ÍNDICE 1ª Parte: Aprovações Diversas Conformidade Contábil Mensal...54

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ÍNDICE 1ª Parte: Aprovações Diversas... 54 Conformidade Contábil Mensal...54"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª ICFEx (Estb Reg Fin / 11ª RM / 1961) 53 BOLETIM INFORMATIVO nº 03 (31 de março de 2005) Com este Boletim Informativo estão sendo publicados os PRECEITOS PARA OS AGENTES DA ADMINISTRAÇÃO (Em Separata). ÍNDICE 1ª Parte: Aprovações Diversas Conformidade Contábil Mensal ª Parte: Informação sobre Aprovação de Tomada de Contas Tomada de Contas a. Anual...54 b. Extraordinária c. Especial ª Parte: Orientação Técnica Modificação de Rotinas de Trabalho...55 a. Execução Orçamentária ) Orientações sobre GRU ) GRU depósito guichê de caixa ) GRU Substituição dos Códigos do Grupo 988XX-X (DDO) ) GRU Intra-SIAFI ) Complemento da Msg sobre GRU intra-siafi ) Códigos de DARF Substituídos por Códigos de GRU b. Execução Financeira ) Empenho de Despesas até 31 Mar ) Suprimento de Fundos...63 c. Execução Patrimonial...63 d. Execução de Licitações, Contratos e Convênios ) Restrições em Certames Licitatórios Feitas pelo TCU ) Orientações sobre Contratos ) Publicação de Atos no DOU Transcrição de Ofício...65 e. Pessoal ) Habilitação Militar 3 Sgt/Cb Músico ) Atualização do FAP digital - Programa e Banco de Dados ) Pagamento de Efetivo Variável ) Regularização de CPF - Servidor Civil ) Adicional Noturno e Hora-Extra - Servidor Civil ) Despesas de Exercícios Anteriores - Servidor Civil ) Mensagens do CPEx Servidor Civil... 70

2 54 f. Outros assuntos ) Indicadores de Gestão ) Procedimentos-padrão para saque de Auxílio-Transporte Orientação ) Treinamento do SISCONTAS ) Preceitos para Agentes da Administração ) Legislação de Interesse dos Agentes da Administração ) Instrução sobre Restrição Recomendações...79 a. Sobre Prazos...79 b. Encerramento de Registros Contábeis c. Mensagens Comunica Expedidas Solução de Consultas ª Parte: Assuntos Gerais Aniversário de OM Informações do tipo Você Sabia Que...? Doc Encaminhados pela Inspetoria e Mensagens Comunica de Interesse da UG Separata ª PARTE APROVAÇÕES DIVERSAS CONFORMIDADE CONTÁBIL MENSAL (MÊS DE FEVEREIRO / 2005) Em cumprimento às disposições da Coordenação-Geral de Contabilidade da Secretaria do Tesouro Nacional (CCONT/STN), que regulam os prazos, os procedimentos, as atribuições e as responsabilidades para a realização da conformidade contábil das Unidades Gestoras vinculadas, esta Inspetoria - como Unidade Setorial de Contabilidade Analítica - registrou, no SIAFI, a conformidade contábil para certificar os registros contábeis efetuados em função da entrada de dados no Sistema, no mês de fevereiro de 2005, de todas as Unidades Gestoras vinculadas, que está disponível para consulta através da transação CONCONFCON. 2ª PARTE INFORMAÇÃO SOBRE APROVAÇÃO DE TOMADA DE CONTAS 1. TOMADA DE CONTAS a. ANUAL - Nada há a registrar. b. EXTRAORDINÁRIA - Nada há a registrar. c. ESPECIAL - Nada há a registrar.

3 55 3ª PARTE ORIENTAÇÃO TÉCNICA 1. MODIFICAÇÃO DE ROTINAS DE TRABALHO a. EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA 1) Orientações sobre GRU Msg n 033-S/3 D Cont Do: Diretor de Contabilidade Ao: Sr Ch ICFEx Esta Diretoria vem recebendo expedientes de algumas ICFEx sobre a impossibilidade do uso do código GRU (depósito de terceiros) por parte de algumas Unidades Gestoras. Sobre o assunto oriento o seguinte: a. quando as UG forem preencher o n da conta contábil ( ) no campo INFGESTOR, deverão fazê-lo para todas as linhas da classificação-1 (repetir o n da conta contábil); b. outrossim, solicito a essa Setorial que oriente suas UG vinculadas sobre o uso da GRU depósito guichê caixa cujas orientações foram baixadas pela COFIN/STN por meio da Msg 2005/ , de 16 Mar 05. Brasília-DF, 17 de março de Gen Bda José Luis Gonçalves Menin Diretor de Contabilidade 2) GRU depósito guichê de caixa Msg SIAFI n 2005/ , de 17 Mar 05. A partir de amanhã, dia 17/03/2005, estará em funcionamento a GRU depósito, que substituirá o depósito direto na conta única atual. A GRU depósito utilizará rotina de depósito comum e será utilizada para pagamentos simples, exclusivamente, no Banco do Brasil. Caberá o pagador informar um valor único, um CPF/CNPJ válido (opção facultativa) e um código identificador, conforme exemplo abaixo: Código identificador: , de 16 (dezesseis) algarismos mais o dígito verificador do código de recolhimento GRU, onde se destaca: - UG com seis algarismos, no caso, Senado Federal; - gestão emitente com cinco algarismos, no caso, Tesouro;

4 56 - código de recolhimento GRU, com o DV, últimos cinco algarismos, no caso, devolução de despesas. Deverão ser informados ainda, durante os primeiros meses de implantação da GRU depósito, os seguintes dados da conta corrente depositada, no caso, a conta única do Tesouro: - conta corrente: agência: Importante se faz lembrar que a GRU depósito não obriga o preenchimento de informações tais como número de referência, multa, juros e os outros campos. Nos casos de tais informações serem necessárias, o recolhedor deverá ser orientado a utilizar a GRU-simples ou a GRU-cobrança. A GRU depósito poderá ainda ser paga por cheques emitidos de qualquer praça, numa única ficha de depósito e poderá ser recebida: a. no guichê de caixa: em dinheiro ou em cheque; b. nos terminais de auto-atendimento - TAA (clientes BB): a transação será efetuada por meio das seguintes opções: - transferência; - tela de instruções; - outras transferências; - conta corrente para conta única do Tesouro. c. na Internet (clientes BB): no sitio o contribuinte efetuará a transferência do valor de sua conta corrente para a conta única do Tesouro. d. no auto-atendimento do setor público - AASP (clientes BB): por meio do aplicativo instalado no órgão, o cliente governo realizará o depósito seguindo as seguintes opções: - conta setor público; - transferência de valores. e. no gerenciador financeiro (clientes BB): por meio do gerenciador instalado em sua empresa, o cliente Pessoa Jurídica efetuará o depósito acessando as seguintes opções: - conta da sua empresa; - transferência de valores. No sitio do está disponível o manual de pagamentos GRU com mais informações sobre essas e outras formas de pagamento. COFIN/STN Msg SIAFI n 2005/ , de 16 Mar 05. 3) GRU Substituição dos Códigos do Grupo 988XX-X (DDO) Com a finalidade de melhorar o processo de recolhimento por meio dos códigos relativos a depósitos de diversas origens - DDO, estamos promovendo a substituição dos mesmos por novos códigos, conforme relação anexa. A modificação visa facilitar a utilização desse grupo de códigos pelas Unidades Gestoras. Assim, não mais será necessário homologar os novos códigos na coluna class-1, uma vez que as contas contábeis já estarão informadas, sendo todos os parâmetros fornecidos pela STN.

