INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO"

Transcrição

1 INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro

2 Lista de Abreviaturas e Siglas FOB Significa livre a bordo (free on board) o vendedor encerra suas obrigações quando a mercadoria transpõe a amurada do navio (ship's rail) no porto de embarque indicado e, a partir daquele momento, o comprador assume todas as responsabilidades quanto a perdas e danos; a entrega se consuma a bordo do navio designado pelo comprador, quando todas as despesas passam a correr por conta do comprador; o vendedor é o responsável pelo desembaraço da mercadoria para exportação; este termo pode ser utilizado no transporte aquaviário (marítimo, fluvial ou lacustre). Incoterms (International Commercial Terms / Termos Internacionais de Comércio) - site do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - Aprendendo a Exportar. Hab./km² Habitante por quilômetro quadrado M² Metro quadrado MGE Média e Grande Empresa MPE Micro e Pequena Empresa % Porcentagem US$ Cifra do dólar 2

3 Sumário Lista de Abreviaturas e Siglas... 2 Apresentação Perfil Sociopolítico do Estado do Rio de Janeiro Território Divisão Político Administrativa do Estado do Rio de Janeiro Área Territorial do Estado do Rio de Janeiro e suas Regiões Distâncias dos Municípios à Capital do Estado do Rio de Janeiro Demografia População por Região e Municípios do Estado do Rio de Janeiro Municípios mais populosos do Estado do Rio de Janeiro População por Situação de Sexo, Domicílio e Faixa Etária Taxa Média Geométrica de Crescimento Demográfico e Densidade Demográfica do Estado do Rio de Janeiro, Regiões e Municípios Índice de Desenvolvimento Humano IDH 2000, do Estado do Rio de Janeiro, Regiões e Municípios Infraestrutura do Estado do Rio de Janeiro Perfil Econômico do Estado do Rio de Janeiro Produto Interno Bruto PIB 2007, em valores correntes e Participação (%) em relação ao PIB Total do Estado, das Regiões e dos Municípios do Rio de Janeiro Número de Domicílios Urbanos / Classes Econômicas do Estado do Rio de Janeiro Consumo Per Capita do Estado do Rio de Janeiro (R$) Consumo familiar do Estado, por classe econômica, segundo categorias de consumo - em R$/ano Estabelecimentos e Empregos Número de Estabelecimentos por porte, Brasil / Estado do Rio de Janeiro 2005/ Variação percentual do número de estabelecimentos Brasil e Rio de Janeiro 2005/ Total de Estabelecimentos, por setor econômico e porte, no Estado do Rio de Janeiro Participação das empresas, por porte, na economia no Estado do Rio de Janeiro 2008 (%) Movimentação de Empresas no Estado do Rio de Janeiro 2009/ Número de Empregos, por porte, em 31 dez., do Brasil e do Rio de Janeiro 2005/ Variação percentual do número de Empregos Brasil e Rio de Janeiro 2005/ Exportação e Importação no Estado do Rio de Janeiro 2009/ Número de Empresas e Valor Exportado, segundo o porte, no Estado do Rio de Janeiro 2008/ Turismo Equipamentos, prestadores de serviços e profissionais da Área de Turismo cadastrados no Ministério do Turismo Número de empregados, por atividade econômica, no turismo, segundo as Regiões do Estado do Rio de Janeiro Número de estabelecimentos, por atividade econômica, no Turismo, segundo as Regiões do Estado do Rio de Janeiro Glossário Referências

4 Apresentação O Estado do Rio de Janeiro é composto por 92 municípios distribuídos em oito regiões de governo: Metropolitana, Noroeste Fluminense, Norte Fluminense, Serrana, Baixadas Litorâneas, Médio Paraíba, Centro- Sul Fluminense e Costa Verde. Sua grande diversidade cultural e geográfica ainda permite identificar regiões turísticas, como Costa Verde, Agulhas Negras, Vale do Paraíba, Vale do Ciclo do Café, Metropolitana, Baixada Fluminense, Serra Tropical, Serra Verde Imperial, Serra Norte, Baixada Litorânea, Costa do Sol, Costa Doce e Noroeste das Águas. O Sebrae/RJ, com o intuito de democratizar o acesso às informações sociais, políticas e econômicas do nosso Estado, criou este documento, intitulado como Informações Socioeconômicas do Estado do Rio de Janeiro, para que estudantes, pesquisadores, empresários e empreendedores o utilizem em seus planejamentos, pesquisas e reflexões. Fundamentado em fontes oficiais, espera-se que este documento consolidado seja uma referência de consulta para aqueles que pesquisam informações sobre o perfil sociopolítico e econômico do Estado, com destaque para os dados sobre micro e pequenas empresas que ratificam sua importante participação no cenário do Estado do Rio de Janeiro. 4

5 1 Perfil Sociopolítico do Estado do Rio de Janeiro 1.1 Território INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Divisão Políticoo Administrativa do Estado do Rio de Janeiro TABELA 1 - DIVISÃO POLÍTICO-ADMINISTRATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Regiões de Governo Número de Centro-Sul Norte Municípios por Região Fluminense Fluminense Estado 92 11% 10% Costa Verde Região Metropolitana Região Serrana Médio Paraíba 13% 3% Metropolitanaa Região das Baixadas 13 20% Litorâneas Noroeste Região Noroeste Fluminense 13 Fluminense 14% Região do Médio Paraíba 12 Serrana Baixadas Região Centro-Sul 15% 10 Litorâneas Fluminense 14% Região Norte Fluminense 9 Região da Costa Verde 3 Figura 1 Fundação CEPERJ. Anuário Estatístico 2009 Observa-se que a Região Metropolitana apresenta o maior número de municípios (18), correspondendo a 20% do Estado e, em contraposição, a Região da Costa Verde aparece como a menos numerosa neste critério (3), com um percentual de 3% no total do território estadual Área Territorial do Estado do Rio de Janeiro e suas Regiões Região das Baixadas Litorâneas Região Noroeste Fluminense Região Médio Paraíba Região Metropolitana Região Centro-Sul Fluminense Região da Costa Verde TABELA 2 - ÁREA TERRITORIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E SUAS REGIÕES LOCALIDADE ÁREA TOTAL EM PERCENTUAL NO KM² ESTADO (%) Estado Região Norte Fluminense Região Serrana , , ,9-22,27 15, ,3 12, ,3 12, ,7 14, ,3 10, ,8 6, ,6 5, , , ,13 12,,39 12,27 10, ,92 5, Norte Fluminense Serrana Baixadas Litorâneas Médio Paraíba Noroeste Fluminense Metropolitana Centro-Sul Fluminense Costa Verde Figura 2 Fundação CEPERJ. Anuário Estatístico 2009 O Estado do Rio de Janeiro possui uma extensão territorial de ,6 km², sendo a Região Norte Fluminense a maior em extensão, ocupando 22,27% do Estado, e a Região da Costa Verde a menor, ocupando 5,47% do total do território. 5

6 Distâncias dos Municípios à Capital do Estado do Rio de Janeiro TABELA 3 - DISTÂNCIAS DOS MUNICÍPIOS À CAPITAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO LOCALIDADE Distância (km) LOCALIDADE Distância (km) Região Metropolitana Região Noroeste Fluminense Belford Roxo 25 Aperibé 182 Duque de Caxias 17 Bom Jesus do Itabapoana 252 Guapimirim 47 Cambuci 199 Itaboraí 40 Italva 227 Itaguaí 1 58 Itaocara 178 Japeri 54 Itaperuna 232 Magé 33 Laje do Muriaé 219 Mesquita 28 Miracema 195 Nilópolis 24 Natividade 242 Niterói 11 Porciúncula 246 Nova Iguaçu 30 Santo Antônio de Pádua 185 Paracambi 61 São José de Ubá 215 Queimados 41 Varre-Sai 258 São Gonçalo 18 Região Médio Paraíba São João de Meriti 20 Barra do Piraí 80 Seropédica 54 Barra Mansa 107 Tanguá 54 Itatiaia 146 Região Serrana Pinheiral 92 Bom Jardim 116 Piraí 77 Cantagalo 134 Porto Real 123 Carmo 124 Quatis 121 Cordeiro 130 Resende 136 Duas Barras 118 Rio Claro 97 Macuco 141 Rio das Flores 90 Nova Friburgo 98 Valença 89 Petrópolis 44 Volta Redonda 101 Santa Maria Madalena 162 Região Centro-Sul Fluminense São José do Vale do Rio Preto 88 Areal 75 São Sebastião do Alto 152 Comendador Levy Gasparian 97 Sumidouro 109 Engenheiro Paulo de Frontin 62 Teresópolis 60 Mendes 68 Trajano de Morais 150 Miguel Pereira 56 Região das Baixadas Litorâneas Paraíba do Sul 83 Araruama 89 Paty do Alferes 57 Armação dos Búzios 137 Sapucaia 105 Arraial do Cabo 121 Três Rios 87 Cabo Frio 122 Vassouras 72 Cachoeiras de Macacu 75 Região Norte Fluminense Casimiro de Abreu 113 Campos dos Goytacazes 232 Iguaba Grande 101 Carapebus 178 Maricá 40 Cardoso Moreira 227 Rio Bonito 64 Conceição de Macabu 165 Rio das Ostras 136 Macaé 158 São Pedro da Aldeia 114 Quissamã 199 Saquarema 72 São Fidélis 205 Silva Jardim 88 São Francisco de Itabapoana 292 Região da Costa Verde São João da Barra 263 Angra dos Reis 114 Obs.: Os dados da tabela referem-se à distância do município em relação Mangaratiba 86 arati 158 à capital da UF, calculada em linha reta, da sede do município em referência até a sede da capital da UF. IPC TARGET Itaguaí passou a fazer parte da Região Metropolitana do Estado do Rio de Janeiro em razão da Lei Complementar nº 130 de 21 de outubro de

7 1.2 Demografia População por Região e Municípios do Estado do Rio de Janeiro TABELA 4 - POPULAÇÃO POR REGIÃO E MUNICÍPIOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Estado LOCALIDADE QUANT. LOCALIDADE QUANT. Região Metropolitana Região Noroeste Fluminense Rio de Janeiro Itaperuna São Gonçalo Santo Antônio de Pádua Duque de Caxias Bom Jesus do Itabapoana Nova Iguaçu Miracema Niterói Itaocara São João de Meriti Porciúncula Belford Roxo Natividade Magé Cambuci Itaboraí Italva Mesquita Aperibé Nilópolis Laje do Muriaé Queimados Varre-Sai Japeri São José do Ubá Seropédica Região Médio Paraíba Itaguaí Paracambi Volta Redonda Guapimirim Barra Mansa Tanguá Resende Região Serrana Barra do Piraí Petrópolis Valença Nova Friburgo Itatiaia Teresópolis Piraí Bom Jardim Pinheiral Cantagalo Rio Claro São José do Vale do Rio Preto Porto Real Cordeiro Quatis Carmo Rio das Flores Sumidouro Região Centro-Sul Fluminense Santa Maria Madalena Três Rios Duas Barras Paraíba do Sul Trajano de Morais Vassouras São Sebastião do Alto Paty do Alferes Macuco Miguel Pereira Região das Baixadas Litorâneas Mendes Cabo Frio Sapucaia Rio das Ostras Engenheiro Paulo de Frontin Araruama Areal Marica Comendador Levy Gasparian São Pedro da Aldeia Região Norte Fluminense Saquarema Campos dos Goytacazes Rio Bonito Macaé Cachoeiras de Macacu São Francisco de Itabapoana Arraial do Cabo São Fidélis Casimiro de Abreu São João da Barra Silva Jardim Conceição de Macabu Armação dos Búzios Quissamã Iguaba Grande Cardoso Moreira Região da Costa Verde Carapebus Angra dos Reis Parati Mangaratiba Fundação CEPERJ. Anuário Estatístico 2009 Observa-se na tabela anterior e no gráfico, a seguir, que a Região Metropolitana concentra o maior número de municípios com alto número demográfico do Estado. 7

