PARCEIROS PARA A EXCELÊNCIA - PAEX

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PARCEIROS PARA A EXCELÊNCIA - PAEX"

Transcrição

1 É difícil imaginar o jornal Estado de Minas fora do PAEX da FDC. Essa parceria encontra-se numa fase madura, já absorvemos os principais fundamentos do planejamento estratégico e suas ramificações. Nosso desafio agora é levar essa experiência a toda a organização, praticando os indicadores de gestão à vista e a busca constante da melhoria dos processos. Um dos pontos altos do PAEX aqui é a reunião de avaliação mensal de resultados, as AGMs, que estão sendo bastante produtivas, levando aos nossos executivos o desafio constante de pensar diferente para buscar os desafios mercadológicos. Aliás, o principal projeto da empresa atual, que é a expansão da base de assinantes do jornal, nasceu e está sendo acompanhado dentro das AGMs. PARCEIROS PARA A EXCELÊNCIA - PAEX 2013 Geraldo Teixeira da Costa Neto Diretor-Executivo Jornal Estado de Minas Campus Aloysio Faria Av. Princesa Diana, 760 Alphaville Lagoa dos Ingleses Nova Lima MG Brasil Unidade BH Rua Bernardo Guimarães, Santo Agostinho Belo Horizonte MG Brasil Saiba mais: (capitais) (demais localidades) Unidade SP Av. Dr. Cardoso de Melo, º andar Vila Olímpia São Paulo SP Brasil (capitais) (demais localidades) Muitas espécies estabelecem parcerias para se desenvolver mais e melhor. Isso é comum na Natureza e também nas corporações.

2 Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas de negócios do mundo, pelo ranking de educação executiva do Financial Times Conexão entre teoria e prática, formação acadêmica com experiência empresarial e a sustentabilidade como tema transversal em todos os projetos. É assim que há mais de 35 anos a Fundação Dom Cabral desenvolve executivos, gestores públicos, empresários e organizações de diversos segmentos, em vários países. A FDC oferece o que há de mais inovador por meio de soluções educacionais nacionais e internacionais, sustentadas por alianças estratégicas e acordos de cooperação com renomadas instituições na Europa, Estados Unidos, Canadá, China, Índia, Rússia e América Latina, que permitem o acesso a modernas ferramentas de gestão e a geração conjunta de conhecimento, como a troca de experiência entre participantes, professores, organizações e outras escolas de negócios. Nossa filosofia trabalhar COM o cliente e não apenas para ele respeita a identidade das organizações, a peculiaridade dos segmentos em que atuam e a dinâmica dos mercados. Graças a esses e a inúmeros outros esforços, a FDC se tornou referência internacional, contribuindo para o desenvolvimento sustentável da sociedade por meio da educação e da capacitação: recebemos anualmente em nossos Programas cerca de 30 mil executivos. Todo esse conhecimento de alto valor gerado pela FDC tem relevância estratégica para as organizações, para a sociedade e pode ser convertido em negócios sustentáveis e bem-sucedidos na sua empresa. Parceiros Para a Excelência - PAEX Compartilhando experiências e otimizando resultados PAEX é uma parceria que reúne empresas de médio porte em busca da implementação de um modelo de gestão com foco em melhoria de resultados e aumento de competitividade. Através da construção gradativa de conhecimento e do intercâmbio de experiências, os participantes discutem seus modelos de gestão, colocando em prática ferramentas gerenciais e estratégicas. Tudo isso com os professores da FDC acompanhando lado a lado. Nesse ambiente, os resultados aparecem a médio e longo prazos, através do realinhamento da estratégia de cada empresa e com avaliações gerenciais mensais para mensurar o progresso dos negócios. Para garantir um rico intercâmbio de informações, o PAEX integra mais de 500 empresas entre grupos regionais no Brasil, Argentina, Paraguai e Portugal. Cooperação que gera resultados Melhoria nos resultados econômico-financeiros. Redefinição da estratégia de gestão da empresa com base em um modelo integrado. Definição de indicadores de performance da organização. Acompanhamento periódico de metas. Redesenho dos processos típicos com maior impacto nos resultados. Realinhamento da estratégia comercial da empresa. Ampliação dos horizontes a partir do seu contato com a vanguarda da gestão empresarial. Intercâmbio entre empresas para compartilhamento das melhores práticas de gestão. Campus Aloysio Faria

3 Participantes Atividades Grupos de empresas de médio porte Reunidos em uma mesma região. Não concorrentes entre si, preferencialmente. Em processo contínuo de desenvolvimento. Com o mesmo nível de complexidade da gestão. Os grupos são constituídos por até dez empresas de uma mesma região. Esse formato facilita o intercâmbio e o acesso às atividades, evitando que os dirigentes tenham que se deslocar de sua base territorial. Desenho do projeto empresarial com a empresa: desenvolvimento conjunto da visão de futuro da empresa. Elaboração e implementação do planejamento estratégico, juntamente com a empresa, reavaliando individualmente o seu negócio. Revisão do projeto empresarial: análise e reavaliação do planejamento estratégico desenvolvido em parceria com a empresa. Contrato de resultados: anual, com perspectiva de três anos. O contrato de resultados deriva do projeto empresarial. Dinâmica de funcionamento: 450 horas por ano de atividades para as empresas As metodologias de gestão do PAEX são desenvolvidas para aplicação nas empresas parceiras com o objetivo claro de melhorar a competitividade e otimizar os seus resultados globais. A união do conhecimento acadêmico com as práticas do dia a dia do negócio A partir do projeto empresarial e gerenciamento de resultados, metodologia central do PAEX, metodologias auxiliares nos campos de finanças, marketing, processos, pessoas, projetos, operações e logística são implementadas em cada uma das empresas parceiras de cada grupo. O objetivo é garantir o alcance dos resultados desejados pelas empresas parceiras, de forma integrada e global. ATIVIDADES COLETIVAS ATIVIDADES INDIVIDUALIZADAS POR EMPRESA PROJETO EMPRESARIAL Avaliações gerenciais mensais: controle de metas, acompanhamento de resultados e planos de ação para melhoria dos indicadores que estejam em desvio. /Metodologias: momento em que especialistas da FDC e da empresa trabalham em conjunto, aplicando o conhecimento no dia a dia da empresa. A monitoria é feita de forma personalizada e as diversas metodologias disponíveis são implementadas de acordo com as necessidades de cada empresa. Programa de Desenvolvimento de Dirigentes PDD: anualmente, três executivos por empresa participam de um Programa de formação de 96 horas, composto por seis módulos com ênfase em estratégia, marketing, finanças, pessoas, processos e projetos. Programa de Desenvolvimento de Dirigentes Avançado PDDA: espaço de discussão de temas emergentes da gestão para o principal executivo ou aquele em formação que já tenha participado do PDD. CONHECIMENTO PDD PDD AVANÇADO MONITORIA INTERCÂMBIO REUNIÕES MENSAIS DE ACOMPANHAMENTO DE RESULTADOS AGM