5 57 Outrossim, informamos que a partir de 11/04/2005, os códigos de numeração sequencial de até serão excluídos da tabela. Desta forma, solicitamos as UG que divulguem os novos códigos aos seus contribuintes com a maior brevidade possível. Este procedimento representa mais um avanço no processo de constante aperfeiçoamento da sistemática de recolhimento via GRU. Atenciosamente, STN/COFIN Relação dos códigos de GRU - depósitos de diversas origens/ddo 4) GRU Intra-SIAFI códigos que serão excluídos códigos novos cauções depósito de estados e mun depósito rendim PIS/PASEP depósitos judiciais depósitos de terceiros precatórios/rpv-entid. N planos de previdência e a Msg SIAFI n 2005/ , de 23 Mar 05. Informamos que a GRU intra-siafi já encontra-se disponível por meio da transação >GRU, destinando-se a pagamentos entre Unidades Gestoras executoras no SIAFI. Para emissão da GRU intra-siafi, há necessidade de registro em conta do passivo mediante o uso do evento , para rotinas que possuem empenho, ou do , para rotinas sem empenho. A GRU intra-siafi somente poderá ser cancelada na mesma data da emissão, por meio da transação >CANGRU. Para consulta às GRU intra-siafi emitidas, acessar a transação >CONGRU. Para maiores informações, consultar o manual da GRU no sitio download.asp ou manual SIAFI códigos , e Atenciosamente COFIN/STN Msg SIAFI n 2005/ , de 17 Mar 05.

6 58 5) Complemento da Msg sobre GRU intra-siafi Em complementação à mensagem 2005/ , de 17/03/2005, esclarecemos que a GRU-intra deverá ser utilizada apenas para os pagamentos que eram anteriormente efetuados por meio de DARF, cujos códigos de receita foram discriminados no comunica 2005/ , de 17/03/2005. Os demais pagamentos a Unidades Gestoras referentes a despesa com serviços prestados, continuarão sendo realizados por meio do CPR, com emissão de ordens bancárias intra-siafi, até que seja implementada a GRU-intra no CPR. Para as transferências financeiras efetuadas por meio de PF serão mantidos os mesmos procedimentos. STN/COFIN Msg SIAFI n 2005/ , de 22 Mar 05. 6) Códigos de DARF Substituídos por Códigos de GRU Em aditamento à mensagem 2005/ , de 11/01/2005, divulgamos, a seguir, relação dos códigos de receitas que deixaram de ser arrecadadas por DARF e passaram a ser arrecadadas por GRU, conforme Ato Declaratório Executivo (ADE) CORAT n 6 (SRF), publicado no Diário Oficial da União em 12/01/2005: Relação dos códigos de receitas que deixaram de ser arrecadados por DARF e passaram a ser arrecadados por GRU (ato declaratório-srf nº 6, de 10/01/2005) 1. Códigos de receitas DARF e seus correspondentes códigos de GRU: ITEM COD. ESPECIFICAÇÃO DA RECEITA CÓDIGO GRU DARF taxa de fiscaliz. incid.s/premio (Port.MF 15/2001) receita outorga serviços transp ferroviário outras rec.ativ.assoc outorga serv tr. ferrov receita outorga serv. transporte rodoviário pag.p/ retencao de area p/ expl/prod.(dec 2705/98) bonus de assinatura de contrato de concessão taxa fiscaliz produtos sob controle do Min Ex mult/juros- tx.fisc.prod sob controle do Min Ex taxa de autorização de trabalho estrangeiro multa segurança privada DPF (Lei 9.017/95) / venda de particip. acionária União telebrás superavit financeiro exercícios anteriores juros bancários outros serviços comerciais

7 outros serviços - demais transferências correntes dos municípios transferências instituições privadas - outros transferências de pessoas outros convênios devolução de.saldo alienação títulos mobiliários - outros transferências de instituições privadas transferências da União outros serviços financeiros multas prev no código eleitoral e leis conexas receita cadastro eleitoral - TSE multas previstas na legislação de trânsito serviços administrativos DPRF transferências de pessoas - fundo partidário Códigos de caráter especial, que eram parcialmente recolhidos por meio de DARF e que passaram a ter o total de suas receitas arrecadadas por GRU: ITEM COD. ESPECIFICAÇÃO DA RECEITA CÓDIGO GRU DARF compensações financeiras - rec minerais- DNPM compensações financ - recursos hídricos ANEEL compen.financ. p/ utiliz. rec hidric.mma(l.9984/00) Obs.: códigos de interesse somente dos órgãos: DNPM, ANEEL e ANA. 3. Códigos de receita extintos (não haverá mais arrecadação destas receitas): ITEM COD. DARF ESPECIFICAÇÃO DA RECEITA receita - outorga serviços de energia elétrica rec.ext cota parte preço de realização de combustiv. rec.ext transferências de capital municípios rec.ext CÓDIGO GRU 4. Receitas atualmente arrecadadas via códigos de depósito SPB, que migrarão para a GRU-SPB, prevista para entrar em funcionamento em junho. Permitirá as instituições financeiras transferir recursos de sua responsabilidade para a conta única: ITEM COD. DARF ESPECIFICAÇÃO DA RECEITA dividendos - bancos SPB dividendos - outras sociedades de econ. mista SPB dividendos - empresas publicas SPB dividendos - outras empresas SPB juros sobre capital próprio SPB rec.alien. de ações recebidas em pag. dividendos SPB CÓDIGO GRU

8 participações SPB transferências do exterior - outras SPB transferências do exterior SPB multa e juros dividendos e participação SPB Obs.: códigos de interesse somente das instituições financeiras e das coordenações da Secretaria do Tesouro Nacional. Atenciosamente, STN/COFIN Msg SIAFI n 2005/ , de 17 Mar 05. b. EXECUÇÃO FINANCEIRA 1) Empenho de Despesas até 31 Mar A/2 SEF Do: Subsecretário de Economia e Finanças Ao: Srs Ordenadores de Despesas 1. Informo aos Srs Ordenadores de Despesas (OD) que o Decreto n 5.379, de 25 Fev 2005 (DOU de 25 Fev Seção I) dispõe sobre a programação orçamentária e financeira e estabelece o cronograma mensal de desembolso do Poder Executivo para o exercício de 2005, e dá outras providências. 2. O Art. 2º do supracitado Decreto estabelece que deverão ser empenhados, até 31 Mar 2005, o montante necessário ao atendimento anual referente às seguintes despesas: I - combustíveis e lubrificantes: - automotivos - conta contábil de aviação - conta contábil p/ outras finalidades - conta contábil II - contratação temporária: conta contábil III - despesas de teleprocessamento: conta contábil IV - locação de imóvel: -conta contábil conta contábil V - locação de máquinas e equipamentos: -conta contábil VI - manutenção e conservação de bens imóveis: conta contábil VII - manutenção e conservação de equipamentos: conta contábil VIII - outras locações de mão-de-obra:

9 61 conta contábil IX -serviços bancários: conta contábil X - serviços de água e esgoto: conta contábil XI - serviços de comunicação em geral: conta contábil XII - serviços de cópias e reprodução de documentos: conta contábil XIII - serviços de energia elétrica: conta contábil XIV -serviços de limpeza e conservação: conta contábil XV -serviços de processamento de dados: conta contábil XVI - serviços de telecomunicações: conta contábil XVII - vigilância ostensiva: conta contábil XVIII - ações orçamentárias: a) assistência médica e odontológica aos servidores, empregados e outros dependentes b) assistência pré-escolar aos dependentes dos servidores e empregados c) auxílio-transporte aos servidores e empregados d) auxílio-alimentação aos servidores e empregados. Obs: estão também abrangidas as despesas relativas a obras, e a convênios em execução quando previstas nos respectivos objetos e planos de trabalho, cujas contas contábeis se destinem ao atendimento dos tipos de despesas citadas nos incisos I a XVIII acima. 3. As UG poderão obter informações adicionais sobre os itens que integram as citadas contas contábeis mediante consulta no SIAFI - plano de conta - CONCONTA. 4. Informo, ainda, que os ODS foram orientados por esta Secretaria para, quando da emissão de Notas de Movimentação de Crédito (NC) específicas, fazerem constar no campo observação destes documentos que os recursos se destinam a atender as despesas previstas no Art 2º do Dec 5.379/2005, citando também, o(s) inciso(s) correspondente(s). 5. Em face do acima exposto, determino aos Srs OD que ao receberem as citadas NC, tendo como limite os valores constantes das mesmas, executem de imediato e impreterivelmente até 31 de março de 2005, ou tão logo recebam créditos suficientes, os procedimentos a seguir: a) no caso de contrato cuja duração abranja as despesas até o final do corrente exercício financeiro: - emitir NE para o contratado no montante necessário ao atendimento anual e lançar os dados do cronograma no SIASG/SICON.