8 Municípios mais populosos do Estado do Rio de Janeiro TABELA 5 MUNICÍPIOS MAIS POPULOSOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (%) Municípios População % Estado * Rio de Janeiro ,7 São Gonçalo ,2 3,0% 3,1% 3,2% 2,8% 2,0% 1,7% Duque de Caxias ,4 5,3% Nova Iguaçu ,3 Niterói ,2 São João do Meriti ,1 5,4% 6,2% 40,7% Belford Roxo ,0 Campos dos Goytacazes ,8 Petropólis ,0 Volta Redonda ,7 Rio de Janeiro Duque de Caxias Niterói Belford Roxo Petrópolis São Gonçalo Nova Iguaçu São João de Meriti Campos dos Goytacazes Volta Redonda Figura 3 Fundação CEPERJ. Anuário Estatístico 2009 Este gráfico permite a visualização dos municípios mais populosos do Estado. Na Região Metropolitana, é onde se encontram os municípios com maior concentração populacional, sendo que, dos dez mais populosos, sete são desta região, representando 74,42% da população estadual População por Situação de Sexo, Domicílio e Faixa Etária TABELA 6 - POPULAÇÃO POR SITUAÇÃO DE SEXO, DOMICÍLIO E FAIXA ETÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Por Sexo - Total Quant. Homens Mulheres Por Situação de Domicílio e Sexo Quant. Urbana - Total Urbana - Homens Urbana - Mulheres Rural - Total Rural Homens Rural - Mulheres Faixa Etária Quant. 0 4 anos anos anos anos anos anos anos Fundação CEPERJ. Anuário Estatístico 2009 O Estado do Rio de Janeiro tem uma população de habitantes. Observa-se que a população é predominantemente urbana e apresenta uma participação masculina equivalente à feminina em uma proporção de 92 homens para cada 100 mulheres. A maioria da população encontra-se na faixa etária entre 30 e 49 anos, seguida pela faixa de 50 ou mais anos. 8

9 Taxa Média Geométrica de Crescimento Demográfico e Densidade Demográfica do Estado do Rio de Janeiro, Regiões e Municípios TABELA 8 - TAXA MÉDIA GEOMÉTRICA DE CRESCIMENTO DEMOGRÁFICO E DENSIDADE DEMOGRÁFICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, REGIÕES E MUNICÍPIOS Taxa média Geométrica de LOCALIDADE Crescimento anual (2000/2007 (%)) DENSIDADE DEMOGRÁFICA LOCALIDADE (hab./km²) Taxa média DENSIDADE Geométrica de DEMOGRÁFICA Crescimento anual (hab./km²) (2000/2007 (%)) Estado 0,99 328,08 ***** Região Metropolitana 0, ,49 Região Noroeste Fluminense 0,44 55,28 Rio de Janeiro 0, ,11 Aperibé 1,37 86,77 Belford Roxo 1, ,67 Bom Jesus do Itabapoana 0,10 56,16 Duque de Caxias 1, ,90 Cambuci -0,30 26,13 Guapimirim 2,36 104,87 Italva 1,12 42,81 Itaboraí 2,03 436,81 Itaocara -0,59 53,66 Japeri 1, ,07 Itaperuna 0,98 78,16 Magé 1,74 532,14 Laje do Muriaé -0,25 31,43 Mesquita 1, ,31 Miracema -0,45 89,47 Nilópolis -0, ,30 Natividade -0,19 38,72 Niterói 0, ,99 Porciúncula 1,06 52,91 Nova Iguaçu 1, ,60 Santo Antônio de Pádua 0,53 63,36 Paracambi 0,67 216,68 São José do Ubá 0,90 25,49 Queimados 0, ,52 Varre-Sai 0,81 41,19 São Gonçalo 1, ,11 Região Médio Paraíba 1,05 126,57 São João de Meriti 0, ,20 Barra do Piraí 1,21 152,04 Tanguá 1,20 182,47 Barra Mansa 0,38 311,59 Seropédica 1,51 243,33 Itatiaia 3,36 102,27 Região Serrana 0,76 108,04 Pinheiral 1,00 250,40 Bom Jardim 1,20 58,71 Piraí 1,28 43,83 Cantagalo -0,03 26,30 Porto Real 2,63 237,62 Carmo 1,26 47,67 Quatis 1,65 37,36 Cordeiro 0,29 165,34 Resende 1,81 95,03 Duas Barras 0,14 27,46 Rio Claro 0,65 19,24 Macuco 1,02 62,96 Rio das Flores 1,03 15,90 Nova Friburgo 0,32 184,80 Valença 0,95 50,78 Petrópolis 0,97 359,47 Volta Redonda 0, ,02 Santa Maria Madalena -0,09 12,83 Região Centro-Sul Fluminense 0,34 83,67 São José do Vale do Rio Preto 0,12 87,27 Areal 1,53 89,58 São Sebastião do Alto 0,36 21,16 Comendador Levy Gasparian 0,70 72,30 Sumidouro 0,38 35,65 Engenheiro Paulo de Frontin 0,44 85,12 Teresópolis 1,22 178,65 Mendes -0,04 179,53 Trajano de Morais -0,48 16,93 Miguel Pereira 0,40 84,0 Região das Baixadas Litorâneas 3,33 117,41 Paraíba do Sul 0,69 63,48 Araruama 2,48 129,52 Paty do Alferes 0,11 81,16 Armação dos Búzios 4,37 253,89 Sapucaia -0,25 31,84 Arraial do Cabo 0,80 151,50 Três Rios 0,17 224,22 Cabo Frio 3,58 308,73 Vassouras 0,47 59,07 Cachoeiras de Macacu 1,27 50,73 Região Norte Fluminense 1,33 71,54 Casimiro de Abreu 2,91 48,59 Campos dos Goytacazes 0,66 100,73 Iguaba Grande 3,89 309,84 Carapebus 3,03 34,46 Maricá 4,62 210,87 Cardoso Moreira -0,45 24,35 Rio Bonito 0,63 107,30 Conceição de Macabu 0,52 47,07 Rio das Ostras 10,82 158,07 Macaé 3,59 107,77 São Pedro da Aldeia 2,64 187,78 Quissamã 3,48 19,15 Saquarema 2,46 148,36 São Fidélis 0,27 35,52 Silva Jardim 0,07 22,63 São Francisco de Itabapoana 1,12 36,67 Região da Costa Verde 2,60 106,70 Angra dos Reis 3,18 145,51 Mangaratiba 2,33 68,83 Parati 1,52 31,64 Fundação CEPERJ. Anuário Estatístico

10 A taxa média geométrica de crescimento demográfico permite identificar o crescimento da população em uma determinada localidade em um período de tempo específico. A população do Estado cresceu em média 0,99% ao ano, entre os anos de 2000 a O município que obteve o maior crescimento médio neste período foi Rio das Ostras, pertencente à Região das Baixadas Litorâneas, que apresentou uma taxa média de 10,82%, superior ao percentual apresentado pela sua região e pelo Estado. A densidade demográfica é calculada, dividindo-se o número da população residente pela área terrestre do Estado. Verifica-se uma concentração de 328,08 habitantes por quilômetro quadrado, no Estado do Rio de Janeiro. Constata-se que, o Município de São João de Meriti, pertencente à Região Metropolitana, é o que concentra o maior número de pessoas por quilômetro quadrado, apresentando ,20 hab./km², enquanto Santa Maria Madalena, que integra a Região Serrana, é o que apresenta menor densidade demográfica, com um número correspondente a 12,83 hab./km². 10

11 Índice de Desenvolvimento Humano IDH 2000, do Estado do Rio de Janeiro, Regiões e Municípios. TABELA 9 - ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO IDH 2000 DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, REGIÕES E MUNICÍPIOS Estado 0,807 - Alto Região Metropolitana Região Noroeste Fluminense LOCALIDADE IDH Ranking Estadual / Ranking Estadual / LOCALIDADE IDH Classificação de Índice Classificação de Índice Niterói 0,886 1 / Alto Itaperuna 0, / Médio Rio de Janeiro 0,842 2 / Alto Itaocara 0, / Médio Nilópolis 0, / Médio Aperibé 0, / Médio São Gonçalo 0, / Médio Santo Antônio de Pádua 0, / Médio São João de Meriti 0, / Médio Bom Jesus do Itabapoana 0, / Médio Paracambi 0, / Médio Natividade 0, / Médio Nova Iguaçu 0, / Médio Cambuci 0, / Médio Seropédica 0, / Médio Miracema 0, / Médio Duque de Caxias 0, / Médio Porciúncula 0, / Médio Magé 0, / Médio Italva 0, / Médio Belford Roxo 0, / Médio São José do Ubá 0, / Médio Guapimirim 0, / Médio Laje do Muriaé 0, / Médio Itaboraí 0, / Médio Varre-Sai 0, / Médio Itaguaí 0, / Médio Queimados 0, / Médio Região Médio Paraíba Japeri 0, / Médio Volta Redonda 0,815 3 / Alto Tanguá 0, / Médio Resende 0,809 5 / Médio-Alto Mesquita 2 -x- -x- Barra Mansa 0,806 6 / Médio-Alto Região Serrana Itatiaia 0,800 8 / Médio-Alto Nova Friburgo 0,810 4 / Alto Pinheiral 0, / Médio Petrópolis 0,804 7 / Médio-Alto Quatis 0, / Médio Teresópolis 0, / Médio Barra do Piraí 0, / Médio Cordeiro 0, / Médio Piraí 0, / Médio Cantagalo 0, / Médio Valença 0, / Médio Macuco 0, / Médio Porto Real 0, / Médio Carmo 0, / Médio Rio das Flores 0, / Médio Santa Maria Madalena 0, / Médio Rio Claro 0, / Médio Bom Jardim 0, / Médio Região Centro-Sul Fluminense Trajano de Morais 0, / Médio Três Rios 0, / Médio São Sebastião do Alto 0, / Médio Vassouras 0, / Médio São José do Vale do Rio Preto 0, / Médio Miguel Pereira 0, / Médio Duas Barras 0, / Médio Mendes 0, / Médio Sumidouro 0, / Médio Paraíba do Sul 0, / Médio Região das Baixadas Litorâneas Areal 0, / Médio Iguaba Grande 0,796 9 / Médio Engº Paulo de Frontin 0, / Médio Cabo Frio 0, / Médio Comend. Levy Gasparian 0, / Médio Armação dos Búzios 0, / Médio Sapucaia 0, / Médio Arraial do Cabo 0, / Médio Paty do Alferes 0, / Médio Marica 0, / Médio Região Norte Fluminense Casimiro de Abreu 0, / Médio Macaé 0, / Médio São Pedro da Aldeia 0, / Médio Campos dos Goytacazes 0, / Médio Rio das Ostras 0, / Médio São Fidélis 0, / Médio Rio Bonito 0, / Médio Carapebus 0, / Médio Saquarema 0, / Médio Conceição de Macabu 0, / Médio Araruama 0, / Médio Quissamã 0, / Médio Cachoeiras de Macacu 0, / Médio São João da Barra 0, / Médio Silva Jardim 0, / Médio Cardoso Moreira 0, / Médio Região da Costa Verde S.Francisco de Itabapoana 0, / Médio Mangaratiba 0, / Médio Parati 0, / Médio Angra dos Reis 0, / Médio Fundação CEPERJ. Anuário Estatístico De acordo com a Fundação CEPERJ, 27 municípios foram criados entre 1986 e 1995; destes, 10 foram criados em 1995, e foram instalados em janeiro de 1997, quando tomaram posse seus primeiros prefeitos e vereadores. Em 25/09/99, pela Lei Estadual n.º 3.253, foi criado o Município de Mesquita, desmembrado de Nova Iguaçu e instalado em 1º de janeiro de 2001 e, por este motivo, não constam dados de IDH do Município de Mesquita. 11

