UTR Hadron Solução Completa para Supervisão de Energia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UTR Hadron Solução Completa para Supervisão de Energia"

Transcrição

1 UTR Hadron Solução Completa para Supervisão de Energia

2

3 Objetivo do Workshop Demonstrar aos participantes como a funcionalidade e as vantagens da Série Hadron agregam valor ao processo produtivo, através do seu diferencial tecnológico e da redução de custos de implantação e custos operacionais.

4 Programa do Workshop 1 - UTR Hadron 2 - Módulos de E/S 3 - Arquiteturas 4 - Protocolos de Comunicação 5 - ProHadron 6 - Desenvolvendo um projeto no MasterTool 7 - Sincronismo com GPS 8 - Principais Cases de Sucesso 9 - Demonstração Prática

5 UTR Hadron

6 Aplicações UTR Hadron Sistemas de geração de energia elétrica Sistemas de distribuição de energia elétrica Supervisão e controle de energia elétrica Aquisição de dados e registro de eventos Intertravamentos de segurança

7 UTR Hadron Série HADRON de Unidades Terminais Remotas (UTRs) UTE (Usina Termoelétrica), UHE (Usina Hidroelétrica) e PCH (Pequenas Centrais Hidroelétricas) Automação de subestações de energia Execução de funções de supervisão, telecomando e intertravamento Atende as normas elétricas vigentes e protocolos de comunicação padronizados (IEC e DNP 3.0) Software de configuração amigável ProHadron

8 Canais de comunicação Ethernet, MODBUS e PROFIBUS-DP estão disponíveis para interligar dispositivos de campo aos padrões de comunicação do setor elétrico UTR Hadron Multi-processadas Software e hardware Possibilita o controle de diversos tipos de entradas e saídas Até 2048 pontos por configuração Módulos especializados Sistema modular composto por módulos definidos de acordo com a necessidade de cada aplicação no setor elétrico

9 UTR Hadron Comandos digitais com ou sem seleção SBO (Select Before Operate) Verificação de hardware (CBO, Check Before Operate), aumentando a confiabilidade do sistema Garante que a saída selecionada é aquela que será realmente acionada (seleção e verificação) e que as saídas não sejam acionadas quando não forem selecionadas. Protocolos padronizados com ambiente amigável de configuração Sincronismo com GPS ou protocolos seriais Possibilidade de execução de intertravamentos e lógicas de controle

10 Ethernet Industrial Arquiteturas distribuídas com supervisão local Supervisão e controle de geração Rede Ethernet ótica redundante Supervisório Supervisório Banco Dados Centro Operação do Sistema DNP/IEC Industrial Ethernet TCP/IP

11 Todas telas de supervisão armazenadas na própria remota, sem necessidade de software de supervisão Acesso remoto via Intranet, WebServer na remota e browsers Comunicação via WebServer

12 Módulos de E/S

13 Ampla gama de módulos de entrada e saída E/S remotas e/ou distribuídas Aquisição e tratamento de entradas analógicas e digitais com várias opções de interfaces elétricas para os sinais de campo Entradas analógicas de 16bits com calibrarão e parametrização digital Capacidade de troca a quente (Substituição de módulos de E/S sem que o processamento tenha que ser suspenso) Módulos de E/S

14 Sistema E/S Distribuído Interligação de bastidores via elétrica ou ótica Bastidores com até 16 módulos de E/S Distância até 100 metros no padrão elétrico Centro de Operação do Sistema Módulos de Entradas e Saídas Sensores de Campo

15 E/S para UTRs AL-3130 Utilizados com a UTR Hadron, CPs Módulos de entrada simples e/ou registro de eventos Troca a quente AL pontos de entrada analógica isolados com resolução de 16 bits (I e/ou V) Configuração de cada entrada de forma independente AL pontos de saída digital a relé CBO (Check Before Operate) AL-3202 AL-3130 AL-3150

16 AL pontos de entrada digital com registro de eventos ( resolução de 1ms ) Capacidade de armazenamento independente da UCP: 160 eventos Relógio próprio, sincronizado com a UCP Microprocessador dedicado à aquisição de eventos no próprio módulo Filtragem digital configurável de 1 até 250ms Pontos podem ser usados como entradas normais Opto acoplamento, isolamento de 2500VDC Atende as normas de ruído da área elétrica Troca a quente AL-3130

17 16 entradas analógicas isoladas, 2500Vdc Resolução de 16 bits, conversor A/D de 24 bits Entradas configuráveis totalmente por software, para qualquer escala de corrente ou tensão Calibração automática por microprocessador Não utiliza Trimpots e Dip-swichtes Diagnóstico contínuo das entradas e conversores A/D Referência para aferição Atende as normas de ruído da área elétrica Troca a quente AL-3150 AL-3150

18 32 saídas contato seco CBO - "Check Before Operate a nível de software e hardware Módulo microprocessado, com diagnóstico, auto teste e funções pré-programadas Saídas programáveis: contínua, temporizada, Raise-lower", "Trip-close", Set-point" Supervisão da bobina do relé de saída Opto acoplamento, isolamento de 2500Vdc Atende às normas de ruído da área elétrica Troca a quente AL-3202 AL-3202

19 Arquiteturas

20 Arquitetura Hadron Centro 1 Centro 2 IEC ou DNP V3.00 escravo Rede Medidores - Modbus Entradas e Saídas Rede de Relés

21 Arquitetura Hadron Centro IEC ou DNP V3.00 escravo CONCENTRADOR Rede de Controle Entradas e Saídas Rede Medidores - Modbus Rede de Relés

22 Arquitetura Hadron Centro IEC ou DNP V3.00 escravo Concentrador de Protocolos DNP V3.0 Protocolo proprietário mestre (ex. Conitel)

23 Protocolos de comunicação

24 Sincronização de relógio Transmissão de comandos Comando direto "Set point" direto Comando com seleção prévia Comando de seleção e execução Nenhuma informação adicional Pulso de curta duração Pulso de longa duração Saída persistente Implementações do IEC 101 Transmissão de totais integrados Contadores implementados através de módulo QK1450 Congelamento com ou sem "reset" do contador, automática e periodicamente na própria remota, através de configuração prévia Possibilidade de envio espontâneo de ASDU tipo 16 após congelamento Interrogação de contador geral Interrogação individual de contador por grupo: 1, 2,3, 4

25 Protocolos de Comunicação Comunicação com o Centro de Operação do Sistema Protocolo IEC escravo, implementado através do driver de comunicação AL-2739 Protocolo DNP V3.0 escravo Configuração independente das bases de dados Protocolo Industrial Ethernet Comunicação simultânea local ou remota com até 8 protocolos Processadores de comunicação dedicados para comunicação com COS (Centro de Operação do Sistema) Redundância de meio físico para comunicação com COS Centro de Operação do Sistema

26 IEDs e E/S Remotas Processadores independentes para interface com IEDs (Intelligent Electronic Devices) Relés digitais MDGEs... Protocolos MODBUS RTU e outros Rede de campo PROFIBUS-DP 12Mhz IEDs Centro de Operação do Sistema Industrial Ethernet TCP/IP E/S remotas

