Estoque da dívida pode subir a R$ 2,05 trilhões Governo acelerará redução da fatia de títulos vinculada à Selic e elevará participação de prefixados

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estoque da dívida pode subir a R$ 2,05 trilhões Governo acelerará redução da fatia de títulos vinculada à Selic e elevará participação de prefixados"

Transcrição

1 Câmbio (R$) Dólar / BC Compra Venda Paralelo 1,71 1,89 Comercial 1,76 1,762 Turismo 1,71 1,89 Euro / BC 2,3472 2,3482 Ouro (R$) Grama 95,001 Variação + 1,06% Blue Chips % Ult. cotação BMF Bov. ON R$ 12,28 +1,90 Bradesco PN R$ 32,00 +1,55 Gerdau PN R$ 17,40 +1,75 Itaú Unib. PN R$ 37,90 +3,41 Petrobras PN R$ 24,11 +0,54 Sid Nac. PN R$ 17,67 +1,38 Vale PNA R$ 40,13-0,04 Economia As mulheres receberam, em média, 72,3% do salário dos homens no ano passado, de acordo com estudo divulgado ontem pelo IBGE em homenagem ao Dia Internacional da Mulher. O número repete a proporção encontrada nos levantamentos de 2009 e PÁGINA 4 Economia A reestruturação da dívida soberana de 200 bilhões de euros da Grécia caminha para um desfecho melhor do que o esperado. Segundo fontes, o nível de adesão dos credores à proposta já estava próximo de 80% no fim da tarde de ontem. O anúncio oficial sai hoje. PÁGINA 5 Rio A prefeitura assinou ontem termo de compromisso para a construção de 2 mil apartamentos que vão receber as vilas de árbitros e mídia não credenciada durante os Jogos Olímpicos de Os imóveis serão os primeiros a ser erguidos na Zona Portuária. PÁGINA 8 Fernanda Freixinho Questão de Justiça Intolerância religiosa é um termo que descreve a atitude mental caracterizada pela falta de habilidade ou vontade em reconhecer e respeitar crenças religiosas. O Brasil é um país onde há muita intolerância e o direito penal se preocupa com esse tema. PÁGINA 7 1ª FASE 1875 A RIO DE JANEIRO, SEXTA-FEIRA, 9 DE MARÇO DE 2012 R$ 1,00 Estoque da dívida pode subir a R$ 2,05 trilhões Governo acelerará redução da fatia de títulos vinculada à Selic e elevará participação de prefixados O Tesouro Nacional divulgou ontem a estratégia de gestão da dívida pública federal para 2012 no Plano Anual de Financiamento (PAF). O estoque da dívida poderá crescer até R$ 183,65 bilhões no ano, considerando que a banda vai de R$ 1,95 trilhão a R$ 2,05 trilhões. No fim de 2011, o estoque fechou em R$ 1,866 trilhão. O PAF mostra que o governo vai acelerar redução da fatia de títulos que é corrigida pela taxa Selic. Por outro lado, procurará aumentar a participação de títulos prefixados na dívida. Este tipo de papel é mais vantajoso porque as taxas são definidas no momento da venda. Desse modo, há maior previsibilidade de quanto será gasto no momento do resgate e menor vulnerabilidade do Tesouro, o que facilita a administração da dívida. Outra meta é vender um volume maior de papéis corrigidos pela inflação, disse o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, durante a apresentação do PAF. Na composição da dívida em 2012, os títulos prefixados poderão atingir no máximo 41% e no mínimo 37%. Em 2011, o percentual máximo ficou em 37,2%. Os títulos corrigidos pela inflação poderão variar entre 30% e 34%, ante os 28,3% de No caso da taxa flutuante, a estimativa varia de 22% a 26%, enquanto em 2011 o percentual ficou em 30,1%. Os papéis corrigidos pelo câmbio devem variar de 3% a 5%, ante os 4,4% do ano passado. PÁGINA 2 Setubal vê espaço para mais redução nos juros O presidente do Itaú Unibanco, Roberto Setubal, disse ontem acreditar que o corte de 0,75 ponto percentual da taxa básica de juros anunciado quarta-feira pelo Copom, para 9,75%, não encerra o ciclo de reduções da Selic em Para ele, ainda há espaço para novos cortes já que a taxa brasileira ainda é muito elevada. O risco de superaquecimento da economia e pressões inflacionárias foi descartado por Setubal. O Ex-ministro da Fazenda Delfim Netto TESOURO NACIONAL disse que com a queda da Selic para um dígito, o governo Dilma caminha para levar a taxa de juro real para 2.5% ou 3% até o final do seu mandato. A decisão, além de incentivar a demanda, estimula a oferta, pois diz para os empresários: pode investir, que vamos garantir condições melhores de retorno para seus negócios no longo prazo, dado que a taxa de juros vai convergir gradualmente ao patamar registrado pelos países com quem competimos, disse Delfim. PÁGINA 3 2ª FASE ANO III EDIÇÃO Nº 553 Augustin: haverá maior previsibilidade de quanto será gasto no momento do resgate Tasso Marcelo / AE Roberto Setubal: não há risco de superaquecimento da economia e de pressões inflacionárias Faturamento da indústria cai 1,4% em janeiro ante dezembro A Confederação Nacional da Indústria (CNI) informou ontem que o faturamento real da indústria apresentou queda de 1,4% em janeiro ante dezembro. Na comparação com janeiro de 2011, houve aumento no faturamento (3,4%) e no emprego (0,8%). O uso da capacidade instalada passou de 81,3% para 81,9%. A nossa expectativa é de melhora gradual nos próximos meses. Os dados de janeiro são ainda ambíguos, com sinais positivos, mas também negativos. Houve, possivelmente, redução nos estoques. Isso pode significar que as empresas estejam voltando a um grau de normalidade, disse o gerente de Política Econômica da CNI, Flávio Castelo Branco. PÁGINA 4 Lucro líquido da Ambev sobe 14,3% em 2011 Arquivo PÁGINA 5

2 ECONOMIA 2 Sexta-feira, 9 de março de 2012 TESOURO Dívida pública poderá atingir R$ 2,05 trilhões Estratégia de reduzir a fatia de papéis atrelados à Selic é ampliada para este ano Da redação, com agências A dívida pública federal poderá crescer até R$ 183,65 bilhões e chegar a R$ 2,05 trilhões este ano. Em 2011, a dívida somou R$ 1,866 trilhão. Os valores estão no Plano Anual de Financiamento (PAF) 2012, divulgado ontem pelo Tesouro Nacional. O PAF mostra também que será ampliada a estratégia de reduzir a parte da dívida que é corrigida pela taxa Selic. Por outro lado, procurará aumentar a participação de títulos prefixados na dívida. Este tipo de papel é mais vantajoso para o governo porque as taxas são definidas no momento da venda. Desse modo, há maior previsibilidade de quanto será gasto no momento do resgate e menor vulnerabilidade do Tesouro, o que facilita a administração da dívida. Outra meta é vender um volume maior de papéis corrigidos pela inflação, disse o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, durante a apresentação do PAF. Na composição da dívida em 2012, que poderá variar entre R$ 1,95 trilhão e R$ 2,05 trilhões, os títulos prefixados poderão atingir no máximo 41% e no mínimo 37%. Em 2011, o percentual máximo ficou em 37,2%. Os títulos corrigidos pela inflação poderão variar entre 30% e 34%, ante os 28,3% de No caso da taxa flutuante, a estimativa varia de 22% a 26%, enquanto em 2011 o percentual ficou em 30,1%. Os papéis corrigidos pelo câmbio devem variar de 3% a 5%, ante os 4,4% do ano passado. Segundo as diretrizes, o Tesouro deverá substituir gradualmente os títulos remunerados pela taxa de juros flutuantes por títulos prefixados ou vinculados à inflação. O Tesouro prevê ainda um aumento médio do estoque da dívida e especial atenção para a dívida que vence no curto prazo. Entre outras metas, o governo pretende ainda aumentar a base de investidores e melhorar a dívida pública externa. O prazo médio dos papéis deve variar entre 3,6 a 3,8 anos, ante 3,6 em Já o percentual dos papéis que deverão vencer em 12 meses poderão variar de 22% a 26%, ante os 21,9% de Segurança - O plano tem por objetivo criar no mercado uma segurança sobre a ação que será adotada pelo governo, mas as condições podem ser diferentes das que nós projetamos. Neste ano, temos um grau de previsibilidade bem maior, destacou Augustin. Em janeiro, por exemplo, o governo fez resgates da dívida com os credores de R$ 113,58 bilhões, o que representa 26,68% dos vencimentos da dívida pública federal de todo o ano de De acordo com o secretário, é preciso ressaltar que o Tesouro Nacional tem colchões de liquidez (reservas) para administrar o refinanciamento da dívida federal, principalmente neste momento de crise internacional. O primeiro é uma poupança equivalente a seis meses de vencimento da dívida e o segundo, as operações de compra de dólares. Em tais operação, foram feitas compras equivalentes a US$ 7,4 bilhões, suficientes para pagar 49% da dívida externa a vencer até A compra de dólares só não ficou acima desse volume porque o Tesouro está impedido Augustin: Tesouro tem reservas para administrar o refinanciamento da dívida Secretário: trabalho contra alta excessiva do real vai continuar Célia Froufe, Renata Veríssimo e Adriana Fernandes O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, disse ontem, durante a divulgação do Plano Anual de Financiamento (PAF), que o governo continuará a trabalhar para evitar a valorização excessiva do real. Augustin salientou que os investimentos estrangeiros de longo prazo são importantes para o País. Vemos com bons olhos os investimentos de longo prazo. Já a entrada em que o investidor está olhando ganho de curto prazo, não achamos bom, considerou. Segundo o secretário, está claro que o Brasil também recebe esse tipo de investimento e evitou comentar a possibilidade de o governo taxar o Investimento Estrangeiro Direto (IED). O que tenho a dizer é que vamos continuar a ser proativos para ter câmbio adequado. De que forma? A cada momento veremos o que é mais adequado, esquivou-se. Nosso objetivo é impedir entrada mais especulativa, que entra para ficar não se de comprar moeda estrangeira por um período maior que quatro anos. A regra, no entanto, não é rígida e pode ser alterada, dando mais flexibilidade às operações do governo. De dezembro de 2004 até dezembro de 2011, o estoque da dívida pública federal externa caiu de US$ 76,5 bilhões para US$ 44,4 bilhões. Migração - Augustin descartou também qualquer relação entre os investimentos em caderneta de poupança e a renegociação da dívida pública. Setores do mercado financeiro avaliam que, com as seguidas reduções da taxa de juros, em algum momento, muitos investidores podem migrar dos fundos de investimentos para as cadernetas de poupança. A poupança passaria a ser mais vantajosa, porque não recolhe, como os fundos, Imposto de Renda e não paga taxa de administração às instituições financeiras. Na quarta-feira, o Arquivo sabe quanto tempo. O secretário informou ainda que haverá nova emissão externa nas próximas semanas, mas não precisou os volumes nem em qual moeda - real ou dólar - isso ocorrerá. Vamos continuar com a estratégia bem definida de redução e melhoria da nossa curva de juros, afirmou. Augustin disse que as emissões serão relevantes em 2012 e que as taxas menores obtidas nas emissões têm ajudado a reduzir o custo para a captação de recursos das empresas brasileiras no exterior Comitê de Política Econômica (Copom) do Banco Central acelerou a redução na taxa básica de juros (Selic), que caiu de 10,5% para 9,75%. Para o Tesouro, as condições de mercado, neste momento, permitem, com grande tranquilidade, (promover) as estratégias do Plano Anual de Financiamento [PAF] que estamos anunciando. Não há nenhuma previsão de mudança decorrente disso, disse Augustin. DIEESE mais barata em 12 de 17 capitais Marli Moreira INFLAÇÃO O valor da cesta básica caiu, na passagem de janeiro para fevereiro, em 12 das 17 capitais onde o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) faz, mensalmente, a Pesquisa Nacional da Cesta Básica. As maiores quedas ocorreram em Florianópolis (-5,8%), Salvador (-4,52%) e Curitiba (-4,04%). Das cinco cidades em que os itens ficaram mais caros, apenas Natal apresentou reajuste mais expressivo (2,14%), com o valor médio de R$ 218,21. Nas demais que tiveram aumento, as taxas oscilaram pouco acima de zero, como no caso de Aracaju, com alta de 0,38%. Na capital sergipana, porém, o consumidor encontra a cesta mais barata do país, no valor de R$ 188,59. São Paulo continua apresentando o custo mais elevado, R$ 276,54, mas que representa uma queda de 3,15% sobre o valor registrado em janeiro. Em seguida, aparece Porto Alegre, onde o valor da cesta diminuiu 1,83%, com preço médio de R$ 269,61. Na lista das capitais com as cestas mais caras, Vitória está em terceiro lugar, com R$ 267,19, valor 1,46% menor do que em janeiro. Pelos cálculos do Dieese, o salário mínimo, em fevereiro, deveria ter sido R$ 2.323,21, quantia 3,74 vezes maior do que o mínimo em vigor (R$ 622). Em janeiro, o valor estimado havia alcançado R$ 2.398,82 (3,86 vezes o salário mínimo vigente). A carne teve o preço médio reduzido em 15 das 17 capitais e puxou a queda média das cestas pesquisadas. As boas pastagens permitiram a engorda do gado e, junto com a redução das exportações, favoreceram o aumento da oferta para o consumo interno, justificam os técnicos do Dieese. Outro produtos em baixa são o tomate, o açúcar e o leite. Em movimento oposto, subiram os preços do feijão, do arroz e do café. Alimentação puxa a elevação do IPC-S Fabrício de Castro A inflação apurada pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) foi de 0,41% na primeira quadrissemana do mês (até 7 de março), o que indica aceleração ante a taxa de 0,24% registrada na quadrissemana anterior. O grupo Alimentação foi o que mais contribuiu para o avanço do indicador. No período, a deflação de 0,02% dos alimentos deu lugar a uma alta de preços de 0,31%. As principais contribuições entre os alimentos partiram dos itens hortaliças e legumes (-4,32% para -1,46%), frutas (+3,44% para +5,20%) e aves e ovos (-0,77% para +0,26%). Também apresentaram acréscimos em suas taxas de variação de preços os grupos Habitação SÃO PAULO (de +0,53% para +0,70%), Educação, Leitura e Recreação (de +0,03% para +0,26%), Vestuário (de +0,02% para +0,23%), Transportes (de +0,31% para +0,39%) e Saúde e Cuidados Pessoais (de +0,42% para +0,49%). Nestes casos, os destaques foram empregados domésticos (de +1,81% para +2,85%), show musical (de -1,27% para -0,83%), roupas (de -0,16% para +0,19%), gasolina (de -0,54% para -0,43%) e medicamentos em geral (de +0,12% para +0,21%), respectivamente. Em sentido contrário, dois grupos apresentaram decréscimos em suas taxas: Comunicação (de +0,04% para -0,02%) e Despesas Diversas (de +0,16% para +0,12%). Os destaques foram tarifa de telefone residencial (de +0,03% para -0,23%) e cartório (de +0,69% para +0,33%). Caminhões voltam a abastecer postos Os caminhões-tanque que abastecem os postos de combustíveis de São Paulo vão trabalhar até domingo para que os paulistanos não sofram, na semana que vem, com o desabastecimento. O fornecimento de combustíveis foi interrompido na segunda-feira por uma paralisação dos caminhoneiros, que protestam contra a proibição de circular pela Marginal Tietê e outras vias importantes da cidade nos horários de maior movimento de tráfego. A operação dos caminhões-tanque só foi retomada plenamente no início da madrugada de ontem. A Polícia Militar, entretanto, continua escoltando os caminhões para impedir a ação de vândalos supostamente ligados ao movimento grevista. Mas o Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens do Estado de São Paulo (Sindicam-SP) assegurou que as depredações de veículos e ameaças a caminhoneiros que ocorreram nos últimos dias foram feitas por pessoas estranhas e alheias à categoria. Do início da greve até o fim da manhã de ontem, a PM fez 127 escoltas para 277 caminhões. A operação permitiu o transporte de 10 milhões de litros de combustível desde terça-feira. O volume equivale a cerca de 20% da demanda diária da capital paulista. Alguns postos estão aproveitando a escassez do produto para aumentar os preços. Em operação para coibir os abusos, policiais prenderam nove gerentes de postos. A Fundação Procon de São Paulo contabilizou até o início da tarde de ontem aproximadamente 200 denúncias de cobrança de preço abusivo. Se confirmadas, os donos dos postos são autuados e obrigados e pagar multas que variam de R$ 400 a R$ 6 milhões. Publicação da empresa JGN Editora Ltda. Departamento Comercial e Administração Rua Debret, 23 Sobreloja 116 e 117 Centro - Rio de Janeiro CEP Diretora Geral Elizabeth Campos Roitman Comercial: PABX (21) Conselho Editorial: Des. José Geraldo da Fonseca Des. José Lisboa da Gama Malcher Mônica de Cavalcanti Gusmão Redação: (21) Projeto Gráfico:dtiriba design gráfico Impressão: Gráfica Monitor Mercantil Rua Marcílio Dias, 26 - Centro - RJ Editor- chefe: Jorge Chaves Subeditora: Rafaela Pereira Diagramação: Felipe Ribeiro Rodrigo Gurski Artigos & Colunas: Filiado à Preços de Assinatura Trimestral...R$ 60,00 Semestral...R$ 110,00 Anual...R$ 210,00 Serviço Noticioso Agências Brasil e Estado As matérias e artigos são de responsabilidade dos autores e não representam, necessariamente, a opinião deste jornal

