MANUAL DO DISCENTE DA FACULDADE UNIÃO DE ARARUAMA RIO DE JANEIRO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DO DISCENTE DA FACULDADE UNIÃO DE ARARUAMA RIO DE JANEIRO"

Transcrição

1 Faculdade União Araruama de Ensino. Portaria Ministerial de Funcionamento 169 de 19/02/2009 D.O.U. de 20/02/2009 Rua Marechal Castello Branco nº 333 Centro CEP: Araruama RJ Telefax: (22) / (22) MANUAL DO DISCENTE DA FACULDADE UNIÃO DE ARARUAMA RIO DE JANEIRO 1

2 ANO 2015 Rua Marechal Castello Branco nº 333 Centro CEP: Araruama RJ Telefax: (22) / (22) OBJETIVOS DA SECRETARIA Conciliar e estimular os procedimentos operacionais da Secretaria de modo a garantir qualidade nos serviços prestados. COMPETÊNCIAS ADMINISTRATIVAS À Secretaria compete: 2

3 I. Organizar e manter atualizado a Pasta Individual do Aluno que contêm todos os arquivos de documentos discentes entregue à Instituição; II. Receber protocolos acadêmicos referentes à solicitações discentes, docentes e coordenadores; III. Dar andamento às solicitações discentes, docentes e coordenadores; IV. Emitir documentação referente à vida acadêmica do aluno; V. Manter atualizado o UNICOLLEGE(Sistema de Gestão Acadêmica); VI. Responder ao Censo Educação Profissional e Educação Superior; VII. Responder a outros Sistemas de Controle do MEC referentes aos discentes; VIII. Expedir Diplomas. DOCUMENTOS QUE FUNDAMENTAM AS ATIVIDADES DO SETOR Protocolos; Relatórios referentes aos Processos Seletivos; Documentação dos Alunos; Calendário Acadêmico; Abertura de turmas (Solicitação realizada pelos Coordenadores de Curso no início do período letivo); 3

4 Controle de Dependências e Adaptações (Solicitação realizada pelos Coordenadores de Curso no início do período letivo); Matrizes Curriculares e Planos de Curso (Fornecidos pelas Coordenações); Atas de formaturas; Documentos referentes à Colação de Grau; Resoluções, portarias, leis, entre outros documentos referentes a Instituição. ORGANOGRAMA DA SECRETARIA A Secretaria estará ligada a Direção de Ensino, tendo a figura do (a) Secretário (a) como coordenador das competências administrativas do setor, subdividindo-se em: 1. Setor de Matrículas e Documentação Escolar; 2. Setor de Gestão Acadêmica; 3. Setor de Protocolo e recepção; 4. Setor arquivo. SETOR DE MATRÍCULAS E DOCUMENTAÇÃO ACADÊMICA 4

5 1. Coordena o processo de matrícula, efetuando o registro dos alunos; 2. Analisa a documentação dos candidatos ingressantes, procedendo à respectiva habilitação e arquivamento; 3. Manutenção do Arquivo Alfabético; 4. Efetua o controle de matriculados; 5. Acompanha a vida acadêmica do aluno, atualizando o status do aluno; 6. Procede às alterações cadastrais junto ao sistema acadêmico. SETOR DE GESTÃO ACADÊMICA 1. Inserção dos cursos no sistema, com carga horária e disciplinas/unidades curriculares conforme versão; 2. Manutenção das matrizes curriculares no sistema; 3. Abertura de turma para matrícula de novos alunos; 4. Inserção e cadastro dos docentes. SETOR DE PROTOCOLO/RECEPÇÃO 5

6 Para toda e qualquer solicitação, o requerente deve protocolar requerimento, dentro do horário de atendimento do setor (7h às 22h). Os Protocolos de requerimento serão encaminhados aos devidos setores competentes para Deferimento/Indeferimento. Cabe ao responsável pelo protocolo: a. Fornecer informações do Protocolo, com os dados do requerente e com o número do Protocolo, conforme o Controle Numérico de Requerimentos; b. Orientar o aluno quanto ao Protocolo, observando que existem requerimentos, os quais deverão estar acompanhados de justificativa e/ou documento para análise, e comprovação; c. Orientar para quais Setores será encaminhado o Protocolo; d. Entregar ao solicitante o comprovante do Protocolo; e. Informar ao requerente o prazo de entrega do documento ou resposta do serviço solicitado (quando estipulado); f. Encaminhar o Protocolo ao setor competente para Deferimento e/ou Indeferimento ou providências necessárias; 6

7 g. Controlar através do Módulo de Protocolo, de entrada/processamento/retorno dos Protocolos, com o intuito de não permitir que seja ultrapassado o prazo de entrega do serviço solicitado. Importante: É imperativo manter os prazos de entrega dos Protocolos e documentos solicitados, bem como esclarecer eventuais dúvidas quanto ao Deferimento/Indeferimento, antes de repassar ao aluno. SETOR ARQUIVO Responsável pelo arquivo das pastas e dos documentos bem como a sua conservação e armazenamento. O arquivista acompanha a tramitação do processo e o finaliza. PROCEDIMENTOS ACADÊMICOS PROCESSO DE REGISTRO ACADÊMICO 7

8 O Registro Acadêmico, garantido através de aprovação, classificação no número de vagas do Processo Seletivo, será efetuado mediante entrega de documentação, informada na Secretaria Acadêmica onde este realizará matrícula do candidato. A conferência e a guarda da documentação do registro acadêmico serão de responsabilidade da Secretaria Acadêmica, bem como o registro dos cursos e alunos no Sistema de Gestão Acadêmica da Instituição e no Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica (SISTEC), observando os prazos estipulados pelos sistemas. Os documentos exigidos para o ato da matrícula são: CURSOS ENSINO SUPERIOR Cópia e original do Histórico Escolar do Ensino Médio; Cópia do certificado de conclusão do Ensino Médio; Cópia do diário oficial; Cópia e original do RG; Cópia e original do CPF; Cópia e original do Título Eleitoral; Cópia da Certidão de Nascimento ou Casamento; 8

9 Comprovante de quitação com o serviço militar candidatos do sexo masculino maiores de 18 anos; Cópia do comprovante de endereço; 02 fotos 3X4. Observações: O requerimento de matrícula são fornecidos no ato do Registro pela Secretaria. A apresentação de declaração de pedido de histórico ou outro documento faltante, deverá ser atestado com assinatura do termo de ciência pelo aluno ou pais/responsáveis, referente à entrega em até 30 dias após a realização do registro, mediante pena de cancelamento da matrícula em caso da não entrega. O aluno terá seu Registro cancelado pela Secretaria Acadêmica quando: a) o Próprio ou seu Representante Legal requerer formalmente o cancelamento; b) o Próprio ou seu Representante Legal não apresentar, nos prazos estabelecidos no ato do registro, a documentação complementar/faltante para o seu registro; c) houver cassação de determinação judicial que tiver originado seu registro; d) for comprovada fraude na documentação apresentada para o registro; 9

