Relembrando o Manifesto para o desenvolvimento ágil de software

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relembrando o Manifesto para o desenvolvimento ágil de software"

Transcrição

1 Treinamento SCRUM

2 Relembrando o Manifesto para o desenvolvimento ágil de software Estamos descobrindo maneiras melhores de desenvolver software fazendo-o nós mesmos e ajudando outros a fazê-lo. Através deste trabalho, passamos a valorizar: Indivíduos e interação entre eles mais que processos e ferramentas Software em funcionamento mais que documentação abrangente Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos Responder a mudanças mais que seguir um plano Ou seja, mesmo havendo valor nos itens à direita, valorizamos mais os itens à esquerda.

3 Princípios por trás do manifesto ágil : Nossa maior prioridade é satisfazer o cliente, através da entrega adiantada e contínua de valor; Aceitar mudanças de requisitos, mesmo no fim do desenvolvimento; Entregar software funcionando com frequencia, na escala de dias ou semanas; Pessoas dos negócios e desenvolvedores devem trabalhar em conjunto diariamente; Construir projetos ao redor de indivíduos motivados; O Método mais eficiente e eficaz de transmitir informações é cara a cara; Software funcional é a medida primária de progresso; Processos ágeis promovem um ambiente sustentável; Contínua atenção à excelência técnica e bom design, aumenta a agilidade; Simplicidade: a arte de maximizar a quantidade de trabalho que não precisou ser feito; As melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de times auto-organizáveis; Em intervalos regulares, o time reflete em como ficar mais efetivo.

4 Quadro : Vamos registrar para posterior feedback, o bom e o ruim #1. A primeira coluna é de sonhos, com tudo aquilo que queremos melhorar ou corrigir ambiente, método, pessoas, processo, projetos,... ; #2. A segunda coluna é para que cada um registre aquilo que Ahá! Moments... quando cair a ficha, quando descobrir algo inspirador; #3. A terceira coluna é para sugestões de melhoria ou correções neste mesmo treinamento ou nos instrutores envolvidos. SONHOS Ahá! Moment FEEDBACK 5 minutos.

5 CURSO SCRUM EXEMPLO PRÁTICO DE PRIORIZAÇÃO 100% ÁGIL PARA ENTREGA DE VALOR : Conteúdo Programático Desejado (Estórias) Ordem do conteúdo baseado na real entrega de valor 01. Embasamento teórico 02. Visão geral e Fluxo 03. Time Scrum e Papéis 04. Visão 05. Product Backlog 06. Fluxo Planej. Inicial 07. Métricas 08. Sprint 09. Quadro Kanban 10. Reunião diária 11. Retrospectivas Sprint #1 01. Should TAM P Embasamento teórico 02. Should TAM M Visão geral e Fluxo 03. Should TAM P Time Scrum e Papéis 09. Most TAM G Quadro de Tarefas 10. Most TAM M Reunião diária 11. Most TAM P Retrospectivas Sprint #2 06. Could TAM G Fluxo Planej. Inicial 08. Could TAM G Sprint 07. Could TAM M Métricas 04. Want TAM P Visão 05. Want TAM M Product Backlog

6 Embasamento SCRUM Inicialmente concebido por Takeuchi e Nonaka no artigo "The New Product Development Game" (Harvard Business Review, Jan/1986), onde projetos com equipes pequenas e multidisciplinares produziam melhores resultados. Associaram estas equipes à formação Scrum do Rugby (reinício de jogo). Jeff Sutherland, John Scumniotales e Jeff McKenna documentaram e implementaram o Scrum na empresa Easel Corporation em Em 1995, Ken Schwaber formalizou a definição de Scrum e ajudou a implantá-lo no desenvolvimento de softwares em todo o mundo. Criado para o gerenciamento de projetos de desenvolvimento de software, Scrum é aplicado a qualquer equipe que necessite trabalhar para atingir um objetivo comum.

7 Embasamento SCRUM Comando-ação x Auto-Organização Exercício número 1 : Equipe gerenciada por um chefe, que ordenará os comandos parar ou frente ou direita ou esquerda Cada integrante apenas pode cumprir as ordens do gerente, sem questioná-las Cada um que completar 20 passos levanta os braços e fica parado 5 minutos.

8 Embasamento SCRUM Comando-ação x Auto-Organização Exercício número 1 : Equipe gerenciada por um chefe, que ordenará os comandos parar ou frente ou direita ou esquerda Cada integrante apenas pode cumprir as ordens do gerente, sem questioná-las Cada um que completar 20 passos levanta os braços e fica parado Exercício número 2 : Equipe auto-gerenciada, 2 minutos de Planejamento antes de executar, quando cada integrante fará o percurso com os mesmos comandos, mas decididos por si só 5 minutos.

9 Embasamento SCRUM Scrum é um framework no qual pessoas podem endereçar problemas complexos, para produtiva e criativamente desenvolver produtos com o maior valor possível. Scrum esta fundamentado na teoria de controle de processos empíricos, empregando uma abordagem iterativa e incremental para otimizar a previsibilidade e controlar riscos. Três pilares sustentam a implementação de controle em processos empíricos : TRANSPARÊNCIA INSPEÇÃO ADAPTAÇÃO

10 Embasamento SCRUM Pilar #1 : TRANSPARÊNCIA A transparência garante que aspectos do processo que afetam o resultado devem ser visíveis para todos os envolvidos. Esses aspectos não apenas devem ser transparentes, mas também o que está sendo visto deve ser conhecido. Isto é, quando alguém que inspeciona um processo acredita que algo está pronto, isso deve ser equivalente à sua definição de pronto (*). (*) Definição de pronto (DoD Definition Of Done) é uma premissa que visa garantir que o que está sendo entregue REALMENTE atende as necessidades do projeto, cliente e mercado. A Definição de Pronto (DoD) também tem relação com a qualidade, manutenção futura do sistema, objetivos do produto, inclusive as limitações da tecnologia.

11 Embasamento SCRUM Pilar #2 : INSPEÇÃO Os diversos aspectos do processo devem ser inspecionados com frequência suficiente para que variações inaceitáveis no processo possam ser detectadas. A frequência da inspeção deve levar em consideração que qualquer processo é modificado pelo próprio ato da inspeção. Os outros fatores são a habilidade e a aplicação das pessoas em inspecionar os resultados do trabalho.

12 Embasamento SCRUM Pilar #3 : ADAPTAÇÃO Se a partir da inspeção for detectado que um ou mais aspectos do processo estão fora dos limites aceitáveis, ele deverá ajustar o processo ou o material sendo processado. Esse ajuste deve ser feito o mais rápido possível para minimizar desvios posteriores. Existem três importantes pontos para inspeção e adaptação: Diárias, para realizar adaptações que otimizem o valor do próximo dia; Planejamento e Revisão, para inspecionar o progresso e fazer as adaptações que otimizam o valor da entrega. Retrospectivas, para revisar o trabalho realizado e definir quais adaptações tornarão o próximo mais recompensador e gratificante.

13 VISÃO GERAL O framework Scrum consiste em um conjunto formado pelos Times de Scrum e seus papéis associados, Time-Boxes (eventos com duração fixa), Artefatos e Regras. Times : Auto-organizados, multidisciplinares e trabalhando em iterações, ao todo temos três papéis. Time-Boxes : São eventos com duração fixa, com a finalidade de criar regularidade e recorrência. Artefatos : O Scrum utiliza-se de listas e gráficos para efeito de organização e monitoramento. Regras : As Regras fazem o elo entre os time-boxes, os papéis e os artefatos do Scrum.