12 O IDH permite medir o desenvolvimento de uma população além da dimensão econômica. É calculado com base na: renda familiar per capita (soma dos rendimentos divididos pelo número de habitantes); expectativa de vida dos moradores (esperança de vida ao nascer); taxa de alfabetização de maiores de 15 anos (número médio de anos de estudos da população local). Variando de zero a um, o IDH classifica os municípios segundo três níveis de desenvolvimento humano: localidades com baixo desenvolvimento humano (IDH até 0,5); localidades com médio desenvolvimento humano (IDH entre 0,5 e 0,8) e localidades com alto desenvolvimento humano (IDH acima de 0,8). Quanto mais próximo de um, mais alto é o desenvolvimento humano. O Estado do Rio de janeiro está classificado como de alto desenvolvimento humano, com um índice de 0,807. No ranking estadual, Niterói ocupa a primeira posição, apresentando um índice de 0,886, seguido do Município do Rio de Janeiro, com o índice de 0, Infraestrutura do Estado do Rio de Janeiro TABELA 10 - EDUCAÇÃO NÚMERO DE ESTABELECIMENTOS Ensino Pré-escolar Ensino Fundamental Ensino Médio Ensino Superior (graduação) 217 MTE/RAIS 2008 TABELA 11- SAÚDETPT QUANTIDADE OFERECIDA Hospitais Gerais Postos de Saúde MTE/RAIS 2008 TABELA 12- TURISMO E CULTURA NÚMERO DE ESTABELECIMENTOS Estabelecimentos Hoteleiros Cinema (Filmes e Vídeos) 149 Teatro, músicas, atividades artísticas 109 Museus e Conservação do Patrimônio Histórico 49 Biblioteca e Arquivos 51 MTE/RAIS 2008 TABELA 13- FINANCEIRO E COMUNICAÇÃO NÚMERO DE ESTABELECIMENTOS Agências dos Correios 611 Agências Bancárias MTE/RAIS 2008 A leitura das tabelas anteriores permite identificar a estrutura básica do Estado, conforme dados oficiais do Relatório Anual de Informações Sociais A infraestrutura é um dos aspectos que devem ser considerados na análise das condições básicas favoráveis à implantação e à operação de empresas, assim como das condições de atendimento às necessidades básicas da população local. 12

13 2 - Perfil Econômico do Estado do Rio de Janeiro 2.1 Produto Interno Bruto PIB 2007, em valores correntes e Participação (%) em relação ao PIB Total do Estado, das Regiões e dos Municípios do Rio de Janeiro. Região Metropolitana e Serrana TABELA 14- PIB 2007, EM VALORES CORRENTES E PARTICIPAÇÃO (%) EM RELAÇÃO AO PIB TOTAL DO ESTADO, DAS REGIÕES E DOS MUNICÍPIOS DO RIO DE JANEIRO. Localidade PIB, em PIB, em Participação (%) em Participação (%) valores valores Relação ao PIB Localidade em Relação ao correntes (R$ correntes (R$ Total PIB Total mil) 2007 mil) 2007 Estado ,0 Estado ,0 Região Metropolitana ,04 Região Serrana ,40 Rio de Janeiro ,03 Petrópolis ,62 Duque de Caxias ,48 Nova Friburgo ,70 Niterói ,00 Teresópolis ,59 São Gonçalo ,51 Cantagalo ,12 Nova Iguaçu ,34 Bom Jardim ,06 São João de Meriti ,07 Carmo ,06 Belford Roxo ,05 Cordeiro ,05 Itaguaí ,84 São José do Vale do Rio Preto ,05 Magé ,51 Sumidouro ,04 Itaboraí ,50 Duas Barras ,02 Nilópolis ,40 Santa Maria Madalena ,03 Mesquita ,40 Trajano de Morais ,02 Queimados ,30 São Sebastião do Alto ,02 Seropédica ,17 Macuco ,02 Japeri ,15 * Guapimirim ,12 * Paracambi ,11 * Tanguá ,06 * Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE 13

14 Região das Baixadas Litorâneas e Noroeste Fluminense INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TABELA 15- PIB 2007, EM VALORES CORRENTES E PARTICIPAÇÃO (%) EM RELAÇÃO AO PIB TOTAL DO ESTADO, DAS REGIÕES E DOS MUNICÍPIOS DO RIO DE JANEIRO. Localidade PIB, em PIB, em Participação (%) Participação (%) valores valores em Relação ao Localidade em Relação ao correntes (R$ correntes (R$ PIB Total PIB Total mil) 2007 mil) 2007 Estado ,0 Estado ,0 Região das Baixadas Litorâneas ,04 Região Noroeste Fluminense ,07 Cabo Frio ,87 Itaperuna ,44 Rio das Ostras ,59 Santo Antônio de Pádua ,13 Casimiro de Abreu ,41 Bom Jesus do Itabapoana ,10 Armação de Búzios ,40 Itaocara ,08 Rio Bonito ,35 Miracema ,06 Araruama ,29 Porciúncula ,04 Maricá ,28 Natividade ,04 Saquarema ,23 Cambuci ,03 Cachoeiras de Macacu ,22 Italva ,03 São Pedro da Aldeia ,20 Varre-Sai ,02 Arraial do Cabo ,09 Laje do Muriaé ,02 Iguaba Grande ,05 Aperibé ,02 Silva Jardim ,04 São José de Ubá ,01 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Região do Médio Paraíba e Centro-Sul Fluminense TABELA 16- PIB 2007, EM VALORES CORRENTES E PARTICIPAÇÃO (%) EM RELAÇÃO AO PIB TOTAL DO ESTADO, DAS REGIÕES E DOS MUNICÍPIOS DO RIO DE JANEIRO. PIB, em PIB, em Localidade valores valores Participação (%) Participação (%) em correntes Localidade correntes em Relação ao Relação ao PIB Total (R$ mil) (R$ mil) PIB Total Estado ,0 Estado ,0 Região Médio Paraíba ,98 Região Centro-Sul Fluminense ,92 Volta Redonda ,08 Três Rios ,12 Resende ,74 Paraíba do Sul ,10 Porto Real ,74 Vassouras ,08 Barra Mansa ,34 Miguel Pereira ,07 Barra do Piraí ,25 Sapucaia ,06 Pirai ,20 Paty do Alferes ,05 Valença ,17 Areal ,04 Itatiaia ,06 Mendes ,04 Rio das Flores ,05 Comendador Levy Gasparian ,03 Pinheiral ,04 Engenheiro Paulo de Frontin ,33 Rio Claro ,03 * Quatis ,27 * Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE 14

15 Região Norte Fluminense, Bacia de Campos e Região da Costa Verde. TABELA 17- PIB 2007, EM VALORES CORRENTES E PARTICIPAÇÃO (%) EM RELAÇÃO AO PIB TOTAL DO ESTADO, DAS REGIÕES E DOS MUNICÍPIOS DO RIO DE JANEIRO. PIB, em valores PIB, em valores Participação (%) Participação (%) em Localidade correntes Localidade correntes (R$ em Relação ao Relação ao PIB Total (R$ mil) mil) 2007 PIB Total 2007 Estado ,0 Estado ,0 Região Norte Fluminense Campos dos Goytacazes Macaé Quissamã São João da Barra Carapebus São Francisco do Itabapoana São Fidélis Conceição de Macabu Cardoso Moreira ,78 7,01 2,15 0,92 0,28 0,13 0,11 0,10 0,04 0,03 Região Costa Verde Angra dos Reis Mangaratiba Itaguaí Parati ,57 1,48 0,14 0,84 0,11 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE O PIB - Produto Interno Bruto é um indicador que medee a produção de um país, levando em conta três grupos principais: Agropecuária, formadaa por Agricultura, Extrativa Vegetal e Pecuária; Indústria, que engloba Extrativa Mineral, Transformação, Serviços Industriais de Utilidade Pública e Construção Civil; e Serviços, que incluem Comércio, Transporte, Comunicação, Serviços da Administração Pública e outros serviços. O PIB identifica a capacidade de geração de riqueza do país, do estado, da região ou do município Participação das Regiões no PIB do Estado do Rio de Janeiro 2007 (%) 3,40 6,04 1,07 5,98 Região Metropolitana Região Serrana Região das Baixadas Litorâneas 70,04 0,92 10,78 Região Noroeste Região do Médio Paraíba Região Centro Sul Fluminense 2,57 Região Norte Fluminense Região da Costa Verde Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE 15

16 2.2 Potencial de Consumo Número de Domicílios Urbanos / Classes Econômicas do Estado do Rio de Janeiro TABELA 18 - NÚMERO DE DOMICÍLIOS URBANOS/CLASSES ECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Número de Classes Domicílios Econômicas Urbanos A A B B C C D E Total Número de Domicílios Urbanos Classes econômicas A1 A2 B1 B2 C1 C2 D E Figura 5 IPC TARGET 2010T Classes econômicas (Renda Média Familiar Mensal em R$) 3 (*) classe A1 = ,00 (*) classe A2 = 8.100,00 (*) classe B1 = 4.600,00 (*) classe B2 = 2.300,00 (*) classe C1 = 1.400,00 (*) classe C2 = 950,00 (*) classe D = 600,00 (*) classe E = 400,00 O Estado do Rio de Janeiro apresenta o universo de domicílios, sendo que 25,9% deles são de famílias pertencentes à Classe Econômica C1 que possuem renda familiar mensal em torno de R$ 1.400, Consumo Per Capita do Estado do Rio de Janeiro (R$) TABELA 19 - CONSUMO PER CAPITA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (R$/ANO) Urbano ,43 Rural 5.328,65 IPC TARGET 2010 De acordo com o estudo Brasil em Foco 2009, consumo per capita ou consumo médio é o resultado da divisão entre o potencial de consumo esperado pelo total da população residente. Este indicador está desdobrado para as áreas urbana e rural e é expresso em R$/ano. Observa-se que o consumo per capita urbano é 75,23%, maior que o da área rural do Estado. 3 Registra-se que o atual salário mínimo nacional é de R$510,00. 16

17 Consumo familiar do Estado, por classe econômica, segundo categorias de consumo - em R$/ano TABELA 20 - CONSUMO FAMILIAR DO ESTADO POR CLASSE ECONÔMICA, SEGUNDO CATEGORIAS DE CONSUMO EM R$/ANO. Categoria de consumo/classe A1 A2 B1 B2 C1 C2 D E Total econômica Alimentação no domicílio Alimentação fora do domicílio Bebidas Manutenção do lar Artigos de limpeza Mobiliários e artigos do lar Eletrodomésticos e equipamentos Vestuário confeccionado Calçados Outras despesas com vestuário Transportes urbanos Gastos com veículo próprio Higiene e cuidados pessoais Gastos com medicamentos Outras despesas com saúde Livros e material escolar Matrículas e mensalidades Despesas com recreação e cultura Despesas com viagens Fumo Outras despesas 4 Total do consumo urbano IPC TARGET Outras Despesas refere-se aos gastos com cabeleireiros, manicuras, pedicuros, sapateiros, barbeiros, alfaiates, costureiras, relojoeiros, tinturarias, lavanderias, empregados domésticos, fotografias para documentação, cerimônias familiares e práticas religiosas, serviços de cartório e profissionais (advogados, despachantes, contadores), jogos de azar e apostas, construção, reforma e manutenção de jazigos, aluguel de aparelhos e utilidades de uso doméstico, alimentos e outros produtos para animais, flores, despesas de mudança, imposto de renda, imposto sobre serviços, contribuições trabalhistas à previdência social e associações de classe, pensão alimentícia, tarifas bancárias, justiça do trabalho e seguro de vida. Compreende ainda aumento do ativo e diminuição do passivo referente a pagamento de prestações para aquisição de veículos, imóveis, reformas de imóveis, empréstimos e carnês e outros investimentos. 17

