Turismo distribui 17 milhões

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Turismo distribui 17 milhões"

Transcrição

1 Samodip Sarkar: «As PMEs são a fonte do crescimento económico» Luís Fernandes: «O não acesso à terra inviabiliza muitas intenções de empreendedorismo agrícola» Ciência & Tecnologia ~ páginas 16 e 17 SÍTIO DAS LETRAS LIVRARIA LER PARA SER REGUENGOS DE MONSARAZ pub 1 Ano II Nº 12 Abril Turismo distribui 17 milhões Reguengos inaugura Arquivo Marina em Alqueva mento de 75 milhões de euros. euros (1,8 milhões de incentivo e ampliação do Badoca Park Entre os projectos aprovados con- SIVETUR) e realçou que se trata tam a construção de uma marina entre os projectos de um projecto sem componente na Barragem do Alqueva (Amieira) imobiliária. contemplados e remodelação e ampliação do par- A marina da Amieira inclui que temático Badoca Safari Park. as estruturas flutuantes, serviços Eduardo Lucas, da NautiAlqueva, O sistema de incentivos a produ- empresa responsável pelo projecto de apoio e um restaurante panorâtos turísticos de vocação estratégi- da marina da Amieira (concelho de mico (120 lugares). Na segunda ca, SIVETUR, concedeu 17 milhões Portel), disse ao Notícias Alentejo fase, o projecto prevê uma unidade de euros de apoios a projectos que que o investimento da primeira hoteleira. representam um total de investi- fase ascende aos três milhões de ~ página 2 As marcas da paisagem A Câmara de Reguengos de Monsaraz inaugura no dia 25 de Abril a obra de adaptação do Arquivo Histórico Municipal, que será transferido para o edifício onde funcionou, durante várias décadas, a Repartição de Finanças do concelho. A obra, que custou cerca de 280 mil euros, foi comparticipada pelo Programa de Apoio à Rede de Arquivos Municipais (PARAM) do Instituto dos Arquivos Nacionais/Torre do Tombo em cerca de 45 por cento. José Gabriel Calixto, vice- -presidente da CM Reguengos de Monsaraz, diz que a inauguração desta nova infraestrutura permite que o Concelho passe a dispor de modernas e adequadas instalações para todo o seu riquíssimo Arquivo Histórico. «Trata-se duma notável recuperação dum edifício histórico da cidade, contribuindo igualmente para a desejável requalificação urbana do centro histórico de Reguengos de Monsaraz. Corresponde a uma preocupação e a um investimento, com forte componente Municipal, com o objectivo de criar condições adequadas para a preservação dos documentos históricos mais importantes», adiantou. ~ página 7 Elvas recebe museu de arte contemporânea Software livre made in Évora» Os produtos Microsoft concentram as atenções do mercado de software. Há, contudo, alternativas válidas no chamado software livre, como é o caso do Alinex, um sistema operativo de base Linux criado em Portugal, pela Universidade de Évora, a partir do Linex, de origem espanhola. ~ páginas 3 e 4 O Museu de Arte Contemporânea de Elvas deverá abrir portas em Maio com a colecção de 250 peças de António Cachola e um orçamento para a programação de 150 mil euros anuais na sua fase de arranque, suportado pela autarquia de Elvas. ~ páginas centrais

2 2 e ntrada~ Notícias Alentejo on-line desde 9 de Junho de alentejo.pt Turismo apoia 17 projectos Marina em Alqueva e ampliação do Badoca Park entre os contemplados O sistema de incentivos a vimento de 28 projectos produtos turísticos de voca- turísticos, com um incentição estratégica, SIVETUR, vo de 20 milhões de euros. concedeu 17 milhões de Desde o início do euros de apoios a projectos SIVETUR, há seis anos, que representam um total de foram aprovados 251 proinvestimento de 75 milhões jectos representando 2256 de euros. Entre os projectos postos de trabalho. aprovados contam a construção de uma marina na Barragem do Alqueva (Amie- Marina da Amieira ira) e remodelação e ampliação do parque temático Badoca Safari Park. Eduardo Lucas, da A Sul do Tejo, serão conponsável pelo projecto da NautiAlqueva, empresa restemplados outros projecmarina da Amieira (concetos, como a aquisição de uma embarcação para per- lho de Portel), disse ao cursos no Estuário do Sado Notícias Alentejo que o e a criação de uma unidade investimento da primeira de turismo de habitação no fase ascende aos três distrito de Portalegre. O milhões de euros (1,8 Algarve viu aprovadas milhões de incentivo duas candidaturas - remotrata de um projecto sem SIVETUR) e realçou que se delação e ampliação de um hotel em Vila Real de Santo componente imobiliária. António e renovação do A marina da Amieira Observatório Astronómico inclui as estruturas flutude Tavira. antes, serviços de apoio e De acordo com o Jornal um restaurante panorâmi- turistas terão ao seu dis- ante a época do ano, o de Negócios, o maior proda fase, o projecto prevê barcos-cama, cinco dos ção e o barco pretendido. co (120 lugares). Na segun- por, ainda em 2007, dez número de dias de utiliza- jecto aprovado diz respeito às Termas do Estoril, para uma unidade hoteleira. quais entraram já em fun- De 618 euros, para um a construção de um com- De acordo com Eduardo cionamento no ano passafim-de-semana de dois dias plexo termal no Estoril no Lucas, em Maio do ano em do (asseguraram 50 semae na época baixa, até valor de 20,8 milhões de curso fica concluída a nas de aluguer, segundo a NautiAlqueva. euros para uma semana incentivo. O mesmo jornal Marina e o restaurante deverá entrar em funcioadianta que em Junho de em época alta e numa 2006, o Governo assinou os namento a partir de Junho. PREÇOS: O aluguer de uma embarcação topo de gama. contratos para o desenvol- A partir da Amieira, os embarcação varia conso Sumário Na capa: José Calixto Vice-Presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz A Opinião que marca diferença Páginas 14 e 15 Ciência & Tecnologia, por Afonso de Almeida Páginas 16 e 17 A crónica de Luís Carmelo Página 20 Música e Letra, por J. Alberto Ferreira Página 21 Ficha Técnica A edição do "Notícias Alentejo" é da responsabilidade da sociedade "Notícias Alentejo Produção de Conteúdos Lda.", contribuinte , com sede na Rua António Janeiro, 13, Reguengos de Monsaraz, capital social de Depósito Legal: /06 Impressão: CORAZE, A Folha Cultural, CRL - Oliveira de Azeméis. Direcção-Geral: Carlos Trigo Direcção Editorial: Luís Rego Direcção Gráfica: David Prazeres Fotografia: Susana Rodrigues Colaboradores: Benjamim Formigo, José Frota, Jorge Reis (www.lusomotores.com), Mara Alves e Rute Marques Opinião: Afonso de Almeida, Alberto Magalhães, Antonio Sáez Delgado, Manuel Ferreira Patrício, João Espinho, Joaquina Margalha, José Gabriel Calixto, Luís Carmelo e Rui Namorado Rosa Contacto & Publicidade Telefone: Fax: Telemóvel: Morada: Rua S. João de Deus, Reguengos de Monsaraz