14 VISÃO GERAL Time (Papéis) : Product Owner Scrum Master Equipe Time-Boxes : Reunião de Planej. da Release Reunião de Planej. da Sprint Sprint (iteração de desenvolv.) Reunião diária - Daily Scrum Reunião de Revisão da Sprint Reunião Retrospectiva da Sprint Artefatos : Product Backlog Sprint Backlog Release Burndown Sprint Burndown Quadro Kanban Regras : São os elos entre os time-boxes, papéis e artefatos do Scrum. Quando as regras não são declaradas, espera-se que os usuários de Scrum descubram o que devem fazer. Não tente descobrir uma solução perfeita, porque geralmente o problema muda rapidamente. Ao invés disso, tente algo e veja como se sai. Os mecanismos de inspeção-eadaptação inerentes à natureza empírica de Scrum irão lhe guiarão.

15 VISÃO GERAL

16 VISÃO GERAL Referências recomendadas : scrum.org (Ken Schwaber ) e scrumalliance.org (Jeff Sutherland)

17 TIME SCRUM Times de Scrum são projetados para otimizar flexibilidade e produtividade. Para esse fim, eles são auto-organizáveis, multidisciplinares e trabalham em iterações. Cada Time de Scrum possui três papéis: Equipe Product Owner Scrum Master

18 TIME SCRUM PRODUCT OWNER O Product Owner é uma única pessoa, e não um comitê Responsável pela rentabilidade (ROI) Define as funcionalidades do produto (gerencia o product backlog) Decide datas de lançamento e conteúdo Prioriza funcionalidades de acordo com o seu valor para o negócio Único que pode priorizar ou repriorizar os ítens do Product Backlog Focado em garantir o valor do trabalho realizado pelo Time Aceita ou rejeita o resultado dos trabalhos Deve ser assertivo e acessível, todos na organização respeitam suas decisões A alta responsabilidade e visibilidade requer que o Product Owner faça seu melhor, o que faz o papel de Product Owner exigente e recompensador.

19 TIME SCRUM EQUIPE Auto-organizável e Multi-funcional De 5 a 9 pessoas em tempo integral Melhor não ter títulos (programadores, testers, webdesigners, arquiteto, etc) As equipes são multidisciplinares e o conhecimento que devem compartilhar tendem a ser mais importantes do que aqueles que eles não dividem. As pessoas que se recusam a programar porque são arquitetas ou designers não se adaptam bem a Times Ágeis. Auto-organizáveis, descobrem a melhor forma de aplicação do método, processo e áreas de conhecimento por si só. Cada membro do Time aplica sua especialidade a todos os problemas. A sinergia que resulta disso melhora a eficácia geral como um todo.

20 TIME SCRUM SCRUM MASTER Representa a gerência para o time Responsável pela aplicação dos valores e práticas do Scrum Remove impedimentos e garante a plena produtividade da equipe Garante a colaboração entre os diversos papéis e funções Escudo para interferências externas O ScrumMaster é responsável por treinar e garantir que o Time de Scrum esteja adotando e aderindo aos valores do Scrum, às práticas e às regras, levando-o a ser mais produtivo e a desenvolver produtos de maior qualidade. O ScrumMaster ajuda o Time de Scrum a entender e usar auto-organização e multidisciplinaridade, propiciando fazerem o seu melhor em um ambiente organizacional que pode ainda não ser Ágil.

21 TIME SCRUM Já estamos sentando agrupados por equipe de negócio ou projeto. Automaticamente a comunicação melhora e se facilita pela proximidade. Quais as práticas que mais agregam, que nos dêem mais, fazendo um mínimo?

22 QUADRO + REUNIÃO DIÁRIA A Neurolingüística diz que cada pessoa tem um canal de percepção mais ativo - visual ou auditivo. Trocar o TraceGP, Mantis, s e dados dispersos em reuniões e corredores por um assertivo e breve alinhamento diário, frente a um quadro que represente a situação das tarefas x pessoas é a forma mais eficaz para garantir o sucesso, a transparência, inspeção e adaptação em uma equipe auto-organizada.

23 QUADRO + REUNIÃO DIÁRIA Relembrando, três pilares sustentam a implementação de controle de processos empíricos, o quadro e a reunião diária oportunizam à equipe um PDCA diário, melhoria contínua e correção de desvios : TRANSPARÊNCIA INSPEÇÃO ADAPTAÇÃO Desenvolvimto Testes Homologação Produção TO DO DOING TO DO DOING TO DO DOING DONE READY Produto: Impedimentos:

24 REUNIÃO DIÁRIA Em 15 minutos, todos os membros da equipe devem responder às três perguntas e não podem desviar o foco para discussões de problemas, discussões ou divagações. O Scrum Master é responsável por organizar a agilidade, fazendo com que todos falem. Cada membro da equipe deve responder à três perguntas sobre o projeto: O que você fez ontem? O que você fará hoje? Há algum impedimento? Durante a reunião somente uma pessoa fala por vez. Reunião? Quando alguém apresenta algo excepcional ou precise da assistência de outros, agenda-se um encontro das partes interessadas logo após a reunião diária.

25 REUNIÃO DIÁRIA As regras devem estar visíveis e, a não ser que convidado, só os pigs falam (equipe). 15 minutos, independentemente do número de membros na equipe. Todos os dias no mesmo horário e local Melhor ser a primeira coisa realizada no dia Três perguntas : Como evoluiu ontem? O que vai fazer hoje? Há algum impedimento? Todos os membros devem sempre estar presentes O Scrum Master começa a reunião, independente de atrasos ou ausencias Quem estiver atrasado ou ausente assumirá a penalidade combinada O primeiro a falar é aquele que esta à esquerda do Scrum Master e assim prossegue

26 QUADRO SCRUM (~ KANBAN) O quadro de tarefas Scrum é uma ferramenta com forte apelo a comunicação organizacional e visual, pois transmite a mensagem muitas vezes sem a necessidade de conversas, somente com a utilização de Post-Its, símbolos e cores, de modo que todos recebem a mensagem, as vezes de forma lúdica. Tem como objetivo disponibilizar as informações necessárias de uma forma simples, visual, transparente e de fácil assimilação, buscando tornar mais fácil o trabalho diário e também a busca pela melhoria da qualidade. Com estes quadros, fica visível e transparente o trabalho do time, impedimentos, quantidade de tempo restante e progresso do time em relação a meta da Sprint. Desenvolvimto Testes Homologação Produção TO DO DOING TO DO DOING TO DO DOING DONE READY Produto: Impedimentos:

27 Questões como tarefas extras, bugs, rejeição, responsável, alertas, etc podem ser representados por selos, post-its de outras cores, etc, desde que seja claro a todos.

