LC 700 LC700 CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL ORIGEM DO 1º CLP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LC 700 LC700 CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL ORIGEM DO 1º CLP"

Transcrição

1 LC 700 CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL ORIGEM DO 1º CLP * País : EUA * Área : Indústria Automobilística (GMC) * Ano : 1968 * Objetivo : Substituir painéis com lógicas à relés CONCEITO * Equipamento: Eletrônico e microprocessado * Utilização : Máquinas ou processos * Finalidade : Comandar e monitorar sinais 1

2 APLICAÇÕES O está presente em: Açúcar e Álcool Petroquímica Química e Farmaceutica Saneamento Siderurgia Papel e Celulose Alimento e Bebida Gás Energia CONTROLES Manufatura de componentes discretos Controle de máquina Controle de processo Controle lógico Controle seqüencial Controle batelada Telemetria e Controle SCADA Computação de vazão Partida de motores e geradores BENEFÍCIOS Baixo custo por ponto de E/S Facilidade de expansão Redundância de CPU/Fonte/Rack/Redes Facilidade em trocar ou mudar a estratégia de controle ( online) Manutenção fácil e tipicamente convencional Integração com tecnologia Fieldbus EIA-232, EIA-485, Ethernet e Link Óptico 2

3 CPU PROGRAMA LADDER FUNÇÕES DE USUÁRIO HARDWARE DO LC SINAIS DE O.S.(Sistema Operacional) BLOCOS DE FUNÇÕES LADDER (Interpretador) RELÓGIO DE TEMPO REAL MICRO CONTROLADOR IMB (INTERFACE MODULE BUS) Comunicação 1 porta - EIA portas - EIA-485 SINAL DE FALHA DA FONTE RELÉ PARA FALHA CPU / FUNCIONAMENTO Memória Básica Memória de Dados Memória do Usuário Varredura de Programa Watchdog Timer Leitura das Entradas Processamento do Programa de Usuário Escrita (Ativação) das Saídas C I C L O CONTROLADOR UNIVERSAL HÍBRIDO CONF700 CONFIGURADOR LADDER 3

4 - CARACTERÍSTICAS Controlador Híbrido de Fácil Expansão; Funções: PID, Totalizador, Controle Step, Linearização, Alarme de Tempo, Relés, Armazenamento de eventos, Gerador de Setpoint, Comparadores, Contadores, etc. Programação via Ladder com Blocos de Função (IEC ) Suporta Modbus e Fieldbus - CARACTERÍSTICAS Arquitetura Redundante de Fonte, CPU, Rack e Rede Local Configurador Windows de fácil aprendizagem (CONF700) Integração com IHM (Interface Homem-Máquina) via OPC ou Driver MODBUS Redundância de canais no OPC FRONTAIS DOS MÓDULOS Os módulos de s digitais possuem um LED local para indicação do status de cada entrada ou saida. Ao lado de cada LED de status, há um campo para escrever o tag do canal. 4

5 FRONTAIS DOS MÓDULOS Atrás da painel frontal há um desenho simplificado para interligação dos canais. Os módulos tem etiquetas que auxiliam na Configuração do Hardware Identificação do módulo (ID) Hot swap ( Troca a Quente ) MODULAR Controlador Universal Híbrido 1º Rack 2º Rack Racks comporta 4 Módulos (Slots 0,1, 2 e 3) Até 15 Racks 1º Rack sempre Fonte e CPU (slots 0 e 1) RACK (Backplane) IMB - Inter Module Bus Jump W1 Apoio p/ encaixe Slots (0,1,2 e 3) Conector p/ Flat Chave p/ Endereço 5

6 RACK (Backplane) * Conexão entre racks FLAT CABLE Características : usado como extensão do rack o comprimento total do flat cable deve ser menor que 12 metros CABOS FLAT MODELOS : FC Cabo Flat c/ comprimento 65 mm (2 1/2in) FC Cabo Flat c/ comprimento 651 mm (25 in) FC Cabo Flat c/ comprimento 814 mm (32 in) FC Cabo Flat c/ comprimento 977 mm (38 1/2 in) FC Cabo Flat c/ comprimento 1400 mm (45 in) OBS.: 1) p/ comprimentos diferentes usar Kit de conexão p/ cabo Flat (FCC-Comm) 2) O comprimento total do cabo flat deve ser menor que 12 metros (o número de racks não é relevante) Conectando Módulos 6

7 Conectando Módulos Localize no rack a " aba" que fica no topo de um slot livre. Encaixe o furo, localizado no topo da parte traseira do módulo nesta "aba". Engate o módulo no conector do IMB (slot) pressionando-o contra o rack. Fixe o módulo no rack, apertando com uma chave de fenda o parafuso de travamento localizado na parte inferior do módulo. (Componentes) MODULARIDADE A aplicação pode partir com um único rack e ser expandida conforme a necessidade. Os módulos de E/S são selecionados conforme a aplicação. Há uma grande variedade de módulos de E/S disponíveis. Fontes adicionais podem ser utilizadas, caso sejam necessárias. 7

8 MÓDULOS OBRIGATÓRIOS -AC-0 FONTE DE ALIMENTAÇÃO (slot 0) CPU700 (slot 1) FONTES DE ALIMENTAÇÃO (suportam redundância) -AC-R -DC-R (Entrada: 90 a 260Vac) (Entrada: 20 a 30Vdc) SAÍDA : 24 VDC (300 ma) para uso externo 5 VDC (3A) para o IMB FONTES - Configuração de Hardware Módulo Fonte - Entrada : 2 modelos AC ou DC - Saída : 24 Vdc (300mA) 5 Vdc (3A) Módulo Unitário Modo Redundante (Principal) Modo Redundante (Back-up) CH1 E R R W1 Desconectado Desconectado Conectado 8

9 CPU-700-E3 - Frontal Externo Led s de Diagnóstico + 5 VDC Módulo Energizado Status Run (Execução) Status Hold (Parada) E / S Forçadas Rx / Tx da P1 Rx / Tx da P2 Rx / Tx da P3 Status de falha da CPU Rx (Recepção) Tx (Transmissão) CPU-700-E3- Frontal Interno TrêsPortasSeriais Independentes (P1,P2 e P3) Todas podem trabalhar como MODBUS RTU Slave P3 pode ser configurada para Master Remote 1) Porta P1 (RS 232) 2) Não Utilizado 3) Chave DIP CH1 (Usada p/ Baud Rate) 4) Borneira contendo : - Portas P2 e P3 (RS 485) - Saída a Relé para Falha CPU-700-E3- Frontal Interno P1: RS-232C (1.2 a 57.6 Kbps) Livre (sem uso) Parâmetros de comunicação P2 e P3: RS-485 (9.6 a Kbps) Relé p/ Falha * 3 portas seriais independentes Modbus RTU Slave * P3 pode ser configurada como Remote Master * Relógio de tempo real 9

10 CPU-700-E3R CPU p/ REDUNDÂNCIA P1: RS-232C (1.2 a 57.6 Kbps) Inter CPU Port (1.8 Mps 2m max) Parâmetros de comunicação P2 e P3: RS-485 (9.6 a Kbps) Relé p/ Falha RIO-700-E3 Interface Remota de alta velocidade P1 Não Usada Dip P2 P3 Fail P1 é MODBUS RTU para acesso de variáveis locais RS-232C (1200 a 57.6Kbps) P2 e P3 são canais Remote Slave Redundância RS-485 (57.6K a 230.4Kbps) CPU700 - Comunicação (Configuração) CH2 (Chave Rotativa) CH1 (Chave DIP) 10

