é muito bem capacitado e consegue dirigir apesar do desgaste das VTRs. O Sr Paulo Cardone afirma que no que puder estará contribuindo com a CIPA e estará sempre a disposição. Dando prosseguimento aos informes da GET 3: Sala de Palm, BAC e AIP: O cipeiro Maurílio informa que na sala do Palm, BAC, AIP, o calor é intenso sendo necessário melhorar a ventilação no local. Foram adquiridos dois ventiladores de teto, ocorre que devido a posição dos mesmos ser muito baixa é passível de risco 3

4 de acidentes, sendo necessário a adoção de um sistema de ventilação mais adequado, no qual se sugere o ar-condicionado. Dedetização: O cipeiro Álvaro ressalta a necessidade de Dedetização em toda a GET. Iluminação junto ao Pátio e instalações elétricas: O cipeiro Maurílio informa que foi solicitado visita de uma equipe de eletricistas para verificar a iluminação junto ao Pátio e verificar as instalações elétricas. Maurílio informa que foi efetuada pelo DPO a limpeza junto ao pátio do estacionamento e a reposicionamento de materiais de sinalização e outros. GET 4 Luva motociclista: O cipeiro Robson informa que foi procurado por diversos operadores sobre a qualidade do EPI luva de motociclistas o qual traz este assunto para debate junto a CIPA. Intercambio entre as CIPAS (CET Santos, Campinas, DET Praia Grande e outros) Robson informa que esteve em visita junto a CET Santos onde esteve em contato com o SESMT, visando a troca de experiências e modelos de operação no transito no âmbito da prevenção de acidentes. Convite: Neste sentido está sugerindo que seja efetuado convite para membros da CIPA daquela empresa para participarem de reuniões da CIPA CET SP e vice versa e que este intercambio e troca de experiências seria de suma importância para a prevenção de acidentes nas tarefas executas na operação. Desta forma se coloca a disposição para contribuir neste debate e sugere que se efetuem contatos com CIPAS de empresas que atuam no segmento de transito tais como as empresas acima relacionadas para troca de experiências. Encontro de cipeiros de empresas no segmento de transito: Robson informa ainda, que esteja no Sindviários e propôs que seja efetuado um encontro entre cipeiros ou um Seminário de Saúde e Segurança também no intuito da troca de experiências, ressaltando que o apoio do Sindviários é fundamental no sucesso deste projeto. Enquadramento de Risco: Robson argumenta da necessidade de buscarmos o FUNDACENTRO com o objetivo de discutirmos novo enquadramento de risco, atualmente estamos no grau de risco2 (auxiliar de escritório) e devemos buscar avançar pelo menos para o grau de risco 3. Atualmente pelo grau de risco 2 deveríamos ter 05 técnicos de segurança e 1 engenheiro e no grau de risco 3 passaríamos para 08 técnicos e 02 4

5 engenheiros de segurança, alem de outros itens de importância tais como o plantão de um enfermeiro semanalmente nos locais de trabalho entre outros. O Engº Flanklim esclareceu a respeito deste iten que o enquadramento de risco na empresa, do ponto de vista jurídico está correto, ressaltando de que estudos visando alteração de mesmo serão efetuados e implantados desde de que a lei assim o permita. Robson solicita o apoio do Sindviários e demais órgão de representação para juntamente com o SESMT participarem desta discussão e encaminhamentos no sentido de buscarmos uma solução definitiva para esta questão. Mobiliário Inadequado: Robson informa que encaminho junto a CIPA por solicitação de vistoria junto as obras do túnel Maria Maluf, tendo em vista dificuldades na montagem da reversível em face das obras no local e do risco a segurança dos técnicos encarregados de efetuar esta tarefa. Com relação aos materiais utilizados na montagem da reversível (cones e outros) após conversa com o encarregado da DEC tomou conhecimento de que a obra havia sido suspensa por alguns dias até que fosse providenciados por parte da empresa encarregada da obra no local, os EPI adequados a tarefa, resguardando a segurança dos funcionários. Levantamento situação de risco referente ao mobiliário: Robson sugere que seja efetuado tanto na GET 4 como nas outras área abrangida pela CIPA operação, sugestão esta estendida para os trabalhadores abrangidos pela CIPA Marques, de que seja efetuado um levantamento dos funcionários que se utilizam com maior freqüência dos Micros e por este motivo estariam mais expostos a doenças ocupacionais decorrentes tais como LER ou DORT. Desta forma e após o levantamento proposto a empresa poderia estar priorizando a aquisição de mobiliário ergonômico e outros itens de segurança para estes profissionais evitando desta forma prejuízo a saúde dos mesmos. Quadro da CIPA: Robson comenta a falta de visibilidade onde atualmente se encontra o quadro de aviso da CIPA localizado junto ao corredor de acesso aos vestiários, onde nem todos os trabalhadores têm acesso por não transitarem costumeiramente pelo local, desta forma recomenda estudos para um local mais adequado. Banheiro masculino: Robson entrou em contato com o DPO e solicitou uma maior periodicidade na utilização da VAP para lavar o banheiro masculino junto aos chuveiros, pois houve reclamações de diversos funcionários quanto à falta de higiene no local. Ventilação inadequada na Dec Ipiranga: Robson ressalta a necessidade de uma ventilação adequada junto a Dec Ipiranga devido ao calor intenso no local. Pedra Azul: 5

