Renata Filardi/BRA/VERITAS18/10/2006 ÍNDICE: 1 INTRODUÇÃO 1.1 ESCOPO MANUAL 1.2 VISÃO E MISSÃO DO BUREAU VERITAS VISÃO 1.2.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Renata Filardi/BRA/VERITAS18/10/2006 ÍNDICE: 1 INTRODUÇÃO 1.1 ESCOPO MANUAL 1.2 VISÃO E MISSÃO DO BUREAU VERITAS 1.2.2 - VISÃO 1.2."

Transcrição

1 Aprovado ' Elaborado por Renata Filardi/BRA/VERITAS em 18/10/2006 Verificado por Renato Catrib/BRA/VERITAS em 18/10/2006 Aprovado por Renato Catrib/BRA/VERITAS em 18/10/2006 ÁREA DGL Tipo MANUAL Número 05 Título MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL - REV 02 Selecione o verificador do Documento: Renato Catrib/BRA/VERITAS Renata Filardi/BRA/VERITAS18/10/2006 ÍNDICE: CAPÍTULO TÍTULO 1 INTRODUÇÃO 1.1 ESCOPO MANUAL 1.2 VISÃO E MISSÃO DO BUREAU VERITAS VISÃO MISSÃO 1.3 VALORES VALORES CORPORATIVOS VALORES DE NEGÓCIO 1

2 2 ESTRUTURA DO NEGÓCIO 2.1 ESTRUTURA PORTE DO GRUPO TIPOS DE SERVIÇOS / ÁREA DE ATUAÇÃO POSICIONAMENTO ESTRATÉGICO E OPORTUNIDADE DE CRIAÇÃO DE VALOR ORGANOGRAMA 3 REQUISITOS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 3.1 REQUISITOS NORMATIVOS 1 - TRABALHO INFANTIL 2 - TRABALHO FORÇADO 3 - SAÚDE SEGURANÇA 4.- LIBERDADE DE ASSOCIAÇÃO E DIREITO À NEGOCIAÇÃO COLETIVA 5 - DISCRIMINAÇÃO 6 - PRÁTICAS DISCIPLINARES 7 - HORÁRIO DE TRABALHO 8 - REMUNERAÇÃO 9 - SISTEMA DE GESTÃO 2

3 4 REVISÃO ANEXOS : 5 POLÍTICA DE RESPONSABILIDAE SOCIAL 3

4 TEXTO DO PROCEDIMENTO: A versão atualizada deste documento está disponível na Base Notes - Qualquer cópia terá caráter informativo Bureau Veritas do Brasil Sociedade Classificadora e Certificadora LTDA Manual de 4

5 Responsabilidade Social EDIÇÃO 2006 Rev 02 BUREAU VERITAS DO BRASIL Rev.01 18/10/06 Rev.02 27/07/07 CAPÍTULO 1. INTRODUÇÃO SEÇÃO: 5

6 1.1 Escopo do Manual 1.2 Visão e Missão Bureau Veritas Visão Missão 1.3 Valores Valores Corporativos Valores de Negócio 1. 1 ESCOPO DO MANUAL O presente Manual de Responsabilidade Social descreve meios e métodos utilizados pelo Grupo Bureau Veritas que constituem o compromisso em cumprir as metas estabelecidas de responsabilidade na aplicação e execução de sua Responsabilidade Social. Algumas práticas e métodos desenvolvidos são corporativos, utilizados de forma abrangente pelo GRUPO BUREAU VERITAS. Toda a sistemática implantada será apresentada neste documento. 1.2 VISÃO E MISSÃO DO GRUPO BUREAU VERITAS A Missão e Visão do GRUPO BUREAU VERITAS estende-se de forma corporativa e é aplicada por todos os escritórios e Colaboradores, sem exceção. Portanto, para implantação da norma de Responsabilidade Social, o Grupo também utiliza e aplica estes conceitos apresentados abaixo, que representam os princípios éticos da empresa. Alguns desses princípios estão de acordo com requisitos da norma Visão 6

7 Ser o líder em nosso negócio e um dos principais agentes em cada um dos nossos segmentos de atuação e mercados geográficos chaves Missão Entregar valor econômico para nossos Clientes através do gerenciamento de Qualidade, Segurança, Meio Ambiente, Saúde aplicado a seus ativos, projetos, produtos e processos, resultando em capacitação e certificação para operação, redução de risco e melhoria de desempenho. Todos os Colaboradores do Bureau Veritas Brasil ao ingressarem na companhia recebem um Card (Cartão de Valores) contendo nossa Visão, Missão e Valores e o Código de Ética. Além do Card, os novos funcionários recebem um treinamento de ambientação (pode ser presencial ou através de auto-estudo), e o Guia do Colaborador. Estes instrumentos encontram-se no caminho da Intranet Corporativa: VALORES Os Valores da Empresa formam a base para o desenvolvimento e a avaliação de nossos gestores. Os valores do Bureau Veritas estão descritos no Guia do Colaborador, situado na Intranet Corporativa: Seguem estes princípios: Valores Corporativos (Core Values ) Estes são permanentes e incondicionais, ou seja, não podem ser apresentados em maior ou menor graus. O colaborador deve 7

8 compreendê-los e praticá-los plenamente. Atitudes desalinhadas aos Valores Corporativos constituem falta grave. 1. Integridade e Ética; 2. Imparcialidade; 3. Respeito pelo Indivíduo; 4. Responsabilidade Social e Ambiental Valores do Negócio (Business Values) Estes valores são mensuráveis, apresentando-se em diferentes graus de proficiência para cada colaborador de nossa companhia. Cabe a cada um dos colaboradores buscar o constante aperfeiçoamento pessoal e profissional através do entendimento e prática de cada um deles. 5. Foco no Cliente; 6. Empreendedorismo e Liderança; 7. Compartilhamento de Conhecimento e Aprendizagem Contínua; 8. Ações Locais e Contribuição Global; 9. Transparência; 10. Trabalho em Equipe e Solidariedade Abaixo descrevemos cada um desses valores: 1. Integridade e Ética Todas os contratos e ações são claramente estabelecidos e compromissos cumpridos; As Políticas e Processos devem ser seguidos por toda a Organização; A Confidencialidade das Informações Pessoais e do Negócio é respeitada; Normas locais e profissionais relativas a ética e ao profissionalismo sempre devem ser respeitadas; 2. Imparcialidade 8

9 Todas as ações devem ser tomadas de forma profissional. Favorecimento ou preconceito não são tolerados; Todos os relatórios são registros fiéis da realidade e de ações do dia a dia. 3. Respeito pelo Indivíduo A contribuição de todos os Colaboradores do Grupo é respeitada, reconhecida e considerada; Não deve existir nenhuma discriminação em relação à origem étnica, idade, sexo ou convicções religiosas. 4. Responsabilidade Social e Ambiental Todas as nossas ações e atividades devem observar os impactos gerados na comunidade, nas pessoas e no negócio. 5. Foco no cliente Todas as ações devem contribuir para a criação de relações lucrativas e duradouras com nossos Clientes; Todos os processos devem estar orientados para fazer do Bureau Veritas a melhor opção na hora de fazer negócios; Todos os Colaboradores devem contribuir para a manutenção de relações positivas com nossos Clientes; Devemos oferecer a nossos Clientes as melhores soluções derivadas do conhecimento coletivo do Grupo Bureau Veritas, respeitando a confidencialidade de cada Cliente. 6. Empreendedorismo e Liderança Todos os Colaboradores do Grupo são empreendedores propondo-se a atuar de forma a melhorar nossa reputação profissional, desempenho empresarial e em prol dos interesses do Grupo; Ações individuais sempre devem respeitar as estratégias e políticas do Grupo e os limites de delegação de autoridade; As decisões devem ser claras, objetivas, tomadas no tempo adequado e seguidas de ações; A liderança deve ser energizante de forma a disponibilizar aos Colaboradores um claro direcionamento, senso de urgência e motivação para o crescimento. 7. Compartilhamento de conhecimento e aprendizagem contínua 9

