Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org"

Transcrição

1 Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

2 Fórum Social Mundial 2006: Desafios e possibilidades de um fórum mundial policêntrico I. Justificativa O Fórum Social Mundial consolidou-se como principal espaço de articulação dos movimentos sociais alter-mundialistas em escala planetária. O fortalecimento e maior reconhecimento da relevância estratégica do Fórum não se expressam apenas no número crescente de participantes presentes nos eventos realizados nos últimos cinco anos. Cresce e se mundializa a realização de fórum locais, regionais e nacionais; ampliam-se os temas debatidos; fortalecem-se as campanhas e movimentos articulados nos eventos e como parte do processo; expande-se a diversidade de movimentos e atores sociais engajados. Afirma-se, portanto, com força significativa e transformadora uma nova cultura política de enfrentamento da globalização neoliberal, construída com base na diversidade e no diálogo entre diferentes formas de luta e expressão da sociedade civil, que neste início de século começa a ganhar, efetivamente, a escala planetária. Este crescimento traz em si novos desafios e exige a construção permanente de novas formas de articulação e encontro. Diante disto, o Conselho Internacional do FSM, reunido em Porto Alegre, em janeiro de 2005, decidiu que no ano de 2006 o FSM assumirá, pela primeira vez, uma forma policêntrica. Como consta no Boletim FSM que noticia esta decisão: Em reunião do Conselho Internacional, realizada nos dias 24 e 25 de janeiro, foi decidido que o FSM será realizado de forma descentralizada, em diferentes lugares do mundo em Com isso, o FSM reafirma o compromisso com sua Carta de Princípios, buscando se tornar um processo permanente de construção de alternativas, que não se reduz aos eventos em que se apóia. Esta decisão ousada implicou na intensificação dos esforços realizados nos últimos meses pelo Conselho Internacional como um todo, e por suas diversas comissões de trabalho, no sentido de garantir a realização de eventos que mantivessem a articulação em torno de um conjunto compartilhado de princípios, métodos e temas de debate. Ao mesmo tempo, o apelo lançado em janeiro e referendado na reunião do Conselho Memória FSM memoriafsm.org 1

3 Internacional realizada em Utrecht, em maio de 2005, alcançou pleno êxito em seu último e mais recente encontro, realizado em Barcelona, entre os dias 19 e 22 de junho. Ali, foi definitivamente referenda a realização de três eventos simultâneos, que acontecerão entre os dias 24 e 29 de janeiro, como capítulos do Fórum Policêntrico 2006, nas cidades de Caracas, na Venezuela; Bamako, em Mali, e Karach, no Paquistão. O Comitê Organizador de cada um destes capítulos do Fórum Policêntrico, presentes na reunião de Barcelona, iniciou as exigentes atividades de organização dos eventos; a sociedade civil nacional e internacional está sendo ativamente mobilizada para participar desde já de todo o processo de construção dos Fóruns. Por outro lado, o Conselho Internacional, desenhou uma estratégia capaz de facilitar e estimular o diálogo e a integração permanente entre estas iniciativas. Estamos conscientes dos desafios e confiantes na possibilidade de que efetivamente 2006 represente um momento estratégico de fortalecimento e expansão do processo FSM. Agora, torna-se urgente garantir recursos financeiros que permitam a implementação do plano de ação elaborado pelo Conselho Internacional com a participação dos Comitês Organizadores dos três Capítulos Policêntricos. Na última reunião, o plano de trabalho imediato foi desenhado nos termos que reproduzimos abaixo, e que constam do relatório da reunião de Barcelona: Luego de un rico debate e intercambio de ideas en relación a los próximos pasos se consensuó: 1) Realización de una reunión de trabajo, que no crea aún estructuras, con el objetivo de continuar con la preparación y articulación de los Foros policéntricos y elaborar un plan de trabajo hasta enero de En esta reunión participarían:: miembros de los Comités de Organización de cada uno de los foros policéntricos, designados por esto; miembros del antiguo secretariado internacional (Brasil, India); miembros de las Comisiones del Consejo Internacional involucradas en esta preparación (especialmente Metodología, Contenidos, Recursos y Comunicación) y abierta a otras comisiones que deseen aprovechar esta oportunidad para reunirse. Dicha reunión contará con el apoyo de la oficina técnica de San Pablo y se realizará en el mes de septiembre en una de las tres regiones sedes de los foros policéntricos, Memória FSM memoriafsm.org 2

4 preferentemente en Africa (la decisión final será adoptada en dos semanas aproximadamente). 2) Paralelamente, hasta la próxima reunión del CI, las comisiones de estrategia y de expansión realizarán las propuestas sugeridas en esta reunión del CI en Barcelona, y profundizarán las distintas propuestas y posibilidades en cuanto a la arquitectura de facilitación (que prioritariamente debe organizar y preparar las reuniones del CI, ayudar a las comisiones del CI y preparar y organizar los debates estratégicos) la estrategia del CI y la expansión del proceso. 3) Los grupos de trabajo que se encuentran funcionando con el aval del CI continuarán trabajando. 4) La oficina técnica del FSM funcionará en la ciudad de San Pablo hasta el año 2008, existiendo un compromiso para que a partir de ese año mude su sede a otra ciudad. II. Objetivo específico Este projeto visa garantir os recursos necessários para operacionalizar as decisões tomadas pelo Conselho Internacional do Fórum Social Mundial em sua última reunião, realizada em Barcelona, no sentido de garantir a realização articulada de três capítulos do Fórum Social Mundial Policêntrico, em janeiro de Os eventos terão lugar nas cidades de Caracas, na Venezuela; Bamako, em Mali, e Karach, no Paquistão. III. Atividades previstas No contexto do presente projeto e prevendo as atividades iniciais e mais urgentes para garantir a realização articulada dos três capítulos do Fórum Policêntrico, propomos: 1. Reunião de trabalho para consolidação de um orçamento comum e estratégia de financiamento para dar sustentabilidade ao Fsm. O desafio de realizar um Fórum simultâneo em três cidades, implica o esforço de construir uma nova arquitetura financeira de viabilização dos eventos. O aprendizado Memória FSM memoriafsm.org 3