11 CPU-700-E3 / E3R / RIO-E3 Tabela de definição de endereço (Porta P3) CH E3 M-RIO Factory Init M-RTU-Slave E3R M-RIO-Ativa Factory Init M-RIO- Backup RIO-E3 RIO- Slave 1 RIO- Slave 2 RIO- Slave 3 RIO- Slave 4 RIO- Slave 5 RIO- Slave 6 Factory Init Baud Rate CH1 CH1 CH1 CH1 CH1 CH1 CH1 CH1 CH1 CH1 CPU-700- Ajuste de Comunicação (Configuração da CH1) Side Rotary Switch. (Define P3 Channel) 0 : Master Remote. 8 : Modbus Slave. CPUD3 DIP OFF ON OFF ON Frontal Dip Switches 1 to 3 Only for CH2=0. (Remote Baudrate) Frontal Dip Switch 4. (Modbus Parameters) ,6K ON ON OFF ID= 1/9600bps 4 ON 115,2K OFF OFF ON 230,4K ON OFF ON According to configuration OFF CPU Comunicação P1: RS-232C CH2 = 0 P3 -> Mestre Remote P2:RS-485 P3: RS-485 (RIO) 11

12 CPU Comunicação P1: RS-232C CH2 = 8 P3 -> Slave P2:RS-485 P3: RS-485 PONTOS DE * CPU-E3: 2000 PONTOS DISCRETOS (DIGITAIS); 1024 PONTOS INTEIROS ANALÓGICOS OU 512 PONTOS REAIS ANALÓGICOS. CPU700- E3 Comporta uma quantidade maior de pontos booleanos. Comporta configurações maiores. Permite alteração total da configuração online. 12

13 REDUNDÂNCIA Ethernet (A) Ethernet (B) Remotas E/S (RIO s) Enet-700 Principal (Main) FONTE CH1 W1 1ª R NO Enet-700 2ª Reserva (Standby/Backup) R YES REDUNDÂNCIA Fonte de Alimentação & Ethernet MÓDULOS LINHA 13

14 ENTRADAS DIGITAIS DC (2 Grupos de 8 entradas isoladas) M-001 (24V) M-002 (48V) M-003 (60 V) M-004 (125V) M-005 (24V Sink) DC (2 Grupos de 4 entradas isoladas) M-010 (120V) M-011 (240V) DC (2 Grupos de 8 entradas isoladas) M-012 (120V) M-013 (240V) ENTRADAS DIGITAIS DE PULSO (2 Grupos de 8 entradas) M-302 (0-100 Hz / 24 Vdc) M-303 (0-10 KHz / 24 Vdc) M-304 (0-10 KHz / 30 Vac) SAÍDAS DIGITAIS DC (1 Grupo de 16 saídas) M-101 (coletor aberto) DC (2 Grupos de 8 saídas) M-102 ( transistor Fonte) AC (2 Grupos de 4 saídas) M-110 (120/240V) AC (2 Grupos de 8 saídas) M-111 (120/240 V) 14

15 SAÍDAS DIGITAIS À RELÉ (2 Grupos de 4 saídas) (c/ RC INTERNO) M-120 (4 NA) M-121 (4 NF) M-122 (4 NA e 4 NF) À RELÉ (2 Grupos de 4 saídas) M-124 (4 NA) M-125 (4 NF) M-126 (4 NA e 4 NF) SAÍDAS DIGITAIS À RELÉ (2 Grupos de 8 saídas) M-123 (16 NA) À RELÉ (2 Grupos de 8 saídas) (RC INTERNO) M-127 (16 NA) ENTRADAS ANALÓGICAS 8 Pontos Configuráveis via Software TIPO DA ENTRADA MÓDULO Temperatura Corrente TENSÃO M-401R 0 a 20 ma 0 a 5 ; 1 a 5 V 4 a 20 ma 0 a 10 ; -10 a 10 V M-401DR M-402 RTD,TC e Ohm 0 a 20 ma 4 a 20 ma 0 a 5 ; 1 a 5 V 0 a 10 ; -10 a 10 V mv Jumps Internos -> V I V I CORRENTE TENSÃO 15

16 M-401-DR PWR I I I I I I I I V V V V V V V V 1A + 2A CH0 I / V 3A + 4A CH1 I / V 5A + 6A CH2 I / V 7A + 8A CH3 I / V 9A 10A 1B + 2B CH4 I / V 3B + 4B CH5 I / V 5B + 6B CH6 I / V 7B + 8B CH7 I / V 9B 10B ENTRADAS ANALÓGICAS M-401R 8 Canais Tipos de sinais : * 0-20mA / 4-20mA * 0-5V / 1-5V * 0-10V / +/- 10V Configuração dos canais por hardware e software smar / M-401-DR ( 8 Voltage/Current Differential Analog Inputs ) ( 0-20mA, 4-20mA, 0-5V, 1-5V, 0-10V, ±10V ) smar M-401-DR 8 Canais Diferenciais Tipos de sinais : * 0-20mA / 4-20mA * 0-5V / 1-5V * 0-10V / +/- 10V ENTRADAS ANALÓGICAS (TEMPERATURA) M-402 M- 402 PWR smar /M-402 (8Temperature inputs TC, RTD, mv,ohms) A 1A CH0 B 2A COM 3A B 4A CH1 A 5A A 6A CH2 B 7A COM 8A B 9A CH3 A 10A A 1B CH4 B 2B COM 3B B 4B CH5 A 5B A 6B CH6 B 7B COM 8B B 9B CH7 A 10B smar 8 canais para temperatura Tipos de sinais : -RTD - TC (Termopar) - Resistência - Tensão (mv) Tipo da entrada é selecionada individualmente por software. M-402 (Configuração por software) 16

17 SAÍDAS ANALÓGICAS M canais de saída. Tipos de sinais : * 0-20 ma / 4-20 ma. * 0 a 5V / 1 a 5V/ +/- 5V * 0 a 10V / 2 a 10V +/- 10V Cada saída está disponível na borneira em :tensão e corrente. SAÍDAS ANALÓGICAS (Configuração por Software) MÓDULOS MISTOS M entradas 24 Vdc 4 saídas à relé NA M entradas 48 Vdc 4 saídas à relé NA M entradas 60 Vdc 4 saídas à relé NA M entradas 24 Vdc 4 saídas à relé NF M entradas 48 Vdc 4 saídas à relé NF M entradas 60 Vdc 4 saídas à relé NF 17

18 MÓDULOS MISTOS M entradas 24 Vdc 2 saídas à relé NA 2 sáidas à relé NF M entradas 48Vdc 2 saídas à relé NA 2 sáidas à relé NF M entradas 60 Vdc 2 saídas à relé NA 2 saídas à relé NF Ideais para aplicações : * com poucos canais s * de baixo custo FB 700 MÓDULO FIELDBUS 32 Entradas Digitais 32 Saídas Digitais 24 Entradas Analógicas 16 Saídas Analógicas 8 Alarmes 1 PORTA RS-232 PARA REALIZAR O DOWNLOAD DE FIRMWARE TERMINAL FIELDBUS P/ CONECTAR A REDE H1 ( FOUNDATION FIELDBUS) FB 700 Integração Fieldbus com CLP MODBUS * Os Instrumentos Fieldbus podem ser conectados ao como s comuns. FB700 FIELDBUS H1 18

