ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. Serviço de Implantação de SMF

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. Serviço de Implantação de SMF"

Transcrição

1 SUMÁRIO CONTEÚDO 1. OBJIVO 2 2. ÂMBITO 2 3. CONCEITOS 2 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 3 5. INSTRUÇÕES GERAIS Adequação dos Sistemas de Medições Escopo de Fornecimento Execução dos Serviços Características dos Medidores de Energia Elétrica Chaves de Aferição Transformadores de Instrumentos (TI s) Pedestais Paineis Características dos Cabos de Medição, controle e serviço auxiliar CC e CA Características dos cabos de conexão da rede de dados Visita Técnica às instalações da DMED Workstatement Documentação para início do fornecimento Unidades de medidas e Idiomas Informações a serem fornecidas pela DMED Coleta de Dados de Medição Serviços a serem executados na UHE-Walter Rossi (ANTAS II) Serviços a serem executados na PCH José Togni (Bortolan) DMED Serviços a serem executados na PCH Ubirajara M. Moraes (Véu das Noivas) Serviços a serem executados na PCH Pedro Afonso Junqueira (ANTAS I) PROCEDIMENTO Ensaio, Inspeção e Aprovação Aceitação Garantia ALTERAÇÕES ANEXOS Projetos fornecidos pela DMED para implantação dos SMF Cronograma de Execução 32 PG. Elaboração: Julio C. Ferreira / Monclair J. de Araújo Data: 26/03/2012. Aprovação: Jaconias de Aguiar Data: 30/03/2012

2 1. OBJIVO Estabelecer as condições mínimas exigíveis para o Serviço de implantação de medições do Sistema de Medição para Faturamento (SMF) em conformidade com Módulo 12 dos Procedimentos de Rede do ONS, nas PCH s José Togni, Ubirajara Machado de Moraes, Pedro Afonso Junqueira e UHE Walter Rossi localizadas no município de Poços de Caldas MG, na área de concessão da DME Distribuição S/A. 2. AMBITO Aplica-se a Diretoria Técnica, Gerência de Laboratório, Supervisão de Suprimentos e Fornecedores. 3. CONCEITOS 3.1. Siglas: COSD - Centro de Operações de Sistema e Distribuição DMED - DME Distribuição S/A PCH Pequena Central Hidroelétrica UHE Usina Hidro Elétrica SMF Sistema de Medição de Faturamento ONS Operador Nacional do Sistema ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas CCEE Câmara de Comercialização de Energia Elétrica ONS Operador Nacional do Sistema Proponente Empresa responsável pela implantação do sistema, escopo desta Especificação Técnica TC Transformador de Corrente TP Transformador de Potencial TI Transformadores de Instrumentos (TC s e TP s) Página 2 de 32

3 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 4.1. Normas Regulamentadoras 6, 7, 9 e Lei Federal nº 6.938/81 Lei da Política Nacional de Meio Ambiente IEEE Std ; 4.4. ANSI C37.90A-1974; 4.5. IEC ; 4.6. IEC ; 4.7. IEC ; 4.8. IEC ; 4.9. IEC ; Portaria 292 do Ministério das Comunicações; CISPR, Publicação 22; VDE 0871, classe A; FCC Classe A; CCITT V.11/V.23/V.24/V.28; EIA RS-485; EIA RS-232C; Procedimentos de Rede - Modulo 12 CCEE/ONS 5. INSTRUÇÕES GERAIS 5.1. Adequação dos Sistemas de Medições; O proponente do serviço especificado deverá adequar a medição de transformadores de usinas da DMED, em conformidade com o Modulo 12 CCEE/ONS e projetos fornecidos pela DMED nos seguintes locais do DMED: PCH José Togni (Bortolan) - 1 ponto PCH Engº. Ubirajara Machado de Moraes (Véu das Noivas) 1 ponto PCH Engº. Pedro Afonso Junqueira (Antas I) 4 pontos UHE Walter Rossi (Antas II) 2 pontos 5.2. Escopo de Fornecimento A instalação de todo o sistema e serviços deverá ser de responsabilidade do fornecedor, para tanto as Página 3 de 32

4 propostas deverão considerar os itens abaixo: Medidores; Fornecimento de 13 (treze) medidores do tipo embutir, sendo 1 (um) de reserva, conforme especificação técnica do Modulo 12 do ONS. Para Antas-II os 4 (quatro) medidores serão fornecidos pelo DMED Chaves de Aferição; Fornecimento de 12 (doze) chaves de aferição conforme previsto nos projetos fornecidos pelo DMED Painéis: Adequação de 03 (três) painéis para instalação de medidores, conforme detalhado nesta especificação e projeto aprovado pela CCEE/ONS, fornecido pela DMED TC s; Fornecimento de 24 (vinte e quatro) TC s, sendo que a relação, exatidão e classe de isolação conforme projeto específico para cada caso. Para o fornecimento 18 (dezoito) TC s são de classe 15KV e 6 (seis) TC s são de classe 72,5KV. Todos os TC s que serão substituídos deverão seguir as mesmas dimensões dos TC s existentes; TP s; Fornecimento de 12 (doze) TP s, sendo que a relação, exatidão e classe de isolação conforme projeto específico para cada caso. Todos os TP s são de classe Página 4 de 32

5 15KV. Todos os TP s que serão substituídos deverão seguir as mesmas dimensões dos TP s existentes; Cabos; Fornecimento de 510m cabos blindados para conexão aos secundários dos TI s e 520m cabos para a alimentação auxiliar, com quantidade e bitola de acordo com projetos aprovados pela CCEE/ONS fornecidos pela DMED e 90m de cabos de comunicação padrão UTP Pedestais: Fornecimento de 6 (seis) pedestais de concreto pré-fabricado, para instalação dos TC s de 69KV na Antas-II Caixas de Passagem: Fornecimento de 2 (duas) caixas de passagem para instalação junto aos pedestais de concreto utilizados para instalação dos TC s de 69KV em ANTAS-II, na fase do meio da saída dos transformadores T1 e T Switchs: Fornecimento de 1 (um) switch não-gerenciáveis, 10/100Mbps, com 16 portas suficientes para conexão dos medidores e a rede de telemedição Conversor CC-CC: Fornecimento de 2 (dois) conversores de 48VCC para 125VCC, para alimentação dos medidores através do Filtro de Rede, com capacidade de carga suficiente para suprir os medidores de cada painel Filtros de Rede: Fornecimento de 2 (dois) filtros de rede, para comutação automática da alimentação auxiliar VCC / VCA em caso de falta, que devem ser do tipo embutir para instalação nos painéis de medição que serão adaptados, das PCH- s Ubirajara Machado de Moraes e José Togni. Devem possibilitar a interrupção da alimentação individual dos medidores em caso de manutenção, através de dispositivos interruptores. Devem possuir dispositivos para lacrar o acesso aos interruptores. A tensão nominal do equipamento deverá ser compatível com as tensões dos serviços auxiliares VCC e VCA das usinas, conforme projeto de implantação do SMF aprovado pelo DMED Demais materiais e serviços não descritos nesta especificação, mais agregados e necessários para montagem, adaptações e instalações do escopo deste Serviço de Implantação de SMF, como eletrodutos, chapas de aço para adaptação dos painéis, borrachas de vedação, conectores para cabeamento elétrico e de comunicação, réguas de borne, parafusos, etiquetas dos painéis, anilhas, pinturas, cortes, furações, concretagens, limpezas, crimpagem de conectores, testes de comissionamento, transportes de painéis para adequação e instalação, fretes, etc, devem estar englobados na proposta dos respectivos materiais e serviços Execução dos Serviços Página 5 de 32

6 A instalação do Sistema de Medição de Faturamento será realizada nas PCH s José Togni, Ubirajara Machado de Moraes, Pedro Afonso Junqueira e UHE Walter Rossi. Deverão ser tomadas todas as providencias para a execução dos serviços, sem risco de desligamentos acidentais do processo elétrico e nem de acidentes com as pessoas envolvidas na montagem e testes. Para tanto deverão ser observados os procedimentos Internos da DMED, referentes ao planejamento dos trabalhos de campo e à Segurança no Trabalho. A montagem, adequação e instalação dos painéis de medidores e transformadores para instrumentos, deverão estar conforme projetos de Adequação do Sistema de Medição para Faturamento, aprovados e fornecidos pela DMED, correspondentes à cada uma das usina. O lançamento e instalação de cabos para interligação dos sinais de tensão e corrente de medição deverá ser conforme projeto para cada caso, neste projeto está indicado à distância e o caminho onde devem ser lançados os mesmos. O lançamento e instalação de cabos para interligação dos sinais de tensão VCC e VCA originários dos quadros de Serviços Auxiliares, para alimentação dos medidores e equipamentos de comunicação, deverá estar conforme especificado no projeto para cada caso, e o mesmo será fornecido pela DMED. As obras civis para substituição dos pedestais, e toda instalação elétrica (incluindo a dos TC s), na UHE-Walter Rossi, deverá ser executada conforme liberação do DMED, preferencialmente no fim de semana e no período fora do horário de ponta, e apenas o trecho da execução da obra dentro da subestação será desenergizado e aterrado pelo DMED, cabendo ao proponente a isolação de área e a observação de todos os procedimentos de segurança. Caso a proponente tenha uma outra solução para aproveitamento dos pedestais existentes, ela deverá ser apresentada ao DMED para análise e aprovação. Os serviços de montagem, instalação e adequação dos sistemas de comunicação, bem como a integração com a UCM do DMED, que está instalada na Gerência de Laboratório, será de responsabilidade da proponente Características dos Medidores de Energia Elétrica As características funcionais, elétricas e construtivas do medidor eletrônico de energia elétrica Página 6 de 32

