PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP. Maria de Lourdes Bohrer Antonio RELAÇÕES AFETIVAS EM LITÍGIO E A MEDIAÇÃO FAMILIAR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP. Maria de Lourdes Bohrer Antonio RELAÇÕES AFETIVAS EM LITÍGIO E A MEDIAÇÃO FAMILIAR"

Transcrição

1 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Maria de Lourdes Bohrer Antonio RELAÇÕES AFETIVAS EM LITÍGIO E A MEDIAÇÃO FAMILIAR DOUTORADO EM SERVIÇO SOCIAL SÃO PAULO 2013

2 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Maria de Lourdes Bohrer Antonio RELAÇÕES AFETIVAS EM LITÍGIO E A MEDIAÇÃO FAMILIAR Tese apresentada à Banca Examinadora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Programa de Estudos Pós-graduados em Serviço Social, como exigência parcial para a obtenção do título de DOUTOR em Serviço Social, sob a orientação da Profª. Drª. Maria Lucia Rodrigues. SÃO PAULO 2013

3 FICHA CATALOGRÁFICA 1. Autor: Maria de Lourdes Bohrer Antonio 2. Título: Relações Afetivas em Litígio e a Mediação Familiar 3. Programa: Serviço Social. PUC-SP. São Paulo: São Paulo, Nº de folhas: Grau: (X) tese (doutorado) 6. Área de Concentração: Serviço Social 7. Orientador(a): Profª. Drª. Maria Lucia Rodrigues 8. Descritores: Serviço Social 9. Palavras-Chave: afetividade; mediação familiar; sócio-jurídico.

4 BANCA EXAMINADORA Professora Drª. Maria Lucia Rodrigues Orientadora Professora Drª Bader Burihan Sawaia Membro da Banca Professora Drª Águida Arruda Barbosa Membro da Banca Professora Drª Rosa Maria Ferreiro Pinto Membro da Banca Professora Drª Maria Carmelita Yasbek Membro da Banca

5 Dedico esta Tese à: Victoria e Maria da Glória Silvia Estela Gigena

6 AGRADECIMENTOS Só os homens livres são muito gratos uns para com os outros (Spinoza, Ética IV, Prop. 71) Fica expressa, aqui, a minha gratidão a todos que contribuíram para a realização deste trabalho, especialmente: À minha orientadora, Prof. Dra. Maria Lucia Rodrigues, pelo investimento afetivo dispensado a mim durante o doutorado. À banca de qualificação, pelas valiosas contribuições oferecidas por ocasião do exame; à Prof. Dra. Águida Arruda Barbosa e à Prof. Dra. Bader Burihan Sawaia, pela disponibilidade e pelo empenho. À CAPES, pelo suporte financeiro para a realização deste estudo. Ao Programa de Estudos Pós-graduados em Serviço Social da PUC-SP, pela forma democrática com que conduz o oferecimento de bolsas e por todo o seu corpo docente do Serviço Social que, de forma tão sábia, nos auxiliam e acompanham no processo de aprendizagem. Ao Prof. Dr. Antonio Rodrigues de Freitas Júnior, pelo acolhimento enquanto aluna especial na Universidade de São Paulo-USP - Faculdade de Direito, Curso de Pós-graduação, disciplina Mediação em Conflitos de Justiça, Cultura da Paz e Promoção dos Direitos Humanos. À Juíza de Direito, Coordenadora do Setor de Mediação das Varas da Família e Sucessões da Comarca de Santos/SP, Silvia Estela Gigena, pela confiança depositada, desde o primeiro momento, e pela autorização para que fosse possível a realização desta pesquisa. À Juíza de Direito, Diretora do Fórum da Comarca de Santos na gestão 2012/13, Thatyana Antonelli Marcelino Brabo, pelo incentivo constante e pela valorização deste estudo. Às Juízas de Direito, Ariana Consani Brejão de Gregório Gerônimo, Mariella Amorim Nunes Rivau Alvarez, Natália Garcia Penteado Soares Monti e Vanessa Aufiero da Rocha, pelo acolhimento inicial e permanente à ideia da mediação.

7 Ao Desembargador Gilberto Passos de Freitas e aos Juízes de Direito, Evandro Renato Pereira, e José Vitor Teixeira de Freitas, pela compreensão imediata da necessidade de se implementar a mediação familiar judicial na Comarca de Santos. Às juízas e às famílias participantes desta pesquisa, pela generosidade e disponibilidade com que me receberam. Ao apoio da Profa. Riyadh Weyersbach. À Prof. Dra. Rosa Maria Ferreiro Pinto, pelo incentivo à vida acadêmica. Às grandes companheiras de trabalho, Silvia Maria Bagaiolo Coimbra - assistente social, Roseli Barreira Fernandes da Rocha - psicóloga, e Virgínia Araújo - escrevente, pelo apoio incondicional à realização deste estudo. Às leitoras críticas deste trabalho e grandes amigas: Maria Antelma Ferraz de Mendonça Jensen psicóloga, Sandra Aparecida Siqueira assistente social e bacharel em Direito, Fátima Aparecida Micheletti, Maria Natália O. P. Bueno Guerra e Fausta A. O. Pontes Bueno Guerra assistentes sociais. À minha família: ao meu marido, Jaime, pelas décadas de companheirismo e incentivo à minha vida profissional; às minhas filhas muito amadas, Victoria e Maria da Glória, pelo amor, paciência e alegria; aos meus pais, pelo amor incondicional; aos meus irmãos, Elias, Zezé, Manoel, Dorinha e Duda, pela amizade e confiança; à minha sobrinha, Renata raios de sol ; e à família Jensen, especialmente à Tomas, meu auxiliar nas transcrições. Enfim, esta tese deve muito a muitos, a todos agradeço infinitamente em uma infindável lista: à equipe de assistentes sociais e psicólogos da Comarca de Santos, Verônica A. da M. Cezar-Ferreira, Sandra Fedullo Colombo, Ana Maria Menezes, Lígia Maria C. B. Fonseca, Ana Maria C. A. Correa, Cristiane A. da Costa, Fátima C. C. Fontes, Regina Silva, Juarez Leite, Jacy dos Santos, Wilson e Wilsinho Cístolo, Denise G. Pampolini, Vera Blank, Márcia Cristina Lima, Verinha Fagundes, Roninele Dalmonech, Mario Alcântara Queiroz, César A. Panighel, Sandra e Marcelo Boaventura, Cynthia Varandas, Caroline Lobo, Juliana Cocito, Telma Rodrigues, Fernanda Winchester, Bethânia e Victor, Claudete Negreiros, Joice Antonio, Terry Ruas, Gina Chamone e Roberto Zárate, Nilson, Ellen, Ana Costa e Verônica, Comunidade aimoreense Capa-bode...

8 RESUMO O objetivo geral do trabalho foi analisar as relações afetivas familiares entre pais de crianças e de adolescentes em situação de litígio e desvelar o sentido da mediação familiar. Nosso principal referencial teórico foi o filósofo Spinoza e os contemporâneos Morin e Maturana. Realizamos um estudo quantitativo, por meio do qual localizamos a inserção dos Pedidos de Guarda e Regulamentação de Visitas como a principal demanda do Setor de Mediação das Varas da Família e Sucessões da Comarca de Santos, bem como traçamos o perfil dos protagonistas desses pedidos: os requerentes e requeridos, pais das crianças/adolescentes. Delimitamos o universo nos anos de 2008 a Com o perfil decorrente do quantitativo, realizamos um estudo qualitativo. Efetuamos entrevistas semiestruturadas, com sete famílias e cinco juízas que encaminharam os usuários. A pesquisa qualitativa foi analisada por meio de dois eixos: as relações afetivas familiares e a mediação familiar. Compreendemos que as relações familiares dos pais em litígio está marcada pelo desejo de convivência amorosa com os filhos e pela efetivação de direitos. Ainda que esta ação seja inicialmente um padecimento, por ter sido movida por uma paixão triste, o litígio é uma medida para o enfrentamento de um sofrimento ético-político. Esta ação busca a concórdia, mesmo que possa parecer o contrário. A mediação familiar judicial é uma proposta do judiciário que colabora para a concórdia ser uma passagem para o encontro com um estado de paz. Paz é potência de vida, alegria e liberdade que se expressam nas condições materiais e espirituais da vivência humana em sociedade. A mediação familiar judicial é um processo de trabalho exercido por um profissional (ou uma equipe) qualificado, com uma metodologia própria e interdisciplinar de base afetiva e ética, para que duas ou mais pessoas que tenham laços familiares sejam eles consanguíneos ou não e que passam por uma situação de litígio busquem respostas mais responsáveis, autônomas e exequíveis sobre o conflito, tendo como perspectiva uma cultura da paz e dos direitos humanos. Concluímos que as relações familiares em litígio configuram-se em uma expressão contemporânea da questão social e que a mediação se revela um dos importantes instrumentos para o seu enfrentamento enquanto parte de uma política, sendo o assistente social sujeito relevante no planejamento e na execução desta política. Palavras-Chave: afetividade; mediação familiar; sócio-jurídico.