10 e) abandonar o curso. REMATRÍCULA Art.57.(Regimento Interno, pág. 26) A matricula será renovada após cada período dentro do prazo fixado pelo calendário acadêmico, sendo os alunos orientados pelos Coordenadores dos seus respectivos cursos para inclusão das disciplinas quando necessárias. A rematrícula ocorrerá a cada novo semestre, SENDO OBRIGATÓRIA. O pedido deverá ser registrado junto à Recepção, sendo que o aluno deverá se matricular para a etapa seguinte em todas as disciplinas/unidades curriculares em que foi aprovado e se caso houver reprovações, cursará as disciplinas pendentes quando forem ofertadas, e deverá ser observadas as disciplinas que são prérequisitos para estágio e outras disciplinas. ABANDONO DE CURSO 10

11 O Abandono de Curso caracteriza-se pela NÃO renovação da matrícula dentro dos prazos estipulados e pela frequência inferior a 75% nas disciplinas sem justificativa expressa. DECLARAÇÃO DE MATRÍCULA O discente poderá solicitar a qualquer tempo declaração na qual conste sua situação acadêmica. O requerimento deverá ser requerido na Recepção e terá o prazo de 7 (sete) dias úteis para retirada. Obs.: A emissão somente será expedida se o aluno estiver com a documentação regularizada junto à secretaria. ATUALIZAÇÃO DO DIÁRIO DE CLASSE A Secretaria tem o prazo de quinze (15) dias após o início das aulas para a emissão dos diários. É necessário ter todas as informações dos docentes que 11

12 assumirão as disciplinas/unidades curriculares devidamente cadastradas nas turmas e nos respectivos Sistemas de Informação. Para que o Diário fique atualizado é necessário que o Docente informe aos coordenadores dos cursos os alunos que não constam nos diários, mas que estão assistindo às aulas. O Diário de Classe é documento de extraordinária importância e valor, no qual constarão todos os alunos por turma e disciplinas/unidades curriculares. Ao final de cada período, os docentes deverão preencher as notas avaliativas e a frequência dos discentes em cada componente curricular. O docente deverá entregar a Coordenação de Ensino os diários e as atas dos processos avaliativos devidamente registrados para seu devido arquivamento. REPROVAÇÃO DE UNIDADE CURRICULAR O discente tem direito a cursar as unidades curriculares em que foi reprovado, conforme orientação em atendimento ao estudante com plano de estudos emitido pela Coordenação do Curso e Secretaria.Importante ressaltar que é de responsabilidade do aluno e que o mesmo deverá cursar apenas quando for ofertada a disciplina pela IES. 12

13 METODO DE AVALIAÇÃO Para que o aluno seja aprovado e preciso ter Média final igual a 7,0, caso tenha nota inferior será reprovado, o mesmo terá direito a prova de A3 caso tenha ficado com média final 3,0 que somando com a nota da prova ficará com 5,0. REVISÃO DE A3 O aluno tem um prazo de 72h após a data da prova, para requerer a revisão junto ao setor da recepção. REPOSIÇÃO DE AVALIAÇÃO O discente que não realizar avaliações deverá justificar através de documentação anexada (atestado) ao protocolo no prazo de 36 (trinta e seis) horas úteis após a 13

14 realização da avaliação, solicitando a reposição mediante preenchimento de requerimento que será encaminhado ao professor. De acordo com a Portaria nº 120/09 de 06/08/2009, Art. 13. Parágrafo 2º e 3º: 2º - Será garantida, ao aluno, a reposição da avaliação, desde que haja comprovação de afastamento, com os seguintes motivos: I Falecimento de Parente de Primeiro Grau; II Licença Gestação/Adoção; III Doença Infectocontagiosa; IV Internação Hospitalar; V Força Maior. 3º Os requerimentos deverão ser acompanhados dos documentos comprobatórios referentes ao motivo alegado pelo aluno. RETIFICAÇÃO DE NOTAS OU FREQUÊNCIA O lançamento das notas e frequências são realizados pelos docentes seguindo os cronogramas avaliativos. O aluno tem acesso a Verificação de Rendimentos no 14

15 portal do UNICOLLEGE. Caso o discente queira solicitar a revisão do dado lançado, deverá obedecer ao prazo de 36 horas úteis a contar da data de divulgação da nota, com a devida fundamentação. Tais solicitações não serão aceitas para retificações posteriores ao prazo. APROVEITAMENTO DE ESTUDOS ANTERIORES Art.58 (Regimento Interno, pág.26). É concedida a matricula ao aluno transferido de curso Superior de Instituições congêneres Nacionais e Estrangeiras, respeitada a Legislação em vigor. $1º - O requerimento de matrícula por transferência é instituído com a documentação exigida por força deste Regimento, além do histórico escolar do curso de origem, programas de disciplinas e cargas horárias neles cursadas, com respectivos conceitos ou notas obtidas $2º - O aluno transferido está sujeito ás adaptações curriculares que se fizerem necessárias, aceitos os estudos realizados com aproveitamento do curso de origem. O pedido de aproveitamento de estudos deverá ser avaliado pela Coordenação do curso. 15

16 Com vistas ao aproveitamento de estudos, a avaliação recairá sobre a correspondência entre as ementas, os programas e a carga horária cursados com 75% de compatibilidade com a outra instituição e as do curso. A Secretaria deverá encaminhar os processos de aproveitamento de estudos à Coordenação de Curso, e este avaliado em até sete (07) dias úteis a contar da data do requerimento. Caberá à Secretaria proceder ao registro do aproveitamento de estudos no sistema de gestão acadêmica, através do documento de aproveitamento de estudos enviado pela Coordenação de Curso, devidamente assinado pelo Coordenador do curso. AFASTAMENTO Não haverá abono de faltas, qualquer que tenha sido o motivo de ausência, exceto em caso de convocação do aluno em órgão de Formação de Reserva Militar. Nos casos de licença maternidade, conforme normatiza a Lei nº 6.202, de 17 de abril de 1975 e a Lei nº , de 15 de abril de 2002, a estudante poderá, após apresentação de atestado médico ou mediante apresentação do termo judicial de guarda à adotante ou guardiã, desenvolver suas atividades acadêmicas em regime 16

17 domiciliar, pelo tempo determinado pelo médico, observando as normativas legais e as condições de saúde da estudante. A solicitação referente ao afastamento deverá ser feita na Secretaria, devendo ser anexado o atestado médico. O pedido deve ser feito em até 36 (trinta e seis) horas úteis após a data da expedição do atestado. Poderá realizar as atividades acadêmicas em regime domiciliar, mediante comprovação médica, conforme o Decreto-Lei nº 1.044, de 21 de outubro de 1969, o estudante que estiver acometido de doenças infecto-contagiosas, fraturas expostas, afecções congênitas ou outras situações que impeçam o estudante de frequentar os trabalhos escolares/acadêmicos por tempo determinado. A solicitação referente aos afastamentos por doenças infectocontagiosas deverá ser feita na Secretaria, devendo ser anexado o atestado médico, com a devida tipificação da doença, de acordo com o código de diagnósticos expresso na Classificação Internacional de Doenças (CID). O pedido deve ser feito em até 36 (trinta e seis) horas úteis após a data da expedição do atestado. A Secretaria encaminhará à Coordenação de cada Curso o pedido de Regime Domiciliar, que será analisado pela Coordenação e será passado para os discentes envolvidos e comunicado da decisão ao estudante. 17