7 para ligação indireta, objeto desta especificação técnica, deverão estar de acordo com as normas NBR e (especificação e método de ensaio para medidores estáticos de energia elétrica ativa) Os Medidores de Energia deverão atender ANEXO 1 Especificação Técnica das Medições para Faturamento, do Sub-módulo 12.2 Instalação de Sistema de Medição para Faturamento Revisão 1, do Módulo 12 Procedimentos de Rede do ONS Os medidores devem atender ao protocolo ABNT, devido o software de comunicação instalado na UCM (Itron.ZFA), possuir somente este protocolo de comunicação. Para aceitação de medidores homologados que possuam outros protocolos, caberá ao fornecedor garantir a comunicação destes com a UCM do DMED, sem utilização de outros sistemas ou gateways, e sem custos extras ao DMED, sendo aceito a inclusão do protocolo no software Itron.ZFA Certificação de aprovação do modelo Os medidores devem ter certificado de aprovação de modelo e comprovação de classe emitido pelo INMRO, e devem ser aprovados em inspeção pelo DMEPC realizada no laboratório do fabricante Certificação de calibração Os medidores devem ser fornecidos com os seus respectivos ensaios e certificado de calibração por laboratório RBC, sendo que sua realização tenha sido executada no máximo 60 dias antes da data do comissionamento do ponto de medição. A proponente pode optar pela realização local da calibração RBC dos medidores, desde que seja em até 5 (cinco) dias úteis após o comissionamento, sem acrescentar este custo ao DMED Chaves de Aferição Fornecimento conforme Projetos de Adequação do Sistema de Medição para Faturamento, contemplando. - Tensão Nominal: 600V, - Classe de Isolação: 2kV - Corrente Nominal: 20A Página 7 de 32

8 - Polos: 3 polos duplos de corrente (5A) e 6 polos duplos de tensão (115V) - Instalação: embutir Transformadores de Instrumentos (TI s) Transformadores de Corrente: Conforme Projetos de Adequação do Sistema de Medição para Faturamento, sendo que em alguns pontos, os TC s deverão possuir outros enrolamentos destinados a proteção: - Transformadores de Corrente do T1 e T2 da UHE-Antas-I Relação: 300-5A e Exatidão: 10B50 - Transformadores de Corrente do T4 da UHE-Antas-I Relação: /5-5-5A e Exatidão:0,3C12,5-10B200-10B200 Os secundários devem ter o acesso lacrado e independente, e manter as demais características dos equipamentos que serão substituídos Transformadores de Potencial: Conforme Projetos de Adequação do Sistema de Medição para Faturamento, sendo que em alguns pontos, os TP s deverão possuir outros enrolamentos destinados a proteção: - Transformadores de Potencial do T1, T2 e T3 da UHE-Antas-I Relação: 13800:R3/115V e Exatidão: 0,3P75 - Transformadores de Corrente do T4 da UHE-Antas-I Relação: 13800:R3/ V e Exatidão:0,3P75-0,3P75-1,2P75 Os secundários devem ter o acesso lacrado e independente, e manter as demais características dos equipamentos que serão substituídos Pedestais Na UHE-Antas-I, deverão ser substituídos o 6 pedestais que suportam os isoladores, nas saídas dos trafos T1 e T2, por pedestais que suportam os novos TC s O fornecimento dos pedestais e obras para substituição e montagem, serão por conta da contratada. Página 8 de 32

9 Figura 1 Desenho dos pedestais e TC s das Linha-1 e 2, referência para o fornecimento Painéis As adaptações, adequações e instalações dos painéis, e ligações de todas as conexões, equipamentos e acessórios ocorrerá por conta da proponente, inclusive lançamentos dos cabos dos transformadores de instrumentos (TC S e TP S), os quais sua metragem se encontra no projeto aprovado pela CCEE/ONS fornecidos pela DMED, e deverão ser conectados TI s, caixas de passagem, chave de aferição, medidor, filtro de rede, conversor de CC-CC, switchs, etc. Deverá ser instalado dispositivos de lacre para as portas dos painéis, onde serão instalados os medidores de SMF Características dos Cabos de Medição, controle e serviço auxiliar CC e CA Os cabos blindados para interligação dos medidores aos transformadores de instrumentos (TC S e TP S) cabos utilizados para conexão ao serviço auxiliar CA/CC, deverão ser fornecidos pela proponente e devem estar conforme projeto aprovado pela CCEE/ONS fornecidos pela DMED. Página 9 de 32

10 5.10. Características dos cabos de conexão da rede de dados Os cabos de comunicação deverão ser fornecidos pela proponente e deverá possuir as características a seguir; Cabos UTP categoria 5 Formação: 4 pares Bitola dos cabos: 24 AWG Cor: Azul Visita Técnica às instalações da DMED Caso haja interesse dos proponentes em visitar algumas instalações, para esclarecimentos dos serviços que serão necessários, onde serão instaladas as medições do SMF, a DMED se coloca a disposição dos interessados, para acompanhá-los em uma visita às seguintes UHE e PCH s: - PCH - José Togni (Bortolam) - PCH Ubirajara de Moraes (Véu das Noivas) - PCH Pedro Afonso Junqueira (Antas I) - UHE Walter Rossi (Antas II) Workstatement Documentação para início do fornecimento Em até 10 dias após a assinatura do Contrato, deverá ser entregue um Workstatement, que deverá cobrir todos os requisitos técnicos especificados para materiais e serviços a serem implantados, de forma a permitir que a DMED possa analisar detalhadamente o fornecimento ofertado. Farão parte desta documentação no mínimo os seguintes documentos: Documentação de habilitação para serviço em área de risco (NR 10) de todo seu pessoal envolvido no serviço especificado; Documentação de referência com as adaptações dos painéis a serem utilizados no projeto em acordo com o especificado no projeto fornecido pela DMED Cronograma de projeto de interligação, montagem e comissionamento de campo. A proponente deverá explicar, através de um texto, qual a infra-estrutura de pessoal será utilizada para se executar o projeto conforme o cronograma. Página 10 de 32

11 Relação dos fornecedores dos materiais e equipamentos empregados no serviço especificado. Responsável Técnicos pela execução da obra e segurança, e ART s Gerente do Contrato Unidades de medidas e Idiomas Todas as unidades de medida a serem utilizadas nas propostas deverão estar de acordo com o Sistema Internacional de Unidades conforme Decreto N de 12 de setembro de A proposta deverá ser apresentada na língua portuguesa, incluindo toda a correspondência e a documentação técnica referente aos equipamentos e programas Informações a serem fornecidas pela DMED Toda a documentação necessária para elaboração da proposta de realização do serviço especificado será disponibilizada pela DMED aos Proponentes interessados em realizar os serviços especificados. Nota: Toda documentação, tais como, projeto, lista de materiais, especificação técnica, etc.., fornecida pela DMED para criação da proposta de fornecimento do serviço aqui especificado será de caráter SIGILOSO não sendo autorizada criação de copias ou envio para terceiros Coleta de Dados de Medição A coleta de dados será realizada por uma UCM localizada na Gerência de Laboratório da DMED, que irá acessar os medidores através de uma conexão Ethernet, onde todos os medidores estarão interligados em uma rede exclusiva da medição. Os medidores serão sincronizados via GPS ligado a rede ethernet, através de pulso enviado pela UCM aos medidores no momento da leitura. Página 11 de 32

12 A rede é protegida por um servidor antí-virus e por um roteador multiprotocolo com firewall, que garante a inviolabilidade externa dos dados da rede de telemedição. A plataforma utilizada na UCM é o software ITRON/ZFA, sendo que o DMED realizará o cadastro dos pontos de SMF citados nesta especificação, e realizará os testes de comunicação para validar a implantação do Sistema de Comunicação Serviços a serem executados na UHE-WALTER ROSSI (ANTAS-II) Descrição; O painel de medição onde abrigará o SMF deverá ser o painel já existente na UHE Walter Rossi na área de cubículos da usina, conforme indicado no projeto fornecido pela DMED, que irá abrigar os medidores já existentes, denominados orientativamente de A2T1P (Transformador 1 Principal), A2T1R (Transformador 1 Retaguarda), A2 T2P (Transformador 2 Principal) e A2T2R (Transformador 2 Retaguarda), um switch e também de dois conversores de fibra-óptica monomodo. O DMED irá fornecer os 4 medidores, que são modelos ELO.2180, com saída Ethernet e demais características conforme as especificações CCEE/ONS Deverá ser relocado o sinal de corrente das Linhas 1 e 2 e tensão da Barra de 69kV, que chegam no painel de SMF dos transformadores T1 e T2, para o painel existente de medição das Linha-1 e Composição do Fornecimento: - 01 Painel de medição SMF (fornecimento pela DMED) - 04 Medidores ELO.2180 c/ Módulo de Qualidade, conforme especificação CCEE/ONS (fornecimento pela DMED) - 02 Medidores ELO.2180 para realocação da medição das Linha-1 e 2 (fornecimento pela DMED) - 04 chaves de aferição do tipo embutir (fornecimento pela DMED) - 01 Switch não-gerenciável (fornecimento pela DMED) - 06 TC,s classe 72,5KV, fixação em pedesal. (fornecido pela proponente conforme especificação DMED) Página 12 de 32

13 - 06 Pedestais de concreto para instalação dos TC s (fornecido pela proponente conforme especificação DMED) - 02 Caixas de Passagem para uso ao tempo, em liga de alumínio fundido e eletrodutos para conexão da fiação dos TC s ao painel de medição. (fornecido pela proponente conforme especificação DMED) - 01 Filtro de Rede ELO.318 (fornecido pelo DMED) - Cabos blindados para conexão dos TC s de saída dos transformadores T1 e T2 à caixa de Passagem e em seguida ao painel de medição SMF (fornecido pela proponente conforme especificação DMED) - Cabo blindado para interligação do sinal de tensão dos TP s de barra de 69KV, do painel de medição SMF ao painel de medição das Linhas-1 e 2 (fornecido pela DMED). - Projetos para execução das atividades (fornecido pela DMED) Serviços: - Reaproveitamento do painel de medição existente. Figura 2 Painel de SMF da UHE-Antas-II (4 medidores) Página 13 de 32

