SIMHIBRIDO - PROGRAMA COMPUTACIONAL DE SIMULAÇÃO DE SISTEMAS HÍBRIDOS PARA ENERGIZAÇÃO RURAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SIMHIBRIDO - PROGRAMA COMPUTACIONAL DE SIMULAÇÃO DE SISTEMAS HÍBRIDOS PARA ENERGIZAÇÃO RURAL"

Transcrição

1 SIMHIBRIDO - PROGRAMA COMPUTACIONAL DE SIMULAÇÃO DE SISTEMAS HÍBRIDOS PARA ENERGIZAÇÃO RURAL ODIVALDO J. SERAPHIM 1 JAIR A. C. SIQUEIRA 2 FERNANDO DE L. CANEPPELE 3 ARISTÓTELES T. GIACOMINI 4 RESUMO O presente trabalho teve como objetivo a elaboração de um programa computacional para simulação de sistemas híbridos de energia (fotovoltaico-eólico-gerador) para a energização rural. Utilizou-se a linguagem de programação VISUAL BASIC, equações de dimensionamento de painéis fotovoltaicos, aerogeradores e geradores à combustão (diesel e gasolina) e elaborou-se o procedimento para análise econômica dos sistemas dimensionados. O programa desenvolvido permite a seleção e o dimensionamento dos componentes do sistema híbrido. O programa faz uma análise técnica e econômica do sistema híbrido (fotovoltaico-eólico-gerador) em comparação a um sistema convencional (moto-gerador a diesel ou gasolina) para o atendimento de comunidades isoladas. PALAVRAS-CHAVE: simulação, sistemas híbridos de energia, energização rural, energia alternativa, energia solar fotovoltaica, energia eólica. SIMHIBRIDO - HYBRID ENERGY SYSTEMS SIMULATION SOFTWARE FOR RURAL ELECTRIFICATION ABSTRACT The objective of this work was to make software for simulation of hybrid energy systems (photovoltaic-wind-generator) for the rural electrification. The language VISUAL BASIC programming was used, equations of sizing of panels photovoltaics, aerogenerators and generators to the combustion (diesel and gasoline) and the procedure for economic analysis of the systems. The developed software allows the selection and the sizing of the hybrid energy system components. The software makes a technical and economic analysis of the hybrid system (phototovoltaic-wind-generator) in comparison to a conventional system (generator to diesel or gasoline) for the isolated communities attendance. KEYWORDS: simulation, hybrid energy systems, rural electrification, alternative energy, photovoltaic solar energy, wind energy. 1 Prof. Dr. Departamento de Engenharia Rural, Faculdade de Ciências Agronômicas, UNESP, Campus de Botucatu, , Botucatu, SP, 2 Prof. Assistente, CCET- UNIOESTE, Doutorando em Energia na Agricultura, Faculdade de Ciências Agronômicas, UNESP, Campus de de Botucatu 3 Engenheiro Eletricista, Mestrando em Energia na Agricultura, Faculdade de Ciências Agronômicas, UNESP, Campus de Botucatu 4 Engenheiro Eletricista, Doutor em Energia na Agricultura Faculdade de Ciências Agronômicas, UNESP, Campus de Botucatu.

2 1. INTRODUÇÃO Os sistemas híbridos de energia são sistemas eólicos, fotovoltaicos, diesel ou hídricos combinados em que podem ou não ser usados sistemas de armazenamento de energia. Estes sistemas são usados para pequenas redes isoladas ou para aplicações especiais tais como bombeamento de água, carga de baterias, dessalinização, entre outras (CRESESB, 2002). O objetivo destes sistemas é produzir o máximo de energia possível das fontes renováveis, enquanto mantidas a qualidade da energia e a confiabilidade especificada para cada projeto (CBEE, 2002). Para a implantação com sucesso de um sistema híbrido de energia, dois fatores são essenciais: a confiabilidade da operação e o fornecimento de energia (HANSEN, 1998). O objetivo deste trabalho foi a elaboração de um programa computacional para simulação de sistemas híbridos de energia (fotovoltaico-eólico-gerador) para a energização rural. 2. MATERIAL E MÉTODOS Para o desenvolvimento do programa computacional, utilizou-se a linguagem de programação VISUAL BASIC 5.0, seguindo-se o diagrama de blocos apresentado na Figura 01. Elaborou-se um banco de dados das cargas utilizadas para o cálculo da demanda de energia elétrica da propriedade ou instalação rural. Fez-se um banco de dados para a seleção de inversores, controladores de carga e baterias. Cadastrou-se no banco de dados equipamentos comerciais com valores em dólar. Elaborou-se, também, um banco de dados de módulos fotovoltaicos e aerogeradores de várias marcas com valores em dólar. Além disso, baseando-se nos dados fornecidos pelo atlas solarimétrico nacional (CEPEL/CRESESB, 2002), fez-se um banco de dados da energia irradiada mínima nas principais localidades brasileiras, a qual compõe o dimensionamento da parte fotovoltaica do sistema híbrido. Utilizou-se o programa ACCESS 7.0 para a elaboração dos bancos de dados. Os cálculos do dimensionamento do sistema fotovoltaico seguem a metodologia proposta pelo CRESESB (1999) e os cálculos do dimensionamento do sistema eólico seguem a metodologia proposta pela DWIA (2001). Para a análise econômica do sistema híbrido, em relação ao sistema convencional para a geração de eletricidade, utilizou-se a metodologia proposta por Hull (2002), baseando-se no tempo de retorno do investimento necessário para recuperar o investimento inicial e através da comparação do investimento inicial de cada sistema e dos custos de manutenção de cada sistema, podendo-se determinar se o sistema híbrido é viável ou inviável. Os valores de despesas ocorridos foram referenciados ao início de cada período

3 de análise, ou seja, os valores serão trazidos a valores presentes, através da taxa de atualização denominada de Fator de Valor Atual (FVA). Radiação solar e velocidade do vento Características dos componentes Consumo de energia e Demanda de carga Configuração do sistema Otimização do sistema de operação Estratégia para configuração dos componentes Performance do sistema Custos iniciais Custos de operação Avaliação econômica Custos totais + Vida útil Sistema VIÁVEL Sistema INVIÁVEL Figura 1 Diagrama de Blocos para Programação e Desenvolvimento do SimHíbrido 3. RESULTADOS E DISCUSSÃO A discussão dos resultados será realizada por meio da apresentação de um exemplo de dimensionamento de sistemas híbridos, sendo que considerou-se no exemplo uma carga instalada de 300W em corrente continua com demanda de 1142Whdia -1, como pode ser observado na Figura 2, a qual corresponde a tela de inserção de dados de consumo da instalação no programa desenvolvido.

4 Figura 2 Entrada dos dados do consumo de energia em CA e CC. Na tela denominada sistema fotovoltaico (Figura 3), deve-se inserir a porcentagem de contribuição do sistema de geração fotovoltaica no sistema híbrido. No exemplo, considerou-se um total de 80% de participação do sistema. O próximo passo consiste em inserir os dados das características meteorologicas da radiação do local na tela correspondente ao sistema fotovoltaico. O programa permite selecionar a radiação mínima de diversas localidades do país em um banco de dados pré-existente. Deve-se ainda entrar com o número de dias de cobertura do céu por semana. Selecionou-se para o exemplo o valor da radiação em 5,5 kwhm -2 e considerou-se que não haveria nenhum dia por semana com céu encoberto. Deve-se, ainda, selecionar o tipo de módulo que será usado para a geração fotovoltaica em um banco de dados pré-existente e/ou inserir diretamente as características da potência nominal, tensão nominal, corrente nominal e corrente de curto-circuito. Para este exemplo, selecionou-se um módulo SR-100, com potência nominal de 100W, tensão nominal de 12Vdc, corrente nominal de 5,6 A e corrente de curto-circuito de 6,3 A.