3 SELIC Para Setubal, há espaço para novos cortes no juro Banqueiro descarta risco de superaquecimento da economia e pressão inflacionária Mariana Durão O corte de 0,75 ponto percentual da taxa básica de juros anunciado na quarta-feira pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, de 10,5% para 9,75%, não encerra o ciclo de reduções da Selic em No dia seguinte à decisão do BC, o presidente do Itaú Unibanco, Roberto Setubal, afirmou que ainda há espaço para novos cortes já que, comparada às de outros países, a taxa brasileira ainda é muito elevada. Para Setubal, à luz do cenário global a ação do BC foi acertada e veio dentro do esperado, embora boa parte do mercado acreditasse em um corte menor, de 0,5 ponto. O banqueiro participou ontem, no Rio, de um fórum do Instituto de Finanças Internacionais (IIF, na sigla em inglês), do qual é vice-presidente, com líderes do setor financeiro na América Latina. A taxa de juros influencia vários aspectos da economia, como o fluxo de capital, crédito, taxa de poupança e decisões de investimento. Temos que entender o momento que o mundo atravessa, com taxas de juros baixas, disse. O risco de superaquecimento da economia e pressões inflacionárias por conta dos juros mais baixos foi descartado por Setubal, dadas as condições de baixo crescimento mundial e as incertezas na Europa. Estamos retomando o crescimento. Acho que o Brasil terá um bom ano, em especial no segundo semestre. O País está muito bem e com espaço de manobra, disse. O economista-chefe do IIF, Philip Suttle, disse acreditar que as taxas de juros serão mais baixas na América Latina nos próximos dois anos. Não tenho bola de cristal, mas acredito que neste período o Brasil terá juros abaixo de 10%, mas não muito distante dos 10%. Esse pode ser um bom período para se discutir formas para que a economia fique mais forte, disse. Na agenda de reformas citada pelos membros do IIF estão a tributária e a trabalhista. O IIF, que reúne as principais instituições financeiras globais, projeta um crescimento de 3,7% para a América Latina em É um leve recuo frente aos 4% de A perspectiva é de uma retomada em 2013, com a região atingindo uma alta de 4,5% em seu Produto Interno Bruto (PIB). Documento divulgado ontem pela instituição diz que, embora a inflação esteja acima da meta em muitos países da América Latina, a expectativa é de que ela recue nos próximos meses. ECONOMIASexta-feira, 9 de março de Para o Brasil, a perspectiva da IIF é de fortes investimentos diretos e um panorama fiscal positivo. A projeção é que a economia atinja um crescimento de 3,4% em 2012, saltando para um PIB de 5,2% em A América Latina se tornou uma fonte de apoio para a economia global ao invés de uma fonte de instabilidade como anos atrás. A posição fiscal mais forte em relação às economias maduras e regime de câmbio flexível ajudam, disse Ramon Aracena, economista sênior do IIF para a América Latina. O aumento da dependência da China e das commodities são citados pelo instituto como o maior fator de risco para a região. O Brasil e a Argentina, porém, estariam mais protegidos por terem o mercado doméstico como principal motor de sua atividade econômica. Helvio Romero / AE SERVIÇO de clientes contra grandes bancos Fernando Nakagawa BIMESTRE Aumentaram as reclamações dos clientes de grandes bancos sobre os serviços prestados. Levantamento mensal do Banco Central mostra que o número de queixas sobre cinco grandes instituições financeiras cresceu 19,5% em janeiro na comparação com igual mês de Ante dezembro, o volume de insatisfeitos aumentou 8%. Lideram o ranking dos mais reclamados Santander, Itaú e Banco do Brasil. Em janeiro, o BC registrou 846 reclamações consideradas procedentes em cinco grande bancos: Itaú, BB, Santander, Bradesco e HSBC, pela ordem de reclamações. Segundo esse levantamento, o Itaú registrou 252 reclamações procedentes em janeiro para universo de 24,3 milhões de clientes. Nessa pesquisa, o BC divulga um índice de reclamações - ponderado pelo volume de queixas e o número de clientes - que alcançou 1,03 ponto no caso do Itaú. Esse é o segundo mês seguido em que o banco paulista lidera o ranking de reclamações do BC. O Banco do Brasil ficou com 0,78 ponto no ranking e o Santander, com 0,68 ponto. O levantamento também mostra que o débito indevido em contas correntes (que abrange cobranças erradas) é a queixa mais frequente dos clientes há dois anos seguidos: o tema segue na liderança desde fevereiro de Em janeiro último, 21% de todas as reclamações consideradas procedentes pelo BC diziam respeito apenas a esse problema. A cobrança irregular de tarifas está em segundo lugar no ranking das queixas. Em seguida, são listados: esclarecimentos incompletos ou incorretos, descumprimento de prazos, cobrança irregular em cartão de crédito, operações de crédito, conta salário e crédito consignado. Trabalhadores dizem que um dos motivos para o aumento das reclamações pode estar relacionado à dinâmica de oferta de serviços financeiros e o estabelecimento de metas. Esse modelo baseado na pressão por venda de produtos financeiros só tem resultado no aumento das reclamações de clientes, reclama a presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, Juvandia Moreira. Pesquisa recente dessa entidade diz que 72% dos caixas e 63% dos gerentes declararam sofrer pressões abusivas para superar as metas. As fusões decorrentes de aquisição de um banco também produzem problemas, caso do Santander, após a compra do Real. frios sobe 1,97% O volume de cheques sem fundos no primeiro bimestre de 2012 foi o maior em três anos, mostra indicador divulgado ontem pela empresa de informações econômicas Serasa Experian. O nível de devolução em relação ao total de documentos emitidos chegou a 1,97%, maior percentual desde os 2,31% registrados nos primeiros dois meses de Em janeiro e fevereiro do ano passado, o indicador havia ficado em 1,76%. Em igual período de 2010, a taxa foi de 1,85%. De janeiro para fevereiro, o volume de cheques sem fundos também cresceu, com o indicador passando de 1,93% para 2%. Os economistas da Serasa Experian acreditam que entre os motivos do aumento estejam a expansão do endividamento do consumidor e os juros ainda altos. Além disso, eles lembram que o início de ano é tradicionalmente complicado para o equilíbrio financeiro das famílias em razão de pagamentos de tributos (como IPTU e IPVA) e gastos com educação. Delfim Netto: taxa de juro real caminha para ficar entre 2,5% e 3% até o final do governo Dilma, em 2014 Ricardo Leopoldo Ninguém pode estimar quanto cairá a Selic no curto prazo, pois a taxa vai ser reduzida de acordo com a avaliação do presidente do BC, Alexandre Tombini, para onde a curva de juros deve ir, comentou o ex-ministro da Fazenda, Delfim Netto. O governo está vivo e agindo, que ninguém se engane disso, destacou. Segundo ele, há uma consistência muito grande da gestão da política econômica, que harmoniza as ações monetárias com a política fiscal austera, o que é defendido pela presidente Dilma Rousseff. Nesse contexto, para Delfim, o superávit primário cheio também será cumprido pelo Poder Executivo neste ano. Com a queda da Selic para um dígito, o governo Dilma caminha para levar taxa de juro real a ficar entre 2,5% e 3% até o final do seu mandato, em 2014, destacou. De acordo com Delfim, a tendência de supervalorização do câmbio, com a perspectiva de ingresso maciço de capitais especulativos, e o fraco nível de atividade neste começo de ano foram os principais fatores que levaram o Copom a baixar a Selic de 10,5% para 9,75% na quarta-feira à noite. A decisão do BC além de incentivar a demanda, estimula a oferta, pois diz para os empresários: pode investir, que vamos garantir condições melhores de retorno para seus negócios no longo prazo, dado que a taxa de juros vai convergir gradualmente ao patamar registrado pelos países com quem competimos, destacou. Investimento - O resultado da reunião do Copom foi um tônico revigorante ao espírito animal dos empresários, que estava adormecido um pouco por causa das avaliações dos analistas de mercado sobre qual deve ser a tendência dos juros, disse. O governo precisa cooptar o setor privado para elevar os investimentos do País, completou Delfim. A Formação Bruta de Capital Fixo (investimentos) alcançou uma marca equivalente a 19,3% do PIB em 2011, menor do que os 19,5% apurados em De acordo com autoridades federais, como o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, o Brasil precisa que tal marca alcance entre 23% e 24% do PIB nos próximos anos, a fim de permitir que a economia cresça de forma sustentada sem pressionar a inflação para cima. Na avaliação do ex-ministro da Fazenda, a postura do BC de acelerar a velocidade do corte de juros vai reanimar os investimentos e pode tornar possível que o PIB cresça perto de 4% neste ano. O Banco Central estima que a País registrará uma expansão de 3,5%. Segundo Delfim, se o Copom não tivesse adotado um novo ritmo para a queda da Selic ontem, muito provavelmente o País apresentaria uma expansão em 2012 mais baixa, bem semelhante à alta de 2,7% apurada no ano passado. O BC está muito atento à evolução dos fatos e está ativo. Em agosto passado, também atuou muito bem ao parar a alta dos juros para iniciar um movimento de queda. Se o Copom não tivesse adotado tal postura naquele momento, o Brasil teria um crescimento de 0% em 2011, afirmou. Câmbio - De acordo com Delfim Netto, a redução da Selic é um dos melhores antídotos que o governo está adotando para diminuir o ingresso de capitais de curto prazo no Brasil, em busca de arbitragem de juros, dado que as taxas reais no G-7 são negativas. Para ele, a apreciação do câmbio não é o único problema da indústria e da economia do Brasil, mas é muito importante. O governo está certo em não deixar que seja destruído nosso setor manufatureiro, que é razoavelmente sofisticado e diversificado, disse. Como uma fábrica nacional pode competir com a China, que tem o câmbio subvalorizado entre 25% e 30%, ao mesmo tempo que a cotação do real ante o dólar está apreciada entre 25% e 30%?, questionou. Nesse contexto, é necessário controle de capitais, o que é reconhecido até pelo FMI. Além dos empresários no Brasil enfrentarem uma carga tributária muito alta porque a Constituição de 1988 definiu que o País quer diminuir a desigualdade de renda, e os juros serem muito elevados, a valorização do câmbio é uma anomalia que precisa ser corrigida, disse Delfim. É preciso evitar o carry trade realizado no Brasil por companhias, muitas delas com matriz no exterior e que remetem recursos para cá para aferir lucros financeiros extraordinários. O investimento estrangeiro direto que entra no Pais precisa comprovar que veio para cá para produzir mercadorias e gerar empregos. O governo vai encontrar as melhores formas para poder conferir isso, afirmou. Poupança - Na avaliação do ex-ministro da Fazenda, a redução dos juros para um dígito tornou inevitável a necessidade de o governo mudar a remuneração da caderneta de poupança, que é 6% ao ano mais a Taxa Referencial, a TR. Para Delfim, a nova regra deverá levar em consideração uma certa percentagem da Selic mais a Taxa Referencial para os futuros correntistas. Segundo o ex-ministro, falta ao Poder Executivo explicar à sociedade que tal alteração será benéfica à população. Será preciso deixar claro para o cidadão que tem caderneta de poupança que essa alteração será melhor, pois com a queda dos juros ele pagará menos quando abrir um crediário para comprar qualquer produto a prazo, destacou. BOA VISTA títulos protestados O número de títulos protestados no País caiu 21,6% em fevereiro em relação a janeiro, informou ontem a Boa Vista, administradora do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC). Se considerados apenas os protestos de empresas, a queda foi de 23,6% e no caso das pessoas físicas, o recuo foi de 17,8%, no mesmo período. Já na comparação com fevereiro do ano passado, houve estabilidade, com leve aumento de 0,04% no número de protestos. No acumulado do ano até fevereiro, o total de títulos protestados subiu 11,7% em comparação aos dois primeiros meses de O valor médio dos títulos protestados em fevereiro foi de R$ para as pessoas jurídicas e de R$ para as pessoas físicas. As empresas foram responsáveis por 65% do total de protestos registrados no País em fevereiro. Na análise por regiões, a maior queda no número de títulos protestados por empresas foi verificada no Nordeste (-30,2%) em fevereiro ante janeiro.

4 ECONOMIA 4 Sexta-feira, 9 de março de 2012 CNI Indústria: faturamento recuou 1,4% em janeiro Houve, no entanto, aumento de 0,3% nas horas trabalhadas e de 0,5% no emprego O faturamento real da indústria apresentou queda de 1,4% em janeiro na comparação com dezembro, segundo anunciou ontem a Confederação Nacional da Indústria (CNI). segundo dados com ajuste sazonal. Na comparação com o igual período de 2011, houve aumento no faturamento (3,4%) e no emprego (0,8%), enquanto as horas trabalhadas caíram 0,7%. Já o dado sobre massa salarial real mostrou alta de 9,7% no primeiro mês de 2012 em relação a um ano antes. O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) passou de 81,3% no último mês de 2011 para 81,9% em janeiro deste ano, considerando o dado com ajuste sazonal. Em janeiro do ano passado, o Nuci com ajuste estava em 82,9%. Já o Nuci sem o ajuste sazonal passou de 79,4% em dezembro para 79,6% em janeiro deste ano, conforme a CNI. Um ano atrás, o indicador sem o ajuste estava em 80,6%. Apesar do desempenho das vendas, a CNI avalia que a tendência para o setor é positiva para os próximos meses. Parte disso, segundo o gerente de Política Econômica da entidade, Flávio Castelo Branco, se deve às medidas adotadas no ano passado pelo governo, que começam a surtir efeito. A nossa expectativa é de melhora gradual para os próximos meses. Os dados de janeiro são ainda ambíguos, com sinais positivos, mas também negativos, como na queda do faturamento. Houve, possivelmente, redução nos estoques. Isso pode significar que as empresas estejam voltando a um grau de normalidade, disse Castelo Branco. Mas há medidas tomadas pelo governo no ano passado que começam a ter impacto, afirmou o executivo referindo-se às desonerações tributárias adotadas pela equipe econômica. Por fim, ontem (quarta-feira), com a queda mais forte dos juros, a expectativa é que tenhamos ainda quedas futuras, reduzindo o custo financeiro das empresas e estimulando a demanda por parte das famílias, acrescentou. De acordo com Castelo Branco, esse conjunto de ações, vindo acompanhado de uma melhora no ambiente internacional e de soluções para os problemas fiscais da Europa, levarão as atividades da indústria a uma gradual recuperação. Mas para uma retomada mais forte, precisamos de medidas adicionais que reforcem a competitividade dos produtos brasileiros nos aspectos tributários, custo de capital, logística, desoneração de folha e de outras agendas de longo prazo como educação e inovação, que precisam de uma implementação mais efetiva e mais célere, completou. Os setores industriais que, segundo os indicadores da CNI, apresentaram os melhores índices de faturamento em janeiro, na comparação com o igual mês de 2011, foram os de material eletrônico e de telecomunicações (40,8% a mais), de madeira (27,2%), papel e celulose (22,8%) e máquinas e equipamentos (17,8%), de acordo com o estudo. IBGE Em 2011, mulheres receberam 72,3% do salário dos homens Daniela Amorim As mulheres receberam, em média, 72,3% do salário dos homens em 2011, segundo o estudo Mulher no mercado de trabalho: perguntas e respostas, divulgado ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em homenagem ao Dia Internacional da Mulher. O número repete a proporção encontrada nos levantamentos de 2009 e O estudo mostrou ainda que a jornada de trabalho das mulheres foi inferior à dos homens. Em 2011, as mulheres trabalharam, em média, 39,2 horas semanais, contra 43,4 horas dos homens, uma diferença de 4,2 horas. Entretanto, segundo o IBGE, 4,8% das mulheres ocupadas em 2011 gostariam de aumentar a carga horária semanal. As atividades que mais absorveram mão de obra feminina em 2011, em relação ao patamar de 2003, foram o comércio, no qual a participação das mulheres cresceu de 38,2% para 42,6%, e os serviços prestados às empresas, com aumento de 37,3% para 42%. Nos serviços domésticos, ainda predomina a mão-de-obra feminina (94,8%), com percentual idêntico ao registrado em O levantamento constatou também que as mulheres aumentaram sua participação na ocupação formal. Em 2003, a proporção de homens com carteira assinada no setor privado era de 62,3%, enquanto a das mulheres era de 37,7%, uma diferença de 24,7 pontos percentuais. No ano passado, essas proporções foram de 59,6% de homens e de 40,4% de mulheres, reduzindo a diferença para 19,1 pontos percentuais. Porém, o maior crescimento da participação feminina foi observado no emprego sem carteira no setor privado, cuja fatia saiu de 36,5% em 2003 para 40,5% em Em 2011, as mulheres somaram 53,7% da população brasileira com dez anos ou mais (idade ativa). Na população ocupada, elas ainda ficaram em menor número do que os homens (45,4%), mas em relação a 2003 houve crescimento de 2,4 pontos porcentuais na população ocupada feminina. Entre as mulheres negras e pardas, a taxa de desocupação caiu de 18,2% em 2003 para 9,1% em Entre as brancas, o indicador teve redução de 13,1% em 2003 para 6,1% no ano passado. PÁSCOA Abras prevê alta de 11% das vendas Rodrigo Petry As vendas de produtos típicos de Páscoa, como ovos de chocolate, bacalhau, bebidas, azeites, entre outros, devem crescer em termos nominais 11,1% em comparação com igual data do ano passado, divulgou ontem a Associação Brasileira de Supermercados (Abras). Segundo o levantamento, 85% dos empresários do setor supermercadista projetam vendas superiores às do ano passado, enquanto 15% estimam faturamento semelhante a A Páscoa é o segundo principal período de vendas dos supermercados, somente atrás do Natal. De acordo com a pesquisa, todos os produtos pesquisados tiveram aumento, em termos de volume, nas encomendas com os fornecedores: bacalhau (11,3%), refrigerantes (10,4%), ovos de Páscoa (9,4%), azeites (8,8%), peixes em geral (8,0%), cervejas (6%), chocolates em geral (5,2%), vinhos nacionais (2,2%), vinhos importados (2,2%), importados em geral (1,8%) e colomba pascal (1,7%). Os consumidores encontrarão nas prateleiras dos supermercados preços mais altos este ano em relação a Os maiores reajustes ficam por conta das cervejas (7,7%), seguidas pelos refrigerantes (5,9%), ovos de Páscoa (5,9%), chocolates (4,0%), colomba pascal (3,4%), peixes em geral (3,2%) e vinhos nacionais (2,6%). Já a variação dos preços será menor entre os produtos importados, que de forma geral subiram 0,9% este ano sobre a Páscoa do ano passado. Por produtos, houve aumento de 1,5% no bacalhau e 0,8% tanto no azeite quanto nos vinhos importados. Na avaliação da Abras, os dados da pesquisa demonstram otimismo por parte dos supermercadistas, que não acreditam em queda nas vendas em relação à Páscoa do ano passado. GRÃOS IBGE: safra deverá diminuir 1,5% em 2012 Alessandra Saraiva A safra brasileira de grãos em 2012 deve ser 1,5% menor do que a safra recorde de 2011 (159,9 milhões de toneladas), informou ontem o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em seu Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de fevereiro. A produção de cereais, leguminosas e oleaginosas para 2012 está estimada em 157,5 milhões de toneladas. A projeção de produção anunciada ontem é 0,8% inferior ao prognóstico da safra 2012 de janeiro (158,7 milhões de toneladas). A área a ser colhida em 2012 deve somar 50,3 milhões de hectares, um aumento de 3,4% em relação à área em Esta área é recorde para a pesquisa, cuja série histórica inicia em Em fevereiro, o IBGE apurou aumentos nas estimativas de produção para 2012 ante o desempenho de 2011 em apenas 7 dos 26 produtos da safra brasileira. É o caso das projeções dos aumentos projetados nas produções de algodão herbáceo em caroço (1,5%), café em grão arábica (16,2%), café em grão robusta (9,6%), cana-de-açúcar (16,7%), feijão em grão 2ª safra (21,4%), milho em grão 1ª safra (1,6%) e milho em grão 2ª safra (30,2%). Em contrapartida, houve reduções nas estimativas de produção para 2012 em comparação com o ano passado em amendoim em casca 1ª safra (-9,6%), amendoim em casca 2ª safra (-1,1%), arroz em casca (-13,2%), avei em grão (9,6%), batata-ingles 1ª safra (-8,6%), batata-ingles 2ª safra (-8,6%), batata-ingles 3ª safra (-2%), cacau em amên doa (-6,2%), cebola (-3,6%), ce vada em grão (-12,7%), feijã em grão 1ª safra (-12,2%), feijã em grão 3ª safra (-5,7%), laran ja (-0,3%), mamona em bag (-28,6%), mandioca (-0,1%), soj em grão (-9,3%), sorgo em grã (-10,0%), trigo em grão (-9,1% e triticale em grão (-2,1%). De acordo com o institut soja, milho e arroz serão as trê principais culturas da safra d grãos de 2012 e representarã juntas 90,7% da produção to tal, com expectativa de ocupa 83,1% da área a ser colhida est ano. O IBGE destacou que hou ve fortes reduções nas estimat vas para a produção de 2012 em comparação com o desempenh de 2011 em arroz e soja, respe tivamente com recuos de 13,2% e de 9,3%. Entretanto, a proje ção para a produção do milh em 2012 aumentou 12,8% em relação ao ano passado. Quant à área a ser colhida, o arroz apre senta queda de 9,6%: o milh um acréscimo de 11,3% e a soj um aumento de 2,1%, frente a apurado em Segundo o instituto, a pro dução prevista para os produ tos da safra de verão (algodã amendoim, arroz, feijão, ma mona, milho e soja) é de 119, milhões de toneladas, 6,6% menor que a registrada par esse conjunto em 2011 (127, milhões de toneladas). Conab estima 157,5 milhões de toneladas A produção brasileira de grãos na safra 2011/12 deve alcançar 157,81 milhões de toneladas, o que corresponde a uma queda de 3,1% (ou 5,03 milhões de t a menos) em comparação com o período anterior (162,96 milhões de t). O resultado faz parte do sexto levantamento realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado ontem. A Conab observa, no entanto, que na comparação com a pesquisa de anterior houve aumento de 0,5% (ou 7444,2 mil t a mais). De acordo com a estatal, o acréscimo pode ser atribuído à recuperação de parte da lavoura do milho 1ª safra e do crescimento da produção na 2ª safra do cereal (o Brasil colhe duas safra de milho por ano, uma no verão e a outra no inverno). A primeira safra de milho deve ter leve queda de 0,1%, para 35,89 milhões, apesar das perdas com estiagem na Região Sul, que foram compensadas com aumentos em outras regiões. No caso do milho 2ª safra, a estimativa DERIVATIVOS é de 25,804 milhões de t, 20,1% maior que o colhido no períod passado, quando registrou 21,48 milhões de t. Somando-se as dua safras, o volume total de milh deve alcançar 61,70 milhões d t, aumento de 7,5% ante a safr 2010/11 (57,41 milhões de t). O volume de soja na safr 2011/12 deve cair 8,7%, tota lizando 68,749 milhões de t. milho e a soja são as culturas d maior peso na produção agríco la, alcançando 83% de toda a sa fra, com um volume de 130,45 milhões de toneladas. Os técnicos da Conab expl cam que o sexto levantament considerou, no caso da regiã Nordeste, apenas o oeste d Bahia, o sul do Maranhão e sul d Piauí. Já para a região Norte, con siderou somente os estados do T cantins e de Rondônia. As dema regiões mantiveram as áreas d safra anterior, por causa do plan tio ser feito somente após o iníci das chuvas. A pesquisa foi realiz da por cerca de 60 técnicos, entr os dias 23 e 29 de fevereiro. IOF: exportador será compensado Renata Veríssimo O governo irá compensar o exportador que pagar o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre as operações de hedge no mercado de derivativos. A medida já havia sido aprovada pelo Congresso Nacional no final do ano passado, mas ainda dependia de regulamentação da Receita Federal. A Instrução Normativa 1.256, publicada ontem no Diário Oficial da União, prevê que o exportador poderá descontar do valor do IOF que paga como contribuinte o valor pago do tributo nas operações de hedge. Não sendo possível este desconto, o exportador poderá solicitar a restituição ou a compensação do tributo. Desde 16 de setembro de 201 o governo tem taxado em 1% a operações de derivativos. Por con ta disso, os exportadores que estã fazendo hedge para se proteger da oscilações cambiais passaram a te um custo maior. Como a medida nã havia sido regulamentada, os expo tadores já pagaram em janeiro IOF das operações realizadas no an passado. Por conta disso, alguma empresas entraram na Justiça par tentarem reaver o dinheiro. O governo decidiu devolver tributo dos exportadores pago em operações de hedge porqu a tributação maior sobre as ope rações de derivativos foi adotad para conter a entrada de capita especulativo no Brasil e não par retirar a competitividade das ex portações brasileiras.