4 Intercâmbio Troca entre os parceiros da rede de empresas, estimulada pelos encontros - Encontro Anual da Rede: presidentes e principais executivos participantes do PAEX reúnem-se para discutir os resultados obtidos no ano, abrindo oportunidade de intercâmbio com outras empresas, setores, países e culturas. O encontro é uma oportunidade para trocar ideias sobre cenários e subsidiar a elaboração do projeto empresarial. - Interação entre parceiros: e-intercâmbio publicação de perguntas e respostas dos dirigentes sobre questões do dia a dia da gestão; banco de experiências acervo de práticas de sucesso das empresas parceiras, organizado segundo os campos de atuação da parceria. - Informativos: boletins produzidos com as notícias da rede que prestigiam e divulgam assuntos de interesse das empresas parceiras. - Comitê de Presidentes: em um grupo restrito, formado pelo principal dirigente de cada organização parceira, são discutidos temas atuais e problemas comuns, promovendo o desenvolvimento e a integração de executivos. - Grupo de Dirigentes: profissionais se encontram e trocam experiências, ao mesmo tempo em que entram em contato com conteúdos atualizados de padrão internacional. Portal PAEX Integrando a Rede PAEX Formada pelos vários grupos de empresas parceiras, a Rede PAEX opera em vários Estados no Brasil e no exterior. Tem como objetivo integrar as empresas e seus executivos, estimular e facilitar a troca de experiências entre os participantes de cada grupo. Tela 1: Informações sobre a Rede PAEX O PAEX oferece aos seus parceiros um site na internet que, além de apoiar as atividades presenciais desde a divulgação dos eventos até a organização dos materiais didáticos, permite principalmente a troca de experiências por meio de ferramentas de intercâmbio e reúne a produção técnica da FDC e dos parceiros. O conteúdo do Portal PAEX está organizado em seções nas quais os dirigentes das empresas parceiras encontram: - Informações institucionais do PAEX: grupos do PAEX e de suas empresas, agenda de atividades, materiais didáticos. - Conteúdos de gestão: artigos científicos e opinativos de interesse do público, resenhas de livros, perfis de executivos e suas trajetórias profissionais. Tela 2: Painel de Bordo

5 Software de gestão de indicadores Sistema de gestão de indicadores que compara as metas de cada indicador com seus respectivos valores realizados. Como instrumento de suporte às AGMs, que são parte da metodologia de gestão estratégica implementada pelo PAEX, o painel de bordo permite ainda que se analisem, para as situações críticas, as causas de mau desempenho e ações corretivas cabíveis. Desenvolvido em plataforma 100% web, o software tem como objetivo agrupar as informações estratégicas, táticas e operacionais, possibilitando aos gestores o acesso aos dados necessários para a boa gestão da organização. Relatório de indicador exemplo Painel de bordo Nome Realizado Meta Desempenho Acumulado Desempenho por Mês J F M A M J J A S O N D BSC MetroBank 79,82% 100,00% 79,82% Sustentabilidade 90,09% 100,00% 90,09% Gerar Valor para o Acionista 90,01% 100,00% 90,01% EVA(FA) R$ 402,97 R$ 447,70 90,01% 90 Ativo Econômico R$ 1.011,15 R$ 1.280,00 79,00% 79 Spread 39,85% 34,98% 113,94% 114 ROI 52,52% 48,64% 107,97% Ativo Econômico 24,44% 39,37% 62,08% LOP Pós-Impostos/ROL 12,83% 19,15% 67,03% 67 WACC Nominal 12,66% 13,66% 92,70% 93 Desenvolver Responsabilidade Social 66,33% 100,00% 66,33% Desenvolver Responsabilidade Ambiental 115,00% 100,00% 115,00% Maximizar IGC 89,00% 100,00% 89,00% Financeira 76,63% 100,00% 76,63% Diversificar as Receitas 86,31% 100,00% 86,31% Lucro - Outros 847,60 982,00 86,31% Lucro Novos Produtos R$ 403,00 R$ 655,00 61,53% Lucro Serviços R$ 1.144,00 R$ 1.200,00 95,33% Aumentar a Eficiência Operacional 66,95% 100,00% 66,95% Custo por Depósito R$ 55,88 R$ 42,00 66,95% Custo por Depósito CS R$ 39,85 R$ 30,00 67,17% Custo por Depósito NN R$ 16,03 R$ 12,00 66,42% Mercado 68,87% 100,00% 68,87% Aumentar a Confiança dos Clientes 83,54% 100,00% 83,54% Índice de Relacionamento 50,13% 60,00% 83,54% Aumentar a Satisfação dos Clientes 54,19% 100,00% 54,19% Satisfação dos Clientes 42,00% 77,50% 54,19% 54 Processos Internos 75,06% 100,00% 75,06% Aprendizado e Crescimento 88,43% 100,00% 88,43% Gráfico BSC MetroBank Objetivo: aumentar a produtividade dos funcionários. Indicador: Receita Média Fórmula: (Receita Média NN) + (Receita Média CS) Meta Realizado Desempenho Farol R$ 70,50 R$ 53,15 75,39% 02/ / / / / / / / / / / /2008 Maior - Melhor Realizado Meta Período Meta Real Desemp 01/2008 R$ 5,50 R$ 4,00 72,73% 02/2008 R$ 5,50 R$ 5,20 94,55% 03/2008 R$ 5,50 R$ 5,40 98,18% 04/2008 R$ 6,00 R$ 4,50 75,00% 05/2008 R$ 6,00 R$ 4,25 70,83% 06/2008 R$ 6,00 R$ 4,00 66,67% 07/2008 R$ 6,00 R$ 3,90 65,00% 08/2008 R$ 6,00 R$ 3,80 63,33% 09/2008 R$ 6,00 R$ 5,60 93,33% 10/2008 R$ 6,00 R$ 5,00 83,33% 11/2008 R$ 6,00 R$ 3,50 58,33% 12/2008 R$ 6,00 R$ 4,00 66,67%