28

29

30 USER STORY - Exemplo Exemplo prático, no Hagah, onde temos este modelo em prática e evoluindo rapidamente, os cartões possuem a aparência abaixo. A totalidade das informações, critérios de aceitação (*) e casos de testes estão na WIKI, para isto temos no header do cartão a informação contendo o número da User Story. (*) critério de aceitação é o acordo de DoD (definition of done), ou seja, o que esta funcionalidade deve performar para ser aceita pelo PO como pronta. Sprint: 1 Estória: 17 RAF Bloco com a vitrine 24:00 super-bônus da capa Rafael must should could want ~ exige deve pode talvez J - 8:00 W 16:00 Valor : MUST Complex:

31

32 Critérios de aceitação Cada estória priorizada para o sprint possui um ou vários critérios de aceitação, que nada mais são do que os testes de aceitação, que são casos de testes em mais alto nível. Posteriormente, os casos de testes passam a ser escritos a partir dos Critérios de aceitação, acrescidos de testes mais técnicos ou exploratórios. Dica 1: Padronizar verbos, afinal mostrar e visualizar pode ter o mesmo comportamento. Dica 2: Padronizar o objeto, desta maneira podemos já identificar nomes fortes que vão dar origem ao nosso modelo de domínio. USER STORY - [Frente] Critério de Aceitação - [Verso] Como cliente, quero realizar pagamento em bloqueto bancário,para os pagamentos a vista Gerar bloqueto com valor da venda Checar se o valor do bloqueto é igual ao valor da venda Validar data de vencimento tem que ser igual a data de emissão do bloqueto Gerar bloqueto para o Banco do Brasil Gerar bloqueto para o Banco Caixa Econômica

33

34 CASOS DE TESTES Casos de testes não deveriam ser novidade para qualquer um de nós, visto que nada tem a ver com Métodos Ágeis. O Scrum orienta que estes devem ser construídos a partir das informações declaradas na User Story, em especial nos critérios de aceitação, além de incluir critérios técnicos como: Dimensionamento de campos Tipo de dados (alfabéticos, numéricos, data,...) Campos pré-cadastrados como listas e combos de estado, cidades, categorias,... Campos mínimos exigidos Consistências de dígitos verificadores Não mostrar a senha digitada, etc... Os casos de Testes NÃO ficam no cartão, tampouco junto a User Story, devem possuir sistema, arquivo ou local próprio e deve ser construído principalmente a partir de políticas e definições stadards ou mínimas de DoD (Definition Of Done). 1. Ao clicar no botão deve abrir em uma modal a tela de Curti Blaving 2. Deve ser possível alterar o texto de curti padrão apresentado 3. Ao clicar em confirmar, abrir o site do Blaving e verificar se consta em seu perfil o curti e se o link esta enviando para a capa institucional

35 Exercício #1 QUADRO KANBAN Alguns receberão um papel aleatoriamente distribuído com instruções simples e claras sobre quem você é e quais as tarefas e movimentações que deve realizar no transcorrer de 5 minutos. Há diferentes sequencias e papéis, siga-as: 1. Seu nome é Zé Colméia, é programador 2. Você iniciará a tarefa da User Story número 7 3. Desenhe em uma folha em branco um campo de texto e um botão Buscar 4. Cole na parede ao lado do quadro e libere o cartão para testes 5. Aguarde a Reunião Diária Desenvolvimto Testes Homologação Produção TO DO DOING TO DO DOING TO DO DOING DONE READY Produto: Impedimentos:

36 Exercício #2 QUADRO KANBAN Alguns receberão um papel aleatoriamente distribuído com instruções simples e claras sobre quem você é e quais as tarefas e movimentações que deve realizar no transcorrer de 5 minutos. Há diferentes sequencias e papéis, siga-as: 1. Seu nome é Catatau, você é programador 2. Você iniciará com a tarefa impedida User Story número 5 3. Desenhe uma tela com dois campos de texto e um botão Ok 4. Cole na parede ao lado do quadro e libere o cartão para testes 5. Aguarde a Reunião Diária Desenvolvimto Testes Homologação Produção TO DO DOING TO DO DOING TO DO DOING DONE READY Produto: Impedimentos:

37 Exercício #3 QUADRO KANBAN Alguns receberão um papel aleatoriamente distribuído com instruções simples e claras sobre quem você é e quais as tarefas e movimentações que deve realizar no transcorrer de 5 minutos. Há diferentes sequencias e papéis, siga-as: 1. O testador Batatinha encontrou um bug na 7 e a reprova 2. O Catatau pega a User Story 1 3. Aguarde a Reunião Diária Desenvolvimto Testes Homologação Produção TO DO DOING TO DO DOING TO DO DOING DONE READY Produto: Impedimentos:

38 Exercício #4 QUADRO KANBAN Alguns receberão um papel aleatoriamente distribuído com instruções simples e claras sobre quem você é e quais as tarefas e movimentações que deve realizar no transcorrer de 5 minutos. Há diferentes sequencias e papéis, siga-as: 1. Seu nome é Manda-chuva, você é programador 2. Você iniciará a tarefa da User Story número 8 3. Você solicitará ao PO Guarda-Belo os Critérios de Aceitação para a User Story 8 4. PO Guarda-Belo você receberá a User Story 8 para detalhamento 5. Aguarde a Reunião Diária Desenvolvimto Testes Homologação Produção TO DO DOING TO DO DOING TO DO DOING DONE READY Produto: Impedimentos:

39 Exercício #5 QUADRO KANBAN Alguns receberão um papel aleatoriamente distribuído com instruções simples e claras sobre quem você é e quais as tarefas e movimentações que deve realizar no transcorrer de 5 minutos. Há diferentes sequencias e papéis, siga-as: 1. O PO Guarda-Belo solicita uma User Story extra ao time 2. O Espeto pega a User Story extra e desenha uma tela com três campos de texto e um botão Confirmar 3. Aguarde a Reunião Diária Desenvolvimto Testes Homologação Produção TO DO DOING TO DO DOING TO DO DOING DONE READY Produto: Impedimentos:

40 Retrospectiva O livro do "Scrum and XP from the trenches (disponível na nossa wiki) sugere trabalhar retrospectiva após cada Sprint e focar em três colunas, a primeira e segunda ligada ao passado e a terceira em planos de ação para o futuro : "O que foi bom - "O que poderia ter sido melhor - "Melhorias É feita uma dinâmica, com tempos pré-estabelecidos, em que cada um terá a oportunidade de falar sua visão ou escrever sua opinião sobre cada coluna. Há diversas técnicas, simples ou complexas Obs1: Há uma relação direta nas melhorias com o que poderia ter sido melhor. Exemplo: Porque tivemos tantas estórias com bugs, algumas com 2 ou 3? Melhorias: As estórias estão mal escritas, faltam critérios de aceitação, não estamos montando casos de testes? Plano de Ação: Rosangela vai treinar a equipe em casos de testes. Obs2: O livro sugere que cada pessoa utilize três sinais, em imãs ou post-its pequenos, para esta indicação e assim definir uma escala de prioridade nos planos de ações. Ele diz que cada pessoa pode votar como quiser.

41 Retrospectiva - Exercício

42 Perguntas?

43

Introdução a Métodos Ágeis

Introdução a Métodos Ágeis Introdução a Métodos Ágeis Insanidade, é repetir, interminavelmente, o mesmo processo, sempre à espera de um resultado diferente. Albert Einstein Joshua Kerievski sugere uma abordagem humana : Trabalhar

Leia mais

SCRUM. É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto.

SCRUM. É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto. SCRUM SCRUM É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto. Ken Schwaber e Jeff Sutherland Transparência A transparência garante que

Leia mais

Metodologias Ágeis. Aécio Costa

Metodologias Ágeis. Aécio Costa Metodologias Ágeis Aécio Costa Metodologias Ágeis Problema: Processo de desenvolvimento de Software Imprevisível e complicado. Empírico: Aceita imprevisibilidade, porém tem mecanismos de ação corretiva.