14 - Substituição dos pedestais (6 unidades) utilizados com isoladores após os transformadores T1 e T2, por pedestais adequados à instalação dos TC s. Figura 3 Pedestais com isoladores, na saída do Trafo, que serão substituídos para instalação dos pedestais adequados à instalação dos TC s de 72,5KV. - Instalação de TC s pedestal na saída de 69kV dos transformadores T1 e T2, localizados na S/E da UHE Antas II, conforme projeto aprovado pela CCEE/ONS fornecido pela DMED. - Instalação das Caixas de Passagem e eletrodutos nos pedestais da fase central de saída dos transformadores T1 e T2. - Lançamento dos cabos dos secundários dos TI s, conforme projeto aprovado pela CCEE/ONS fornecidos pela DMED. - Conexão dos cabos dos secundários dos TI s, na Caixa de Passagem e ao painel do SMF conforme projeto aprovado pela CCEE/ONS fornecidos pela DMED Página 14 de 32

15 - Conexão dos medidores com os cabos UTP a switch instalado no painel e conexão dos conversores monomodo ao Switch instalado no painel, com cabo UTP, e om cordão de fibra óptica ao DIO conforme projeto aprovado pela CCEE/ONS fornecido pela DMED. - Verificação e testes das alimentações auxiliares do painel de medição (VCA e VCC) e do Filtro de Rede (ELO.318) - Adequação dos parâmetros dos medidores para operação na configuração de SMF da saída dos transformadores T1 e T2. - Instalação de 2 medidores ELO.2180 nos painéis L1 e L2 da UHE-Antas-II, parametrização para operação de medição de saída das Linhas-1 e 2, e adequação da fiação de ligação dos medidores à chave de aferição e desta a régua de borne do respectivo painel. - Realocação dos cabos de saída dos TC s das Linhas 1 e 2 que chegam no painel de SMF, para o painel das Linhas 1 e 2 onde serão instalados os medidores. - Instalação de fiação para alimentação do sinal de tensão dos TP s da barra de 69KV, nos medidores do painel das Linha-1 e 2, obtidos do painel de SMF dos Transformadores T1 e T2. - Comissionamento da instalação do SMF conforme previsto no Sub-módulo 12.2 do Módulo 12 dos Procedimentos de Rede, e As-built do projeto aprovado pelo ONS Alimentação dos equipamentos de comunicação - Os equipamentos de comunicação switch e os conversores deverão ser ligados nas tomadas 220V já existentes no painel do SMF, alimentadas pelo disjuntor do painel CCM Geral da usina Serviços a serem executados na PCH José Togni (Bortolan) DMED Descrição O painel de medição deverá ser o mesmo painel já instalado na área de cubículos da Página 15 de 32

16 PCH José Togni, com as adequações necessárias realizadas no próprio local, conforme indicado no projeto fornecido pela DMED, e irá abrigar os medidores fornecidos conforme especificação CCEE/ONS, denominados orientativamente de JTOT1P (Transformador 1 Principal), JTOT1R (transformador 1 Retaguarda), 1 switch, 1 Filtro de Rede e 1 Conversores CC-CC. O Proponente deverá fornecer os 2 medidores, padrão SMF, com saída Ethernet e demais características conforme as especificações CCEE/ONS Composição do Fornecimento: - 01 painel de medição (fornecimento pela DMED e adequado pela proponente) - 02 medidores, padrão SMF com compensador de perda, pois a medição será na Baixa Tensão (2,2KV) do Transformador T1 (fornecimento da proponente) - 02 chaves de aferição do tipo embutir (fornecimento da proponente) - 03 TP s classe 15kV relação conforme projeto e características conforme especificação técnica da DMED (fornecimento pela proponente) - 03 TC s classe 15kV relação conforme projeto e características conforme especificação técnica da DMED (fornecimento pela proponente) - Cabos de controle e cabos blindados de conexão aos secundários dos TI s e Serviço auxiliares (CC / CA), bitola e comprimento conforme projeto fornecido pela DMED e características construtivas conforme especificação técnica da DMED (fornecimento pela proponente). - Cabos de comunicação para interligação dos medidores do painel ao switch instalado no rack de comunicação (fornecimento pela proponente) - 01 Filtro de Rede (fornecimento pela proponente) - 01 Conversor 48VCC-125CC (fornecimento pela proponente) - Projetos para execução das atividades (fornecido pela DMED) Serviços: - Adequação do painel de medição existente, isolando o compartimento onde ficarão os 2 medidores de SMF e as chaves de aferição, dos demais equipamentos do painel, com instalação de chapa de ação compatível com as características do painel, para divisão dos compartimentos, separação da porta traseira, com dispositivos de fechadura e colocação de lacre, e furação da chapa superior/frontal Página 16 de 32

17 do painel para instalação dos 2 medidores. Adequação da fiação interna. A porta de vidro para visualização dos medidores poderá ser mantida. Os demais medidores e chaves de aferição existentes devem ser remanejados para adequação do painel, mediante aprovação prévia do lay-out de adequação pelo DMED. Figura 4 Painel a ser adequado - Frontal VISTA FRONTAL Figura 5 Painel a ser adequado - Traseira VISTA TRASEIRA SITUAÇÃO ATUAL Página 17 de 32

18 MEDIDORES SMF CHAVES DE AFERIÇÃO MEDIDORES SMF CHAVES DE AFERIÇÃO PORTA SMF PLACA DIVISÓRIA SITUAÇÃO FUTURA SWITCH - Instalação, configuração e operacionalização dos medidores e equipamentos de comunicação. - Conexão dos medidores do painel ao switch instalado no rack de comunicação, utilizando o cabo UTP existente. - Conexão elétrica e lançamento de cabos dos secundários dos TI s ao painel onde irá abrigar os medidores principal e retaguarda conforme projeto fornecido pela DMED - Instalação e conexão elétrica dos medidores principal e retaguarda conforme projeto fornecido pela DMED. - Instalação dos TI s no cubículo da PCH-José Togni, conforme projeto fornecido pela DMED. Página 18 de 32

19 Figura 6 Cubículo de BT para substituição dos TI s - Instalação e conexão elétrica dos cabos, conectores e disjuntores, da alimentação de Serviço Auxiliar da usina ao painel do SMF, conforme projeto fornecido pela DMED. - Instalação do Filtro de Rede, conexão das alimentações VCA e VCC e medidores. - Instalação do conversor 48VCC-125VCC e conexão ao Serviço Auxiliar da usina e ao Filtro de Rede do Painel de SMF. - Instalação de tomadas no painel do SMF conforme projeto fornecido pela DMED. - Comissionamento da instalação do SMF conforme previsto no Sub-módulo 12.2 do Módulo 12 dos Procedimentos de Rede, e As-built do projeto aprovado pelo ONS Alimentação - Os equipamentos de comunicação deverão ficar abrigados no painel do SMF e sua alimentação através das tomadas contidas no painel do SMF, com alimentação em 127V, conforme projeto fornecido pela DMED. Página 19 de 32

20 - O painel e medidores deverão ser alimentados pelo Serviço Auxiliar da usina conforme projeto Serviços a serem executados na PCH Ubirajara M. de Moraes (Véu das Noivas) DMED Descrição O painel de medição deverá ser o mesmo painel já instalado na área de cubículos da PCH Ubirajara Machado de Moraes, com as adequações necessárias realizada no próprio local conforme indicado no projeto fornecido pela DMED, e irá abrigar os medidores fornecidos conforme especificação CCEE/ONS, denominados orientativamente de UMT1P (Transformador 1 Principal), UMT1R (transformador 1 Retaguarda), 1 switch, 1 Filtro de Rede e 1 conversor CC-CC. O Proponente deverá fornecer os 2 medidores, padrão SMF, com saída Ethernet e demais características conforme as especificações CCEE/ONS Composição do Fornecimento: - 01 painel de medição (fornecimento pela DMED e adequado pela proponente) - 02 medidores padrão SMF (fornecimento da proponente) - 02 chaves de aferição do tipo embutir (fornecimento da proponente) - 03 TP s classe 15KV relação conforme projeto e características conforme especificação técnica da DMED (fornecimento pela proponente) - 03 TC s classe 15KV relação conforme projeto e características conforme especificação técnica da DMED (fornecimento pela proponente) - Cabos de controle e cabos blindados de conexão aos secundários dos TI s e Serviço auxiliares (CC / CA), bitola e comprimento conforme projeto fornecido pela DMED e características construtivas conforme especificação técnica da DMED (fornecimento pela proponente). - Cabos de comunicação para interligação dos medidores do painel ao switch instalado no rack de comunicação (fornecimento pela proponente) - 01 Filtro de Rede (fornecimento pela proponente) - 01 Conversor 48VCC-125CC (fornecimento pela proponente) - Projetos para execução das atividades (fornecido pela DMED) Página 20 de 32

21 Serviços: - Adequação do painel de medição existente, isolando o compartimento onde ficarão os 2 medidores de SMF e as chaves de aferição, dos demais equipamentos do painel, com instalação de chapa de ação compatível com as características do painel, para divisão dos compartimentos, separação da porta traseira, com dispositivos de fechadura e colocação de lacre, e furação da chapa superior/frontal do painel para instalação dos 2 medidores. Adequação da fiação interna. A porta de vidro para visualização dos medidores poderá ser mantida. Os demais medidores e chaves de aferição existentes devem ser remanejados para adequação do painel, mediante aprovação prévia do lay-out de adequação pelo DMED. Figura 7 Painel a ser adequado - Frontal Figura 8 Painel a ser adequado - Traseira Página 21 de 32

22 VISTA FRONTAL VISTA TRASEIRA SITUAÇÃO ATUAL MEDIDORES SMF CHAVES DE AFERIÇÃO MEDIDORES SMF CHAVES DE AFERIÇÃO PORTA SMF PLACA DE FIXAÇÃO PLACA DIVISÓRIA SITUAÇÃO FUTURA SWITCH Página 22 de 32

