HISTÓRIA DO PAISAGISMO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "HISTÓRIA DO PAISAGISMO"

Transcrição

1 1

2 EMENTA Introdução. Aspectos relacionados ao mercado de flores no Brasil; métodos de propagação de flores e plantas ornamentais. Cultivo de flores de corte e vaso (gladíolo, crisântemo, violeta, rosa, antúrio, helicônias e alpínias); Noções de paisagismo; Projeto paisagístico (residencial, praça, parques); arborização urbana. 2

3 HISTÓRIA DO PAISAGISMO O paisagista é um profissional cada vez mais valorizado, diferentemente de alguns anos atrás, que era visto como jardineiro. Ele é responsável pelo estudo e planejamento dos espaços, pelo desenho do projeto (a mão livre ou no computador) e pelo gerenciamento da implantação e manutenção. 3

4 ORIGEM A origem da profissão de paisagista remonta as culturas antigas, da Pérsia e Egito à Grécia e Roma no tratamento de seus jardins. 4

5 ORIGEM Durante a Idade Média o interesse pelo espaço exterior diminuiu, porém, com o Renascimento, foi revivido com esplendidos resultados na Itália e deu origem às vilas ornamentadas, jardins, e grandes praças exteriores. Parque do Ibirapuera - SP 5

6 Parc Du Chemin de L lle, idealizado por Thierry Jacquet e pela equipe da Phytorestore, - See more at: Referência em Tratamento de Esgoto na França, esse jardim coleta água poluída do rio Sena e devolve água com teor de Oxigênio maior quase potável, recomendada apenas para banho. E também houve neste mesmo rio uma enchente que matou muitos peixes, esse jardim serve como reservatório de água oxigenada. 6

7 7

8 JARDIM CLÁSSICO FRANCÊS. Posteriormente este movimento chegou à França, originando o estilo clássico francês, com a construção de grandes jardins de palácios como o de Versailles, no século XVII, projetados por André Le Notre, onde a simetria e poda das plantas era bastante rígida. 8

9 9

10 O JARDIM INGLÊS No século XVIII, paisagistas ingleses, como Lancelot "Capability" Brown, apresentam o conceito de jardim com formas mais orgânicas e naturais, consolidando o estilo de jardim inglês, que era naturalista. 10

11 11

12 OS GRANDES PARQUES URBANOS - CENTRAL PARK Na América do Norte, um dos primeiros paisagistas de destaque foi Frederick Law Olmsted, que construiu o Central Park em Nova York com Calvert Vaux no final da década de

13 13

14 BURLE MARX No Brasil, o paisagista de maior destaque foi Roberto Burle Marx, que nasceu em SP em 1909, mudou-se para o RJ ainda menino e aos 19 anos foi estudar na Alemanha, onde iniciou contato com a escola alemã Bauhaus (1ª Design). De volta ao Brasil, estudou Artes Plásticas e iniciou seus trabalhos de paisagismo com os arquitetos Lúcio Costa e Oscar Niemeyer, tornando-se mundialmente conhecido. 14

15 15

16 ATÉ DÉCADA DE 80 Até a década de 80, o paisagista era pouco valorizado no Brasil, tendo atuação apenas em grandes espaços e obras públicas. Em prédios e residências predominava o jardineiro, sem muito conhecimento estético e técnico, pois as crianças brincavam nas ruas e não havia necessidade de grandes áreas de lazer dentro dos prédios. Mas mudanças sociais ocorreram e acabaram beneficiando o paisagismo. 16

17 ANTES = MUROS BAIXOS, CRIANÇAS BRINCAVAM NA RUA AGORA = MUROS ALTOS, POR MEDO CRIANÇAS DENTRO DE CASA 17

18 18

19 A PARTIR DA DÉCADA DE 80 - GRANDES PRÉDIOS E CONDOMÍNIOS A partir daí, muita coisa mudou, os muros ganharam altura e as mães foram à luta no mercado de trabalho, as crianças passaram a ficar confinadas dentro das casas e prédios, iniciando-se então um movimento de valorização das áreas de lazer de prédios e residências, que continua crescente até hoje. 19

20 CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS Com a necessidade de projetar áreas de lazer cada vez maiores e mais bonitas, houve uma procura muito grande por profissionais mais qualificados que o jardineiro, valorizando a profissão de paisagista. 20

21 CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS Atualmente as atividades de jardineiro e paisagista já não se confundem mais, cada um é responsável por determinadas etapas do paisagismo, que são: projeto, implantação e manutenção. 21

22 PAISAGISTA Responsável principalmente pela elaboração do projeto e pelo planejamento e gerenciamento da implantação e manutenção. 22

23 Responsável direto pela implantação e manutenção, coordenando o trabalho de outros auxiliares no preparo de solo, plantio, poda, controle de pragas e doenças, corte de grama. JARDINEIRO 23

24 PAISAGISMO NO BRASIL 24

25 Roberto Burle Marx É um dos brasileiros mais consagrados no exterior em todos os tempos. Aos 19 anos, viaja para a Alemanha para se aperfeiçoar como desenhista. 25

26 Roberto Burle Marx E é lá que, casualmente, descobre a beleza das plantas tropicais, numa visita ao Jardim Botânico de Dahlen. De volta ao Brasil, Burle Marx começa a cultivar, colecionar e classificar plantas num jardim na encosta do morro, atrás de sua casa. 26

27 Roberto Burle Marx Seu primeiro trabalho como paisagista é feito a pedido do arquiteto e amigo Lúcio Costa, no início dos anos 30. Burle Marx projeta um jardim revolucionário, usando plantas tropicais e a estética da pintura abstrata. 27

28 Roberto Burle Marx O começo é difícil. Os jardins brasileiros obedecem ao modelo europeu: predominam azaléias, camélias, magnólias e nogueiras. A elite conservadora da época estranha o estilo abstrato e tropical de Burle Marx. 28

29 Roberto Burle Marx Apaixonado pela flora brasileira, realiza incontáveis viagens por todo o país à procura de plantas raras e exóticas. Pouco a pouco, torna-se botânico autodidata, especialista em plantas tropicais. A relação de Burle Marx com a natureza é quase religiosa. Sua reverência ao verde torna-o pioneiro na luta pela preservação do meio ambiente. 29

30 Roberto Burle Marx Sua grande paixão, contudo, sempre foi o Brasil, sobretudo o Rio de Janeiro. Nos mais belos cartões postais da cidade estão os jardins de Burle Marx. O Largo da Carioca... a orla do Leme... o calçadão de Copacabana... os jardins suspensos do Outeiro da Glória...e a menina dos olhos do artista: o Aterro do Flamengo. 30