27 Arquitetura Centro de Operação 1 Centro de Operação 2 Centro de Operação 3 Centro de Operação 4 AL-2005 (1) AL-2005 (2) AL-2005 (3) AL-2005 (4) UTR HD3001 Driver de Comunicação Configuração e Base de Dados BIOS S.O. Multi-tarefa Driver de Comunicação Configuração e Base de Dados BIOS S.O. Multi-tarefa AL-2004 Driver de Comunicação Configuração e Base de Dados BIOS S.O. Multi-tarefa Driver de Comunicação Configuração e Base de Dados BIOS S.O. Multi-tarefa Configuração, Programa Aplicativo (intertravamentos, automatismos) Módulos de E/S Entradas e Eventos Digitais (AL-313x) Saídas Digitais CBO (AL-3202) Entradas Analógicas (AL-3150) IED Modbus, DNP, Courier, PROFIBUS... Pontos virtuais Sub-bastidores

28 ProHadron

29 ProHadron Programa Aplicativo Hadron Executa as funções da remota Módulos de software que devem ser carregados e executados na UCP AL-2003 para tornar a remota operacional Armazena a configuração de pontos e grupos do sistema, segundo o formato IEC Gerada pelo configurador ProHadron HD3800 Módulos que fazem parte da remota Tipos (saída, entrada, ponto digital, analógico, contador) I/O local, IED. Objetos e formatos Protocolo de comunicação Forma de sincronização

30 Configuração

31 Desenvolvendo um projeto no Mastertool

32 MasterTool Usado para configuração, programação e manutenção da remota Permite desenvolvimento de aplicações customizadas: Configuração do driver escravo para comunicação com Centros de Operação Configuração de drivers mestre de comunicação que executam no processador AL-2005 Intertravamentos e bloqueios implementados na UCP AL-2003 ou AL-2004

33 Programa Aplicativo Intertravamento Automatismos (sequenciamento) Integração de protocolos (Gateway) Linguagem diagrama de relés (ladder) blocos lógicos funções e sub-rotinas Carga de módulos "on-line" Programação

34 Configuraçõ ções

35 Configurando Barramento

36 Configurando Barramento

37 Criando um Módulo M Novo Clique no botão para criar um módulo novo Aparecerá uma tela contendo várias opções de módulos, selecione o módulo principal, (E001) Pode-se alterar o nome do módulo na tela de seleção Editando o Programa:

38 Editando o Programa Editando o Programa Após a conclusão da edição, clique no botão (Salvar Módulo) e feche o módulo ou clique no menu <Edição> <Encerrar Modificações> Comunicação Menu <Opções> <Comunicação> Conectar cabo (AL-1390 ou AL-1342)

39 Enviando o Projeto para a UCP Menu <Comunicação> <Ler/Enviar Módulos>, aparecerá uma janela como mostra a figura abaixo

40 Apenas para IEC 101 escravo Módulo F-HADRON.074

41 Carregador AL-3860 Necessário para carregar os drivers de comunicação e outros aplicativos no co-processador AL-2005 Executa operações de manutenção, como leitura de diretório de aplicativos já carregados e remoção dos mesmos

42 Drivers e Softwares Código AL-2734 AL-2738 AL-2739 AL-2743 / AL-2741 Código AL-2783 AL-3860 MT4000 MT410 Driver Modbus Mestre/Escravo Descrição Driver Courier Mestre (para relés de proteção das Séries K e L da Alstom) Driver IEC Escravo Driver DNP Mestre /Driver DNP Escravo Descrição Software GPSync para Windows NT e Windows 2000 Software carregador de aplicativos para AL-2005 Software MasterTool Programming MT4000 para Windows 95 e Windows 98 Software MasterTool Programming MT4100 para Windows NT e Windows 2000

43 Sincronismo com GPS

44 Sincronismo com GPS Permite sincronizar uma ou mais remotas Hadron através de módulos AL-1423 e AL-1424 AL-1423: conecta-se diretamente ao AL-1480, realizando a interface com o GPS AL-1424: desempenha o papel de interface e repetidor de sincronismo Utilizando a rede AllSync para ser receptor de GPS Receptor AL-1480 Módulos AL-1423 e AL-1424 AL Realiza interface com o GPS

45 Exemplo da Rede AllSync UTR Hadron NMEA-0183 / PPS AL-1424 NMEA-0183 / PPS AL-1480 NMEA-0183 / PPS IRIG-B AM AL-1424 NMEA-0183 / PPS IRIG-B DC (TTL) RS485 IRIG-B AM AL-1424 IRIG-B DC (TTL) AL-1423 Ótico RS485 IED IED IED IED AL-1424 Ótico AL-1424 NMEA-0183 / PPS NMEA-0183 / PPS NMEA-0183 / PPS NMEA-0183 / PPS NMEA-0183 / PPS AL-1424 NMEA-0183 / PPS UTR Hadron UTR Hadron UTR Hadron

46 Principais Cases de Sucesso

47 Cases UTR Hadron SE Água Vermelha, cliente final Furnas Um bay de banco de transformador de 550/460 kv 9 módulos de entrada digital, 2 módulos entrada analógica, 1 módulo saída digital Supervisão de disjuntores, seccionadores, alarmes, etc. Comunicação Centro de Operação por duplo canal redundante com o protocolo IEC Intertravamentos de comandos e comunicação com IEDs, através de protocolo Courier adquirindo dados de reles de proteção Alstom (Linha K) Sincronização através de GPS

48 Cases UTR Hadron SE Blumenau, cliente final ECTE Uma linha de transmissão com um Trafo de 525/230 kv 3 módulos de entrada digital, 3 módulos de entrada analógica, 1 módulo de saída Supervisão de disjuntores, seccionadores, alarmes, etc. Comunicação com Centro de Operação por duplo canal redundante através do protocolo IEC Intertravamentos de comandos Comunicação com IEDs através dos protocolos Courier e Modbus adquirindo dados de relés de proteção Alstom (Linha K). Sincronização através de GPS

49 Cases UTR Hadron SE Ibiuna, cliente final Furnas 2 vãos 500 kv com arranjo disjuntor e meio com reatores shunt para interligação com a SE Bateias 2 vãos de auto-trafos 500/345/13,8 kv 7 remotas com um total de 1718 entradas digitais, 293 saídas digitais e 172 entradas analógicas Comunicação com o Centro de Supervisão local por dois canais duplos redundantes com o protocolo IEC Intertravamentos de comandos e comunicação com IEDs através dos protocolos Courier e Modbus adquirindo dados de relés de proteção Sincronização através de rede formada por receptor de GPS AL-1480 e interfaces/repetidores AL-1422

50 Hidroelétrica de Fortuna - Paraná

51 Hidroelétrica de Fortuna Sincronismo entre UCPs Análise detalhada de pontos referentes ao sistema de alimentação de emergência Rejeição de cargas seletiva Reaceleração de cargas desligadas por subtensão Controle de demanda e fator de potência Supervisão do sistema de proteções convencional ou digitalizado

52 Hidroelétrica de Fortuna Possibilidade de comunicação entre as remotas independente do centro de controle Controle e supervisão de disjuntores, barras e valores analógicos (tensão, corrente, potência, energia,...) dos serviços auxiliares da planta. Dados sobre os transformadores elevadores. Registro e apresentação gráfica de Trend Histórico de qualquer valor analógico.

