Relatório da Pastoral da Juventude do Brasil 13 o Encontro Latino Americano de Responsáveis Nacionais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório da Pastoral da Juventude do Brasil 13 o Encontro Latino Americano de Responsáveis Nacionais"

Transcrição

1 Instrumento de Consulta Conferência Nacional dos Bispos do Brasil Setor Juventude Pastoral da Juventude do Brasil Relatório da Pastoral da Juventude do Brasil 13 o Encontro Latino Americano de Responsáveis Nacionais I Conhecimento e compromisso da opção pedagógica Processos de Educação da Fé - PEF Comissão Nacional - coordenação e assessoria A opção pedagógica dos Processos de Educação da Fé está sendo assumido no Brasil desde 1984, por esta razão perpassa a formação desde o grupo de jovens na maioria das dioceses. Os jovens que chegam a comissão nacional podem não fazer uma reflexão sobre esta opção pedagógica mais traz ela na sua prática. Todo plano nacional leva em conta esta opção. O plano é adaptado nos níveis regionais e diocesanos. Comissão Regional No Brasil estamos organizados em 16 regionais. Cada um com característica bem própria (exemplo: São Paulo, com 42 dioceses, Mato Grosso do Sul com 6 dioceses) cada um com um bispo presidente, secretario, com estrutura de coordenação e com coordenações das pastorais, etc. Essa organização, baseada na eclesiologia de comunhão e participação, favoreceu a cada regional guardasse sua autonomia para articulação das dioceses, da formação de suas lideranças e acompanhamento dos processos respeitando a realidade, a cultura de cada região. Também nestas regiões se discute o PEF a partir destas características. Há reflexões diferenciadas do PEF conforme a realidade cultural e também a realidade eclesial. Dioceses No Brasil há mais de 265 circunscrições eclesiásticas. Há uma variação de lideranças neste tempo de vivência e aplicação dos processos. Dioceses que um tempo viveram de modo intenso a aplicação do processo e hoje, desconhecem. Há assessores de PJ nomeados pelos bispos que são presbíteros recém ordenados, ou ainda, pessoas que desconhecem a caminhada da PJ no Brasil e na América Latina e que interrompem os processos já iniciados e, as vezes, fortalecidos pela quantidade de lideranças formadas. Na maioria das dioceses há pessoas que conhecem. Em algumas dioceses, há preocupações até mesmo de elaborar um material a partir de sua experiência. (A exemplo uma coleção publicada pela Editora Paulus que tem como ponto de partida as dimensões do PEF, da dioceses de Pouso Alegre - Minas Gerais) Movimentos e Congregações Faz 6 anos que realizamos, em nível nacional, um encontro com representantes das Províncias das Congregações religiosas e dos movimentos eclesiais, organizados em nível nacional, que trabalham com jovens. Durante este tempo já foram estudados os PEF. Participam destes encontros cerca de 30% das Congregações que existem no Brasil. Os movimentos que estão mais presentes: GEN Jovens do Movimento do Focolares e da Renovação Carismática Católica, outros movimentos de expressão mais nacional e, ainda, os movimentos coordenados

2 pelas congregações religiosas a partir de seus carismas (ex. salesianos, maristas, franciscanos, etc.). Muitas congregações, convidam assessores da PJ para trabalhar os temas relacionados a metodologia e ainda, a Conferência dos Religiosos no Brasil, nacional e regional, também recorre a estas assessorias, tendo assim oportunidade de partilhar com eles esta riqueza dos PEF. Assessores/ Animadores Realizamos, como Pastoral da Juventude do Brasil, Seminários Nacionais, Fórum de assessores em nível nacional e regional para estudo. O referencial destes estudo são as opções pedagógicas o PEF e as pastorais específicas. Há equipes de assessores, em nível, em todos os regionais, em 60% das dioceses e nas pastorais de juventude específicas. Presbíteros Há, no Brasil, encontros nacionais e regionais de presbíteros. Em muitos encontros regionais já foram estudados os processos de educação da fé. Os presbíteros que não estão envolvidos diretamente com a pastoral da juventude, alguns tem conhecimento, outros não tem informação. Em alguns institutos de formação há preocupação de incluir uma cadeira de pastoral e neste momento sempre há informações sobre o trabalho que se realiza em cada pastoral. Não são todos os regionais ou institutos que tem esta preocupação. Religiosos(as) A Conferência dos Religiosos do Brasil está integrada na caminhada da Igreja do Brasil é um organismo que se relaciona com a Conferência dos Bispos mas, goza de independência nos projetos que desenvolvem. Todos os organismos se integram a partir das Diretrizes Gerais de Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil ( ) e participa de encontros de formação e articulação. Nos encontros da CRB nacional sempre é oferecido um espaço para informar sobre a caminhada da PJ do Brasil. As congregações estão presentes de modo significativo no apoio dos Institutos de Formação de Pastoral da Juventude, nas equipes de assessorias em todos os níveis. Bispos A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil CNBB - reúne a cada ano todos os bispos em assembléia anual. Nestas assembléias a cada 4 anos avaliam e propõem as Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja do Brasil que é o núcleo comum da pastoral de conjunto. Em torno das diretrizes se reúnem todos os agentes e todos os organismos que existem na Igreja do Brasil. Duas vezes por ano se reúnem os presidentes dos regionais, chamado de Conselho Permanente e, a cada mês, se reúnem a Presidência e o Conselho Episcopal de Pastoral. Nestas três instâncias já foram estudadas as opções pedagógicas. Em 1983, a CNBB, em sua coleção estudos (número 44) tem apresentado o Processo de educação da fé que percorre os jovens e a sua organização. Em 1998, nesta mesma coleção (número 76) encontra-se o Marco Referencial da PJ do Brasil onde explicita todo o PEF. Nas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja do Brasil há alguns parágrafos dedicado ao processo de formação e organização da PJ do Brasil. b) Envolvimento das dioceses no Processo de Educação da Fé No levantamento, feito em maio/2000, das 265 circunscrições eclesiásticas, cerca de 60% das dioceses assumem a organização e o projeto da PJ do Brasil. Ao assumir o projeto, assumem o processo de educação da fé. Desde o início da década de 80 este processo está sendo estudado e trabalhado pelos assessores. Ao longo destes 20 anos as dioceses fizeram processos bem

