Universidade Estadual de Campinas Faculdade de Tecnologia Adaptação do Scrum ao Modelo Incremental

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade Estadual de Campinas Faculdade de Tecnologia Adaptação do Scrum ao Modelo Incremental"

Transcrição

1 1 Universidade Estadual de Campinas Faculdade de Tecnologia Adaptação do Scrum ao Modelo Incremental Leonardo Bertholdo Lidia Regina de Carvalho Freitas Barban

2 2 Leonardo Bertholdo Lidia Regina de Carvalho Freitas Barban Adaptação do Scrum ao Modelo Incremental Monografia apresentada à Unicamp, junto à Faculdade de Tecnologia, como pré-requisito para conclusão da Disciplina FT027 Tópicos em Computação (Gestão de Projetos e Qualidade) sob orientação do Prof. Dr. Marcos Augusto F. Borges. LIMEIRA SP 2010

3 3 Bertholdo, Leonardo; Barban, Lidia R. C. F. Adaptação do Scrum ao Modelo Incremental, Limeira, 2010, 18 p. Monografia apresentada à Unicamp, junto à Faculdade de Tecnologia, como pré-requisito para conclusão da Disciplina FT027 Tópicos em Computação (Gestão de Projetos e Qualidade).

4 Professor Dr. Marcos Augusto F. Borges

5 5 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO Contexto Justificativa Objetivos Organização do Trabalho MODELO INCREMENTAL SCRUM ESTUDO DE CASO Ambiente do Estudo de Caso Métodos Utilizados Descrição do Estudo de Caso Resultados e Constatações TRABALHOS RELACIONADOS CONCLUSÃO REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS... 14

6 6 LISTA DE FIGURAS Figura 2.1: Modelo incremental... 3 Figura 3.1: Visão do processo na metodologia Scrum... 8 Figura 4.1: Modelo Incremental no produto Gerência da Planta... 9

7 7 RESUMO Devido à crescente competitividade do mercado atual e aos prazos cada vez mais restritos impostos por seus clientes, as empresas de desenvolvimento de software vem buscando metodologias mais ágeis para gestão do desenvolvimento de software. Há alguns anos, para mitigar os efeitos dessa demanda, muitas empresas adotaram o modelo incremental, cujo principal conceito é o desenvolvimento e a entrega incrementais do software. Recentemente, surgiu uma nova abordagem, denominada Scrum, que procurou otimizar ainda mais a entrega do produto de software aos clientes. Pela experiência dos últimos anos, metodologias ágeis, como o Scrum, muitas vezes precisam ser adaptadas às reais necessidades da empresa. Como este tipo de adaptação foi ainda pouco estudado, o principal objetivo desta pesquisa é contribuir para os estudos de viabilidade relacionados à adaptação do Scrum a metodologias mais tradicionais como o modelo incremental. Para isso, é apresentado um estudo de caso, que mostra as principais dificuldades e benefícios decorrentes dessa adaptação. Palavras-chave: Modelo incremental, métodos ágeis, Scrum. ABSTRACT Due to the increasing competitiveness of the current market and the increasingly strict deadlines imposed by their customers, companies software development has been seeking methodologies more agile for management of software development. A few years ago, to mitigate the effects of this demand, many companies have adopted the incremental model, whose main concept is the incremental development and delivery of software. Recently, came a new approach, called Scrum, which sought to further optimize the delivery of the software product to customers. For the experience of recent years, agile methods, like Scrum, often need to be adapted to real companies needs. As this type of adaptation was still little studied, the main objective this survey is to contribute to feasibility studies related to adapting Scrum to more traditional methods such as the incremental model. For this, it is presented a case study that shows the main difficulties and benefits resulting from this adaptation. Keywords: Incremental model, agile methods, Scrum.

8 1 1 INTRODUÇÃO Nesse capítulo são apresentados o contexto em que se insere este trabalho acadêmico, bem como os propósitos que levaram à sua realização. Também é mostrada uma breve descrição da estrutura do trabalho desenvolvido. 1.1 Contexto Nos últimos anos, devido a mudanças no ambiente de negócios, as empresas de desenvolvimento de software começaram a sofrer crescentes pressões para reduzir o time-tomarket. Isso se deveu principalmente à competitividade do mercado atual e aos prazos cada vez menos flexíveis impostos pelos clientes. Visando atender às novas exigências, essas empresas começaram a buscar modelos mais ágeis para gestão de projetos de desenvolvimento de software. Como alternativa, muitas empresas adotaram o modelo incremental, que combina conceitos do modelo clássico, também conhecido como modelo em cascata, com a abordagem evolucionária da prototipação e da iteração de processo. Conforme Sommerville (2007), No modelo incremental, um sistema é dividido em incrementos que possuem conjuntos de funcionalidades. O primeiro incremento é definido com as funcionalidades mais prioritárias, e os incrementos subsequentes são definidos com as funcionalidades adicionais. Cada incremento desenvolvido e validado é entregue ao cliente, que pode colocá-lo em operação e assim começar a usufruir antecipadamente de parte do sistema solicitado. Há poucos anos, surgiu uma nova abordagem para gestão de projetos de desenvolvimento de software denominada Scrum. Trata-se de uma metodologia ágil que utiliza conceitos semelhantes aos contemplados no modelo incremental, porém introduz uma série de elementos que procuram otimizar ainda mais a entrega periódica de incrementos funcionais do produto aos clientes. Entre as principais peculiaridades do Scrum estão: a organização dos recursos em equipes pequenas e multidisciplinares, as iterações dos incrementos (chamadas de sprints) normalmente mais curtas e o forte envolvimento do cliente durante todo o processo de desenvolvimento. 1.2 Justificativa A implantação de metodologias formatadas, como o modelo incremental e o Scrum, nem sempre são a melhor opção para uma empresa de desenvolvimento de software que deseja otimizar suas entregas e a satisfação de seus clientes. Em alguns casos, nem todos os

9 2 conceitos utilizados em uma metodologia podem ser implementados no ambiente da empresa, e outros conceitos considerados importantes para a empresa podem não ser contemplados pela metodologia escolhida. Em situações como essa, o que normalmente ocorre é uma adaptação da metodologia às necessidades da empresa. Esta adaptação muitas vezes acaba por criar uma abordagem híbrida própria da empresa, que pode envolver inclusive conceitos de diversas metodologias. A adaptatividade é uma das características mais marcantes de metodologias ágeis como o Scrum. No entanto, a adaptação dessas metodologias aos modelos tradicionais de desenvolvimento de software é relativamente recente e, por este motivo, ainda pouco pesquisada. Somando-se a este cenário a forte demanda por processos de desenvolvimento de software mais ágeis, nota-se a importância da disseminação das recentes experiências de combinação entre os modelos tradicionais e as novas metodologias ágeis. 1.3 Objetivos O principal objetivo deste trabalho é contribuir para a evolução dos conhecimentos relacionados aos processos de adaptação de metodologias ágeis a modelos tradicionais de desenvolvimento de software. Mais especificamente, tem como intuito obter informações sobre a viabilidade da adaptação do Scrum ao modelo incremental. Para isso, além de estudar as duas metodologias, foi utilizado como embasamento, um caso real de adaptação da metodologia Scrum ao modelo incremental. Com isso, foi possível elencar as principais dificuldades enfrentadas durante a transição do modelo formatado (Incremental) para o modelo híbrido (Incremental/ Scrum), além dos benefícios decorrentes dessa adaptação. 1.4 Organização do Trabalho Este trabalho contém uma introdução que é composta pelo contexto, a justificativa, o objetivo e a organização do trabalho. No segundo capítulo, é apresentado o modelo incremental de desenvolvimeno de software com suas principais características. O capítulo 3 descreve os conceitos mais importantes da metodologia para gestão de projetos de desenvolvimento de software Scrum. O quarto capítulo expõe um estudo de caso, onde ocorre a adaptação do Scrum ao modelo incremental vigente em uma empresa. O capítulo 5 cita alguns trabalhos relacionados a esta pesquisa. Por fim, o último capítulo apresenta às conclusões obtidas com este trabalho.