5 coletivo que o FSM 2005 nos deixou é que as decisões políticas têm custos financeiros que precisam ser assumidos de forma transparente, coletiva e responsável. É urgente, portanto, consolidar um orçamento comum, que integre os orçamentos específicos de cada capítulo do FSM 2006 e, definir as estratégias com distribuição de responsabilidades, quando à mobilização de recursos. Neste sentido, propõe-se a realização de uma reunião de trabalho envolvendo membros da Comissão de Recursos do CI (4 pessoas), do Grupo Facilitador Brasileiro (2 pessoas) e de cada um dos Comitês Organizadores (2 pessoas de cada país, em um total de 6 pessoas). A reunião deverá ocorrer na Holanda, em Haya, nos dias 15/16 ou 25/26 de agosto de A reunião deverá produzir um documento único, comum e capaz de garantir a captação dos recursos necessários para o conjunto de atividades previstas para o FSM Reunião de trabalho dos COs, do Grupo Facilitador Brasileiro (antigo secretariado internacional) e Comissões do CI Conforme decisão do Conselho Internacional, reproduzida acima, será realizada uma reunião de trabalho em setembro, visando aprofundar as iniciativas de articulação e integração dos esforços envolvidos na realização do FSM Esta reunião será realizada, possivelmente, na África. O montante de recursos necessários para sua realização ainda não está definido, mas consideramos essencial garantir desde já os meios para viabilizar as atividades de tradução e para um Fundo de Solidariedade que garanta a presença representativa de entidades dos países do Sul, vinculadas a este processo. 3. Reuniões em cada um dos três países sede do FSM 2006 Em prosseguimento às atividades de organização do FSM 2006 e de acordo com um detalhamento do plano de trabalho a ser elaborado na reunião de setembro, está prevista a realização de reuniões em cada uma das cidades sede do FSM Policêntrico, com a Memória FSM memoriafsm.org 4

6 presença de representantes das comissões de trabalho do Conselho Internacional. A idéia é que estas visitas, seguidas de seminários e reuniões de trabalho, aproveitem a positiva experiência de organização do FSM Naquela ocasião, seminários de trabalho realizados em Porto Alegre contando com a presença de membros do CI, garantiram a ampliação da participação da sociedade civil local nos processos de preparação do FSM. Os seminários de trabalho local terão como foco a organização do território social mundial em cada uma das cidades; a metodologia de consulta e aglutinação de atividades proposta como ponto comum entre os três eventos; e as atividades de comunicação. IV. Orçamento (em euros) Atividade 1: Reunião de trabalho para consolidação de um orçamento comum I. Passagens ,00 II. Estadia e alimentação 6.000,00 III. Imprevistos apoio de secretaria 1.000,00 TOTAL ,00 Atividade 2: reunião de trabalho dos COs, do Grupo Facilitador Brasileiro (antigo secretariado internacional) e Comissões do CI. I. Tradução II. Fundo de Solidariedade III. Apoio ao Grupo facilitador TOTAL ,00 Atividade 3: reuniões em cada um dos três países sede do FSM 2006 a. Reunião Caracas I. Passagens 7.500,00 II. Estadia e alimentação 1.500,00 Memória FSM memoriafsm.org 5

7 III. Imprevistos apoio de secretaria 1.000,00 TOTAL ,00 b. Reunião Karachi I. Passagens 7.500,00 II. Estadia e alimentação 1.500,00 III. Imprevistos apoio de secretaria 1.000,00 TOTAL ,00 c. Reunião Mali I. Passagens 7.500,00 II. Estadia e alimentação 1.500,00 III. Imprevistos apoio de secretaria 1.000,00 TOTAL ,00 TOTAL GERAL ,00 Memória FSM memoriafsm.org 6

Realização: FEDERAÇÃO CATARINENSE DE MUNICÍPIOS

Realização: FEDERAÇÃO CATARINENSE DE MUNICÍPIOS FEDERAÇÃO CATARINENSE DE MUNICÍPIOS Núcleos de Defesa Civil (NUDECs): estruturação, atribuições e funcionamento Regina Panceri Gerente Capacitação, Pesquisa e Projetos SDC 3 O que é, o que é????? O que

Leia mais

A CONSTITUIÇÃO DO FÓRUM PERMANENTE DA PESSOA IDOSA NA REGIÃO DOS CAMPOS GERAIS

A CONSTITUIÇÃO DO FÓRUM PERMANENTE DA PESSOA IDOSA NA REGIÃO DOS CAMPOS GERAIS 8. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA A CONSTITUIÇÃO DO FÓRUM PERMANENTE DA PESSOA IDOSA NA REGIÃO DOS CAMPOS GERAIS Maria Iolanda de Oliveira 1 Rita de

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org FSM 2009: ENCONTRO SEM FRONTEIRAS AMAPÁ/SURINAME/GUIANAS TEMA: MIGRAÇÕES HUMANAS & DIREITOS HUMANOS

Leia mais

Solicitud de Coordinación Comisión de Economía Social y Solidaria PROPUESTA DE PROYECTO DE TRABAJO PERIODO 2015-2016

Solicitud de Coordinación Comisión de Economía Social y Solidaria PROPUESTA DE PROYECTO DE TRABAJO PERIODO 2015-2016 Solicitud de Coordinación Comisión de Economía Social y Solidaria ---------------------------------------------------------------------------------------------- Presentada por la Ciudad de: Osasco, Sp,

Leia mais

POLÍTICA DE RELACIONAMENTO CORPORATIVO COM GRANDES CLIENTES

POLÍTICA DE RELACIONAMENTO CORPORATIVO COM GRANDES CLIENTES POLÍTICA DE RELACIONAMENTO CORPORATIVO COM GRANDES CLIENTES CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA CNI DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA SESI, SENAI E IEL GERÊNCIA EXECUTIVA DE RELAÇÕES COM O MERCADO BRASÍLIA,

Leia mais

FÓRUM NACIONAL PERMANENTE DA SOCIEDADE CIVIL PELOS DIREITOS DA PESSOA IDOSA

FÓRUM NACIONAL PERMANENTE DA SOCIEDADE CIVIL PELOS DIREITOS DA PESSOA IDOSA FÓRUM NACIONAL PERMANENTE DA SOCIEDADE CIVIL PELOS DIREITOS DA PESSOA IDOSA REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM NACIONAL DOS PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º O FÓRUM NACIONAL PERMANENTE DA SOCIEDADE CIVIL PELOS DIREITOS

