RS-ETH I -INTRODUÇÃO. Figura I.1 Módulo RS-ETH. Manual do Módulo Convensor RS-ETH. Controle e Automação Industrial

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RS-ETH I -INTRODUÇÃO. Figura I.1 Módulo RS-ETH. Manual do Módulo Convensor RS-ETH. Controle e Automação Industrial"

Transcrição

1 I -INTRODUÇÃO O módulo conversor RS-485 para Ethernet é um equipamento que permite dar conectividade em redes ethernet 10Mb/s via protocolo Modbus/TCP a equipamentos Fertron que se comuniquem via RS-485 em protocolos Ferbus ou Modbus-RTU, operando também com equipamentos de outros fabricantes que se comuniquem em Modbus-RTU. Como uma segunda opção, pode-se configurar o como um módulo conversor de protocolos seriais, permitindo que equipamentos que utilizam o protocolo Ferbus possam ser integrados a redes Modbus-RTU. Este tipo de configuração será explicado com mais detalhes posteriormente, ao longo deste manual. O módulo tem vários LEDs de diagnóstico e detecção de erros tanto para verificar a sinalização ethernet quanto para verificar a sinalização em serial RS-485. Cada módulo contém seu MAC address (também conhecido como endereço ethernet), permitindo acesso e configuração do equipamento. Cada pode ser acessado simultaneamente por até oito clientes Modbus/TCP. A Figura I.1 mostra o. Figura I.1 Módulo 1

2 II INSTALAÇÃO Antes da instalação do, é necessário configurar seu hardware, informando o endereço máximo na linha serial que será acessado via Modbus/TCP ou Modbus-RTU, assegurando-se que os jumpers estejam conectados de acordo com a Erro! A origem da referência não foi encontrada. II.1 PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO O pode utilizar tanto o protocolo Modbus-RTU para uma comunicação serial RS-485 quanto o protocolo Modbus/TCP para uma comunicação padrão em rede ethernet. O Modbus-RTU e o Modbus/TCP, por serem protocolos abertos, são amplamente utilizados por diversos fabricantes. Em Modbus-RTU, podem ser configurados quatro baud-rates diferentes: 9600bps, 19200bps, 57600bps e bps. Nos itens a seguir estão demonstradas as tabelas de configuração de jumpers e dip-switch para cada um dos protocolos de comunicação. II.2 CONFIGURAÇÃO DOS JUMPERS PARA CONEXÃO ETHERNET OU RS-485 A configuração dos jumpers encontrados na placa principal para conexão ethernet ou RS-485 deve respeitar a Erro! A origem da referência não foi encontrada. A identificação a-b indica que um jumper fecha as posições a ou b. Por exemplo, para conexão Modbus/TCP para Modbus- RTU, JP1 e JP8 serão fechados e também será fechada a posição B do JP11. Nesta placa ainda há jumper para ativação do watchdog externo (JP4) e jumper para ativar o resistor terminador da linha Ferbus (JP3). Jumpers Modbus/TCP para Modbus-RTU Modbus/TCP para Ferbus Modbus-RTU para Ferbus JP1 Fechado Aberto Aberto JP2 Aberto Aberto Fechado JP7 Aberto Fechado Aberto JP8 Fechado Aberto Aberto JP9 Aberto Aberto Fechado JP10 Aberto Fechado Aberto JP11 Posição B Aberto Posição A Tabela II.1 Configuração dos jumpers Os jumpers JP5 e JP6 são utilizados unicamente durante a produção do equipamento e não devem ser utilizados pelo usuário. Assim, eles sempre deverão estar desconectados. 2

3 Figura II.1 Posição dos jumpers na placa II.3 CONFIGURAÇÃO DA CHAVE DIP-SWITCH A chave dip-switch é utilizada com dois propósitos distintos: indicar o endereço máximo do equipamento na linha serial e também selecionar o baud-rate do protocolo de comunicação Modbus- RTU. As chaves 7 e 8 são utilizadas unicamente quando o estiver configurado para trabalhar em Modbus-RTU. Em outro caso, essas chaves são desconsideradas. As chaves de 1 a 5 representam o endereço máximo do equipamento que está conectado ao na linha serial Ferbus. No exemplo abaixo, há 18 equipamentos na linha serial e o RS- ETH está trabalhando em Modbus-RTU com uma taxa de comunicação de 57600bps (observar Figura II.2). A chave 6 não tem função, e está reservada para uso futuro. Figura II.2 Configuração do endereço máximo e baud-rate no dip-switch A seleção do baud-rate no dip-switch é feita de acordo com a Tabela II.2 abaixo. Dip-Switch (DIP 1) Baud-rate Tabela II.2 Configuração do baud-rate para o Modbus-RTU 3

4 II.4 - INSTALAÇÃO DO CABO ETHERNET O módulo utiliza o conector padrão RJ-45 para rede 10BASE-T. Ele apresenta ainda 4 LEDs para indicação dos status da comunicação ethernet. Esses LEDs são mostrados na Erro! A origem da referência não foi encontrada. Figura II.3 Vista frontal dos LEDs e suas funções Para verificar os estados e diagnósticos da rede é necessário observar a Tabela II.3 abaixo. LED DESCRIÇÃO FUNÇÕES DOS LEDS PWR Power LED vermelho. Aceso indica equipamento ligado FAIL Fail LED vermelho. Aceso indica falha no equipamento FB-RX Ferbus-RX LED verde. Status da recepção Ferbus FB-TX Ferbus-TX LED verde. Status da transmissão Ferbus MB-RX Modbus-RX LED verde. Status da recepção Modbus MB-TX Modbus-TX LED verde. Status da transmissão Modbus C1 Estado do canal 1 do serial LED verde sempre aceso indica que o canal 1 está ocioso. Se o LED verde piscar, indica que o canal 1 está conectado na rede e ativo. C2 Estado do canal 2 do serial LED amarelo sempre aceso indica que o canal 2 está ocioso. Se o LED amarelo piscar, indica que o canal 2 está conectado na rede e ativo. Diag. Diagnósticos Se o LED vermelho estiver piscando ou sempre aceso em combina ção com o LED verde (canal 1) indica diagnóstico e detecção de erros. Vermelho aceso e o verde piscando: 1x: Erro no checksum da EPROM 2x: Erro na RAM 3x: Erro no controlador de rede 4x: Erro no checksum da EEPROM 5x: Endereço IP duplicado na rede 6x: O Software não é compatível com o hardware Vermelho e o verde piscando 4x: Erro na conexão de rede 5x: Não foi recebida nenhuma resposta do DHCP Link Estado de conexão da rede LED verde sempre aceso indica que o porto da rede está conectado na rede Tabela II.3 Estados e diagnóstico dos LEDs ethernet 4

5 É necessário considerar os seguintes pontos antes de conectar e configurar o módulo na rede: O endereço IP do módulo deve ser configurado antes que seja estabelecida uma conexão de rede; Apenas uma pessoa por vez pode conectar-se no porto de rede para configuração. Isto elimina a possibilidade de várias pessoas tentarem simultaneamente configurar o ; A conexão com o porto de rede pode ser desabilitada. O gerenciador do sistema não será capaz de acessá-lo. Este porto também pode ser protegido por senha. Nos próximos itens serão explicados com mais detalhes como se fazer a conexão ethernet com módulo, configurando seu IP através do software telnet. II.5 - ALIMENTAÇÃO O módulo pode ser alimentado por 110VAC ou 220VAC, em 50 ou 60Hz. Para alimentação em 110VAC, deve-se realizar a conexão à borneira conforme mostrado na Figura II.4 (a). Se a alimentação for em 220VAC, deve-se usar a conexão à borneira como mostrado no item (b) da mesma figura. Figura II.4 (a) Figura II.4 Borneira para alimentação em 110V (a) ou 220V (b) Figura II.4 (b) 5