6 Exemplo de cronograma anual de atividades de um grupo DATA ATIVIDADE COMITÊ DE PRESIDENTES 4 a 8 horas GRUPO DE DIRIGENTES 4 a 8 horas GRUPO DE GESTÃO Metodologias: Projeto Empresarial Marketing Processos Finanças Pessoas Projetos Operações e Logística PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE DIRIGENTES PDD 96 HORAS JAN FEV Atualização em conteúdos de padrão internacional Estratégia Empresarial MAR Discussão de temas e problemáticas comuns ABR Atualização em conteúdos de padrão internacional Gestão de Pessoas MAI Gestão de Processos JUN Discussão de temas e problemáticas comuns JUL Atualização em conteúdos de padrão internacional Gestão de Finanças AGO SET Discussão de temas e problemáticas comuns Atualização em conteúdos de padrão internacional Gestão de Marketing OUT NOV DEZ Discussão de temas e problemáticas comuns Encontro anual da Rede PAEX (opcional) Projeto Empresarial/ Revisão Projeto Empresarial/ Revisão Projeto Empresarial/ Revisão 40 horas/ Gestão de Projetos

7 Associados regionais e parceiros no desenvolvimento do PAEX* ACE Consulting Ltda. Sul de Minas Barros Consultoria Empresarial Ltda. Ceará CEDEM V. G. Consultoria e Treinamento Ltda. Rio Grande do Sul CONFIDENCE Consultoria e Assessoria Ltda. Ribeirão Preto SP DVF Educação Empresarial Ltda. Espírito Santo EFFECTIO Gestão e Sustentabilidade Baixada Santista FFM Fundação Fritz Müller Santa Catarina GMendes Consultoria Empresarial Ltda. Alagoas e Sergipe Grupo Valure Mato Grosso H. Forte Soluções Comerciais Ltda. Pernambuco e Paraíba INAED Rodrigues Pimentel Educação Continuada Ltda. Maranhão JValério Soluções Empresariais Inovadoras Paraná Market Link Ltda. Goiás MPelágio Consultoria Empresarial Ltda. Bahia Outitude Treinamentos e Consultoria S/S Ltda. Amazonas e Pará People in Essence Consultoria Ltda. Zona da Mata MG PKT Desenvolvimento Empresarial Ltda. Campinas e Região SP Porto Business School Porto, Portugal SISEN Soluções Empresariais Ltda. Rio de Janeiro TOM Gestão de Negócios Apoio e Treinamentos Ltda. Triângulo Mineiro MG Universidad de San Andrés Buenos Aires, Argentina AC RR AM RO Paraguai Argentina AP PA MT MS PR RS TO DF GO SP SC MA MG PI BA ES RJ CE RN PB PE ALAC SE RR AM RO Paraguai Argentina Portugal AP PA TO MT DF GO MS SP PR SC RS MA MG PI BA ES RJ CE RN PB PE AL SE Portugal Atuação Rede PAEX Grupos Próprios e Associados *Informações com base em dezembro de 2012.

8 Na teoria e na vida, FDC Estamos desde 2009 no Programa da FDC e conseguimos evoluir muito em nosso modelo de gestão. O Programa PAEX da Fundação Dom Cabral alia a teoria da sala de aula (com monitorias e Programas de capacitação dos gestores) de uma instituição de altíssima qualidade com a prática do dia a dia da empresa. A capacitação da alta gerência e da diretoria fez com que a empresa evoluísse muito na maneira de gerir a operação da gráfica. Além dos encontros mensais para a avaliação de resultados (chamados de AGM), somos constantemente provocados para ter planejamento futuro, mostrando dessa forma a preocupação da FDC com a sustentabilidade da indústria de médio porte. A Mind Solutions passava por uma fusão entre as duas empresas líderes de mercado na assistência psicossocial e necessitava de uma solução que auxiliasse na aplicação das melhores práticas corporativas na integração das operações com profissionalização da gestão. Com o crescimento de nossa operação, necessitávamos aprimorar o modelo de gestão do negócio, com desenvolvimento de lideranças, expertise, metodologia, indicadores, instrumentos de avaliação e acompanhamento, buscando a excelência operacional em favor de nossos stakeholders. E é exatamente com isso que o PAEX tem contribuído para a evolução e o crescimento da nossa empresa em uma parceria de muito sucesso. Fernando Salles Ferreira Diretor de Negócios Mācron Indústria Gráfica Mario Saddy CEO Mind Solutions

PARCEIROS PARA A EXCELÊNCIA - PAEX

PARCEIROS PARA A EXCELÊNCIA - PAEX É difícil imaginar o jornal Estado de Minas fora do PAEX da FDC. Essa parceria encontra-se numa fase madura, já absorvemos os principais fundamentos do planejamento estratégico e suas ramificações. Nosso

Leia mais

PARCEIROS PARA A EXCELÊNCIA PAEX

PARCEIROS PARA A EXCELÊNCIA PAEX Nossa empresa encontrou nos profissionais da FDC a competência e o equilíbrio necessários para que pudéssemos enfrentar a difícil tarefa de montar o nosso planejamento estratégico. O empenho e a dedicação