10 3 2 MODELO INCREMENTAL Podemos definir o modelo incremental como um processo de ciclo de vida iterativo e incremental com características do ciclo de vida seqüencial (TRAMMELL, 1996). No modelo em cascata as fases são seqüenciais: os requisitos são definidos, o projeto do sistema é criado, implementado e testado, é feita a integração e teste de sistema para finalmente entrar em produção. O modelo incremental combina elementos do modelo em cascata aplicado de maneira iterativa (PRESSMAN, 2006), ou seja, a cada incremento é fornecida uma parte do sistema aos clientes. O cliente define quais são os serviços principais e a partir da identificação dos serviços é feito o levantamento de requisitos e mapeado o primeiro incremento. Os processos de especificação, projeto, implementação e testes são feitos a cada incremento até o produto final ser entregue ao cliente gerando um sistema completo, conforme mostra a Figura 2.1. Figura 2.1: Modelo incremental Quando um modelo incremental é usado, o primeiro incremento é freqüentemente chamado de núcleo do produto (PRESSMAN, 2006). O núcleo do produto serve de base para os outros incrementos.

11 4 A cada incremento entregue ao cliente é desenvolvido um plano para o próximo incremento. Este processo é feito a cada termino e início dos incrementos e tem por objetivo alterar o núcleo do produto para atender o cliente (PRESSMAN, 2006). A interação do usuário é primordial no desenvolvimento incremental principalmente na definição dos principais serviços e no retorno (feedback) da utilização do sistema. As principais características do modelo incremental segundo Sommerville (2007) são: Os processos de especificação, projeto e implementação são concorrentes. O sistema é desenvolvido em uma série de incrementos. Ferramentas de apoio ao desenvolvimento interativo. são: De acordo com Sommerville (2007), as vantagens do desenvolvimento incremental Entrega dos incrementos ao cliente, ou seja, partes do sistema em funcionamento. Participação dos clientes ou usuários no processo de desenvolvimento incremental. são: Alguns dos problemas do desenvolvimento incremental segundo Sommerville (2007) Problemas no gerenciamento de grandes sistemas Problemas em montar um contrato para atender ambas as partes interessadas

12 5 3 Métodologias Ágeis e SCRUM Em 2001 um grupo de pesquisadores se reuniu com o intuito de criar melhores práticas para o desenvolvimento de software. Do resultado da reunião criou-se O Manifesto para Desenvolvimento Ágil de Software (MANIFESTO ÁGIL, 2001), modificando a importância dos valores aplicados no desenvolvimento de software: Estamos descobrindo melhores modos de desenvolvimento de software fazendo-o e ajudando outros a fazê-lo. Por meio deste trabalho passamos a valorizar: Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas Software em funcionamento mais que documentação abrangente Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos Responder a mudanças mais que seguir um plano O manifesto também apresentou 12 princípios: Nossa maior prioridade é satisfazer o cliente através da entrega contínua e adiantada de software com valor agregado. Mudanças nos requisitos são bem-vindas, mesmo tardiamente no desenvolvimento. Processos ágeis tiram vantagem das mudanças visando vantagem competitiva para o cliente. Entregar frequentemente software funcionando, de poucas semanas a poucos meses, com preferência à menor escala de tempo. Pessoas de negócio e desenvolvedores devem trabalhar diariamente em conjunto por todo o projeto. Construa projetos em torno de indivíduos motivados. Dê a eles o ambiente e o suporte necessário e confie neles para fazer o trabalho. O método mais eficiente e eficaz de transmitir informações para e entre uma equipe de desenvolvimento é através de conversa face a face. Software funcionando é a medida primária de progresso. Os processos ágeis promovem desenvolvimento sustentável. Os patrocinadores, desenvolvedores e usuários devem ser capazes de manter um ritmo constante indefinidamente.

13 6 Contínua atenção à excelência técnica e bom design aumenta a agilidade. Simplicidade é essencial e deve ser assumida em todos os aspectos do projeto. As melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de equipes autoorganizadas. Em intervalos regulares, a equipe reflete sobre como se tornar mais eficaz e então refina e ajusta seu comportamento de acordo com a necessidade. Definir um processo como ágil significa permitir que a equipe possa adaptar e aperfeiçoar tarefas, manter apenas os trabalhos essenciais implementados, simplificar os trabalhos essenciais, fazer entregas incrementais do software funcionando ao cliente o mais rápido possível (PRESSMAN, 2006). Scrum é uma metodologia ágil de desenvolvimento de software, seu nome está relacionado a uma atividade que ocorre durante o jogo de rugby onde o grupo de jogadores se juntam ao redor da bola e trabalham juntos para mover a bola pelo campo (PRESSMAN, 2006). Os princípios do Scrum são compatíveis com o manifesto ágil: Pequenas equipes. O processo precisa ser adaptado para garantir que o melhor produto seja produzido. Produzir incrementos de software. Trabalho de desenvolvimento dividido. Teste e documentação são realizados durante todo o desenvolvimento. Os princípios do Scrum norteiam o processo de desenvolvimento de software que tem as seguintes atividades: levantamento de requisitos, análise, projeto, evolução e entrega. [Pressman, 2006] Os papéis no Scrum são: Product Owner, Scrum Master e Time. Scrum Master: Responsável por garantir o entendimento do processo do Scrum, responsável por motivar e treinar a equipe. Product Owner: Responsável pela priorização de requisitos que devem ser implementados, ou seja, responsável pelo gerenciamento do Product Backlog (lista de funcionalidades que serão implementadas no projeto).

14 7 Time (Equipe): Responsável pela execução e implementação das funcionalidades. Eventos com duração fixa empregados no Scrum: Sprint Planning Release: Reunião de Planejamento da Release Sprint Planning Meeting: Reunião de Planejamento da Sprint Sprint Daily Scrum: Reunião Diária Sprint Review: Revisão da Sprint Sprint Retrospective: Restrospectiva da Sprint O principais artefatos do Scrum são: O Sprint: É uma interação de duas a quatro semanas, todas as sprint tem como resultado um incremento do produto que pode ser entregue. O Product Backlog: Lista priorizada do que o produto precisa ou pode ter. Backlog da Sprint: Lista de tarefas para produzir o Backlog do Product em um incremento entregável. Burndown: É uma medida, pode variar dentro do contexto. Podemos ter um Burndown de Sprint para medir o quanto falta ds tarefas dentro do tempo do Sprint. Relacionamento entre os papéis, artefatos e eventos descritos na Figura 3.1: O Product Owner, juntamente com o Scrum Master são responsável por manter a lista priorizada de requisitos que devem ser implementados do Product Backlog. A cada Sprint, o time decide quais itens do Product Backlog serão implementados Sprint Backlog em uma reunião especial denominada Sprint Planning Meeting. O time é responsável por implementar a funcionalidade escolhida e demostrar ao Product Owner do Sprint Sprint Review. No final do Sprint o time faz uma revisão do trabalho Retrospectiva do Sprint. Uma reunião diária de 15 minutos denominada Daily Scrum é realizada. Na Daily Scrum, cada desenvolvedor deve responder a três perguntas: O que eu fiz desde a última Daily Scrum?

15 8 O que eu vou fazer hoje? Existe algum obstáculo que me impeça de fazer o trabalho? Figura 3.1: Visão do processo na metodologia Scrum

16 9 4 ESTUDO DE CASO O propósito deste estudo de caso é adquirir conhecimento e experiência nos processos de adaptação de metodologias ágeis a modelos tradicionais de desenvolvimento de software por meio de um caso real. Em particular, espera-se contribuir com novas informações sobre a viabilidade da adaptação do Scrum ao modelo incremental tradicional. 4.1 Ambiente do Estudo de Caso O ambiente escolhido para esse estudo de caso foi o de uma empresa de grande porte que atua, entre outros segmentos, no desenvolvimento de aplicações voltadas para a área de telecomunicações. Esta empresa desenvolve um produto de software denominado Gerência da Planta, o qual tem como principais clientes grandes operadoras do setor de telecomunicações. Basicamente, este produto tem como finalidade gerenciar todas as informações relacionadas à infra-estrutura da rede de telefonia instalada em campo, bem como os serviços que esta infraestrutura provê aos assinantes da operadora. Até pouco tempo, a empresa utilizava o modelo incremental puro nos projetos de evolução e manutenção deste produto, conforme ilustra a Figura 4.1. No entanto, há alguns meses, passou a introduzir alguns conceitos da metodologia ágil Scrum em seu processo de desenvolvimento de software. Projeto GP-5.2 Versão 5.2 Versão 5.2 Patch Versão 5.2 Patch Patch Figura 4.1: Modelo Incremental no produto Gerência da Planta 4.2 Métodos Utilizados Devido à introdução do Scrum ainda estar em um estágio experimental, não foram encontradas fontes textuais que explanassem detalhadamente como está se dando a adoção deste novo paradigma.