9 ABSTRACT This study aims at analyzing the affective family relationships between the parents of children/adolescent children in litigation phase and at learning the meaning of family mediation. Our main theoretical framework lies on the philosopher Spinoza and on the contemporaries Morin and Maturana. We conducted a quantitative study through which we located the insertion of Custody Petition and Regulatory Visits as the main demand of the Mediation Sector of Family and Probate Courts in the District of Santos, and we profiled the protagonists of those petitions, i.e., the claimants and the defendants, parents of the children/adolescent children. The research was limited to a three-year window ( ). With the profile resulting from the quantitative study, we conducted a qualitative study. We have carried out semi-structured interviews with seven families as well as with five judges who referred users to our Mediation Sector. The qualitative research was analyzed using two axes: family affective relationships and family mediation. We understand that family relationships of parents in litigation is marked by the desire to love living with their children and by the realization of rights. Although this action is primarily a suffering for having been driven by a sad passion, litigation is a measure to cope with an ethical-political suffering. This action seeks harmony, even though it may seem otherwise. The judicial family mediation is a judiciary proposal which contributes to harmony be a path to meeting with a state of peace. Peace is power of life, happiness and freedom that are expressed in the material and spiritual conditions of human existence in society. The judicial family mediation is a work process performed by a qualified professional (or team) with his/her own interdisciplinary methodology, having an affective and ethical basis, so that two or more people who have family ties - whether by blood or not - and who are going through a litigation phase look for more responsible, autonomous and enforceable answers on the conflict. The qualified professional does that under the perspective of a culture of peace and human rights. We conclude that family relationships in litigation are configured in a contemporary expression of the social issue and that mediation is revealed as one of the most important tools for dealing with it as part of a policy. The social worker is a relevant subject in planning and implementing that policy. Keywords: affection, family mediation; socio-legal.

10 SUMÁRIO INTRODUÇÃO CAPÍTULO I - MEDIACÃO, SERVIÇO SOCIAL E O CONTEXTO LEGAL Categoria mediação Mediação como processo de trabalho Mediação familiar como trabalho do assistente social judiciário e o contexto legal CAPÍTULO II A AFETIVIDADE HUMANA A afetividade humana em Spinoza A afetividade e as relações sociais CAPÍTULO III PESQUISA: CONTEXTO E METODOLOGIA Setor de mediação das Varas da Família e Sucessões da Comarca de Santos A. Criação e funcionamento Sobre o fluxo de trabalho Sobre os procedimentos técnicos B. Estudo da demanda C. Perfil social dos usuários Metodologia CAPÍTULO IV - O DISCURSO SOBRE AS RELAÇÕES AFETIVAS FAMILIARES NA VOZ DE SEUS PROTAGONISTAS Relações afetivas dos pais com a família de origem Relações afetivas dos pais com seus filhos Relações afetivas entre os pais CAPÍTULO V - A COMPREENSÃO DA MEDIAÇÃO FAMILIAR PELOS USUÁRIOS E AUTORIDADES JUDICIÁRIAS Percepção dos usuários Percepção das Autoridades Judiciárias CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS APÊNDICE ANEXOS

11 LISTA DE FIGURAS FIGURA 1 - Recepção: água e chá FIGURA 2 - Livros de poesia FIGURA 3 - A proposta de um ambiente acolhedor FIGURA 4 - O sorriso da escrevente que recepciona

12 LISTA DE TABELAS TABELA 1 Processos enviados ao Setor de Mediação das Varas da Família e das Sucessões da Comarca de Santos/SP em Ano/Vara TABELA 2 Caracterização de ações recebidas referentes aos anos de TABELA 3 Movimento de unidades atendidas pelo Setor de Mediação em TABELA 4 Número de sujeitos por unidade de atendimento TABELA 5 Reuniões por unidade de atendimento TABELA 6 Caracterização das ações em Mediações concluídas TABELA 7 Tempo entre a data de distribuição do processo e a determinação do envio para o Setor de Mediação das Varas da Família e das Sucessões da Comarca de Santos/SP em TABELA 8 Litígios anteriores ao atual entre requerente/requerido TABELA 9 Existência de outros processos atuais entre requerente/requerido além dos enviados ao Setor de Mediação TABELA 10 Existência de perícia social e psicológica nos processos enviados ao Setor de Mediação TABELA 11 Grau de instrução formal dos requerentes/requeridos TABELA 12 Requerentes/Requeridos Profissão TABELA 13 Requerentes/Requeridos Renda TABELA 14 Tempo que exerce atividade laborativa no atual trabalho requerentes/requeridos TABELA 15 - Estado civil dos requerentes/requeridos TABELA 16 Número de filhos entre requerentes e requeridos ou número de criançasadolescentes envolvidos no litígio TABELA 17 Condição de residência do requerente /requerido TABELA 18 Tipo e tempo de relacionamento entre as partes

13 LISTA DE APÊNDICES APÊNDICE A Termo de Consentimento livre e esclarecido APÊNDICE B Autorização da Autoridade Judiciária para a realização da pesquisa

14 LISTA DE ANEXOS ANEXO 1 - Perfil sócio-jurídico ANEXO 2 - Avaliação do trabalho de mediação ANEXO 3 - Aprovação do Comitê de Ética

15 LISTA DE SIGLAS Siglas e abreviações indicativas da Ética - obra de Spinoza AD Definição dos afetos (Affectum definitiones), adendo à parte III Ap. Apêndice cor. Corolário def. Definição dem. Demonstração esc. Escólio exp. Explicação post. Postulado prop. Proposição pref. Prefácios Indicação das citações da obra de Spinoza A obra de Spinoza, Ética, será citada com as seguintes siglas e abreviaturas: as partes serão indicadas em algarismos romanos (E, I; IV etc.); em arábicos serão indicados, seguidos de abreviaturas: as definições (E, I, def. 6), suas explicações (E, II, 3 def., expl.), os axiomas (E, II, ax. 1), os enunciados das proposições (E, III, P4), as demonstrações (E, V, 24 dem.), os corolários (E, I, 20, cor. 1), os escólios (E, IV, 9 esc.), os lemas (E, II, 4 lem.), os postulados (E, III, 2 post.), os prefácios das partes (E, IV, Pref.). Exemplificação: E II, 35 esc. = Ética, Parte II, Proposição 35, escólio

16 16 INTRODUÇÃO O mistério das cousas, onde está ele? Onde está ele que não aparece Pelo menos a mostrar-nos que é mistério? Que sabe o rio disso e que sabe a árvore? E eu, que não sou mais do que eles, que sei disso? Sempre que olho para as cousas e penso no que os homens pensam delas, Rio como um regato que soa fresco numa pedra. FERNANDO PESSOA Esta tese nasce das reflexões ocorridas no cotidiano da função de Assistente Social Judiciário, no sistema sócio-jurídico, iniciadas há mais de vinte anos no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo - Fórum da Comarca de Santos. Neste sentido, ela é, também, parte do nosso trabalho e expressa uma das dimensões da prática profissional. Estabelecemos como objeto as relações afetivas entre pais de crianças e adolescentes, em situação de litígio, atendidas no exercício da mediação familiar judicial. Nossa reflexão centra-se na relação entre pai/mãe/filhos que têm, ou tiveram, processos nas Varas da Família e Sucessões da Comarca de Santos e que se dispuseram a participar da mediação familiar efetuada por assistentes sociais. Portanto, a perspectiva deste trabalho é a compreensão e a análise do movimento relacional familiar sob a influência da atuação profissional do assistente social enquanto mediador. Nossas indagações ocorrem no sentido de compreendermos as relações afetivas dos integrantes dessas famílias no momento de mudança, no que esse movimento da família como um sistema interfere nos sentimentos e valores dos sujeitos e, também, em como a mediação familiar, como proposta do Judiciário, influencia para que eles vivam o arranjo familiar de nós e os laços afetivos. No bojo dessas reflexões, buscamos captar o sentido da atuação dos profissionais de Serviço Social, tanto para essas famílias quanto para as Autoridades Judiciárias, bem como verificar suas contribuições e desafios. Esta pesquisa tem como objetivo geral analisar as relações afetivas familiares entre pais de crianças e de adolescentes em situação de litígio e desvelar o sentido da mediação familiar. Para a consecução do objetivo geral, foram delineados dois objetivos específicos: analisar as relações afetivas entre esses pais; e investigar o sentido da mediação no enfrentamento dessa situação, em atuação exercida por assistentes sociais.

