PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES"

Transcrição

1 PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES PROGRAMAS COM CURSOS ACADÊMICO E PROFISSIONAL... 2 PROPOSTA DE PROGRAMA... 2 COMO COPIAR E COLAR... 2 INSTALAÇÃO DAS VERSÕES ANTERIORES DO COLETA DE DADOS:... 2 EXCLUSÃO DE UMA LINHA DE PESQUISA ou ÁREA DE CONCENTRAÇÃO... 2 CADASTRO DE TURMAS DAS DISCIPLINAS MINISTRADAS NO ANO BASE... 3 CADASTRO DISCENTE... 3 cadastro de alunos especiais 3 alunos com matrícula trancada 3 ausência da barra de rolagem para cadastro de discente 3 impossibilidade de salvar dados digitados 3 recuperação do nome de alunos cadas trados no ano anterior 4 ALUNOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E RESIDÊNCIA MÉDICA... 4 alunos de iniciação científica 4 alunos de residência médica 4 MUDANÇA DE NÍVEL DOUTORADO APÓS MESTRADO... 4 conclusão do mestrado e matrícula no doutorado no mesmo ano. 4 orientador de doutorado de aluno que concluiu o mestrado no mesmo ano 4 mudança de nível de mestrado (sem defesa da dissertação) para o doutorado 5 CADASTRO DE PARTICIPANTE EXTERNO... 5 CADASTRO DOCENTE... 5 professor titular 5 cadastro de docente estrangeiro 5 cadastro de co-autores 5 registro do país de origem do docente estrangeiro 5 dados incompletos sobre docente estrangeiro 6 não aparece a caixa para inclusão do número de orientações do docente 6 docentes sem currículo lattes 6 EGRESSOS... 6 PROJETOS DE PESQUISA CONCLUÍDOS E EM ANDAMENTO... 6 SOBRE O CADASTRO DE PROJETOS CONCLUÍDOS 6 Sobre o registro de Financiadores de Projetos 7 PRODUÇÃO DOCENTE E PRINCIPAIS PRODUÇÕES... 7 Sobre as 5 principais produções 7 Artigos aceitos em 2005 para publicação em Atividade de docente colaborador na graduação 7 Registro de co-autores 7 Trabalhos em Anais 8 PROBLEMAS DO COMPUTADOR OU SISTEMA LOCAL... 8 O computador faz o boot sozinho 8 Problema com a Resolução de Vídeo Monitor de 14 8 IMPORTAÇÃO DE DADOS DO LATTES... 8 IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DISCENTE...9 1

2 PROGRAMAS COM CURSOS ACADÊMICO E PROFISSIONAL Questão: Gostaríamos de saber sobre a possibilidade dos Mestrados Profissionais (MP) lançarem os mesmos dados do Mestrado Acadêmico (MA), quando oferecidos por um mesmo programa, no Coleta de Dados. Resposta: 1. Os dados de cada curso devem ser lançados em seus arquivos específicos. 2. As informações que forem comuns e/ou semelhantes tanto ao MA quanto ao MP devem ser repetidas nos específicos dos cursos. 3. Quanto à produção, a orientação e o interesse da Capes é que o registro ocorra no curso em que é considerado como o seu "nascedouro", bem como onde existem discentes envolvidos. Entretanto, pelo fato de, tanto o MA e o MP, pertencerem a um mesmo programa (independente da codificação ser diferenciada) a produção, quando repetida, será objeto de análise das áreas e o que a Agência espera é que não seja considerada como dupla contagem. PROPOSTA DE PROGRAMA Questão: Não seria interessante a CAPES enviar aos programas e aos representantes de área o conceito de "solidariedade", "nucleação" e "visibilidade"? São itens novos e os programas que não estão acompanhando a evolução da ficha de avaliação poderão ficar confusos sem saber o que colocar. Resposta: Essa informação pode ser encontrada na seção que trata desses itens no Coleta. Se o usuário posicionar o cursor no espaço em branco, aparecerá a explicação do que é o item. Vale acrescentar que tais informações serão consideradas, principalmente, para cursos nota seis e sete. Nesses itens serão observados: NUCLEAÇÃO. O programa - ou seu núcleo duro - formou doutores que desempenham papel de destaque em outros cursos de PG ou em grupos de pesquisa ativos? SOLIDARIEDADE. O programa colabora com outros PPGs, situados nas regiões menos desenvolvidas do país e/ou voltados para novos rumos na pesquisa? VISIBILIDADE. O programa tem página web com seus dados internos, seleção de alunos e parte significativa de sua produção docente? Informa como gasta as verbas recebidas da Capes e do Governo Federal? COMO COPIAR E COLAR Questão: Como copiar e colar textos em alguns campos? Resposta: É possível utilizar os recursos Copiar e Colar em todos os campos do aplicativo Coleta. Em caso de dificuldade, evite utilizar os ícones para essas funções. Utilize o atalho do teclado: Control + C para Copiar e Control + V para Colar. INSTALAÇÃO DAS VERSÕES ANTERIORES DO COLETA DE DADOS: As versões anteriores do COLETA encontram-se no seguinte endereço: ftp://ftp.capes.gov.br/pub/datacapes/versoes_anteriores EXCLUSÃO DE UMA LINHA DE PESQUISA ou ÁREA DE CONCENTRAÇÃO Questão: Como proceder para excluir uma Linha de Pesquisa (LP), no caso de reformulação ou exclusão das mesmas? Resposta: -Selecione a Linha de Pesquisa que deseja alterar/excluir -Utilize a busca referência para encontrar a vinculação daquela que deseja alterar/excluir -Altere o vinculo para a nova Linha de Pesquisa criada ou para a opção em branco -Retorne ao cadastro das Linhas de Pesquisas e faça a alteração/exclusão. 2

3 CADASTRO DE TURMAS DAS DISCIPLINAS MINISTRADAS NO ANO BASE Questão: Como proceder para identificar no coleta as disciplinas efetivamente ministradas no Ano Base, já que toda a grade curricular é lançada no Coleta? Resposta: O caderno Turmas retornou no coleta 8.0, assim será possível informar à disciplina que foi ministrada no ano base e quem a ministrou. Os PPG s deverão acessar os dados de 2004 e atualizar esta informação. CADASTRO DISCENTE Questão: Devemos inserir todos os discentes, mesmo aqueles que não publicaram? Resposta: Sim. A partir do Coleta 7.0 (2004), o tratamento do discente passou a ser nominal, ou seja, todos os discentes matriculados no programa deverão ser cadastrados, independente dele ter ou não produção intelectual em seu nome. É este cadastro de discente que vai preencher o fluxo discente conforme o status do mesmo. Lembrando, ainda, que o status de Titulado permitirá conferir no Cadastro de Trabalho de Conclusão se há a mesma quantidade informada. CADASTRO DE ALUNOS ESPECIAIS Questão: Posso cadastrar meus alunos especiais e ouvintes como participantes externos? Resposta: Somente os alunos regularmente matriculados no programa devem ser cadastrados. Os alunos especiais ou ouvintes não devem ser incluídos. ALUNOS COM MATRÍCULA TRANCADA Questão: Como cadastrar os alunos que estavam com a matrícula trancada no ano de 2005? Resposta: Os alunos com a matrícula trancada no ano deverão ser regularmente cadastrados. O aluno trancado no ano base é considerado no Coleta de Dados um aluno regularmente matriculado. AUSÊNCIA DA BARRA DE ROLAGEM PARA CADASTRO DE DISCENTE Questão: No cadastro de Discente, não aparece a barra de rolagem, impossibilitando ver e/ou completar as informações. Resposta: Esse problema deve-se à inadequação da resolução da tela do seu monitor, que não lhe permite visualizar o documento completo. Para ajustar a Resolução de Vídeo, adote os seguintes procedimentos: IMPOSSIBILIDADE DE SALVAR DADOS DIGITADOS Questão: Ao cadastrar novos discentes, aparece a mensagem "digitar os dados obrigatórios" quando vou salvar os dados digitados. Não entendo, pois todos os dados já foram digitados. Resposta: Esse problema deve-se a inadequação da resolução de seu vídeo que impede a visualização no monitor do documento completo. Para ajustar a Resolução de Vídeo, adote os seguintes procedimentos: 3

