Request for Proposal RFP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Request for Proposal RFP"

Transcrição

1 Request for Proposal RFP Termos Gerais (RFP - Prestação de serviço de consultoria - ISO :2011) Ditec - GovTI - Metodologias e Padrões Sumário Introdução Objetivo Termos e Condições Confidencialidade Responsabilidade Cronograma Contatos Critérios de Avaliação / 5

2 Introdução Este documento fornece informações e requisitos para que empresas com atuação no mercado de TI apresentem soluções para realização de diagnóstico, elaboração de plano de ajustes e melhorias nos processos de gerenciamento de serviços de tecnologia de informação (TI) para a certificação na norma ISO/IEC :2011, assim como acompanhamento das etapas de auditoria interna, externa e auditorias de manutenção após a certificação, conforme o conjunto de premissas constantes neste documento. 1. Objetivo O objetivo da solução objeto desta consulta ao mercado é prestação de serviço de consultoria para realizar levantamento e análise dos processos de gerenciamento de serviços de tecnologia da informação (TI) do Banco do Brasil visando a realização de um diagnóstico, elaboração de um plano de ajustes e melhorias para a certificação na norma ISO/IEC :2011 e acompanhamento das etapas de auditoria interna e externa. Bem como, posterior acompanhamento nas auditorias de manutenção. O serviço a ser contratado contempla três etapas distintas, a serem prestadas com o objetivo de auxiliar a certificação dos processos de gerenciamento de serviços de TI executados pela Diretoria de Tecnologia do Banco do Brasil à Norma ISO/IEC :2011. As etapas estão assim organizadas: a) Elaboração de diagnóstico da situação atual dos processos em relação aos requisitos estabelecidos na norma, indicando para cada requisito a ser atendido qual o grau de aderência e as fragilidades identificadas (gap analysys); para os requisitos em que se identifique qualquer fragilidade ou oportunidade de melhoria deverão ser apresentadas sugestões de ajuste, visando adequá-los aos preceitos da norma; b) Acompanhamento dos trabalhos de auditoria interna a serem conduzidos por equipe de funcionários do BB previamente à certificação; c) Acompanhamento dos trabalhos da auditoria externa a ser contratada com o objetivo de certificar os processos de gerenciamento de serviços de TI do BB. 2 / 5

3 O escopo de atuação se limitará a um serviço de TI, já avaliado na ISO :2005, que envolverá uma quantidade não superior a 100 pessoas. Todas as etapas serão conduzidas nas dependências do Banco do Brasil, Diretoria de Tecnologia (DITEC) em Brasília (DF). Os profissionais alocados pela empresa deverão ser certificados na norma ISO pelo exame ITSMF. Todos os resultados devem ser registrados em relatórios de acompanhamento, atas de reunião ou outros que permitam acompanhar seu desenvolvimento. E os trabalhos devem abranger todos os requisitos previstos na norma ABNT ISO :2011, verificando sua existência e efetividade, de forma a permitir sua certificação. 2. Termos e Condições 2.1. Confidencialidade Fornecedores, seus empregados e representantes, sem prévio consentimento por escrito, não poderão: a) Fazer declarações, anúncios, divulgações ou qualquer publicidade envolvendo o uso do nome, abreviaturas e símbolos relacionados ao Banco do Brasil S.A.; b) Divulgar direta ou indiretamente que qualquer produto do fornecedor ou das empresas que representa foi aprovado, homologado ou endossado pelo Banco do Brasil S.A.; c) Referir-se à existência desta RFP em press releases, avisos ou em qualquer material publicitário distribuído ao público Responsabilidade Esta RFP não constitui compromisso de contrato de venda ou fornecimento de quaisquer bens ou serviços entre o Banco do Brasil S. A. e o fornecedor. A aceitação de uma proposta não compromete o Banco do Brasil S. A. com a adjudicação de um contrato com qualquer fornecedor, mesmo que todos os requisitos estabelecidos nesta RFP sejam cumpridos, nem limita o direito de negociar em nosso interesse. 3 / 5

4 O fornecedor não deve cobrar qualquer valor, mesmo que a título de compensação de despesas, pela submissão de respostas, demonstrações, discussões ou por qualquer outro motivo decorrente desta RFP. O fornecedor é responsável por todo e qualquer custo ou despesa decorrentes do cumprimento desta RFP. 3. Cronograma O cronograma estipulado deverá ser cumprido rigorosamente pelos fornecedores, porém, modificações poderão ocorrer a critério do Banco do Brasil: Tabela 1 - Cronograma Etapa Data Publicação de aviso de RFP no D.O.U. 01/02/2013, até 18:00 h. Encaminhamento de dúvidas 15/02/2013, até 18:00 h. Divulgação de esclarecimentos 20/02/2013, até 18:00 h. Entrega de resposta à consulta 01/03/2013, até 18:00 h. 4. Contatos Esclarecimento de dúvidas e envio de documentação: a) As dúvidas decorrentes da interpretação desta RFP deverão ser encaminhadas ao endereço eletrônico sob o título: RFP - Prestação de serviço de consultoria - ISO DÚVIDA. As mensagens deverão conter a identificação da empresa, o nome do responsável e telefone para contato. Os esclarecimentos às dúvidas serão divulgados por esta mesma via. b) O documento Respostas de Fornecedor deve ser preenchido e encaminhado em meio digital para o endereço eletrônico citado no item a, sob o título: RFP - Prestação de serviço de consultoria - ISO RESPOSTA, juntamente com qualquer documentação adicional julgada necessária pelo fornecedor. c) No caso de envio de original de documentação por meio de postagem, esta deverá ser postada para entrega até a data final do processo, indicada no cronograma, para o endereço abaixo: 4 / 5