31 Roberto Burle Marx Do trabalho conjunto com Oscar Niemayer e Lúcio Costa nascem o Parque da Pampulha, Minas Gerais, e os famosos jardins de Brasília. Entre suas obras mais expressivas estão os jardins do Parque do Ibirapuera, em São Paulo. 31

32 PAISAGEM 32

33 PAISAGEM Paisagem: é tudo que posso ver ao meu redor, isto é, tudo o que posso ver numa extensão. A paisagem se divide em dois conceitos paisagem natural, paisagem humanizada. 33

34 PAISAGEM PORÉM cada pessoa tem uma percepção distinta sobre diferentes paisagens, por possuírem uma bagagem cultural única. OBSERVAR uma paisagem não significa apenas visualizar os objetos concretos, mas também entendê-la usando os SENTIDOS. 34

35 TIPOS DE OBSERVAÇÃO Direta O observador está em contacto direto com a paisagem (deslocar-se ao local e observar "com os seus próprios olhos") Indireta O observador está em contacto indirecto com a paisagem (através de fotografias, revistas, computadores...) 35

36 SINTAM A PAISAGEM A SUA VOLTA E DESCREVAM TUDO O QUE PUDEREM SENTIR 36

37 TIPOS DE PAISAGENS NATURAIS: São aquelas em que não existiu qualquer ação do ser humano, ou seja, não sofreram transformações causadas pelo homem. Possuem apenas elementos naturais (montanhas, rios, mares, rochas, vegetação, animais, etc). Ex: G R O E L Â N D I A 37

38 TIPOS DE PAISAGENS HUMANIZADAS: São aquelas que, em maior ou menor escala, sofreram transformação por parte do homem. Sempre que existir uma construção humana, trata-se de uma paisagem humanizada. Desta forma, as cidades e as aldeias são exemplos deste tipo de paisagem. Ex 38

39 39

40 40

41 41

42 42

43 43

Paisagista. "Profissional que trabalha com projetos de paisagens naturais e urbanas"

Paisagista. Profissional que trabalha com projetos de paisagens naturais e urbanas Paisagista "Profissional que trabalha com projetos de paisagens naturais e urbanas" Fonte: Dicionário Michaelis O que é ser um paisagista? Paisagista, ou arquiteto paisagista é o profissional que trabalha

Leia mais

Túnel das Glicínias, Kawachi Fuji, Japão. História do Paisagismo

Túnel das Glicínias, Kawachi Fuji, Japão. História do Paisagismo Túnel das Glicínias, Kawachi Fuji, Japão História do Paisagismo Mesopotâmia Construídos em 800 a.c. Terraços arborizados e Arquitetura em patamares Irrigados artificialmente Fontes e espelhos d água Egito

Leia mais

ATIVIDADE 02 A PRESERVAÇÃO DO NOSSO PATRIMÔNIO CULTURAL

ATIVIDADE 02 A PRESERVAÇÃO DO NOSSO PATRIMÔNIO CULTURAL ATIVIDADE 02 A PRESERVAÇÃO DO NOSSO PATRIMÔNIO CULTURAL O patrimônio cultural de uma comunidade é o conjunto de referências que compõem o seu dia-a-dia e fazem com que ela tenha uma memória e uma história

Leia mais

outra de asfalto, duas de tijolo com argamassa e, finalmente, Templo de Tebas encontrada na tumba

outra de asfalto, duas de tijolo com argamassa e, finalmente, Templo de Tebas encontrada na tumba HISTÓRIA DO PAISAGISMO Ao longo da Historia, o jardim, que apareceu com as primeiras civilizações, sofreu muitas transformações funcionais e estéticas, influenciadas por concepções de culturas diferentes.

Leia mais

Agora é só com você. Geografia - 131

Agora é só com você. Geografia - 131 Geografia - 131 3 Complete: O espaço da sala de aula é um domínio delimitado por um(a)..., que é sua fronteira. Ainda em grupo faça o seguinte: usando objetos como lápis, palitos, folhas e outros, delimite

Leia mais

O homem transforma o ambiente

O homem transforma o ambiente Acesse: http://fuvestibular.com.br/ O homem transforma o ambiente Vimos até agora que não dá para falar em ambiente sem considerar a ação do homem. Nesta aula estudaremos de que modo as atividades humanas

Leia mais

PROJETO DE ARBORIZAÇÃO

PROJETO DE ARBORIZAÇÃO PROJETO DE ARBORIZAÇÃO Pequenas ações. Grandes resultados. Iniciativa do Horto Municipal e Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Iguaba Grande Introdução e Justificativas Arborizar uma cidade não significa

Leia mais

RENASCIMENTO ITALIANO

RENASCIMENTO ITALIANO ARTES / 2º ANO PROF.MÍLTON COELHO RENASCIMENTO ITALIANO Contexto histórico O termo significa reviver os ideais greco-romanos; na verdade o Renascimento foi mais amplo, pois aumentou a herança recebida

Leia mais

A concisa história de um projeto pedagógico para o design

A concisa história de um projeto pedagógico para o design A concisa história de um projeto pedagógico para o design Na Europa formaram dois eixos artísticos de diferentes orientações e que marcaram atuação nas primeiras décadas do século 20. Grupos, pelo choque

Leia mais

Arte Romana. 1º Ano Artes. Professor Juventino 2015

Arte Romana. 1º Ano Artes. Professor Juventino 2015 Arte Romana 1º Ano Artes Professor Juventino 2015 Arte Romana A soberania do Império Romano, sem paralelos na história, estendia-se da Espanha ao sul da Rússia, da Inglaterra ao Egito e em seu apogeu absorveu

Leia mais

TOURS EM SÃO PAULO CITY TOUR

TOURS EM SÃO PAULO CITY TOUR TOURS EM SÃO PAULO BRIEFING SÃO PAULO A fundação de São Paulo insere-se no processo de ocupação e exploração das terras americanas pelos portugueses, a partir do século XVI. Inicialmente, os colonizadores

Leia mais

TRAÇOS DE LUXO. ISALONI 2015 Os grandes mestres Michele De Lucchi, Attilio Stocchi e Paolo Ulian em entrevistas exclusivas