10 Todos os Colaboradores devem compartilhar conhecimentos e se desenvolver para, desta forma, propiciar o progresso coletivo; Os Colaboradores devem estar comprometidos com autodesenvolvimento buscando a melhoria contínua do seu conhecimento e performance no campo profissional; A Companhia oferece constante acesso ao aprendizado e oportunidades de desenvolvimento. 8. Ações Locais e Contribuição Global Atuar localmente em prol do resultado e desenvolvimento do negócio. Contribuir para iniciativas Mundiais do Grupo (Programas Corporativos, Rede de Relacionamentos e Clientes Globais) As melhores soluções locais são compartilhadas de forma a contribuir para a rede mundial do Bureau Veritas. Ações locais devem respeitar as estratégias, metas e compromissos Globais. 9. Transparência Total transparência em todos os eventos, ações e resultados, na forma e tempo adequados para viabilizar o pleno entendimento e a melhoria contínua; Todas as comunicações devem ser diretas, claras e objetivas. 10. Trabalho em Equipe e Solidariedade Todas as ações devem colocar o progresso do Time acima de qualquer interesse individual ou local; Gestores devem estar preocupados em direcionar e gerir seus times, principalmente através de exemplos em suas atitudes e ações diárias. CAPÍTULO 2. ESTRUTURA DO NEGÓCIO SEÇÃO: 10

11 2.1 Estrutura do Negócio Porte do Grupo Tipos de Serviços /Áreas de Atuação Posicionamento Estratégico e Oportunidade de Criação de Valor Organograma Porte do Grupo O Grupo Bureau Veritas está presente no Brasil desde 1924 e conta hoje com efetivo quadro de mais de 1000 Colaboradores distribuídos em mais de 10 escritórios, tendo como matriz o Rio de Janeiro Tipos de serviços / Áreas de Atuação 11

12 Posicionamento Estratégico e oportunidades de Criação de Valor A figura abaixo ilustra o conceito do Bureau Veritas como uma companhia de avaliação da conformidade, que estende suas atividades aos serviços imediatamente relacionados à Qualidade, Saúde, Segurança e Meio ambiente e Responsabilidade Social (QSMS RS), capaz de administrar soluções para todos seus clientes QSMS-RS. 12

13 POSICIONAMENTO ESTRATÉGICO DO BUREAU VERITAS Organograma 13

14 CAPÍTULO 3. REQUISITOS SEÇÕES: 3.1 Requisitos 1. Trabalho Infantil; 2. Trabalho Forçado; 3. Saúde e Segurança; 4. Liberdade de Associação e Direito a Negociação Coletiva; 5. Discriminação; 6. Práticas Disciplinares; 7. Horário de Trabalho; 8. Remuneração; 9. Sistema de Gestão. 14

15 1. Trabalho Infantil O grupo Bureau Veritas não utiliza trabalho infantil, assumindo a responsabilidade de assegurar os direitos das crianças, garantidos pelos diplomas legais nacionais e internacionais, promovendo ações de reparação se forem encontradas crianças trabalhando em suas instalações ou de seus demais colaboradores. Atualmente existe um Programa Jovem Aprendiz que funciona corporativamente. Este programa, assim como o compromisso de não utilizar mão de obra infantil estão descritos de forma detalhada no procedimento PR 31 (Recrutamento e Seleção), localizado no caminho de rede: Database\LotusNotes\Procedimentos Regionais. 2. Trabalho Forçado A empresa possui procedimentos corporativos em relação ao cumprimento da CLT para a devolução de todos os documentos pertencentes aos colaboradores após a homologação do contrato de trabalho, sendo solicitados apenas para atualizações ou mudança de cargo e faixa salarial. Não são tolerados trabalhos conduzidos de maneira forçada, explicitado no Código de Ética e Guia do Colaborador, localizados na Intranet Corporativa. A descrição de toda a sistemática da empresa em cumprimento ao requisito 2 da norma de Responsabilidade Social está registrada no procedimento PR 32 (Avaliação de Desempenho), que se encontra no caminho de rede: Database\Lotus Notes\Procedimentos Regionais. 15

16 3. Saúde e Segurança Em sua constante obstinação pela melhoria e conforto de seus funcionários, atendendo aos requisitos Normativos, a empresa está realizando ações e tomando medidas para proporcionar um ambiente de trabalho saudável, contribuindo para o aumento da produtividade, satisfação, saúde e integridade física dos mesmos. Visando atender aos requisitos de responsabilidade social e buscando a adequação do Sistema de Gestão Integrado do Grupo Bureau Veritas, estão implantados e funcionando na prática os seguintes procedimentos relativos à Saúde e Segurança: - Política - Análise de Perigos e Riscos - Requisitos Legais - PPRA / PCMSO / SESMT - Atendimento a Emergências Nota: Todos estes procedimentos estão localizados no caminho de rede: Database\LotusNotes\Procedimentos Regionais ( Manual 5, SGA SGSSO & SA 73, 75, 76, 79 ) PPRA, PCMSO, SESMET - estão disponibilizados no GRH. Atendendo a este requisito a empresa inseriu informações básicas sobre temas de Saúde e Segurança no Treinamento de Ambientação localizado no caminho de rede: Intranet\Recursos Humanos\Saúde Ocupacional, Segurança e Meio Ambiente. ( PPRA, PCMSO, SEMEST) 16

17 4. Liberdade de Associação e Direito à negociação coletiva A empresa assegura o direito de seus funcionários em associar-se a sindicatos de sua escolha, se houver interesse em não se filiar ao sindicato estabelecido pela empresa. O representante do sindicato não sofre qualquer tipo de discriminação, e membros dos sindicatos possuem livre acesso aos seus sindicatos. Estes têm livre acesso aos representantes dos sindicatos dentro e fora do ambiente de trabalho e participam ativamente das reuniões anuais de Acordo Coletivo. A comunicação entre as partes interessadas é transparente e qualquer denúncia relativa às questões sindicais também pode ser tratada no Canal de Tratamento de Preocupações corporativo. 5. Discriminação O Grupo segue todos os critérios adotados corporativamente com relação às práticas consideradas discriminatórias. De forma geral, a empresa não compactua com ações discriminatórias de classe, raça, sexo, cultura, religião, nacionalidade e orientação sexual. Estes compromissos estão situados no Guia do Colaborador e Código de Ética. Estes instrumentos formais que o Grupo Bureau Veritas adota para retificar seus critérios e princípios internos estão localizados no caminho de rede: e são divulgados no momento em que o colaborador ingressa na empresa, através de Treinamento presencial ou auto-treinamento. As evidências de realização dos treinamentos ficam armazenadas com a área de Recursos Humanos na Matriz. 6. Práticas Disciplinares A prática adotada pela empresa é não se envolver na utilização de punição corporal, mental, coerção física e abuso verbal. Estes compromissos estão firmados no Guia do Colaborador, localizado no caminho de rede: 7. Horário de Trabalho 17