3 diferenciados. As mudanças das lideranças provocam mudanças no sentido de retomar e fortalecer ou interromper o trabalho desenvolvido: bispos, assessores e coordenações diocesanas determinam muito o assumir ou não a opção do trabalho com a juventude. Esta opção pedagógica, na caminhada da Pastoral da Juventude no Brasil, organizou-se a partir do fortalecimento de uma pastoral da juventude mais orgânica. A Igreja do Brasil tem uma longa história de planejamento pastoral conjunto. Em 1962 é elaborado, na Igreja do Brasil, um Plano de Conjunto; em 1966 é elaborado o Plano de Pastoral de Conjunto que integra as decisões do Concílio Vaticano II. Estes planos favorecem a organização de uma ação conjunta. A Igreja do Brasil, assumiu desde a fundação a ação católica, mas foi na década de 50 fortaleceu a Ação Católica Especializada. Sua organização e sua metodologia são assumidas pela organização da Conferência dos Bispos do Brasil, fundada em Toda esta articulação e organização da Igreja do Brasil favorece a organização da juventude a partir dos grupos paroquiais e das comunidades eclesiais de base. A opção pelos pobres e pelos jovens, feita na Conferência Latino Americana de Puebla-México, impulsionam a Igreja do Brasil a assumir um trabalho mais articulado com estes grupos de jovens. A articulação destes grupos nas comunidades e paróquias e nos diversos ambientes, conforme havia nos ensinado a Ação Católica Especializada, nos anos 50 e início dos anos 60 foi-se fortificando. A ação católica, no Brasil, foi extinta pelos bispos durante a ditadura militar. A história de planejamento da Igreja do Brasil vai indicando que o trabalho com a juventude necessita de um processo de educação da fé. Por isso, os assessores regionais são convocados em Seminários Nacionais para estudo e planejamento da caminhada. Em muitos lugares, os assessores em seus encontros estão refletindo sobre o acompanhamento aos grupos e já apontam para a elaboração de uma proposta mais sistemática. Nas assembléias nacionais esta preocupação encontra eco e a idéia vai se fortalecendo. O Encontro, na Colômbia, em 1988, da Pastoral da Juventude Latino-Americana, vai confirmar o caminho e animar para que se dediquem Seminários Nacionais com a temática do Processo de Educação da Fé. Estes seminários tinham um caráter multiplicador nas 16 regiões do país. A Igreja do Brasil tem um programa de evangelização chamado Campanha da Fraternidade que acontece no Brasil desde É um projeto de alcance nacional e em todos os níveis. É discutido em todos os ambientes, inclusive fora do âmbito eclesial: escolas públicas, assembléias legislativas e outros organismos da sociedade civil. No ano de 1992, a juventude foi tema desta campanha. Este fato desencadeou um conhecimento amplo do trabalho de Pastoral da Juventude na Igreja. Processos de implementação dos PEF Feitos os seminários nacionais sobre a temática, os regionais passaram a trabalhar este tema. Alguns deles, com o apoio dos Centros e Institutos de Pastoral da Juventude, desencadearam cursos de formação sistemático e de longa duração para preparação dos assessores. Estes Centros, aliás, neste momento em número de 10, são um referencial importantíssimo para o amadurecimento e a implantação contínua dos processos de educação na fé dos jovens. Localizam-se em várias regiões do Brasil: Sul, Centro, Leste, Norte e Nordeste. Também se fortaleceu a produção de subsídios para os assessores e os coordenadores. Os Seminários Nacionais produziram uma reflexão que foi difundida por todo país, em uma coleção publicada pelo Centro de Capacitação de Juventude. Uma forma concreta onde isso se mostra é no aparecimento de cadernos para os grupos, com roteiros de reunião dentro do processo de formação grupal, considerando o PEF. Alguns destes materiais circulam somente nas regiões. Outros, contudo, tiveram um alcance nacional. Entre eles é preciso citar o elaborado pela Casa da Juventude Pe. Burnier Processo de Formação. É uma coleção de

4 5 volumes, produzida para coordenadores de grupo de jovens para comunidades urbanas e 2 volumes para grupos rurais. Este material foi produzido através de pesquisa junto aos grupos de jovens da região centro do país e, depois, em algumas outras regiões do Brasil, principalmente o oeste e o norte. Cada um dos cadernos envolvia um grupo de 40 assessores que retomavam o processo de educação da fé em seu todo e sistematizava uma proposta para a etapa do grupo, conforme a seqüência nucleação, iniciação e militância. O primeiro caderno foi o material mais vendido para grupo de jovens do Brasil. A reflexão do processo de formação foi-se tornando uma prática, impregnando toda caminhada com os grupos e nas diversas instâncias da PJ do Brasil. Hoje, no Brasil, não se entende Pastoral da Juventude a não ser a partir do referencial dos PEF. Temos, no Brasil, a experiência de organização das pastorais de juventude em meios específicos. É uma experiência de quase 20 anos de articulação como Pastoral da Juventude do Brasil. Cada uma destas pastorais foram construindo sua história e foram assumindo o processo de educação da fé no conjunto por causa de organicidade e das atividades conjuntas. Experiências da organização de pastorais específicas e processo de educação da fé Desde 1983, quando se revitaliza o Setor Juventude na Conferência dos Bispos, a coordenação nacional é formada por representantes dos regionais da CNBB e por representantes das pastorais específicas. São elas: A PJMP Pastoral da Juventude do Meio Popular, teve sua origem em 1978, nos Estados da região nordeste do país. Neste momento histórico, as Igrejas particulares do nordeste estão firmando suas opções preferenciais pelos pobres e é grande a preocupação em articular pastorais comprometidas com esta opção. Neste período histórico organizam-se os movimentos sociais e vive-se um clima de muito repreensão devido ao regime militar. Com a articulação nacional, as lideranças da PJMP vão difundir para outras regiões este modelo de organização. Hoje está organizado, com grupos, em 10 dos 16 regionais. Em alguns lugares com mais expressão. O olhar da PJMP para o processo de formação da fé, parte muito da questão da classe social. Há uma preocupação visível com a organização dos militantes e das lideranças em ações voltadas para a problemática social. Isto não significa falta de empenho para que haja uma formação integral. Em seus programas de formação e assembléias destaca-se a preocupação em respeitar a caminhada dos jovens e de seus grupos, buscando dar respostas às necessidades concretas da vida dos jovens. Os subsídios tem como referencia os PEF. A PJR organizada no Brasil, desde a década de 80, nasce na região sul do país, com uma estrutura agrária muito forte de pequenos proprietários e tem uma presença e organização da Igreja nas comunidades. Lideranças constituídas por leigos, religiosos e padres, com formação na ação católica especializada, iniciam a organização da juventude agrária. No início a grande preocupação é recuperar a auto estima dos jovens do campo. Jovem da roça também tem valor. Hoje a PJR tem um raio de abrangência em diversos regionais. Realizou um Congresso Nacional da Juventude Rural, com cerca de 1200 jovens. Está empenhada na formação de lideranças a partir de Escola de Formação da Juventude Rural. Há subsídios e outros materiais que tem como referencial o PEF. Em anexo, segue uma síntese da proposta desenvolvida pela PJR nas escolas de formação. A PJE Pastoral da Juventude Estudantil - inicia sua experiência também no início dos anos 80, no centro do pais. Terá sua expressão mais concreta também no sul, estendendo-se para vários regionais do Brasil.. Hoje está presente em várias escolas católicas, mas não está ausente da Escola Pública. Por circunstâncias, o engajamento na Escola Pública sofreu uma baixa nos últimos anos. A PJE foi uma das específicas que recebeu um impulso significativo depois dos encontros nacionais com as congregações e movimentos eclesiais que trabalham com jovens. Muitas congregações passaram a dar mais atenção e a organizar em seus colégios uma pastoral juvenil, tendo os jovens como protagonistas. A PJE está centrada, principalmente, nalgumas regiões. Em anexo, segue o modo como a PJE, trabalha o PEF, em um regional da Igreja do Brasil.

