CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VÁRZEA GRANDE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VÁRZEA GRANDE"

Transcrição

1 TÍTULO: ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE FRENTE À CONDIÇÃO CRÔNICA DECORRENTE DO CÂNCER DE BOCA NA BAIXADA CUIABANA: ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS DOS PACIENTES ATENDIDO NO HOSPITAL DE CÂNCER DE MATO GROSSO (HCMT) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VÁRZEA GRANDE AUTOR(ES): LAYS CARLOTTO REZENDE ORIENTADOR(ES): LUCIANA MARQUES DA SILVA, ROSA MARIA ELIAS COLABORADOR(ES): HOSPITAL DE CÂNCER DE MATO GROSSO (HCMT)

2 Resumo Os casos de câncer de boca correspondem a cerca de 10% de todos os tumores malignos registrados anualmente pela Organização Mundial da Saúde. No Brasil, o diagnóstico tardio faz com que o câncer de boca ocupe o 5 o lugar entre os homens e 7 o entre as mulheres. Evidências epidemiológicas mostram que o tabaco, o álcool e a exposição ao sol, e mais recentemente, a pobreza são os principais fatores de risco para essa neoplasia. Este estudo tem como objetivo de caracterizar o perfil epidemiológico dos pacientes com câncer de boca, assistidos pelo sistema público no HCMT. Realizamos um estudo epidemiológico, documental, descritivo e transversal no banco de dados adquiridos do Registro Hospitalar de Câncer (Sis RHC INCA), foram analisados os dados de 6416 pacientes atendidos no HCMT no período de Houveram 57 casos de câncer da cavidade oral registrados no período, representando 0,9% de todos os casos de câncer registrados no HCMT, com predomínio de incidência em homens, com idade acima de 50 anos, tabagistas, com histórico de etilismo, ou ambos (25%), com idade entre 50 e 59 anos. Do total de casos de câncer de boca registrados, apenas 6,89% dos pacientes tem ensino médio completo, e 3,44% superior, a maior parte dos pacientes encaminhados ao HCMT vem de fora de Cuiabá (69,6%), sendo o SUS a principal origem de encaminhamento dos pacientes. A identificação sobre o perfil do paciente com CA de boca atendido no HCMT, poderá auxiliar na construção de práticas mais resolutivas e integrais no atendimento à população que adoece por câncer de boca no Estado de Mato Grosso. Sendo assim, o nosso levantamento poderá contribuir com os programas de prevenção para esta doença, sendo possível atuar multi/interdisciplinarmente com segmentos de educação e saúde, públicos e privados. Palavras chave: atenção integral; câncer de boca; dados sócios demográficos; SUS. Introdução O Câncer é uma enfermidade que se caracteriza pela mutação celular com alteração em seu material genético que podem durar anos até seu diagnóstico. Dados da Organização Mundial da Saúde apontam as doenças neoplásicas como a principal causa de morte no mundo, totalizando 8,2 milhões de mortes em 2013 e com previsão de 27 milhões de novos casos em 2030(1). Segundo o Instituto

3 Nacional do Câncer (INCA) a estimativa para novos casos no Brasil em 2014é de (exceto pele não melanoma) sendo homens e mulheres(2). Atualmente, o câncer ocupa o segundo lugar em causa de morte no Brasil e no mundo, ficando atrás apenas das doenças cardiovasculares. Segundo o levantamento do Ministério da Saúde, em 2011 foram registradas mortes por câncer em todo o país. A incidência de câncer de boca corresponde a cerca de 10% de todos os tumores malignos registrados anualmente pela Organização Mundial da Saúde(1). Considerado um problema de saúde pública nacional, o diagnóstico tardio faz com que o câncer de boca ocupe o 5 lugar entre os homens e 7 entre as mulheres(2). É preciso conhecer e caracterizar o perfil sócio demográfico dos pacientes com câncer de boca atendidos no Hospital de Câncer de Mato Grosso (HCMT) para poder implantar novas estratégias de acolhimento e suporte psicoterápico, a fim de podermos trabalhar questões que envolvem o paciente fragilizado com tal patologia. Portanto, este estudo visa contribuir para a identificação do perfil do paciente com CA de boca atendido no HCMT, descrição, análise e construção de práticas mais resolutivas e integrais no atendimento à população que adoece por câncer de boca no Estado de Mato Grosso. Objetivo Este estudo tem como objetivo de caracterizar o perfil epidemiológico dos pacientes com câncer de boca, assistidos pelo sistema público no HCMT. Metodologia Foi feita uma análise retrospectiva por meio de uma pesquisa epidemiológica, documental, descritiva e transversal no banco de dados adquiridos do Registro Hospitalar de Câncer (Sis RHC INCA). Onde foram analisados os dados de 6416 pacientes atendidos no HCMT no período de As variáveis analisadas incluíram sexo, idade, procedência, etnia, grau de escolaridade, ocupação, hábitos de vida (etilismo e tabagismo) e origem de encaminhamento. A distribuição dos municípios de origem dos pacientes foi feita de acordo com a densidade demográfica segundo a classificação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

4 Desenvolvimento: A análise dos dados ocorreu de forma quantitativa e foi armazenado em um banco de dados criado no Microsoft Excel com posterior análise em tabelas de frequências, gráficos e comparações e relações entre variáveis. Resultados A análise nos bancos de dados do Hospital de Câncer de Mato Grosso (HCMT) mostra que foram registrados 57 casos de câncer boca entre janeiro de 2007 a dezembro de Estes números correspondem a 0,9% de todos os casos de câncer registrados no HCMT durante o período analisado, entretanto, acreditamos que podem haver subnotificações não registradas (dados não mostrados). Durante o período analisado, 26% dos doentes evoluíram a óbito (dados não mostrados). A média de idade entre os casos registrados com CA de boca foi de 55,75 ± 2,175, com a idade mínima de 8 anos e a máxima de 86 anos.o nosso estudo mostrou que houve uma maior incidência de câncer de boca em homens (43 casos), com idade entre 41 e 60 anos. Em relação à etnia, houve uma maior incidência entre homens e mulheres pardos, seguido da branca. Entretanto, estes números não são exatos, pois 25,58 % dos homens e 35,7% das mulheres não declararam a cor/raça (Dados não mostrados). A análise quanto ao hábito de vida destes pacientes, mostrou que apenas 28 pacientes (59,65%) declararam o uso de tabaco e 22 (54,39%) declarou o consumo de álcool. Dentre os pacientes que preencheram corretamente os prontuários, a prevalência de hábitos tabagistas e etilismo foram maiores entre os homens com idade entre 41 e 60, sendo que 8 pacientes com hábitos de etilismo e 11 pacientes tabagistas apresentam histórico familiar de câncer. Em relação à ocupação, apenas 20% dos pacientes declararam a profissão, o que torna inviável uma análise precisa sobre estas variáveis (dados não mostrados). Entre os pacientes que declararam o grau de instrução (47,34%), notamos um baixo nível de escolaridade, com uma proporção de 13,33% de analfabetos. A maior ocorrência foi do nível fundamental incompleto 40%, seguido pelo fundamental