19 SW-700 Switch Ethernet Industrial ON SW-700 Hot-Swap 100 Conexão automática 10BaseT/100 Base-T L/A L/A L/A L/A L/A ETH 1 FD/Col 100 ETH 2 FD/Col 100 ETH 3 FD/Col 100 ETH 4 FD/Col 100 UpLink FD/Col smar 5 Portas (1 RS-232 e 4 RS-485) Redundância de alimentação LED Indicações : - Sistema Alimentação - Portas individuais (Collision/Speed/Active) ENET-710 Suporta comunicação Ethernet 10/100 Mbps Protocolos TCP/IP e HTTP Configuração baseada em HTTP WEB; MODBUS/TCP para MODBUS/RTU bridge 1 Full-duplex RS-232C Serial Port (point-topoint) 4 Half-duplex RS-485 Serial Ports ( multi-drop ) Multi-master (Os equipamentos podem ser acessados por até 7 clientes simultaneamente) CDBUS/TCP para CDBUS bridge (Ethernet para o CD600) ENET-710 (Configuração( Configuração) 19

20 ENET-710 (Configuração) ETHERNET MODBUS/TCP) Máximo 8 Supervisões Ethernet MODBUS/TCP SW700 ENET-710 Modbus RTU Device MODBUS RTU Máximo 30 Devices ETHERNET (MODBUS/TCP) SW700 10/100 Base-T Ethernet MODBUS TCP ENET710 20

21 MB700- Caracteristicas MB700 - Modbus Processor Fct Init / Reset /CTS 6 GND 5 Rx 4 Tx 3 5V 2 /RTS ETH 10Mbps 1B Fail V 2B FF H1+ 3B FF H1-4B T/R+ 5B T/R- 6B GND 7B 485 Porta Ethernet 10 MBps Porta Serial (RS232 e RS485) Bypass porta ethernet para o Possibilita operação Peer to Peer Possibilita operação Concentrador modbus Redundância Hot Stand by. smar MB700 - Projeto PEGASO Vários Masters TCP/IP conectados com vários ao mesmo tempo e também com conexão peer-topeer entre s em diferentes redes Modbus RTU SI 700 / ICS 2.0P Conversor industrial RS232 / RS485 21

22 RIO-700 Level=46.78 MV=88.00% Level=46.78 MV=88.00% OPT 700 OPT-700 Power Rx Fiber Tx Conversor Serial / Fibra Óptica smar COMUNICAÇÃO VIA RÁDIO Ethernet ENET-710 SW700 Comunicação OPC Ethernet e/ou Serial OPC Server Tag List Tag Address HMI OPC Client HMI OPC Client Ethernet Serial Port I/ O En e t Comunicação entre OPC Server e o PLC Comunicação entre OPC Client e OPC Sever 22

23 SOFTWARE Web site dedicado ao e CD600 (www.smarlabs.com) Todas ferramentas de software acompanham o produto sem custo! Tools (Atualização de firmware da CPU) Firmware (Disponíveis na web) Atualização de firmware via P1, P2 ou P3, incluindo o uso de um gateway Modbus TCP/IP Modbus RTU, com o ENET-710 ou MB-700. Pode-se manter a supervisão enviando comandos Modbus padrão nas outras portas, enquanto se faz o download de firmware 23

24 TagList Sofware Configurador do OPC Server. Cria Lista de Tags diretamente da configuração do CONF700 TAGLIST CONF700 V8-55 Configurador do 24

25 COMPATIBILIDADE : Compatível com todas as versões de configuração feita em versões de CONF700 anteriores (PLC, PL2, PL4, PL6, PL7). Extensão da atual configuração *.PL8. Configura os hardwares das CPU s D3 e E3. NOVA CARACTERÍSTICA Full Online Edition Permite ao usuário alterar uma configuração enquanto o controlador executa o Ladder, sem que o processo seja interrompido. Desta forma não há alterações bruscas na planta. FULL ONLINE EDITION Este modo permite ao usuário realizar as alterações existentes no modo Edit Online e também adicionar e apagar : Redes; Módulos; Módulos E/S virtuais; User Functions; Interfaces RIO. Elementos de lógica. e ainda Modificar Blocos funcionais. 25

26 ATUALIZAÇÃO DA CONFIGURAÇÃO Duas opções para atualizações na CPU sem parar o processo : * Update Modo : Online Online * Download diferencial Modo : Offline Online (Opção : Use base configuration) TESTE DO SISTEMA Após realizar atualizações, o CONF700 entra em estado de teste, e o usuário poderá: Confirmar as alterações efetuadas (Opção ACCEPT CHANGES) Cancelar as alterações efetuadas (Opção REMOVE CHANGES), TESTE DO SISTEMA (cont.) * Confirmar (Accept Changes) Nesta forma, o sistema passa a efetuar o controle com a nova configuração definitivamente e a configuração antiga é descartada * Cancelar (Remove Changes) Preserva os valores atuais das variáveis dinâmicas. Neste caso, o sistema retorna à execução do controle com a configuração antiga e descarta a nova configuração. As variáveis dinâmicas existentes tanto na configuração antiga, como na nova, são atualizadas com os valores atuais; 26

27 FUNÇÃO UPDATE Modo: Online Online Seqüência: * CONF700 conectado Online com, faz-se as modificações e descarrega as modificações de configuração para o DOWNLOAD DIFERENCIAL Modo: Offline Online Sequência : * Ativar a opção "Use base configuration", fazer as alterações e descarregar no. DOWNLOAD DIFERENCIAL Modo: Offline Online (Cont.) Tabela de Condições O arquivo de configuração possui duas datas: 1) Data de salvamento -> DataSave (data do último salvamento) 2) Data de referência -> DataRef (data que será enviada a configuração para a CPU-700 e também será referencia para possibilitar o download diferencial) Date Of : data da configuração que está na CPU

28 F I M. 28

OPT-700 - CONVERSOR SERIAL PARA FIBRA ÓPTICA

OPT-700 - CONVERSOR SERIAL PARA FIBRA ÓPTICA MANUAL DO USUÁRIO OPT-700 - CONVERSOR SERIAL PARA FIBRA ÓPTICA JUL / 05 OPT-700 VERSÃO 1 TM FOUNDATION O P T 7 0 0 M P smar www.smar.com.br Especificações e informações estão sujeitas a modificações sem

Leia mais

Seção 18 ADICIONANDO CONFIGURAÇÃO LÓGICA USANDO MÓDULOS COPROCESSADORES. Introdução. Configuração do DF65

Seção 18 ADICIONANDO CONFIGURAÇÃO LÓGICA USANDO MÓDULOS COPROCESSADORES. Introdução. Configuração do DF65 Seção 18 ADICIONANDO CONFIGURAÇÃO LÓGICA USANDO MÓDULOS COPROCESSADORES NOTA Esta seção trata somente da configuração entre o controlador DF51 e o coprocessador DF65. No entanto, esta característica (adicionar

Leia mais

Solução Completa em Automação. FieldLogger. Registro e Aquisição de Dados

Solução Completa em Automação. FieldLogger. Registro e Aquisição de Dados Solução Completa em Automação FieldLogger Registro e Aquisição de Dados Ethernet & USB Até 16GB de memória Conversor A/D 24 bits Até 1000 amostras por segundo Apresentação FieldLogger O FieldLogger é um

Leia mais

Guia do Usuário LC700

Guia do Usuário LC700 Guia do Usuário LC700 LC700 FOUNDATION L C 7 0 0 H W M P smar www.smar.com.br Especificações e informações estão sujeitas a modificações sem prévia consulta. Informações atualizadas dos endereços estão