17 17 Justificativa Estamos [...] diante de um primeiro problema: que a tentativa de elucidação não seja traição, e muito menos ocultação. De resto, a palavra elucidar torna-se perigosa, se acreditarmos na possibilidade de trazer à luz plenamente todas as coisas. Creio que a elucidação esclarece, mas ao mesmo tempo revela: o que resiste à luz, detecta também um fundo obscuro. (MORIN, 2001, p. 16). Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad 2007), divulgados em setembro de 2008, revelaram aumento tanto no número de casamentos quanto de separações, com a opção pelo litígio, no Brasil. Ainda segundo a pesquisa, 88,6% das pessoas que moravam juntas tinham parentesco, sendo que, destes, 48,9% eram casais com filhos, indicando, assim, número menor que o registrado em 1997 (56,6%). Entre 1997 e 2007, o percentual de casais sem filhos havia crescido de 12,9% para 16%; e o de pessoas que viviam sozinhas, de 8,3% para 11,1%. Em relação às famílias com filhos, 50,5% tinham filhos menores de 16 anos. Os filhos estavam, cada vez mais, sendo criados por apenas um dos pais. 19,2% dos filhos viviam essa realidade em 1997, subindo para 21,8% em A pesquisa revelou, também, que o percentual de filhos com menos de 16 anos, criados apenas pelo pai, havia aumentado, nesse mesmo período, de 7,8% para 9,8%. A taxa de nupcialidade, ainda segundo o mesmo estudo do IBGE, que havia aumentado para 6,4% em 1997, mas caído para 5,7% em 2002, voltava a subir para 6,5% em O Judiciário estava sendo mais acionado pelos casais que dissolviam a relação conjugal devido ao aumento das separações judiciais litigiosas. Em 1997, 81,7% das separações foram consensuais, enquanto que, em 2007, esse percentual caiu para 76%. Posteriormente, o IBGE divulgou outra pesquisa, Estatística do Registro Civil 2011, objetivando acompanhar a evolução da população brasileira e monitorar o exercício da cidadania e a implementação de políticas públicas. A pesquisa, publicada em 17/12/12, reiterou dados como: o aumento da taxa de divórcio; o aumento do número de casamentos; a diminuição dos registros extemporâneos; e o aumento da guarda compartilhada. Segundo o IBGE, o Brasil, em 2011, registrou a maior taxa de divórcio desde 1984, chegando a um crescimento de 45,6% em relação a 2010, quando foram registrados

18 divórcios 1. Entretanto, assim como a taxa de divórcio, a de casamento também aumentou: em 2011, foram registrados casamentos, 5% a mais que no ano anterior. Verificou-se, também, que apesar de as mulheres ainda serem a maioria na responsabilidade pela guarda dos filhos, houve um aumento de 5,4% na guarda compartilhada, que representa mais que o dobro do verificado em A nossa experiência de trabalho, juntamente com os dados anteriormente mencionados, instigam-nos a refletirmos sobre a família e a mediação familiar, levando-nos a várias indagações. Existem muitos estudos a respeito da mediação familiar? Há estudos a respeito da mediação familiar em Serviço Social? Qual é a relação entre o trabalho de mediação e a categoria ontológica marxiana? Qual conceito de mediação atenderia ao projeto ético-político da profissão? A mediação seria uma nova profissão? Qual é o fundamento legal para o exercício da mediação? Há uma política pública de mediação? Ela contempla as necessidades? A mediação é uma atribuição do assistente social? Quais são os fundamentos da afetividade humana? Como poderíamos transformá-la? Qual é a relação com a cultura da paz? Quem são esses pais que litigam? Como são as suas relações familiares? O que é conflito? O que é compreensão? Como é a relação entre os conflitos familiares e o judiciário? Que percepção os pais em litígio e as autoridades judiciárias têm da mediação familiar? A mediação é uma boa estratégia de enfrentamento ao litígio familiar? Qual concepção de mediação familiar atenderia aos princípios do projeto ético-político do Serviço Social brasileiro? Que implicações resultariam de uma pesquisa no tema das relações familiares em litígio e mediação? O que mais precisaríamos saber sobre o tema? Devido ao anteriormente exposto, percebemos como necessário o preparo de profissionais - entre eles, o de assistentes sociais que trabalham com famílias - para lidar com as separações dos casais e as consequências daí advindas, principalmente quando envolvem filhos menores. Para compreender tamanha complexidade, é necessário que se pesquise o assunto e não se deixe contaminar por velhas verdades petrificadas pelo tempo. Nosso estudo 1 De acordo com Cláudio Crespo, pesquisador do IBGE, o aumento do número de divórcios ocorreu devido à aprovação da Emenda Constitucional nº 66, proposta pelo IBDFAM, [...]. A EC/66 eliminou os prazos para o divórcio ao extinguir o instituto da separação judicial, evitando os longos processos em que se buscava quem era o culpado pelo fim do casamento. Para o presidente do IBDFAM Instituto Brasileiro de Direito de Família, Rodrigo da Cunha Pereira, a Emenda Constitucional EC/66 instalou um novo sistema de divórcio no Brasil [...] ao substituir o discurso da culpa pelo da responsabilização do sujeito. O que a pesquisa comprova ao revelar um aumento do número de divórcio ao mesmo tempo em que mostra o aumento do número de casamentos. Simplificar a dissolução do casamento não significa de maneira alguma incentivar separações; ao contrário, significa apenas que a responsabilidade pelos vínculos conjugais diz respeito tão somente ao casal e que eles devem ter liberdade para manter ou não tal vínculo, explica. (Informativo 26 Ano Nº /12/12).

19 19 reporta-se à demanda advinda das Varas da Família e Sucessões. Delimitar-se-á aos usuários do Setor de Mediação, por ser este o lócus do nosso trabalho. Muitos assistentes sociais têm realizado o trabalho no Judiciário, bem como refletido sobre ele. Novos títulos 2 têm sido publicados, com maior frequência, sobre o tema. No entanto, as pesquisas feitas no âmbito do Serviço Social no Judiciário são insuficientes e exigem maior aprofundamento frente às necessidades dos profissionais que atuam neste campo. Podemos dizer que esta é uma área que se silenciou e que [...] tem sido silenciada na literatura especializada (IAMAMOTO, 2004, p. 263). Parece, inclusive, que houve um hiato nas produções neste campo, pois não acompanharam o volume das publicações do Serviço Social. Conforme explica Netto: [ ] a década de oitenta assinalou a maioridade do Serviço Social no Brasil no domínio da elaboração teórica. Nesse decênio, desenvolveu-se, no interior da categoria, uma divisão de trabalho (uma especialização) que é própria das profissões amadurecidas: a criação de um segmento diretamente vinculado à pesquisa e à produção de conhecimentos. Constituiu-se uma intelectualidade no Serviço Social no Brasil, que passou a ser o vetor elementar a subsidiar o mercado de bens simbólicos da profissão. Foi característica desse mercado a circulação de produções brasileiras não é de menor importância, no período, a diminuta difusão de literatura profissional estrangeira. (NETTO, 1996, p. 12). Observamos, empiricamente, que os estudos publicados no campo sócio-jurídico, em sua maioria, têm sido sobre trabalhos relacionados à Vara da Infância e Juventude. A primazia na publicação desses trabalhos provavelmente tenha ocorrido devido à demanda histórica da área. As Varas da Infância e Juventude recebem a demanda de crianças e adolescentes que estão na iminência de - ou que já se encontram em - risco pessoal e social. São crianças e adolescentes que estão abandonados, em acolhimento institucional; sofrem violência por parte de seus familiares; cometem atos infracionais; entre outras situações que significam que estão sob o risco de perderem ou dilacerarem suas vidas por falta de cuidados de sua família ou do Estado. 2 Vale ressaltar as seguintes obras: Serviço Social Jurídico: perícia social no contexto da infância e da juventude - Manual de procedimentos técnicos (Turck, 2000, Ed. Livro Pleno); Rompimento dos Vínculos do Pátrio Poder: condicionantes socioeconômicos e familiares (Fávero, 2001, Ed. Veras); Avaliação e Linguagem: relatórios, laudos e pareceres (Magalhães, 2003, Ed. Veras); Famílias acolhedoras: preservando a convivência familiar e comunitária (França, 2006, Ed. Veras); Adoção Consentida: do desenraizamento social da família à prática de adoção aberta (Gueiros, 2007, Ed. Cortez). Vale citar, também, uma ampla pesquisa sobre o trabalho do assistente social e do psicólogo no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, publicada por Fávero, Melão e Jorge, em 2005, Ed. Cortez, além da revista Serviço Social & Sociedade, n. 67, Ed. Cortez, publicada em setembro de 2001, que trata, exclusivamente, de temas sócio-jurídicos. A partir de 2001, foi incluída a área sócio-jurídica na pauta temática dos Congressos Brasileiros de Assistentes Sociais.