Leia mais

EIXO V 348. Gestão Democrática, Participação Popular e Controle Social 349. A articulação e mobilização da sociedade civil e de setores do Estado

EIXO V 348. Gestão Democrática, Participação Popular e Controle Social 349. A articulação e mobilização da sociedade civil e de setores do Estado EIXO V 348. Gestão Democrática, Participação Popular e Controle Social 349. A articulação e mobilização da sociedade civil e de setores do Estado assumiram grande importância, especialmente a partir do

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org 3º Acampamento Intercontinental da Juventude Cidade Laboratório de Um Outro Mundo Possível Porto

Leia mais

Projetos compartilhados

Projetos compartilhados espaço ibero-americano espacio iberoamericano Projetos compartilhados OEI inicia o Programa Arte-educação, Cultura e Cidadania e o Projeto Ibero-americano de Teatro Infantojuvenil A aprendizagem da arte

Leia mais

Três exemplos de sistematização de experiências

Três exemplos de sistematização de experiências Três exemplos de sistematização de experiências Neste anexo, apresentamos alguns exemplos de propostas de sistematização. Estes exemplos não são reais; foram criados com propósitos puramente didáticos.

Leia mais

Planejamento estratégico 2016-2019

Planejamento estratégico 2016-2019 Planejamento estratégico 2016-2019 Fortalecer as instituições e a qualidade dos serviços públicos para fortalecer a democracia e a competitividade. www.agendapublica.org.br 2 GOVERNANÇA PARA UM FUTURO

Leia mais

DIÁLOGOS PARA A SUPERAÇÃO DA POBREZA

DIÁLOGOS PARA A SUPERAÇÃO DA POBREZA PARTE III DIÁLOGOS PARA A SUPERAÇÃO DA POBREZA Gilberto Carvalho Crescer distribuindo renda, reduzindo desigualdades e promovendo a inclusão social. Esse foi o desafio assumido pela presidente Dilma Rousseff

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 5/2014

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 5/2014 PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 5/2014 Dispõe sobre a reorganização da Rede Nacional de Certificação Profissional - Rede Certific. OS MINISTROS DE ESTADO DA EDUCAÇÃO E DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO, no

Leia mais

POR QUE UMA NOVA ESCOLA NO CAMPO?

POR QUE UMA NOVA ESCOLA NO CAMPO? 1 POR QUE UMA NOVA ESCOLA NO CAMPO? O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural SENAR e o Instituto CNA, integrantes do Sistema CNA, o primeiro responsável pelo desenvolvimento de ações de Formação Profissional

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS PROJETO BRA/10/007

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS PROJETO BRA/10/007 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS PROJETO BRA/10/007 BOAS PRÁTICAS EM REDES NA IMPLANTAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA: SIPIA CONSELHO

Leia mais

Plano de Comunicação: Projeto Tecnologias Sociais Para Empreendimentos Solidários da UNISINOS 1

Plano de Comunicação: Projeto Tecnologias Sociais Para Empreendimentos Solidários da UNISINOS 1 Plano de Comunicação: Projeto Tecnologias Sociais Para Empreendimentos Solidários da UNISINOS 1 Cassandra BRUNETTO 2 Deisi BUENO 3 Marina MARTINS 4 Tatiane FLORES 5 Vera Regina SCHMITZ 6 Universidade do

Leia mais

Curso: Diagnóstico Comunitário Participativo.

Curso: Diagnóstico Comunitário Participativo. Curso: Diagnóstico Comunitário Participativo. Material referente ao texto do Módulo 3: Ações Básicas de Mobilização. O conhecimento da realidade é a base fundamental ao desenvolvimento social, que visa

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA

POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA 1. Concepções e diretrizes políticas para áreas; Quando falamos de economia solidária não estamos apenas falando de geração de trabalho e renda através de empreendimentos

Leia mais

Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental e dá outras providências.

Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental e dá outras providências. Versão final do Workshop 09/07/2010 PROJETO DE LEI ESTADUAL - PARANÁ Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental e dá outras providências. CAPÍTULO I DA EDUCAÇÃO

Leia mais

Saúde pública de qualidade para cuidar bem das pessoas: direito do povo brasileiro

Saúde pública de qualidade para cuidar bem das pessoas: direito do povo brasileiro Saúde pública de qualidade para cuidar bem das pessoas: direito do povo brasileiro Objetivos da 15ª. Reafirmar, impulsionar e efetivar os princípios e diretrizes do SUS- saúde como DH Mobilizar e estabelecer

Leia mais

Proposta de Plano de Desenvolvimento Local para a região do AHE Jirau

Proposta de Plano de Desenvolvimento Local para a região do AHE Jirau Proposta de Plano de Desenvolvimento Local para a região do AHE Jirau Fundação Getulio Vargas, Abril de 2011 REGIÃO PODE TER LEGADO COMPATÍVEL COM DESENVOLVIMENTO INOVADOR E SUSTENTÁVEL Deixar um legado

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO E LINGUAGEM (CEEL)

REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO E LINGUAGEM (CEEL) REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO E LINGUAGEM (CEEL) TÍTULO 1 Da Instituição e seus Fins Art. 1 0 O Centro de Estudos em Educação e Linguagem (CEEL), criado em 2004, para integrar uma

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org documento inicial Portal do Fórum Social Mundial introdução Entendemos que um site como do Fórum

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO EDITAL 016/2010 - PROJETO BRA/06/032 CÓDIGO: ALTO IMPACTO O Projeto BRA/06/032 comunica que

Leia mais

PROGRAMA RS TECNÓPOLE

PROGRAMA RS TECNÓPOLE GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA CIÊNCIA, INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO PROGRAMA RS TECNÓPOLE Porto Alegre, abril de 2011. 1 1. CONCEITOS BÁSICOS E ANTECEDENTES A inovação

Leia mais

INFORME DO CENTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DE DEFESA PARA A VI REUNIÃO ORDINÁRIA DA INSTÂNCIA EXECUTIVA DO CDS Assunção, 4 de junho de 2012