5 BANCO DO BRASIL S/A Diretoria de Tecnologia Gerência de Fornecimento de TI Ref.: RFP - Prestação de serviço de consultoria - ISO DOCUMENTAÇÃO Complexo Central de Tecnologia Setor Terminal Norte, Quadra 716, Ed. Sede IV, Ala Norte, 2º Andar CEP Critérios de Avaliação O preço aliado ao atendimento dos requisitos desta RFP será determinante na avaliação das respostas. Para efeito destas avaliações e comparações, a proposta deverá apresentar preços com impostos inclusos. 5 / 5

Request for Proposal RFP Termos Gerais

Request for Proposal RFP Termos Gerais Request for Proposal RFP Termos Gerais RFP Serviços de telefonia fixa - Suporte Técnico e Operacional de Sumário Serviços PABX de Pequeno Porte Introdução... 2 1. Objetivo... 2 2. Termos e Condições...

Leia mais

Request for Proposal - RFP. Termos Gerais. Gestão da Inovação. Diretoria de Tecnologia - Gerência de Gestão de Arquitetura de TI

Request for Proposal - RFP. Termos Gerais. Gestão da Inovação. Diretoria de Tecnologia - Gerência de Gestão de Arquitetura de TI Request for Proposal - RFP Termos Gerais Gestão da Inovação Diretoria de Tecnologia - Gerência de Gestão de Arquitetura de TI 1 / 6 Sumário Introdução... 3 1. Objetivo... 3 2. Termos e Condições... 4 2.1.

Leia mais

Request for Proposal RFP

Request for Proposal RFP Request for Proposal RFP Termos Gerais Solução de Monitoramento Integrado de Segurança e Ambiência 1 / 6 Sumário Introdução... 3 1. Objetivo... 3 2. Termos e Condições... 5 2.1. Confidencialidade... 5

Leia mais

Solução para Interface de comunicação IP padrão em ambiente Mainframe / CICS. RFI Request for Information

Solução para Interface de comunicação IP padrão em ambiente Mainframe / CICS. RFI Request for Information Solução para Interface de comunicação IP padrão em ambiente Mainframe / CICS RFI Request for Information Banco do Brasil S.A. DITEC Solução para Interface de Comunicação IP em ambiente Mainframe / CICS

Leia mais

Request for Proposal RFP

Request for Proposal RFP Request for Proposal RFP Termos Gerais Solução de Monitoramento Integrado de Segurança e Ambiência Sumário Introdução... 2 1. Objetivo... 2 2. Termos e Condições... 3 2.1. Confidencialidade... 3 2.2. Responsabilidade...

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE SOLUÇÕES DE SOFTWARE PARA ORIGINAÇÃO, CONTROLE E CONDUÇÃO DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO. Request for Information RFI

IDENTIFICAÇÃO DE SOLUÇÕES DE SOFTWARE PARA ORIGINAÇÃO, CONTROLE E CONDUÇÃO DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO. Request for Information RFI IDENTIFICAÇÃO DE SOLUÇÕES DE SOFTWARE PARA ORIGINAÇÃO, CONTROLE E CONDUÇÃO DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO. Request for Information RFI Banco do Brasil S.A.. Diemp/Ditec Brasília (DF) RFI - Soluções

Leia mais

CONSULTA AO MERCADO RFP REQUEST FOR PROPOSAL ÍNDICE

CONSULTA AO MERCADO RFP REQUEST FOR PROPOSAL ÍNDICE CONSULTA AO MERCADO RFP REQUEST FOR PROPOSAL ÍNDICE 1. Introdução 2. Objetivo 3. Termos e Condições 3.1 Publicidade 3.2 Responsabilidades 4. Cronograma e Contato 4.1 Cronograma 4.2 Contato 5. Entrega da

Leia mais

O Banco do Nordeste do Brasil S.A. deseja conhecer as opções de solução fiscal e de gestão tributária existentes no mercado.

O Banco do Nordeste do Brasil S.A. deseja conhecer as opções de solução fiscal e de gestão tributária existentes no mercado. O., situado à Avenida Pedro Ramalho, 5700, Bairro Passaré Fortaleza-CE, através do Projeto Estratégico Sistema Integrado de Gestão Empresarial Aquisição e Implantação de ERP (Enterprise Resources Planning)

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto 1.1. Contratação de empresa especializada em auditoria de tecnologia da informação e comunicações, com foco em segurança da informação na análise de quatro domínios: Processos

Leia mais

CENTRO DE CONVENÇÕES DE FOZ DO IGUAÇU S/A PROCEDIMENTO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE (PMI) Nº 01/2014

CENTRO DE CONVENÇÕES DE FOZ DO IGUAÇU S/A PROCEDIMENTO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE (PMI) Nº 01/2014 CENTRO DE CONVENÇÕES DE FOZ DO IGUAÇU S/A PROCEDIMENTO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE (PMI) Nº 01/2014 PROCEDIMENTO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE (PMI) PARA CONCESSÃO DE USO DO CENTRO DE CONVENÇÕES DE FOZ