5 completo (26,67%). O ensino médio (13,33%) e superior (6,67%) representaram a menor parte deste grupo. Conclusão O câncer da boca continua sendo um problema relevante de Saúde Pública. Por sua característica de condição crônica, o câncer de boca demanda um modelo de sistema integral de atenção à saúde(6). A municipalização do sistema de saúde, permite a avaliação e o controle social voltados para ações que baseadas nas diferenças e características epidemiológicas, de infraestrutura, socioeconômicas e organizacionais do paciente(3). Estes dados corroboram com a prevalência nacional de CA de boca, uma vez que a incidência deste tipo de câncer está associado ao aumento da idade do paciente(2,5,7). O nosso estudo registrou o desenvolvimento de câncer de boca em um paciente com 8 anos de idade, mas apresentações como essas são relativamente raras e têm um padrão mais agressivo(8). O câncer de boca está intimamente associado aos hábitos tabagista e de consumo de álcool (9,10). Os resultados obtidos sobre os hábitos de vida em nosso estudo não representam a totalidade dos casos registrados, uma vez que os pacientes que não declararam o uso de tabaco e/ou o consumo de álcool representam uma parcela considerável entre o total de pacientes diagnosticados durante o período analisado.dentre os pacientes que preencheram corretamente os prontuários, a prevalência de hábitos tabagistas e etilismo foi maior entre os homens com idade entre 41 e 60, sendo que 8 pacientes com hábitos de etilismo e 11 pacientes tabagistas apresentam histórico familiar de câncer. A análise das variáveis sobre a escolaridade também ficou limitadas pela coleta incompleta destas informações nos prontuários dos pacientes. Porém, a análise no prontuário de pacientes que declararam o grau de instrução mostra que os nossos resultados acompanham a tendência nacional(11). Quanto ao acolhimento ao paciente com CA de boca, o nosso estudo mostra que a grande maioria de pacientes encaminhados ao HCMT vem de fora de Cuiabá(4,12,13,14,15). Referências Bibliográficas 1. Siegel R, Ma J, Zou Z, Jemal A. Cancer Statistics, Ca Cancer J Clin. 2014;64(1): INCA - Instituto Nacional de Câncer - Estimativa 2014.

6 3. Ribeiro A, Correia A, Medeiros D. Qualidade de vida em pacientes com câncer na região de cabeça e pescoço. 2010;39(1): Oliveira FS De, Zago MMF. A experiência do laringectomizado e do familiar em lidar com as conseqüências da radioterapia. Rev Bras Cancerol. 2003;49(54): Borges FT, Garbin CAS, De Carvalhosa AA, Castro PH de S, Hidalgo LR da C. Epidemiologia do câncer de boca em laboratório público do Estado de Mato Grosso, Brasil Oral cancer epidemiology in a public laboratory in Mato Grosso State, Brazil. Cad Saúde Pública. 2008;24(9): Torres-pereira CC, Angelim-dias A. Abordagem do câncer da boca : uma estratégia para os níveis primário e secundário de atenção em saúde Strategies for management of oral cancer in primary and secondary healthcare services. 2012; Henrique Gonçalves de CARVALHO S, Marques SOARES MS, Lucia de Queiroz FIGUEIREDO R. Levantamento Epidemiológico dos Casos de Câncer de Boca em um Hospital de Referência em Campina Grande, Paraíba, Brasil. Pesqui Bras Odontopediatria Clin Integr Jan;12(1): Maciel SSS V., Maciel WV, Vasconcelos WKS de, Duarte Filho ESD, Santos DF da S, Melo GM de. Cânceres da boca e faringe em crianças e adolescentes brasileiros : um estudo descritivo. Rev Paul Pediatr. 2010;28(4): Leite ACE, Guerra ENDS, De Melo SN. Fatores de risco relacionados com o desenvolvimento do câncer bucal : REVISÃO Risk factors related to development of oral cancer : a revision. Rev clínica e Pesqui odontológica. 2005;1: Prevenção do câncer da boca Prevention of mouth cancer. Rev Bras Cancerol. 2003;48(3): Rodrigues JSM, Ferreira NMLA. Caracterização do Perfil Epidemiológico do Câncer em uma Cidade do Interior Paulista : Conhecer para Intervir Cancer Epidemiological Profile Characterization in a Countryside City in the State of São Paulo : Knowledge for Action. 2010;56(4): Kolankiewicz ACB, De Souza MM, Magnago TSB de S, De Domenico EBL. Apoio social percebido por pacientes oncológicos e sua relação com as características sociodemográficas. Tese. 2014;35(1): Cohn A. A reforma sanitária brasileira após 20 anos do SUS : refl exões Refl ections on Brazilian National Health Reform after 20 years of experience with the Unifi ed National Health System. Tese. 2009;25(7): Discente IC, Oliveira MA, Moreira RL. A integralidade no acolhimento na estratégia saúde da família. Anuário da produção iniciação científica discente. 2011;14: Winck K, Gonzaga K, Rodrigues W, Josefina S, Ellero F, Rios IC. Núcleos de Apoio à Saúde da Família : desafi os e potencialidades na visão dos profi ssionais da Atenção Primária do Município de São Paulo, Brasil Family Health Support Centers : challenges and opportunities from the perspective of primary care professi. 2012;28(11):

TÍTULO: PERFIL SÓCIO-DEMOGRÁFICO DOS PACIENTES COM CÂNCER DE BOCA ATENDIDOS NO HOSPITAL DE CÂNCER DE MATO GROSSO (HCMT)

TÍTULO: PERFIL SÓCIO-DEMOGRÁFICO DOS PACIENTES COM CÂNCER DE BOCA ATENDIDOS NO HOSPITAL DE CÂNCER DE MATO GROSSO (HCMT) TÍTULO: PERFIL SÓCIO-DEMOGRÁFICO DOS PACIENTES COM CÂNCER DE BOCA ATENDIDOS NO HOSPITAL DE CÂNCER DE MATO GROSSO (HCMT) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: MEDICINA INSTITUIÇÃO:

Leia mais

ESTUDO DA PREVALÊNCIA DO CÂNCER BUCAL NO HC DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA, ATRAVÉS DO CID 10

ESTUDO DA PREVALÊNCIA DO CÂNCER BUCAL NO HC DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA, ATRAVÉS DO CID 10 UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA 4ª Semana do Servidor e 5ª Semana Acadêmica 2008 UFU 30 anos ESTUDO DA PREVALÊNCIA DO CÂNCER BUCAL NO HC DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA, ATRAVÉS DO CID 10 Leana

Leia mais

SIGPROJ Nº: 145618.654.49425.06032013

SIGPROJ Nº: 145618.654.49425.06032013 SIGPROJ Nº: 145618.654.49425.06032013 DIAGNÓSTICO DO CÂNER BUCAL ATRAVÉS DO EXAME CLÍNICO E ANATOMOPATOLÓGICO COM ENFOQUE NA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA E CENTRO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS ROSA,

Leia mais

CARACTERÍSTICAS E PREVALÊNCIA DO CÂNCER DE PÊNIS.

CARACTERÍSTICAS E PREVALÊNCIA DO CÂNCER DE PÊNIS. CARACTERÍSTICAS E PREVALÊNCIA DO CÂNCER DE PÊNIS. Kamylla Sejane Pouso Freitas; Ângela karina da Costa Silva; Arinah Lopes; Núbia Aguiar Marinho; Mônica de Oliveira Santos (mosbio@hotmail.com) FACULDADE

Leia mais

TENDÊNCIA TEMPORAL DA MORTALIDADE POR CÂNCER DE MAMA FEMININO NAS REGIÕES BRASILEIRAS

TENDÊNCIA TEMPORAL DA MORTALIDADE POR CÂNCER DE MAMA FEMININO NAS REGIÕES BRASILEIRAS TENDÊNCIA TEMPORAL DA MORTALIDADE POR CÂNCER DE MAMA FEMININO NAS REGIÕES BRASILEIRAS Carolina Maciel Reis GONZAGA 1, Ruffo FREITAS-JR 1,2, Nilceana Maya Aires FREITAS 2, Edesio MARTINS 2, Rita DARDES

Leia mais

ESTADO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS DE 0 A 10 ANOS COM CÂNCER ASSISTIDAS EM UM HOSPITAL FILANTRÓPICO

ESTADO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS DE 0 A 10 ANOS COM CÂNCER ASSISTIDAS EM UM HOSPITAL FILANTRÓPICO 1 -Acadêmica do 8º semestre do Curso de Enfermagem da Universidade Federal do Piauí/CSHNB UFPI/Picos/PI. Bolsista ICV/UFPI. Membro do Grupo de Pesquisa em Saúde Coletiva/CSHNB/CNPq. ESTADO NUTRICIONAL

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO CÂNCER DE MAMA NO MUNICÍPIO DE TRÊS LAGOAS/MS

CARACTERIZAÇÃO DO CÂNCER DE MAMA NO MUNICÍPIO DE TRÊS LAGOAS/MS CARACTERIZAÇÃO DO CÂNCER DE MAMA NO MUNICÍPIO DE TRÊS LAGOAS/MS Hênio de Andrade Marques Vida Graduando de Enfermagem Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS Priscila Moreno Rocha Graduanda de Enfermagem

Leia mais

Política Nacional de Atenção Oncológica Claudio Pompeiano Noronha

Política Nacional de Atenção Oncológica Claudio Pompeiano Noronha Política Nacional de Atenção Oncológica Claudio Pompeiano Noronha Coordenação Geral de Ações Estratégicas - CGAE Instituto Nacional de Câncer - INCA Cenário do Câncer no Mundo: perspectiva de crescimento

Leia mais

Situação do papel do fisioterapeuta nas unidades públicas de saúde enquanto integrante da equipe multiprofissional no município de Jataí-GO.