6 III - CONFIGURAÇÃO DO MÓDULO Para configurar o módulo são necessárias pelo menos duas funções de rede: Telnet e ARP. O ARP é necessário para informar a máquina local (máquina que irá acessar o ) que o endereço IP do corresponde ao seu MAC Address. O Telnet é necessário para configurar o módulo. III.1 - CONFIGURAÇÃO DO ENDEREÇO IP O endereço IP do deve ser configurado antes que haja uma conexão de rede. A atribuição do endereço IP deve ser feita via ARP. O método ARP está disponível nas plataformas UNIX e nos sistemas baseados em Windows. Num host UNIX, deve-se criar em sua tabela ARP uma entrada com o IP pretendido e o endereço de hardware do, que pode ser encontrado na etiqueta colada no produto, com o comando: arp s :20:4A:xx:xx:xx Figura III.1 ARP no UNIX Para conseguir que o comando ARP trabalhe no Windows, a tabela ARP do PC deve conter no mínimo um endereço IP definido que não seja o seu próprio. Se a tabela ARP estiver vazia, o comando retornará uma mensagem de erro. Deve-se Digitar ARP A como comando no prompt do DOS para verificar que há no mínimo um endereço de entrada na tabela ARP. Se a máquina local for a única entrada da tabela, deve-se executar um comando ping para um outro endereço IP na rede para construir uma nova entrada na tabela ARP; logicamente o endereço IP deve ser outro que não seja a máquina na qual se está trabalhando. Uma vez que haja no mínimo uma entrada adicional na tabela ARP, usa-se o seguinte comando do ARP no endereço IP do RS- ETH: arp s A-xx-xx-xx Figura III.2 ARP no Windows Deve-se em seguida abrir uma conexão ethernet no porto 1. A conexão falhará rapidamente (3 segundos), mas o temporariamente mudará seu endereço IP para aquele designado neste passo. telnet Figura III.3 Telnet no porto 1 6

7 Finalmente, deve-se abrir uma conexão telnet no porto 9999 e configurar todos os parâmetros requeridos. telnet Figura III.4 Telnet no porto 9999 IMPORTANTE: Este endereço IP é temporário e será revertido ao valor default quando o for reiniciado, a não ser que o usuário armazene as mudanças permanentemente. Isto será explicado no próximo item. III.2 - CONFIGURANDO O VIA TELNET Como já foi explicado na Figura III.4, ao digitar o endereço IP do no porto 9999 via telnet, serão acessados os parâmetros de configuração do módulo. No prompt do DOS aparecerá: Figura III.5 Telnet no prompt do DOS (1) Pode-se observar o endereço IP e o MAC address na tela do telnet. Se a tecla ENTER não for pressionada durante 3 segundos, aparecerá a mensagem conexão ao host perdida, e a sessão será encerrada. 7

8 Figura III.6 Telnet no prompt do DOS (2) Dessa maneira é necessário que seja teclado ENTER para configurar o. Ao teclá-la, a mensagem da Figura III.7 aparecerá no prompt: Figura III.7 Telnet no promprt do DOS (3) Como mostrado na Figura III.7, há 4 itens a configurar: 1. Network IP Settings (Configuração do IP na rede) IP Address (Endereço IP do módulo) Default Gateway (Gateway da rede LAN ao qual o será conectado) Netmask (Máscara de rede na LAN onde o será conectado) 8

9 1. Serial & Mode Settings (Configurações da linha serial) Protocol (Protocolo de Comunicação, no caso, Modbus-RTU slave) Serial Interface (interface serial, com os parâmetros na ordem da Tabela III.1 de acordo com o exemplo da Figura III.7) Baud-Rate 7/8 bits de dados Paridade Stop Bit Meio Físico bps 8 Even (Par) 1 RS-485 Tabela III.1 Tabela de configuração da interface serial Deve-se sempre lembrar que o baud-rate do deve estar de acordo com o baud-rate selecionado na chave DIP-SWITCH, conforme Tabela II.2. Os outros parâmetros (bits de dados, paridade, stop bit e meio físico), sempre deverão estar de acordo com a Tabela III.1. III.3 - CONFIGURANDO O PARA TRABALHAR COM MODBUS-RTU Para trabalhar com Modbus-RTU, o meio físico será RS-485 e deve-se conectar à borneira Modbus-RTU os sinais RS+ e RS-. Deve-se também configurar os jumpers de acordo com a Erro! A origem da referência não foi encontrada para trabalhar em Modbus-RTU. Uma vez que o cabo foi conectado, deve-se certificar que o baud-rate escolhido para a comunicação está de acordo com o selecionado na chave dip-switch, conforme na Tabela II.1. Após isso, deve-se selecionar também na chave dip-switch o maior endereço dos equipamentos conectados ao, de forma a otimizar seu desempenho. 9

10 IV - CONFIGURANDO EQUIPAMENTOS FERTRON VIA FERCONF O Modbus-RTU, por ser um protocolo aberto, é amplamente utilizado por diversos fabricantes. Para configurar um equipamento Fertron via Modbus-RTU, serão necessários o software configurador Ferconf, que opera em ambiente Windows e uma interface de comunicação para converter os sinais da linha RS-485 para RS-232. Se a forma de configuração escolhida for via Modbus/ TCP (ethernet), apenas o módulo será necessário. Figura IV.1 Configurar porta no Ferconf v.2.0 Figura IV.2 Configurar Max. IAdr (para Ferconf) e Endereço IP do Figura IV.3 Conectar o Ferconf 10

11 Figura IV.4 Relação de equipamentos conectados ao Figura IV.5 Configurar Communication Timeout Os seguintes passos são necessários para configurar um equipamento Fertron via Ferconf: 1. Abrir o Ferconf (versão 2.0 ou superior); 2. Clicar no ícone Configurar portas de acordo com a Figura IV.1. A caixa de diálogo Parâmetros de Comunicação será abeta; 3. Nesta caixa de diáglogo, deve-se configurar portas para TCP/IP, o endereço máximo do equipamento que se deseja configurar em Max. Iadr., e selecionar o endereço IP do de acordo com a Figura IV.2. Clicar em OK confirma as mudanças; 4. Conectar o Ferconf de acordo com a Figura IV.3; 5. Neste momento todos os equipamentos conectados aparecerão na tela (observar Figura IV.4). Se os equipamenots estiverem sumindo periodicamente da tela, será necessário aumentar o tempo em communication timeout (default = 300 ms para um único micro conectado) de acordo com a Figura IV.5; 6. Para monitorar ou configurar cada um dos cartões, basta clicar em Monitoring ou Configuration, respectivamente.o módulo consegue trabalhar com até 8 clientes simultaneamente. Obviamente, o desempenho será melhor quando houver menos clientes conectados, já que ocorre a divisão do tempo entre eles. Dessa maneira, o parâmetro Communication Timeout deve ser atualizado de acordo com o número de clientes, até que a comunicação não apresente Timeout ou Erros (observar esses parâmetros em Estatísticas da Comunicação em Ferramentas); Para a comunicação em Modbus-RTU, o Ferconf trabalhará de forma semelhante ao Modbus/ 11

12 TCP, porém muda-se a conexão de TCP/IP para a COM do computador. Para que o Ferconf se comunique via Modbus-RTU, basta fazer os seguintes passos: 1. Abrir o Ferconf (versão 2.0 ou superior); 2. Clicar no ícone Configurar portas de acordo com a Figura IV.1. A caixa de diálogo Parâmetros de Comunicação será aberta; 3. Nessa caixa de diálogo, deve-se configurar Portas para a COM do computador desejada, colocar o endereço máximo que se quer configurar em Max. Iadr. e selecionar o baud-rate correspondente ao do. Clicar em OK confirmará as mudanças; 4. Conectar o Ferconf de acordo com a Figura IV.3; 5. Neste momento todos os equipamentos conectados ao aparecerão na tela (observar Figura IV.4). Se os equipamentos estiverem sumindo periodicamente da tela, será necessário aumentar o tempo em Polling Delay (default = 25 ms para um micro conectado) e Message Timeout (default = 100 ms para um micro conectado) de acordo com a Figura IV.5; 6. Para monitorar ou configurar cada um dos cartões, basta clicar em Monitoring ou Configuration, respectivamente. 12