20 20 Os assistentes sociais também atendem à demanda proveniente dos Juízos de Família. Em Santos, as Varas de Família e Sucessões recebem as demandas afetas à família especificamente, indo desde processos que remetem a aspectos mais objetivos, como Inventários e Arrolamento de Bens, até aqueles que envolvem aspectos mais subjetivos, como Divórcio, Regulamentação de Visitas, Disputa de Guarda, ou seja, situações que, geralmente, envolvem a vida de crianças e adolescentes. Essas crianças e adolescentes não estariam, supostamente, sob risco, uma vez que contam com suas famílias; entretanto, tal risco, muitas vezes, existe. Nessas configurações familiares, o direito de crianças e adolescentes desenvolverem-se em ambiente saudável nem sempre é preservado, passando a ser objetos de disputa e objetos nessa disputa. Devido à existência de conflitos nesses processos que apresentam uma maior subjetividade, é recorrente o juiz determinar ao Assistente Social Judiciário a realização de um estudo como perito. A perícia social, realizada ao longo dos anos, é de vital importância, já que apresenta ao magistrado um estudo tecnicamente balizado em relação a qual decisão atenderia melhor ao interesse da criança. O estudo contempla as necessidades dos usuários em situação conflituosa pelo prisma da compreensão e análise, já que a sua intervenção precípua realiza-se por meio da emissão de um parecer. Contudo, as necessidades pessoais e sociais dos usuários em conflito são complexas, exigindo, também, em muitas situações, uma atuação do assistente social que afete, mais diretamente, os relacionamentos familiares. Visando um melhor e mais específico acolhimento a tais necessidades, foi criado em Santos, em junho de 2007, o Setor de Mediação das Varas da Família e Sucessões da Comarca de Santos, doravante denominado de Setor de Mediação. Desde então, a profissional que subscreve esta tese passou a se dedicar, exclusivamente, ao trabalho de mediação familiar no referido setor. Para melhor atender aos usuários, esta pesquisadora passou a estudar mais sobre o tema mediação familiar. Por meio do estudo, percebeu a existência de uma lacuna sobre o assunto, principalmente na área de Serviço Social. Verificou, também, que a mediação, especificamente a mediação familiar, que é uma área relativamente nova para os assistentes sociais, principalmente no Brasil, necessita de maior compreensão teórica e metodológica, conforme será demonstrado, a seguir, na pesquisa do estado da arte.

21 21 Mediação familiar e o Serviço Social - o estado da arte 3 [...] um procedimento justo é a condição da vida boa de todas as vidas boas possíveis mas não é suficiente para a vida boa. Justiça é o esqueleto; a vida boa é a carne e o sangue. A vida boa consiste em três elementos: primeiro, certeza; segundo, o desenvolvimento de dons em talentos e o exercício daqueles talentos; e terceiro, profunda emoção em ligações pessoais. Dentre esses três elementos, a retidão é o abrangente. Todos os três elementos de vida boa estão além da justiça. (HELLER, 1998, p. 371). Iniciamos a pesquisa em bases de dados para verificarmos qual é a produção científica com relação ao tema proposto nesta tese, qual seja, a mediação familiar. Optamos por fazer a busca em três bancos de publicações de veiculação na internet, a partir do banco de teses e dissertações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES 4 ), do Ministério da Educação, nos quais são depositadas pesquisas a nível nacional. O portal do Banco de Teses e Dissertações da CAPES online disponibiliza as publicações de teses de doutorado, dissertações de mestrado e mestrado profissionalizante a partir de 1987 até a atualidade (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, 2011). A pesquisa no portal da CAPES foi inicialmente feita a partir de palavras por assunto. Por meio da busca pelo termo mediação familiar, obtivemos 20 resultados; e pelo termo Administração de conflitos mediação, 35 resultados. Em seguida, fizemos uma seleção de acordo com as palavras-chave apresentadas que tivessem relação com o tema da pesquisa, sendo que os resultados que não apresentaram nenhuma palavra-chave também foram automaticamente inseridos para que pudessem ser analisados posteriormente. Após feita a seleção, centramos a nossa atenção em 15 resultados. Esses resultados foram analisados de acordo com o conteúdo, e os que se referiam, nos resumos, à mediação familiar, foram utilizados para a nossa análise inicial de produção científica. Somando-se os dois resultados de busca anteriormente citados, foram utilizados 23 resultados. As produções pesquisadas abrangeram os anos 2001 a 2009, excluindo-se o ano de 2004 por não haver, naquele ano, publicação relativa ao tema. A maior produção encontrada foi na área de Direito, com 16 trabalhos publicados; em seguida, na área de Psicologia, com 5 3 O levantamento do estado da arte foi publicado e apresentado no 6º Encontro Nacional de Política Social ENPS, realizado em Vitória/ES, na Universidade Federal do Espírito Santo UFES, de 28 a 30 de setembro de 2011, sob o título Mediação familiar: estudo, pesquisa e a implantação da política judiciária nacional de tratamento dos conflitos de interesses. 4 Banco de Teses e Dissertações da CAPES. Disponível em:

Ana Lúcia Maciel Francisco Kern Maria da Graça Türck Regina Martins Rosa Maria Castilhos Fernandes

Ana Lúcia Maciel Francisco Kern Maria da Graça Türck Regina Martins Rosa Maria Castilhos Fernandes 1 A Graturck é uma empresa especializada nas áreas de consultoria, assessoria e cursos em Serviço Social. Contando com uma equipe técnica qualificada, está lançando uma oportunidade para aqueles alunos

Leia mais

Mensuração do Desempenho do Gerenciamento de Portfólio de Projetos: Proposta de Modelo Conceitual

Mensuração do Desempenho do Gerenciamento de Portfólio de Projetos: Proposta de Modelo Conceitual Pedro Bruno Barros de Souza Mensuração do Desempenho do Gerenciamento de Portfólio de Projetos: Proposta de Modelo Conceitual Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação

Leia mais

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: SERVIÇO

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE SERVIÇO SOCIAL INTRODUÇÃO AO SERVIÇO SOCIAL EMENTA: A ação profissional do Serviço Social na atualidade, o espaço sócioocupacional e o reconhecimento dos elementos

Leia mais

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social PAPÉIS COMPETÊNCIAS

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social PAPÉIS COMPETÊNCIAS PAPÉIS E COMPETÊNCIAS O SERVIÇO PSICOSSOCIAL NO CREAS... O atendimento psicossocial no serviço é efetuar e garantir o atendimento especializado (brasil,2006). Os profissionais envolvidos no atendimento

Leia mais

A PRÁTICA DE FORMAÇÃO DE DOCENTES: DIFERENTE DE ESTÁGIO Maria de Fátima Targino Cruz Pedagoga e professora da Rede Estadual do Paraná.

A PRÁTICA DE FORMAÇÃO DE DOCENTES: DIFERENTE DE ESTÁGIO Maria de Fátima Targino Cruz Pedagoga e professora da Rede Estadual do Paraná. A PRÁTICA DE FORMAÇÃO DE DOCENTES: DIFERENTE DE ESTÁGIO Maria de Fátima Targino Cruz Pedagoga e professora da Rede Estadual do Paraná. O Curso de Formação de Docentes Normal, em nível médio, está amparado

Leia mais

ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( x ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA

ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( x ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( x ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA ATUAÇÃO DO

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO: UMA ANÁLISE DE SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A FORMAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL

ESTÁGIO SUPERVISIONADO: UMA ANÁLISE DE SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A FORMAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL ESTÁGIO SUPERVISIONADO: UMA ANÁLISE DE SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A FORMAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL Jocelma Tossin Martins (UNICENTRO), Rosângela Bujokas de Siqueira (Orientadora), e-mail: janja.bujokas@uol.com.br

Leia mais

Débora Cristina Mota Buere Xavier. A EXTENSÃO DO DIREITO DE VISITA COM BASE NO AFETO: dignidade da pessoa humana e garantia de convivência familiar

Débora Cristina Mota Buere Xavier. A EXTENSÃO DO DIREITO DE VISITA COM BASE NO AFETO: dignidade da pessoa humana e garantia de convivência familiar Débora Cristina Mota Buere Xavier A EXTENSÃO DO DIREITO DE VISITA COM BASE NO AFETO: dignidade da pessoa humana e garantia de convivência familiar DISSERTAÇÃO DE MESTRADO DEPARTAMENTO DE DIREITO Programa

Leia mais

Concepções de Professores que Ensinam Matemática para os Anos Iniciais a Respeito do Campo Conceitual Aditivo no Âmbito do Observatório da Educação

Concepções de Professores que Ensinam Matemática para os Anos Iniciais a Respeito do Campo Conceitual Aditivo no Âmbito do Observatório da Educação Concepções de Professores que Ensinam Matemática para os Anos Iniciais a Respeito do Campo Conceitual Aditivo no Âmbito do Observatório da Educação Valdir Amâncio da Silva 1 Angélica da Fontoura Garcia

Leia mais

A contribuição do coaching executivo para o aprendizado individual: a percepção dos executivos

A contribuição do coaching executivo para o aprendizado individual: a percepção dos executivos Bianca Snaiderman A contribuição do coaching executivo para o aprendizado individual: a percepção dos executivos Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação em Administração

Leia mais

MEMÓRIA URBANA DE PALMAS-TO: LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES E MATERIAL SOBRE O PLANO DE PALMAS E SEUS ANTECEDENTES

MEMÓRIA URBANA DE PALMAS-TO: LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES E MATERIAL SOBRE O PLANO DE PALMAS E SEUS ANTECEDENTES MEMÓRIA URBANA DE PALMAS-TO: LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES E MATERIAL SOBRE O PLANO DE PALMAS E SEUS ANTECEDENTES Tânia de Sousa Lemos 1 ; Ana Beatriz Araujo Velasques 2 1 Aluna do Curso de Arquitetura e