5 Em 1993, com a 10 a Assembléia nacional que indica que os grupos das comunidades, paróquias, chamados de PJ, a exemplo dos outros grupos das Pastorais específicas (PJMP, PJR e PJE) tenham também uma organização própria. Foram realizados alguns encontros em nível nacional para aprofundar e reorganizar a Pastoral da Juventude do Brasil. Desde 1995, as lideranças da chamada PJ/Comunidades passaram a se encontrarem com os representantes dos regionais e assessores das regiões. Passaram a realizar encontros nacionais para aprofundar algum tema da caminhada ou avaliar a caminhada desenvolvida pelos grupos. Os dois últimos encontros tiveram participando entre 300 e 400 pessoas, representando todos os regionais e 65% das dioceses do Brasil. Assumem o PEF nos seus encontros e na orientação para os coordenadores e assessores. Em 1995, a organização da PJB- Pastoral da Juventude do Brasil reorganizou sua forma de representatividade favorecendo a opção pedagógica dos ambientes específicos. Com isto a pastoral da juventude no Brasil quer assumir as opções pedagógicas propostas pelo marco referencial Tarefa e Esperança. Alguns experiências do PEF em nível diocesano A Igreja do Brasil é formada por cerca de 265 circunscrições eclesiásticas. Fizemos um levantamento a partir dos regionais E verificamos que todos os regionais tem uma estrutura organizativa com coordenação regional, equipe de assessores e encontros ou cursos de formação de lideranças. Todos os regionais tem como referencial o processo de educação da fé. Era impossível uma consulta a todas as dioceses. Tomamos com princípio solicitar a algumas dioceses que nos informassem para podermos localizar alguns problemas, soluções mais concretas para apresentarmos para nosso encontro latino americano. Isto foi feito de forma aleatória, apenas como amostra. Queremos apresentar alguns problemas concretos. Além disso, no 2 o Fórum Nacional de Assessores da PJ do Brasil, onde reunimos todos os assessores dos regionais e das pastorais específicas e convidados dos Centros e Institutos de formação, refletimos sobre o processo de acompanhamento do processo de educação da fé. Na região leste, duas dioceses (Itaguaí e Duque de Caxias), no final da década de 80 e início da década de 90, assumiram a proposta. Foi feita através da coordenação diocesana, junto com a assessoria, indicando que as coordenações as dimensões e os processos a partir dos grupos de base, cursos de formação, visitas as coordenações paroquiais, subsídios, principalmente do Processo de Formação. Os passos que mais ajudaram foram intercâmbios entre regiões e países e o acompanhamento às coordenações. O processo vivido não foi homogêneo em todas as paróquias das dioceses. Em algumas era percebida com mais facilidade a importância da metodologia do acompanhamento mais sistemático; em outras, onde havia a experiência de movimentos internacionais, tornou-se mais difícil assumir a proposta dos PEF. Descobriu-se, também, a necessidade de um maior diálogo com o clero e outras pastorais organizadas na diocese. Ficou visível a necessidade de preparar melhor os assessores para o acompanhamento do processo e dos novos grupos. Muitos grupos se perdiam na caminhada ou se dispersavam. Sentiu-se, também, a necessidade de popularizar os PEF, principalmente as etapas de crescimento do grupo. Muitas lideranças surgiram neste tempo e assumiram trabalhos na diocese, principalmente na catequese e crisma. Foi traduzida a pedagogia dos PEF para este trabalho onde eram assumidos pela PJ. As dificuldades percebidas foram muitas, desde a questão financeira (o que impediu realizar muitas atividades), a produção de material, o relacionamento com alguns padres, pela pressa e falta de respeito ao processo de caminhada dos grupos. Uma dificuldade era entender a proposta; outra a limitação dos assessores e coordenadores que estavam aplicando na realidade. Havia diversas concepções e faltava um aprofundamento maior para a aplicação pratica.

6 O processo não foi interrompido. Era alimentado pelos cursos de formação sobre a metodologia e os conteúdos do PEF. Isto exigiu que a cada ano fosse retomado na formação e nos materiais elaborados para os grupos. Atualmente, está sendo oferecido um curso de dinâmica para os líderes tendo como base o PEF. O processo está introjetado na prática da PJ nestas dioceses. Na região oeste, Campo Grande, eles escreveram dizendo que a opção foi feita no inicio da década de 90. Teve como marco a Assembléia diocesana, e foi assumida como uma prioridade. Houve encaminhamentos concretos para trabalhar nas paróquias e comunidades. Foram feitos diversos encontros nas paróquias, acompanhados pela coordenação diocesana. A aplicação do processo foi espaço para descobrir que a partir das dimensões era possível realizar a formação integral da juventude que estava nos grupos e que cada dimensão tem relação direta com uma com a outra. As dificuldades mais freqüentes se dão na caminhada do grupo: o processo sofre muitas intervenções e tem-se a impressão que o processo formativo é interrompido, pela mudanças das pessoas no grupo, ou pelas lideranças atraídas pelo modelo anterior da falta de uma planejamento mais sistemático como propõe o PEF. A principal dificuldade é a falta de pessoas preparadas para acompanhar o processo nos grupos, que ajudem o grupo nas dificuldades que vão aparecendo ao longo da caminhada com uma metodologia adequada e que respeite o processo do grupo. O processo não foi interrompido mas, houve momentos de grande desânimo, devido a atividades programadas que não acontecem, devido a assessores que não tem clareza dos passos a serem dados. No fórum de assessores em nível nacional foi discutido o processo de acompanhamento aos grupos e às coordenações a partir do PEF. Algumas questões determinantes no processo de formação são: uma eclesiologia de comunhão, o respeito ao protagonismo juvenil, a questão da inculturação respeitando a cultura, da etnia. Foram levantados alguns desafios a serem cultivados: a questão ecológica, o discernimento vocacional (elaboração do projeto de vida), a relação e diálogo com a catequese para uma pastoral do crisma que desemboque em um modelo de grupo que acolha o PEF. O maior desafio, entretanto, é o momento social, cultural que estamos vivendo: um modelo neoliberal, que apresenta o mercado como centro e o capitalismo como resposta única, gerando migrações, pobreza, violência, desemprego, educação de baixa qualidade... Os dados da estatística são aterrorizadores quanto à eliminação dos adolescentes e jovens na faixa etária de 15 a 24 anos, por violência (homicídio, acidente de trânsito e suicídio), pela pouca qualificação diminuindo a possibilidade de concorrência no mercado de trabalho. Todo este quadro dos desafios sociais, econômicos são ainda, permeados pela cultura do consumismo e do imediatismo, um prazer exacerbado e sem limites, com uma quantidade enorme de informações de rapidez incalculável provocando uma geração com características muito próprias. Os assessores fizeram um levantamento das dificuldades internas na Igreja e na sociedade para assumir uma proposta sistemática e que exige um acompanhamento e um planejamento mínimo por parte dos jovens e dos adultos que os acompanham. Neste fórum percebeu-se a necessidade de apresentar os conteúdos de forma atraente, buscando respeitar os interesses e as necessidades dos adolescentes e jovens que chegam para os grupos. Trabalhar mais os elementos lúdicos, fortalecer os grupos por ambientes e com isto insistir mais em um aspecto da realidade que convoca para ações concretas. Os assessores constataram que esta geração quer respostas concretas, tem pouca paciência com discursos. É preciso traduzir a proposta do PEF o mais concreto na vida dos jovens, envolvendo-os na busca destas respostas que modifiquem suas vidas de modo visível e imediato. II. Parte Optamos em apresentar a experiência do Regional Centro Oeste. Como síntese, apresentamos um trabalho científico apresentado na Universidade Federal de Goiás, desenvolvido por um dos assessores que acompanhou parte do processo de elaboração e aplicação do processo de educação da fé. ( em anexo)

FORMAÇÃO DE LIDERANÇAS E ASSESSORESCAMINHOS DE ESPERANÇA

FORMAÇÃO DE LIDERANÇAS E ASSESSORESCAMINHOS DE ESPERANÇA FORMAÇÃO DE LIDERANÇAS E ASSESSORESCAMINHOS DE ESPERANÇA A beleza de ser um eterno aprendiz. (Gonzaguinha) Por que pensar em formação de lideranças e assessores? A Pastoral da Juventude busca potencializar

Leia mais

Encontro de Revitalização da Pastoral Juvenil LUZES DOS DOCUMENTOS

Encontro de Revitalização da Pastoral Juvenil LUZES DOS DOCUMENTOS Encontro de Revitalização da Pastoral Juvenil LUZES DOS DOCUMENTOS Ficha 1 1 Formação Integral (I) A com juventude para todo trabalho de evangelização A, como fundante (falando- se em, com atenção também

Leia mais

Objetivo e proposta evangelizadora

Objetivo e proposta evangelizadora A CAMPANHA DA FRATERNIDADE NA IGREJA DO BRASIL Objetivo e proposta evangelizadora BerçonoConcílioVaticanoII: Começou no Rio Grande do Norte, em 1962, por iniciativa de Dom Eugênio Sales. Era uma ação concreta

Leia mais

Terceira Semana Latino-americana de Catequese Secção de Catequese do CELAM Bogotá 01 a 06 de Maio de 2006

Terceira Semana Latino-americana de Catequese Secção de Catequese do CELAM Bogotá 01 a 06 de Maio de 2006 Terceira Semana Latino-americana de Catequese Secção de Catequese do CELAM Bogotá 01 a 06 de Maio de 2006 Aporte del Pe. Luiz Alves de Lima São Paulo, Brasil I. Antecedentes Na recente história do movimento

Leia mais

1. O 11º PPC terá a validade de cinco anos, iniciando-se em 2012 e terminando em 2016.

1. O 11º PPC terá a validade de cinco anos, iniciando-se em 2012 e terminando em 2016. 11º PPC ASSEMBLEIA ARQUIDIOCESANA Estas são as questões que serão votadas na Assembléia Arquidiocesana, sem as emendas que poderão surgir durante a mesma. Cada uma das propostas poderá, deste modo, receber

Leia mais

O que é protagonismo juvenil?