23 - Instalação, configuração e operacionalização dos medidores e equipamentos de comunicação. - Conexão dos medidores do painel ao switch instalado no rack de comunicação, utilizando o cabo UTP existente. - Instalação dos TI s no cubículo na PCH Ubirajara Machado de Moraes, conforme projeto fornecido pela DMED. Figura 9 Cubículo de AT para substituição dos TI s - Conexão elétrica e lançamento de cabos dos secundários dos TI s ao painel SMF conforme projeto fornecido pela DMED. - Instalação e conexão elétrica dos medidores principal e retaguarda conforme projeto fornecido pela DMED. - Instalação e conexão elétrica dos cabos, conectores e disjuntores, da alimentação de Serviço Auxiliar da usina ao painel do SMF, conforme projeto fornecido pela DMED. - Instalação do Filtro de Rede, conexão das alimentações VCA e VCC e medidores. Página 23 de 32

24 - Instalação de tomadas no painel do SMF conforme projeto fornecido pela DMED. - Instalação do conversor 48VCC-125VCC e conexão ao Serviço Auxiliar da usina e ao Filtro de Rede do Painel de SMF. - Comissionamento da instalação do SMF conforme previsto no Sub-módulo 12.2 do Módulo 12 dos Procedimentos de Rede, e As-built do projeto aprovado pelo ONS Alimentação - Os equipamentos de comunicação deverão ficar abrigados no painel do SMF e sua alimentação através das tomadas contidas no painel do SMF, com alimentação em 220V, conforme projeto fornecido pela DMED. - - O painel e medidores deverão ser alimentados pelo Serviço Auxiliar da usina conforme projeto Serviços a serem executados na PCH Pedro Afonso Junqueira (ANTAS I) DMED Descrição O painel de medição deverá ser adequado e instalado na área de cubículos da PCH Pedro Afonso Junqueira, conforme projeto fornecido pela DMED, e deverá abrigar os medidores fornecidos conforme especificação CCEE/ONS, denominados orientativamente de AIT1P (Transformador 1 Principal), AI T1R (transformador 1 Retaguarda), AIT2P (Transformador 2 Principal), AIT2R (transformador 2 Retaguarda), AIT3P (Transformador 3 Principal), AI T3R (transformador 3 Retaguarda), AIT4P (Transformador 4 Principal), AI T4R (transformador 4 Retaguarda), 1 switch, 1 Filtros de Rede, 1 conversor CC-CC. O Proponente deverá fornecer os 8 medidores, padrão SMF, com saída Ethernet e demais características conforme as especificações CCEE/ONS Composição do Fornecimento: Página 24 de 32

25 - 01 painel de medição (fornecimento pela DMED e instalado e adequado pela proponente) - 08 medidores Padrão SMF (fornecimento da proponente) - 08 chaves de aferição do tipo embutir (fornecimento da proponente) - 01 switch não gerenciável com 16 portas (fornecimento pela proponente) - 6 TP s classe 15kV relação conforme projeto e características conforme especificação técnica da DMED (fornecimento pela proponente). Sendo que o SMF do T1, T2 e T3 compartilhará o mesmo TP na barra, o qual deverá contemplar um segundo enrolamento para proteção, com acesso independente, com as mesmas características do enrolamento de medição TC s classe 15kV relação conforme projeto e características conforme especificação técnica da DMED (fornecimento pela proponente). Sendo que os TC s do SMF do T1 e T2 deverá contemplar um segundo enrolamento para proteção, com acesso independente, com as seguintes características: Relação 300-5A e classe de exatidão 10B50. - Cabos de controle e cabos blindados de conexão aos secundários dos TI s e Serviço auxiliares (CC / CA), bitola e comprimento conforme projeto fornecido pela DMED e características construtivas conforme especificação técnica da DMED (fornecimento pela proponente). - Cabos de comunicação para interligação dos medidores do painel ao switch instalado no rack de comunicação (fornecimento pela proponente) - 01 Filtro de Rede ELO.318 (fornecimento pela DMED) - Projetos para execução das atividades (fornecido pela DMED) Serviços: - Adequação do painel de medição existente, para instalação de 8 medidores de SMF e as chaves de aferição, com a adaptação/substituição da chapa de aço frontal de fixação dos medidores, compatível com as características do painel. Adequação da fiação interna. Instalação do painel do SMF na PCH conforme projeto fornecido pela DMED. Página 25 de 32

26 Figura 10 Painel a ser adequado - Traseira Figura 11 Painel a ser adequado - Frontal VISTA FRONTAL VISTA TRASEIRA SITUAÇÃO ATUAL Página 26 de 32

27 MEDIDORES SMF CHAVES DE AFERIÇÃO MEDIDORES SMF CHAVES DE AFERIÇÃO SITUAÇÃO FUTURA FILTRO DE REDE - Instalação, configuração e operacionalização dos medidores, switch e conversores no painel de medição SMF, conforme projeto fornecido pela DMED. - Instalação/ substituição dos TI s nos cubículo na PCH Pedro Afonso Junqueira conforme projeto fornecido pela DMED. Para os transformadores T1, T2 e T3, os TI s serão instalados em cubículo de alvenaria, para o T4 os TI s atuais deverão ser substituídos para instalação nos cubículo de aço. Para os TP s do T4, deverá ser realizada uma adequação, pois atualmente é utilizado somente um TP. Os 3 TC s do Gerador 7, para medição SMF do T4, com nomenclatura C1TC, que serão substituídos, deverão contemplar 3 enrolamentos (Relação: /5-5-5A Exatidão:0,3C12,5-10B200-10B200), já os 3 TP s do Gerador 7, para medição SMF do T4, com nomenclatura C1TP, que serão substituídos, deverão contemplar 3 enrolamentos (Relação:13800:R3/ V Exatidão:0,3P75-0,3P75-1,2P75), sendo que atualmente o local contempla apenas 1 TP, devendo ser adequado também os barramentos. Página 27 de 32

28 Figura 12 e 13 Cubículos de alvenaria p/ instalação de TC s e TP s (T1, T2 e T3) Figura 14 e 15 Cubículos de aço p/ adequação/substituição de TC s e TP s (T4) Página 28 de 32

29 - Conexão elétrica e lançamento de cabos dos secundários dos TI s ao painel SMF conforme projeto fornecido pela DMED. - Instalação e conexão elétrica dos medidores principal e retaguarda e chaves de aferição conforme projeto fornecido pela DMED. - Lançamento, instalação e conexão elétrica dos cabos, conectores e disjuntores, da alimentação de Serviço Auxiliar da usina, saindo da Sala de Controle da Máquina 7 da UHE-Antas-I, chegando até o painel do SMF, conforme projeto fornecido pela DMED. O lançamento dos cabos deverão ser dentro de canaflex do tipo blindado. - Instalação do Filtro de Rede, conexão das alimentações VCA e VCC e medidores. - Instalação de tomadas no painel do SMF conforme projeto fornecido pela DMED. - Lançamento, instalação e conexão dos cabos de comunicação entre os medidores e o switch do rack de comunicação, localizado no piso superior da usina Antas-I,, contemplando obras de alvenaria, canaletas, eletrodutos e tubos corrugados blindados. - Comissionamento da instalação do SMF conforme previsto no Sub-módulo 12.2 do Módulo 12 dos Procedimentos de Rede, e As-built do projeto aprovado pelo ONS Alimentação - Os equipamentos de comunicação deverão ficar abrigados no painel do SMF e sua alimentação através das tomadas contidas no painel do SMF, com alimentação em 220V. - Os medidores deverão possuir alimentação auxiliar conforme projeto fornecido pela DMED. Página 29 de 32

30 6. PROCEDIMENTOS 6.1. Ensaios, Inspeção e Aprovação Todos equipamentos do fornecimento serão passíveis de inspeção, devendo ser solicitada a execução ou dispensa antes do fornecimento. Os ensaios de inspeção, aceitação do equipamento/serviço, de aprovação de modelo ou de protótipo, serão efetuados com base nas normas específicas da ABNT, nas respectivas especificações técnicas do DMED e especificações técnicos do Módulo 12 dos Procedimentos de Rede do ONS Ensaios de rotina e tipo quando exigido pela DMED devem ser executados no laboratório do fabricante ou laboratório externo devidamente acreditado Quando não existir norma aplicável, estes ensaios serão definidos conforme as especificações técnicas fornecidas para compra Para realização de inspeção será de acordo a norma da DMED Inspeção de materiais e equipamentos e ao final emitido o CIM Certificado de Inspeção de Materiais caso aprovado Serão aceitos para inspeção somente quantidades previstas no respectivo item da Ordem de Compra, prontos para entrega, e que atendam todas as condições especificadas e contratuais Se a DMED optar pela não inspeção será emitida uma comunicação liberando a inspeção e a aprovação fica sujeita aprovação nos ensaios fornecidos pelo fabricante do equipamento em questão Aceitação A aceitação do equipamento e ou serviço pela DMED, seja pela comprovação dos valores, seja por eventual dispensa de inspeção, não eximirá o fornecedor de sua responsabilidade em fornecer o equipamento e ou serviço em plena concordância com o pedido e com esta especificação, nem invalidará ou comprometerá qualquer reclamação Página 30 de 32