13 V - EXEMPLO DE APLICAÇÃO UTILIZANDO O IFIX 3.5 Neste capítulo será mostrado um exemplo de aplicação utilizando o SCETH, que é um equipamento dedicado à família PHC-400 cujos princípios de operação são os mesmos do. Neste exemplo será mostrado como configurar os parâmetros para que a comunicação se torne o mais otimizada possível sem ocorrer timeouts ou overruns. Foram utilizados 6 cartões SC4AIO (endereços 8 a 13), 4 Cartões SC8AI (endereços 14 a 17), 1 cartão SC4AIO-FV (endereço 18) e um SCCPU (endereço 7). É importante salientar que este é apenas um exemplo de aplicação para o cartão SCETH e não um manual de usuário para IFIX. Considera-se que o usuário esteja familiarizado com este supervisório. Outro ponto que deve ser considerado é a de que o usuário deva saber o mapa de memória dos cartões (em anexo) para poder fazer a aplicação. A tela do supervisório foi feita para simplesmente mostrar todos os valores analógicos disponíveis nos cartões e ler todos as entradas digitais da CPU. Pode-se ver na Figura V.1 a tela do supervisório. Figura V.1 Tela de apresentação das variáveis Como podemos ver na Figura V.1 foram lidos 4 loops de cada cartão, contendo os tipos de informações analógicas: PV, MV, SP, KP, RTM, DTM e autom./manual. Para que possamos ler todos essas informações sem que haja overruns ou timeouts na comunicação é necessário que o usuário configure alguns parâmetros que estarão disponíveis no driver ethernet. Na Figura V.2 pode-se ver o driver no momento da conexão com o SCETH. No lado esquerdo da figura pode-se ver os blocos para cada um dos cartões (11 cartões e uma CPU) e no lado direito (Channel Statistics for ETH1). Podemos ver que o número de timeouts é praticamente inexistente em relação ao número de poll rates feito pelos blocos. 13

14 Figura V.2 Estatísticas do driver Intellution Para que se consiga chegar nestas estatísticas foi necessário configurar os seguintes parâmetros do driver: 1. No bloco principal (SC4IO-X): Reply Timeout: Especifica o tempo em segundos necessário para que o driver espere por uma resposta do SCETH (Na Figura V.3, Reply Timeout = 3 para todos os blocos); Retries: Número de tentativas que o driver fará caso o tempo Reply timeout seja expirado (Na Figura V.3, Retries = 1 para todos os blocos); Delay Time: Tempo em segundos esperado pelo driver antes de fazer uma nova tentativa (Retries) de transmissão (Na Figura V.3, Delay Time = 1 para todos os blocos); Figura V.3 Configuração dos blocos no driver ethernet 14

15 1. Dentro de cada um dos blocos (SC4IO-X): Primary Rate: Este parâmetro especifica a taxa na qual serão feitos os polls records em segundos (Na Figura V.4, Primary Rate = 3 para a variável PV. Para todos os outros blocos Primary Rate foi colocado igual a 20, pois não havia a necessidade de ficar atualizando sempre as variáveis MV, SP, KP, RTM, DTM e autom./manual); Phase: Este parâmetro especifica o atraso antes do driver ler o dado. Neste exemplo, para o bloco SC4AIO-1 foi colocado Phase = 1, para o bloco SC4AIO-2 foi colocado Phase = 2, para o bloco SC4AIO-3 foi colocado Phase = 3 e assim por diante. Desta maneira sincronizamos todos os blocos com suas diferentes fases; Access Time: É o tempo, dado em segundos, que o driver espera antes de fazer o próximo poll Record de acordo com o Primary Rate. (Access Time = 1 para todos os blocos); Figura V.4 Configuração dos loops dentro dos blocos Todos esses valores poderão mudar de acordo com o número de cartões, o número de informações (PV, MV, etc) de cada cartão e o número de computadores conectados ao cartão SCETH. Obviamente, quanto maior a aplicação, menor será o tempo de atualização da tela. No exemplo acima estávamos utilizando somente um computador. Quando estiver utilizando o supervisório para comunicar com o cartão ethernet, ficar sempre atento ao parâmetro Overrun, mostrado na Figura V.2 que contém as estatísticas do driver. Este parâmetro indica que o supervisório não está otimizado para a aplicação e desta maneira, os parâmetros Reply timeout, Retry, Primary Rate, etc deverão ser reconfigurados. 15

16 VI - MAPA DE MEMÓRIA PARA PARAMETRIZAÇÃO E CONFIGURAÇÃO Os equipamentos Fertron que se comunicam via protocolo Ferbus são fornecidos acompanhados de um mapa de memória que permite o acesso às suas diversas variáveis e parâmetros. Para acessar, através do, as variáveis de um equipamento que se comunica via Ferbus, deve-se calcular o número do holding register correspondente àquele endereço de memória. Isso é necessário porque o protocolo Modbus não acessa endereços físicos de memória, mas conteúdos virtuais denominados Holding Registers. O cálculo é feito da seguinte forma: Seja END o endereço de memória que se deseja acessar no equipamento Fertron (Ferbus), em hexadecimal, e HR o número em decimal do holding register correspondente em Modbus. Então, HR = ou END - A000h 2-1, se END > A000h HR = 10000h - END - A000h - 1, se END < A000h 2 Assim, por exemplo, se o endereço desejado for 00C0h, então o holding register correspondente será Se for A100h, o holding register acessado deve ser

17 APÊNDICE A ACESSÓRIOS Os seguintes acessórios podem ser utilizados juntamente com o módulo para interface com um microcomputador do tipo IBM-PC: A.1 - INTERFACE SERIAL E ISOLADOR RS-400 A RS-400 é um acessório que opera como interface entre os meios físicos RS-232 e RS-485 e também como isolador e repetidor de linha RS-485. É um hardware totalmente opto-isolado, projetado para uso contínuo. Este acessório só será utilizado se o usuário escolher a opção Modbus- RTU ao invés de Modbus/TCP, quando então fará a conexão entre o microcomputador e o módulo. A RS-400 é mostrada na figura abaixo. Figura A.1 Interface serial e isolador/repetidor RS

Marthe Ethernet A820. Manual do Usuário

Marthe Ethernet A820. Manual do Usuário Marthe Ethernet A820 Manual do Usuário Índice 1 INTRODUÇÃO... 5 2 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS... 6 3 CARACTERÍSTICAS ELÉTRICAS... 7 3.1 ALIMENTAÇÃO 7 3.1.1 ESPECIFICAÇÃO DA FONTE DE ALIMENTAÇÃO... 7 3.2 INTERFACE

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1 MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1 SÃO CAETANO DO SUL 06/06/2014 SUMÁRIO Descrição do Produto... 3 Características... 3 Configuração USB... 4 Configuração... 5 Página

Leia mais

CD-400 Somador de Sinal

CD-400 Somador de Sinal CD-400 Parabéns por ter adquirido um dos produtos da empresa Fertron, uma empresa que tem orgulho de ser brasileira, atendendo clientes em todo o território nacional e também em diversos países. Nossa

Leia mais

Conversor IP Shellby RS-232 ( TCP-IP)

Conversor IP Shellby RS-232 ( TCP-IP) Conversor IP Shellby RS-232 ( TCP-IP) Gradual Tecnologia Ltda. Manual do Conversor RS-232 Ethernet 1 ÍNDICE CARACTERÍSTICAS DO APARELHO... 3 DESCRIÇÃO:... 3 CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS:... 3 PINAGEM... 4

Leia mais

CES-0545. Conversor Ethernet-Serial. 2011 Safesoft Ltda. Ver. 1.0.0. Sistema de Gestão da Qualidade. Certificado por Bureau Veritas.