5 Figura 3 Entrada de dados do sistema fotovoltaico Na Figura 4, apresenta-se a tela do sistema eólico, de forma análoga ao comentado para a tela anterior, deve-se definir a porcentagem de contribuição do sistema eólico. Neste caso, 20%. Uma vez que, se considerou o dimensionamento de um sistema híbrido eólicofotovoltaico sem a participação de um gerador convencional. A partir das características da energia eólica no local, deve-se inserir o valor da velocidade média diária do vento em ms -1 e o número de dias sem vento na intensidade necessária para geração de energia elétrica pelo aerogerador escolhido para compor o sistema híbrido. Para o exemplo em questão, considerou-se a velocidade de 5,5 ms -1 e 1 dia sem vento. Deve-se, também, selecionar no banco de dados um aerogerador para o sistema híbrido. Neste caso, selecionou-se um aerogerador com potência de pico de 400W, tensão de 12Vdc, velocidade do vento necessária para geração na potência de pico de 12,5 ms -1 e diâmetro do rotor de 1,14 m. Na Figura 5, apresenta-se a tela de seleção dos equipamentos complementares ao sistema híbrido e que serão utilizados no dimensionamento. Em um banco de dados préexistente selecionou-se os controladores de carga para o sistema fotovoltaico e eólico, sendo que para o exemplo optou-se por dois controladores de carga de 20 A. Selecionou-se uma bateria com capacidade 150 Ah e 12Vdc. Poderia-se, ainda, selecionar um inversor de tensão, para transformar a tensão de corrente continua para corrente alternada, mas como o sistema

6 considerado no exemplo só possui cargas em corrente continua, neste caso não é necessário. Entretanto, no programa tem-se um banco de dados com inversores de diversas potências e rendimentos que podem ser selecionados, quando o dimensionamento exigir. Figura 4 Entrada de dados do sistema eólico. Figura 5 Entrada de dados dos componentes, (inversor, controlador de carga e bateria).

7 Os resultados do dimensionamento apresentam-se no ítem correspondente do programa, conforme pode ser observado na Figura 6. A tela apresenta uma planilha com as quantidades e custos dos equipamentos necessários para montagem do sistema híbrido dimensionado. Os custos são apresentados em dólar mas inserindo-se a cotação do dia, converte-se os valores apresentados para reais. Para o exemplo em questão, o programa dimensionou 1 aerogerador, 3 módulos fotovoltaicos, 1 bateria, 2 controladores de carga para o sistema eólico e 1 controlador de carga para o sistema fotovoltaico. O valor total do sistema híbrido dimensionado ficou em R$ 8129,40, considerando-se a cotação do dólar em R$ 2,44/dólar. Figura 6 Resultados obtidos do sistema híbrido Para avaliação da viabilidade econômica do sistema híbrido dimensionado, deve-se selecionar no banco de dados um gerador convencional (diesel ou gasolina) que possa prover a mesma capacidade requerida pela carga. No exemplo, selecionou-se um gerador de 1kWh à gasolina. O valor do investimento já está inserido no banco de dados. Deve-se, introduzir uma taxa de juros compostos praticada pelo mercado. Considerou-se no exemplo, a taxa para o financiamento dos equipamentos no valor de 10% a.a. O gerador convencional selecionado possui uma vida útil na faixa de 10 anos de utilização, consome 0,76 lh -1 de combustível, cujo o preço no varejo é de R$ 2,35. Por outro

8 lado a vida útil do sistema híbrido eólico-fotovoltaico está na faixa de 25 anos e não consome combustíveis com valores fixados pelo mercado (energia eólica e solar). O custo de manutenção de ambos os sistemas é calculado pelo programa em função do consumo e preço do combustível utilizado. Introduzindo-se os dados considerados, na tela apresentada na Figura 7, verificou-se que o sistema dimensionado é viável e possui um tempo de retorno do investimento de 2,4 anos. Figura 7 Entrada de dados da análise econômica. 4. CONCLUSÕES O programa desenvolvido possibilita o dimensionamento de sistemas híbridos baseado em sistemas de geração eólica, fotovoltaica e diesel, permitindo a avaliação econômica do sistema híbrido com relação a um sistema de geração de energia elétrica à base de óleo diesel. O programa pode servir como ferramenta de análise na tomada de decisão sobre a melhor configuração de geradores eólico, fotovoltaico e diesel na composição de um sistema hibrido para a eletrificação de propriedades rurais excluídas do sistema convencional de distribuição de energia elétrica.

9 5. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CBEE. Centro Brasileiro de Energia Eólica. Panorama da Energia Eólica, Disponível em: <http://www.eolica.com.br>. Acesso em: 13 abr CEPEL/CRESESB. Centro de Pesquisas de Energia Elétrica. Centro de Referência para Energia Solar e Eólica Sérgio de Salvo Brito. Grupo de Pesquisas de Fontes Alternativas e Energia. CD-ROM - Atlas Solarimétrico do Brasil, CRESESB, CEPEL/CRESESB. Centro de Pesquisas de Energia Elétrica. Centro de Referência para Energia Solar e Eólica Sérgio de Salvo Brito. Grupo de Trabalho de Energia Solar. Manual de engenharia para sistemas fotovoltaicos / Rio de Janeiro, CRESESB, DANISH WIND INDUSTRY ASSOCIATION. Diseño de aerogeneradores: consideraciones básicas de carga. Disponível em: <http://www.windpower.org/es/tour/design/index.htm>. Acesso em: 16 dez HANSEN, Ulf, Technological options for power generation. The Energy Journal 1998; 19 (2): HULL, John. Options, Futures and Other Derivatives. Quinta edição. Ed. Prentice Hall, New Jersey, 2002.

ANAEEL SOFTWARE PARA DIAGNÓSTICO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM AGROINDÚSTRIAS 1 RESUMO

ANAEEL SOFTWARE PARA DIAGNÓSTICO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM AGROINDÚSTRIAS 1 RESUMO ANAEEL SOFTWARE PARA DIAGNÓSTICO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM AGROINDÚSTRIAS 1 RESUMO FÉLIX ABRAO NETO 2 ODIVALDO JOSÉ SERAPHIM 3 JAIR ANTONIO CRUZ SIQUEIRA 4 FERNANDO DE LIMA CANEPPELE 5 JAIR DE JESUS

Leia mais

PROJETO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS PARA OFERTA DE ENERGIA ELÉTRICA A COMUNIDADES RURAIS

PROJETO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS PARA OFERTA DE ENERGIA ELÉTRICA A COMUNIDADES RURAIS PROJETO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS PARA OFERTA DE ENERGIA ELÉTRICA A COMUNIDADES RURAIS JOSÉ ADRIANO MARINI e LUIZ ANTONIO ROSSI Universidade Estadual de Campinas Faculdade de Engenharia Agrícola Departamento

Leia mais

Otimização da geração de energias alternativas e renováveis para energização rural utilizando lógica fuzzy

Otimização da geração de energias alternativas e renováveis para energização rural utilizando lógica fuzzy Otimização da geração de energias alternativas e renováveis para energização rural utilizando lógica fuzzy Fernando de L. Caneppele 1, Marianna C. Peccinelli 1, Odivaldo J. Seraphim 2, Luís R. A. Gabriel

Leia mais

Palavras-chave: Energia solar; energia eólica, sistema híbrido eólico-fotovoltaico. ISSN 1808-8759

Palavras-chave: Energia solar; energia eólica, sistema híbrido eólico-fotovoltaico. ISSN 1808-8759 Revista Energia na Agricultura ISSN 1808-8759 COMPORTAMENTO DA ENERGIA SOLAR E EÓLICA EM UM SISTEMA HÍBRIDO DE PEQUENO PORTE PARA ENERGIZAÇÃO RURAL 1 JAIR ANTONIO CRUZ SIQUEIRA 2 ; ODIVALDO JOSÉ SERAPHIM

Leia mais

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Versão 1.0 XXX.YY 22 a 25 Novembro de 2009 Recife - PE GRUPO II GRUPO DE ESTUDO DE PRODUÇÃO TÉRMICA E FONTES NÃO CONVENCIONAIS

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO COMPUTACIONAL PARA ENSINO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS: DIMENSIONAMENTO DE SISTEMAS EÓLICOS E FOTOVOLTAICOS

DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO COMPUTACIONAL PARA ENSINO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS: DIMENSIONAMENTO DE SISTEMAS EÓLICOS E FOTOVOLTAICOS DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO COMPUTACIONAL PARA ENSINO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS: DIMENSIONAMENTO DE SISTEMAS EÓLICOS E FOTOVOLTAICOS Jorge A. Villar Alé (1) ; Vicente André Paludo (2) Pedro André Marozzin

Leia mais

Esta apresentação foi feita pela Dra. Laura Porto, Diretora de Energias Renováveis do MME, durante um evento em Brasília.