17 10 Por este motivo, para coletar os dados para a análise do estudo de caso foi utilizada a técnica de entrevistas. Os entrevistados foram escolhidos de acordo com o conhecimento e a vivência que tinham nos projetos de evolução e manutenção deste produto. São eles: dois coordenadores de projeto e dois líderes de equipe (equivalente ao papel de Scrum Master). 4.3 Descrição do Estudo de Caso Conforme foi dito, os projetos relacionados ao produto Gerência da Planta utilizavam o processo de desenvolvimento baseado no modelo incremental. Com base nas entrevistas realizadas, foram observadas as seguintes mudanças com a introdução de conceitos da metodologia Scrum: Os recursos passaram a ser divididos em equipes, sendo que cada uma delas passou a ser responsável por uma feature do projeto dentro de um sprint do projeto. Essas equipes são pequenas (até 10 pessoas) e multidisciplinares, envolvendo pessoas das áreas de requisitos, desenvolvimento, banco de dados e testes. Cada equipe passou a contar com um líder de equipe (algo equivalente ao papel do Scrum Master), que atua como uma facilitador removendo eventuais obstáculos. Cada feature do conjunto de features do projeto (Product Backlog) passou a ser desenvolvida em um sprint que normalmente dura até 4 semanas. Passaram a ser realizadas as Daily Meetings, que na verdade ocorrem em dias alternados. O gráfico Burndown Chart, que mostra a quantidade de horas restantes para a conclusão do sprint em função do tempo, passou a ser utilizado. 4.4 Resultados e Constatações Pode-se notar que apenas alguns conceitos do Scrum foram utilizados puramente; alguns foram adaptados e outros não implementados. Mesmo com a implementação parcial desta metodologia, já foi possível observar alguns impactos positivos decorrentes da quebra do paradigma do modelo incremental puro. A análise dos resultados desta mudança ainda está na fase de coleta de indicadores, porém já foi percebida uma considerável melhora na interação entre os membros das diferentes áreas (requisitos, codificação, banco de dados e testes) envolvidas nos projetos. De acordo com as análises iniciais, outro efeito positivo foi uma pequena redução nos esforços.

18 11 Uma das constatações desse estudo de caso está relacionada à multidisciplinaridade da equipes que é recomendada pelo Scrum. Em outras palavras, cada um dos integrantes da equipe deveria teoricamente possuir conhecimento genérico das diferentes áreas, que abrangem a especificação, a construção e a validação do software. O ponto negativo dessa característica é que muitas vezes um especialista pode acabar se envolvendo com assuntos que não são de seu domínio, o que faz com que seu potencial não seja totalmente aproveitado. Outra consideração a ser feita com relação aos recursos humanos, é que o líder da equipe (papel que equivale ao Scrum Master) normalmente é um especialista da área de codificação, e o ideal seria que fosse alguém com conhecimento genérico de outras áreas também, como requisitos e testes. Ainda relacionado à questão da liderança, foi constatado que apesar de existir um papel semelhante ao do Scrum Master e um dos conceitos do Scrum ser o autogerenciamento das equipes, no modelo adaptado deste estudo de caso ainda persiste o papel do coordenador de projeto. Nesse modelo, as equipes e os sprints são organizados por feature do projeto (o conjunto dessas features equivale ao Product Backlog). Pelo Scrum, ao final de cada sprint, deveria ser entregue ao cliente um software com valor de negócio agregado. No entanto, como as funcionalidades do produto em questão são grandes e muito interdependentes tornase difícil organizar os sprints de modo que cada um deles consiga entregar um software com real valor de negócio. Por exemplo: no sprint 1 será desenvolvida a funcionalidade A, porém esta funcionalidade somente faz sentido se for integrada à funcionalidade B, a qual será desenvolvida no sprint 2. Nesse exemplo, pode-se ver que não faz sentido entregar o software no sprint 1, já que esta entrega não agregará nenhum valor ao seu negócio para o cliente. Devido a esta forte interdependência entre as funcionalidades do produto, os resultados dos sprints intermediários não são entregues ao cliente. Também pode-se notar que, por motivos de disponibilidade, não há envolvimento do cliente (papel que seria equivalente ao Product Owner) em tempo integral. Para simular este papel, quando é necessário tratar alguma questão referente ao produto que está sendo desenvolvido, existe uma pessoa da área de requisitos que faz a interface com o cliente. Por fim, como os integrantes que compõem as equipes não trabalham próximos fisicamente, também foi observado que a falta de um leiaute adequado pode dificultar relativamente a comunicação interna da equipe.

19 12 5 TRABALHOS RELACIONADOS Fagundes (2008) faz uma comparação entre os processos propostos pelos métodos ágeis Scrum, XP (Extreme Programming), FDD (Feature Driven Development) e ASD (Adaptive Software Development), visando a auxiliar a equipe de desenvolvimento na escolha do método que melhor se adapte a suas expectativas. Para fazer a comparação, foram utilizadas as tradicionais atividades do modelo incremental. Para cada atividade é apresentada uma descrição da tarefa correspondente em cada método analisado. Marçal (2008) apresenta um mapeamento entre o CMMI e a metodologia ágil Scrum, mostrando as diferenças entre eles e identificando como as organizações estão adotando práticas complementares em seus projetos para tornar essas duas abordagens mais integráveis. A pesquisa pode ser útil para organizações que seguem o modelo CMMI e estão planejando melhorar a agilidade dos seus processos, ou para ajudar as organizações a definir um novo modelo de gestão do projetos baseando-se em ambas as metodologias. Szimanski (2009) expõe um estudo de caso onde ocorre a extensão da metodologia ágil Scrum para as áreas de processo do MPS.BR nível G aplicada em uma pequena fábrica de software. Segundo os autores, o estudo realizado pode contribuir de forma relevante para organizações que desejam promover a melhoria da qualidade dos seus produtos, por meio da introdução de práticas ágeis no seu processo de desenvolvimento de software mantendo a compatibilidade com o MPS.BR.

20 13 6 CONCLUSÃO Esta pesquisa foi realizada com a finalidade de contribuir para a evolução dos conhecimentos relacionados aos processos de adaptação de metodologias ágeis a formas tradicionais de desenvolvimento de software, como o modelo incremental. De certa forma, podemos considerar o modelo incremental como um precursor do Scrum, pois um dos principais conceitos desta última metodologia a entrega periódica de software com valor de negócio está alinhado com a essência do modelo incremental. Com o estudo de caso foram levantadas algumas questões que merecem reflexão como: a dificuldade notória em se implantar integralmente os conceitos de metodologias ágeis em um ambiente que utiliza um modelo mais tradicional, as possíveis desvantagens da multidisciplinaridade das equipes e a dificuldade em se implementar de forma confiável e eficiente o autogerenciamento das equipes. Também foi possível notar alguns obstáculos existentes para se realizar entregas com real valor de negócio e de forma incremental, em situações onde as funcionalidades do produto são grandes e muito interdependentes. Baseado no estudo realizado, pode-se concluir que a decisão de adotar metodologias ágeis no processo de desenvolvimento de software depende de vários fatores como: a complexidade do produto de software, a maturidade e o comprometimento das equipes, a disponibilidade do cliente, a cultura da empresa, entre outros. Como não existem prescrições prontas que considerem as inúmeras combinações destas variáveis, a adoção dessas metodologias demandará sempre uma análise aprofundada em cada caso, para avaliar quando e como deverá ser implantada ou adaptada a metodologia escolhida.