CES-0545. Conversor Ethernet-Serial. 2011 Safesoft Ltda. Ver. 1.0.0. Sistema de Gestão da Qualidade. Certificado por Bureau Veritas. .. CES-0545 Conversor Ethernet-Serial Sistema de Gestão da Qualidade Certificado por Bureau Veritas. ----------ISO 9001:2008------------ Conversor Ethernet-Serial Descrição geral O CES-0545 oferece uma

Leia mais

Notas de Aplicação. Configurando o ezap900/901 para acesso via Ethernet. HI Tecnologia. Documento de acesso público

Notas de Aplicação. Configurando o ezap900/901 para acesso via Ethernet. HI Tecnologia. Documento de acesso público Notas de Aplicação Configurando o ezap900/901 para acesso via Ethernet HI Tecnologia Documento de acesso público ENA.00053 Versão 1.02 abril-2009 HI Tecnologia Configurando o ezap900/901 para acesso via

Leia mais

NETALARM GATEWAY. Manual do Usuário

NETALARM GATEWAY. Manual do Usuário Índice 1. Introdução...3 2. Requisitos Mínimos de Instalação...3 3. Instalação...3 4. Inicialização do Programa...5 5. Abas de Configuração...6 5.1 Aba Serial...6 5.2 Aba TCP...7 5.2.1 Opções Cliente /

Leia mais

Manual de Instruções MÓDULO CONVERSOR SERIAL ETHERNET. Modelo NETBOX MÓDULO CONVERSOR SERIAL ETHERNET MODELO NETBOX. Manual de Instruções

Manual de Instruções MÓDULO CONVERSOR SERIAL ETHERNET. Modelo NETBOX MÓDULO CONVERSOR SERIAL ETHERNET MODELO NETBOX. Manual de Instruções MÓDULO CONVERSOR SERIAL ETHERNET MODELO NETBOX MÓDULO CONVERSOR SERIAL ETHERNET Modelo NETBOX Manual de Instruções Revisão 10.06 Índice Capítulo 1 Introdução Aplicação 5 Retirando o MÓDULO da embalagem

Leia mais

Manual da Comunicação Modbus-RTU

Manual da Comunicação Modbus-RTU Manual da Comunicação Modbus-RTU Relé Inteligente Série: SRW 01 Idioma: Português Documento: 10000013033 / 00 12/2007 Sobre o manual Sumário SOBRE O MANUAL...5 ABREVIAÇÕES E DEFINIÇÕES... 5 REPRESENTAÇÃO

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO ETHERNET BOX MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO E.P.M. Tecnologia e Equipamentos Ltda. Av. Comendador Gumercindo Barranqueiros, 285 Jardim Samambaia - Jundiaí SP CEP: 13211-410 Telefone (0xx11) 4582-5533

Leia mais

1 Introdução... 4. Características... 4 Requisitos do Dispositivo... 5. 2 Conhecendo o dispositivo... 6

1 Introdução... 4. Características... 4 Requisitos do Dispositivo... 5. 2 Conhecendo o dispositivo... 6 Índice 1 Introdução... 4 Características... 4 Requisitos do Dispositivo... 5 2 Conhecendo o dispositivo... 6 Verificação dos itens recebidos... 6 Painel Frontal... 7 Painel Traseiro... 8 3 Conectando o

Leia mais

Manual do Usuário. Conversor Serial Ethernet ESC715. HI Tecnologia Indústria e Comércio Ltda.

Manual do Usuário. Conversor Serial Ethernet ESC715. HI Tecnologia Indústria e Comércio Ltda. Manual do Usuário HI Tecnologia Indústria e Comércio Ltda. PST.715001 Versão 1.0 28 de maio de 2015 Manual do Usuário Ref: PST.715001 Rev: 2 Arquivo: PST71500100.odt Liberado em: 08/04/2015 Informações

Leia mais

ME-041 MANUAL DO EQUIPAMENTO TS 5024

ME-041 MANUAL DO EQUIPAMENTO TS 5024 Manual do Equipamento _Rev01-TS-5024 ECIL INFORMÁTICA IND. E COM. LTDA Av. Tamboré, 973 - CEP: 06460-000 Alphaville Centro industrial e empresarial Barueri SP Brasil Tel.:+55(11) 4133-1440 Fax:+55(11)

Leia mais

Comunicação Ethernet/Serial via Terminal Servers

Comunicação Ethernet/Serial via Terminal Servers Nota de Aplicação Comunicação Ethernet/Serial via Terminal Servers Sumário 1. Descrição... Erro! Indicador não definido. 1.1 Público-Alvo... 2 2. Conversor Ethernet-Serial com Protocolo MODBUS na Série

Leia mais

Tutorial 160 CP FBs - Elipse Scada (RS232 Protocolo MODBUS)

Tutorial 160 CP FBs - Elipse Scada (RS232 Protocolo MODBUS) Tutorial 160 CP FBs - Elipse Scada (RS232 Protocolo MODBUS) Este documento é propriedade da ALTUS Sistemas de Informática S.A., não podendo ser reproduzido sem seu prévio consentimento. Altus Sistemas

Leia mais

Tutorial 122 CP DUO Inversor WEG (RS485 Protocolo MODBUS - DUO Master)

Tutorial 122 CP DUO Inversor WEG (RS485 Protocolo MODBUS - DUO Master) Tutorial 122 CP DUO Inversor WEG (RS485 Protocolo MODBUS - DUO Master) Este documento é propriedade da ALTUS Sistemas de Informática S.A., não podendo ser reproduzido sem seu prévio consentimento. Altus

Leia mais

Notas de Aplicação. Utilizando o servidor de comunicação SCP Server. HI Tecnologia. Documento de acesso público

Notas de Aplicação. Utilizando o servidor de comunicação SCP Server. HI Tecnologia. Documento de acesso público Notas de Aplicação Utilizando o servidor de comunicação SCP Server HI Tecnologia Documento de acesso público ENA.00024 Versão 1.02 dezembro-2006 HI Tecnologia Utilizando o servidor de comunicação SCP Server

Leia mais

CONVERSOR SERIAL PARA REDE TCP/IP DS100B

CONVERSOR SERIAL PARA REDE TCP/IP DS100B CONVERSOR SERIAL PARA REDE TCP/IP DS100B MANUAL DE INSTRUÇÕES Rev.03 Sumário: 1. CARACTERÍSTICAS 2 2. INSTALAÇÃO DO CONVERSOR 2 ALIMENTAÇÃO DS100 COM CENTRAL DE ALARME... 3 ALIMENTAÇÃO DS100 COM PAINEL

Leia mais

Conversor Ethernet Serial CES-0200-XXX-XX. Manual V3.9

Conversor Ethernet Serial CES-0200-XXX-XX. Manual V3.9 Conversor Ethernet Serial CES-0200-XXX-XX Manual V3.9 Parabéns! Você acaba de adquirir o Conversor Ethernet Serial CES-0200 que orgulhosamente foi desenvolvido e produzido no Brasil. Este é um produto

Leia mais

SCD 912. Dispositivo de comunicação e armazenamento. Apresentação. Dados Técnicos. Conexões

SCD 912. Dispositivo de comunicação e armazenamento. Apresentação. Dados Técnicos. Conexões Conv. USB-Serial Baudrate, stop bit e nro de dados programável. Baudrate de 1200 a 38400 bauds. Emula porta COM virtual. Led de indicação de operação como conversor USB-serial. Não possui linhas de controle

Leia mais

ME-033 MANUAL DO EQUIPAMENTO TERMINAL SERVER TS 5014

ME-033 MANUAL DO EQUIPAMENTO TERMINAL SERVER TS 5014 TERMINAL SERVER TS 54 Manual do Equipamento _Rev-TS-54 TS-54 ECIL INFORMÁTICA IND. E COM. LTDA Av. Tamboré, 973 - CEP: 06460-000 Alphaville Centro industrial e empresarial Barueri SP Brasil Tel.:+(11)

Leia mais

Interface Ethernet SIEMENS 828D T60542A

Interface Ethernet SIEMENS 828D T60542A Interface Ethernet SIEMENS 828D T60542A ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. INSTALAÇÃO... 3 2.1 CNC...3 2.1.1. Configuração...3 2.2 PC...6 2.2.1 Configurar a rede Microsoft...6 2.2.2. Inibir o Firewall da rede