Situação do papel do fisioterapeuta nas unidades públicas de saúde enquanto integrante da equipe multiprofissional no município de Jataí-GO. Situação do papel do fisioterapeuta nas unidades públicas de saúde enquanto integrante da equipe multiprofissional no município de Jataí-GO. ASSIS, Thaís Rocha; FERREIRA, Walkyria Silva; REIS, Silênio

Leia mais

118 Paraíba. De todas as doenças que atingiram. Uma das Maiores Prevalências de Câncer Bucal da Federação Brasileira

118 Paraíba. De todas as doenças que atingiram. Uma das Maiores Prevalências de Câncer Bucal da Federação Brasileira 118 Paraíba Uma das Maiores Prevalências de Câncer Bucal da Federação Brasileira zxz Rosimar de Castro Barreto 1, Marcos Farias de Paiva 2, Giuseppe A. S. Pereira 3 e Joni M. S. Oliveira 4 1, 2 e 3 Professores

Leia mais

Dra Adriana de Freitas Torres

Dra Adriana de Freitas Torres Dra Adriana de Freitas Torres 2020 15 milhões de novos casos 12 milhões de mortes 2002 10 milhões de casos novos 6 milhões de mortes Mundo cerca 1 milhão de novos casos de CM Fonte: União Internacional

Leia mais

CONDIÇÕES CRÔNICAS DE SAÚDE EM IDOSOS SERVIDORES DE UMA UNIVERSIDADE DE NATAL/RN

CONDIÇÕES CRÔNICAS DE SAÚDE EM IDOSOS SERVIDORES DE UMA UNIVERSIDADE DE NATAL/RN CONDIÇÕES CRÔNICAS DE SAÚDE EM IDOSOS SERVIDORES DE UMA UNIVERSIDADE DE NATAL/RN Maria Cléia de Oliveira Viana; Universidade Federal do Rio Grande do Norte; mcleiaviana@ufrnet.br/ Luciana Eduardo Fernandes

Leia mais

COBERTURA DE MAMOGRAFIAS REALIZADAS NO MUNICÍPIO DE SOUSA PARAÍBA COM REGISTRO NO SISMAMA

COBERTURA DE MAMOGRAFIAS REALIZADAS NO MUNICÍPIO DE SOUSA PARAÍBA COM REGISTRO NO SISMAMA COBERTURA DE MAMOGRAFIAS REALIZADAS NO MUNICÍPIO DE SOUSA PARAÍBA COM REGISTRO NO SISMAMA 1 Introdução/ Desenvolvimento Alinne Vieira Alves 1 Ana Claudia Moreira Santaba 2 Ana Janielli de Souza 3 Juliana

Leia mais

FORMULÁRIO PADRÃO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS ENSINO INOVADOR

FORMULÁRIO PADRÃO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS ENSINO INOVADOR FORMULÁRIO PADRÃO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS ENSINO INOVADOR Título do Projeto:: ABRA A BOCA CONTRA O CÂNCER BUAL. Unidade(s) de aprendizagem ou disciplina de referência: Diagnóstico Bucal ( Unidade

Leia mais

TEXTO 2 SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DO CÂNCER DE MAMA. Tânia Aparecida Correia Furquim 1

TEXTO 2 SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DO CÂNCER DE MAMA. Tânia Aparecida Correia Furquim 1 TEXTO 2 SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DO CÂNCER DE MAMA Tânia Aparecida Correia Furquim 1 A prevenção, a detecção e o tratamento do câncer de mama (CM) formam hoje o grande objetivo para a melhoria da saúde

Leia mais

Registro Hospitalar de Câncer de São Paulo:

Registro Hospitalar de Câncer de São Paulo: Registro Hospitalar de Câncer de São Paulo: Análise dos dados e indicadores de qualidade 1. Análise dos dados (jan ( janeiro eiro/2000 a setembro/201 /2015) Apresenta-se aqui uma visão global sobre a base

Leia mais

SAÚDE BUCAL INTEGRANDO ENSINO E EXTENSÃO: PROGRAMA DE CUIDADOS ESPECÍFICOS ÀS DOENÇAS ESTOMATOLÓGICAS PROCEDE

SAÚDE BUCAL INTEGRANDO ENSINO E EXTENSÃO: PROGRAMA DE CUIDADOS ESPECÍFICOS ÀS DOENÇAS ESTOMATOLÓGICAS PROCEDE SAÚDE BUCAL INTEGRANDO ENSINO E EXTENSÃO: PROGRAMA DE CUIDADOS ESPECÍFICOS ÀS DOENÇAS ESTOMATOLÓGICAS PROCEDE Oral health integrating teaching and extension: Specific Care Program to Stomatologic Diseases

Leia mais

Membro do Grupo de Pesquisa Cuidado, Saúde e Enfermagem, Santa Maria, RS, Brasil. E-mail: natannaenf@hotmail.com

Membro do Grupo de Pesquisa Cuidado, Saúde e Enfermagem, Santa Maria, RS, Brasil. E-mail: natannaenf@hotmail.com ARTIGO ORIGINAL PERFIL DOS USUÁRIOS DO SERVIÇO DE RADIOTERAPIA DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PROFILE OF RADIOTHERAPY SERVICE USERS FROM A UNIVERSITY HOSPITAL PERFIL DE LOS USUARIOS DE SERVICIOS DE RADIACIÓN

Leia mais

13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1

13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE

Leia mais

ENFERMAGEM EM ONCOLOGIA. Renata Loretti Ribeiro Enfermeira COREn/SP- 42883

ENFERMAGEM EM ONCOLOGIA. Renata Loretti Ribeiro Enfermeira COREn/SP- 42883 ENFERMAGEM EM ONCOLOGIA Renata Loretti Ribeiro Enfermeira COREn/SP- 42883 Renata Loretti Ribeiro 2 Introdução O câncer representa uma causa importante de morbidez e mortalidade, gerador de efeitos que

Leia mais

ESTUDO DO PADRÃO DE PROLIFERAÇÃO CELULAR ENTRE OS CARCINOMAS ESPINOCELULAR E VERRUCOSO DE BOCA: UTILIZANDO COMO PARÂMETROS A

ESTUDO DO PADRÃO DE PROLIFERAÇÃO CELULAR ENTRE OS CARCINOMAS ESPINOCELULAR E VERRUCOSO DE BOCA: UTILIZANDO COMO PARÂMETROS A ESTUDO DO PADRÃO DE PROLIFERAÇÃO CELULAR ENTRE OS CARCINOMAS ESPINOCELULAR E VERRUCOSO DE BOCA: UTILIZANDO COMO PARÂMETROS A IMUNOEXPRESSÃO DO PCNA, KI-67 E CICLINA B1 SPÍNDULA FILHO, José Vieira de ;

Leia mais

Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório

Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório Maio de 2013 Magnitude do Câncer no Brasil 518 mil novos casos em 2013 Câncer de pele não melanoma deve responder