10 62 b) no caso de contrato cuja a duração não abranja as despesas até o final do corrente exercício financeiro: - emitir NE para o contratado relativa ao atendimento das despesas até o fim de vigência do contrato; - emitir pré-empenho (pe) tendo como favorecida a própria UG, no valor estimado para atender às necessidades relativas ao novo contrato (período restante do corrente exercício financeiro); - para emissão da NE correspondente a nova contratação, será necessário anular previamente o pe no valor correspondente. c) no caso de despesas não sujeitas a contratos e que não for possível identificar o(s) fornecedor(es) até 31 Mar 2005: - emitir PE distintos para a UG para cada conta contábil constante do nº 2 destas orientações; - por ocasião da realização da despesa, anular, previamente, o PE no valor necessário e emitir a(s) NE(s) para o(s) credor(es). d) no caso de despesas cuja licitação não esteja concluída até 31 Mar 2005: - emitir o PE para a UG com base no valor estimado da despesa; - quando concluída a licitação, anular o PE no valor necessário e emitir a(s) NE(s) para o(s) fornecedor(es) homologado(s) no certame; e) no caso de despesas enquadradas como dispensa/inexigibilidade de licitação (Art 24 e 25 da Lei 8.666/93) em que não for viável a emissão das respectivas NE até 31 Mar 2005: - emitir PE distintos para a UG para cada conta contábil constante do nº 2 destas orientações; - por ocasião da realização da despesa, anular, previamente, o PE no valor necessário e emitir a(s) NE(s) para o(s) credor(es). 6. As instruções para a utilização do PE, bem como para a sua operacionalização, podem ser obtidas mediante consulta no SIAFI, mediante transação - CONMANMF. 7. Após a data de 31 de março de 2005, ou dentro de no máximo 05 (cinco) dias úteis após o recebimento do crédito dos OS, não poderá haver, em nenhuma hipótese saldo de crédito na UG, em relação às NC recebidas para atender ao disposto no Art. 2º do Dec 5.379/2005. Ressalta-se, portanto, a importância da utilização do pré-empenho. 8. As UG deverão confirmar junto a sua ICFEx de vinculação o recebimento das presentes orientações, bem como no caso de dúvidas solicitar às mesmas os esclarecimentos necessários. 9. As ICFEx deverão adotar as providências para certificarem-se de que todas as UG vinculadas estão cientes das presentes orientações, bem como prestarão, oportunos esclarecimentos, quando solicitados. Brasília-DF, 28 de março de 2005 Gen Div Antonio Cesar Gonçalves Menin Subsecretário de Economia e Finanças

11 63 Msg SIAFI n 2005/ , e 2005/ , de 28 Mar 05. 2) Suprimento De Fundos Informamos que está divulgado no site da Secretaria do Tesouro Nacional a norma atualizada acerca de suprimento de fundos, bem como no código do manual SIAFI, transação >CONMANMF. Lembramos que as orientações contidas na norma deverão ser observadas para todas as modalidades de suprimento de fundos, principalmente para a consolidação e racionalização do uso do Cartão de Pagamento do Governo Federal - CPGF. Atenciosamente, COFIN/STN c. EXECUÇÃO PATRIMONIAL - Nada há a registrar. Msg SIAFI n 2005/ , de 02 Mar 03. d. EXECUÇÃO DE LICITAÇÕES, CONTRATOS E CONVÊNIOS 1) Restrições em Certames Licitatórios Feitas pelo TCU 1. Tem sido verificado um crescente número de questionamentos e restrições, feitos pelo controle interno e pelo TCU, quanto a procedimentos adotados por Unidades Gestoras (UG) do Exército, no tocante a certames licitatórios. 2. Estes fatos poderiam ter sido evitados apenas com a observância das normas em vigor, o que demonstra a necessidade de que os agentes da administração tenham maior conhecimento da legislação e dos atuais procedimentos e sistemas relacionados à referida atividade. 3. Do acima exposto, recomendamos maior atenção quanto aos aspectos a seguir: a. maior atenção quanto à indicação da dotação orçamentária detalhada, por onde as despesas correspondentes seriam custeadas; b. pareceres técnicos e/ou jurídicos, relacionados com o objeto licitado; c. esclarecimentos quanto ao cronograma de entrega do produto licitado, prazos e condições de pagamento; d. na definição da compra, obra ou serviço, evitar reunir em um mesmo certame objetos de naturezas distintas; e. realização de pesquisa de preços, indicando no respectivo processo sua forma de execução; f. observância de prazo para interposição de recursos; e

12 64 g. utilização indevida da dispensa de licitação sob alegação de emergência. 4. Do exposto, recomendo aos Srs OD determinarem aos agentes da administração que fazem parte de comissões de licitações, buscarem na Lei n 8.666/93, atualizada e comentada, bem como nos manuais disponíveis no SIASG/COMPRASNET (pregão presencial e eletrônico e sistema de registro de preços) os conhecimentos necessários para realização dos procedimentos licitatórios, bem como buscarem assessoramento junto às respectivas ICFEx, evitando a ocorrência de impropriedades ou irregularidades que venham a ser questionadas pelos controles interno e externo. Brasília-DF, 04 de novembro de Gen Div José Felipe Biasi Subsecretário de Economia e Finanças Msg SIAFI nº 2004/ , de 04 Nov 04-SEF-GESTOR 2) Orientações sobre Contratos Msg n 025-S/3 D Cont Do: Diretor de Contabilidade Ao: Sr Ch ICFEx 1. Visando facilitar o trabalho de análise por parte do controle interno e unificar procedimentos, esta Diretoria informa o seguinte: a. o TCU, por meio de Acórdão 189/2004, determinou aos órgãos de controle interno que observem, nas contas de 2004 dos órgãos e entidades integrantes dos orçamentos da União, o respectivo grau de cumprimento do artigo 18 da Lei /2003, abaixo transcrito: Art. 18. os órgãos e entidades integrantes dos orçamentos da União deverão disponibilizar no Sistema Integrado de Administração de Serviços Gerais-SIASG informações referentes aos contratos e aos convênios firmados, com a identificação dos respectivos programas de trabalho, mantendo atualizados os dados referentes a execução física e financeira. 1. os órgãos e entidades que decidirem manter sistemas próprios de controle de contratos e convênios deverão providenciar a transferência eletrônica de dados para o SIASG, mantendo-os atualizados mensalmente. 2. o concedente, nos termos do art. 41, inciso II, desta lei, deverá manter atualizados no SIASG os dados referentes à execução física e financeira dos contratos correspondentes aos convênios que celebrar, conforme as informações constantes das prestações de contas do conveniado. 3. o pagamento dos bens e serviços contratados diretamente pelos órgãos e entidades dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário e do Ministério Público, no âmbito do orçamento fiscal e seguridade social, dependerá de prévio registro dos respectivos contratos no SIASG, ou nos sistemas próprios, devendo, neste último caso, ser efetuada a transferência eletrônica de dados na forma do 1. deste artigo.

13 65 4 as entidades constantes do orçamento de investimento das estatais deverão providenciar a transferência eletrônica de dados relativa aos contratos firmados para o SIASG, na forma e no nível de detalhamento a serem definidos junto ao gestor do sistema. 5.o Tribunal de Contas da União verificará o cumprimento do disposto neste artigo. b. o supracitado acórdão também determina que o órgão de controle interno encaminhe, em separado e até maio de 2005, relatório consolidado tendo tais informações; c. a SEF por meio das mensagens n 2003/231361, de 17 Abr 03, e 2003/439619, de 24 Jul 03, orientou as UG no sentido de controlar os contratos administrativos unicamente por meio do SICON/SIASG, devendo ser desconsiderado o controle individualizado de contrato (Of n 034- A/2, de 11mar96). d. a UG deverá utilizar, para registro do contrato no SICON, o evento e as contas contábeis (contrato de seguros), (contrato de serviços), (contrato de aluguéis) e (contrato de fornecimento de bens). 2. Pelo exposto, solicito a essa Setorial que oriente suas UG vinculadas para a correta aplicação das determinações acima e para a devida regularização das divergências encontradas. Brasília-DF, 04 de março de Gen Bda José Luis Gonçalves Menin Diretor de Contabilidade Msg SIAFI n 2005/ , de 04 Mar 05. 3) Publicação de Atos no DOU Transcrição de Ofício Sobre o assunto em epígrafe esta Setorial Contábil transcreve abaixo o Of n 013 A/2 CIRCULAR, de 28 Fev 2005 do Sr Subsecretário de Economia e Finanças: MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS (Comissão Superior de Economia e Finanças ) - Brasília, DF, 28 de fevereiro de Ofício Nr 013-A/2 - CIRCULAR - Do Subsecretário de Economia e Finanças - Ao Sr Chefe de todas Inspetorias de Contabilidade e Finanças do Exército - Assunto: Publicação de atos no DOU Anexos: Modelo para publicação de resultado do julgamento de licitação pelo SRP; e Estrutura para envio da publicação do resultado do Registro de Preço para a Imprensa Nacional. 1. Versa o presente expediente sobre publicação no Diário oficial da União (DOU), pelas UG gerenciadoras de registro de Preços, relacionada a resultado de licitação realizada pelo Sistema Registro de Preços (SRP). 2. Esta razão do elevado número de itens das licitações realizadas pelo SRP e dos custos elevados das publicações no DOU, esta Secretaria orienta as UG responsáveis por essas publicações que