18 Nos Componentes Curriculares em que a Direção e Coordenação, com o professor do componente curricular, julgar que a natureza seja incompatível com os exercícios domiciliares, o aluno terá sua matrícula removida, daquele componente curricular que não será realizado através do Regime Domiciliar, no período em que ocorreu a incapacidade. O aluno ou seu representante deverá procurar os professores dos componentes curriculares nos quais teve direito ao Regime Domiciliar para receber as respectivas indicações dos exercícios domiciliares, responsabilizando-se pelo cumprimento dos prazos estabelecidos pelos professores. TRANSFERÊNCIA Entende-se por transferência: I - Transferência de público externo disponibilizada somente mediante a existência de vaga, seguindo os critérios de Aproveitamento de Estudos estabelecidos em Regimento Interno. 18

19 Para transferência externa, o aluno deverá solicitar requerimento na Secretaria da Instituição, a qual expedirá a documentação necessária para a transferência, desde que comprove a ausência de débitos com a Instituição. Providenciar junto a Biblioteca o NADA CONSTA (pois não poderá ter nenhuma pendência) no requerimento obtido na Secretaria. $2º - O aluno transferido está sujeito às adaptações curriculares que se fizerem necessárias, aceitos os estudos realizados com aproveitamento do curso de origem. Documentação necessária: - Historico da disciplinas cursadas - Programas das disciplinas - Declaração de situação acadêmica HISTÓRICO ESCOLAR O discente solicita o requerimento na Secretaria. O Histórico pode ser Parcial ou Final, de acordo com módulo em andamento ou Curso já concluído. O prazo de entrega é de 30 (trinta) dias úteis. Quando da solicitação de TRANSFERÊNCIA 19

20 para outra instituição, a solicitação do histórico é automática e obedece aos mesmos prazos. TRANCAMENTO DE CURSO O discente poderá realizar o trancamento do curso superior que frequenta, por um período de tempo determinado, sem comprometimento de seu vínculo com a instituição, mediante requerimento protocolado junto à Secretaria da Instituição. 1º Não será permitido o trancamento do curso em seu primeiro período, exceto em casos em que o estudante seja convocado para o serviço militar. 2º O prazo final para trancamento de curso será estipulado pelo calendário acadêmico vigente. Decorrido o prazo de trancamento do curso, o estudante deverá requerer sua rematrícula, durante o período destinado à rematrícula previsto no calendário acadêmico vigente, mediante requerimento solicitado à Secretaria, sob pena de cancelamento de seu vínculo com o curso e a instituição. 20

21 Tempo máximo para trancamento de cursos: Paragrafo I(pág27) O aluno poderá trancar a matrícula por até quatro semestres consecutivos ou alternados; Paragrafo II(pág 27) O trancamento não assegura ao aluno o reingresso no currículo que cursava e o sujeita a processo de adaptação de estudos, em caso de alteração curricular durante o afastamento 2º Situações especiais que demandam tempo maior de trancamento serão analisadas pela Direção e Coordenação encaminhadas para o Conselho, para seu deferimento ou indeferimento. 3º Constituem motivos relevantes de que trata o 2º: a) casos de doença, devidamente comprovada; b) situações das quais o aluno é arrimo de família, devidamente comprovadas; c) demais hipóteses de natureza especial, desde que comprovadas. Os períodos de efetivo trancamento de curso não serão considerados para efeito de contagem de tempo para integralização curricular. 21

22 Ao discente que solicite trancamento de curso será dada ciência formal, que por ocasião de seu retorno, será enquadrado na última grade curricular vigente aprovada para o curso. Obs.: orientar o requerente quanto às datas de renovação de matrícula para o PERÍODO seguinte. DESTRANCAMENTO Será readmitido, mediante matrícula regular na Secretaria, nos prazos previstos no Calendário Acadêmico, o aluno que tenha interrompido seu curso por trancamento, desde que não tenha ultrapassado o prazo máximo previsto. Neste caso o destrancamento dar-se-á independente da existência de vaga no curso. Por ocasião do destrancamento de curso, o aluno será enquadrado na grade curricular vigente aprovada para o curso cabendo a coordenação do curso determinar as equivalências que se fizerem necessárias. A Coordenação deverá comunicar formalmente à Secretaria, a opção curricular na qual o aluno será enquadrado, em Plano de Curso de Adaptação Curricular. 22

23 CANCELAMENTO DE MATRÍCULA O Cancelamento é o processo voluntário de desligamento do aluno com o curso/instituição. O discente deve ficar ciente de que ao cancelar a matrícula todos os atos acadêmicos tornam-se nulos e encerrados, tanto com o curso quanto com a Instituição. O discente deverá procurar a Secretaria, o qual emitirá o requerimento para efetuar o CANCELAMENTO, caso defira o pedido. Providenciar junto a Biblioteca uma NADA CONSTA (pois não poderá ter nenhuma pendência) e após finalizar requerimento na secretaria. IMPORTANTE: O reingresso para matrículas canceladas acontece mediante novo Processo Seletivo. CERIMÔNIA DE COLAÇÃO DE GRAU 23

24 As datas de colações solenes estão previamente agendadas no Calendário Acadêmico. Somente poderão colar grau os estudantes que tenham cumprido todas as exigências do curso e cujos nomes são passados pelos coordenadores para verificação da vida Acadêmica. A Faculdade assinou contrato com uma empresa onde as mesmas serão exclusividades com a PROMOVE, a pessoa de contato é a secretária Acadêmica. DIPLOMA O aluno que frequentar todas as unidades curriculares previstas no curso, tendo obtido aproveitamento em todos elas, frequência mínima de 75% das horas/aula e ter tido seu TCC(Trabalho de Conclusão de Curso) aprovado e relatório de Estágio, quando o curso exigir, antes do prazo para jubilamento, receberá o Diploma de concluinte do curso, que será obtido junto a Secretaria mediante a um requerimento feito no mesmo setor. A Secretaria tem o prazo de até 1 (um) ano para expedir os diplomas de graduação. 24

25 INFORMAÇÕES IMPORTANTES ANO LETIVO/SEMESTRE LETIVO Ano Letivo, independentemente do ano civil, abrange, no mínimo, 200 (duzentos) dias letivos. CALENDÁRIO ACADÊMICO Programação das atividades acadêmicas para o ano ou semestre letivo. Estabelece o período de aulas, solicitação de cancelamento, reabertura de matrícula etc. CURSOS 25