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática Disciplina: INF5008 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 8. Metodologias

Leia mais

Wesley Torres Galindo

Wesley Torres Galindo Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura Wesley Torres Galindo wesleygalindo@gmail.com User Story To Do Doing Done O que é? Como Surgiu? Estrutura Apresentar

Leia mais

Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM)

Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM) Programação Extrema Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM) Prof. Mauro Lopes Programação Extrema Prof. Mauro Lopes 1-31 45 Manifesto Ágil Formação da Aliança Ágil Manifesto Ágil: Propósito

Leia mais

Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail.com

Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail.com Wesley Torres Galindo wesleygalindo@gmail.com Wesley Galindo Graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Mestrado em Engenharia de Software Engenheiro de Software Professor Faculdade Escritor Osman

Leia mais

Scrum. Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE

Scrum. Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE Scrum Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE scrum Ken Schwaber - Jeff Sutherland http://www.scrumalliance.org/ Scrum Uma forma ágil de gerenciar projetos. Uma abordagem baseada em equipes autoorganizadas.

Leia mais

Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Uma ampla visão do framework Scrum e suas peculiaridades

Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Uma ampla visão do framework Scrum e suas peculiaridades Objetivos da Aula 1 Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Uma ampla visão do framework Scrum e suas peculiaridades Entendimento sobre os processos essenciais do

Leia mais

RESUMO PARA O EXAME PSM I

RESUMO PARA O EXAME PSM I RESUMO PARA O EXAME PSM I Escrito por: Larah Vidotti Blog técnico: Linkedin: http://br.linkedin.com/in/larahvidotti MSN: larah_bit@hotmail.com Referências:... 2 O Scrum... 2 Papéis... 3 Product Owner (PO)...

Leia mais

Uma introdução ao SCRUM. Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br

Uma introdução ao SCRUM. Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br Uma introdução ao SCRUM Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br Agenda Projetos de Software O que é Scrum Scrum framework Estrutura do Scrum Sprints Ferramentas Projetos de software Chaos Report Standish

Leia mais

Géssica Talita. Márcia Verônica. Prof.: Edmilson

Géssica Talita. Márcia Verônica. Prof.: Edmilson Géssica Talita Márcia Verônica Prof.: Edmilson DESENVOLVIMENTO ÁGIL Técnicas foram criadas com o foco de terminar os projetos de software rapidamente e de forma eficaz. Este tipo de técnica foi categorizada

Leia mais

Scrum Guia Prático. Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master. Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum. Solutions. www.domain.

Scrum Guia Prático. Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master. Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum. Solutions. www.domain. Scrum Guia Prático Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum Solutions www.domain.com Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master 1 Gráfico de Utilização de Funcionalidades Utilização

Leia mais

SCRUM. Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br

SCRUM. Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br SCRUM Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br Introdução 2 2001 Encontro onde profissionais e acadêmicos da área de desenvolvimento de software de mostraram seu descontentamento com a maneira com que os

Leia mais

Gestão de Projetos com Métodos Ágeis - Avançado

Gestão de Projetos com Métodos Ágeis - Avançado Gestão de Projetos com Métodos Ágeis - Avançado Caxias do Sul, 16 de Agosto 2013 Gustavo Casarotto Agenda O Scrum Planejamento da Sprint 1 Execução da Sprint 1 Revisão da Sprint 1 Retrospectiva da Sprint

Leia mais

Workshop. Workshop SCRUM. Rildo F Santos. rildo.santos@etecnologia.com.br. Versão 1 Ago 2010 RFS. www.etcnologia.com.br (11) 9123-5358 (11) 9962-4260

Workshop. Workshop SCRUM. Rildo F Santos. rildo.santos@etecnologia.com.br. Versão 1 Ago 2010 RFS. www.etcnologia.com.br (11) 9123-5358 (11) 9962-4260 Workshop www.etcnologia.com.br (11) 9123-5358 (11) 9962-4260 Rildo F Santos twitter: @rildosan skype: rildo.f.santos http://rildosan.blogspot.com/ Todos os direitos reservados e protegidos 2006 e 2010

Leia mais

Objetivos do Módulo 3

Objetivos do Módulo 3 Objetivos do Módulo 3 Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Conceitos do Scrum O que é um Sprint Decifrando um Product backlog Daily Scrum, Sprint Review, Retrospectiva

Leia mais

SCRUM: UMA DAS METODOLOGIAS ÁGEIS MAIS USADAS DO MUNDO

SCRUM: UMA DAS METODOLOGIAS ÁGEIS MAIS USADAS DO MUNDO SCRUM: UMA DAS METODOLOGIAS ÁGEIS MAIS USADAS DO MUNDO RESUMO Eleandro Lopes de Lima 1 Nielsen Alves dos Santos 2 Rodrigo Vitorino Moravia 3 Maria Renata Furtado 4 Ao propor uma alternativa para o gerenciamento

Leia mais

AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br RESUMO

AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br RESUMO 1 AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br Autor: Julio Cesar Fausto 1 RESUMO Em um cenário cada vez mais competitivo e em franca

Leia mais

Guia do Nexus. O Guia Definitivo para o Nexus: O exoesqueleto do desenvolvimento Scrum escalado. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Scrum.

Guia do Nexus. O Guia Definitivo para o Nexus: O exoesqueleto do desenvolvimento Scrum escalado. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Scrum. Guia do Nexus O Guia Definitivo para o Nexus: O exoesqueleto do desenvolvimento Scrum escalado Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Scrum.org Tabela de Conteúdo Visão Geral do Nexus... 2 O Propósito

Leia mais

um framework para desenvolver produtos complexos em ambientes complexos Rafael Sabbagh, CSM, CSP Marcos Garrido, CSPO

um framework para desenvolver produtos complexos em ambientes complexos Rafael Sabbagh, CSM, CSP Marcos Garrido, CSPO um framework para desenvolver produtos complexos em ambientes complexos Rafael Sabbagh, CSM, CSP Marcos Garrido, CSPO Um pouco de história... Década de 50: a gestão de projetos é reconhecida como disciplina,

Leia mais

SCRUM: UM MÉTODO ÁGIL. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com)

SCRUM: UM MÉTODO ÁGIL. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) SCRUM: UM MÉTODO ÁGIL Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) Roteiro Motivação Manifesto Ágil Princípios Ciclo Papeis, cerimônias, eventos, artefatos Comunicação Product Backlog Desperdício 64% das features

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas CMP1141 Processo e qualidade de software I Prof. Me. Elias Ferreira Sala: 210 F Quarta-Feira:

Leia mais

Alexandre Lima Guilherme Melo Joeldson Costa Marcelo Guedes

Alexandre Lima Guilherme Melo Joeldson Costa Marcelo Guedes Instituto Federal do Rio Grande do Norte IFRN Graduação Tecnologia em Analise e Desenvolvimento de Sistema Disciplina: Processo de Desenvolvimento de Software Scrum Alexandre Lima Guilherme Melo Joeldson

Leia mais

Fevereiro 2010. Scrum: Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland

Fevereiro 2010. Scrum: Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Fevereiro 2010 Scrum: Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Agradecimentos Geral Scrum é baseado nas melhores práticas aceitas pelo mercado, utilizadas e provadas por décadas. Ele é

Leia mais

Workshop SCRUM. Versão 5 Out 2010 RFS. rildo.santos@etecnologia.com.br

Workshop SCRUM. Versão 5 Out 2010 RFS. rildo.santos@etecnologia.com.br Todos os direitos reservados e protegidos 2006 e 2010 Objetivo: Estudo de Caso Objetivo: Apresentar um Estudo de Caso para demonstrar como aplicar as práticas do SCRUM em projeto de desenvolvimento de

Leia mais

Guia do Scrum. Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo. Outubro de 2011. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland

Guia do Scrum. Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo. Outubro de 2011. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Guia do Scrum Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo Outubro de 2011 Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Índice O propósito do Guia do Scrum... 3 Visão geral do Scrum...