TRAÇOS DE LUXO. ISALONI 2015 Os grandes mestres Michele De Lucchi, Attilio Stocchi e Paolo Ulian em entrevistas exclusivas TRAÇOS DE LUXO Composições únicas traduzem o bem-morar GENIALIDADE NO DNA AS INCRÍVEIS PECULIARIDADES DO ESTILO ORIENTAL NA ARQUITETURA, NO DESIGN E NAS ARTES BRILHO DIFUSO NÉON SE REINVENTA E MIGRA DAS

Leia mais

Quapá quadro do paisagismo no brasil paisagismo contemporâneo brasileiro

Quapá quadro do paisagismo no brasil paisagismo contemporâneo brasileiro Silvio Soares Macedo Yolanda Barozzi Quapá quadro do paisagismo no brasil paisagismo contemporâneo brasileiro departamento de projeto da fauusp 232 A produção paisagística brasileira tem, no século 20,

Leia mais

A ARQUITETURA. Professor H. Oliveira

A ARQUITETURA. Professor H. Oliveira A ARQUITETURA Professor H. Oliveira Quando os primeiros colonizadores portugueses fortificaram o litoral brasileiro e as ordens religiosas construíram os conventos e as igrejas, a arquitetura figurou como

Leia mais

Com revitalização da Zona Portuária, Centro do Rio pode voltar a ser opção de moradia

Com revitalização da Zona Portuária, Centro do Rio pode voltar a ser opção de moradia Com revitalização da Zona Portuária, Centro do Rio pode voltar a ser opção de moradia Coração da cidade perdeu 120 mil moradores em 40 anos, segundo dados do IBGE. Reabitá-lo é um desafio para o poder

Leia mais

EMMANUEL NASSAR Figura 1 Foto de Emmanuel Nassar. Acervo pessoal de Emmanuel Nassar

EMMANUEL NASSAR Figura 1 Foto de Emmanuel Nassar. Acervo pessoal de Emmanuel Nassar EMMANUEL NASSAR Figura 1 Foto de Emmanuel Nassar. Acervo pessoal de Emmanuel Nassar Acho que criatividade não é uma qualidade exclusiva dos artistas. Viver é um exercício de criatividade. Por Marialba

Leia mais

Questões Estruturais do Currículo

Questões Estruturais do Currículo Questões Estruturais do Currículo Embora as questões abaixo sejam divididas em três níveis gerais de ensino, muitas delas podem ser usadas em praticamente qualquer série. Questões Estruturais do Currículo

Leia mais

6ª EXPOSIÇÃO EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA E PINTURA VANESSA CRYSTIE 25 DE JUNHO A 23 JULHO DE 2014

6ª EXPOSIÇÃO EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA E PINTURA VANESSA CRYSTIE 25 DE JUNHO A 23 JULHO DE 2014 Tenho memórias de infância muito bonitas da minha Avó, uma jardineira apaixonada a ouvir bem alto a sua coleção de Gardening Classics - Música Clássica para Jardinar, enquanto tratava do seu jardim. Ela

Leia mais

Viagem ao litoral. www.interaulaclube.com.br

Viagem ao litoral. www.interaulaclube.com.br A UU L AL A Viagem ao litoral Arlindo e alguns amigos tinham programado para o feriado uma visita à praia. Arlindo não via o mar desde criança, e estava ansioso para viajar. - Finalmente, chegou o carnaval!

Leia mais

SISTEMAS DE IRRIGAÇÃO PARA JARDINS E GRAMADOS. José Giacoia Neto

SISTEMAS DE IRRIGAÇÃO PARA JARDINS E GRAMADOS. José Giacoia Neto SISTEMAS DE IRRIGAÇÃO PARA JARDINS E GRAMADOS José Giacoia Neto Eng. Agrícola. M.Sc. em Irrigação e Drenagem Universidade Federal de Viçosa - MBA Executivo Internacional em Gestão Comercial Fundação Getúlio

Leia mais

COLÉGIO NOSSA SENHORA DE SION LIÇÕES DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS - 3 ano Semana de 23 a 27 de março de 2015.

COLÉGIO NOSSA SENHORA DE SION LIÇÕES DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS - 3 ano Semana de 23 a 27 de março de 2015. COLÉGIO NOSSA SENHORA DE SION LIÇÕES DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS - 3 ano Semana de 23 a 27 de março de 2015. Leia o texto a seguir para realizar as lições de Matemática da semana. Os alunos do 3º ano foram

Leia mais

CW&ACOMUNICAÇÃO. Veículo: O Dia_Caderno D Data: 30/07/2007

CW&ACOMUNICAÇÃO. Veículo: O Dia_Caderno D Data: 30/07/2007 Veículo: O Dia_Caderno D Data: 30/07/2007 Veículo: O Globo_Segundo Caderno Data: 21/07/2007 Veículo: O Globo_Zona Sul Data: 30/08/2007 Veículo: Jornal do Commercio Marcia Peltier Data: 23/07/2007 Veículo:

Leia mais

Conceitos básicos: Cuidar, Inovar e Avançar

Conceitos básicos: Cuidar, Inovar e Avançar PROGRAMA DE GOVERNO PAULO ALEXANDRE BARBOSA Conceitos básicos: Cuidar, Inovar e Avançar O programa de governo do candidato Paulo Alexandre Barbosa está baeado em três palavras-conceito: cuidar, inovar

Leia mais

NEJAD EXAME SUPLETIVO 2016 ENSINO FUNDAMENTAL DISCIPLINA DE ARTE

NEJAD EXAME SUPLETIVO 2016 ENSINO FUNDAMENTAL DISCIPLINA DE ARTE NEJAD EXAME SUPLETIVO 2016 ENSINO FUNDAMENTAL DISCIPLINA DE ARTE ARTE RUPESTRE Arte rupestre é o nome da mais antiga representação artística da história do homem. Os mais antigos indícios dessa arte são

Leia mais

COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO

COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO Aluno (a): Série: Nº. Data: / /2012 Professor (a): Rosilene Ardengui 8º Ano Conceito de Arte A arte

Leia mais

ATIVIDADE 03 UM MEIO AMBIENTE NATURAL?