53 Benefícios do sistema Supervisão e comando a distância. Operação da Usina e Subestação executada diretamente a partir das estações de trabalho. Indicação e ação imediata sobre complexos processos de segurança e controle Agilização da manutenção da usina através da representação gráfica do processo e telediagnóstico Aumento da Produtividade de operação de todo sistema, reduzindo custos e melhorando o nível de resposta. Diminuição do tempo de parada através de detecção rápida sobre as origens das falhas do sistema Processo otimizado pela segurança

54 Arquitetura Win NT RISC/OWS1 RISC/OWS2 RISC / BD Win NT Modem RISC/MWS1 RISC/MWS2 Rede Ethernet TCP-IP hub hub Rede Ethernet Alnet II IHM 5 Substação Win NT IHM 1 IHM 2 Auxiliares IHM 3 Win NT Gerador 1 Gerador 2 Gerador 3

55 Usina de Paraibuna São José dos Campos - SP

56 Projeto UHE Paraibuna possui duas unidades geradoras com potência total de 86 Mwats Foram utilizadas três Unidades de Aquisição e Controle - UAC's Altus modelo AL-2003 para a automação. As UAC's 1 e 2 são responsáveis pela automação das Unidades Geradoras 1 e 2 respectivamente e a UAC3 cuida dos Serviços Auxiliares e Subestação Elétrica Cada UAC possui dois Controladores Programáveis, operando como Controlador Principal e Controlador Retaguarda. As entradas e saídas fundamentais ao processo são conectadas simultaneamente nos dois controladores. Caso ocorra problema no Controlador Principal o Controlador Retaguarda assume automaticamente o controle do ponto onde o Controlador Principal parou. Em caso de falha dos dois Controladores a UAC passa automaticamente o controle para modo convencional. O sistema convencional foi mantido a pedido do cliente e é responsável por uma operação semi automática da usina através de reles. As informações do sistema são monitoradas remotamente pelo Posto de Engenharia de Manutenção que fica em São Paulo.

57 Projeto As UAC's registram eventos digitais com resolução de 1 ms ( SOE ) e são sincronizadas via GPS. Os comandos são do tipo Check Before Operate ( CBO ). Os sinais analógicos são aquisitados diretamente na UAC com resolução de 16 bits e através de rede Modbus de Unidades Terminais Remotas que aquisitam as informações de campo e Medidores de Grandezas Elétricas. Os módulos da UAC possuem troca a quente possibilitando a troca dos mesmos sem a necessidade de desligamento do Controlador. Entre as funções executadas pelas UAC's destacam-se : Partida e parada automática das Unidades Geradoras, Controle individual e Conjunto de Potência Ativa, Reativa e Tensão de Barra, seqüência de manobras em disjuntores, revezamento de equipamentos por tempo de operação, seqüência de eventos com resolução de 1 ms. O operação das UAC's é feita através de Interface Homem Máquina redundante que são computadores industriais executando um sistema de supervisão especialmente configurado para atender as exigências de operação de uma Usina Hidrelétrica.

58 Vantagens Vantagens da aplicação Otimização da operação : O operador tem acesso a todas as informações de forma centralizada via computador, minimizando a necessidade de deslocamentos até os equipamentos Agilização da Manutenção : Em caso de ocorrência de alguma anormalidade que envolva as Unidades Geradoras e Serviços auxiliares, o sistema memoriza a seqüência de eventos digitais e analógicos envolvidos e permite uma ação mais direcionada da manutenção diminuindo o tempo de parada das Unidades Geradoras Padronização da operação : Através das Interfaces Homem Máquina permite maior padronização das operações da usina e registro das ações operacionais para posterior análise Manutenção Preventiva : Todos os principais equipamentos são acompanhados com relação a tempo de operação ou número de manobras efetuadas avisando a manutenção o momento de parada para manutenção periódica evitando quebras

59 Usina de Funil

60 Arquitetura SISTEMA DE MEDIÇÃO, CONTROLE E SUPERVISÃO DIGITAL DA USINA DE FUNIL SALA DE COMANDO DA USINA Monitor Monitor UTP Cat5 Ethernet TCP/IP 400 mts. SALA DE COMANDO DA SE 230kV HUB 3COM TP4 UTP Cat5 UTP Cat5 Modem DT32B/TOP IEC SAGE Splitter MS-6 TL074A-R3 Modem DT32B/TOP IEC Impressora AL-2301 AL-2300 AL-2600 AL-2600 Microcomputador com AL-2420 AL-2320 AL-2300 RS232 Modem DT32B/TOP Manutenção Bastidores FOCOS Fibra Óptica Multimodo 400 mts. Monitor Monitor Microcomputador com AL-2420 AL-2320 Bastidor FOCOS Monitor Microcomputador com AL-2420 Monitor Bastidor FOCOS AL-2320 Impressora AL-2301 Bridges QK2401 AL-2600 AL-2300 AL-2320 Fibra Óptica Multimodo 400 mts. AL-2301 AL-2301 AL-2301 AL-2301 AL-2301 AL-2600 AL-2600 AL-2600 AL-2600 AL-2600 AL-2300 AL-2300 AL-2300 AL-2300 AL-2300 AL-1710 AL-1421 GPS TRUE TIME MODELO XL-AK-101 AL-1397 AL-1397 AL-1397 AL-1397 AL-1305 Remota Gerador 1 Remota Gerador 2 Remota Gerador 3 AL-2301 AL-2301 AL-2301 Remota Serviços Auxiliares AL-2301 Remota Subestação AL-1413 AL-1413 AL-1413 AL1413 AL-1413

61 Demonstração Prática

62

Sistemas de geração de energia elétrica Sistemas de distribuição de energia elétrica Supervisão e controle de energia elétrica Aquisição de dados e

Sistemas de geração de energia elétrica Sistemas de distribuição de energia elétrica Supervisão e controle de energia elétrica Aquisição de dados e Sistemas de geração de energia elétrica Sistemas de distribuição de energia elétrica Supervisão e controle de energia elétrica Aquisição de dados e registro de eventos Intertravamentos de segurança Série

Leia mais

Soluções Completas para G eração Elétrica

Soluções Completas para G eração Elétrica Soluções Completas para G eração Elétrica An alliance company Principais Instalações/Projetos Cliente Número de Projetos CEGELEC 11 CESP 4 USP 2 ALSTOM 3 CEEE 1 PETROBRAS 1 ALCAN 1 LIGHT 1 ESTRELLA Y LOS

Leia mais

Controladores Programáveis. altus evolução em automação

Controladores Programáveis. altus evolução em automação Controladores Programáveis altus evolução em automação Séries PX Alta disponibilidade e confiabilidade A Altus desenvolveu as Séries PX associando qualidade e alta tecnologia. Elas são compostas por equipamentos

Leia mais

DIRETORIA DE OPERAÇÃO - DO

DIRETORIA DE OPERAÇÃO - DO ANEXO II ESPECIFICAÇÕES PARA UCD / CONCENTRADOR DE DADOS A2. Unidade Controle Digital Remota / Concentrador de Dados 2.1. Introdução Esta seção tem a finalidade de especificar tecnicamente a Unidade de

Leia mais

Características e Configuração da Série Ponto

Características e Configuração da Série Ponto Série Ponto A Série Ponto oferece a melhor solução para sistemas de controle distribuído com E/S remotas. Possui uma arquitetura flexível que permite o acesso a módulos remotos via diferentes padrões de