4 RECUPERAÇÃO DO NOME DE ALUNOS CADASTRADOS NO ANO ANTERIOR Questão: No aproveitamento dos dados do ano anterior, não localizamos os nomes de vários discentes do programa e não estamos conseguindo recadastrá-los, pois a janela de cadastro está com erro. O que fazer? Resposta: A Capes, ao gerar os arquivos específicos, busca os participantes externos e ex-alunos do programa que não tem atividades vinculadas a eles e os coloca a disposição para aproveitamento do ano anterior. Você poderá recuperá-los acessando o caderno participantes externos e nele o item aproveitamento do ano anterior. ALUNOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E RESIDÊNCIA MÉDICA Questão: Como devo cadastrar os alunos de Graduação da mesma IES do programa no Coleta? Resposta: O aluno de graduação que tenha vinculação com a pós-graduação deverá ser cadastrado como discente manter o status de Matriculado e, vinculá-lo as atividades (projetos, autoria, co-autoria, etc) ALUNOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Questão: Devem constar deste relatório todos os alunos de IC que o docente orientou em 2005 ou apenas aqueles alunos que o docente admitiu como seus orientandos nesse ano? Resposta: Deve ser registrado o total de alunos de IC que o docente orientou em 2005, independentemente do ano em que esses alunos começaram a ser orientados por ele. ALUNOS DE RESIDÊNCIA MÉDICA Questão: Temos residência médica de 1º, 2º e 3º anos e eles participam de todos os projetos da pós-graduação. No nosso entender, os residentes são discentes, com bolsas de iniciação científica do FUNDAP. Podemos cadastrá-los como discentes autores? Resposta: Sim. Os alunos de residência médica que participam de atividades no programa de pós-graduação podem ser cadastrados como discentes autores ou co-autores de trabalhos. MUDANÇA DE NÍVEL DOUTORADO APÓS MESTRADO CONCLUSÃO DO MESTRADO E MATRÍCULA NO DOUTORADO NO MESMO ANO. Questão: Não sei como registrar devidamente a situação de um aluno que concluiu o mestrado em 2005 e neste mesmo ano iniciou seu curso de doutorado, uma vez que o aplicativo permite que um aluno seja cadastrado em apenas um curso no ano. Se o cadastro como aluno do mestrado, o número de matriculados no doutorado ficará defasado; se como matriculado no doutorado, não será possível registrar seu trabalho de dissertação. Resposta: Esta foi uma falha no aplicativo Coleta de Dados 7.9 que já foi corrigida. No Coleta de Dados 8.0 foi criada no Status do aluno a opção de Mudança de Nível Com Defesa, esta opção permitirá o cadastro da dissertação e fará o cômputo no fluxo discente. ORIENTADOR DE DOUTORADO DE ALUNO QUE CONCLUIU O MESTRADO NO MESMO ANO Questão: Como registrar o orientador de um aluno de doutorado que concluiu o mestrado em 2005, sob a orientação de outro docente, e se matriculou no doutorado nesse mesmo ano. Resposta: 1. Sobre o cadastro do aluno: no momento de lançar a dissertação do aluno deverá indicar seu orientador. No Coleta 8.0 existe a opção de Mudança de nível com defesa para o programa não perder o histórico do aluno. Com esta opção você vai conseguir cadastrar a dissertação e mudar o nível do aluno para Doutorado. 2. Sobre o orientador do aluno no doutorado: incluir o aluno no cômputo do total de orientandos do docente no doutorado na tela atuação acadêmica. 4

5 MUDANÇA DE NÍVEL DE MESTRADO (SEM DEFESA DA DISSERTAÇÃO) PARA O DOUTORADO Questão: Como devo proceder para cadastrar um aluno que mudou de nível de curso de Mestrado para Doutorado em 2005, uma vez que cada aluno só pode ser vinculado a um só deles? Resposta: Esta foi uma falha no aplicativo Coleta de Dados 7.9 que já foi corrigida. No Coleta da Dados 8.0 foi criada no Status do aluno a opção de Mudança de Nível Sem Defesa, esta opção fará o cômputo no fluxo discente permitindo contemplar esta situação. CADASTRO DE PARTICIPANTE EXTERNO Questão: Como cadastrar um convidado para composição de Banca? Resposta: Cadastre o docente como Participante Externo e indique que este é um examinador externo; Depois, no cadastro do Trabalho de Conclusão, no item banca, busque este docente. CADASTRO DOCENTE Questão: Devemos inserir todos os docentes ativos que tenham publicado ou não? Resposta: Sim. Deverá retratar a realidade do núcleo principal, se um permanente não publicou num certo ano isso não descaracteriza -o como docente permanente. PROFESSOR TITULAR Questão: Não encontro no Coleta local para informar que o docente é professor titular, mas na impressão aparece esse item em branco. Resposta: Essa informação não é mais solicitada no Coleta e já foi providenciada a exclusão desse campo nos relatórios impressos. CADASTRO DE DOCENTE ESTRANGEIRO Questão: Na avaliação anterior, disseram que a participação externa era importante. Como posso cadastrar um docente do exterior que veio ministrar uma disciplina na Pós? Se eu o cadastrar como participante externo, onde informo a disciplina que ele ministrou? Se incluir em outras informações, as referências sobre o docente não registrarão nada. Poderia colocar em produção técnica apresentação de trabalho? Ou a participação de professores externos não tem mais importância? Resposta: A participação de professores externos tem importância sim. Entretanto, para registrar a participação do professor na oferta de disciplina, ele deve ser cadastrado como docente, enquadrado em uma das categorias previstas - permanente, colaborador ou visitante e, nessa condição, ter sua contribuição ao programa regis trada. Para informar o documento de identificação do docente estrangeiro, utilize o tipo outro e indique o país de origem. CADASTRO DE CO-AUTORES Questão: As pessoas que são co-autores das produções do programa, mas não pertencem ao programa devem ser cadastrados como Participante Externo? Resposta: Sim. Lembre-se, ainda, de marcar a opção co-autor. REGISTRO DO PAÍS DE ORIGEM DO DOCENTE ESTRANGEIRO Questão: Quando cadastro um novo docente, não tenho como informar qual é o seu país de origem. Resposta: Essa indicação é feita quando do registro do tipo de documento de identificação adotado. No caso de brasileiro, o documento obrigatório é o CPF. No caso de estrangeiro, o tipo do documento será outro, o que exigirá a indicação do país de origem. 5

6 DADOS INCOMPLETOS SOBRE DOCENTE ESTRANGEIRO Questão: Como proceder para efetuar o cadastramento de docente estrangeiro como Participante Externo, uma vez que não temos alguns dos dados a eles referentes, como: titulação, ano de titulação, área e instituição de origem. Resposta: O ideal é que se tenha, ao menos, o número do passaporte do participante externo, quando estrangeiro. Porém, o fornecimento dos dados não é obrigatório nesse caso. Inclua o nome do participante externo, escolha, no tipo de documento, a opção outro e digite um número correspondente ao passaporte ou outro número. Isso é suficiente para identificar o participante como estrangeiro, indique também qual a nacionalidade caso tenha esta informação. NÃO APARECE A CAIXA PARA INCLUSÃO DO NÚMERO DE ORIENTAÇÕES DO DOCENTE Questão: No cadastro de docente, nos itens referentes ao número de orientações, as caixas de inclusão não ficam habilitadas para o preenchimento de dados. Resposta: Esse problema deve-se à inadequação da resolução da tela do seu monitor, que não lhe permite visualizar o documento completo. Para ajustar a Resolução de Vídeo, adote os seguintes procedimentos: DOCENTES SEM CURRÍCULO LATTES Questão: Como cadastrar docentes brasileiros que não possuem o Currículo Lattes? Resposta: O docente pode ser cadastrado diretamente no Coleta. É importante, porém, que o docente mantenha seu Currículo Lattes devidamente atualizado, uma vez que, no decorrer do processo de avaliação, as comissões de área consultam, com freqüência, os dados da Plataforma Lattes. EGRESSOS Questão: Como cadastrar o egresso? Resposta: O egresso pode ser cadastrado, independente do tempo de titulação, como docente ou participante externo. Para identificá-lo, basta clicar na caixa egresso inserida na seção dos dados básicos dos referidos cadastros. Questão: Devemos informar todos os egressos ou apenas aqueles que publicaram? Resposta: Deve ser cadastrado no Coleta o egresso que volta para o programa com alguma contribuição/participação: pesquisa, como docente, como autor de publicações de seus trabalhos de conclusão e em outra produção que não tenha sido publicada no ano base em que ele era discente. Questão: Como cadastrar a produção do egresso? Resposta: A produção do egresso, dos últimos 03 (três) anos que antecedem o ano base, pode ser cadastrada no item de produção intelectual e vinculada aos seus autores que foram previamente cadastrados nos cadernos de docentes ou participantes externos. PROJETOS DE PESQUISA CONCLUÍDOS E EM ANDAMENTO SOBRE O CADASTRO DE PROJETOS CONCLUÍDOS Questão: Ao lado do registro do ano de início, há um campo para a indicação da situação do projeto: em andamento, concluído ou desativado? 6