18 Os resultados apresentados na tabela permitem aprofundar o conhecimento sobre as diferenças do padrão de consumo entre as diversas classes de renda. Na leitura dos dados do consumo familiar dos grupos de famílias pertencentes à classe C1, predominante no Estado, observa-se a representativa participação dos gastos nas categorias de consumo: alimentação no domicílio, manutenção do lar, transportes urbanos, bem como com outras despesas. 2.3 Estabelecimentos e Empregos Número de Estabelecimentos por porte, Brasil / Estado do Rio de Janeiro 2005/2008. TABELA 21 - NÚMERO DE ESTABELECIMENTOS POR PORTE, BRASIL / ESTADO DO RIO DE JANEIRO 2005/2008 PorteTP5PT Brasil RJ Brasil RJ Brasil RJ Brasil RJ MPE Micro Pequena MGE Média Grande TOTAL MPE + MGE MTE/RAIS 2008 Os dados dessa tabela foram extraídos da Relação Anual de Informações Sociais RAIS, do Ministério do Trabalho e Emprego, que é um questionário anual, preenchido obrigatoriamente por todas as firmas registradas no País. Com esses dados, pode-se analisar a participação dos estabelecimentos segmentados por porte em relação ao total do Estado. Observa-se que em 2008, as microempresas representavam 90,81% do total dos estabelecimentos formais existentes no Estado do Rio de Janeiro e 93,68% do total de empresas formais no Brasil. TP5PT Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE, considera-se: Microempresa I) para Indústria até 19 vínculos; II) para Comércio, Serviços e Agropecuário até 9 vínculos; Pequena Empresa I) para Indústria de 20 a 99 vínculos; II) para Comércio, Serviços e Agropecuário de 10 a 49 vínculos; Média Empresa I) para Indústria de 100 a 499 vínculos; II) para Comércio, Serviços e Agropecuário de 50 a 99 vínculos; Grande Empresa I) para Indústria acima de 500 vínculos; II) para Comércio, Serviços e Agropecuário acima de 100 vínculos. 18

19 Variação percentual do número de estabelecimentos Brasil e Rio de Janeiro 2005/2008 TABELA 22 - VARIAÇÃO PERCENTUAL DO NÚMERO DE ESTABELECIMENTOS - BRASIL E RJ /2008 Porte Var. % Brasil RJ MPE 8,7 7,1 Micro 8,1 6,5 Pequena 18,2 14,6 MGE 19,0 16,1 Média 20,8 17,6 Grande 16,6 14,1 TOTAL 8,8 7, % ,0 16,1 8,7 7,1 8,8 7,2 MPE MGE TOTAL Var.% Brasil Var.% RJ Figura 6 MTE/ RAIS 2008 A partir de informações extraídas da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), apresentadas no gráfico, verificou-se que, no Estado do Rio de Janeiro, o crescimento do número de estabelecimentos, no período de 2005 a 2008, foi positivo, tanto para as micro e pequenas empresas (7,1%) quanto para as médias e grandes (16,1%). Já quando se verifica o crescimento dos estabelecimentos instalados no Brasil, percebe-se uma pequena vantagem com relação ao Estado do Rio de Janeiro, uma vez que as MPE e as MGE apresentaram variações positivas de 8,7% e 19,0%, respectivamente Total de Estabelecimentos, por setor econômico e porte, no Estado do Rio de Janeiro TABELA 23 - TOTAL DE ESTABELECIMENTOS, POR SETOR ECONÔMICO E PORTE, NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Setor Econômico Micro Pequena Média Grande Total Setor Indústria ,3% Comércio ,0% Serviços ,9% Agronegócios ,8% Total % Porte 90,8% 7,6% 0,9% 0,7% 100% *** MTE/RAIS

20 P6PT Os INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Participação das empresas, por porte, na economia no Estado do Rio de Janeiro 2008 (%). PARTICIPAÇÃO DAS EMPRESAS, POR PORTE, NA ECONOMIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 2008 (%) , ,6 10 0,9 0,7 0 Micro Pequena Média Grande Figura 7 MTE/ RAIS2008 O Estado do Rio de Janeiro registrou, em 2008, aproximadamente, 492 mil estabelecimentos formais. As microempresas representaram 90,8% e o conjuntoo de micro e pequenas empresas, 98,4% do total fluminense. Apenas 0,7% dos estabelecimentos formais do Rio de Janeiro são de grande porte. A distribuição dos estabelecimentos por setor mostra a predominância dos serviços entre as microempresas do Estado, apresentando um percentual de 51,9% ( estabelecimentos) Movimentaçãoo de Empresas no Estado do Rio de Janeiro 2009/20100 TABELA 24 - MOVIMENTAÇÃO DE EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 2009/2010 Constituição de Empresas Extinção de Empresas Mês/ /Ano Janeiro a Julho/2009 Janeiro a Julho/2010 Total Mês/Ano Janeiro a Julho/2009 Janeiro a Julho/2010 Total Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro - JUCERJA 6 A Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro JUCERJA divulga anualmente as estatísticas de constituição e extinção de empresas no Estado do Rio de Janeiro. Comparando-sempresas e um decréscimo de 1,23% na extinção do número de empresas no Estado do Rio de Janeiro. os dados dos anos de 2009 e 2010, observa-see em 2010 um aumento de 8,04% na constituição de dados registrados nesta tabela contemplam apenas a movimentação de empresas registradas na Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro, considerando: Requerimento de Empresário, Ltda. (limitadas), S.A. (Sociedades Anônimas), Cooperativas, Consórcios e Incorporações. 20

21 Número de Empregos, por porte, em 31 dez., do Brasil e do Rio de Janeiro 2005/2008. TABELA 25 - NÚMERO DE EMPREGOS, POR PORTE, EM 31 DEZ. BRASIL E RJ 2005/ PorteTP7PT Brasil RJ Brasil RJ Brasil RJ Brasil RJ MPE Micro Pequena MGE Média Grande TOTAL MTE /RAIS Variação percentual do número de Empregos Brasil e Rio de Janeiro 2005/2008 TABELA 26 - VARIAÇÃO PERCENTUAL DO NÚMERO DE EMPREGOS - BRASIL E RJ /2008 Var. Porte Brasil RJ MPE 95,8 76,7 Micro 103,3 79,4 Pequena 89,0 74,6 MGE 68,5 58,9 Média 90,0 77,2 Grande 63,2 54,9 TOTAL 79,6 65, % ,8 76,7 68,5 79,6 58,9 65,9 MPE MGE TOTAL Var.% Brasil Var.% RJ Figura 8 MTE/RAIS Verificou-se que, no Estado do Rio de Janeiro, o crescimento do número de empregos (em 31 de dezembro) no período de 2005 a 2008 foi positivo, tanto para as micro e pequenas empresas (76,7%) quanto para as médias e grandes (58,9%). Verificou-se o mesmo crescimento dos empregos (em 31 de dezembro) no Brasil, percebeu-se uma vantagem nas MPE s e MGE s com relação ao Estado do Rio de Janeiro, uma vez que as MPE e as MGE apresentaram variações positivas de 95,8% e 68,5% respectivamente. TP7PT Idem à nota 7. 21

22 etp8pt INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 2.4 Exportação e Importação no Estado do Rio de Janeiro 2009/2010 Exportação e Importaçãoo no Estado do Rio de Janeiro 2009/ (1º Semestre) 2010(1º Semestre) Exportação(US$) Importação(US$) Secretaria de Comércio Exterior - SECEX - Ministério do Desenvolvimentoo Indústria e Comércio Exterior O gráfico acima compara a evolução das operações de Exportação e Importação no Estado do Rio de Janeiro, no primeiro semestres de 2009 e de Observa-se um crescimento das duas operações nos dois semestres, com destaque para a Exportação que apresentou um crescimento de 95,7%% % no ano de Já a operação de Importação cresceu 31,89% no mesmo período Número de Empresas e Valor Exportado, segundo o porte, no Estado do Rio de Janeiro 2008/2009. TABELA 28 - NÚMERO DE EMPRESAS E VALOR EXPORTADO, SEGUNDO O PORTE, NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO /2009 Porte Número de Empresas Valor (US$) Micro Pequena Média Grande Total (Empresas e Valor Exportado) Secretariaa de Comércio Exterior - SECEX - Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior De acordo com o estudo As Micro e Pequenas Empresas na Exportação Brasileira - Estados e 1º Semestre de 2009, realizado pelo do SEBRAE Nacional em parceria com a Fundação Centro de Estudos do Comércio Exterior - FUNCEX, temos os seguintes resultados: 8 A publicação As MPE s na Exportação Brasileira considera como microempresas aquelas que possuem menos de 20 pessoas ocupadas e que exportam até US$ 120 mil/ano; como pequenas empresas aquelas com menos de 100 pessoas ocupadas e exportações anuais até US$ 1,2 milhões. 222

23 O Rio de Janeiro é o terceiro maior exportador do Brasil, com vendas de US$ 18,7 bilhões em 2008, representando uma participação de 9,6% do total exportado pelo país neste mesmo ano. No primeiro semestre de 2009, o número de microempresas fluminenses diminuiu cerca de 3,8% em relação ao resultado do primeiro semestre de 2008, passando para um total de 229 firmas. O mesmo se deu com o valor exportado, onde o montante de US$ 2,8 milhões representa uma queda significativa de 40,2% em relação ao mesmo semestre de Entre as pequenas empresas, o total de 274 firmas representa uma retração de 9,7% em comparação com o mesmo semestre de 2008, fazendo com que o valor exportado de US$ 27 milhões no semestre represente uma redução de 12,7% na mesma comparação. Como resultado, os valores médios exportados por firma nos seis primeiros meses de 2009 de US$ 12,3 mil para as microempresas e US$ 98,5 mil para as pequenas empresas, representam, respectivamente, retrações de 37,9% e 3,5% no semestre. Os ramos de atividade de destaque entre as microempresas do estado no primeiro semestre de 2009 foram comércio e indústria, onde 210 firmas (91,7% do total) realizaram conjuntamente US$ 2,6 milhões em exportações (90,7% do total). Entre as pequenas empresas, o comércio e a indústria também se destacam, com 248 firmas (90,5% do total) e exportações de US$ 24,4 milhões no período janeiro-junho de 2009 (90,3% do total). A maior parte das microempresas do estado (57,6%) vendeu menos de US$ 20 mil no primeiro semestre de 2009, respondendo por apenas 14,3% do valor exportado. Os 85,7% restantes foram realizados pelas microempresas que venderam acima da faixa de US$ 20 mil no período janeiro/junho de Entre as pequenas empresas, verifica-se que a maior parte (62%) exportou mais de US$ 120 mil no ano passado, respondendo por 94,1% das vendas. As exportações das MPEs fluminenses no primeiro semestre de 2009 apresentaram uma forte concentração nos produtos manufaturados, que registraram participação de 86,6% nas vendas, superando largamente o percentual de 37,7% que esses produtos têm nas vendas totais do estado. Deve-se destacar que as exportações do Rio de Janeiro são fortemente concentradas em produtos básicos (56,1% das exportações no semestre). Entre os principais produtos exportados, o principal destaque nas vendas externas das microempresas fluminenses no primeiro semestre de 2009 foi vestuário feminino, com o montante de US$ 710 mil em vendas, ou seja, 25,3% do total. Outros produtos de destaque foram obras de mármore e granito (3,6%), pedras preciosas ou semipreciosas, em bruto, não engastadas (2,8%), produtos de perfumaria, de toucador e preparações cosméticas (1,4% do total) e livros, revistas, jornais e impressos semelhantes (1,1%). Entre as pequenas empresas, o principal item de destaque também foi vestuário feminino, com vendas de US$ 3,6 milhões, ou seja, 13,3% do total. Outros produtos de destaque foram peixes congelados, frescos ou refrigerados (3,9% do total), livros, revistas, jornais e impressos semelhantes (2,39%), artigos de joalheria de metais preciosos e suas partes (1,9%) e obras de mármore e granito (0,9%). 23