14 66 divulguem os resultados de seus processos licitatórios no DOU, seguindo o modelo constante do anexo. 3. As ICFEx deverão divulgar o teor do presente ofício e orientar suas UG vinculadas. Gen Div ANTÔNIO CÉSAR GONÇALVES MENIN Subsecretário de Economia e Finanças ANEXO A Modelo para publicação de resultado do julgamento de licitação pelo SRP RESULTADO DE LICITAÇÃO POR REGISTRO DE PREÇOS Licitação: (Modalidade da licitação Pregão ou Concorrência -, número e ano; exemplo: Pregão n 001/2005) Objeto: (Descrever a linha de fornecimento do objeto da licitação; exemplos: fornecimento de material de expediente, fornecimento de gêneros de alimentação, fornecimento de itens de fardamento, fornecimento de material para manutenção de bens imóveis, fornecimento de material/equipamento de informática etc.) Órgão Gerenciador: (Código e nome da UASG que gerencia a aquisição pelo SRP) Ata de Registro de Preços n : (Número da Ata de registro de Preço e ano) Participantes: (Unidades gestoras do Comando do Exército relacionadas no Edital) Vigência: (Prazo do início e do fim da vigência do registro de Preços) Registrado: (Informar o nome das empresas que foram adjudicadas para fornecimento do Registro de Preços) ANEXO B Estrutura para envio da publicação do resultado do registro de Preço para Imprensa Nacional O envio do extrato para a publicação na Imprensa Nacional deverá seguir a forma do caso hipotético abaixo apresentado RESULTADO DE LICITAÇÃO POR REGISTRO DE PREÇOS Pregão n 001/2005. Objeto: Fornecimento de material de expediente. Órgão Gerenciador: Secretaria de Economia e Finanças. Ata de Registro de Preços n 001/2005. Participantes:

15 67 160XXX, 160XXX, 160XXX. Vigência: 20 de fevereiro a 20 de dezembro de Registrado: Empresa ABS Ltda e Empresa XYZ Ind e Com Ltda. e. REMUNERAÇÃO DE PESSOAL 1) Habilitação Militar 3 Sgt/Cb Músico 1. Incumbiu-me o Secretário de Economia e Finanças de informar que, em complemento ao contido na mensagem SIAFI 2001/187112/SEF, os terceiros-sargentos e cabos músicos fazem jus à percepção do adicional de habilitação equivalente a 16% (dezesseis por cento) do soldo, a título de especialização, visto que se encontram amparados pela disposição prevista na alínea d, do inciso IV, do Art. 1 da Portaria 181, de 26 Mar Outrossim, informo ainda que, o entendimento jurídico acerca do assunto, consta do ofício 038- Asse Jur-05(A1/SEF), de 09 Mar 05, podendo ser encontrado, junto a outros expedientes, no sitio 3. Recomendo a essa Inspetoria difundir a presente orientação às UG vinculadas. Brasília-DF, 23 de março de 2005 Gen Div Antonio César Gonçalves Menin Subsecretário de Economia e Finanças SEF - 50 anos servindo ao Exército e ao Brasil Msg SIAFI n 2005/ , de 23 Mar 05. 2) Atualização do FAP Digital - Programa e Banco de Dados Msg n 004-Sec Infor, de 02 de março de 2005 Do Gestor de Sistemas do Centro de Pagamento do Exército Ao Sr Ordenador de Despesas 1. O CPEx alerta todas as UG - principalmente as que tiveram alterações de CODOM, que façam a atualização do banco de dados do programa FAP digital, fap.mdb. 2. O banco de dados, atualizado em 01 Mar 05, encontra-se no site do CPEx na Intranet,

16 68 3. Ainda, o CPEx informa que a senha de transferência de arquivos de pagamento é única, impessoal, e deve ficar na posse do ordenador de despesas, pois ela é a segurança de que o que está sendo transferido para o CITEX é aquilo que o OD realmente autorizou. Brasília, 02 de março de 2005 Luiz Antonio de Almeida Ribeiro - Ten Cel Int Gestor de Sistemas do CPEx Msg SIAFI n 2005/ , de 02 Mar 05. 3) Pagamento de Efetivo Variável Do OD CPEx Ao(s) Sr(s) OD(s) Msg n 0127-S Este Centro tem constatado um aumento considerável de solicitações de pagamento para o EV depois de encerrado o prazo para remessa on-line das alterações, bem como erros de digitação que causam a rejeição do lançamento; 2. Visando a evitar RPCMA, tramite de documentos, ligações telefônicas desnecessárias e, principalmente, prejuízo aos militares, este Centro recomenda aos srs OD o seguinte: a. observar o prazo para remessa das alterações on-line (evitar remeter no último dia); b. caso não consiga transmitir via ftp, fazer contato com o CTA buscando efetivar a transmissão e, em último caso, usar , mediante contato com este OD; c. o auxílio transporte (AT) deve ser previsto sempre para o mês seguinte. ex: saque de AT para ser utilizado no mês de Abr, deve ser solicitado no FPEV de Mar; d. o código 96 (adicional natalino), só é processado nos meses de Jun e Nov. o saque de adicional natalino em outros meses deve ser feito no código 92 (saque atrasado), com justificativa e demonstrativo do cálculo. Ex: saque de 2/12 Adic Nat para 28 Sd EV que serão licenciados em 25 Fev, de acordo com o plano de licenciamento demonstrativo do cálculo: 168,00/12 x 2 x 28 = 784,00. ****************************************************************** * alt grad * situação *dias * efetivo * ****************************************************************** * 3 * 92 * * 00 * * ****************************************************************** e. prever com antecedência a incorporação e o licenciamento, de maneira a incluir as alterações em tempo hábil para o processamento e pagamento; f. lembrar que o dia da inclusão e o do licenciamento devem ser computados na contagem do tempo de serviço. Ex: licenciamento em 10 Mar, faz jus a 10 dias de vencimento. Incorporação em 14 Fev, faz jus a 17 dias de vencimento (não existe mês civil com menos de trinta dias para fins de pagamento ); g. os saques com os código 92 e 93 devem estar com o campo -efetivo- em branco;

BOLETIM INFORMATIVO Nº 11 NOVEMBRO / 2012. (21) 2519 5766 / 2519 5053 RITEx 810 5766 / 810 5053. FALE COM A 1ª ICFEx

BOLETIM INFORMATIVO Nº 11 NOVEMBRO / 2012. (21) 2519 5766 / 2519 5053 RITEx 810 5766 / 810 5053. FALE COM A 1ª ICFEx MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 1ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg / 1ª RM 1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 11 NOVEMBRO / 2012 FALE

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS BOLETIM INFORMATIVO N 02 (Fevereiro 2013) FALE COM A ina Internet: www.5icfex.eb.mil.br Telefones: Fixo Fax 0 xx 41 3323 23 56

Leia mais

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal. Banco do Setor público

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal. Banco do Setor público Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal Banco do Setor público Sumário Introdução 04 Cartão de Pagamento do Governo Federal CPGF 04 Passo a Passo 10 Perguntas e Respostas 12 Legislação I Ementa 17

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 12 (DEZEMBRO/ 2013)

BOLETIM INFORMATIVO Nº 12 (DEZEMBRO/ 2013) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg 2ª RM/1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 12 (DEZEMBRO/ ) FALE COM

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS PORTARIA Nº 36-SEF, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014. EB: 64689.