26 1. Curso é a unidade administrativa da estrutura da Instituição para todos os efeitos de organização administrativa, didático-científica e de administração de pessoal docente; 2. É obrigatório o cumprimento integral do conteúdo programático e da carga horária estabelecida no plano de ensino de cada disciplina; 3. Cada curso é dirigido por um Coordenador. CORPO DISCENTE COMPOSIÇÃO DE DIREITOS E DEVERES A todos os alunos matriculados compete, individual ou coletivamente, conforme o caso, os seguintes direitos e deveres fundamentais: 1. Aplicar a máxima diligência no aproveitamento do ensino ministrado; 2. Atender aos dispositivos regulamentares no que respeita à organização didáticopedagógicas, à frequência nas aulas e à execução dos trabalhos e programas; 3. Observar o regime disciplinar e demais regulamentos; 4. Abster-se de atos que possam importar em perturbações da ordem e ofensa aos bons costumes; 26

27 5. Contribuir na esfera de sua ação para o prestígio crescente da Instituição e o respeito às suas finalidades; 6. Respeitar, zelar e preservar o patrimônio moral, material e cultural da Instituição; EDITAL Ato oficial escrito e divulgado para conhecimento público, sendo, por isso, afixado em lugares visíveis a todos ou anunciados pela imprensa. Apresenta fins diversos, como convocação para reuniões, abertura de cursos ou concursos, chamada para matrícula, rematrícula etc. A divulgação será realizada e estará disponível no site eletrônico FREQUÊNCIA Conforme legislação educacional vigente (LDBEN 9394/96), é obrigatória a freqüência mínima de 75% da carga horária da disciplina/unidade 27

28 didática/componente curricular. O seu não cumprimento o aluno pode ser reprovado por falta. MATRÍCULA 1. A matrícula é o ato formal de ingresso e de vinculação do aluno à Instituição de Ensino após a conclusão do Ensino Médio e do ENEM; 2. Pode ser classificada como matrícula inicial ou rematrícula; 3. É realizada no período determinado pelo Calendário Acadêmico. MATRIZ CURRICULAR Documento onde constam todas as unidades curriculares e carga horária do curso. PROCESSO SELETIVO O Processo Seletivo de ingresso se destina a avaliar a formação recebida pelos candidatos e classificá-los dentro do estrito limite das vagas 28

29 oferecidas na forma do Vestibular tradicional ou Agendado. REMATRÍCULA 1. Rematrícula é o processo de renovação da matrícula, realizada pelo aluno, semestralmente e/ou anualmente; 2. A matrícula é renovada semestralmente/anualmente nos prazos estabelecidos pelo Calendário Acadêmico e Edital próprio dos cursos; 3. No ato da matrícula o aluno assinará requerimento de matrícula no qual constam seus dados cadastrais. Deverá assinar requerimento e apresentar outros documentos exigidos em Edital próprio. JUBILAMENTO O jubilamento, entendido como o desligamento ou afastamento de aluno de Instituição de Ensino Superior(IES) por ter ultrapassado o prazo máximo permitido 29

30 para a conclusão do curso, foi introduzido no direito brasileiro por meio da Lei n.º 5.789/1972, que dava nova redação ao artigo 6º do Decreto-lei n.º 464/1969 Art. 6º Na forma dos estatutos ou dos regimentos, será recusada nova matrícula, nas instituições oficiais de ensino superior, ao aluno que não concluir o curso completo de graduação, incluindo o 1º ciclo, no prazo máximo fixado para integralização do respectivo currículo. 1º O prazo máximo a que se refere este artigo será estabelecido pelo Conselho Federal de Educação quando for o caso de currículo mínimo, devendo constar dos estatutos ou regimentos na hipótese de 1o ciclo e de cursos criados na forma do artigo 18 da Lei no 5.540, de 28 de novembro de

31 2º Não será computado no prazo de integralização de ciclo ou curso o período correspondente a trancamento de matrícula feita na forma regimental. ás 11:00h e 50mim. Tempo mínimos cursos: Administração 04 anos ou 8 períodos, Ciências Contábeis 04 anos ou 8 períodos Enfermagem 05 anos ou 10 períodos Engenharia de Produção 05 anos ou 10 períodos Licenc.em Educação Física - 03 anos e meio Pedagogia 04 anos ou 8 períodos O tempo máximo é o mínimo mais a metade de cada curso. 31

REGULAMENTO DA SECRETARIA GERAL

REGULAMENTO DA SECRETARIA GERAL FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DO BAIXO SÃO FRANCISCO DR. RAIMUNDO MARINHO FACULDADE RAIMUNDO MARINHO REGULAMENTO DA SECRETARIA GERAL A Secretaria Geral é o órgão que operacionaliza todas as atividades ligadas à

Leia mais

INFORMAÇÕES ACADÊMICAS

INFORMAÇÕES ACADÊMICAS INFORMAÇÕES ACADÊMICAS INGRESSO O ingresso na UNILAGOS é feito mediante processo seletivo (Vestibular) ou por outro processo previsto em lei. Também é possível ingressar por meio de transferência, dispositivo

Leia mais

GUIA ACADÊMICO MATRÍCULA E REMATRÍCULA DISPENSA DE DISCIPLINA REQUERIMENTOS

GUIA ACADÊMICO MATRÍCULA E REMATRÍCULA DISPENSA DE DISCIPLINA REQUERIMENTOS GUIA ACADÊMICO MATRÍCULA E REMATRÍCULA A matrícula é o ato formal do aluno com a UNIUV. Importa em direitos e deveres, tanto para o aluno como para a instituição. Sua efetivação ocorre após classificação

Leia mais

Anexo I da Organização Didática Resolução nº 031/2010 33

Anexo I da Organização Didática Resolução nº 031/2010 33 ANEXO I ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNANBUCANO Resolução nº 031/2010 De 30 de setembro de 2010 NORMAS ACADÊMICAS DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA,

Leia mais

O regime adotado pela Faculdade Metodista Granbery é o seriado semestral. A matrícula é feita por períodos e renovada semestralmente.