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO

ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO ANEXO IV REFERENTE AO EDITAL DE PREGÃO Nº 022/2013 ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE Nº 001/2013 1. OBJETO DE CONTRATAÇÃO A presente especificação tem por objeto a Contratação de empresa

Leia mais

CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO/IEC 27006:2011) - OTS

CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO/IEC 27006:2011) - OTS CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO/IEC 276:2011) - OTS NORMA Nº NIT-DICOR-011 APROVADA EM MAR/2013 Nº 01/46 SUMÁRIO

Leia mais

Metodologia de implementação e certificação ISO20.000. Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa

Metodologia de implementação e certificação ISO20.000. Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa de implementação e certificação ISO20.000 Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa Por que estas organizações implementaram a ISO20.000? Alinhamento do negócio e TI Redução da exposição

Leia mais

POP 009: AUDITORIA DE CREDENCIAMENTO E DE EXTENSÃO DE ESCOPO DE LABORATÓRIOS

POP 009: AUDITORIA DE CREDENCIAMENTO E DE EXTENSÃO DE ESCOPO DE LABORATÓRIOS Página 1 de 9 POP 009: AUDITORIA DE CREDENCIAMENTO E DE EXTENSÃO DE ESCOPO DE LABORATÓRIOS ELABORAÇÃO E APROVAÇÃO Nome Data Assinatura 29/01/2014 Revisado por: Fernanda G. Brandão 26/03/2014 28/03/2014

Leia mais

A/C: Dra. Carolina Pecorari

A/C: Dra. Carolina Pecorari Proposta Comercial SP 0190/14 E Empresa: AMBEV S/A A/C: Dra. Carolina Pecorari Proposta SP 0190/14 E São Paulo, 25 de julho de 2014. AMBEV S/A Rua Dr. Renato Paes de Barros, 1017-4º andar Itaim Bibi São

Leia mais

Data de Lançamento do RFP: 23/05/2005

Data de Lançamento do RFP: 23/05/2005 REQUEST FOR PROPOSAL Data de Lançamento do RFP: 23/05/2005 Data Limite para Submissão de Propostas: 26/05/2005 Conteúdo 1. Overview da Empresa 2. Objetivo da RFP 3. Escopo do Projeto 4. Diretrizes para

Leia mais

POP 010: MONITORAMENTO DE LABORATÓRIOS DA REDE NACIONAL DE LABORATÓRIOS AGROPECUÁRIOS

POP 010: MONITORAMENTO DE LABORATÓRIOS DA REDE NACIONAL DE LABORATÓRIOS AGROPECUÁRIOS Página 1 de 9 POP 010: MONITORAMENTO DE LABORATÓRIOS DA REDE NACIONAL DE LABORATÓRIOS AGROPECUÁRIOS ELABORAÇÃO E APROVAÇÃO Nome Data Assinatura 27/01/2014 Revisado por: Rominik M. Fontenele 03/10/2014

Leia mais

D e c l a r a ç ã o d e T r a b a l h o d e T r e i n a m e n t o

D e c l a r a ç ã o d e T r a b a l h o d e T r e i n a m e n t o D e c l a r a ç ã o d e T r a b a l h o d e T r e i n a m e n t o I d e n t i f i c a ç ã o Projeto Implantação de Sistema GED Solicitante BB S.A Patrocinador do Projeto Jurandir Toblib Presidente da BB

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS 8 - Política de segurança da informação 8.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COOPERFEMSA, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO Brasília, 7 de fevereiro de 2011. Prezadas Senhoras, Prezados Senhores, A ONU Mulheres Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres solicita

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO Brasília, 10 de Janeiro de 2013. Prezadas Senhoras, Prezados Senhores, A ONU Mulheres Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres solicita

Leia mais

Condições Gerais para Prestação de Serviços Analíticos e de Amostragem

Condições Gerais para Prestação de Serviços Analíticos e de Amostragem Condições Gerais para Prestação de Serviços Analíticos e de Amostragem I. Apresentação A ACQUALAB Laboratório e Consultoria Ambiental S/S Ltda. atua, desde a sua constituição, nas diversas áreas da ciência

Leia mais

SUMÁRIO. Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX.

SUMÁRIO. Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX. Procedimento de Gestão OGX PG.SMS.017 Denominação: Análise Crítica SUMÁRIO Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX. ÍNDICE

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS PARTE II POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS PARTE II POLÍTICAS CORPORATIVAS 1 Política de segurança da informação 1.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COGEM, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção de políticas

Leia mais

Grupo 05 EAP e Dicionário Versão 3.0 2º Semestre Gestão de TI Unidade 903 Sul

Grupo 05 EAP e Dicionário Versão 3.0 2º Semestre Gestão de TI Unidade 903 Sul 1.1 Definir Termo de Abertura do Projeto 1.2 Definir Documento de Visão 1.0 Início 1.3 Levantar Requisitos 1.4 Validar Requisitos 1.5 Definir Escopo 1.6 Definir Regra de Negócio 2.0 Elaboração 2.1 Definir