Leia mais

Fontes de Alimentação

Fontes de Alimentação Fontes de Alimentação MÓDULO DA FONTE DE ALIMENTAÇÃO AC Código de Pedido: PS-AC-R (Fonte de Alimentação 90 a 260 Vac Redundante) Descrição Esta Fonte de Alimentação Redundante trabalha independente ou

Leia mais

Gateway Ethernet ModBus/RTU LME-200

Gateway Ethernet ModBus/RTU LME-200 Gateway Ethernet ModBus/RTU LME-200 Manual do usuário Gateway Ethernet Modbus/RTU MAN-DE-LME200 Rev.: 3.00-10 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso Gateway Ethernet Modbus/RTU LME-200. Para garantir

Leia mais

Fundamentos de Automação. Controladores

Fundamentos de Automação. Controladores Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Controladores

Leia mais

Gateway Ethernet ModBus/RTU LME-210

Gateway Ethernet ModBus/RTU LME-210 Gateway Ethernet ModBus/RTU LME-210 Manual do usuário Gateway Ethernet Modbus/RTU MAN-DE-LME210 Rev.: 3.00-10 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso Gateway Ethernet Modbus/RTU LME-210. Para garantir

Leia mais

FieldLogger. Apresentação

FieldLogger. Apresentação Solução Completa Ethernet & USB Até 16GB de memória Conversor A/D 24 bits Até 1000 amostras por segundo Apresentação FieldLogger O FieldLogger é um módulo de leitura e registro de variáveis analógicas,

Leia mais

RS-ETH I -INTRODUÇÃO. Figura I.1 Módulo RS-ETH. Manual do Módulo Convensor RS-ETH. Controle e Automação Industrial

RS-ETH I -INTRODUÇÃO. Figura I.1 Módulo RS-ETH. Manual do Módulo Convensor RS-ETH. Controle e Automação Industrial I -INTRODUÇÃO O módulo conversor RS-485 para Ethernet é um equipamento que permite dar conectividade em redes ethernet 10Mb/s via protocolo Modbus/TCP a equipamentos Fertron que se comuniquem via RS-485

Leia mais

S i s t e m a s d e E n e r g i a

S i s t e m a s d e E n e r g i a S i s t e m a s d e E n e r g i a c a t á l o g o d e p r o d u t o s 2 0 1 0 A Analo oferece soluções completas, software e equipamentos para: Supervisão Telemedição Comunicação de dados Supervisão A

Leia mais

Conversor Ethernet Serial CES-0200-XXX-XX. Manual V3.9

Conversor Ethernet Serial CES-0200-XXX-XX. Manual V3.9 Conversor Ethernet Serial CES-0200-XXX-XX Manual V3.9 Parabéns! Você acaba de adquirir o Conversor Ethernet Serial CES-0200 que orgulhosamente foi desenvolvido e produzido no Brasil. Este é um produto

Leia mais

ANSI - 23 26 45 49 49I 62 74 77 94

ANSI - 23 26 45 49 49I 62 74 77 94 ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/7 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MASTERTEMP foi desenvolvido para monitorar a temperatura de óleo e enrolamento, comandar a ventilação e proteger transformadores

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO Fonte de Alimentação para o Backplane 20-30 Vdc

MANUAL DO USUÁRIO Fonte de Alimentação para o Backplane 20-30 Vdc MANUAL DO USUÁRIO Fonte de Alimentação para o Backplane 20-30 Vdc D F 5 6 M P smar www.smar.com.br Especificações e informações estão sujeitas a modificações sem prévia consulta. Informações atualizadas

Leia mais

Características Técnicas da Série FBs

Características Técnicas da Série FBs Descrição do Produto A Série FBs de Controladores Programáveis é a melhor solução para automações de pequeno porte, que necessitem alta velocidade de processamento, modularidade e baixo custo. Com vários

Leia mais

Conversor Wi-Fi Serial CWS-0200-XXX-XX. Manual V2.2

Conversor Wi-Fi Serial CWS-0200-XXX-XX. Manual V2.2 Conversor Wi-Fi Serial CWS-0200-XXX-XX Manual V2.2 Parabéns! Você acaba de adquirir o Conversor Wi-Fi Serial CWS-0200, orgulhosamente desenvolvido e fabricado no Brasil. Este é um produto de alta confiabilidade

Leia mais

Aumenta a disponibilidade do sistema e a segurança dos processos industriais Permite que sinais de entradas e saídas convencionais possam ser

Aumenta a disponibilidade do sistema e a segurança dos processos industriais Permite que sinais de entradas e saídas convencionais possam ser Aumenta a disponibilidade do sistema e a segurança dos processos industriais Permite que sinais de entradas e saídas convencionais possam ser configurados e instalados em modo redundante Disponibilidade

Leia mais

AGO / 14 FOUNDATION D F I 3 0 2 M P

AGO / 14 FOUNDATION D F I 3 0 2 M P AGO / 14 FOUNDATION D F I 3 0 2 M P smar www.smar.com.br Especificações e informações estão sujeitas a modificações sem prévia consulta. Informações atualizadas dos endereços estão disponíveis em nosso

Leia mais

Características e Configuração da Série Ponto

Características e Configuração da Série Ponto Série Ponto A Série Ponto oferece a melhor solução para sistemas de controle distribuído com E/S remotas. Possui uma arquitetura flexível que permite o acesso a módulos remotos via diferentes padrões de

Leia mais

Remota de Telemetria CPU-44440-SEG. www.liteautomacao.com.br 1

Remota de Telemetria CPU-44440-SEG. www.liteautomacao.com.br 1 Remota de Telemetria CPU-44440-SEG www.liteautomacao.com.br 1 Índice Descrição...4 Conexões...5 Características Principais...6 Características Elétricas...7 Pinagem e conexões...8 Comunicações...12 Protocolos...13

Leia mais

smar ESPECIFICAÇÕES Fabricante do Sistema Acomodam todas as borneiras para conexão da fiação. Especificações Gerais dos Painéis

smar ESPECIFICAÇÕES Fabricante do Sistema Acomodam todas as borneiras para conexão da fiação. Especificações Gerais dos Painéis smar ESPECIFICAÇÕES 1 2 2.1 3 3.1 Fabricante do Sistema Modelo do Sistema Versão Estações de Trabalho Tipos de Estações de Trabalho SMAR SYSTEM302 7 7.6 7.7 7. 7..1 7..2.1 Estação de Operação, Estação

Leia mais

CONTROLADOR HÍBRIDO UNIVERSAL. smar

CONTROLADOR HÍBRIDO UNIVERSAL. smar CONTROLADOR HÍBRIDO UNIVERSAL smar GERAL O LC700 é um potente Controlador Híbrido Universal que pode ser utilizado isoladamente ou como parte integrante do System302 da Smar. A excelência de projeto da

Leia mais

Smart Energy & Power Quality Solutions. Registrador de dados ProData. O mais compacto registrador de dados

Smart Energy & Power Quality Solutions. Registrador de dados ProData. O mais compacto registrador de dados Smart Energy & Power Quality Solutions Registrador de dados ProData O mais compacto registrador de dados Inteligente e compacto: Nosso registrador de dados universal que mais gerencia os custos de energia

Leia mais

WebGate Plus PO9901. Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes. Código do Produto

WebGate Plus PO9901. Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes. Código do Produto Descrição do Produto A interface de comunicação WebGate Plus,, permite que controladores programáveis Altus e outros equipamentos com protocolo ALNET I escravo possam ser conectados a uma rede Ethernet.