Leia mais

Manual B.P.S ATA 5xxx Índice

Manual B.P.S ATA 5xxx Índice Manual B.P.S ATA 5xxx Índice 1. Conectando o Adaptador para Telefone Analógico (ATA)...02 2. Configurações básicas...05 2.1 Configuração dos parâmetros de usuário e senha para acessos de banda larga do

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO SOFTWARE DE CONFIGURAÇÃO S501 CONNECT Versão 1.0.1 / Revisão 1 MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO CONTEMP IND. COM. E SERVIÇOS LTDA. Al. Araguaia, 204 - CEP 09560-580 S. Caetano do Sul - SP - Brasil Fone:

Leia mais

Relé Inteligente SRW 01 V1.3X

Relé Inteligente SRW 01 V1.3X Motores Energia Automação Tintas Relé Inteligente SRW 01 V1.3X Manual da Comunicação Modbus-RTU Manual da Comunicação Modbus-RTU Série: SRW 01 Versão do Firmware: V1.3X Idioma: Português Nº do Documento:

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Gerenciamento. Controlador de Fator de Potência. Self Control

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Gerenciamento. Controlador de Fator de Potência. Self Control MANUAL DO USUÁRIO Software de Gerenciamento Controlador de Fator de Potência Self Control ÍNDICE 1.0 INTRODUÇÃO 4 1.1 Aplicações 4 2.0 CARACTERÍSTICAS 4 2.1 Compatibilidade 4 3.0 INSTALAÇÃO 4 4.0 INICIALIZAÇÃO

Leia mais

INDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CONFIGURAÇÃO MÍNIMA... 4 3. INSTALAÇÃO... 4 4. INTERLIGAÇÃO DO SISTEMA... 5 5. ALGUNS RECURSOS... 6 6. SERVIDOR BAM...

INDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CONFIGURAÇÃO MÍNIMA... 4 3. INSTALAÇÃO... 4 4. INTERLIGAÇÃO DO SISTEMA... 5 5. ALGUNS RECURSOS... 6 6. SERVIDOR BAM... 1 de 30 INDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CONFIGURAÇÃO MÍNIMA... 4 3. INSTALAÇÃO... 4 3.1. ONDE SE DEVE INSTALAR O SERVIDOR BAM?... 4 3.2. ONDE SE DEVE INSTALAR O PROGRAMADOR REMOTO BAM?... 4 3.3. COMO FAZER

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA INSTALAR REDE ETHERNET EM CNC s FAGOR.

PROCEDIMENTO PARA INSTALAR REDE ETHERNET EM CNC s FAGOR. PROCEDIMENTO PARA INSTALAR REDE ETHERNET EM CNC s FAGOR. INDICE 1 Verificar a compatibilidade dos sistemas de hardware e software 1.1 Opcionais de Hardware 1.2 Opcionais de Software 2 Parametrização do

Leia mais

ATA. manual do usuário. Version 1.0 ATA 010001

ATA. manual do usuário. Version 1.0 ATA 010001 Version 1.0 ATA 010001 CONTEÚDO DO KIT FLIP ATA - Adaptador de Analógico (Terminal FLIP) Fonte de energia elétrica AC/DC Cabo de Cabo de Rede Manual do Usuário ESPECIFICAÇÃO LED RING LNK/ACT STATUS PWR

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Ethernet CFW500. Manual do Usuário

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Ethernet CFW500. Manual do Usuário Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Ethernet CFW500 Manual do Usuário Manual do Usuário - Ethernet Série: CFW500 Idioma: Português Nº do Documento: 10003256298 / 00 Build 323 Data

Leia mais

Nota Técnica. Parâmetro Função Opções Configurar para P0.01 Fonte de comando para funcionamento

Nota Técnica. Parâmetro Função Opções Configurar para P0.01 Fonte de comando para funcionamento Nota Técnica Assunto: Objetivo: Comunicação RS485 ModBus entre Vision e Inversor CHE. Descrever a funcionalidade e as configurações dos comandos e ferramentas utilizadas na aplicação da comunicação ModBus.

Leia mais

Comunicação via interface SNMP

Comunicação via interface SNMP Comunicação via interface SNMP 1 - FUNCIONAMENTO: Os No-breaks PROTEC possuem 3 interfaces de comunicação: Interface RS232, interface USB e interface SNMP. Todas elas permitem o controle e o monitoramento

Leia mais

Software Ativo. Operação

Software Ativo. Operação Software Ativo Operação Página deixada intencionalmente em branco PROTEO MANUAL OPERAÇÃO SUMÁRIO 1 - INSTALAÇÃO DO SOFTWARE ATIVO... 5 2 CRIANDO PROJETO UVS/ TMS PROTEO... 10 2.1 - Estrutura do Projeto...

Leia mais

Manual do utilizador Ethernet

Manual do utilizador Ethernet Manual do utilizador Ethernet Índice 1. Nome da placa de interface e impressora disponível... 2 2. Especificação... 3 3. Forma de instalação... 4 4. Configuração da placa de interface IP fixo... 5 5. Configuração

Leia mais

Informações sobre a tecnologia ADSL. Seleção de protocolo e de driver. Índice. visão geral. instalação do modem ECI USB ADSL

Informações sobre a tecnologia ADSL. Seleção de protocolo e de driver. Índice. visão geral. instalação do modem ECI USB ADSL um cap tulo capítulo visão geral 3 5 6 14 Índice visão geral informações sobre a tecnologia ADSL seleção de protocolo e de driver recursos instalação do modem ECI USB ADSL instalação do drive ADSL USB

Leia mais

Aula Pratica 3 Configurações de Rede Ethernet com Protocolo TCP/IP

Aula Pratica 3 Configurações de Rede Ethernet com Protocolo TCP/IP 1 Aula Pratica 3 Configurações de Rede Ethernet com Protocolo TCP/IP Objetivo: Esta aula tem como objetivo apresentar aos alunos como configurar equipamentos em redes Ethernet com os protocolos TCP/IP.

Leia mais

CONFORTO COM SEGURANÇA CONFORTO COM SEGURANÇA. 0 P27070 - Rev

CONFORTO COM SEGURANÇA CONFORTO COM SEGURANÇA. 0 P27070 - Rev P27070 - Rev. 0 1. RESTRIÇÕES DE FUNCIONAMENTO RECEPTOR IP ÍNDICE 1. Restrições de Funcionamento... 03 2. Receptor IP... 03 3. Inicialização do Software... 03 4. Aba Eventos... 04 4.1. Botão Contas...

Leia mais

Guia de Instalação Rápida TL2-G244 1.01

Guia de Instalação Rápida TL2-G244 1.01 Guia de Instalação Rápida TL2-G244 1.01 Índice Português 1. Antes de Iniciar 1 2. Instalação de Hardware e Configuração 2 3. LEDs 3 4. Configure o Switch 5 Troubleshooting 9 Version 11.05.2010 1. Antes

Leia mais

Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes. Código do Produto

Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes. Código do Produto Descrição do Produto O módulo conecta estações de gerenciamento de ativos a redes PROFIBUS através do protocolo PROFIBUS- DPV1. Este módulo complementa a solução Altus para o gerenciamento de ativos, permitindo

Leia mais

Cabeça de Rede de Campo PROFIBUS-DP

Cabeça de Rede de Campo PROFIBUS-DP Descrição do Produto O módulo, integrante da Série Ponto, é uma cabeça escrava para redes PROFIBUS-DP do tipo modular, podendo usar todos os módulos de E/S da série. Pode ser interligada a IHMs (visores

Leia mais

Dualtech CPU 485 TCP-IP. Gradual Tecnologia Ltda. Manual DualTech Gradual Novembro 2013 1

Dualtech CPU 485 TCP-IP. Gradual Tecnologia Ltda. Manual DualTech Gradual Novembro 2013 1 Dualtech CPU 485 TCP-IP Gradual Tecnologia Ltda. Manual DualTech Gradual Novembro 2013 1 Índice Geral... 3 Características do Aparelho... 3 Conectores... 5 Instalação... 6 Mensagens... 7 Configuração...