Leia mais

Considerando a elaboração da norma brasileira ABNT NBR 16001 Responsabilidade Social Requisitos;

Considerando a elaboração da norma brasileira ABNT NBR 16001 Responsabilidade Social Requisitos; Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial- Inmetro Portaria n.º 027, de 09 de fevereiro de 2006. O PRESIDENTE

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA 1/10 INFORMAÇÕES SOBRE A EMPRESA... 2 ABRANGÊNCIA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE... 3 1. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE:... 4 - MANUAL DA QUALIDADE... 4 Escopo do SGQ e definição dos clientes... 4 Política

Leia mais

Notas de orientação 9: Sugestão de checklist para estabelecer o escopo do Relatório da EITI

Notas de orientação 9: Sugestão de checklist para estabelecer o escopo do Relatório da EITI Notas de orientação 9 3 de julho de 2015 Estas notas de orientação foram produzidas pela Secretaria Internacional da EITI para ajudar os países implementadores a publicarem dados eletrônicos do Relatório

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DO PROGRAMA SELO DE QUALIDADE ABGD. 1. Histórico de mudanças... 2. 2. Escopo... 3. 3. Manutenção...

INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DO PROGRAMA SELO DE QUALIDADE ABGD. 1. Histórico de mudanças... 2. 2. Escopo... 3. 3. Manutenção... Página 1 de 8 SUMÁRIO 1. Histórico de mudanças... 2 2. Escopo... 3 3. Manutenção... 3 4. Referências... 3 5. Definições... 3 6. Qualificação da equipe de auditores... 3 7. Condições gerais... 3 7.1 Selo

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE 1 ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE (D.O 01 revisão 05, de 22 de março de 2011) 2 SUMÁRIO PARTE I INTRODUÇÃO

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Grupo PETRA S.A. Departamento de Tecnologia da Informação POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Início da Vigência: 01/Maio/2010 Propriedade do Grupo PETRA S.A. 1. INTRODUÇÃO Este documento foi elaborado

Leia mais

ANEXO I. Ref.: Convite nº. 002/2011 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ANEXO I. Ref.: Convite nº. 002/2011 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO I Ref.: ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1. OBJETO DE CONTRATAÇÃO A presente especificação tem por objeto a contratação de empresa Especializada para Consultoria para implantação da NBR ISO 10.002 com base

Leia mais

Conhecer a oferta de mercado e as condições de prestação de serviços especializados de Contact Center praticados neste mercado.

Conhecer a oferta de mercado e as condições de prestação de serviços especializados de Contact Center praticados neste mercado. O BANCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A., situado na Avenida Pedro Ramalho, 5700, Bairro Passaré Fortaleza-CE, através da Área de Marketing e Comunicação divulga, para conhecimento dos interessados, o documento

Leia mais

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade PROJETO NOVAS FRONTEIRAS PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE QUALITY MANAGEMENT PLAN Preparado por Mara Lúcia Menezes Membro do Time Versão 3 Aprovado por Rodrigo Mendes Lemos Gerente do Projeto 15/11/2010

Leia mais

CONSULTA AO MERCADO RFI REQUEST FOR INFORMATION CONSOLIDAÇÃO DE DÚVIDAS APRESENTADAS

CONSULTA AO MERCADO RFI REQUEST FOR INFORMATION CONSOLIDAÇÃO DE DÚVIDAS APRESENTADAS CONSULTA AO MERCADO RFI REQUEST FOR INFORMATION CONSOLIDAÇÃO DE DÚVIDAS APRESENTADAS 1. Dúvidas Gerais Pergunta: Os processos e metodologias de avaliação de riscos do Banco estão definidos e implantados?

Leia mais

MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1

MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1 MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1 I. APROVAÇÃO Emitente: Função: Análise crítica e aprovação: Função: Liliane Alves Ribeiro da Silva Gerente Administrativa Roberto José da Silva Gerente Geral

Leia mais

Vice-Presidência de Tecnologia. Governança de TI Uma Jornada

Vice-Presidência de Tecnologia. Governança de TI Uma Jornada Vice-Presidência de Tecnologia Governança de TI Uma Jornada Contexto Conhecer-se é condição fundamental para evoluir Evolução da TI Governança de TI Contexto Evolução da TI Aumento de importância e complexidade

Leia mais

NBR ISO 14011 - DIRETRIZES PARA AUDITORIA AMBIENTAL - PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA - AUDITORIA DE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL

NBR ISO 14011 - DIRETRIZES PARA AUDITORIA AMBIENTAL - PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA - AUDITORIA DE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL NBR ISO 14011 - DIRETRIZES PARA AUDITORIA AMBIENTAL - PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA - AUDITORIA DE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL Sumário 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências normativas...2 3.

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PO Procedimento Operacional

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PO Procedimento Operacional AUDITORIA INTERNA PO. 05 08 1 / 5 1. OBJETIVO Descrever a atividade de auditoria interna da qualidade, utilizada pelo Crea GO para verificar a eficácia e adequação do Sistema de Gestão da Qualidade. 2.