Leia mais

O CUIDADO DA CRIANÇA COM CANCER FORA DE POSSIBILIDADES TERAPÊUTICAS: UM DESAFIO À ENFERMAGEM1

O CUIDADO DA CRIANÇA COM CANCER FORA DE POSSIBILIDADES TERAPÊUTICAS: UM DESAFIO À ENFERMAGEM1 O CUIDADO DA CRIANÇA COM CANCER FORA DE POSSIBILIDADES TERAPÊUTICAS: UM DESAFIO À ENFERMAGEM1 REIS, Thamiza Laureany da Rosa dos 2 ; BIN, Aline 3 1 Trabalho de Pesquisa 2 Curso de Graduação em Enfermagem

Leia mais

DIA MUNDIAL DO CÂNCER 08 DE ABRIL

DIA MUNDIAL DO CÂNCER 08 DE ABRIL DIA MUNDIAL DO CÂNCER 08 DE ABRIL Enviado por LINK COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL 04-Abr-2016 PQN - O Portal da Comunicação LINK COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL - 04/04/2016 Que tal aproveitar o Dia Mundial do Câncer

Leia mais

PERFIL DOS PRINCIPAIS CÂNCERES EM IDOSOS NO BRASIL

PERFIL DOS PRINCIPAIS CÂNCERES EM IDOSOS NO BRASIL PERFIL DOS PRINCIPAIS CÂNCERES EM IDOSOS NO BRASIL Rosimery Cruz de Oliveira Dantas¹- rmeryco_dantas@hotmail.com Jéssica Barreto Pereira²- jessicajesse@hotmail.com Layz Dantas de Alencar³-layzalencar@gmail.com

Leia mais

LIGA DA MAMA: AÇÕES COMUNITÁRIAS DE PREVENÇÃO E RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA EM 2011. Palavras-chave: Câncer de mama; rastreamento, prevenção.

LIGA DA MAMA: AÇÕES COMUNITÁRIAS DE PREVENÇÃO E RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA EM 2011. Palavras-chave: Câncer de mama; rastreamento, prevenção. LIGA DA MAMA: AÇÕES COMUNITÁRIAS DE PREVENÇÃO E RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA EM 2011 SOARES, Leonardo Ribeiro 1 ; PARANAIBA, Arthur Ferreira 1 ; MATOS, Amanda Vieira 1 ; DIAS, Juliava Silva 1 ; PAIVA,

Leia mais

INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NO SERVIÇO DE CONTROLE DA DOR OROFACIAL E DEFORMIDADES DENTOFACIAIS DO HULW/UFPB

INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NO SERVIÇO DE CONTROLE DA DOR OROFACIAL E DEFORMIDADES DENTOFACIAIS DO HULW/UFPB INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NO SERVIÇO DE CONTROLE DA DOR OROFACIAL E DEFORMIDADES DENTOFACIAIS DO HULW/UFPB ALVES, Giorvan Ânderson dos santos Alves LOPES SOBRINHO, Paulo Naati LUNA, Anibal Henrique Barbosa

Leia mais

PORTO ALEGRE E DEMAIS CAPITAIS BRASILEIRAS

PORTO ALEGRE E DEMAIS CAPITAIS BRASILEIRAS Equipe de Vigilância de Eventos Vitais, Doenças e Agravos não Transmissíveis Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde Secretaria Municipal da Saúde da Prefeitura Municipal de Porto Alegre PORTO ALEGRE

Leia mais

Cartilha REGISTROS DE CÂNCER E O RHC DO HAJ

Cartilha REGISTROS DE CÂNCER E O RHC DO HAJ Cartilha REGISTROS DE CÂNCER E O RHC DO HAJ O que é um registro de câncer? -Centro de coleta, armazenamento, processamento e análise - de forma sistemática e contínua - de informações (dados) sobre pacientes

Leia mais

TÍTULO: DADOS EPIDEMIOLÓGICOS OBRE CÂNCER DE MAMA E COLO UTERINO ENTRE MULHERES DE BAIXA RENDA DA CIDADE DE LINS SP

TÍTULO: DADOS EPIDEMIOLÓGICOS OBRE CÂNCER DE MAMA E COLO UTERINO ENTRE MULHERES DE BAIXA RENDA DA CIDADE DE LINS SP Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: DADOS EPIDEMIOLÓGICOS OBRE CÂNCER DE MAMA E COLO UTERINO ENTRE MULHERES DE BAIXA RENDA DA CIDADE

Leia mais

Encontro internacional sobre rastreamento de câncer de mama

Encontro internacional sobre rastreamento de câncer de mama Encontro internacional sobre rastreamento de câncer de mama O Câncer de Mama no Brasil Situação epidemiológica e rastreamento 17/04/2009 CÂNCER DE MAMA NO BRASIL MORBIMORTALIDADE NÚMERO TAXA (*) NOVOS

Leia mais

Área temática: Enfermagem CÂNCER NA ADOLESCÊNCIA: SENTIMENTOS DOS PORTADORES E PAPEIS DE FAMILIARES E ENFERMEIROS

Área temática: Enfermagem CÂNCER NA ADOLESCÊNCIA: SENTIMENTOS DOS PORTADORES E PAPEIS DE FAMILIARES E ENFERMEIROS Área temática: Enfermagem CÂNCER NA ADOLESCÊNCIA: SENTIMENTOS DOS PORTADORES E PAPEIS DE FAMILIARES E ENFERMEIROS Graziela Silva do Nascimento Discente do curso de Enfermagem da UFPB. E-mail: graziela_nascimento_@hotmail.com

Leia mais

LEVANTAMENTO DOS PRINCIPAIS FATORES DE RISCO DE NEOPLASIA MAMÁRIA EM MULHERES INDÍGENAS.

LEVANTAMENTO DOS PRINCIPAIS FATORES DE RISCO DE NEOPLASIA MAMÁRIA EM MULHERES INDÍGENAS. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO - UFES LEVANTAMENTO DOS PRINCIPAIS FATORES DE RISCO DE NEOPLASIA MAMÁRIA EM MULHERES INDÍGENAS. Franciéle Marabotti Costa Leite emaildafran@ig.com.br Laysa Pignaton

Leia mais

5.º Ano 2014 Campanha de Prevenção do Câncer de Intestino Grosso 2016 O que é o intestino grosso? 1,5 m de comprimento 6,5 cm de diâmetro COLON SIGMÓIDE CECO ÂNUS Câncer de Intestino Grosso Surge, em 90%

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA SEGUNDO A PERCEPÇÃO DE ESTUDANTES DA REDE PÚBLICA INCLUSOS NO PROJOVEM ADOLESCENTE

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA SEGUNDO A PERCEPÇÃO DE ESTUDANTES DA REDE PÚBLICA INCLUSOS NO PROJOVEM ADOLESCENTE AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA SEGUNDO A PERCEPÇÃO DE ESTUDANTES DA REDE PÚBLICA INCLUSOS NO PROJOVEM ADOLESCENTE Angélica da Silva Santos 1, Cicera Rócila Pereira Araújo¹, Lourdes Lanes Ferreira Pereira¹,

Leia mais

ROTEIRO ESTRUTURADO PARA PESQUISA DO TRABALHO PRÁTICO

ROTEIRO ESTRUTURADO PARA PESQUISA DO TRABALHO PRÁTICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE MEDICINA PREVENTIVA DISCIPLINA DE EPIDEMIOLOGIA ROTEIRO ESTRUTURADO PARA PESQUISA DO TRABALHO PRÁTICO

Leia mais

EXAME CITOPATOLÓGICO: A NÃO ADESÃO E A OCORRÊNCIA DE CÂNCER DE COLO UTERINO ENTRE AS MULHERES PERTENCENTES À TERCEIRA IDADE

EXAME CITOPATOLÓGICO: A NÃO ADESÃO E A OCORRÊNCIA DE CÂNCER DE COLO UTERINO ENTRE AS MULHERES PERTENCENTES À TERCEIRA IDADE EXAME CITOPATOLÓGICO: A NÃO ADESÃO E A OCORRÊNCIA DE CÂNCER DE COLO UTERINO ENTRE AS MULHERES PERTENCENTES À TERCEIRA IDADE Lizandra de Farias Rodrigues Queiroz; Juliana Meira de Vasconcelos Xavier Universidade

Leia mais

MORBIDADE E MORTALIDADE POR NEOPLASIAS NO ESTADO DE PERNAMBUCO

MORBIDADE E MORTALIDADE POR NEOPLASIAS NO ESTADO DE PERNAMBUCO MORBIDADE E MORTALIDADE POR NEOPLASIAS NO ESTADO DE PERNAMBUCO Edmilson Cursino dos Santos Junior (1); Renato Filipe de Andrade (2); Bianca Alves Vieira Bianco (3). 1Fisioterapeuta. Residente em Saúde

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Projetos de pesquisa. Patologia. Epidemiologia. Trato gastrointestinal.