Leia mais

Programa de Especialização em Gestão de Negócios Imobiliários - RADU. Programa que apoia o desenvolvimento de competências

Programa de Especialização em Gestão de Negócios Imobiliários - RADU. Programa que apoia o desenvolvimento de competências Programa de Especialização em Gestão de Negócios Imobiliários - ÓS- PEGNI RADU Programa que apoia o desenvolvimento de competências ÇÃO requeridas para profissionais do mercado imobiliário e da construção

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS São Paulo

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS São Paulo Av. Princesa Diana, 760 34000-000 Nova Lima MG Campus Aloysio Faria Av. Princesa Diana, 760 Alphaville Lagoa dos Ingleses 34000-000 Nova Lima MG Brasil Campus BH Rua Bernardo Guimarães, 3.071 Santo Agostinho

Leia mais

Programas 2008. Investir nas pessoas é a semente para o futuro da sua empresa. Na teoria e na vida, FDC

Programas 2008. Investir nas pessoas é a semente para o futuro da sua empresa. Na teoria e na vida, FDC Programas 2008. Investir nas pessoas é a semente para o futuro da sua empresa. Na teoria e na vida, FDC Conte com a FDC ao planejar os seus investimentos em desenvolvimento para 2008 e colha o futuro

Leia mais

PAEX Parceiros para a Excelência

PAEX Parceiros para a Excelência PAEX Parceiros para a Excelência Estabelecer parcerias por melhores resultados: uma prática comum na natureza e nas empresas que querem se desenvolver. CONHECA A FDC Alianças Internacionais: Uma Escola

Leia mais

Campus Aloysio Faria. Campus BH. Campus SP. Campus RJ. Av. Princesa Diana, 760 Alphaville Lagoa dos Ingleses 34000-000 Nova Lima MG Brasil

Campus Aloysio Faria. Campus BH. Campus SP. Campus RJ. Av. Princesa Diana, 760 Alphaville Lagoa dos Ingleses 34000-000 Nova Lima MG Brasil Campus Aloysio Faria Av. Princesa Diana, 760 Alphaville Lagoa dos Ingleses 34000-000 Nova Lima MG Brasil Campus BH Rua Bernardo Guimarães, 3.071 Santo Agostinho 30140-083 Belo Horizonte MG Brasil Campus

Leia mais

Na teoria e na vida, FDC

Na teoria e na vida, FDC C T E C E N T R O D E T E C N O L O G I A E M P R E S A R I A L C T E C o o p e r a ç ã o e n t r e e m p r e s a s d e g r a n d e p o r t e Na teoria e na vida, FDC AF - 05-006 - CTE02 R.indd 2 7/10/07

Leia mais

PARCERIA PARA O DESENVOLVIMENTO DO ACIONISTA E DA FAMÍLIA EMPRESÁRIA PDA. Presença nacional, reconhecimento mundial.

PARCERIA PARA O DESENVOLVIMENTO DO ACIONISTA E DA FAMÍLIA EMPRESÁRIA PDA. Presença nacional, reconhecimento mundial. PARCERIA PARA O DESENVOLVIMENTO DO ACIONISTA E DA FAMÍLIA EMPRESÁRIA PDA Presença nacional, reconhecimento mundial. Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas de negócios do mundo, pelo ranking

Leia mais

GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA

GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA 2013 Assim como a Natureza influencia o desenvolvimento das espécies, uma gestão financeira eficiente pode determinar a performance das organizações. Conheça a Fundação Dom

Leia mais

PARCERIA COM ORGANIZAÇÕES SOCIAIS POS

PARCERIA COM ORGANIZAÇÕES SOCIAIS POS O Terceiro Setor precisa beber nas águas da gestão profissional. Enquanto o mundo social careceu de ferramentas de gestão, o mundo privado desenvolveu forte cultura de gestão organizacional. Transferir

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS São Paulo Presença nacional, reconhecimento mundial. Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas de negócios do mundo, pelo ranking de educação executiva

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃo

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃo PROGRAMA DE CAPACITAÇÃo para resultados pcr GESTÃO GERAL Na teoria e na vida, FDC Conheça a Fundação Dom Cabral UMA DAS VINTE MELHORES ESCOLAS DE NEGÓCIOS DO MUNDO. A Fundação Dom Cabral é um centro internacional

Leia mais

Na teoria e na vida, FDC

Na teoria e na vida, FDC P R O G R A M A D E C A PA C I TA Ç Ã O PARA RESULTADOS PCR G E S T ã o g e r a l Na teoria e na vida, FDC Conheça a Fundação Dom Cabral U m a d a s v i n t e m e l h o r e s e s c o l a s d e n e g ó

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO IN COMPANY E EM CONSÓRCIO

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO IN COMPANY E EM CONSÓRCIO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO IN COMPANY E EM CONSÓRCIO 2009 Na teoria e na vida, FDC Conheça a Fundação Dom Cabral A 16 a NO RANKING DE MELHORES ESCOLAS DE NEGÓCIOS DO MUNDO.* A Fundação Dom Cabral é um centro

Leia mais

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA Ministério da Saúde Ministério da PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA Fevereiro 2013 Ministério da Ministério da CRONOGRAMA 2013 Semana Saúde na Escola Adesão de 20/02 a 10/03 Ações nas escolas entre os dias 11 e

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (julho/2015) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Siglas do Pa CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Indicador Nº 2/215 Técnicos Responsáv

Leia mais

PARCERIA PARA O CRESCIMENTO SUSTENTADO E SUSTENTÁVEL - PCSS

PARCERIA PARA O CRESCIMENTO SUSTENTADO E SUSTENTÁVEL - PCSS PARCERIA PARA O CRESCIMENTO SUSTENTADO E SUSTENTÁVEL - PCSS 2013 Crescer constantemente e de maneira sustentável. Uma rotina na Natureza, um novo modelo no mundo corporativo. Conheça a Fundação Dom Cabral

Leia mais

Inventar com a diferenca,

Inventar com a diferenca, Inventar com a diferenca, cinema e direitos humanos PATROCÍNIO APOIO REALIZAÇÃO Fundação Euclides da Cunha O que é Inventar com a diferença: cinema e direitos humanos O projeto visa oferecer formação e