18 O Grupo compromete em seguir os padrões legais vigentes para os regimes de trabalho executados pelos seus colaboradores em atividades administrativas e de campo. O sistema de Horas Extras assim como o regime de trabalho é definido corporativamente e está descrito de forma detalhada no procedimento PR 30 (Movimentação de Pessoal), situado no caminho de rede: Database\Lotus Notes\Procedimentos Regionais. Situações previstas de horas excepcionais para reuniões de Acordo Coletivo são conduzidas conforme legislação local (CLT). 8. Remuneração A prática adotada pelo Grupo segue os parâmetros corporativos do GRUPO BUREAU VERITAS. A matriz do Rio de Janeiro realiza periodicamente pesquisas com empresas para avaliar o padrão salarial adotado dentro e fora do Brasil para as atividades desenvolvidas pelo grupo. Esta análise contribui para a revisão anual do Sistema Interno de Cargos e Salários, desta forma, atendendo tanto os parâmetros legais e os requisitos de responsabilidade social. Esta sistemática está descrita no procedimento PR 30 (Movimentação de Pessoal), situado no caminho de rede: Database\Lotus Notes\Procedimentos Regionais. 9. Sistema de Gestão 18

19 De acordo com a política, a empresa deve assegurar um comprometimento para estar em conformidade com as Leis Nacionais e outras Leis aplicáveis, além da efetivamente e garantia da Melhoria Contínua. Visando atender plenamente aos requisitos relacionados ao Sistema de Gestão de Responsabilidade Social, são adotadas internamente as seguintes práticas: - Política Existe uma Política documentada, mantida e divulgada através dos canais internos de comunicação, no qual são estabelecidos os compromissos internos com a Responsabilidade Social. Nota: O texto da política se encontra ao final deste documento. - Análise Crítica A sistemática adotada para a Análise Crítica é a mesma do Canal de Tratamento de Preocupações (Canal de Denúncias). Tanto os assuntos gerais de Responsabilidade Social que geraram não conformidades eventuais quanto as denúncias recebidas pelo canal formal são analisados semestralmente pelo Comitê de Ética que é composto pelo RA (Representante da Alta Direção) e mais 2 membros da diretoria de Recursos Humanos e Financeira. As atas são arquivadas eletronicamente e todos os assuntos discutidos e analisados são mantidos em caráter sigiloso. - Representantes da Empresa Está definido através de indicação que o Representante da Alta Direção é um membro do Comitê de Ética, e acumula a função de Representante para Assuntos de Saúde e Saúde e Segurança. 19

20 Este profissional integra atualmente o Comitê de Ética, responsável pelo gerenciamento das denúncias recebidas pelo Canal de Tratamento de Preocupações. Desta forma, a figura do RA é adotada corporativamente, centralizando todas as questões relativas aos assuntos de Responsabilidade Social e Saúde e Segurança. - Controle de Fornecedores A prática adotada para Controle de Fornecedores está associada ao critério de cadastramento de novos fornecedores no ZIG (cadastramento financeiro). Após o fornecedor ser inserido no sistema ZIG, recebe automaticamente um contendo o código de ética da empresa e uma carta de aceite com nossos padrões éticos corporativos e o compromisso em implantar a SA 8000 em um período estabelecido, além de mencionar o sistema de auditorias internas locais. Em anexo são enviadas a Política e uma recomendação para que em caso de dúvidas, o fornecedor contacte a área de Recursos Humanos da Matriz para maiores esclarecimentos e possível envio da norma. Todos os registros associados são arquivados eletronicamente pela área de Recursos Humanos da Matriz. - Comunicação Externa O site adota os canais de comunicação internos e externos corporativos para assuntos de Responsabilidade Social, a saber: - Intranet Corporativa localizada no caminho de rede: - Intranet Corporativa Brasil Lotus Notes (acesso individual, através de senha confidencial); - Revista Corporativa Planet (voltada para os colaboradores internos do Grupo Bureau Veritas no mundo); 20

21 - Quadros de Avisos (utilizados internamente no site). 4.REVISÃO Revisão 01-18/10/2006 adequação a sistemática e correção do índice. 5.ANEXOS POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL - Registros Todos os registros associados ao Sistema de Gestão de Responsabilidade Social mencionados neste manual e outros que venham a ser criados visando a melhoria contínua dos processos internos, estão no caminho de rede: Database\Lotus Notes\Procedimentos Regionais. POLÍTICA O BUREAU VERITAS BRASIL* mantém um Sistema de Gestão de Qualidade, Meio Ambiente, Segurança, Saúde Ocupacional e Responsabilidade Social, com base nas Normas ISO 9001, ISO 14001, OHSAS e SA 8000, para a execução das seguintes atividades: Classificação de navios e unidades offshore Verificação da conformidade de projetos, produtos, materiais, equipamentos e instalações 21

22 Assessoria, auditoria e treinamento nas áreas de qualidade, segurança, meio ambiente, saúde ocupacional e responsabilidade social Análise de riscos e estudos de confiabilidade Fiscalização, supervisão e suporte técnico/administrativo de projetos e obras em conformidade com os requisitos dos clientes O BUREAU VERITAS BRASIL* se compromete a: 1. Cumprir a legislação; políticas corporativas; requisitos contratuais referentes à qualidade dos seus serviços; proteção ao meio ambiente, segurança e saúde ocupacional de seus funcionários e, todos aqueles diretamente afetados por suas atividades. 2. Monitorar a satisfação dos clientes, os impactos ambientais, riscos à segurança, saúde ocupacional e impactos sociais associados as suas atividades, objetivando a melhoria contínua. 3. Desempenhar suas atividades buscando a prevenção de danos ambientais; de acidentes; de saúde ocupacional e impactos negativos à sociedade na execução de seus serviços, sejam estes internos ou em instalações de seus clientes. 4. Atuar com integridade, ética e independência assegurando a sustentabilidade do negócio e a responsabilidade sócio ambiental. * BUREAU VERITAS BRASIL compreende todas as atividades do BUREAU VERITAS E TECNITAS no Brasil 22

1. OBJETIVO 2. APLICAÇÃO 3. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES 4. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 5. TERMINOLOGIA

1. OBJETIVO 2. APLICAÇÃO 3. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES 4. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 5. TERMINOLOGIA Aprovado ' Elaborado por Andrea Gaspar/BRA/VERITAS em 04/11/2014 Verificado por Cristiane Muniz em 04/11/2014 Aprovado por Andrea Gaspar/BRA/VERITAS em 19/11/2014 ÁREA GRH Tipo Procedimento Regional Número

Leia mais

Impresso em 26/08/2015 10:53:30 (Sem título) IDENTIFICAÇÃO, ACESSO E MONITORAMENTO DE REQUISITOS LEGAIS E OUTROS REQUISITOS