INFORME DO CENTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DE DEFESA PARA A VI REUNIÃO ORDINÁRIA DA INSTÂNCIA EXECUTIVA DO CDS Assunção, 4 de junho de 2012 INFORME DO CENTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DE DEFESA PARA A VI REUNIÃO ORDINÁRIA DA INSTÂNCIA EXECUTIVA DO CDS Assunção, 4 de junho de 2012 O presente informe refere-se às atividades e produtos desenvolvidos

Leia mais

1. Resolver um problema

1. Resolver um problema 1. Resolver um problema resolução de problemas no futebol inclui o conjunto de etapas essenciais à realização de uma A ação. Resolver um determinado problema é ter a capacidade de: Identificar o problema:

Leia mais

Carta do Movimento Paz & Proteção

Carta do Movimento Paz & Proteção Carta do Movimento Paz & Proteção A infância é considerada merecedora de proteção especial por todas as religiões do mundo. A violência contra crianças e adolescentes, assim como a exploração e o abuso,

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Grupo Atitude Vila Macedo

Mostra de Projetos 2011. Grupo Atitude Vila Macedo Mostra de Projetos 2011 Grupo Atitude Vila Macedo Mostra Local de: Piraquara Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Centro de Referência

Leia mais

Quem somos PRINCÍPIO: PROPÓSITO: PROPOSIÇÃO DE VALOR:

Quem somos PRINCÍPIO: PROPÓSITO: PROPOSIÇÃO DE VALOR: Quem somos PRINCÍPIO: Acreditamos no potencial de diversos atores cocriando soluções para os desafios da atualidade e colaborando para a transição da economia e da sociedade para modelos mais justos, sustentáveis

Leia mais

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO FREGUESIA

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO FREGUESIA NORMAS DE PARTICIPAÇÃO FREGUESIA Uma iniciativa de: Índice Capítulo I Âmbito... 1 Artigo 1.º Objeto... 1 Artigo 2.º Definições... 1 Artigo 3º Apelos Freguesia 21... 1 Artigo 4.º Objetivos dos Apelos Freguesia

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA DADOS DA CONSULTORIA

TERMO DE REFERÊNCIA DADOS DA CONSULTORIA TERMO DE REFERÊNCIA DADOS DA CONSULTORIA Função no Projeto: Contratação de consultoria especializada para desenhar estratégias de alinhamento e replicação dos projetos a serem desenvolvidos por ONGs na

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: ELABORAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE PROJETOS PEDAGÓGICOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: ELABORAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE PROJETOS PEDAGÓGICOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: ELABORAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE PROJETOS PEDAGÓGICOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM Resumo Gisele Gomes Avelar Bernardes- UEG 1 Compreendendo que a educação é o ponto chave

Leia mais

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC CURSO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL URBANO E RURAL ROBERTO CORRÊA DA SILVA

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC CURSO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL URBANO E RURAL ROBERTO CORRÊA DA SILVA UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC CURSO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL URBANO E RURAL ROBERTO CORRÊA DA SILVA Plano Diretor como Indicador de Políticas Públicas para o Desenvolvimento do Município de São Bento

Leia mais

INTRODUÇÃO. Sobre o Sou da Paz: Sobre os Festivais Esportivos:

INTRODUÇÃO. Sobre o Sou da Paz: Sobre os Festivais Esportivos: 1 INTRODUÇÃO Sobre o Sou da Paz: O Sou da Paz é uma organização que há mais de 10 anos trabalha para a prevenção da violência e promoção da cultura de paz no Brasil, atuando nas seguintes áreas complementares:

Leia mais

Desafios para a gestão escolar com o uso de novas tecnologias Mariluci Alves Martino

Desafios para a gestão escolar com o uso de novas tecnologias Mariluci Alves Martino Desafios para a gestão escolar com o uso de novas tecnologias Mariluci Alves Martino A escola e a gestão do conhecimento Entender as instituições educacionais pressupõe compreendê-las e colocá-las em relação

Leia mais

PARA ONDE VAMOS? Uma reflexão sobre o destino das Ongs na Região Sul do Brasil

PARA ONDE VAMOS? Uma reflexão sobre o destino das Ongs na Região Sul do Brasil PARA ONDE VAMOS? Uma reflexão sobre o destino das Ongs na Região Sul do Brasil Introdução Mauri J.V. Cruz O objetivo deste texto é contribuir num processo de reflexão sobre o papel das ONGs na região sul

Leia mais

VII ENCONTRO NORTE DE ONGS ERONG 2013 30/05 a 01/06 de 2013, Porto Velho - Rondônia. Documento Norteador

VII ENCONTRO NORTE DE ONGS ERONG 2013 30/05 a 01/06 de 2013, Porto Velho - Rondônia. Documento Norteador VII ENCONTRO NORTE DE ONGS ERONG 2013 30/05 a 01/06 de 2013, Porto Velho - Rondônia. Documento Norteador I - INFORMAÇOES GERAIS E ORGANIZAÇÃO Tema: Sustentabilidade da Participação Social na Resposta Brasileira

Leia mais

Mobilização e Participação Social no

Mobilização e Participação Social no SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Mobilização e Participação Social no Plano Brasil Sem Miséria 2012 SUMÁRIO Introdução... 3 Participação

Leia mais

Período Fevereiro a Maio de 2014

Período Fevereiro a Maio de 2014 Relatório da Campanha Participação Período Fevereiro a Maio de 2014 Assunto Objetivo Observadores(as) Campanha de sensibilização para a importância da participação da sociedade nos espaços de debate e

Leia mais

Fundo Brasileiro para a Biodiversidade

Fundo Brasileiro para a Biodiversidade TERMO DE REFERÊNCIA nº 013/2015 Contratação na Área de Projetos Especiais Responsável: Leonardo Geluda Setor: Área de Projetos Especiais Rio de Janeiro, 2 de junho de 2015 1. Identificação Recrutamento

Leia mais

Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda.

Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda. Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda. Resumo Com a globalização e os avanços tecnológicos, as empresas estão operando num ambiente altamente competitivo e dinâmico. As organizações que quiserem

Leia mais

A Aliança de Cidades e a política habitacional de São Paulo

A Aliança de Cidades e a política habitacional de São Paulo Capítulo 4 A Aliança de Cidades e a política habitacional de São Paulo Ações de planejamento estratégico combinadas a estudos no âmbito deste projeto contribuíram, como já apresentado, para a elaboração

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERENCIA PROCESSO LICITATÓRIO Nº 006/2011- FAO/GCP/BRA/070/EC

ANEXO I TERMO DE REFERENCIA PROCESSO LICITATÓRIO Nº 006/2011- FAO/GCP/BRA/070/EC FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS ORGANISATION DES NATIONS UNIES POUR L ALIMENTATION ET L AGRICULTURE ORGANIZACION DE LAS NACIONES UNIDAS PARA LA AGRICULTURA Y LA ALIMENTACION ORGANIZAÇÃO

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO (PME)

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO (PME) PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO (PME) NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL (NEA) SEMED TÉCNICAS RESPONSÁVEIS: REGINA FREIRE ARNALDO DO NASCIMENTO (GESTORA AMBIENTAL) E SOLANGE ALVES OLIVEIRA (BIÓLOGA) LEI N o 9.795,

Leia mais

ENSINO SUPERIOR: PRIORIDADES, METAS, ESTRATÉGIAS E AÇÕES

ENSINO SUPERIOR: PRIORIDADES, METAS, ESTRATÉGIAS E AÇÕES ENSINO SUPERIOR: PRIORIDADES, METAS, ESTRATÉGIAS E AÇÕES Introdução Paulo Speller 1 Nos anos recentes, diversos países vem debatendo a possibilidade de promoverem alterações em seus sistemas de educação

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL 2010/2014 RESUMO

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL 2010/2014 RESUMO PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL 2010/2014 RESUMO 1. INTRODUÇÃO A indústria moveleira na região norte do Espírito Santo iniciou com o surgimento de grupos populacionais próximos da região de Colatina. Esse

Leia mais

Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM. memoriafsm.org

Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM. memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Descrição de atividades escritório FSM em 2008 Contexto de funcionamento As atividades desenvolvidas

Leia mais

RIAD Descentralização da gestão pública e a contribuição do Planejamento Territorial

RIAD Descentralização da gestão pública e a contribuição do Planejamento Territorial Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos RIAD Descentralização da gestão pública e a contribuição do Planejamento Territorial Recife, 26 de

Leia mais

O Marco de Ação de Dakar Educação Para Todos: Atingindo nossos Compromissos Coletivos

O Marco de Ação de Dakar Educação Para Todos: Atingindo nossos Compromissos Coletivos O Marco de Ação de Dakar Educação Para Todos: Atingindo nossos Compromissos Coletivos Texto adotado pela Cúpula Mundial de Educação Dakar, Senegal - 26 a 28 de abril de 2000. 1. Reunidos em Dakar em Abril

Leia mais

OBJETIVOS PÚBLICO ALVO

OBJETIVOS PÚBLICO ALVO O Brasil é um país com grande capacidade produtiva. Suas riquezas em matéria-prima e diversidade cultural contribuem para que o país seja criativo e potencialmente inovador. No entanto, o design, por muito

Leia mais

Gestão de impactos sociais nos empreendimentos Riscos e oportunidades. Por Sérgio Avelar, Fábio Risério, Viviane Freitas e Cristiano Machado

Gestão de impactos sociais nos empreendimentos Riscos e oportunidades. Por Sérgio Avelar, Fábio Risério, Viviane Freitas e Cristiano Machado Gestão de impactos sociais nos empreendimentos Riscos e oportunidades Por Sérgio Avelar, Fábio Risério, Viviane Freitas e Cristiano Machado A oferta da Promon Intelligens considera o desenvolvimento de

Leia mais

1. O papel da Educação no SUS

1. O papel da Educação no SUS Departamento de Gestão da Educação na Saúde SGTES Formação de facilitadores de educação permanente em saúde uma oferta para os pólos e para o Ministério da Saúde 1. O papel da Educação no SUS O SUS, mesmo

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO DEPARTAMENTO REGIONAL DE PERNAMBUCO. Faculdade Senac PE/Sesc PE

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO DEPARTAMENTO REGIONAL DE PERNAMBUCO. Faculdade Senac PE/Sesc PE SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO DEPARTAMENTO REGIONAL DE PERNAMBUCO Faculdade Senac PE/Sesc PE FACULDADE ABERTA À TERCEIRA IDADE 2014.2 O Sistema FECOMÉRCIO, através

Leia mais

Plano Municipal de Educação

Plano Municipal de Educação Plano Municipal de Educação Denise Carreira I Encontro Educação para uma Outra São Paulo 30 de novembro de 2007 O Plano Municipal de Educação e as reivindicações dos movimentos e organizações da cidade

Leia mais

Rádio escolar, vídeo popular e cineclube popular: um panorama sobre a atuação do Grupo de Estudos e Extensão em Comunicação e Educação Popular

Rádio escolar, vídeo popular e cineclube popular: um panorama sobre a atuação do Grupo de Estudos e Extensão em Comunicação e Educação Popular Rádio escolar, vídeo popular e cineclube popular: um panorama sobre a atuação do Grupo de Estudos e Extensão em Comunicação e Educação Popular Djalma Ribeiro Junior Universidade Federal de São Carlos O

Leia mais

Crescimento: uma nova abordagem para levar o sistema educacional de Salvador a um avanço e uma transformação radicais.