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: BACHARELADO SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO = 07 (SETE)

Leia mais

Mestrados Profissionais em Segurança Pública. Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal

Mestrados Profissionais em Segurança Pública. Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal I- Introdução Mestrados Profissionais em Segurança Pública Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal Este documento relata as apresentações, debates e conclusões

Leia mais

Quanto aos meios, trata-se de uma pesquisa bibliográfica, documental, telematizada e pesquisa de campo, conforme descrito abaixo:

Quanto aos meios, trata-se de uma pesquisa bibliográfica, documental, telematizada e pesquisa de campo, conforme descrito abaixo: 3 METODOLOGIA Apresenta-se a seguir a descrição da metodologia utilizada neste trabalho com o objetivo de expor os caminhos que foram percorridos não só no levantamento dos dados do estudo como também

Leia mais

MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA

MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA Jaqueline Oliveira Silva Ribeiro SESI-SP josr2@bol.com.br Dimas Cássio Simão SESI-SP

Leia mais

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social VARA DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE COMO CAMPO DE ESTÁGIO PARA O SERVIÇO SOCIAL

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social VARA DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE COMO CAMPO DE ESTÁGIO PARA O SERVIÇO SOCIAL VIII Jornada de Estágio de Serviço Social VARA DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE COMO CAMPO DE ESTÁGIO PARA O SERVIÇO SOCIAL ALMEIDA, Mayara Rodrigues 1 ARAÚJO, Sâmela Keren de Carvalho 2 CARVALHO, Sherryl Cristina

Leia mais

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI Grupo Acadêmico Pedagógico - Agosto 2010 O Projeto Pedagógico Institucional (PPI) expressa os fundamentos filosóficos,

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAÚJO NETO Ensino Fundamental e Médio PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO

COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAÚJO NETO Ensino Fundamental e Médio PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO Secretaria de Estado da Educação Estado do Paraná Núcleo Regional de Educação de União da Vitória COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAÚJO NETO Ensino Fundamental e Médio Rua Presidente Kennedy, 200 Fone: (42) 3552

Leia mais

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social. A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO MINISTÉRIO MELHOR VIVER- AMMV

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social. A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO MINISTÉRIO MELHOR VIVER- AMMV A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO MINISTÉRIO MELHOR VIVER- AMMV SILVA, D. Pollyane¹ MORO, M. Silvana ² SOUSA, G. Cristiane³ Resumo Este trabalho tem o intuito de descrever a Prática Profissional

Leia mais

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Brasil. Educação: Ensino, pesquisa e extensão! Solange Barreto Chaves¹

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Brasil. Educação: Ensino, pesquisa e extensão! Solange Barreto Chaves¹ Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Brasil Educação: Ensino, pesquisa e extensão! Solange Barreto Chaves¹ Resumo O presente texto tem por objetivo refletir e discutir sobre a integração entre ensino,

Leia mais

BALANÇO DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA: A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO FERRAMENTA DE PESQUISA ACADÊMICA

BALANÇO DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA: A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO FERRAMENTA DE PESQUISA ACADÊMICA MILHOMEM, André Luiz Borges; GENTIL, Heloisa Salles; AYRES, Sandra Regina Braz. Balanço de Produção Científica: A utilização das TICs como ferramenta de pesquisa acadêmica. SemiEdu2010 - ISSN:1518-4846

Leia mais

CIDADANIA: o que é isso?

CIDADANIA: o que é isso? CIDADANIA: o que é isso? Autora: RAFAELA DA COSTA GOMES Introdução A questão da cidadania no Brasil é um tema em permanente discussão, embora muitos autores discutam a respeito, entre eles: Ferreira (1993);

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Núcleo de Apoio Profissional de Serviço Social e Psicologia Corregedoria Geral da Justiça

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Núcleo de Apoio Profissional de Serviço Social e Psicologia Corregedoria Geral da Justiça I- A Comissão de Abrigo da Comarca de São Paulo A comissão de abrigo é constituída de assistentes sociais e psicólogos da capital que se reúnem desde 2005 sob a coordenação do Núcleo de Apoio Profissional

Leia mais

A FORMAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO ESCOLAR

A FORMAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO ESCOLAR A FORMAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO ESCOLAR GLEICE PEREIRA (UFES). Resumo Com o objetivo de apresentar considerações sobre a formação do bibliotecário escolar, esta pesquisa analisa o perfil dos alunos do Curso

Leia mais

SALA DE ESPERA DIREITOS DOS IDOSOS: SUBPROJETO DO NÚCLEO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, JURÍDICA E DE ESTUDOS SOBRE A PESSOA IDOSA

SALA DE ESPERA DIREITOS DOS IDOSOS: SUBPROJETO DO NÚCLEO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, JURÍDICA E DE ESTUDOS SOBRE A PESSOA IDOSA 110. ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( x ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA SALA DE ESPERA DIREITOS DOS IDOSOS: SUBPROJETO DO NÚCLEO

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 UMA ANÁLISE DA PERSPECTIVA DOS GRADUANDOS DO CURSO DE MATEMÁTICA DAS MODALIDADES DE LICENCIATURA E BACHARELADO DA UFRN SOBRE A FORMAÇÃO CONTINUADA STRICTO SENSU Claudianny Noronha Amorim Universidade Federal

Leia mais

Palavras-chave: Escola, Educação Física, Legitimidade e cultura corporal.

Palavras-chave: Escola, Educação Física, Legitimidade e cultura corporal. A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA MUNICIPAL RECANTO DO BOSQUE: LIMITES E POSSIBILIDADES PARA UMA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA A PARTIR DO SUBPROJETO DA EDUCAÇÃO FÍSICA DA ESEFFEGO/UEG.

Leia mais

Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa

Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa Estrutura de um projeto de pesquisa: 1. TEMA E TÍTULO DO PROJETO 2. DELIMITAÇÃO DO PROBLEMA 3. INTRODUÇÃO 4. RELEVÂNCIA E JUSTIFICATIVA 5. OBJETIVOS

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 Even e Junior Achievement de Minas Gerais UMA PARCERIA DE SUCESSO 1 SUMÁRIO Resultados Conquistados... 3 Resultados do Projeto... 4 Programa Finanças Pessoais... 5 Conceitos

Leia mais

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA.

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. Profa. Elizabeth Rodrigues Felix 1 I- INTRODUÇÃO Com dezoito anos de existência, o

Leia mais

experiência inovadora como contribuição da sociedade civil: Reintegração Familiar de Crianças e Adolescentes em Situação de Rua.

experiência inovadora como contribuição da sociedade civil: Reintegração Familiar de Crianças e Adolescentes em Situação de Rua. Título da experiência: Políticas públicas de apoio à população de rua Uma experiência inovadora como contribuição da sociedade civil: Reintegração Familiar de Crianças e Adolescentes em Situação de Rua.

Leia mais

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO Instituto Federal Farroupilha Câmpus Santa Rosa ledomanski@gmail.com Introdução Ler no contexto mundial globalizado

Leia mais

O PROFESSOR ITINERANTE E A INCLUSÃO EDUACIONAL : a prática pedagógica no estado de Pernambuco.

O PROFESSOR ITINERANTE E A INCLUSÃO EDUACIONAL : a prática pedagógica no estado de Pernambuco. O PROFESSOR ITINERANTE E A INCLUSÃO EDUACIONAL : a prática pedagógica no estado de Pernambuco. Autora: Maria José de Souza Marcelino. Orientador: Professor Dr. Washington Luiz Martins (UFPE). Instituto

Leia mais

Utilize o roteiro abaixo como mapa para elaboração do projeto. Organizado o conjunto, amplie as partes que requerem detalhamento.

Utilize o roteiro abaixo como mapa para elaboração do projeto. Organizado o conjunto, amplie as partes que requerem detalhamento. Utilize o roteiro abaixo como mapa para elaboração do projeto. Organizado o conjunto, amplie as partes que requerem detalhamento. ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA Título provisório (uma expressão

Leia mais

O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO

O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO Maria Salete da Silva Josiane dos Santos O Programa Assistência Sócio-Jurídica, extensão do Departamento de Serviço Social, funciona no Núcleo

Leia mais

CARTILHA UNIÃO ESTÁVEL SEXO

CARTILHA UNIÃO ESTÁVEL SEXO CARTILHA UNIÃO ESTÁVEL DE CASAIS DO MESMO SEXO Prefácio: A recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), reconhecendo a união de casais do mesmo sexo e ofertando a esses o mesmo grau de legalidade

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social O Projeto pedagógico do Curso de Serviço Social do Pólo Universitário de Rio das Ostras sua direção social, seus objetivos, suas diretrizes, princípios,

Leia mais

SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO

SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO MESTRADO SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO Justificativa A equipe do mestrado em Direito do UniCEUB articula-se com a graduação, notadamente, no âmbito dos cursos de

Leia mais

MÓDULO V Experiência de acolhimento em família solidária Aula 08. 1. Acompanhamento dos casos na modalidade de proteção em Família Solidária

MÓDULO V Experiência de acolhimento em família solidária Aula 08. 1. Acompanhamento dos casos na modalidade de proteção em Família Solidária MÓDULO V Experiência de acolhimento em família solidária Aula 08 Por Leonardo Rodrigues Rezende 1 1. Acompanhamento dos casos na modalidade de proteção em Família Solidária Os casos encaminhados à modalidade

Leia mais

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior.