7 Resposta: Sim. Retornou no Coleta 8.0 o campo de situação dos projetos. Os PPG s deverão acessar os dados de 2004 e atualizar esta informação. As teses ou dissertações concluídas e os trabalhos publicados em 2004 vinculados a projeto nessa situação devem ter essa vinculação regularmente registrada. Questão: Os projetos a serem cadastrados são apenas aqueles no nome do programa ou um outro projeto, seja ele do CNPq vinculado ao docente? Resposta: No caso do projeto fazer parte da estrutura do programa, ou seja, estar vinculado às áreas e linhas de pesquisa do programa deve ser cadastrado. Sobre o registro de Financiadores de Projetos Questão: Como indicar nos projetos os órgãos financiadores de um projeto, já que não há mais o campo para essa informação? Resposta: Retornou no Coleta 8.0 o campo de financiadores. Os PPG s deverão acessar os dados de 2004 para atualização desta informação. PRODUÇÃO DOCENTE E PRINCIPAIS PRODUÇÕES Questão: Qual o critério utilizado para inclusão no Coleta Capes da produção cientifica dos Docentes Colaboradores que tem produção sem co-autoria com docentes permanentes ou discentes do programa? Resposta: Devem ser lançadas normalmente, desde que estas produções tenham sido desenvolvidas na estrutura do programa. Sobre as 5 principais produções Questão: No item em que é solicitada a apresentação das 5 principais produções do programa pode-se registrar as produções bibliográficas e técnicas ou ele é exclusivo para o registro das produções artísticas. Resposta: O campo destina-se à indicação das produções mais relevantes do Programa no que diz respeito a cada uma das 3 categorias possíveis: a bibliográfica (em que se concentra a maior parte da produção acadêmica), a técnica e a artística. É possível, pois, que um programa tenha produções a destacar referentes a uma, a duas ou às três categorias Artigos aceitos em 2005 para publicação em 2006 Questão: Como efetuar o registro dos artigos que foram aceitos em 2005, mas que serão publicados em 2006? Resposta: Retornou no Coleta 8.0 a aba de Trabalhos em preparação na proposta do programa para que o mesmo informe os trabalhos no Prelo. Os PPG s deverão acessar os dados de 2004 e atualizar esta informação. Atividade de docente colaborador na graduação Questão: Tenho um docente de outro programa que orienta neste programa. As informações sobre as disciplinas que ele ministra na graduação deverão ser fornecidas? Resposta: No caso de colaboradores, as informações fornecidas devem ser limitadas às atividades que eles desenvolvem junto ao programa de pós-graduação. As atividades de docência na graduação não deverão, neste caso, ser registradas. Registro de co-autores Questões: 1. Como incluir a produção intelectual de dois autores de um mesmo trabalho/artigo? 2. Se a produção é informada a partir do autor (docente, discente, outro), não ocorrerá a duplicação da produção? 7

8 Resposta: Cada artigo ou trabalho intelectual deve ser cadastrado pelo programa uma única vez. No caso de trabalho com múltiplos autores, selecionar primeiro o autor principal e, em seguida, os demais, que figurarão como co-autores. Trabalhos em Anais Questão: Foi retirada a coleta de informações sobre Trabalhos em Anais? Resposta: Não. Foi mantida a coleta de informações sobre trabalhos em Anais. Algumas áreas atribuem grande valor a esse tipo de produção, outras não. Para saber sobre a importância atribuída a esse item por diferentes áreas, ver o Documento de Área correspondente, disponível na página da Capes. PROBLEMAS DO COMPUTADOR OU SISTEMA LOCAL O computador faz o boot sozinho Questão: Como proceder, quando o computador faz o "boot" sozinho, forçando-me a recomeçar tudo outra vez, mesmo tendo memória suficiente (512 MB) e utilizando o Windows XP? Resposta: A solução para esse tipo de problema deve ser buscada junto a técnico do Setor de Informática da sua Instituição. Trata-se de problema da rede local ou de seu computador. Problema com a Resolução de Vídeo Monitor de 14 Questão: Como faço para mudar a Resolução de Vídeo? Resposta: Para ajustar a Resolução de seu Vídeo, adote os seguintes procedimentos: Questões: 1. No cadastro de docente, nos itens referentes ao número de orientações, as caixas de inclusão não ficam habilitadas para o preenchimento de dados. 2. No cadastro de Discente, não aparece a barra de rolagem e não consigo ver e/ou completar as informações. 3. Ao cadastrar novos discentes, quando vou salvar os dados digitados, aparece a mensagem: "digitar os dados obrigatórios". Não entendo pois todos os dados já foram digitados. Resposta: Esses problemas devem-se a inadequação da resolução da tela de seu monitor, que não lhe permite visualizar o documento completo. Para ajustar a Resolução de Vídeo, adote os seguintes procedimentos: IMPORTAÇÃO DE DADOS DO LATTES Questão: A importação do currículo do professor foi bem sucedida, mas não traz informações sobre a sua produção intelectual. Resposta: A integração só trará dados da produção referentes ao ano-base corrente. Se não houver produção referente ao ano-base do preenchimento do Coleta, o arquivo importado trará apenas os dados pessoais. 8

9 Questão: Como cadastrar a produção de docentes que não possuem o Currículo Lattes? Resposta: A integração com o Lattes é um recurso adicional, não é obrigatório, ao preenchimento do Coleta. A produção deve ser cadastrada normalmente no módulo específico. 9

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES Índice Página PROGRAMAS ACADÊMICOS E PROFISSIONAIS OFERECIDOS POR UM MESMO DEPARTAMENTO...2 PROPOSTA DE PROGRAMA...2 COMO COPIAR E COLAR...2 CADASTRO DOCENTE...2 ATIVIDADE DOCENTE...2

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES Índice Página PROGRAMAS ACADÊMICOS E PROFISSIONAIS OFERECIDOS POR UM MESMO DEPARTAMENTO...2 PROPOSTA DE PROGRAMA...2 COMO COPIAR E COLAR...2 CADASTRO DOCENTE...2 ATIVIDADE DOCENTE...2

Leia mais

COLETA DE DADOS 12. 0

COLETA DE DADOS 12. 0 CAPES/ M E C Diretoria de Avaliação D A V COLETA DE DADOS 12. 0 Manual Simplificado Atualizado em J a n e i r o / 2 0 11 Fundação CAPES President e Jorge Almeida Guimarães Diretor de Programas e Bolsas

Leia mais

1. REGISTRO DE PROJETOS

1. REGISTRO DE PROJETOS 1. REGISTRO DE PROJETOS Nesta aplicação será feito o registro dos projetos/ ações de extensão, informando os dados iniciais do projeto, as classificações cabíveis, os participantes, a definição da região