Crescimento: uma nova abordagem para levar o sistema educacional de Salvador a um avanço e uma transformação radicais. Crescimento: uma nova abordagem para levar o sistema educacional de Salvador a um avanço e uma transformação radicais. DAVID ALBURY Diretor, Innovation Unit (UK) www.innovationunit.org Diretor de Projetos

Leia mais

Foco: Mulheres beneficiárias do Programa Bolsa Família

Foco: Mulheres beneficiárias do Programa Bolsa Família Projeto de Educação Financeira de Adultos Foco: Mulheres beneficiárias do Programa Bolsa Família Relatório Parcial A AEF-Brasil é uma entidade da sociedade civil que promove e executa ações transversais

Leia mais

TRABALHANDO A EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NO CONTEXTO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA: REFLEXÕES A PARTIR DE UMA EXPERIÊNCIA NA SAÚDE DA FAMÍLIA EM JOÃO PESSOA-PB

TRABALHANDO A EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NO CONTEXTO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA: REFLEXÕES A PARTIR DE UMA EXPERIÊNCIA NA SAÚDE DA FAMÍLIA EM JOÃO PESSOA-PB TRABALHANDO A EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NO CONTEXTO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA: REFLEXÕES A PARTIR DE UMA EXPERIÊNCIA NA SAÚDE DA FAMÍLIA EM JOÃO PESSOA-PB Autoria: Islany Costa Alencar¹, Renata Duarte Moreira¹,

Leia mais

PLANO DE MARKETING: UMA PROPOSTA PARA A AGÊNCIA DE VIAGENS COM FOCO NO PÚBLICO SÊNIOR DE SANTA VITÓRIA DO PALMAR (RS)

PLANO DE MARKETING: UMA PROPOSTA PARA A AGÊNCIA DE VIAGENS COM FOCO NO PÚBLICO SÊNIOR DE SANTA VITÓRIA DO PALMAR (RS) PLANO DE MARKETING: UMA PROPOSTA PARA A AGÊNCIA DE VIAGENS COM FOCO NO PÚBLICO SÊNIOR DE SANTA VITÓRIA DO PALMAR (RS) RESUMO: O objetivo deste trabalho é apresentar um Plano de Marketing para uma agência

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Plataforma Global de luta pela Água V Fórum Social Mundial No marco do V Fórum Social Mundial, em

Leia mais

CONSTRUTORA ÁPIA Praça Santo Antônio, 100 Aeroporto. Cep: 31270-860 Belo Horizonte. Minas Gerais Tel: (31) 3490.4200. grupoapia.com.

CONSTRUTORA ÁPIA Praça Santo Antônio, 100 Aeroporto. Cep: 31270-860 Belo Horizonte. Minas Gerais Tel: (31) 3490.4200. grupoapia.com. CONSTRUTORA ÁPIA Praça Santo Antônio, 100 Aeroporto. Cep: 31270-860 Belo Horizonte. Minas Gerais Tel: (31) 3490.4200 grupoapia.com.br EVOLUINDO A CADA DIA, para crescermos fortes,assumindo nossa parte

Leia mais

SABER E ATUAR PARA MELHORAR O MUNDO: ÉTICA, CIDADANIA E MEIO AMBIENTE. DE OLHO NO ÓLEO (Resíduos líquidos) Dulce Florinda de Souza Lins.

SABER E ATUAR PARA MELHORAR O MUNDO: ÉTICA, CIDADANIA E MEIO AMBIENTE. DE OLHO NO ÓLEO (Resíduos líquidos) Dulce Florinda de Souza Lins. SABER E ATUAR PARA MELHORAR O MUNDO: ÉTICA, CIDADANIA E MEIO AMBIENTE. DE OLHO NO ÓLEO (Resíduos líquidos) Dulce Florinda de Souza Lins. RIO VERDE GO 2010 Identificação: EMEF José do Prado Guimarães. Série:

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org FSM 2005: GT de Comunicação NOTA CONCEITUAL Propostas para uma outra comunicação no FSM A comunicação

Leia mais

7 etapas para construir um Projeto Integrado de Negócios Sustentáveis de sucesso

7 etapas para construir um Projeto Integrado de Negócios Sustentáveis de sucesso 7 etapas para construir um Projeto Integrado de Negócios Sustentáveis de sucesso Saiba como colocar o PINS em prática no agronegócio e explore suas melhores opções de atuação em rede. Quando uma empresa

Leia mais

Análise jurídica para a ratificação da Convenção 102 da OIT

Análise jurídica para a ratificação da Convenção 102 da OIT Análise jurídica para a ratificação da Convenção 102 da OIT A análise do quadro jurídico para a ratificação da Convenção 102 da OIT por Cabo Verde, inscreve-se no quadro geral da cooperação técnica prestada

Leia mais

Martina Rillo Otero A importância do processo de avaliação. Existem muitas definições para avaliação, não existe uma única.

Martina Rillo Otero A importância do processo de avaliação. Existem muitas definições para avaliação, não existe uma única. Grupo de Estudos de Voluntariado Empresarial Avaliação, Monitoramento e Impacto no Programa de Voluntariado Empresarial: Teoria e Prática 25/11/14 Martina Rillo Otero A importância do processo de avaliação

Leia mais

Saúde, Desastres e Desenvolvimento e Atores na Gestão de Risco

Saúde, Desastres e Desenvolvimento e Atores na Gestão de Risco Saúde, Desastres e Desenvolvimento e Atores na Gestão de Risco Dr. Ciro Ugarte Assessor Regional Preparativos para Emergência e Socorro em Casos de Desastre EVENTO ADVERSO Alterações nas pessoas, economia,

Leia mais

Missão Fomentar o desenvolvimento das organizações por meio da responsabilidade social corporativa.

Missão Fomentar o desenvolvimento das organizações por meio da responsabilidade social corporativa. Missão Fomentar o desenvolvimento das organizações por meio da responsabilidade social corporativa. Visão Ser um Núcleo multiplicador e de referência em ações de responsabilidade econômica, social e ambiental

Leia mais

ANÁLISE DE UMA POLÍTICA PÚBLICA VOLTADA PARA A EDUCAÇÃO: PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO

ANÁLISE DE UMA POLÍTICA PÚBLICA VOLTADA PARA A EDUCAÇÃO: PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO 1 ANÁLISE DE UMA POLÍTICA PÚBLICA VOLTADA PARA A EDUCAÇÃO: PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO AUTORES Antônio Roberto Silva Santos arsilvasantos@gmail.com Elisângela Santana Nascimento esna_1@yahoo.com.br Fânia

Leia mais

Oficina Cebes DESENVOLVIMENTO, ECONOMIA E SAÚDE

Oficina Cebes DESENVOLVIMENTO, ECONOMIA E SAÚDE RELATÓRIO Oficina Cebes DESENVOLVIMENTO, ECONOMIA E SAÚDE 30 de março de 2009 LOCAL: FLÓRIDA WINDSOR HOTEL No dia 30 de março de 2009, o Cebes em parceria com a Associação Brasileira de Economia da Saúde

Leia mais

ILHABELA QUER. Oliver Reinis é Advogado, Programador, Cidadão e Ativista. Carlos Pedro Sant Ana é Arquiteto, Designer Gráfico, Cidadão e Ativista.