21 14 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS FAGUNDES, P. B.; DETERS, J. I.; SANTOS, S. S. Comparação entre os processos dos métodos ágeis: XP, SCRUM, FDD e ASD em relação ao desenvolvimento iterativo incremental. E-Tech: Atualidades Tecnológicas para Competitividade Industrial. Florianópolis, v. 1, n. 1, p , 1º. sem MANIFESTO ÁGIL. Apresenta texto sobre o manifesto ágil. Disponível em: <http://agilemanifesto.org/>. Acesso em: 15 jun MARÇAL, A. S. C. et al. Blending Scrum practices and CMMI project management process areas. Innovations in Systems and Software Engineering, Londres, v. 4, n. 1, p.17-29, abr PRESSMAN, R. S. Engenharia de Software. 6ª ed. Rio de Janeiro: McGraw-Hill, , 41, 60, 69, 70 p. SOMMERVILLE, I. Engenharia de Software. 8ª ed. São Paulo: Pearson, p. SZIMANSKI, F.; ALBUQUERQUE, J.; FURTADO, F. Implementando maturidade e agilidade em uma fábrica de software através de Scrum e MPS.BR nível G. In: XI Encontro de Estudantes de Informática do Tocantins, 2009, Palmas. Anais do XI Encontro de Estudantes de Informática do Tocantins. Palmas: Centro Universitário Luterano de Palmas, p TRAMMELL, C. J. et al. The incremental development process in Cleanroom software engineering. Decision Support Systems 17, 1996, p.

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática Disciplina: INF5008 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 8. Metodologias

Leia mais

Metodologias Ágeis. Aécio Costa

Metodologias Ágeis. Aécio Costa Metodologias Ágeis Aécio Costa Metodologias Ágeis Problema: Processo de desenvolvimento de Software Imprevisível e complicado. Empírico: Aceita imprevisibilidade, porém tem mecanismos de ação corretiva.

Leia mais

Guia Projectlab para Métodos Agéis

Guia Projectlab para Métodos Agéis Guia Projectlab para Métodos Agéis GUIA PROJECTLAB PARA MÉTODOS ÁGEIS 2 Índice Introdução O que são métodos ágeis Breve histórico sobre métodos ágeis 03 04 04 Tipos de projetos que se beneficiam com métodos

Leia mais

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO. Bruno Edgar Fuhr 1

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO. Bruno Edgar Fuhr 1 METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO Bruno Edgar Fuhr 1 Resumo: O atual mercado de sistemas informatizados exige das empresas de desenvolvimento, um produto que tenha ao mesmo

Leia mais

Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM)

Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM) Programação Extrema Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM) Prof. Mauro Lopes Programação Extrema Prof. Mauro Lopes 1-31 45 Manifesto Ágil Formação da Aliança Ágil Manifesto Ágil: Propósito

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS - UNICAMP FACULDADE DE TECNOLOGIA - FT GUSTAVO ARCERITO MARIVALDO FELIPE DE MELO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS - UNICAMP FACULDADE DE TECNOLOGIA - FT GUSTAVO ARCERITO MARIVALDO FELIPE DE MELO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS - UNICAMP FACULDADE DE TECNOLOGIA - FT GUSTAVO ARCERITO MARIVALDO FELIPE DE MELO Análise da Metodologia Ágil SCRUM no desenvolvimento de software para o agronegócio Limeira

Leia mais

Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Uma ampla visão do framework Scrum e suas peculiaridades

Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Uma ampla visão do framework Scrum e suas peculiaridades Objetivos da Aula 1 Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Uma ampla visão do framework Scrum e suas peculiaridades Entendimento sobre os processos essenciais do

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software. Unidade V Modelagem de PDS. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com

Processo de Desenvolvimento de Software. Unidade V Modelagem de PDS. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Processo de Desenvolvimento de Software Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático desta aula Modelo Cascata (Waterfall) ou TOP DOWN. Modelo Iterativo. Metodologia Ágil.

Leia mais

Ferramenta para gestão ágil

Ferramenta para gestão ágil Ferramenta para gestão ágil de projetos de software Robson Ricardo Giacomozzi Orientador: Everaldo Artur Grahl Agenda Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento Resultados e discussões

Leia mais

SCRUM: UM MÉTODO ÁGIL. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com)

SCRUM: UM MÉTODO ÁGIL. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) SCRUM: UM MÉTODO ÁGIL Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) Roteiro Motivação Manifesto Ágil Princípios Ciclo Papeis, cerimônias, eventos, artefatos Comunicação Product Backlog Desperdício 64% das features

Leia mais

SCRUM. Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br

SCRUM. Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br SCRUM Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br Introdução 2 2001 Encontro onde profissionais e acadêmicos da área de desenvolvimento de software de mostraram seu descontentamento com a maneira com que os

Leia mais

SCRUM Gerência de Projetos Ágil. Prof. Elias Ferreira

SCRUM Gerência de Projetos Ágil. Prof. Elias Ferreira SCRUM Gerência de Projetos Ágil Prof. Elias Ferreira Métodos Ágeis + SCRUM + Introdução ao extreme Programming (XP) Manifesto Ágil Estamos descobrindo maneiras melhores de desenvolver software fazendo-o

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas CMP1141 Processo e qualidade de software I Prof. Me. Elias Ferreira Sala: 210 F Quarta-Feira:

Leia mais

Desenvolvimento Ágil de Software

Desenvolvimento Ágil de Software Desenvolvimento Ágil de Software Métodos ágeis (Sommerville) As empresas operam em um ambiente global, com mudanças rápidas. Softwares fazem parte de quase todas as operações de negócios. O desenvolvimento

Leia mais

Scrum. Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE

Scrum. Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE Scrum Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE scrum Ken Schwaber - Jeff Sutherland http://www.scrumalliance.org/ Scrum Uma forma ágil de gerenciar projetos. Uma abordagem baseada em equipes autoorganizadas.

Leia mais

Ágil. Rápido. Métodos Ágeis em Engenharia de Software. Introdução. Thiago do Nascimento Ferreira. Introdução. Introdução. Introdução.

Ágil. Rápido. Métodos Ágeis em Engenharia de Software. Introdução. Thiago do Nascimento Ferreira. Introdução. Introdução. Introdução. Introdução Métodos Ágeis em Engenharia de Software Thiago do Nascimento Ferreira Desenvolvimento de software é imprevisível e complicado; Empresas operam em ambiente global com mudanças rápidas; Reconhecer

Leia mais

Metodologias Ágeis de Desenvolvimento de Software

Metodologias Ágeis de Desenvolvimento de Software "Antes de imprimir pense em sua responsabilidade e compromisso com o MEIO AMBIENTE." Engenharia de Software de Desenvolvimento de Software Givanaldo Rocha de Souza givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha

Leia mais

Análise comparativa entre a engenharia de requisitos e o método de desenvolvimento ágil: Scrum

Análise comparativa entre a engenharia de requisitos e o método de desenvolvimento ágil: Scrum Análise comparativa entre a engenharia de requisitos e o método de desenvolvimento ágil: Scrum Patrícia Bastos Girardi, Sulimar Prado, Andreia Sampaio Resumo Este trabalho tem como objetivo prover uma

Leia mais

FireScrum: Ferramenta de apoio à gestão de projetos utilizando Scrum

FireScrum: Ferramenta de apoio à gestão de projetos utilizando Scrum C.E.S.A.R.EDU Unidade de Educação do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife Projeto de Dissertação de Mestrado FireScrum: Ferramenta de apoio à gestão de projetos utilizando Scrum Eric de Oliveira

Leia mais

Uma introdução ao SCRUM. Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br

Uma introdução ao SCRUM. Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br Uma introdução ao SCRUM Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br Agenda Projetos de Software O que é Scrum Scrum framework Estrutura do Scrum Sprints Ferramentas Projetos de software Chaos Report Standish

Leia mais

Comparativo entre Processos Ágeis. Daniel Ferreira dfs3@cin.ufpe.br

Comparativo entre Processos Ágeis. Daniel Ferreira dfs3@cin.ufpe.br Comparativo entre Processos Ágeis Daniel Ferreira dfs3@cin.ufpe.br O que discutiremos: Histórico Os Princípios Ágeis Comparação Do ponto de vista incremental Do ponto de vista funcional Vantagens e Desvantagens

Leia mais

RESUMO PARA O EXAME PSM I

RESUMO PARA O EXAME PSM I RESUMO PARA O EXAME PSM I Escrito por: Larah Vidotti Blog técnico: Linkedin: http://br.linkedin.com/in/larahvidotti MSN: larah_bit@hotmail.com Referências:... 2 O Scrum... 2 Papéis... 3 Product Owner (PO)...