Esta apresentação foi feita pela Dra. Laura Porto, Diretora de Energias Renováveis do MME, durante um evento em Brasília. Nota: Esta apresentação foi feita pela Dra. Laura Porto, Diretora de Energias Renováveis do MME, durante um evento em Brasília. Sua elaboração contou com as contribuições dos engenheiros Antônio Leite

Leia mais

MODELAMENTO DE SISTEMAS HÍBRIDOS EÓLICO/FOTOVOLTAICOS: ESTUDO DE IMPLEMENTAÇÃO EM ÁREAS RURAIS DE BRASIL E CUBA

MODELAMENTO DE SISTEMAS HÍBRIDOS EÓLICO/FOTOVOLTAICOS: ESTUDO DE IMPLEMENTAÇÃO EM ÁREAS RURAIS DE BRASIL E CUBA MODELAMENTO DE SISTEMAS HÍBRIDOS EÓLICO/FOTOVOLTAICOS: ESTUDO DE IMPLEMENTAÇÃO EM ÁREAS RURAIS DE BRASIL E CUBA Jorge A. Villar Alé Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Ave. Ipiranga 6681;

Leia mais

APLICATIVO COMPUTACIONAL PARA ANÁLISE DO FENÔMENO DA CAVITAÇÃO EM BOMBAS HIDRÁULICAS I.S. BISPO 1 ; A.P.B.A. MACÊDO 2

APLICATIVO COMPUTACIONAL PARA ANÁLISE DO FENÔMENO DA CAVITAÇÃO EM BOMBAS HIDRÁULICAS I.S. BISPO 1 ; A.P.B.A. MACÊDO 2 APLICATIVO COMPUTACIONAL PARA ANÁLISE DO FENÔMENO DA CAVITAÇÃO EM BOMBAS HIDRÁULICAS I.S. BISPO 1 ; A.P.B.A. MACÊDO 2 RESUMO: A ocorrência da cavitação em bombas hidráulicas traz consequências negativas

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE UMA UNIDADE EXPERIMENTAL DE UM SISTEMA FOTOVOLTAICO ISOLADO

DIMENSIONAMENTO DE UMA UNIDADE EXPERIMENTAL DE UM SISTEMA FOTOVOLTAICO ISOLADO DIMENSIONAMENTO DE UMA UNIDADE EXPERIMENTAL DE UM SISTEMA FOTOVOLTAICO ISOLADO Whelton Brito dos SANTOS 1, Carlos Antônio Pereira de LIMA 2 1 Aluno do Curso de Eng. Sanitária e Ambiental, Departamento

Leia mais

COMPORTAMENTO DOS GERADORES DE INDUÇÃO DUPLAMENTE ALIMENTADOS EM TURBINAS EÓLICAS DE PEQUENO PORTE

COMPORTAMENTO DOS GERADORES DE INDUÇÃO DUPLAMENTE ALIMENTADOS EM TURBINAS EÓLICAS DE PEQUENO PORTE UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA ÊNFASE ELETROTÉCNICA DIOGO MARTINS ROSA LUIZ ANDRÉ MOTTA DE MORAES

Leia mais

Doutor em planejamento de sistemas energéticos e Professor do Curso de Engenharia Agrícola do CEULP-ULBRA 3

Doutor em planejamento de sistemas energéticos e Professor do Curso de Engenharia Agrícola do CEULP-ULBRA 3 SUSTENTABILIDADE COMO PROPOSTA PARA IMPLANTAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA EM COMUNIDADES ISOLADAS E QUILOMBOLAS NO JALAPÃO-TO 1 JOEL CARLOS ZUKOWSKI JR 2 WEDER FERREIRA DOS SANTOS 3 ROGÉRIO OLAVO MARÇON 4 SILVESTRE

Leia mais

AMBIENTE GRÁFICO PARA VISUALIZAÇÃO DE FLUXOS E PERDAS EM REDES ELÉTRICAS

AMBIENTE GRÁFICO PARA VISUALIZAÇÃO DE FLUXOS E PERDAS EM REDES ELÉTRICAS AMBIENTE GRÁFICO PARA VISUALIZAÇÃO DE FLUXOS E PERDAS EM REDES ELÉTRICAS Delberis A. Lima delberis@aluno.feis.unesp.br Eduardo S. Hoji shigueo@aluno.feis.unesp.br Antônio M. Cossi cossi@aluno.feis.unesp.br

Leia mais

BOMBEAMENTO DE ÁGUA COM ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA

BOMBEAMENTO DE ÁGUA COM ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA BOMBEAMENTO DE ÁGUA COM ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA Eng. Carlos Alberto Alvarenga Solenerg Engenharia e Comércio Ltda. Rua dos Inconfidentes, 1075/ 502 Funcionários - CEP: 30.140-120 - Belo Horizonte -

Leia mais

DIMENSIONAMENTO ECONÔMICO DE ADUTORAS OU LINHAS DE RECALQUE

DIMENSIONAMENTO ECONÔMICO DE ADUTORAS OU LINHAS DE RECALQUE UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA HIDRÁULICA APLICADA AD 0195 Prof. Raimundo Nonato Távora Costa DIMENSIONAMENTO ECONÔMICO DE ADUTORAS OU LINHAS DE RECALQUE 01. INTRODUÇÃO:

Leia mais

SIMULAÇÃO DE SECAGEM DE MILHO E ARROZ EM BAIXAS TEMPERATURAS

SIMULAÇÃO DE SECAGEM DE MILHO E ARROZ EM BAIXAS TEMPERATURAS SIMULAÇÃO DE SECAGEM DE MILHO E ARROZ EM BAIXAS TEMPERATURAS DOMINGOS SÁRVIO MAGALHÃES VALENTE 1 CRISTIANO MÁRCIO ALVES DE SOUZA 2 DANIEL MARÇAL DE QUEIROZ 3 RESUMO - Um programa computacional para simular

Leia mais

M.Sc. Jose Eduardo Ruiz Rosero 1. ENG1116 Tópicos especiais Energia solar

M.Sc. Jose Eduardo Ruiz Rosero 1. ENG1116 Tópicos especiais Energia solar 1 ENG1116 Tópicos especiais Energia solar M.Sc. Jose Eduardo Ruiz Rosero 2 Ementa o Conquistas e desafios da energia solar o Conceitos básicos o Radiação solar o Física das células solares o Circuitos

Leia mais

Previsão da Manutenção de Disjuntores de Alimentadores de Distribuição através do Método Probabilístico

Previsão da Manutenção de Disjuntores de Alimentadores de Distribuição através do Método Probabilístico Previsão da Manutenção de Disjuntores de Alimentadores de Distribuição através do Método Probabilístico F. Sato, Unicamp e J. P. Mamede, ELEKTRO Resumo Na previsão da manutenção de disjuntores utiliza-se

Leia mais

Análise de risco em incorporações imobiliárias: construção de cenários e simulação de Monte Carlo

Análise de risco em incorporações imobiliárias: construção de cenários e simulação de Monte Carlo Análise de risco em incorporações imobiliárias: construção de cenários e simulação de Monte Carlo Pedro Beck Di Bernardi (UFSC) pedrodibernardi@hotmail.com Norberto Hochheim (UFSC) hochheim@ecv.ufsc.br