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS PORTARIA Nº 36-SEF, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014. EB: 64689. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS PORTARIA Nº 36-SEF, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014. EB: 64689.017297/2014-47 Aprova o Calendário para o Encerramento do Exercício Financeiro

Leia mais

Prof. Alexandre Teshima. Prof. Alexandre Teshima. Prof. Alexandre Teshima. Prof. Alexandre Teshima

Prof. Alexandre Teshima. Prof. Alexandre Teshima. Prof. Alexandre Teshima. Prof. Alexandre Teshima CONCEITO: O SIAFI (Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal) é um sistema informatizado que processa e controla, por meio de terminais instalados em todo o território nacional,

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982)

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982) Página Internet: http://11icfex.eb.mil.br/ Página Intranet:

Leia mais

I - DA CONTA ÚNICA DO TESOURO NACIONAL

I - DA CONTA ÚNICA DO TESOURO NACIONAL INSTRUÇÃO NORMATIVA n o 04, de 30 de agosto de 2004. Dispõe sobre a consolidação das instruções para movimentação e aplicação dos recursos financeiros da Conta Única do Tesouro Nacional, a abertura e manutenção

Leia mais

PRINCIPAIS IMPROPRIEDADES ENCONTRADAS NOS PROCESSOS DE GERAÇÃO DE DIREITOS, PAGAMENTO DE PESSOAL E EMPRÉSTIMOS CONSIGNADOS

PRINCIPAIS IMPROPRIEDADES ENCONTRADAS NOS PROCESSOS DE GERAÇÃO DE DIREITOS, PAGAMENTO DE PESSOAL E EMPRÉSTIMOS CONSIGNADOS MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO PRINCIPAIS IMPROPRIEDADES ENCONTRADAS NOS PROCESSOS DE GERAÇÃO DE DIREITOS,

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 09 (SETEMBRO/ 2014)

BOLETIM INFORMATIVO Nº 09 (SETEMBRO/ 2014) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg 2ª RM/1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 09 (SETEMBRO/ 2014) FALE

Leia mais

Objetivos e principais documentos do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal SIAFI

Objetivos e principais documentos do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal SIAFI Objetivos e principais documentos do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal SIAFI Amigos e amigas visitantes do Ponto dos Concursos! Desejo muita paz e tranqüilidade a todos os

Leia mais

Processos de Despesas de Exercícios Anteriores Prazo de arquivamento e destruição de documentos

Processos de Despesas de Exercícios Anteriores Prazo de arquivamento e destruição de documentos DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO - DECEx ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO ADMINISTRATIVO - APA Processos de Despesas de Exercícios Anteriores Prazo de arquivamento e destruição de documentos 1)

Leia mais

Art. 1º Aprovar Norma de Execução, na forma do Anexo a esta Portaria. ANEXO UNIDADE RESPONSÁVEL 31/12/2013 PROCESSO

Art. 1º Aprovar Norma de Execução, na forma do Anexo a esta Portaria. ANEXO UNIDADE RESPONSÁVEL 31/12/2013 PROCESSO PORTARIA Nº 2, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2013 O AUDITOR-CHEFE DA AUDITORIA INTERNA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO, no uso de suas atribuições, e tendo em vista a competência que lhe foi atribuída pelo inciso

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 03 (MARÇO/ 2013) FALE COM A 2ª ICFEx

BOLETIM INFORMATIVO Nº 03 (MARÇO/ 2013) FALE COM A 2ª ICFEx MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg 2ª RM/1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 03 (MARÇO/ 2013) Correio

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nr 06/02

BOLETIM INFORMATIVO Nr 06/02 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO São Paulo, SP, 28 de junho de 2002 BOLETIM INFORMATIVO Nr 06/02 1ª PARTE

Leia mais

CADERNO DE QUESTÕES DO FISCAL ADMINISTRATIVO QUESTÕES PARA O FISCAL ADMINISTRATIVO

CADERNO DE QUESTÕES DO FISCAL ADMINISTRATIVO QUESTÕES PARA O FISCAL ADMINISTRATIVO CADERNO DE QUESTÕES DO FISCAL ADMINISTRATIVO QUESTÕES PARA O FISCAL ADMINISTRATIVO 1. O Sr está planejando realizar a manutenção preventiva das viaturas administrativas de sua OM. Para qual órgão deverá

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUT / 2005

BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUT / 2005 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 1ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg / 1ª RM 1934) 1ª ICFEx / 20 BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUT

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nr 11/01

BOLETIM INFORMATIVO Nr 11/01 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO São Paulo, SP, 30 de novembro de 2001 BOLETIM INFORMATIVO Nr 11/01 1ª PARTE

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 8ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (8ª ICFEx / 1992)

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 8ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (8ª ICFEx / 1992) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 8ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (8ª ICFEx / 1992) BOLETIM INFORMATIVO N.º 02 (FEV / 2008) FALE COM A 8ª

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUTUBRO / 2012. (21) 2519 5766 / 2519 5053 RITEx 810 5766 / 810 5053. FALE COM A 1ª ICFEx

BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUTUBRO / 2012. (21) 2519 5766 / 2519 5053 RITEx 810 5766 / 810 5053. FALE COM A 1ª ICFEx MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 1ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg / 1ª RM 1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUTUBRO / 2012 FALE

Leia mais

Manual de Orientações ao Portador

Manual de Orientações ao Portador Cartão de Pagamento do Governo Federal CPFG Manual de Orientações ao Portador PARA USO INTERNO Revisado pela equipe da Divisão de Contabilidade e Finanças/DCF Mossoró-RN, Fevereiro de 2010. CARTÃO DE PAGAMENTOS

Leia mais

Portaria Conjunta STN/SOF nº 3/2008 Manual de Despesa Nacional;

Portaria Conjunta STN/SOF nº 3/2008 Manual de Despesa Nacional; Código: MAP-DIFIN-001 Versão: 00 Data de Emissão: XX/XX/XXXX Elaborado por: Gerência de Contabilidade Aprovado por: Diretoria de Finanças e Informações de Custos 1 OBJETIVO Estabelecer os procedimentos

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 07 JULHO / 2009. FALE COM A 1ª ICFEx

BOLETIM INFORMATIVO Nº 07 JULHO / 2009. FALE COM A 1ª ICFEx IC MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 1ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg / 1ª RM 1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 07 JULHO / 2009 FALE

Leia mais

Análise e Regularizações Contábeis

Análise e Regularizações Contábeis Análise e Regularizações Contábeis 1 Ordens Bancárias Canceladas O cancelamento de OB ocorre por meio da emissão de uma OB de cancelamento ou por NS Nota de Sistema, nos seguintes casos: 1 OB de cancelamento

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA Nº 847/2008 (atualizada até a Resolução de Mesa nº 951, de 3 de novembro de 2009) Regulamenta a

Leia mais

Coordenação-Geral de Programação Financeira - COFIN. Gerência de Análise e Acompanhamento da Receita - GEARE

Coordenação-Geral de Programação Financeira - COFIN. Gerência de Análise e Acompanhamento da Receita - GEARE Coordenação-Geral de Programação Financeira - COFIN Gerência de Análise e Acompanhamento da Receita - GEARE Receita Orçamentária e Guia de Recolhimento da União CONTEÚDO 1 - ESPÉCIES DE INGRESSO 2 - CLASSIFICAÇÃO

Leia mais

CARTILHA DO CONTRIBUINTE

CARTILHA DO CONTRIBUINTE CARTILHA DO CONTRIBUINTE GUIA DE RECOLHIMENTO DA UNIÃO - GRU 1. OBJETIVO Esta cartilha está estruturada na forma de perguntas e respostas que visam orientar o contribuinte quanto à obtenção das informações

Leia mais

XI Semana de d Adminis minis ação Orç Or amen amen ária , Financeira r e d e e d Contr Con a tr t a ações Públi Púb cas Oficina nº Guia de Guia

XI Semana de d Adminis minis ação Orç Or amen amen ária , Financeira r e d e e d Contr Con a tr t a ações Públi Púb cas Oficina nº Guia de Guia Oficina nº 73 Guia de Recolhimento da União GRU (Retificação, Restituição, Anulação de despesas e outras Regularizações no Siafi) ABOP Slide 1 Guia de Recolhimento da União - GRU ABOP Slide 2 Guia de Recolhimento

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO E A ORGANIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL/2012 (1ª FASE)

ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO E A ORGANIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL/2012 (1ª FASE) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 8ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO 8ª ICFEX (1982) ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO E A ORGANIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO

Leia mais

Definir as atribuições e os procedimentos para a manutenção da segurança do Complexo SIAFI, detalhados em anexo.