3 notícias alentejo~ Abril ~destaque Código aberto made in Alentejo Com as PME's na mira Os produtos Microsoft concentram as atenções do mercado de software. Há, contu- As PME's, admite Luís Arriaga do, alternativas válidas, emboda Cunha, «são um dos alvos ra menos divulgadas, no chainiciais do projecto Alinex e dos mado software livre, como é o caso do Alinex, um sistema distribuidores que optem por operativo de base Linux criade origem».«está em prepara- oferecer Alinex como software do em Portugal, pela Universidade de Évora, a partir do ção um kit, especialmente Linex, de origem espanhola. dirigido a PME's, constituído O desenvolvimento deste pelo Alinex e por um conjunto sistema operativo motivou, de aplicações verticais dirigiinclusivamente, um protocolo das às necessidades deste tipo entre a Universidade e a City de empresa, como sejam, con- Desk, marca registada empretabilidade, facturação, recursa de computadores Solbi. Na sequência deste acordo, o City sos humanos, lojas virtuais, Desk 8000X custa apenas 569 CRM», explica. Uma vantagem euros e é o primeiro equipagarante, é o custo de aquisição, imediatamente tangível, mento resultante desta parceria. O sistema está equipado que no caso do Alinex, dado trapara utilizar mais de cem apli- tar-se de software livre, é nulo. cações nas áreas de edição de Por outro lado, argumenta o imagem e desenho, multimé- professor da Universidade de dia, jogos e educação, entre Évora, «é aumentada enormeoutros. A alternativa ao Office mente a imunidade a vírus». da Microsoft é o pacote de produtividade OpenOffice 2, mas Também a menor exigência do também está integrado o Gimp Alinex em relação à capacidade (para edição de imagem à semese mantenham utilizáveis das máquinas permite que elas lhança do PhotoShop), o Nvu (para criação e manutenção de durante mais tempo. E, apesar sites), um sucedâneo do CAD, de menos óbvias, aponta ainda o Qcad, ou o Amule (cliente razões suplementares, como a Emule). Até o Mozilla FireFox, inexistência de informação que browser web que tem vindo circula dos PCs para algures, a ganhar peso no mercado, muitas vezes sem conhecimenestá incluído nestas aplicato do utilizador, ou a não ções abertas. Seguindo o que se tem escrique impõem, por razões nem dependência de fabricantes to na imprensa da especialidasempre compreensíveis, actuade, as principais vantagens deste sistema passam pela facigências crescentes de capaci- lizações de software com exilidade de adaptação às necessidades do utilizador e a redu- dade das máquinas. ção de custos. Luís Arriaga assegura que No caso do City Desk, o equi- o Alinex, como os Linux em pamento corresponde às geral, estão aptos, mais do que seguintes características: qualquer outro sistema opera- Processador Intel Pentium D tivo, a correr em todos os tipos de 2,8 a 3,4 GHz, 80 gigas extensíveis até 400 GB, de máquinas; desktop / portá- DDRAM 533 MHz (até 2GB). teis, PDA's, telemóveis, servi- Luis Arriaga da Cunha, prote, quiosques, máquinas espe- dores, incluindo de grande porfessor do Departamento de Informática da Universidade cíficas para restaurantes, farde Évora, recorda que a mácias e atendimentos ( ) e, Citydesk, com quem o CITI acrescenta, no caso do utiliza- (Centro de Investigação em dor de desktop/portátil, quer Tecnologias de Informação) em ambiente de casa quer estabeleceu um protocolo em em ambiente de escritório, o 2006, comercializa desktops Alinex é de facto uma alternaoferecendo de origem o Alinex como sistema operativo - tiva excelente para os siste- estas máquinas trazem tamdifusão. No que se refere a mas proprietários de maior bém um grande conjunto de aplicações, tais como o Open apoio aos utilizadores e no Office, browsers, ferramentas caso de instituições com prode manipulação de imagem tocolo com o CITI este dará mas adianta que outras apoio, em geral, aos probleempresas, algumas da região mas de instalação. Mas, é de Évora, oferecem também igualmente possível contar computadores de várias marcom as comunidades contaccas dotados de origem do Alinex. O sistema operativo táveis na Internet, por exempode ser instalado em qualainda a surgir, em parte plo, via fóruns. «Começam quer computador com procesfomentadas pelo CITI, pequesador Intel ou AMD, não colonas empresas que se dedicam cando exigências especiais de capacidade da máquina ao apoio ao Alinex», diz. Perguntas & Respostas Quando pretendem Sim, mas só justificadas por diato, sem ter de instalar disponibilizar uma versão novas funcionalidades ou por nada no seu computador. funcional do Alinex? actualizações obrigatórias, A distribuição Alinex dirige-se como as envolvendo questões Dado que já existe, há a vários tipos de plataformas. de segurança. Como software alguns anos, uma distribui- Podemos nomear: servidores, livre que é, estarão ausentes ção portuguesa de Linux desktop e portáteis, PDA's, as versões impostas por (o Caixa Mágica), o desenrazões sistemas industriais, unidades comerciais ou a obso- volvimento do Alinex não fechadas como quiosques, lescência programada das ver- constitui um esforço POS's, marcação de ponto e sões antigas. O leque de solu- redundante no campo do controlo de acessos, televisões ções de software livre (ou software livre nacional? inteligentes, jogos, etc. As pri- mesmo proprietário) certifica- A distribuição Caixa Mágica meiras versões para servido- do para Alinex, será também constitui uma das histórias de res e desktop/portáteis, come- crescente resultando de par- sucesso de disponibilização de çam a estar disponíveis em cerias com outros organismos uma solução Linux para utilifase de testes. As outras ver- e empresas. Importa referir zação em servidores, desksões irão sendo disponibiliza- que o Alinex terá sempre por tops, etc. Veio demonstrar, das gradualmente base um repositório de paco- por vezes contra resistências tes publicamente acessível, vigorosas, o valor do software Vão garantir supor- que é continuamente actuali- livre como alternativa séria te/assistência e formação zado segundo o modelo da dis- e credível. No estado actual, para os utilizadores deste tribuição Debian. em que ainda prevalece algusoftware? ma cultura habituada a solu- Sim. O suporte e formação Qual vai ser o modelo de dis- ções proprietárias, naturalsão aspectos essenciais para tribuição do Alinex (down- mente desconfiada de novas o sucesso do Alinex. Sendo load, em pacotes, venda, gra- maneiras de desenvolver softuma distribuição baseada em tuitamente...)? ware, devemos ver o Alinex Debian, falamos de uma dis- O modo de distribuição regu- e a Caixa Mágica como aliatribuição com peso mundial, lar será o download gratuito dos. O objectivo do Alinex é bem documentada em várias de imagens de CD e a actuali- ter uma distribuição nacional línguas, pelo que à partida zação automatizada, usando bem apoiada e tecnologicaexiste uma grande base de pes- os mecanismos Debian (apt). mente sustentável; o recurso soas com capacidade para tra- Estarão disponíveis também explícito aos repositórios do balhar com o Alinex. versões em CD material. LinEx e do Debian garantem- Estão ainda a ser disponibili- nos esse apoio melhor do que Pretendem assegurar zados CD's live (na linha do qualquer outra solução, nomea disponibilização regular Knoppix ou do Ubuntu) para adamente por não depender de novas versões/versões quem queira experimentar de interesses comerciais. actualizadas do Alinex? o Alinex o possa fazer de ime- Fonte:

4 4 notícias alentejo~ Abril 2007 destaqu e~ O Alinex e o estranho modelo de negócio do software livre Defensor convicto das Com estes factores envolventes e plataformas de software num contexto de contenção de despesas e de preocupações creslivre, Luis Arriaga da centes com segurança, será inevi- Cunha é um dos responsá- tável que o software livre se veis por um sistema operati- torne uma via a ser tratada nas vo open source desenvolviem pé de igualdade com soluções aquisições do Estado, pelo menos do em Portugal, o Alinex. proprietárias. Em entrevista ao igov (www.i-gov.org) Há já conversações com órgãos e conduzida por André da Administração Pública, Julião, além do caminho tanto Central como Local, percorrido e das perspecti- tendo em vista a aplicação do Alinex? vas futuras do Alinex, O Alinex está, desde 2006, dispoo professor da Universi- nível em todas as salas TIC das dade de Évora faz uma escolas secundárias do nosso país. análise crítica à adopção Este projecto resultou de uma do software livre na AP. colaboração entre a Universidade de Évora e o Ministério da Educação, através do CRIE (Equipa de Missão Computadores, Um dos potenciais alvos da apli- Redes e Internet na Escola). A inicação do Alinex é a ciativa 'Escolas, Professores e Administração Pública. Pensa Computadores Portáteis', que que será fácil convencer os abrange um universo de algumas seus responsáveis a optarem dezenas de milhares de portáteis, pelo software livre? consigna a disponibilização do O software livre é já amplamente Alinex como sistema operativo, usado na Administração Pública funcionando sobre máquinas de Portuguesa (AP). Veja-se, por vários fornecedores. Temos manexemplo, o sítio tido, por outro lado, contacto com a Administração Local, nomeadarepositório de conhecimento em mente com a AMDE (Associação software livre das entidades do de Municípios do Distrito de Évo- Estado Português. Pense-se no 1º ra) e com a Câmara Municipal de Encontro de Software Livre na Évora para análise da oportunida- Administração Pública que decor- de de utilização do Alinex e solureu na Torre do Tombo em Lisboa, ções de software livre. A própria em finais de Novembro de 2006, Universidade de Évora tem em com organização do Plano curso um estudo aprofundado Tecnológico nacional, dos sobre a adopção generalizada, diri- Ministérios da Cultura, da gida aos seus públicos científicos Justiça, da Educação, da UMIC e a administrativos, do Alinex e de da Torre Tombo, onde aliás o soluções open source software. Alinex foi referido. Ou atente-se, Temos além disso em curso um por exemplo, à criação, na UMIC, conjunto de visitas e interacção de um Grupo de Trabalho em com escolas para promoção da Software Livre. Na maioria dos Universidade, onde o Alinex conscasos, a adopção de software livre titui o foco das apresentações. verifica-se, no entanto, não por existir uma estratégia coerente a E em relação aos estabelecitir de uma base sólida, sem de cus- vantagens de vários tipos. Como empresas portuguesas, pode nível nacional, mas por reconhementos de saúde, há já alguma cimento, por parte dos responsá- tos de arrranque asfixiantes, a já referi, e apenas numa óptica constituir um trunfo para o veis das informáticas das orgacoisa em andamento? que acrescentam valor com oferta mais ou menos imediatista, a Relativamente à área de saúde sucesso do projecto junto do nizações, das vantagens desta via de produtos inovadores ou servi- redução de custos aparece como posso referir que foi estabelecido sector público? de solução. A nível de servidores ços de manutenção e apoio. Estas uma vantagem facilmente apreum protocolo com uma empresa empresas, algumas delas spin- ensível. A capacidade de adaptae software de base, por exemplo, Esperemos que sim. Não acreditaa penetração do Linux é muito que disponibiliza soluções neste offs do CITI (Centro de ção do software a requisitos loca- mos que surjam directivas estraimportante e claramente crescentuguês, quer para os PALOP's, Informação) da Universidade de gem de valor óbvio. open source software na AP em domínio, quer para o mercado por- Investigação em Tecnologias de is constitui também uma vanta- tégicas relativas à implantação de te, embora pouco visível. As áreas dos postos de traba- com o objectivo de certificar os Évora, terão, como mercado natu- Mas outras vantagens podem ser Portugal, como muitos outros paíseus produtos sobre Alinex. Vem a ral, o poder local, contribuindo apontadas. Para uma análise mais ses têm feito (caso do Brasil, lho /ferramentas de office, onde se move o Alinex, e das bases de propósito mencionar que uma das para a confiança em soluções base- aprofundada, será interessante vertentes do Alinex corresponde à Índia, Espanha, China, vários paídados de informação contabilísti- adas em software livre. É impor- observar o estudo 'Open Source disponibilização do que chama- ses da UE, etc, etc). Mas conta- ca e de vencimentos (que são curi- tante notar que para o projecto Software - Que oportunidades em mos kits. Isto é, CD/DVD's com o Alinex o retorno do investimenosamente vistas, na AP, como Portugal?' desenvolvido pela mos com as boas razões que assis- core business ), temos noção de sistema operativo e um conjunto to será primordialmente o suces- APDSI. A libertação de uma poude programas, certificados sobre so dessas empresas e a criação de co saudável, e custosa, depen- da ligação Universidade/empresas tem o software livre, com o valor serem as de mais difícil implantação para o sofware livre. Mas Alinex e prontos a usar, que res- know-how nacional em TIC's. O dência de certos fornecedores, que não se fique pelos protocolos mesmo aí, a qualidade de algumas pondem a uma área concreta de país tem de ultrapassar o simples por exemplo concretizada na assinados que não vão além das soluções de software livre, mal- negócio. O primeiro kit foi o kit- papel de montador de soluções imposição de novas versões de boas intenções, com o avançar de grado a enorme resistência à Educação das salas TIC, mas vári- importadas, em que os investi- produtos em que não se percebe uma geração de gente nova com mudança, é real e irá inevitavel- os outros estão em preparação mentos anunciados regressam de qual a melhoria de funcionalidade como sejam o kit-pme's, kitcapacidade de empreender, com mente ser reconhecida. facto, na quase totalidade, aos paí- para os utilizadores, a capacidade AdminLocal, kit-saúde, kit-jogos, ses produtores. Tenha-se presente visão internacional, e com o ele- Temos consciência de que muitos de negociação real na aquisição kit-lite (para máquinas antigas que as empresas que tomam por de soluções informáticas, têm um vado nível tecnológico que somos dos decisores de topo se debatem ainda com a angústia de com com pouca capacidade), kit- base o Alinex e outro software valor, quiçá não sentido no dia a capazes de ter se ultrapassarmos quem assino o contrato de manutos proprietários, se assim o gem de fundo trazida pelo softwa- tem marcado o sector público Servidores, kit-thincients, etc. livre podem comercializar produ- dia, que representa uma vanta- a cultura dos quintais que tenção? ou têm de facto um desentenderem. Em termos de estra- re livre. Também o aumento sig- nacional. conhecimento profundo deste Falou-me em parcerias com novo e estranho modelo de negóessas empresas compreendam que aspectos de imunidade a vírus, empresas locais. Como seria o tégia futura, será importante que nificativo de segurança, quer nos cio em que o software não tem modelo de negócio? O facto de custos de aquisição e é mantido serem locais, pressupõe aqui vivemos tempos de mudança do quer no conhecimento exacto do uma aposta clara nas Câmaras modelo de negócio que vende pro- que os programas fazem (pode- Nota: Entrevista gentilmente por uma comunidade mundial de boas vontades. Mas esta situação Municipais e Juntas de dutos para o negócio que vende mos ir aos sources!), a informação cedida pelo portal igov - está em evolução rápida. Freguesia e ainda com outros serviços e em que o produto é que transmitem ou não para O igov é um Encontramos já no nosso mercado órgãos do poder local? um mero veículo para lhes aceder. outros locais, por vezes sem projecto de informação centra- empresas de elevadísssima repu- O projecto Alinex ultrapassa, conhecimento do utilizador, é não do na utilização das TIC (Tecnosó importante em termos gerais logias de Informação e tação capazes de fornecer e dar como será fácil de entender, a Que vantagens sublinharia apoio contratado a soluções de mera disponibilização de um sis- para as entidades da como absolutamente crucial em Comunicação), que a Espiral de software livre. Por outro lado, tema operativo livre. Em termos Administração Pública optarem ambientes que manipulem informação confidencial. Conhecimento dedica exclusi- começam a surgir profissionais de interacção com o tecido pelo Alinex? vamente à Administração com competências certificadas empresarial, o projecto Alinex A adopção do Alinex, ou em ternestas áreas, que poderão incutir tem como objectivos fomentar o mos mais amplos, de software O facto de se tratar de um pro- Pública, dando especial desta- confiança aos decisores para opta- desenvolvimento de empresas de livre, por entidades da duto nacional, aliado a algumas que à modernização e inovação rem por open source software. base tecnológica, que possam par- Administração Pública, apresenta parcerias estratégicas com tecnológica