6 Robson comenta o risco existente de queda de arvores no local e a necessidade de poda das mesmas. DCS 4 Robson reitera com urgência avaliação nas instalações do DCS 4 em face das rachaduras existentes no local e alerta para o risco grave de acidente junto ao grupo gerador diessel (GGD) existente no DCS 4 devido a falta de um dique de contenção e outros fatores de risco a ser avaliado pelo SESMT no local. Faixas de Pano: Robson informa que a CI 221/05 do DSI alerta para o risco dos trabalhadores da operação efetuarem esta tarefa e solicita para o Presidente da CIPA que este efetue reunião com a SET a este respeito. Cambão: A novas viaturas recém adquiridas pela empresa estão com o cambão posicionado de modo a causar risco em caso de colisão na traseira e solicita ainda a Sr Presidente da CIPA que verifique junto a GAF como ficara esta situação, ressaltando que este assunto se encontra pendente desde a gestão anterior. Cavaletes: Robson ressalta a necessidade de uma padronização do peso dos mesmos, pois conforme avaliação efetuada na gestão passada por ele e os cipeiros Leal e Milton com encaminhamento junto ao DSI e representações, o peso inadequado dos cavaletes pode vir a causar prejuízos à saúde dos funcionários que se utilizam desta para suas tarefas rotineiras tais como canalizações, bloqueios, etc. Deste modo esta sugerindo que quando da aquisição ou doação destes materiais, estes sejam dentro de um padrão onde o peso não seja demasiado e não afete a saúde dos trabalhadores. Acompanhamento do DSI para Mapeamento de Risco: Foi sugerido ainda, que o DSI acompanhe a execução do Mapeamento de Riscos juntamente com o cipeiro da área. Pequenos reparos de manutenção predial: O cipeiro Milton Ricoy argumenta que na GET 4, através da luta dos cipeiros desta área na gestão anterior da CIPA,conquistamos que um funcionário da GET fosse deslocado para efetuar manutenção, na figura de uma espécie de zelador, o que tem contribuído na agilidade e solução de pequenos problemas desta forma contribuindo para redução de custos de manutenção Deste ponto em diante a ata passa a ser secretaria pelo cipeiro Nunes e dando prosseguimento conforme descrito abaixo: GET 5 6

7 1 Relógio de ponto da operação quebrado fazendo que os funcionários atravessem avenida, gerando perigo de acidente e atropelamento, não possui para-raio.solicita-se aterramento. 2 Numero administrativo existe uma ponte de madeira inteirada,é solicitado a remoção da mesma 3 Banheiro masculino sem porta das divisórias 4 Dedetização urgente 5 Reforma da Dec da capela do socorro urgente 6 Concerto da caixa d água 7 Implantação de pára-raios 8 Quando fizer reforma colocar tela contra insetos nas portas e janelas e capinar o mato no local GET 6 PAT Castelo (Keigo) 1 Compra capa para os bancos das VTRS, impermeáveis 2 Problema de goteira no administrativo 3 Limpeza dos vestiários aos finais de semana verificar o contrato 4 Problemas com o palm, gera muito stress. Solicita efetuar estudos mais adequados e analisar se o sistema é operacionalmente viável. Alfredo informou que o ministério publico intimou o presidente do sindicato,pois o mesmo abrirá uma sindicâncias 5 Instalação de cabines e banheiros e os endereços a serem passados para presidência 6 Acompanhamento da CIPA e do SESMT na elaboração do novo pátio PAT Tatuapé (Emerson) 1 o tempo muito demorado para efetuarem a rendição dos funcionários para irem ao banheiro,ou o QAR até a 4:00 horas. 2 Caixas de ferramentas para os guincheiros, seja completada com as ferramentas faltantes, e no guinchos novos fazer um quadro 7

8 3 Capacete para os guincheiros, fazer um estudo para um de menor volume. Será marcada uma data entre o SESMT e o cipeiro para fazer um relatório em conjunto sobre o risco da função no dia 21/02/06 as 10:00h, com o gestor da área. O cipeiro Emerson solicita: * Elaboração do POP p/ os guincheiros * Calço para os guinchos será feito uma solicitação pelo SESMT * Liberação do cipeiro Emerson para o acompanhamento dos guincheiros, junto com o SESMT. * As carretas de sinalização, precisam ser feitas uma revisão na GAF, para voltarem a atividades GEC (Nunes e Alfredo) Questionaram O SESMT sobre a possibilidade de alteração da carga horária para 220horas, e se teria uma data para isto. Quanto aos Pac Paulista, Matarazzo e Jaguaré, será encaminhado ao SESMT e a CIPA, a comissão de segurança exigida pelo DRT Vacinação foi encaminhada Foi questionado se os cipeiro em férias poderiam ou não participar das reuniões da CIPA,, e o SESMT ficou de trazer um parecer sobre este assunto para a próxima reunião. Não havendo nada mais a tratar, o Presidente declara encerrada a reunião da CIPA Operação, onde a presente reunião foi secretaria pelo 1º Secretário Sr Robson Willian Lorono e o 2º Secretário Sr Edson dos Santos Nunes, os quais lavraram a presente ata a qual será assinada por ambos e pelo Presidente da Comissão após a sua aprovação. ORIGINAL ASSINADO Osmar Torres Presidente CIPA Operação ORIGINAL ASSINADO ORIGINAL ASSINADO Robson Willian Lorono Edson dos Santos Nunes 1º Secretário 2º Secretário 8

ATA DA 6ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO - 2006

ATA DA 6ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO - 2006 ATA DA 6ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO - 2006 Atuação: GEC E GET's 1 A 6 E-mail: cipao@cetsp.com.br Av. Nações Unidas, 7163 térreo Tel.: 3030-2444 Data: 09/05/2006 Horário: 09h00 às 17h00 Local:

Leia mais

ATA DA 5ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO 2006

ATA DA 5ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO 2006 ATA DA 5ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO 2006 Atuação: GEC e GET s 1 a 6 e-mail: cipao@cetsp.com.br Av. Nações Unidas, 7163 térreo Tel. 3030-2444 Data: 11/04/2006 Horário: 09h00 às 17h00 Local: GET

Leia mais

ATA DA 3ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO 2006/2007 Atuação: GETs 1,2,3,4,5,6, GEC, GES Site: Intranet Representação - Cipa

ATA DA 3ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO 2006/2007 Atuação: GETs 1,2,3,4,5,6, GEC, GES Site: Intranet Representação - Cipa ATA DA 3ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO 2006/2007 Atuação: GETs 1,2,3,4,5,6, GEC, GES Site: Intranet Representação - Cipa Data:08/02/07 HORÁRIO: 09H00 17H00 LOCAL (fixo toda segunda 5ª feira do mês):