Leia mais

Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes

Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes Descrição do Produto As UCPs PO3x47 são destinadas a supervisão e controle de processos. Devido a sua arquitetura, é possível obter-se um alto desempenho em relação a série anterior de UCPs PO3x42. Com

Leia mais

Automação de Subestações

Automação de Subestações Automação de Subestações Geração Distribuição Transmissão Indústria Produtos e Serviços: Merging Units Gateway DNP -IEC 61850 Projeto, Integração, TAF, TAC Montagem de Painéis Configuração de Sistemas

Leia mais

Solução Completa em Automação. FieldLogger. Registro e Aquisição de Dados

Solução Completa em Automação. FieldLogger. Registro e Aquisição de Dados Solução Completa em Automação FieldLogger Registro e Aquisição de Dados Ethernet & USB Até 16GB de memória Conversor A/D 24 bits Até 1000 amostras por segundo Apresentação FieldLogger O FieldLogger é um

Leia mais

Cabeça de Rede de Campo PROFIBUS-DP

Cabeça de Rede de Campo PROFIBUS-DP Descrição do Produto O módulo, integrante da Série Ponto, é uma cabeça escrava para redes PROFIBUS-DP do tipo modular, podendo usar todos os módulos de E/S da série. Pode ser interligada a IHMs (visores

Leia mais

Configuração da Remota PROFIBUS Série Ponto

Configuração da Remota PROFIBUS Série Ponto Série Ponto Este documento orienta a configuração de uma Remota PROFIBUS-DP da Série Ponto IP20, de forma sistematizada através de diversas etapas. Recomenda-se ao usuário a leitura dos documentos de Características

Leia mais

COMISSÃO DE INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA REGIONAL IV CIERTEC SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE AUTOMAÇÃO DE REDES DE

COMISSÃO DE INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA REGIONAL IV CIERTEC SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE AUTOMAÇÃO DE REDES DE COMISSÃO DE INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA REGIONAL IV CIERTEC SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE AUTOMAÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA E CENTROS DE CONTROLE Área de Distribuição e Comercialização Identificação

Leia mais

Capítulo X Automação elétrica industrial Equipe de engenharia da Schweitzer Engineering Laboratories (SEL)

Capítulo X Automação elétrica industrial Equipe de engenharia da Schweitzer Engineering Laboratories (SEL) 52 Apoio Automação de subestações Capítulo X Automação elétrica industrial Equipe de engenharia da Schweitzer Engineering Laboratories (SEL) A instalação de relés microprocessados em indústrias tornou-se

Leia mais

Sistema de Monitoramento e Supervisão de Vibração HYMV05

Sistema de Monitoramento e Supervisão de Vibração HYMV05 Sistema de Monitoramento e Supervisão de Vibração Revisão 1 Mai2005 O é um sistema inteligente de Monitoramento, Aquisição de Dados e Supervisão Local para utilização com os softwares da linha Dynamic.

Leia mais

Capítulo XIV Interface Homem Máquina (IHM) e sistemas supervisórios

Capítulo XIV Interface Homem Máquina (IHM) e sistemas supervisórios 30 Capítulo XIV Interface Homem Máquina (IHM) e sistemas supervisórios Equipe de engenharia da Schweitzer Engineering Laboratories (SEL) A principal ferramenta para a operação de uma subestação de energia

Leia mais

Série Hadron Xtorm Unidades Terminais Remotas

Série Hadron Xtorm Unidades Terminais Remotas Série Hadron Xtorm Unidades Terminais Remotas www.altus.com.br Superando seus desafios Rápido: processamento superior e protocolos de alto desempenho Robusto: design para operação em ambientes críticos

Leia mais

Capítulo IX. Exemplos de automação em sistemas de supervisão e controle de subestações e redes de distribuição. Automação de subestações

Capítulo IX. Exemplos de automação em sistemas de supervisão e controle de subestações e redes de distribuição. Automação de subestações 54 Capítulo IX Exemplos de automação em sistemas de supervisão e controle de subestações e redes de distribuição A operação do sistema elétrico de potência é extremante dependente das informações de estados,

Leia mais

altus Hádron para o setor elétrico!

altus Hádron para o setor elétrico! altus Informativo da Altus Sistemas de Informática S.A. nº 48 2 o Trimestre 2001 Av. São Paulo, 555 São Geraldo CEP 90230-161 Porto Alegre/ RS Hádron para o setor elétrico! Redundância nos CPs Altus Diversas

Leia mais

SUBESTAÇÕES. Comando de controle e Scada local

SUBESTAÇÕES. Comando de controle e Scada local SUBESTAÇÕES Comando de controle e Scada local COMANDO DE CONTROLE E SCADA LOCAL A solução fornecida pela Sécheron para o controle local e para o monitoramento das subestações de tração é um passo importante

Leia mais

Módulos 32 ED c/ Registro de Eventos

Módulos 32 ED c/ Registro de Eventos do Produto A automação de sistemas de energia elétrica é caracterizada pelo uso de equipamentos e dispositivos robustos, confiáveis e que apresentam alta tecnologia com a capacidade de operar em ambientes

Leia mais

Objetivo do Workshop

Objetivo do Workshop Redundância Objetivo do Workshop Demonstrar aos participantes como a funcionalidade e as vantagens na utilização da Redundância agregam valor ao processo produtivo, através da sua disponibilidade, confiabilidade

Leia mais

ESCLARECIMENTO Nº 03

ESCLARECIMENTO Nº 03 PE.GCM.A.00130.2013 1/30 ESCLARECIMENTO Nº 03 FURNAS Centrais Elétricas S.A. comunica resposta ao pedido de esclarecimento sobre o Edital, efetuado por empresa interessada: 1. GERAL Entendemos que os Relés

Leia mais

CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO 2. SOFTWARE DE CONFIGURAÇÃO 3. COMUNICAÇÃO

CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO 2. SOFTWARE DE CONFIGURAÇÃO 3. COMUNICAÇÃO CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO O controlador CDE4000 é um equipamento para controle de demanda e fator de potência. Este controle é feito em sincronismo com a medição da concessionária, através dos dados

Leia mais

Décimo Segundo Encontro Regional Ibero-americano do CIGRÉ Foz do Iguaçu-Pr, Brasil - 20 a 24 de maio de 2007

Décimo Segundo Encontro Regional Ibero-americano do CIGRÉ Foz do Iguaçu-Pr, Brasil - 20 a 24 de maio de 2007 SISTEMA DE CHAVEAMENTO AUTOMÁTICO PARA RÁPIDA ENERGIZAÇÃO DE FASE RESERVA EM BANCOS DE TRANSFORMADORES MONOFÁSICOS Fernando G. A. de Amorim* Nelson P. Ram os** * Treetech Sistem as Digitais Ltda. ** Furnas

Leia mais

DIRETORIA DE OPERAÇÃO - DO

DIRETORIA DE OPERAÇÃO - DO ANEXO VI ESPECIFICAÇÃO DISPOSITIVOS ELETRÔNICOS INTELIGENTES A6. Dispositivos Eletrônicos Inteligentes IED s (Relés Microprocessados) A6.1 Introdução Esta especificação técnica tem como objetivo estabelecer