31 que a DMED venha a fazer baseada na exigência de materiais inadequados ou defeituosos Por outro lado, a rejeição do equipamento e ou serviço em virtude de falhas constatadas através da inspeção, durante os ensaios ou em virtude da discordância com pedido ou com esta especificação, não eximirá o fornecedor de sua responsabilidade em fornecer o equipamento e ou serviço na data de entrega acordada. Se, na opinião da DMED, a rejeição tornar impraticável a entrega na data acordada ou se tudo indicar que o fornecedor será incapaz de satisfazer os requisitos exigidos, a DMED reserva-se o direito de rescindir todas as suas obrigações e adquirir o equipamento e ou serviço em outra fonte, sendo o fornecedor considerado infrator do pedido, estando sujeito às penalidades aplicáveis ao caso Os serviços serão considerado finalizado e aprovados após comissionamento pelos técnicos da DMED 6.3. Garantia O equipamentos e serviços deverão ser garantidos pelo fornecedor contra falhas ou defeitos de funcionamento que venham a ocorrer no período mínimo de 24 (vinte e quatro) meses a contar da data da entrega A inspeção não exime o fornecedor dos prazos de garantia No decurso do prazo de garantia o fornecedor se compromete a reparar todos os defeitos de fabricação que venham a ocorrer e, se necessário, a substituir o equipamento defeituoso, às suas expensas, responsabilizando-se por todos os custos decorrentes, sejam de material, de mão-de-obra ou de transporte Se a falha constatada for oriunda de erro de projeto ou de produção, tal que comprometa a unidade adquirida e ou reparada, o fornecedor deverá substituí-la a qualquer tempo, independentemente da ocorrência de defeito e independentemente dos prazos de garantia. Página 31 de 32

32 7. ALTERAÇÕES - Vs 02 - Incluído necessidade de fornecimento de Workstatement. - Vs 02 - Incluído necessidade de As-built dos Projetos após comissionamento. - Vs 02 - Adequação do Cronograma. 8. ANEXOS 8.1. Projetos fornecidos pela DMED para implantação dos SMF PCH José Togni (Bortolan) PCH Engº. Ubirajara Machado de Moraes (Véu das Noivas) PCH Engº. Pedro Afonso Junqueira (Antas I) UHE Walter Rossi (Antas II) 8.2. Cronograma de Implantação Cronograma de Implantação de SMF nas Usinas do DMED Etapas / meses 1º 2º 3º 4º 5º Assinatura do Contrato Workstatemente Fornecimento de medidores Fornecimento de chave de aferição Fornecimento de TC s de 72,5kV Fornecimento de TC s de 15kV Fornecimento de TP s de 15kV Fornecimento dos Pedestais Fornecimento da Caixa de Passagem Fornecimento de Switch Fornecimento de Conversor CC-CC Fornecimento de Filtro de Rede Fornecimento de Cabos Adequação dos painéis Execução de Obras Civis Montagens e adaptações Calibrações Comissionamento / As built (Projetos DMED) Aprovação A partir da Assinatura do Contrato. Página 32 de 32

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. Serviço de Implantação de SMF nas usinas da DMED

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. Serviço de Implantação de SMF nas usinas da DMED SUMÁRIO 1. OBJIVO 2 2. ÂMBITO 2 3. CONCEITOS 2 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 3 5. INSTRUÇÕES GERAIS 3 5.1. Adequação dos Sistemas de Medições 3 5.2. Materiais à serem utilizados 3 5.3. Execução dos

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 02 5.1. Local da Realização dos Serviços 02 5.2. Responsabilidade a cargo da DMED

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA TRAFO 145kV - ENERGIZADO SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 03 5.1. Local da Realização dos Serviços 03 5.2. Condição

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO 1. OBJETIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 3.1. Siglas 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 02 5.1. Características Gerais 03 5.2. Características Específicas e Exclusivas

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA Código: ET: 07-02-202 SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJETIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 04 5.1. Características Gerais

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJETIVO 03 2. ÂMBITO 03 3. CONCEITOS 03 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 03 5. INSTRUÇÕES GERAIS 04 5.1. Condições de Serviços 04 5.2. Identificação dos transformadores 04 5.3.

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PROTETOR DE BUCHA PARA TRANSFORMADOR

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PROTETOR DE BUCHA PARA TRANSFORMADOR PROTOR DE BUCHA PARA TRANSFORMADOR SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 03 5.1. Características

Leia mais

Submódulo 12.2. Instalação do sistema de medição para faturamento

Submódulo 12.2. Instalação do sistema de medição para faturamento Submódulo 2.2 Instalação do sistema de medição para faturamento Rev. Nº. Motivo da revisão Data de aprovação pelo ONS Data e instrumento de aprovação pela ANEEL 0 Este documento foi motivado pela criação

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO Conteúdo PG 1. OBJIVO 02 2. AMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÕES APLICÁVEIS 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 02 5.1. Condições de Serviço 02 5.2. Acabamento 03 5.3. Identificação

Leia mais

Infra-estrutura tecnológica

Infra-estrutura tecnológica Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação ATTI Supervisão de Infra-estrutura Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo Infra-estrutura tecnológica Rede Lógica

Leia mais

USINA DE TRATAMENTO DE ESGOTO US3-RALF RESUMO

USINA DE TRATAMENTO DE ESGOTO US3-RALF RESUMO MEMORIAL TÉCNICO: TROCA DE TRANSFORMADOR, CONSTRUÇÃO DE SUBESTAÇÃO EM POSTE SIMPLES COM CABINA DE MEDIÇÃO INDIRETA EM BT DE ENERGIA ELÉTRICA E ADEQUAÇÃO AS NORMAS VIGENTES USINA DE TRATAMENTO DE ESGOTO

Leia mais

pdc_me_05 Página 1 de 28 Versão: 1 Início de Vigência: 11.03.2008 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 934, de 07 de março de 2008.

pdc_me_05 Página 1 de 28 Versão: 1 Início de Vigência: 11.03.2008 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 934, de 07 de março de 2008. pdc_me_05 Página 1 de 28 Procedimento de Comercialização Versão: 1 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 934, de 07 de março de 2008. CÂMARA DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MANUTENÇÃO CORRIVA EM TRANSFORMADORES DE SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 02 5.1. Local da Realização dos Serviços

Leia mais

pdc_me_04_versao2 Página 1 de 19 Versão: 2 Início de Vigência: 23.02.2010 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010

pdc_me_04_versao2 Página 1 de 19 Versão: 2 Início de Vigência: 23.02.2010 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010 pdc_me_04_versao2 Página 1 de 19. Procedimento de Comercialização Versão: 2 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010 ÍNDICE 1. APROVAÇÃO... 3 2. HISTÓRICO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título: TRANSFORMADORES DE POTENCIAL PARA EQUIPAMENTOS ESPECIAIS Código ETD-00.062 Data da emissão 28.09.2012 Data da última revisão Folha 1 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Normas Complementares

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 03 5.1. Condições de Operação 03 5.2. Materiais e Construção 04 6. PROCEDIMENTOS

Leia mais

Adequação do Sistema de Medição em Consumidores Livres e Especiais. Celso Yamada - Gerência de Engenharia de Medição

Adequação do Sistema de Medição em Consumidores Livres e Especiais. Celso Yamada - Gerência de Engenharia de Medição ID-6.016 Adequação do Sistema de Medição em Consumidores Livres e Especiais Instrução Técnica Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Engenharia de Medição Elaborado por: Colaboradores: Verificado

Leia mais

pdc_me_05_versao2 Página 1 de 21 Versão: 2 Início de Vigência: 23.02.2010 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010

pdc_me_05_versao2 Página 1 de 21 Versão: 2 Início de Vigência: 23.02.2010 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010 pdc_me_05_versao2 Página 1 de 21 Procedimento de Comercialização Versão: 2 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010 CÓDIGO ÍNDICE 1. APROVAÇÃO...

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA D SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJETIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 04 5.1. Condições Gerais 04 5.2. Condições Especificas

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MEDIDOR DE ENERGIA ELRICA ELRÔNICO SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 03 5.1. Condições de Serviço 03 5.2. Características

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 01-2013 SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 03 5.1. Local da Realização dos Serviços 03 5.2. Condição do serviço 03

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA PROPRIEDADE

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA PROPRIEDADE SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.14.009 SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA

Leia mais

MEDIÇÃO DE FATURAMENTO PARA CONSUMIDORES LIVRES (SMF)

MEDIÇÃO DE FATURAMENTO PARA CONSUMIDORES LIVRES (SMF) COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS MANUAL TÉCNICO DE DISTRIBUIÇÃO MEDIÇÃO DE FATURAMENTO PARA CONSUMIDORES LIVRES (SMF) JUNHO/2016 ÍNDICE 1 MEDIÇÃO DE FATURAMENTO PARA CONSUMIDOR LIVRE 1 1.1 Introdução

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ELO FUSÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ELO FUSÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ELO FUSÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO Código ETD-00.016 Data da emissão 30.04.1987 Data da última revisão 29.06.2006 Folha 1 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Normas Complementares 3 Definições

Leia mais

ESCLARECIMENTO Nº 02

ESCLARECIMENTO Nº 02 PE.GCM.A.00005.2014 1/7 ESCLARECIMENTO Nº 02 1. FURNAS Centrais Elétricas S.A. comunica resposta ao pedido de esclarecimento sobre o Edital, efetuado por empresa interessada: 1.1. Lote I SEP 765kV 1.1.1.

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO 7. CONTEÚDO Transformadores para Instrumentos 145 kv 7.1. Geral PG. 7.2. Normas 7.3. Escopo de Fornecimento 7.4. Características Elétricas 7.4.1. Gerais 7.4.2. Transformadores de Corrente 03 7.4.3.

Leia mais

Versão: 3 Início de Vigência: 01.10.2008 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 3.042, de 14 de agosto de 2008

Versão: 3 Início de Vigência: 01.10.2008 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 3.042, de 14 de agosto de 2008 Procedimento de Comercialização Versão: 3 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 3.042, de 14 de agosto de 2008 ÍNDICE 1. APROVAÇÃO... 3 2. HISTÓRICO DE REVISÕES... 3 3. PROCESSO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS, LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 03 5.1. Local da realização dos serviços 03 5.2. Condições

Leia mais

QUALIDADE - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO

QUALIDADE - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO PLUG TERMINAL COM CAPA (PTC) 600 A 8,7 / 15 KV OPERAÇÃO SEM CARGA SUMÁRIO ITEM CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 03 5.1. Condições

Leia mais

1. EVENTOS VINCULADOS AO EMPREENDIMENTO. EVENTO Aceite da Ordem de Serviço/Consolidação do Cronograma.

1. EVENTOS VINCULADOS AO EMPREENDIMENTO. EVENTO Aceite da Ordem de Serviço/Consolidação do Cronograma. GERAL O objetivo deste documento é definir critérios para ressarcimento de eventos de pagamentos e Eventos Críticos e permitir a emissão, por parte do Contratado, do Relatório de Cumprimento de Eventos.