Impresso em 26/08/2015 10:53:30 (Sem título) IDENTIFICAÇÃO, ACESSO E MONITORAMENTO DE REQUISITOS LEGAIS E OUTROS REQUISITOS Aprovado ' Elaborado por Cintia Kikuchi/BRA/VERITAS em 30/12/2014 Verificado por Fernando Cianci em 06/01/2015 Aprovado por Americo Venturini/BRA/VERITAS em 06/01/2015 ÁREA QHSE Tipo Procedimento Regional

Leia mais

Mensagem do Presidente

Mensagem do Presidente Mensagem do Presidente A PISOAG DO BRASIL está no mercado desde 1980, atuando com empresas nacionais e internacionais dos mais diversos segmentos, com qualidade, tecnologia e o elevado padrão de responsabilidade

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Versão 2015.2 Editada em julho de 2015 SUMÁRIO 1. Objetivo da Política...3 2. Abrangência...3 3. Princípios...3 4. Das Diretrizes Estratégicas...4 5. Da Estrutura

Leia mais

Cliente Empreendedorismo Metodologia e Gestão Lucro Respeito Ética Responsabilidade com a Comunidade e Meio Ambiente

Cliente Empreendedorismo Metodologia e Gestão Lucro Respeito Ética Responsabilidade com a Comunidade e Meio Ambiente Código de Ética OBJETIVO Este código de ética serve de guia para atuação dos empregados e contratados da AQCES e explicita a postura que deve ser adotada por todos em relação aos diversos públicos com

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO GRUPO HERING

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO GRUPO HERING CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO GRUPO HERING O Código de Conduta Ética é um instrumento destinado a aperfeiçoar os relacionamentos da organização e elevar o clima de confiança nela existente. Este Código tem

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA - PORTAL

CÓDIGO DE ÉTICA - PORTAL 1. Disposições Preliminares Este Código de Ética tem como principal objetivo informar aos colaboradores, prestadores de serviço, clientes e fornecedores da Petronect quais são os princípios éticos que

Leia mais

COP Comunicação de Progresso 9 de abril de 2012. Pisoag do Brasil Ltda Diretor

COP Comunicação de Progresso 9 de abril de 2012. Pisoag do Brasil Ltda Diretor Ban Ki-Moon Secretario Geral Nações Unidas New York NY 10017 USA Guarulhos, 09 de Abril de 2012 Sr. Secretario Geral, Gostaria de comunicar que a Pisoag do Brasil Ltda, apoia os Dez Principios do Pacto

Leia mais

POLÍTICA DE FORNECIMENTO DE BENS E SERVIÇOS DA DURATEX S.A.

POLÍTICA DE FORNECIMENTO DE BENS E SERVIÇOS DA DURATEX S.A. ÍNDICE DURATEX S/A POLÍTICA DE FORNECIMENTO DE BENS E SERVIÇOS DA DURATEX S.A. 1. OBJETIVO 2. PRINCÍPIOS GERAIS 3. REFERÊNCIAS 4. DEFINIÇÕES 4.1. DURATEX 4.2. UNIDADE REQUISITANTE 4.3. UNIDADE DESTINATÁRIA

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental PRSA

Política de Responsabilidade Socioambiental PRSA 1. OBJETIVO Em atendimento à Resolução do Banco Central do Brasil nº 4.327 de 25 de abril de 2014, que dispõe sobre as diretrizes que devem ser observadas no estabelecimento e na implementação da Política

Leia mais

1 OBJETIVO 2 APLICAÇÃO 3 ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES 4 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 5 TERMINOLOGIA

1 OBJETIVO 2 APLICAÇÃO 3 ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES 4 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 5 TERMINOLOGIA Aprovado ' Elaborado por Cintia Kikuchi/BRA/VERITAS em 16/10/2015 Verificado por Fernando Cianci em 16/10/2015 Aprovado por Ricardo Fontenele/BRA/VERITAS em 16/10/2015 ÁREA QHSE Tipo MANUAL Número 01.11

Leia mais

1.OBJETIVO 2.APLICAÇÃO 3.ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES 4.DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 5.TERMINOLOGIA 6.DESCRIÇÃO DO PROCESSO

1.OBJETIVO 2.APLICAÇÃO 3.ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES 4.DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 5.TERMINOLOGIA 6.DESCRIÇÃO DO PROCESSO Aprovado ' Elaborado por Fernando Cianci/BRA/VERITAS em 28/11/2014 Verificado por Jose Eduardo em 28/11/2014 Aprovado por Sandro de Luca/BRA/VERITAS em 04/12/2014 ÁREA GFI Tipo Procedimento Regional Número

Leia mais

Código de Ética e Conduta em Relações Comerciais Bridge Research

Código de Ética e Conduta em Relações Comerciais Bridge Research Código de Ética e Conduta em Relações Comerciais Bridge Research Missão Ser a referência no Brasil em soluções de pesquisa de mercado que utilizem tecnologia como uma plataforma para melhorar a decisão

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Página 1 NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio (votação 10/02/96. Rev.1) 0. INTRODUÇÃO 0.1 Resumo geral 0.2 Benefícios de se ter um Sistema

Leia mais

Mensagem da Diretoria

Mensagem da Diretoria Código de Ética Índice Mensagem da Diretoria... 07 Princípios Cooperativistas... 09 Política da Qualidade... 11 Nosso Negócio, Missão, Visão... 12 Nossos Valores... 13 Nosso Relacionamento com: Associados...

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS 1. INTRODUÇÃO Entende-se como responsabilidade socioambiental, no âmbito da Magliano SA CCVM, o processo contínuo de: Respeito e proteção aos direitos humanos por meio da promoção de diversidade, inclusão

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA RECEBA MAIS QUE TECNOLOGIA

CÓDIGO DE ÉTICA RECEBA MAIS QUE TECNOLOGIA CÓDIGO DE ÉTICA RECEBA MAIS QUE TECNOLOGIA Código de Ética e de Responsabilidade Social Propósitos A ACE Schmersal tem uma atuação corporativa pautada em valores éticos e morais. Estes mesmos valores regem

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética MENSAGEM DO PRESIDENTE O Código de Conduta Ética das Empresas Concremat contempla os princípios que devem estar presentes nas relações da empresa com seus colaboradores, clientes,

Leia mais

DECLARAÇÃO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

DECLARAÇÃO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL Página: 1 de 7 CONTROLE DAS REVISÕES REV. DATA ASSUNTO / REVISÃO / MODIFICAÇÃO 00 01 04/05/10 Edição inicial. 11/08/10 Revisão para adequação da situação de mães grávidas item 5.4 e trabalho infantil item

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA INTERNATIONAL MEAL COMPANY ALIMENTAÇÃO S.A.

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA INTERNATIONAL MEAL COMPANY ALIMENTAÇÃO S.A. 1 CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA INTERNATIONAL MEAL COMPANY ALIMENTAÇÃO S.A. Este código de ética e conduta foi aprovado pelo Conselho de Administração da INTERNATIONAL MEAL COMPANY ALIMENTAÇÃO S.A. ( Companhia

Leia mais

2.1. Cumprimos leis e regulamentos nacionais e internacionais. Obedecemos a todas as leis e regulamentos internacionais e nacionais relevantes.