Leia mais

Dualtech CPU 232 TCP/IP. Gradual Tecnologia Ltda. Manual DualTech Gradual Novembro 2013 1

Dualtech CPU 232 TCP/IP. Gradual Tecnologia Ltda. Manual DualTech Gradual Novembro 2013 1 Dualtech CPU 232 TCP/IP Gradual Tecnologia Ltda. Manual DualTech Gradual Novembro 2013 1 Índice Geral...3 Características do Aparelho...3 Instalação...5 Configuração...5 IP Local...6 Porta Local...6 IP

Leia mais

SM213, SM214 Módulo ethernet JBUS/MODBUS para SM103E Módulo ethernet + RS485 para SM103E. Instruções de instalação

SM213, SM214 Módulo ethernet JBUS/MODBUS para SM103E Módulo ethernet + RS485 para SM103E. Instruções de instalação SM213, SM214 Módulo ethernet JBUS/MODBUS para SM103E Módulo ethernet + RS485 para SM103E Instruções de instalação Indice Operacoes preliminares... 1 Informações gerais... 1 Instalação... 3 Diagnóstico

Leia mais

Multimedidores Inteligentes IDM96 Modo de uso do software IBIS_BE_cnf. ABB Automação. Hartmann & Braun

Multimedidores Inteligentes IDM96 Modo de uso do software IBIS_BE_cnf. ABB Automação. Hartmann & Braun Multimedidores Inteligentes IDM96 Modo de uso do software IBIS_BE_cnf ABB Automação Hartmann & Braun Índice 1. IBIS_BE_CNF - DEFINIÇÃO... 3 2. INSTALAÇÃO... 3 2.1. PRÉ-REQUISITOS PARA INSTALAÇÃO... 3 3.

Leia mais

Quadro de consulta (solicitação do mestre)

Quadro de consulta (solicitação do mestre) Introdução ao protocolo MODBUS padrão RTU O Protocolo MODBUS foi criado no final dos anos 70 para comunicação entre controladores da MODICON. Por ser um dos primeiros protocolos com especificação aberta

Leia mais

Multimedidores Inteligentes MGE G3 Modo de uso do software IBIS_BE_cnf. ABB Automação. Hartmann & Braun

Multimedidores Inteligentes MGE G3 Modo de uso do software IBIS_BE_cnf. ABB Automação. Hartmann & Braun Multimedidores Inteligentes MGE G3 Modo de uso do software IBIS_BE_cnf ABB Automação Hartmann & Braun Índice 1. IBIS_BE_CNF - DEFINIÇÃO... 3 2. INSTALAÇÃO... 3 2.1. PRÉ-REQUISITOS PARA INSTALAÇÃO... 3

Leia mais

Microterminal MT 740. Manual do Usuário - versão 1.2

Microterminal MT 740. Manual do Usuário - versão 1.2 w Microterminal MT 740 Manual do Usuário - versão 1.2 1 2 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO 1 2 RECONHECENDO O MT 740 2 3 INSTALAÇÃO 3 4 FUNCIONAMENTO 4 4.1 DESCRIÇÃO DAS CONFIGURAÇÕES E DOS COMANDOS 6 4.2 COMUNICAÇÃO

Leia mais

Procedimento de configuração para usuários VONO

Procedimento de configuração para usuários VONO Adaptador de telefone analógico ZOOM Procedimento de configuração para usuários VONO Modelos 580x pré configurados para VONO 1 - Introdução Conteúdo da Embalagem (ATENÇÃO: UTILIZE APENAS ACESSÓRIOS ORIGINAIS):

Leia mais

Gateway Ethernet ModBus/RTU LME-200

Gateway Ethernet ModBus/RTU LME-200 Gateway Ethernet ModBus/RTU LME-200 Manual do usuário Gateway Ethernet Modbus/RTU MAN-DE-LME200 Rev.: 3.00-10 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso Gateway Ethernet Modbus/RTU LME-200. Para garantir

Leia mais

CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO 2. SOFTWARE DE CONFIGURAÇÃO 3. COMUNICAÇÃO

CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO 2. SOFTWARE DE CONFIGURAÇÃO 3. COMUNICAÇÃO CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO O controlador CDE4000 é um equipamento para controle de demanda e fator de potência. Este controle é feito em sincronismo com a medição da concessionária, através dos dados

Leia mais

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação.

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação. Protocolo TCP/IP PROTOCOLO é um padrão que especifica o formato de dados e as regras a serem seguidas para uma comunicação a língua comum a ser utilizada na comunicação. TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO,

Leia mais

6.3.2.7 Lab - Configurando uma placa de rede para usar DHCP no Windows 7

6.3.2.7 Lab - Configurando uma placa de rede para usar DHCP no Windows 7 5.0 6.3.2.7 Lab - Configurando uma placa de rede para usar DHCP no Windows 7 Introdução Imprima e preencha este laboratório. Neste laboratório, você irá configurar uma placa de rede Ethernet para usar

Leia mais

Autenticação modo Roteador. Após finalizar a configuração, seu computador obterá o IP e a página de configuração do ATA poderá ser acessada.

Autenticação modo Roteador. Após finalizar a configuração, seu computador obterá o IP e a página de configuração do ATA poderá ser acessada. 2. Conecte a porta WAN do GKM 2210 T ao seu acesso à internet (porta ethernet do modem). O LED WAN acenderá; 3. Conecte a porta LAN à placa de rede do PC. O LED LAN acenderá; 4. Conecte o(s) telefone(s)

Leia mais

Notas de Aplicação. Utilização do conversor RS232/RS485 (PMC712) com controladores HI. HI Tecnologia. Documento de acesso público

Notas de Aplicação. Utilização do conversor RS232/RS485 (PMC712) com controladores HI. HI Tecnologia. Documento de acesso público Notas de Aplicação Utilização do conversor RS232/RS485 (PMC712) com controladores HI HI Tecnologia Documento de acesso público ENA.00034 Versão 1.01 março-2015 HI Tecnologia Utilização do conversor RS232/RS485

Leia mais

DMG20 AGENTE SNMP MANUAL DO PRODUTO

DMG20 AGENTE SNMP MANUAL DO PRODUTO DMG20 DMG20 AGENTE SNMP MANUAL DO PRODUTO 204.0011.06 rev. 06 Data: 14/10/2005 GARANTIA Este produto é garantido contra defeitos de material e fabricação pelo período especificado na nota fiscal de venda.

Leia mais

Gateway Ethernet ModBus/RTU LME-210

Gateway Ethernet ModBus/RTU LME-210 Gateway Ethernet ModBus/RTU LME-210 Manual do usuário Gateway Ethernet Modbus/RTU MAN-DE-LME210 Rev.: 3.00-10 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso Gateway Ethernet Modbus/RTU LME-210. Para garantir

Leia mais

CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes. Capítulo1 - Introdução à Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - Agosto de 2007 - Página

CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes. Capítulo1 - Introdução à Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - Agosto de 2007 - Página CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Capítulo1 - Introdução à Redes 1 Requisitos para Conexão à Internet Para disponibilizar o acesso de um computador à rede, devem ser levados em consideração 03 parâmetros:

Leia mais

ABB Automação. 13.82kV 119.4kA. 13.81kV 121.3kA. 13.85kV 120.2kA IDR 144 INDICADOR DIGITAL REMOTO MODO DE USO

ABB Automação. 13.82kV 119.4kA. 13.81kV 121.3kA. 13.85kV 120.2kA IDR 144 INDICADOR DIGITAL REMOTO MODO DE USO IDR 144 INDICADOR DIGITAL REMOTO MODO DE USO 13.82kV 119.4kA 13.81kV 121.3kA 13.85kV 120.2kA Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Protocolo de comunicação Modbus RTU Dimensional ABB

Leia mais

Desenvolvimento de Drivers de Comunicação

Desenvolvimento de Drivers de Comunicação Nota de Aplicação NAP033 Desenvolvimento de Drivers de Comunicação Sumário 1. Introdução... 2 1.1 Tipos de Operandos dos CPs...2 1.2 Conceitos Básicos...2 1.2.1 Transação...2 1.2.2 Serviços Pendentes...3

Leia mais

TSXETG3021 comunicação GPRS via browser.