Leia mais

ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE UM SISTEMA DE MICROGERAÇÃO DE ENERGIA PARA USO RESIDENCIAL

ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE UM SISTEMA DE MICROGERAÇÃO DE ENERGIA PARA USO RESIDENCIAL ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE UM SISTEMA DE MICROGERAÇÃO DE ENERGIA PARA USO RESIDENCIAL alvaro antonio ochoa villa (Universo) ochoaalvaro@hotmail.com Helder Henrique Lima Diniz (Universo) helder.diniz@terra.com.br

Leia mais

Fig. 2. Painel de instalação

Fig. 2. Painel de instalação ANÁLISE DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMAS DE VENTILAÇÃO INDUSTRIAL Alex Gomes da Fonseca, Alin de Amaral Martins, Cecília de Melo Batalhone, Décio Bispo, Antônio Carlos Delaiba. Universidade Federal

Leia mais

DESEMPENHO DA USINA FOTOVOLTAICA DO CAMPUS CEARÁ- MIRIM/IFRN PLANT PERFORMANCE PHOTOVOLTAIC OF CAMPUS CEARÁ-

DESEMPENHO DA USINA FOTOVOLTAICA DO CAMPUS CEARÁ- MIRIM/IFRN PLANT PERFORMANCE PHOTOVOLTAIC OF CAMPUS CEARÁ- DESEMPENHO DA USINA FOTOVOLTAICA DO CAMPUS CEARÁ- MIRIM/IFRN 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 RESUMO: A região nordeste do Brasil dispõem

Leia mais

1.1 Brasil e a Energia Fotovoltaica

1.1 Brasil e a Energia Fotovoltaica 1. INTRODUÇÃO Nos últimos anos, o atual modelo energético mundial vem sendo questionado, devido ao acelerado crescimento populacional e consequente aumento do consumo de energia. O termo Desenvolvimento

Leia mais

ANÁLISE TARIFÁRIA UTILIZANDO UM SISTEMA INFORMATIZADO 1

ANÁLISE TARIFÁRIA UTILIZANDO UM SISTEMA INFORMATIZADO 1 ANÁLISE TARIFÁRIA UTILIZANDO UM SISTEMA INFORMATIZADO 1 FÉLIX ABRAO NETO 2, ODIVALDO JOSÉ SERAPHIM 3 1 Parte da tese de doutorado do 1 o autor intitulada: Diagnóstico Informatizado de Eficiência Energética:

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE AEROGERADORES EM TÚNEL DE VENTO

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE AEROGERADORES EM TÚNEL DE VENTO AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE AEROGERADORES EM TÚNEL DE VENTO Jorge Antonio Villar Alé - villar@pucrs.br Gabriel Cirilo da Silva Simioni - simioni@pucrs.br Pedro da Silva Hack - pedro.hack@pucrs.br Luiz Felipe

Leia mais

A BASE. O sistema fotovoltaico é capaz d capitar e transformar em energia aproximadamente 15% destes fótons;

A BASE. O sistema fotovoltaico é capaz d capitar e transformar em energia aproximadamente 15% destes fótons; SUSTENTABILIDADE A geração fotovoltaica é uma das fontes mais limpas para produção de energia elétrica. Instalados nos telhados de fábricas, residências, galpões, etc., propicia uma utilização adicional

Leia mais

Marcraft Green STEM GT1500

Marcraft Green STEM GT1500 PAINÉIS DE TREINAMENTO EM ENERGIAS RENOVÁVEIS 3 EM 1 CÉLULAS A COMBUSTÍVEL ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA ENERGIA EÓLICA Programa de 90 Horas de Treinamento Literatura técnica sobre energias renováveis e instruções

Leia mais

APLICAÇÃO DE ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA UM ESTUDO DE CASO NA REGIÃO AMAZÔNICA

APLICAÇÃO DE ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA UM ESTUDO DE CASO NA REGIÃO AMAZÔNICA APLICAÇÃO DE ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA UM ESTUDO DE CASO NA REGIÃO AMAZÔNICA Hélio de Souza Morais Junior heliomorais@ufpa.br Renato Luz Cavalcante renatolc@ufpa.br Marcos André Barros Galhardo galhardo@ufpa.br

Leia mais

ANÁLISE DE VIABILIDADE PARA A IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE ENERGIA SOLAR RESIDENCIAL

ANÁLISE DE VIABILIDADE PARA A IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE ENERGIA SOLAR RESIDENCIAL ANÁLISE DE VIABILIDADE PARA A IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE ENERGIA SOLAR RESIDENCIAL FEASIBILITY ANALYSIS FOR THE IMPLEMENTATION OF RESIDENTIAL ISSN: 1984-3151 SOLAR ENERGY SYSTEM Alexandre de Almeida Teixeira

Leia mais

Estudo de viabilidade econômica para projetos eólicos com base no novo contexto do setor elétrico

Estudo de viabilidade econômica para projetos eólicos com base no novo contexto do setor elétrico Ricado Marques Dutra 1 * Maurício Tiomno Tolmasquim 1 Resumo Com base nas resoluções ANEEL n 233/199 e ANEEL 245/1999, este trabalho procura mostrar os resultados de uma análise econômica de projetos eólicos

Leia mais

Portaria n.º 357, de 01 de agosto de 2014.

Portaria n.º 357, de 01 de agosto de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 357, de 01 de agosto de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

ENERGIA SOLAR NO ENSINO MÉDIO

ENERGIA SOLAR NO ENSINO MÉDIO ENERGIA SOLAR NO ENSINO MÉDIO Warley Teixeira Guimarães warleyteixeira@faesa.br Faculdades Integradas Espírito-Santenses FAESA Av. Vitória, 2220 Ilha de Monte Belo 29053-360 Vitória ES Bruna Tonini toninibr@gmail.com

Leia mais

I. INTRODUÇÃO. Palavras-chave Conservação de Energia, Eficiência Energética, Sistemas Industriais.

I. INTRODUÇÃO. Palavras-chave Conservação de Energia, Eficiência Energética, Sistemas Industriais. EFICIENTIZAÇÃO ENERGÉTICA EM MÉTODOS DE CONTROLE DE VAZÃO R. R. B. Aquino, Z. D. Lins, P. A. C. Rosas, L. F. A. Cordeiro, J. R. C. Ribeiro, I. A. Tavares, P. S. Amorim. Universidade Federal de Pernambuco:

Leia mais

GAMA DE TURBINAS EÓLICAS COMFORT 220

GAMA DE TURBINAS EÓLICAS COMFORT 220 Sede Rua G - Lote 51 Zona Industrial Tomar 2305-127 Asseiceira - Tomar Tel.: 249310540 Fax: 249310549 afrizal@afrizal.pt GAMA DE TURBINAS EÓLICAS COMFORT 220 N O V E M B R O 2 0 0 7 DADOS TÉCNICOS Principio

Leia mais

Há clareza no futuro da micro e minigeração fotovoltaica? Bruno Moreno, FGV Energia Rafael Nogueira, FGV Energia

Há clareza no futuro da micro e minigeração fotovoltaica? Bruno Moreno, FGV Energia Rafael Nogueira, FGV Energia Há clareza no futuro da micro e minigeração fotovoltaica? Bruno Moreno, FGV Energia Rafael Nogueira, FGV Energia 1 MOTIVAÇÃO Geração Descentralizada é uma realidade em muitos países; É apontada como o

Leia mais

Palavras-chave: Simulação, Climatização, Ar condicionado, Edificações, Energia.