Leia mais

PROCEDIMENTO DE AUDITORIA INTERNA DO PROGRAMA 5 S HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES

PROCEDIMENTO DE AUDITORIA INTERNA DO PROGRAMA 5 S HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES Página 1 de 5 SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2 CONDIÇÕES GERAIS 3 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 4 REGISTROS E ANEXOS HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES DATA REVISÃO ITENS REVISADOS ELABORAÇÃO APROVAÇÃO 24/06/2011 10/12/2011 Emissão

Leia mais

GERENCIAMENTO DE OBRAS

GERENCIAMENTO DE OBRAS GERENCIAMENTO DE OBRAS APRESENTAÇÃO A CGRADIN é uma empresa de consultoria em engenharia especializada em gerenciamento e planejamento de obras, sediada em Salvador e com atuação em todo território nacional.

Leia mais

Proposta Comercial AP 0216/15 A. Empresa: JBS S/A. Sra. Camila Castiglio de Souza

Proposta Comercial AP 0216/15 A. Empresa: JBS S/A. Sra. Camila Castiglio de Souza Proposta Comercial AP 0216/15 A Empresa: JBS S/A A/C: Sra. Camila Castiglio de Souza Proposta AP 0216/15 A 26 de Março de 2015. JBS S/A Av. Marginal Direita do Tietê, 500 Vila Jaguara São Paulo - SP A/C:

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE COMISSÃO NACIONAL DE ÉTICA EM PESQUISA

CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE COMISSÃO NACIONAL DE ÉTICA EM PESQUISA 1. Esta comissão tem sido notificada reiteradas vezes sobre as dificuldades enfrentadas pelos CEPs quanto à submissão de eventos adversos; 2. Diante da relevância relacionada ao trâmite de documentos envolvendo

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA até 28/08/2009. até a data acima mencionada

CONSULTA PÚBLICA até 28/08/2009. até a data acima mencionada CONSULTA PÚBLICA O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social BNDES está preparando processo licitatório para contratação de serviços de consultoria técnica especializada, conforme detalhado

Leia mais

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES V CONGRESSO BRASILEIRO DE METROLOGIA Metrologia para a competitividade em áreas estratégicas 9 a 13 de novembro de 2009. Salvador, Bahia Brasil. ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE 1 ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Elaborado por: GT Especial do ABNT/CB-25 Grupo de Aperfeiçoamento do

Leia mais

CHAMADA DE PROJETOS 001/2013- APOIO PARA SOLUÇÕES DE INOVAÇÃO JUNTO AS MPE S de Uberaba

CHAMADA DE PROJETOS 001/2013- APOIO PARA SOLUÇÕES DE INOVAÇÃO JUNTO AS MPE S de Uberaba CHAMADA DE PROJETOS 001/2013- APOIO PARA SOLUÇÕES DE INOVAÇÃO JUNTO AS MPE S de Uberaba 1 OBJETIVO 1.1 Realizar, em 2013, apoio financeiro para viabilizar a execução de serviços em inovação e tecnologia

Leia mais

INOR - A EXPERIÊNCIA A SERVIÇO DA QUALIDADE

INOR - A EXPERIÊNCIA A SERVIÇO DA QUALIDADE ESTRUTURA DESTE DOCUMENTO: 1-Objetivo: 2-Campo de Aplicação: 3-Documento de Referência: 4-Definições e Siglas: 5- Descrição do Procedimento: Nº da Revisão Histórico das Alterações 0 Emissão inicial aprovada.

Leia mais

1. PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FAEC

1. PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FAEC 1. PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FAEC 1.1 Definição de Iniciação Científica A iniciação cientifica é uma atividade acadêmica que permite introduzir os discentes de graduação na pesquisa cientifica.

Leia mais

Código de Conduta do Fornecedor. Em vigor a partir de 2 de julho de 2012. Ethics. Matters

Código de Conduta do Fornecedor. Em vigor a partir de 2 de julho de 2012. Ethics. Matters Código de Conduta do Fornecedor Em vigor a partir de 2 de julho de 2012 Ethics Matters Mensagem do CPO [Chief Procurement Officer - Diretor de Compras] A Duke Energy está comprometida com a segurança,

Leia mais

Dominando o Processo de Compras e Pagamentos. Paulo Eduardo Mietto, Consultor Sênior de Soluções OpenText SAP Forum Brasil Março 2015

Dominando o Processo de Compras e Pagamentos. Paulo Eduardo Mietto, Consultor Sênior de Soluções OpenText SAP Forum Brasil Março 2015 Dominando o Processo de Compras e Pagamentos Paulo Eduardo Mietto, Consultor Sênior de Soluções OpenText SAP Forum Brasil Março 2015 Procure-to-pay: Otimizando suas operações fiscais e de contas a pagar

Leia mais

Política de Uso do JEMS para a CAFe

Política de Uso do JEMS para a CAFe Política de Uso do JEMS para a CAFe Julho de 2013 Conteúdo 1. Apresentação... 3 2. Definições... 3 3. Público Alvo... 3 4. Credenciamento... 3 5. Requisitos... 4 6. Termo de Uso... 4 7. Considerações Finais...