Leia mais

SCRUM Gerência de Projetos Ágil. Prof. Elias Ferreira

SCRUM Gerência de Projetos Ágil. Prof. Elias Ferreira SCRUM Gerência de Projetos Ágil Prof. Elias Ferreira Métodos Ágeis + SCRUM + Introdução ao extreme Programming (XP) Manifesto Ágil Estamos descobrindo maneiras melhores de desenvolver software fazendo-o

Leia mais

O Guia Passo-a-Passo para IMPLANTAR. Em seu próprio Projeto

O Guia Passo-a-Passo para IMPLANTAR. Em seu próprio Projeto O Guia Passo-a-Passo para IMPLANTAR Em seu próprio Projeto Aprenda como Agilizar seu Projeto! A grande parte dos profissionais que tomam a decisão de implantar o Scrum em seus projetos normalmente tem

Leia mais

Guia do Scrum. Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo. Julho de 2013. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland

Guia do Scrum. Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo. Julho de 2013. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Guia do Scrum Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo Julho de 2013 Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Í ndice O propósito do Guia do Scrum... 3 Definição do Scrum...

Leia mais

Frederico Aranha, Instrutor. Scrum 100 Lero Lero. Um curso objetivo!

Frederico Aranha, Instrutor. Scrum 100 Lero Lero. Um curso objetivo! Scrum 100 Lero Lero Um curso objetivo! Napoleãããõ blah blah blah Whiskas Sachê Sim, sou eu! Frederico de Azevedo Aranha MBA, PMP, ITIL Expert Por que 100 Lero Lero? Porque o lero lero está documentado.

Leia mais

Fundamentos do Scrum aplicados ao RTC Sergio Martins Fernandes

Fundamentos do Scrum aplicados ao RTC Sergio Martins Fernandes Workshop Scrum & Rational Team Concert (RTC) Sergio Martins Fernandes Agilidade Slide 2 Habilidade de criar e responder a mudanças, buscando agregar valor em um ambiente de negócio turbulento O Manifesto

Leia mais

GUIA DO SCRUM Por Ken Schwaber, Maio de 2009

GUIA DO SCRUM Por Ken Schwaber, Maio de 2009 GUIA DO SCRUM Por Ken Schwaber, Maio de 2009 GUIA DO SCRUM Por Ken Schwaber, Maio de 2009 Tradução Heitor Roriz Filho Michel Goldenberg Rafael Sabbagh Revisão Anderson Marcondes Ânderson Quadros Ari do

Leia mais

Desenvolvimento Ágil de Software

Desenvolvimento Ágil de Software Desenvolvimento Ágil de Software Métodos ágeis (Sommerville) As empresas operam em um ambiente global, com mudanças rápidas. Softwares fazem parte de quase todas as operações de negócios. O desenvolvimento

Leia mais

Por que o Scrum? o Foco na Gerência de Projetos; o Participação efetiva do Cliente.

Por que o Scrum? o Foco na Gerência de Projetos; o Participação efetiva do Cliente. Por que o Scrum? o Foco na Gerência de Projetos; o Participação efetiva do Cliente. Desenvolvido por Jeff SUTHERLAND e Ken SCHWABER ; Bastante objetivo, com papéis bem definidos; Curva de Aprendizado é

Leia mais

Gerenciamento de Projetos de Software

Gerenciamento de Projetos de Software Gerenciamento de Projetos de Software Framework Ágil, Scrum Prof. Júlio Cesar da Silva Msc. 2º Encontro Ementa & Atividades Aula 1: Fundamentos do Gerenciamento de Projetos (p. 4) 30/abr (VISTO) Aula 2:

Leia mais

Estudo sobre Desenvolvimento de Software Utilizando o Framework Ágil Scrum

Estudo sobre Desenvolvimento de Software Utilizando o Framework Ágil Scrum Estudo sobre Desenvolvimento de Software Utilizando o Framework Ágil Scrum Andre Scarmagnani 1, Fabricio C. Mota 1, Isaac da Silva 1, Matheus de C. Madalozzo 1, Regis S. Onishi 1, Luciano S. Cardoso 1

Leia mais

Guia Projectlab para Métodos Agéis

Guia Projectlab para Métodos Agéis Guia Projectlab para Métodos Agéis GUIA PROJECTLAB PARA MÉTODOS ÁGEIS 2 Índice Introdução O que são métodos ágeis Breve histórico sobre métodos ágeis 03 04 04 Tipos de projetos que se beneficiam com métodos

Leia mais

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO. Bruno Edgar Fuhr 1

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO. Bruno Edgar Fuhr 1 METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO Bruno Edgar Fuhr 1 Resumo: O atual mercado de sistemas informatizados exige das empresas de desenvolvimento, um produto que tenha ao mesmo

Leia mais

Análise comparativa entre a engenharia de requisitos e o método de desenvolvimento ágil: Scrum

Análise comparativa entre a engenharia de requisitos e o método de desenvolvimento ágil: Scrum Análise comparativa entre a engenharia de requisitos e o método de desenvolvimento ágil: Scrum Patrícia Bastos Girardi, Sulimar Prado, Andreia Sampaio Resumo Este trabalho tem como objetivo prover uma

Leia mais

Um pouco de história

Um pouco de história SCRUM Um pouco de história 1950 Taiichi Ohno Um pouco de história 1986 1950 Takeuchi & Nonaka Taiichi Ohno Um pouco de história 1993 1986 1950 Ken Schwaber Takeuchi & Nonaka Taiichi Ohno Um pouco de história

Leia mais

Agradecimento. Adaptação do curso Scrum de Márcio Sete, ChallengeIT. Adaptação do curso The Zen of Scrum de Alexandre Magno, AdaptaWorks

Agradecimento. Adaptação do curso Scrum de Márcio Sete, ChallengeIT. Adaptação do curso The Zen of Scrum de Alexandre Magno, AdaptaWorks S C R U M Apresentação Tiago Domenici Griffo Arquiteto de Software na MCP, MCAD, MCSD, MCTS Web, Windows e TFS, ITIL Foundation Certified, MPS.BR P1 Experiência internacional e de offshoring Agradecimento

Leia mais

Desenvolvimento Ágil sob a Perspectiva de um ScrumMaster

Desenvolvimento Ágil sob a Perspectiva de um ScrumMaster Desenvolvimento Ágil sob a Perspectiva de um ScrumMaster Danilo Sato e Dairton Bassi 21-05-07 IME-USP O que é Scrum? Processo empírico de controle e gerenciamento Processo iterativo de inspeção e adaptação

Leia mais

Gerenciamento de Equipes com Scrum

Gerenciamento de Equipes com Scrum Gerenciamento de Equipes com Scrum Curso de Verão 2009 IME/USP www.agilcoop.org.br Dairton Bassi 28/Jan/2009 O que é Scrum? Processo de controle e gerenciamento Processo iterativo de inspeção e adaptação

Leia mais

EXIN Agile Scrum Fundamentos

EXIN Agile Scrum Fundamentos Exame Simulado EXIN Agile Scrum Fundamentos Edição Fevereiro 2015 Copyright 2015 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada

Leia mais

Ferramenta para gestão ágil

Ferramenta para gestão ágil Ferramenta para gestão ágil de projetos de software Robson Ricardo Giacomozzi Orientador: Everaldo Artur Grahl Agenda Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento Resultados e discussões