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Josimar de Aparecido Vieira Nas últimas décadas, a educação superior brasileira teve um expressivo

Leia mais

A ATUAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NO CONTEXTO SÓCIO-JURÍDICO: O PAPEL DOS IDOSOS GUARDIÕES

A ATUAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NO CONTEXTO SÓCIO-JURÍDICO: O PAPEL DOS IDOSOS GUARDIÕES A ATUAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NO CONTEXTO SÓCIO-JURÍDICO: O PAPEL DOS IDOSOS GUARDIÕES FERREIRA, M.F.J.A. Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo TJSP - BRASIL A perspectiva deste trabalho consiste em

Leia mais

TÍTULO: O SERVIÇO SOCIAL NA ÁREA PRIVADA E A ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS

TÍTULO: O SERVIÇO SOCIAL NA ÁREA PRIVADA E A ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS TÍTULO: O SERVIÇO SOCIAL NA ÁREA PRIVADA E A ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: SERVIÇO SOCIAL INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DE RIBEIRÃO PRETO

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DO ESPORTE NA ESCOLA POR MEIO DE UM ESTUDO DE CASO

CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DO ESPORTE NA ESCOLA POR MEIO DE UM ESTUDO DE CASO CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DO ESPORTE NA ESCOLA POR MEIO DE UM ESTUDO DE CASO FINCK, Silvia Christina Madrid (UEPG) 1 TAQUES, Marcelo José (UEPG) 2 Considerações iniciais Sabemos

Leia mais

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Regulamento de Projeto Integrador dos Cursos Superiores de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Segurança da Informação e Sistemas para Internet

Leia mais

EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA

EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA Autores: FIGUEIREDO 1, Maria do Amparo Caetano de LIMA 2, Luana Rodrigues de LIMA 3, Thalita Silva Centro de Educação/

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA DIRETORIA GERAL DE ADMINISTRAÇÃO

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA DIRETORIA GERAL DE ADMINISTRAÇÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA DIRETORIA GERAL DE ADMINISTRAÇÃO Divisão de Apoio Técnico Interdisciplinar Serviço de Apoio aos Psicólogos A) PROJETOS SÍNTESE

Leia mais

Imaginação e protagonismo na Educação Infantil: construindo uma escola mais íntima da infância

Imaginação e protagonismo na Educação Infantil: construindo uma escola mais íntima da infância Imaginação e protagonismo na Educação Infantil: construindo uma escola mais íntima da infância Me. Tony Aparecido Moreira tony.educ@gmail.com Denise Watanabe de.wtnb@gmail.com Dr. José Milton de Lima miltonlima@fct.unesp.br

Leia mais

Justificativa: Cláudia Queiroz Miranda (SEEDF 1 ) webclaudia33@gmail.com Raimunda de Oliveira (SEEDF) deoliveirarai@hotmail.com

Justificativa: Cláudia Queiroz Miranda (SEEDF 1 ) webclaudia33@gmail.com Raimunda de Oliveira (SEEDF) deoliveirarai@hotmail.com 1 COMO COLOCAR AS TEORIAS ESTUDADAS NA FORMAÇÃO DO PNAIC EM PRÁTICA NA SALA DE AULA? REFLEXÕES DE PROFESSORES ALFABETIZADORES SOBRE O TRABALHO COM O SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL Cláudia Queiroz Miranda

Leia mais

CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE. Elaine Fernanda Dornelas de Souza

CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE. Elaine Fernanda Dornelas de Souza Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 721 CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE Elaine Fernanda Dornelas de Souza Serviço Nacional de

Leia mais

Projetos de Extensão SERVIÇO SOCIAL Estudo sociais em parceria com o fórum de UVA

Projetos de Extensão SERVIÇO SOCIAL Estudo sociais em parceria com o fórum de UVA Projetos de Extensão SERVIÇO SOCIAL Estudo sociais em parceria com o fórum de UVA Serviços técnicos do Serviço Social na área da família e infância nos processos do Fórum de União da Vitória O Serviço

Leia mais

Arqueologia em construção

Arqueologia em construção Carta produzida pelo Grupo de Trabalho Arqueologia de Contrato Coletivo de estudantes do PPGARQ- MAE-USP Arqueologia em construção A Semana de Arqueologia tem como objetivos o debate, a troca de informações

Leia mais

A GESTÃO DOS PROCESSOS TRABALHO NO CREAS

A GESTÃO DOS PROCESSOS TRABALHO NO CREAS A GESTÃO DOS PROCESSOS TRABALHO NO CREAS A Gestão inclui: A coordenação dos recursos humanos e do trabalho em equipe interdisciplinar; Planejamento, monitoramento e avaliação; O registro de informações;

Leia mais

É oportuno considerar a disciplina como núcleo do sistema pedagógico acadêmico, sendo fundamental focar o papel que desempenha na formação

É oportuno considerar a disciplina como núcleo do sistema pedagógico acadêmico, sendo fundamental focar o papel que desempenha na formação INTRODUÇÃO O presente livro constitui registro e reflexão coletiva sobre a primeira experiência desenvolvida na disciplina Docência no Ensino Superior, ofertada pelo Departamento de Teoria e Planejamento

Leia mais

PROFESSORES DO CURSO DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA: CONHECENDO A CONSTITUIÇÃO DE SEUS SABERES DOCENTES SILVA

PROFESSORES DO CURSO DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA: CONHECENDO A CONSTITUIÇÃO DE SEUS SABERES DOCENTES SILVA PROFESSORES DO CURSO DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA: CONHECENDO A CONSTITUIÇÃO DE SEUS SABERES DOCENTES SILVA, Daniela C. F. Barbieri Programa de Pós-Graduação em Educação Núcleo: Formação de professores UNIMEP

Leia mais

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social A PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS - APAE DE PALMEIRA

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social A PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS - APAE DE PALMEIRA VIII Jornada de Estágio de Serviço Social A PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS - APAE DE PALMEIRA Apresentador: Mayara Lucia Martins. MARTINS, Mayara

Leia mais

PRÓ-MATATEMÁTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

PRÓ-MATATEMÁTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PRÓ-MATATEMÁTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Regina Luzia Corio de Buriasco * UEL reginaburiasco@sercomtel.com.br Magna Natália Marin Pires* UEL magna@onda.com.br Márcia Cristina de Costa Trindade Cyrino*

Leia mais

Currículo nº2 DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

Currículo nº2 DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Turno: INTEGRAL Currículo nº2 Reconhecido pelo Decreto Federal n 82.413, de 16.10.78, D.O.U. nº198 de 17.10.78. Renovação de Reconhecimento Decreto Est. nº. 1064, de 13.04.11 DOE

Leia mais

UNIVERSIDADE BANDEIRANTE DE SÃO PAULO DIRETORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU E PESQUISA

UNIVERSIDADE BANDEIRANTE DE SÃO PAULO DIRETORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU E PESQUISA EDITAL 59-1/2012 ABRE PERÍODO DE INSCRIÇÃO PARA VAGAS REMANESCENTES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - MESTRADO PROFISSIONAL ADOLESCENTE EM CONFLITO COM A LEI DA UNIVERSIDADE BANDEIRANTE DE SÃO

Leia mais

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Turno: INTEGRAL Currículo nº Reconhecido pelo Decreto Federal n 8.1, de 16.10.78, D.O.U. nº198 de 17.10.78. Renovação de Reconhecimento Decreto Est. nº. 106, de 1.0.11 DOE nº 85

Leia mais

A PRÁTICA PROFISSIONAL NO ÂMBITO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL: UM ENFOQUE NOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS.

A PRÁTICA PROFISSIONAL NO ÂMBITO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL: UM ENFOQUE NOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS. A PRÁTICA PROFISSIONAL NO ÂMBITO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL: UM ENFOQUE NOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS. CLáudia Mônica dos Santos RESUMO: Esse estudo tem por objetivo conhecer como a prática profissional vem

Leia mais

HÉLIO MENDES RODRIGUES AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO ORGANIZACIONAL: ESTUDO DE CASO NO 1º GRUPAMENTO DE ENGENHARIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

HÉLIO MENDES RODRIGUES AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO ORGANIZACIONAL: ESTUDO DE CASO NO 1º GRUPAMENTO DE ENGENHARIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COORDENAÇÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO SERVIÇO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ADMINISTRAÇÃO HÉLIO MENDES RODRIGUES AVALIAÇÃO

Leia mais

PRÁTICA DE ENSINO INTERDISCIPLINAR NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NA PERSPECTIVA DOS DISCENTES.