Leia mais

MANUAL DA SECRETARIA

MANUAL DA SECRETARIA MANUAL DA SECRETARIA Conteúdo Tela de acesso... 2 Liberação de acesso ao sistema... 3 Funcionários... 3 Secretaria... 5 Tutores... 7 Autores... 8 Configuração dos cursos da Instituição de Ensino... 9 Novo

Leia mais

MANUAL DIPAM A Versão de 10/05/2012

MANUAL DIPAM A Versão de 10/05/2012 MANUAL DA DIPAM A Versão de 10/05/2012 1 Índice Geral... 3 Configuração Mínima... 3 Instalação... 4 Procedimento pós-instalação para sistemas com Vista ou Windows 7... 8 Uso do Programa DIPAM-A... 10 DIPAM

Leia mais

TUTORIAL DE PREENCHIMENTO DO CURRICULO LATTES

TUTORIAL DE PREENCHIMENTO DO CURRICULO LATTES TUTORIAL DE PREENCHIMENTO DO CURRICULO LATTES Profa. Viviane Maia Barreto de Oliveira 1. O que é Currículo Lattes? O Sistema CV-Lattes é o componente da Plataforma Lattes desenvolvido para o CNPq e utilizado

Leia mais

SIE - SISTEMA DE INFORMAÇÕES PARA O ENSINO CADASTRO DE FUNCIONÁRIOS

SIE - SISTEMA DE INFORMAÇÕES PARA O ENSINO CADASTRO DE FUNCIONÁRIOS SIE - SISTEMA DE INFORMAÇÕES PARA O ENSINO CADASTRO DE FUNCIONÁRIOS SANTA MARIA FATECIENS 2008 Este manual tem por finalidade apresentar as especificações detalhadas da aplicação de Cadastro de Funcionários,

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO DE PROJETOS SIGPROJ TUTORIAL DO MODULO SELEÇÃO E ACOMPANHAMENTO DE PROJETOS DE PESQUISA

SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO DE PROJETOS SIGPROJ TUTORIAL DO MODULO SELEÇÃO E ACOMPANHAMENTO DE PROJETOS DE PESQUISA PRÓ-REITORIA DE INOVAÇÃO PROIN SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO DE PROJETOS SIGPROJ TUTORIAL DO MODULO SELEÇÃO E ACOMPANHAMENTO DE PROJETOS DE PESQUISA PRÓ-REITORIA DE INOVAÇÃO PROIN Índice Página APRESENTAÇÃO

Leia mais

MANUAL DE GABINETES SAJ/SG5

MANUAL DE GABINETES SAJ/SG5 MANUAL DE GABINETES SAJ/SG5 Seção de Implantação de Sistemas Divisão de Sistemas Judiciais de Segundo Grau Diretoria de Tecnologia da Informação DTI/TJSC suporte: saj2grau@tjsc.jus.br Índice: Página 1.

Leia mais

Treinamento da Plataforma Sucupira. Bergmann Morais e Demétrio Filho (DPP Diretoria)

Treinamento da Plataforma Sucupira. Bergmann Morais e Demétrio Filho (DPP Diretoria) Treinamento da Plataforma Sucupira Bergmann Morais e Demétrio Filho (DPP Diretoria) Sumário Apresentação sobre a CAPES, sua missão e os objetivos da avaliação Overview da plataforma Sucupira CAPES A Campanha

Leia mais

Ordem de Serviços. Abaixo será informado o procedimento passo a passo para emissão da ordem de serviço no CIAF.

Ordem de Serviços. Abaixo será informado o procedimento passo a passo para emissão da ordem de serviço no CIAF. Ordem de Serviços. Abaixo será informado o procedimento passo a passo para emissão da ordem de serviço no CIAF. 1 -Abertura da Ordem de Serviços: 1.1 Entre em Serviços + Ordem de Serviço + Abertura de

Leia mais

PASSO A PASSO PARA INSCRIÇÃO NO EDITAL PROIC 2015/2016

PASSO A PASSO PARA INSCRIÇÃO NO EDITAL PROIC 2015/2016 PASSO A PASSO PARA INSCRIÇÃO NO EDITAL PROIC 2015/2016 1. Acessar o sistema por meio do link, preferencialmente pelo navegador Internet Explorer ou Google Chrome: https://www.sibolweb.unb.br/sibolweb/fronteira/formlogin.aspx.

Leia mais

Sumário FPD Formulário de projeto P&D...4

Sumário FPD Formulário de projeto P&D...4 1 de 22 Sumário FPD Formulário de projeto P&D...4 Introdução...4 Cadastrando e atualizando dados de projetos de P&D...4 Cadastrando novo projeto...5 Cadastrando coordenador do projeto...5 Cadastrando dados

Leia mais

Questões de Informática 2011 - Editores de Texto

Questões de Informática 2011 - Editores de Texto 1. Existe uma operação específica no Word que serve para destacar um texto selecionado colocando uma moldura colorida em sua volta, como uma caneta "destaque" (iluminadora). Trata-se de a) "Cor da borda".

Leia mais

O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida nem transmitida

Leia mais

MANUAL OPERACIONAL Sistema de Cadastro Único 7

MANUAL OPERACIONAL Sistema de Cadastro Único 7 MANUAL OPERACIONAL Sistema de Cadastro Único 7 Versão Preliminar 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...4 1.1 Apresentação...4 1.2 Organização e uso do manual...4 1.3 Dúvidas e canais de atendimento...4 2 VISÃO GERAL

Leia mais

CADASTRO DE OBRAS E PROJETOS DE ENGENHARIA

CADASTRO DE OBRAS E PROJETOS DE ENGENHARIA CADASTRO DE OBRAS E PROJETOS DE ENGENHARIA SET 2014 2 INTRODUÇÃO Este manual objetiva orientar os servidores no processo do cadastro de projetos no Sistema Channel para viabilizar o acompanhamento físico-financeiro

Leia mais

1- Acessando o sistema

1- Acessando o sistema Sumário 1- Acessando o sistema... 3 2.0 - Opções do Menu... 4 3.0 - Config. U.E.... 4 3.1 - Período Letivo... 4 Adicionando o período letivo... 5 Alterando o período letivo... 5 4.0 - Integração SGE:...

Leia mais

Manual de Inclusão e Exclusão de Disciplinas Online

Manual de Inclusão e Exclusão de Disciplinas Online Apresentação Este manual apresenta o processo de inclusão e exclusão de disciplinas que o aluno poderá realizar através do Espaço do Aluno. Inclusão/Exclusão Durante todo processo o aluno poderá alterar

Leia mais

MANUAL DO PEP ATUALIZADO EM 13-08-2014 PROPOSTA ELETRÔNICA DE PREÇOS REFERENTE A VERSÃO DO PEP: 2.0.0.25

MANUAL DO PEP ATUALIZADO EM 13-08-2014 PROPOSTA ELETRÔNICA DE PREÇOS REFERENTE A VERSÃO DO PEP: 2.0.0.25 MANUAL DO PEP ATUALIZADO EM 13-08-2014 PROPOSTA ELETRÔNICA DE PREÇOS REFERENTE A VERSÃO DO PEP: 2.0.0.25 1 Sumário 1.Objetivo...03 2.Suporte...03 3.Como instalar...03 4.Usando o PEP...09 2 1. Objetivo:

Leia mais

CAPES - MEC COLETA DE DADOS 9.01 MANUAL SIMPLIFICADO DO USUÁRIO 2006

CAPES - MEC COLETA DE DADOS 9.01 MANUAL SIMPLIFICADO DO USUÁRIO 2006 CAPES - MEC COLETA DE DADOS 9.01 MANUAL SIMPLIFICADO DO USUÁRIO 2006 1 APRESENTAÇÃO...2 2 INSTALAÇÃO...2 3 IMPORTAÇÃO DO ARQUIVO ESPECÍFICO...3 4 IMPORTAÇÃO DE DADOS DO CADASTRO DE DISCENTES...4 5 PREENCHIMENTO

Leia mais

PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA TUTORIAL PARA O MÉDICO RELATÓRIO DE PRIMEIRAS IMPRESSÕES PROVAB 2014

PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA TUTORIAL PARA O MÉDICO RELATÓRIO DE PRIMEIRAS IMPRESSÕES PROVAB 2014 PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA TUTORIAL PARA O MÉDICO RELATÓRIO DE PRIMEIRAS IMPRESSÕES PROVAB 2014 Brasília/DF, 6 de outubro de 2014. 1 APRESENTAÇÃO RELATÓRIO DE PRIMEIRAS IMPRESSÕES

Leia mais

Padrão ix. Q-Ware Cloud File Publisher Manual para realização do Donwload de Arquivos. Versão 1.0.1.0

Padrão ix. Q-Ware Cloud File Publisher Manual para realização do Donwload de Arquivos. Versão 1.0.1.0 Padrão ix Q-Ware Cloud File Publisher Manual para realização do Donwload de Arquivos Versão 1.0.1.0 Copyright 2000-2013 Padrão ix Sistemas Abertos Ltda. Todos os direitos reservados. As informações contidas

Leia mais

Figura 1: tela inicial do BlueControl COMO COLOCAR A SALA DE INFORMÁTICA EM FUNCIONAMENTO?