O que é protagonismo juvenil? O que é protagonismo juvenil? Branca Sylvia Brener * Índice Protagonismo Juvenil Por que a participação social dos jovens? O papel do educador Bibliografia Protagonismo Juvenil A palavra protagonismo vem

Leia mais

CURSO PARA CAPACITAÇÃO DE LIDERANÇA E COORDENADORES DE GRUPOS JOVENS

CURSO PARA CAPACITAÇÃO DE LIDERANÇA E COORDENADORES DE GRUPOS JOVENS CURSO PARA CAPACITAÇÃO DE LIDERANÇA E COORDENADORES DE GRUPOS JOVENS Apresentação A JUVENTUDE MERECE ATENÇÃO ESPECIAL A Igreja Católica no Brasil diz que é preciso: Evangelizar, a partir de Jesus Cristo,

Leia mais

Três exemplos de sistematização de experiências

Três exemplos de sistematização de experiências Três exemplos de sistematização de experiências Neste anexo, apresentamos alguns exemplos de propostas de sistematização. Estes exemplos não são reais; foram criados com propósitos puramente didáticos.

Leia mais

Prioridades assumidas para 2010. Planejamento estratégico da Equipe Provincial para 2010

Prioridades assumidas para 2010. Planejamento estratégico da Equipe Provincial para 2010 PLANEJAMENTO 2010 Prioridades assumidas para 2010 Formação continuada para líderes, coordenadores de grupo, animadores e assessores. Aprofundar a identidade através da mística e espiritualidade apostólica

Leia mais

PARA O CONSELHO DE DIREITOS HUMANOS

PARA O CONSELHO DE DIREITOS HUMANOS uprsubmissions@ohchr.org PARA O CONSELHO DE DIREITOS HUMANOS DE DOCUMENTO DE DIREITOS HUMANOS REFERENTE A CUBA (Sobre o EPU de Cuba Segundo ciclo) 5 DE OUTUBRO DE 2012-10-01 Coordenação Nacional da PJR

Leia mais

Os fundamentos da nossa missão 2013-10 1/16

Os fundamentos da nossa missão 2013-10 1/16 Os fundamentos da nossa missão 2013-10 1/16 Índice Introdução. 3 1. Apresentação geral.... 4 2. Os CPM no seio da Igreja......5 3. Os animadores.....7 4. O papel do Assistente Espiritual... 8 5. A equipa

Leia mais

Documento 62 - CNBB. Missão e Ministérios dos Cristãos Leigos e Leigas APRESENTAÇÃO

Documento 62 - CNBB. Missão e Ministérios dos Cristãos Leigos e Leigas APRESENTAÇÃO Documento 62 - CNBB Missão e Ministérios dos Cristãos Leigos e Leigas APRESENTAÇÃO O Documento 62 Missão e Ministérios dos Cristãos Leigos e Leigas é um marco na reflexão do Magistério da Igreja no Brasil.

Leia mais

ÍNDICE. Apresentação... 03. Decreto... 05. 1. Conselho Diocesano da Ação Evangelizadora (CDAE)... 07

ÍNDICE. Apresentação... 03. Decreto... 05. 1. Conselho Diocesano da Ação Evangelizadora (CDAE)... 07 ÍNDICE Apresentação... 03 Decreto... 05 1. Conselho Diocesano da Ação Evangelizadora (CDAE)... 07 2. Conselho Regional da Ação Evangelizadora (CRAE)... 15 3. Conselho Paroquial da Ação Evangelizadora (CPAE)...

Leia mais

PASTORAL É O HOJE DA IGREJA

PASTORAL É O HOJE DA IGREJA PASTORAL É O HOJE DA IGREJA As mudanças sociais são desafios à Evangelização. A atualização da mensagem cristã nas diversas realidades e em diferentes tempos fez surgir a Pastoral. Hoje em nossas paróquias

Leia mais

PLANO DE AÇÃO DAS SEMANAS MISSIONÁRIAS

PLANO DE AÇÃO DAS SEMANAS MISSIONÁRIAS PLANO DE AÇÃO DAS SEMANAS MISSIONÁRIAS 1. APRESENTAÇÃO: 1.1 O PROJETO: As semanas são uma grande mobilização missionária que envolverá toda a Renovação Carismática Católica do Brasil. Aspirando que cada

Leia mais

CARTA INTERNACIONAL. Indice:

CARTA INTERNACIONAL. Indice: CARTA INTERNACIONAL Indice: Introdução. I. Equipas de Jovens de Nossa Senhora II. A equipa III. As funções na equipa IV. A vida em equipa V. Abertura ao mundo, compromisso VI. O Movimento das E.J.N.S.

Leia mais

SUBSÍDIOS DE FORMAÇÃO

SUBSÍDIOS DE FORMAÇÃO O COORDENADOR E O PLANEJAMENTO PASTORAL Pe. Antonio Ramos do Prado, sdb Conceito de Planejamento Planejamento é uma palavra que significa o ato ou efeito de planejar, criar um plano para otimizar o alcance

Leia mais

INSTITUTO SECULAR PEQUENAS APOSTOLAS DA CARIDADE

INSTITUTO SECULAR PEQUENAS APOSTOLAS DA CARIDADE INSTITUTO SECULAR INSTITUTO SECULAR a quem se dirigir para saber mais Responsável geral: Giuseppina Pignatelli Via don Luigi Monza, 1 22037 PONTE LAMBRO (Co) ITALY tel. 031.625264 INSTITUTO SECULAR Os

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA

POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA 1. Concepções e diretrizes políticas para áreas; Quando falamos de economia solidária não estamos apenas falando de geração de trabalho e renda através de empreendimentos

Leia mais

Como utilizar este caderno

Como utilizar este caderno INTRODUÇÃO O objetivo deste livreto é de ajudar os grupos da Pastoral de Jovens do Meio Popular da cidade e do campo a definir a sua identidade. A consciência de classe, ou seja, a consciência de "quem

Leia mais

UMA LEITURA SOBRE A PARTICIPAÇÃO DO JOVEM NO PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA

UMA LEITURA SOBRE A PARTICIPAÇÃO DO JOVEM NO PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA UMA LEITURA SOBRE A PARTICIPAÇÃO DO JOVEM NO PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA Gina Sanchez, Instituto de Ensino Superior de Bauru IESB PREVE; Leila Maria Ferreira Salles, UNESP/IB - Rio Claro. A participação

Leia mais

FACULDADE DO NORTE NOVO DE APUCARANA FACNOPAR PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2007-2011

FACULDADE DO NORTE NOVO DE APUCARANA FACNOPAR PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2007-2011 FACULDADE DO NORTE NOVO DE APUCARANA FACNOPAR PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2007-2011 Apucarana, dezembro de 2006 FACULDADE DO NORTE NOVO DE APUCARANA FACNOPAR PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

Leia mais

Tão importante, quanto o ensino dos conteúdos é a minha Coerência entre o que digo o que escrevo e o que faço. (Paulo Freire) Cuiabá Setembro de 2011

Tão importante, quanto o ensino dos conteúdos é a minha Coerência entre o que digo o que escrevo e o que faço. (Paulo Freire) Cuiabá Setembro de 2011 Tão importante, quanto o ensino dos conteúdos é a minha Coerência entre o que digo o que escrevo e o que faço. (Paulo Freire) Cuiabá Setembro de 2011 Companheir@s da Recid Nacional. È com fé, alegria e

Leia mais

Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética

Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética 2 0 1 2-2 0 1 5 DIOCESE DE FREDERICO WESTPHALEN - RS Queridos irmãos e irmãs, Com imensa alegria, apresento-lhes o PLANO DIOCESANO DE ANIMAÇÃO BÍBLICO -

Leia mais

Setor Pós-matrimonio. Fundamentos, Missão, Prioridades, Prática e Subsídios.