Leia mais

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 PRESIDENTE: Marciano Gianerini Freire EQUIPE TÉCNICA: Coordenação: Mariana Nery Pesquisadores: Heike Duske César Melo

Leia mais

Na teoria e na vida, FDC

Na teoria e na vida, FDC GESTÃO ESTRATÉGICA DA CADEIA DE SUPRIMENTOS P r o g r a m a i n t e r n a c i o n a l Na teoria e na vida, FDC Conheça a Fundação Dom Cabral U m a d a s v i n t e m e l h o r e s e s c o l a s d e n e

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 Situação da microcefalia no Brasil Até 21 de novembro, foram notificados 739 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 160 municípios de nove

Leia mais

Na teoria e na vida, FDC

Na teoria e na vida, FDC finanças corporativas 2009 Transformando o gestor financeiro em gestor de negócios Na teoria e na vida, FDC Conheça a Fundação Dom Cabral A 16 a no ranking de melhores ESCOLAS DE NEGÓCIOS DO MUNDO.* A

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DA RORAIMA Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 224.118 2,64% 5,82% População - mil (1)

Leia mais

Ações e Experiências de Operadoras na Gestão de suas Redes Assistenciais. Flávio Bitter

Ações e Experiências de Operadoras na Gestão de suas Redes Assistenciais. Flávio Bitter Ações e Experiências de Operadoras na Gestão de suas Redes Assistenciais Flávio Bitter outubro 2015 Destaques Presença Nacional Beneficiários (Mil) Operadora líder no mercado brasileiro de Saúde suplementar,

Leia mais

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011 SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL COINT - Coordenação-Geral de Análise e Informações das Transferências Financeiras Intergovernamentais TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Cargo 1: Analista do MPU Área de Atividade: Apoio Técnico-Administrativo Especialidade: Arquivologia Distrito Federal / DF 596 4 149,00 Especialidade: Biblioteconomia Acre / AC 147 1 147,00 Especialidade:

Leia mais

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010 Apresentação da Companhia Setembro de 2010 Comprovada capacidade de execução Visão geral da Inpar Empreendimentos por segmento (1) Modelo de negócios integrado (incorporação, construção e venda) Comercial

Leia mais

Estratégia nas cadeias

Estratégia nas cadeias Estratégia nas cadeias da demanda ao suprimento Assim como em um ecossistema, as cadeias de valor precisam explorar suas interdependências e potencialidades. Na teoria e na vida, FDC Conheça a Fundação

Leia mais

TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA

TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA MANUAL INSTRUTIVO Sumário Introdução... 3 Atividades a serem desenvolvidas dentro

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

Regina Parizi Diretora Executiva MAIO/2009

Regina Parizi Diretora Executiva MAIO/2009 Regina Parizi Diretora Executiva MAIO/2009 Estrutura e Distribuição Geográfica Estrutura Estatutária A GEAP GEAP é administrada por por um um Conselho Deliberativo responsável pela pela definição da da

Leia mais

Especialização em Gestão de Negócios

Especialização em Gestão de Negócios Especialização em Gestão de Negócios e Projetos Rio de Janeiro Presença nacional, reconhecimento mundial. Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas de negócios do mundo, pelo ranking de educação

Leia mais

gestão de risco Estar preparado para os riscos e fazer deles um movimento positivo: acontece na Natureza e nas organizações. Na teoria e na vida, FDC

gestão de risco Estar preparado para os riscos e fazer deles um movimento positivo: acontece na Natureza e nas organizações. Na teoria e na vida, FDC gestão de risco Estar preparado para os riscos e fazer deles um movimento positivo: acontece na Natureza e nas organizações. Na teoria e na vida, FDC Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas

Leia mais

POLOS EAD ESTÁCIO 11º Seminário Nacional ABED

POLOS EAD ESTÁCIO 11º Seminário Nacional ABED POLOS EAD ESTÁCIO 11º Seminário Nacional ABED Rio de Janeiro, 10 de junho de 2015 MODELO DE PARCERIA: POLO TERCEIRO EAD Contribuições de cada uma das partes para a Parceria Estácio Parceiro Disponibilizar

Leia mais

Apresentação para Investidores 1S10

Apresentação para Investidores 1S10 Apresentação para Investidores 1S10 1 Agenda 1. Visão Geral e Desempenho Consolidado 2. Livraria Saraiva 3. Editora Saraiva 2 Governança Corporativa Nível 2 de Governança Corporativa da Bovespa Primeira

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t ) 450.000 120.000 400.000 100.000 350.000 80.000 300.000 250.000 60.000 200.000 150.000 40.

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t ) 450.000 120.000 400.000 100.000 350.000 80.000 300.000 250.000 60.000 200.000 150.000 40. BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 (POR PAÍS) PAÍSES ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 269.719,83 387.213,30 406.882,12 310.956,48 318.530,07 375.612,10 414.745,41 233.717,31 309.486,24 320.128,57 267.045,80 205.498,88

Leia mais

2ª Reunião Grupo Técnico de Sistematização de Informações Contábeis e Fiscais

2ª Reunião Grupo Técnico de Sistematização de Informações Contábeis e Fiscais Subsecretaria de Contabilidade Pública Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação 2ª Reunião Grupo Técnico de Sistematização de Informações Contábeis e Fiscais SICONFI 2014 OBJETIVOS

Leia mais

Relatório de Atividades ABCR - 2012

Relatório de Atividades ABCR - 2012 Relatório de Atividades ABCR - 2012 O ano de 2012 foi de transição na ABCR, em razão da mudança da gestão da sua Diretoria Executiva, e dos demais órgãos que a compõem. Eleita e empossada no final de março,

Leia mais

Avanços e encaminhamentos sobre a Pesquisa de Turismo Internacional:

Avanços e encaminhamentos sobre a Pesquisa de Turismo Internacional: Avanços e encaminhamentos sobre a Pesquisa de Turismo Internacional: Avaliações para o desenho amostral em rodovias segundo a metodologia proposta para a PTI Palestrante: Alfredo García Ramos (Consultor

Leia mais

Políticas de garantia de acesso aos recursos naturais: como evoluir?