5 notícias alentejo~ Abril ~ economia Empresas europeias optimistas para 2007 As PME (Pequenas e num acréscimo). Alemanha e Alemanha, Bélgica e Reino utilizar os subsídios Europeus, Médias Empresas) Portugal são os países mais cau- Unido são os países cujas Nacionais, Regionais e telosos: apenas 37% e 39% das empresas estão mais activas nos Sectoriais (54%). Por seu lado, as Europeias estão confiantes empresas, respectivamente, processos de cobrança: 91% das PME Alemãs são as que na conjuntura económica acham que as vendas vão cres- PME estão a iniciar processos demonstram maior desconhecicer. de cobrança. Segue-se a Itália mento (61%). Em Portugal, 37% para 2007 e pretendem aumentar o investimento (83%), França (82%), Portugal e afirmam conhecer e utilizar sub- Maioria das empresas Espanha (76%). Portugal é o país total. A conclusão é reve- sídios, 24% dizem conhecer mas Espanholas espera aumentar que demora mais tempo a inicinão utilizar e 39% desconhelada pelo 5.º Barómetro lucros: A maioria das empresas ar cobrança, 49 dias, e França é Eurofactor de Confiança Portuguesas (56%) acha que, em o mais célere, 31 dias. cem. Empresarial, realizado 2007, a rentabilidade vai permanecer igual ao período homó- Empresas Portuguesas recorjunto de Directores de O caso Português: As conclu- logo e 38% espera um aumento rem a 'outsourcing' na gestão sões revelam que 58% das empresas, com 6 a dos lucros. Em Espanha, 62% da conta de clientes: As empresas Portuguesas estão 500 colaboradores, de 7 das empresas prevê melhorar a empresas Espanholas são as que optimistas para 2007, com 39% países Europeus: Portugal, rentabilidade do negócio. As menos recorrem ao outsourcing à espera que o volume de ven- Alemanha, Bélgica, PME Italianas são as mais pes- para gerir a conta cliente (55%) das aumente e 38% a prever um Espanha, França, Itália e simistas, com 52% à espera de e as Alemãs as que mais utili- crescimento dos lucros. 58% das manter os mesmos valores e zam serviços externos (84%). Reino Unido. O estudo foi PME questionadas pretendem 11% a contar ter menos lucros. 74% das PME Portuguesas aumentar o investimento em apresentado, em Lisboa, recorrem ao outsourcing na ges- 2007, com as prioridades a por Rui Esteves, Director- Investimento Português abai- tão da conta de clientes. serem marketing e publicidade Geral da Eurofactor xo da média dos países (36%) e equipamentos de produ- Europeus: A maioria das PME Concorrência dos países emer- Portugal, e Emmanuel ção (34%). O mercado interno é analisadas tenciona aumentar gentes é a principal preocupa- Lechypre, Chefe de ção das empresas Europeias: A o mais atractivo para as PME: os investimentos. A tabela é lide- Redação da revista econó- rada pelas empresas Belgas concorrência dos países emer- 85% do volume de negócio é reamica francesa (89%), seguidas de Alemanha gentes é a principal preocupa- lizado com clientes nacionais e (84%), Reino Unido (82%), Itália ção das PME Portuguesas, apon- o peso do sector público é de L'Expansion. (70%), França (68%), Espanha tada por 25% dos questionados, 8%. O prazo de pagamento é o O Barómetro, realizado (60%) e Portugal (58%). 75% das seguida da subida do custo das mais alargado dos 7 países ana- pela empresa de factoring PME Portuguesas espera estabi- matérias-primas (24%). Estas lisados (94 dias) e cerca de 84% Eurofactor em parceria lizar as necessidades de financipreocupações duas são também as maiores das empresas têm incobráveis. dos empresários 74% das PME recorrem a out- com a Associação Francesa amento e 13% prevê aumentar. dos Gestores de Crédito e Portugal é o país que demonstra Alemães, Belgas e Italianos. sourcing na gestão da conta de menor necessidade de financia- Aconselhamento (AFDCC), clientes. Os serviços mais requimento. A lista é encabeçada por 80% das empresas sitados são: advogados (52%), analisa as principais previ- Espanha (28% das PME prevê Portuguesas prevê manter revisores oficiais de contas sões e expectativas econó- um aumento da necessidade de número de colaboradores em (38%) e seguro de crédito (22%). micas de empresas de qua- financiamento), seguida da 2007: A política de recrutamen- O factoring é utilizado por 14% tro macrosectores de acti- Bélgica (25%), França (23%), to das PME Portuguesas para das PME Portuguesas (uma em Itália (20%), Alemanha (18%) e 2007 está estável: 80% das vidade: comércio, indús- Reino Unido (16%). empresas pretende manter o cada dez) na gestão da conta de tria, construção, transpor- número de colaboradores, 14% clientes. O serviço suscita bas- tes e serviços. Prazos de pagamento em planeia aumentar e apenas 6% tante interesse junto das empre- Portugal são dos mais alarga- prevê reduzir recursos humanos sas e as principais mais-valias dos da Europa: Portugal é, dos durante o próximo ano. apontadas são: garantia contra Optimismo moderado entre 7 países que compõem o estudo, Portugal é líder Europeu em o risco de dívidas (62%), inforas empresas Portuguesas: De aquele onde as empresas pagam preocupações ambientais: As mação sobre a solvabilidade dos modo geral, as Empresas mais tarde: demoram até 94 preocupações ambientais estão clientes (58%) e gestão de Europeias estão optimistas para dias. Os países mais cumprido- na agenda das empresas cobranças (54%) As mais confiantes são as res são a Alemanha (45 dias), Portuguesas: 68% têm um plano PME Belgas (92%), Reino Unido Reino Unido (49 dias) e Bélgica de protecção ambiental, o valor Nota: A Eurofactor Portugal é (90%) e Espanha (89%). Segue-se (62 dias). Em França, as PME mais alto entre os 7 países. uma sociedade de factoring perpagam a 66 dias, em Espanha a Alemanha e França estão pouco tencente ao Grupo Eurofactor a Alemanha (85%), França (82%) e Itália (65%). 58% das empresas 81 dias e, em Itália, a 93 dias. focalizadas neste tema (apenas Crédit Agricole, a maior rede Portuguesas acreditam numa 38% das PME contam com Europeia de empresas de factomelhoria do ambiente económiring, com presença assegurada Risco de incobráveis aumenta plano de protecção ambiental), co, 39% estão pouco optimistas em Portugal: 85% das PME seguidas de Bélgica (48%), Espanha (57%), Itália (61%) e em Portugal, Alemanha, e 3% afirmam estar pessimistas. Alemãs têm montantes incobráveis, isto é, valores que nunca Reino Unido (62%). Benelux, Espanha, França e Portugal e Alemanha cautelo- vão chegar a receber. As empre- Reino Unido. A empresa está em sos na previsão das vendas: sas Portuguesas ocupam o 39% das PME Portuguesas des- Portugal desde 1992, ocupa a 8.ª As empresas Belgas são as mais segundo lugar, com 84%, segui- conhece e não utiliza subsídimercado de 4%, e é líder desta- posição do sector com quota de optimistas (61% esperam um das de Bélgica (72%), Espanha os disponíveis: aumento das vendas), seguidas (70%), Itália e Reino Unido (am- As empresas Espanholas são as cado no factoring internacional do Reino Unido (58% aposta bos com 68%) e França (67%). que afirmam conhecer melhor e (27% de quota de mercado). pub Carros sem seguro vendidos em leilão Os carros sem seguro envolvidos em acidentes vão poder ser apreendidos e vendidos em hasta pública. Esta é uma das medidas previstas numa directiva comunitária cuja transposição para a legislação nacional está a ser preparada pelo Instituto de Seguros de Portugal (ISP). As novas regras começam a ser aplicadas já em Julho deste ano, segundo o "Jornal de Notícias". O mesmo jornal adianta que, de acordo uma proposta provisória que o ISP já elaborou, haverá uma apreensão "imediata " de veículos envolvidos em acidentes, caso não seja apresentado o documento comprovativo do seguro obrigatório de responsabilidade civil automóvel, "quando solicitado pela autoridade competente". Portugal campeão dos impostos Portugal foi o país da Zona Euro que mais aumentou os impostos entre 1995 e 2005 e está entre os que mais subiram a carga fiscal nos últimos cinco anos. Segundo o Diário de Notícias, está ainda assim abaixo da média europeia. Pelo contrário, os países do Leste, apontados como adversários de Portugal na luta pelo investimento estrangeiro, praticam taxas tributárias mais baixas e estão a reduzir o esforço fiscal pedido às empresas. As contas do DN: Em dez anos - entre 1995 e a carga fiscal, incluindo as contribuições sociais, sobre a economia portuguesa, cidadãos e empresas, aumentou 11%. Curiosidade, o grossa da subida dos impostos decidiuse entre 1995 e 2000, de acordo com os dados ontem divulgados pelo Eurostat, o gabinete de estatísticas da Comissão Europeia. Aluna da U.E. ganha prémio Secil Ana Silva, aluna da licenciatura em arquitectura da Universidade de Évora ganhou o prémio nacional, na categoria de equipamento, promovido pela cimenteira Secil. O projecto apresentado a concurso sugere "uma requalificação paisagística e urbana do actual jardim de Diana" em Évora. Um comunicado daquela instituição de ensino superior explica que a proposta de Ana Silva "de forma simples e recolhida, desenvolve-se num volume que propõe uma maior existência entre a paisagem a noroeste e a vista com o templo de Diana".