Palavras-chave: Simulação, Climatização, Ar condicionado, Edificações, Energia. ANÁLISE COMPARATIVA DE SISTEMAS DE CLIMATIZAÇÃO TIPO VOLUME DE AR CONSTANTE (CAV) E VOLUME DE AR VARIÁVEL (VAV) MULTIZONAS OPERANDO EM CLIMA QUENTE E ÚMIDO César Augusto Gomes dos Santos Jorge Emanuel

Leia mais

Energia Eólica. História

Energia Eólica. História Energia Eólica História Com o avanço da agricultura, o homem necessitava cada vez mais de ferramentas que o auxiliassem nas diversas etapas do trabalho. Isso levou ao desenvolvimento de uma forma primitiva

Leia mais

APLICATIVO PARA CÁLCULOS DE INFILTRAÇÃO DE ÁGUA NO SOLO COM BASE NAS EQUAÇÕES DE KOSTIAKOV E KOSTIAKOV-LEWIS

APLICATIVO PARA CÁLCULOS DE INFILTRAÇÃO DE ÁGUA NO SOLO COM BASE NAS EQUAÇÕES DE KOSTIAKOV E KOSTIAKOV-LEWIS APLICATIVO PARA CÁLCULOS DE INFILTRAÇÃO DE ÁGUA NO SOLO COM BASE NAS EQUAÇÕES DE KOSTIAKOV E KOSTIAKOV-LEWIS J. V. José 1 ; E. Saretta 2 ; A. P. Camargo 2 ; A. P. A. B. Damasceno 2 ; P. A. A. Marques 3

Leia mais

Classificação dos Sistemas Fotovoltaicos

Classificação dos Sistemas Fotovoltaicos Só Elétrica Indústria e Comércio de Equipamentos Elétricos Rua Duque de Caxias, 796 Centro Joaçaba CEP: 89600-000 Fone: (49) 3522-2681 Um sistema fotovoltaico é uma fonte de potência elétrica, na qual

Leia mais

( 2) ( 1) é a potência reativa líquida fornecida pela parque à rede na barra de interligação. Considerando que Q. Onde Q

( 2) ( 1) é a potência reativa líquida fornecida pela parque à rede na barra de interligação. Considerando que Q. Onde Q 1 Modelo de Fluxo de Carga Ótimo oma de para Controle de Reativos na Barra de Conexão de Parques Eólicos C. B. M. Oliveira, PPGEE, UFRN, Max C. Pimentel Filho, e M. F. Medeiros Jr., DCA, UFRN Resumo--Este

Leia mais

Sistema de geração de energia elétrica através de painéis fotovoltaicos Viabilidade técnica de aplicação no campus Boituva

Sistema de geração de energia elétrica através de painéis fotovoltaicos Viabilidade técnica de aplicação no campus Boituva Sistema de geração de energia elétrica através de painéis fotovoltaicos Viabilidade técnica de aplicação no campus Boituva Robert Dias Ximenes 1, Davi Fernando Zeneratto 2, Guilherme Barbosa, Almir Correa,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM APLICATIVO COMPUTACIONAL PARA O CONTROLE DO MANEJO DA IRRIGAÇÃO 1

DESENVOLVIMENTO DE UM APLICATIVO COMPUTACIONAL PARA O CONTROLE DO MANEJO DA IRRIGAÇÃO 1 DESENVOLVIMENTO DE UM APLICATIVO COMPUTACIONAL PARA O CONTROLE DO MANEJO DA IRRIGAÇÃO 1 M. G. Silva 2 ; F. D. D. Arraes 3 ; E. R. F. Ledo 4 ; D. H. Nogueira 5 RESUMO: O presente trabalho teve por objetivo

Leia mais

Revista Intellectus Ano VIII Nº. 21

Revista Intellectus Ano VIII Nº. 21 DIMENSIONAMENTO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS COM DIFERENTES ACUMULADORES ELETROQUÍMICOS DE ENERGIA Comparative study of different batteries technology for photovoltaic systems DIAS JR., Luiz Eduardo Ferreira

Leia mais

PROJETO DE UMA TURBINA HIDRÁULICA PORTÁTIL 1

PROJETO DE UMA TURBINA HIDRÁULICA PORTÁTIL 1 PROJETO DE UMA TURBINA HIDRÁULICA PORTÁTIL 1 Ricardo Böhm 2, Roger Schildt Hoffmann 3. 1 Trabalho de conclusão de curso do curso de Engenharia Mecânica da Universidade Regional do Noroeste do Estado do

Leia mais

ASPECTOS DA CALIBRAÇÃO DE ANEMÔMETROS NOS EMPREENDIMENTOS EÓLICOS

ASPECTOS DA CALIBRAÇÃO DE ANEMÔMETROS NOS EMPREENDIMENTOS EÓLICOS ASPECTOS DA CALIBRAÇÃO DE ANEMÔMETROS NOS EMPREENDIMENTOS EÓLICOS Jorge Antonio Villar Alé - villar@pucrs.br Gabriel Cirilo da Silva Simioni - simioni@pucrs.br Pedro da Silva Hack - pedro.hack@pucrs.br

Leia mais

CARTILHA FINANCIAMENTO À MICRO E À MINIGERAÇÃO DISTRIBUÍDA DE ENERGIA ELÉTRICA

CARTILHA FINANCIAMENTO À MICRO E À MINIGERAÇÃO DISTRIBUÍDA DE ENERGIA ELÉTRICA CARTILHA FINANCIAMENTO À MICRO E À MINIGERAÇÃO DISTRIBUÍDA DE ENERGIA ELÉTRICA CARTILHA FINANCIAMENTO À MICRO E À MINIGERAÇÃO DISTRIBUÍDA DE ENERGIA ELÉTRICA Fortaleza Banco do Nordeste Julho de 2015 Presidente

Leia mais

SISTEMA FOTOVOLTAICO DIESEL DE ARARAS RO ANEEL / UFSC / GUASCOR. Prof. Ricardo Rüther Universidade Federal de Santa Catarina

SISTEMA FOTOVOLTAICO DIESEL DE ARARAS RO ANEEL / UFSC / GUASCOR. Prof. Ricardo Rüther Universidade Federal de Santa Catarina SISTEMA FOTOVOLTAICO DIESEL DE ARARAS RO ANEEL / UFSC / GUASCOR Prof. Ricardo Rüther Universidade Federal de Santa Catarina Atlas de Irradiação Solar do Brasil Média anual da irradiação na Região Norte

Leia mais

SOFTWARE PARA CÁLCULO DOS COMPONENTES DO BALANÇO HÍDRICO DE PALMER

SOFTWARE PARA CÁLCULO DOS COMPONENTES DO BALANÇO HÍDRICO DE PALMER SOFTWARE PARA CÁLCULO DOS COMPONENTES DO BALANÇO HÍDRICO DE PALMER Rodrigo Cézar Limeira 1, Pedro Vieira de Azevedo 2, Wagner de Aragão Bezerra 3, Josefa Morgana Viturino de Almeida 3, Lindenberg Lucena

Leia mais

ESTUDO SOBRE O POTENCIAL DE UTILIZAÇÃO DA ENERGIA EÓLICA PARA SISTEMAS DE IRRIGAÇÃO LOCALIZADOS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO JAGUARIBE

ESTUDO SOBRE O POTENCIAL DE UTILIZAÇÃO DA ENERGIA EÓLICA PARA SISTEMAS DE IRRIGAÇÃO LOCALIZADOS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO JAGUARIBE ESTUDO SOBRE O POTENCIAL DE UTILIZAÇÃO DA ENERGIA EÓLICA PARA SISTEMAS DE IRRIGAÇÃO LOCALIZADOS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO JAGUARIBE A. C. Praciano 1 ; R. A. de O. Leão 2 ; D. Albiero 3 ; L. de A. Monteiro

Leia mais

MODELAGEM E SIMULAÇÃO DE GERADOR FOTOVOLTAICO

MODELAGEM E SIMULAÇÃO DE GERADOR FOTOVOLTAICO MODELAGEM E SIMULAÇÃO DE GERADOR FOTOVOLTAICO Claudia Valéria T. Cabral 1 Lauro de Vilhena B. Machado Neto 2 Delly Oliveira Filho 3 Antônia Sônia Alves C. Diniz 4 1 Doutoranda do Dep. de Eng. Agrícola,

Leia mais

AP 388 - Conservação e Uso de Eletricidade no Meio Rural FONTES LIMPAS DE ENERGIA ELÉTRICA - SISTEMAS FOTOVOLTAICOS E EÓLICOS DE PEQUENO PORTE