Leia mais

Companhia de Engenharia de Tráfego

Companhia de Engenharia de Tráfego ATA DA 1ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO 2006/2007 Atuação: GETs 1,2,3,4,5,6, GEC, GES Endereço: Av. das Nações Unidas, 7163 - térreo Fone: 3030.2444 E-mail: Site: Intranet Representação - Cipa Data:14/12/06

Leia mais

Companhia de Engenharia de Tráfego

Companhia de Engenharia de Tráfego ATA DA 4ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO 2006/2007 Atuação: GETs 1,2,3,4,5,6, GEC, GES E-mail: Site: Intranet Representação - CIPA Data:08/03/07 HORÁRIO: 09H00 17H00 LOCAL (fixo toda segunda 5ª feira

Leia mais

ATA DA 4ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA MSV 2006/2007

ATA DA 4ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA MSV 2006/2007 ATA DA 4ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA MSV 2006/2007 Atuação: Administrativo e Sinalização e-mail: Av. Nações Unidas,7163 térreo Tel.: 3030-2444 Data: 09/03/2007 Horário: 9h00 às 17h00 Local: ET Sala E-10

Leia mais

ATA DA 5ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA MSV 2006

ATA DA 5ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA MSV 2006 ATA DA 5ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA MSV 2006 Atuação: Administrativo e Sinalização e-mail: cipam@cetsp.com.br Av. Nações Unidas,7163 térreo Tel.: 3030-2444 Data: 13/04/2006 Horário: 9h00 às 17h00 Local:

Leia mais

ATA DE REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA

ATA DE REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA Aos vinte e sete dias do mês de dezembro do ano de dois mil e seis, às quatorze horas e treze minutos, na empresa Associação de Ensino Superior de Nova Iguaçu, sediada na Acidentes, registrada na delegacia

Leia mais

COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL

COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL Roteiro para montagem de um Plano Preventivo de Defesa Civil Apresentamos o presente roteiro com conteúdo mínimo de um Plano Preventivo de Defesa Civil ou Plano de

Leia mais

Manual de Segurança e higiene do trabalho Procedimento para CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

Manual de Segurança e higiene do trabalho Procedimento para CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes Revisão: 00 Folha: 1 / 10 1. Definição CIPA Acidente 2. Objetivo A CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho

Leia mais

PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS

PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS PLANO DE EMERGÊNCIA CONTRA INCÊNDIO de acordo com o projeto de norma nº 24:203.002-004 da ABNT ( setembro 2000 ) 1 Objetivo 1.1 Estabelecer

Leia mais

INSTRUÇÕES BÁSICAS P ARA A ELABORAÇÃO DE MAPA DE RISCOS. Dilaine RS Schneider SESMT/UNICAMP. Maurício Gervanutti SESMT/UNICAMP

INSTRUÇÕES BÁSICAS P ARA A ELABORAÇÃO DE MAPA DE RISCOS. Dilaine RS Schneider SESMT/UNICAMP. Maurício Gervanutti SESMT/UNICAMP INSTRUÇÕES BÁSICAS P ARA A ELABORAÇÃO DE MAPA DE RISCOS Dilaine RS Schneider SESMT/UNICAMP Maurício Gervanutti SESMT/UNICAMP 2014 1. INTRODUÇÃO Com o decorrer do tempo e os avanços tecnológicos tornando

Leia mais

Segurança do Trabalho

Segurança do Trabalho Segurança do Trabalho CEUNES / UFES Prof. Manuel Jarufe Introdução à Segurança do Trabalho O que é a função Segurança do Trabalho? Segurança do trabalho pode ser entendida como os conjuntos de medidas

Leia mais

Cronograma de Atividades CIPA GESTÃO 2012-2013

Cronograma de Atividades CIPA GESTÃO 2012-2013 Julho/2012 Cronograma de Atividades CIPA GESTÃO 2012-2013 Slogan: Segurança se faz com Educação MÊS Atividades * Reunião Ordinária e Posse da CIPA: 06/07/2012 * Implantação da Urna de Sugestões da CIPA.

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DOM PEDRO II Cursos: Administração Ciências Econômicas Engenharia Civil Arquitetura e Urbanismo São José do Rio Preto SP.

FACULDADES INTEGRADAS DOM PEDRO II Cursos: Administração Ciências Econômicas Engenharia Civil Arquitetura e Urbanismo São José do Rio Preto SP. FACULDADES INTEGRADAS DOM PEDRO II Cursos: Administração Ciências Econômicas Engenharia Civil Arquitetura e Urbanismo São José do Rio Preto SP. CURSO: ENGENHARIA CIVIL Disciplina: HIGIENE E SEGURANÇA DO

Leia mais

SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL. Indústria da Panificação

SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL. Indústria da Panificação SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL Indústria da Panificação PROGRAMAÇÃO: Palestra Segurança Geral - SESI - Segurança do Trabalho; - Riscos Ambientais e Acidentes do Trabalho; - PPRA/PCMSO; - Normas regulamentadoras;

Leia mais

Manual de Segurança e Saúde do Trabalho

Manual de Segurança e Saúde do Trabalho Manual de Segurança e Saúde do Trabalho 1 INTRODUÇÃO A política de recursos humanos da Toledo do Brasil abrange as áreas de recrutamento, seleção, treinamento e desenvolvimento de pessoal; administração

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil Jaime Junior dos Santos Aes Sul Distribuidora Gaúcha de Energia jaime.santos@aes.com

Leia mais

CIPA GESTÃO 2013/2014

CIPA GESTÃO 2013/2014 HOSPITAL SÃO PAULO-SPDM Mapa de Risco da Empresa: Questionário auxiliar para elaboração do Mapa de Riscos Mapa de Risco é uma representação gráfica de um conjunto de fatores presentes nos locais de trabalho,