Leia mais

Micro Controladores Programáveis

Micro Controladores Programáveis Micro Controladores Programáveis Transformando energia em soluções Compacto, fácil de programar e com excelente custo benefício, o ganha mais recursos de software e hardware, podendo assim atender a uma

Leia mais

CONTROLADOR DIGITAL Multi-Loop. smar

CONTROLADOR DIGITAL Multi-Loop. smar CONTROLADOR DIGITAL Multi-Loop 5 INTRODUÇÃO O CD600 é um poderoso controlador digital de processos, capaz de controlar simultaneamente até malhas de controle, com até 8 blocos PID e mais de 20 blocos de

Leia mais

smar Fieldbus Devices FR302 Relé Fieldbus

smar Fieldbus Devices FR302 Relé Fieldbus smar Fieldbus Devices Relé Fieldbus Relé Fieldbus Características Saída Discreta de Conexão direta ao FOUNDATION Fieldbus TM ; Blocos Funcionais instanciáveis para ajuste e controle discreto em campo;

Leia mais

Bem-vindo à geração Nextoo. altus evolução em automação

Bem-vindo à geração Nextoo. altus evolução em automação Bem-vindo à geração Nextoo evolução em automação Série Nexto A nova geração de controladores A Altus apresenta a nova geração de Controladores Programáveis. A Série Nexto foi desenvolvida com o conceito

Leia mais

Cabeça de Rede de Campo PROFIBUS-DP

Cabeça de Rede de Campo PROFIBUS-DP Descrição do Produto O módulo, integrante da Série Ponto, é uma cabeça escrava para redes PROFIBUS-DP do tipo modular, podendo usar todos os módulos de E/S da série. Pode ser interligada a IHMs (visores

Leia mais

Base Interface Ethernet Industrial 10/100 Mbps

Base Interface Ethernet Industrial 10/100 Mbps Descrição do Produto O módulo, integrante da Série Ponto, é uma interface Ethernet Industrial para as UCP s PO3242, PO3342 e PO3X47. A interface liga-se às redes Ethernet Industrial 10 ou 100 Mbps, estando

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIDADES REMOTAS PARA CONEXÃO COM SISTEMA SUPERVISÓRIO

TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIDADES REMOTAS PARA CONEXÃO COM SISTEMA SUPERVISÓRIO 1 OBJETIVO... 2 2 REMOTA... 2 2.1 DESCRIÇÃO GERAL... 2 2.2 ALIMENTAÇÃO... 2 2.3 RELÓGIO INTERNO... 2 2.4 ENTRADA DE PULSOS... 2 2.5 ENTRADA DIGITAL AUXILIAR... 2 2.6 REGISTRO DA CONTAGEM DE PULSOS (LOG)

Leia mais

JUL / 04 FOUNDATION S W 7 0 0 M P

JUL / 04 FOUNDATION S W 7 0 0 M P JUL / 04 FOUNDATION S W 7 0 0 M P smar www.smar.com.br Especificações e informações estão sujeitas a modificações sem prévia consulta. Informações atualizadas dos endereços estão disponíveis em nosso site.

Leia mais

Microterminal MT 740. Manual do Usuário - versão 1.2

Microterminal MT 740. Manual do Usuário - versão 1.2 w Microterminal MT 740 Manual do Usuário - versão 1.2 1 2 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO 1 2 RECONHECENDO O MT 740 2 3 INSTALAÇÃO 3 4 FUNCIONAMENTO 4 4.1 DESCRIÇÃO DAS CONFIGURAÇÕES E DOS COMANDOS 6 4.2 COMUNICAÇÃO

Leia mais

DIRETORIA DE OPERAÇÃO - DO

DIRETORIA DE OPERAÇÃO - DO ANEXO II ESPECIFICAÇÕES PARA UCD / CONCENTRADOR DE DADOS A2. Unidade Controle Digital Remota / Concentrador de Dados 2.1. Introdução Esta seção tem a finalidade de especificar tecnicamente a Unidade de

Leia mais

Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes

Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes Descrição do Produto As UCPs PO3x47 são destinadas a supervisão e controle de processos. Devido a sua arquitetura, é possível obter-se um alto desempenho em relação a série anterior de UCPs PO3x42. Com

Leia mais

Referência: PDF.102600-FQG Revisão: 1 Arquivo : PDF10260002.doc Atualizado em: 07/07/2008

Referência: PDF.102600-FQG Revisão: 1 Arquivo : PDF10260002.doc Atualizado em: 07/07/2008 Descritivo Funcional MFB600-FQG - Módulo Gerador de Pulso e Freqüência Programável Referência: PDF.102600-FQG Revisão: 1 Arquivo : PDF10260002.doc Atualizado em: 07/07/2008 Índice 1. Objetivo...2 2. Aplicação...2

Leia mais

Características Técnicas da Série FBs

Características Técnicas da Série FBs Descrição do Produto A Série FBs de Controladores Programáveis é a melhor solução para automações de pequeno porte, as quais necessitam de alta velocidade de processamento, modularidade e baixo custo.

Leia mais

Referência: PDF.102600-EAB Revisão: 1 Arquivo : PDF10260005.doc Atualizado em: 07/07/2008

Referência: PDF.102600-EAB Revisão: 1 Arquivo : PDF10260005.doc Atualizado em: 07/07/2008 Descritivo Funcional MFB600-EAB Interface para Encoder Absoluto Referência: PDF.102600-EAB Revisão: 1 Arquivo : PDF10260005.doc Atualizado em: 07/07/2008 Índice 1. Objetivo...2 2. Aplicação...2 3. Definições...2

Leia mais

Notas de Aplicação. Configuração dos Canais de Comunicação dos Controladores HI. HI Tecnologia. Documento de acesso público

Notas de Aplicação. Configuração dos Canais de Comunicação dos Controladores HI. HI Tecnologia. Documento de acesso público Notas de Aplicação Configuração dos Canais de Comunicação dos Controladores HI HI Tecnologia Documento de acesso público ENA.00022 Versão 1.01 setembro-2013 HI Tecnologia Configuração dos Canais de Comunicação

Leia mais

Módulo FGM721. Controlador P7C - HI Tecnologia

Módulo FGM721. Controlador P7C - HI Tecnologia Automação Industrial Módulo Controlador P7C - HI Tecnologia 7C O conteúdo deste documento é parte do Manual do Usuário do controlador P7C da HI tecnologia (PMU10700100). A lista de verbetes consta na versão

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE PRODUTOS. Painéis de controle Controladores eletrônicos para grupos geradores

APRESENTAÇÃO DE PRODUTOS. Painéis de controle Controladores eletrônicos para grupos geradores APRESENTAÇÃO DE PRODUTOS Painéis de controle Controladores eletrônicos para grupos geradores APLICAÇÕES AMF Automatic Mains Failure em caso de falhas de alimentação da rede (Grupo gerador individual) ATS

Leia mais

CES-0545. Conversor Ethernet-Serial. 2011 Safesoft Ltda. Ver. 1.0.0. Sistema de Gestão da Qualidade. Certificado por Bureau Veritas.