Setor Pós-matrimonio. Fundamentos, Missão, Prioridades, Prática e Subsídios. Setor Pós-matrimonio Fundamentos, Missão, Prioridades, Prática e Subsídios. Fundamentação: Familiaris Consortio Amar a família significa estimar os seus valores e possibilidades, promovendo-os sempre.

Leia mais

Seminário de avaliação do Projeto Eleições 2008

Seminário de avaliação do Projeto Eleições 2008 Seminário de avaliação do Projeto Eleições 2008 O seminário final de avaliação do Projeto Eleições 2008 aconteceu no dia 29 de novembro, sábado, no prédio 43, da PUC Minas, no bairro Coração Eucarístico.

Leia mais

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 34/2012

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 34/2012 PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 34/2012 Dispõe sobre a outorga de Salva de Prata em homenagem aos Salesianos pelo extraordinário trabalho social desenvolvido na área da educação. A CÂMARA MUNICIPAL DE

Leia mais

DESCRIÇÃO DOS CURSOS E ENCONTROS DA PJM

DESCRIÇÃO DOS CURSOS E ENCONTROS DA PJM DESCRIÇÃO DOS CURSOS E ENCONTROS DA PJM 1 Páscoa Jovem 1.1. Descrição A Páscoa Jovem é um encontro vivencial realizado para proporcionar uma experiência reflexiva e celebrativa da Paixão, Morte e Ressurreição

Leia mais

Após a leitura do texto em apresentação de imagens, Cleide a partir da metodologia de leitura popular da Bíblia utilizada pelo CEBI indagou:

Após a leitura do texto em apresentação de imagens, Cleide a partir da metodologia de leitura popular da Bíblia utilizada pelo CEBI indagou: A segunda noite da Semana de Fé e Política 2013 - Juventude, Cultura e Espiritualidade ocorr eu ontem no Centro Pastoral S ã o Jos é do Bel é m com cerca de 60 participantes, dentre estes um significativo

Leia mais

COMO ORGANIZAR A PASTORAL DA SAÚDE NA PARÓQUIA?

COMO ORGANIZAR A PASTORAL DA SAÚDE NA PARÓQUIA? COMO ORGANIZAR A PASTORAL DA SAÚDE NA PARÓQUIA? Paróquia - Missão da Igreja na vida das pessoas - Libertar a pessoa da enfermidade - Ser presença solidária e cristã junto aos doentes Papel PS contribuir

Leia mais

XIIIº PLANO DIOCESANO DE PASTORAL Diocese de Inhambane 2012 2015 TEMA: JUNTOS CRESCENDO FIRMES NA FÉ

XIIIº PLANO DIOCESANO DE PASTORAL Diocese de Inhambane 2012 2015 TEMA: JUNTOS CRESCENDO FIRMES NA FÉ XIIIº PLANO DIOCESANO DE PASTORAL Diocese de Inhambane 2012 2015 TEMA: JUNTOS CRESCENDO FIRMES NA FÉ INTRODUÇÃO GERAL A Assembleia Diocesana de Pastoral, realizada no Centro do Guiúa de 6 a 8 de Dezembro

Leia mais

C olóquio Internacional Marista sobre Formação Inicial

C olóquio Internacional Marista sobre Formação Inicial 1 C olóquio Internacional Marista sobre Formação Inicial Convicções - Orientações - Recomendações L Hermitage de 4 a14 outubro de 2015 Espero que o que eu faço jorre como um rio, sem forçar e sem reter,

Leia mais

REALIZAÇÃO: PARCEIROS: APOIO:

REALIZAÇÃO: PARCEIROS: APOIO: REALIZAÇÃO: PARCEIROS: APOIO: PROJETO VIVA A SOLIDARIEDADE! 1. Dados de identificação do projeto 1.1 Título do projeto: Viva a Solidariedade! 1.2 Nome da entidade proponente: Conferência dos Religiosos

Leia mais

ARQUIDIOCESE DE FORTALEZA

ARQUIDIOCESE DE FORTALEZA AVALIAÇÃO DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2011, NAS PARÓQUIAS E ÁREAS PASTORAIS 1. Identificação da paróquia, área pastoral Nome da paróquia, área pastoral:... Responsável pela CF 2011 na paróquia, área pastoral:...

Leia mais

Apêndice F-21C Relatório das Atividades de Dezembro do projeto de educação ambiental PPA para AJA Minas Gerais, Brasil

Apêndice F-21C Relatório das Atividades de Dezembro do projeto de educação ambiental PPA para AJA Minas Gerais, Brasil Apêndice F-21C Relatório das Atividades de Dezembro do projeto de educação ambiental PPA para AJA Minas Gerais, Brasil Groupo AJ na demonstração do modelo de bacia hidrográfica. Preparado para: Susan Kurbis,

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA REALIZAÇÃO DA CONFERÊNCIA DO MEIO AMBIENTE EM SUA ESCOLA

ORIENTAÇÕES PARA REALIZAÇÃO DA CONFERÊNCIA DO MEIO AMBIENTE EM SUA ESCOLA ORIENTAÇÕES PARA REALIZAÇÃO DA CONFERÊNCIA DO MEIO AMBIENTE EM SUA ESCOLA 1 Objetivos da Conferência do Meio Ambiente na Escola - Ouvir a voz dos adolescentes. Milhões de estudantes têm o direito de participar,

Leia mais

Objetivos. Objetivos 26/9/2012. Módulo: Fundamentos de Teologia e História Tema: Teologia Latino-Americana: histórico e métodos

Objetivos. Objetivos 26/9/2012. Módulo: Fundamentos de Teologia e História Tema: Teologia Latino-Americana: histórico e métodos Teologia Módulo: Fundamentos de Teologia e História Tema: Teologia Latino-Americana: histórico e métodos Prof. Claudio de Oliveira Ribeiro Objetivos O objetivo desse tema é mostrar como o contexto socioeconômico,

Leia mais

Elementos da Vida da Pequena Comunidade

Elementos da Vida da Pequena Comunidade Raquel Oliveira Matos - Brasil A Igreja, em sua natureza mais profunda, é comunhão. Nosso Deus, que é Comunidade de amor, nos pede entrarmos nessa sintonia com Ele e com os irmãos. É essa a identidade

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Grupo Atitude Vila Macedo

Mostra de Projetos 2011. Grupo Atitude Vila Macedo Mostra de Projetos 2011 Grupo Atitude Vila Macedo Mostra Local de: Piraquara Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Centro de Referência

Leia mais

3.1.1. Primeira Proposta: Fortalecimento da Pastoral Familiar (cf. CNBB - Doc. 79/2004 capo 8)

3.1.1. Primeira Proposta: Fortalecimento da Pastoral Familiar (cf. CNBB - Doc. 79/2004 capo 8) 3.1.1. Primeira Proposta: Fortalecimento da Pastoral Familiar (cf. CNBB - Doc. 79/2004 capo 8) 44. Neste sentido, a nossa 3 a Assembleia Diocesana, realizada no dia 28 de outubro de 2012 na Paróquia de