Leia mais

ELIPSE POWER AUTOMATIZA A SUBESTAÇÃO CRUZ ALTA DA CPFL, UTILIZANDO OS PROTOCOLOS IEC 61850 E DNP3

ELIPSE POWER AUTOMATIZA A SUBESTAÇÃO CRUZ ALTA DA CPFL, UTILIZANDO OS PROTOCOLOS IEC 61850 E DNP3 ELIPSE POWER AUTOMATIZA A SUBESTAÇÃO CRUZ ALTA DA CPFL, UTILIZANDO OS PROTOCOLOS IEC 61850 E DNP3 Solução da Elipse Software apresenta rápida integração com os equipamentos da subestação localizada em

Leia mais

Base Interface Ethernet Industrial 10/100 Mbps

Base Interface Ethernet Industrial 10/100 Mbps Descrição do Produto O módulo, integrante da Série Ponto, é uma interface Ethernet Industrial para as UCP s PO3242, PO3342 e PO3X47. A interface liga-se às redes Ethernet Industrial 10 ou 100 Mbps, estando

Leia mais

Regulador Digital de Tensão DIGUREG

Regulador Digital de Tensão DIGUREG Regulador Digital de Tensão DIGUREG Totalmente digital. Software para parametrização e diagnósticos extremamente amigável. Operação simples e confiável. Ideal para máquinas de pequena a média potência.

Leia mais

Série Quasar. Quadro Geral de Baixa Tensão Quadro de Distribuição Centro de Controle de Motores Inteligente. www.altus.com.br

Série Quasar. Quadro Geral de Baixa Tensão Quadro de Distribuição Centro de Controle de Motores Inteligente. www.altus.com.br Série Quasar Quadro Geral de Baixa Tensão Quadro de Distribuição Centro de Controle de Motores Inteligente www.altus.com.br Na medida exata para seu negócio Modular: ampla variedade de configurações para

Leia mais

1. MEDIDORES E ANALISADORES DE QUALIDADE DE ENERGIA JANITZA

1. MEDIDORES E ANALISADORES DE QUALIDADE DE ENERGIA JANITZA Conteúdo 1. MEDIDORES E ANALISADORES DE QUALIDADE DE ENERGIA JANITZA... 2 1.1. UMG 103... 2 1.2. UMG 104... 2 1.3. UMG 96L e UMG 96... 3 1.4. UMG 96S... 3 1.5. UMG 96RM... 4 1.6. UMG 503... 4 1.7. UMG

Leia mais

AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES E USINAS ESTADO DA ARTE E TENDÊNCIAS UTILIZANDO A NORMA IEC 61850

AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES E USINAS ESTADO DA ARTE E TENDÊNCIAS UTILIZANDO A NORMA IEC 61850 AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES E USINAS ESTADO DA ARTE E TENDÊNCIAS UTILIZANDO A NORMA IEC 61850 Allan Cascaes Pereira*; David Cáceres Jorge Miguel O. Filho; R. Pellizzoni José Roberto G. Correia Brasil EUA

Leia mais

WebGate PO9900. Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes. Código do Produto

WebGate PO9900. Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes. Código do Produto Descrição do Produto A interface de comunicação WebGate,, permite que controladores programáveis com protocolo ALNET I possam ser conectados a uma rede Ethernet TCP/IP. O WebGate permite que estes controladores

Leia mais

DOS SANTOS FRANCO /FRANCISCO JOSÉ ROCHA DE SANTANA

DOS SANTOS FRANCO /FRANCISCO JOSÉ ROCHA DE SANTANA COMISSÃO DE INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA REGIONAL IV CIERTEC SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE AUTOMAÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA E CENTROS DE CONTROLE Área de Distribuição e Comercialização Identificação

Leia mais

Série Connect. Switches e Conversores Industriais. www.altus.com.br

Série Connect. Switches e Conversores Industriais. www.altus.com.br Série Connect Switches e Conversores Industriais www.altus.com.br Conectividade e simplicidade Compacto: design robusto e eficiente para qualquer aplicação Intuitivo: instalação simplificada que possibilita

Leia mais

Mód. 32 SD Relé NA - "Check Before Operate"

Mód. 32 SD Relé NA - Check Before Operate 1. Descrição do Produto O módulo AL-3202 é uma interface de saída digital, de 32 pontos, a relé, microprocessada, cuja principal característica é implementar a operação com "check before operate", sendo

Leia mais

on-line para transformadores de potência baseados em uma arquitetura descentralizada Por Marcos E. G. Alves e Vagner Vasconcellos*

on-line para transformadores de potência baseados em uma arquitetura descentralizada Por Marcos E. G. Alves e Vagner Vasconcellos* Aula Prática 114 O Setor Elétrico / Setembro de 2009 Especificação de sistemas de monitoração on-line para transformadores de potência baseados em uma arquitetura descentralizada Por Marcos E. G. Alves

Leia mais

AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES INDUSTRIAIS

AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES INDUSTRIAIS doi: 10.4322/tmm.00303008 AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES INDUSTRIAIS Allan de Oliveira Souto 1 Marcos de Oliveira Fonseca 2 Resumo Este trabalho se refere ao projeto de modernização de uma subestação principal

Leia mais

Descrição do Produto. Dados para Compra. Série Hadron Xtorm

Descrição do Produto. Dados para Compra. Série Hadron Xtorm Descrição do Produto A automação de sistemas de energia elétrica é caracterizada pelo uso de equipamentos e dispositivos robustos, confiáveis e que apresentam alta tecnologia com a capacidade de operar

Leia mais

AUTOMAÇÃO DA SUBESTAÇÃO DA USINA TERMELÉTRICA DE LINHARES (ES) COM O ELIPSE POWER

AUTOMAÇÃO DA SUBESTAÇÃO DA USINA TERMELÉTRICA DE LINHARES (ES) COM O ELIPSE POWER AUTOMAÇÃO DA SUBESTAÇÃO DA USINA TERMELÉTRICA DE LINHARES (ES) COM O ELIPSE POWER Este case apresenta a aplicação da solução Elipse Power para controlar a subestação da Usina Termelétrica de Linhares,

Leia mais

ESCLARECIMENTO Nº 02

ESCLARECIMENTO Nº 02 ESCLARECIMENTO Nº 02 Segue abaixo, solicitações formuladas por empresas participantes da licitação supra e as respectivas respostas de FURNAS: 1. Pergunta: Solicitamos todas as distâncias entre as salas

Leia mais

Treinamentos 2014. GE Intelligent Platforms

Treinamentos 2014. GE Intelligent Platforms Treinamentos 2014 GE Intelligent Platforms Curso de Configuração e Operação Painel de Operação IHM Quick Panel Permitir ao aluno conhecer o Painel de Operação Quick Panel View IHM, suas características

Leia mais

Base Interface Ethernet Industrial

Base Interface Ethernet Industrial Descrição do Produto O módulo, integrante da Série Ponto, é uma interface Ethernet Industrial para as UCP s PO3242 e PO3342. A interface liga-se às redes Ethernet Industrial, estando de acordo com a norma

Leia mais

GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA

GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA GPC/024 21 a 26 de Outubro de 2001 Campinas - São Paulo - Brasil GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA O SISTEMA DE AUTOMAÇÃO DA COSERN EXPERIÊNCIA COM UTR S E

Leia mais

Centro de Operação Integrado da Queiroz Galvão Energias Renováveis

Centro de Operação Integrado da Queiroz Galvão Energias Renováveis Centro de Operação Integrado da Queiroz Galvão Energias Renováveis Resumo A Spin Engenharia participou da implantação do Centro de Operações Integrado (COI) da Queiroz Galvão Energias Renováveis (QGER).