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO SETIN ENGENHARIA

SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO SETIN ENGENHARIA SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO / QSMS SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO SETIN ENGENHARIA JORGE LUÍS DE DEUS PINTO TATIANA TAVARES HORIBE VANDERSON ALVES RIBEIRO Sumário Missão da Diretoria

Leia mais

Técnico de Segurança do Trabalho

Técnico de Segurança do Trabalho SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos Concurso Público para Técnico-Administrativo em Educação 02

Leia mais

DICAS DE SEGURANÇA NA OBRA

DICAS DE SEGURANÇA NA OBRA ASSOCIAÇÃO DOS CONSTRUTORES E INCORPORADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE CAPÃO DA CANOA DICAS DE SEGURANÇA NA OBRA Profissional qualificado e registrado operando o Guincho ( com certificado); Profissional qualificado

Leia mais

LEVANTAMENTO DE PERIGOS E DANOS E AVALIAÇÃO DE RISCOS

LEVANTAMENTO DE PERIGOS E DANOS E AVALIAÇÃO DE RISCOS fl. de 7 Endereço Local Aprovado Data Rev. UNIOP-SP Av. Paulista, 06 São Paulo SP 9º, 5º, 7º e 8º andares JMn (SESMS) 0/08/ C Atividade Perigo Dano (Todas) Agressão Física Assédio Discriminação Energizadas

Leia mais

Gerenciamento de Obras. Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões

Gerenciamento de Obras. Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões Gerenciamento de Obras Prof. Dr. Ivan Xavier Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões Fases do Gerenciamento: 3. Operação e controle da obra. 3. Operação e controle da obra: Reunião de partida da obra;

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO DE SEGURANÇA

ORDEM DE SERVIÇO DE SEGURANÇA 1 ORDEM DE SERVIÇO DE SEGURANÇA NOME DO FUNCIONÁRIO MATRÍCULA CPF DEPARTAMENTO SIGLA ATIVIDADE DESENVOLVIDA MOTORISTA DE VEÍCULOS DESCRIÇÃO SUMÁRIA Dirigir e/ou operar veículos leves e pesados, transportando

Leia mais

ALUNO: C I P A C o m i s s ã o I n t e r n a d e P r e v e n ç ã o d e A c i d e n t e s

ALUNO: C I P A C o m i s s ã o I n t e r n a d e P r e v e n ç ã o d e A c i d e n t e s 1 Consultoria e Assessoria em Segurança e Medicina do Trabalho Ltda. Visite nosso site: www.cipamed.com e-mail: cipamed@cipamed.com cipamed@uol.com.br ALUNO: Matriz: Av. Humaitá, 420 - Zona 04 - Maringá

Leia mais

5.5.4 Para cada eleição deverá haver uma folha de votação que ficará arquivada na empresa por um período mínimo de 3 (três) anos.

5.5.4 Para cada eleição deverá haver uma folha de votação que ficará arquivada na empresa por um período mínimo de 3 (três) anos. NR 5 5.1 As empresas privadas e públicas e os órgãos governamentais que possuam empregados regidos pela ConsoIidação das Leis do Trabalho - CLT ficam obrigados a organizar e manter em funcionamento, por

Leia mais

ORDEM DE SERVICO nº 4-2011/PR Unidade Transporte Função: MOTORISTA

ORDEM DE SERVICO nº 4-2011/PR Unidade Transporte Função: MOTORISTA ORDEM DE SERVICO nº 4-2011/PR Unidade Transporte Função: MOTORISTA O Instituto de Assistência dos Servidores Públicos do Estado de Goiás - IPASGO, C.N.P.J. 01.246.693/0001-60, em cumprimento às determinações

Leia mais

CATÁLOGO 2013 PLACAS DE SINALIZAÇÃO CONSTRUÇÃO CIVIL INDÚSTRIAS

CATÁLOGO 2013 PLACAS DE SINALIZAÇÃO CONSTRUÇÃO CIVIL INDÚSTRIAS CATÁLOGO 2013 rev. 01 PLACAS DE SINALIZAÇÃO CONSTRUÇÃO CIVIL INDÚSTRIAS Um dos fatores responsáveis pela causa de grande parte dos acidentes é a falta de sinalização disponível sobre os locais que oferecem

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS 1) OBJETO 1.1) As diretrizes aqui apresentadas tem o objetivo de instruir as empresas contratadas pela, UNILA, quanto

Leia mais

Encarregado. Encarregado e Eletricistas

Encarregado. Encarregado e Eletricistas 1/11 Passo 01: Receber a ordem de serviço e formulário de preenchimento dos serviços executados. Passo 02: Planejar a execução da tarefa: - Separar materiais e ferramentas necessários para a execução da

Leia mais

MédioTécnico ( ) Técnico Modular ( )

MédioTécnico ( ) Técnico Modular ( ) Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) MédioTécnico ( ) Técnico Modular ( ) Graduação (x) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso Tecnologia em Processos Químicos Disciplina HIGIENE, SEGURANÇA

Leia mais

DATA HORA LOCAL PARTICIPANTES

DATA HORA LOCAL PARTICIPANTES ATA DE REUNIÃO DATA: 27 de março de 2012 HORA: 14:30 horas LOCAL: Promotoria de Justiça da Cidadania PARTICIPANTES: Dra. Maria Pilar Cerqueira Maquieira Menezes, Promotora de Justiça, a Diretora do Centro

Leia mais

Procedimento de Segurança para Terceiros

Procedimento de Segurança para Terceiros Página 1 de 6 1. OBJETIVO Sistematizar as atividades dos prestadores de serviços, nos aspectos que impactam na segurança do trabalho de forma a atender à legislação, assim como, preservar a integridade

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA DO SERVIÇO AUTÔNOMO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO SAMAE TÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA DO SERVIÇO AUTÔNOMO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO SAMAE TÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA DO SERVIÇO AUTÔNOMO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO SAMAE TÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO CAPÍTULO I DO OBJETIVO Art. 1º O presente Regimento Interno

Leia mais

RES. 227/2010 de 28/12/2010 Título: PROCEDIMENTO PARA OPERAÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL E CHAVE FACA