Leia mais

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 029/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 029/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 029/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL Contrato de Empréstimo de Cooperação Técnica nº 1841/OC-BR Projeto: Programa

Leia mais

1º passo 2º passo 3º passo

1º passo 2º passo 3º passo 1º passo 2º passo 3º passo Planejamento Estratégico: Missão e Visão Aplicação do Programa 5S Elaboração do Mapa de Processos 4º passo 5º passo Definição da Política da Qualidade e Escopo Grupos de Trabalho

Leia mais

REGRA DE CERTIFICAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES

REGRA DE CERTIFICAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES Página: 1/08 Elaborado por: Claudio Francisco Verificado por: Karen Martins Aprovado por: Arnaldo Barbulio Filho Data Aprovação: 22/07/13 OBJETIVO Esta Regra de Certificação estabelece os critérios utilizados

Leia mais

Abertura do Evento Sr. Wanderley Sigali - Diretor Executivo Gristec

Abertura do Evento Sr. Wanderley Sigali - Diretor Executivo Gristec KEYASSOCIADOS 1 PROGRAMAÇÃO Abertura do Evento Sr. Wanderley Sigali - Diretor Executivo Gristec Apresentação Institucional KEYASSOCIADOS Sr. Francisco R. Ramires Gerente Comercial - KEY Apresentação NBR

Leia mais

Edital CESAR.EDU N 02/2011

Edital CESAR.EDU N 02/2011 C.E.S.A.R.EDU Unidade de Educação do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife MESTRADO PROFISSIONAL EM ENGENHARIA DE SOFTWARE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU Recomendação MEC/CAPES N o. 234_6/2006/CTC/CAPES

Leia mais

Plano de Gerenciamento das Aquisições Exemplo 1

Plano de Gerenciamento das Aquisições Exemplo 1 Plano de Gerenciamento das Aquisições Exemplo 1 Este plano descreve como serão administrados os processos de aquisição de bens e serviços neste projeto. As perguntas a serem respondidas no plano são: o

Leia mais

PROTOCOLO DO 6º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL DE ELETRICIDADE

PROTOCOLO DO 6º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL DE ELETRICIDADE PROTOCOLO DO 6º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL DE ELETRICIDADE GRANDEZA: MEDIÇÃO DE TENSÃO CONTÍNUA E ALTERNADA, CORRENTE CONTÍNUA E ALTERNADA E RESISTÊNCIA ELÉTRICA Revisão

Leia mais

Emissões Gasosas 2014

Emissões Gasosas 2014 Ensaio de Aptidão Emissões Gasosas 2014 Misturas Gasosas de Propano em Nitrogénio Programa de Execução Índice 1. Introdução... 3 2. Objetivos... 3 3. Entidades Envolvidas e Funções... 3 4. Procedimento...

Leia mais

Lista de checagem do protocolo

Lista de checagem do protocolo MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA Comitê de Ética em Pesquisa Lista de checagem do protocolo A avaliação do projeto

Leia mais

1.1 O Certificado de Sistemas da Gestão Ambiental SAS é um certificado de conformidade com a norma brasileira:

1.1 O Certificado de Sistemas da Gestão Ambiental SAS é um certificado de conformidade com a norma brasileira: Documento analisado criticamente e aprovado quanto à sua adequação. Responsável: Carlos Henrique R. Figueiredo Diretor de Certificação * Inclusão de notas do item 2.1."b" quanto a documentação necessária

Leia mais

FUNDAÇÃO DE APOIO À CAPACITAÇÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

FUNDAÇÃO DE APOIO À CAPACITAÇÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EDITAL FACTI/CERTICS-Nº 01/2013 CHAMADA PARA QUALIFICAÇÃO DE INSTITUIÇÕES DE APOIO À APLICAÇÃO DA METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO CERTICS PARA SOFTWARE 1ª CHAMADA Pessoas Jurídicas sem Finalidade

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA. Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva

ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA. Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva Joel Alves da Silva, Diretor Técnico JAS-METRO Soluções e Treinamentos

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade

Sistema de Gestão da Qualidade Sistema de Gestão da Qualidade Coordenadora Responsável Mara Luck Mendes, Jaguariúna, SP, mara@cnpma.embrapa.br RESUMO Em abril de 2003 foi lançado oficialmente pela Chefia da Embrapa Meio Ambiente o Cronograma

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA G UPO

CÓDIGO DE ÉTICA G UPO CÓDIGO DE ÉTICA G UPO 1 Sumário APRESENTAÇÃO... 2 1. APLICABILIDADE... 3 ESCLARECIMENTOS... 3 O COMITÊ DE ÉTICA... 3 ATRIBUIÇÕES DO COMITÊ... 3,4 2. ASSUNTOS INTERNOS... 4 OUVIDORIA... 4 PRECONCEITO...

Leia mais

RM 12 DIRETRIZES PARA REALIZAÇÃO DE AVALIAÇÕES 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA

RM 12 DIRETRIZES PARA REALIZAÇÃO DE AVALIAÇÕES 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA SUMÁRIO 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO O presente documento tem como objetivo estabelecer diretrizes e orientações para realização

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DO SISTEMA DE GESTÃO DA SUSTENTABILIDADE PARA MEIOS DE HOSPEDAGEM

PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DO SISTEMA DE GESTÃO DA SUSTENTABILIDADE PARA MEIOS DE HOSPEDAGEM PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DO SISTEMA DE GESTÃO DA SUSTENTABILIDADE PARA MEIOS DE HOSPEDAGEM 1. OBJETIVO Este procedimento estabelece os requisitos para Avaliação da Conformidade para Sistemas