Leia mais

SCRUM. Otimizando projetos. Adilson Taub Júnior tecproit.com.br

SCRUM. Otimizando projetos. Adilson Taub Júnior tecproit.com.br SCRUM Otimizando projetos Adilson Taub Júnior tecproit.com.br Sobre mim Adilson Taub Júnior Gerente de Processos Certified ScrumMaster; ITIL Certified; Cobit Certified; 8+ anos experiência com TI Especialista

Leia mais

Scrum. Gestão ágil de projetos

Scrum. Gestão ágil de projetos Scrum Gestão ágil de projetos Apresentação feita por : Igor Macaúbas e Marcos Pereira Modificada por: Francisco Alecrim (22/01/2012) Metas para o o Metas para treinamento seminário Explicar o que é Scrum

Leia mais

ScRUM na prática. Scrum no dia-a-dia. V Semana de Tecnologia da Informação

ScRUM na prática. Scrum no dia-a-dia. V Semana de Tecnologia da Informação ScRUM na prática Scrum no dia-a-dia V Semana de Tecnologia da Informação Agenda Manifesto Ágil; O Scrum; Os papéis do Scrum; Quem usa Scrum; O Scrum na Tray; Cerimônias; Artefatos. Qualidade. era uma vez

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software. Unidade V Modelagem de PDS. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com

Processo de Desenvolvimento de Software. Unidade V Modelagem de PDS. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Processo de Desenvolvimento de Software Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático desta aula Modelo Cascata (Waterfall) ou TOP DOWN. Modelo Iterativo. Metodologia Ágil.

Leia mais

Manifesto Ágil - Princípios

Manifesto Ágil - Princípios Manifesto Ágil - Princípios Indivíduos e interações são mais importantes que processos e ferramentas. Software funcionando é mais importante do que documentação completa e detalhada. Colaboração com o

Leia mais

O Guia do Scrum. O Guia definitivo para o Scrum As regras do jogo. Desenvolvido e Mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland

O Guia do Scrum. O Guia definitivo para o Scrum As regras do jogo. Desenvolvido e Mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland O Guia do Scrum O Guia definitivo para o Scrum As regras do jogo Julho 2011 Desenvolvido e Mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Traduzido para o Português por José Eduardo Deboni (eduardodeboni.com)

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software Scrum. Prof. Antonio Almeida de Barros Jr.

Processo de Desenvolvimento de Software Scrum. Prof. Antonio Almeida de Barros Jr. Processo de Desenvolvimento de Software Scrum Manifesto da Agilidade Quatro princípios Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas Software funcionando mais que documentação compreensiva Colaboração

Leia mais

SCRUM Discussão e reflexão sobre Agilidade. Fernando Wanderley

SCRUM Discussão e reflexão sobre Agilidade. Fernando Wanderley SCRUM Discussão e reflexão sobre Agilidade Fernando Wanderley Apresentação Líder Técnico em Projetos Java (~ 9 anos) (CESAR, Imagem, CSI, Qualiti Software Process) Consultor de Processos de Desenvolvimento

Leia mais

FireScrum: Ferramenta de apoio à gestão de projetos utilizando Scrum

FireScrum: Ferramenta de apoio à gestão de projetos utilizando Scrum C.E.S.A.R.EDU Unidade de Educação do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife Projeto de Dissertação de Mestrado FireScrum: Ferramenta de apoio à gestão de projetos utilizando Scrum Eric de Oliveira

Leia mais

Metodologias Ágeis. Gerenciando e Desenvolvendo Projetos de forma eficiente. Gabriel Verta 0767948 Rafael Reimberg 0767701 Vinicius Quaiato - 0767697

Metodologias Ágeis. Gerenciando e Desenvolvendo Projetos de forma eficiente. Gabriel Verta 0767948 Rafael Reimberg 0767701 Vinicius Quaiato - 0767697 Metodologias Ágeis Gerenciando e Desenvolvendo Projetos de forma eficiente Gabriel Verta 0767948 Rafael Reimberg 0767701 Vinicius Quaiato - 0767697 Introdução Ao longo dos anos a indústria de desenvolvimento

Leia mais

Metodologia SCRUM. Moyses Santana Jacob RM 63484. Stelvio Mazza RM 63117. Tiago Pereira RM 63115. Hugo Cisneiros RM 60900

Metodologia SCRUM. Moyses Santana Jacob RM 63484. Stelvio Mazza RM 63117. Tiago Pereira RM 63115. Hugo Cisneiros RM 60900 Metodologia SCRUM Hugo Cisneiros RM 60900 Moyses Santana Jacob RM 63484 Stelvio Mazza RM 63117 Tiago Pereira RM 63115 SCRUM? O que é isso? SCRUM é um modelo de desenvolvimento ágil de software que fornece

Leia mais

Quais são as características de um projeto?

Quais são as características de um projeto? Metodologias ágeis Flávio Steffens de Castro Projetos? Quais são as características de um projeto? Temporário (início e fim) Objetivo (produto, serviço e resultado) Único Recursos limitados Planejados,

Leia mais

ágeis para projetos desenvolvidos por fábrica de software

ágeis para projetos desenvolvidos por fábrica de software Uso de práticas ágeis para projetos desenvolvidos por fábrica de software Artur Mello artur.mello@pitang.com Uma empresa C.E.S.A.R Fábrica de Software O termo software factory foi empregado pela primeira

Leia mais

Análise da aplicação da metodologia SCRUM em uma empresa de Desenvolvimento de Software

Análise da aplicação da metodologia SCRUM em uma empresa de Desenvolvimento de Software Análise da aplicação da metodologia SCRUM em uma empresa de Desenvolvimento de Software Carolina Luiza Chamas Faculdade de Tecnologia da Zona Leste SP Brasil carolchamas@hotmail.com Leandro Colevati dos

Leia mais

Engenharia de Software I. Aula 15: Metodologias Ágeis. Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org

Engenharia de Software I. Aula 15: Metodologias Ágeis. Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org Engenharia de Software I Aula 15: Metodologias Ágeis Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org Março - 2008 Antes... Manifesto Mudança de contratos Foco nas premissas... 2 Algumas metodologias Extreme Programming

Leia mais

Métodos Ágeis, Fomando Times de Alto Desempenho. Ari do Amaral Torres Filho @ariamaral ariamaralt@gmail.com

Métodos Ágeis, Fomando Times de Alto Desempenho. Ari do Amaral Torres Filho @ariamaral ariamaralt@gmail.com Métodos Ágeis, Fomando Times de Alto Desempenho Ari do Amaral Torres Filho @ariamaral ariamaralt@gmail.com Iniciando com uma Apresentação (Instrutor, Alunos e Palestra) Apresentação do Professor Sou Bacharel

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Faculdade de Informática e Administração Paulista Curso de Sistemas de Informação 2º SI-T Engenharia de Software Modelo de Desenvolvimento Ágil SCRUM Hugo Cisneiros RM 60900 Moyses Santana Jacob RM 63484

Leia mais

Curso Certified ScrumMaster (CSM)

Curso Certified ScrumMaster (CSM) e Curso Certified ScrumMaster (CSM) 1. Perfil do Instrutor MICHEL GOLDENBERG (CSM, CSPO, CSP, CST) Michel Goldenberg é co-fundador do Grupo de usuário Scrum de Montreal, um dos maiores grupos de usuários

Leia mais

Gestão de Projetos com Scrum

Gestão de Projetos com Scrum Gestão de Projetos com Scrum Curso de Verão - Jan / 2010 IME/USP - São Paulo Dairton Bassi dbassi@gmail.com Processo de gerenciamento de projetos. Processo iterativo de inspeção e adaptação. Usado para