RES. 227/2010 de 28/12/2010 Título: PROCEDIMENTO PARA OPERAÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL E CHAVE FACA Página: 1/11 DO-OP-01/P-2 1. OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia na operação de chaves fusíveis e chaves facas. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento aplica-se a todas as Empresas

Leia mais

MAPA DE RISCOS CIPA GESTÃO 2013/2014

MAPA DE RISCOS CIPA GESTÃO 2013/2014 Representação dos Riscos: Gradação do Risco: MAPA DE RISCOS CIPA GESTÃO 2013/2014 Risco Físico cor verde Risco Químico cor vermelha Risco Biológico cor marrom Risco Ergonômico cor amarela Risco Mecânico

Leia mais

Mapa de risco do Campus Universitário do Vale do Teles Pires, município de Colider -MT / CIPA - Gestão 2013-2014

Mapa de risco do Campus Universitário do Vale do Teles Pires, município de Colider -MT / CIPA - Gestão 2013-2014 Lab. Informática 2 Estação Digital Sala de aula Sala de aula Sala de aula Sala de aula Sala de aula Lab. Informática 1 Secretaria Financeira Sala de aula Sala de aula Lab. Hardware Sala de aula Sala dos

Leia mais

ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012

ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012 ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012 1.) CONDIÇÕES BÁSICAS 1.1. As empreiteiras que admitam trabalhadores deverão cumprir a Norma Regulamentadora nº

Leia mais

1.1 Segurança do trabalho

1.1 Segurança do trabalho 1.1 Segurança do trabalho A Segurança do Trabalho pode ser entendida como o conjunto de medidas adotadas, visando minimizar os acidentes de trabalho, doenças ocupacionais, bem como proteger a integridade

Leia mais

Saliente-se ainda que toda caldeira somente deverá ser operada por trabalhador habilitado para este fim, devidamente certificado.

Saliente-se ainda que toda caldeira somente deverá ser operada por trabalhador habilitado para este fim, devidamente certificado. Com o objetivo de manter sua empresa informada a respeito das obrigatoriedades legais previstas na atual redação das Normas Regulamentadoras de Segurança e Medicina do Trabalho, Portaria MTE. 3214/78,

Leia mais

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno PPRA MANUAL PRÁTICO PARA ELABORAÇÃO FORMULÁRIO PARA RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Esse Formulário deve ser aplicado

Leia mais

INSTITUTO PRESBITERIANO MACKENZIE

INSTITUTO PRESBITERIANO MACKENZIE PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Mackenzie Campinas Ano: 2015 Razão social: Endereço: Instituto Presbiteriano Mackenzie Avenida Brasil, 1200 Jardim Guanabara - Campinas - SP CNPJ: 60.967.551/0007-46

Leia mais

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE nº 3214/78 Portaria SSST nº 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE nº 3214/78 Portaria SSST nº 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09 - PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS Portaria MTE nº 3214/78 Portaria SSST nº 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09 - ANÁLISE GLOBAL - DESTAQUE AVIAÇÃO AGRÍCOLA LTDA. - SÃO PEDRO DO

Leia mais

Noções de Segurança e Higiene do Trabalho

Noções de Segurança e Higiene do Trabalho Noções de Segurança e Higiene do Trabalho Sinópse Generalidades. Antecedentes Históricos. Conceitos Básicos: - Acidente do Trabalho; - Atividades e Operações Insalúbres; - Riscos Ocupacionais; - Equipamentos

Leia mais

ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS APR PASSO A PASSO DOS PROCEDIMENTOS TÉCNICOS, OPERACIONAIS E DE SEGURANÇA DO TRABALHO

ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS APR PASSO A PASSO DOS PROCEDIMENTOS TÉCNICOS, OPERACIONAIS E DE SEGURANÇA DO TRABALHO 1. Passo Receber a informação sobre a ocorrência do desligamento emergencial da linha de distribuição (despachante); 1.1 de Segurança 1.1 de Segurança 1.1 de Segurança - Uniforme padrão completo; - Radiação

Leia mais

ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS APR PASSO A PASSO DOS PROCEDIMENTOS TÉCNICOS, OPERACIONAIS E DE SEGURANÇA DO TRABALHO

ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS APR PASSO A PASSO DOS PROCEDIMENTOS TÉCNICOS, OPERACIONAIS E DE SEGURANÇA DO TRABALHO 1. Passo Receber o Pedido de Desligamento para execução de trabalhos de manutenção em linhas de distribuição, da área de manutenção e outras áreas da CEB-D, FURNAS, CELG, METRÔ, CAESB, CEB) GERAÇÃO, CORUMBÁ

Leia mais

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. Sindilojas, 24 de julho de 2014

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. Sindilojas, 24 de julho de 2014 Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA Sindilojas, 24 de julho de 2014 Legislação da CIPA Decreto-lei nº 7.036 de 10/11/1944 (Lei de Acidentes do Trabalho): Art. 82. Os empregadores, cujo número

Leia mais

LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO

LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO Conforme NR-10 ACME S.A Ind. Com. 1 de 9 IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO Identificação do Responsável pela Execução do Serviço. Nome: Empresa: Registro: Local de Execução do Serviço.

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA APOIO AO HOMEM DCA 164-1 ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES - CIPA

COMANDO DA AERONÁUTICA APOIO AO HOMEM DCA 164-1 ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES - CIPA COMANDO DA AERONÁUTICA APOIO AO HOMEM DCA 164-1 ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES - CIPA 18 JUN 2002 COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO

Leia mais

Documentos Obrigatórios em UANs

Documentos Obrigatórios em UANs Documentos Obrigatórios em UANs Profa. Ms Kelly Ribeiro Amichi DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Para o funcionamento de uma UAN, existe a documentação obrigatória exigida pela legislação. Essa documentação deve

Leia mais

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar MANUAL DO AVALIADOR Parte I 1.1 Liderança Profissional habilitado ou com capacitação compatível. Organograma formalizado, atualizado e disponível. Planejamento

Leia mais

Constituição da CIPA: 5.2. Devem constituir CIPA, por estabelecimento...