Leia mais

Comunicacoes ~ Modernidade, Instituicoes e Historiografia Religiosa no Brasil ~

Comunicacoes ~ Modernidade, Instituicoes e Historiografia Religiosa no Brasil ~ Comunicacoes ~ Modernidade, Instituicoes e Historiografia Religiosa no Brasil ~ O COMPORTAMENTO DAS CEB S NO MARANHÃO NO PERÍODO DE DITADURA MILITAR Camila da Silva Portela Graduanda em História pela UFMA

Leia mais

A Pastoral juvenil FMA: um modelo orgânico para uma Vida em abundância para todos segundo as Linhas orientadoras da missião educativa (LOME)

A Pastoral juvenil FMA: um modelo orgânico para uma Vida em abundância para todos segundo as Linhas orientadoras da missião educativa (LOME) ISTITUTO FIGLIE DI MARIA AUSILIATRICE Consigliera generale per la Pastorale giovanile Via dell Ateneo Salesiano, 81-00139 ROMA A Pastoral juvenil FMA: um modelo orgânico para uma Vida em abundância para

Leia mais

Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013

Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013 Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013 1. Finalidade do Ano da Fé; 2. O que é a Fé; 3. A transmissão da Fé enquanto professada, celebrada, vivida e rezada; 4. O conteúdo

Leia mais

A PRÁTICA DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO

A PRÁTICA DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO A PRÁTICA DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO François E. J. de Bremaeker Luiz Estevam Gonçalves Rio de Janeiro fevereiro de 2015 A PRÁTICA DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO François E. J. de Bremaeker Economista e Geógrafo,

Leia mais

Módulo I O que é a Catequese?

Módulo I O que é a Catequese? Módulo I O que é a Catequese? Diocese de Aveiro Objectivos Tomar consciência da nossa prática concreta de catequese. Confrontar essa experiência com a forma de agir de Jesus Cristo. Situar a catequese

Leia mais

oportunidades, encontros, requalificação evangélica de nossa Vida Consagrada.

oportunidades, encontros, requalificação evangélica de nossa Vida Consagrada. CRB RS oportunidades, encontros, requalificação evangélica de nossa Vida Consagrada. Gestos de amor que se transformaram em ação diante da dor da humanidade. Num esforço conjunto, tentamos ser mulheres

Leia mais

CALENDÁRIO DE ATIVIDADES PASTORAIS 2015

CALENDÁRIO DE ATIVIDADES PASTORAIS 2015 CALENDÁRIO DE ATIVIDADES PASTORAIS 2015 1- Confraternização Universal JANEIRO 4 a 16 IRPAC Casa de Retiros São José 13 Reunião do Fórum das 18 a 25 Encontro Nacional da Manaus - AM Pastoral da Juventude

Leia mais

Nitro PDF Trial. www.nitropdf.com

Nitro PDF Trial. www.nitropdf.com 1.1. Identificação Colégio Mater Consolatrix - Educação Infantil e Ensino Fundamental e Médio. Endereço: Av. Tancredo Neves, 1765 Cursos oferecidos: Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Turno:

Leia mais

Apresentação. 8-11 de Abril 2015: Seminário para Formadores/ as. 23-26 de Setembro 2015: Congresso para jovens consagrados/as

Apresentação. 8-11 de Abril 2015: Seminário para Formadores/ as. 23-26 de Setembro 2015: Congresso para jovens consagrados/as Nota pastoral da Conferência Episcopal sobre o Ano da Vida Consagrada Chamados a levar a todos o abraço de Deus ) Para além da abertura (30 de Novembro de 2014 e do encerramento (2 de Fevereiro de 2016,

Leia mais

Igreja em estado permanente de missão

Igreja em estado permanente de missão Igreja em estado permanente de missão Igreja : lugar da animação bílblica da vida e da pastoral A conversão pastoral da paróquia Urgência da conversão Pastoral Toda conversão supõe um processo de transformação

Leia mais

DA PASTORAL DIOCESANA.

DA PASTORAL DIOCESANA. DA PASTORAL DIOCESANA. Evangelizar, a partir de Jesus Cristo e na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária e profética, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica

Leia mais

Equipamentos Data Show e Pasta contendo: lápis, caneta e papel para anotação, tema a discutir, sonorização.

Equipamentos Data Show e Pasta contendo: lápis, caneta e papel para anotação, tema a discutir, sonorização. PREPARAÇÃO Número de participantes estimado: 100 Local: Sesc Data: 20/09 Duração: 8hs Recepcionista / Credenciamento Convites: Convite oficial, faixa, carro de som nas ruas, entrevistas nas rádios e outros

Leia mais

Linhas de Ação 1ª. LINHA DE AÇÃO: FORMAÇÃO INTEGRAL DO(A) DISCÍPULO(A)

Linhas de Ação 1ª. LINHA DE AÇÃO: FORMAÇÃO INTEGRAL DO(A) DISCÍPULO(A) A Igreja no Brasil está empenhada, sobretudo em, 2013 através da Campanha da Fraternidade e da Jornada Mundial da Juventude, em alavancar a Evangelização da Juventude. De partida queremos dizer que por

Leia mais

Apresentação. Caríssimos irmãos e irmãs em Cristo.

Apresentação. Caríssimos irmãos e irmãs em Cristo. Apresentação Caríssimos irmãos e irmãs em Cristo. Está aqui a nova edição do DIRETÓRIO DIOCE- SANO, revisado, corrigido e aprovado pelo Conselho Diocesano de Pastoral de 28 a 30 de outubro deste ano de

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA (EDUCAÇÃO) DO CAMPO

PÓS-GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA (EDUCAÇÃO) DO CAMPO PÓS-GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA (EDUCAÇÃO) DO CAMPO Instituição Certificadora: FALC Faculdade da Aldeia de Carapicuíba Amparo Legal: Resolução CNE CES 1 2001/ 2007 Carga Horária: 460h Período de Duração: 12

Leia mais

PARTICIPAÇÃO DE SETORES POPULARES E DA SOCIEDADE CIVIL NO PROCESSO LEGISLATIVO ORÇAMENTÁRIO FEDERAL

PARTICIPAÇÃO DE SETORES POPULARES E DA SOCIEDADE CIVIL NO PROCESSO LEGISLATIVO ORÇAMENTÁRIO FEDERAL LUIZ FENELON PIMENTEL BARBOSA PARTICIPAÇÃO DE SETORES POPULARES E DA SOCIEDADE CIVIL NO PROCESSO LEGISLATIVO ORÇAMENTÁRIO FEDERAL Projeto de pesquisa apresentado ao Programa de Pós-Graduação do Cefor como

Leia mais

Discurso de Luiz Inácio Lula da Silva Seminário do Prêmio Global de Alimentação Des Moines, Estados Unidos 14 de outubro de 2011

Discurso de Luiz Inácio Lula da Silva Seminário do Prêmio Global de Alimentação Des Moines, Estados Unidos 14 de outubro de 2011 Discurso de Luiz Inácio Lula da Silva Seminário do Prêmio Global de Alimentação Des Moines, Estados Unidos 14 de outubro de 2011 Estou muito honrado com o convite para participar deste encontro, que conta

Leia mais

Ubajara CE, 06 a 08 de novembro de 2015

Ubajara CE, 06 a 08 de novembro de 2015 Ubajara CE, 06 a 08 de novembro de 2015 1º. DIA 06 de novembro Oriundos de todas as partes da Diocese, cerca de 90 participantes começaram a chegar cedo, antes do almoço, para participar da 22ª. Assembleia

Leia mais

LIMITES E POSSIBILIDADES DO USO DO MARCO LÓGICO/ZOOP EM UMA MÉDIA ONG DE EDUCAÇÃO POPULAR. Cristina Schroeter Simião 1