Leia mais

O uso do CP em sinalização de ferrovias

O uso do CP em sinalização de ferrovias O uso do CP em sinalização de ferrovias Introdução Um Sistema de Sinalização e Controle ferroviário é responsável por garantir a segurança das operações de movimentação dos trens, permitindo a operação

Leia mais

Interface Ethernet DNP3 Servidor

Interface Ethernet DNP3 Servidor Descrição do Produto O módulo é uma interface de comunicação Ethernet para a UTR Hadron. Permite a integração da UTR HD3002 com centros de controle através do protocolo DNP3. Operando como um servidor

Leia mais

Fundamentos de Automação. Controladores

Fundamentos de Automação. Controladores Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Controladores

Leia mais

Monitor de Temperatura M96

Monitor de Temperatura M96 ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura M96 foi desenvolvido para supervisionar até 8 (oito) canais de temperatura simultaneamente, ele é utilizado para proteger

Leia mais

Capítulo VII. Redes de comunicação em subestações de energia elétrica Norma IEC 61850. Automação de subestações. A norma IEC 61850

Capítulo VII. Redes de comunicação em subestações de energia elétrica Norma IEC 61850. Automação de subestações. A norma IEC 61850 56 Capítulo VII Redes de comunicação em subestações de energia elétrica Norma IEC 61850 Equipe de engenharia da Schweitzer Engineering Laboratories (SEL) A construção de subestações é uma atividade que

Leia mais

Tutorial 160 CP FBs - Elipse Scada (RS232 Protocolo MODBUS)

Tutorial 160 CP FBs - Elipse Scada (RS232 Protocolo MODBUS) Tutorial 160 CP FBs - Elipse Scada (RS232 Protocolo MODBUS) Este documento é propriedade da ALTUS Sistemas de Informática S.A., não podendo ser reproduzido sem seu prévio consentimento. Altus Sistemas

Leia mais

CLP - IHM. Solução Completa em Automação. Controladores Lógicos Programáveis - Interfaces Homem Máquina

CLP - IHM. Solução Completa em Automação. Controladores Lógicos Programáveis - Interfaces Homem Máquina Solução Completa em Automação CLP IHM Controladores Lógicos Programáveis Interfaces Homem Máquina Software de programação GRATUITO para toda linha + de 80 protocolos diferentes entre 30 fabricantes mundiais

Leia mais

Bem-vindo à geração Nextoo. altus evolução em automação

Bem-vindo à geração Nextoo. altus evolução em automação Bem-vindo à geração Nextoo evolução em automação Série Nexto A nova geração de controladores A Altus apresenta a nova geração de Controladores Programáveis. A Série Nexto foi desenvolvida com o conceito

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE PRODUTOS. Painéis de controle Controladores eletrônicos para grupos geradores

APRESENTAÇÃO DE PRODUTOS. Painéis de controle Controladores eletrônicos para grupos geradores APRESENTAÇÃO DE PRODUTOS Painéis de controle Controladores eletrônicos para grupos geradores APLICAÇÕES AMF Automatic Mains Failure em caso de falhas de alimentação da rede (Grupo gerador individual) ATS

Leia mais

Módulo de Aquisição de Dados e Controle. Catálogo

Módulo de Aquisição de Dados e Controle. Catálogo DM Catálogo Módulo de Aquisição de Dados e Controle O Módulo de Aquisição de Dados e Controle - DM efetua a interface de sistemas digitais com qualquer equipamento analógico ou eletromecânico que não possui

Leia mais

Área de Distribuição e Comercialização Identificação do Trabalho: BR-35 São Paulo, Brasil, Setembro de 2002.

Área de Distribuição e Comercialização Identificação do Trabalho: BR-35 São Paulo, Brasil, Setembro de 2002. COMISSÃO DE INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA REGIONAL IV CIERTEC SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE AUTOMAÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA E CENTROS DE CONTROLE Área de Distribuição e Comercialização Identificação

Leia mais

ANSI - 23 26 45 49 49I 62 74 77 94

ANSI - 23 26 45 49 49I 62 74 77 94 ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/7 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MASTERTEMP foi desenvolvido para monitorar a temperatura de óleo e enrolamento, comandar a ventilação e proteger transformadores

Leia mais

NT 6.005. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Felisberto M. Takahashi Elio Vicentini. Preparado.

NT 6.005. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Felisberto M. Takahashi Elio Vicentini. Preparado. NT.005 Requisitos Mínimos para Interligação de Gerador de Consumidor Primário com a Rede de Distribuição da Eletropaulo Metropolitana com Paralelismo Momentâneo Nota Técnica Diretoria de Planejamento e

Leia mais

DIRETORIA DE OPERAÇÃO DO

DIRETORIA DE OPERAÇÃO DO DIRETORIA DE OPERAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE OPERAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO DOP TERMO DE REFERÊNCIA 011/2010 - DOP PROJETO DE AUTOMAÇÃO DAS SUBESTAÇÕES ARIQUEMES, JARU, JI-PARNÁ I, CACOAL, PIMENTA BUENO, ESPIGÃO

Leia mais

Action RU - Modulo Run-Time SE Santos Brasil Manual de Operação do Sistema

Action RU - Modulo Run-Time SE Santos Brasil Manual de Operação do Sistema Action RU - Modulo Run-Time SE Santos Brasil Manual de Operação do Sistema SPIN Engenharia de Automação Ltda. Versão 7.5 Abril de 2009 SPIN Engenharia de Automação Ltda. SCLN-Quadra 212 Bloco D - Sala

Leia mais

1. Descrição do Produto

1. Descrição do Produto 1. Descrição do Produto Os repetidores óticos FOCOS/PROFIBUS AL-2431 e AL-2432 destinam-se a interligação de quaisquer dispositivos PROFIBUS, assegurando altíssima imunidade a ruídos através do uso de

Leia mais

Monitor de Temperatura MONITEMP

Monitor de Temperatura MONITEMP ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MoniTemp foi desenvolvido para supervisionar até 3 (três) canais de temperatura simultaneamente, ele é utilizado para proteger

Leia mais

CONTROLADORES ELETRÔNICOS SICES. Linha de Produtos

CONTROLADORES ELETRÔNICOS SICES. Linha de Produtos CONTROLADORES ELETRÔNICOS SICES Linha de Produtos FAMÍLIA GC XXX GC 310: Controlador Simples AMF-ATS-SPM Emergência, falha dos canos principais, comutação GC 350: Controlador Avançado AMF-ATS-SPM Emergência,

Leia mais

Relé de proteção do diferencial 865

Relé de proteção do diferencial 865 Relé de proteção do diferencial 865 Para a proteção do diferencial de motores, transformadores e geradores Boletim 865, Série A Guia de especificações Sumário Página de descrição da seção 1.0 Características

Leia mais

Monitor de Nível de Óleo para Transformadores - MNO

Monitor de Nível de Óleo para Transformadores - MNO ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Nível de Óleo para Transformadores e reatores MNO, é um equipamento microprocessado de alta precisão que indica o nível de óleo em escala

Leia mais

PRODUTOS SERIADOS. ME30 infobox

PRODUTOS SERIADOS. ME30 infobox PRODUTOS SERIADOS ME30 infobox SISTEMA DE PROCESSAMENTO DE SINAIS Adquirir, processar e visualizar de 8 a 40 alarmes ou indicadores de estado Funções de alarme configuráveis Anunciadores com possibilidade

Leia mais

Electron do Brasil. Tecnologia ao seu alcance. Tecnologia Digital. www.electrondobrasil.com. Catálogo Monitemp - rev3. Qualidade Comprovada!