Definir as atribuições e os procedimentos para a manutenção da segurança do Complexo SIAFI, detalhados em anexo. NORMA DE EXECUÇÃO Nº 01 DE 08 DE JANEIRO DE 2015 A COORDENADORA-GERAL DE SISTEMAS E TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo Regimento Interno da Secretaria do Tesouro

Leia mais

Conselho Federal de Contabilidade

Conselho Federal de Contabilidade Processo CFC n.º 2015/000011 INSTRUÇÃO DE TRABALHO INT/VPCI Nº 10/2015 Assunto: Orientação para encerramento do Exercício de 2014, elaboração do processo de Prestação de Contas do Sistema CFC/CRCs e alteração

Leia mais

GUIA DE RECOLHIMENTO DA UNIÃO (cartilha para o contribuinte)

GUIA DE RECOLHIMENTO DA UNIÃO (cartilha para o contribuinte) 1. APRESENTAÇÃO M GUIA DE RECOLHIMENTO DA UNIÃO (cartilha para o contribuinte) Com o objetivo de atender o disposto no Art. 98, da Lei nº 10.707, de 30.07.2003 LDO e da Instrução Normativa STN nº 03 de

Leia mais

BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 020 DE 12 a 16/05/14

BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 020 DE 12 a 16/05/14 Leia-se:...Art. 1º DELEGAR COMPETÊNCIA e as responsabilidades decorrentes ao Superintendente Regional do DNIT nos estados de Goiás e Distrito Federal para Lavrar o Termo Aditivo de Prorrogação de prazo,

Leia mais

COLETÂNEA DE MSG SIAFI/ SIASG CITADAS NO B INFO Nº 02/2011

COLETÂNEA DE MSG SIAFI/ SIASG CITADAS NO B INFO Nº 02/2011 COLETÂNEA DE MSG SIAFI/ SIASG CITADAS NO B INFO Nº 02/2011 Mensagem: 2011/0478560 Emissora 160509 SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANCAS-GESTOR de 09/03/11 as 08:41 por WILLIAMS CARVALHO PESSOA Pag. 01/02 Assunto:

Leia mais

3 INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO BÁSICO

3 INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO BÁSICO 3 INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO BÁSICO IDENTIFICAÇÃO Nome do projeto Instituição proponente CNPJ/MF da Instituição proponente Responsável pela instituição proponente (nome, CPF, RG, endereço, telefone,

Leia mais

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências.

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013 Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. (Publicado no DOE de 10 de abril de 2013) O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEP DFA COLÉGIO MILITAR DE SANTA MARIA TOMADA DE CONTAS ANUAL DE 2005 RELATÓRIO DE GESTÃO 2005

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEP DFA COLÉGIO MILITAR DE SANTA MARIA TOMADA DE CONTAS ANUAL DE 2005 RELATÓRIO DE GESTÃO 2005 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEP DFA COLÉGIO MILITAR DE SANTA MARIA TOMADA DE CONTAS ANUAL DE 2005 1. APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL RELATÓRIO DE GESTÃO 2005 1.1 Sigla: CMSM 1.2 Unidade Gestora:

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010)

RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010) RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010) Aprova Regimento Interno da Pró-Reitoria de Administração PROAD. O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA

GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA Brasília 14 de agosto de 2014 EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E EXECUÇÃO FINANCEIRA Ocorrem concomitantemente; e Estão intrinsecamente relacionadas uma à outra. A despesa não poderá

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO N.º 02

BOLETIM INFORMATIVO N.º 02 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg/2ª RM/1934) BOLETIM INFORMATIVO N.º 02 (MAR / 2006) FALE

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA STN Nº 02, DE 22 DE MAIO DE 2009. Dispõe sobre a Guia de Recolhimento da União - GRU, e dá outras providências.

INSTRUÇÃO NORMATIVA STN Nº 02, DE 22 DE MAIO DE 2009. Dispõe sobre a Guia de Recolhimento da União - GRU, e dá outras providências. INSTRUÇÃO NORMATIVA STN Nº 02, DE 22 DE MAIO DE 2009. Dispõe sobre a Guia de Recolhimento da União - GRU, e dá outras providências. O SECRETÁRIO DO TESOURO NACIONAL SUBSTITUTO, no exercício das atribuições

Leia mais

EXAME DE PAGAMENTO DE PESSOAL

EXAME DE PAGAMENTO DE PESSOAL OBJETIVO APRESENTAR DE FORMA RESUMIDA ALGUNS PROCEDIMENTOS PARA: 1. PAGAMENTO DA ATIVA 2. EXAME DE PAGAMENTO DA ATIVA 3. PRINCIPAIS FALHAS 4. SUGESTÕES SUMÁRIO I. INTRODUÇÃO II. DESENVOLVIMENTO 1. CONSIDERAÇÕES

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO-GERAL DO PESSOAL (Diretoria Geral do Pessoal/1860) DEPARTAMENTO BARÃO DE SURUHY

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO-GERAL DO PESSOAL (Diretoria Geral do Pessoal/1860) DEPARTAMENTO BARÃO DE SURUHY MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO-GERAL DO PESSOAL (Diretoria Geral do Pessoal/1860) DEPARTAMENTO BARÃO DE SURUHY NOTA INFORMATIVA Nº 01/2008 - Asse Esp 1.1 DGP, de 1º de Julho de 2008.

Leia mais

PORTARIA Nº 363, DE 02/12/2014

PORTARIA Nº 363, DE 02/12/2014 CÂMARA DOS DEPUTADOS Centro de Documentação e Informação PORTARIA Nº 363, DE 02/12/2014 Dispõe sobre a concessão, aplicação e comprovação de suprimento de fundos. O DIRETOR-GERAL DA CÂMARA DOS DEPUTADOS,

Leia mais

ERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ GABINETE DO REITOR INTRODUÇÃO

ERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ GABINETE DO REITOR INTRODUÇÃO 2 ERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INTRODUÇÃO Considerando os prazos fixados em lei para encerramento do exercício e a regulamentação que determina as datas para entrega dos BALANÇOS ORÇAMENTÁRIOS FINANCEIRO E PATRIMONIAL

Leia mais

Itabuna PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA

Itabuna PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA D E C R E T O Nº 11.028, de 10 de novembro de 2014 EMENTA: Dispõe sobre os procedimentos e prazos para o Encerramento do Exercício Financeiro de 2014, no âmbito da Administração Pública Municipal e, dá

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS E ACOMPANHAMENTO ORÇAMENTÁRIO

MANUAL DO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS E ACOMPANHAMENTO ORÇAMENTÁRIO 2011 MANUAL DO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS E ACOMPANHAMENTO ORÇAMENTÁRIO 06 - MÓDULO DANOS AO ERÁRIO Secretaria de Economia e Finanças Diretoria de Gestão Orçamentária MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO

Leia mais

SENHA DO FAP DIGITAL (Validação on line do acesso ao aplicativo FAP Digital)

SENHA DO FAP DIGITAL (Validação on line do acesso ao aplicativo FAP Digital) MINISTÉRIO DA DEFESA Brasília, DF, 14 de setembro de 2007. EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PAGAMENTO DO EXÉRCITO NOTA INFORMATIVA Nº 336/CPEx 1ª Parte Militar na Ativa Sem

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL PRESIDÊNCIA PORTARIA N. 288, DE 9 DE JUNHO DE 2005

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL PRESIDÊNCIA PORTARIA N. 288, DE 9 DE JUNHO DE 2005 TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL PRESIDÊNCIA PORTARIA N. 288, DE 9 DE JUNHO DE 2005 Estabelece normas e procedimentos visando à arrecadação, recolhimento e cobrança das multas previstas no Código Eleitoral

Leia mais

IV Semana de AOFCP Suprimento de Fundos - Legislação. Suprimento de Fundos. Legislação ABOP BIRD