Leia mais

Serviço HP IMC EAD Implementation

Serviço HP IMC EAD Implementation Serviço HP IMC EAD Implementation Dados técnicos O serviço HP IMC EAD Implementation tem o objetivo de fornecer a personalização do módulo Endpoint Admission Defense de acordo com as necessidades do Cliente

Leia mais

PROTOCOLO DO 5º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL ÁREA: CALIBRAÇÃO GRANDEZA: MASSA

PROTOCOLO DO 5º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL ÁREA: CALIBRAÇÃO GRANDEZA: MASSA PROTOCOLO DO 5º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL ÁREA: CALIBRAÇÃO GRANDEZA: MASSA Revisão 00-11 de outubro 2011 Fol. 1 de 11 INTRODUÇÃO A SETTING CALIBRATION LABORATORIES

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA No XXX Contrato por Produto - Nacional. Elaboração de Plano de Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação.

TERMO DE REFERÊNCIA No XXX Contrato por Produto - Nacional. Elaboração de Plano de Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação. TERMO DE REFERÊNCIA No XXX Contrato por Produto - Nacional 1. Função no Projeto: Elaboração de Plano de Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação. 2. Nosso Número BRA/12/010 3. Antecedentes A missão

Leia mais

PROGRAMA DE COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL EM CALIBRAÇÃO DE PESOS PADRÃO

PROGRAMA DE COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL EM CALIBRAÇÃO DE PESOS PADRÃO ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ PROGRAMA DE COMPARAÇÃO

Leia mais

POLÍTICA DE DENÚNCIAS

POLÍTICA DE DENÚNCIAS (constituída nas Bermudas com responsabilidade limitada) (Código de negociação em bolsa: 1768) (a Sociedade ) POLÍTICA DE DENÚNCIAS 1. Objetivo Esta Política estabelece os meios que: a) os funcionários

Leia mais

TDR N O 11/2011 Diagnóstico Socioeconômico e Ambiental da região do Projeto REDD+ Jari/Amapá Módulo Regulamentações, Programas e Projetos

TDR N O 11/2011 Diagnóstico Socioeconômico e Ambiental da região do Projeto REDD+ Jari/Amapá Módulo Regulamentações, Programas e Projetos São Paulo, 11 de abril de 2011. Ref.: Termo de referência para realização de proposta técnica e financeira para diagnóstico socioeconômico e ambiental módulo regulamentações, programas e projetos da região

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

Código de Conduta de Fornecedor

Código de Conduta de Fornecedor Código de Conduta de Fornecedor www.odfjelldrilling.com A Odfjell Drilling e suas entidades afiliadas mundialmente estão comprometidas em manter os mais altos padrões éticos ao conduzir negócios. Como

Leia mais

Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais

Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais Nós, Hilti (Brasil) Comercial Ltda. (coletivamente, referido como Hilti, "nós", "nosso" ou "a gente") nessa Política

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO Brasília, 14 de outubro de 2011. Prezadas Senhoras, Prezados Senhores, A ONU Mulheres Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres solicita

Leia mais

1. OBJETIVO 2. CLASSIFICAÇÃO DOS PROJETOS

1. OBJETIVO 2. CLASSIFICAÇÃO DOS PROJETOS 1. OBJETIVO O referido Edital tem como principal objetivo o fortalecimento da pós-graduação stricto sensu no Estado, através do apoio a projetos de implantação, ampliação, recuperação e/ou modernização

Leia mais

Qualidade. Introdução à Administração de Empresas. Prof. Luiz Antonio 01/03/2007

Qualidade. Introdução à Administração de Empresas. Prof. Luiz Antonio 01/03/2007 Introdução à Administração de Empresas Prof. Luiz Antonio 01/03/2007 Histórico Era Artesanal (séc. XIX) Etapas da produção controladas pelo artesão. Compra dos materiais e insumos Acabamento Entrega do

Leia mais

ADITAMENTO 01 ÀS INSTRUÇÕES AOS PROPONENTES CONTRATAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE SUPORTE À GESTÃO DOS PROJETOS DO ONS SAGER E SAAT

ADITAMENTO 01 ÀS INSTRUÇÕES AOS PROPONENTES CONTRATAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE SUPORTE À GESTÃO DOS PROJETOS DO ONS SAGER E SAAT ADITAMENTO 01 ÀS INSTRUÇÕES AOS PROPONENTES CONTRATAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE SUPORTE À GESTÃO DOS PROJETOS DO ONS SAGER E SAAT Ref: Aviso de Edital nº DGL 001/2015 publicado em 19/02/2015. OBS:

Leia mais

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO)

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO) EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 CONCESSÃO PARA AMPLIAÇÃO, MANUTENÇÃO E EXPLORAÇÃO DOS AEROPORTOS INTERNACIONAIS BRASÍLIA CAMPINAS GUARULHOS EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA

Leia mais

Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão

Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão 1 ARTIGO Artigo 1º - NATUREZA, OBJETO E APROVAÇÃO DO REGIMENTO INTERNO Artigo 2º - COMPOSIÇÂO, CARGOS E MANDATOS Artigo 3º - DA PRESIDÊNCIA E SECRETARIADO

Leia mais

Proposta. ISO 20.000 / 2011 Fundamentos. Apresentação Executiva. ISO 20.000 / 2011 - Fundamentos