PRÁTICA DE ENSINO INTERDISCIPLINAR NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NA PERSPECTIVA DOS DISCENTES. PRÁTICA DE ENSINO INTERDISCIPLINAR NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NA PERSPECTIVA DOS DISCENTES. Introdução As mudanças e desafios no contexto social influenciam a educação superior, e como consequência, os

Leia mais

A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL

A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL JOSÉ MATEUS DO NASCIMENTO zenmateus@gmail.com POLIANI SANTOS DA SILVA poliany_mme@hotmail.com MARIA AUXILIADORA DOS SANTOS MARINHO Campus IV(CCAE)

Leia mais

DISCURSO DE POSSE DA VICE-REITORA DA UNEB, ADRIANA DOS SANTOS MARMORI LIMA

DISCURSO DE POSSE DA VICE-REITORA DA UNEB, ADRIANA DOS SANTOS MARMORI LIMA DISCURSO DE POSSE DA VICE-REITORA DA UNEB, ADRIANA DOS SANTOS MARMORI LIMA Familiares, amigos, técnicos administrativos, estudantes, professores, grupo gestor da UNEB, autoridades civis, militares, políticas

Leia mais

A ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO DE FORMAÇÃO DE DOCENTES NO PARANÁ A PARTIR DOS DOCUMENTOS ORIENTADORES DE 2006 E 2014

A ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO DE FORMAÇÃO DE DOCENTES NO PARANÁ A PARTIR DOS DOCUMENTOS ORIENTADORES DE 2006 E 2014 A ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO DE FORMAÇÃO DE DOCENTES NO PARANÁ A PARTIR DOS DOCUMENTOS ORIENTADORES DE 006 E 014 Resumo Eduardo Marcomini UNINTER 1 Ligia Lobo de Assis UNINTER Grupo de Trabalho Políticas

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 01/2013

ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 01/2013 ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 01/2013 Ementa: Realização de estudo socioeconômico para a concessão de benefícios eventuais e outros benefícios sociais. A presente Orientação Técnica tem por objetivo responder

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM POLÍTICAS PÚBLICAS, ESTRATÉGIAS E DESENVOLVIMENTO

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM POLÍTICAS PÚBLICAS, ESTRATÉGIAS E DESENVOLVIMENTO PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM POLÍTICAS PÚBLICAS, ESTRATÉGIAS E DESENVOLVIMENTO LINHA DE PESQUISA: POLÍTICAS PÚBLICAS DE CULTURA JUSTIFICATIVA O campo de pesquisa em Políticas Públicas de

Leia mais

EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor

EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor Juliana Graciano Parise 1 Eliane de Lourdes Felden 2 Resumo: O trabalho apresenta uma experiência de ensino articulado à pesquisa

Leia mais

A UNIVERSIDADE E OS PROJETOS SOCIAIS: PROJETO RONDON COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE E COMUNIDADES DO ESTADO DO MATO GROSSO / MT

A UNIVERSIDADE E OS PROJETOS SOCIAIS: PROJETO RONDON COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE E COMUNIDADES DO ESTADO DO MATO GROSSO / MT A UNIVERSIDADE E OS PROJETOS SOCIAIS: PROJETO RONDON COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE E COMUNIDADES DO ESTADO DO MATO GROSSO / MT Myrian Lucia Ruiz Castilho André Luiz Castilho ** A educação é um direito

Leia mais

ACOMPANHAMENTO FAMILIAR NA ASSISTENCIA SOCIAL: UMA PROPOSTA DE METODOLOGIA PARA O ESTADO DO RIO DE JANEIRO

ACOMPANHAMENTO FAMILIAR NA ASSISTENCIA SOCIAL: UMA PROPOSTA DE METODOLOGIA PARA O ESTADO DO RIO DE JANEIRO ACOMPANHAMENTO FAMILIAR NA ASSISTENCIA SOCIAL: UMA PROPOSTA DE METODOLOGIA PARA O ESTADO DO RIO DE JANEIRO Subsecretaria de Assistência Social e Descentralização da Gestão O PAIF NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Leia mais

1. Apresentação Curso de Serviço Social

1. Apresentação Curso de Serviço Social PROJETO NÚCLEO DE PRÁTICAS DE JURIDICAS E DE SERVIÇO SOCIAL Responsável Técnica As. Social Tatiane Ferreira CRESS/SC 3207 CRESS/PR 6425 Prof. Ms. As. Social Josiane Bortoluzzi 1. Apresentação O Curso de

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA CENTRO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONVERSANDO SOBRE A PSICOLOGIA E O SUAS

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA CENTRO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONVERSANDO SOBRE A PSICOLOGIA E O SUAS A sistematização que segue refere-se aos pontos trabalhados pelo grupo, no sentido de ativar a reflexão de questões que seriam tratadas no Encontro Estadual dos Trabalhadores do SUAS, realizado dia 16

Leia mais

O PAPEL DAS FEIRAS DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO NÃO FORMAL

O PAPEL DAS FEIRAS DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO NÃO FORMAL ANAIS DA 67ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC - SÃO CARLOS - SP - JULHO/2015 O PAPEL DAS FEIRAS DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO NÃO FORMAL Antes de entender qual a diferença entre educação formal e não formal é preciso entender

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO IFAL INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS: REFLETINDO SOBRE OS TEMPOS E OS ESPAÇOS

FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO IFAL INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS: REFLETINDO SOBRE OS TEMPOS E OS ESPAÇOS ISSN 2316-7785 FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO IFAL INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS: REFLETINDO SOBRE OS TEMPOS E OS ESPAÇOS José André Tavares de Oliveira Instituto Federal de Alagoas

Leia mais

PROJETO ESCOLA PARA PAIS

PROJETO ESCOLA PARA PAIS PROJETO ESCOLA PARA PAIS Escola Estadual Professor Bento da Silva Cesar São Carlos São Paulo Telma Pileggi Vinha Maria Suzana De Stefano Menin coordenadora da pesquisa Relator da escola: Elizabeth Silva

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE CAMPOS PROJETO DE PESQUISA SUBMETIDO AO INGRESSO NO GRUPO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

FACULDADE DE DIREITO DE CAMPOS PROJETO DE PESQUISA SUBMETIDO AO INGRESSO NO GRUPO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE DIREITO DE CAMPOS PROJETO DE PESQUISA SUBMETIDO AO INGRESSO NO GRUPO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA REFLEXOS JURÍDICOS ACERCA DAS INOVAÇÕES NO DIVÓRCIO E SEPARAÇÃO OCASIONADAS PELA LEI 11.441/07

Leia mais

A FORMAÇÃO DE SUJEITOS CRÍTICOS NO ENSINO SUPERIOR: UM POSSÍVEL CAMINHO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL. Marijara de Lima Monaliza Alves Lopes

A FORMAÇÃO DE SUJEITOS CRÍTICOS NO ENSINO SUPERIOR: UM POSSÍVEL CAMINHO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL. Marijara de Lima Monaliza Alves Lopes A FORMAÇÃO DE SUJEITOS CRÍTICOS NO ENSINO SUPERIOR: UM POSSÍVEL CAMINHO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL Marijara de Lima Monaliza Alves Lopes FACULDADE ALFREDO NASSER INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO III PESQUISAR

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DE OLGA METTIG À EDUCAÇÃO BAIANA: ENSINANDO A COMPREENSÃO

CONTRIBUIÇÕES DE OLGA METTIG À EDUCAÇÃO BAIANA: ENSINANDO A COMPREENSÃO CONTRIBUIÇÕES DE OLGA METTIG À EDUCAÇÃO BAIANA: ENSINANDO A COMPREENSÃO Liane Soares, Ms. Faculdade de Tecnologias e Ciências FTC/BA Olga sempre considerou a educação como um sistema, um produto de evolução

Leia mais

O PERFIL DOS ALUNOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FURG

O PERFIL DOS ALUNOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FURG O PERFIL DOS ALUNOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FURG Juliana Diniz Gutierres FURG Stephany Sieczka Ely FURG Maria Renata Alonso Mota FURG Suzane da Rocha Vieira FURG Resumo: Esse estudo apresenta parte dos

Leia mais

VIVENCIANDO A CONJUNTURA SOCIOECONÔMICA DAS FAMÍLIAS EM ESTADO DE VULNERABILIDADE SOCIAL DO MUNICÍPIO DE MIRACEMA DO TOCANTINS.

VIVENCIANDO A CONJUNTURA SOCIOECONÔMICA DAS FAMÍLIAS EM ESTADO DE VULNERABILIDADE SOCIAL DO MUNICÍPIO DE MIRACEMA DO TOCANTINS. VIVENCIANDO A CONJUNTURA SOCIOECONÔMICA DAS FAMÍLIAS EM ESTADO DE VULNERABILIDADE SOCIAL DO MUNICÍPIO DE MIRACEMA DO TOCANTINS. Tainã Fernandes Doro¹, Profª Drª Célia Maria Grandini Albiero². 1 Aluna do

Leia mais

A PRÁTICA PROFISSIONAL DO ASSISTENTE NA APAM-ASSOCIAÇÃO DE PROMOÇÃO A MENINA DE PONTA GROSSA.