ATIVIDADE 03 UM MEIO AMBIENTE NATURAL? ATIVIDADE 03 UM MEIO AMBIENTE NATURAL? A Regional Pampulha conta com grandes áreas verdes, parques ecológicos, zoológico e uma lagoa que atrai visitantes de todo o Brasil. Suas águas, suas matas e seus

Leia mais

Patrimônio da Humanidade BRASIL

Patrimônio da Humanidade BRASIL Patrimônio da Humanidade BRASIL Patrimônio da Humanidade BRASIL Um local denominado patrimônio mundial é reconhecido pela UNESCO (Organização das Nações Unidas ara a Educação, a Ciência e a Cultura) como

Leia mais

LUGARES E PAISAGENS DO PLANETA TERRA

LUGARES E PAISAGENS DO PLANETA TERRA LUGARES E PAISAGENS DO PLANETA TERRA AS ÁGUAS DE SUPERFÍCIE Os rios são cursos naturais de água doce. Eles podem se originar a partir do derretimento de neve e de geleiras, de um lago ou das águas das

Leia mais

GEOGRAFIA MÓDULO I do PISM (triênio 2004-2006)

GEOGRAFIA MÓDULO I do PISM (triênio 2004-2006) QUESTÕES OBJETIVAS 01. Leia o texto. GEOGRAFIA MÓDULO I do PISM (triênio 2004-2006) O Parque Estadual do Ibitipoca é uma área de preservação ambiental aberta à visitação, sob a guarda e administração do

Leia mais

Questões ambientais do Brasil

Questões ambientais do Brasil Questões ambientais do Brasil Ao longo da história do Brasil, o desmatamento esteve presente em todos os ciclos econômicos responsáveis pela construção do país, o que reduziu bastante a biodiversidade

Leia mais

O BOTICÁRIO - FRANQUIA DE SÃO GONÇALO - RJ

O BOTICÁRIO - FRANQUIA DE SÃO GONÇALO - RJ O BOTICÁRIO - FRANQUIA DE SÃO GONÇALO - RJ RESPEITO AO MEIO AMBIENTE: Programa de Incentivo ao Plantio de Mudas e Manutenção de Vias Públicas e Escolas Municipais Para a franquia O Boticário de São Gonçalo

Leia mais

PAISAGISMO PARQUES E JARDINS. Prof. Eliseu Figueiredo Neto

PAISAGISMO PARQUES E JARDINS. Prof. Eliseu Figueiredo Neto PAISAGISMO PARQUES E JARDINS Prof. Eliseu Figueiredo Neto 1 CONCEITOS PAISAGEM Refere-se ao espaço de terreno abrangido em um lance de vista, ou extensão territorial a partir de um ponto determinado. 2

Leia mais

O Barroco no Brasil. Capitulo 11

O Barroco no Brasil. Capitulo 11 O Barroco no Brasil Capitulo 11 O Barroco no Brasil se desenvolveu do século XVIII ao início do século XIX, época em que na Europa esse estilo já havia sido abandonado. Um só Brasil, vários Barrocos O

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO SISTEMA DRENANTE DOS JARDINS DO ANEXO II DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL BRASÍLIA DF

UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO SISTEMA DRENANTE DOS JARDINS DO ANEXO II DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL BRASÍLIA DF UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO SISTEMA DRENANTE DOS JARDINS DO ANEXO II DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL BRASÍLIA DF Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração: Eng. Haroldo Paranhos JULHO

Leia mais

Biblioteca Escolar. Quem é quem? Nome: N.º: Ano/Turma: N.º Grupo:

Biblioteca Escolar. Quem é quem? Nome: N.º: Ano/Turma: N.º Grupo: Quem é quem? Um investigador deve ter um conhecimento sólido não apenas das obras, mas também dos artistas. Lê as frases e identifica o pintor a quem se referem. 1. Foi ordenado cavaleiro da Ordem de Santiago.

Leia mais

ATIVIDADE 03 POR água ABAIXO!

ATIVIDADE 03 POR água ABAIXO! ATIVIDADE 03 POR água ABAIXO! A água, elemento fundamental para a sobrevivência humana, foi motivo de muitos problemas para os moradores da Regional Norte. Além das dificuldades que eles tiveram de enfrentar

Leia mais

DAS ARTES. 1º semestre / 2012. Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão. masiscao@hotmail.com

DAS ARTES. 1º semestre / 2012. Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão. masiscao@hotmail.com ESTÉTICA TICA E HISTÓRIA DAS ARTES 1º semestre / 2012 Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão masiscao@hotmail.com 1 Pré História PRÉ-HIST HISTÓRIA 2 Pré História PALEOLÍTICO (35mil anos atrás) Datam

Leia mais

Escola Estadual de Ensino Fundamental República EEEFR. Rio de Janeiro, Novembro de 2015 Número 13 - Ano 7 PAISAGISMO NA ESCOLA

Escola Estadual de Ensino Fundamental República EEEFR. Rio de Janeiro, Novembro de 2015 Número 13 - Ano 7 PAISAGISMO NA ESCOLA Rio de Janeiro, Novembro de 2015 Número 13 - Ano 7 Escola Estadual de Ensino Fundamental República EEEFR Página 1 Editorial Nesta edição Página 1 Paisagismo na escola Página 2 Feira Cultural Página 3 Exposoção

Leia mais

Carta Influência do Clima no Cotidiano Juvenil. Prezados representantes brasileiros da Conferencia Juvenil de Copenhague,

Carta Influência do Clima no Cotidiano Juvenil. Prezados representantes brasileiros da Conferencia Juvenil de Copenhague, Rio de Janeiro 03 de dezembro de 2009 Carta Influência do Clima no Cotidiano Juvenil Prezados representantes brasileiros da Conferencia Juvenil de Copenhague, Tendo em vista a confecção coletiva de uma

Leia mais

GRUPO III 1º BIMESTRE PROVA A

GRUPO III 1º BIMESTRE PROVA A Sistema de Ensino Unidade Portugal Série: 6 o ano (5 a série) Período: MANHÃ Data: 22/4/2009 PROVA GRUPO GRUPO III 1º BIMESTRE PROVA A Nome: Turma: Valor da prova: 4,0 Nota: Cuidando do lixo Segundo dados

Leia mais

NA CASA FIAT DE CULTURA

NA CASA FIAT DE CULTURA YARA TUPYNAMBÁ NA CASA FIAT DE CULTURA Artista mineira comemora 60 anos de carreira com inédita exposição de pinturas da natureza, dentro da programação dos 10 anos da Casa Fiat Uma das artistas plásticas

Leia mais

PARQUE DA CIDADE DO PONTO DE VISTA DA VEGETAÇÃO BRASÍLIA DF - BRASIL

PARQUE DA CIDADE DO PONTO DE VISTA DA VEGETAÇÃO BRASÍLIA DF - BRASIL PARQUE DA CIDADE DO PONTO DE VISTA DA VEGETAÇÃO BRASÍLIA DF - BRASIL Autores: Leila Bueno de Oliveira¹; Eliete de Pinho Araujo¹ Afiliações: 1 - UniCEUB - Centro Universitário de Brasília 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO. Aluno (a): Série:

COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO. Aluno (a): Série: COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO Aluno (a): Série: Nº. Data: / /2012 Professor(a): Rosilene Ardengui 7º Ano CALIGRAFIA TÉCNICA OU

Leia mais

Nome: Laís Knott Oliveira Silva; Clóvis Begnozzi Neto e Eduardo Rossi Claudino.