5 ZONA DO EURO Acordo com credores da Grécia está quase fechado Nível de adesão à proposta já estava próximo de 80% no fim da tarde de ontem A reestruturação da dívida soberana de 200 bilhões de euros da Grécia caminha para um desfecho melhor do que o esperado, com um número crescente de investidores do setor privado aderindo à oferta de troca dos bônus do país. Segundo autoridades gregas que participaram de uma reunião de gabinete com o primeiro-ministro Lucas Papademos, o nível de adesão à proposta já estava próximo de 80% no fim da tarde desta quinta-feira (ontem). 0 prazo final para adesão dos credores à oferta se encerrou às 17h (de Brasília), e a divulgação oficial do nível de participação dos credores na operação estava prevista para as 3h (de Brasília) de hoje. Segundo um ministro do gabinete grego, a taxa de participação estava próxima de 80% no final da tarde de ontem. Uma segunda fonte oficial disse que a adesão dos credores 24 horas antes já estava acima do patamar mínimo de 75% para que o acordo seja levado adiante pelo governo grego. No fim da tarde de ontem (quinta-feira), a taxa de adesão já ultrapassava os 75%, disse a fonte. Neste momento, parece que iremos ultrapassar até mesmo o cenário otimista. Segundo outra fonte envolvida na operação, a taxa de participação dos credores será bem substancial. A meta é chegar a 80%, afirmou. Colaterais - O conselho do Banco Central Europeu (BCE) decidiu ontem que vai permitir novamente que títulos da dívida emitidos ou garantidos pela Grécia sejam usados como colaterais nas operações de crédito no sistema do euro. Em comunicado para a imprensa, o BCE diz que o conselho da instituição reconheceu a ativação do esquema de recompra, fornecido para sustentar a qualidade dos instrumentos de dívida emitidos ou totalmente garantidos pela Grécia. À luz disso, os títulos gregos voltarão a ser aceitos como colaterais em operações de crédito no sistema do euro sem aplicação do piso mínimo de rating de crédito para colaterais elegíveis, diz o BCE. ECONOMIASexta-feira, 9 de março de O Banco Central Europeu (BCE) não conseguirá cumprir sua meta de inflação neste ano, disse o presidente da autoridade monetária, Mario Draghi, durante entrevista à imprensa realizada após a instituição manter a taxa de juros inalterada em 1%, em linha com as expectativas. Draghi afirmou que os preços da energia mais altos que o esperado, junto com os aumentos de vários preços administrados pelo Estado, significam que a inflação deverá ficar acima de 2% em 2012, com os riscos de alta prevalecendo. Segundo Draghi, a previsão central da inflação para 2012 é agora de 2,4%, acima de 2% projetados três meses atrás. No comunicado que introduz a entrevista do presidente do BCE, a instituição especifica que a projeção para o índice de preços harmonizado para a União Europeia (HICP) é de um intervalo entre 2,1% e 2,7%, em 2012, e de entre 0,9% e 2,3%, em As projeções ficaram levemente acima das previsões feitas em dezembro pelo Eurosystem, que inclui o BCE e os bancos centrais nacionais dos países da zona do euro. Draghi declarou, contudo, que a perspectiva econômica ainda está sujeita a riscos de queda, principalmente provocados pela tensão renovada nos mercados financeiros e suas repercussões na economia real. Ele também mencionou o risco dos preços das commodities mais altos. O comunicado do BCE mostra uma previsão do crescimento anual do Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro, que ficará numa faixa entre -0,5% e +0,3%, em 2012, e de entre 0% e 2,2%, em Portugal voltará ao mercado, diz premier O primeiro-ministro de Portugal, Pedro Passos Coelho, disse ontem que o país voltará aos mercados internacionais em setembro do ano que vem, conforme o previsto, e que o juro elevado dos títulos soberanos portugueses no mercado secundário não o preocupam. Não pediremos mais dinheiro nem mais tempo, disse ele, que está na Finlândia para discutir assuntos econômicos com o primeiro-ministro finlandês, Jyrki Katainen. Estou muito confiante que faremos as mudanças estruturais necessárias, voltaremos aos mercados e apresentaremos os resultados que as pessoas estão esperando, acrescentou. No início desta semana, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, disse a parlamentares do país que estava preocupada com os juros altos projetados pelos títulos soberanos de Portugal no mercado secundário. Hoje, o bônus de 10 anos de Portugal projetava um juro de 13,56%. Tenho certeza que os mercados reconhecerão os esforços feitos por Portugal, disse Coelho, acrescentando que a liquidez está baixa nos mercados de títulos. Katainen disse acreditar na capacidade de Portugal para progredir sem a necessidade de um novo pacote de ajuda externa. O governo do país está seguindo rigorosamente o programa de austeridade. Estou confiante que Portugal está no caminho certo, como todos os números mostram, acrescentou. O primeiro-ministro finlandês também disse respeitar a forma como os portugueses introduziram as medidas de austeridade fiscal. O governo fez mudanças estruturais que levarão ao crescimento econômico, afirmou. MERCADO Bolsa fecha em alta de 1,35% Da redação, com agências A queda da taxa Selic em 0,75 ponto percentual, para 9,75% ao ano, estimulou investidores a comprar ações ontem. A informação de que a adesão à oferta de troca da dívida da Grécia subiu para cerca de 80% reforçou momentaneamente os ganhos das Bolsas em Nova York e do Ibovespa pouco antes do fim da sessão. Em seguida, a Bovespa desacelerou parte dos ganhos e fechou com valorização de 1,35%, aos ,39 pontos. Os papéis das construtoras e consumo, que se beneficiam com o juro menor, foram destaques de alta no índice. Bancos também subiram. O aumento das expectativas de que a Grécia consiga implementar o plano para reestruturação da dívida animou os investidores desde o início dos negócios. Também influenciou positivamente a decisão do conselho do Banco Central Europeu (BCE) de permitir novamente que títulos da dívida emitidos ou garantidos pela Grécia sejam usados como colaterais nas operações de crédito no sistema do euro. Por outro lado, a entrevista do presidente do BCE, Mario Draghi, afirmando que a inflação na zona do euro ficará acima da meta de 2% em 2012 e que a previsão para o Produto Interno Bruto (PIB) do bloco neste ano foi reduzida pelo BCE, pesou negativamente sobre os negócios. Nos EUA, o aumento do número de trabalhadores que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego em 8 mil na semana até 3 de março, para 362 mil, ante previsão de 2 mil solicitações, trouxe desânimo, mas não o suficiente para levar as bolsas de Nova York para o campo negativo. Na mínima, o Ibovespa atingiu pontos (+0,02%) e, na máxima pontos (+1,9%). O giro financeiro ficou em R$ 7,659 bilhões. Entre as ações que figuraram do lado positivo do índice, destaques para Pão de Açúcar PN (+7,39%), Brookfield ON (+7,07%), Localiza ON (+6,73%), Rossi Residencial ON (+6,39%) e MMX Mineração ON (+5,27%). Já as perdas foram lideradas por ALL America Latina ON (-2,81%), Telemar PN (-1,84%), Brasil Telecom PN (-1,72%) e Eletrobras ON (-1,27%). Depois de dois dias de alta, Vale PNA caiu 0,04%. Petrobrás acompanhou a performance do petróleo no mercado internacional e subiu. A ação PN ganhou 0,04%. Na Nymex, o contrato de petróleo com vencimento em abril terminou em alta de 0,39%, a US$ 106,58 o barril. Em Nova York, o Dow Jones fechou com ganho de 0,55%; o S&P, de 0,98%; e o Nasdaq, de 1,18%. SITE do Groupalia na América Latina Daniela Amorim As negociações que culminaram com a compra, anunciada ontem, de parte do site de compras coletivas Groupalia pelo Peixe Urbano começou há cerca de três meses. Segundo Julio Vasconcellos, CEO do Peixe Urbano, o site brasileiro não estava em busca de novas aquisições mas, em conversas informais, foi procurado pelo grupo espanhol, que estava interessado em focar suas operações na Europa, deixando a América Latina. A gente não estava com uma estratégia de aquisição. Apareceram oportunidades interessantes que se encaixavam com o nosso objetivo e a gente aproveitou. A nossa estratégia de crescimento é muito mais ficar sempre atento ao mercado, empresas novas, ou empresas como o Groupalia, que estejam, talvez, querendo sair do mercado e podem ser uma oportunidades para a gente. Avaliamos caso a caso, revelou Vasconcellos, que participou de um fórum britânico sobre negócios digitais, o Founders Forum Brasil, no Rio de Janeiro. O CEO do grupo brasileiro, que há menos de um mês já tinha anunciado a aquisição do site de reservas de restaurantes Zuppa, confirmou que era do interesse do Groupalia se desfazer de suas operações na América Latina, o que incluía Brasil, Argentina, México, Chile, Colômbia e Peru. Eles começaram a falar com algumas pessoas. Falaram com a gente que queriam sair da América Latina, perguntando se havia alguma possibilidade de parceria, de venda. Esse namoro foi evoluindo e a gente conseguiu fazer uma transação boa para os dois. O Peixe Urbano já operava na Argentina, México e Chile. Com a compra dos negócios do Groupalia na América Latina, passa a ter presença também na Colômbia e Peru. Vasconcellos não divulga os números envolvidos na operação. O Groupalia é o segundo maior site na América Latina e essa compra foi mais uma aceleração do nosso crescimento. No Brasil, a operação é uma oportunidade de consolidar liderança, afirmou Vasconcellos. A gente começou a categoria (de compras coletivas pela internet) no Brasil, e sempre mantivemos a liderança. BEBIDAS Lucro da Ambev cresceu 14,3% no ano passado Da redação, com agências IMPORTAÇÃO A Ambev registrou lucro líquido de R$ 8,64 bilhões em 2011, anunciou ontem a companhia. O resultado representa crescimento de 14,3% em relação ao obtido em No quarto trimestre do ano, o lucro atingiu R$ 3,03 bilhões, aumento de 17,3% ante o igual período do ano anterior. Segundo o balanço, a geração de caixa operacional medida pelo Ebtida (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amotização) ficou em R$ 4,49 bilhões no quarto trimestre e em R$ 13,16 bilhões em 2011, altas de 19,6% e 13,6%, respectivamente. A margem Ebtida, por sua vez, foi de 53,6% no trimestre até dezembro e de 48,5% no ano. A receita líquida alcançou R$ 27,126 bilhões no ano, aumento de 7,5% ante 2010, e R$ 8,378 bilhões no trimesre (mais 12,3%). O vice-presidente Financeiro e de Relações com Investidores da Ambev, Nelson Jamel, disse ontem, em teleconferência com jornalistas, que as vendas em volume no Brasil devem crescer entre 3% e 5% no primeiro trimestre deste ano. Esse percentual se aplica tanto em cerveja quanto em refrigerantes e bebidas não alcoólicas, afirmou. Para o ano, entretanto, o executivo não deu projeções. Em 2011, as operações no Brasil cresceram 0,2% em volume e 8,6% em receita líquida. O executivo comentou que foi um período atípico, pois a indústria como um todo não cresceu no mesmo ritmo do anos anteriores, cujos percentuais variaram de 7% a 8%. No ano passado, a renda cresceu praticamente em linha com a inflação e o clima também atrapalhou um pouco. Foi um ano fora da curva, explicou. Para recuperar os volumes em 2012, a empresa está otimista com o aumento no salário mínimo feito no começo do ano, o que aumenta o poder de compra da população. O executivo enxerga oportunidades de crescimento em todas as categorias de bebidas no País e irá aproveitálas com inovações em produtos e embalagens, afirmou. Abimaq inaugura desempregômetro Wladimir D Andrade A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, Abimaq, inaugurou ontem o desempregômetro, um painel que contabiliza o número de empregos que, segundo a associação, deixam de ser gerados no País por conta do aumento do volume de produtos importados na indústria de transformação - que resulta em queda na produção nacional. O sistema de cálculo do desempregômetro leva em conta os dados da balança comercial da indústria de transformação, cujo déficit para este ano é estimado em R$ 99,4 bilhões, e os relaciona com o número de empregos existentes no setor. Por exemplo, para cada R$ 1 milhão de déficit na balança, deixam de ser gerados no País 27,7 empregos direta ou indiretamente, segundo o sistema de cálculo do desempregômetro. O painel está exposto na área externa da Abimaq, localizada no bairro paulistano do Jabaquara, na Zona Sul, e também na internet (abimaq.org.br). Por volta de 12h40, o painel marcava 108,146 mil empregos que deixaram de ser gerados desde Só nestes dois primeiros meses do ano, deixamos de gerar 60 mil empregos no Brasil e os exportamos para a China, estimou o presidente da Abimaq, Luiz Aubert Neto. A estimativa se refere a uma perda de mercado que a indústria brasileira tem sofrido para outros países por conta de importações, sobretudo da China. Apenas na indústria de máquinas e equipamentos foram 2,8 mil empregos diretos perdidos entre outubro do C U R T A ano passado e janeiro deste ano. O ex-governador do Rio Grande do Sul Germano Rigotto, agora diretor de ação política da Abimaq, afirmou que o lançamento do desempregômetro é uma iniciativa que mostra a situação real que ocorre no setor de máquinas e equipamentos. O Brasil já foi o quinto maior produtor de máquinas e equipamentos do mundo na década de 1980 e hoje está em décimo quarto lugar, afirmou, lembrando que o fraco resultado do PIB de 2011 foi influenciado pelo desempenho da indústria. Selic - Luiz Aubert Neto disse que a amplitude da queda da taxa básica de juros (Selic), de 0,75 ponto percentual anunciada quarta-feira à noite pelo Banco Central, mostra que a equipe econômica está reconhecendo que a que existe no País um processo de desindustrialização. De acordo com o presidente da Abimaq, o corte de 0,75 ponto mostra também coragem por parte do BC, já que, de acordo com ele, uma redução mais acentuada dos juros do que a maioria do mercado financeiro estimava (0,5 ponto) causa descontentamento entre os analistas do mercado. A ação do Banco Central está certíssima, embora atrasada, disse o dirigente, ao afirmar que reduções mais firmes já vinham sendo pedidas pela indústria há meses. Aubert Neto define as taxas de juros como o maior câncer da economia brasileira, porque, associada à carga tributária e infraestrutura deficiente, tira competitividade do produto nacional. Não é a indústria que não é competitiva, e sim o Brasil como um todo, diz. Receita Federal já recebeu 1,27 milhões de declarações A Receita Federal informou que já foram enviadas declarações do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) O balanço considera as declarações recebidas até as 16h30 de ontem. Desse total, declarações foram enviadas com certificado digital e sem certificado digital. A expectativa é que cerca de 25 milhões de contribuintes prestem contas este ano. O prazo de entrega termina no dia 30 de abril. CONCESSÃO DE LICENÇA A SECRETARIA DE ESTADO DE OBRAS DO RIO DE JANEIRO SEOBRAS - CNPJ / , torna público que recebeu da Secretaria Municipal de Meio Ambiente - SMAC, através do processo nº 14/ / 2011, a Licença Municipal de Instalação - LMI nº /2012, com validade de 36 meses para implantação da Cidade da Polícia - Avenida Dom Helder Câmara nº Vieira Fazenda - Benfica.