Constituição da CIPA: 5.2. Devem constituir CIPA, por estabelecimento... 1 Modelos de Documentos para a constituição da CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - Data: 02/01/2006. Realização: Gerência de Políticas de Prevenção e Saúde Ocupacional Objetivos da CIPA:

Leia mais

SEGURANÇA na UTILIZAÇÃO de SEGURANÇA NA UTILIZAÇÃO DE PONTES ROLANTES

SEGURANÇA na UTILIZAÇÃO de SEGURANÇA NA UTILIZAÇÃO DE PONTES ROLANTES SEGURANÇA na UTILIZAÇÃO de Objetivos Sensibilizar os operadores de Ponte Rolante quanto à necessidade de neutralizar ao máximo a possibilidade de ocorrência de acidentes. Adotar procedimentos de rotina,

Leia mais

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho 1 0 Dia Realizar a apresentação dos participantes 1. Técnica de Lista de presença; apresentação e O multiplicador

Leia mais

Situação I. Lei. Situação Risco Medidas. preventivas/prevenção. (Tijolos mal

Situação I. Lei. Situação Risco Medidas. preventivas/prevenção. (Tijolos mal Situação I (Tijolos mal posicionados) executa tarefas com uma serra eléctrica; conduz um veículo sem sinalização; (Dum par) Fractura grave a nível da cabeça; Amputação de superiores; Cegueira; Atropelamento;

Leia mais

RELATÓRIO DO ICP 10/2009 (HOSPITAL MATERNO INFANTIL)

RELATÓRIO DO ICP 10/2009 (HOSPITAL MATERNO INFANTIL) RELATÓRIO DO ICP 10/2009 (HOSPITAL MATERNO INFANTIL) OBJETIVO DO ICP : Implantação do programa de saúde ocupacional (Decreto 5.757/2003) para os servidores do Hospital Materno Infantil. Conquistas de 2010

Leia mais

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF A Comissão de segurança do Instituto de Química da UFF(COSEIQ) ao elaborar essa proposta entende que sua função é vistoriar, fiscalizar as condições

Leia mais

ROTEIRO EMPRESA DE CONTROLE DE VETORES E PRAGAS

ROTEIRO EMPRESA DE CONTROLE DE VETORES E PRAGAS ROTEIRO EMPRESA DE CONTROLE DE VETORES E PRAGAS ROTEIRO DE INSPEÇÃO PRESTADORA DE SERVIÇOS / DEDETIZADORAS Data: A - IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA: 1-Razão Social: 2-Nome de Fantasia: 3-Alvará/Licença Sanitária:

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES SEMAP

RELATÓRIO DE ATIVIDADES SEMAP RELATÓRIO DE ATIVIDADES SEMAP 2010 Paulo Cesar Roza da Luz Porto Alegre, dezembro de 2010 ÍNDICE - Introdução... 03 - Atividades realizadas... 04 1) Manutenção... 04 2) Almoxarifado... 06 3) Patrimônio...

Leia mais

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho DISCIPLINA: Prevenção e Controle de Riscos em Máquinas, Equipamentos e Instalações Aula

Leia mais

Este procedimento aplica-se a todas as Empresas de Distribuição da Eletrobras - EDEs em serviços de campo.

Este procedimento aplica-se a todas as Empresas de Distribuição da Eletrobras - EDEs em serviços de campo. Página: 1/8 1. OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia para inspeção de postes em redes de distribuição Rural e Urbana em média e baixa tensão, visando garantir a uniformidade,

Leia mais

NORMA PROCEDIMENTAL SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO E USO DO EPI

NORMA PROCEDIMENTAL SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO E USO DO EPI NORMA PROCEDIMENTAL SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO E USO DO EPI 1. FINALIDADE: Regulamentar a utilização do Equipamento de Proteção Individual EPI, no âmbito do DEMLURB, a fim de proporcionar melhores

Leia mais

NR 4. SESMT Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho. Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978

NR 4. SESMT Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho. Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978 NR 4 SESMT Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978 A Norma Regulamentadora 4, cujo título é Serviços Especializados em Engenharia

Leia mais

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Revisão 02 Manual MN-01.00.00 Requisito Norma ISO 14.001 / OHSAS 18001 / ISO 9001 4.4.4 Página 1 de 14 Índice 1. Objetivo e Abrangência 2. Documentos Referenciados

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda

International Paper do Brasil Ltda International Paper do Brasil Ltda Autor do Doc.: Editores: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Título: Tipo do Documento: SubTipo: Serviços de Limpeza e Disposição

Leia mais

SEGURANÇA NA USP. Faculdade de Ciências Farmacêuticas - USP

SEGURANÇA NA USP. Faculdade de Ciências Farmacêuticas - USP SEGURANÇA NA USP GUARDA Faculdade de Ciências Farmacêuticas - USP MAPAS DE RISCO GUARDA GUARDA MAPA DE RISCO - USP 2011 Esporte para Todos ÁREA F ÁREA B Praça do Relógio ÁREA B1 ÁREA A Portão Fepasa ÁREA

Leia mais

Encarregado e Eletricistas

Encarregado e Eletricistas 1/11 Item: 1 Passo: Planejar Ao tomar conhecimento da Ordem de Serviço o Encarregado deve junto com os eletricistas: - Verificar se o veículo, equipamento e ferramental disponíveis estão em boas condições

Leia mais

TLONAN LOGÍSTICA. PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais. Março de 2016

TLONAN LOGÍSTICA. PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais. Março de 2016 TLONAN LOGÍSTICA PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Março de 2016 T. Lonan Logística LTDA Est. do Lameirão Pequeno, 136 Campo Grande, Rio de Janeiro, RJ Tel.: +55 21 2411-1317 Fax : + 55

Leia mais

NR5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (205.000-5) DO OBJETIVO 5.1 A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho,