Figura 1: tela inicial do BlueControl COMO COLOCAR A SALA DE INFORMÁTICA EM FUNCIONAMENTO? Índice BlueControl... 3 1 - Efetuando o logon no Windows... 4 2 - Efetuando o login no BlueControl... 5 3 - A grade de horários... 9 3.1 - Trabalhando com o calendário... 9 3.2 - Cancelando uma atividade

Leia mais

Manual Operacional Este manual atende o Sistema Segurança Web - Acesso, Módulo Prestadores.

Manual Operacional Este manual atende o Sistema Segurança Web - Acesso, Módulo Prestadores. Manual Operacional Este manual atende o Sistema Segurança Web - Acesso, Módulo Prestadores. Aviso O conteúdo deste documento é de propriedade exclusiva da TCR Soluções Corporativas e está sujeito a alterações

Leia mais

FEMA Fundação Educacional Machado de Assis INFORMÁTICA Técnico em Segurança do Trabalho P OW ERPOI NT. Escola Técnica Machado de Assis Imprensa

FEMA Fundação Educacional Machado de Assis INFORMÁTICA Técnico em Segurança do Trabalho P OW ERPOI NT. Escola Técnica Machado de Assis Imprensa P OW ERPOI NT 1 INTRODUÇÃO... 3 1. Iniciando o PowerPoint... 3 2. Assistente de AutoConteúdo... 4 3. Modelo... 5 4. Iniciar uma apresentação em branco... 6 5. Modo de Exibição... 6 6. Slide Mestre... 7

Leia mais

2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 1

2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 1 2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 1 2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 2 AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

Leia mais

DIÁRIO DE CLASSE ELETRÔNICO APRESENTAÇÃO... 2

DIÁRIO DE CLASSE ELETRÔNICO APRESENTAÇÃO... 2 DIÁRIO DE CLASSE ELETRÔNICO APRESENTAÇÃO... 2 PLANO DE CURSO Como cadastrar um plano de curso?... 3 Como importar um plano de curso?... 4 Como cadastrar o conteúdo programático?... 7 Como cadastrar atividades

Leia mais

Monitor de Comercialização Ofertante. Última Atualização 12/11/2015

Monitor de Comercialização Ofertante. Última Atualização 12/11/2015 Monitor de Comercialização Ofertante MT 43-1-00015-0 Última Atualização 12/11/2015 Índice I Como acessar um Leilão II Informações básicas III Anexos IV Como inserir subitens V Emissão de Relatórios VI

Leia mais

Curso Online A Escola no Combate ao Trabalho Infantil Plataforma de Educação à Distância

Curso Online A Escola no Combate ao Trabalho Infantil Plataforma de Educação à Distância Página1 Apresentação Curso Online A Escola no Combate ao Trabalho Infantil Plataforma de Educação à Distância Olá Participante do Curso A Escola no Combate ao Trabalho Infantil (ECTI), Este tutorial pretende

Leia mais

Boletim Sucupira nº 002 09 de julho de 2014. Prezados (as) Srs. Coordenadores de Programas,

Boletim Sucupira nº 002 09 de julho de 2014. Prezados (as) Srs. Coordenadores de Programas, Boletim Sucupira nº 002 09 de julho de 2014 Prezados (as) Srs. Coordenadores de Programas, Nesses primeiros meses de utilização da Plataforma Sucupira, temos trabalhado continuamente para aperfeiçoar suas

Leia mais

MÓDULO 3 Cadastros básicos

MÓDULO 3 Cadastros básicos MÓDULO 3 Cadastros básicos Agora que você já conhece o SCAWEB, demonstraremos como realizar os cadastros básicos do HÓRUS. Inicialmente, você precisará acessar o HÓRUS com o email e senha cadastrados no

Leia mais

Sistemas Corporativos da USP (Web)

Sistemas Corporativos da USP (Web) Sistemas Corporativos da USP (Web) O sistema de estágios remunerados da USP é fruto da colaboração das seguintes áreas da Reitoria da Universidade de São Paulo: Departamento de Recursos Humanos, Departamento

Leia mais

MIT072 Manual de Operação do Portal - Professores

MIT072 Manual de Operação do Portal - Professores ACESSO AO PORTAL Para acessar o Portal, o professor deve entrar no site Https://meu.ifmg.edu.br/Corpore.Net/Logon.aspx. Na página apresentada será necessário fazer o login preenchendo os campos Usuário

Leia mais

MAIS CONTROLE SOFTWARE Controle Financeiro / Fluxo de Caixa (MCS Versão 2.01.99) Índice

MAIS CONTROLE SOFTWARE Controle Financeiro / Fluxo de Caixa (MCS Versão 2.01.99) Índice Item MAIS CONTROLE SOFTWARE Controle Financeiro / Fluxo de Caixa (MCS Versão 2.01.99) Índice Página 1.Apresentação... 4 2.Funcionamento Básico... 4 3.Instalando o MCS... 4, 5, 6 4.Utilizando o MCS Identificando

Leia mais

PIBIC Online. http://pibic.rdc.puc-rio.br. Manual. Versão 1.1 de 01/05/2006

PIBIC Online. http://pibic.rdc.puc-rio.br. Manual. Versão 1.1 de 01/05/2006 PIBIC Online http://pibic.rdc.puc-rio.br Manual Versão 1.1 de 01/05/2006 Prof. Sidnei Paciornik Coordenador do PIBIC PUC-Rio (http://www.puc-rio.br/pibic) Introdução O PIBIC Online foi concebido para facilitar

Leia mais

1) Todos os dados devem ser digitados em MAIÚSCULA;

1) Todos os dados devem ser digitados em MAIÚSCULA; 1. Iniciar o Cadastramento UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Inicialmente, para cadastrar clicar em Observações importantes: 1) Todos os dados devem ser digitados em MAIÚSCULA; 2) Os processos devem

Leia mais

Portal de Aprendizado Tutorial do Aluno

Portal de Aprendizado Tutorial do Aluno Portal de Aprendizado Tutorial do Aluno Índice 1 Acessando o Portal... 2 1.1 Verificação do Browser... 2 1.2 Entre em contato... 3 1.3 Portal Autenticado... 5 2 Meus Cursos... 6 2.1 Matriculando-se em

Leia mais

Observações Importantes:

Observações Importantes: PLANO DE TRABALHO Observações Importantes: 1. Depois de realizada a revisão das informações postadas no formulário, o cadastrador deverá clicar em Finalizar Cadastro conforme imagem anterior. 2. Em seguida,

Leia mais

REGISTRO DE PROJETOS

REGISTRO DE PROJETOS REGISTRO DE PROJETOS 1. REGISTRO DE PROJETOS Esta aplicação tem o objetivo de realizar o Registro de Projetos da Instituição. É possível, incluir, alterar ou excluir essas informações. 1.1. Acessando a