CICLO DE CONFERÊNCIAS "25 ANOS DE PORTUGAL NA UE"

CICLO DE CONFERÊNCIAS 25 ANOS DE PORTUGAL NA UE Boletim Informativo n.º 19 Abril 2011 CICLO DE CONFERÊNCIAS "25 ANOS DE PORTUGAL NA UE" A Câmara Municipal de Lamego no âmbito de atuação do Centro de Informação Europe Direct de Lamego está a promover

Leia mais

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012 Apoio à Internacionalização CENA 3 de Julho de 2012 Enquadramento Enquadramento Comércio Internacional Português de Bens e Serviços Var. 13,3% 55,5 68,2 57,1 73,4 48,3 60,1 54,5 66,0 67,2 61,7 Exportação

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais

PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO

PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO A noção de Empreendedorismo, como uma competência transversal fundamental para o desenvolvimento humano, social e económico, tem vindo a ser reconhecida

Leia mais

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes 2 Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Índice 1 Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) 2 Crédito

Leia mais

SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Micro empresas. CCDRC, 14 fevereiro 2013

SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Micro empresas. CCDRC, 14 fevereiro 2013 SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Micro empresas CCDRC, 14 fevereiro 2013 PROGRAMA VALORIZAR RCM n.º 7/2013, de 9/01 Valorização do território do interior e de baixa densidade demográfica e

Leia mais

CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS

CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS As pequenas empresas são a espinha dorsal da economia europeia, constituindo uma fonte significativa de emprego e um terreno fértil para o surgimento de ideias empreendedoras.

Leia mais

NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE

NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE A LINK THINK AVANÇA COM PROGRAMA DE FORMAÇÃO PROFISSONAL PARA 2012 A LINK THINK,

Leia mais

Iniciativa JESSICA. Perguntas Frequentes

Iniciativa JESSICA. Perguntas Frequentes Iniciativa JESSICA Perguntas Frequentes Iniciativa JESSICA: Perguntas Frequentes 1 - Como nasceu a iniciativa JESSICA? A iniciativa JESSICA (Joint European Support for Sustainable Investment in City Areas)

Leia mais

Novo Aeroporto de Lisboa e privatização da ANA

Novo Aeroporto de Lisboa e privatização da ANA Novo Aeroporto de Lisboa e privatização da ANA O turismo de Portugal não precisa de uma cidade aeroportuária nem de um mega aeroporto; O desenvolvimento do turismo de Portugal, num quadro de coesão territorial

Leia mais

Criamos. valor à sua empresa

Criamos. valor à sua empresa Criamos valor à sua empresa ORGANIZAÇÃO Somos o que fazemos repetidamente. Então, a excelência não é um acto isolado, mas sim um hábito. Aristóteles Compromisso A FISCOSEGUR é uma organização que presta

Leia mais

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP ****

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** Gostaria de começar por agradecer o amável convite da CIP para participarmos nesta conferência sobre um tema determinante para o

Leia mais

CURRICULUM VITAE JOSÉ GABRIEL PAIXÃO CALIXTO

CURRICULUM VITAE JOSÉ GABRIEL PAIXÃO CALIXTO CURRICULUM VITAE JOSÉ GABRIEL PAIXÃO CALIXTO ECONOMISTA Janeiro, 2006 Rua Marquês de Pombal, Nº 17 7200-389 Reguengos de Monsaraz Telemóvel: +351 964 895 518 jose.calixto@netcabo.pt C URRICULUM VITAE JOSÉ

Leia mais

O nosso desafio é o seu sucesso!

O nosso desafio é o seu sucesso! O nosso desafio é o seu sucesso! Clien tes de Refe rên cia Distribuição Construção Civil Industria Tecnologias Potenciamos o seu negócio A Empre sa. Somos uma empresa especializada na prestação de serviços

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N.º 101/IX CRIA O SISTEMA INTEGRADO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Exposição de motivos

PROPOSTA DE LEI N.º 101/IX CRIA O SISTEMA INTEGRADO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Exposição de motivos PROPOSTA DE LEI N.º 101/IX CRIA O SISTEMA INTEGRADO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Exposição de motivos Tendo em consideração que a Administração Pública tem como objectivo fundamental

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN]

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Frederico Mendes & Associados Sociedade de Consultores Lda. Frederico Mendes & Associados é uma

Leia mais

Iniciativa JESSICA. Perguntas Frequentes

Iniciativa JESSICA. Perguntas Frequentes 1 - Como nasceu a iniciativa JESSICA? A iniciativa JESSICA (Joint European Support for Sustainable Investment in City Areas) é um instrumento financeiro promovido pela Comissão Europeia e desenvolvido

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À

SISTEMA DE INCENTIVOS À SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISOS PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS INOVAÇÃO PRODUTIVA EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO Elisabete Félix Turismo de Portugal, I.P. - Direcção de Investimento PRIORIDADE

Leia mais

Nota Introdutória Erro! Marcador não definido.

Nota Introdutória Erro! Marcador não definido. GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2015 ÍNDICE Nota Introdutória Erro! Marcador não definido. Ações Educação e Formação 2 Ação Social 3 Gestão Participada e Finanças 4 Saúde 5 Desporto 5 Juventude 6 Cultura 6 Turismo

Leia mais

IISEMANA 13 DE ABRIL / 15H00 SESSÃO DE ABERTURA DA SEMANA DA REABILITAÇÃO URBANA DE LISBOA

IISEMANA 13 DE ABRIL / 15H00 SESSÃO DE ABERTURA DA SEMANA DA REABILITAÇÃO URBANA DE LISBOA INSTITUTO DA CONSTRUÇÃO E DO IMOBILIÁRIO IISEMANA DARE- ABILITAÇÃO ASSIMFOI URBANA 13 DE ABRIL / 15H00 SESSÃO DE ABERTURA DA SEMANA DA REABILITAÇÃO URBANA DE LISBOA C o n f e r ê n c i a s E x p o s i

Leia mais

POLÍTICAS DE COMPETITIVIDADE PARA O SECTOR AGRO-ALIMENTAR

POLÍTICAS DE COMPETITIVIDADE PARA O SECTOR AGRO-ALIMENTAR POLÍTICAS DE COMPETITIVIDADE PARA O SECTOR AGRO-ALIMENTAR Prioridades Estratégicas Indústria Portuguesa Agro-Alimentar Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares XI LEGISLATURA 2009-2013 XVIII

Leia mais

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução:

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução: EDIÇÃO 2011/2012 Introdução: O Programa Formação PME é um programa financiado pelo POPH (Programa Operacional Potencial Humano) tendo a AEP - Associação Empresarial de Portugal, como Organismo Intermédio,

Leia mais

III Encontro Nacional de BIC s

III Encontro Nacional de BIC s de BIC s de BIC s Decorreu a 18 de Maio, em Abrantes, num hotel com uma vista magnífica para a Barragem de Castelo de Bode o 3º Encontro de BIC s (Business Innovation Centers Portugueses). Neste encontro

Leia mais

Id Serviços de Apoio

Id Serviços de Apoio Id Serviços de Apoio Cafetaria do Museu Calouste Gulbenkian e seu prolongamento no jardim. Serviços Centrais Valores em euros Encargos com pessoal 6 219 770 Despesas de funcionamento 9 606 628 Investimento

Leia mais

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA Introdução Nesta edição do Catálogo de Serviços apresentamos os vários tipos de serviços que compõe a actual oferta da Primavera na área dos serviços de consultoria.

Leia mais

Portugal 2020 O Financiamento às Empresas. Empreender, Inovar, Internacionalizar. Speaking Notes. Fevereiro 10, 2015. Vila Nova de Famalicão

Portugal 2020 O Financiamento às Empresas. Empreender, Inovar, Internacionalizar. Speaking Notes. Fevereiro 10, 2015. Vila Nova de Famalicão Portugal 2020 O Financiamento às Empresas Empreender, Inovar, Internacionalizar Speaking Notes Fevereiro 10, 2015 Vila Nova de Famalicão Casa das Artes Miguel Frasquilho Presidente, AICEP Portugal Global

Leia mais

De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões:

De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões: 7.1 Conclusões De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões: 1 - Descrever os instrumentos/modelos de gestão e marketing estratégicos

Leia mais

2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07

2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07 2011/07/07 NOTA: No caso de imprimir este documento, o mesmo passa automaticamente a Cópia Não Controlada ; a sua utilização implica a confirmação prévia de que corresponde à

Leia mais

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO ÍNDICE 11. PRESSUPOSTO BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO 25 NO ALENTEJO pág. 11.1. Um sistema regional de inovação orientado para a competitividade

Leia mais

AGENDA PARA A COMPETITIVIDADE DO COMÉRCIO, SERVIÇOS E RESTAURAÇÃO 2014-2020

AGENDA PARA A COMPETITIVIDADE DO COMÉRCIO, SERVIÇOS E RESTAURAÇÃO 2014-2020 AGENDA PARA A COMPETITIVIDADE DO COMÉRCIO, SERVIÇOS E RESTAURAÇÃO 2014-2020 18 dezembro 2014 Colocar os setores do Comércio, Serviços e Restauração virado para o exterior e a liderar a retoma económica