AP 388 - Conservação e Uso de Eletricidade no Meio Rural FONTES LIMPAS DE ENERGIA ELÉTRICA - SISTEMAS FOTOVOLTAICOS E EÓLICOS DE PEQUENO PORTE UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE ENGENHARIA AGRICOLA AP 388 - Conservação e Uso de Eletricidade no Meio Rural FONTES LIMPAS DE ENERGIA ELÉTRICA - SISTEMAS FOTOVOLTAICOS E EÓLICOS DE PEQUENO

Leia mais

ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA Fundamentos e Aplicações Parte 2

ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA Fundamentos e Aplicações Parte 2 ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA Fundamentos e Aplicações Parte 2 Prof. Dr. Trajano Viana trajanoviana@gmail.com CEFET/RJ Março - 2014 5 - SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Conjunto de elementos necessários para realizar

Leia mais

INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA SOBRE A POTÊNCIA DE SAÍDA DE UM PAINEL DE SILÍCIO POLICRISTALINO NA REGIÃO OESTE PARANAENSE

INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA SOBRE A POTÊNCIA DE SAÍDA DE UM PAINEL DE SILÍCIO POLICRISTALINO NA REGIÃO OESTE PARANAENSE INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA SOBRE A POTÊNCIA DE SAÍDA DE UM PAINEL DE SILÍCIO POLICRISTALINO NA REGIÃO OESTE PARANAENSE ROGER NABEYAMA MICHELS JOSÉ AIRTON AZEVEDO DOS SANTOS ESTOR GNOATTO EDWARD KAWANAGH

Leia mais

International Congress on Electricity Distribution CIDEL 2014

International Congress on Electricity Distribution CIDEL 2014 International Congress on Electricity Distribution CIDEL 2014 Sistema Integrado de Geração de Energia Elétrica para Aumento da Eficiência Energética de Aviários 1 CELESC DITRIBUIÇÃO S.A - Avenida Itamarati,

Leia mais

FARIAS, et al (2010) INVESTIGAÇÃO EXPERIMENTAL DA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA SOLAR FOTOVOLTÁICA. Leandro Alves de Farias

FARIAS, et al (2010) INVESTIGAÇÃO EXPERIMENTAL DA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA SOLAR FOTOVOLTÁICA. Leandro Alves de Farias INVESTIGAÇÃO EXPERIMENTAL DA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA SOLAR FOTOVOLTÁICA Leandro Alves de Farias Alunos do Curso Técnico de Eletrotécnica do Campus Natal Zona Norte do IFRN. Valter Nogueira Pereira

Leia mais

Estudo de Viabilidade Econômica da Utilização de Fonte Alternativa para Atender Demanda de Comportamento Intermitente

Estudo de Viabilidade Econômica da Utilização de Fonte Alternativa para Atender Demanda de Comportamento Intermitente Estudo de Viabilidade Econômica da Utilização de Fonte Alternativa para Atender Demanda de Comportamento Intermitente Adriano M. dos Santos; Euler B. dos Santos; Paulo C. M. Machado; Antônio C. B. Alves;

Leia mais

Eco-Escolas Formação Escola da Energia 2011, 2 de Abril de 2011. Energias Renováveis. João Paulo Costa

Eco-Escolas Formação Escola da Energia 2011, 2 de Abril de 2011. Energias Renováveis. João Paulo Costa Energias Renováveis João Paulo Costa LNEG Laboratório Nacional de Energia e Geologia Estrada do Paço do Lumiar, 1649-038 Lisboa, PORTUGAL joao.costa@lneg.pt 1 Conteúdo: Resumo de consumo energético no

Leia mais

PROGRAMA COMPUTACIONAL PARA INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA BASEADO NO AtHENS

PROGRAMA COMPUTACIONAL PARA INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA BASEADO NO AtHENS PROGRAMA COMPUTACIONAL PARA INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA BASEADO NO Rafael T. C. S. Ribeiro¹, Reinaldo C. Mirre 2, Eduardo M. Queiroz 3 e Fernando L. P. Pessoa 3 1 Bolsista de iniciação Científica CNPq/UFRJ,

Leia mais

Potência Instalada (GW)

Potência Instalada (GW) Modelagem e simulação de um aerogerador a velocidade constante Marcelo Henrique Granza (UTFPR) Email: marcelo.granza@hotmail.com Bruno Sanways dos Santos (UTFPR) Email: sir_yoshi7@hotmail.com Eduardo Miara

Leia mais

Variação de velocidade

Variação de velocidade Variação de velocidade Variação de velocidade A indústria é responsável pelo consumo de cerca de 50% da electricidade produzida a nível mundial, sendo que cerca de 2/3 é consumida por motores eléctricos.

Leia mais

ANÁLISES DE CUSTOS NA ESCOLHA DO TIPO DE MOTOR PARA ACIONAMENTO DE BOMBAS EM ÁREAS IRRIGADAS

ANÁLISES DE CUSTOS NA ESCOLHA DO TIPO DE MOTOR PARA ACIONAMENTO DE BOMBAS EM ÁREAS IRRIGADAS ANÁLISES DE CUSTOS NA ESCOLHA DO TIPO DE MOTOR PARA ACIONAMENTO DE BOMBAS EM ÁREAS IRRIGADAS RESUMO - Através de pesquisas de preços, serviços e equipamentos, fez-se uma composição e análise dos custos

Leia mais

MicroGeração. Energia Solar

MicroGeração. Energia Solar MicroGeração Energia Solar PRODUÇÃO E VENDA DE ENERGIA ELÉCTRICA - Subdivisão em dois períodos, o primeiro com a duração de 8 anos a uma tarifa de 0.40 e o segundo com a duração dos subsequentes 7 anos

Leia mais

EEE934 Impactode GD àsredes Elétricas (http://www.cpdee.ufmg.br/~selenios)

EEE934 Impactode GD àsredes Elétricas (http://www.cpdee.ufmg.br/~selenios) Universidade Federal de Minas Gerais Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Área de Concentração: Engenharia de Potência EEE934 Impactode GD àsredes Elétricas (http://www.cpdee.ufmg.br/~selenios)

Leia mais

BANCADA DE TESTE E INSTRUMENTO VIRTUAL GENÉRICO

BANCADA DE TESTE E INSTRUMENTO VIRTUAL GENÉRICO Anais do XXXIV COBENGE. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo, Setembro de 2006. ISBN 85-7515-371-4 BANCADA DE TESTE E INSTRUMENTO VIRTUAL GENÉRICO Paulo S. C. Molina molina@upf.br Matheus A. C.

Leia mais

ANALISADOR DE INSTALAÇÕES SOLARES DE PRODUÇÃO DE ENERGIA MODELO GREENTEST FTV100 MARCA CHAUVIN ARNOUX (www.chauvin-arnoux.com)

ANALISADOR DE INSTALAÇÕES SOLARES DE PRODUÇÃO DE ENERGIA MODELO GREENTEST FTV100 MARCA CHAUVIN ARNOUX (www.chauvin-arnoux.com) ANALISADOR DE INSTALAÇÕES SOLARES DE PRODUÇÃO DE ENERGIA MODELO GREENTEST FTV100 MARCA CHAUVIN ARNOUX (www.chauvin-arnoux.com) Estudos em potência elétrica Cálculos da eficiência do painel solar Cálculo

Leia mais

COMPARAÇÃO ECONÔMICA ENTRE O TRANSPORTE DE GÁS E LINHA DE TRANSMISSÃO

COMPARAÇÃO ECONÔMICA ENTRE O TRANSPORTE DE GÁS E LINHA DE TRANSMISSÃO GPT/7 17 à de outubro de 1999 Foz do Iguaçu Paraná - Brasil GRUPO II PRODUÇÃO TÉRMICA E FONTES NÃO CONVENCIONAIS (GPT) COMPARAÇÃO ECONÔMICA ENTRE O TRANSPORTE DE GÁS E LINHA DE TRANSMISSÃO Eliane Aparecida

Leia mais

Prof. Dr. Luiz Antonio Rossi UNICAMP - Brasil. GEFES Grupo de Estudos em Fontes Eólica e Solar. São Carlos, 22 de Maio de 2015.