PALAVRAS-CHAVE Projetos de pesquisa. Patologia. Epidemiologia. Trato gastrointestinal. 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE

Leia mais

FEIRA DA SAÚDE: A PREVENÇÃO NA POLÍCIA MILITAR DE CASCAVEL

FEIRA DA SAÚDE: A PREVENÇÃO NA POLÍCIA MILITAR DE CASCAVEL FEIRA DA SAÚDE: A PREVENÇÃO NA POLÍCIA MILITAR DE CASCAVEL Área Temática: Saúde Palavras-chave: prevenção, saúde, polícia militar Adriane de Castro Martinez Martins 1 (Coordenador ) Keila OkudaTavares

Leia mais

CÂNCER DE BOCA. Disciplina: Proteção Radiológica. Docente: Karla Alves Discentes: André Luiz Silva de Jesus Paloma Oliveira Carvalho

CÂNCER DE BOCA. Disciplina: Proteção Radiológica. Docente: Karla Alves Discentes: André Luiz Silva de Jesus Paloma Oliveira Carvalho CÂNCER DE BOCA Disciplina: Proteção Radiológica Docente: Karla Alves Discentes: André Luiz Silva de Jesus Paloma Oliveira Carvalho OBJETIVOS Descrever o processo carcinogênico geral e específico para o

Leia mais

CANCER INCIDENCE IN THE MINAS GERAIS STATE WITH EMPHASIS IN THE REGION OF POÇOS DE CALDAS PLATEAU

CANCER INCIDENCE IN THE MINAS GERAIS STATE WITH EMPHASIS IN THE REGION OF POÇOS DE CALDAS PLATEAU Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais CANCER INCIDENCE IN THE MINAS GERAIS STATE WITH EMPHASIS IN THE REGION OF POÇOS DE CALDAS PLATEAU Berenice Navarro Antoniazzi Epidemiologista Coordenadora

Leia mais

A situação do câncer no Brasil 1

A situação do câncer no Brasil 1 A situação do câncer no Brasil 1 Fisiopatologia do câncer 23 Introdução O câncer é responsável por cerca de 13% de todas as causas de óbito no mundo: mais de 7 milhões de pessoas morrem anualmente da

Leia mais

VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: ESTUDO EXPLORATÓRIO E REFLEXIVO NO CREAS DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP

VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: ESTUDO EXPLORATÓRIO E REFLEXIVO NO CREAS DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 385 VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: ESTUDO EXPLORATÓRIO E REFLEXIVO NO CREAS DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE

Leia mais

Interdisciplinar: Revista Eletrônica da UNIVAR http://revista.univar.edu.br ISSN 1984-431X Ano de publicação: 2015 N.:13 Vol.2 Págs.

Interdisciplinar: Revista Eletrônica da UNIVAR http://revista.univar.edu.br ISSN 1984-431X Ano de publicação: 2015 N.:13 Vol.2 Págs. Interdisciplinar: Revista Eletrônica da UNIVAR http://revista.univar.edu.br ISSN 1984-431X Ano de publicação: 2015 N.:13 Vol.2 Págs.210-215 O EXAME PREVENTIVO DE CÂNCER DE PRÓSTATA: INFORMAÇÃO E OPINIÃO

Leia mais

A DEMANDA POR SAÚDE PÚBLICA EM GOIÁS

A DEMANDA POR SAÚDE PÚBLICA EM GOIÁS Título: A DEMANDA POR SAÚDE PÚBLICA EM GOIÁS Projeto de pesquisa: ANÁLISE REGIONAL DA OFERTA E DA DEMANDA POR SERVIÇOS DE SAÚDE NOS MUNICÍPIOS GOIANOS: GESTÃO E EFICIÊNCIA 35434 Autores: Sandro Eduardo

Leia mais

MORBIMORTALIDADE POR NEOPLASIAS MALIGNAS DA MAMA EM MULHERES NA TERCEIRA IDADE

MORBIMORTALIDADE POR NEOPLASIAS MALIGNAS DA MAMA EM MULHERES NA TERCEIRA IDADE MORBIMORTALIDADE POR NEOPLASIAS MALIGNAS DA MAMA EM MULHERES NA TERCEIRA IDADE Lizandra de Farias Rodrigues Queiroz; Juliana Meira de Vasconcelos Xavier Universidade Federal de Campina Grande-PB E-mail:

Leia mais

INTERNAÇÕES POR CONDIÇÕES SENSÍVEIS A ATENÇÃO PRIMÁRIA EM DOIS SERVIÇOS DE SAÚDE PÚBLICA DE MARINGÁ-PR

INTERNAÇÕES POR CONDIÇÕES SENSÍVEIS A ATENÇÃO PRIMÁRIA EM DOIS SERVIÇOS DE SAÚDE PÚBLICA DE MARINGÁ-PR INTERNAÇÕES POR CONDIÇÕES SENSÍVEIS A ATENÇÃO PRIMÁRIA EM DOIS SERVIÇOS DE SAÚDE PÚBLICA DE MARINGÁ-PR Vitor Key Assada 1 ; Kristoffer Andreas Wendel Ribas 2 ; Willian Augusto de Melo 3 RESUMO: Condições

Leia mais

A Evolução da Morbidade e Mortalidade por Câncer de Mama entre a População Feminina de Minas Gerais 1995 a 2001 *

A Evolução da Morbidade e Mortalidade por Câncer de Mama entre a População Feminina de Minas Gerais 1995 a 2001 * A Evolução da Morbidade e Mortalidade por Câncer de Mama entre a População Feminina de Minas Gerais 1995 a 2001 * Andréa Branco Simão UFMG/Cedeplar Luiza de Marilac de Souza UFMG/Cedeplar Palavras Chave:

Leia mais

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS PACIENTES CADASTRADOS NO SISTEMA HIPERDIA DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA, RS

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS PACIENTES CADASTRADOS NO SISTEMA HIPERDIA DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA, RS PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS PACIENTES CADASTRADOS NO SISTEMA HIPERDIA DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA, RS Michele Muller 1 Gabriele Bester Hermes 2 Liziane Maahs Flores 3 1 Apresentadora, Acadêmica do Curso

Leia mais

SITUAÇÃO DO CÂNCER BUCAL NO ESTADO DA BAHIA: ESTIMATIVAS E PERSPECTIVAS DE AÇÃO

SITUAÇÃO DO CÂNCER BUCAL NO ESTADO DA BAHIA: ESTIMATIVAS E PERSPECTIVAS DE AÇÃO Artigo de Revisão SITUAÇÃO DO CÂNCER BUCAL NO ESTADO DA BAHIA: ESTIMATIVAS E PERSPECTIVAS DE AÇÃO ORAL CANCER SITUATION IN THE STATE OF BAHIA: ESTIMATES AND ACTION PERSPECTIVES Resumo Suélem Maria Santana

Leia mais

Adultos Jovens no Trabalho em Micro e Pequenas Empresas e Política Pública

Adultos Jovens no Trabalho em Micro e Pequenas Empresas e Política Pública Capítulo 3 Adultos Jovens no Trabalho em Micro e Pequenas Empresas e Política Pública Maria Inês Monteiro Mestre em Educação UNICAMP; Doutora em Enfermagem USP Professora Associada Depto. de Enfermagem