Leia mais

SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Sistema de Incentivos às Empresas O que é? é um dos instrumentos fundamentais das políticas públicas de dinamização económica, designadamente em matéria da promoção da

Leia mais

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Da União Europeia vão chegar até 2020 mais de 20 mil milhões de euros a Portugal. Uma pipa de massa, nas palavras do ex-presidente da Comissão

Leia mais

novo portal de turismo Instituto de Turismo de Portugal

novo portal de turismo Instituto de Turismo de Portugal o portal de turismo à conquista de mais e melhores turistas novo portal de turismo ú novo portal de turismo ú o projecto enquadramento www.portugalinsite.pt envelhecimento natural, 7 anos depois do seu

Leia mais

DE DOCUMENTO ELABORADO PELO GRUPO DE TRABALHO REUNIDO EM SANTA CRUZ DE LA SIERRA, BOLÍVIA, ENTRE OS DIAS 3 E 5 DE MAIO DE

DE DOCUMENTO ELABORADO PELO GRUPO DE TRABALHO REUNIDO EM SANTA CRUZ DE LA SIERRA, BOLÍVIA, ENTRE OS DIAS 3 E 5 DE MAIO DE A REDE on-line (PROJECTO DE DOCUMENTO ELABORADO PELO GRUPO DE TRABALHO REUNIDO EM SANTA CRUZ DE LA SIERRA, BOLÍVIA, ENTRE OS DIAS 3 E 5 DE MAIO DE 2006) SUMÁRIO: I. INTRODUÇÃO; II. OBJECTIVOS DA REDE on-line

Leia mais

Nota introdutória. PME em Números 1 IAPMEI ICEP

Nota introdutória. PME em Números 1 IAPMEI ICEP PME em Números PME em Números 1 Nota introdutória De acordo com o disposto na definição europeia 1, são classificadas como PME as empresas com menos de 250 trabalhadores cujo volume de negócios anual não

Leia mais

MEIOSTEC, S.A. RELATÓRIO E CONTAS 2008

MEIOSTEC, S.A. RELATÓRIO E CONTAS 2008 MEIOSTEC, S.A. RELATÓRIO E CONTAS 2008 MEIOSTEC, S.A. RELATÓRIO E CONTAS 2008 ÍNDICE 01 Relatório de Gestão... 1 02 Conjuntura Económica... 2 03 A Empresa... 3 04 Análise Financeira... 9 1 MEIOSTEC S.A.

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011

GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011 GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011 Versão Preliminar Este relatório tem por objectivo da conta do que de mais relevante foi realizado no cumprimento

Leia mais

Serviços. Conquistar. quando identificou a oportunidade de negócio que constituía a Internet enquanto meio para agilizar

Serviços. Conquistar. quando identificou a oportunidade de negócio que constituía a Internet enquanto meio para agilizar Serviços Conquistar um lugar à mesa nas reservas on-line Até há bem pouco tempo Portugal não contava com um serviço especializado para reservar mesas em restaurantes através da Internet. Este ano ganhou

Leia mais

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2011

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2011 GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2011 1. Análise do Plano Plurianual de Investimentos (PPI) Neste orçamento, o Município ajustou, as dotações para despesas de investimento, ao momento de austeridade que o país

Leia mais

Qual o âmbito deste protocolo e que tipo de projectos pretende apoiar?

Qual o âmbito deste protocolo e que tipo de projectos pretende apoiar? QUESTÕES COLOCADAS PELO JORNALISTA MARC BARROS SOBRE O PROTOCOLO ENTRE A FNABA E O TURISMO DE PORTUGAL Qual o âmbito deste protocolo e que tipo de projectos pretende apoiar? Com propostas para fazer e

Leia mais

Jovens Embaixadores de Évora

Jovens Embaixadores de Évora Jovens Embaixadores de Évora Évora, Património, Juventude e Mobilidade Apoiado pela OCPM Organização das Cidades Património da Humanidade Praça de Sertório, 7004-506 ÉVORA - Telef. 266 777 000; 965 959

Leia mais

Bashen Agro Consultoria e sistemas de gestão AgroPecuária

Bashen Agro Consultoria e sistemas de gestão AgroPecuária Abril de 2008 Bashen Agro Consultoria e sistemas de gestão AgroPecuária 1 Bashen Agro Um projecto Consultoria e sistemas de gestão AgroPecuária Parceria FZ AGROGESTÃO Consultoria em Meio Rural, Lda Av.

Leia mais

Para informação adicional sobre os diversos países consultar: http://europa.eu.int/information_society/help/links/index_en.htm

Para informação adicional sobre os diversos países consultar: http://europa.eu.int/information_society/help/links/index_en.htm Anexo C: Súmula das principais iniciativas desenvolvidas na Europa na área da Sociedade de Informação e da mobilização do acesso à Internet em banda larga Para informação adicional sobre os diversos países

Leia mais

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos Os Desafios da Fileira da Construção As Oportunidades nos Mercados Externos Agradeço o convite que me foi dirigido para participar neste Seminário e felicito a AIP pela iniciativa e pelo tema escolhido.

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

O QUE ABORDAMOS, EM PARTICULAR, NESTE EU REPORT?

O QUE ABORDAMOS, EM PARTICULAR, NESTE EU REPORT? Cosme 1 O QUE ABORDAMOS, EM PARTICULAR, NESTE EU REPORT? Neste EU Report abordamos, em particular, o COSME, o novo programa quadro europeu para a competitividade das Empresas e das PME (pequenas e médias

Leia mais

Praça José Fontana, 4-5º 1050-129 Lisboa T 213 156 200 808 202 922 microcredito@microcredito.com.pt

Praça José Fontana, 4-5º 1050-129 Lisboa T 213 156 200 808 202 922 microcredito@microcredito.com.pt Praça José Fontana, 4-5º 1050-129 Lisboa T 213 156 200 808 202 922 microcredito@microcredito.com.pt Com o Apoio : 2014 RELATÓRIO Notas introdutórias O ano de 2014 foi um ano marcado por uma recuperação

Leia mais

2006-2015. Bolsa de Turismo de Lisboa 18 de Janeiro 2006

2006-2015. Bolsa de Turismo de Lisboa 18 de Janeiro 2006 2006-2015 Bolsa de Turismo de Lisboa 18 de Janeiro 2006 Portugal 2015 Portugal 2015 - Metas 2005 2015 Douro Douro Oeste Oeste Serra da Estrela Serra da Estrela Alqueva Litoral Alentejano Litoral Alentejano

Leia mais

PROJECTO DE ORÇAMENTO RECTIFICATIVO N.º 6 AO ORÇAMENTO GERAL DE 2010

PROJECTO DE ORÇAMENTO RECTIFICATIVO N.º 6 AO ORÇAMENTO GERAL DE 2010 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 17.6.2010 COM(2010) 315 final PROJECTO DE ORÇAMENTO RECTIFICATIVO N.º 6 AO ORÇAMENTO GERAL DE 2010 MAPA DE RECEITAS E DE DESPESAS POR SECÇÃO Secção II Conselho Europeu e Conselho

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR +

APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR + APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR + Ponta Delgada, 28 de Abril de 2014 Intervenção do Presidente do Governo Regional

Leia mais

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique Programa de Acção Luis Filipe Baptista ENIDH, Setembro de 2013 Motivações para esta candidatura A sociedade actual está a mudar muito

Leia mais

ALENTEJO. Instituto Politécnico de Beja, 3 de Maio 2012

ALENTEJO. Instituto Politécnico de Beja, 3 de Maio 2012 OBSERVATÓRIO de TURISMO do ALENTEJO Instituto Politécnico de Beja, 3 de Maio 2012 Razões para a Criação do Observatório Regional de Turismo do Alentejo As lacunas da informação estatística sobre o turismo

Leia mais

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Criada em Setembro de 2005 em Sacavém, a Explicolândia Centros de Estudo tem sido ao longo dos anos, uma

Leia mais

O Futuro dos Programas Europeus de Ciência e Inovação Maria da Graça a Carvalho

O Futuro dos Programas Europeus de Ciência e Inovação Maria da Graça a Carvalho O Futuro dos Programas Europeus de Ciência e Inovação Maria da Graça a Carvalho Workshop sobre Políticas de Investigação no Ensino Superior Universidade da Beira Interior 2 Junho 2011 Índice Estratégia