A PRÁTICA PROFISSIONAL DO ASSISTENTE NA APAM-ASSOCIAÇÃO DE PROMOÇÃO A MENINA DE PONTA GROSSA. A PRÁTICA PROFISSIONAL DO ASSISTENTE NA APAM-ASSOCIAÇÃO DE PROMOÇÃO A MENINA DE PONTA GROSSA. SILVA, Jessica Da¹. NADAL, Isabela Martins². GOMES, R.C. Ana³. RESUMO: O presente trabalho é referente à prática

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina/Departamento de Serviço Social/Londrina, PR Ciências Sociais Aplicadas Ética e Serviço Social

Universidade Estadual de Londrina/Departamento de Serviço Social/Londrina, PR Ciências Sociais Aplicadas Ética e Serviço Social O materialismo-histórico dialético e o projeto ético-político do Serviço Social: algumas aproximações Emelin Caroline Tarantini Cremasco (PIBIC/CNPq-UEL), Olegna Souza Guedes (Orientadora), e-mail: olegnasg@gmail.com

Leia mais

EDUCAÇÃO ESTATÍSTICA PESQUISA E PRÁTICA

EDUCAÇÃO ESTATÍSTICA PESQUISA E PRÁTICA A EDUCAÇÃO ESTATÍSTICA PESQUISA E PRÁTICA Prof.ª Ms. Keli Cristina Conti keli.conti@gmail.com Doutoranda em Educação pela Unicamp Licenciada em Matemática e Pedagoga Participante dos Grupos Prapem (Prática

Leia mais

Aracaju: em foco o modelo Saúde Todo Dia. A Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva em debate

Aracaju: em foco o modelo Saúde Todo Dia. A Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva em debate Aracaju: em foco o modelo Saúde Todo Dia. A Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva em debate ALEXANDRE DE SOUZA RAMOS 1 Saúde como direito de cidadania e um sistema de saúde (o SUS) de cunho marcadamente

Leia mais

COMUNICADO n o 002/2012 ÁREA DE LETRAS E LINGUÍSTICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012

COMUNICADO n o 002/2012 ÁREA DE LETRAS E LINGUÍSTICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012 COMUNICADO n o 002/2012 ÁREA DE LETRAS E LINGUÍSTICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: Letras e Linguística PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2012 ANO

Leia mais

MARCOS RAFAEL TONIETTO A RELAÇÃO ENTRE CULTURA INFANTIL E SABERES DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA PRÁTICA DOCENTE COM CRIANÇAS PEQUENAS

MARCOS RAFAEL TONIETTO A RELAÇÃO ENTRE CULTURA INFANTIL E SABERES DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA PRÁTICA DOCENTE COM CRIANÇAS PEQUENAS MARCOS RAFAEL TONIETTO A RELAÇÃO ENTRE CULTURA INFANTIL E SABERES DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA PRÁTICA DOCENTE COM CRIANÇAS PEQUENAS CURITIBA 2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ MESTRADO EM EDUCAÇÃO A RELAÇÃO

Leia mais

UMA ANÁLISE DAS TESES E DISSERTAÇÕES NO PORTAL DA CAPES: A EDUCAÇÃO ESPECIAL EM FOCO 1

UMA ANÁLISE DAS TESES E DISSERTAÇÕES NO PORTAL DA CAPES: A EDUCAÇÃO ESPECIAL EM FOCO 1 UMA ANÁLISE DAS TESES E DISSERTAÇÕES NO PORTAL DA CAPES: A EDUCAÇÃO ESPECIAL EM FOCO 1 Mary Ellen Silva Santos Angélica Marcelino Diana Araújo Souza Nathália Araújo Patrícia Alves Ivania Reis 2 RESUMO

Leia mais

O PAPEL DO PSICÓLOGO SOCIAL

O PAPEL DO PSICÓLOGO SOCIAL Página 1 de 5 O PAPEL DO PSICÓLOGO SOCIAL Leandro Nunes 1 Primeiramente, gostaria de me posicionar e anunciar de que campo da ciência psicológica vou estruturar meu argumento. No entanto afirmo que me

Leia mais

AÇÕES DE POTENCIALIZAÇÃO DE JOVENS EM CUMPRIMENTO DE MEDIDA SOCIOEDUCATIVA ATENDIDOS NO CENTRO DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO DA ASISTÊNCIA SOCIAL

AÇÕES DE POTENCIALIZAÇÃO DE JOVENS EM CUMPRIMENTO DE MEDIDA SOCIOEDUCATIVA ATENDIDOS NO CENTRO DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO DA ASISTÊNCIA SOCIAL AÇÕES DE POTENCIALIZAÇÃO DE JOVENS EM CUMPRIMENTO DE MEDIDA SOCIOEDUCATIVA ATENDIDOS NO CENTRO DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO DA ASISTÊNCIA SOCIAL RESUMO AMORIM 1, Tâmara Ramalho de Sousa SIMÕES 2, Poliana

Leia mais

ZÉLIA LUBÃO: A SIMONSEN E O PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO

ZÉLIA LUBÃO: A SIMONSEN E O PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO Revista Digital Simonsen 6 Entrevista ZÉLIA LUBÃO: A SIMONSEN E O PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO Por: Rodrigo Amaral e Fernando Gralha N esta terceira edição da RDS entrevistamos a Coordenadora Administrativa

Leia mais

REVISTA SABER ACADÊMICO N 16 / ISSN 1980-5950 SQUIZATTO, E. P. S. 2013.

REVISTA SABER ACADÊMICO N 16 / ISSN 1980-5950 SQUIZATTO, E. P. S. 2013. 86 Artigo original A PRÁXIS PROFISSIONAL DO ASSISTENTE SOCIAL NO CENTRO DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL SQUIZATTO, E. P. S. 1 Nome Completo Ediléia Paula dos Santos Squizatto Artigo submetido

Leia mais

FAMÍLIA X ESCOLA: A IMPORTÂNCIA DA PARTICIPAÇÃO NAS TOMADAS DE DECISÕES

FAMÍLIA X ESCOLA: A IMPORTÂNCIA DA PARTICIPAÇÃO NAS TOMADAS DE DECISÕES FAMÍLIA X ESCOLA: A IMPORTÂNCIA DA PARTICIPAÇÃO NAS TOMADAS DE DECISÕES Erika Alencar de Moura 1 ; Ângela Maria da Silva 2 ; Nailde Gonçalves da Silva 3 ; Maria dos Prazeres Albuquerque 4 ; Luciana Maria

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM SERVIÇO E A DISTÂNCIA: O CASO VEREDAS BRANCO,

FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM SERVIÇO E A DISTÂNCIA: O CASO VEREDAS BRANCO, FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM SERVIÇO E A DISTÂNCIA: O CASO VEREDAS BRANCO, Juliana Cordeiro Soares Branco CEFET MG Juliana.b@ig.com.br OLIVEIRA, Maria Rita Neto Sales CEFET MG mariarita2@dppg.cefetmg.br

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE AS POTENCIALIDADES DE UM PROJETO DE EXTENSÃO

REFLEXÕES SOBRE AS POTENCIALIDADES DE UM PROJETO DE EXTENSÃO REFLEXÕES SOBRE AS POTENCIALIDADES DE UM PROJETO DE EXTENSÃO Fátima Aparecida Queiroz Dionizio UEPG faqdionizio@hotmail.com Joseli Almeida Camargo UEPG jojocam@terra.com.br Resumo: Este trabalho tem como

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL CURSO DE MESTRADO E DOUTORADO - PARA ESTRANGEIROS

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL CURSO DE MESTRADO E DOUTORADO - PARA ESTRANGEIROS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL CURSO DE MESTRADO E DOUTORADO - PARA ESTRANGEIROS E D I T A L PARA ESTRANGEIROS - 2016 O Departamento de Comunicação Social da Pontifícia Universidade Católica

Leia mais

O celular como instrumento de pagamento e controle financeiro pelas classes de baixa renda na cidade do Rio de Janeiro

O celular como instrumento de pagamento e controle financeiro pelas classes de baixa renda na cidade do Rio de Janeiro Paola Scampini Bouças Parigot O celular como instrumento de pagamento e controle financeiro pelas classes de baixa renda na cidade do Rio de Janeiro Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa

Leia mais

Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia

Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia 1. Componentes curriculares O currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia engloba as seguintes dimensões. 1.1. Conteúdos de natureza teórica Estes conteúdos

Leia mais

O trabalho de pesquisa é a procura de respostas para algum problema pela aplicação de métodos científicos.

O trabalho de pesquisa é a procura de respostas para algum problema pela aplicação de métodos científicos. 1 Manual de TCC O Trabalho de Conclusão de Curso, como o próprio nome indica, deve ser apresentado pelos alunos no final do curso de graduação. Trata-se de um estudo sobre um tema específico ligado a área

Leia mais