Leia mais

FATORES ASSOCIADOS AO CARCINOMA ESCAMOCELULAR. Thiago de Souza Brandão Santos¹ ; Maria Emilia Santos Pereira Ramos¹

FATORES ASSOCIADOS AO CARCINOMA ESCAMOCELULAR. Thiago de Souza Brandão Santos¹ ; Maria Emilia Santos Pereira Ramos¹ 1565 FATORES ASSOCIADOS AO CARCINOMA ESCAMOCELULAR Thiago de Souza Brandão Santos¹ ; Maria Emilia Santos Pereira Ramos¹ 1. Bolsista PROBIC, Graduando em Odontologia, Universidade Estadual de Feira de Santana,

Leia mais

AVALIAÇÃO DE INDICADORES DE INTERNAÇÃO SELECIONADOS E A ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA NO RIO GRANDE DO SUL

AVALIAÇÃO DE INDICADORES DE INTERNAÇÃO SELECIONADOS E A ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA NO RIO GRANDE DO SUL AVALIAÇÃO DE INDICADORES DE INTERNAÇÃO SELECIONADOS E A ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA NO RIO GRANDE DO SUL Paulo Vinicius Nascimento Fontanive João Henrique Kolling Liége Teixeira Fontanive INTRODUÇÃO A

Leia mais

FATORES ASSOCIADOS NA MORTALIDADE POR CÂNCER DE MAMA NO NOROESTE PARANAENSE

FATORES ASSOCIADOS NA MORTALIDADE POR CÂNCER DE MAMA NO NOROESTE PARANAENSE FATORES ASSOCIADOS NA MORTALIDADE POR CÂNCER DE MAMA NO NOROESTE PARANAENSE Autores: Willian Augusto de Melo Enfermeiro. Mestre em Enfermagem. Docente do Centro Universitário de Maringá (CESUMAR). Robsmeire

Leia mais

TÍTULO: GASTOS COM MEDICAMENTOS PELOS IDOSOS RESIDENTES EM MUNICÍPIO COM ALTA COBERTURA DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

TÍTULO: GASTOS COM MEDICAMENTOS PELOS IDOSOS RESIDENTES EM MUNICÍPIO COM ALTA COBERTURA DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA TÍTULO: GASTOS COM MEDICAMENTOS PELOS IDOSOS RESIDENTES EM MUNICÍPIO COM ALTA COBERTURA DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FARMÁCIA INSTITUIÇÃO:

Leia mais

no Brasil de Hoje: Avanços e Dificuldades

no Brasil de Hoje: Avanços e Dificuldades Oncologia Infanto-juvenil no Brasil de Hoje: Avanços e Dificuldades Cláudio Galvão de Castro Jr Serviço o de Oncologia Pediátrica Hospital de Clínicas de Porto Alegre Instituto do Câncer Infantil do RS

Leia mais

INCIDÊNCIA DE FEBRE MACULOSA NA CIDADE DE AMPARO. Palavras- Chave: Saúde, Pesquisa, Febre Maculosa, Patologia, Enfermagem.

INCIDÊNCIA DE FEBRE MACULOSA NA CIDADE DE AMPARO. Palavras- Chave: Saúde, Pesquisa, Febre Maculosa, Patologia, Enfermagem. INCIDÊNCIA DE FEBRE MACULOSA NA CIDADE DE AMPARO Daniela Aparecida Correa Aline Gritti Rodrigues Resumo: O presente artigo terá como objetivo abordar a incidência de Febre Maculosa na cidade de Amparo

Leia mais

Programa Sol Amigo. Diretrizes. Ilustração: Programa Sunwise Environmental Protection Agency - EPA

Programa Sol Amigo. Diretrizes. Ilustração: Programa Sunwise Environmental Protection Agency - EPA Programa Sol Amigo Diretrizes Ilustração: Programa Sunwise Environmental Protection Agency - EPA 2007 CONTEÚDO Coordenador do programa... 3 Introdução... 4 Objetivos... 5 Metodologia... 6 Avaliação do

Leia mais

RRAS 11 DRS Presidente Prudente (Regiões de Saúde: Alta Paulista, Alta Sorocabana, Alto Capivari, Extremo Oeste Paulista e Pontal Paranapanema)

RRAS 11 DRS Presidente Prudente (Regiões de Saúde: Alta Paulista, Alta Sorocabana, Alto Capivari, Extremo Oeste Paulista e Pontal Paranapanema) Caracterização da assistência oncológica nas Redes Regionais de Atenção à Saúde no estado de São Paulo RRAS 11 DRS Presidente Prudente (Regiões de Saúde: Alta Paulista, Alta Sorocabana, Alto Capivari,

Leia mais

O FINANCIAMENTO DOS HOSPITAIS NA BÉLGICA. Prof. G. DURANT

O FINANCIAMENTO DOS HOSPITAIS NA BÉLGICA. Prof. G. DURANT O FINANCIAMENTO DOS HOSPITAIS NA BÉLGICA Prof. G. DURANT A Bélgica (11 milhões de habitantes) é um país federal. PIB/capita: 39.860 dolares Gastos totais com saúde- 10,6% du PNB (Produit National Brut)

Leia mais

XI Encontro de Iniciação à Docência

XI Encontro de Iniciação à Docência 6CCSDEMCAMT01-P CONHECIMENTO E PRÁTICA DOS DISCENTES DO QUARTO PERÍODO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM SOBRE O AUTO-EXAME DAS MAMAS Ericka Vilar Brandão (1) ; Cleide Rejane Damaso de Araújo (3) Centro de Ciências

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE

Leia mais

Cenário da Saúde da Criança e da Oncologia Pediátrica: avanços e desafios para a organização da rede assistencial

Cenário da Saúde da Criança e da Oncologia Pediátrica: avanços e desafios para a organização da rede assistencial Cenário da Saúde da Criança e da Oncologia Pediátrica: avanços e desafios para a organização da rede assistencial José Eduardo Castro jose.castro@cancer.org.br Alguns conceitos no estudo da rede assitêncial

Leia mais

PREVALÊNCIA DE MULHERES QUE REALIZARAM MAMOGRAFIA EM TRÊS UNIDADES DE SAÚDE DECRUZ ALTA - RS

PREVALÊNCIA DE MULHERES QUE REALIZARAM MAMOGRAFIA EM TRÊS UNIDADES DE SAÚDE DECRUZ ALTA - RS PREVALÊNCIA DE MULHERES QUE REALIZARAM MAMOGRAFIA EM TRÊS UNIDADES DE SAÚDE DECRUZ ALTA - RS CERBARO, Kamila 1 ; ROSA, Jéssica 2 ; CARVALHO, Lidiane 3 ; HANSEN, Dinara 4 ; COSER, Janaina 5 Palavras-Chave:

Leia mais

IV Seminário de Promoçã e Prevençã. ção à Saúde. ção o de Riscos e Doenças na Saúde Suplementar. I Seminário de Atençã. Suplementar.