Leia mais

NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS

NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS Sessão de Esclarecimento Associação Comercial de Braga 8 de abril de 2015 / GlobFive e Creative Zone PT2020 OBJETIVOS DO PORTUGAL 2020 Promover a Inovação empresarial (transversal);

Leia mais

Factor PME. Junho 2011

Factor PME. Junho 2011 Projecto Factor PME Junho 2011 Índice Âmbito e Objectivos 03 Condições de Elegibilidade _Entidade beneficiária 04 _Projecto 05 Investimentos Elegíveis _Componentes de financiamento 06 _Despesas elegíveis

Leia mais

DOSSIER FRANCHISING 3iNFOR

DOSSIER FRANCHISING 3iNFOR DOSSIER FRANCHISING 3iNFOR Rua Henrique Bravo, 6929 e 6967 4465-167 S. Mamede de Infesta Portugal 1 Filosofia/Historial A 3infor é uma empresa especializada em software profissional, com um produto inovador

Leia mais

INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO

INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO A partir de meados do século xx a actividade de planeamento passou a estar intimamente relacionada com o modelo racional. Uma das propostas que distinguia este do anterior paradigma era a integração

Leia mais

Salário de E-commerce Director pode chegar aos 75.000

Salário de E-commerce Director pode chegar aos 75.000 Salário de E-commerce Director pode chegar aos 75.000 Outras conclusões: Recrutamento na área de Marketing Digital registou crescimento de 15%. Área de E- commerce cresceu 6% Remuneração dos profissionais

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação. Inovação Produtiva CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO

Sistema de Incentivos à Inovação. Inovação Produtiva CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Sistema de Incentivos à Inovação Inovação Produtiva CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Aviso para apresentação de candidaturas Nº 02/SI/2012 1 Índice Tipologias de Investimento... 3 Condições de Elegibilidade

Leia mais

Actualização da. Preparada pela Comissão Europeia para o Conselho Europeu de Nice 7 e 8 de Dezembro de 2000

Actualização da. Preparada pela Comissão Europeia para o Conselho Europeu de Nice 7 e 8 de Dezembro de 2000 COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO E AO PARLAMENTO EUROPEU Actualização da Preparada pela Comissão Europeia para o Conselho Europeu de Nice 7 e 8 de Dezembro de 2000 1 1. Introdução Em Dezembro de 1999,

Leia mais

Contribuir para o desenvolvimento da região em que se inserem;

Contribuir para o desenvolvimento da região em que se inserem; SIPIE SISTEMA DE INCENTIVOS A PEQUENAS INICIATIVAS EMPRESARIAIS FICHA DE MEDIDA Apoia projectos com investimento mínimo elegível de 15.000 e a um máximo elegível de 150.000, que visem a criação ou desenvolvimento

Leia mais

VISEU TERCEIRO. Programa de Apoio Direto à Cultura e Criatividade. Normas de Acesso e Apoio. Enquadramento

VISEU TERCEIRO. Programa de Apoio Direto à Cultura e Criatividade. Normas de Acesso e Apoio. Enquadramento VISEU TERCEIRO Programa de Apoio Direto à Cultura e Criatividade 2015 Normas de Acesso e Apoio Enquadramento A atividade de criação e programação exercida por entidades, grupos e pessoas singulares no

Leia mais

ESTUDO IDC O papel das tecnologias de informação na produtividade e redução de custos nas organizações nacionais

ESTUDO IDC O papel das tecnologias de informação na produtividade e redução de custos nas organizações nacionais ESTUDO IDC O papel das tecnologias de informação na produtividade e redução de custos nas organizações nacionais Patrocinado por: Microsoft Versão Preliminar - Março 2013 SUMÁRIO EXECUTIVO IDC Portugal:

Leia mais

6º Congresso Nacional da Administração Pública

6º Congresso Nacional da Administração Pública 6º Congresso Nacional da Administração Pública João Proença 30/10/08 Desenvolvimento e Competitividade: O Papel da Administração Pública A competitividade é um factor-chave para a melhoria das condições

Leia mais

Capítulo Descrição Página

Capítulo Descrição Página MANUAL DA QUALIIDADE ÍNDICE Capítulo Descrição Página 1 Apresentação da ILC Instrumentos de Laboratório e Científicos, Lda Dados sobre a ILC, sua história, sua organização e modo de funcionamento 2 Política

Leia mais

OPERAÇÕES INDIVIDUAIS E OPERAÇÕES TRANSVERSAIS

OPERAÇÕES INDIVIDUAIS E OPERAÇÕES TRANSVERSAIS AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 01/ SAMA/ 2012 SISTEMA DE APOIOS À MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA (SAMA) OPERAÇÕES INDIVIDUAIS E OPERAÇÕES TRANSVERSAIS Nos termos do Regulamento do SAMA, a apresentação

Leia mais

AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA

AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA PLANO DE COMUNICAÇÃO E DIVULGAÇÃO Deliverable 4 Fase 2 Novembro 2008 1 P á g i n a Índice 1. Objectivos... 3 2. Públicos-alvo... 4 3. Estratégia de Comunicação... 5 3.1

Leia mais

APRESENTAÇÃO AEFCUP. Informações. AEFCUP Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto

APRESENTAÇÃO AEFCUP. Informações. AEFCUP Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto APRESENTAÇÃO AEFCUP Informações AEFCUP Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Rua do Campo Alegre, 1021 4150 180 Porto GPS: 41º 11'10.25'' N 8º41'25.32''W Tlf. AEFCUP

Leia mais

Premier. Quando os últimos são os Primeiros

Premier. Quando os últimos são os Primeiros Premier Quando os últimos são os Primeiros Fundada em 1997 Especializada no desenvolvimento de soluções informáticas de apoio à Gestão e consultoria em Tecnologias de Informação. C3im tem como principais

Leia mais

Seminário de apresentação da Rede Gestus

Seminário de apresentação da Rede Gestus Seminário de apresentação da Rede Gestus Rede Gestus O LOGOTIPO Rede Gestus Internacionalização Zona 4 Gestus Compras Cartão ECOTUR Portal Gestus Cartão Gestus Contact Center CRM Zona 4 O LOGOTIPO Características:

Leia mais

Índice. Pág *09 Como participar. Pág *10 Calendário. Pág *11 Os resultados. Pág *12 Júri. Pág *13 Regulamento

Índice. Pág *09 Como participar. Pág *10 Calendário. Pág *11 Os resultados. Pág *12 Júri. Pág *13 Regulamento Índice Pág *09 Como participar Pág *10 Calendário Pág *11 Os resultados Pág *12 Júri Pág *13 Regulamento Pág *01 Introdução Pág *02 Um programa alargado de intervenção Pág *05 Viver de Consciência Leve

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE ACREDITAÇÃO EM SAÚDE

PROGRAMA NACIONAL DE ACREDITAÇÃO EM SAÚDE PROGRAMA NACIONAL DE ACREDITAÇÃO EM SAÚDE 2009 3 ÍNDICE I INTRODUÇÃO 4 II MODELO NACIONAL DE ACREDITAÇÃO EM SAÚDE 5 III ÂMBITO DE APLICAÇÃO 8 IV OBJECTIVO GERAL 8 V OBJECTIVOS ESPECÍFICOS 8 VI ESTRATÉGIAS

Leia mais

2.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA

2.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA 2.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA Gestão Inteligente e Competitividade 15 de Setembro 2011 Museu da Carris Conheça as estratégias nacionais e internacionais para uma gestão eficiente da mobilidade urbana

Leia mais

ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho

ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho Sumário País Portugal Sector Saúde Perfil do Cliente O Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho envolve

Leia mais

O reforço da gestão da inovação nas empresas portuguesas CCDR Algarve 6 de Maio de 2009 Isabel Caetano COTEC Portugal

O reforço da gestão da inovação nas empresas portuguesas CCDR Algarve 6 de Maio de 2009 Isabel Caetano COTEC Portugal O reforço da gestão da inovação nas empresas portuguesas CCDR Algarve 6 de Maio de 2009 Isabel Caetano COTEC Portugal COTEC PORTUGAL - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL PARA A INOVAÇÃO A COTEC Portugal - Associação

Leia mais

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO 1 Sumário: Conceito e Objectivos Estrutura do PN o Apresentação da Empresa o Análise do Produto / Serviço o Análise de Mercado o Estratégia de Marketing o