Leia mais

DO USUÁRIO SISFAUNA. Relatórios de Atividades da Lei 10.165 Declaração de Plantel Estimado

DO USUÁRIO SISFAUNA. Relatórios de Atividades da Lei 10.165 Declaração de Plantel Estimado MANUAL DO USUÁRIO SISFAUNA Relatórios de Atividades da Lei 10.165 Declaração de Plantel Estimado IBAMA INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATU- RAIS RENOVAVÉIS Elaborado por Priscila

Leia mais

Ministério da Educação - MEC Universidade Federal de Santa Maria UFSM Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa PRPGP

Ministério da Educação - MEC Universidade Federal de Santa Maria UFSM Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa PRPGP Ministério da Educação - MEC Universidade Federal de Santa Maria UFSM Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa PRPGP Tutorial de Solicitação de Defesa de MDT Monografia Dissertação Tese AGOSTO DE 2013

Leia mais

Manual de Instalação e Utilização do Sistema Integrado de Secretária (SIS 1.0)

Manual de Instalação e Utilização do Sistema Integrado de Secretária (SIS 1.0) Parte:Manual Atualização: OriginalPágina 1 Manual de Instalação e Utilização do Sistema Integrado de Secretária () Instalação Se houver alguma versão do FireBird Instalada na máquina desinstale antes de

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO PORTAL DO PROFESSOR

MANUAL DO USUÁRIO PORTAL DO PROFESSOR MANUAL DO USUÁRIO PORTAL DO PROFESSOR ACESSANDO O PORTAL DO PROFESSOR Para acessar o portal do professor, acesse o endereço que você recebeu através da instituição de ensino ou acesse diretamente o endereço:

Leia mais

TUTORIAL PARA UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA LMS

TUTORIAL PARA UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA LMS TUTORIAL PARA UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA LMS Neste documento você encontrará um conjunto de orientações de como navegar na plataforma do MBA Gestão Empreendedora. Siga as instruções com atenção e salve este

Leia mais

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA LEIAME APRESENTAÇÃO Nenhuma informação do TUTORIAL DO MICRO- SOFT OFFICE WORD 2003 poderá ser copiada, movida ou modificada sem autorização prévia e escrita do Programador Roberto Oliveira Cunha. Programador:

Leia mais

Tutorial Report Express. Como iniciar o uso dos serviços fazer a diferença.

Tutorial Report Express. Como iniciar o uso dos serviços fazer a diferença. Tutorial Report Express Como iniciar o uso dos serviços fazer a diferença. Índice Apresentação Pág. 3 Passo 1 Pág. 4 Instalação do MasterDirect Integrações Passo 2 Pág. 8 Exportar clientes Linha Contábil

Leia mais

Sistema de Concessão de Diárias e Passagens SCDP FAQ PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES

Sistema de Concessão de Diárias e Passagens SCDP FAQ PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistema de Concessão de Diárias e Passagens SCDP FAQ PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Operacionalização - Solicitação de Viagem 1 CADASTRAMENTO DE VIAGEM 1.1 Como reativar uma PCDP já cancelada? 1.2 -

Leia mais

Manual do Portal do Fornecedor. isupplier

Manual do Portal do Fornecedor. isupplier isupplier Revisão 01 Setembro 2011 Sumário 1 Acesso ao portal isupplier... 03 2 Home Funções da Tela Inicial... 05 3 Ordens de Compra Consultar Ordens de Compra... 07 4 Entregas Consultar Entregas... 13

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões URI Pró-Reitoria de Pesquisa, Extensão e Pós-Graduação PROPEPG Manual de Utilização Sistema de Projetos URI Módulo Projetos Versão 1 - Revisão

Leia mais

MAPEAMENTO DIGITAL DA REDE DE ARTICULAÇÃO INTERSETORIAL PARA PROMOÇÃO DA SAÚDE PARTE 2 MOOTIRO MAPS

MAPEAMENTO DIGITAL DA REDE DE ARTICULAÇÃO INTERSETORIAL PARA PROMOÇÃO DA SAÚDE PARTE 2 MOOTIRO MAPS MAPEAMENTO DIGITAL DA REDE DE ARTICULAÇÃO INTERSETORIAL PARA PROMOÇÃO DA SAÚDE PARTE 2 MOOTIRO MAPS maps.mootiro.org O que é o MootiroMaps? MootiroMaps é uma aplicação livre para promover o desenvolvimento

Leia mais

0800-728-2001 (Capitais e Interior) 0800-729-2001 (Demais Localidades) 0800-727-2001 (Capitais e Interior) Golden Fone (SAC)

0800-728-2001 (Capitais e Interior) 0800-729-2001 (Demais Localidades) 0800-727-2001 (Capitais e Interior) Golden Fone (SAC) Golden Fone (SAC) 0800-728-2001 (Capitais e Interior) Central Técnica 4004-2001 (Regiões Metropolitanas do Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Belo Horizonte, Porto Alegre, Brasília e São Luís) 0800-729-2001

Leia mais

Manual do Usuário. Módulo: Recadastramento (Servidor) Recadastramento Anual. Versão: 0.1. Recife, Outubro de 2013. www.banksystem.com.

Manual do Usuário. Módulo: Recadastramento (Servidor) Recadastramento Anual. Versão: 0.1. Recife, Outubro de 2013. www.banksystem.com. Manual do Usuário Módulo: Recadastramento (Servidor) Recadastramento Anual Versão: 0.1 Recife, Outubro de 2013. 1-16 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 29/08/2013 0.1 Versão inicial do documento.

Leia mais

Apresentação. Sejam bem-vindos! Lúcia Velloso Maurício Coordenadora Márcia Soares de Alvarenga Coordenadora Adjunta

Apresentação. Sejam bem-vindos! Lúcia Velloso Maurício Coordenadora Márcia Soares de Alvarenga Coordenadora Adjunta Universidade do Estado do Rio de Janeiro Faculdade de Formação de Professores Programa de Pós-Graduação em Educação: Processos formativos e desigualdades sociais Manual do Mestrando 1 Apresentação Este

Leia mais

Guia de Procedimentos PROPESQ

Guia de Procedimentos PROPESQ Guia de Procedimentos PROPESQ Divisão de Cursos e Programas 1- Mudança no Corpo Docente 2- Mudança na Estrutura Curricular 3- Mudança no Regimento Interno do Programa O presente documento tem por finalidade

Leia mais

F.A.Q. PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

F.A.Q. PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO F.A.Q. PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Página 1 Sumário DÚVIDAS GERAIS... 3 PREGÃO ELETRÔNICO... 6 Página 2 DÚVIDAS GERAIS 1. O que é o Fluxograma das Etapas? Resposta: O fluxograma representa

Leia mais

PROCEDIMENTO DO CLIENTE

PROCEDIMENTO DO CLIENTE PROCEDIMENTO DO CLIENTE Título: Manual da Loja Virtual. Objetivo: Como anunciar produtos e acompanhar as vendas. Onde: Empresa Quem: Cliente Quando: Início Através deste manual, veremos como anunciar e

Leia mais

Projeto ECA na Escola - Plataforma de Educação à Distância

Projeto ECA na Escola - Plataforma de Educação à Distância Página1 Apresentação Projeto ECA na Escola - Plataforma de Educação à Distância Olá Participante do Projeto ECA na Escola, Este tutorial pretende auxiliá-lo na navegação na Plataforma de Educação à Distância

Leia mais

Solicitação de Reposição? FS71.1

Solicitação de Reposição? FS71.1 Como Trabalhar com Solicitação de Reposição? FS71.1 Sistema: Futura Server Caminho: Estoque>Reposição>Reposição Referência: FS71.1 Versão: 2015.9.18 Como Funciona: Esta tela é utilizada para solicitar

Leia mais

Treinamento em BrOffice.org Writer

Treinamento em BrOffice.org Writer Treinamento em BrOffice.org Writer 1 Índice I. INTRODUÇÃO...3 II. BARRA DE FERRAMENTAS...3 III. CONFIGURAR PÁGINA...4 1. Tamanho, Margens e Orientação...5 2. Cabeçalhos...6 3. Rodapés...6 4. Numerando

Leia mais

Modelo - Formulário de Adesão ao PROFBIO

Modelo - Formulário de Adesão ao PROFBIO Modelo - Formulário de Adesão ao PROFBIO Importante: É fundamental que os docentes participantes tenham seu LATTES atualizado e completo, para que seja feita a importação de dados para o APCN pela Plataforma

Leia mais

As diferenças apuradas entre as duas metodologias comporão ajuste específico a ser efetuado no Livro de Apuração do Lucro Real (LALUR).