Nome: Laís Knott Oliveira Silva; Clóvis Begnozzi Neto e Eduardo Rossi Claudino. Nome: Laís Knott Oliveira Silva; Clóvis Begnozzi Neto e Eduardo Rossi Claudino. Professor: Wiviane Knott Sá Oliveira Silva Forma de Apresentação: Painel Instituição: Colégio Londrinense A poética no olhar

Leia mais

PAISAGEM CULTURAL: permanência e transformação

PAISAGEM CULTURAL: permanência e transformação PAISAGEM CULTURAL: permanência e transformação CARDOSO, FLORA O.S. Universidade Federal de Pernambuco. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano Rua da Harmonia, 862 Recife/PE CEP: 52051500 flordeoliveira@gmail.com

Leia mais

Vila Verde recebe brasileiros de Bom Despacho

Vila Verde recebe brasileiros de Bom Despacho Vila Verde recebe brasileiros de Bom Despacho *JACINTO GUERRA, de Brasília para o Portal de Aboim da Nóbrega Em 1967, quando o Dr.Laércio Rodrigues lançou seu livro História de Bom Despacho origens e formação,

Leia mais

Tenho Sede - Gilberto Gil

Tenho Sede - Gilberto Gil Tenho Sede - Gilberto Gil Traga-me um copo d'água, tenho sede E essa sede pode me matar Minha garganta pede um pouco d'água E os meus olhos pedem teu olhar A planta pede chuva quando quer brotar O céu

Leia mais

RIO DE JANEIRO: conhecendo um pouco da sua história pelas experiências e visualizações de campo

RIO DE JANEIRO: conhecendo um pouco da sua história pelas experiências e visualizações de campo RIO DE JANEIRO: conhecendo um pouco da sua história pelas experiências e visualizações de campo Fernanda Endo Faleiros Graduanda em Geografia UFU/ IG fefalleiros@hotmail.com Sérgio Luís Dias Machado Graduando

Leia mais

Livro explica a obra de Oscar Niemeyer

Livro explica a obra de Oscar Niemeyer LANÇAMENTO Unic Josafá Vilarouca Renata Tomasetti (11) 5051-6639 josafa@unicbuilding.com.br renata@unicbuilding.com.br Livro explica a obra de Oscar Niemeyer Maior gênio da arquitetura brasileira tem sua

Leia mais

Para pensar... Existe diferença entre criar, inventar e descobrir? O que tem isso a ver com a ação do ser humano? A Evolução da Técnica

Para pensar... Existe diferença entre criar, inventar e descobrir? O que tem isso a ver com a ação do ser humano? A Evolução da Técnica Para pensar... Existe diferença entre criar, inventar e descobrir? O que tem isso a ver com a ação do ser humano? Na Grécia Antiga: A Evolução da Técnica Techné quase sinônimo de arte (enquanto habilidade

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, de 2015.

PROJETO DE LEI Nº, de 2015. PROJETO DE LEI Nº, de 2015. (Do Sr. Goulart) Estabelece condições e requisitos para a classificação de Estâncias Turísticas e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: estâncias. Art. 1º Esta

Leia mais

Monumentos de Manaus (AM) ganham versão mini com laser, acrílico e MDF

Monumentos de Manaus (AM) ganham versão mini com laser, acrílico e MDF Monumentos de Manaus (AM) ganham versão mini com laser, acrílico e MDF Arquiteta e designer criam mini esculturas de prédios históricos da capital. Arena da Amazônia e Ponte Rio Negro estão entre miniaturas

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA VOLUNTÁRIO PARA HORTICULTURA ORNAMENTAL SUSTENTÁVEL

CÓDIGO DE CONDUTA VOLUNTÁRIO PARA HORTICULTURA ORNAMENTAL SUSTENTÁVEL CÓDIGO DE CONDUTA VOLUNTÁRIO PARA HORTICULTURA ORNAMENTAL SUSTENTÁVEL SUMÁRIO 1. COMPONENTES... 1 2. PRINCÍPIOS... 1 3. ESBOÇOS DE CÓDIGOS DE CONDUTA VOLUNTÁRIOS... 2 3.1 Para Órgãos e Setores do Governo...

Leia mais

Seminários Green Nation Fest. Arquitetura e Urbanismo Sustentável ARQ. SIEGBERT ZANETTINI. Prof. Titular FAU USP

Seminários Green Nation Fest. Arquitetura e Urbanismo Sustentável ARQ. SIEGBERT ZANETTINI. Prof. Titular FAU USP Seminários Green Nation Fest Arquitetura e Urbanismo Sustentável ARQ. SIEGBERT ZANETTINI Prof. Titular FAU USP Rio de Janeiro 06/06/2012 1 SUPERAÇÃO DA INSUSTENTABILIDADE Começo a palestra retomando Roger

Leia mais

Arquitetura e Urbanismo nas Cidades Brasileiras Contemporâneas. Embu das Artes

Arquitetura e Urbanismo nas Cidades Brasileiras Contemporâneas. Embu das Artes Arquitetura e Urbanismo nas Cidades Brasileiras Contemporâneas Embu das Artes A produção literária referente à arquitetura e urbanismo sempre foi caracterizada pela publicação de poucos títulos, baixa

Leia mais

Sistema de Recuperação

Sistema de Recuperação Colégio Visconde de Porto Seguro Unidade I - 2º ano 2011 Sistema de Recuperação ATIVIDADES EXTRAS DE RECUPERAÇÃO PARALELA E CONTÍNUA FAÇA UMA CAPA PERSONALIZADA PARA SUA APOSTILA DE ESTUDOS Nome: Classe:

Leia mais

NÚMERO DE OURO. Vanessa Alves dos Santos Universidade do Estado da Bahia nessafnv@hotmail.com