6 PAÍS 6 Sexta-feira, 9 de março de 2012 NOVA DECISÃO Supremo recua e valida leis originadas de MPs Medidas aprovadas anteriormente e as que estão em tramitação ficam preservadas Um nó legislativo levou o Supremo Tribunal Federal (STF) a reavaliar ontem a decisão que anulou a lei que criou o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Uma questão de ordem trazida pela Advocacia-Geral da União (AGU) mostrou que essa decisão abriria brecha para que 500 leis aprovadas no mesmo modelo fossem questionadas judicialmente, criando insegurança jurídica e a impossibilidade de reapreciação em tempo hábil no Legislativo. Anteontem, o STF entendeu que a criação do ICMBio era inconstitucional porque a medida provisória que deu origem ao órgão foi aprovada de forma errada no Legislativo. Desde 2001, uma emenda à Constituição determina que as medidas provisórias devem ser apreciadas por uma comissão parlamentar mista antes de passar pelos plenários da Câmara e do Senado. No entanto, poucas medidas provisórias obedeceram a esse rito, entre elas, a MP que criou o Instituto Chico Mendes. No julgamento de ontem, o relator Luiz Fux externou a preocupação trazida pelo advogado-geral da União, Luís Inácio Adams. Por meio de questão de ordem, o advogado alertou que o julgamento de ontem levaria a uma grave distorção de todo o sistema, provocando uma corrida ao Poder Judiciário para anular 500 leis aprovadas da mesma forma. Os ministros compartilharam a preocupação de Fux. De fato, a situação é muito grave, talvez uma das mais graves com as quais já tenhamos nos deparado, tendo em vista que a dimensão vai muito além do que o caso que foi objeto de discussão, disse Gilmar Mendes. Para solucionar o impasse, a Corte optou por tornar obrigatória a etapa da comissão mista apenas para as medidas provisórias editadas daqui para a frente. Além de validar a existência do Instituto Chico Mendes, a decisão de hoje valida todas as leis aprovadas no mesmo modelo. Outra consequência da decisão de hoje é que as MPs que já estão no Congresso Nacional não serão afetadas e continuarão tramitando sob as regras que valiam anteriormente. Vaccarezza - O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), afirmou ontem que a decisão do STF vai trazer insegurança jurídica. Decisão do Supremo não se discute, se cumpre. Mas isso vai trazer uma insegurança jurídica grande, disse o petista. Acho temerário o que foi feito porque o Supremo deveria ter considerado isso para as próximas MPs. Não existe questionamento de que a maioria foi burlada, o que houve foi um vício de procedimento. O líder do governo destacou que estatais e ministérios já foram criados por MPs da mesma forma, assim como diversas outras decisões, como, por exemplo, o estabelecimento do salário mínimo em PPS - O presidente nacional do PPS, deputado Roberto Freire (SP), defendeu ontem a interrupção imediata da tramitação de todas as MPs que estão no Congresso. Em nota, Freire cobrou dos presidentes da Câmara, Marco Maia (PT-RS), e do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que reúnam os líderes partidários para tratar do tema. Nenhuma MP aprovada pelo Congresso desde 2001 teve parecer de uma comissão mista. Na prática, todas podem ser questionadas na Justiça, disse Freire. Para o presidente do PPS, a decisão do Supremo obrigará o Congresso a criar as comissões mistas, como prevê a Constituição. O primeiro passo a ser tomado é mandar retornar todas as MPs em tramitação para as comissões mistas. Em segundo lugar, o Congresso precisa preparar com urgência uma nova lei que garanta o funcionamento do Instituto Chico Mendes, disse Freire, fazendo referência ao órgão que foi criado com o desmembramento do Instituto Nacional de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) por meio de uma das medidas provisorias consideradas inconstitucionais pelo STF. MUDANÇAS Dilma muda regra de propriedade do Minha Casa, Minha vida Da redação, com agências A presidente Dilma Rousseff anuncia ontem, Dia Internacional da Mulher, uma mudança nas regras de propriedade do Programa Minha Casa, Minha Vida para garantir que as mulheres fiquem com os imóveis em caso de separação. A partir de agora, se houver divórcio ou dissolução de união civil estável, o imóvel ficará, necessariamente, em nome da mulher. A regra valerá para famílias com renda mensal de até três salários mínimos, inscritas no programa. Nessa faixa de renda, o subsídio do governo para a compra do imóvel chega a 95% do valor. A única exceção será quando o pai tiver a guarda exclusiva dos filhos. Neste caso, o marido ficará com o imóvel após a separação. Segundo o porta-voz da Presidência, Thomas Traumann, a mudança segue a mesma lógica de outros programas do governo, como o Bolsa Família, de privilegiar as chefes de família como beneficiárias. A mudança será editada por meio de medida provisória, que será publicada ainda hoje, em edição extraordinária do Diário Oficial da União. O anúncio foi feito durante o pronunciamento oficial de Dilma para o Dia Internacional da Mulher, que foi ao ar em cadeia nacional de rádio e televisão. Além da mudança no Minha Casa, Minha Vida, a presidente deverá falar sobre outras políticas e programas do governo voltados para as mulheres. Reforma política - A ministra Eleonora Menicucci, da Secretaria de Políticas para as Mulheres, voltou a defender ontem uma reforma política que traga igualdade de gênero em cargos legislativos de votação proporcional (câmaras de Vereadores, assembleias estaduais e Câmara dos Deputados). A expectativa da ministra é que com a reforma, os partidos sejam obrigados a apresentar listas fechadas de nomes, alternando as candidaturas de homens e mulheres. Com a nova forma de apresentação de candidatos, ela espera que as mulheres ocupem 50% dos cargos em disputa, proporção maior que os 30% estabelecidos pelo regime de cota. Só assim as mulheres conseguirão participar da vida pública nas casas legislativas, disse a ministra após participar do programa Bom Dia, Ministro, produzido pela EBC Serviços e pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. Segundo Eleonora Menicucci, as mulheres deverão atuar nos partidos em favor das mudanças. Espero que as mulheres façam a mudança de mentalidade nos seus partidos políticos para incorporar a transversalidade de relações de gênero. As mulheres formam a maioria do eleitorado brasileiro. A proposta de reforma política, relatada pelo deputado Henrique Fontana (PT-DF), está parada desde outubro do ano passado na comissão especial dedicada ao tema. Lideranças políticas discutem a possibilidade de fazer consulta pública sobre as mudanças no próximo ano ou em Além do avanço na reforma política, a ministra espera que o Congresso Nacional transforme em lei a convenção da Organização Internacional do Trabalho SUS Dilma diz que vai monitorar hospitais Luciana Lima A presidente Dilma Rousseff disse ontem que vai monitorar pessoalmente o funcionamento dos principais hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS) por meios de monitores instalados em seu gabinete. A presidenta considerou que as mulheres, como ela, gostam de cuidar das coisas de perto sabendo todos os detalhes. Vou ter também em meu gabinete, monitores ligados a câmeras para que eu, e meus assessores, possamos ver como está o atendimento nos principais hospitais e como vai o andamento das grandes obras. É assim que nós mulheres gostamos de cuidar das coisas, sabendo todos os detalhes, disse a presidente em pronunciamento de rádio e TV em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, comemorado ontem. Dilma disse também que pediu ao Ministério da Saúde que telefone para cada mulher que fizer o parto pelo SUS para avaliar o atendimento e prometeu ampliar os canais de ouvidoria de seu governo. Pedi ao Ministério da Saúde que, a partir de agora, telefone para todas as parturientes que forem atendidas pelo SUS e perguntem o que elas acharam o atendimento. Quero saber de tudo para melhorar, para estimular o que está bem e corrigir o que está mal. De acordo com a presidente, o governo pretende ampliar neste ano os serviços de atendimento às mulheres em situação de violência. A meta, de acordo com a presidenta é chegar a 1,1 mil unidades de atendimento, dentro dos moldes exigidos pela Lei Maria da Penha. Ainda neste ano vamos ampliar para 1,1 mil unidades o serviço de atendimento à mulher em situação de violência e vamos reforçar o pacto nacional de enfrentamento da violência contra a mulher que já articula, com êxito, ações nos 27 estados brasileiros, disse a presidente, que usou um tom sentimental e disse que elas são os olhos e coração do governo. A mulher brasileira merece cada vez mais justiça, amor e paz. Isso tem que começar em cada lar. Desde 2006, temos na Lei Maria da Penha um instrumento poderoso para coibir a violência doméstica familiar contra a mulher. (OIT) sobre a regulamentação do trabalho doméstico, aprovada no ano passado durante a 100ª Conferência Internacional do Trabalho. O trabalho doméstico é igual a qualquer outro no Brasil, ressaltou. Ascenção - A ministra da Cultura, Ana de Hollanda, disse ontem que vê uma mudança significativa na representatividade que a mulher está assumindo na sociedade, mas ainda há o que ela chamou de sub-representação feminina na área política. Embora veja como ponto positivo para o país o fato de a população eleger uma mulher para presidenta da República e também presenciar, no Judiciário, a presença feminina tomando corpo que já teve uma mulher na presidência do Supremo Tribunal Federal, a ex-ministra Ellen Gracie e, agora com a ministra Cármen Lúcia na presidência do Tribunal Superior Eleitoral, Ana de Hollanda disse constatar que ainda há, no país, uma cultura machista, principalmente em relação a funções de alta responsabilidade (que poderiam ser assumidas pelas mulheres). SÃO PAULO Ficha Limpa para servidores municipais A Câmara Municipal de São Paulo aprovou, por unanimidade, o projeto que exige ficha limpa para os futuros servidores e agentes públicos municipais, em cargos de comissão ou efetivos. A proposta foi aprovada, em segunda votação, por 53 vereadores. Também foram incluídos na lei integrantes de conselhos tutelares e municipais, dirigentes de organizações não governamentais (ONGs), secretários, subprefeitos e servidores da Câmara Municipal e do Tribunal de Contas do Município (TCM), que terão agora que apresentar um conjunto de certidões para comprovar que têm ficha limpa. Com a aprovação da proposta, os nomeados para o exercício dos cargos e funções públicos vão precisar comprovar que não pesa sobre eles nenhuma das causas de inelegibilidade. TENSÃO NA BASE Lindbergh sugere que Romero Jucá deixe a liderança Rosa Costa Menos de 24 horas depois da derrota do Planalto na tentativa de reconduzir Guilherme Figueiredo ao cargo de diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) instigou as desavenças entre os maiores partidos da base aliada, PT e PMDB, ao propor a substituição do líder do governo Romero Jucá (PMDB- RR). Ele disse que, se fosse Jucá, pediria para deixar o cargo. O entendimento de Lindbergh é que o líder sabia antecipadamente da movimentação de seu partido para derrubar a indicação de Figueiredo. Quem nomeia o líder do governo é a presidente. Mas seu eu fosse ele pedia para sair, afirmou. Tem um problema do PMDB com o governo e com os senadores do PT. Fomos pegos completamente de surpresa, admitiu. Como relator da indicação do diretor-geral da ANTT, Lindbergh Farias parecia totalmente convencido da aprovação. Tanto que avisou no plenário que não subiu à tribuna para defendê-la porque a orientação do governo era de irmos direto para a votação. No seu entender, duas alas do PMDB agiram para derrotar Figueiredo. E é difícil um movimento dessa envergadura sem o conhecimento do líder do governo, que é peemedebista, destacou, reforçando os argumentos pelos quais defende a saída de Romero Jucá. Essa forma de tratamento não é uma maneira leal de agir, nem com o governo, nem com o PT do Senado que estamos juntos, disse Lindbergh. O líder do PT, senador Walter Pinheiro (BA), defende outra linha de atuação. Ele entende que a saída de Jucá ou de quem quer que fosse o líder, não mudaria o cenário. Isso não resolveria o problema, previu. O que a gente precisa identificar é porque tivemos uma febre de 30 graus e lamentavelmente só podemos tomar o analgésico depois que ela chegou a 39 graus, comparou. Tirar o Jucá não me leva a descobrir o motivo dessa febre, reiterou. Se a presidente quiser trocar, é atribuição dela, mas eu prefiro mexer com as peças e descobrir o que nos levou, como base, a esse fato. O que a gente precisa fazer é afinar o trabalho da base, dialogar, senão a gente fica encontrando bode respiratório (brincou) e não resolve o problema, completou. Ao tomar conhecimento da posição de Lindbergh Farias, Romero Jucá repetiu o que sempre diz cada vez que pedem a sua saída: que o cargo é da presidente Dilma Rousseff, a quem cabe decidir sobre a sua permanência ou não. Eu não sabia que nós íamos ser derrotados, defendeu-se. Se soubesse, a gente não tinha colocado em para votação. Jucá disse que conversou com todos os líderes sobre a votação. O senador Lindbergh não é líder. Eu trato com líderes e eles com as bancadas e quem escolhe o líder é a presidente. Quando o senador for presidente, ele escolhe, ironizou. Carvalho: Planalto vive momento tenso Rafael Moraes Moura Um dos interlocutores mais próximos da presidente Dilma Rousseff, o ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, admitiu ontem que o Palácio do Planalto vive um momento tenso na relação com a base aliada. Anteontem, o governo Dilma sofreu sua primeira derrota no ano no Congresso Nacional, com a rejeição do nome de Bernardo Figueiredo à direção-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), por 36 votos contrários e 31 favoráveis. Isso mesmo depois de a presidente mandar liberar verbas na tentativa de agradar aliados insatisfeitos com o controle sobre gastos dos ministérios e com o aperto na liberação de emendas dos parlamentares. As nossas relações com os partidos são duráveis, passam por momentos tensos, por momentos mais calmos, disse Carvalho, após participar de seminário em Brasília. Questionado se esse era um dos momentos tensos, respondeu: É um momento tenso, mas que vamos dialogar, vamos conversar, entender. Não é hora de nenhuma declaração precipitada, é hora de entender que a democracia implica em vitória, derrota e vamos avançando. Para o ministro, a relação do governo com os partidos da base aliada é suficientemente madura e bem fundamentada para a gente não sair rasgando as roupas de preocupação. A gente vai com calma, conversar e recompor essa relação, disse Carvalho. Ao deixar o local do seminário, o ministro mostrou-se confiante de que o governo vai superar esse momento difícil na relação com os partidos. Governo adia votação de indicações para a ANTT Rosa Costa Escaldado pela rejeição no plenário da recondução de Bernardo Figueiredo para o cargo de diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), o governo decidiu adiar na Comissão de Infraestrutura do Senado (CI) a votação da mensagem da presidente Dilma Rousseff designando dois diretores para a agência. No decorrer da reunião, ontem, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) pediu à presidente da comissão, senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO), que suspendesse a votação da recondução de Mário Rodrigues Junior ao cargo de diretor e a indicação de Hederverton Andrade Santos também para a diretoria da entidade. Segundo senador, o líder do governo sabia, antecipadamente, da movimentação de seu partido para derrubar a indicação de Figueiredo A senadora respondeu que o relator Vicentinho Alves (PR- TO) estava ali para ler seu parecer sobre um dos indicados e que não poderia impedi-lo. Lindbergh recorreu então ao pedido de vista, mas o quórum baixo o impediu de obter o apoio de pelo menos três senadores para suspender a votação. No final, o próprio relator Vicentinho optou em votar seu parecer na semana que vem. Lindbergh disse que o adiamento se tornou necessário depois da rejeição do nome de Bernardo Figueiredo. O governo pode querer mudar os nomes, justificou. No entender da senadora Lúcia Vânia, o desfecho da reunião foi positivo, porque, com poucos senadores, poderia parecer que eu estava querendo tratorar a votação.