Leia mais

INDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS

INDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS Nº PE 4604.52-6270-948-SMS-011 CLIENTE: PROGRAMA: ÁREA: PETROBRAS MODERNIZAÇÃO DO PONTO DE ENTREGA DE ARAÇAS FOLHA 1/12 TÍTULO: ENGENHARIA/IENE /IETEG/CMIPE PLANO DE EMERGÊNCIAS MEDICAS E PRIMEIROS SOCORROS

Leia mais

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA 1/5 I FINALIDADE Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. II ABRANGÊNCIA Todas Prestadoras de Serviços contratadas pela CERON. III PROCEDIMENTOS

Leia mais

Ergonomização na construção civil: constrangimentos posturais e problemas na segurança do trabalho

Ergonomização na construção civil: constrangimentos posturais e problemas na segurança do trabalho 1 1. INTRODUÇÃO Ergonomização na construção civil: constrangimentos posturais e problemas na segurança do trabalho A construção civil é um dos campos de trabalho mais delicados da sociedade, em virtude

Leia mais

Paulo Renato Soares. Palestrante Segurança e Saúde Ocupacional

Paulo Renato Soares. Palestrante Segurança e Saúde Ocupacional Paulo Renato Soares Palestrante Segurança e Saúde Ocupacional Porque é tão importante investir em Segurança e Saúde no Trabalho? 1. Aspecto Econômico Acidentes do Trabalho muitas vezes geram perdas econômicas

Leia mais

CONSELHO DE REPRESENTAÇÃO DOS EMPREGADOS CRE/CET

CONSELHO DE REPRESENTAÇÃO DOS EMPREGADOS CRE/CET RESUMO DA 9ª REUNIÃO DATA: 22/9/2009 RETIFICAÇÃO EM: / / RATIFICAÇÃO EM: / / Foi aprovado em reunião passada, horários para cada parte da reunião convidados das 9h30 às 11h00, café, DR das 11h00 às 12h:00,

Leia mais

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional. Procedimento de Grua

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional. Procedimento de Grua 1) OBJETIVO Este procedimento estabelece os requisitos e condições mínimas objetivando a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores

Leia mais

Ordem de serviço Setor de Segurança e Saúde do Trabalho

Ordem de serviço Setor de Segurança e Saúde do Trabalho Ordem de serviço Setor de Segurança e Saúde do Trabalho Através da presente Ordem de Serviço, objetivamos deixar ciente os profissionais que executam suas atividades laborais neste setor, sobre as condições

Leia mais

CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes DO OBJETIVO A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo

Leia mais

artigos 154 a 159 da Consolidação das Leis do Trabalho CLT. 2 NR-5 - Estruturar, Implantar, Registrar e

artigos 154 a 159 da Consolidação das Leis do Trabalho CLT. 2 NR-5 - Estruturar, Implantar, Registrar e 1 NR-1- Disposição Geral, embasado nos artigos 154 a 159 da Consolidação das Leis do Trabalho CLT. 2 NR-5 - Estruturar, Implantar, Registrar e acompanhar a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA),

Leia mais

PROCEDIMENTO. RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: SUBSTITUIÇÃO DE CONDUTOR DE MÉDIA TENSÃO, EM VÃO DE REDE DESENERGIZADA.

PROCEDIMENTO. RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: SUBSTITUIÇÃO DE CONDUTOR DE MÉDIA TENSÃO, EM VÃO DE REDE DESENERGIZADA. Página: 1/8 1. OBJETIVO Determinar a metodologia para substituição de condutor de média tensão, em vão de rede desenergizada. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento aplica-se a todas as Empresas de Distribuição

Leia mais

BOAS PRÁTICAS GASTO PÚBLICO. FORPLAD Barreiras UNIFESP Universidade Federal de São Paulo Agosto/2015

BOAS PRÁTICAS GASTO PÚBLICO. FORPLAD Barreiras UNIFESP Universidade Federal de São Paulo Agosto/2015 BOAS PRÁTICAS GASTO PÚBLICO FORPLAD Barreiras UNIFESP Universidade Federal de São Paulo Agosto/2015 PRESSUPOSTOS 1. Cenário Econômico/financeiro Governo Federal / MEC; 2. Necessidade de equilíbrio das

Leia mais

Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2

Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2 Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2 Equipamento de Proteção Coletiva (EPC): 2 Áreas vazadas: Equipamento de Proteção Coletiva (EPC) 18.13.1. É obrigatória a instalação de proteção coletiva

Leia mais

CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes Disciplina: Segurança do Trabalho Alunos: Douglas Jeronymo Serra João Longo Profᵃ. Elizabeth Cox História da CIPA A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

Leia mais

PNQS 2014 IGS RDPG PRÊMIO CIPA

PNQS 2014 IGS RDPG PRÊMIO CIPA PNQS 2014 IGS RDPG PRÊMIO CIPA Mudança de cultura na gestão de segurança e saúde por meio do estímulo e reconhecimento das Comissões Internas de Prevenção de Acidentes A. A OPORTUNIDADE A.1 Qual foi a

Leia mais

INSTITUIÇÃO: DATA: RESPONSÁVEL PELA INSPEÇÃO: NOME DO RESP. PELO SERVIÇO;

INSTITUIÇÃO: DATA: RESPONSÁVEL PELA INSPEÇÃO: NOME DO RESP. PELO SERVIÇO; INSTITUIÇÃO: DATA: RESPONSÁVEL PELA INSPEÇÃO: NOME DO RESP. PELO SERVIÇO; Tipo do Serviço: ( ) Próprio ( )terceirizado Nome; Possui Licença sanitária? ( ) SIM ( ) NÃO N /ANO: Há um encarregado do setor

Leia mais

1.PLANO AUTO STANDARD

1.PLANO AUTO STANDARD 1.PLANO AUTO STANDARD 1.1.Definições ACIDENTE/SINISTRO Colisão, abalroamento ou capotagem envolvendo direta ou indiretamente o veículo e que impeça o mesmo de se locomover por seus próprios meios. COBERTURA