O regime adotado pela Faculdade Metodista Granbery é o seriado semestral. A matrícula é feita por períodos e renovada semestralmente. INFORMAÇÕES ACADÊMICAS BÁSICAS 1. CURRÍCULO Para cada curso de graduação é organizado um currículo. O currículo abrange uma sequência de disciplinas/módulos hierarquizados(as) por períodos letivos, cuja

Leia mais

CAPÍTULO I Da Destinação e Preenchimento de Vagas. CAPÍTULO II Do Processo de Seleção e Admissão. CAPÍTULO III Da Transferência Dependente de Vaga

CAPÍTULO I Da Destinação e Preenchimento de Vagas. CAPÍTULO II Do Processo de Seleção e Admissão. CAPÍTULO III Da Transferência Dependente de Vaga Resolução nº 03 de 01/02/2009 Normas Acadêmicas Bacharelado e Licenciatura ÍNDICE TÍTULO I Da Destinação, Preenchimento de Vagas nos Cursos e Formas de Ingresso de Alunos Regulares Da Destinação e Preenchimento

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PPG. NORMA INTERNA Nº 01 2014 PPGEd 7 de janeiro de 2014

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PPG. NORMA INTERNA Nº 01 2014 PPGEd 7 de janeiro de 2014 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PPG NORMA INTERNA Nº 01 2014 PPGEd 7 de janeiro de 2014 Dispõe sobre a Disciplina iniciação à docência no ensino

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA SECRETARIA ACADÊMICA

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA SECRETARIA ACADÊMICA MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA SECRETARIA ACADÊMICA 2013 1 APRESENTAÇÃO Em busca de um trabalho de excelência, a Secretaria Acadêmica oferecerá respostas e soluções com agilidade e segurança, atributos que

Leia mais

EDITAL Nº 007/2016 TRANSFERÊNCIA EXTERNA E PORTADORES DE DIPLOMA

EDITAL Nº 007/2016 TRANSFERÊNCIA EXTERNA E PORTADORES DE DIPLOMA EDITAL Nº 007/2016 O Diretor Executivo da Faculdade Metropolitana de Anápolis, no uso de suas atribuições e demais disposições legais, aprova e torna público o processo seletivo para transferência de candidatos

Leia mais

MANUAL DO ACADÊMICO DA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI CAMPO GRANDE

MANUAL DO ACADÊMICO DA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI CAMPO GRANDE MANUAL DO ACADÊMICO DA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI CAMPO GRANDE 2015 2015 MISSÃO: Promover a educação profissional e tecnológica, a inovação e a transferência de tecnologias industriais, contribuindo

Leia mais

Regulamento do Curso

Regulamento do Curso Regulamento do Curso Mestrado Profissional em Administração CAPÍTULO I DAS FINALIDADES DO PROGRAMA Artigo 1º - O Programa de Mestrado Profissional em Administração (MPA) tem os seguintes objetivos: I.

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR AO EDITAL UFU/PROGRAD Nº 01 - Edital de Solicitação de Matrícula

EDITAL COMPLEMENTAR AO EDITAL UFU/PROGRAD Nº 01 - Edital de Solicitação de Matrícula EDITAL COMPLEMENTAR AO EDITAL UFU/PROGRAD Nº 01 - Edital de Solicitação de Matrícula A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) torna pública a divulgação do Edital Complementar ao Edital UFU/PROGRAD Nº

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 04/12/CP INSEP

RESOLUÇÃO Nº. 04/12/CP INSEP FACULDADE INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO PARANÁ MANTENEDORA: INSTITUTO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO E DA CIDADANIA IEC CNPJ: 02.684.150/0001-97 Maringá: Rua dos Gerânios, 1893 CEP: 87060-010 Fone/Fax:

Leia mais

Manual de Estágio Supervisionado

Manual de Estágio Supervisionado NEP Manual de Estágio Supervisionado Sumário Apresentação.................................................................... 3 Considerações Iniciais............................................................

Leia mais

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU NA MODALIDADE A DISTÂNCIA DO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU NA MODALIDADE A DISTÂNCIA DO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO 1 Anexo I da Resolução do Conselho Superior nº 46/2011, de 13/09/2011. REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU NA MODALIDADE A DISTÂNCIA DO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO REGIMENTO DOS CURSOS

Leia mais

lfif UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UNIRIO RESOlUÇÃO N 3.117, DE 10 DE JUNHO DE 2009

lfif UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UNIRIO RESOlUÇÃO N 3.117, DE 10 DE JUNHO DE 2009 lfif UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UNIRIO RESOlUÇÃO N 3.117, DE 10 DE JUNHO DE 2009 Dispõe sobre a matrícula nos cursos de Graduação da UNIRIO. o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA - UNILAB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA - UNILAB RESOLUÇÃO N 030/2013, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2013. Normatiza os procedimentos relativos à matrícula de estudantes dos cursos de graduação da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira

Leia mais

REGULAMENTO DA ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

REGULAMENTO DA ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR REGULAMENTO DA ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR ALTERAÇÃO APROVADA - RESOLUÇÃO Nº 018/13-COGEP 19/04/2013 CURITIBA Abril de 2013 Capítulo I DA NATUREZA DOS CURSOS Art. 1.o

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Institui o Regulamento dos cursos de Pós-graduação lato sensu em da Escola de Direito de Brasília EDB, mantida pelo Instituto Brasiliense de Direito

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM SAÚDE COLETIVA MESTRADO E DOUTORADO TÍTULO I. Introdução

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM SAÚDE COLETIVA MESTRADO E DOUTORADO TÍTULO I. Introdução REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM SAÚDE COLETIVA MESTRADO E DOUTORADO TÍTULO I Introdução Art. 1. Este regimento estabelece as atribuições, responsabilidades e normas específicas

Leia mais

Processo Seletivo FAEC 2016

Processo Seletivo FAEC 2016 Processo Seletivo FAEC 2016 EDITAL Nº 03/2015 18 de agosto de 2015 A Direção Geral da FAEC, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, de acordo com a legislação vigente e Regimento, torna público

Leia mais

MESTRADO PROFISSIONAL EM ECONOMIA. Regulamento do Curso

MESTRADO PROFISSIONAL EM ECONOMIA. Regulamento do Curso MESTRADO PROFISSIONAL EM ECONOMIA Regulamento do Curso CAPÍTULO I DAS FINALIDADES DO PROGRAMA Artigo 1º - O Programa de Mestrado Profissional em Economia (MPE) tem os seguintes objetivos: I. formar recursos

Leia mais

FACULDADE MAURÍCIO DE NASSAU CAMPINA GRANDE Credenciado pela Portaria Nº 65, DE 30 DE JANEIRO DE 2014 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.

FACULDADE MAURÍCIO DE NASSAU CAMPINA GRANDE Credenciado pela Portaria Nº 65, DE 30 DE JANEIRO DE 2014 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015. FACULDADE MAURÍCIO DE NASSAU CAMPINA GRANDE Credenciado pela Portaria Nº 65, DE 30 DE JANEIRO DE 2014 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 A Direção da Faculdade Maurício de Nassau de Campina Grande-PB no

Leia mais

FACULDADE MAURÍCIO DE NASSAU (FAP TERESINA) Mantida pelo Grupo Ser Educacional Credenciamento: Portaria MEC nº 1.149, DE 13 DE SETEMBRO DE 2012

FACULDADE MAURÍCIO DE NASSAU (FAP TERESINA) Mantida pelo Grupo Ser Educacional Credenciamento: Portaria MEC nº 1.149, DE 13 DE SETEMBRO DE 2012 FACULDADE MAURÍCIO (FAP ) Mantida pelo Grupo Ser Educacional Credenciamento: Portaria MEC nº 1.149, DE 13 DE SETEMBRO DE 2012 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 A Direção da Faculdade Maurício de Nassau

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá Conselho Interdepartamental - CCA