IV Seminário de Promoçã e Prevençã. ção à Saúde. ção o de Riscos e Doenças na Saúde Suplementar. I Seminário de Atençã. Suplementar. IV Seminário de Promoçã ção o da Saúde e Prevençã ção o de Riscos e Doenças na Saúde Suplementar I Seminário de Atençã ção à Saúde Suplementar Dezembro 2007 Área de Atençã ção à Saúde da Mulher Marco Regulatório

Leia mais

Letícia Casado Serviço de Edição e Informação Técnico Cientifica CGPV-Coordenação Geral de Prevenção e Vigilância

Letícia Casado Serviço de Edição e Informação Técnico Cientifica CGPV-Coordenação Geral de Prevenção e Vigilância Letícia Casado Serviço de Edição e Informação Técnico Cientifica CGPV-Coordenação Geral de Prevenção e Vigilância O que é uma Biblioteca Virtual? É um tipo de biblioteca que compila e organiza informações

Leia mais

FADIGA EM PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA EM RADIOTERAPIA CONVENCIONAL. E-mail: julyanaweb@hotmail.com. E-mail: dalete.mota@gmail.com

FADIGA EM PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA EM RADIOTERAPIA CONVENCIONAL. E-mail: julyanaweb@hotmail.com. E-mail: dalete.mota@gmail.com FADIGA EM PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA EM RADIOTERAPIA CONVENCIONAL Julyana Cândido Bahia 1, Dálete Delalibera Corrêa de Faria Mota 2 1 Acadêmica da Faculdade de Enfermagem/ Universidade Federal de Goiás

Leia mais

Mostra de Projetos 2011 RISCO DE QUEDAS EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS NO MUNICÍPIO DE LONDRINA/PR 2011

Mostra de Projetos 2011 RISCO DE QUEDAS EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS NO MUNICÍPIO DE LONDRINA/PR 2011 Mostra de Projetos 2011 RISCO DE QUEDAS EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS NO MUNICÍPIO DE LONDRINA/PR 2011 Mostra Local de: Londrina. Categoria do projeto Projetos em implantação, com resultados parciais.

Leia mais

A RELEVÂNCIA DAS ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE DO PROJETO DE EXTENSÃO AÇÕES DE PREVENÇÃO E DE RESOLUÇÃO DA CÁRIE E DO TRAUMATISMO DENTÁRIO

A RELEVÂNCIA DAS ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE DO PROJETO DE EXTENSÃO AÇÕES DE PREVENÇÃO E DE RESOLUÇÃO DA CÁRIE E DO TRAUMATISMO DENTÁRIO A RELEVÂNCIA DAS ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE DO PROJETO DE EXTENSÃO AÇÕES DE PREVENÇÃO E DE RESOLUÇÃO DA CÁRIE E DO TRAUMATISMO DENTÁRIO BEZERRA *, Louise Morais Dornelas LEITE*, Maria Luísa de Alencar

Leia mais

4. Câncer no Estado do Paraná

4. Câncer no Estado do Paraná 4. Câncer no Estado do Paraná Situação Epidemiológica do Câncer Doenças e Agravos Não Transmissíveis no Estado do Paraná Uma das principais causas de morte nos dias atuais, o câncer é um nome genérico

Leia mais

RESUMO DE TRABALHO PARA APRESENTAÇÃO NO CONPEX

RESUMO DE TRABALHO PARA APRESENTAÇÃO NO CONPEX RESUMO DE TRABALHO PARA APRESENTAÇÃO NO CONPEX -Título: Dor dentária e hábitos de higiene bucal em escolares de instituições com e sem programa de promoção de saúde. -Projeto de pesquisa apresentado ao

Leia mais

Resumo. Abstract. Enfermeira do Instituto de Câncer de Londrina (ICL). Especialista em Enfermagem em Saúde da Criança. 2

Resumo. Abstract. Enfermeira do Instituto de Câncer de Londrina (ICL). Especialista em Enfermagem em Saúde da Criança. 2 DOI: 10.5433/1679-0367.2014v35n2p9 Crianças com câncer: caracterização das internações em um hospital escola público Children with cancer: characterization of hospitalization in a public teaching hospital

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME. Nota MDS Brasília, 02 de maio de 2011.

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME. Nota MDS Brasília, 02 de maio de 2011. Nota MDS Brasília, 02 de maio de 2011. Assunto: O perfil da Extrema Pobreza no Brasil com base nos dados preliminares do universo do Censo 2010. 1. INTRODUÇÃO O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Leia mais

TÍTULO: AVALIAÇÃO DE TRAUMATISMO DENTO-ALVEOLAR EM ESPORTISTAS DE RIBEIRÃO PRETO

TÍTULO: AVALIAÇÃO DE TRAUMATISMO DENTO-ALVEOLAR EM ESPORTISTAS DE RIBEIRÃO PRETO TÍTULO: AVALIAÇÃO DE TRAUMATISMO DENTO-ALVEOLAR EM ESPORTISTAS DE RIBEIRÃO PRETO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: ODONTOLOGIA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DE RIBEIRÃO PRETO

Leia mais

1 Introdução maligno metástase

1 Introdução maligno metástase 1 Introdução Câncer é o nome dado a um conjunto de doenças que têm em comum o crescimento desordenado (maligno) de células que invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se (metástase) para outras regiões

Leia mais

3º Fórum de Assistência Social do Ministério da Defesa Painel sobre Humanização

3º Fórum de Assistência Social do Ministério da Defesa Painel sobre Humanização 3º Fórum de Assistência Social do Ministério da Defesa Painel sobre Humanização Clínica Ampliada do HC II A experiência do Serviço Social Fernanda dos Reis Melo SSocial HCII/INCA femelo@ig.com.br Rio de

Leia mais

Tipos de tumores cerebrais

Tipos de tumores cerebrais Tumores Cerebrais: entenda mais sobre os sintomas e tratamentos Os doutores Calil Darzé Neto e Rodrigo Adry explicam sobre os tipos de tumores cerebrais. CONTEÚDO HOMOLOGADO "Os tumores cerebrais, originados

Leia mais

LEVANTAMENTO DOS FATORES DE RISCO PARA OSTEOPOROSE E QUEDAS EM VISITANTES DO ESTANDE DA LIGA DE GERIATRIA E GERONTOLOGIA DO XVI ECAM

LEVANTAMENTO DOS FATORES DE RISCO PARA OSTEOPOROSE E QUEDAS EM VISITANTES DO ESTANDE DA LIGA DE GERIATRIA E GERONTOLOGIA DO XVI ECAM LEVANTAMENTO DOS FATORES DE RISCO PARA OSTEOPOROSE E QUEDAS EM VISITANTES DO ESTANDE DA LIGA DE GERIATRIA E GERONTOLOGIA DO XVI ECAM Patrícia Azevedo Garcia 1,3,4 ; Ludmilla Pinto Guiotti Cintra 1,3,4

Leia mais

PERFIL DE IDOSOS COM ALTERAÇÕES PODAIS ATENDIDOS EM UM AMBULATÓRIO DE GERIATRIA

PERFIL DE IDOSOS COM ALTERAÇÕES PODAIS ATENDIDOS EM UM AMBULATÓRIO DE GERIATRIA PERFIL DE IDOSOS COM ALTERAÇÕES PODAIS ATENDIDOS EM UM AMBULATÓRIO DE GERIATRIA INTRODUÇÃO Saemmy Grasiely Estrela de Albuquerque 1 Mayara Muniz Dias Rodrigues 2 Maria das Graças Melo Fernandes 3 Fabiana

Leia mais

USO DE QUESTIONÁRIOS COMO FERRAMENTA PARA AVALIAÇÃO DA ALIMENTAÇÃO

USO DE QUESTIONÁRIOS COMO FERRAMENTA PARA AVALIAÇÃO DA ALIMENTAÇÃO 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE

Leia mais

Área: 1.551.690km 2. 1. População

Área: 1.551.690km 2. 1. População Área: 1.551.690km 2 1. População Capitais Habitantes* Aracaju SE 461.534 Fortaleza CE 2.141.402 João Pessoa PB 597.934 Maceió AL 797.759 Natal RN 712.317 Recife PE 1.422.905 Salvador BA 2.443.107 São Luís

Leia mais

FACULDADES PROMOVE DE BRASÍLIA O USO CONTINUO DE FARMACOS ANTI-HIPERTENSIVOS E O RISCO DE CÂNCER COLORRETAL. Maria Astéria de Sousa Almeida

FACULDADES PROMOVE DE BRASÍLIA O USO CONTINUO DE FARMACOS ANTI-HIPERTENSIVOS E O RISCO DE CÂNCER COLORRETAL. Maria Astéria de Sousa Almeida FACULDADES PROMOVE DE BRASÍLIA O USO CONTINUO DE FARMACOS ANTI-HIPERTENSIVOS E O RISCO DE CÂNCER COLORRETAL Maria Astéria de Sousa Almeida ABRIL/2014 Águas Claras DF Maria Astéria de Sousa Almeida Projeto