As diferenças apuradas entre as duas metodologias comporão ajuste específico a ser efetuado no Livro de Apuração do Lucro Real (LALUR). 1 Geração do FCont Objetivo: Atender todas as empresas que fazem uso da entrega desta informação junto à Receita Federal do Brasil (RFB). Trata-se de empresas enquadradas no Lucro Real. Benefícios: Este

Leia mais

Gravando Dados e Cópias de CD s com o Nero 6.0 Disciplina Operação de Sistemas Aplicativos I

Gravando Dados e Cópias de CD s com o Nero 6.0 Disciplina Operação de Sistemas Aplicativos I CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA Escola Técnica Estadual de Avaré ETE-AVARÉ CURSO DE TÉCNICO EM INFORMÁTICA NÚCLEO DE APOIO Gravando Dados e Cópias de CD s com o Nero 6.0 Disciplina

Leia mais

MATRÍCULAS ON LINE MANUAL DO DISCENTE

MATRÍCULAS ON LINE MANUAL DO DISCENTE MATRÍCULAS ON LINE MANUAL DO DISCENTE 1 1. Acessar o site da FMB, clicar em Pós-Graduação stricto sensu, Portal de Sistemas (matrícula on line e validação) 2. O aluno será direcionado para tela ACESSO

Leia mais

Manual Operacional Agenda Regulada. Unidades Solicitantes

Manual Operacional Agenda Regulada. Unidades Solicitantes Manual Operacional Agenda Regulada Unidades Solicitantes Prefeito: Gilberto Kassab Secretária: Maria Aparecida Orsini de Carvalho Secretário Adjunto: Ailton Ribeiro de Lima Assessor de TI: Cláudio Giulliano

Leia mais

DO USUÁRIO SISFAUNA. Relatórios de Atividades da Lei 10.165 Declaração de Plantel Exato

DO USUÁRIO SISFAUNA. Relatórios de Atividades da Lei 10.165 Declaração de Plantel Exato MANUAL DO USUÁRIO SISFAUNA Relatórios de Atividades da Lei 10.165 Declaração de Plantel Exato IBAMA INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATU- RAIS RENOVAVÉIS Elaborado por Priscila Pivante

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO SISTEMA DE PAGAMENTO ONLINE. Versão: 01.08

MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO SISTEMA DE PAGAMENTO ONLINE. Versão: 01.08 MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO SISTEMA DE PAGAMENTO ONLINE Versão: 01.08 Índice Instalação do Sistema...03 Tela inicial do Sistema...10 Módulos...11 Conteúdo do Menu Arquivo...11 Finalizar...11 Inclusão

Leia mais

Portal de Chamados Softplan Guia prático para abertura de Chamados Perfil 2

Portal de Chamados Softplan Guia prático para abertura de Chamados Perfil 2 Portal de Chamados Softplan Guia prático para abertura de Chamados Perfil 2 Descrição: Guia prático para abertura Responsável: Jailson Martins Revisão: 1.0.1 de Chamados Detalhes: Detalhamento dos passos

Leia mais

DIRF 2011. Secretaria da Receita Federal do Brasil

DIRF 2011. Secretaria da Receita Federal do Brasil DIRF 2011 O que é a DIRF? É a Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte feita pela FONTE PAGADORA, destinada a informar à Secretaria da Receita Federal o valor do Imposto de Renda retido na fonte,

Leia mais

- Nota Fiscal Eletrônica -

- Nota Fiscal Eletrônica - Manual Portal de Clientes e Transportadores - Nota Fiscal Eletrônica - ÍNDICE. INTRODUÇÃO 3. OBJETIVO 3.2 ABRANGÊNCIA 3 2. FUNCIONALIDADES 3 2. CADASTRO DE CLIENTES NO PORTAL 3 2.2 CONSULTA NOTAS FISCAIS

Leia mais

UNIDADE III Sistemas Operacionais WINDOWS

UNIDADE III Sistemas Operacionais WINDOWS UNIDADE III Sistemas Operacionais WINDOWS Objetivo da unidade Objetivo Geral Apontar as noções básicas do Windows Praticar o aprendizado sobre o Sistema Operacional Objetivos Específicos Entender como

Leia mais

Manual de Instalação SIM/SINASC

Manual de Instalação SIM/SINASC Manual de Instalação SIM/SINASC Agosto/2009 Versão 2.2 Índice CAPÍTULO 01 INTRODUÇÃO... 4 CAPÍTULO 02 - PERFIL DO HARDWARE... 5 CAPÍTULO 03 INSTALADOR SIM SINASC 2.2... 6 CAPÍTULO 04 - MODO DE INSTALAÇÃO...

Leia mais

ACESSANDO COM USUÁRIO DE PROFESSOR

ACESSANDO COM USUÁRIO DE PROFESSOR ACESSANDO COM USUÁRIO DE PROFESSOR 1º passo: Acesse a página através do link existente no site de Newton laboratório e audiovisual: 2º passo: Na tela inicial do sistema digite seu usuário e sua senha nos

Leia mais

Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI. Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo

Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI. Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo Programa AMG Manual de Operação Conteúdo 1. Sumário 3 2. Programa

Leia mais

Medical Office 2015 Instruções de Instalação e Configuração

Medical Office 2015 Instruções de Instalação e Configuração Medical Office 2015 Instruções de Instalação e Configuração 1) Faça o download do Medica Office através do nosso site www.medicaloffice.com.br opção do Download; 2) Após realizado o download do arquivo

Leia mais

MANUAL PARA INSCRIÇÃO online. Versão Chamamento Público

MANUAL PARA INSCRIÇÃO online. Versão Chamamento Público MANUAL PARA INSCRIÇÃO online Versão Chamamento Público 1 Atenção Siga cuidadosamente todas as orientações deste Manual durante o processo de inscrição online >> 1º Passo: Acessar o SalicWeb Para inscrever-se

Leia mais

Pró-Reitoria de Ensino - PROEN Diretoria de Programas e Ação Pedagógica - DIRPAPE Divisão de Cadastro e Documentação - DIDOC

Pró-Reitoria de Ensino - PROEN Diretoria de Programas e Ação Pedagógica - DIRPAPE Divisão de Cadastro e Documentação - DIDOC Pró-Reitoria de Ensino - PROEN Diretoria de Programas e Ação Pedagógica - DIRPAPE Divisão de Cadastro e Documentação - DIDOC Tutorial para cadastro dos Planos de Atividades dos Programas de Monitoria Discente,

Leia mais

CeC. Cadastro eletrônico de Contribuintes. Manual CeC

CeC. Cadastro eletrônico de Contribuintes. Manual CeC CeC Cadastro eletrônico de Contribuintes Manual CeC Atualizado em 21/02/2013 APRESENTAÇÃO Este manual apresenta a estrutura e a forma de utilização do módulo Cadastro eletrônico de Contribuintes CeC, o

Leia mais

GUIA DE PREENCHIMENTO

GUIA DE PREENCHIMENTO GUIA DE PREENCHIMENTO CARTA DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE DA EMPRESA Leia atentamente a Chamada antes do preenchimento. A primeira etapa da CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/Ação Transversal Cooperação ICTs-Empresas

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA GUIA DE NAVEGAÇÃO APLICATIVO DE SOLICITAÇÃO DE FORMULÁRIOS (SASF) USUÁRIOS MUNICIPAIS VERSÃO 1.1 BRASÍLIA DF Agosto/2015 2011 Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