2.1. Cumprimos leis e regulamentos nacionais e internacionais. Obedecemos a todas as leis e regulamentos internacionais e nacionais relevantes. CÓDIGO DE CONDUTA 1. Introdução O Código de Conduta Ahlstrom descreve os princípios éticos que sustentam o modo como conduzimos os negócios em nossa empresa. Baseia-se em nossos principais valores Agir

Leia mais

Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda.

Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda. Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda. Resumo Com a globalização e os avanços tecnológicos, as empresas estão operando num ambiente altamente competitivo e dinâmico. As organizações que quiserem

Leia mais

EMENTA CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO

EMENTA CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICO-ALVO: Os Cursos Técnicos são destinados a todos que estão cursando o 2º ano ou já completaram o Ensino Médio e que desejam aprender uma profissão, entrar no mercado de trabalho ou buscar uma melhor

Leia mais

Pacto Global da Nações Unidas (UN Global Compact) Relatório 2010. Comunicação sobre Progresso (Communication on Progress COP) www.acovisa.com.

Pacto Global da Nações Unidas (UN Global Compact) Relatório 2010. Comunicação sobre Progresso (Communication on Progress COP) www.acovisa.com. Pacto Global da Nações Unidas (UN Global Compact) Relatório 2010 Comunicação sobre Progresso (Communication on Progress COP) www.acovisa.com.br Boas-vindas Mensagem da Diretoria O compromisso com os princípios

Leia mais

2 CÓDIGO DE ÉTICA RUDLOFF

2 CÓDIGO DE ÉTICA RUDLOFF 2 CÓDIGO DE ÉTICA RUDLOFF ÍNDICE Sobre o Código de Ética... 05 Missão, Visão e Valores... 06 Colaboadores... 07 Legislação... 08 Conflito de Interesse... 09 Uso adequado dos Bens da Empresa... 10 Publicidade

Leia mais

MANUAL DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

MANUAL DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL MANUAL DE RESPONSABILIDADE Definição: A responsabilidade socioambiental é a responsabilidade que uma empresa ou organização tem com a sociedade e com o meio ambiente além das obrigações legais e econômicas.

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras 2010 Declaração Nós, das Empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável das áreas onde atuamos e

Leia mais

Valorizamos as relações respeitosas, responsáveis e confiáveis com os diferentes públicos, interno e externo, em que não há espaço para:

Valorizamos as relações respeitosas, responsáveis e confiáveis com os diferentes públicos, interno e externo, em que não há espaço para: Introdução A BRMALLS é uma empresa que atua em diversos estados e para manter unida nossa companhia, nossos funcionários devem agir com base em valores e objetivos comuns. Isso se reflete nas atitudes

Leia mais

1. OBJETIVO 2. APLICAÇÃO 3. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES 4. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 5. TERMINOLOGIA 6. DESCRIÇÃO DO PROCESSO DE DOCUMENTAÇÃO

1. OBJETIVO 2. APLICAÇÃO 3. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES 4. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 5. TERMINOLOGIA 6. DESCRIÇÃO DO PROCESSO DE DOCUMENTAÇÃO Aprovado ' Elaborado por Andrea Gaspar/BRA/VERITAS em 06/12/2013 Verificado por Cristiane Muniz em 06/12/2013 Aprovado por Denis Fortes/BRA/VERITAS em 06/12/2013 ÁREA GRH Tipo Procedimento Regional Número

Leia mais

Em qualquer lugar do mundo...

Em qualquer lugar do mundo... Em qualquer lugar do mundo... É injusto receber menos por ser mulher, negro ou idoso Trabalhar em um local que prejudica a saúde Perder o emprego porque luta por condições dignas de trabalho Trabalhar

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS REVISÕES

DESCRIÇÃO DAS REVISÕES 20/11/28 Página 1 de 14 - MONITORAMENTO, MEDIÇÃO E MENSURAÇÃO DE DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REVISÃO DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 20/11/28 Emissão Inicial RESPONSÁVEL PELO DOCUMENTO: (ÁREA) FUNÇÃO/INICIAIS: R

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA SABESP

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA SABESP CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA SABESP 2008-2 1 Apresentação A SABESP a partir da sua própria missão de prestar serviços de saneamento, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida e do meio ambiente constitui-se

Leia mais

Impresso em 26/08/2015 10:52:49 (Sem título)

Impresso em 26/08/2015 10:52:49 (Sem título) Aprovado ' Elaborado por Cintia Kikuchi/BRA/VERITAS em 08/01/2015 Verificado por Neidiane Silva em 09/01/2015 Aprovado por Americo Venturini/BRA/VERITAS em 12/01/2015 ÁREA QHSE Tipo Procedimento Regional

Leia mais

1. INTRODUÇÃO. Mensagem do Presidente

1. INTRODUÇÃO. Mensagem do Presidente Data de início de vigência: 1 de setembro de 2013 1. INTRODUÇÃO Mensagem do Presidente O Mundo de hoje obriga-nos a uma presença em inúmeros quadrantes e a uma enorme capacidade para que possamos adaptar-nos

Leia mais

Código de Ética e Conduta Lojas Renner

Código de Ética e Conduta Lojas Renner Código de Ética e Conduta Lojas Renner Junho de 2008 Introdução Carta do Presidente Código de Ética: Valores e Princípios Empresariais Código de Conduta: Colaboradores Fornecedores Clientes Comunidade

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS SUSTENTABILIDADE E M P R E S A R I A L Política de Sustentabilidade Empresarial das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras,

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade MQ Manual da Qualidade SUMÁRIO... 1 1. APRESENTAÇÃO... 2

Sistema de Gestão da Qualidade MQ Manual da Qualidade SUMÁRIO... 1 1. APRESENTAÇÃO... 2 Revisão:14 Folha:1 de17 SUMÁRIO SUMÁRIO... 1 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. RESPONSABILIDADE DA DIREÇÃO... 3 2.1 POLÍTICA DA QUALIDADE... 3 2.2 OBJETIVOS DA QUALIDADE... 4 2.3 ORGANIZAÇÃO DA EMPRESA PARA A QUALIDADE...

Leia mais

Regulamento geral para a certificação dos Sistemas de Gestão

Regulamento geral para a certificação dos Sistemas de Gestão Regulamento geral para a certificação dos Sistemas de Gestão Em vigor a partir de 01/04/2016 RINA Via Corsica 12 16128 Genova - Itália tel. +39 010 53851 fax +39 010 5351000 website : www.rina.org Normas

Leia mais

Apresentação. Vinicius Lino Ventorim Diretor da Politintas

Apresentação. Vinicius Lino Ventorim Diretor da Politintas Apresentação Seriedade, comprometimento e ética na condução de seus negócios. Esses são os princípios que regem a conduta da Politintas desde sua inauguração até os dias de hoje. Para que esses ideais

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE DO GRUPO INVEPAR

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE DO GRUPO INVEPAR DE DO GRUPO INVEPAR PÁGINA Nº 2/5 1. INTRODUÇÃO Desenvolver a gestão sustentável e responsável nas suas concessões é um componente fundamental da missão Invepar de prover e operar sistemas de mobilidade

Leia mais

PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS COP - COMUNICADO DE PROGRESSO 2015. AX0003/00-Q5-RL-1001-15 Rev. 0 < MAIO 2015> ELABO.: SBMo VERIF.: CF APROV.

PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS COP - COMUNICADO DE PROGRESSO 2015. AX0003/00-Q5-RL-1001-15 Rev. 0 < MAIO 2015> ELABO.: SBMo VERIF.: CF APROV. PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS COP - COMUNICADO DE PROGRESSO 2015 AX0003/00-Q5-RL-1001-15 Rev. 0 < MAIO 2015> ELABO.: SBMo VERIF.: CF APROV.: CK AX0003/00-Q5-RL-1001-15 2 ÍNDICE PÁG. 1 - INTRODUÇÃO...

Leia mais

POLÍTICA. Direitos Fundamentais nas Relações de Trabalho ÍNDICE

POLÍTICA. Direitos Fundamentais nas Relações de Trabalho ÍNDICE Folha 1/5 ÍNDICE 1. Objetivo.... 2 2. Abrangência... 2 3. Premissas... 2 Folha 2/5 1. Objetivo Estabelecer diretrizes que devem assegurar os direitos fundamentais nas relações de trabalho na Klabin e com

Leia mais

Mensagem da Diretoria

Mensagem da Diretoria 2007 A Mensagem da Diretoria história da Responsabilidade Social na Copacol está intrínseca desde que abriu as portas do cooperativismo no Oeste do Paraná, em 1963. Com a assinatura do Pacto Global, essa

Leia mais

CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RH

CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RH 1/1 CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RH Todas as disciplinas do curso de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos têm como critério para aprovação, em conformidade com o capítulo V do regimento escolar:

Leia mais

Padrão de Desempenho 1: Sistemas de Gerenciamento e Avaliação Socioambiental

Padrão de Desempenho 1: Sistemas de Gerenciamento e Avaliação Socioambiental Introdução 1. O Padrão de Desempenho 1 destaca a importância do gerenciamento do desempenho socioambiental durante o ciclo de um projeto (qualquer atividade comercial sujeita a avaliação e administração).

Leia mais

O Banco Central do Brasil em 29/06/2006 editou a Resolução 3380, com vista a implementação da Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional.

O Banco Central do Brasil em 29/06/2006 editou a Resolução 3380, com vista a implementação da Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional. 1 POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL 1.1 Introdução O Banco Central do Brasil em 29/06/2006 editou a Resolução 3380, com vista a implementação da Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional.

Leia mais

Não empregamos nenhuma pessoa com idade menor que a permitida por lei.

Não empregamos nenhuma pessoa com idade menor que a permitida por lei. Código de Conduta SOSINIL Princípios Gerais A SOSINIL publica seu Codigo de Conduta e Ética que servirá de referencial para uma conduta adequada, coerente e uniforme a ser adotada com os envolvidos em

Leia mais

ética Programa de Integridade Última atualização em: Circular Bancoob 1ª Edição em: Circular Bancoob 2.377 Página: 1/15

ética Programa de Integridade Última atualização em: Circular Bancoob 1ª Edição em: Circular Bancoob 2.377 Página: 1/15 ética Programa de Integridade 1ª Edição em: Circular Bancoob 2.377 Última atualização em: Circular Bancoob Página: 1/15 Índice Título 1: Apresentação... 3 Título 2: Risco da prática de atos lesivos contra

Leia mais

ATA DA ANÁLISE CRÍTICA PELA DIREÇÃO SA-8000 REUNIÃO Nº 001/12

ATA DA ANÁLISE CRÍTICA PELA DIREÇÃO SA-8000 REUNIÃO Nº 001/12 Pág. 1 / 6 PARTICIPANTES: Marcos Renato Fernandes. Representante da Direção. Ivens Arantes Pantaleão Diretor Divisão Rodas Wellington Lino Diretor Divisão Cilindros Clayton Aparecido Martimiano Representante

Leia mais

PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 1. OBJETIVO: Estabelecer diretrizes e critérios para o atendimento aos requisitos da norma de Responsabilidade Social SA 8000. 2. DEFINIÇÕES: Não aplicável. 3. DOCUMENTOS APLICÁVEIS Manual da Qualidade;

Leia mais

PROCEDIMENTO GERAL PARA ROTULAGEM AMBIENTAL FALCÃO BAUER ECOLABEL BRASIL

PROCEDIMENTO GERAL PARA ROTULAGEM AMBIENTAL FALCÃO BAUER ECOLABEL BRASIL 1. Introdução O Falcão Bauer Ecolabel é um programa de rotulagem ambiental voluntário que visa demonstrar o desempenho ambiental de produtos e serviços através da avaliação da conformidade do produto com

Leia mais

CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO/IEC 27006:2011) - OTS

CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO/IEC 27006:2011) - OTS CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO/IEC 276:2011) - OTS NORMA Nº NIT-DICOR-011 APROVADA EM MAR/2013 Nº 01/46 SUMÁRIO

Leia mais

Código de Ética LLTECH

Código de Ética LLTECH Código de Ética LLTECH Quem somos A LLTECH é uma empresa que oferece soluções inovadoras para automação e otimização de processos industriais, fornecendo toda a parte de serviços e produtos para automação

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética Jeito de Ser Índice 3 Introdução 3 Carta do Presidente 3 Missão do Grupo Marisa 3 Valores do Grupo Marisa 3 Código de Conduta Ética v Áreas de Relacionamento Colaboradores Fornecedores

Leia mais

Política de Publicação de Conteúdo do Site da CCEE

Política de Publicação de Conteúdo do Site da CCEE Política de Publicação de Conteúdo do Site da CCEE ÍNDICE INTRODUÇÃO 1. Padronização de textos e definições 1.1 O que é Notícia 1.2 O que é Artigo 1.3 O que é Comunicado 1.4 O que é Arquivo 1.5 O que é

Leia mais

Caro parceiro, Queremos fornecedores e parceiros que tenham nível de comprometimento com a sociedade tão amplo quanto o do Rio 2016.

Caro parceiro, Queremos fornecedores e parceiros que tenham nível de comprometimento com a sociedade tão amplo quanto o do Rio 2016. Caro parceiro, O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 trabalha para entregar Jogos excelentes, com celebrações memoráveis que irão promover a imagem global do Brasil, baseados

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA ISA CAPITAL DO BRASIL S.A.