Leia mais

Scrum. Centro de Informática - Universidade Federal de Pernambuco Sistemas de Informação Kiev Gama kiev@cin.ufpe.br

Scrum. Centro de Informática - Universidade Federal de Pernambuco Sistemas de Informação Kiev Gama kiev@cin.ufpe.br Scrum Centro de Informática - Universidade Federal de Pernambuco Sistemas de Informação Kiev Gama kiev@cin.ufpe.br Baseado em slides de Mike Cohn mike@mountaingoatsoftware.com traduzidos e adaptados por

Leia mais

UTILIZAÇÃO DAS METODOLOGIAS ÁGEIS XP E SCRUM PARA O DESENVOLVIMENTO RÁPIDO DE APLICAÇÕES

UTILIZAÇÃO DAS METODOLOGIAS ÁGEIS XP E SCRUM PARA O DESENVOLVIMENTO RÁPIDO DE APLICAÇÕES UTILIZAÇÃO DAS METODOLOGIAS ÁGEIS XP E SCRUM PARA O DESENVOLVIMENTO RÁPIDO DE APLICAÇÕES Marcelo Augusto Lima Painka¹, Késsia Rita da Costa Marchi¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil

Leia mais

Agilidade parte 3/3 - Scrum. Prof. Dr. Luís Fernando Fortes Garcia luis@garcia.pro.br

Agilidade parte 3/3 - Scrum. Prof. Dr. Luís Fernando Fortes Garcia luis@garcia.pro.br Agilidade parte 3/3 - Scrum Prof. Dr. Luís Fernando Fortes Garcia luis@garcia.pro.br 1 Scrum Scrum? Jogada do Rugby Formação de muralha com 8 jogadores Trabalho em EQUIPE 2 Scrum 3 Scrum Scrum Processo

Leia mais

Metodologias Ágeis de Desenvolvimento de Software

Metodologias Ágeis de Desenvolvimento de Software "Antes de imprimir pense em sua responsabilidade e compromisso com o MEIO AMBIENTE." Engenharia de Software de Desenvolvimento de Software Givanaldo Rocha de Souza givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha

Leia mais

MDMS-ANAC. Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC. Superintendência de Tecnologia da Informação - STI

MDMS-ANAC. Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC. Superintendência de Tecnologia da Informação - STI MDMS-ANAC Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC Superintendência de Tecnologia da Informação - STI Histórico de Alterações Versão Data Responsável Descrição 1.0 23/08/2010 Rodrigo

Leia mais

UM ESTUDO DE CASO SOBRE ADOÇÃO DE PRÁTICAS ÁGEIS EM UM AMBIENTE TRADICIONAL

UM ESTUDO DE CASO SOBRE ADOÇÃO DE PRÁTICAS ÁGEIS EM UM AMBIENTE TRADICIONAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA ESCOLA DE INFORMÁTICA APLICADA UM ESTUDO DE CASO SOBRE ADOÇÃO DE PRÁTICAS ÁGEIS EM UM AMBIENTE TRADICIONAL CARLOS

Leia mais

UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G.

UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G. UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G. Magda A. Silvério Miyashiro 1, Maurício G. V. Ferreira 2, Bruna S. P. Martins 3, Fabio Nascimento 4, Rodrigo Dias

Leia mais

ESTUDO DE CASO: SCRUM E PMBOK UNIDOS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. contato@alinebrake.com.br. fs_moreira@yahoo.com.br. contato@marcelobrake.com.

ESTUDO DE CASO: SCRUM E PMBOK UNIDOS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. contato@alinebrake.com.br. fs_moreira@yahoo.com.br. contato@marcelobrake.com. ESTUDO DE CASO: SCRUM E PMBOK UNIDOS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS (CASE STUDY: SCRUM AND PMBOK - STATES IN PROJECT MANAGEMENT) Aline Maria Sabião Brake 1, Fabrício Moreira 2, Marcelo Divaldo Brake 3, João

Leia mais

Engenharia de Software II: SCRUM na prática. Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: SCRUM na prática. Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: SCRUM na prática Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br Construindo Product Backlog } O product backlog é o coração do Scrum. } É basicamente uma lista de requisitos, estórias,

Leia mais

O Guia do Scrum. O decisivo guia Scrum: As regras do Jogo

O Guia do Scrum. O decisivo guia Scrum: As regras do Jogo O Guia do Scrum O decisivo guia Scrum: As regras do Jogo Outubro 2011 Índice Propósito do Guia Scrum... 3 Scrum visão global... 3 A Estrutura Scrum... 3 Teoria do Scrum... 4 Scrum... 5 A equipa Scrum...

Leia mais

METODOLOGIAS ÁGEIS - SCRUM -

METODOLOGIAS ÁGEIS - SCRUM - METODOLOGIAS ÁGEIS - SCRUM - André Roberto Ortoncelli ar_ortoncelli@hotmail.com 2010 Organização da Apresentação Introdução as Metodologias Ágeis Scrum Conceitos Básicos Artefatos Papeis Cerimônias Estórias

Leia mais

[Agile] Scrum + XP. Wagner Roberto dos Santos. Agilidade extrema. Arquiteto Java EE / Scrum Master wrsconsulting@gmail.com. Globalcode open4education

[Agile] Scrum + XP. Wagner Roberto dos Santos. Agilidade extrema. Arquiteto Java EE / Scrum Master wrsconsulting@gmail.com. Globalcode open4education [Agile] Scrum + XP Agilidade extrema Wagner Roberto dos Santos Arquiteto Java EE / Scrum Master wrsconsulting@gmail.com 1 Apresentação Arquiteto Java EE / Scrum Master Lead Editor da Queue Arquitetura

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 05 PROFª BRUNO CALEGARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 05 PROFª BRUNO CALEGARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 05 PROFª BRUNO CALEGARO Santa Maria, 24 de Setembro de 2013. Revisão aula anterior Processos de Software Engenharia de Requisitos, Projeto,

Leia mais

Blog do Abu - Apostila de Apoio

Blog do Abu - Apostila de Apoio Blog do Abu - Apostila de Apoio Versão 2.1 Em fase de correção ortográfica e técnica. Prof. Nelson Abu Samra Rahal Junior abuzitos@gmail.com Certified SCRUM Master Nelson Abu Samra Rahal Junior (abuzitos@gmail.com)

Leia mais

MODELO DE DESENVOLVIMENTO ÁGIL SCRUM

MODELO DE DESENVOLVIMENTO ÁGIL SCRUM MODELO DE DESENVOLVIMENTO ÁGIL SCRUM CEETEPS CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA FATEC DE TAUBATÉ HABILITAÇÃO: ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TEMA MODELO DE DESENVOLVIMENTO ÁGIL:

Leia mais

SCRUM Experience. SCRUM Experience = Tutorial SCRUM. Rildo F Santos rildosan@uol.com.br rildo.santos@companyweb.com.br

SCRUM Experience. SCRUM Experience = Tutorial SCRUM. Rildo F Santos rildosan@uol.com.br rildo.santos@companyweb.com.br SCRUM Experience Rildo F Santos rildosan@uol.com.br rildo.santos@companyweb.com.br Twitter: http://twitter.com/rildosan Blog: http://rildosan.blogspot.com/ versão: 16 Rildo F. Santos, CSM, CSPO Tem mais

Leia mais

Ou seja, mesmo havendo valor nos itens à direita, valorizamos mais os itens à esquerda. [Highsmith, 2001]