Mantis. Solicitando suporte. Manual do Cliente

Mantis. Solicitando suporte. Manual do Cliente Mantis Solicitando suporte Manual do Cliente Telefones: 3355-1594, 3350-6917, 4053 9165 - WWW.intelidata.inf.br Página 1 2012 Sumário USANDO O MANTIS PARA SOLICITAR SUPORTE... 3 Tela de Login... 3 Minha

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS BÁSICOS DO USUÁRIO VITORIA/ES 2013. Página 1 de 18

MANUAL DE PROCEDIMENTOS BÁSICOS DO USUÁRIO VITORIA/ES 2013. Página 1 de 18 MANUAL DE PROCEDIMENTOS BÁSICOS DO USUÁRIO VITORIA/ES 2013 Página 1 de 18 Gerenciador de Ambiente Laboratorial - GAL DEFINIÇÃO O Gal é um sistema informatizado desenvolvido para os laboratórios de Saúde

Leia mais

SIGMA.Documenta. Coleta 2012: Preparação dos Dados dos Programas de Pós- Graduação. (versão 01 22/08/2012)

SIGMA.Documenta. Coleta 2012: Preparação dos Dados dos Programas de Pós- Graduação. (versão 01 22/08/2012) U m a V i s ã o I n t e g r a d a d a A t i v i d a d e A c a d ê m i c a n a U n i v e r s i d a d e F e d e r a l d o R i o d e J a n e i r o SIGMA.Documenta Coleta 2012: Preparação dos Dados dos Programas

Leia mais

TREINAMENTO SISTEMA ACADÊMICO (SA) E WEBDIÁRIO

TREINAMENTO SISTEMA ACADÊMICO (SA) E WEBDIÁRIO MEC-SETEC INSTITUTO FEDERAL DE CIÊNCIA, EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS BAMBUÍ Gerência de Tecnologia da Informação TREINAMENTO SISTEMA ACADÊMICO (SA) E WEBDIÁRIO Janeiro de 2009 NOTA DE CONFIDENCIALIDADE

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul Manual do Módulo de Extensão (SiEX) do Sistema de Informação e Gestão de Projeto - SIGPROJ Avaliação e seleção de propostas de

Leia mais

Manual de instalação, configuração e utilização do Enviador XML

Manual de instalação, configuração e utilização do Enviador XML Manual de instalação, configuração e utilização do Enviador XML 1. Conceitos e termos importantes XML Empresarial: é um sistema web (roda em um servidor remoto) de armazenamento e distribuição de documentos

Leia mais

CRIAÇÃO DE CURSO. 1. Criar a Disciplina

CRIAÇÃO DE CURSO. 1. Criar a Disciplina CRIAÇÃO DE CURSO 1. Criar a Disciplina 2. Incluindo o Curso Título do Curso A NATUREZA NÃO PODE SER ALTERADA 3. Criar um Programa 4. Inserindo um Programa 5. Inserindo Disciplina no Programa Se existir

Leia mais

Relatórios. Manual. Pergamum

Relatórios. Manual. Pergamum Relatórios Manual Pergamum Manual PER-MAN-005 Estatísticas Circulação de Materiais - Geral Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 1-4 1.1 PESQUISANDO ESTATÍSITICAS E RELATÓRIOS... 1-10 1.2 UTILIZANDO O MÓDULO RELATÓRIOS...

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA. Manual do Moodle- Sala virtual

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA. Manual do Moodle- Sala virtual UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA Manual do Moodle- Sala virtual UNIFAP MACAPÁ-AP 2012 S U M Á R I O 1 Tela de Login...3 2 Tela Meus

Leia mais

Roteiro para uso do banco de dados do SINAN Online Dengue para análise de completitude e inconsistências

Roteiro para uso do banco de dados do SINAN Online Dengue para análise de completitude e inconsistências Roteiro para uso do banco de dados do SINAN Online Dengue para análise de completitude e inconsistências O Sistema de Informação de Agravos de Notificação Online (SINAN Online) tem por objetivo a notificação

Leia mais

ACESSO ALUNO (exclusivo para o Passe Escolar Gratuito)

ACESSO ALUNO (exclusivo para o Passe Escolar Gratuito) ACESSO ALUNO (exclusivo para o Passe Escolar Gratuito) Primeiro Acesso O aluno deve acessar o endereço http://s2.aesanet.net/cades e clicar no botão Cadastre-se como mostra a figura abaixo; Em seguida

Leia mais

MANUAL SICCL SQL SRTVS 701 Bloco O Ed. MultiEmpresarial Sala 804 Brasília/DF CEP 70340-000 Fone/Fax: (061) 3212-6700 E-mail: implanta@conselhos.com.

MANUAL SICCL SQL SRTVS 701 Bloco O Ed. MultiEmpresarial Sala 804 Brasília/DF CEP 70340-000 Fone/Fax: (061) 3212-6700 E-mail: implanta@conselhos.com. MANUAL SICCL SQL ÍNDICE ACESSANDO O SISTEMA SG - COMPRAS E CONTRATOS... 3 ATENDENDO SOLICITAÇÕES DE ITENS E SERVIÇOS... 5 VERIFICANDO A DISPONIBILIDADE DE RECURSOS... 7 ATENDER SOLICITAÇÕES COM PROCESSO

Leia mais

Portal de Compras. São José do Rio Preto

Portal de Compras. São José do Rio Preto Portal de Compras São José do Rio Preto Sumário DÚVIDAS GERAIS...2 PREGÃO ELETRÔNICO... 4 EMPRO Empresa Municipal de Processamento de Dados 1 DÚVIDAS GERAIS 1.O que é o Fluxograma das Etapas? Resposta:

Leia mais

Gerenciador de Multi-Projetos. Manual do Usuário. 2000 GMP Corporation

Gerenciador de Multi-Projetos. Manual do Usuário. 2000 GMP Corporation GMP Corporation Gerenciador de Multi-Projetos Manual do Usuário 2000 GMP Corporation Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 24/08/2004 1.0 Versão inicial do documento Bárbara Siqueira Equipe

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1/POSJOR/2013

RESOLUÇÃO Nº 1/POSJOR/2013 RESOLUÇÃO Nº 1/POSJOR/2013 Dispõe sobre os critérios para credenciamento e recredenciamento de docentes no Programa de Pós- Graduação em Jornalismo (POSJOR), define o número de orientandos por orientador

Leia mais

NÚCLEO DE APOIO AO DISCENTE REGULAMENTO

NÚCLEO DE APOIO AO DISCENTE REGULAMENTO NÚCLEO DE APOIO AO DISCENTE REGULAMENTO TAQUARITINGA / 2015 1 Sumário NÚCLEO DE APOIO AO DISCENTE...3 1- Formas de acesso...3 2- Estímulos à permanência...4 3- Apoio Psicopedagógico, Orientação Pedagógica

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO SIGPROJ VERSÃO USUÁRIO

GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO SIGPROJ VERSÃO USUÁRIO GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO SIGPROJ VERSÃO USUÁRIO INTRODUÇÃO O SIGProj é um sistema para elaboração, acompanhamento e gestão de projetos. Ele foi criado e é mantido pela Universidade Federal do Mato

Leia mais

1 ACESSO PARA SECRETÁRIA... 4 2 - CONFIGURAR HORÁRIOS DE ATENDIMENTO... 4 2.1 BLOQUEANDO E HABILITANDO HORÁRIOS... 5 3 PRÉ-DEFININDO PARÂMETROS DE

1 ACESSO PARA SECRETÁRIA... 4 2 - CONFIGURAR HORÁRIOS DE ATENDIMENTO... 4 2.1 BLOQUEANDO E HABILITANDO HORÁRIOS... 5 3 PRÉ-DEFININDO PARÂMETROS DE 2 1 ACESSO PARA SECRETÁRIA... 4 2 - CONFIGURAR HORÁRIOS DE ATENDIMENTO... 4 2.1 BLOQUEANDO E HABILITANDO HORÁRIOS... 5 3 PRÉ-DEFININDO PARÂMETROS DE ATENDIMENTO... 6 4 - A TELA AGENDA... 7 4.1 - TIPOS

Leia mais