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software Scrum. Prof. Antonio Almeida de Barros Jr.

Processo de Desenvolvimento de Software Scrum. Prof. Antonio Almeida de Barros Jr. Processo de Desenvolvimento de Software Scrum Manifesto da Agilidade Quatro princípios Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas Software funcionando mais que documentação compreensiva Colaboração

Leia mais

Métodos Ágeis para Desenvolvimento de Software Livre

Métodos Ágeis para Desenvolvimento de Software Livre Métodos Ágeis para Desenvolvimento de Software Livre Dionatan Moura Jamile Alves Porto Alegre, 09 de julho de 2015 Quem somos? Dionatan Moura Jamile Alves Ágil e Software Livre? Métodos Ágeis Manifesto

Leia mais

Manifesto Ágil - Princípios

Manifesto Ágil - Princípios Manifesto Ágil - Princípios Indivíduos e interações são mais importantes que processos e ferramentas. Software funcionando é mais importante do que documentação completa e detalhada. Colaboração com o

Leia mais

SCRUM. Otimizando projetos. Adilson Taub Júnior tecproit.com.br

SCRUM. Otimizando projetos. Adilson Taub Júnior tecproit.com.br SCRUM Otimizando projetos Adilson Taub Júnior tecproit.com.br Sobre mim Adilson Taub Júnior Gerente de Processos Certified ScrumMaster; ITIL Certified; Cobit Certified; 8+ anos experiência com TI Especialista

Leia mais

Agilidade parte 3/3 - Scrum. Prof. Dr. Luís Fernando Fortes Garcia luis@garcia.pro.br

Agilidade parte 3/3 - Scrum. Prof. Dr. Luís Fernando Fortes Garcia luis@garcia.pro.br Agilidade parte 3/3 - Scrum Prof. Dr. Luís Fernando Fortes Garcia luis@garcia.pro.br 1 Scrum Scrum? Jogada do Rugby Formação de muralha com 8 jogadores Trabalho em EQUIPE 2 Scrum 3 Scrum Scrum Processo

Leia mais

Scrum Guia Prático. Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master. Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum. Solutions. www.domain.

Scrum Guia Prático. Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master. Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum. Solutions. www.domain. Scrum Guia Prático Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum Solutions www.domain.com Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master 1 Gráfico de Utilização de Funcionalidades Utilização

Leia mais

Agradecimento. Adaptação do curso Scrum de Márcio Sete, ChallengeIT. Adaptação do curso The Zen of Scrum de Alexandre Magno, AdaptaWorks

Agradecimento. Adaptação do curso Scrum de Márcio Sete, ChallengeIT. Adaptação do curso The Zen of Scrum de Alexandre Magno, AdaptaWorks S C R U M Apresentação Tiago Domenici Griffo Arquiteto de Software na MCP, MCAD, MCSD, MCTS Web, Windows e TFS, ITIL Foundation Certified, MPS.BR P1 Experiência internacional e de offshoring Agradecimento

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013

LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013 LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013 Disciplina: Professor: Engenharia de Software Edison Andrade Martins Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti.br Área: Metodologias

Leia mais

Wesley Torres Galindo

Wesley Torres Galindo Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura Wesley Torres Galindo wesleygalindo@gmail.com User Story To Do Doing Done O que é? Como Surgiu? Estrutura Apresentar

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Curso de Sistemas de Informação Karla Donato Fook karladf@ifma.edu.br DESU / DAI 2015 Desenvolvimento Rápido de Software 2 1 Para quê o Desenvolvimento Rápido de Software? Os negócios

Leia mais

Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail.com

Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail.com Wesley Torres Galindo wesleygalindo@gmail.com Wesley Galindo Graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Mestrado em Engenharia de Software Engenheiro de Software Professor Faculdade Escritor Osman

Leia mais

Análise da aplicação da metodologia SCRUM em uma empresa de Desenvolvimento de Software

Análise da aplicação da metodologia SCRUM em uma empresa de Desenvolvimento de Software Análise da aplicação da metodologia SCRUM em uma empresa de Desenvolvimento de Software Carolina Luiza Chamas Faculdade de Tecnologia da Zona Leste SP Brasil carolchamas@hotmail.com Leandro Colevati dos

Leia mais

SCRUM. É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto.

SCRUM. É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto. SCRUM SCRUM É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto. Ken Schwaber e Jeff Sutherland Transparência A transparência garante que

Leia mais

Engenharia de Software I. Aula 15: Metodologias Ágeis. Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org

Engenharia de Software I. Aula 15: Metodologias Ágeis. Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org Engenharia de Software I Aula 15: Metodologias Ágeis Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org Março - 2008 Antes... Manifesto Mudança de contratos Foco nas premissas... 2 Algumas metodologias Extreme Programming

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ÁGEIS

INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ÁGEIS WESLLEYMOURA@GMAIL.COM INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ÁGEIS ANÁLISE DE SISTEMAS Introdução aos métodos ágeis Metodologias tradicionais Estes tipos de metodologias dominaram a forma de desenvolvimento de software

Leia mais

SCRUM: UMA DAS METODOLOGIAS ÁGEIS MAIS USADAS DO MUNDO

SCRUM: UMA DAS METODOLOGIAS ÁGEIS MAIS USADAS DO MUNDO SCRUM: UMA DAS METODOLOGIAS ÁGEIS MAIS USADAS DO MUNDO RESUMO Eleandro Lopes de Lima 1 Nielsen Alves dos Santos 2 Rodrigo Vitorino Moravia 3 Maria Renata Furtado 4 Ao propor uma alternativa para o gerenciamento

Leia mais

Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal

Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal Universidade Federal do Rio Grande FURG C3 Engenharia de Computação 16 e 23 de março de 2011 Processo de Desenvolvimento de Software Objetivos

Leia mais

SCRUM. Desafios e benefícios trazidos pela implementação do método ágil SCRUM. Conhecimento em Tecnologia da Informação

SCRUM. Desafios e benefícios trazidos pela implementação do método ágil SCRUM. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação SCRUM Desafios e benefícios trazidos pela implementação do método ágil SCRUM 2011 Bridge Consulting Apresentação Há muitos anos, empresas e equipes de desenvolvimento

Leia mais

AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br RESUMO

AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br RESUMO 1 AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br Autor: Julio Cesar Fausto 1 RESUMO Em um cenário cada vez mais competitivo e em franca

Leia mais

Desenvolvimento Ágil sob a Perspectiva de um ScrumMaster

Desenvolvimento Ágil sob a Perspectiva de um ScrumMaster Desenvolvimento Ágil sob a Perspectiva de um ScrumMaster Danilo Sato e Dairton Bassi 21-05-07 IME-USP O que é Scrum? Processo empírico de controle e gerenciamento Processo iterativo de inspeção e adaptação

Leia mais

05/05/2010. Década de 60: a chamada Crise do Software

05/05/2010. Década de 60: a chamada Crise do Software Pressman, Roger S. Software Engineering: A Practiotioner s Approach. Editora: McGraw- Hill. Ano: 2001. Edição: 5 Introdução Sommerville, Ian. SW Engineering. Editora: Addison Wesley. Ano: 2003. Edição:

Leia mais

Proposta. Treinamento Scrum Master Gerenciamento Ágil de Projetos. Apresentação Executiva

Proposta. Treinamento Scrum Master Gerenciamento Ágil de Projetos. Apresentação Executiva Treinamento Scrum Master Gerenciamento Ágil de Projetos Apresentação Executiva 1 O treinamento Scrum Master Gerenciamento Ágil de Projetos tem como premissa preparar profissionais para darem início às

Leia mais

Frederico Aranha, Instrutor. Scrum 100 Lero Lero. Um curso objetivo!