CES-0545. Conversor Ethernet-Serial. 2011 Safesoft Ltda. Ver. 1.0.0. Sistema de Gestão da Qualidade. Certificado por Bureau Veritas. .. CES-0545 Conversor Ethernet-Serial Sistema de Gestão da Qualidade Certificado por Bureau Veritas. ----------ISO 9001:2008------------ Conversor Ethernet-Serial Descrição geral O CES-0545 oferece uma

Leia mais

WebGate PO9900. Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes. Código do Produto

WebGate PO9900. Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes. Código do Produto Descrição do Produto A interface de comunicação WebGate,, permite que controladores programáveis com protocolo ALNET I possam ser conectados a uma rede Ethernet TCP/IP. O WebGate permite que estes controladores

Leia mais

Manual da Comunicação Profibus DP

Manual da Comunicação Profibus DP Manual da Comunicação Profibus DP Relé Inteligente Série: SRW 01 Versão de Software: V1.3X Idioma: Português Documento: 10000089150 / 00 04/2008 Sumário SOBRE O MANUAL...5 1 A REDE PROFIBUS DP...6 1.1

Leia mais

Monitoramento, Controle, Registro e Supervisão de Processos Industriais

Monitoramento, Controle, Registro e Supervisão de Processos Industriais L I N H A D E P R O D U T O S PA R A Monitoramento, Controle, Registro e Supervisão de Processos Industriais Índice Apresentação 03 Características Individuais Controlador de Processos C702 Aquisitor de

Leia mais

Sistema de Automação Redundante com PLC Citrino

Sistema de Automação Redundante com PLC Citrino Manual Técnico Sistema de Automação Redundante com PLC Citrino MPCU-2 V1.2 Página 1/58 Sistema de Automação Redundante com PLC Citrino Manual técnico 22/05/2013 Versão 1.3 Fertron Controle e Automação

Leia mais

Monitor de Temperatura Digital para transformadores MONITEMP PLUS

Monitor de Temperatura Digital para transformadores MONITEMP PLUS ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MoniTemp Plus foi desenvolvido para monitorar a temperatura de óleo e enrolamento, comandar a ventilação e proteger transformadores

Leia mais

Infinium Automação Industrial Ltda site: www.infiniumautomacao.com.br email: contato@infiniumautomacao.com.br

Infinium Automação Industrial Ltda site: www.infiniumautomacao.com.br email: contato@infiniumautomacao.com.br CONTROLADOR PROGRAMÁVEL Conn-FLEX MANUAL DO HARDWARE Versão 2.00 Abril de 2014 Infinium Automação Industrial Ltda site: www.infiniumautomacao.com.br email: contato@infiniumautomacao.com.br 1. APRESENTAÇÃO

Leia mais

4. Controlador Lógico Programável

4. Controlador Lógico Programável 4. Controlador Lógico Programável INTRODUÇÃO O Controlador Lógico Programável, ou simplesmente PLC (Programmiable Logic Controller), pode ser definido como um dispositivo de estado sólido - um Computador

Leia mais

SISTEMA DE TREINAMENTO EM CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL

SISTEMA DE TREINAMENTO EM CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL SISTEMA DE TREINAMENTO EM CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL MODELO: CARACTERÍSTICAS 32 Pontos de Entrada / 32 Pontos de Saída. 3 Módulos Básicos: Controlador de Entrada, Simulador de Saída, Contador & Simulador

Leia mais

O que são sistemas supervisórios?

O que são sistemas supervisórios? O que são sistemas supervisórios? Ana Paula Gonçalves da Silva, Marcelo Salvador ana-paula@elipse.com.br, marcelo@elipse.com.br RT 025.04 Criado: 10/09/2004 Atualizado: 20/12/2005 Palavras-chave: sistemas

Leia mais

UMG 104-Mais do que um simples Multímetro UMG 104

UMG 104-Mais do que um simples Multímetro UMG 104 UMG 104 UMG 104-Mais do que um ples Multímetro O UMG 104 equipado com um DSP de 500 MHz (processador de sinal digital) é um analisador de tensão muito rápido e potente. A varredura contínua dos 8 canais

Leia mais

Monitor de Nível de Óleo para Transformadores - MNO

Monitor de Nível de Óleo para Transformadores - MNO ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Nível de Óleo para Transformadores e reatores MNO, é um equipamento microprocessado de alta precisão que indica o nível de óleo em escala

Leia mais

REGISTRADOR SEM PAPEL

REGISTRADOR SEM PAPEL Registrador sem Papel REGISTRADOR SEM PAPEL Salvamento de dados no registrador por um longo período 3 anos no cartão Compact Flash (em caso de uso do cartão Compact Flash de 512 MB) Reprodução de dados

Leia mais

MB-700 M B 7 0 0 M P

MB-700 M B 7 0 0 M P MB-700 M B 7 0 0 M P smar www.smar.com.br Especificações e informações estão sujeitas a modificações sem prévia consulta. Informações atualizadas dos endereços estão disponíveis em nosso site. web: www.smar.com/brasil2/faleconosco.asp

Leia mais

Registrador FieldLogger

Registrador FieldLogger Registrador FieldLogger REGISTRADOR ELETRÔNICO - MANUAL DE INSTRUÇÕES V2.2x INTRODUÇÃO Este é um equipamento de aquisição e registro de variáveis analógicas. Opera como um Registrador Eletrônico de dados,

Leia mais

Wireless Solutions BROCHURE

Wireless Solutions BROCHURE Wireless Solutions BROCHURE JUNHO 203 info@novus.com.br www.novus.com.br REV0803 Produto beneficiado pela Legislação de Informática. Transmissor de Temperatura e Umidade RHT-Air ISO 900 EMPRESA CERTIFICADA

Leia mais

Monitor de Temperatura M96

Monitor de Temperatura M96 ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura M96 foi desenvolvido para supervisionar até 8 (oito) canais de temperatura simultaneamente, ele é utilizado para proteger

Leia mais

Discrete Automation & Motion. CLP Controlador Lógico Programável Linha AC500-eCO

Discrete Automation & Motion. CLP Controlador Lógico Programável Linha AC500-eCO Discrete Automation & Motion CLP Controlador Lógico Programável Linha AC500-eCO CPUs AC500-eCO Tipo I/Os na base ED/SD/EA/AS I/O digital I/O analógico Tensão de Entrada Saída Entrada Saída alimentação

Leia mais

Rede PROFIBUS DP com mestre Rockwell/ControLogix e remota Série Ponto

Rede PROFIBUS DP com mestre Rockwell/ControLogix e remota Série Ponto Nota de Aplicação NAP100 Rede PROFIBUS DP com mestre Rockwell/ControLogix e remota Série Ponto Sumário Descrição...1 1. Introdução...2 2. Instalação...3 3. Configuração...4 3.1 Projeto de Rede PROFIBUS...4

Leia mais

MANUAL CONVERSOR ETHERNET SERIAL

MANUAL CONVERSOR ETHERNET SERIAL MANUAL CONVERSOR ETHERNET SERIAL Versão 1.0 Dezembro 2011 Infinium Automação Industrial Ltda Telefone: (45) 3038-3239 Site: email: contato@infiniumautomacao.com.br 1. APRESENTAÇÃO O equipamento foi projetado

Leia mais

Descubra as soluções EXSTO de EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

Descubra as soluções EXSTO de EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA T e c n o l o g i a Descubra as soluções EXSTO de EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA AUTOMAÇÃO E CONTROLE Banco de Ensaios para Controlador Lógico Programável A EXSTO Tecnologia foto da empresa Instalada em Santa Rita

Leia mais

Descrição do Produto. Dados para compra

Descrição do Produto. Dados para compra Descrição do Produto A funcionalidade e versatilidade da linha de Inversores de Freqüência NXL da Altus fazem dela a solução ideal para as mais diversas aplicações. Visa atingir motores com menores potências