Leia mais

NOTA TÉCNICA 6.005. Página 1 de 20. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição

NOTA TÉCNICA 6.005. Página 1 de 20. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição Página 1 de 0 NOTA TÉCNICA 6.005 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INTERLIGAÇÃO DE GERADOR PARTICULAR DE CONSUMIDOR PRIMÁRIO COM A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DA AES ELETROPAULO UTILIZANDO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO E-62.014

ESPECIFICAÇÃO E-62.014 ESPECIFICAÇÃO E-62.014 Transformador de Corrente com Tensão Igual ou Superior a 69 kv Processo: Medição e Perdas Versão: 0.0 Início de Vigência: 30-01-2014 Órgão de Origem: Divisão de Medição e Proteção

Leia mais

NORMA TÉCNICA NTC 011

NORMA TÉCNICA NTC 011 COMPANHIA CAMPOLARGUENSE DE ENERGIA COCEL NORMA TÉCNICA 011 CAIXAS PARA EQUIPAMENTOS DE MEDIÇÃO - MATERIAL POLIMÉRICO Divisão de Medição e Fiscalização Emissão: 2015 Versão: 01/2015 1 2 SUMÁRIO: 1. OBJETIVO...

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S/A MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANEXO XIV ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ELOS FUSÍVEIS TIPO EXPULSÃO PARA CIRCUITO DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA COM EXTINÇÃO DE ARCO E ELOS FUSIVEIS

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES GERAIS

CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES GERAIS CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES GERAIS Instalação do sistema de geração de ozônio na piscina coberta do Centro de Atividades do SESC Ceilândia. Brasília-DF COMAP/DIAD Página 1 BASES TÉCNICAS PARA

Leia mais

NORMA TÉCNICA SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 3 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3 RESPONSABILIDADES... 3 4 DEFINIÇÕES... 3

NORMA TÉCNICA SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 3 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3 RESPONSABILIDADES... 3 4 DEFINIÇÕES... 3 30 / 08 / 2012 1 de 19 SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 3 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3 RESPONSABILIDADES... 3 4 DEFINIÇÕES... 3 4.1 Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT... 3 4.2 Agência Nacional de Energia

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 48

COMUNICADO TÉCNICO Nº 48 Página 1 de 19 COMUNICADO TÉCNICO Nº 48 ATENDIMENTO DE NOVOS CONSUMIDORES LOCALIZADOS EM ÁREAS DE SISTEMAS SUBTERRÂNEOS DE DISTRIBUIÇÃO Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Engenharia da Distribuição

Leia mais

LIGAÇÃO NOVA E AUMENTO DE CARGA PARA UNIDADES CONSUMIDORAS COMPREENDIDAS EM ENTRADAS COLETIVAS EXISTENTES (PADRÃO ANTIGO)

LIGAÇÃO NOVA E AUMENTO DE CARGA PARA UNIDADES CONSUMIDORAS COMPREENDIDAS EM ENTRADAS COLETIVAS EXISTENTES (PADRÃO ANTIGO) LIGAÇÃO NOVA E AUMENTO DE CARGA PARA UNIDADES CONSUMIDORAS COMPREENDIDAS EM ENTRADAS COLETIVAS EXISTENTES (PADRÃO ANTIGO) Condições de atendimento Diretoria de Distribuição Gerência de Engenharia da Distribuição

Leia mais

Camada Física Camada Física Camada Física Função: A camada Física OSI fornece os requisitos para transportar pelo meio físico de rede os bits que formam o quadro da camada de Enlace de Dados. O objetivo

Leia mais

A entrada de energia elétrica será executada através de:

A entrada de energia elétrica será executada através de: Florianópolis, 25 de março de 2013. 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS O presente memorial tem como principal objetivo complementar as instalações apresentadas nos desenhos/plantas, descrevendo-os nas suas partes

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG.. Instalações Elétricas Gerais 02.1. Geral 02.2. Normas 02.3. Escopo de Fornecimento 02.4. Características Elétricas para Iluminação de Uso Geral 02.4.1. Geral 02.4.2. Tensões de Alimentação

Leia mais

Portaria n.º 466, de 16 de outubro de 2014.

Portaria n.º 466, de 16 de outubro de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 466, de 16 de outubro de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

NOTA TÉCNICA 6.010. Página 1 de 19. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição

NOTA TÉCNICA 6.010. Página 1 de 19. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição Página 1 de 19 NOTA TÉCNICA 6.010 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INTERLIGAÇÃO DE GERADOR PARTICULAR DE CONSUMIDOR SECUNDÁRIO COM A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DA AES ELETROPAULO UTILIZANDO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA

Leia mais

NTC 901100 FORNECIMENTO EM TENSÃO SECUNDÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO

NTC 901100 FORNECIMENTO EM TENSÃO SECUNDÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO Companhia Paranaense de Energia COPEL NORMAS TÉCNICAS COPEL NTC 901100 FORNECIMENTO EM TENSÃO SECUNDÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO Órgão Emissor: Coordenação de Comercialização de Energia - CCD Coordenadoria de

Leia mais

Termo de Referência Manutenção Preventiva e Corretiva de Equipamentos Ativos de Rede de Dados do Palácio da Cidade

Termo de Referência Manutenção Preventiva e Corretiva de Equipamentos Ativos de Rede de Dados do Palácio da Cidade PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Empresa Municipal de Informática S.A. - IplanRio Termo de Referência Manutenção Preventiva e Corretiva de Equipamentos Ativos de Rede de Dados do Palácio da Cidade

Leia mais

INFORMAÇÃO TÉCNICA DDE Nº 006/2014 DE 10/12/2014

INFORMAÇÃO TÉCNICA DDE Nº 006/2014 DE 10/12/2014 INFORMAÇÃO TÉCNICA DDE Nº 006/2014 DE 10/12/2014 Procedimentos para validação de Subestações Blindadas Classes 15 kv e 36,2 kv Este procedimento se encontra na sua Revisão 2 cancelando e substituindo o

Leia mais

ITEM CLASSIFICAÇÃO DESCRIÇÃO VALOR TOTAL

ITEM CLASSIFICAÇÃO DESCRIÇÃO VALOR TOTAL ANEXO III PROPOSTA COMERCIAL PADRONIZADA EDITAL DE PREGÃO Nº. 039/2013 A DME Distribuição S/A - DMED PREGÃO N. 039/2013 A empresa..., inscrita no CNPJ/MF sob o n..., estabelecida à Av./Rua..., n..., bairro...,

Leia mais

ND-2.009 Ligação de Edifícios com Transformadores

ND-2.009 Ligação de Edifícios com Transformadores ND-2.009 Ligação de Edifícios com Transformadores em Pedestal Norma Técnica Distribuição de Energia Elétrica ND-2.009 Ligação de Edifícios com Transformadores em Pedestal Autores: Plácido Antonio Brunheroto

Leia mais

Usuários: Divisão de Medição e Proteção da Receita, Gerências e Centros Regionais.

Usuários: Divisão de Medição e Proteção da Receita, Gerências e Centros Regionais. 1 Usuários: Divisão de Medição e Proteção da Receita, Gerências e Centros Regionais. SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 3. DEFINIÇÕES 4. CONDIÇÕES GERAIS 5. CONDIÇÕES ESPECÍFICAS

Leia mais

Especificação Quadro Autoportante de Baixa Tensão

Especificação Quadro Autoportante de Baixa Tensão Especificação Quadro Autoportante de Baixa Tensão Descrição: QUADRO AUTO-PORTANTE ATÉ 4000A Local de Aplicação QGBT Modelo Fabricante: Fabricante Alternativo Normas NBR 6808, IEC 60439-1 Aplicáveis Critério

Leia mais

REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC

REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE CABEAMENTO ESTRUTURADO ÍNDICE 1 Informativos gerais 2 Especificações e Tabelas

Leia mais

QUADRO DE MEDIDORES PARA PRÉDIO DE MÚLTIPLAS UNIDADES CONSUMIDORAS NTD-23

QUADRO DE MEDIDORES PARA PRÉDIO DE MÚLTIPLAS UNIDADES CONSUMIDORAS NTD-23 QUADRO DE MEDIDORES PARA PRÉDIO DE MÚLTIPLAS UNIDADES CONSUMIDORAS NTD-23 INDICE 1- OBJETIVO... 03 2- CONDIÇÕES GERAIS... 03 2.1- GENERALIDADES... 03 2.2- IDENTIFICAÇÃO... 03 3- CONDIÇÕES ESPECÍFICAS...

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO O cabeamento vertical, ou cabeamento de backbone integra todas as conexões entre o backbone do centro administrativo e os racks departamentais,

Leia mais

Compartilhamento de Infraestrutura de Rede de Distribuição Aérea com Redes de Telecomunicações

Compartilhamento de Infraestrutura de Rede de Distribuição Aérea com Redes de Telecomunicações ID-4.044 Compartilhamento de Infraestrutura de Rede de Distribuição Aérea com Redes de Telecomunicações Diretoria de Engenharia Gerência de Serviços Técnicos ELABORADO: Luiz Eduardo R. Magalhães Gerência

Leia mais

FASCÍCULO MEDIÇÃO ELETRÔNICA CENTRALIZADA. BAIXA TENSÃO edição 2010. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Engenharia

FASCÍCULO MEDIÇÃO ELETRÔNICA CENTRALIZADA. BAIXA TENSÃO edição 2010. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Engenharia FASCÍCULO MEDIÇÃO ELETRÔNICA CENTRALIZADA BAIXA TENSÃO edição 2010 Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia Fascículo de Medição Eletrônica Centralizada 2010 1º Edição v.01-31/03/2010

Leia mais

Andraplan Administração Empresarial Ltda. A essência da consultoria.