Ou seja, mesmo havendo valor nos itens à direita, valorizamos mais os itens à esquerda. [Highsmith, 2001] 14 2 Métodos Ágeis 2.1. Manifesto Ágil Em fevereiro de 2001, dezessete representantes de diversas práticas e metodologias de desenvolvimento se reuniram em uma estação de esqui, em Utah nos EUA para discutir

Leia mais

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Desenvolvimento Ágil Modelos Ágeis. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Desenvolvimento Ágil Modelos Ágeis. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Desenvolvimento Ágil Modelos Ágeis Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga 2º Semestre / 2011 Extreme Programming (XP); DAS (Desenvolvimento Adaptativo de Software)

Leia mais

Proposta. Treinamento Scrum Master Gerenciamento Ágil de Projetos. Apresentação Executiva

Proposta. Treinamento Scrum Master Gerenciamento Ágil de Projetos. Apresentação Executiva Treinamento Scrum Master Gerenciamento Ágil de Projetos Apresentação Executiva 1 O treinamento Scrum Master Gerenciamento Ágil de Projetos tem como premissa preparar profissionais para darem início às

Leia mais

Resumo do mês de março Quer mais resumos? Todo mês em: http://www.thiagocompan.com.br

Resumo do mês de março Quer mais resumos? Todo mês em: http://www.thiagocompan.com.br Resumo do mês de março Quer mais resumos? Todo mês em: http://www.thiagocompan.com.br Jeff Sutherland criou um método para fazer mais em menos tempo com o máximo de qualidade! Usado por diversas empresas

Leia mais

TUTORIAIS. Framework SCRUM. Rafael Buck Eduardo Franceschini. MSc., PMP, CSM MBA

TUTORIAIS. Framework SCRUM. Rafael Buck Eduardo Franceschini. MSc., PMP, CSM MBA TUTORIAIS Framework SCRUM Rafael Buck Eduardo Franceschini MSc., PMP, CSM MBA SCRUM vs. PMBOK SCRUM vs. PMBOK ESCOPO Restrições de um projeto (Tripla Restrição) TEMPO CUSTO Modelo de Contrato de projetos

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Curso de Sistemas de Informação Karla Donato Fook karladf@ifma.edu.br DESU / DAI 2015 Desenvolvimento Rápido de Software 2 1 Para quê o Desenvolvimento Rápido de Software? Os negócios

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 06 PROFª BRUNO CALEGARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 06 PROFª BRUNO CALEGARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 06 PROFª BRUNO CALEGARO Santa Maria, 27 de Setembro de 2013. Revisão aula anterior Desenvolvimento Ágil de Software Desenvolvimento e entrega

Leia mais

Especialização em Engenharia de Software e Banco de Dados

Especialização em Engenharia de Software e Banco de Dados Especialização em Engenharia de Software e Banco de Dados Disciplina: Engenharia de Software Tópico: Metodologias Ágeis Prof. Rodolfo Miranda de Barros rodolfo@uel.br O que é agilidade? Agilidade: Rapidez,

Leia mais

Métodos Ágeis para Desenvolvimento de Software Livre

Métodos Ágeis para Desenvolvimento de Software Livre Métodos Ágeis para Desenvolvimento de Software Livre Dionatan Moura Jamile Alves Porto Alegre, 09 de julho de 2015 Quem somos? Dionatan Moura Jamile Alves Ágil e Software Livre? Métodos Ágeis Manifesto

Leia mais

Análise de Escopo e Planejamento no Desenvolvimento de Software, sob a Perspectiva Ágil

Análise de Escopo e Planejamento no Desenvolvimento de Software, sob a Perspectiva Ágil Análise de Escopo e Planejamento no Desenvolvimento de Software, sob a Perspectiva Ágil Roberto Costa Araujo Orientador: Cristiano T. Galina Sistemas de Informação Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Leia mais

SCRUM como metodologia de gestão de projetos da área administrativa Venturus: um case de sucesso RESUMO

SCRUM como metodologia de gestão de projetos da área administrativa Venturus: um case de sucesso RESUMO SCRUM como metodologia de gestão de projetos da área administrativa Venturus: um case de sucesso RESUMO Este artigo tem por objetivo apresentar a experiência do uso da metodologia Scrum para o gerenciamento

Leia mais

Uma introdução ao SCRUM

Uma introdução ao SCRUM Uma introdução ao SCRUM Prof. Silvestre Labiak Jr. UTFPR Gestão da Produção Perdendo no revezamento... O estilo de corrida de revezamento aplicado ao desenvolvimento de produtos pode conflitar com os objetivos

Leia mais

Ágil. Rápido. Métodos Ágeis em Engenharia de Software. Introdução. Thiago do Nascimento Ferreira. Introdução. Introdução. Introdução.

Ágil. Rápido. Métodos Ágeis em Engenharia de Software. Introdução. Thiago do Nascimento Ferreira. Introdução. Introdução. Introdução. Introdução Métodos Ágeis em Engenharia de Software Thiago do Nascimento Ferreira Desenvolvimento de software é imprevisível e complicado; Empresas operam em ambiente global com mudanças rápidas; Reconhecer

Leia mais

Expresso Livre Módulo de Projetos Ágeis

Expresso Livre Módulo de Projetos Ágeis Expresso Livre Módulo de Projetos Ágeis Desenvolvedor / Orientador Rafael Raymundo da Silva Guilherme Lacerda Out / 2010 1 Sumário 1.Conhecendo a ferramenta...3 2.Gerência de projetos ágeis...3 2.1Product

Leia mais

Promoção especial para o III Congresso Cearense de Gerenciamento Certified ScrumMaster, Certified Scrum Product Owner e Management 3.

Promoção especial para o III Congresso Cearense de Gerenciamento Certified ScrumMaster, Certified Scrum Product Owner e Management 3. Promoção especial para o III Congresso Cearense de Gerenciamento Certified ScrumMaster, Certified Scrum Product Owner e Management 3.0 Sobre a GoToAgile! A GoToAgile é uma empresa Brasileira que tem seu

Leia mais

2012. Quinta Conferência de Qualidade de Software ASR Consultoria

2012. Quinta Conferência de Qualidade de Software ASR Consultoria 1 Visão CMMI do Ágil 2 Visão CMMI do Ágil 3 Visão Ágil do CMMI 4 Visão Ágil do CMMI 5 Visão Ágil do CMMI 6 Manifesto para Desenvolvimento Ágil de Software Estamos descobrindo maneiras melhores de desenvolver

Leia mais

Uma introdução ao SCRUM

Uma introdução ao SCRUM Uma introdução ao SCRUM Perdendo no revezamento... O estilo de corrida de revezamento aplicado ao desenvolvimento de produtos pode conflitar com os objetivos de velocidade

Leia mais

Reuse in a Distributed Environment

Reuse in a Distributed Environment Reuse in a Distributed Environment É possível aplicar APF em um Ambiente Ágil? Alcione Ramos, MSc, CFPS, PMP, CSD Cejana Maciel, MSc, Scrum Master, ITIL, COBIT Ponto de função é coisa dos anos 70. É uma

Leia mais

METODOLOGIA ÁGIL. Lílian Simão Oliveira

METODOLOGIA ÁGIL. Lílian Simão Oliveira METODOLOGIA ÁGIL Lílian Simão Oliveira Fonte: Pressman, 2004 Aulas Prof. Auxiliadora Freire e Sabrina Schürhaus Alexandre Amorin Por quê???? Principais Causas Uso das Funcionalidades Processos empírico

Leia mais