Electron do Brasil. Tecnologia ao seu alcance. Tecnologia Digital. www.electrondobrasil.com. Catálogo Monitemp - rev3. Qualidade Comprovada! Electron do Brasil Tecnologia Digital Qualidade Comprovada! Ensaios de Tipo Realizados Tecnologia ao seu alcance Catálogo Monitemp - rev3 Produtos Certificados! www.electrondobrasil.com O Monitor de Temperatura

Leia mais

Interface Ethernet Redundante MODBUS TCP

Interface Ethernet Redundante MODBUS TCP Descrição do Produto A Interface para rede Ethernet, integrante da Série Ponto PX, permite a conexão de CPs Altus a redes de comunicação abertas que seguem o padrão TCP/IP. Possibilita a comunicação entre

Leia mais

Tutorial 122 CP DUO Inversor WEG (RS485 Protocolo MODBUS - DUO Master)

Tutorial 122 CP DUO Inversor WEG (RS485 Protocolo MODBUS - DUO Master) Tutorial 122 CP DUO Inversor WEG (RS485 Protocolo MODBUS - DUO Master) Este documento é propriedade da ALTUS Sistemas de Informática S.A., não podendo ser reproduzido sem seu prévio consentimento. Altus

Leia mais

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL Automação e Controle AR026 SUMÁRIO I. Sistemas Supervisórios... 3 II. Automação... 4 III. Arquitetura de Redes Industriais... 5 IV. Comunicação entre Supervisório e CLP...7 V. O Protocolo

Leia mais

Aplicação de SNMP no Centro de Controle da Automação da Eletrosul. Brasil

Aplicação de SNMP no Centro de Controle da Automação da Eletrosul. Brasil Aplicação de SNMP no Centro de Controle da Automação da Eletrosul Pablo Humeres Flores Eletrosul Brasil Diogo Vargas Marcos Eletrosul RESUMO O trabalho apresenta uma aplicação do protocolo SNMP na gerência

Leia mais

Sistema de Excitação e Regulação Digital de Tensão RG3 para geradores síncronos

Sistema de Excitação e Regulação Digital de Tensão RG3 para geradores síncronos Sistema de Excitação e Regulação Digital de Tensão RG3 para geradores síncronos Características operacionais Equipamento padrão Confiabilidade Elevada disponibilidade Facilidades da tecnologia digital

Leia mais

SENDI 2004. A Concepção de um Software Conversor de Protocolos Multicanal. C. Simões Spin Engenharia de Automação Ltda. simoes@spinengenharia.com.

SENDI 2004. A Concepção de um Software Conversor de Protocolos Multicanal. C. Simões Spin Engenharia de Automação Ltda. simoes@spinengenharia.com. SENDI 2004 XVI SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A Concepção de um Software Conversor de Protocolos Multicanal C. Simões Spin Engenharia de Automação Ltda. simoes@spinengenharia.com.br

Leia mais

PO3042/PO3142 PO3242/PO3342

PO3042/PO3142 PO3242/PO3342 Manual de Utilização PO3042/PO3142 PO3242/PO3342 UCPs Série PONTO MU209104 Rev. I 07/2011 Cód. Doc: 6209-104.2 altus Condições Gerais de Fornecimento Nenhuma parte deste documento pode ser copiada ou

Leia mais

Em linhas gerais, as principais características dos RDP s da família OSC-1000, são apresentadas a seguir:

Em linhas gerais, as principais características dos RDP s da família OSC-1000, são apresentadas a seguir: Catálogo Técnico CT-011_Rev01-OSC1000 OSC-1000 Registrador Digital de Perturbações 1 CARACTERISTICAS GERAIS Os Registradores Digitais de Perturbação, denominados RDP s, funcionam de modo similar a uma

Leia mais

NT 6.010. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Elio Vicentini Ermínio Belvedere João Martins.

NT 6.010. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Elio Vicentini Ermínio Belvedere João Martins. NT 6.010 Requisitos Mínimos Para Interligação de Gerador de Consumidor Secundário com a Rede de Distribuição da Eletropaulo Metropolitana com Paralelismo Momentâneo Nota Técnica Diretoria de Planejamento

Leia mais

Reparador de Circuitos Eletrônicos

Reparador de Circuitos Eletrônicos Reparador de Circuitos Eletrônicos O Curso de Reparador de Circuitos Eletrônicos tem por objetivo o desenvolvimento de competências relativas a princípios e leis que regem o funcionamento e a reparação

Leia mais

Micro Controladores Programáveis

Micro Controladores Programáveis Micro Controladores Programáveis Transformando energia em soluções Compacto, fácil de programar e com excelente custo benefício, o ganha mais recursos de software e hardware, podendo assim atender a uma

Leia mais

Monitor de Temperatura Digital para transformadores MONITEMP PLUS

Monitor de Temperatura Digital para transformadores MONITEMP PLUS ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MoniTemp Plus foi desenvolvido para monitorar a temperatura de óleo e enrolamento, comandar a ventilação e proteger transformadores

Leia mais

Descrição do Produto. Dados para Compra. Série Nexto

Descrição do Produto. Dados para Compra. Série Nexto Descrição do Produto A é uma poderosa e completa série de Controladores Programáveis (CP) com características exclusivas e inovadoras. Devido a sua flexibilidade, design inteligente, recursos de diagnósticos

Leia mais

WEG INDUSTRIAS SA. Supervisão e Controle de Energia em Pequenas e Médias Centrais Elétricas

WEG INDUSTRIAS SA. Supervisão e Controle de Energia em Pequenas e Médias Centrais Elétricas WEG INDUSTRIAS SA Supervisão e Controle de Energia em Pequenas e Médias Centrais Elétricas Eng Valter Luiz Knihs Gerente de Projetos Weg Automação WEG INDUSTRIAS SA WEG INDUSTRIAS SA - Geradores / Geração

Leia mais

Módulo FGM721. Controlador P7C - HI Tecnologia

Módulo FGM721. Controlador P7C - HI Tecnologia Automação Industrial Módulo Controlador P7C - HI Tecnologia 7C O conteúdo deste documento é parte do Manual do Usuário do controlador P7C da HI tecnologia (PMU10700100). A lista de verbetes consta na versão

Leia mais

GRUPO XIII INTERFERÊNCIAS, COMPATIBILIDADE ELETROMAGNÉTICA E QUALIDADE DE ENERGIA GCQ

GRUPO XIII INTERFERÊNCIAS, COMPATIBILIDADE ELETROMAGNÉTICA E QUALIDADE DE ENERGIA GCQ SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Versão 1.0 XXX.YY 19 a 24 Outubro de 2003 Uberlândia - Minas Gerais GRUPO XIII INTERFERÊNCIAS, COMPATIBILIDADE ELETROMAGNÉTICA E

Leia mais

Manual de Parametrização pela IHM

Manual de Parametrização pela IHM Manual de Parametrização pela IHM Liberando acesso para modo de parametrização Pressione o botão para aparecer à seguinte tela: A senha de fábrica é: 0000 Caso tenha alterado a senha, coloque a senha atual.