Políticas de garantia de acesso aos recursos naturais: como evoluir? EXPOSIBRAM 2011 14º Congresso Brasileiro de Mineração Painel 5 Políticas de garantia de acesso aos recursos naturais: como evoluir? Márcio Pereira Meio Ambiente e Sustentabilidade Belo Horizonte, 28.9.2011

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO ENEM 2013. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação

EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO ENEM 2013. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO ENEM 2013 Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Cartão de Confirmação de Inscrição Entregues: 99,98% UF Participantes Entregues AC 58.364 100,00% AL 122.356 99,00%

Leia mais

GESTÃo DE RISCO. Presença nacional, reconhecimento mundial.

GESTÃo DE RISCO. Presença nacional, reconhecimento mundial. GESTÃo DE RISCO CORPORATIVO Presença nacional, reconhecimento mundial. Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas de negócios do mundo, pelo ranking de educação executiva do Financial Times

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA

PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO ABLA Programa Nacional de Capacitação e Qualificação ABLA Convênio nº 635/2007. Objeto: Aumentar a qualidade na prestação de serviços e competitividade dos

Leia mais

Gestão da Qualidade da Banda Larga

Gestão da Qualidade da Banda Larga Gestão da Qualidade da Banda Larga Agência Nacional de Telecomunicações Brasília, 17 de maio de 2013 METODOLOGIA DE MEDIÇÃO INDICADORES DE BANDA LARGA FIXA Avaliações realizadas através de medidores instalados

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Siglas d CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Indica Nº 1/215 Técnicos Respon Equipe

Leia mais

PLANO BÁSICO DE ORGANIZAÇÃO ABRAPP - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS ENTIDADES FECHADAS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

PLANO BÁSICO DE ORGANIZAÇÃO ABRAPP - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS ENTIDADES FECHADAS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Aprovado na 135ª Reunião Ordinária do Conselho Deliberativo, em 18 de dezembro de 2012 1 PLANO BÁSICO DE ORGANIZAÇÃO ABRAPP - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS ENTIDADES FECHADAS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Aprovado

Leia mais

Pesquisa da 10ª Semana. Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012

Pesquisa da 10ª Semana. Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012 Pesquisa da 10ª Semana de Museus Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012 Panorama geral - Pesquisa da 10ª Semana Nº entradas

Leia mais

DIAGNÓSTICO DOS INVESTIMENTOS

DIAGNÓSTICO DOS INVESTIMENTOS DIAGNÓSTICO DOS INVESTIMENTOS EM CULTURA NO BRASIL v. 1 Gastos públicos com cultura no Brasil: 1985-1995 Contrato de prestação de serviços que entre si celebram a União Federal, por intermédio da Secretaria

Leia mais

Especialização em Gestão com ÊNFASE EM Negócios e Marketing

Especialização em Gestão com ÊNFASE EM Negócios e Marketing Especialização em Gestão com ÊNFASE EM Negócios e Marketing Blumenau/SC 2013 Criar raízes em solo fértil. Faz diferença na Natureza, faz diferença para o seu crescimento profissional. Conheça a Fundação

Leia mais

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA ( 44.ª EDIÇÃO ) AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PRESIDENTE Ronaldo Mota Sardenberg CONSELHEIROS Emília

Leia mais

Manual Identidade Visual CFC - CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

Manual Identidade Visual CFC - CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE Partindo da figura da engrenagem, presente na logo atual do CFC, o novo logo desenvolvido mantém uma relação com o passado da instituição, porém com um olhar no presente e no futuro, na evolução e ascensão

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (setembro/13) outubro de 2013 Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda

Leia mais

IMPACTOS DAS DISTORÇÕES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL

IMPACTOS DAS DISTORÇÕES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL IMPACTOS DAS DISTORÇÕES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL Brasília, Novembro/ 2013 Unidade de Políticas Públicas NOTA TÉCNICA IMPACTOS DAS DISTORÇOES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL Este estudo

Leia mais

Perfil Municipal de Fortaleza. Tema X: A Dinâmica das Classes Sociais na Última Década. Edição Especial. Nº 45 Novembro 2012

Perfil Municipal de Fortaleza. Tema X: A Dinâmica das Classes Sociais na Última Década. Edição Especial. Nº 45 Novembro 2012 Nº 45 Novembro 2012 Edição Especial Perfil Municipal de Fortaleza Tema X: A Dinâmica das Classes Sociais na Última Década 4 1 GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Cid Ferreira Gomes Governador Domingos Gomes de

Leia mais

Relatório da IX Reunião do GT Contabilidade GEFIN/CONFAZ

Relatório da IX Reunião do GT Contabilidade GEFIN/CONFAZ Relatório da IX Reunião do GT Contabilidade GEFIN/CONFAZ EVENTO: LOCAL: IX Reunião do GT Contabilidade do Grupo de Gestores das Finanças dos Estados GEFIN/CONFAZ. Rio de Janeiro/RJ. PERÍODO: 10 de setembro

Leia mais

É uma ação permanente de promoção dos museus brasileiros coordenada pelo Ibram;

É uma ação permanente de promoção dos museus brasileiros coordenada pelo Ibram; Pesquisa da 13ª Semana Nacional de Museus Período de aplicação: 25 de maio a 30 de junho de 2015 Coordenação de Estudos Socioeconômicos e Sustentabilidade Ceses Departamento de Difusão, Fomento e Economia

Leia mais

Diretoria de Geociências Coordenação de Geografia. Regiões de Influência das Cidades

Diretoria de Geociências Coordenação de Geografia. Regiões de Influência das Cidades Diretoria de Geociências Coordenação de Geografia Regiões de Influência das Cidades 2007 Objetivos Gerais Hierarquizar os centros urbanos Delimitar as regiões de influência associadas aos centros urbanos

Leia mais

II ENCONTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL

II ENCONTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL Ministério da Saúde II ENCONTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL APLICAÇÃO DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO, DESAFIOS E POSSIBILIDADES Brasília, 25 de setembro de

Leia mais

ÍNDICE RELATÓRIO SIOR 2012. Pág. 02 NOTÍCIAS 2011/2012. Pág. 03 ANÁLISE DAS DEMANDAS. Pág. 04 GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO. Pág.