Frederico Aranha, Instrutor. Scrum 100 Lero Lero. Um curso objetivo! Scrum 100 Lero Lero Um curso objetivo! Napoleãããõ blah blah blah Whiskas Sachê Sim, sou eu! Frederico de Azevedo Aranha MBA, PMP, ITIL Expert Por que 100 Lero Lero? Porque o lero lero está documentado.

Leia mais

Conheça as metodologias Scrum e Extreme Programming e quais as diferenças entre as metodologias tradicionais e ágeis

Conheça as metodologias Scrum e Extreme Programming e quais as diferenças entre as metodologias tradicionais e ágeis Processos Ágeis Aprenda o que são processos ágeis Conheça as metodologias Scrum e Extreme Programming e quais as diferenças entre as metodologias tradicionais e ágeis Leonardo Simas, Osias Carneiro, Vagner

Leia mais

ESTUDO DE CASO: SCRUM E PMBOK UNIDOS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. contato@alinebrake.com.br. fs_moreira@yahoo.com.br. contato@marcelobrake.com.

ESTUDO DE CASO: SCRUM E PMBOK UNIDOS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. contato@alinebrake.com.br. fs_moreira@yahoo.com.br. contato@marcelobrake.com. ESTUDO DE CASO: SCRUM E PMBOK UNIDOS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS (CASE STUDY: SCRUM AND PMBOK - STATES IN PROJECT MANAGEMENT) Aline Maria Sabião Brake 1, Fabrício Moreira 2, Marcelo Divaldo Brake 3, João

Leia mais

UTILIZAÇÃO DAS METODOLOGIAS ÁGEIS XP E SCRUM PARA O DESENVOLVIMENTO RÁPIDO DE APLICAÇÕES

UTILIZAÇÃO DAS METODOLOGIAS ÁGEIS XP E SCRUM PARA O DESENVOLVIMENTO RÁPIDO DE APLICAÇÕES UTILIZAÇÃO DAS METODOLOGIAS ÁGEIS XP E SCRUM PARA O DESENVOLVIMENTO RÁPIDO DE APLICAÇÕES Marcelo Augusto Lima Painka¹, Késsia Rita da Costa Marchi¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil

Leia mais

Quais são as características de um projeto?

Quais são as características de um projeto? Metodologias ágeis Flávio Steffens de Castro Projetos? Quais são as características de um projeto? Temporário (início e fim) Objetivo (produto, serviço e resultado) Único Recursos limitados Planejados,

Leia mais

Por que o Scrum? o Foco na Gerência de Projetos; o Participação efetiva do Cliente.

Por que o Scrum? o Foco na Gerência de Projetos; o Participação efetiva do Cliente. Por que o Scrum? o Foco na Gerência de Projetos; o Participação efetiva do Cliente. Desenvolvido por Jeff SUTHERLAND e Ken SCHWABER ; Bastante objetivo, com papéis bem definidos; Curva de Aprendizado é

Leia mais

Workshop SCRUM. Versão 5 Out 2010 RFS. rildo.santos@etecnologia.com.br

Workshop SCRUM. Versão 5 Out 2010 RFS. rildo.santos@etecnologia.com.br Todos os direitos reservados e protegidos 2006 e 2010 Objetivo: Estudo de Caso Objetivo: Apresentar um Estudo de Caso para demonstrar como aplicar as práticas do SCRUM em projeto de desenvolvimento de

Leia mais

Scrum-Half: Uma Ferramenta Web de Apoio ao Scrum

Scrum-Half: Uma Ferramenta Web de Apoio ao Scrum Scrum-Half: Uma Ferramenta Web de Apoio ao Scrum Diego R. Marins 1,2, José A. Rodrigues Nt. 1, Geraldo B. Xexéo 2, Jano M. de Sousa 1 1 Programa de Engenharia de Sistemas e Computação - COPPE/UFRJ 2 Departamento

Leia mais

Módulo de projetos ágeis Scrum Módulo de Projetos Ágeis Scrum

Módulo de projetos ágeis Scrum Módulo de Projetos Ágeis Scrum Módulo de Projetos Ágeis Fevereiro 2015 Versão Módulo de Projetos Ágeis O nome vem de uma jogada ou formação do Rugby, onde 8 jogadores de cada time devem se encaixar para formar uma muralha. É muito importante

Leia mais

Gerenciamento de Equipes com Scrum

Gerenciamento de Equipes com Scrum Gerenciamento de Equipes com Scrum Curso de Verão 2009 IME/USP www.agilcoop.org.br Dairton Bassi 28/Jan/2009 O que é Scrum? Processo de controle e gerenciamento Processo iterativo de inspeção e adaptação

Leia mais

Workshop. Workshop SCRUM. Rildo F Santos. rildo.santos@etecnologia.com.br. Versão 1 Ago 2010 RFS. www.etcnologia.com.br (11) 9123-5358 (11) 9962-4260

Workshop. Workshop SCRUM. Rildo F Santos. rildo.santos@etecnologia.com.br. Versão 1 Ago 2010 RFS. www.etcnologia.com.br (11) 9123-5358 (11) 9962-4260 Workshop www.etcnologia.com.br (11) 9123-5358 (11) 9962-4260 Rildo F Santos twitter: @rildosan skype: rildo.f.santos http://rildosan.blogspot.com/ Todos os direitos reservados e protegidos 2006 e 2010

Leia mais

Scrum. Gestão ágil de projetos

Scrum. Gestão ágil de projetos Scrum Gestão ágil de projetos Apresentação feita por : Igor Macaúbas e Marcos Pereira Modificada por: Francisco Alecrim (22/01/2012) Metas para o o Metas para treinamento seminário Explicar o que é Scrum

Leia mais

Estudo sobre Desenvolvimento de Software Utilizando o Framework Ágil Scrum

Estudo sobre Desenvolvimento de Software Utilizando o Framework Ágil Scrum Estudo sobre Desenvolvimento de Software Utilizando o Framework Ágil Scrum Andre Scarmagnani 1, Fabricio C. Mota 1, Isaac da Silva 1, Matheus de C. Madalozzo 1, Regis S. Onishi 1, Luciano S. Cardoso 1

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE BOAS PRÁTICAS DO PMI COM OS MÉTODOS ÁGEIS Por: Sheyla Christina Bueno Ortiz Orientador Prof. Nelsom Magalhães Rio de Janeiro

Leia mais

Especialização em Engenharia de Software e Banco de Dados

Especialização em Engenharia de Software e Banco de Dados Especialização em Engenharia de Software e Banco de Dados Disciplina: Engenharia de Software Tópico: Metodologias Ágeis Prof. Rodolfo Miranda de Barros rodolfo@uel.br O que é agilidade? Agilidade: Rapidez,

Leia mais

Objetivos do Módulo 3

Objetivos do Módulo 3 Objetivos do Módulo 3 Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Conceitos do Scrum O que é um Sprint Decifrando um Product backlog Daily Scrum, Sprint Review, Retrospectiva

Leia mais

A Utilização de Práticas Scrum no Desenvolvimento de Software com Equipes Grandes e Distribuídas: um Relato de Experiência

A Utilização de Práticas Scrum no Desenvolvimento de Software com Equipes Grandes e Distribuídas: um Relato de Experiência A Utilização de Práticas Scrum no Desenvolvimento de Software com Equipes Grandes e Distribuídas: um Relato de Experiência Alex N. Borges Júnior 1, Fernando K. Kamei 1, Pablo R. C. Alves 1, Rodrigo G.