7 Fernanda Freixinho Questão de Justiça Intolerância religiosa e direito penal O Brasil ainda é um país onde há muita intolerância religiosa e o direito penal demonstra uma preocupação com esse tema. Nesses termos, para tratar do assunto decidimos entrevistar em nossa coluna o Dr. Wagner Ramos Pereira, delegado de polícia do RJ, exsuperintendente de Inquérito Administrativo do RJ, exchefe de Gabinete da Corregedoria Geral Unificada das Polícias Civil, Militar e do Corpo de Bombeiros Militar ex-diretor de Divisão da Subsecretaria de Ensino e Programas de Prevenção da Secretaria de Estado de Segurança do Estado do Rio de Janeiro, Professor de Direito Penal e Processo Penal da UCAM e UNIVERCIDADE. O Brasil é um país onde ainda existe muita intolerância religiosa. O que o senhor acha? De que maneira isso se reflete no direito penal? Wagner Pereira Preliminarmente, cabe esclarecer que intolerância religiosa é um termo que descreve a atitude mental caracterizada pela falta de habilidade ou vontade em reconhecer e respeitar as diferenças ou crenças religiosas de terceiros. Poderá ter origem nas próprias crenças religiosas de alguém ou ser motivada pela intolerância contra as crenças e práticas religiosas de outrem. A intolerância religiosa pode resultar em perseguição religiosa e ambas têm sido comuns através da história. Os primeiros a sofrerem a intolerância religiosa no Brasil foram os índios com a chegada das missões religiosas portuguesas. Após, os seguimentos de matrizes Africanas foram os que sofrem maior preconceito. Os negros trazidos da África para a escravidão no Brasil trouxeram uma cultura enraizada em crenças e rituais religiosos próprios e, mesmo forçados a se converter ao cristianismo, mantiveram seus deuses, como resistência. A religião é uma forma de conservar a identidade, principalmente num contexto de opressão, como fora a época escravagista brasileira. O senhor acha que a é um termo que legislação penal atende a problemática ou merece descreve a atitude alterações? Primeiro, impõe ressaltar que a intolerância religiosa repercute no Direito Penal, constituindo pela falta de vários crimes desde o Código Penal de 1940, conforme pode ser verificado em reconhecer e pelo artigo 208 (Ultraje a culto e impedimento ou respeitar crenças perturbação de ato a ele relativo). Posteriormente, passou a constituir o crime de injúria racial descrito do artigo 140, 3º do Código Penal. Por último, a lei Nº 7.716/89, transformou em vários crimes a discriminação ou o preconceito resultante de religião dentre outros, inclusive criminalizou expressamente no artigo 26 da referida lei: praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. A intolerância religiosa pode ainda constituir crime de tortura conforme preceitua a Lei 9455/97, quando o constrangimento for com o emprego de violência ou grave ameaça, causando sofrimento físico ou mental, em razão de discriminação racial ou religiosa. Assim, a meu ver, a legislação penal já abrange todas as formas de intolerância religiosa, não merecendo, portanto, qualquer reparo. O que necessita é a efetiva aplicação das normas penais já vigentes aos casos de intolerância religiosa, pois constituem grave violação aos direitos humanos. O senhor gostaria de acrescentar alguma coisa? Sim, pois vale realçar que até a intolerância religiosa praticada por menores de 18 anos, como, por exemplo, o Bullying, que é um termo utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo (do inglês bully, tiranete ou valentão) ou grupo de indivíduos causando dor e angústia, sendo executadas dentro de uma relação desigual de poder, o adolescente pode responder pela prática de ato infracional assemelhado a qualquer crime, perante o Juízo da Infância e da Juventude, inclusive os descritos acima, ou seja, também pode responder por crimes voltados a coibir a intolerância religiosa, conforme preceitua os dispositivos do Estatuto da Criança e do Adolescente - Lei 8069, de 13 de julho de Quando chefiei o Gabinete da CGU da SSP, órgão da estrutura da então Secretaria de Estado de Direitos Humanos do RJ, pude participar de várias demandas, que envolviam questões de intolerância religiosa, praticadas por diversos segmentos religiosos e em várias camadas sociais (católicos com evangélicos, evangélicos com católicos, católicos ou evangélicos com umbandistas ou candomblecistas, etc.). O Brasil é um país laico (sem religião oficial). O Estado não pode interferir na escolha do cidadão acerca da religião, não podendo criar nenhum tipo de favorecimento ou de discriminação com relação a nenhuma escolha no âmbito de manifestação de religião ou ausência de religião, inclusive abarcam as hipóteses do ateu (não acreditam na existência de um Deus ou Deuses) e os agnósticos (crêem em uma força suprema, mas defendem que não pode ser provada ou negada a existência de Deus). Intolerância religiosa mental caracterizada habilidade ou vontade religiosas de terceiros Fernanda Freixinho é advogada Criminalista, sócia do escritório Freixinho Advogados, mestre em Ciências Penais UCAM, pós- graduada em Direito Penal Econômico IDPEE (Coimbra) e professora da Universidade Candido Mendes. JUSTIÇASexta-feira, 9 de março de DANIEL DANTAS Supremo decidirá se Satiagraha foi ilegal STF julgará se participação da Abin poderá anular todas as provas produzidas Ricardo Brito EMPREENDIMENTO O Supremo Tribunal Federal (STF) decidirá se a participação de servidores da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) na Operação Satiagraha tem o poder de anular todas as provas produzidas e a condenação por corrupção do banqueiro Daniel Dantas, dono do grupo Opportunity, a dez anos de prisão. O vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Felix Fischer, atendeu a recurso do Ministério Público Federal que pede que o Supremo dê a última palavra sobre se foi ilegal a cooperação de integrantes da Abin. Em junho do ano passado, a 5ª Turma do STJ entendeu, por três votos a dois, que a participação clandestina dos agentes da Abin contaminou toda a investigação. Deflagrada em julho de 2008, a Satiagraha foi uma das mais espetaculares e polêmicas ações comandadas pela Polícia Federal no governo Lula, levando para a cadeia, além de Daniel Dantas, o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta e o empresário Naji Nahas. No recurso aceito pelo STJ, a subprocuradora-geral da República Lindôra Maria Araújo afirmou que declarar ilícita todas as provas por causa dessa participação dos arapongas, sem sequer especificá-las e dimensionar o que seria, é violar fortemente a ordem jurídica, social e econômica do País. Lindôra disse que se chegou ao cúmulo de invalidar investigações que apuravam a prática de gravíssimos crimes contra o sistema financeiro e a administração pública, citando lavagem de dinheiro, evasão de divisas, gestão fraudulenta, desvio de verbas públicas, formação de quadrilha. Para a representante do Ministério Público, foi violado o direito fundamental à segurança da sociedade e do Estado quando o STJ não levou em conta a circunstância de que se investigava crimes da mais alta complexidade e lesividade social. Lindôra argumentou que não se pode falar de provas obtidas de forma ilícita uma vez que as medidas de busca e apreensão e de interceptações telefônicas, por exemplo, foram permitidas por ordem judicial, sendo solicitadas pela PF ou pelo MP, nunca pela Abin. Ela disse ainda que a operação nunca saiu do controle da polícia. Numa decisão curta, Félix Fischer ressaltou que o recurso do MP, apresentado no dia 2 de dezembro do ano passado, foi feito dentro do prazo. O vice-presidente do STJ aceitou enviar o recurso para o Supremo por reconhecer que o assunto - se a participação de integrantes da Abin na ação da PF - é de repercussão geral, ou seja, uma futura decisão será aplicada a casos semelhantes. O advogado de Daniel Dantas, Andrei Schmidt, afirmou que não ia se pronunciar sobre a decisão de Fischer porque a contestou. Como o recurso ainda está tramitando, não vou me manifestar, disse. Na contestação, a defesa alegou, ao pedir sua nulidade, que não caberia recurso contra legislação federal. Não seria o caso, portanto, de matéria constitucional, o que atrairia a competência do STF para decidir. Outro questionamento feito pela defesa é o de que o recurso de Lindôra seria nulo porque, anteriormente e no mesmo processo, outro representante do MP já havia se manifestado favorável à nulidade das provas no próprio STJ. Caberá ao Supremo analisar a contestação feita pela defesa do banqueiro e, se aceitar o questionamento, rejeitar a subida do caso para análise da Corte. Tribunal de Justiça de SP planeja obra de R$ 800 milhões Fausto Macedo O Tribunal de Justiça de São Paulo planeja construir um complexo de três torres no coração da cidade, vizinho à sede quase centenária da corte, na Sé, com custo estimado em R$ 800 milhões. Desse total, R$ 320 milhões já estão disponíveis. O restante poderá sair do spread de depósitos que o tribunal mantém em conta bancária especial, oriundos de receitas diversas que compõem o Fundo de Dotações Orçamentárias Próprias do TJ. PEDOFILIA Pastor é denunciado por estupro Fábio Grellet O pastor Reginaldo Sena dos Santos, de 59 anos, e a missionária Maria de Fátima Costa da Silva, de 58, que atuavam em Volta Redonda, são acusados pelo Ministério Público MP) de estuprar sete meninas com idades entre 8 e 15 anos, de 2006 até fevereiro último. O casal nega as acusações. Santos foi preso em flagrante em 4 de fevereiro, em sua casa, depois que a Polícia Militar recebeu uma denúncia anônima que acusava o pastor de abusar de crianças. Quando os policiais foram à casa de Santos, encontraram duas meninas, de 8 e 10 anos, que estavam sob a responsabilidade do pastor desde a noite anterior e confirmaram terem sido vítimas de abusos. Segundo o MP, o pastor tinha a confiança dos adultos do bairro onde morava, que deixavam seus filhos aos cuidados dele para receber aulas de religião e música. O empreendimento, que deverá abrigar os gabinetes de todos os 360 desembargadores, é projeto antigo do TJ. O presidente do tribunal, desembargador Ivan Sartori, exige o enxugamento de gastos com aluguel de outros imóveis e quer eliminar um gargalo anacrônico do serviço forense, o trânsito de um prédio para outro de processos volumosos. Duas inaugurações da pedra fundamental já ocorreram, mas a obra não sai do papel porque o contrato do TJ para serviço de gerenciamento e elaboração do projeto executivo está sendo questionado por uma empresa perante o Superior Tribunal de Justiça (STJ). Há uma ação pendente no STJ e existe um dinheiro no Fundo Especial de Despesa do TJ que está afetado só para isso e que advém de parceria com o Banco do Brasil, pelas contas e tudo o que a instituição financeira faz, pela bandeira que usa aqui no TJ, diz Sartori. O dinheiro veio há muito tempo e está parado, R$ 320 milhões que não podem ser usados para outra coisa. Na última terça feira, em entrevista à rádio Jovem Pan sobre a fonte de recursos para tocar a obra, o presidente do TJ declarou que poderia vir do próprio spread, por exemplo, do próprio fundo. Spread é a diferença entre a taxa de juros que as instituições financeiras pagam na captação do dinheiro e a que cobram dos clientes. Hoje, Sartori assegurou que o spread do qual a corte poderá lançar mão não atingirá os créditos dos titulares de precatórios. O spread incide sobre todos os depósitos judiciais, não só o precatório. É um plus que o banco paga pela preferência que damos. Os juros e a correção são revertidos para os credores dos precatórios. CEARÁ MPF denuncia cinco por vazamento do Enem Daniella Jinkings O Ministério Público Federal (MPF) no Ceará denunciou ontem à Justiça cinco pessoas por participação no vazamento de questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em Foram citados na denúncia duas representantes do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão responsável pelo Enem; uma representante da Fundação Cesgranrio, que preparou e aplicou a prova; e dois funcionários do Colégio Christus, de Fortaleza, cujos alunos tiveram acesso antecipado a algumas questões. Em outubro de 2011 foi instaurado inquérito policial para apurar a autoria do vazamento de questões da prova do Enem do ano passado. De acordo com o MPF, foi constatado que alunos do Colégio Christus, de Fortaleza, tiveram acesso antecipado a 14 questões O procurador regional da República Luiz Carlos Gonçalves, relatorgeral da comissão de juristas criada para propôr a modernização do Código de Processo Penal, disse ontem que a proposta em debate não prevê a descriminalização do aborto, mas amplia as hipóteses em que não haverá punição para as mulheres que vieram a se submeter à prática. Na audiência pública no Senado convocada para analisar a relação da insegurança da população com as atuais leis penais em vigor no Brasil, Gonçalves disse que o debate na comissão está levando em consideração experiências de tribunais de outros países. que constavam do exame. Os itens estavam em uma apostila distribuída pela escola semanas antes da aplicação do Enem. As questões vazaram da fase de pré-testes do exame, da qual a escola participou em outubro de Falsidade ideológica - Na denúncia, as funcionárias do Inep Maria Tereza Serrano Barbosa e Camila Akemi Karino foram denunciadas por falsidade ideológica, por negarem a possibilidade de obtenção dos cadernos de provas do pré-teste. A representante da Cesgranrio Evelina Eccel Seara teve, de acordo com a denúncia, responsabilidade no vazamento das questões do Enem quando colocou à disposição dos coordenadores dos colégios que participaram dos pré-testes do Enem os cadernos de prova, que eram protegidos por sigilo. Além deles, dois funcionários do Colégio Christus, a coordenadora Maria das Dores Nobre Rabelo e o professor de física C U R T A S Jahilton José Motta, serão responsabilizados por uso e divulgação indevida do material sigiloso e pela violação de sigilo funcional. Segundo o procurador da República Oscar Costa Filho, um dos autores da denúncia, houve uma cadeia de crimes, começando pelo Inep. Para ele, o principal problema consiste na falta de um banco de dados nacional com questões próprias para o Enem. A notícia de que o Inep teria um banco de dados com mais de 6 mil questões é falsa. A investigação aponta isso. Ele assegurou que questões do pré-teste são usadas normalmente nas provas oficiais do Enem no ano seguinte. Se eu consigo acessar o pré-teste, eu consigo acessar a prova do Enem. O banco de itens precisa ser pré-testado, mas isso demanda tempo. Além disso, é necessário um prazo de carência para essas questões aparecerem na prova. Nos Estados Unidos, esse prazo é cinco anos. Modernização do Código de Processo Deputado federal é condenado pelo Penal não deve descriminalizar o aborto Supremo, mas pena prescreve O Supremo Tribunal Federal (STF) condenou ontem o deputado federal Abelardo Camarinha (PSB-SP) a quatro meses de detenção em um processo no qual ele foi acusado de fazer despesa não autorizada em lei quando era prefeito de Marília (SP). A pena foi convertida em multa de aproximadamente R$ 40 mil. Mas Camarinha não terá de pagar a multa porque os ministros do STF reconheceram que ocorreu a prescrição, ou seja, que não era mais possível puni-lo. O deputado foi acusado de alugar para uso próprio um apartamento nos Jardins, na capital paulista.

8 RIO 8 Sexta-feira, 9 de março de 2012 RIO-2016 Nova Zona Portuária já começa a ganha forma Dois mil apartamentos serão construídos para receber as vilas de árbitros e mídia Tiago Rogero A prefeitura do Rio de Janeiro assinou ontem um termo de compromisso para a construção de dois mil apartamentos que vão receber as vilas de árbitros e mídia não credenciada durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Os imóveis serão os primeiros a ser erguidos na nova Zona Portuária - agora chamada de Porto Maravilha -, área degradada do Centro do Rio que está sendo revitalizada, a exemplo de Stratford, em Londres, onde foi construído o Parque Olímpico dos Jogos deste ano. Sob o ponto de vista do interesse da cidade, este é o momento mais importante da Olimpíada, disse o prefeito Eduardo Paes. Quando ganhamos a candidatura para sediar os Jogos, tenho certeza de que não foi porque o estádio de natação era mais bonito que o de Chicago ou Madrid, afirmou. O que sensibilizou a todos do Comitê Olímpico Internacional (COI), foram as transformações que aconteceriam na cidade. MEIO AMBIENTE O termo de compromisso foi firmado com a Caixa Econômica Federal, que detém todos os Certificados de Potencial Adicional de Construção (CEPAC) do Porto Maravilha e o consórcio de empresas Solace, que vai construir os apartamentos. Após 2016, as unidades (distribuídas em 16 prédios, em terreno ao lado da rodoviária do Rio de Janeiro) vão ser vendidas prioritariamente a servidores municipais, por meio de financiamento da prefeitura. O acordo também prevê a construção de dois hotéis, cada um com 500 quartos, e um centro de convenções. O consórcio pode construir outras unidades residenciais, mas só tem direito a comercializá-las depois que todas as duas mil iniciais forem vendidas. Se estamos fazendo uma transformação no Rio, é esta, disse Eduardo Paes. Antes de viajar para Brasília, onde foi recebida pela presidente Dilma Rousseff, a presidente da comissão de coordenação do COI para os Jogos de 2016, a marroquina Nawal El Moutawakel, afirmou ter recebido um presente maravilhoso no dia internacional das mulheres. Tenho certeza de que haverá um forte impacto, não só na Zona Portuária, mas em toda a região do Rio, disse. Em 24 horas, presenciei dois eventos históricos, afirmou. Na última quarta, a presidente participou do anúncio da empresa vencedora do concurso para construção do campo de Rio+20 ampliará espaço de atuação para governos Alana Gandra A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, que ocorre no Rio em junho próximo, traz boas perspectivas para o estado e outros governos subnacionais, que terão espaço para atuar, disse a subsecretária de Economia Verde da Secretaria do Ambiente do Rio, Suzana Kahn. Para ela - que é também professora da Coordenação de Programas de Pós-Graduação de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe/ UFRJ) -, esse espaço é importante diante da dificuldade de firmar compromissos com todas as partes, com conteúdo mais forte e que envolva os países, no âmbito da Organização das Nações Unidas (ONU). Eu acho que isso tudo nos dá uma oportunidade de fazer algo diferente. Na avaliação da subsecretária, que representa o governo fluminense na Comissão Nacional para a Rio+20, o grande desafio da conferência é superar uma visão de curto prazo, que habitualmente se tem nessas reuniões, para colocar o mundo no trilho do desenvolvimento sustentável. Ela observou que a crise econômica que o mundo está vivenciando, sobretudo a Europa, representa um custo, porque esses países são os maiores financiadores. Por outro lado, a crise demonstra que o modelo que vinha sendo utilizado até então foi esgotado. Este é o momento adequado para repensar a trajetória que se quer seguir, destacou. Entram na discussão todas as questões e conceitos associados à economia verde, à valorização dos recursos naturais, à qualidade de vida, aos novos indicadores de crescimento econômico que não seriam simplesmente o Produto Interno Bruto (PIB) tradicional. Para a professora, o momento de crise é adequado para esse tipo de reflexão. A subsecretária disse ainda que as áreas econômica e social podem sair beneficiadas da conferência. Quando se fala em desenvolvimento sustentável, a questão, de certa forma, está contemplada por todas as convenções e protocolos. É o momento de juntar e tentar convergir as áreas do desenvolvimento sustentável que não têm um fórum adequado. Suzana Kahn descartou que as decisões que vierem a ser tomadas na Rio+20 possam surtir efeito imediato para os cidadãos de todo o mundo. Lembrou que alguma modificação trazida pelos acordos firmados recentemente é pouco percebida. Ela acredita que a visão mais próxima está associada à questão de investimentos focados em novas tecnologias, à inclusão social, à erradicaçao da pobreza. Dificilmente o cidadão comum, ao término da conferência, vai ver que algo mudou na vida dele. As consequências devem ocorrer a médio e longo prazos. Para mudar a trajetória, as decisões têm de ser tomadas de PREFEITURA 2012 Lançada aliança entre Maia e Garotinho Luciana Nunes Leal No lançamento das candidaturas do deputado federal Rodrigo Maia (DEM) a prefeito do Rio e da deputada estadual Clarissa Garotinho (PR) a vice, os pais dos dois políticos, o ex-prefeito Cesar Maia e o ex-governador Anthony Garotinho, procuraram justificar a aliança após anos de conflito. A chapa se complementa. Eles vão poder corrigir nossos erros e afirmar e expandir nossos acertos, afirmou Cesar Maia para a plateia formada por pré-candidatos a vereador e militantes, a grande maioria do PR. Garotinho disse que o objetivo de passar uma borracha no passado é a oposição ao prefeito Eduardo Paes e ao governador Sérgio Cabral, ambos do PMDB. O Eduardo Paes faz o papel de cachorrinho de madame, o Os imóveis serão os primeiros a serem erguidos no Porto Maravilha, área degradada do Centro da cidade que está sendo revitalizada, a exemplo do Parque Olímpico de Stratford, em Londres Cabral botou a coleira nele, ironizou o ex-governador, que há duas semanas comparou a dupla aos personagens Teresa Cristina e Crô na novela Fina Estampa, da TV Globo. Em seu discurso, Clarissa reconheceu que as dificuldades da candidatura oposicionista. As condições colocadas não são favoráveis. São 14 minutos (da coligação de Paes) contra cinco (de PR e DEM), são 18 partidos (que apoiam o prefeito) contra dois ou três. Mas vamos vencer com fé em Deus e a força do povo, disse Clarissa, evangélica, a Rodrigo Maia, católico. O futuro candidato a prefeito citou pesquisa divulgada pelo Ministério da Saúde na semana passada que apontou o Rio como a pior capital em avaliação do Sistema Único de Saúde (SUS), com dados do período 2008 a Foi o governo que divulgou, destacou Rodrigo Maia. A pesquisa gerou conflito entre Eduardo Paes e o ministro da Saúde, o petista Alexandre Padilha. Em entrevista, Rodrigo e Clarissa criticaram a gestão municipal de saúde e educação, prometeram valorização do servidor público e procuraram tirar de Eduardo Paes o mérito pela escolha do Rio como sede da Olimpíada de Tudo que o Rio conquistou tem uma história e a gente faz parte desta história. Outros prefeitos e governadores talvez tenham tido participação maior que o atual prefeito, disse Rodrigo. A inscrição da candidatura da cidade aconteceu no governo Cesar Maia. Se ele não tivesse inscrito, o prefeito Eduardo Paes não teria dado esta sorte, completou Clarissa. golfe para O esporte voltará aos Jogos após 112 anos. Terminou ontem a visita de representantes do COI ao Rio de Janeiro para acompanhar o andamento das obras. Tenho dito que o Rio será a cidade de maior transformação da história dos Jogos Olímpicos, de todos os tempos, disse o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman. Interesse urbanístico - A Região Portuária, área de especial interesse urbanístico, passa por processo de requalificação e prevê que todas as construções erguidas na delimitação legal sigam princípios sustentáveis. Uso de painéis solares, tetos verdes ou reflexivos, aproveitamento de água das chuvas, sistema de medidores individuais de água, bicicletários, vias exclusivas para pedestres e mais áreas de convivência são exemplos dos novos parâmetros de edificação, servindo de referência para a cidade. A implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), primeiro do tipo no Rio, vai integrar a região aos diversos modais e trazer um novo conceito de transportes públicos. imediato. Mas as principais decisões tomadas de imediato são no âmbito de políticas de governo e muito do setor privado. A sociedade tem um peso nisso, em influenciar decisões, sugeriu. Comportamento - Outro tema fundamental que será discutido na Rio+20 é a mudança comportamental. É impossível o mundo continuar consumindo, principalmente as pessoas que estão chegando agora ao mercado de consumo, da mesma forma que cidadãos de classe média de países ricos. É insustentável. Há que se mudar esse padrão de consumo. A subsecretária observou que quem tem uma demanda reprimida vai consumir mais. Defendeu, porém, que essa mudança comportamental deve ser feita coletivamente. Em um primeiro momento, esse trabalho deve ter foco na educação e na conscientização dos povos. Essas ações são de competência dos governos, embora a sociedade tenha que fazer também a sua parte. É o coletivo que vai fazer a diferença. UPP SOCIAL Internet gratuita no Alemão Foi inaugurada ontem a primeira etapa do programa Rio Estado Digital no Complexo do Alemão. Depois de um período de préoperação desde o fim de janeiro, o sistema passa a operar plenamente a partir de agora nos morros do Adeus e da Baiana, as primeiras comunidades beneficiadas. Quem tem laptop e celular com wi-fi ou computador com placa de rede wireless poderá acessar gratuitamente a internet. A Secretaria de Ciência e Tecnologia pretende instalar computadores na sede da Associação de Moradores do Morro do Adeus para quem não possui o equipamento. A maioria dos moradores do Alemão ainda não possui aparelhos com placas de wi-fi. A secretaria também colocou à disposição monitores e técnicos para resolver problemas e realizar ações necessárias ao perfeito funcionamento do sinal de internet. INVESTIMENTO Parque tecnológico terá R$ 500 mi Nos próximos três anos, mais de R$ 500 milhões serão investidos na construção de unidades de pesquisa no Parque Tecnológico do Rio. Considerado o maior do Brasil, com 350 mil metros quadrados, o espaço está localizado na ilha da Cidade Universitária da Universidade Federal do Rio de Janeiro. A iniciativa prevê a instalação de mais de 200 empresas em toda a área do parque, transformando o Rio num polo de desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação. As empresas instaladas no parque têm uma ligação direta com alguns dos mais importantes centros de pesquisas tecnológicas do País, como o Centro de Tecnologia, o Instituto de Engenharia Nuclear, o Centro de Pesquisa em Energia Elétrica e o Centro de Pesquisas da Petrobras. Atualmente, cerca de 30 empresas, entre pequenas, médias e grandes, já funcionam ou ainda MACAÉ E RIO DAS OSTRAS vão ser construídas no local. O superintendente de Competitividade da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, Sérgio Teixeira, disse que o Governo do Estado participará da pré-seleção das empresas através de uma comissão criada pela universidade e também pelo conselho diretor estratégico do parque. Como se trata de uma área federal, as grandes empresas interessadas foram escolhidas por meio de licitação. Em três anos, teremos cinco mil pesquisadores qualificados que trabalharão no local. Este espaço é referência internacional, afirmou Teixeira. Interação - A meta do projeto é proporcionar uma maior interação entre a universidade e empresas interessadas nas oportunidades do pré-sal, já que o local conta com laboratórios de última geração, profissionais qualificados e pesquisadores brasileiros de ponta. Receita Federal realiza operação Vitor Abdala A Receita Federal realizou ontem uma operação com o objetivo de fiscalizar o recolhimento de contribuições previdenciárias relativas à construção civil nas cidades de Macaé e Rio das Ostras. A ação faz parte da Operação Taj Mahal, que já foi realizada nas cidades do Rio de Janeiro e Niterói, no início da semana. Segundo o delegado regional da Receita Federal em Macaé, Otavio Laude, os responsáveis por muitas construções no estado do Rio declaram à Receita que suas obras ainda não começaram, a fim de que não precisem recolher a contribuição previdenciária relativa aos operários. Por isso, uma aeronave da Receita, equipada com câmeras para reconhecimento aéreo, sobrevoou as duas cidades. Com as imagens, será possível verificar VISITA OFICIAL se o terreno está vazio, como declaram os proprietários, ou se a obra já começou e foi concluída. Laude explica que, inicialmente, as aeronaves estão focando em dez loteamentos, sobre os quais há suspeita da prática ilegal. São dez loteamentos e, em cada um deles, pode haver mais de mil lotes, e suas respectivas obras, disse. As imagens capturadas pelas câmeras instaladas no helicóptero serão comparadas às de satélite antigas, a fim de verificar a evolução das obras. Documentos também serão analisados. De acordo com o delegado, os proprietários das construções que ainda não declararam suas obras podem procurar voluntariamente a Receita Federal para regularizar sua situação, enquanto a investigação estiver sendo concluída. Depois de encerradas as investigações, a Receita Federal irá autuar e multar os proprietários dessas obras. Príncipe Harry chega hoje ao Brasil Heloisa Aruth Sturm Em sua primeira viagem ao Brasil, o príncipe Harry, da Inglaterra, desembarca hoje no Rio sob o forte calor e um grande esquema de segurança. Embora seja uma visita oficial ao País para celebrar o Jubileu de Diamante em comemoração aos 60 anos do reinado de sua avó, a rainha Elizabeth II, a passagem de Harry na cidade conta com uma programação digna de turistas. À noite, ele recebe um seleto grupo de convidados no Morro da Urca, onde fará o lançamento da campanha Great, para promover a Inglaterra às vésperas dos Jogos Olímpicos de 2012 e estreitar os laços entre Brasil e Reino Unido. Autoridades brasileiras e celebridades assistirão ao show da cantora Maria Gadú e a uma apresentação da escola de samba carioca União da Ilha, cujo enredo do carnaval deste ano, De Londres ao Rio: Era uma vez uma... Ilha, foi uma homenagem à cidade inglesa, sede dos jogos. Há dois anos a União vem explorando temas de origem britânica, e o material que mandamos ao consulado despertou o interesse do príncipe, diz Ney Filardi, presidente da agremiação. Ritmistas, passistas e um casal de mestresala e porta-bandeira animarão o evento. E o samba-enredo será traduzido especialmente para o príncipe. Harry poderá então seguir os passos do pai, o príncipe Charles, que, em 1978, sambou com a passista Pinah, da beija-flor. Amanhã de manhã, Harry participará de uma corrida no Aterro do Flamengo ao lado de jovens e atletas, além do Secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, e participará de oficinas de vôlei de praia e de rugby, esporte que voltará a ser modalidade olímpica em O momento mais aguardado da visita real ocorre sábado à tarde, quando o príncipe irá a uma das favelas cariocas. Embora o consulado britânico não divulgue a informação por motivos de segurança, tudo indica que a comunidade visitada será mesmo o Complexo do Alemão, na zona norte, área ocupada pelo Exército desde novembro de Todo o passeio será registrado por Renê Silva, jovem morador do Morro do Adeus, e sua equipe. O consulado entrou em contato com a gente dizendo que era importante que a Voz da Comunidade estivesse representada nesse evento, e eles perguntaram se a gente tinha interesse em participar da cobertura, afirmou. Silva ficou conhecido por twittar, em tempo real, a ocupação militar. No mesmo dia, Harry segue para São Paulo, onde permanece até domingo.