TSXETG3021 comunicação GPRS via browser. TSXETG3021 comunicação GPRS via browser. ETG3021 comunicando com um PLC Quantum Unity ref. 140CPU31110 e um PLC Momentum ref. 171CCC96020 com um módulo opcional de comunicação 172JNN21032. E a mesma sendo

Leia mais

Registrador FieldLogger

Registrador FieldLogger Registrador FieldLogger REGISTRADOR ELETRÔNICO - MANUAL DE INSTRUÇÕES V2.2x INTRODUÇÃO Este é um equipamento de aquisição e registro de variáveis analógicas. Opera como um Registrador Eletrônico de dados,

Leia mais

Dualtech CPU 802.11. Gradual Tecnologia Ltda. Manual DualTech Gradual Novembro 2013 1

Dualtech CPU 802.11. Gradual Tecnologia Ltda. Manual DualTech Gradual Novembro 2013 1 Dualtech CPU 802.11 Gradual Tecnologia Ltda. Manual DualTech Gradual Novembro 2013 1 Índice Geral... 3 Características do Aparelho... 3 Instalação... 5 Configuração... 5 Parâmetros de configuração:...

Leia mais

Nota de Aplicação IHM 002

Nota de Aplicação IHM 002 N.A 002 Comunicação IHM M e PLC PM serial RS485 Protocolo MODBUS RTU Objetivo: Este documento descreve os procedimentos a serem realizados para fazer a comunicação MODBUS entre PLC e IHM Ativa. Este driver

Leia mais

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Introdução: Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Prezados leitores, esta é a primeira parte, desta segunda etapa dos tutoriais de TCP/IP. As partes de 01 a 20, constituem o módulo

Leia mais

NVS (Servidor de vídeo em rede) e Câmeras IPS

NVS (Servidor de vídeo em rede) e Câmeras IPS NVS (Servidor de vídeo em rede) e Câmeras IPS Guia rápido de usuário (Versão 3.0.4) Nota: Esse manual pode descrever os detalhes técnicos incorretamente e pode ter erros de impressão. Se você tiver algum

Leia mais

Relé Inteligente SRW 01 V4.0X

Relé Inteligente SRW 01 V4.0X Motores I Automação I Energia I Transmissão & Distribuição I Tintas Relé Inteligente SRW 01 V4.0X Manual da Comunicação Modbus-RTU Manual da Comunicação Modbus-RTU Série: SRW 01 Versão do Firmware: V4.0X

Leia mais

Guia de Instalação de Software

Guia de Instalação de Software Guia de Instalação de Software Este manual explica como instalar o software por meio de uma conexão USB ou de rede. A conexão de rede não está disponível para os modelos SP 200/200S/203S/203SF/204SF. Fluxograma

Leia mais

Manual do Usuário -TED1000 versão TC100 Ethernet

Manual do Usuário -TED1000 versão TC100 Ethernet Manual do Usuário -TED1000 versão TC100 Ethernet Indice: Apresentação...2 Ligando o terminal...3 Configurações iniciais...3 Configuração de IP...3 Teclas especiais...4 Cabo de rede...4 Leitor externo...4

Leia mais

TopPendrive Manual de Instruções TopPendrive - MP07301-01 Rev 06-03/05/2010 PG - 1 -

TopPendrive Manual de Instruções TopPendrive - MP07301-01 Rev 06-03/05/2010 PG - 1 - TopPendrive Manual de Instruções TopPendrive - MP07301-01 Rev 06-03/05/2010 PG - 1 - Índice Manual de Instruções TopPendrive - MP07301-01 Rev 06-03/05/2010 PG - 2 - ÍNDICE 1 APRESENTAÇÃO... 3 1.1 ACESSÓRIOS

Leia mais

Stratus. Stratus. Floorplan Monitor

Stratus. Stratus. Floorplan Monitor Allied Allied Professional Professional Access Access Point Point Stratus Stratus Floorplan Monitor Manual de operação Release 0506.2014 Índice Alterar / Importar Plano de fundo... 13 Apresentação do Allied

Leia mais

Comm5 Tecnologia Manual de utilização da família MI. Manual de Utilização. Família MI

Comm5 Tecnologia Manual de utilização da família MI. Manual de Utilização. Família MI Manual de Utilização Família MI ÍNDICE 1.0 COMO LIGAR O MÓDULO... pág 03 e 04 2.0 OBJETIVO... pág 05 3.0 COMO CONFIGURAR O MÓDULO MI... pág 06, 07, 08 e 09 4.0 COMO TESTAR A REDE... pág 10 5.0 COMO CONFIGURAR

Leia mais

CAPÍTULO 6 COMUNICAÇÃO SERIAL

CAPÍTULO 6 COMUNICAÇÃO SERIAL CAPÍTULO 6 COMUNICAÇÃO SERIAL DEIXADO INTENCIONALMENTE EM BRANCO ÌNDICE 1 COMUNICAÇÃO SERIAL... 5 1.1 - Enviar um arquivo do Proteo... 6 1.2 - Receber um arquivo No Proteo... 9 1.3 - Verificando resultados

Leia mais

Manual de Instalação de Telecentros Comunitários. Ministério das Comunicações

Manual de Instalação de Telecentros Comunitários. Ministério das Comunicações Manual de Instalação de Telecentros Comunitários Ministério das Comunicações As informações contidas no presente documento foram elaboradas pela International Syst. Qualquer dúvida a respeito de seu uso

Leia mais

BIT. Boletim de Informação Técnica

BIT. Boletim de Informação Técnica Produto W-R2000g v1.1 Nº. 003/2010 Referência Configuração do roteador Responsável Leandro Martins Data 23.Abril.2010 Este documento descreve os passos básicos para a configuração do roteador C3Tech W-R2000g

Leia mais

DESEMBALANDO A IPCAM SECURE300R

DESEMBALANDO A IPCAM SECURE300R Símbolo para Coleta Separada nos Países Europeus Este símbolo indica que este produto deve ser coletado separadamente. O que segue se aplica somente a usuários em países da Europa: Este produto está designado

Leia mais

PREZADO CLIENTE RESPONSABILIDADE SOCIAL

PREZADO CLIENTE RESPONSABILIDADE SOCIAL PREZADO CLIENTE Parabéns por ter adquirido um dos produtos da empresa Fertron, uma empresa que tem orgulho de ser brasileira, atendendo clientes em todo o território nacional e também em diversos países.