ILHABELA QUER. Oliver Reinis é Advogado, Programador, Cidadão e Ativista. Carlos Pedro Sant Ana é Arquiteto, Designer Gráfico, Cidadão e Ativista. ILHABELA QUER 1.APRESENTAÇÃO Este projeto consiste no desenvolvimento de uma Plataforma Digital para agilizar e potencializar a participação cidadã na vida pública da comunidade em que está inserida. As

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DAS LICENCIATURAS (NEPEx LICENCIATURAS) DO INSTITUTO FEDERAL GOIANO

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DAS LICENCIATURAS (NEPEx LICENCIATURAS) DO INSTITUTO FEDERAL GOIANO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ENSINO, PESQUISA E

Leia mais

Rede de Atenção à Saúde

Rede de Atenção à Saúde Rede de Atenção à Saúde Aparecida Linhares Pimenta Secretaria de Saúde de Diadema-SP Vice presidente do CONASEMS (Contribuições de Silvio Fernandes, assessor do CONASEMS) Desde o início da construção do

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Guardiões da natureza e Reciclagem na escola

Mostra de Projetos 2011. Guardiões da natureza e Reciclagem na escola Mostra de Projetos 2011 Guardiões da natureza e Reciclagem na escola Mostra Local de: Cornélio Procópio. Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa:

Leia mais

Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004

Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004 Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004 Por Zilda Knoploch, presidente da Enfoque Pesquisa de Marketing Este material foi elaborado pela Enfoque Pesquisa de Marketing, empresa

Leia mais

REVISTA JUVENTUDE E MEIO AMBIENTE

REVISTA JUVENTUDE E MEIO AMBIENTE CHAMADA PARA A 2ª EDIÇÃO DA REVISTA JUVENTUDE E MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - SAIC SECRETARIA NACIONAL DE JUVENTUDE - SNJ SECRETARIA DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL E CIDADANIA AMBIENTAL DEPARTAMENTO

Leia mais

ASSISTÊNCIA SOCIAL: UM RECORTE HORIZONTAL NO ATENDIMENTO DAS POLÍTICAS SOCIAIS

ASSISTÊNCIA SOCIAL: UM RECORTE HORIZONTAL NO ATENDIMENTO DAS POLÍTICAS SOCIAIS ASSISTÊNCIA SOCIAL: UM RECORTE HORIZONTAL NO ATENDIMENTO DAS POLÍTICAS SOCIAIS Mônica Abranches 1 No Brasil, no final da década de 70, a reflexão e o debate sobre a Assistência Social reaparecem e surge

Leia mais

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2014

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2014 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2014 I Edição - Orçamento Participativo de Viana do Castelo A Câmara Municipal de Viana do Castelo (CMVC) reconhece o Orçamento Participativo (OP) como um instrumento e um importante

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAD MANUAL PARA NORMATIZAÇÃO DE MONITORIAS

PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAD MANUAL PARA NORMATIZAÇÃO DE MONITORIAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAD MANUAL PARA NORMATIZAÇÃO DE MONITORIAS 2010 UPE PROGRAD 2010 Manual para normatização de monitorias Página 1 de 9 SUMÁRIO página 1. Definição de Monitoria 4 2. Quem pode

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR TERMO DE REFERÊNCIA 028/2010

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR TERMO DE REFERÊNCIA 028/2010 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR TERMO DE REFERÊNCIA 028/2010 1 NÚMERO E TÍTULO DO PROJETO Projeto OEI/BRA/10/002 - Atualização dos Processos de Gestão e Avaliação de Políticas e

Leia mais

Cibelle do Carmo Rodrigues 1 Elaine Aparecida de Souza 2 Luciana Pavowski Franco Silvestre 3 Tailana Lia Sebastião 4

Cibelle do Carmo Rodrigues 1 Elaine Aparecida de Souza 2 Luciana Pavowski Franco Silvestre 3 Tailana Lia Sebastião 4 ENCONTRO DOS TRABALHADORES DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DA REGIONAL DE PONTA GROSSA 2014 COMO RESULTADO DO PROCESSO DE ASSESSORIA E MONITORAMENTO Cibelle do Carmo Rodrigues 1 Elaine Aparecida

Leia mais

PLANO DE TRABALHO GT ESPIRITO SANTO

PLANO DE TRABALHO GT ESPIRITO SANTO PLANO DE TRABALHO GT ESPIRITO SANTO 1. INTRODUÇÃO O povo capixaba orgulha-se de sua vasta diversidade cultural, representada em uma pequena parte pelas ações dos Pontos de Cultura. Eles são iniciativas

Leia mais

APOIO À ORGANIZAÇÃO SOCIAL A PARTIR DO FORTALECIMENTO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE ALEGRE. Área Temática: Trabalho

APOIO À ORGANIZAÇÃO SOCIAL A PARTIR DO FORTALECIMENTO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE ALEGRE. Área Temática: Trabalho APOIO À ORGANIZAÇÃO SOCIAL A PARTIR DO FORTALECIMENTO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE ALEGRE Área Temática: Trabalho Responsável: Ana Cláudia Hebling Meira Instituição: Centro de Ciências Agrárias

Leia mais

Panorama da educação a distância na formação dos magistrados brasileiros

Panorama da educação a distância na formação dos magistrados brasileiros Panorama da educação a distância na formação dos magistrados brasileiros 7 e 8 de maio de 2015 Encontro de integração das Escolas da Magistratura 1 Tema: O Desenvolvimento de Competências e o EAD Maria

Leia mais

Curso Profissional 11º ano. Módulo III Lugares e Transportes

Curso Profissional 11º ano. Módulo III Lugares e Transportes Curso Profissional 11º ano Módulo III Lugares e Transportes 1. Competências visadas (a desenvolver no aluno) Compreensão oral: - Compreender o suficiente para resolver necessidades concretas, desde que

Leia mais

PDE Plano de Desenvolvimento da Educação

PDE Plano de Desenvolvimento da Educação Foto: João Bittar PDE Plano de Desenvolvimento da Educação Maria do Pilar Lacerda Almeida e Silva Secretária de Educação Básica Ministério da Educação Garantir o direito de aprender, para todos e para

Leia mais

Manual dos Indicadores de Acompanhamento do Pacto Empresarial Contra Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Brasileiras

Manual dos Indicadores de Acompanhamento do Pacto Empresarial Contra Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Brasileiras VAMOS ACABAR COM A EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES NAS RODOVIAS BRASILEIRAS parceria estratégica parceria técnica Manual dos Indicadores de Acompanhamento do Pacto Empresarial Contra Exploração

Leia mais

O que é o Projeto TRILHAS?