24 2.5 - Turismo Equipamentos, prestadores de serviços e profissionais da Área de Turismo cadastrados no Ministério do Turismo TABELA 29 - EQUIPAMENTOS, PRESTADORES DE SERVIÇOS E PROFISSIONAIS DA ÁREA DE TURISMO CADASTRADOS NO MINISTÉRIO DO TURISMO BRASIL E ESTADO DO RIO DE JANEIRO Especificação Brasil Rio de Janeiro Rio de Janeiro (%) Agências de turismo ,96% Meios de hospedagem ,45% Transportadoras turísticas ,42% Organizadora de eventos ,34% Guias de Turismo ,35% Ministério do Turismo - Anuário Estatístico do Turismo Número de empregados, por atividade econômica, no turismo, segundo as Regiões do Estado do Rio de Janeiro NÚMERO DE EMPREGADOS POR ATIVIDADE ECONÔMICA NO TURISMO SEGUNDO AS REGIÕES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Regiões Hotéis e Similares Outros tipos de alojamento Restaurantes e outros estabelecimentos de bebidas com serviço completo Agências de Viagem Operadores turísticos Serviço de Reserva Transporte Aéreo de Passageiros Total Metropolitana Noroeste Serrana Médio Paraíba Centro Sul Baixada Litorânea Norte Costa Verde Total MTE/CAGED 2008 Observa-se na tabela anterior que a Região Metropolitana é a que mais emprega no setor de turismo no Estado do Rio de Janeiro, apresentando um número de , o que corresponde a 76,32% dos empregos neste setor no Estado. É seguida pela Região Baixada Litorânea, com um total de empregos, representando um percentual de 5,34% do valor total do Estado. 9 Inclui agência de viagem e agência de viagem e turismo 10 Referente a todos os tipos de Meios de Hospedagem, incluindo flat, apart-hotel e condohotel. 24

25 Número de estabelecimentos, por atividade econômica, no Turismo, segundo as Regiões do Estado do Rio de Janeiro NÚMERO DE ESTABELECIMENTOS POR ATIVIDADE ECONÔMICA NO TURISMO SEGUNDO AS REGIÕES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Regiões Serviços de Restaurantes e Reserva e Outros outros Agências Transporte Hotéis e Operadores outros tipos de estabelecimentos de Aéreo de Similares turísticos serviços de alojamento de bebidas com Viagem Passageiros turismo não serviço completo especificados Total Metropolitana Noroeste Serrana Médio Paraíba Centro Sul Baixada Litorânea Norte Costa Verde Total MTE/RAIS 2008 Observa-se que o Estado do Rio de Janeiro possui um equipamento turístico de estabelecimentos. A região que concentra maior número de estabelecimentos é a Metropolitana, com , cerca de 62,98% do Estado, seguida pela Região das Baixadas Litorâneas, que apresenta um número de 2.606, correspondendo a 9,35% do total estadual. 25

EMPRESA DE ASSISTENCIA TECNICA E EXTENSAO RURAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PESCA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

EMPRESA DE ASSISTENCIA TECNICA E EXTENSAO RURAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PESCA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UF Municipio RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Aperibé RJ Aperibé CNPJ Razão Social FUNDAÇÃO INSTITUTO DE DO ESTADO DO RIO DE

Leia mais

Abrangência. Niterói Petrópolis Teresópolis Nova Friburgo Armação dos Búzios Cabo Frio Arraial do Cabo Rio das Ostras Macaé Casimiro de Abreu

Abrangência. Niterói Petrópolis Teresópolis Nova Friburgo Armação dos Búzios Cabo Frio Arraial do Cabo Rio das Ostras Macaé Casimiro de Abreu Apresentação: Lançado pelo SEBRAE RJ, é um roteiro turístico composto por 10 municípios do Estado do Rio de Janeiro; 3 Regiões turísticas: Metropolitana, Serra Verde Imperial, Costa do Sol - integradas

Leia mais

Situação de estados e municípios em relação à meta nacional

Situação de estados e municípios em relação à meta nacional Construindo as Metas Situação de estados e municípios em relação à meta nacional Região: Sudeste; UF: Mesorregião: Município: Angra dos Reis; Aperibé; Araruama; Areal; Armação dos Búzios; Arraial do Cabo;

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. Presidente DESEMBARGADOR LUIZ ZVEITER. Vice - Presidente DESEMBARGADORA LETICIA DE FARIA SARDAS

Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. Presidente DESEMBARGADOR LUIZ ZVEITER. Vice - Presidente DESEMBARGADORA LETICIA DE FARIA SARDAS Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro Presidente DESEMBARGADOR LUIZ ZVEITER Vice - Presidente DESEMBARGADORA LETICIA DE FARIA SARDAS Corregedor JUIZ ANTONIO AUGUSTO DE TOLEDO GASPAR Diretora -

Leia mais

CONVENÇÕES COLETIVAS EMPREGADOS EM CONDOMÍNIOS. Sindicato Profissional Base Territorial PISO CCT PISO REGIONAL 1. Sind. Empreg. Edifícios Teresópolis

CONVENÇÕES COLETIVAS EMPREGADOS EM CONDOMÍNIOS. Sindicato Profissional Base Territorial PISO CCT PISO REGIONAL 1. Sind. Empreg. Edifícios Teresópolis CONVENÇÕES COLETIVAS EMPREGADOS EM CONDOMÍNIOS Sindicato Profissional Base Territorial PISO CCT PISO REGIONAL 1. Sind. Empreg. Edifícios Teresópolis Teresópolis a) R$ 500,00 (quinhentos reais): Porteiro,

Leia mais

Sindicato das Misericórdias e Entidades Filantrópicas e Beneficentes do Estado do Rio de Janeiro.

Sindicato das Misericórdias e Entidades Filantrópicas e Beneficentes do Estado do Rio de Janeiro. Circular 16/2015 Rio de Janeiro, 16 de abril de 2015. Ref: Orientações para o Recolhimento da Contribuição Sindical Ilmo Provedor / Presidente / Diretor A contribuição sindical está prevista nos artigos

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO GABINETE DO CONSELHEIRO JOSÉ GOMES GRACIOSA

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO GABINETE DO CONSELHEIRO JOSÉ GOMES GRACIOSA RUBRICA: FLS.: 657 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO GABINETE DO CONSELHEIRO JOSÉ GOMES GRACIOSA VOTO GC-2 1593/2014 PROCESSO: TCE-RJ N o 238.182-1/13 ORIGEM: COORDENADORIA DE AUDITORIA E

Leia mais

O CONSELHO ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS, instituído pela Lei nº 3.239, de 02 de agosto de 1999,no uso de suas atribuições legais, considerando:

O CONSELHO ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS, instituído pela Lei nº 3.239, de 02 de agosto de 1999,no uso de suas atribuições legais, considerando: RESOLUÇÃO CERHI-RJ Nº 107 DE 22 DE MAIO DE 2013 APROVA NOVA DEFINIÇÃO DAS REGIÕES HIDROGRÁFICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E REVOGA A RESOLUÇÃO CERHI N 18 DE 08 DE NOVEMBRO DE 2006 O CONSELHO ESTADUAL

Leia mais

TABELA DAS PROMOTORIAS COM ATRIBUIÇÃO EM EDUCAÇÃO atualizada em jul/2015

TABELA DAS PROMOTORIAS COM ATRIBUIÇÃO EM EDUCAÇÃO atualizada em jul/2015 TABELA DAS PROMOTORIAS COM ATRIBUIÇÃO EM EDUCAÇÃO atualizada em jul/2015 s Centro Regional de Apoio Administrativo Institucional MUNICÍPIOS Promotorias de Justiça ÚNICAS, CÍVEIS e de Proteção à INFÂNCIA

Leia mais

Angra dos Reis Barra do Piraí Barra Mansa Engenheiro Paulo de Frontim Itatiaia Mendes Miguel Pereira Parati Paty dis Alferes

Angra dos Reis Barra do Piraí Barra Mansa Engenheiro Paulo de Frontim Itatiaia Mendes Miguel Pereira Parati Paty dis Alferes Jurisdição das cidades da 7ª Região. Delegacia Cidade/Bairro* Angra dos Reis Barra do Piraí Barra Mansa Engenheiro Paulo de Frontim Itatiaia Mendes Miguel Pereira Parati Paty dis Alferes Pinheiral Pirai

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TCE/RJ ESCOLA DE CONTAS E GESTÃO - ECG EDITAL N O 02/2014

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TCE/RJ ESCOLA DE CONTAS E GESTÃO - ECG EDITAL N O 02/2014 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TCE/RJ ESCOLA DE CONTAS E GESTÃO - ECG EDITAL N O 02/2014 Fixa as normas do Processo Seletivo para ingresso na 3ª Turma do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu

Leia mais

Novas estimativas do IBGE para a população do Rio de Janeiro

Novas estimativas do IBGE para a população do Rio de Janeiro ISSN 1984-7203 C O L E Ç Ã O E S T U D O S C A R I O C A S Novas estimativas do IBGE para a população do Rio de Janeiro Nº 20080101 Janeiro - 2008 Fernando Cavallieri, Fabrício Leal de Oliveira - IPP/Prefeitura

Leia mais

O estado do Rio de Janeiro no Censo 2010

O estado do Rio de Janeiro no Censo 2010 O estado do Rio de Janeiro no Censo 2010 Documento preliminar Coordenação: Luiz Cesar Ribeiro Responsável: Érica Tavares da Silva Colaboração: Juciano Rodrigues e Arthur Molina 1 P á g i n a Introdução

Leia mais

Resolução Normativa RN 259

Resolução Normativa RN 259 Resolução Normativa RN 259 (Publicada em 17/06/11, alterada pela RN 268 de 20/10/11 e complementada pela IN/DIPRO nº n 37 de 07/12/11) Gerência de Regulação 27 de janeiro de 2012 Apresentação da Norma

Leia mais

II O Concurso destina-se ao preenchimento de 200 vagas, bem como daquelas que surgirem no decorrer do prazo de validade do Concurso.

II O Concurso destina-se ao preenchimento de 200 vagas, bem como daquelas que surgirem no decorrer do prazo de validade do Concurso. DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO COORDENAÇÃO GERAL DO ESTÁGIO FORENSE XXXIX CONCURSO PARA ADMISSÃO AO ESTÁGIO FORENSE DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EDITAL *A Coordenadora

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO SOMANDO FORÇAS Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO Localização: Região Sudeste 57% do PIB Nacional Área: 43.696

Leia mais

ATO DO PRESIDENTE PORTARIA DETRO/PRES. Nº 1231, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2015.

ATO DO PRESIDENTE PORTARIA DETRO/PRES. Nº 1231, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2015. Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Transportes Departamento de Transportes Rodoviários ATO DO PRESIDENTE PORTARIA DETRO/PRES. Nº 1231, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2015. REAJUSTA AS TARIFAS

Leia mais

26.03.10 29.03.10 018216

26.03.10 29.03.10 018216 CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ C129 Caderno de turismo do Estado do Rio de Janeiro : passaporte para o desenvolvimento do Estado / [João Carlos Gomes, organização].