Prof. Dr. Luiz Antonio Rossi UNICAMP - Brasil. GEFES Grupo de Estudos em Fontes Eólica e Solar. São Carlos, 22 de Maio de 2015. Geração de Energia Elétrica por Meio de Fonte Eólica: Simulação do desempenho de dois aerogeradores de pequeno porte com perfis aerodinâmicos diferentes Prof. Dr. Luiz Antonio Rossi UNICAMP - Brasil São

Leia mais

Otimização técnico-econômica de sistemas fotovoltaicos com baterias para armazenamento

Otimização técnico-econômica de sistemas fotovoltaicos com baterias para armazenamento Otimização técnico-econômica de sistemas fotovoltaicos com baterias para armazenamento Aluno: Maria Samara Nascimento Amorim Orientador: Álvaro de Lima Veiga Filho 1. Introdução Geral Energia fotovoltaica

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA

TERMOS DE REFERÊNCIA TERMOS DE REFERÊNCIA FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Hibridização das mini-redes a diesel de Figueiras e Ribeira Alta, Ribeira Grande - Santo Antão, Cabo Verde PROMOTORES 1 Enquadramento

Leia mais

I-036 EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA CIDADE DE UBATUBA, ESTADO DE SÃO PAULO

I-036 EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA CIDADE DE UBATUBA, ESTADO DE SÃO PAULO I-036 EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA CIDADE DE UBATUBA, ESTADO DE SÃO PAULO Milton Tomoyuki Tsutiya (1) Engenheiro Civil pela Escola Politécnica da USP (1975). Mestre em Engenharia

Leia mais

Porto Santo Sustentável A importância do armazenamento de energia. fevereiro 2016

Porto Santo Sustentável A importância do armazenamento de energia. fevereiro 2016 A importância do armazenamento de energia fevereiro 2016 Fevereiro de 2016 1 A importância do armazenmento ÍNDICE Principais Constrangimentos Balanço Energético Áreas de Atuação Caracterização do Sistema

Leia mais

A geração distribuída no contexto das mudanças climáticas

A geração distribuída no contexto das mudanças climáticas A geração distribuída no contexto das mudanças climáticas Ricardo J. Fujii Programa de Mudanças Climáticas e Energia WWF-Brasil Natal, 03 de Outubro de 2015 Contexto atual Produção nacional de eletricidade

Leia mais

NOSSA VISÃO NOSSOS VALORES

NOSSA VISÃO NOSSOS VALORES A ENTERPRISE SOLAR Somos a empresa mais inovadora em soluções energéticas no Brasil. Temos o propósito de difundir a importância da principal fonte de energia do nosso planeta, que nos fornece, sob as

Leia mais

autoconsumo fotovoltaico exemplo de dimensionamento e estudo económico

autoconsumo fotovoltaico exemplo de dimensionamento e estudo económico autoconsumo fotovoltaico exemplo de dimensionamento e estudo económico Neste artigo apresenta-se um caso de estudo relativo ao dimensionamento de uma Unidade de Produção para Autoconsumo (UPAC), ao abrigo

Leia mais

APLICAÇÃO DO CAD E FMEA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA FOTOVOLTAICO. APPLIANCE CAD AND FMEA FOR THE IMPLEMENTATION OF PHOTOVOLTAIC. jhosales@uesc.

APLICAÇÃO DO CAD E FMEA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA FOTOVOLTAICO. APPLIANCE CAD AND FMEA FOR THE IMPLEMENTATION OF PHOTOVOLTAIC. jhosales@uesc. APLICAÇÃO DO CAD E FMEA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA FOTOVOLTAICO. APPLIANCE CAD AND FMEA FOR THE IMPLEMENTATION OF PHOTOVOLTAIC Resumo Jorge Henrique Sales 1 ; Geovana Pires A. Lima 2. 1 Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UFRPE UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS UAG CURSO DE GRADUAÇÃO DE AGRONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UFRPE UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS UAG CURSO DE GRADUAÇÃO DE AGRONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UFRPE UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS UAG CURSO DE GRADUAÇÃO DE AGRONOMIA ENERGIA NA AGRICULTURA GARANHUNS, JUNHO DE 2009. 1 UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO

Leia mais

Economia de Energia com Eficiência nos Accionamentos Eficientes

Economia de Energia com Eficiência nos Accionamentos Eficientes Economia de Energia com Eficiência nos Accionamentos Eficientes 1 João Pratas SEW-EURODRIVE EURODRIVE PORTUGAL Departamento de Engenharia Apresentação da SEW-EURODRIVE Portugal Introdução 2 Sistemas de

Leia mais

MODELO COMPUTACIONAL PARA DETERMINAÇÃO DO RISCO ECONÔMICO EM CULTURAS IRRIGADAS 1 RESUMO

MODELO COMPUTACIONAL PARA DETERMINAÇÃO DO RISCO ECONÔMICO EM CULTURAS IRRIGADAS 1 RESUMO MODELO COMPUTACIONAL PARA DETERMINAÇÃO DO RISCO ECONÔMICO EM CULTURAS IRRIGADAS 1 RESUMO PATRICIA ANGÉLICA ALVES MARQUES 2 JOSÉ ANTÔNIO FRIZZONE 3 Com o objetivo de introduzir o risco na análise de projetos

Leia mais

Eficiência Energética Chocolates Garoto

Eficiência Energética Chocolates Garoto Eficiência Energética Chocolates Garoto 1 CARACTERÍSTICAS DA EMPRESA Nome fantasia: Chocolates Garoto Ramo de atividade: Alimentício Localização: Vila Velha / ES Estrutura tarifária: Horo-sazonal Azul

Leia mais

METODOLOGIA DE LEVANTAMENTO DE CARACTERÍSTICAS DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS DE BOMBEAMENTO D ÁGUA UTILIZANDO FONTE DE ALIMENTAÇÃO CC

METODOLOGIA DE LEVANTAMENTO DE CARACTERÍSTICAS DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS DE BOMBEAMENTO D ÁGUA UTILIZANDO FONTE DE ALIMENTAÇÃO CC METODOLOGIA DE LEVANTAMENTO DE CARACTERÍSTICAS DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS DE BOMBEAMENTO D ÁGUA UTILIZANDO FONTE DE ALIMENTAÇÃO CC Olga de Castro Vilela ocv@ufpe.br Naum Fraidenraich nf@ufpe.br Universidade

Leia mais

VI SBQEE. 21 a 24 de agosto de 2005 Belém Pará Brasil

VI SBQEE. 21 a 24 de agosto de 2005 Belém Pará Brasil VI SBQEE 21 a 24 de agosto de 2005 Belém Pará Brasil Código: BEL 02 7687 Tópico: Aplicação de Novas Tecnologias DESENVOLVIMENTO DE EQUIPAMENTO PARA GERAÇÃO DE VARIAÇÕES DE TENSÃO DE CURTA DURAÇÃO (VTCD)

Leia mais

Desenvolvimento de Software para Avaliação Técnica-Econômica das Alternativas de Investimento propostas em Projetos de Diagnóstico Energético

Desenvolvimento de Software para Avaliação Técnica-Econômica das Alternativas de Investimento propostas em Projetos de Diagnóstico Energético Desenvolvimento de Software para Avaliação Técnica-Econômica das Alternativas de Investimento propostas em Projetos de Diagnóstico Energético C. Penna, A. P. C. Paraguassu, C. M. Matos ENERSUL; I. S. Escobar

Leia mais

Figura 1 Oferta interna de energia elétrica por fonte no Brasil segundo o Balanço Energético Nacional (EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA, 2015)

Figura 1 Oferta interna de energia elétrica por fonte no Brasil segundo o Balanço Energético Nacional (EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA, 2015) Auditoria, diagnóstico energético e proposta de ação: análise da viabilidade de implantação de um sistema alternativo de geração de energia em uma indústria de médio porte da área metal-mecânica Juliana

Leia mais

A REALIDADE DO BRASIL

A REALIDADE DO BRASIL A REALIDADE DO BRASIL No dia 13 de março de 2012, o site bloomberg divulgou o fato de vários países terem atingido a regra de ouro da grid parity para a energia eólica e fotovoltaica, e o Brasil é um deles.