NÚMERO DE OURO. Vanessa Alves dos Santos Universidade do Estado da Bahia nessafnv@hotmail.com NÚMERO DE OURO Vanessa Alves dos Santos Universidade do Estado da Bahia nessafnv@hotmail.com Naiara Alves Andrade Universidade do Estado da Bahia luuk_pop@hotmail.com Tiago Santos de Oliveira Universidade

Leia mais

Investimento Inicial

Investimento Inicial Investimento Inicial Seja um Franqueado de Sucesso! CONCEITO No Brasil, quando o assunto é cuidados e manutenção de jardins e piscinas, logo a questão recai na necessidade de chamar desconhecidos e amadores

Leia mais

O trabalho escravo no Brasil Algumas imagens

O trabalho escravo no Brasil Algumas imagens O trabalho escravo no Brasil Algumas imagens Jean Baptiste Debret nasceu em Paris, na França, em 18 de abril de 1768. Formado pela Academia de Belas Artes de Paris, Debret foi um dos membros da Missão

Leia mais

PLANTIO DE FLORES Profas Joilza Batista Souza, Isilda Sancho da Costa Ladeira e Andréia Blotta Pejon Sanches

PLANTIO DE FLORES Profas Joilza Batista Souza, Isilda Sancho da Costa Ladeira e Andréia Blotta Pejon Sanches PLANTIO DE FLORES Profas Joilza Batista Souza, Isilda Sancho da Costa Ladeira e Andréia Blotta Pejon Sanches Resumo O presente projeto foi desenvolvido pelas professoras, com crianças de dois a três anos

Leia mais

ANEXO MODELO DE DIAGNÓSTICO

ANEXO MODELO DE DIAGNÓSTICO ANEXO MODELO DE DIAGNÓSTICO OBJETIVO DO DIAGNÓSTICO: Este modelo de diagnóstico contém alguns itens que poderão ser complementados com outras informações e tem o objetivo de possibilitar ao município a

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDO I ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 3.º ANO/EF 2015

ROTEIRO DE ESTUDO I ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 3.º ANO/EF 2015 SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA MANTENEDORA DA PUC Minas E DO COLÉGIO SANTA MARIA ROTEIRO DE ESTUDO I ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 3.º ANO/EF 2015 Caro(a) aluno(a), É tempo de conferir os conteúdos estudados na

Leia mais

Plano de Trabalho com Projetos

Plano de Trabalho com Projetos PREFEITURA DE JARAGUÁ DO SUL SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO FUNDAMENTAL 1. Identificação: Plano de Trabalho com Projetos Escola Municipal de Ensino Fundamental Renato Pradi Professora:

Leia mais

JAPÃO. Brasil desenhado. A grande viagem da Equipe do Brasil Desenhado começou. A recepção em Kumano, com sua fábrica secular de pincéis

JAPÃO. Brasil desenhado. A grande viagem da Equipe do Brasil Desenhado começou. A recepção em Kumano, com sua fábrica secular de pincéis www.brasildesenhado.com.br Brasil desenhado EDIÇÃO 1 - ANO 1-2014 - Revista do Brasil Desenhado A produção de papel branqueado na neve, que é feita em Gokayama: sua fabricação e os diferentes produtos

Leia mais

Unidade Portugal. Nome: 3 o ano (2ª série) Manhã. AVALIAÇÃO SUBSTITUTIVA DE CONTEÚDO DO GRUPO X 4 o BIMESTRE. Jardim Botânico de SP: santuário natural

Unidade Portugal. Nome: 3 o ano (2ª série) Manhã. AVALIAÇÃO SUBSTITUTIVA DE CONTEÚDO DO GRUPO X 4 o BIMESTRE. Jardim Botânico de SP: santuário natural Unidade Portugal Ribeirão Preto, de de 2011. Nome: 3 o ano (2ª série) Manhã AVALIAÇÃO SUBSTITUTIVA DE CONTEÚDO DO GRUPO X 4 o BIMESTRE Eixo temático - Natureza amiga Disciplina/Valor Português 3,0 Matemática

Leia mais

Proprietários de uma fazenda

Proprietários de uma fazenda enviaram uma amostra para o concurso. Além do prêmio de 50 mil dólares, que Mônica usou para comprar um carro novo, a cafeicultora ajudou a divulgar a cidade de Araponga, MG, e contribuiu para a consolidação

Leia mais

Palácio de Versailles. Amanda Mantovani Douglas Gallo Gilberto Nino Julia Coleti

Palácio de Versailles. Amanda Mantovani Douglas Gallo Gilberto Nino Julia Coleti Palácio de Versailles Amanda Mantovani Douglas Gallo Gilberto Nino Julia Coleti O Palácio de Versalhes (em francês Château de Versailles) é um château real localizado na cidade de Versalhes, uma aldeia

Leia mais

CONCRETO I HISTÓRICO DO CONCRETO 01/10/2011

CONCRETO I HISTÓRICO DO CONCRETO 01/10/2011 CONCRETO I HISTÓRICO DO CONCRETO As construções tiveram origem para proporcionar abrigo para o homem; 2,5 milhões de anos: abrigos naturais Materiais utilizados: Galhos, Cipó, Pele e osso de animais, Galhos

Leia mais

PLANOS CINEMATOGRÁFICOS BÁSICOS Introdução aos estudo do cinema e sua linguaguem v1.0

PLANOS CINEMATOGRÁFICOS BÁSICOS Introdução aos estudo do cinema e sua linguaguem v1.0 PLANOS CINEMATOGRÁFICOS BÁSICOS Introdução aos estudo do cinema e sua linguaguem v1.0 Os planos cinematográficos são formas de descrever a posição da câmera em relação ao foco da cena, não apenas de personagens

Leia mais

䇾Tudo o que acontece no mundo, seja no meu país, na minha cidade ou no meu bairro,

䇾Tudo o que acontece no mundo, seja no meu país, na minha cidade ou no meu bairro, 䇾Tudo o que acontece no mundo, seja no meu país, na minha cidade ou no meu bairro, acontece comigo. Então eu preciso participar das decisões que interferem na minha vida.䇿 (Herbert de Souza Betinho) CONSELHOMUNICIPALDOSDIREITOS

Leia mais

A D N E G A 2007 as 4 SÉRIES

A D N E G A 2007 as 4 SÉRIES A G E N D A 2007 as 4 SÉRIES ÍNDICE Proposta da ONU... 04 Compromisso do Brasil... 05 Cada cidade responsável por sua agenda 21... 07 Dia internacional da Água... 09 Dia do Meio Ambiente... 12 Dia da Árvore...