Leia mais

O Processo de Bolonha e o desafio da empregabilidade

O Processo de Bolonha e o desafio da empregabilidade O Processo de Bolonha e o desafio da empregabilidade P o r M a r g a r i d a S a r a i v a, J o r g e C a s a s N o v a s, J o s é R o b e r t o e E l i z a b e t h R e i s Um ano lectivo após o arranque

Leia mais

MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016

MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016 PROJECTO CONJUNTO DE INTERNACIONALIZAÇÃO MÉXICO 2015-2016 MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016 INSCRIÇÕES ATÉ 15 DE JANEIRO 2016 Promotor: Co-financiamento: Monitorização: Foto: Miguel Moreira

Leia mais

Simplex Exportações Exportações mais Simplex

Simplex Exportações Exportações mais Simplex Simplex Exportações Exportações mais Simplex Este é o primeiro SIMPLEX dedicado a um tema específico: as EXPORTAÇÕES. É por isso um programa diferente. Mais participado e feito em verdadeira co produção:

Leia mais

Programa de Acção da Candidatura a Presidente

Programa de Acção da Candidatura a Presidente Programa de Acção da Candidatura a Presidente do Instituto Politécnico de Beja de Manuel Alberto Ramos Maçães 1 Índice I. O Porquê da Candidatura II. III. IV. Intenção Estratégica: Visão, Envolvimento

Leia mais

SESSÃO DE ENCERRAMENTO DO VENTURE CAPITAL IT 2006

SESSÃO DE ENCERRAMENTO DO VENTURE CAPITAL IT 2006 SESSÃO DE ENCERRAMENTO DO VENTURE CAPITAL IT 2006 Jaime Andrez Presidente do CD do IAPMEI 10 de Maio de 2006 Minhas Senhoras e meus Senhores, 1. Em nome do Senhor Secretário de Estado Adjunto, da Indústria

Leia mais

Orçamento do Conselho Geral para 2012. Justificação do planeado

Orçamento do Conselho Geral para 2012. Justificação do planeado Orçamento do Conselho Geral para 2012 Justificação do planeado Esta proposta de orçamento é a primeira apresentada pelo atual Conselho Geral. É um instrumento de concretização do programa eleitoral dos

Leia mais

CANDIDATURAS ABERTAS:

CANDIDATURAS ABERTAS: Resumo das candidaturas aos Sistemas de Incentivos QREN CANDIDATURAS ABERTAS: Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Tipologia de Projectos Abertura Encerramento Individuais

Leia mais

Neves & Freitas Consultores, Lda.

Neves & Freitas Consultores, Lda. A gerência: Cristian Paiva Índice 1. Introdução... 3 2. Apresentação... 4 2.2 Missão:... 4 2.3 Segmento Alvo... 4 2.4 Objectivos... 5 2.5 Parceiros... 5 2.6 Organização... 5 3. Organigrama da empresa...

Leia mais

COMPROMISSO PARA O CRESCIMENTO, COMPETITIVIDADE E EMPREGO. Grupo de Trabalho Competitividade e Crescimento

COMPROMISSO PARA O CRESCIMENTO, COMPETITIVIDADE E EMPREGO. Grupo de Trabalho Competitividade e Crescimento COMPROMISSO PARA O CRESCIMENTO, COMPETITIVIDADE E EMPREGO Grupo de Trabalho Competitividade e Crescimento O Programa do XIX Governo estabelece a consolidação orçamental como um dos objectivos cruciais

Leia mais

UMA ASSOCIAÇÃO GLOBAL PARA ALIANÇAS ESTRATÉGICAS

UMA ASSOCIAÇÃO GLOBAL PARA ALIANÇAS ESTRATÉGICAS UMA ASSOCIAÇÃO GLOBAL PARA ALIANÇAS ESTRATÉGICAS UMA ASSOCIAÇÃO GLOBAL PARA ALIANÇAS ESTRATÉGICAS Presente em mais de 80 países e com mais de 280 escritórios em todos os Continentes, a MGI é uma das maiores

Leia mais

PRAIE PROGRAMA DE APOIO AO INVESTIMENTO EMPRESARIAL NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO ANEXO 1 - NORMAS E CONDIÇÕES DE ACESSO ENQUADRAMENTO

PRAIE PROGRAMA DE APOIO AO INVESTIMENTO EMPRESARIAL NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO ANEXO 1 - NORMAS E CONDIÇÕES DE ACESSO ENQUADRAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO INVESTIMENTO EMPRESARIAL NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO ANEXO 1 - NORMAS E CONDIÇÕES DE ACESSO ENQUADRAMENTO 1) O Programa de Apoio ao Investimento Empresarial, adiante designado

Leia mais

NEWSLETTER Nº 8 AGOSTO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES

NEWSLETTER Nº 8 AGOSTO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES NEWSLETTER Nº 8 AGOSTO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES Resultado da cimeira "particularmente positivo para Portugal" A cimeira europeia de quinta-feira

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

INVESTIR NO FUTURO CONTRATO DE CONFIANÇA ENSINO SUPERIOR PARA O FUTURO DE PORTUGAL. Janeiro de 2010

INVESTIR NO FUTURO CONTRATO DE CONFIANÇA ENSINO SUPERIOR PARA O FUTURO DE PORTUGAL. Janeiro de 2010 INVESTIR NO FUTURO UM CONTRATO DE CONFIANÇA NO ENSINO SUPERIOR PARA O FUTURO DE PORTUGAL Janeiro de 2010 UM CONTRATO DE CONFIANÇA NO ENSINO SUPERIOR PARA O FUTURO DE PORTUGAL No seu programa, o Governo

Leia mais

Relatório da. Avaliação intercalar da execução do Plano de Acção da UE para as Florestas Contrato de Serviço N.º 30-CE-0227729/00-59.

Relatório da. Avaliação intercalar da execução do Plano de Acção da UE para as Florestas Contrato de Serviço N.º 30-CE-0227729/00-59. Relatório da Avaliação intercalar da execução do Plano de Acção da UE para as Florestas Contrato de Serviço N.º 30-CE-0227729/00-59 Resumo Novembro de 2009 Avaliação intercalar da execução do Plano de

Leia mais

XIV Jornadas Pedagógicas de Educação Ambiental Ambiente, Saúde e Qualidade de Vida Lisboa, 26 e 27 de Janeiro de 2007

XIV Jornadas Pedagógicas de Educação Ambiental Ambiente, Saúde e Qualidade de Vida Lisboa, 26 e 27 de Janeiro de 2007 XIV Jornadas Pedagógicas de Educação Ambiental Ambiente, Saúde e Qualidade de Vida Lisboa, 26 e 27 de Janeiro de 2007 Projecto Carta da Terra. Instrumento de Sustentabilidade. Balanço e Perspectivas Manuel

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO DO PAÍS EXIGE UMA NOVA ESCOLA DO 1ºCEB

O DESENVOLVIMENTO DO PAÍS EXIGE UMA NOVA ESCOLA DO 1ºCEB O DESENVOLVIMENTO DO PAÍS EXIGE UMA NOVA ESCOLA DO 1ºCEB Sem qualquer negociação, o Ministério da Educação anunciou, e está desenvolver, algumas medidas avulsas relacionadas com o 1º Ciclo do Ensino Básico.

Leia mais

DIA de CURSO. Licenciatura em Sistemas de Informação para a Gestão. Escola Superior de Gestão Instituto Politécnico do Cávado e do Ave

DIA de CURSO. Licenciatura em Sistemas de Informação para a Gestão. Escola Superior de Gestão Instituto Politécnico do Cávado e do Ave Escola Superior de Gestão Instituto Politécnico do Cávado e do Ave DIA de CURSO Licenciatura em Sistemas de Informação para a Gestão AEIPCA Câmara Municipal de Barcelos A Escola Superior de Gestão (ESG)

Leia mais

Declaração de Princípios.

Declaração de Princípios. POR UMA NOVA ANTRAM MAIS FORTE E INTERVENTIVA Regular o Mercado Fortalecer as Empresas Modernizando e Qualificando o Sector Reforçar o apoio aos associados. Programa eleitoral da Lista A Candidata aos

Leia mais

Tradicionalmente como surgem? Existem ambientes mais propícios para o nascimento de ideias/projectos inovadores?

Tradicionalmente como surgem? Existem ambientes mais propícios para o nascimento de ideias/projectos inovadores? O que é uma start-up? As empresas que criam modelos de negócio altamente escaláveis, a baixos custos e a partir de ideias inovadoras são normalmente consideradas empresas startups. Concebidas para crescerem

Leia mais