O que é o Projeto TRILHAS? O que é o Projeto TRILHAS? É um conjunto de material elaborado para instrumentalizar e apoiar o trabalho docente no campo da leitura, escrita e oralidade, com o objetivo de inserir as crianças do 1 º ano

Leia mais

Comemoração da II Semana do Meio Ambiente, I Encontro de jovens Rurais e I Encontro de Sementes Crioulas de Chuvisca/RS

Comemoração da II Semana do Meio Ambiente, I Encontro de jovens Rurais e I Encontro de Sementes Crioulas de Chuvisca/RS Comemoração da II Semana do Meio Ambiente, I Encontro de jovens Rurais e I Encontro de Sementes Crioulas de Chuvisca/RS Desafios para a sustentabilidade e cidadania no meio rural 1 P R E F E I T O M U

Leia mais

DECLARAÇÃO DA CÚPULA DA UNIDADE DA AMÉRICA LATINA E DO CARIBE

DECLARAÇÃO DA CÚPULA DA UNIDADE DA AMÉRICA LATINA E DO CARIBE DECLARAÇÃO DA CÚPULA DA UNIDADE DA AMÉRICA LATINA E DO CARIBE As Chefes e os Chefes de Estado e de Governo dos países da América Latina e do Caribe, reunidos na Cúpula da Unidade, constituída pela XXI

Leia mais

Programa de Gestão Estratégica da chapa 1

Programa de Gestão Estratégica da chapa 1 Programa de Gestão Estratégica da chapa 1 Apresentamos a primeira versão do programa de gestão estratégica da chapa Construindo Juntos um ICT de Excelência. Esse documento é fruto de uma construção coletiva,

Leia mais

O Show da Química - Motivando o interesse científico

O Show da Química - Motivando o interesse científico O Show da Química! O Show da Química - Motivando o interesse científico A Química nunca foi tão divertida!! Nesta ocasião as crianças terão a oportunidade de assistir à demonstrações espetaculares, com

Leia mais

EDITAL CHAMADA DE CASOS

EDITAL CHAMADA DE CASOS EDITAL CHAMADA DE CASOS INICIATIVAS INOVADORAS EM MONITORAMENTO DO DESENVOLVIMENTO LOCAL E AVALIAÇÃO DE IMPACTO O Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getulio Vargas (GVces) e as empresas

Leia mais

Política de Trabalho de Conclusão de Curso - TCC

Política de Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Política de Trabalho de Conclusão de Curso - TCC A FACULDADE DINÂMICA prevê mecanismos efetivos de acompanhamento e de cumprimento do Trabalho de Conclusão de Curso, que no momento da construção do seu

Leia mais

OS DESAFIOS DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI

OS DESAFIOS DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI OS DESAFIOS DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI Maria de Lurdes Rodrigues Em matéria de educação, em quase todo o mundo, foram definidas regras que consagram o objetivo de proporcionar a todas as crianças

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSA ACADÊMICA DE EXTENSÃO PBAEX / EDIÇÃO 2016 CAMPUS AMAJARI ANEXO III

PROGRAMA DE BOLSA ACADÊMICA DE EXTENSÃO PBAEX / EDIÇÃO 2016 CAMPUS AMAJARI ANEXO III PROGRAMA DE BOLSA ACADÊMICA DE EXTENSÃO PBAEX / EDIÇÃO 2016 CAMPUS AMAJARI ANEXO III FORMULÁRIO DA VERSÃO ELETRÔNICA DO PROJETO / ATIVIDADE DE EXTENSÃO PBAEX 2016 01. Título do Projeto Implantação e desenvolvimento

Leia mais

CENÁRIO DO DESPERDÍCIO DE ALIMENTOS NO MUNDO E NA AMÉRICA LATINA. Alan Bojanic Ph.D. Representante FAO Brasil

CENÁRIO DO DESPERDÍCIO DE ALIMENTOS NO MUNDO E NA AMÉRICA LATINA. Alan Bojanic Ph.D. Representante FAO Brasil CENÁRIO DO DESPERDÍCIO DE ALIMENTOS NO MUNDO E NA AMÉRICA LATINA Alan Bojanic Ph.D. Representante FAO Brasil Rio de janeiro, março de 2016 GARANTIR UMA PRODUÇÃO SUSTENTÁVEL Mudar paradigma Preservar o

Leia mais

Apresentação. Objetivos do Programa

Apresentação. Objetivos do Programa Diálogo Jovem 0 Índice Assunto Pagina Apresentação 2 Objetivos do Programa 2 Resultados esperados 3 Demandas do Programa 3 Por que investir 4 Origem dos Recursos 5 Metodologia 6 Roteiro do Primeiro encontro

Leia mais

SECRETARIA DE FAZENDA DO TOCANTINS PROJETO DE MODERNIZAÇÃO FISCAL DO ESTADO DO TOCANTINS - PMF-TO (PROFISCO-TO). PLANO DE COMUNICAÇÃO SEFAZ-TO

SECRETARIA DE FAZENDA DO TOCANTINS PROJETO DE MODERNIZAÇÃO FISCAL DO ESTADO DO TOCANTINS - PMF-TO (PROFISCO-TO). PLANO DE COMUNICAÇÃO SEFAZ-TO SECRETARIA DE FAZENDA DO TOCANTINS SEFAZ-TO PROJETO DE MODERNIZAÇÃO FISCAL DO ESTADO DO TOCANTINS - PMF-TO (PROFISCO-TO). PLANO DE COMUNICAÇÃO 10 de Outubro de 2013 LISTA DE ILUSTRAÇÕES 2 Quadro 1- Matriz

Leia mais