Universidade Estadual de Maringá Conselho Interdepartamental - CCA R E S O L U Ç Ã O Nº 019/2015-CI/CCA CERTIDÃO Certifico que a presente resolução foi afixada em local de costume, neste Centro e disponibilizada na página: www.cca.uem.br, no dia 05/05/2015. Elisângela

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO DE CURRÍCULO NA FORMAÇÃO DOCENTE CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO DE CURRÍCULO NA FORMAÇÃO DOCENTE CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO DE CURRÍCULO NA FORMAÇÃO DOCENTE CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL Art. 1 - O curso de Pós-Graduação Lato Sensu Especialização

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA DO ENSINO SUPERIOR

ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA DO ENSINO SUPERIOR MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA DO ENSINO SUPERIOR

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO ANIMAL R E G I M E N T O

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO ANIMAL R E G I M E N T O UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO ANIMAL R E G I M E N T O CAPÍTULO I - CAPÍTULO II - CAPÍTULO III - CAPÍTULO IV

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 1 SEMESTRE DE 2016 FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 1 SEMESTRE DE 2016 FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 1 SEMESTRE DE 2016 FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA COMISSÃO ORGANIZADORA Eliane Assis Neves Júlio César Alvim Marquione Gomes Raquel Munis Suelen Gomes 2 SUMÁRIO 1 CURSOS OFERECIDOS

Leia mais

Edital 009/16 DAC Apucarana, 02 de maio de 2016. EDITAL

Edital 009/16 DAC Apucarana, 02 de maio de 2016. EDITAL Edital 009/16 DAC Apucarana, 02 de maio de 2016. A Direção Acadêmica da Faculdade de Apucarana - FAP, no uso de suas competências e demais disposições legais, aprova e torna público o seguinte EDITAL 1.

Leia mais

1. DOS CURSOS, DA DATA, LOCAL E HORÁRIO PARA A REALIZAÇÃO DA MATRÍCULA. 1.1. A matrícula será realizada conforme a tabela a seguir:

1. DOS CURSOS, DA DATA, LOCAL E HORÁRIO PARA A REALIZAÇÃO DA MATRÍCULA. 1.1. A matrícula será realizada conforme a tabela a seguir: A Direção da Faculdade SATC, mantida pela Associação Beneficente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina - SATC, credenciada pela Portaria Ministerial n. 3.556 de 26/11/2003, publicada no D.O.U., em

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE ANIMAL Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (FEPAGRO)

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE ANIMAL Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (FEPAGRO) REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE ANIMAL Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (FEPAGRO) Portaria FEPAGRO nº 154/2013. O Diretor-Presidente da Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

EDITAL Nº 41/IFRO/VILHENA, DE 15 DE JULHO DE 2014 PROCESSO SELETIVO ESPECIAL 2014/1 PARA INGRESSO EM CURSO DE GRADUAÇÃO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA

EDITAL Nº 41/IFRO/VILHENA, DE 15 DE JULHO DE 2014 PROCESSO SELETIVO ESPECIAL 2014/1 PARA INGRESSO EM CURSO DE GRADUAÇÃO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÕNIA CAMPUS VILHENA DEPARTAMENTO DE ENSINO EDITAL Nº 41/IFRO/VILHENA, DE 15 DE JULHO DE 2014 PROCESSO SELETIVO ESPECIAL

Leia mais

RESOLUÇÃO CEPE N. 0146/2007 Regulamenta procedimentos acadêmicos e administrativos para os Cursos de Graduação da Universidade Estadual de Londrina. RESOLUÇÃO CEPE Nº XXX/2011 Regulamenta procedimentos

Leia mais

Prefeitura Municipal de Petrolina Autarquia Educacional do Vale do São Francisco AEVSF Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina FACAPE

Prefeitura Municipal de Petrolina Autarquia Educacional do Vale do São Francisco AEVSF Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina FACAPE PROCESSO SELETIVO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS NOS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS, CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO, COMÉRCIO EXTERIOR, ECONOMIA, GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E SERVIÇO SOCIAL, POR

Leia mais

Portaria Fatec Santana de Parnaíba nº 02/2015 de 24 de abril de 2015

Portaria Fatec Santana de Parnaíba nº 02/2015 de 24 de abril de 2015 Portaria nº 02/2015 de 24 de abril de 2015 Estabelece a normatização das Atividades Acadêmico-Científico-Culturais (AACC) do curso de Gestão Comercial da Faculdade de Tecnologia de Santana de Parnaíba.

Leia mais

EDITAL FATEC DA ZONA LESTE Nº. 03/2014 DE 21 DE NOVEMBRO DE 2014.

EDITAL FATEC DA ZONA LESTE Nº. 03/2014 DE 21 DE NOVEMBRO DE 2014. EDITAL FATEC DA ZONA LESTE Nº. 03/2014 DE 21 DE NOVEMBRO DE 2014. O Diretor da Faculdade de Tecnologia da Zona Leste no uso de suas atribuições legais faz saber que estão reabertas as inscrições para participação

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 17/CUn DE 10 DE ABRIL DE 2012. Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Federal de Santa Catarina

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 17/CUn DE 10 DE ABRIL DE 2012. Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Federal de Santa Catarina RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 17/CUn DE 10 DE ABRIL DE 2012 Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Federal de Santa Catarina O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal de Santa

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU.

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. PREÂMBULO. A Faculdade Cenecista de Osório, no uso de suas atribuições decorrentes da Resolução nº. 1 de junho

Leia mais

Trancamento de matrícula

Trancamento de matrícula Matrícula * O aluno deverá observar as datas fixadas no calendário escolar para efetuar sua matrícula. Deverá observar a seqüência das disciplinas do currículo padrão do seu curso, os pré-requisitos, e

Leia mais

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO DE CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO DE CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO SUMÁRIO TÍTULO I 3 DA PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU E SEUS OBJETIVOS 3 TÍTULO II 5 DA ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA 5 CAPÍTULO I 5 DA ESTRUTURA 5 CAPÍTULO II 6 DA COORDENAÇÃO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU 6 CAPÍTULO

Leia mais

Processo Seletivo INESUL 2016

Processo Seletivo INESUL 2016 Processo Seletivo INESUL 2016 EDITAL Nº 04/2015 18 de dezembro de 2015 A Direção Acadêmica do Instituto de Ensino Superior de Londrina - INESUL, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, de acordo

Leia mais

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 846

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 846 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 846 Altera a denominação do Curso de Especialização em Redes de Computadores, criado pela Resolução CEPEC nº 422, e aprova o novo

Leia mais

EDITAL N.º 43/2014 EDITAL DE RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA DE 2015-1

EDITAL N.º 43/2014 EDITAL DE RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA DE 2015-1 EDITAL N.º 43/2014 EDITAL DE RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA DE 2015-1 DIVULGA O PRAZO DE RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA E DE OUTROS PROCEDIMENTOS ACADÊMICOS REFERENTES AO 2º SEMESTRE DE 2014 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial - autorizado pela Portaria SERES/MEC nº 387 de 23/09/2011 - DOU 26/09/2011 p.

Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial - autorizado pela Portaria SERES/MEC nº 387 de 23/09/2011 - DOU 26/09/2011 p. FACULDADE FACCENTRO Credenciada pela Portaria SERES/MEC nº 483, de 16/12/2011 D.O.U. de 19/12/2011 EDITAL nº 003, de 01 de novembro de 2012. PROCESSO SELETIVO 2013/1 A Faculdade FACCENTRO, mantida pelo

Leia mais

b) Candidatos Classificados em Cursos cujas vagas já tenham sido todas preenchidas poderão fazer a REOPÇÃO DE CURSO.

b) Candidatos Classificados em Cursos cujas vagas já tenham sido todas preenchidas poderão fazer a REOPÇÃO DE CURSO. A Direção da Faculdade SATC, mantida pela Associação Beneficente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina - SATC, credenciada pela Portaria Ministerial n. 3.556 de 26/11/2003, publicada no D.O.U., em

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE RESOLUÇÃO CONSUN Nº 009/2012

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE RESOLUÇÃO CONSUN Nº 009/2012 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE RESOLUÇÃO CONSUN Nº 009/2012 Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul. Alterada pela

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM PSICOLOGIA. Capítulo I

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM PSICOLOGIA. Capítulo I REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM PSICOLOGIA Capítulo I DOS OBJETIVOS Art. 1 O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia do Centro Universitário de Brasília é composto

Leia mais

2. Dos Cursos da UNISA, Turnos, Duração, Vagas, Locais de Funcionamento, Número de Alunos por Turma, Atos de Legalização e Modalidade de Ensino

2. Dos Cursos da UNISA, Turnos, Duração, Vagas, Locais de Funcionamento, Número de Alunos por Turma, Atos de Legalização e Modalidade de Ensino EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO AOS CURSOS PRESENCIAIS E SEMIPRESENCIAIS DE GRADUAÇÃO/HABILITAÇÕES/MODALIDADES E GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA, DA UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO 2009 - TURMAS DE AGOSTO -

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO UBERABA-MG RESOLUÇÃO N. 4, DE 16 DE ABRIL DE 2013, DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UFTM.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO UBERABA-MG RESOLUÇÃO N. 4, DE 16 DE ABRIL DE 2013, DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UFTM. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO UBERABA-MG RESOLUÇÃO N. 4, DE 16 DE ABRIL DE 2013, DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UFTM. Aprova as regras de transição do Sistema de Matrícula

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Bom trabalho a todos! Mantenedores

APRESENTAÇÃO. Bom trabalho a todos! Mantenedores APRESENTAÇÃO Os tempos modernos conduzem-nos a novos contextos e a sociedade brasileira, de maneira justa, cobra-nos ações que venham ao encontro de um cenário que requer um repensar sobre as possibilidades

Leia mais

REGULAMENTO DA ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

REGULAMENTO DA ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional REGULAMENTO DA ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR ALTERAÇÃO

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 164/2012

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 164/2012 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 164/2012 Dispõe sobre as normas e fixa o calendário e número de vagas para o Processo Seletivo/2013 dos cursos presenciais de graduação. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE AGRONOMIA E MEDICINA VETERINÁRIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE AGRONOMIA E MEDICINA VETERINÁRIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE AGRONOMIA E MEDICINA VETERINÁRIA Coordenação do Programa de Pós-graduação em Agricultura Tropical REGIMENTO INTERNO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA CIVIL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA CIVIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA CIVIL Regulamento Específico do Curso de Especialização em Gestão e Tecnologia de Produção de Edifícios - CEGT CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

Leia mais

EDITAL DO 2º PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES NA MODALIDADE PRESENCIAL - VESTIBULAR 1º SEMESTRE - 2016

EDITAL DO 2º PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES NA MODALIDADE PRESENCIAL - VESTIBULAR 1º SEMESTRE - 2016 EDITAL DO 2º PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES NA MODALIDADE PRESENCIAL - VESTIBULAR 1º SEMESTRE - 2016 A Faculdade Meta, Instituição de Ensino Superior comprometida com o padrão de qualidade e as

Leia mais

Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em. Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais

Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em. Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais I DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO GERAL Art. 1 O Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Minas, Metalúrgica

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DO IPÊ - FAIPE EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 002/2013

FACULDADE DE TECNOLOGIA DO IPÊ - FAIPE EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 002/2013 FACULDADE DE TECNOLOGIA DO IPÊ - FAIPE EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 002/2013 Dispõe as normas do Processo de Seleção FAIPE 2013/2 para ingresso de alunos ao Curso Superior de Tecnologia em Marketing

Leia mais

EDITAL CEPS 003/2016 PROCESSO SELETIVO UNIFICADO CESUC 2016/2

EDITAL CEPS 003/2016 PROCESSO SELETIVO UNIFICADO CESUC 2016/2 PROCESSO SELETIVO UNIFICADO CESUC 2016/2 O Presidente da Comissão Especial do Processo Seletivo Unificado - CEPS, torna público por meio do presente Edital, que serão recebidas as inscrições referentes

Leia mais

NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA CAPÍTULO I DO CONCEITO

NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA CAPÍTULO I DO CONCEITO NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA CAPÍTULO I DO CONCEITO Art. 1º A monitoria é uma atividade acadêmica, no âmbito da graduação, que pretende oferecer ao aluno experiência de iniciação à docência. 1º A monitoria

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR AO EDITAL UFU/PROGRAD/DIRPS 01/2014 - Edital de Solicitação de Matrícula

EDITAL COMPLEMENTAR AO EDITAL UFU/PROGRAD/DIRPS 01/2014 - Edital de Solicitação de Matrícula EDITAL COMPLEMENTAR AO EDITAL UFU/PROGRAD/DIRPS 01/2014 - Edital de Solicitação de Matrícula A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) torna pública a divulgação do Edital Complementar ao Edital UFU/PROGRAD/DIRPS

Leia mais

EDITAL PROGRAD nº 21, de 27 de abril de 2015 PROCESSO SELETIVO PARA TRANSFERÊNCIA VOLUNTÁRIA

EDITAL PROGRAD nº 21, de 27 de abril de 2015 PROCESSO SELETIVO PARA TRANSFERÊNCIA VOLUNTÁRIA EDITAL PROGRAD nº 21, de 27 de abril de 2015 PROCESSO SELETIVO PARA TRANSFERÊNCIA VOLUNTÁRIA A Pró-Reitoria de Graduação da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), no uso de

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Regulamenta normas para o funcionamento das Atividades Complementares no âmbito dos Cursos de Administração, Ciências Contábeis e Cursos de Tecnologia da Faculdade