Leia mais

A AIDS NA TERCEIRA IDADE: O CONHECIMENTO DOS IDOSOS DE UMA CASA DE APOIO NO INTERIOR DE MATO GROSSO

A AIDS NA TERCEIRA IDADE: O CONHECIMENTO DOS IDOSOS DE UMA CASA DE APOIO NO INTERIOR DE MATO GROSSO A AIDS NA TERCEIRA IDADE: O CONHECIMENTO DOS IDOSOS DE UMA CASA DE APOIO NO INTERIOR DE MATO GROSSO SATO, Camila Massae 1 Palavras-chave: Idoso, AIDS, conhecimento Introdução A população idosa brasileira

Leia mais

A FEMAMA Instituto da Mama do Rio Grande do Sul (IMAMA),

A FEMAMA Instituto da Mama do Rio Grande do Sul (IMAMA), A FEMAMA A FEMAMA - Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama é uma associação civil, sem fins econômicos, que busca reduzir os índices de mortalidade por câncer de mama

Leia mais

O CONHECIMENTO DOS ENFERMEIROS DAS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA NA REALIZAÇÃO DO EXAME CLÍNICO DAS MAMAS

O CONHECIMENTO DOS ENFERMEIROS DAS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA NA REALIZAÇÃO DO EXAME CLÍNICO DAS MAMAS 1 O CONHECIMENTO DOS ENFERMEIROS DAS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA NA REALIZAÇÃO DO EXAME CLÍNICO DAS MAMAS THE KNOWLEDGE OF FAMILY HEALTH PROGRAM NURSES ABOUT PERFORMING CLINICAL BREAST EXAMINATIONS KÊNIA

Leia mais

Análise da integração de unidades de emergência às redes de atenção à saúde em um estado do sul do Brasil.

Análise da integração de unidades de emergência às redes de atenção à saúde em um estado do sul do Brasil. Análise da integração de unidades de emergência às redes de atenção à saúde em um estado do sul do Brasil. Autores: Liza Yurie Teruya Uchimura (Universidade de São Paulo) Ana Luiza D Àvila Viana (Universidade

Leia mais

R. Benfica nº 455, Madalena, Recife, PE 50.720-001 Brasil

R. Benfica nº 455, Madalena, Recife, PE 50.720-001 Brasil EXPERIÊNCIA NA IMPLANTAÇÃO DE NÚCLEO DE TELESSAÚDE: SISTEMATIZAÇÃO DE PROBLEMAS E SOLUÇÕES Melo R.A.M. 1, Oliveira F.R.S. 2, Sarinho S.W. 1, Neto, F.B.L. 2 1 Universidade de Pernambuco, Faculdade de Ciências

Leia mais

SEU IMPOSTO DE RENDA NO COMBATE AO CANCER INFANTOJUVENIL

SEU IMPOSTO DE RENDA NO COMBATE AO CANCER INFANTOJUVENIL SEU IMPOSTO DE RENDA ^ NO COMBATE AO CANCER INFANTOJUVENIL SEU IMPOSTO DE RENDA NO COMBATE AO CÂNCER INFANTOJUVENIL 3 Conselho de Administração Sergio Antonio Garcia Amoroso Presidente Fernando de Castro

Leia mais

O EMPODERAMENTO DO USUÁRIO SUBMETIDO À LARINGECTOMIA TOTAL 1. RESUMO

O EMPODERAMENTO DO USUÁRIO SUBMETIDO À LARINGECTOMIA TOTAL 1. RESUMO O EMPODERAMENTO DO USUÁRIO SUBMETIDO À LARINGECTOMIA TOTAL 1. FARÃO, Elaine Miguel Delvivo 2 ; SOARES, Rhéa Silvia de Ávila 3 ; SAUL, Alexandra Micheline Real 4 ; WEILLER, Terezinha Heck 5 ; ENGEL, Rosana

Leia mais

MS777: Projeto Supervisionado Estudos sobre aplicações da lógica Fuzzy em biomedicina

MS777: Projeto Supervisionado Estudos sobre aplicações da lógica Fuzzy em biomedicina MS777: Projeto Supervisionado Estudos sobre aplicações da lógica Fuzzy em biomedicina Orientador: Prof. Dr. Laécio C. Barros Aluna: Marie Mezher S. Pereira ra:096900 DMA - IMECC - UNICAMP 25 de Junho de

Leia mais

Avaliação de desempenho de instituições federais de ensino superior através da análise por envoltória de dados (DEA)

Avaliação de desempenho de instituições federais de ensino superior através da análise por envoltória de dados (DEA) Avaliação de desempenho de instituições federais de ensino superior através da análise por envoltória de dados (DEA) Carlos Eduardo Martins de Oliveira (UNIFEI) caedunifei@gmail.com João Batista Turrioni,

Leia mais

Oncogenética: quando suspeitar e encaminhar para avaliação.

Oncogenética: quando suspeitar e encaminhar para avaliação. Oncogenética: quando suspeitar e encaminhar para avaliação. Simône Noronha Oncologista Clínica Serviço de Oncogenética Hospital São José Qual a importância do reconhecimento de Síndromes hereditárias relacionadas

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DOS HOMENS QUE REALIZAM O EXAME DE DOSAGEM DO ANTÍGENO PROSTÁTICO ESPECÍFICO (PSA) NO MUNÍCIPIO DE MARINGÁ-PR

CARACTERIZAÇÃO DOS HOMENS QUE REALIZAM O EXAME DE DOSAGEM DO ANTÍGENO PROSTÁTICO ESPECÍFICO (PSA) NO MUNÍCIPIO DE MARINGÁ-PR 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 CARACTERIZAÇÃO DOS HOMENS QUE REALIZAM O EXAME DE DOSAGEM DO ANTÍGENO PROSTÁTICO ESPECÍFICO (PSA) NO MUNÍCIPIO DE MARINGÁ-PR Priscila Canno 1 ; Mauricio

Leia mais

DELMA P. OLIVEIRA DE SOUZA

DELMA P. OLIVEIRA DE SOUZA DELMA P. OLIVEIRA DE SOUZA TÍTULO: USO DE DROGAS PSICOATIVAS ENTRE ESTUDANTES ADOLESCENTES TRABALHADORES E NÃO TRABALHADORES DA REDE ESTADUAL DE ENSINO DE CUIABÁ, MATO GROSSO Tese apresentada à Universidade

Leia mais

Universidade do Estado do Rio de Janeiro Vice-Reitoria Curso de Abordagem da Violência na Atenção Domiciliar Unidade 1 Introdução

Universidade do Estado do Rio de Janeiro Vice-Reitoria Curso de Abordagem da Violência na Atenção Domiciliar Unidade 1 Introdução Universidade do Estado do Rio de Janeiro Vice-Reitoria Curso de Abordagem da Violência na Atenção Domiciliar Unidade 1 Introdução Em Introdução, veremos os conceitos gerais referentes à violência, sua

Leia mais

TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DE ENFERMAGEM 1ª TURMA - 2005/2009 DIURNO

TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DE ENFERMAGEM 1ª TURMA - 2005/2009 DIURNO TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DE ENFERMAGEM 1ª TURMA - 2005/2009 DIURNO CASSIO CRISTIANNO PEREIRA LIMA ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM A PACIENTES IDOSOS COM ENFISEMA PULMONAR DEBORA GUIMARÃES SILVA O DESAFIO

Leia mais

Perfil epidemiológico dos pacientes atendidos no CEO Cidade Tiradentes - Município de

Perfil epidemiológico dos pacientes atendidos no CEO Cidade Tiradentes - Município de Perfil epidemiológico dos pacientes atendidos no CEO Cidade Tiradentes - Município de São Paulo - na especialidade de Estomatologia. Epidemiologic profile of the patients treated at Stomatology Service

Leia mais