Leia mais

Municípios em Dados. SUBSECRETÁRIA DE PLANEJAMENTO Cláudia Uchôa Cavalcanti

Municípios em Dados. SUBSECRETÁRIA DE PLANEJAMENTO Cláudia Uchôa Cavalcanti Municípios em Dados SUBSECRETÁRIA DE PLANEJAMENTO Cláudia Uchôa Cavalcanti Equipe da Dimensão Territorial do Planejamento: Haidine da Silva Barros Duarte Francisco Filomeno Abreu Neto Paulo Cesar Figueredo

Leia mais

1/14. Polícia Civil Principais Ocorrências Vítimas Estado RJ por DPs 2010 Números Absolutos

1/14. Polícia Civil Principais Ocorrências Vítimas Estado RJ por DPs 2010 Números Absolutos 1/14 1a. DP 4a. DP 5a. DP 6a. DP 7a. DP 9a. DP 10a. DP 12a. DP 13a. DP Totais Praça Mauá Praça da República Mem de Sá Cidade Nova Santa Teresa Catete Botafogo Copacabana Ipanema Homicídio doloso (total)

Leia mais

CONSELHOS TUTELARES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

CONSELHOS TUTELARES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CONSELHOS TUTELARES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DEMAIS MUNICÍPIOS CT 2 MUNICÍPIO ENDEREÇO TELEFONE CEP ANGRA DOS REIS RUA QUARESMA JÚNIOR, 38 / 202 (22) 9836-0136 / 9830-0136 FAX: (22) 2664-1513 23.900-000

Leia mais

INTERNADOS INVOLUNTARIAMENTE

INTERNADOS INVOLUNTARIAMENTE 2012 RELATÓRIO do MÓDULO DE SAÚDE MENTAL - 2012 O Módulo de Saúde Mental - MSM é um sistema informatizado desenvolvido para o envio das notificações de internações psiquiátricas involuntárias, bem como

Leia mais

1159 18 OFICIO DE NOTAS - SUCURSAL - BARRA DA TIJUCA RIO DE JANEIRO 1096 18 OFICIO DE NOTAS - SUCURSAL ILHA GOVERNADOR RIO DE JANEIRO 1097 22 OFICIO

1159 18 OFICIO DE NOTAS - SUCURSAL - BARRA DA TIJUCA RIO DE JANEIRO 1096 18 OFICIO DE NOTAS - SUCURSAL ILHA GOVERNADOR RIO DE JANEIRO 1097 22 OFICIO Código Serventia Nome da Serventia Município 1214 RCPN 02 DISTRITO CASIMIRO DE ABREU (BARRA S. JO 1216 02 OFICIO DE JUSTICA CASIMIRO DE ABREU 1217 RCPN 01 DISTRITO CASIMIRO DE ABREU 1221 OFICIO UNICO CONCEICAO

Leia mais

Determinação de Mercados Relevantes no Setor de Saúde Suplementar. 25 de junho de 2008

Determinação de Mercados Relevantes no Setor de Saúde Suplementar. 25 de junho de 2008 Determinação de Mercados Relevantes no Setor de Saúde Suplementar 25 de junho de 2008 Estrutura da Apresentação I Objetivo do Trabalho; II Metodologia; e III Estudos de Caso. I Objetivo do Trabalho O objetivo

Leia mais

DIRETORIA GERAL DE LOGÍSTICA DEPARTAMENTO DE INFRAESTRUTURA OPERACIONAL DIVISÃO DE MOVIMENTAÇÃO DE EXPEDIENTES

DIRETORIA GERAL DE LOGÍSTICA DEPARTAMENTO DE INFRAESTRUTURA OPERACIONAL DIVISÃO DE MOVIMENTAÇÃO DE EXPEDIENTES DIRETORIA GERAL DE LOGÍSTICA DEPARTAMENTO DE INFRAESTRUTURA OPERACIONAL DIVISÃO DE MOVIMENTAÇÃO DE EXPEDIENTES MANUAL PARA POSTAGEM DE CORRESPONDÊNCIA DATA DE VIGÊNCIA 01/10/2013 SUMÁRIO 1 CONSIDERAÇÕES

Leia mais

Ministério Público do Rio de Janeiro Av. Marechal Câmara, 370 Centro CEP 20020-080 (em frente ao Protocolo)

Ministério Público do Rio de Janeiro Av. Marechal Câmara, 370 Centro CEP 20020-080 (em frente ao Protocolo) Pontos de coleta Rio de Janeiro Clube Naval Av. Rio Branco, 180 Centro Rio de Janeiro Primeira Igreja Batista do Recreio Rua Helena Manela, 101, Recreio, Rio de Janeiro Superintendência Regional da Receita

Leia mais

HIV/AIDS no Estado do Rio de Janeiro 2013

HIV/AIDS no Estado do Rio de Janeiro 2013 HIV/AIDS no Estado do Rio de Janeiro 2013 Gerência de DST/AIDS/Hepatites Superintendência de Vigilância Epidemiológica e Ambiental Secretaria de Estado de Saúde DADOS GERAIS No Brasil: Prevalência do HIV

Leia mais

LEI Nº 4.914, DE 08 DE DEZEMBRO DE 2006. CAPÍTULO XIV

LEI Nº 4.914, DE 08 DE DEZEMBRO DE 2006. CAPÍTULO XIV LEI Nº 4.914, DE 08 DE DEZEMBRO DE 2006. 1 CAPÍTULO XIV Dos Juízes de Direito nas Comarcas de Angra dos Reis, Araruama, Armação dos Búzios, Barra do Piraí, Belford Roxo, Bom Jesus do Itabapoana, Cabo Frio,

Leia mais

CENTROS DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - CREAS

CENTROS DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - CREAS CENTROS DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - MUNICÍPIOS NOMES ENDEREÇOS TELEFONES EMAILS Angra dos Reis Aperibé Araruama Areal Armação de Búzios Arraial do Cabo Barra do Piraí Barra Mansa

Leia mais

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Dezembro de, Janeiro e Fevereiro de François E. J. de Bremaeker Rio de Janeiro, dezembro de ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Dezembro de, Janeiro

Leia mais

CUSTEIO 339093. Total: 12.860,57. Total: 6.513,13. Total: 8.272,46. Total: 10.317,23 33909302 RESTITUIÇÕES

CUSTEIO 339093. Total: 12.860,57. Total: 6.513,13. Total: 8.272,46. Total: 10.317,23 33909302 RESTITUIÇÕES CREDORES - R.P. e Realizadas - /INVESTIMENTO - Página: Page 1 of 16 02 RESTITUIÇÕES 2º DISTRITO DA COMARCA DE CAMPOS DOS GOYTACAZES CNPJ/CPF: 23064378000154 2º RCPN DA COMARCA DA CAPITAL CNPJ/CPF: 23407222000129

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO SOMANDO FORÇAS Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO Localização: Região Sudeste 57% do PIB Nacional Área: 43.696

Leia mais

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Agosto, Setembro e Outubro de François E. J. de Bremaeker Rio de Janeiro, agosto de ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Agosto, Setembro e Outubro de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - MEC UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - MEC UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - MEC UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO POR MEIO DO SiSU NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016 O Reitor da Universidade

Leia mais

Demanda Potencial e Universidade: notas sobre a Região Metropolitana do Rio de Janeiro

Demanda Potencial e Universidade: notas sobre a Região Metropolitana do Rio de Janeiro Demanda Potencial e Universidade: notas sobre a Região Metropolitana do Rio de Janeiro Documento de Trabalho nº 29 Série Educação em Números Edson Nunes Enrico Martignoni Márcia Marques de Carvalho Março

Leia mais

2º SEMINÁRIO NACIONAL DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ÁREA TEMÁTICA: PLANEJAMENTO TERRITORIAL, POLÍTICAS PÚBLICAS

2º SEMINÁRIO NACIONAL DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ÁREA TEMÁTICA: PLANEJAMENTO TERRITORIAL, POLÍTICAS PÚBLICAS 2º SEMINÁRIO NACIONAL DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ÁREA TEMÁTICA: PLANEJAMENTO TERRITORIAL, POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCAÇÃO BÁSICA NO MUNICÍPIO DE CAMPOS DOS GOYTACAZES: contradições e fracassos Resumo

Leia mais

CRAAI RIO DE JANEIRO Travessa do Ouvidor nº 38-6º andar, Centro Tel.: 2550-9000

CRAAI RIO DE JANEIRO Travessa do Ouvidor nº 38-6º andar, Centro Tel.: 2550-9000 CRAAI RIO DE JANEIRO Travessa do Ouvidor nº 38-6º andar, Centro Tel.: 2550-9000 Comarcas: Promotorias de Justiça da Infância e Juventude da Vara da Infância, da Juventude e do Idoso e Promotorias de Justiça

Leia mais

Q1 Cidade de Residência:

Q1 Cidade de Residência: Q Cidade de Residência: Respondidas: 8 Ignoradas: RIO DE JANEIRO ANGRA DO REIS APERIBE ARARUAMA AREAL ARMACAO DO BUZIOS ARRAIAL DO CABO BARRA DO PIRAI BARRA MANSA BELFORD ROXO BOM JARDIM BOM JESUS DO ITABAPOANA

Leia mais

COMENTANDO O CRESCIMENTO POPULACIONAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Fany Davidovich *

COMENTANDO O CRESCIMENTO POPULACIONAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Fany Davidovich * COMENTANDO O CRESCIMENTO POPULACIONAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Fany Davidovich * Como introdução ao tema, algumas observações se fazem necessárias. Primeiro, deve ser considerado que se trata de um

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO * RESOLUÇÃO N o 746/10 TRE/RJ O TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, e CONSIDERANDO que compete, privativamente, aos Tribunais Regionais, nos

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SISU 1ª EDIÇÃO DE 2016 COMUNICADO OFICIAL Nº 4

PROCESSO SELETIVO SISU 1ª EDIÇÃO DE 2016 COMUNICADO OFICIAL Nº 4 UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PROGRAD PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DAE DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR COSEAC COORDENAÇÃO DE SELEÇÃO ACADÊMICA PROCESSO SELETIVO SISU 1ª EDIÇÃO DE 2016 COMUNICADO

Leia mais

APLICAÇÃO DA TEORIA DOS CONJUNTOS FUZZY NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: UMA ANÁLISE DA GERAÇÃO DE MASSA SALARIAL DA INDÚSTRIA EM 2006.