Andraplan Administração Empresarial Ltda. A essência da consultoria. Andraplan Administração Empresarial Ltda. A essência da consultoria. Publicação de domínio público reproduzida na íntegra por Andraplan Administração Empresarial Ltda. Caso tenha necessidade de orientações

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO INSPEÇÃO DE SUBESTAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA E INFORMAÇÕES SOBRE AS DIMENSÕES DOS TRANSFORMADORES DE MEDIÇÃO

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO INSPEÇÃO DE SUBESTAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA E INFORMAÇÕES SOBRE AS DIMENSÕES DOS TRANSFORMADORES DE MEDIÇÃO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO INSTRUÇÃO DE CÓDIGO TÍTULO VERSÃO IT.DT.PDN.03.14.011 INFORMAÇÕES SOBRE AS DIMENSÕES DOS 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA ENGENHARIA SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3

Leia mais

Capítulo VI. Lista de verificação para prontuário, projetos e ensaios elétricos Por Marcus Possi* Inspeção de instalações elétricas

Capítulo VI. Lista de verificação para prontuário, projetos e ensaios elétricos Por Marcus Possi* Inspeção de instalações elétricas 44 Capítulo VI Lista de verificação para prontuário, projetos e ensaios elétricos Por Marcus Possi* Da mesma forma que se deve fazer com os elementos que formam uma instalação elétrica no seu sentido físico,

Leia mais

Sistema de Alimentação para lâmpadas UV.

Sistema de Alimentação para lâmpadas UV. Página 1 de 8 Sistema de Alimentação para lâmpadas UV. Linha: UV-TRON - Alimentação bifásica - Alto fator de potência Revisão: 2 Página 2 de 8 Características Gerais: O sistema Rasatronic UV-TRON é um

Leia mais

1. OBJETO 2. PRODUTOS

1. OBJETO 2. PRODUTOS 1. OBJETO 1.1 Aquisição com instalação de aparelhos de ar-condicionado tipo split para atendimento da Unidade Operacional da Anatel em Mato Grosso do Sul (UO7.2). 2. PRODUTOS 2.1 Fornecimento de 4 (quatro)

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Administração Regional no Estado da Bahia. Criado e mantido pelos Empresários do Comércio de Bens, Serviços e Turismo

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Administração Regional no Estado da Bahia. Criado e mantido pelos Empresários do Comércio de Bens, Serviços e Turismo CONVITE N. 44/2012 MEMORIAL DESCRITIVO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA REALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE AJUSTES E CORREÇÕES EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DO SESC COMÉRCIO, PARA INSTALAÇÃO DE MÁQUINAS DE

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS001 CANTEIRO DE OBRAS Revisão: 03 Dez./13 SUMÁRIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS001 CANTEIRO DE OBRAS Revisão: 03 Dez./13 SUMÁRIO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS001 CANTEIRO DE OBRAS Revisão: 03 Dez./13 SUMÁRIO 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências...2 3. Definições...2

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA AUTOR MATRÍCULA RUBRICA LEONARDO ALEX COSTA ALVES 14.722-35 VALIDADOR MATRÍCULA RUBRICA ALEX TAKASHI YOKOYAMA 16.

TERMO DE REFERÊNCIA AUTOR MATRÍCULA RUBRICA LEONARDO ALEX COSTA ALVES 14.722-35 VALIDADOR MATRÍCULA RUBRICA ALEX TAKASHI YOKOYAMA 16. TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO DE SISTEMA ININTERRUPTO DE ENERGIA - NO-BREAK, PARA A SUPERINTENDENCIA REGIONAL DO NORTE, PELO SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇOS. AUTOR MATRÍCULA RUBRICA LEONARDO ALEX COSTA ALVES

Leia mais

Medidor monofásico eletrônico LUMEN MC

Medidor monofásico eletrônico LUMEN MC Medidor monofásico eletrônico LUMEN MC kwh MEDIDOR ELETRÔNICO LUMEN MC 120V 15(100)A 60Hz 2Fios 1EL 1Fase REVERSO Ke 0,625 Wh/Pulso Kh 0,625 Wh/Pulso Classe B 2008 Y K Portaria INMETRO/Dimel nº 00000000

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES REFRIGERADOR PARA ÔNIBUS MODELO G7

MANUAL DE INSTRUÇÕES REFRIGERADOR PARA ÔNIBUS MODELO G7 MANUAL DE INSTRUÇÕES Compact Indústria de Produtos Termodinâmicos Ltda. Fábrica: Est. BR-116 KM 152,3, 21940 Pavilhão 1 Bairro Planalto Caxias do Sul - RS - CEP 95070-070 Fone (0XX) 54-2108-3838- Fax:

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 4. Disjuntor 145 kv 02 4.1. Objetivo 02 4.2. Normas 02 4.3. Escopo de Fornecimento 02 T- 4.1. Tabela 02 4.4. Características Elétricas 02 4.5. Características Operativas 03 4.5.1.

Leia mais

GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO, CONTROLE E COMUNICAÇÃO EM SISTEMAS DE POTÊNCIA (GPC)

GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO, CONTROLE E COMUNICAÇÃO EM SISTEMAS DE POTÊNCIA (GPC) GPC / 07 7 a 22 de Outubro de 999 Foz do Iguaçu Paraná - Brasil GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO, CONTROLE E COMUNICAÇÃO EM SISTEMAS DE POTÊNCIA (GPC) REQUISITOS DE MEDIÇÃO DE ENERGIA PARA

Leia mais

Cód. Manual MSE. Sistema Subsistema Vigência MANUTENÇÃO SUBESTAÇÃO 07.10.2011 Í N D I C E - QUALIDADE DOS MATERIAIS...2

Cód. Manual MSE. Sistema Subsistema Vigência MANUTENÇÃO SUBESTAÇÃO 07.10.2011 Í N D I C E - QUALIDADE DOS MATERIAIS...2 Sistema Subsistema Vigência MANUTENÇÃO SUBESTAÇÃO 07.10.2011 Inst./Equipamento TC 500kV OSKF-1800 FABRICAÇÃO TRENCH Assunto CORREÇÃO DE VAZAMENTO EM TRANSFORMADOR DE CORRENTE 500KV TIPO OSKF-1800, FABRICAÇÃO

Leia mais

POLÍTICA DE FORNECIMENTO DE BENS E SERVIÇOS DA DURATEX S.A.

POLÍTICA DE FORNECIMENTO DE BENS E SERVIÇOS DA DURATEX S.A. ÍNDICE DURATEX S/A POLÍTICA DE FORNECIMENTO DE BENS E SERVIÇOS DA DURATEX S.A. 1. OBJETIVO 2. PRINCÍPIOS GERAIS 3. REFERÊNCIAS 4. DEFINIÇÕES 4.1. DURATEX 4.2. UNIDADE REQUISITANTE 4.3. UNIDADE DESTINATÁRIA

Leia mais

DIRETORIA DE OPERAÇÃO DO

DIRETORIA DE OPERAÇÃO DO DIRETORIA DE OPERAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE OPERAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO DOP TERMO DE REFERÊNCIA 011/2010 - DOP PROJETO DE AUTOMAÇÃO DAS SUBESTAÇÕES ARIQUEMES, JARU, JI-PARNÁ I, CACOAL, PIMENTA BUENO, ESPIGÃO

Leia mais

SUBESTAÇÃO TIPOS DE SUBESTAÇÕES

SUBESTAÇÃO TIPOS DE SUBESTAÇÕES SUBESTAÇÃO Uma subestação elétrica é um grupamento de equipamentos elétricos com a finalidade de dirigir o fluxo de energia elétrica num sistema de potência e de possibilitar a operação segura do sistema,

Leia mais

Índice. Página 1 de 7

Índice. Página 1 de 7 Índice 1 - Objectivos...2 2 - Legislação aplicável...2 3 - Enquadramento legal...2 3.1 - Limites de fornecimento...2 3.2 - Descrição de encargos...2 3.2.1 - Encargos do adjudicatário...2 3.3 - Encargos

Leia mais

ANEXO 1 ETAPAS FÍSICAS E CONTEÚDO LOCAL QUE DEVERÃO SER CUMPRIDOS PELO FABRICANTE

ANEXO 1 ETAPAS FÍSICAS E CONTEÚDO LOCAL QUE DEVERÃO SER CUMPRIDOS PELO FABRICANTE ANEXO 1 ETAPAS FÍSICAS E CONTEÚDO LOCAL QUE DEVERÃO SER CUMPRIDOS PELO FABRICANTE A. AEROGERADORES COM CAIXA MULTIPLICADORA A.1. MARCO INICIAL Consiste no enquadramento do Fabricante, pela análise do BNDES,

Leia mais

PROJETO DE SUBESTAÇÃO ABRIGADA DE

PROJETO DE SUBESTAÇÃO ABRIGADA DE PROJETO DE SUBESTAÇÃO ABRIGADA DE 750kVA DESTINADA AO PRÉDIO DA PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DE PERNAMBUCO, SITUADO NO MUNICÍPIO DE RECIFE NO ESTADO DE PERNAMBUCO. MEMORIAL DESCRITIVO 1. FINALIDADE:

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO. NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade. 1. Introdução. 2. Porque da importância da NR-10

BOLETIM TÉCNICO. NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade. 1. Introdução. 2. Porque da importância da NR-10 NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade 1. Introdução A Norma Regulamentadora n 10 é um documento que descreve um conjunto de procedimentos e requisitos para as atividades que envolvem

Leia mais

ANEXO VIII CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA A EXPLORAÇÃO DA UHE TELES PIRES

ANEXO VIII CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA A EXPLORAÇÃO DA UHE TELES PIRES ANEXO VIII CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA A EXPLORAÇÃO DA UHE TELES PIRES A exploração da UHE Teles Pires, pela Concessionária, será realizada em conformidade com a legislação em vigor