9 MUNDOSexta-feira, 9 de março de SÍRIA Intervenção pode piorar situação Kofi Annan tenta solução pacífica para encerrar impasse que dura um ano e já matou mais de 8 mil de pessoas Renata Giraldi TERREMOTO O enviado especial da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Liga Árabe para a Síria, Kofi Annan, disse ontem que uma intervenção militar em território sírio agravará a situação de violência no país em vez de solucionar o problema. Amanhã, Annan estará em Damasco, na capital síria, na tentativa de negociar uma solução pacífica para encerrar o impasse na região, que dura exatamente um ano e matou mais de 8 mil pessoas. No Cairo, capital egípcia, para uma série de reuniões, Annan acrescentou que os conflitos na Síria só podem ser resolvidos por meio de uma solução política. Segundo ele, é necessário evitar uma solução militar a todo o custo. Para o Brasil, o ideal é buscar uma solução pacífica e negociada com apoio dos líderes árabes. Annan se reuniu ontem com o chanceler do Egito, Amr Kamel Mohammed. Ao final do encontro, Annan disse que esforçará para retornar da Síria com a solução para o conflito. Vamos instar o governo da Síria e a oposição para que trabalhem conosco na busca de uma solução que respeite as aspirações do povo sírio, disse. Um ano - Neste mês completou um ano que a Síria vive sob clima de violência e repressão. Protestos generalizados se transformaram em confrontos entre manifestantes e agentes de segurança do governo. A organização não governamental (ONG) Observatório Sírio dos Direitos Humanos informou que a violência causou UE repassa recursos ao Haiti Renata Giraldi A União Europeia (UE) vai liberar 100 milhões de euros como ajuda suplementar ao Haiti. O acordo para a liberação dos recursos foi assinado pelo comissário europeu para o Desenvolvimento, Andris Piebalgs, e o presidente haitiano, Michel Martelly, anteontem - no mesmo dia em que tremores de terra de até 4,6 graus na escala Richter atingiram o Sul do país. Traumatizados com o terremoto de 2010, alguns hatianos saíram às ruas em desespero. Em 12 de janeiro de 2010, um terremoto de 7 graus na escala Richter atingiu o Haiti, deixando cerca de 220 mil mortos e a destruição do país. O dinheiro repassado pela UE será utilizado pelo governo, segundo Martelly, na reconstrução do país. A União Europeia pretende liberar um total de 750 milhões de euros, no período de 2008 a VIOLÊNCIA De acordo com o emissário, mais de 75% das promessas feitas pelo bloco em relação ao Haiti foram cumpridas. Depois do terremoto, é preciso pensar e agir a longo prazo para melhorar a vida da população haitiana, disse Piebalgs. O presidente do Haiti agradeceu o apoio. A União Europeia é um amigo discreto e eficaz do Haiti, disse Martelly. O presidente e o emissário inauguraram trabalhos de recuperação de infraestrutura rodoviária no centro do país, financiados pela UE e pela agência francesa de desenvolvimento. Mortos militantes da rede Al-Qaeda O exército do Iêmen matou sete militantes suspeitos de pertencerem à Al-Qaeda em um confronto em Zinjibar, um reduto do grupo na província ao sudoeste de Abyan, afirmou ontem uma autoridade militar. O conflito ocorreu logo após um dos ataques mais violentos da Al-Qaeda contra as forças de segurança do Iêmen, na fronteira sul de Zinjibar, no domingo, e que matou 185 soldados. O exército atacou as posições da Al-Qaeda em Zinjibar no fim da noite de quartafeira, contou uma autoridade em condição de anonimato. Uma autoridade local na cidade próxima de Jaar disse que os corpos dos sete militantes da Al-Qeda foram transferidos Ajuda veio no mesmo dia em que tremores de terra de até 4,6 graus na escala Richter atingem o Sul do país C U R T A para as dependências do exército a fim de serem enterrados. A rede terrorista Al-Qaeda assumiu na quarta-feira a responsabilidade por uma série de ataques no Iêmen, entre eles um atentado no domingo que deixou 185 soldados do governo mortos na província de Abyan e o bombardeio de um avião militar em Sanaa. O governo do Iêmen condenou a escalada de ataques no país e pediu que as forças de segurança divididas se unam contra o terrorismo e o extremismo que ameaçam a segurança e estabilidade do país. Os ataques contra as forças de segurança do Iêmen aumentaram desde que o presidente Abdrabuh Mansur Hadi prometeu em seu discurso de posse, no dia 25 de fevereiro, acabar com a Al-Qaeda. Tiroteio em clínica psiquiátrica nos EUA deixa 2 mortos e 7 feridos Um tiroteio em uma clínica psiquiátrica na Pensilvânia deixou ontem dois mortos e sete feridos, informou o Centro Médico da Universidade de Pittsburgh, ao citar fontes da polícia local. O tiroteio na clínica, que funciona na Universidade de Pittsburgh, ocorreu a partir do começo da tarde de hoje. O porta-voz da Universidade de Pittsburgh, Paul Wood, disse que um dos mortos foi o atirador que começou a confusão. Uma equipe da SWAT, grupo de operações especiais da polícia, foi deslocada para a cena e uma rua foi bloqueada. O Centro Médico disse que recebeu alguns feridos no tiroteio, mas não disse quantos e nem quais são suas condições. Ainda não está claro quem era o suposto atirador morto e nem as circunstâncias do ataque, que começou a partir das 14h locais. mortos e a situação humanitária é cada vez mais preocupante. Porém, o presidente sírio, Bashar Al Assad, nega as acusações de repressão. Segundo ele, o governo reage a atos terroristas. A ONU aprovou várias resoluções recomendando a Assad a busca por um acordo pacífico e a negociação com a oposição. Porém, as sugestões da comunidade internacional não foram seguidas por Assad. No caso, a resolução tem peso apenas de recomendação. Sanções também foram aprovadas para pressionar o governo a negociar. Norte - O Exército da Síria enviou mais soldados para a província de Idlib, no noroeste do país, onde ativistas temem que os soldados lancem uma ofensiva semelhante à desfechada nas últimas semanas contra Homs. Muitos desertores IRÃ estão escondidos na região montanhosa de Jabal al-zawiya, perto da fronteira com a Turquia. Rami Abdel Rahman, chefe do Observatório Sírio pelos Direitos humanos, em Londres, disse que o aumento de tropas parece indicar que uma grande operação militar é iminente, dados os relatos na imprensa estatal de que grupos terroristas armados estão atuando an região de Jabal al-zawiya. Milad Fadl, integrante da Comissão Geral da Revolução Síria, um grupo da oposição, disse que tanques e tropas foram enviadas para o distrito de Jabal al-zawiya na província. Um grande número de habitantes de oito vilarejos fugiram, disse Fadl à agência France Presse (AFP). Ele também disse que muitos moradores da capital da província, Idlib, estão fugindo. As tropas do governo pediram aos desertores do Exército Livre da Síria que entreguem as armas. O pedido foi feito a partir dos alto-falantes nas mesquitas e por funcionários públicos locais, disse Fadl. Eu acredito que eles primeiro atacarão a cidade de Idlib e depois decidirão o que fazer. Fadl disse que um homem foi executado em Jabal al-zawiya e cinco casas foram queimadas em punição ao apoio dado pela população aos insurgentes. Existem preocupações de que Idlib, que fica na fronteira com a Turquia, sofra o mesmo tipo de ofensiva militar contra o bairro de Baba Amr em Homs, que durou quase um mês e arrasou o local. Amos - Na noite de quarta, a chefe humanitária da Organização das Nações Unidas (ONU), Valérie Amos, visitou o bairro de Baba Amr e diz que houve destruição no local. A devastação que aconteceu lá é significativa. Aquela parte de Homs foi completamente destruída e estou preocupada em saber o que aconteceu com as pessoas que vivam no bairro, ela disse na capital Damasco, que é uma cidade relativamente pacífica que apoia Assad. Eu fiquei chocada com a diferença do que vi em Damasco e vi ontem em Baba Amr, disse Amos. Mas logo após ela falar nesta quinta-feira, tropas sírias abriram fogo contra o funeral de um soldado no subúrbio de Mazzeh, em Damasco. O soldado supostamente foi executado por ter se recusado a disparar contra civis em Homs no mês passado, durante o cerco ao bairro de Baba Amr. Não existem informações sobre vítimas em Mazzeh. Khamenei elogia fala de Obama e ONU pede diálogo sério O líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, elogiou as declarações do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que pediu diplomacia, e não guerra, para solucionar as ambições nucleares de Teerã, reportou a televisão estatal, em um raro sinal positivo nas hostis relações entre Irã e EUA. A declaração de Khamenei foi feita no mesmo dia em que os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, Rússia e China, mais a Alemanha, o chamado 5+1, pediram ao Irã que abra um diálogo sério e sem precondições a respeito do programa nuclear. Obama disse nesta semana que vê uma janela de oportunidade para usar a diplomacia a fim de resolver a disputa nuclear. Khamenei, que tem a palavra final em todas as questões de Estado no Irã, SAÚDE OMS elogia redução de antibióticos Renata Giraldi A Organização Mundial da Saúde (OMS) elogiou ontem os esforços dos governos em recomendar a redução da indicação do uso de antibióticos em tratamentos médicos. Apenas na Tailândia, houve uma redução de 46%. O uso inadequado de antibióticos pode levar à resistência de bactérias ao medicamento e à baixa imunidade do paciente. De acordo com a OMS, a resistência aos antibióticos leva ao prolongamento de doenças e ao maior risco de complicações e até de morte. A resistência antimicrobiana (AMR) evoluiu e passou a ser uma ameaça à saúde mundial, diz o estudo sobre o uso desse tipo de medicamento, lançado ontem, em Genebra, na Suíça, intitulado A Ameaça na Evolução da Resistência Antimicrobiana - Opções de Ação. No Brasil, desde 2010, o governo tem adotado uma rígida conduta para a comercialização de antibióticos. A venda de antibióticos no País só ocorre por meio de uma receita específica e que fica retida na farmácia. No Vietnã, as farmácias também passaram a haver mais rigor na venda dos antibióticos. Na Noruega, os pesquisadores passaram a usar mais produtos naturais, oriundos do salmão e da truta, na elaboração de medicamentos. afirmou a um grupo de clérigos: Essa é uma declaração inteligente que mostra (que os americanos) se afastam de uma ilusão. Na terça-feira, Obama deu uma coletiva de imprensa em Washington, na qual acusou seus adversários republicanos, em plena campanha eleitoral, de baterem os tambores da guerra na questão iraniana. É uma das raras ocasiões em que um alto líder do Irã elogia um líder americano. Washington e Teerã não têm relações diplomáticas desde a tomada, em 1979, da embaixada dos EUA na capital iraniana por estudantes que fizeram diplomatas americanos reféns. Mas Khamenei também fez críticas à administração Obama e aos embargos e sanções adotados por Washington contra a economia do Irã. Khamenei disse que recorrer a essa política é um sinal de mal-entendidos e uma abordagem não realista que os EUA adotam com o Irã. Segundo ele, as sanções e embargos levarão os cálculos deles ao fracasso. Tanto os EUA quanto Israel temem que o programa nuclear do Irã busca armas nucleares. Teerã nega a acusação e alega que seu programa tem fins pacíficos, como a produção de energia. Diálogo sério - As potências mundiais pediram ontem ao Irã um diálogo sério, sem precondições e produtivo, com resultados concretos, sobre a questão nuclear. Pedimos ao Irã para entrar, sem precondições, em um processo sustentável de diálogo sério, que vai produzir resultados concretos, afirmou um comunicado em nome da Alemanha e dos membros permanentes do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), EUA, China, Rússia, França e Reino Unido. As nações acrescentaram que a disponibilidade delas para negociar estava no entendimento de que as conversas vão encerrar as preocupações de longa data da comunidade internacional (sobre a questão nuclear) e que haverá sérias discussões sobre medidas de confiança concretas. O comunicado foi lido pelo enviado da China à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) em uma reunião regular a portas fechadas em Viena. A chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton, disse na terça-feira, em nome das seis potências, que elas estavam prontas para retomar as conversas com o Irã. Ainda é preciso definir onde e quando as negociações serão mantidas. A última rodada de negociações chegou a um impasse em janeiro de 2011 em Istambul, quando o Irã insistiu em discutir precondições antes de iniciar uma negociação ampla a respeito da disputa nuclear, dizem diplomatas ocidentais. DIA INTERNACIONAL Turquia aprova leis de proteção às mulheres O Parlamento da Turquia marcou ontem o Dia Internacional da Mulher ao aprovar um pacote de leis para aumentar a proteção a mulheres e crianças contra a violência doméstica e abusos sexuais. Enquanto tenta aderir à União Europeia, a Turquia - país muçulmano - luta contra tradições e práticas que relegam a mulher a uma posição secundária em uma sociedade ainda com traços patriarcais. Quatro ativistas do grupo ucraniano Femen fizeram um protesto de um minuto em Istambul, seminuas, para mostrar o sofrimento das mulheres nos países muçulmanos. As quatro foram detidas por policiais femininas. O primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, começou o dia ao discursar em um conferência de mulheres turcas na cidade de Mardin, no sudeste do país. Nós vamos garantir assistência jurídica e financeira, além de abrigos, às vítimas de violência doméstica e sexual, disse Erdogan. O Parlamento em Ancara aprovou rapidamente as leis que aumentam as penas para criminosos. Elas permitem que a polícia intervenha mais rapidamente em casos de investigação de violência doméstica, abuso e estupro, além de forçar suspeitos e condenados a usarem pulseiras e tornozeleiras eletrônicas para serem monitorados pela polícia. O Parlamento também prometeu criar mais abrigos para mulheres e crianças vítimas da violência. Protestos - Enquanto isso, um protesto e um crime em Istambul atraíam a atenção da mídia. Quatro ativistas ucranianas do grupo Femen, que costumam protestar nuas ou seminuas contra políticos e a respeito de várias causas, fizeram topless em Istambul, protestando contra a violência doméstica que sofrem mulheres na Turquia e em países muçulmanos. Elas gritaram slogans e exibiram faixas e uma tinha a frase escrita em turco: parem com os ataques de ácido. Isso se referia a alguns criminosos que, geralmente em países islâmicos, jogam ácido no rosto de mulheres sem véu. Policiais femininas detiveram as ucranianas e as levaram em um furgão. Antes do protesto, Inna Shevchenko, outra ativista do grupo, disse que o objetivo era mostrar o sofrimento das mulheres no mundo muçulmano. Nossa mensagem para as turcas que celebram o Dia da Mulher é que não esperem apenas que seus maridos tragam flores e chocolates, disse Shevchenko. Apenas lembrem dos seus direitos Lutem por eles. Essa é a mensagem, disse a ativista ucraniana. Em 2005, a Turquia mudou seu código penal e removeu muitas leis que discriminavam as mulheres, tornando o estupro dentro de um casamento um crime e proibindo o assédio sexual nos locais de trabalho. Mesmo assim, mais um crime em Istambul atraiu a atenção da mídia Diyar Bengitay, mulher azerbaijana de 40 anos e mãe de três filhos, foi morta a tiros por um parente nas ruas. Ela havia abandonado o marido e deixado sua casa após uma briga conjugal, informou a agência estatal de notícias Anatólia. A polícia disse que o parente que atirou contra Diyar é mentalmente instável. Conferência - Líderes das Nações Unidas pediram ontem à Assembleia Geral que seja realizada uma conferência mundial sobre as mulheres em 2015, a qual será a primeira que abordará questões relativas às mulheres desde a Conferência de Pequim em O secretário-geral Ban Ki-moon e o presidente da Assembleia Geral, Abdulaziz Al-Nasser, disseram que será a quinta conferência mundial sobre as mulheres desde que a primeira foi realizada em 1975 na Cidade do México. Além de avaliar como está a situação da mulher no mundo desde 1995, a Conferência sobre as Mulheres em 2015 poderá abordar questões emergentes relativas ao universo feminino, como a participação das mulheres no processo político de vários países, acesso igualitário ao mercado de trabalho e problemas do desenvolvimento rural.