Leia mais

Concepção de um Sistema de Abastecimento de Água

Concepção de um Sistema de Abastecimento de Água Concepção de um Sistema de Abastecimento de Água Introdução Em geral, não há uma solução única para um projeto de sistema de abastecimento de água Uma mesma opção pode admitir diferentes: variantes, formas

Leia mais

MERCADO DE ENERGIA EÓLICA DE PEQUENO PORTE NO BRASIL: PERCEPÇÃO DO POTENCIAL CONSUMIDOR

MERCADO DE ENERGIA EÓLICA DE PEQUENO PORTE NO BRASIL: PERCEPÇÃO DO POTENCIAL CONSUMIDOR MERCADO DE ENERGIA EÓLICA DE PEQUENO PORTE NO BRASIL: PERCEPÇÃO DO POTENCIAL CONSUMIDOR Marcio Giannini Pereira 1, Bruno E. M. Montezano 2 & Ricardo Marques Dutra 1 1- Centro de Pesquisas de Energia Elétrica

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DOS TIPOS DE CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA NO ASSENTAMENTO JACU NO MUNICÍPIO DE POMBAL-PB

IDENTIFICAÇÃO DOS TIPOS DE CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA NO ASSENTAMENTO JACU NO MUNICÍPIO DE POMBAL-PB IDENTIFICAÇÃO DOS TIPOS DE CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA NO ASSENTAMENTO JACU NO MUNICÍPIO DE POMBAL-PB Paulo Ricardo Dantas (1); Ana Paula Fonseca e Silva (1); Andreza Maiara Silva Bezerra (2); Elisângela

Leia mais

Considerações sobre redimensionamento de motores elétricos de indução

Considerações sobre redimensionamento de motores elétricos de indução Considerações sobre redimensionamento de motores elétricos de indução Artigo publicado na revista Lumiere Electric edição nº 166 Aplicações de investimentos dentro das empresas sempre são questionadas

Leia mais

Estado da técnica dos Sistemas de Geração Solar. Manoel de Andrade

Estado da técnica dos Sistemas de Geração Solar. Manoel de Andrade Estado da técnica dos Sistemas de Geração Solar Manoel de Andrade Funcionamento de uma Planta Fotovoltaica http://www.sunedison.com.br/grandes-usinas/projetos.html P. 2 SunEdison Confidential Funcionamento

Leia mais

"Condições de viabilidade da microgeração eólica em zonas urbana " Caracterização do mercado

Condições de viabilidade da microgeração eólica em zonas urbana  Caracterização do mercado "Condições de viabilidade da microgeração eólica em zonas urbana " Caracterização do mercado Actualmente existem cerca de 800 milhões de pessoas em todo o mundo que vivem sem eletricidade, uma forma de

Leia mais

6º CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO EM PETRÓLEO E GÁS

6º CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO EM PETRÓLEO E GÁS 6º CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO EM PETRÓLEO E GÁS TÍTULO DO TRABALHO: Eficiência Energética no Acionamento de Máquinas AUTORES: Ayslan Caisson Norões Maia, Alexandre Cunha Oliveira

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA / ELETROTÉCNICA

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA / ELETROTÉCNICA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA / ELETROTÉCNICA BRUNO GONÇALVES DE LIMA RAYSA ROOS HACK REBECCA BARRETO AVENÇA COMPARAÇÃO DOS NIVEIS DE IRRADIAÇÃO

Leia mais

GERAÇÃO DE ELETRICIDADE A PARTIR DE FONTES RENOVÁVEIS PARA ABASTECIMENTO DE VEÍCULOS ELÉTRICOS

GERAÇÃO DE ELETRICIDADE A PARTIR DE FONTES RENOVÁVEIS PARA ABASTECIMENTO DE VEÍCULOS ELÉTRICOS GERAÇÃO DE ELETRICIDADE A PARTIR DE FONTES RENOVÁVEIS PARA ABASTECIMENTO DE VEÍCULOS ELÉTRICOS Campos, M.C. [1], Pugnaloni, I.A.A. [2] [1] Universidade Federal do Paraná, Setor de Tecnologia, Departamento

Leia mais

Vítor Fernando Costa Freitas Almeida Potencialidades e viabilidade da utilização de painéis

Vítor Fernando Costa Freitas Almeida Potencialidades e viabilidade da utilização de painéis Universidade do Minho Escola de Engenharia Vítor Fernando Costa Freitas Almeida Potencialidades e viabilidade da utilização de painéis Potencialidades e viabilidade da utilização de painéis fotovoltaicos

Leia mais

FERRAMENTA DIDÁTICA PARA DISCIPLINA DE ELETRÔNICA DIGITAL

FERRAMENTA DIDÁTICA PARA DISCIPLINA DE ELETRÔNICA DIGITAL FERRAMENTA DIDÁTICA PARA DISCIPLINA DE ELETRÔNICA DIGITAL Diego S. Mageski diego.mageski@hotmail.com Bene R. Figueiredo bfigueiredo@ifes.edu.br Wagner T. da Costa wagnercosta@ifes.edu.br Instituto Federal

Leia mais

Relativamente ao tipo de inversor utilizado, estes sistemas, Figura 1, podem ser classificados em quatro grupos:

Relativamente ao tipo de inversor utilizado, estes sistemas, Figura 1, podem ser classificados em quatro grupos: Artigo Técnico: Análise de configurações de Sistemas Híbridos Fotovoltaicos. O progressivo aumento da factura de electricidade e dos combustíveis colocou novamente na actualidade o uso de Sistemas Fotovoltaicos

Leia mais

KITS DE ENERGIA SOLAR

KITS DE ENERGIA SOLAR KITS DE ENERGIA SOLAR Soluções para autoconsumo Energia Eficiência Inovação Produza a sua própria energia gratuitamente e contribua de forma sustentável SISTEMAS DE AUTOCONSUMO UMA SOLUÇÃO À MEDIDA DE

Leia mais

ANÁLISE DE VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DE UM SISTEMA ISOLADO HÍBRIDO DIESEL/FOTOVOLTAICO

ANÁLISE DE VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DE UM SISTEMA ISOLADO HÍBRIDO DIESEL/FOTOVOLTAICO ANÁLISE DE VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DE UM SISTEMA ISOLADO HÍBRIDO DIESEL/FOTOVOLTAICO Edson Bazzo Ricardo Rüther Universidade Federal de Santa Catarina, Depto. de Eng. Mecânica 884-9 - Florianópolis,

Leia mais

GUIA PRÁTICO ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA

GUIA PRÁTICO ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA GUIA PRÁTICO ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA ELABORADO PELA EQUIPE NEOSOLAR ENERGIA 2015 SOBRE O GUIA... 3 ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA... 3 Como funciona a Energia Solar Fotovoltaica?...3 Qual o tamanho ideal

Leia mais

Palavras-chave: Energias Renováveis. Energia Fotovoltaica. Dimensionamento de Sistema Fotovoltaico Simplificado.

Palavras-chave: Energias Renováveis. Energia Fotovoltaica. Dimensionamento de Sistema Fotovoltaico Simplificado. COMPARAÇÃO ENTRE DOIS LOCAIS DE DIFERENTES QUANTIDADES DE IRRADIAÇÃO SOLAR IBIZA E BERLIM PARA IMPLEMENTAÇÃO DE UM DIMENSIONAMENTO DE UM SISTEMA FOTOVOLTAICO RESIDENCIAL Artur Rech da Rosa e-mail: arrosa@ucs.br

Leia mais