Leia mais

Adoção de Práticas Ágeis no Desenvolvimento de Soluções de Business Intelligence. Trilha da Indústria - 2015

Adoção de Práticas Ágeis no Desenvolvimento de Soluções de Business Intelligence. Trilha da Indústria - 2015 Adoção de Práticas Ágeis no Desenvolvimento de Soluções de Business Intelligence Trilha da Indústria - 2015 Palestrante Graduação Ciência da Computação UFAL/2008 Mestre em Ciência da Computação UFPE/2011

Leia mais

Scrum e CMMI no C.E.S.A.R Relato de Experiência

Scrum e CMMI no C.E.S.A.R Relato de Experiência Scrum e CMMI no C.E.S.A.R Relato de Experiência Felipe Furtado Engenheiro de Qualidade Izabella Lyra Gerente de Projetos Maio/2008 Agenda Motivação Pesquisas Adaptações do Processo Projeto Piloto Considerações

Leia mais

Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl

Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl Ferramenta web para gerenciamento de projetos de software baseado no Scrum Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl Introdução Roteiro da apresentação Objetivos do trabalho Fundamentação

Leia mais

EXIN Agile Scrum Fundamentos

EXIN Agile Scrum Fundamentos Exame Simulado EXIN Agile Scrum Fundamentos Edição Fevereiro 2015 Copyright 2015 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada

Leia mais

Metodologias Ágeis para Desenvolvimento de Software

Metodologias Ágeis para Desenvolvimento de Software Metodologias Ágeis para Desenvolvimento de Software ADRIANA TAVARES FIGUEIREDO Graduaçao em Licenciatura para Computação UNILASALLE RJ / 2006 Pós Graduada em Design Estratégico e MKT Management ESPM RJ

Leia mais

UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G.

UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G. UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G. Magda A. Silvério Miyashiro 1, Maurício G. V. Ferreira 2, Bruna S. P. Martins 3, Fabio Nascimento 4, Rodrigo Dias

Leia mais

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga 2º Semestre / 2011 O Processo Unificado dos autores Ivar Jacobson, Grady Booch e James

Leia mais

INTEGRANDO GERÊNCIA DE PROJETOS ÁGEIS COM SCRUM E OS PROCESSOS MPS.BR NÍVEL G

INTEGRANDO GERÊNCIA DE PROJETOS ÁGEIS COM SCRUM E OS PROCESSOS MPS.BR NÍVEL G INTEGRANDO GERÊNCIA DE PROJETOS ÁGEIS COM SCRUM E OS PROCESSOS MPS.BR NÍVEL G Claudinei Martins da Silva 1 RESUMO: Com o aumento da dependência tecnológica nas organizações para a tomada de decisões, ocorreu

Leia mais

Reuse in a Distributed Environment

Reuse in a Distributed Environment Reuse in a Distributed Environment É possível aplicar APF em um Ambiente Ágil? Alcione Ramos, MSc, CFPS, PMP, CSD Cejana Maciel, MSc, Scrum Master, ITIL, COBIT Ponto de função é coisa dos anos 70. É uma

Leia mais

development Teresa Maciel DEINFO/UFRPE

development Teresa Maciel DEINFO/UFRPE development Teresa Maciel DEINFO/UFRPE Prazos curtos Baixo custo Agregação ao negócio Fidelidade do cliente Competitividade Sobrevivência Cenário 2000 35% dos projetos apresentam sucesso 31% dos projetos

Leia mais

Metodologias Ágeis. Gerenciando e Desenvolvendo Projetos de forma eficiente. Gabriel Verta 0767948 Rafael Reimberg 0767701 Vinicius Quaiato - 0767697

Metodologias Ágeis. Gerenciando e Desenvolvendo Projetos de forma eficiente. Gabriel Verta 0767948 Rafael Reimberg 0767701 Vinicius Quaiato - 0767697 Metodologias Ágeis Gerenciando e Desenvolvendo Projetos de forma eficiente Gabriel Verta 0767948 Rafael Reimberg 0767701 Vinicius Quaiato - 0767697 Introdução Ao longo dos anos a indústria de desenvolvimento

Leia mais

[Agile] Scrum + XP. Wagner Roberto dos Santos. Agilidade extrema. Arquiteto Java EE / Scrum Master wrsconsulting@gmail.com. Globalcode open4education

[Agile] Scrum + XP. Wagner Roberto dos Santos. Agilidade extrema. Arquiteto Java EE / Scrum Master wrsconsulting@gmail.com. Globalcode open4education [Agile] Scrum + XP Agilidade extrema Wagner Roberto dos Santos Arquiteto Java EE / Scrum Master wrsconsulting@gmail.com 1 Apresentação Arquiteto Java EE / Scrum Master Lead Editor da Queue Arquitetura

Leia mais

Guia do Nexus. O Guia Definitivo para o Nexus: O exoesqueleto do desenvolvimento Scrum escalado. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Scrum.

Guia do Nexus. O Guia Definitivo para o Nexus: O exoesqueleto do desenvolvimento Scrum escalado. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Scrum. Guia do Nexus O Guia Definitivo para o Nexus: O exoesqueleto do desenvolvimento Scrum escalado Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Scrum.org Tabela de Conteúdo Visão Geral do Nexus... 2 O Propósito

Leia mais

Fundamentos do Scrum aplicados ao RTC Sergio Martins Fernandes

Fundamentos do Scrum aplicados ao RTC Sergio Martins Fernandes Workshop Scrum & Rational Team Concert (RTC) Sergio Martins Fernandes Agilidade Slide 2 Habilidade de criar e responder a mudanças, buscando agregar valor em um ambiente de negócio turbulento O Manifesto

Leia mais

um framework para desenvolver produtos complexos em ambientes complexos Rafael Sabbagh, CSM, CSP Marcos Garrido, CSPO

um framework para desenvolver produtos complexos em ambientes complexos Rafael Sabbagh, CSM, CSP Marcos Garrido, CSPO um framework para desenvolver produtos complexos em ambientes complexos Rafael Sabbagh, CSM, CSP Marcos Garrido, CSPO Um pouco de história... Década de 50: a gestão de projetos é reconhecida como disciplina,

Leia mais

Géssica Talita. Márcia Verônica. Prof.: Edmilson

Géssica Talita. Márcia Verônica. Prof.: Edmilson Géssica Talita Márcia Verônica Prof.: Edmilson DESENVOLVIMENTO ÁGIL Técnicas foram criadas com o foco de terminar os projetos de software rapidamente e de forma eficaz. Este tipo de técnica foi categorizada

Leia mais

Proposta de processo baseado em Scrum e Kanban para uma empresa de telecomunicações

Proposta de processo baseado em Scrum e Kanban para uma empresa de telecomunicações 79 Proposta de processo baseado em Scrum e Kanban para uma empresa de telecomunicações Luís Augusto Cândido Garcia Afonso Celso Soares Centro de Ensino Superior em Gestão, Tecnologia e Educação FAI garcialac@yahoo.com.br

Leia mais

XI Workshop Anual do MPS (WAMPS 2015) - Contratações públicas usando métodos ágeis: riscos e controles

XI Workshop Anual do MPS (WAMPS 2015) - Contratações públicas usando métodos ágeis: riscos e controles XI Workshop Anual do MPS (WAMPS 2015) - Contratações públicas usando métodos ágeis: riscos e controles Renato Braga, CISA, CIA, CGAP, CCSA, CRMA, CCI Curitiba, 04 de dezembro de 2015 O bom negócio só é

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Faculdade de Informática e Administração Paulista Curso de Sistemas de Informação 2º SI-T Engenharia de Software Modelo de Desenvolvimento Ágil SCRUM Hugo Cisneiros RM 60900 Moyses Santana Jacob RM 63484

Leia mais

MANIFESTO ÁGIL. Esses conceitos aproximam-se melhor com a forma que pequenas e médias organizações trabalham e respondem à mudanças.