10 ARTES 10 Sexta-feira, 9 de março de 2012 CINEMA Dafoe reúne galeria de personagens divertidos Ator está no filme John Carter, da Pixar, dirigido por Andrew Stanton Maiara Camargo Apesar do rosto reconhecidamente expressivo de Willem Dafoe, pode ser difícil encontrálo em John Carter, de Andrew Stanton, produzido pela Pixar. Verde, com quatro braços, mais de 2 metros e meio de altura e falando uma língua desconhecida, ele interpreta Tars Tarkas, o rei de uma tribo de marcianos. Aos 56 anos, Dafoe mantém uma carreira que transita entre grandes produções comerciais e longas independentes, além do trabalho no teatro. Foi assim que reuniu uma galeria de personagens incomparáveis, como o sargento Elias, de Platoon (1986), Jesus em A Última Tentação de Cristo (1988) e o popular vilão Duende Verde da saga Homem- Aranha (2004 e 2007). Simpático, ele recebeu a reportagem num hotel em Phoenix, Arizona. Antes de John Carter, você fez Procurando Nemo com o diretor Andrew Stanton. Foi mais fácil aceitar o papel? Willem Dafoe Com certeza. Gosto do trabalho dele. Eu sabia que faria um personagem de animação, que falaria uma língua inventada e teria que atuar em pernas de pau. Achei ótimo. Você já foi peixe, inimigo do Homem-Aranha e, agora, um marciano. Gosta de se transformar nessas figuras? Muito. Esses personagens permitem acessar novos impulsos. Se você está sempre voltado para a sua própria percepção de mundo, a sua visão não muda. É uma das coisas que gosto em relação aos filmes: eles me lembram de coisas que esqueci e me fazem ver outras formas. ESPORTES Além da parafernália usada para gravar movimentos, para interpretar Tars Tarkas, você aprendeu a andar com pernas de pau. Como foi? Foi divertido. Quando você está com 2,7 metros, tem seus impulsos tirados e cria novos. Você pensa, se move e interpreta de forma diferente. Quanto tempo demorou para aprender andar com aquilo? Começamos a trabalhar com as pernas de pau, fazendo cenas de luta. Tivemos um período curto para aprender. Aliás, ao mesmo tempo, estávamos conhecendo o idioma dos Tharks. Ainda sabe falar marciano? Infelizmente, esqueci. Você sabia que um linguista desenvolveu esse idioma? Há apenas algumas palavras no livro. Bom, não há muita coisa falada nessa língua no filme, mas foi muito importante para o personagem. Após a exibição do filme para jornalistas, alguns disseram não ter encontrado o seu personagem. Você se reconhece na tela? Sim, não pelo rosto, mas vejo um pouco nos olhos e na maneira como ele se move. Ele Rio e São Paulo terão clássicos diferentes na rodada final do Brasileirão, que começa dia 20 de maio Divulgação Willem Dafoe interpreta Tars Tarkas, rei de uma tribo de marcianos tem mesmo uma cara feia, mas é um ótimo personagem. Você esteve no Festival do Rio no ano passado, certo? Deu para conhecer a cidade? Foi maravilhoso. Minha mulher (a cineasta italiana Giada Colagrande) toca bossa nova e tem muitos amigos músicos. E você continua trabalhando com teatro, não é? Sim e devo ir ao Brasil no próximo ano com o espetáculo The Life and Death of Marina Abramovic, que é a biografia da artista e tem direção de Robert Wilson. A Marina (performer iugoslava), inclusive, participa da peça. HALL DA FAMA Guga se orgulha por ter popularizado o tênis Tricampeão de Roland Garros diz que não está afastado da modalidade Alessandro Luchetti Gustavo Kuerten, o Manezinho da Ilha, como são chamados os habitantes de Florianópolis, que recebeu colonização da região portuguesa dos Açores, chega a Rhode Island, onde fica o Hall da Fama do Tênis. Lá, na cidade de Newport, é que foi realizado o primeiro campeonato nacional norte-americano na grama, em aquela competição é considerada o embrião do US Open. Nas paredes do museu já há uma foto de Guga com sua extravagante camisa amarela e azul da Diadora, com a qual surpreendeu o mundo ao conquistar o título de Roland Garros em Agora, Gustavo Kuerten prepara-se, aos 35 anos de idade, para a cerimônia de nomeação, em julho, quando terá o seu ingresso oficializado. Ontem, com sua habitual descontração, que contrasta com a solene instituição, Guga falou sobre o significado dessa conquista. Talvez o meu maior êxito em toda a minha carreira tenha sido conectar o meu povo com o tênis, trazê-lo para uma esfera mais popular, ao ponto de virar tema de conversas no açougue, na padaria, no supermercado. Pude trazer aquele mito intocável do tenista para o povo. O tênis ficou acessível e gostoso. Essa contribuição me dá uma satisfação muito grande. O tricampeão de Roland Garros (1997, 2000 e 2001) fez questão também de dizer que não está afastado da modalidade, pelo contrário. Eu vivo o tênis e o tênis vive em mim, afirmou, depois de revelar projetos para trazer o ATP Finals (torneio que reúne os oito melhores do mundo) para o Brasil. Guga abraça a ex-tenista Maria Esther Bueno N De acordo com a imprensa angolana, o pentacampeão Rivaldo estaria insatisfeito no Kabuscorp Hélvio Romero / AE Adhemar Ferreira vai para o Hall da Fama A Associação Internacional das Federações de Atletismo (Iaaf, na sigla em inglês) anunciou ontem a criação do seu Hall da Fama. A entidade também apresentou a lista dos 12 primeiros atletas indicados, que inclui o saltador brasileiro Adhemar Ferreira da Silva, que morreu em A criação do Hall da Fama do Atletismo faz parte das comemorações do centenário da Iaaf. Outros destaques na relação inicial de 12 atletas indicados pela entidade norte-americana são os velocistas norte-americanos Jesse Owens e Carl Lewis, considerados dois dos principais atletas da história do esporte mundial. Adhemar Ferreira da Silva, que nasceu em 1927, faturou duas medalhas de ouro olímpicas no salto triplo, conquistadas nos Jogos de Helsinque, na Finlândia, em 1952, e nos Jogos de Melbourne, na Austrália, em Na mesma prova, o brasileiro foi tricampeão nos Jogos Pan-Americanos. Além dos 12 indicados ontem, a Iaaf vai apontar o nome de outros 12 atletas ao longo deste ano para o Hall da Fama. Mas todos os indicados serão conhecidos antes do dia 24 de novembro, quando a entidade vai comemorar o seu centenário em evento na cidade de Barcelona, na Espanha. A Iaaf explicou que para ser selecionado, era preciso que o atleta tivesse conquistado duas medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos ou no Mundial de Atletismo e ter quebrado ao menos um recorde mundial. Além disso, o atleta precisa ter se aposentado há pelo menos dez anos. João Marcos Cavalcanti MPB & outras histórias João Marcos Cavalcanti de Albuquerque é advogado formado pela PUC, ex-secretário chefe do gabinete de Cesar Maia, escritor bissexto e estudioso da MPB. Voo cego ossa história passase no aeroporto de Brasília. Sala de espera cheia de passageiros esperando a chamada para embarque. Nesse momento aparece o co-piloto, impecavelmente uniformizado, de óculos escuros portando em sua mão direita uma bengala branca. Vinha tateando pelo saguão. Os passageiros entreolharam-se desconfiados mas a aeromoça explicou: Ele é cego mas é o melhor co-piloto da companhia. Minutos depois surge o outro tripulante. Era o comandante da aeronave que amparado por duas funcionárias portava também sua bengala branca e seus óculos escuros. Não preciso dizer que todos perceberam que ele era também cego. O desconforto foi geral, até que outra aeromoça tranquilizou a moçada : Ele também é cego mas é o melhor comandante da empresa. C U R T A Embora preocupados e temerosos todos embarcaram no avião. Depois das acomodações de praxe o comandante fala aos passageiros: Nosso vôo até o Rio é de uma hora e meia apertem os cintos, desliguem seu aparelhos eletrônico. Vamos decolar. Motores acionados, ordem da torre liberada, partida em alta velocidade. A pista começa a acabar. O desconforto e a preocupação é geral. Avião em alta velocidade e a pista acabando. O desespero toma conta dos passageiros que começam a gritar, histérica e desesperadamente. Nesse exato momento a aeronave decola, ganha o céu subindo suavemente. Foi aí que o co-piloto falou ao comandante: Já pensou? Se um dia o pessoal não gritar nós estamos fritos. Moral da história: Ouvir os clientes é fundamental. Biblioteca Nacional inaugura exposição sobre a questão feminina A trajetória da mulher na sociedade brasileira, contada em obras literárias e jornais pioneiros na abordagem da questão feminina, é o destaque da exposição que a Biblioteca Nacional inaugurou ontem, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher. Em cartaz até o dia 30 de abril, no saguão do 2º andar do prédio da biblioteca, a mostra A Mulher Eterna: a Mulher Dentro e Fora de Seu Tempo tem como destaque clássicos da literatura brasileira ligados ao universo feminino. É o caso de Donas e Donzelas, de Julia Lopes de Almeida, romancista e dramaturga do início do século 20. Pelo Twitter, Wanderlei Silva critica postura de Belfort: Ele fala coisas que acho chatas COPA DE 2014 Governo fará encontro entre Dilma e Blatter Eduardo Bresciani O governo federal aceitou as desculpas do secretário-geral da Fifa, Jerôme Valcke, que sugeriu na semana passada um chute no traseiro do Brasil para acelerar os preparativos para a Copa do Mundo de Ficou ainda de ser agendada uma reunião entre o presidente da entidade, Joseph Blatter, e a presidente Dilma Rousseff. O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, enviou nesta quinta-feira uma carta a Valcke e outra a Blatter tratando deste tema. O perdão foi concedido depois que Valcke se retratou. Ele culpou a tradução de uma frase em francês para português, mas a entrevista que iniciou a polêmica foi proferida em inglês. O ministro do Esporte chegou a pedir à Fifa a troca do interlocutor nas negociações, mas ontem recuou diante do pedido de desculpas. Em uma resposta com apenas duas linhas, Aldo Rebelo comunicou a decisão. Em atenção à sua correspondência do dia 5 de março de 2012, comunico a Vossa Senhoria, em nome do governo brasileiro, que suas desculpas foram aceitas, disse a íntegra da carta a Valcke. No documento enviado a Blatter, o ministro reafirma o aceite ao pedido de desculpas, mas faz uma cobrança. Reafirmo a posição do governo brasileiro de que episódios como este não podem mais se repetir, em prol da boa preparação da Copa do Mundo do Brasil. O ministro responde ainda a um pedido de audiência com Dilma feito pelo presidente da Fifa. Blatter sugeriu o encontro na semana que vem. Aldo afirma que a audiência será marcada pelo cerimonial de Dilma Rousseff. Lei Geral - O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), afirmou ontem que novas mudanças estão sendo negociadas no projeto da Lei Geral da Copa, que tem votação prevista para a próxima semana. Sobre a questão das bebidas alcoólicas, Vaccarezza destacou que a posição pela liberação é apenas para eventos da Fifa. As pessoas podem confundir a aprovação da bebida na Copa, que é um evento único, com a liberação geral nos estádios. Não tem nada a ver. Nossa preocupação é que esse debate seja bem feito, disse o petista, lembrando que o governo deseja cumprir tudo o que foi dado como garantia à Fifa em 2007, quando o Brasil foi escolhido para sediar os eventos. Em relação ao relatório, Vaccarezza falou de duas mudanças. Uma, do desejo do Executivo, é que os idosos tenham direito a meia-entrada também em pacotes turísticos e de hospitalidades vendidas pela Fifa junto com os ingressos, o que não estava garantido no texto do relator Vicente Cândido (PT-SP). Outra mudança é em relação à obrigatoriedade de uma carteirinha emitida por entidade estudantil para a compra de ingressos populares.

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA HENRIQUE MARINHO MAIO DE 2013 Economia Internacional Atividade Econômica A divulgação dos resultados do crescimento econômico dos

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Agosto 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Associação Brasileira de Supermercados Nº49 ECONOMIA. Honda: ritmo de vendas de janeiro foi positivo. Nesta edição:

Associação Brasileira de Supermercados Nº49 ECONOMIA. Honda: ritmo de vendas de janeiro foi positivo. Nesta edição: Associação Brasileira de Supermercados Nº49 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 26 de Fevereiro de 2015 Setor inicia o ano com crescimento real de 3,42% Em janeiro de 2015

Leia mais

1 a 15 de setembro de 2011

1 a 15 de setembro de 2011 1 a 15 de setembro de 2011 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE realizou, em outubro, o primeiro prognóstico para

Leia mais

Dólar sem freios. seu dinheiro #100. Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana

Dólar sem freios. seu dinheiro #100. Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana #100 seu dinheiro a sua revista de finanças pessoais Dólar sem freios Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana Festa no exterior Brasileiros continuam gastando cada vez mais fora

Leia mais

Preços de alimentos básicos continuam em alta

Preços de alimentos básicos continuam em alta 1 São Paulo, 2 de junho de 2008. NOTA À IMPRENSA Preços de alimentos básicos continuam em alta Apenas duas, das 16 capitais onde o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos

Leia mais

Edição 44 (Abril/2014)

Edição 44 (Abril/2014) Edição 44 (Abril/2014) Cenário Econômico: Prévia da inflação tem maior alta desde janeiro de 2013 O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), considerado a prévia da inflação oficial,

Leia mais

Valor da Cesta Básica aumenta em 12 cidades

Valor da Cesta Básica aumenta em 12 cidades 1 São Paulo, 06 de novembro de 2014. NOTA À IMPRENSA Valor da Cesta Básica aumenta em 12 cidades Em outubro, houve aumento dos preços do conjunto de bens alimentícios essenciais em 12 das 18 cidades onde

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal Brasília, 22 de maio de 2012 1 A situação da economia internacional

Leia mais

Cesta básica tem alta moderada na maioria das capitais

Cesta básica tem alta moderada na maioria das capitais 1 São Paulo, 06 de julho de 2009. NOTA À IMPRENSA Cesta básica tem alta moderada na maioria das capitais Em junho, a Pesquisa Nacional da Cesta Básica, realizada pelo DIEESE - Departamento Intersindical

Leia mais

Introdução. PIB varia 0,4% em relação ao 1º trimestre e chega a R$ 1,10 trilhão

Introdução. PIB varia 0,4% em relação ao 1º trimestre e chega a R$ 1,10 trilhão 16 a 31 de agosto de 2012 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015 Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 O cenário econômico nacional em 2014 A inflação foi superior ao centro da meta pelo quinto

Leia mais

Cenário Macroeconômico

Cenário Macroeconômico INSTABILIDADE POLÍTICA E PIORA ECONÔMICA 24 de Março de 2015 Nas últimas semanas, a instabilidade política passou a impactar mais fortemente o risco soberano brasileiro e o Real teve forte desvalorização.

Leia mais

Carta ao Cotista Abril 2015. Ambiente Macroeconômico. Internacional

Carta ao Cotista Abril 2015. Ambiente Macroeconômico. Internacional Carta ao Cotista Abril 2015 Ambiente Macroeconômico Internacional O fraco resultado dos indicadores econômicos chineses mostrou que a segunda maior economia mundial continua em desaceleração. Os dados

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julho 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012 Palestra: Macroeconomia e Cenários Prof. Antônio Lanzana 2012 ECONOMIA MUNDIAL E BRASILEIRA SITUAÇÃO ATUAL E CENÁRIOS SUMÁRIO I. Cenário Econômico Mundial II. Cenário Econômico Brasileiro III. Potencial

Leia mais

Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano

Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano Associação Brasileira de Supermercados Nº51 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 29 de Abril de 2015 Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano Crescimento moderado

Leia mais

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Janeiro de 2014

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Janeiro de 2014 Associação Brasileira de Supermercados Nº48 tou ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Janeiro de 2014 Vendas dos supermercados crescem 2,24% em 2014 Em dezembro, as

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Junho 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO GRÃOS: SOJA, MILHO, TRIGO e ARROZ TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 NO BRASIL E NO MUNDO Carlos Cogo Setembro/2012 PRODUÇÃO MUNDIAL DEVE RECUAR 4,1% NA SAFRA 2012/2013 ESTOQUES FINAIS MUNDIAIS DEVEM

Leia mais

Panorama Econômico Abril de 2014

Panorama Econômico Abril de 2014 1 Panorama Econômico Abril de 2014 Alerta Esta publicação faz referência a análises/avaliações de profissionais da equipe de economistas do Banco do Brasil, não refletindo necessariamente o posicionamento

Leia mais

ANO 2 NÚMERO 08 AGOSTO 2012 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO

ANO 2 NÚMERO 08 AGOSTO 2012 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO ANO 2 NÚMERO 08 AGOSTO 2012 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO 1 - CONSIDERAÇÕES INICIAIS As recentes divulgações dos principais indicadores de desempenho da economia brasileira mostram

Leia mais

O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas

O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas 1 O conturbado cenário nacional Economia em recessão: queda quase generalizada do PIB no 2º trimestre de 2015, com expectativa de

Leia mais

Argumentos Contra e a Favor da Valorização O que é o IOF Medidas Adotadas Resultados. Câmbio X IOF Resumo da Semana

Argumentos Contra e a Favor da Valorização O que é o IOF Medidas Adotadas Resultados. Câmbio X IOF Resumo da Semana Câmbio X IOF Nesta apresentação será exposto e discutido parte do debate sobre a valorização do real frente outras moedas, em especial o dólar. Ao final será apresentado um resumo das notícias da semana.

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julho 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Custo da Cesta básica tem comportamento diferenciado nas capitais pesquisadas

Custo da Cesta básica tem comportamento diferenciado nas capitais pesquisadas 1 São Paulo, 04 de novembro de 2015. NOTA à IMPRENSA Custo da Cesta básica tem comportamento diferenciado nas capitais pesquisadas Em outubro, entre as 18 capitais onde o DIEESE - Departamento Intersindical

Leia mais

Segunda-feira 01 de Dezembro de 2014. DESTAQUES

Segunda-feira 01 de Dezembro de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa tem queda, mas encerra mês em alta Mercado vê inflação maior e PIB baixo em 2015 Casino vai acelerar expansão do Pão de Açúcar Minério de ferro cai 48% e tem pior cenário Brokers fecha

Leia mais

CAPITALIZAÇÃO DA PETROBRAS E DÚVIDAS SOBRE A ECONOMIA GLOBAL

CAPITALIZAÇÃO DA PETROBRAS E DÚVIDAS SOBRE A ECONOMIA GLOBAL Julio Hegedus Assunto: Balanço Semanal InterBolsa BALANÇO SEMANAL 24 DE SETEMBRO DE 2010 BALANÇO SEMANAL 20 A 24/09 CAPITALIZAÇÃO DA PETROBRAS E DÚVIDAS SOBRE A ECONOMIA GLOBAL Capitalização da Petrobras

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL II RELATÓRIO ANALÍTICO

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL II RELATÓRIO ANALÍTICO II RELATÓRIO ANALÍTICO 15 1 CONTEXTO ECONÔMICO A quantidade e a qualidade dos serviços públicos prestados por um governo aos seus cidadãos são fortemente influenciadas pelo contexto econômico local, mas

Leia mais

Anexo VI Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial (Art. 4 o, 4 o, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000)

Anexo VI Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial (Art. 4 o, 4 o, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000) Anexo VI Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial (Art. 4 o, 4 o, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000) Anexo à Mensagem da Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2015, em cumprimento

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

Sexta-feira, 06 de Maio de 2013. DESTAQUES

Sexta-feira, 06 de Maio de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bolsa encerra semana em alta Mercado aguarda IPCA para ajustar cenários Divisão Consumo da Hypermarcas cresce 10% M.Dias Branco tem lucro de R$108 mi Contax aprovou R$ 55,4 milhões em dividendos

Leia mais

Selic cai e poupança rende menos

Selic cai e poupança rende menos Selic cai e poupança rende menos Publicação: 30 de Agosto de 2012 às 00:00 São Paulo (AE) - O Banco Central anunciou ontem mais uma redução da taxa básica de juros, a Selic, de 8% para 7,5% ao ano. Um

Leia mais

ANO 1 NÚMERO 07 MAIO 2012 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO

ANO 1 NÚMERO 07 MAIO 2012 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO ANO 1 NÚMERO 07 MAIO 2012 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO 1 Considerações Iniciais A combinação juros, inflação e câmbio tem tomado maior tempo das análises e preocupações do governo

Leia mais

A CRISE INTERNACIONAL E A REPERCUSSÃO NO BRASIL

A CRISE INTERNACIONAL E A REPERCUSSÃO NO BRASIL A CRISE INTERNACIONAL E A REPERCUSSÃO NO BRASIL ANÁLISE ECONÔMICA DA CSN DE SETEMBRO DE 2011 Cenário Internacional 2011 foi marcado por um ambiente econômico de instabilidade, agravamento da crise européia.