APLICAÇÃO DA TEORIA DOS CONJUNTOS FUZZY NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: UMA ANÁLISE DA GERAÇÃO DE MASSA SALARIAL DA INDÚSTRIA EM 2006. APLICAÇÃO DA TEORIA DOS CONJUNTOS FUZZY NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: UMA ANÁLISE DA GERAÇÃO DE MASSA SALARIAL DA INDÚSTRIA EM 2006. Guilherme Luis Nilson Pinto de Carvalho Doutorando em Economia UFF Jorge

Leia mais

ATENÇÃO PSICOS. EXTRA-HOSP. ATENÇÃO PSICOS. EXTRA- HOSP res.235 PORTARIAS SIA

ATENÇÃO PSICOS. EXTRA-HOSP. ATENÇÃO PSICOS. EXTRA- HOSP res.235 PORTARIAS SIA 1 PROGRAMAÇÃO PACTUADA E INTEGRADA DA ASSISTÊNCIA À SAÚDE NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO LIMITES FINANCEIROS GLOBAIS MENSAIS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - TETO ABRIL DE 2009 APROVADO EM REUNIÃO

Leia mais

SES/ SAS/ SAECA 4ª reunião ordinária da da CIB CIB

SES/ SAS/ SAECA 4ª reunião ordinária da da CIB CIB SES/ SAS/ SAECA 4ª reunião ordinária da CIB CREDENCIAMENTOS Processo - E-08/05034/2012 - Credenciamento da Unidade de Saúde CAPS-IMBARIÊ, CNES nº 7032862, localizado no Município de Duque de Caxias RJ

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 47 de 2016 O Estado Regionais de Saúde: Litoral Sul Noroeste Baixada Litorânea Médio Paraíba Metropolitana I Serrana Norte Centro Sul Metropolitana II : Tabela de Situação da Dengue

Leia mais

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro - 2007 Lista de Abreviaturas e Siglas FOB Significa livre a bordo (free on board) o vendedor encerra suas obrigações quando a mercadoria

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 20 de 2017 O Estado Regionais de Saúde: Litoral Sul Noroeste Baixada Litorânea Médio Paraíba Metropolitana I Serrana Norte Centro Sul Metropolitana II : Tabela de Situação da Dengue

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 7 de 2017 O Estado Regionais de Saúde: Litoral Sul Noroeste Baixada Litorânea Médio Paraíba Metropolitana I Serrana Norte Centro Sul Metropolitana II : Tabela de Situação da Dengue

Leia mais

Livro Adicional Eletrônico XML

Livro Adicional Eletrônico XML PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA Diretoria Geral de Fiscalização e Apoio às Serventias Extrajudiciais Divisão de Monitoramento Extrajudicial Livro Adicional Eletrônico

Leia mais

Distribuição espacial dos polos regionais do Cederj: uma análise estatística

Distribuição espacial dos polos regionais do Cederj: uma análise estatística 82 doi: 10.1590/S0104-40362016000100004 Distribuição espacial dos polos regionais do Cederj: uma análise estatística Keila Mara Cassiano a Fátima Kzam Damaceno de Lacerda b Carlos Eduardo Bielschowsky

Leia mais

Dia da Consciência Negra - feriados municipais

Dia da Consciência Negra - feriados municipais Nº UF Município 1 AL UNIAO DOS PALMARES 2 AM MANAUS 3 GO FLORES DE GOIAS 4 MG ITAPECERICA 5 MT ACORIZAL 6 MT AGUA BOA 7 MT ALTA FLORESTA 8 MT ALTO ARAGUAIA 9 MT ALTO DA BOA VISTA 10 MT ALTO GARCAS 11 MT

Leia mais

Coordenadoria Regional Metropolitana I E/CR19.R. Coordenadoria Regional Metropolitana II E/CR23.R. Coordenadoria Regional Metropolitana III E/CR26.

Coordenadoria Regional Metropolitana I E/CR19.R. Coordenadoria Regional Metropolitana II E/CR23.R. Coordenadoria Regional Metropolitana III E/CR26. Coordenadoria Regional Metropolitana I E/CR19.R Endereço: Rua: Profª Venina Correa Torres, nº 41 Bairro: Centro Município: Nova Iguaçu CEP: 26.220-100 Abrangência: Nova Iguaçu, Japeri, Mesquita, Nilópolis,

Leia mais

Disciplina: GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Professora: Viviane Japiassú Viana GERENCIAMENTO PARTE 4. Disposição final de resíduos sólidos

Disciplina: GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Professora: Viviane Japiassú Viana GERENCIAMENTO PARTE 4. Disposição final de resíduos sólidos GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOSS PARTE 4 Disposição final de resíduos sólidos Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos Disposição final De acordo com a Resolução CONAMA 358/05, disposição final de

Leia mais

ANÁLISE DE OFERTA DE SERVIÇOS DE CONTABILIDADE NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

ANÁLISE DE OFERTA DE SERVIÇOS DE CONTABILIDADE NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ANÁLISE DE OFERTA DE SERVIÇOS DE CONTABILIDADE NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Paulo Sérgio Siqueira Bastos Rio de Janeiro RJ Contador da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro; Pós-graduado em Controladoria

Leia mais

26.03.10 29.03.10 018216

26.03.10 29.03.10 018216 1 CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ C129 Caderno de turismo do Estado do Rio de Janeiro : passaporte para o desenvolvimento do Estado / [João Carlos Gomes,

Leia mais

Sindicato das Misericórdias e Entidades Filantrópicas e Beneficentes do Estado do Rio de Janeiro.

Sindicato das Misericórdias e Entidades Filantrópicas e Beneficentes do Estado do Rio de Janeiro. Circular 11/2016 Rio de Janeiro, 29 de março de 2016. Ref: Desconto da Contribuição Sindical Ilmo Provedor / Presidente / Diretor Novamente estamos no período do desconto da Contribuição Sindical, anteriormente

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro FEVEREIRO DE 2014 BRASIL O saldo líquido de empregos formais em fevereiro deste ano foi de 260.823 em todo o país, segundo o Cadastro Geral de Empregados

Leia mais

Período (1555-1567) Baía de Guanabara Ocupação francesa (Villegagnon) Colônia de povoamento França Antártida

Período (1555-1567) Baía de Guanabara Ocupação francesa (Villegagnon) Colônia de povoamento França Antártida FORMAÇÃO ECONÔMICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 1. Antecedentes (1500-1555) Hostilidade dos indígenas Sem colonização portuguesa Período (1555-1567) Baía de Guanabara Ocupação francesa (Villegagnon) Colônia

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE - SEA INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE - INEA

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE - SEA INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE - INEA GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE - SEA INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE - INEA RESOLUÇÃO INEA Nº 15 DE 23 DE SETEMBRO DE 2010 ESTABELECE OS PROCEDIMENTOS A SEREM ADOTADOS

Leia mais

RIO DE JANEIRO. xxxxx

RIO DE JANEIRO. xxxxx RIO DE JANEIRO rio de janeiro xxxxx O círculo virtuoso do desenvolvimento ano I 3º Balanço 2011/2014 Apresentação Lançado em 2011 com o objetivo de dar continuidade ao programa que acelerou o crescimento

Leia mais

Rio de Janeiro RIO DE JANEIRO. 5º Balanço. maio/setembro 2O12. O círculo virtuoso do desenvolvimento

Rio de Janeiro RIO DE JANEIRO. 5º Balanço. maio/setembro 2O12. O círculo virtuoso do desenvolvimento RIO DE JANEIRO O círculo virtuoso do desenvolvimento 5º Balanço maio/setembro 2O12 Apresentação A segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) continua quebrando recordes. A cada balanço

Leia mais

DEFINIÇÃO DA ÁREA DE ABRANGÊNCIA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO.

DEFINIÇÃO DA ÁREA DE ABRANGÊNCIA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. DEFINIÇÃO DA ÁREA DE ABRANGÊNCIA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Gláucio José Marafon 1 João Rua 1 Adriana Paula da Silva Galhardo 2 Alvaro Henrique de Souza Ferreira 2 Ivan Luiz de Oliveira

Leia mais

QUEM SÃO OS DESAPARECIDOS? UM ESTUDO DO PERFIL DAS VÍTIMAS DE DESAPARECIMENTO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

QUEM SÃO OS DESAPARECIDOS? UM ESTUDO DO PERFIL DAS VÍTIMAS DE DESAPARECIMENTO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO QUEM SÃO OS DESAPARECIDOS? UM ESTUDO DO PERFIL DAS VÍTIMAS DE DESAPARECIMENTO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Resumo: Vanessa Campagnac Thaís C. Ferraz Thiago Soliva Poucas pesquisas foram realizadas objetivando

Leia mais

Consultoria e Assessoria Técnica de Engenharia à SEA para Elaboração do Plano Estadual de Resíduos Sólidos (PERS)

Consultoria e Assessoria Técnica de Engenharia à SEA para Elaboração do Plano Estadual de Resíduos Sólidos (PERS) GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE SEA Consultoria e Assessoria Técnica de Engenharia à SEA para Elaboração do Plano Estadual de Resíduos Sólidos (PERS) VOLUME 2 Diagnóstico

Leia mais

IDENTIFICANDO CARTOGRAFICAMENTE O ESTADO DO RIO DE JANEIRO

IDENTIFICANDO CARTOGRAFICAMENTE O ESTADO DO RIO DE JANEIRO IDENTIFICANDO CARTOGRAFICAMENTE O ESTADO DO RIO DE JANEIRO Localizado na região sudeste o estado Rio de Janeiro possui área de 43.766,6 km2 e é o vigésimo quarto estado brasileiro em extensão territorial,

Leia mais

Distribuição Eletrônica de Execuções Fiscais

Distribuição Eletrônica de Execuções Fiscais Distribuição Eletrônica de Execuções Fiscais Requisitos: Para que a distribuição eletrônica ocorra são necessários: 1. Um sistema apto a criar um arquivo de texto cujos dados estejam de acordo com a formatação

Leia mais

CONSELHO DIRETOR ATO DO CONSELHO DIRETOR RESOLUÇÃO INEA Nº 120 DE 17 DE JUNHO DE 2015.

CONSELHO DIRETOR ATO DO CONSELHO DIRETOR RESOLUÇÃO INEA Nº 120 DE 17 DE JUNHO DE 2015. Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado do Ambiente SEA Instituto Estadual do Ambiente INEA CONSELHO DIRETOR ATO DO CONSELHO DIRETOR RESOLUÇÃO INEA Nº 120 DE 17 DE JUNHO DE 2015. PRORROGA

Leia mais

PROGRAMA O Drama MAIS da Inclusã EDUCAÇÃO - o PME Perversa

PROGRAMA O Drama MAIS da Inclusã EDUCAÇÃO - o PME Perversa PROGRAMA MAIS O Drama EDUCAÇÃO da Inclusão - PME Perversa Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Diretoria de Currículos e Educação Integral Construção da Política de Educação Integral no

Leia mais

Melhorando o ambiente de negócios no Brasil: ações para reduzir a burocracia

Melhorando o ambiente de negócios no Brasil: ações para reduzir a burocracia Janeiro/2014 Melhorando o ambiente de negócios no Brasil: ações para reduzir a burocracia Diretoria de Desenvolvimento Econômico e Associativo Gerência de Competitividade Industrial e Investimentos Expediente

Leia mais

Melhorando o ambiente de negócios no Brasil: ações para reduzir a burocracia

Melhorando o ambiente de negócios no Brasil: ações para reduzir a burocracia Janeiro/2014 Melhorando o ambiente de negócios no Brasil: ações para reduzir a burocracia Diretoria de Desenvolvimento Econômico e Associativo Gerência de Competitividade Industrial e Investimentos Expediente

Leia mais

2º Balanço. Julho - Setembro 2011. Rio de Janeiro

2º Balanço. Julho - Setembro 2011. Rio de Janeiro 2º Balanço Julho - Setembro 2011 Apresentação O programa que mudou o Brasil agora está de cara nova. Mais recursos para continuar construindo a infraestrutura logística e energética e sustentar o crescimento

Leia mais

E SEUS EFEITOS SOBRE AS

E SEUS EFEITOS SOBRE AS OS INVESTIMENTOS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E SEUS EFEITOS SOBRE AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS ESTUDO ESTRATÉGICO SEBRAE/RJ Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio do Janeiro Rua

Leia mais

PANORAMA DA PISCICULTURA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Augusto da Costa Pereira Pesquisador e Biólogo F I P E R J

PANORAMA DA PISCICULTURA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Augusto da Costa Pereira Pesquisador e Biólogo F I P E R J PANORAMA DA PISCICULTURA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Augusto da Costa Pereira Pesquisador e Biólogo F I P E R J MUNDIAL Produção Mundial de Pescado,5 milhões de toneladas FAO - 2 5,6 milhões ton. Consumo

Leia mais

MAPA DE VULNERABILIDADE DA POPULAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO AOS IMPACTOS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NAS ÁREAS SOCIAL, SAÚDE E AMBIENTE

MAPA DE VULNERABILIDADE DA POPULAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO AOS IMPACTOS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NAS ÁREAS SOCIAL, SAÚDE E AMBIENTE FEVEREIRO DE 2011 MAPA DE VULNERABILIDADE DA POPULAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO AOS IMPACTOS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NAS ÁREAS SOCIAL, SAÚDE E AMBIENTE Coordenação Geral Martha Macedo de Lima Barata

Leia mais

Nome da Unidade Endereço da Unidade Telefone da Unidade E-mails funcionais dos Membros

Nome da Unidade Endereço da Unidade Telefone da Unidade E-mails funcionais dos Membros PROMOTORIA DE JUSTIÇA JUNTO ÀS TURMAS RECURSAIS CRIMINAIS DA CAPITAL AVENIDA MARECHAL CÂMARA 350 7º ANDAR 20020080 CENTRO RIO DE carlara@mprj.mp.br PROMOTORIA DE JUSTIÇA JUNTO AO XVIII JUIZADO ESPECIAL

Leia mais

Vagas 3ª Rodada de 2015

Vagas 3ª Rodada de 2015 Vagas 3ª Rodada de 2015 Unidade Curso Vagas CDD PORTELA OPERADOR DE COMPUTADOR 90 CETEP ALEMÃO AGENTE DE INFORMAÇÕES TURÍ STICAS 30 CETEP ALEMÃO CABELEIREIRO 50 CETEP ALEMÃO CONFEITEIRO 50 CETEP ALEMÃO

Leia mais

Planejando o futuro com sustentabilidade

Planejando o futuro com sustentabilidade Planejando o futuro com sustentabilidade Programas em andamento Construção de unidades habitacionais (Minha Casa, Minha Vida; Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social (FNHIS) e recursos próprios).