ÍNDICE RELATÓRIO SIOR 2012. Pág. 02 NOTÍCIAS 2011/2012. Pág. 03 ANÁLISE DAS DEMANDAS. Pág. 04 GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO. Pág. RELATÓRIO SIOR 2012 ÍNDICE NOTÍCIAS 2011/2012 ANÁLISE DAS DEMANDAS GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO TEMPO DE ATENDIMENTO DEMANDAS CONSIDERADAS PROCEDENTES MAPA DAS PRINCIPAIS DEMANDAS CONSIDERADAS PROCEDENTES

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Sigla CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Ind Nº 9/215 Técnicos Resp Equipe CGPM

Leia mais

ThyssenKrupp Elevadores Garantindo sustentabilidade, pensando no planeta

ThyssenKrupp Elevadores Garantindo sustentabilidade, pensando no planeta ThyssenKrupp Elevadores Garantindo sustentabilidade, pensando no planeta TK Elevadores Americas Business Unit tk 2 ThyssenKrupp Elevadores A Empresa Fábrica de Guaíba - RS Linha de Produtos Elevadores

Leia mais

PARCERIA PARA O DESENVOLVIMENTO PDA. Desenvolver em harmonia com o entorno: essencial na Natureza e nas empresas familiares. Na teoria e na vida, FDC

PARCERIA PARA O DESENVOLVIMENTO PDA. Desenvolver em harmonia com o entorno: essencial na Natureza e nas empresas familiares. Na teoria e na vida, FDC PARCERIA PARA O DESENVOLVIMENTO PDA Desenvolver em harmonia com o entorno: essencial na Natureza e nas empresas familiares. Na teoria e na vida, FDC Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR EM CARGOS DE E DE NÍVEL INTERMEDIÁRIO Administrador AC 1 14 14.00 Administrador AL 1 53 53.00 Administrador AP 1 18 18.00 Administrador BA 1 75 75.00 Administrador DF 17 990 58.24 Administrador MT 1 55

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF UF Tecnologia Velocidade Quantidade de Acessos AC ATM 12 Mbps a 34Mbps 3 AC ATM 34 Mbps

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar Parcerias: PeNSE 1. Introdução Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar O IBGE, em parceria com o Ministério da Saúde e da Educação realizará, em 2015, a 3ª edição da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar

Leia mais

FÓRUM PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE

FÓRUM PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE FÓRUM PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE Santa Catarina - 20 de Novembro de 2010 IMPORTÂNCIA DA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS As MPEs correspondem à 98,81%* (CNE/IBGE 2009) das empresas

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2010

Contas Regionais do Brasil 2010 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2010 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio, 23/11/2012 Contas Regionais do Brasil Projeto de Contas

Leia mais

Programa de Requalificação de UBS. Março/2015

Programa de Requalificação de UBS. Março/2015 Programa de Requalificação de UBS Março/2015 PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UBS Instituído no ano de 2011 OBJETIVOS: Criar incentivo financeiro para as UBS Contribuir para estruturação e o fortalecimento

Leia mais

Desvio de Finalidade Papel Imune

Desvio de Finalidade Papel Imune Desvio de Finalidade Papel Imune Compliance com as Leis de Defesa da Concorrência ALERTA: Evitar quaisquer discussões ou conversações sobre temas sensíveis à livre competição entre as empresas associadas,

Leia mais

RANKING DE INSCRIÇÕES POR CURSO

RANKING DE INSCRIÇÕES POR CURSO RANKING DE INSCRIÇÕES POR CURSO Posição em 01/02/2009-19h15 da Nome da IES Nome do Curso Qtd. Inscrições SP FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Ciência e Tecnologia ** 11529 RS UNIVERSIDADE FEDERAL DE

Leia mais

Investe São Paulo. Campinas, 17 de março de 2015

Investe São Paulo. Campinas, 17 de março de 2015 Investe São Paulo Campinas, 17 de março de 2015 Missão Ser a porta de entrada para novos investimentos e a expansão dos negócios existentes, gerando inovação tecnológica, emprego e renda. Promover a competitividade

Leia mais

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará IPECE Informe nº 38 Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará 1. INTRODUÇÃO O Neste documento serão analisados os aspectos educacionais da capital

Leia mais

Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil

Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil O Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil é mais uma publicação do Plano Juventude Viva, que reúne ações de prevenção para reduzir a vulnerabilidade de jovens

Leia mais

Espírito Santo Governador Renato Casagrande

Espírito Santo Governador Renato Casagrande Espírito Santo Governador Renato Casagrande Parte I O Comércio Internacional no Espírito Santo Parte II Ranking Federativo Parte III Propostas Comércio Internacional no Espírito Santo Ranking Nacional

Leia mais

LOCALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA ESCALA SUBNACIONAL: ÁGUA E ESGOTO

LOCALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA ESCALA SUBNACIONAL: ÁGUA E ESGOTO LOCALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA ESCALA SUBNACIONAL: ÁGUA E ESGOTO Maria da Piedade Morais 1º Seminário Franco-Brasileiro sobre Saúde Ambiental Brasília, 28 de junho de 2011 Objetivos

Leia mais

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO N, DE 2015.