CÓDIGO DE ÉTICA ISA CAPITAL DO BRASIL S.A. CÓDIGO DE ÉTICA ISA CAPITAL DO BRASIL S.A. 1 INTRODUÇÃO O Grupo ISA e suas empresas avançam para metas a cada vez mais exigentes e ambiciosas, desenvolvendo suas práticas em contextos diversos e inovadores

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SUPRIMENTO DE MATERIAL E SERVIÇOS GSS CÓDIGO DE RELACIONAMENTO COM OS FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOS

SUPERINTENDÊNCIA DE SUPRIMENTO DE MATERIAL E SERVIÇOS GSS CÓDIGO DE RELACIONAMENTO COM OS FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOS CÓDIGO DE RELACIONAMENTO COM OS FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOS ELETRONORTE SUPERINTENDÊNCIA DE SUPRIMENTO DE MATERIAL E SERVIÇOS GSS CÓDIGO DE RELACIONAMENTO COM OS FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOS 1 2

Leia mais

MANUAL INTEGRADO DOS SISTEMAS DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA (EHS)

MANUAL INTEGRADO DOS SISTEMAS DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA (EHS) 1/20 DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE Emitido pelo Coordenador de EHS Luis Fernando Rocha Aguiar Aprovado pela Gerência da Usina de Itaúna Valério Toledo de Oliveira 2/20 Índice: 1 Objetivo e campo de aplicação

Leia mais

POLITICA DE QUALIDADE

POLITICA DE QUALIDADE CÓDIGO ÉTICA ÍNDICE: PALAVRA DO DIRETOR POLITICA DE QUALIDADE MISSÃO VISÃO VALORES CONFIDENCIALIDADE DE INFORMAÇÃO CLIENTES FORNECEDORES ACIONISTAS COMUNIDADE RESPONSABILIDADE SOCIAL IMPRENSA ORGÃOS GOVERNAMENTAIS

Leia mais

Sistema de Gestão de SMS

Sistema de Gestão de SMS DESCRIÇÃO DA EMPRESA Nome SMART EXPRESS TRANSPORTES LTDA EPP CNPJ 12.103.225/0001-52 Insc.Est. 79.477.680 Atividade: transporte rodoviário de carga em geral Código: 206-2 Nº de funcionários (inclusive

Leia mais

Código de Ética Nas Relações com as Partes Interessadas Com os Clientes e a Concorrência

Código de Ética Nas Relações com as Partes Interessadas Com os Clientes e a Concorrência Código de Ética Conduzimos nossos negócios dentro de uma estrutura de padrões profissionais, legislações, regulamentações e políticas internas. Entretanto, temos consciência que essas normas não necessariamente

Leia mais

Manual de Instruções Gerais (MIG) Risco Operacional

Manual de Instruções Gerais (MIG) Risco Operacional 1/74 Título 1 Apresentação... 3 Título 2 Gerenciamento do Risco Operacional... 4 1 Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional 4 1 Considerações Gerais... 4 2 Estrutura Organizacional... 5 3 Responsabilidades...

Leia mais

Código de Conduta Nossa forma de fazer negócios

Código de Conduta Nossa forma de fazer negócios Código de Conduta Nossa forma de fazer negócios pwc Atuamos de forma profissional. Fazemos negócios com integridade. Preservamos a reputação da Firma e de nossos clientes. Respeitamos as pessoas e o meio

Leia mais

Manual dos Indicadores de Acompanhamento do Pacto Empresarial Contra Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Brasileiras

Manual dos Indicadores de Acompanhamento do Pacto Empresarial Contra Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Brasileiras VAMOS ACABAR COM A EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES NAS RODOVIAS BRASILEIRAS parceria estratégica parceria técnica Manual dos Indicadores de Acompanhamento do Pacto Empresarial Contra Exploração

Leia mais

PROGRAMA TÉCNICOS A.R.G. 2013

PROGRAMA TÉCNICOS A.R.G. 2013 PROGRAMA TÉCNICOS A.R.G. 2013 1- INTRODUÇÃO A A.R.G. Ltda., empresa multinacional do ramo da construção pesada, foi fundada em Minas Gerais no ano de 1978, e atua em todo o Brasil e exterior, nos segmentos

Leia mais

Política de Responsabilidade Corporativa

Política de Responsabilidade Corporativa Política de Responsabilidade Corporativa Índice 1. Introdução...04 2. Área de aplicação...04 3. Compromissos e princípios de atuação...04 3.1. Excelência no serviço...05 3.2. Compromisso com os resultados...05

Leia mais

Fernando Cianci19/10/2015 ÍNDICE: ÁREA. Número 87 Título. Aprovação comunicada para Cintia Kikuchi/BRA/VERITAS; Fernando Cianci/BRA/VERITAS

Fernando Cianci19/10/2015 ÍNDICE: ÁREA. Número 87 Título. Aprovação comunicada para Cintia Kikuchi/BRA/VERITAS; Fernando Cianci/BRA/VERITAS Aprovado ' Elaborado por Fernando Cianci/BRA/VERITAS em 19/10/2015 Verificado por Cintia Kikuchi em 19/10/2015 Aprovado por Ricardo Fontenele/BRA/VERITAS em 19/10/2015 ÁREA QHSE Tipo Procedimento Regional

Leia mais

Comitês do Banco BMG. Comitês Existentes

Comitês do Banco BMG. Comitês Existentes Comitês do Banco BMG Introdução Os Comitês representam coletivamente os interesses do Banco BMG, nos diversos segmentos de sua organização. É política do Banco BMG, manter o controle permanente de seus

Leia mais

Política de Combate a Suborno e Corrupção. Revisão Data Itens Alterados Elaboradores Aprovadores

Política de Combate a Suborno e Corrupção. Revisão Data Itens Alterados Elaboradores Aprovadores Revisão Data Itens Alterados Elaboradores Aprovadores 00 12/02/2015 Original Natalia Simões Araujo (Coordenadora Funções Corporativas e Compliance) Antonio Ferreira Martins (Vice- Presidente Jurídico e

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA Carta do CEO Caros colaboradores, Apresento a vocês o nosso código de ética. Este importante documento é um conjunto de atitudes a serem praticadas por todos nós no exercício da nossa atividade profissional.

Leia mais

Projeto de Gestão pela Qualidade Rumo à Excelência

Projeto de Gestão pela Qualidade Rumo à Excelência Projeto de Gestão pela Qualidade Rumo à Excelência Introdução O panorama que se descortina para os próximos anos revela um quadro de grandes desafios para as empresas. Fatores como novas exigências dos

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL Última atualização: Agosto/2014 EXCLUSIVO PARA USO INTERNO Produzido pelas área de Risco Operacional Aprovado e revisado pela Diretoria Executiva A reprodução

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC

CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC De origem grega, o termo ethos significa costumes e deve ser entendido com um conjunto de princípios básicos que visam disciplinar e regular, a moral e a conduta das

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO À FRAUDE E CORRUPÇÃO

POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO À FRAUDE E CORRUPÇÃO POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO À FRAUDE E CORRUPÇÃO 1. OBJETIVO A Política Corporativa de Prevenção à Corrupção ( Política ) tem o objetivo de reforçar o compromisso da empresa Via Boleto de cooperar

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA. Título I. Das Disposições Gerais. Capítulo I

REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA. Título I. Das Disposições Gerais. Capítulo I 1 REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA Título I Das Disposições Gerais Capítulo I Dos Objetivos e da Estruturação Geral do Serviço de Psicologia Art. 1º - O Serviço de Psicologia é parte

Leia mais

POLÍTICA A. OBJETIVO... 2 B. ABRANGÊNCIA... 2 C. VIGÊNCIA... 2 D. DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 1. DEFINIÇÕES... 2 2. INTRODUÇÃO... 3 3. GOVERNANÇA...