Leia mais

Monitor de Temperatura MONITEMP

Monitor de Temperatura MONITEMP ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MoniTemp foi desenvolvido para supervisionar até 3 (três) canais de temperatura simultaneamente, ele é utilizado para proteger

Leia mais

Tutorial 122 CP DUO Inversor WEG (RS485 Protocolo MODBUS - DUO Master)

Tutorial 122 CP DUO Inversor WEG (RS485 Protocolo MODBUS - DUO Master) Tutorial 122 CP DUO Inversor WEG (RS485 Protocolo MODBUS - DUO Master) Este documento é propriedade da ALTUS Sistemas de Informática S.A., não podendo ser reproduzido sem seu prévio consentimento. Altus

Leia mais

Base Interface Ethernet Industrial

Base Interface Ethernet Industrial Descrição do Produto O módulo, integrante da Série Ponto, é uma interface Ethernet Industrial para as UCP s PO3242 e PO3342. A interface liga-se às redes Ethernet Industrial, estando de acordo com a norma

Leia mais

Notas de Aplicação. Utilização do conversor RS232/RS485 (PMC712) com controladores HI. HI Tecnologia. Documento de acesso público

Notas de Aplicação. Utilização do conversor RS232/RS485 (PMC712) com controladores HI. HI Tecnologia. Documento de acesso público Notas de Aplicação Utilização do conversor RS232/RS485 (PMC712) com controladores HI HI Tecnologia Documento de acesso público ENA.00034 Versão 1.01 março-2015 HI Tecnologia Utilização do conversor RS232/RS485

Leia mais

Boletim Técnico. TÍTULO: APRESENTAÇÃO DO NOVO GATEWAY MODBUS (RTU e TCP/IP) HCA64MB - SUBSTITUINDO a HARCMODBUS.

Boletim Técnico. TÍTULO: APRESENTAÇÃO DO NOVO GATEWAY MODBUS (RTU e TCP/IP) HCA64MB - SUBSTITUINDO a HARCMODBUS. Maio / 2015 Página 01/05 TÍTULO: APRESENTAÇÃO DO NOVO GATEWAY MODBUS (RTU e TCP/IP) HCA64MB - SUBSTITUINDO a HARCMODBUS. SUMÁRIO: Este tem como objetivo apresentar o novo Gateway Modbus para a linha Set

Leia mais

Tecnologias de Automação na ALUNORTE. Apresentadora: Márcia Ribeiro Empresa: Alunorte/Hydro

Tecnologias de Automação na ALUNORTE. Apresentadora: Márcia Ribeiro Empresa: Alunorte/Hydro Tecnologias de Automação na ALUNORTE Apresentadora: Márcia Ribeiro Empresa: Alunorte/Hydro Sumário A Alunorte; Processo de Obtenção da Alumina; Automação na Alunorte; Sistemas Interligados; Projetos Futuros.

Leia mais

Manual da Comunicação Modbus-RTU

Manual da Comunicação Modbus-RTU Manual da Comunicação Modbus-RTU Relé Inteligente Série: SRW 01 Idioma: Português Documento: 10000013033 / 00 12/2007 Sobre o manual Sumário SOBRE O MANUAL...5 ABREVIAÇÕES E DEFINIÇÕES... 5 REPRESENTAÇÃO

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO ETHERNET BOX MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO E.P.M. Tecnologia e Equipamentos Ltda. Av. Comendador Gumercindo Barranqueiros, 285 Jardim Samambaia - Jundiaí SP CEP: 13211-410 Telefone (0xx11) 4582-5533

Leia mais

Notas de Aplicação. Utilizando o servidor de comunicação SCP Server. HI Tecnologia. Documento de acesso público

Notas de Aplicação. Utilizando o servidor de comunicação SCP Server. HI Tecnologia. Documento de acesso público Notas de Aplicação Utilizando o servidor de comunicação SCP Server HI Tecnologia Documento de acesso público ENA.00024 Versão 1.02 dezembro-2006 HI Tecnologia Utilizando o servidor de comunicação SCP Server

Leia mais

CLP Controlador Lógico Programável

CLP Controlador Lógico Programável CLP Controlador Lógico Programável O primeiro controlador Lógico Programável nasceu na General Motors Americana em 1968, em função da dificuldade de se alterar a lógica dos circuitos em painéis de relés

Leia mais

Relé Inteligente SRW 01 V1.3X

Relé Inteligente SRW 01 V1.3X Motores Energia Automação Tintas Relé Inteligente SRW 01 V1.3X Manual da Comunicação Modbus-RTU Manual da Comunicação Modbus-RTU Série: SRW 01 Versão do Firmware: V1.3X Idioma: Português Nº do Documento:

Leia mais

DATA LOGGER DL-200 Manual do usuário

DATA LOGGER DL-200 Manual do usuário DL-200 Manual do usuário MAN-PT-DE-DL200 Rev.: 01.00-11 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso DL-200. Para garantir o uso correto e eficiente, é imprescindível a leitura completa deste manual para

Leia mais

CLP - IHM. Solução Completa em Automação. Controladores Lógicos Programáveis - Interfaces Homem Máquina

CLP - IHM. Solução Completa em Automação. Controladores Lógicos Programáveis - Interfaces Homem Máquina Solução Completa em Automação CLP IHM Controladores Lógicos Programáveis Interfaces Homem Máquina Software de programação GRATUITO para toda linha + de 80 protocolos diferentes entre 30 fabricantes mundiais

Leia mais

SUBESTAÇÕES. Comando de controle e Scada local

SUBESTAÇÕES. Comando de controle e Scada local SUBESTAÇÕES Comando de controle e Scada local COMANDO DE CONTROLE E SCADA LOCAL A solução fornecida pela Sécheron para o controle local e para o monitoramento das subestações de tração é um passo importante

Leia mais

Manual do Usuário. Tag List. Tag List Generator. smar FIRST IN FIELDBUS JUL / 02. Tag-List VERSÃO 1.0 TAGLSTC3MP

Manual do Usuário. Tag List. Tag List Generator. smar FIRST IN FIELDBUS JUL / 02. Tag-List VERSÃO 1.0 TAGLSTC3MP Tag List Tag List Generator Manual do Usuário smar FIRST IN FIELDBUS JUL / 02 Tag-List VERSÃO 1.0 TAGLSTC3MP www.smar.com.br Especificações e informações estão sujeitas a modificações sem prévia consulta.