Leia mais

2.1. O Estudo de Inventário da UHE Colíder foi aprovado conforme a seguir discriminado:

2.1. O Estudo de Inventário da UHE Colíder foi aprovado conforme a seguir discriminado: ANEXO VIII AO EDITAL DE LEILÃO Nº. 03/2010-ANEEL ANEXO VIII CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA A EXPLORAÇÃO DA UHE FERREIRA GOMES A exploração da UHE Ferreira Gomes, pela Concessionária,

Leia mais

Responsavel Técnico: Kadner Pequeno Feitosa CREA 1600584594 Email-ativaprojetoseletricos@gmail.com

Responsavel Técnico: Kadner Pequeno Feitosa CREA 1600584594 Email-ativaprojetoseletricos@gmail.com Projeto Elétrico Padrão de Medição, fornecimento de energia em tensão primária 13.8kV, a partir da rede aérea de distribuição para atender Defensoria Pública do Estado da Paraíba. Responsavel Técnico:

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. DATA: 28/02/2013 ORIGEM Gerência de Logística 1 OBJETO

TERMO DE REFERÊNCIA. DATA: 28/02/2013 ORIGEM Gerência de Logística 1 OBJETO DATA: 28/02/203 OBJETO Contratação de empresa especializada no fornecimento de materiais para manutenção nas instalações prediais existentes no espaço físico da Telecomunicações Brasileiras S.A. - TELEBRAS,

Leia mais

Estado de Santa Catarina Prefeitura Municipal de BOMBINHAS Secretaria de Educação CEIT BOMBINHAS PROJETO

Estado de Santa Catarina Prefeitura Municipal de BOMBINHAS Secretaria de Educação CEIT BOMBINHAS PROJETO Estado de Santa Catarina Prefeitura Municipal de BOMBINHAS Secretaria de Educação CEIT CENTRO EDUCAÇÃO INTEGRAL TECNOLÓGICA BOMBINHAS MEMORIAL DESCRITIVO SUBESTAÇÃO DE ENERGIA PROJETO CENTRO DE EDUCAÇÃO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. RÁDIO DIGITAL PDH SHF (1+1) 4x2, 8x2, 16x2 Mbps 02.112-TI/SI 1410. Revisão C

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. RÁDIO DIGITAL PDH SHF (1+1) 4x2, 8x2, 16x2 Mbps 02.112-TI/SI 1410. Revisão C ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA RÁDIO DIGITAL PDH SHF (1+1) 4x2, 8x2, 16x2 Mbps 02.112-TI/SI 1410 Revisão C SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÕES E INFORMÁTICA - TI GERÊNCIA DE SUPORTE EM INFRA-ESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES

Leia mais

LEITOR PROX 9004 VERSÃO DO MANUAL

LEITOR PROX 9004 VERSÃO DO MANUAL LEITOR PROX 9004 VERSÃO DO MANUAL 1.3 de 11/02/2014 7548 2 Sumário 1. Apresentação... 5 2. Itens que Acompanham... 5 3. Especificações Técnicas... 6 4. Características Gerais... 6 5. Recomendações de Instalação...

Leia mais

Procedimento Sistêmico N⁰ do procedimento: PS 01

Procedimento Sistêmico N⁰ do procedimento: PS 01 1/ 6 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Emissão do documento 01 Adequação aos processos Adequação de seu conteúdo para sistema ISO 9001:2008 e alteração de nomenclatura. 02 Deixa de ser chamado de PO (Procedimento

Leia mais

NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 6. PERGUNTA 1: Os itens 15 e 16 do termo de referência, referentes aos treinamentos, trazem as seguintes determinações:

NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 6. PERGUNTA 1: Os itens 15 e 16 do termo de referência, referentes aos treinamentos, trazem as seguintes determinações: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Assessoria Especial para Modernização da Gestão Central de Compras e Contratações NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 6 PREGÃO ELETRÔNICO Nº 4/2015 PROCESSO Nº 04300.003546/2014-01

Leia mais

Anexo II FUNCIONALIDADES MÍNIMAS DO SISTEMA BLOQUEADOR

Anexo II FUNCIONALIDADES MÍNIMAS DO SISTEMA BLOQUEADOR Anexo II FUNCIONALIDADES MÍNIMAS DO SISTEMA BLOQUEADOR 1. DESCRIÇÃO GERAL DO SISTEMA BLOQUEADOR 1.1. O Sistema Bloqueador de Comunicação Móvel deve ser capaz de inibir o uso de aparelhos de comunicação

Leia mais

INFRA-ESTRUTURA PARA INSTALAÇÃO, ATIVAÇÃO E RECUPERAÇÃO DE EILD

INFRA-ESTRUTURA PARA INSTALAÇÃO, ATIVAÇÃO E RECUPERAÇÃO DE EILD ANEXO 5 Contrato de Fornecimento de Serviços de Exploração Industrial de Linhas Dedicadas EILD entre a BRASIL e a OPERADORA INFRA-ESTRUTURA PARA INSTALAÇÃO, ATIVAÇÃO E RECUPERAÇÃO DE EILD Página 1 de 7

Leia mais

Eletroímã VERSÃO DO MANUAL

Eletroímã VERSÃO DO MANUAL Eletroímã VERSÃO DO MANUAL 1.4 de 19/02/2013 3045 Sumário 1. Apresentação... 3 2. Itens que Acompanham... 3 2.1. FECHBEM SUPER FS 150 e FS 200... 3 2.2. AUTOMAG F300 E F600... 4 3. Especificações Técnicas...

Leia mais

Aplicação de Condutores de Alumínio em Medição de Consumidor em BT

Aplicação de Condutores de Alumínio em Medição de Consumidor em BT Aplicação de Condutores de Alumínio em Medição de Consumidor em BT 1 Escopo Esta ITA Ampla, tem por objetivo estabelecer os procedimentos a serem adotados para aplicação de condutores de alumínio em substituição

Leia mais

ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 01/2015 CREMEB

ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 01/2015 CREMEB ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 01/2015 CREMEB 1 -DO OBJETO 1.1 O objeto do Pregão Presencial é a aquisição desinstalação e instalação por demanda de 13 aparelhos de ar condicionado

Leia mais

Manual Técnico. Transformadores de Potência. Versão: 5

Manual Técnico. Transformadores de Potência. Versão: 5 Manual Técnico Transformadores de Potência Versão: 5 Índice 2 8 Página 1 1 INTRODUÇÃO Este manual fornece instruções referentes ao recebimento, instalação e manutenção dos transformadores de potência a

Leia mais

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono.

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Definição ( montado): é uma combinação de dispositivos e equipamentos de manobra,

Leia mais

Controladora CT370 Manual Versão 3.2 Revisão 0 Outubro/2014

Controladora CT370 Manual Versão 3.2 Revisão 0 Outubro/2014 Controladora CT370 Manual Versão 3.2 Revisão 0 Outubro/2014 Sumário 1. Apresentação... 4 2. Itens que Acompanham... 4 3. Especificações Técnicas... 4 4. Características Gerais... 5 5. Visão Geral do Equipamento...

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS SITE: www.amm.org.br- E-mail: engenharia@amm.org.br AV. RUBENS DE MENDONÇA, N 3.920 CEP 78000-070 CUIABÁ MT FONE: (65) 2123-1200 FAX: (65) 2123-1251 MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES

Leia mais

Portaria n.º 656, de 17 de dezembro de 2012.

Portaria n.º 656, de 17 de dezembro de 2012. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 656, de 17 de dezembro de 2012. O PRESIDENTE

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO

INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO FOLHAS DE DADOS Todas as folhas de dados para os equipamentos mencionados deverão ser devidamente preenchidas conforme determinado a seguir. Deverá ser preenchida uma folha de dados para cada tipo de equipamento

Leia mais

Painel Setorial do Padrão Brasileiro de Plugues e Tomadas

Painel Setorial do Padrão Brasileiro de Plugues e Tomadas do Padrão Brasileiro de Plugues e Tomadas Módulo I: O impacto do padrão brasileiro de plugues e tomadas na segurança do cidadão. Palestra 2: As normas NBR 6147 e NBR 14136 e os aspectos de segurança associados.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Fornecimento e Instalação de Equipamento de Ar Condicionado Sede Poiesis

TERMO DE REFERÊNCIA Fornecimento e Instalação de Equipamento de Ar Condicionado Sede Poiesis 1. JUSTIFICATIVA O presente Termo tem por objetivo a contratação de empresa especializada em prover solução técnica que venha a garantir condições internas de temperatura e climatização de acordo com Norma

Leia mais

PADRÃO DE ENTRADA DA UNIDADE CONSUMIDORA COM CAIXA MODULAR DE POLICARBONATO INDIVIDUAL E COLETIVO

PADRÃO DE ENTRADA DA UNIDADE CONSUMIDORA COM CAIXA MODULAR DE POLICARBONATO INDIVIDUAL E COLETIVO CSUMIDORA COM CAIXA MODULAR DE POLICARBATO INDIVIDUAL E COLETIVO 1. OBJETIVO Padronizar entrada da unidade consumidora com a caixa tipo modular, fabricado em policarbonato e tampa transparente, para medição

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. ELETROBRAS AVISO DE ESCLARECIMENTO Nº 04 EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO DAC Nº 26/2015

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. ELETROBRAS AVISO DE ESCLARECIMENTO Nº 04 EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO DAC Nº 26/2015 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. ELETROBRAS AVISO DE ESCLARECIMENTO Nº 04 EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO DAC Nº 26/2015 A Centrais Elétricas Brasileiras S.A. ELETROBRAS, por

Leia mais

Portaria n.º 658, de 17 de dezembro de 2012.

Portaria n.º 658, de 17 de dezembro de 2012. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 658, de 17 de dezembro de 2012. O PRESIDENTE

Leia mais