Leia mais

PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS MARÇO DE 2013 A MARÇO DE 2014 PPRA NWN Logística LTDA - Aparecida de Goiânia PRRA-2013/2014 Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Atendendo a Lei N

Leia mais

Engenharia de Segurança e Meio Ambiente

Engenharia de Segurança e Meio Ambiente Engenharia de Segurança e Meio Ambiente Introdução A Engemix possui uma equipe de Engenheiros de Segurança e Meio Ambiente capacitada para dar todo subsídio técnico para implantação, operação e desmobilização

Leia mais

Segurança do Trabalho. Papel do Gestor Frente a Prevenção

Segurança do Trabalho. Papel do Gestor Frente a Prevenção Segurança do Trabalho Papel do Gestor Frente a Prevenção Papel do gestor frente a prevenção O gestor é responsavel pela segurança de suas equipes: Integração de novos funcionários Conhecer através da CIPA

Leia mais

Everaldo Baldin. cipa entrevista. 22 cipacaderno informativo de prevenção de acidentes www.cipanet.com.br

Everaldo Baldin. cipa entrevista. 22 cipacaderno informativo de prevenção de acidentes www.cipanet.com.br Everaldo Baldin Prot-Cap: quatro décadas de empreendedorismo PARA EVERALDO BALDIN, O SEGREDO DO SUCESSO DA EMPRESA ESTÁ NA QUALIDADE DO ATENDIMENTO E NO FOCO NO MERCADO DE EPI POR VIVIANE FARIAS redacao6@cipanet.com.br

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda

International Paper do Brasil Ltda International Paper do Brasil Ltda Autor do Doc.: Editores: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Título: Tipo do Documento: SubTipo: Equipamentos de Transporte

Leia mais

CIRCULAR 085/2007 Paranaguá, 29 de maio de 2007.

CIRCULAR 085/2007 Paranaguá, 29 de maio de 2007. Sindicato dos Operadores Portuários do Estado do Paraná Av. Coronel José Lobo, 734 Fone:(41) 3422.8000 Fax: (41) 3423.2834 Paranaguá - PR E-mail: sindop@sindop.org.br - www.sindop.org.br CIRCULAR 085/2007

Leia mais

Corpo de Bombeiros. São Paulo

Corpo de Bombeiros. São Paulo Corpo de Bombeiros São Paulo ACIDENTES E INCÊNDIOS DOMÉSTICOS ADULTOS E IDOSOS Acidentes Os acidentes domésticos são muito comuns. Mesmo com todo o cuidado, há objetos e situações que podem tornar todas

Leia mais

01 - DADOS GERAIS DA EMPRESA 02 - NÚMERO DE TRABALHADORES (AS) DA EMPRESA. 03 EPI s EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

01 - DADOS GERAIS DA EMPRESA 02 - NÚMERO DE TRABALHADORES (AS) DA EMPRESA. 03 EPI s EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rua Doutor Faivre, 888 - Fone: (41) 3264-4211 Fax: (41) 3264-4292 01 - DADOS GERAIS DA EMPRESA NOME: CNPJ: ENDEREÇO: MUNICÍPIO: CEP: FONE / FAX: PROPRIETÁRIO: ENCARREGADO: 02 - NÚMERO DE TRABALHADORES

Leia mais

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9)

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) 10.1. Esta Norma Regulamentadora - NR fixa as condições mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados que trabalham em instalações

Leia mais

Ata de Reunião Análise Crítica do Sistema de Gestão da Qualidade da FDSM

Ata de Reunião Análise Crítica do Sistema de Gestão da Qualidade da FDSM FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS Av. Dr. João Beraldo, 1075 Centro Pouso Alegre MG Fone: (35) 3449-8100 Fax: (35) 3499-8102 Rev.: 00 / / Form.: Aprov.: Pág 1 de 1 Ata de Reunião Crítica do Sistema

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE ACESSO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE ACESSO 25/03/203 PSP-0. INTRODUÇÃO O Procedimento de Controle de Acesso tem como objetivo orientar e padronizar o procedimento de acesso de pessoas as fábricas, garantindo que somente pessoas autorizadas possam

Leia mais

ANEXO Nº I. Liberação: ¾ Termo de Liberação dos gestores da área solicitante para inicio das atividades; Prorrogação:

ANEXO Nº I. Liberação: ¾ Termo de Liberação dos gestores da área solicitante para inicio das atividades; Prorrogação: ANEXO Nº I Item: SERVIÇO Unidade Requisitante: Código Cadastro: Empresa Contratada Especificações de Segurança, Higiene e Medicina do Trabalho para realização de integração na contratante. 1) Itens obrigatórios

Leia mais

ALUNO QUE REALIZA COM ESPÍRITO CARINHOSO E FORTE GOSTA DE SI MESMO E DOS AMIGOS

ALUNO QUE REALIZA COM ESPÍRITO CARINHOSO E FORTE GOSTA DE SI MESMO E DOS AMIGOS 7 CADERNO DOS ALUNOS DA ESCOLA PRIMÁRIA KOMENO KOMENOKKO NOOTO LEMA ESCOLAR ALEGRIA, HONESTIDADE E VIGOR IMAGEM DO ALUNO QUE DESEJAMOS FORMAR : ALUNO QUE REALIZA COM ESPÍRITO CARINHOSO E FORTE GOSTA DE

Leia mais

GARAGENS DE EMPRESAS DE ÔNIBUS: UMA PROPOSTA DE AÇÃO PREVENTIVA NA ÁREA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

GARAGENS DE EMPRESAS DE ÔNIBUS: UMA PROPOSTA DE AÇÃO PREVENTIVA NA ÁREA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO GARAGENS DE EMPRESAS DE ÔNIBUS: UMA PROPOSTA DE AÇÃO PREVENTIVA NA ÁREA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO *Carlos Roberto Miranda, **Carlos Roberto Dias & ***Maria Goretti L. Amorin INTRODUÇÃO Os acidentes

Leia mais