IV Semana de AOFCP Suprimento de Fundos - Legislação. Suprimento de Fundos. Legislação ABOP BIRD Suprimento de Fundos Legislação Painéis/Oficinas is/oficinas Área Planejamento Cod 10 20 PPA LDO Sigla Oficina CH 21 Previsão da Receita Orçamento 22 23 Orçamento - Elaboração Orçamento Alterações Orçamentárias

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES. e-sfinge

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES. e-sfinge e-sfinge SISTEMA DE FISCALIZAÇÃO INTEGRADA DE GESTÃO MANUAL DE ORIENTAÇÃO ATOS JURÍDICOS 2009 1 APRESENTAÇÃO As informações contidas neste documento são amparadas por Resolução do Tribunal de Contas do

Leia mais

SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO E ASSISTÊNCIA SOCIAL - SEDAS GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO, PROJETOS E CAPACITAÇÃO PRESTAÇÃO DE CONTAS

SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO E ASSISTÊNCIA SOCIAL - SEDAS GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO, PROJETOS E CAPACITAÇÃO PRESTAÇÃO DE CONTAS PRESTAÇÃO DE CONTAS TEXTO 2 PRESTAÇÃO DE CONTAS E SUAS ESPECIFICIDADES INTRODUÇÃO Tomando como base a definição do Tesouro Nacional que designa a Prestação Contas como: Demonstrativo organizado pelo próprio

Leia mais

Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993.

Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. DECRETO N.º 7.892, DE 23 DE JANEIRO DE 2013. Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que

Leia mais

DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015.

DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015. DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015. EMENTA: Regulamenta o Sistema de Registro de Preços SRP previsto no art. 15 da Lei nº 8.666/93, no âmbito do Município de Central Bahia. O PREFEITO DO MUNICÍPIO

Leia mais

Prezado (a) Responsável pelos programas de Bolsas,

Prezado (a) Responsável pelos programas de Bolsas, CAPES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO GERÊNCIA DE ORÇAMENTO E FINANÇAS DCPC DIVISÃO DE CONTROLE E PRESTAÇÃO DE CONTAS Brasília,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ NOTA TÉCNICA Nº 002 / 2013 SATES / DICONF SEFA Aos Órgãos e Entidades da Administração Pública Estadual, 1 Belém, 18 de outubro de 2013 ASSUNTO: Ordem Bancária de Transferência Voluntária (OBTV) do Sistema

Leia mais

D E C R E T A CAPÍTULO I DO RESPONSÁVEL E DA ABRANGÊNCIA

D E C R E T A CAPÍTULO I DO RESPONSÁVEL E DA ABRANGÊNCIA Imprimir "Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial do Estado." DECRETO Nº 13.869 DE 02 DE ABRIL DE 2012 Estabelece procedimentos a serem adotados pelos órgãos e entidades da Administração

Leia mais

Presidência da República

Presidência da República Presidência da República Casa Subchefia para Assuntos Jurídicos Civil DECRETO Nº 6.170, DE 25 DE JULHO DE 2007. Dispõe sobre as normas relativas às transferências de recursos da União mediante convênios

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL Manual do Pregoeiro

PREGÃO PRESENCIAL Manual do Pregoeiro MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS PREGÃO PRESENCIAL Manual do Pregoeiro Brasília 2005 MINISTRO

Leia mais

NORMA DE EXECUÇÃO/SA/INCRA/Nº 42, DE 25 DE JANEIRO DE 2005

NORMA DE EXECUÇÃO/SA/INCRA/Nº 42, DE 25 DE JANEIRO DE 2005 NORMA DE EXECUÇÃO/SA/INCRA/Nº 42, DE 25 DE JANEIRO DE 2005 Dispõe sobre os prazos e procedimentos para apresentação do processo de Contas Anual das Superintendências Regionais e suas unidades jurisdicionadas.

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 6, DE 31 DE OUTUBRO DE 2007 (D.O.U. de 12 de novembro de 2007)

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 6, DE 31 DE OUTUBRO DE 2007 (D.O.U. de 12 de novembro de 2007) REPÚBLICAFEDERATIVADOBRASIL 15deNovembro de 1889 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 6, DE 31 DE OUTUBRO DE 2007 (D.O.U. de 12 de novembro de 2007) Disciplina os procedimentos relativos ao registro das Conformidades

Leia mais

INSTRUÇÃO DGA Nº 81, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014

INSTRUÇÃO DGA Nº 81, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014 INSTRUÇÃO DGA Nº 81, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014 #Estabelece procedimentos para registro, no SICONV, de informações referentes a Convênios com OBTV. O Coordenador da Administração Geral, no uso de suas atribuições,

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR: DJALMA PEÇANHA

CURSO ON-LINE PROFESSOR: DJALMA PEÇANHA "Quando sopram os ventos da mudança, alguns constroem abrigos e se colocam a salvo; outros constroem moinhos e ficam ricos". (Claus Möller) Boa tarde, pessoal! Enfim, chegamos a este último ponto sobre

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

Decreto Nº 9.826, de 26 outubro de 2012. A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE NATAL, no uso de suas atribuições constitucionais e legais,

Decreto Nº 9.826, de 26 outubro de 2012. A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE NATAL, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, Decreto Nº 9.826, de 26 outubro de 2012 Dispõe sobre procedimentos e prazos relativos ao encerramento do exercício de 2012 e dá outras providências. A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE NATAL, no uso de suas atribuições

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS ANEXO I AO DECRETO Nº 732, DE 6 DE MARÇO DE 2014. PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS Data: / / Nº: SECRETARIA MUNICIPAL DE SOLICITAÇÃO DE COMPRAS DE BENS E SERVIÇOS / TERMO DE REFERÊNCIA (art. 14 da Lei nº

Leia mais

Prefeitura Municipal de Farias Brito GOVERNO MUNICIPAL CNPJ n 07.595.572/0001-00

Prefeitura Municipal de Farias Brito GOVERNO MUNICIPAL CNPJ n 07.595.572/0001-00 ANEXO I PREGÃO Nº 2012.12.12.1 TERMO DE REFERÊNCIA Com a especificação dos serviços de assessoria, consultoria, execução contábil, justificativas, defesas e recursos de processos administrativos junto

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982)

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982) BOLETIM INFORMATIVO Nº 05 (MAIO / 2014) FALE COM A 11ª

Leia mais

SICON Cronograma Físico Financeiro Perfil - Gestor de Contrato Cronograma Atual e Obras

SICON Cronograma Físico Financeiro Perfil - Gestor de Contrato Cronograma Atual e Obras MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS SICON Cronograma Físico Financeiro Perfil - Gestor de Contrato

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF Nº 23, de 25.03.83.

INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF Nº 23, de 25.03.83. INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF Nº 23, de 25.03.83. Altera normas para a apuração e tributação do lucro nas atividades de compra e venda, loteamento, incorporação e construção de imóveis estabelecidas pela Instrução

Leia mais

RESOLUÇÃO N 3.518. Documento normativo revogado pela Resolução 3.919, de 25/11/2010.

RESOLUÇÃO N 3.518. Documento normativo revogado pela Resolução 3.919, de 25/11/2010. RESOLUÇÃO N 3.518 Documento normativo revogado pela Resolução 3.919, de 25/11/2010. Disciplina a cobrança de tarifas pela prestação de serviços por parte das instituições financeiras e demais instituições

Leia mais

GABINETE DO MINISTRO

GABINETE DO MINISTRO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 265, DE 16 DE NOVEMBRO DE 2001 O MINISTRO DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso de suas atribuições, e considerando o disposto no art. 8º do Decreto nº

Leia mais

BOAS PRÁTICAS NA APLICAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS PÚBLICOS DE CONVÊNIOS

BOAS PRÁTICAS NA APLICAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS PÚBLICOS DE CONVÊNIOS GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO AUDITORIA GERAL DO ESTADO BOAS PRÁTICAS NA APLICAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS PÚBLICOS DE CONVÊNIOS APLICAÇÃO DE RECURSOS PÚBLICOS DE CONVÊNIOS

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN ROTINAS ADMINISTRATIVAS PROPLAN SETOR: Pró-Reitoria CARGO: Docente / TNS FUNÇÃO: Pró-Reitor

Leia mais

II - original ou cópia autenticada da autorização legislativa específica para a realização da operação;

II - original ou cópia autenticada da autorização legislativa específica para a realização da operação; Portaria n o 4, de 18 de janeiro de 2002. Dispõe sobre os procedimentos de formalização de pedidos de contratação de operações de crédito externo e interno dos Estados, do Distrito Federal, dos Municípios,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 00209000031/2007-17 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA STN Nº 4, DE 13 DE AGOSTO DE 2002 DOU de 16.8.2002

INSTRUÇÃO NORMATIVA STN Nº 4, DE 13 DE AGOSTO DE 2002 DOU de 16.8.2002 INSTRUÇÃO NORMATIVA STN Nº 4, DE 13 DE AGOSTO DE 2002 DOU de 16.8.2002 Dispõe sobre a consolidação das instruções para movimentação e aplicação dos recursos financeiros da Conta Única do Tesouro Nacional,

Leia mais

Protocolo de Arrecadação do DARF. Regras de Negócios para Preenchimento dos Campos da Mensagem TES0017 (Catálogo de Mensagens versão 3.