Leia mais

6ª EDIÇÃO DO FESTIVAL CULTIVAR PROMOVE RECONEXÃO DAS PESSOAS COM A NATUREZA

6ª EDIÇÃO DO FESTIVAL CULTIVAR PROMOVE RECONEXÃO DAS PESSOAS COM A NATUREZA 6ª EDIÇÃO DO FESTIVAL CULTIVAR PROMOVE RECONEXÃO DAS PESSOAS COM A NATUREZA Expedições, exposição, observação de aves, oficinas, picnic de troca de sementes, cinema e palestras com especialistas em meio

Leia mais

Projeto. Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA?

Projeto. Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA? Projeto Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA? 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Apresentação O livro tem como tema o meio ambiente em que mostra o homem e a destruição da natureza,

Leia mais

ESCOLA SEMIPROFISSIONALIZANTE GRALHA AZUL DE SÃO JOÃO- PARANÁ O MEU JEITO DE MUDAR O MUNDO

ESCOLA SEMIPROFISSIONALIZANTE GRALHA AZUL DE SÃO JOÃO- PARANÁ O MEU JEITO DE MUDAR O MUNDO ESCOLA SEMIPROFISSIONALIZANTE GRALHA AZUL DE SÃO JOÃO- Vemos que o mundo está sofrendo e as pessoas e nós poluímos o Planeta Terra e nós temos que ajudar e não poluir os rios os lagos as ruas e as encostas

Leia mais

Daniel Chaves Santos Matrícula: 072.997.003. Rio de Janeiro, 28 de maio de 2008.

Daniel Chaves Santos Matrícula: 072.997.003. Rio de Janeiro, 28 de maio de 2008. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Departamento de Artes & Design Curso de especialização O Lugar do Design na Leitura Disciplina: Estratégia RPG Daniel Chaves Santos Matrícula: 072.997.003

Leia mais

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe?

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Trecho do romance Caleidoscópio Capítulo cinco. 05 de novembro de 2012. - Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Caçulinha olha para mim e precisa fazer muita força para isso,

Leia mais

ANO XXIII 27/07/2015. Superintendência de Comunicação Integrada CLIPPING. Nesta edição: Clipping Geral Infância e Juventude Meio Ambiente Procon-MG

ANO XXIII 27/07/2015. Superintendência de Comunicação Integrada CLIPPING. Nesta edição: Clipping Geral Infância e Juventude Meio Ambiente Procon-MG ANO XXIII 153 27/07/2015 Superintendência de Comunicação Integrada CLIPPING Nesta edição: Clipping Geral Infância e Juventude Meio Ambiente Procon-MG o tempo - mg - p. 03 e 04-27.07.2015 2 cont... o tempo

Leia mais

Desvende os bairros da cidade de São Paulo que não estão nos tradicionais guias de turismo e que só os nossos guias especialistas conhecem.

Desvende os bairros da cidade de São Paulo que não estão nos tradicionais guias de turismo e que só os nossos guias especialistas conhecem. TOUR DE ARTE URBANA EM SÃO PAULO 1 Passageiro(s) R$490,00 2 Passageiro(s) R$560,00 3 Passageiro(s) R$630,00 4 Passageiro(s) R$700,00 5 12 Passageiro(s) R$1.300,00 A arte urbana e o grafite são fenômenos

Leia mais

O desenvolvimento das cidades e o surgimento do urbanismo

O desenvolvimento das cidades e o surgimento do urbanismo Curso: Tecnologia em Gestão Desportiva e do Lazer Disciplina: Lazer e Urbanismo Professora: Andréa Costa O desenvolvimento das cidades e o surgimento do urbanismo Aula anterior: Surgimento das cidades;

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NO DISTRITO FEDERAL WWF Brasil Maio/ 2003 OBJETIVOS: Levantar informações para subsidiar o planejamento e a avaliação da comunicação da WWF Brasil. Gerar conhecimentos relevantes

Leia mais

Excelentíssimo Embaixador Fernando Igreja, Chefe do Cerimonial do Ministério das Relações Exteriores;

Excelentíssimo Embaixador Fernando Igreja, Chefe do Cerimonial do Ministério das Relações Exteriores; Palavras do presidente da Funag, embaixador Sérgio Eduardo Moreira Lima, na ocasião da abertura do Seminário Palácio Itamaraty 50 Anos, realizado na Sala San Tiago Dantas, Palácio Itamaraty, Brasília,

Leia mais

AS COMUNIDADES DO PLANO EXTRAFÍSICO

AS COMUNIDADES DO PLANO EXTRAFÍSICO MEDIUNIDADE ESTUDO E PRÁTICA AS COMUNIDADES DO PLANO EXTRAFÍSICO PROGRAMA I MÓDULO IV TEMA 3 AS COMUNIDADES DO PLANO EXTRAFÍSICO FACILITADOR: MODESTO A. CHAVES COLÔNIAS ESPIRITUAIS

Leia mais

Após muitos anos como Operadora de Turismo, o Clube Viajar começou a sua atividade como operador de Incoming sob o nome de PORTUGAL HOLIDAYS.

Após muitos anos como Operadora de Turismo, o Clube Viajar começou a sua atividade como operador de Incoming sob o nome de PORTUGAL HOLIDAYS. Após muitos anos como Operadora de Turismo, o Clube Viajar começou a sua atividade como operador de Incoming sob o nome de PORTUGAL HOLIDAYS. Assim, foram selecionados profissionais experientes nessa área

Leia mais

I Introdução II Os temas a Abordar

I Introdução II Os temas a Abordar I Introdução II Os temas a Abordar As Amortizações A Valorimetria das Existências O Relatório Técnico III O Futuro IV Nota Final I Introdução 50 anos da publicação do CCI (Decreto 45.103) 1 de Julho de

Leia mais

ENTREVISTA Questões para Adauto José Gonçalves de Araújo, FIOCRUZ, em 12/11/2009

ENTREVISTA Questões para Adauto José Gonçalves de Araújo, FIOCRUZ, em 12/11/2009 FGV CPDOC 29/10/2010 Disciplina: Pesquisas Qualitativas - Prof. Mariana Cavalcanti Aluna: Adriana Maria Ferreira Martins Matrícula 091401001 ENTREVISTA Questões para Adauto José Gonçalves de Araújo, FIOCRUZ,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE SE TRABALHAR OS VALORES NA EDUCAÇÃO