MANIFESTO ÁGIL. Esses conceitos aproximam-se melhor com a forma que pequenas e médias organizações trabalham e respondem à mudanças. METODOLOGIAS ÁGEIS SURGIMENTO As metodologias ágeis surgiram em resposta ao problema dos atrasos no desenvolvimento de software e aos cancelamentos, devido ao fato dos sistemas demorarem muito tempo para

Leia mais

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Desenvolvimento Ágil Modelos Ágeis. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Desenvolvimento Ágil Modelos Ágeis. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Desenvolvimento Ágil Modelos Ágeis Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga 2º Semestre / 2011 Extreme Programming (XP); DAS (Desenvolvimento Adaptativo de Software)

Leia mais

Estudo de caso: aplicação das metodologias ágeis de desenvolvimento: Scrum e XP no desenvolvimento do sistema Unidisciplina

Estudo de caso: aplicação das metodologias ágeis de desenvolvimento: Scrum e XP no desenvolvimento do sistema Unidisciplina Perquirere, 11 (1): 113-129, jul. 2014 Centro Universitário de Patos de Minas http://perquirere.unipam.edu.br Estudo de caso: aplicação das metodologias ágeis de desenvolvimento: Scrum e XP no desenvolvimento

Leia mais

Método Ágil em Gerenciamento de Projetos de Software

Método Ágil em Gerenciamento de Projetos de Software Fundação Getulio Vargas MBA em Gerenciamento de Projetos Método Ágil em Gerenciamento de Projetos de Software Ana Cristina Monteiro Almeida Arnaldo Lyrio Barreto (Orientador) Rio de Janeiro Outubro de

Leia mais

Gerenciamento de Projetos e Utilização de Metodologias Ágeis em Empresas de Desenvolvimento de Software

Gerenciamento de Projetos e Utilização de Metodologias Ágeis em Empresas de Desenvolvimento de Software Gerenciamento de Projetos e Utilização de Metodologias Ágeis em Empresas de Desenvolvimento de Software Joyce Saraiva Lima 1, Adriano Tavares de Freitas 1 1 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

É POSSÍVEL SER ÁGIL EM PROJETOS DE HARDWARE?

É POSSÍVEL SER ÁGIL EM PROJETOS DE HARDWARE? É POSSÍVEL SER ÁGIL EM PROJETOS DE Doubleday K. Francotti v 1.0 Onde foi parar os requisitos? Trabalhando 30h por dia! Manda quem pode... Caminho das pedras Hum... Acho que deu certo... Onde foi parar

Leia mais

Benefícios das metodologias ágeis no gerenciamento de projetos de Tecnologia da Informação (TI)

Benefícios das metodologias ágeis no gerenciamento de projetos de Tecnologia da Informação (TI) 1 Benefícios das metodologias ágeis no gerenciamento de projetos de Tecnologia da Informação (TI) Greick Roger de Carvalho Lima - greickroger@yahoo.com.br MBA Governança nas Tecnologias da Informação Instituto

Leia mais

Gestão de Projetos com Scrum

Gestão de Projetos com Scrum Gestão de Projetos com Scrum Curso de Verão - Jan / 2010 IME/USP - São Paulo Dairton Bassi dbassi@gmail.com Processo de gerenciamento de projetos. Processo iterativo de inspeção e adaptação. Usado para

Leia mais

Prof. Me. Marcos Echevarria

Prof. Me. Marcos Echevarria Prof. Me. Marcos Echevarria Nas décadas de 80 e 90 a visão geral sobre a melhor maneira de desenvolver software era seguir um cuidadoso planejamento para garantir uma boa qualidade; Esse cenário era aplicável

Leia mais

MUDANÇA DE PARADIGMA EM INSTITUIÇÕES QUE POSSUEM PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE CONSAGRADO PARA PROCESSOS ÁGEIS

MUDANÇA DE PARADIGMA EM INSTITUIÇÕES QUE POSSUEM PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE CONSAGRADO PARA PROCESSOS ÁGEIS Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Exatas Departamento de Ciências da Computação ALAN CASSIANO DE CARVALHO MUDANÇA DE PARADIGMA EM INSTITUIÇÕES QUE POSSUEM PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Metodologia SCRUM. Moyses Santana Jacob RM 63484. Stelvio Mazza RM 63117. Tiago Pereira RM 63115. Hugo Cisneiros RM 60900

Metodologia SCRUM. Moyses Santana Jacob RM 63484. Stelvio Mazza RM 63117. Tiago Pereira RM 63115. Hugo Cisneiros RM 60900 Metodologia SCRUM Hugo Cisneiros RM 60900 Moyses Santana Jacob RM 63484 Stelvio Mazza RM 63117 Tiago Pereira RM 63115 SCRUM? O que é isso? SCRUM é um modelo de desenvolvimento ágil de software que fornece

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ JOSEPH BAUER DE OLIVEIRA LISTA DE VERIFICAÇÃO SCRUM PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ JOSEPH BAUER DE OLIVEIRA LISTA DE VERIFICAÇÃO SCRUM PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ JOSEPH BAUER DE OLIVEIRA LISTA DE VERIFICAÇÃO SCRUM PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE CURITIBA 2012 JOSEPH BAUER DE OLIVEIRA LISTA DE VERIFICAÇÃO SCRUM PARA DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Requisitos para Gestão de Requisitos no Desenvolvimento de Software que Utilizam Prática Ágeis

Requisitos para Gestão de Requisitos no Desenvolvimento de Software que Utilizam Prática Ágeis Requisitos para Gestão de Requisitos no Desenvolvimento de Software que Utilizam Prática Ágeis Abstract. Resumo. 1. Introdução Vinicius A. C. de Abreu 1 Departamento de Ciência da Computação - DCC Universidade

Leia mais

TUTORIAIS. Framework SCRUM. Rafael Buck Eduardo Franceschini. MSc., PMP, CSM MBA

TUTORIAIS. Framework SCRUM. Rafael Buck Eduardo Franceschini. MSc., PMP, CSM MBA TUTORIAIS Framework SCRUM Rafael Buck Eduardo Franceschini MSc., PMP, CSM MBA SCRUM vs. PMBOK SCRUM vs. PMBOK ESCOPO Restrições de um projeto (Tripla Restrição) TEMPO CUSTO Modelo de Contrato de projetos

Leia mais

Alexandre Lima Guilherme Melo Joeldson Costa Marcelo Guedes

Alexandre Lima Guilherme Melo Joeldson Costa Marcelo Guedes Instituto Federal do Rio Grande do Norte IFRN Graduação Tecnologia em Analise e Desenvolvimento de Sistema Disciplina: Processo de Desenvolvimento de Software Scrum Alexandre Lima Guilherme Melo Joeldson

Leia mais

Uso da metodologia Scrum para planejamento de atividades de Grupos PET s

Uso da metodologia Scrum para planejamento de atividades de Grupos PET s Uso da metodologia Scrum para planejamento de atividades de Grupos PET s CARVALHO 1, P. A. O. ; COELHO 1, H. A. ; PONTES 1, R. A. F. ; ZITZKE 1, A. P. ; LELIS 2, F. R. C. Petiano 1 ; Tutor 2 do Grupo PET-Civil

Leia mais

AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0

AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0 AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0 SUMÁRIO 1 Conceitos Básicos... 3 1.1 O que é Software?... 3 1.2 Situações Críticas no desenvolvimento

Leia mais

Profa. Celia Corigliano. Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI

Profa. Celia Corigliano. Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Profa. Celia Corigliano Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Agenda da disciplina Unidade I Gestão de Projetos Unidade II Ferramentas para Gestão de Projetos Unidade III Gestão de Riscos em TI Unidade

Leia mais

Implementando maturidade e agilidade em uma fábrica de software através de Scrum e MPS.BR nível G

Implementando maturidade e agilidade em uma fábrica de software através de Scrum e MPS.BR nível G Implementando maturidade e agilidade em uma fábrica de software através de Scrum e MPS.BR nível G Fernando Szimanski 1, Jones Albuquerque 2, Felipe Furtado 2 1 CRIATIVA tecnologia - 77.410-020 - Gurupi

Leia mais

Engenharia de Software II

Engenharia de Software II Engenharia de Software II Aula 5 http://www.ic.uff.br/~bianca/engsoft2/ Aula 5-05/05/2006 1 Dúvidas da aula passada RUP (Rational Unified Process) é uma ferramenta ou um processo? Resposta: os dois. O

Leia mais