Protocolo de Arrecadação do DARF. Regras de Negócios para Preenchimento dos Campos da Mensagem TES0017 (Catálogo de Mensagens versão 3. Regras de Negócios para Preenchimento dos Campos da Mensagem TES0017 (Catálogo de Mensagens versão 3.00) ÍNDICE I - INTRODUÇÃO... 3 II ASPECTOS GERAIS... 4 III DESCRIÇÃO DOS CAMPOS - DARF NORMAL (PRETO)...

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS (Contadoria Geral-1841)

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS (Contadoria Geral-1841) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS (Contadoria Geral-1841) DIEx nº 132-Asse2/SSEF/SEF - CIRCULAR EB: 64689.014082/2014-74 Brasília, DF, 30 de setembro de 2014. Do

Leia mais

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal. Banco do Setor público

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal. Banco do Setor público Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal Banco do Setor público 2 Sumário Introdução 04 Cartão de Pagamento do Governo Federal CPGF 04 Passo a Passo 10 Perguntas e Respostas 12 Legislação I Ementa

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 23036.000146/2007-28 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015.

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. Estabelece os procedimentos e as normas a serem adotados pelos órgãos e entidades da administração pública estadual direta e indireta, para o encerramento anual

Leia mais

ROTEIRO DE AUDITORIA DE CONTABILIDADE PÚBLICA

ROTEIRO DE AUDITORIA DE CONTABILIDADE PÚBLICA SISTEMA ORÇAMENTÁRIO 1 - RECEITAS 1.1 - Orçamento da Receita 1.2 - Receita Prevista 1.3 - Execução Orçamentária da Receita ROTEIRO DE AUDITORIA DE CONTABILIDADE PÚBLICA I - Verificar se os registros das

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MATINHOS Estado do Paraná CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MATINHOS Estado do Paraná CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO INSTRUÇÃO NORMATIVA CG Nº 001 DE 02 de junho de 2014 Institui o Plano de atividades de Auditoria Interna no ano de 2014 e dá outras providências. O CONTROLADOR GERAL DO MUNICPIO DE MATINHOS, no uso de

Leia mais

PARÁGRAFO ÚNICO - São as seguintes as modalidades de Ordens Bancárias, a serem processadas pelo Sistema OBN:

PARÁGRAFO ÚNICO - São as seguintes as modalidades de Ordens Bancárias, a serem processadas pelo Sistema OBN: CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE PAGAMENTO A FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOS E DE SERVIDORES, QUE ENTRE SI CELEBRAM O /ESTADO OU MUNICÍPIO DE/ E O BANCO DO BRASIL S.A.. O /ESTADO OU MUNICÍPIO DE/,

Leia mais

CONTRATO n 002/2015. PARÁGRAFO ÚNICO - São as seguintes as modalidades de Ordens Bancárias, a serem processadas pelo Sistema OBN:

CONTRATO n 002/2015. PARÁGRAFO ÚNICO - São as seguintes as modalidades de Ordens Bancárias, a serem processadas pelo Sistema OBN: CONTRATO n 002/2015. CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE PAGAMENTO A FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOS E DE SERVIDORES, QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE CANDELÁRIA (RS) E O BANCO DO BRASIL S.A. O MUNICÍPIO

Leia mais

1 - AQUISIÇÃO DO CARTÃO BB PESQUISA

1 - AQUISIÇÃO DO CARTÃO BB PESQUISA 1 - AQUISIÇÃO DO CARTÃO BB PESQUISA 1º PASSO: Recebimento do e-mail de aprovação do projeto. 2º PASSO: Preenchimento e assinatura do Termo de Aceitação de Apoio Financeiro e do Cadastro de Portador, que

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 01350.000002/2007-76 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 3.931, DE 19 DE SETEMBRO DE 2001. Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

RESOLUÇÃO N 3518. Parágrafo único. Para efeito desta resolução:

RESOLUÇÃO N 3518. Parágrafo único. Para efeito desta resolução: RESOLUÇÃO N 3518 Disciplina a cobrança de tarifas pela prestação de serviços por parte das instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil. O BANCO CENTRAL

Leia mais

XI Semana de d Adminis minis ação Orç Or amen amen ária , Financeira r e d e e d Contr Con a tr t a ações Públi Púb cas SIAFI Básico ABOP Slide 1

XI Semana de d Adminis minis ação Orç Or amen amen ária , Financeira r e d e e d Contr Con a tr t a ações Públi Púb cas SIAFI Básico ABOP Slide 1 SIAFI Básico ABOP Slide 1 Oficina nº 65 - SIAFI BÁSICO Carga Horária: 4h Conteúdo: 1. Aspectos históricos do SIAFI. 1.1 Apresentação do Sistema. 1.2 Conceituações básicas do SIAFI. 1.3 Objetivos. 1.4 Abrangência.

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2010 PROCESSO Nº

Leia mais

Sistema Integrado de Administração de Serviços Gerais. SICON Sistema de Gestão de Contratos

Sistema Integrado de Administração de Serviços Gerais. SICON Sistema de Gestão de Contratos Sistema Integrado de Administração de Serviços Gerais SICON Sistema de Gestão de Contratos SICON Fiscal de Contrato SUMÁRIO Fiscal do Contrato Medições SICON Fiscal de Contrato A execução do contrato deverá

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE UNAÍ

CÂMARA MUNICIPAL DE UNAÍ CÂMARA MUNICIPAL DE UNAÍ RELATÓRIO DO SISTEMA CONTROLE INTERNO Mês:: Janeiro/2014 Janeiro/2014 SUMÁRIO I APRESENTAÇÃO... II - AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS QUANTO À EFICIÊNCIA E À EFICÁCIA DA GESTÃO ORÇAMENTÁRIA,

Leia mais

CAPES COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR Anexo I Portaria nº 028, de 27 de janeiro de 2010. Anexo I

CAPES COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR Anexo I Portaria nº 028, de 27 de janeiro de 2010. Anexo I Anexo I REGULAMENTO DA CONCESSÃO DO AUXÍLIO FINANCEIRO A PROJETO EDUCACIONAL E DE PESQUISA - AUXPE 1. Da Concessão e Aceitação 1.1 A solicitação e concessão de recursos financeiros dar-se-á mediante celebração

Leia mais

Atuação do TCU junto às Universidades Federais e suas Fundações de Apoio

Atuação do TCU junto às Universidades Federais e suas Fundações de Apoio Atuação do TCU junto às Universidades Federais e suas Fundações de Apoio Abril/2009 SERGIO FREITAS DE ALMEIDA Secretário de Controle Externo no Estado de São Paulo Desafios da Unifesp Modelo de Gestão

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER CORAG/SEORI/AUDIN-MPU Nº 0819/2014

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER CORAG/SEORI/AUDIN-MPU Nº 0819/2014 MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER CORAG/SEORI/AUDIN-MPU Nº 0819/2014 Referência : Correio eletrônico de 13/3/2014. Protocolo AUDIN-MPU nº 453/2014.

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO E A ORGANIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL/2012 10ªICFEx (1ª FASE)

ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO E A ORGANIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL/2012 10ªICFEx (1ª FASE) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 10ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO E A ORGANIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL/2012

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2007 PROCESSO Nº

Leia mais