Leia mais

GDE4000. Gerenciador de Energia

GDE4000. Gerenciador de Energia Gerenciador de Energia Funções avançadas de controle de demanda e fator de potência Seleção de cargas por prioridade e por potências Flexibilidade na programação de demandas sazonais Simulação de fatura

Leia mais

MAI / 05. Versão 8 T A GL I ST MP

MAI / 05. Versão 8 T A GL I ST MP MAI / 05 Versão 8 T A GL I ST MP www.smar.com.br Especificações e informações estão sujeitas a modificações sem prévia consulta. Informações atualizadas dos endereços estão disponíveis em nosso site. web:

Leia mais

Notas de Aplicação. Introdução à MMI Geração II. HI Tecnologia. Documento de acesso público

Notas de Aplicação. Introdução à MMI Geração II. HI Tecnologia. Documento de acesso público Notas de Aplicação Introdução à MMI Geração II HI Tecnologia Documento de acesso público ENA.00047 Versão 1.01 abril-2008 HI Tecnologia Introdução à MMI Geração II Apresentação Esta nota de aplicação foi

Leia mais

CONVERSOR SERIAL PARA REDE TCP/IP DS100B

CONVERSOR SERIAL PARA REDE TCP/IP DS100B CONVERSOR SERIAL PARA REDE TCP/IP DS100B MANUAL DE INSTRUÇÕES Rev.03 Sumário: 1. CARACTERÍSTICAS 2 2. INSTALAÇÃO DO CONVERSOR 2 ALIMENTAÇÃO DS100 COM CENTRAL DE ALARME... 3 ALIMENTAÇÃO DS100 COM PAINEL

Leia mais

O que é um PLC (autómato)? Centro de Formação

O que é um PLC (autómato)? Centro de Formação O que é um PLC (autómato)? Centro de Formação 1 O que é um PLC (Autómato)? Sumário Histórico PLC Hardware Entrdas/Saídas Modo de Funcionamento do PLC Linguagens de programação Comunicação O que é necessário

Leia mais

CD-400 Somador de Sinal

CD-400 Somador de Sinal CD-400 Parabéns por ter adquirido um dos produtos da empresa Fertron, uma empresa que tem orgulho de ser brasileira, atendendo clientes em todo o território nacional e também em diversos países. Nossa

Leia mais

MEC COLETOR DE DADOS DA MEDIÇÃO DA CONCESSIONÁRIA

MEC COLETOR DE DADOS DA MEDIÇÃO DA CONCESSIONÁRIA MEC COLETOR DE DADOS DA MEDIÇÃO DA CONCESSIONÁRIA MANUAL DE SERVIÇO Este manual descreve a instalação, o uso e a configuração do Coletor de dados da medição da concessionária (MEC). 1. CARACTERÍSTICAS

Leia mais

Módulo WCM200. Controlador WSI250 - HI Tecnologia

Módulo WCM200. Controlador WSI250 - HI Tecnologia Automação Industrial Módulo Controlador WSI250 - HI Tecnologia W i re l e s s S i g n a l I n t e r fa c e O conteúdo deste documento é parte do Manual do Usuário do controlador WSI250 da HI tecnologia

Leia mais

T500 Elite - Hotbus TM Sistema de Amplo Monitoramento de Planta para Elevadores de Caçamba e Transportadores de Correia

T500 Elite - Hotbus TM Sistema de Amplo Monitoramento de Planta para Elevadores de Caçamba e Transportadores de Correia TM Sistema de Amplo Monitoramento de Planta para Elevadores de Caçamba e Transportadores de Correia APLICAÇÃO Monitor para alinhamento de correia, velocidade da correia, temperatura de rolamento contínua,

Leia mais

PRODUTOS SERIADOS. ME30 infobox

PRODUTOS SERIADOS. ME30 infobox PRODUTOS SERIADOS ME30 infobox SISTEMA DE PROCESSAMENTO DE SINAIS Adquirir, processar e visualizar de 8 a 40 alarmes ou indicadores de estado Funções de alarme configuráveis Anunciadores com possibilidade

Leia mais

REWIND e SI.MO.NE. Sistema de monitoramento para grupos geradores

REWIND e SI.MO.NE. Sistema de monitoramento para grupos geradores REWIND e SI.MO.NE. Sistema de monitoramento para grupos geradores SISTEMA SICES Rewind e SI.ces MO.nitoring NE.twork (SI.MO.NE.) Sistema de monitoramento remoto REWIND Rewind é um módulo microprocessado

Leia mais

Relé de Proteção do Motor RPM ANSI 37/49/50/77/86/94 CATÁLOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5

Relé de Proteção do Motor RPM ANSI 37/49/50/77/86/94 CATÁLOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 CATÁLOGO ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Relé de Proteção de Motores RPM foi desenvolvido para supervisionar até 2 (dois) grupos ventiladores/motores simultaneamente, é utilizado

Leia mais

Guia para atualização de Firmware dos racks RIO1608-D & RIO3224-D. (Firmware 1.50)

Guia para atualização de Firmware dos racks RIO1608-D & RIO3224-D. (Firmware 1.50) Guia para atualização de Firmware dos racks RIO1608-D & RIO3224-D (Firmware 1.50) PRECAUÇÕES 1. O usuário assume total responsabilidade pela atualização. 2. Atualize o Firmware de uma unidade por vez.

Leia mais

SCD 912. Dispositivo de comunicação e armazenamento. Apresentação. Dados Técnicos. Conexões

SCD 912. Dispositivo de comunicação e armazenamento. Apresentação. Dados Técnicos. Conexões Conv. USB-Serial Baudrate, stop bit e nro de dados programável. Baudrate de 1200 a 38400 bauds. Emula porta COM virtual. Led de indicação de operação como conversor USB-serial. Não possui linhas de controle

Leia mais

3.1.6 Entradas digitais Quantidade: 8. Tipo: NPN / PNP conforme configuração, dividida em 2 grupos de 4 entradas. Impedância de entrada: 8.8KΩ.

3.1.6 Entradas digitais Quantidade: 8. Tipo: NPN / PNP conforme configuração, dividida em 2 grupos de 4 entradas. Impedância de entrada: 8.8KΩ. 8 Tecla Cancelar. Utilizado para retorno de nível de programação. 9 Tecla Enter. Utilizado para acessar programação. Obs.: Todas as teclas podem ser utilizadas no diagrama Ladder. 3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

Leia mais

UMG 96S-Instrumento de medição universal com montagem embutida UMG 96S

UMG 96S-Instrumento de medição universal com montagem embutida UMG 96S UMG 96S UMG 96S-Instrumento de medição universal com montagem embutida Os instrumentos de medição universal com montagem embutida da família de produto UMG 96S foram principalmente concebidos para utilização

Leia mais

Easy Lab. Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14. www.dma.ind.br. DMA Electronics 1

Easy Lab. Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14. www.dma.ind.br. DMA Electronics 1 Easy Lab Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14 www.dma.ind.br DMA Electronics 1 A DMA ELECTRONICS projeta e fabrica sistemas para aquisição e registro de dados com conexão a um computador do tipo PC.

Leia mais

Interface Ethernet DNP3 Servidor

Interface Ethernet DNP3 Servidor Descrição do Produto O módulo é uma interface de comunicação Ethernet para a UTR Hadron. Permite a integração da UTR HD3002 com centros de controle através do protocolo DNP3. Operando como um servidor

Leia mais

Tutorial 160 CP FBs - Elipse Scada (RS232 Protocolo MODBUS)

Tutorial 160 CP FBs - Elipse Scada (RS232 Protocolo MODBUS) Tutorial 160 CP FBs - Elipse Scada (RS232 Protocolo MODBUS) Este documento é propriedade da ALTUS Sistemas de Informática S.A., não podendo ser reproduzido sem seu prévio consentimento. Altus Sistemas

Leia mais

1. MEDIDORES E ANALISADORES DE QUALIDADE DE ENERGIA JANITZA

1. MEDIDORES E ANALISADORES DE QUALIDADE DE ENERGIA JANITZA Conteúdo 1. MEDIDORES E ANALISADORES DE QUALIDADE DE ENERGIA JANITZA... 2 1.1. UMG 103... 2 1.2. UMG 104... 2 1.3. UMG 96L e UMG 96... 3 1.4. UMG 96S... 3 1.5. UMG 96RM... 4 1.6. UMG 503... 4 1.7. UMG

Leia mais