LIMITES E POSSIBILIDADES DO USO DO MARCO LÓGICO/ZOOP EM UMA MÉDIA ONG DE EDUCAÇÃO POPULAR. Cristina Schroeter Simião 1 LIMITES E POSSIBILIDADES DO USO DO MARCO LÓGICO/ZOOP EM UMA MÉDIA ONG DE EDUCAÇÃO POPULAR. Cristina Schroeter Simião 1 I. Introdução do Marco Lógico/Zopp na Aditepp: Limites e Possibilidades. No ano de

Leia mais

ESCOLA ARQUIDIOCESANA BÍBLICO-CATEQUÉTICA

ESCOLA ARQUIDIOCESANA BÍBLICO-CATEQUÉTICA ESCOLA ARQUIDIOCESANA BÍBLICO-CATEQUÉTICA FORMAÇÃO DE CATEQUISTAS A Igreja se preocupa com a semente da Palavra de Deus (a mensagem) e com o terreno que recebe essa semente (o catequizando), o que a leva

Leia mais

Esta cartilha traz o primeiro diagnóstico

Esta cartilha traz o primeiro diagnóstico introdução A Armadilha do Crédito Fundiário do Banco Mundial Esta cartilha traz o primeiro diagnóstico abrangente sobre os programas do Banco Mundial para o campo no Brasil. O estudo foi realizado pela

Leia mais

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA - APRESENTAÇÃO 1- COMO SURGIU A IDÉIA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 2- O QUE SIGNIFICA INCLUSÃO ESCOLAR? 3- QUAIS AS LEIS QUE GARANTEM A EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 4- O QUE É UMA ESCOLA

Leia mais

ED WILSON ARAÚJO, THAÍSA BUENO, MARCO ANTÔNIO GEHLEN e LUCAS SANTIGO ARRAES REINO

ED WILSON ARAÚJO, THAÍSA BUENO, MARCO ANTÔNIO GEHLEN e LUCAS SANTIGO ARRAES REINO Entrevista Cláudia Peixoto de Moura Nós da Comunicação tendemos a trabalhar com métodos qualitativos, porque, acredito, muitos pesquisadores desconhecem os procedimentos metodológicos quantitativos ED

Leia mais

é de queda do juro real. Paulatinamente, vamos passar a algo parecido com o que outros países gastam.

é de queda do juro real. Paulatinamente, vamos passar a algo parecido com o que outros países gastam. Conjuntura Econômica Brasileira Palestrante: José Márcio Camargo Professor e Doutor em Economia Presidente de Mesa: José Antonio Teixeira presidente da FENEP Tentarei dividir minha palestra em duas partes:

Leia mais

O Curso de Graduação em Ciências da Religião nas Faculdades Integradas Claretianas em São Paulo

O Curso de Graduação em Ciências da Religião nas Faculdades Integradas Claretianas em São Paulo O Curso de Graduação em Ciências da Religião nas Faculdades Integradas Claretianas em São Paulo Entrevista a Moacir Nunes de Oliveira * [mnoliveira pucsp.br] Em 1999, as Faculdades Integradas Claretianas

Leia mais

Carta Influência do Clima no Cotidiano Juvenil. Prezados representantes brasileiros da Conferencia Juvenil de Copenhague,

Carta Influência do Clima no Cotidiano Juvenil. Prezados representantes brasileiros da Conferencia Juvenil de Copenhague, Rio de Janeiro 03 de dezembro de 2009 Carta Influência do Clima no Cotidiano Juvenil Prezados representantes brasileiros da Conferencia Juvenil de Copenhague, Tendo em vista a confecção coletiva de uma

Leia mais

DECLARAÇÃO DE MADRI. A não-discriminação e a ação afirmativa resultam em inclusão social

DECLARAÇÃO DE MADRI. A não-discriminação e a ação afirmativa resultam em inclusão social DECLARAÇÃO DE MADRI A não-discriminação e a ação afirmativa resultam em inclusão social Aprovada em Madri, Espanha, em 23 de março de 2002, no Congresso Europeu de Pessoas com Deficiência, comemorando

Leia mais

Ata do Lançamento do Ano Pastoral FAMÍLIA SALESIANA 2015/2016

Ata do Lançamento do Ano Pastoral FAMÍLIA SALESIANA 2015/2016 Ata do Lançamento do Ano Pastoral FAMÍLIA SALESIANA 2015/2016 Aos dezanove dias do mês de Setembro de dois mil e quinze realizou-se em Fátima, na Casa Nossa Senhora do Carmo, o encontro de apresentação

Leia mais

CAMPANHAS DA FRATERNIDADE: REFLEXOS DO CONCÍLIO VATICANO II

CAMPANHAS DA FRATERNIDADE: REFLEXOS DO CONCÍLIO VATICANO II Comunicacoes ~ Modernidade, Instituicoes e Historiografia Religiosa no Brasil ~ CAMPANHAS DA FRATERNIDADE: REFLEXOS DO CONCÍLIO VATICANO II Vanessa de Vasconcelos Zeca Mestra em História Social pela UFRJ

Leia mais

A INTEGRAÇÃO DA PREVENÇÃO DAS DROGAS NO CURRÍCULO ESCOLAR

A INTEGRAÇÃO DA PREVENÇÃO DAS DROGAS NO CURRÍCULO ESCOLAR A INTEGRAÇÃO DA PREVENÇÃO DAS DROGAS NO CURRÍCULO ESCOLAR Robson Rogaciano Fernandes da Silva (Mestrando-Universidade Federal de Campina Grande) Ailanti de Melo Costa Lima (Graduanda-Universidade Estadual

Leia mais

3º Congresso Vocacional do Brasil

3º Congresso Vocacional do Brasil III CONGRESSO VOCACIONAL DO BRASIL Tema: Discípulos missionários a serviço das vocações Lema: Indaiatuba, Itaici, 03 a 07 de setembro de 2010 3º Congresso Vocacional do Brasil Dom Leonardo Ulrich Steiner

Leia mais

Conclusões do Encontro do Laicato Dominicano

Conclusões do Encontro do Laicato Dominicano Conclusões do Encontro do Laicato Dominicano História OP Quatro elementos foram tomados como pontos de reflexão e ação para os dois primeiros anos. Um dos pontos ou aspetos sobre o qual trabalhar é a compaixão.

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES E A POLÍTICA NACIONAL DA EDUCAÇÃO INFANTIL

FORMAÇÃO DE PROFESSORES E A POLÍTICA NACIONAL DA EDUCAÇÃO INFANTIL FORMAÇÃO DE PROFESSORES E A POLÍTICA NACIONAL DA EDUCAÇÃO INFANTIL Resumo LINHARES, Clarice Schneider UNICENTRO clarinha_linhares@yahoo.com.br Área Temática: Formação de Professores Este trabalho partiu

Leia mais

Seminário debate medidas para migrantes e refugiados

Seminário debate medidas para migrantes e refugiados Seminário debate medidas para migrantes e refugiados Buscando construir orientações e diretrizes nas ações de acolhida a migrantes e refugiados, a Cáritas Brasileira realizou nos dias 19 e 20 de outubro

Leia mais

9. EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA

9. EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA 9. EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA 9.1 ORGANIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO INDÍGENA 9.1.1 Objetivos gerais A Constituição Federal assegura às comunidades indígenas o direito de uma educação escolar diferenciada e a utilização

Leia mais

PROJETO AQUI TEM JOVEM

PROJETO AQUI TEM JOVEM Material de Apoio e Formação PROJETO AQUI TEM JOVEM Lista de Abreviaturas e Siglas G.O Grupo de Oração MJ Ministério Jovem PEF Pastoreio Evangelização Formação RCC Renovação Carismática Católica CONHEÇA

Leia mais

Pastoral Vocacional/ Serviço de Animação Vocacional

Pastoral Vocacional/ Serviço de Animação Vocacional CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada Pastoral Vocacional (PV) / Serviço de Animação Vocacional (SAV) CMOVC/ SAV (02) Pastoral