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Crise Mundo Os EUA e a Europa passam por um forte processo de desaceleração economica com indicios de recessão e deflação um claro sinal de que a crise chegou

Leia mais

PANORAMA EUA VOL. 3, Nº 5, JUNHO DE 2013

PANORAMA EUA VOL. 3, Nº 5, JUNHO DE 2013 PANORAMA EUA VOL. 3, Nº 5, JUNHO DE 2013 PANORAMA EUA OBSERVATÓRIO POLÍTICO DOS ESTADOS UNIDOS INSTITUTO NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARA ESTUDOS SOBRE OS ESTADOS UNIDOS INCT-INEU ISSN 2317-7977 VOL.

Leia mais

1º a 15 de agosto de 2011

1º a 15 de agosto de 2011 1º a 15 de agosto de 2011 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

Anexo I Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial (Art. 4 o, 4 o, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000)

Anexo I Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial (Art. 4 o, 4 o, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000) Anexo I Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial (Art. 4 o, 4 o, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000) Anexo à Mensagem da Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2013, em cumprimento

Leia mais

Soluções estratégicas em economia

Soluções estratégicas em economia Soluções estratégicas em economia Cenário macroeconômico e perspectivas para 2014/2018 maio de 2014 Perspectivas para a economia mundial Perspectivas para a economia brasileira Perspectivas para os Pequenos

Leia mais

Considerações Iniciais

Considerações Iniciais ANO 2 NÚMERO 6 ABRIL 212 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO RABELO Considerações Iniciais Neste primeiro trimestre de 212 a economia brasileira apresenta índices econômicos preocupantes

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 008 PIB avança e cresce 6% Avanço do PIB no segundo trimestre foi o maior desde 00 A economia brasileira cresceu mais que o esperado no segundo trimestre, impulsionada

Leia mais

Informe Econômico N 3

Informe Econômico N 3 Conjuntura Econômica Gerente Legislativa: Sheila Tussi da Cunha Barbosa Analista Legislativa: Cláudia Fernanda Silva Almeida Assistente Administrativa: Quênia Adriana Camargo Ferreira Estagiário: Tharlen

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA INDICADORES SELECIONADOS PELO FAE INTELLIGENTIA 1 IPC-FAE ÍNDICE DE PREÇOS DA CLASSE MÉDIA CURITIBANA

CONJUNTURA ECONÔMICA INDICADORES SELECIONADOS PELO FAE INTELLIGENTIA 1 IPC-FAE ÍNDICE DE PREÇOS DA CLASSE MÉDIA CURITIBANA CONJUNTURA ECONÔMICA INDICADORES SELECIONADOS PELO FAE INTELLIGENTIA 1 IPC-FAE ÍNDICE DE PREÇOS DA CLASSE MÉDIA CURITIBANA O Índice de Preços ao Consumidor da Classe Média de Curitiba - IPC-FAE, medido

Leia mais

Redução do preço de alimentos básicos continua pelo terceiro mês

Redução do preço de alimentos básicos continua pelo terceiro mês 1 São Paulo, 04 de agosto de 2010. NOTA À IMPRENSA Redução do preço de alimentos básicos continua pelo terceiro mês Desde maio, na maioria das capitais onde é realizada mensalmente a Pesquisa Nacional

Leia mais

Relatório Mensal. Janeiro de 2015. Cenário Internacional:

Relatório Mensal. Janeiro de 2015. Cenário Internacional: Relatório Mensal Janeiro de 2015 Cenário Internacional: EUA O diagnóstico dos membros do Federal Open Market Comittee (Fomc) sobre a atividade econômica é positivo: os EUA estão crescendo mais que a previsão,

Leia mais

Cesta básica tem alta em janeiro

Cesta básica tem alta em janeiro 1 São Paulo, 11 de fevereiro de 2008. NOTA À IMPRENSA Cesta básica tem alta em janeiro Em janeiro, o preço dos gêneros alimentícios essenciais apresentou alta em 15 das 16 capitais onde o DIEESE Departamento

Leia mais

A Ameaça Inflacionária no Mundo Emergente

A Ameaça Inflacionária no Mundo Emergente BRICS Monitor A Ameaça Inflacionária no Mundo Emergente Agosto de 2011 Núcleo de Análises de Economia e Política dos Países BRICS BRICS Policy Center / Centro de Estudos e Pesquisa BRICS BRICS Monitor

Leia mais

Panorama da Economia Brasileira. Carta de Conjuntura do IPEA

Panorama da Economia Brasileira. Carta de Conjuntura do IPEA : Carta de Conjuntura do IPEA Apresentadoras: PET - Economia - UnB 25 de maio de 2012 1 Nível de atividade 2 Mercado de trabalho 3 4 5 Crédito e mercado financeiro 6 Finanças públicas Balanço de Riscos

Leia mais

Terça-feira, 25 de Agosto de 2015. DESTAQUES

Terça-feira, 25 de Agosto de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa cai ao nível de 2009 com tensão global CCR tem expectativa positiva de crescimento para o próximo ano Ações PNA da Vale fecham na menor cotação desde 2006 Corte de produção na China e

Leia mais

GUSTAVO ROBERTO CORRÊA DA COSTA SOBRINHO E JOSÉ MACIEL DOS SANTOS EFEITOS DA CRISE FINANCEIRA GLOBAL SOBRE A AGRICULTURA BRASILEIRA.

GUSTAVO ROBERTO CORRÊA DA COSTA SOBRINHO E JOSÉ MACIEL DOS SANTOS EFEITOS DA CRISE FINANCEIRA GLOBAL SOBRE A AGRICULTURA BRASILEIRA. EFEITOS DA CRISE FINANCEIRA GLOBAL SOBRE A AGRICULTURA BRASILEIRA. GUSTAVO ROBERTO CORRÊA DA COSTA SOBRINHO E JOSÉ MACIEL DOS SANTOS Consultores Legislativos da Área X Agricultura e Política Rural MARÇO/2009

Leia mais

Veja na tabela a seguir as performances de cada aplicação em setembro e no acumulado do ano. Desempenho em setembro. Ibovespa 4,84% -17,96% 30/09/2013

Veja na tabela a seguir as performances de cada aplicação em setembro e no acumulado do ano. Desempenho em setembro. Ibovespa 4,84% -17,96% 30/09/2013 Veículo: Exame.com Os melhores e os piores investimentos de setembro Ibovespa fecha o mês com a maior alta, seguido pelos fundos de ações small caps; na renda fixa, a LTN, título do Tesouro prefixado,

Leia mais

ED 2059/09. 9 fevereiro 2009 Original: inglês. A crise econômica mundial e o setor cafeeiro

ED 2059/09. 9 fevereiro 2009 Original: inglês. A crise econômica mundial e o setor cafeeiro ED 2059/09 9 fevereiro 2009 Original: inglês P A crise econômica mundial e o setor cafeeiro Com seus cumprimentos, o Diretor-Executivo apresenta uma avaliação preliminar dos efeitos da crise econômica

Leia mais

Carteira Recomendada RENDA FIXA segunda-feira, 1 de junho de 2015

Carteira Recomendada RENDA FIXA segunda-feira, 1 de junho de 2015 1. Alocação recomendada para Junho de 2015 Classe de Ativo Carteira Conservadora* Carteira Moderada* Carteira Agressiva* Curto Prazo Longo Prazo Curto Prazo Longo Prazo Curto Prazo Longo Prazo Pós-Fixado

Leia mais

RELATÓRIO DA GESTÃO 2014

RELATÓRIO DA GESTÃO 2014 1 Senhores Associados: RELATÓRIO DA GESTÃO 2014 Temos a satisfação de apresentar o Relatório da Gestão e as Demonstrações Contábeis da CREDICOAMO Crédito Rural Cooperativa, relativas às atividades desenvolvidas

Leia mais

Choques Desequilibram a Economia Global

Choques Desequilibram a Economia Global Choques Desequilibram a Economia Global Uma série de choques reduziu o ritmo da recuperação econômica global em 2011. As economias emergentes como um todo se saíram bem melhor do que as economias avançadas,

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Novembro 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Agosto de 2014

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Agosto de 2014 Associação Brasileira de Supermercados Nº43 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Agosto de 2014 Com crescimento em julho, setor acumula 1,48% no ano Em julho, as vendas

Leia mais

Perspectivas da Economia Brasileira

Perspectivas da Economia Brasileira Perspectivas da Economia Brasileira Márcio Holland Secretário de Política Econômica Ministério da Fazenda Caxias do Sul, RG 03 de dezembro de 2012 1 O Cenário Internacional Economias avançadas: baixo crescimento

Leia mais

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro estimado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e pelo Centro de Estudos Avançados

Leia mais

Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line

Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line Boletim 853/2015 Ano VII 15/10/2015 Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line O impacto das novas plataformas deve ser maior no médio e longo prazo, principalmente com a

Leia mais

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 15 de maio de 2007

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 15 de maio de 2007 M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 1 de maio de 27 Síntese gráfica trimestral do comércio bilateral e do desempenho macroeconômico chinês Primeiro trimestre de 27 No primeiro trimestre de 27, a economia chinesa

Leia mais

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando INFORMATIVO n.º 42 NOVEMBRO de 2015 A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando Fabiana D Atri - Economista Coordenadora do Departamento de Pesquisas e

Leia mais

Terça-feira 02 de Setembro de 2014. DESTAQUES

Terça-feira 02 de Setembro de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Após pesquisa, Ibovespa testa 62 mil pontos Produção industrial avança em julho Empresas do país têm valor comercial recorde Marcopolo entra na nova carteira do Ibovespa Óleo e Gás conclui etapa

Leia mais

PANORAMA NOVEMBRO / 2014

PANORAMA NOVEMBRO / 2014 PANORAMA NOVEMBRO / 2014 O mês de novembro foi pautado pelas expectativas em torno da formação da equipe econômica do governo central brasileiro. Muito se especulou em torno dos nomes que ocuparão as principais

Leia mais

Desempenho de vendas do setor segue forte

Desempenho de vendas do setor segue forte Macro Setorial segunda-feira, 20 de maio de 2013 Veículos Desempenho de vendas do setor segue forte Depois de obter recorde na venda de automóveis e comerciais leves em 2012, impulsionado por incentivos

Leia mais

O AMBIENTE ECONÔMICO. Boletim n.º 05 1º trimestre de 2013. Taxa de juros - SELIC (fixada pelo Comitê de Política Monetária COPOM)

O AMBIENTE ECONÔMICO. Boletim n.º 05 1º trimestre de 2013. Taxa de juros - SELIC (fixada pelo Comitê de Política Monetária COPOM) Boletim n.º 05 1º trimestre de O AMBIENTE ECONÔMICO Taxa de juros - SELIC (fixada pelo Comitê de Política Monetária COPOM) Atividade econômica A economia brasileira, medida pelo desempenho do Produto Interno

Leia mais

China: crise ou mudança permanente?

China: crise ou mudança permanente? INFORMATIVO n.º 36 AGOSTO de 2015 China: crise ou mudança permanente? Fabiana D Atri* Quatro grandes frustrações e incertezas com a China em pouco mais de um mês: forte correção da bolsa, depreciação do

Leia mais

Relatório Mensal Agosto/2015

Relatório Mensal Agosto/2015 1. Cenário Econômico Relatório Mensal GLOBAL: A ata da reunião de julho do FOMC (Federal Open Market Committee) trouxe um tom mais conciliador. Embora a avaliação em relação à atividade econômica tenha

Leia mais

ECONOMIA BRASILEIRA DESEMPENHO RECENTE E CENÁRIOS PARA 2015. Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2014

ECONOMIA BRASILEIRA DESEMPENHO RECENTE E CENÁRIOS PARA 2015. Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2014 ECONOMIA BRASILEIRA DESEMPENHO RECENTE E CENÁRIOS PARA 2015 Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2014 SUMÁRIO 1. Economia Mundial e Impactos sobre o Brasil 2. A Economia Brasileira Atual 2.1. Desempenho Recente

Leia mais

Cenário Macroeconômico 2015 X-Infinity Invest

Cenário Macroeconômico 2015 X-Infinity Invest Cenário Macroeconômico 2015 X-Infinity Invest SUMÁRIO PANORAMA 3 ATUAL CONTEXTO NACIONAL 3 ATUAL CONTEXTO INTERNACIONAL 6 CENÁRIO 2015 7 CONTEXTO INTERNACIONAL 7 CONTEXTO BRASIL 8 PROJEÇÕES 9 CÂMBIO 10

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Tópicos Economia Americana: Confiança em baixa Pág.3 EUA X Japão Pág. 4 Mercados Emergentes: China segue apertando as condições monetárias Pág.5 Economia Brasileira:

Leia mais

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012 Notícias Economia Internacional e Indicadores Brasileiros Nº 1/2 Julho de 2012 Sindmóveis - Projeto Orchestra Brasil www.sindmoveis.com.br www.orchestrabrasil.com.br Realização: inteligenciacomercial@sindmoveis.com.br

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/2015 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2015

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/2015 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2015 ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/2015 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2015 Como Presidente e Gestora do Instituto de Previdência

Leia mais

RESUMO DE NOTÍCIAS. Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações do Estado de São Paulo www.sintetel.org sintetel@sintetel.org.

RESUMO DE NOTÍCIAS. Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações do Estado de São Paulo www.sintetel.org sintetel@sintetel.org. CLARO S/A APRESENTA PROPOSTA VERGONHOSA Depois de enrolar ao máximo o início das negociações, a Claro S/A teve a cara de pau de oferecer APENAS 6% de reajuste salarial, índice muito abaixo da inflação.

Leia mais

RENDA FIXA TESOURO DIRETO 09/10/2012

RENDA FIXA TESOURO DIRETO 09/10/2012 DESTAQUES DO RELATÓRIO: Carteira Recomendada A nossa carteira para este mês de Outubro continua estruturada considerando a expectativa de aumento da taxa de juros a partir do próximo ano. Acreditamos que

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O saldo total das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional atingiu 54,5% do PIB, com aproximadamente 53% do total do saldo destinado a atividades econômicas. A carteira

Leia mais

101/15 30/06/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

101/15 30/06/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados 101/15 30/06/2015 Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Junho de 2015 Sumário 1. Perspectivas do CenárioEconômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Março

Leia mais

02/02/2013. Para onde correr?

02/02/2013. Para onde correr? 02/02/2013 Para onde correr? Juros historicamente baixos, crescimento modesto, inflação elevada e um ambiente menos hostil, mas ainda cheio de incertezas. Decidir onde aplicar, num cenário desses, é um

Leia mais

Cenário Econômico para 2014

Cenário Econômico para 2014 Cenário Econômico para 2014 Silvia Matos 18 de Novembro de 2013 Novembro de 2013 Cenário Externo As incertezas com relação ao cenário externo em 2014 são muito elevadas Do ponto de vista de crescimento,

Leia mais

Em janeiro, preço da cesta só cai em duas capitais

Em janeiro, preço da cesta só cai em duas capitais 1 São Paulo, 06 de fevereiro de 2012. NOTA À IMPRENSA Em janeiro, preço da cesta só cai em duas capitais Apenas duas, das 17 capitais onde o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos

Leia mais

7.000 6.500 6.000 5.500 5.000 4.500 4.000 3.500 3.000 2.500 2.000 1.500 1.000 500 - -500-1.000 fev./2010. ago./2011. fev./2012. nov.

7.000 6.500 6.000 5.500 5.000 4.500 4.000 3.500 3.000 2.500 2.000 1.500 1.000 500 - -500-1.000 fev./2010. ago./2011. fev./2012. nov. 4 SETOR EXTERNO As contas externas tiveram mais um ano de relativa tranquilidade em 2012. O déficit em conta corrente ficou em 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB), mostrando pequeno aumento em relação

Leia mais

Relatório Mensal. 2015 Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

Relatório Mensal. 2015 Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal 2015 Março Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Composição da Carteira Ativos Mobiliários, Imobiliários e Recebíveis

Leia mais

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado AGROSSÍNTESE Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado Edilson de Oliveira Santos 1 1 Mestre em Economia, Gestor Governamental da SEAGRI; e-mail: edilsonsantos@seagri.ba.gov.br

Leia mais

Análise Semanal. Edição nº 23 10/07/15 CONJUNTURA ECONÔMICA. Mais um plano

Análise Semanal. Edição nº 23 10/07/15 CONJUNTURA ECONÔMICA. Mais um plano Mais um plano CONJUNTURA ECONÔMICA A chave da agenda positiva tão perseguida pelo governo federal em tempos de crise política e volta da inflação parece ser a preservação dos empregos. Na última terça-feira

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015. Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015. Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: PIB e Juros... Pág.3 Europa: Recuperação e Grécia... Pág.4

Leia mais

INFORMATIVO FUNDOS GALT FIA - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES GERAL DIVIDENDO - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES. Química 12% Papel e Celulose 8%

INFORMATIVO FUNDOS GALT FIA - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES GERAL DIVIDENDO - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES. Química 12% Papel e Celulose 8% Outubro de 2015 INFORMATIVO FUNDOS GALT FIA - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES O Geral Asset Long Term - GALT FIA é um fundo de investimento que investe em ações, selecionadas pela metodologia de análise

Leia mais

Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio

Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio MB ASSOCIADOS Perspectivas para o Agribusiness em 2011 e 2012 Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio 26 de Maio de 2011 1 1. Cenário Internacional 2. Cenário Doméstico 3. Impactos no Agronegócio 2 Crescimento

Leia mais

Quinta-feira, 21 de Janeiro de 2016. DESTAQUES

Quinta-feira, 21 de Janeiro de 2016. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa cai pressionada por petróleo Copom segue Tombini e mantém juro Setores de siderurgia e petróleo perdem importância no Ibovespa Para crescer no Brasil, preço baixo e corte de custos Dólar

Leia mais

Estimativa do Comportamento dos Preços dos Insumos do TRC para 2008

Estimativa do Comportamento dos Preços dos Insumos do TRC para 2008 Estimativa do Comportamento dos Preços dos Insumos do TRC para 2008 Estimativa é método de cálculo da facturação, utilizado na ausência de leituras reais, que consiste na determinação de valores de consumo

Leia mais

Quinta-feira, 07 de Janeiro de 2016. DESTAQUES

Quinta-feira, 07 de Janeiro de 2016. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa cai ao menor nível desde março de 2009 "Pedaladas" podem virar crédito IPCA subiu 10,78% em 2015 ADRs da Gerdau fecham cotados a US$ 1 Queda pode levar Petrobras a rever preço da gasolina

Leia mais

Carta Mensal Abr/Mai de 2013 nº 175

Carta Mensal Abr/Mai de 2013 nº 175 Carta Mensal Abr/Mai de 2013 nº 175 Destaques do mês - Preocupado com a inflação, mas também com as incertezas do cenário internacional, Copom inicia ciclo de aperto monetário com elevação de apenas 0,25%

Leia mais

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA SEMANA DE 21 A 25 DE SETEMBRO de 2009 Semana de preço estável no mercado de Boi Gordo no Rio Grande do Sul, com o preço encerrando a semana a R$ 4,61/kg carcaça.

Leia mais

Mercados nervosos, investidores tensos. O que pensar?

Mercados nervosos, investidores tensos. O que pensar? 16/07/2008 Mercados nervosos, investidores tensos. O que pensar? Paulo Ângelo Carvalho de Souza Presidente Bolsas em queda; juros em alta; rentabilidade em queda; inflação em alta; preço do petróleo fora

Leia mais

Quarta-feira, 21 de Agosto de 2013. DESTAQUES

Quarta-feira, 21 de Agosto de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bolsa interrompe série de altas Dólar cai após seis altas com ação do BC Tesouro dá liquidez aos títulos Latam registra prejuízo líquido no 2º tri Itaú renova acordo com Fiat Faturamento da Minerva

Leia mais

Valor da cesta básica diminui em 15 cidades

Valor da cesta básica diminui em 15 cidades 1 São Paulo, 04 de setembro de 2015. NOTA à IMPRENSA Valor da cesta básica diminui em 15 cidades Das 18 cidades em que o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos - realiza

Leia mais