Leia mais

A educação no Rio de Janeiro

A educação no Rio de Janeiro A educação no Rio de Janeiro Simon Schwartzman Na década de 90, em todo o Brasil, o acesso à educação melhorou, e o Rio de Janeiro não ficou atrás. Antes, não havia escolas suficientes para todas as crianças.

Leia mais

EFICIÊNCIA DOS GASTOS MUNICIPAIS EM SAÚDE E EDUCAÇÃO: UMA INVESTIGAÇÃO ATRAVÉS DA ANÁLISE ENVOLTÓRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

EFICIÊNCIA DOS GASTOS MUNICIPAIS EM SAÚDE E EDUCAÇÃO: UMA INVESTIGAÇÃO ATRAVÉS DA ANÁLISE ENVOLTÓRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EFICIÊNCIA DOS GASTOS MUNICIPAIS EM SAÚDE E EDUCAÇÃO: UMA INVESTIGAÇÃO ATRAVÉS DA ANÁLISE ENVOLTÓRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TEMA : Eficiência e Efetividade do Estado no Brasil. Introdução A necessidade

Leia mais

Saneamento no estado do Rio de Janeiro Cobertura e Oportunidades de Investimentos

Saneamento no estado do Rio de Janeiro Cobertura e Oportunidades de Investimentos Novembro/2017 Saneamento no estado do Rio de Janeiro Cobertura e Oportunidades de Investimentos Saneamento básico é o conjunto de serviços, infraestruturas e instalações operacionais de abastecimento de

Leia mais

PLANO REGIONAL DE SANEAMENTO COM BASE MUNICIPALIZADA NAS MODALIDADES ÁGUA, ESGOTO E DRENAGEM URBANA APRESENTAÇÃO

PLANO REGIONAL DE SANEAMENTO COM BASE MUNICIPALIZADA NAS MODALIDADES ÁGUA, ESGOTO E DRENAGEM URBANA APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO Este documento corresponde ao Plano Regional de Saneamento com Base Municipalizada nas Modalidades Água, Esgoto e Drenagem Urbana, em conformidade com o Contrato nº. 009/2012/AGEVAP. A elaboração

Leia mais

O Desenvolvimento Humano no Estado do Rio de Janeiro na década de 90: uma análise comparada

O Desenvolvimento Humano no Estado do Rio de Janeiro na década de 90: uma análise comparada O Desenvolvimento Humano no Estado do Rio de Janeiro na década de 90: uma análise comparada Eduardo Neto Érica Amorim Mauricio Blanco Rudi Rocha 1. Introdução Ao longo da última década, o Brasil vêem experimentando

Leia mais

DESBUROCRATIZAÇÃO ELETRÔNICA NOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (EDIÇÃO 2005)

DESBUROCRATIZAÇÃO ELETRÔNICA NOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (EDIÇÃO 2005) ASSESSORIA DE INFRA ESTRUTURA E NOVOS INVESTIMENTOS IEL-RJ INSTITUTO EUVALDO LODI DESBUROCRATIZAÇÃO ELETRÔNICA NOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (EDIÇÃO 2005) Dezembro de 2005 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS

Leia mais

Impacto de grandes empreendimentos na dinâmica populacional: Campos dos Goytacazes e São João da Barra 1

Impacto de grandes empreendimentos na dinâmica populacional: Campos dos Goytacazes e São João da Barra 1 Impacto de grandes empreendimentos na dinâmica populacional: Campos dos Goytacazes e São João da Barra 1 Gustavo Henrique Naves Givisiez 2 Universidade Federal Fluminense ghnaves@globo.com Elzira Lúcia

Leia mais

Seção Nº Linha/Seção Cat Tipo. Tarifa (R$)

Seção Nº Linha/Seção Cat Tipo. Tarifa (R$) Seção Nº Linha/Seção Cat Tipo Tarifa (R$) RJ 101 AUTO ÔNIBUS FAGUNDES LTDA. 0 430 M Niterói - São José SA O 3,60 0 431 M Niterói - Monjolos SA C 3,60 0 701 M Alcântara - Itaboraí (via Bernardino) SA O

Leia mais

Polícia Civil Principais Ocorrências Registro Interior - RJ 2010 Números Absolutos

Polícia Civil Principais Ocorrências Registro Interior - RJ 2010 Números Absolutos 1/8 Totais 88a. DP 89a. DP 90a. DP 91a. DP 92a. DP 93a. DP 94a. DP 95a. DP 96a. DP 97a. DP 98a. DP 99a. DP 100a. DP 101 DP 104a. DP 105a. DP Barra do Piraí Resende Barra Mansa Valença Rio das Flores Volta

Leia mais

Rio de Janeiro: perfil econômico, evolução recente e perspectivas

Rio de Janeiro: perfil econômico, evolução recente e perspectivas Rio de eiro: perfil econômico, evolução recente e perspectivas Tabela 1 Composição do Produto Interno Bruto 2011 Este boxe aborda a estrutura produtiva e a evolução recente, bem como explora as perspectivas

Leia mais

Perfil Sócio Econômico Projetos Região Médio Paraíba. Escritório Regional do Médio Paraíba Abril de 2011

Perfil Sócio Econômico Projetos Região Médio Paraíba. Escritório Regional do Médio Paraíba Abril de 2011 Perfil Sócio Econômico Projetos Região Médio Paraíba Escritório Regional do Médio Paraíba Abril de 2011 Contextualização da Região Mapa da Região Municípios da Região Itatiaia; Quatis Resende Porto Real

Leia mais

Diário Oficial Rio de Janeiro 09 de novembro de 2009 Parte I - A

Diário Oficial Rio de Janeiro 09 de novembro de 2009 Parte I - A Diário Oficial Rio de Janeiro 09 de novembro de 2009 Parte I - A REGULAMENTO O CORREGEDOR-GERAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, no exercício de suas atribuições legais, tendo em vista o disposto no art. 49, 1º,

Leia mais

CENTRO DE INTERNET COMUNITÁTRIA - CICS

CENTRO DE INTERNET COMUNITÁTRIA - CICS Araruama Rua Dr. Bernardo Vasconcelo, nº 425 - Centro CENTRO DE INTERNET COMUNITÁTRIA - CICS RELAÇÃO DOS ENDEREÇOS DOS CICS - MUNICÍPIOS Arraial do Cabo Rua Duque de Caxias, n 37 Praia dos Anjos Centro

Leia mais

Conselho Deliberativo

Conselho Deliberativo Conselho Deliberativo Presidente Jonas Lopes de Carvalho Junior Vice-Presidente Aluisio Gama de Souza Conselheiros José Gomes Graciosa Marco Antonio Barbosa de Alencar José Maurício de Lima Nolasco Julio

Leia mais

PAINEL REGIONAL RIO DE JANEIRO

PAINEL REGIONAL RIO DE JANEIRO PAINEL REGIOL M É D I O P A R A Í B A RIO DE JANEIRO PAINEL REGIOL MÉDIO PARAÍBA RIO DE JANEIRO 2013 SEBRAE/RJ Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio do Janeiro Rua Santa Luzia,

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ATOS DO DEFENSOR PÚBLICO GERAL DE 30.03.2015

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ATOS DO DEFENSOR PÚBLICO GERAL DE 30.03.2015 DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ATOS DO DEFENSOR PÚBLICO GERAL DE 30.03.2015 APROVA A TABELA DE PLANTÃO DOS DEFENSORES PÚBLICOS PARA O MÊS DE ABRIL DE 2015, NOS TERMOS DA RESOLUÇÃO Nº 430/2007:

Leia mais

ROTINA PARA ATENDIMENTO DOS CASOS DE TUBERCULOSE RESISTENTE ÀS DROGAS

ROTINA PARA ATENDIMENTO DOS CASOS DE TUBERCULOSE RESISTENTE ÀS DROGAS ROTINA PARA ATENDIMENTO DOS CASOS DE TUBERCULOSE RESISTENTE ÀS DROGAS (Referência Terciária) I- Introdução A rotina para atendimento aos pacientes com tuberculose resistente às drogas está sendo redesenhada

Leia mais

1ª RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 01, DE 22 DE SETEMBRO DE 2014

1ª RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 01, DE 22 DE SETEMBRO DE 2014 1ª RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 01, DE 22 DE SETEMBRO DE 2014 A Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, Desembargadora LEILA MARIA CARRILO CAVALCANTE RIBEIRO MARIANO, no uso das atribuições

Leia mais

Equipe: RENATA BARBOSA DE ARAÚJO DUARTE

Equipe: RENATA BARBOSA DE ARAÚJO DUARTE As Micro e Pequenas Empresas na Exportação Brasileira Brasil 1998-2009 EDITORIAL Presidente do Conselho Deliberativo Nacional: ROBERTO SIMÕES Diretor-Presidente: PAULO TARCISO OKAMOTTO Diretor Técnico:

Leia mais

COMARCAS DO INTERIOR. NITERÓI, SÃO GONÇALO, MARICÁ e ITABORAÍ Alcântara - 2ª Promotoria de Justiça de Alcântara 05 (sábado)

COMARCAS DO INTERIOR. NITERÓI, SÃO GONÇALO, MARICÁ e ITABORAÍ Alcântara - 2ª Promotoria de Justiça de Alcântara 05 (sábado) COMARCAS DO INTERIOR NITERÓI, SÃO GONÇALO, MARICÁ e ITABORAÍ Alcântara - 2ª Promotoria de Justiça de Alcântara Voluntário: Érika da Rocha Figueiredo Alcântara Promotoria de Justiça junto à 1ª Vara 06 (domingo)

Leia mais

Sistema DCP. Provimento CGJ 63/2012. Alvará de Soltura Interior

Sistema DCP. Provimento CGJ 63/2012. Alvará de Soltura Interior Sistema DCP Provimento CGJ 63/2012 Alvará de Soltura Interior Índice 1. Informações Iniciais... 3 2. Utilização do Texto Alvará de Soltura... 3 2.1. Andamento 52 - Digitação de Documentos... 3 3. Recebimento

Leia mais