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO N, DE 2015. PROPOSTA DE RESOLUÇÃO N, DE 0. Institui a Unidade Nacional de Capacitação do Ministério Público, no âmbito do Conselho Nacional do Ministério Público. O CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, no exercício

Leia mais

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr Imagem: Santa Casa de Santos fundada em 1543 Atualização: 26/outubro Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr ópicos Filantró Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Objetivos do Projeto Governança

Leia mais

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias 50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias Pesquisa realizada pela Rizzo Franchise e divulgada pela revista Exame listou as 50 cidades com as melhores oportunidades para abertura de

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010 ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL PROFESSORES DAS REDES ESTADUAIS NO BRASIL A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES

Leia mais

RISCOS NOMEADOS E OPERACIONAIS JAN A MAIO DE 2012

RISCOS NOMEADOS E OPERACIONAIS JAN A MAIO DE 2012 RISCOS NOMEADOS E OPERACIONAIS JAN A MAIO DE 2012 1 ANÁLISE RISCOS NOMEADOS E OPERACIONAIS: Essa análise está calcada nos números divulgados pela SUSEP referente ao período de jan a maio de 2012 através

Leia mais

Sublimites estaduais de enquadramento para. Nacional 2012/2013. Vamos acabar com essa ideia

Sublimites estaduais de enquadramento para. Nacional 2012/2013. Vamos acabar com essa ideia Sublimites estaduais de enquadramento para o ICMS no Simples Nacional 2012/2013 Vamos acabar com essa ideia 4 CNI APRESENTAÇÃO Os benefícios do Simples Nacional precisam alcançar todas as micro e pequenas

Leia mais

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

REPRESENTANTES - 5ª CCR

REPRESENTANTES - 5ª CCR REPRESENTANTES - 5ª CCR Unidade Procurador(a) E-mail Telefones 5ªCCR Composição 5ª CCR Denise Vinci Túlio Coordenadora Rodrigo Janot Monteiro de Barros Membro-Titular Valquíria Oliveira Quixadá Nunes Membro-Titular

Leia mais

lista de preços Novembro / Dezembro de 2013

lista de preços Novembro / Dezembro de 2013 lista de preços Novembro / Dezembro de 2013 s home Rich Media Mobile Cota Mensal Mid Banner Local Slim Banner + Mídia de apoio* Dia útil Fds Dia útil Fds Dia útil Fds Home Globo.com 563.000 207.000 118.000

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 399.473,26 422.403,60 501.033,08 371.050,32 437.918,87 2.131.879,13 Valor

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE GERENCIAMENTO DE PRODUTOS CONTROLADOS RESULTADOS 2009. Brasília, 30 de março de 2010

SISTEMA NACIONAL DE GERENCIAMENTO DE PRODUTOS CONTROLADOS RESULTADOS 2009. Brasília, 30 de março de 2010 SISTEMA NACIONAL DE GERENCIAMENTO DE PRODUTOS CONTROLADOS Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados RESULTADOS 2009 Brasília, 30 de março de 2010 SNGPC Ferramenta informatizada para captura

Leia mais

6. A SVS/MS agradece a todas as Instituições que enviaram suas propostas. Instituição proponente. Universidade Federal do Rio de Janeiro

6. A SVS/MS agradece a todas as Instituições que enviaram suas propostas. Instituição proponente. Universidade Federal do Rio de Janeiro A Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS) torna público o resultado da análise das propostas e projetos submetidos ao Chamamento Público nº 05/2014 Iniciativas Educacionais Aplicadas

Leia mais

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA FEV/2015

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA FEV/2015 ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA FEV/015 O COMÉRCIO VAREJISTA NO BRASIL APRESENTA RETRAÇÃO NAS VENDAS EM FEVEREIRO A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) realizada pelo Instituto Brasileiro

Leia mais

PARCEIROS PARA A EXCELÊNCIA PAEX

PARCEIROS PARA A EXCELÊNCIA PAEX Nossa empresa encontrou nos profissionais da FDC a competência e o equilíbrio necessários para que pudéssemos enfrentar a difícil tarefa de montar o nosso planejamento estratégico. O empenho e a dedicação

Leia mais

(MLRV) TRANSPORTES INTERNACIONAIS JAN A JUNHO DE 2015 SUSEP SES. lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1

(MLRV) TRANSPORTES INTERNACIONAIS JAN A JUNHO DE 2015 SUSEP SES. lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 TRANSPORTES INTERNACIONAIS JAN A JUNHO DE 2015 SUSEP SES lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 1- INTRODUÇÃO: Lamentavelmente a SUSEP alterou a estrutura de resultados não mais detalhando os

Leia mais

Resultados do 2T09. Teleconferência de Resultados

Resultados do 2T09. Teleconferência de Resultados Resultados do 2T09 Teleconferência de Resultados Destaques do 2T09 2 Destaques do 2T09 em linha com a estratégia geral da Companhia Nossas conquistas do 2T09 são refletidas nos resultados da Companhia

Leia mais

skills, tools & competencies

skills, tools & competencies stc executivo skills, tools & competencies 2009 programa internacional gestão geral brasil e estados unidos Na teoria e na vida, FDC Conheça a Fundação Dom Cabral A 16 a no ranking de melhores ESCOLAS

Leia mais

Diagnóstico da institucionalização da Política Nacional de Educação Permanente do Sistema Único de Assistência Social nos estados brasileiros

Diagnóstico da institucionalização da Política Nacional de Educação Permanente do Sistema Único de Assistência Social nos estados brasileiros Diagnóstico da institucionalização da Política Nacional de Educação Permanente do Sistema Único de Assistência Social nos estados brasileiros Denise Mafra Gonçalves; Maria Cristina Abreu Martins de Lima;

Leia mais

Prezado Associado, Todos os dados estão atualizados até março de 2014.

Prezado Associado, Todos os dados estão atualizados até março de 2014. Prezado Associado, Estamos lhe enviando neste encarte, a relação a lista de todos os PROCONs, com nome do Dirigente, Cargo que ocupa, endereço, telefone e e-mail de contato. Alem disso, estamos enviando

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (dezembro/13) Janeiro de 2014 Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda

Leia mais

ALTA PERFORMANCE EM LIDERANÇA:

ALTA PERFORMANCE EM LIDERANÇA: ALTA PERFORMANCE EM LIDERANÇA: DESENVOLVENDO COMPETÊNCIAS SÓCIO-EMOCIONAIS 2009 PROGRAMA INTERNACIONAL BRASIL - ESPANHA Na teoria e na vida, FDC Conheça a Fundação Dom Cabral A 16 a no ranking de melhores

Leia mais