A IMPORTÂNCIA DE SE TRABALHAR OS VALORES NA EDUCAÇÃO A IMPORTÂNCIA DE SE TRABALHAR OS VALORES NA EDUCAÇÃO Eliane Alves Leite Email: li.phn.louvoregloria@hotmail.com Fernanda Cristina Sanches Email: fer_cristina2007@hotmail.com Helena Aparecida Gica Arantes

Leia mais

Ponto de Apoio - Revista Planeta Azul

Ponto de Apoio - Revista Planeta Azul Ponto de Apoio - Revista Planeta Azul Sugestões de atividades e reflexões a serem *desenvolvidas na Educação Infantil e no Ensino Fundamental, para as histórias publicadas na revista Planeta Azul -. Confira

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO - 5º Ano EF- JULHO/ 2015 5º ANO: DATA DE ENTREGA: Queridos alunos e alunas

ESTUDO DIRIGIDO - 5º Ano EF- JULHO/ 2015 5º ANO: DATA DE ENTREGA: Queridos alunos e alunas 1 NOME: Nº: 5º ANO: DATA DE ENTREGA: Queridos alunos e alunas As férias chegaram e com elas a vontade de passear, viajar, brincar com os amigos e curtir o merecido descanso, mas não podemos esquecer que

Leia mais

Ministério da Cultura apresenta Banco do Brasil apresenta e patrocina ZULEIKA DE SOUZA

Ministério da Cultura apresenta Banco do Brasil apresenta e patrocina ZULEIKA DE SOUZA Ministério da Cultura apresenta Banco do Brasil apresenta e patrocina ZULEIKA DE SOUZA Brasília nasceu em 1960. Uma cidade planejada como um tesouro, um X no mapa do Estado de Goiás. Nas palavras de seu

Leia mais

A Geometria, a Arquitetura e as Artes

A Geometria, a Arquitetura e as Artes A Geometria, a Arquitetura e as Artes A Geometria, a Arquitetura e as Artes foi um trabalho de grupos, desenvolvido, em novembro de 2001, por alunos da 2ª série do Ensino Médio do Colégio de Aplicação

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca CERIMÔNIA NO MUSEU DO PAÇO IMPERIAL

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSA ACADÊMICA DE EXTENSÃO PBAEX / EDIÇÃO 2016 CAMPUS AMAJARI ANEXO III

PROGRAMA DE BOLSA ACADÊMICA DE EXTENSÃO PBAEX / EDIÇÃO 2016 CAMPUS AMAJARI ANEXO III PROGRAMA DE BOLSA ACADÊMICA DE EXTENSÃO PBAEX / EDIÇÃO 2016 CAMPUS AMAJARI ANEXO III FORMULÁRIO DA VERSÃO ELETRÔNICA DO PROJETO / ATIVIDADE DE EXTENSÃO PBAEX 2016 01. Título do Projeto Implantação e desenvolvimento

Leia mais

Prefeitura Municipal de São Paulo Secretaria de Educação Diretoria Regional de Educação CEI CEU Jaçanã. Genilde Chagas Coordenadora pedagógica

Prefeitura Municipal de São Paulo Secretaria de Educação Diretoria Regional de Educação CEI CEU Jaçanã. Genilde Chagas Coordenadora pedagógica Prefeitura Municipal de São Paulo Secretaria de Educação Diretoria Regional de Educação CEI CEU Jaçanã Genilde Chagas Coordenadora pedagógica IDENTIFICAÇÃO: 1. AGRUPAMENTOS: para todas as crianças de todos

Leia mais

PRÉ-HISTÓRIA: EDUCAÇÃO PARA SOBREVIVÊNCIA

PRÉ-HISTÓRIA: EDUCAÇÃO PARA SOBREVIVÊNCIA PRÉ-HISTÓRIA: EDUCAÇÃO PARA SOBREVIVÊNCIA Augusto Pereira da Rosa¹ Ester Miriane Zingano² RESUMO A educação durante a Pré-História tem como objetivo a sobrevivência do grupo. Embora sem ter consciência

Leia mais

plantão de vendas: (17) 2136-7535 Av. José da silva sé, 1000. São josé do rio preto sp facebook.com/damhaurbanizadora @GrupoDamha www.damha.com.

plantão de vendas: (17) 2136-7535 Av. José da silva sé, 1000. São josé do rio preto sp facebook.com/damhaurbanizadora @GrupoDamha www.damha.com. facebook.com/damhaurbanizadora @GrupoDamha plantão de vendas: (17) 2136-7535 Av. José da silva sé, 1000. São josé do rio preto sp www.damha.com.br V I L L A G E D A M H A I I I Tem gente que vive preocupado,

Leia mais

A Criação de Espaços Particulares. Condomínios horizontais: das vilas aos condomínios suburbanos

A Criação de Espaços Particulares. Condomínios horizontais: das vilas aos condomínios suburbanos A Criação de Espaços Particulares dos jardins aos espaços condominiais Condomínios horizontais: das vilas aos condomínios suburbanos Sílvio Soares MACEDO PAISAGISMO BRASILEIRO (São Paulo, 2012) EDUSP e

Leia mais

Ecologia para Aldeias de Pesquisa para a Paz

Ecologia para Aldeias de Pesquisa para a Paz Ecologia para Aldeias de Pesquisa para a Paz O Centro de Pesquisa para a Paz Tamera está a desenvolver um modelo de grande escala para renaturalização da paisagem e produção de alimentos em cooperação

Leia mais

Uma história de confiança.

Uma história de confiança. Uma história de confiança. Tudo começou em março de 1969. Já na década de 70, impulsionada pelo chamado milagre econômico brasileiro, decorrente de maciços investimentos governamentais em infraestrutura

Leia mais

A TORRE DE BABEL Lição 06

A TORRE DE BABEL Lição 06 A TORRE DE BABEL Lição 06 1 1. Objetivos: Mostrar a tolice do orgulho e dos planos meramente humanos Quando começamos a nos orgulhar e tentamos ser importantíssimos aos próprios olhos, Deus não nos abençoa

Leia mais

Clarissa é uma mulher apaixonada pela beleza e sua Sala de Estar. não poderia deixar de ser um local onde fotos e quadros de arte

Clarissa é uma mulher apaixonada pela beleza e sua Sala de Estar. não poderia deixar de ser um local onde fotos e quadros de arte Clarissa é uma mulher apaixonada pela beleza e sua Sala de Estar não poderia deixar de ser um local onde fotos e quadros de arte estivessem presentes. A Sala de Estar de Clarissa, vamos entrar? sala de

Leia mais