Leia mais

DIRETORIA DE OPERAÇÃO DO

DIRETORIA DE OPERAÇÃO DO DIRETORIA DE OPERAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE OPERAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO DOP PROCESSO DE AUTOMAÇÃO E SISTEMAS TERMO DE REFERÊNCIA 005/2011 - DOP AQUISIÇÃO DE DISPOSITIVOS ELETRÔNICOS INTELIGENTES; RELÉS MULTIFUNCIONAIS

Leia mais

Capítulo XI Estações de acesso remoto de engenharia

Capítulo XI Estações de acesso remoto de engenharia 56 Apoio Automação de subestações Capítulo XI Estações de acesso remoto de engenharia Equipe de engenharia da Schweitzer Engineering Laboratories (SEL) O desenvolvimento das facilidades de comunicação

Leia mais

Autores: Luis Fabiano dos Santos, Odair Tolardo, Anderson S. Nogueira

Autores: Luis Fabiano dos Santos, Odair Tolardo, Anderson S. Nogueira Esquema de Rejeição de Cargas Inteligente com Funcionalidade Distribuída Utilizando Recursos da Norma IEC61850 Autores: Luis Fabiano dos Santos, Odair Tolardo, Anderson S. Nogueira Apresentado por: Maurício

Leia mais

Controlando energia, gerando desenvolvimento. Soluções inovadoras para automação e controle da geração de energia.

Controlando energia, gerando desenvolvimento. Soluções inovadoras para automação e controle da geração de energia. Controlando energia, gerando desenvolvimento. Soluções inovadoras para automação e controle da geração de energia. A Empresa - Iniciou atividades em abril/1987; - Uma das primeiras empresas incubadas no

Leia mais

FieldLogger. Apresentação

FieldLogger. Apresentação Solução Completa Ethernet & USB Até 16GB de memória Conversor A/D 24 bits Até 1000 amostras por segundo Apresentação FieldLogger O FieldLogger é um módulo de leitura e registro de variáveis analógicas,

Leia mais

Relé de Proteção do Motor RPM ANSI 37/49/50/77/86/94 CATÁLOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5

Relé de Proteção do Motor RPM ANSI 37/49/50/77/86/94 CATÁLOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 CATÁLOGO ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Relé de Proteção de Motores RPM foi desenvolvido para supervisionar até 2 (dois) grupos ventiladores/motores simultaneamente, é utilizado

Leia mais

esip- Sistema Integrado de Processo

esip- Sistema Integrado de Processo esip- Sistema Integrado de Processo Geração Distribuição Transmissão www.ecilenergia.com.br Integração dos dispositivos da SE na rede do esip Criação de uma Base de Dados Unificada Otimização no Deslocamento

Leia mais

Controle de Processo Ideal: PCS 7 Library SIMOCODE pro SIRIUS. Respostas para a indústria.

Controle de Processo Ideal: PCS 7 Library SIMOCODE pro SIRIUS. Respostas para a indústria. Controle de Processo Ideal: PCS 7 Library SIMOCODE pro Respostas para a indústria. Percepção, previsão, visão ampliada: SIMOCODE pro integrado no SIMATIC PCS7 O sistema flexível de gerenciamento de motores

Leia mais

SAPNET Sistema de Análise de Perturbações da CEMIG

SAPNET Sistema de Análise de Perturbações da CEMIG GPC / 02 17 a 22 de Outubro de 1999 Foz do Iguaçu Paraná - Brasil GRUPO V TEMA 2 SAPNET Sistema de Análise de Perturbações da CEMIG Gomes, N.S.(*) Andrade, S.R.C. Costa, C.A.B. Coutinho, C. E. B. CEMIG

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 001/2011 SENAI-DR-RN/CTGÁS-ER PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. CARGO: INSTRUTOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGIAS I Nível O

PROCESSO SELETIVO 001/2011 SENAI-DR-RN/CTGÁS-ER PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. CARGO: INSTRUTOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGIAS I Nível O 2 PROCESSO SELETIVO 001/2011 SENAI-DR-RN/CTGÁS-ER PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CARGO: INSTRUTOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGIAS I Nível O CÓDIGO DO CARGO/VAGA: V0013 1) Considere um transformador

Leia mais

UMG 104-Mais do que um simples Multímetro UMG 104

UMG 104-Mais do que um simples Multímetro UMG 104 UMG 104 UMG 104-Mais do que um ples Multímetro O UMG 104 equipado com um DSP de 500 MHz (processador de sinal digital) é um analisador de tensão muito rápido e potente. A varredura contínua dos 8 canais

Leia mais

Rede PROFIBUS DP com mestre Rockwell/ControLogix e remota Série Ponto

Rede PROFIBUS DP com mestre Rockwell/ControLogix e remota Série Ponto Nota de Aplicação NAP100 Rede PROFIBUS DP com mestre Rockwell/ControLogix e remota Série Ponto Sumário Descrição...1 1. Introdução...2 2. Instalação...3 3. Configuração...4 3.1 Projeto de Rede PROFIBUS...4

Leia mais

Interface Ethernet IEC 60870-5-104

Interface Ethernet IEC 60870-5-104 Descrição do Produto O módulo é uma interface de comunicação Ethernet para a UTR Hadron. Permite a integração da UTR HD2 com centros de controle através do protocolo IEC 687-5-14. Operando como um servidor

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA EQUIPAMENTOS DA SE PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA COMPONENTES SUBESTAÇÕES OBJETIVOS Apresentar os principais equipamentos

Leia mais

Manual de Utilização Cabeça PROFIBUS PO5063 e Cabeça Redundante PROFIBUS PO5063V4 MU209503 Rev. H 12/2004 Cód. Doc: 6209-503.0.

Manual de Utilização Cabeça PROFIBUS PO5063 e Cabeça Redundante PROFIBUS PO5063V4 MU209503 Rev. H 12/2004 Cód. Doc: 6209-503.0. Manual de Utilização Cabeça PROFIBUS PO5063 e Cabeça Redundante PROFIBUS PO5063V4 MU209503 Rev. H 12/2004 Cód. Doc: 6209-503.0 altus Condições Gerais de Fornecimento Nenhuma parte deste documento pode

Leia mais

WebGate Plus PO9901. Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes. Código do Produto

WebGate Plus PO9901. Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes. Código do Produto Descrição do Produto A interface de comunicação WebGate Plus,, permite que controladores programáveis Altus e outros equipamentos com protocolo ALNET I escravo possam ser conectados a uma rede Ethernet.

Leia mais

COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS SUBESTAÇÕES APROV: VERIF: FEITO: SUBSTITUI: N / A EX/SE ALTERAÇÕES DATA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS SUBESTAÇÕES APROV: VERIF: FEITO: SUBSTITUI: N / A EX/SE ALTERAÇÕES DATA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA FEITO: MLM-55505 / MMC-55506 VERIF: MMC-55506 APROV: EMR-45519 DISTRIBUIÇÃO AUTOMÁTICA DE CÓPIAS SUBSTITUI: N / A A EMISSÃO INICIAL 27/01/2010 EX/SE 27/01/10 COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS SUBESTAÇÕES

Leia mais