Proposta. ISO 20.000 / 2011 Fundamentos. Apresentação Executiva. ISO 20.000 / 2011 - Fundamentos ISO 20.000 / 2011 Fundamentos Apresentação Executiva 1 O treinamento de ISO 20.000 Foundation tem como premissa fornecer uma visão geral da publicação da norma ISO/IEC 20000 capacitando o aluno a entender

Leia mais

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento Douglas Farias Cordeiro ABNT NBR ISO/IEC 27002 Aquisição, desenvolvimento e manutenção de sistemas de informação O desenvolvimento de um SI Ciclo de desenvolvimento

Leia mais

Entidade Setorial Nacional Mantenedora

Entidade Setorial Nacional Mantenedora Entidade Setorial Nacional Mantenedora Associação Nacional da Indústria Cerâmica ANICER Santa Luzia, 651, 12º andar Centro - Rio de Janeiro / RJ Tel/Fax: (21) 2524-0128 Site: www.anicer.com.br E-mail:

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA VALIDAÇÃO E VERIFICAÇÃO DE INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA NBR ISO 14064

PROCEDIMENTO PARA VALIDAÇÃO E VERIFICAÇÃO DE INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA NBR ISO 14064 1 de 10 GP01 INVENTÁRIO DE EMISSÕES Descrição do Processo de Validação e Verificação Bureau Veritas Certification Avenida do Café, 277, 5 andar, Torre B Tel.: +55 (11) 2655-9000 São Paulo/SP - CEP: 04311-000

Leia mais

Segurança e Auditoria de Sistemas

Segurança e Auditoria de Sistemas Segurança e Auditoria de Sistemas ABNT NBR ISO/IEC 27002 5. Política de Segurança da Informação 1 Roteiro (1/1) Objetivo Documento Orientações Mínimas para o Documento Análise Crítica e Avaliações 2 Objetivo

Leia mais

Universidade Paulista

Universidade Paulista Universidade Paulista Ciência da Computação Sistemas de Informação Gestão da Qualidade Principais pontos da NBR ISO/IEC 12207 - Tecnologia da Informação Processos de ciclo de vida de software Sergio Petersen

Leia mais

Proposta Comercial. ... desenvolvendo e integrando soluções em telecomunicações. Objeto : Proposta : Cliente : Contato :

Proposta Comercial. ... desenvolvendo e integrando soluções em telecomunicações. Objeto : Proposta : Cliente : Contato : ... desenvolvendo e integrando soluções em telecomunicações Proposta Comercial Objeto : Prestação de Serviços de Co-Billing Proposta : Cliente : Contato : Apresentação CTBC Telecom A Companhia de Telecomunicações

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS: ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS. MANUAL do ALUNO

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS: ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS. MANUAL do ALUNO UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS: ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS MANUAL do ALUNO APS - ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS PIPA II (2º/1º semestres) SÃO

Leia mais

Integram a presente Solicitação de Cotação os seguintes documentos: Anexo I Termo de Referência Anexo II Modelo de Formulário de Oferta

Integram a presente Solicitação de Cotação os seguintes documentos: Anexo I Termo de Referência Anexo II Modelo de Formulário de Oferta TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CRIAÇÃO DE PROJETO GRÁFICO E EDITORAÇÃO GRÁFICA DE FOLDER TEMÁTICO SOBRE MULHERES JOVENS NEGRAS E INDÍGENAS Prezados Senhoras e Senhores, Brasília, 14

Leia mais

377/14 São Paulo, 14 de fevereiro de 2014. Ao Instituto Brasileiro de Governança Corporativa - IBGC At.: Sr. Alexandre Tanaami

377/14 São Paulo, 14 de fevereiro de 2014. Ao Instituto Brasileiro de Governança Corporativa - IBGC At.: Sr. Alexandre Tanaami Tel.: +55 11 3848 588o Rua Major Quedinho 90 Fax: + 55 11 3045 7363 Consolação São Paulo, SP - Brasil www.bdobrazil.com.br 01050-030 377/14 São Paulo, 14 de fevereiro de 2014. Ao Instituto Brasileiro de

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão: 07 Data: 05.03.09 Página 1 de 7 Copia controlada MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE José G. Cardoso Diretor Executivo As informações contidas neste Manual são de propriedade da Abadiaço Ind. e Com.

Leia mais

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES LOCADOR: Obra24horas Soluções Web para Engenharia Ltda., com sede na Rua Formosa, 75 1º andar

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 9 1. OBJETIVO: Este procedimento estabelece o processo para concessão, manutenção, extensão e exclusão da certificação de Sistema de Gestão de Segurança da Informação, em conformidade com norma ABNT

Leia mais

Projeto IPN Integração do Pós- Negociação

Projeto IPN Integração do Pós- Negociação Projeto IPN Integração do Pós- Negociação 8ª Reunião do GT-Testes 9 de Maio de 2013 Posição sobre as providências acordadas na realizada em 11-abr-2013 Posição sobre as providências acordadas na realizada

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON Vitória, ES, 08 Janeiro de de 2014. À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON Rua Castelo Branco, 2.111 Vila Velha/ES REF.: PROPOSTA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROFISSIONAIS DE AUDITORIA EXTERNA INDEPENDENTE

Leia mais