POLÍTICA A. OBJETIVO... 2 B. ABRANGÊNCIA... 2 C. VIGÊNCIA... 2 D. DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 1. DEFINIÇÕES... 2 2. INTRODUÇÃO... 3 3. GOVERNANÇA... A. OBJETIVO... 2 B. ABRANGÊNCIA... 2 C. VIGÊNCIA... 2 D. DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 1. DEFINIÇÕES... 2 2. INTRODUÇÃO... 3 3. GOVERNANÇA... 4 4. RELACIONAMENTO E ENGAJAMENTO COM PARTES INTERESSADAS... 4 5.

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DA SOMMA INVESTIMENTOS

CÓDIGO DE ÉTICA DA SOMMA INVESTIMENTOS 1. O CÓDIGO Este Código de Ética (Código) determina as práticas e padrões éticos a serem seguidos por todos os colaboradores da SOMMA INVESTIMENTOS. 2. APLICABILIDADE Esta política é aplicável: 2.1. A

Leia mais

IINSTRUÇÃO DO SISTEMA. Código de conduta

IINSTRUÇÃO DO SISTEMA. Código de conduta 1 de 7 Revisão Data Assunto / revisão / modificação 00 16/04/15 Emissão Inicial. Nome Cargo Data Assinatura Consultor / Gerente EMITENTE Maciel Amaro Técnico / RD Valéria Ap. R. Amaro Diretora administrativa

Leia mais

VALID / Relatório de Sustentabilidade / 2011. Gestão

VALID / Relatório de Sustentabilidade / 2011. Gestão 54 VALID / Relatório de Sustentabilidade / 2011 8. Gestão VALID / Relatório de Sustentabilidade / 2011 55 8. Gestão PÚBLICOS DE RELACIONAMENTO A Valid desenvolve seus relacionamentos com os públicos de

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA AGÊNCIA DE FOMENTO DE GOIÁS S/A GOIÁSFOMENTO

CÓDIGO DE ÉTICA AGÊNCIA DE FOMENTO DE GOIÁS S/A GOIÁSFOMENTO CÓDIGO DE ÉTICA DA AGÊNCIA DE FOMENTO DE GOIÁS S/A GOIÁSFOMENTO 0 ÍNDICE 1 - INTRODUÇÃO... 2 2 - ABRANGÊNCIA... 2 3 - PRINCÍPIOS GERAIS... 2 4 - INTEGRIDADE PROFISSIONAL E PESSOAL... 3 5 - RELAÇÕES COM

Leia mais

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave ISO14004 uma diretriz ISO 14004:2004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Prof.Dr.Daniel Bertoli Gonçalves FACENS 1 Seu propósito geral é auxiliar as

Leia mais

Código de Ética CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 1

Código de Ética CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 1 Código de Ética CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 1 CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 2 Sumário 1. Introdução...3 2. Postura pessoal e profissional...4 3. Relacionamento com público interno...6 4. Relacionamento

Leia mais

PROCEDIMENTO ESPECÍFICO PARA CERTIFICAÇÃO SELO ECOLÓGICO FALCÃO BAUER

PROCEDIMENTO ESPECÍFICO PARA CERTIFICAÇÃO SELO ECOLÓGICO FALCÃO BAUER 1. Introdução A Certificação do Selo Ecológico Falcão Bauer possui caráter voluntário e visa demonstrar o desempenho ambiental de produtos e serviços através da avaliação do diferencial ecológico apresentado

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Introdução. Código de Ética. Nossos Valores na prática.

CÓDIGO DE ÉTICA. Introdução. Código de Ética. Nossos Valores na prática. CÓDIGO DE ÉTICA Introdução Nossos Valores Artigo 1º Premissa Artigo 2º Objetivos e Valores Artigo 3º Sistema de Controle Interno Artigo 4º Relação com os Stakeholders / Partes Interessadas 4.1 Acionistas

Leia mais

Carta de Convivência da Fundação Dom Cabral

Carta de Convivência da Fundação Dom Cabral Carta de Convivência da Fundação Dom Cabral Mensagem de Abertura Elaborada na sua primeira versão em 2006, a Carta de Convivência da FDC expressa o compromisso da instituição com a transparência e com

Leia mais

INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO BLUMENAU SOLIDARIEDADE ICC BLUSOL

INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO BLUMENAU SOLIDARIEDADE ICC BLUSOL INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO BLUMENAU SOLIDARIEDADE ICC BLUSOL Ano 2013 CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA Caro Colaborador Estamos entregando o Código de Ética e Conduta da Instituição, o qual fará parte

Leia mais

I - Você e a DBA. II - Construir relacionamentos

I - Você e a DBA. II - Construir relacionamentos O código de ética DBA representa a necessidade de reforço aos valores e à cultura da empresa através da ética. Assim, é fundado nos valores essenciais da corporação e pode ser definido pelas normas padrões

Leia mais

MANUAL DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE CRÉDITO

MANUAL DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE CRÉDITO 1 APRESENTAÇÃO As exposições sujeitas ao risco de crédito são grande parte dos ativos da COOPERFEMSA, por isso, o gerenciamento do risco dessas exposições é fundamental para que os objetivos da Cooperativa

Leia mais

Apresentação... Introdução... 2. Observância às leis e regulamentos... 4. Política Anticorrupção... 4. Relacionamentos com clientes...

Apresentação... Introdução... 2. Observância às leis e regulamentos... 4. Política Anticorrupção... 4. Relacionamentos com clientes... SUMÁRIO Apresentação... Introdução... 2 Observância às leis e regulamentos... 4 Política Anticorrupção... 4 Relacionamentos com clientes... 6 Ambiente de Trabalho... 7 E-mail e Internet... 8 Saúde e Segurança

Leia mais

Código de Conduta Empresarial

Código de Conduta Empresarial Código de Conduta Empresarial Conteúdo Mensagem do Conselho de Administração 2 O que é este Código de Conduta 3 Objetivos do Código de Conduta Empresarial do Grupo Camargo Corrêa 3 A quem este Código se

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE SUMÁRIO

MANUAL DA QUALIDADE SUMÁRIO / Aprovação: Edison Cruz Mota MANUAL DA QUALIDADE Código: MQ Revisão: 13 Página: 1 de 16 Data: 15/12/2011 Arquivo: MQ_13.doc SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. RESPONSABILIDADE DA DIREÇÃO... 3 2.1. POLÍTICA DA

Leia mais

A SINIGAGLIA, endossa e pratica de forma sistemática os princípios do Pacto Global 1 da ONU, integrando-os a seus processos:

A SINIGAGLIA, endossa e pratica de forma sistemática os princípios do Pacto Global 1 da ONU, integrando-os a seus processos: INTRODUÇÃO O regime da livre iniciativa impõe às organizações e seus integrantes a conduzirem-se dentro de um ambiente de respeito e entendimento, zelando para que toda e qualquer forma de relacionamento,

Leia mais

CARTA ABERTA DE COMPROMISSO

CARTA ABERTA DE COMPROMISSO CARTA ABERTA DE COMPROMISSO Prezado Sr. Secretário Geral, A Responsabilidade Social Empresarial é prioridade da Unimed Sul Capixaba Cooperativa de Trabalho Médico desde 2003. É intrínseca aos valores da

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Grupo CM Capital Markets Brasil Aviso Legal: Este documento pode conter informações confidenciais e/ou privilegiadas. Se você não for o destinatário ou a pessoa

Leia mais