Leia mais

Lindolfo Alexandre de SOUZA 2

Lindolfo Alexandre de SOUZA 2 Elaboração de Plano de Comunicação Institucional junto às paróquias da Forania São João XXIII, da Arquidiocese de Campinas: uma experiência de extensão 1 Lindolfo Alexandre de SOUZA 2 Resumo Este trabalho

Leia mais

Tecendo a gestão democrática nas escolas públicas de Santa Catarina

Tecendo a gestão democrática nas escolas públicas de Santa Catarina Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares E Projeto Estadual de Revitalização das Entidades Democráticas: Tecendo a gestão democrática nas escolas públicas de Santa Catarina OBJETIVO

Leia mais

LINHAS DE AÇÃO E PRIORIDADES DO LXVIII CAPÍTULO GERAL

LINHAS DE AÇÃO E PRIORIDADES DO LXVIII CAPÍTULO GERAL LINHAS DE AÇÃO E PRIORIDADES DO LXVIII CAPÍTULO GERAL I. Introdução O LXVIII Capítulo Geral da Ordem realizado em Fátima (Portugal) sob o lema: "A família de S. João de Deus ao serviço da Hospitalidade",

Leia mais

DILMA MARIA DE ANDRADE. Título: A Família, seus valores e Counseling

DILMA MARIA DE ANDRADE. Título: A Família, seus valores e Counseling DILMA MARIA DE ANDRADE Título: A Família, seus valores e Counseling Projeto de pesquisa apresentado como Requisito Para obtenção de nota parcial no módulo de Metodologia científica do Curso Cousenling.

Leia mais

MARCHA MUNDIAL DAS MULHERES TERCEIRA AÇÃO INTERNACIONAL

MARCHA MUNDIAL DAS MULHERES TERCEIRA AÇÃO INTERNACIONAL MARCHA MUNDIAL DAS MULHERES TERCEIRA AÇÃO INTERNACIONAL Autonomia econômica das mulheres Autonomia econômica das mulheres se refere à capacidade das mulheres de serem provedoras de seu próprio sustento,

Leia mais

10 MILHÕES DE ESTRELAS 2015.

10 MILHÕES DE ESTRELAS 2015. 10 MILHÕES DE ESTRELAS 2015. O ano de 2014 foi marcado por uma constelação solidária. Cáritas de todos os cantos do país se uniram em torno de um gesto concreto de solidariedade: acender uma vela na noite

Leia mais

VI ENCONTRO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO

VI ENCONTRO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO REFLEXÕES SOBRE O PENSAMENTO DE PAULO FREIRE ACERCA DA EDUCAÇÃO Cristiane Silva Melo - UEM 1 Rosileide S. M. Florindo - UEM 2 Rosilene de Lima - UEM 3 RESUMO: Esta comunicação apresenta discussões acerca

Leia mais

PESQUISA DOS PADRES SOBRE AS PRIORIDADES ESTRATÉGICAS PARA A ARQUIDIOCESE DE BOSTON

PESQUISA DOS PADRES SOBRE AS PRIORIDADES ESTRATÉGICAS PARA A ARQUIDIOCESE DE BOSTON PESQUISA DOS PADRES SOBRE AS PRIORIDADES ESTRATÉGICAS PARA A ARQUIDIOCESE DE BOSTON Esta pesquisa vai pedir para você comentar e dar a sua opinião sobre as prioridades estratégicas propostas pelo Gabinete

Leia mais

RESOLUÇÃO SMAS Nº 20 DE 27 DE MAIO DE 2011.

RESOLUÇÃO SMAS Nº 20 DE 27 DE MAIO DE 2011. RESOLUÇÃO SMAS Nº 20 DE 27 DE MAIO DE 2011. Cria e regulamenta o protocolo do serviço especializado em abordagem social, no âmbito das ações da proteção social especial de média complexidade da Secretaria

Leia mais

Os fazeres do coordenador pedagógico: gico: da clareza conceitual à eficiência da açãoa. Prof. Francisca Paris francisca@souagora.com.

Os fazeres do coordenador pedagógico: gico: da clareza conceitual à eficiência da açãoa. Prof. Francisca Paris francisca@souagora.com. Os fazeres do coordenador pedagógico: gico: da clareza conceitual à eficiência da açãoa Prof. Francisca Paris francisca@souagora.com.br Clareza conceitual e eficiência da ação Compreender a essência do

Leia mais

Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação. Projeto Paroquial da Pastoral da Comunicação

Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação. Projeto Paroquial da Pastoral da Comunicação Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação Projeto Paroquial da Pastoral da Comunicação 2 Barra do Choça, 11 de abril de 2015. 1. Contextualização O Projeto Nacional da Pastoral da Comunicação Pascom,

Leia mais

Descrição da experiência

Descrição da experiência Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia em Mato Grosso do Sul: formação de profissionais para harmonizar o desenvolvimento à conservação e melhoria ambiental ANDRADE, Letícia Pereira de. UEMS. letícia@uems.br;

Leia mais

A experiência do Baú de leitura

A experiência do Baú de leitura A experiência do Baú de leitura Sueli Maria Gonçalves Hitti 1 Vera Maria Oliveira Carneiro 2 No Baú, qualquer baú, é onde guardamos lembranças, alegres e tristes, objetos preciosos, outros de valor afetivo,

Leia mais

PEDAGOGO E A PROFISSÃO DO MOMENTO

PEDAGOGO E A PROFISSÃO DO MOMENTO PEDAGOGO E A PROFISSÃO DO MOMENTO Vivemos numa era em que o conhecimento assume novas configurações. Ele se modifica permanentemente, sendo atualizado dia-a-dia pelas descobertas das ciências e pelas inteligências

Leia mais

PROJETO ESCOLA E CIDADANIA

PROJETO ESCOLA E CIDADANIA PROJETO DE AQUISIÇÃO DE KIT ESCOLAR PROJETO ESCOLA E CIDADANIA 1. HISTÓRICO A preocupação com a causa da criança e do adolescente em situação de risco, faz nascer instituições proféticas espalhadas pelo

Leia mais

RELATÓRIO SINTETIZADO DO XIV CONGRESSO NACIONAL DA PASTORAL FAMILIAR SÃO LUÍS/MARANHÃO DE 26 A 28.09.2014

RELATÓRIO SINTETIZADO DO XIV CONGRESSO NACIONAL DA PASTORAL FAMILIAR SÃO LUÍS/MARANHÃO DE 26 A 28.09.2014 1 RELATÓRIO SINTETIZADO DO XIV CONGRESSO NACIONAL DA PASTORAL FAMILIAR SÃO LUÍS/MARANHÃO DE 26 A 28.09.2014 O XIV Congresso Nacional da Pastoral Familiar realizado nos dias 26, 27 e 28 de setembro de 2014,

Leia mais

CONCURSO PARA LETRA DO HINO DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2012

CONCURSO PARA LETRA DO HINO DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2012 1 CONCURSO PARA LETRA DO HINO DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2012 Prezado(a) compositor(a) letrista, A paz de Cristo! Brasília-DF, 19 de novembro de 2010 ML 0952 Com alegria e expectativa, estamos lançando

Leia mais

METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS

METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS 1 O Método do Caso e o Ensino em Administração O uso do Método do Caso nas escolas de administração no Brasil é relativamente recente, embora não haja

Leia mais

QUEM É PIERRE VIGNE? PIERRE VIGNE, MESTRE ESPIRITUAL

QUEM É PIERRE VIGNE? PIERRE VIGNE, MESTRE ESPIRITUAL QUEM É PIERRE VIGNE? Pierre Vigne nasceu em Privas, na França, no dia 20 de agosto de 1670. Com a idade de 11 anos, ele é observado pelo seu pároco que já lhe pode confiar responsabilidades em sua paróquia,

Leia mais