Leia mais

Notas de Aplicação. Comunicação Remota via Modbus de Controladores HI G-II com Inversor WEG CFW-08. HI Tecnologia. Documento de acesso público

Notas de Aplicação. Comunicação Remota via Modbus de Controladores HI G-II com Inversor WEG CFW-08. HI Tecnologia. Documento de acesso público Notas de Aplicação Comunicação Remota via Modbus de Controladores HI G-II com Inversor WEG CFW-08 HI Tecnologia Documento de acesso público ENA.00046 Versão 1.01 Junho-2009 HI Tecnologia Comunicação Remota

Leia mais

Índice. 1. Conexão do Hardware...03. 2. Configuração do computador...05. 2.1. Sistema Operacional Windows 2000 ou Windows XP...05

Índice. 1. Conexão do Hardware...03. 2. Configuração do computador...05. 2.1. Sistema Operacional Windows 2000 ou Windows XP...05 Índice 1. Conexão do Hardware...03 2. Configuração do computador...05 2.1. Sistema Operacional Windows 2000 ou Windows XP...05 2.2. Sistema Operacional Windows Vista ou Windows 7...07 3. Assistente de

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

Guia DIE-100 para Cable Modem e sistema operacional Windows 2000

Guia DIE-100 para Cable Modem e sistema operacional Windows 2000 Guia DIE-100 para Cable Modem e sistema operacional Windows 2000 O Express First Net Internet Kit da D-Link permitirá que você conecte seu escritório com o mundo, compartilhe o acesso à Internet com grande

Leia mais

Manual do Usuário Modem ADSL Router NM200

Manual do Usuário Modem ADSL Router NM200 Manual do Usuário Modem ADSL Router NM200 Índice I - Introdução Características Requisitos do Sistema II - Entendendo o funcionamento do NM200 Desempacotando Painel Frontal Painel Traseiro III -Início

Leia mais

Manual Operacional SAT TS-1000

Manual Operacional SAT TS-1000 Manual Operacional SAT TS-1000 APRESENTAÇÃO O TS-1000 é o equipamento SAT da Tanca destinado a emissão de Cupons Fiscais Eletrônicos. Equipado com o que há de mais moderno em Tecnologia de Processamento

Leia mais

Wireless Solutions BROCHURE

Wireless Solutions BROCHURE Wireless Solutions BROCHURE JUNHO 203 info@novus.com.br www.novus.com.br REV0803 Produto beneficiado pela Legislação de Informática. Transmissor de Temperatura e Umidade RHT-Air ISO 900 EMPRESA CERTIFICADA

Leia mais

Notas de Aplicação. Configuração dos Canais de Comunicação dos Controladores HI. HI Tecnologia. Documento de acesso público

Notas de Aplicação. Configuração dos Canais de Comunicação dos Controladores HI. HI Tecnologia. Documento de acesso público Notas de Aplicação Configuração dos Canais de Comunicação dos Controladores HI HI Tecnologia Documento de acesso público ENA.00022 Versão 1.01 setembro-2013 HI Tecnologia Configuração dos Canais de Comunicação

Leia mais

W-R2000nl Guia de instalação

W-R2000nl Guia de instalação W-R2000nl Guia de instalação Sumário Introdução...3 Instalação...5 Configurando seu computador...6 Acessando a tela de configurações...7 Configuração de Roteamento...8 Trocando senha de sua rede sem fio...13

Leia mais

Guia para atualização de Firmware dos racks RIO1608-D & RIO3224-D. (Firmware 1.50)

Guia para atualização de Firmware dos racks RIO1608-D & RIO3224-D. (Firmware 1.50) Guia para atualização de Firmware dos racks RIO1608-D & RIO3224-D (Firmware 1.50) PRECAUÇÕES 1. O usuário assume total responsabilidade pela atualização. 2. Atualize o Firmware de uma unidade por vez.

Leia mais

Este manual contém instruções para instalação do servidor de Porta Paralela - LPT FX LPT PRT SERV (F7518e)

Este manual contém instruções para instalação do servidor de Porta Paralela - LPT FX LPT PRT SERV (F7518e) Este manual contém instruções para instalação do servidor de Porta Paralela - LPT FX LPT PRT SERV (F7518e) Manual do Usuário Ver. 1.00 Todos os nomes e marcas registradas pertencem a seus respectivos proprietários

Leia mais

DSI-500 I - INTRODUÇÃO

DSI-500 I - INTRODUÇÃO I - INTRODUÇÃO O indicador universal é um instrumento destinado à leitura e exibição de variáveis de processos, com um design moderno e elegante. O display do equipamento, com cinco dígitos numéricos em

Leia mais

WR-3454G 54M WIRELESS ROUTER WR-3454G MANUAL DE INSTALAÇÃO

WR-3454G 54M WIRELESS ROUTER WR-3454G MANUAL DE INSTALAÇÃO WR-3454G MANUAL DE INSTALAÇÃO 1 - Conteúdo do Kit Os seguintes conteúdos encontram-se na caixa: Um roteador WR-3454G Uma Antena Uma fonte de Alimentação de 9V 0,8A Observação: Se algum dos itens acima

Leia mais

Manual de utilização do módulo NSE METH-8RL/Exp

Manual de utilização do módulo NSE METH-8RL/Exp INSTALAÇÃO 1 - Baixe o arquivo Software Configurador Ethernet disponível para download em www.nse.com.br/downloads-manuais e descompacte-o em qualquer pasta de sua preferência. 2 - Conecte a fonte 12Vcc/1A

Leia mais

PÉGASUS (ETHERNET POCKET) STUDIO V1.00 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

PÉGASUS (ETHERNET POCKET) STUDIO V1.00 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO PÉGASUS (ETHERNET POCKET) STUDIO V1.00 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO Rua Coronel Botelho, 64 - Alto da Lapa - CEP: 05088-020 São Paulo - SP - Brasil +55 (11) 3832-6102 PÉGASUS (ETHERNET POCKET) STUDIO

Leia mais

O cursor se torna vermelho e uma Paleta de Edição contendo as instruções mais utilizadas é apresentada.

O cursor se torna vermelho e uma Paleta de Edição contendo as instruções mais utilizadas é apresentada. Editor de Ladder para VS7 Versão Teste O editor de ladder é um software de programação que permite que o VS7 e o µsmart sejam programados em linguagem de contatos. Esse editor está contido na pasta Público

Leia mais

Configuração para PPPoE ( Autenticação no Modem Modo Router )

Configuração para PPPoE ( Autenticação no Modem Modo Router ) Caso haja algum problema para se fazer a configuração do Modem via software, utilizando-se o CD de Auto-Instalação, existe a possibilidade de se fazê-la manualmente, acessando a página de configuração

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO PÉGASUS (ETHERNET) STUDIO V2.02 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO Rua Coronel Botelho, 64 - Alto da Lapa - CEP: 05088-020 São Paulo - SP - Brasil +55 (11) 3832-6102 PÉGASUS (ETHERNET) STUDIO V2.02 - MANUAL

Leia mais

manual do usuário ATA Version 2.3 ATA 024001

manual do usuário ATA Version 2.3 ATA 024001 Version 2.3 024001 INDEX KIT FLIP ESPECIFICAÇÃO DO TERMINAL COMO INSTALAR O TERMINAL ANEXO I 5 5 6 9 3 KIT FLIP (Adaptador de Analógico) Fonte de energia elétrica AC/DC Cabo de Cabo de Rede Manual do

Leia mais

GUIA RÁPIDO de INSTALAÇÃO e CONFIGURAÇÃO

GUIA RÁPIDO de INSTALAÇÃO e CONFIGURAÇÃO GUIA RÁPIDO de INSTALAÇÃO e CONFIGURAÇÃO ROTEADORES WIRELESS 802.11G Modelos s: TL-WR541G/ TL- -WR542G/ TL- -WR641G/ TL- -WR642G 1. 2. 3. 4. 5. As 1. 2. 3. 4. 5. As 1. 2. 3. 4. 5. As As As s s ções ções

Leia mais

HTVix HA 211. Entrada de alimentação 12VDC / 500mA (Positivo no centro)

HTVix HA 211. Entrada de alimentação 12VDC / 500mA (Positivo no centro) 1 HTVix HA 211 1. Interfaces Entrada de alimentação 12VDC / 500mA (Positivo no centro) Conector RJ11 para conexão de aparelho telefônico analógico ou o adaptador para telefone e rede de telefonia convencional

Leia mais

Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda.

Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. Manual do equipamento Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. +55 41 3661-0100 Rua Rio Piquiri, 400 - Jardim Weissópolis - Pinhais/PR - Brasil CEP: 83322-010 CNPJ: 01.245.055/0001-24 Inscrição

Leia mais

Notas de Aplicação. Introdução à MMI Geração II. HI Tecnologia. Documento de acesso público

Notas de Aplicação. Introdução à MMI Geração II. HI Tecnologia. Documento de acesso público Notas de Aplicação Introdução à MMI Geração II HI Tecnologia Documento de acesso público ENA.00047 Versão 1.01 abril-2008 HI Tecnologia Introdução à MMI Geração II Apresentação Esta nota de aplicação foi

Leia mais