Leia mais

SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR AMADEUS FACULDADE AMADEUS GUIA ACADÊMICO ARACAJU/SE

SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR AMADEUS FACULDADE AMADEUS GUIA ACADÊMICO ARACAJU/SE SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR AMADEUS FACULDADE AMADEUS GUIA ACADÊMICO ARACAJU/SE SUMÁRIO 1. A INSTITUIÇÃO 04 1.1. ÓRGÃOS DA FACULDADE 04 2. MISSÃO 04 3. CURSOS OFERECIDOS 04 4. INFORMAÇÕES ACADÊMICAS 04

Leia mais

CAMPUS AC SIMÕES Cursos Presenciais e Ensino à Distância

CAMPUS AC SIMÕES Cursos Presenciais e Ensino à Distância UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE REGISTRO E CONTROLE ACADÊMICO EDITAL DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA PRESENCIAL E À DISTÂNCIA Nº 033/2015 Campus A.C. Simões (Maceió),

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REGULAMENTO GERAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REGULAMENTO GERAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O COORDENADORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU REGULAMENTO GERAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU CAPÍTULO

Leia mais

EDITAL- Faculdade SATC n 035/2011 de 07.06.2011 APROVADOS NO PROCESSO SELETIVO 2011/2 (VESTIBULAR) PRIMEIRA CHAMADA

EDITAL- Faculdade SATC n 035/2011 de 07.06.2011 APROVADOS NO PROCESSO SELETIVO 2011/2 (VESTIBULAR) PRIMEIRA CHAMADA A Direção da Faculdade SATC, mantida pela Associação Beneficente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina - SATC, credenciada pela Portaria Ministerial n. 3.556 de 26/11/2003, publicada no D.O.U., em

Leia mais

ESTADO DE SÃO PAULO PORTARIA IAC/DG... REGIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRICULTURA TORPICAL E SUBTROPICAL

ESTADO DE SÃO PAULO PORTARIA IAC/DG... REGIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRICULTURA TORPICAL E SUBTROPICAL ESTADO DE SÃO PAULO PORTARIA IAC/DG... REGIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRICULTURA TORPICAL E SUBTROPICAL O Diretor Técnico de Departamento resolve elaborar e implantar o Regimento do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

EDITAL FATEC SOROCABA Nº 01/2015 DE 08 DE MAIO DE 2015.

EDITAL FATEC SOROCABA Nº 01/2015 DE 08 DE MAIO DE 2015. EDITAL FATEC SOROCABA Nº 01/2015 DE 08 DE MAIO DE 2015. O Diretor da Faculdade de Tecnologia de Sorocaba no uso de suas atribuições legais torna público que estão abertas as inscrições para participação

Leia mais

Regimento do Programa de Pós Graduação em Ciência da Computação

Regimento do Programa de Pós Graduação em Ciência da Computação Regimento do Programa de Pós Graduação em Ciência da Computação CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Artigo 1º O presente Regulamento disciplina a organização e as atividades do programa de Pós Graduação

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá Centro de Tecnologia

Universidade Estadual de Maringá Centro de Tecnologia RESOLUÇÃO Nº 033/2012-CTC CERTIDÃO Certifico que a presente resolução foi afixada em local de costume, neste Centro, no dia 18/04/2012. Aprova alteração da nomenclatura do Programa de Pós-graduação em

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DE POÇOS DE CALDAS Av. João Pinheiro, 1046 Centro 37701-386 (35) 2107-6000. EDITAL Processo Seletivo nº 01/2014

FACULDADE PITÁGORAS DE POÇOS DE CALDAS Av. João Pinheiro, 1046 Centro 37701-386 (35) 2107-6000. EDITAL Processo Seletivo nº 01/2014 EDITAL Processo Seletivo nº 01/2014 O Diretor Geral da Faculdade Pitágoras de Poços de Caldas, no uso de suas atribuições e demais disposições legais, aprova e torna público o presente edital contendo

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO 2º/2016 Coordenadora: Profa. Dra. Neusa Maria Bastos F. Santos Estarão abertas, no período de 11/04/2016 a 29/04/2016, as inscrições para o processo seletivo destinado ao

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA SOCIAL E INSTITUCIONAL CAPÍTULO I OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA SOCIAL E INSTITUCIONAL CAPÍTULO I OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA SOCIAL E INSTITUCIONAL CAPÍTULO I OBJETIVOS Art. 1º - O Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional, vinculado ao Instituto

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL N o 3.476. Ano XXIII - Estado do Tocantins, sexta-feira, 30 de setembro de 2011

DIÁRIO OFICIAL N o 3.476. Ano XXIII - Estado do Tocantins, sexta-feira, 30 de setembro de 2011 52 REGIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO Lato sensu. Dispõe sobre o Regimento dos Cursos de Pós-Graduação Lato sensu na esfera da Fundação Universidade do Tocantins - Unitins. CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS, DA CONSTITUIÇÃO,

Leia mais

Faculdade Adventista da Bahia. Regulamento da Secretaria Geral de Cursos - SGC

Faculdade Adventista da Bahia. Regulamento da Secretaria Geral de Cursos - SGC Regulamento da Secretaria Geral de Cursos - SGC Cachoeira BA Setembro de 2013 SUMÁRIO TÍTULO I... 5 DA IDENTIFICAÇÃO E DOS OBJETIVOS... 5 Capítulo I... 5 DA IDENTIFICAÇÃO... 5 Capítulo II... 5 DOS OBJETIVOS...

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 05/2007 REGULAMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA - UESB

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 05/2007 REGULAMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA - UESB Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB Credenciada pelo Decreto Estadual nº 7.344 de 27.05.1998 CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 05/2007 REGULAMENTO

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Língua Portuguesa

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Língua Portuguesa EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO 2º/2014 Coordenador: Prof. Dr. João Hilton Sayeg de Siqueira Vice-Coordenadora: Prof. Dra. Jeni Silva Turazza Estarão abertas, no período de U14/04/2014U a U05/05/2014U,

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA NÍVEL MESTRADO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA NÍVEL MESTRADO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA NÍVEL MESTRADO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA Art. 1º O Programa de Pós-Graduação em Economia (PPE),

Leia mais

FACULDADE DARCY RIBEIRO. Manual do Aluno FTDR. Fortaleza Ceará

FACULDADE DARCY RIBEIRO. Manual do Aluno FTDR. Fortaleza Ceará FACULDADE DARCY RIBEIRO Manual do Aluno FTDR Fortaleza Ceará SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 5 2. CURSOS... 5 3. PROCEDIMENTOS... 5 4. CARTEIRAS ESTUDANTIS... 12 5. DIREITOS E DEVERES DO ALUNO... 13 6. REGIME

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS TÍTULO I. Introdução TÍTULO II

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS TÍTULO I. Introdução TÍTULO II REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS (Revisão Aprovada pelo Conselho Departamental do CCA/UFES em 27/02/2014) TÍTULO I Introdução Art. 1. O presente Regulamento

Leia mais

1. DOS CURSOS, DA DATA, LOCAL E HORÁRIO PARA A REALIZAÇÃO DA MATRÍCULA. 1.1. A matrícula será realizada conforme a tabela a seguir:

1. DOS CURSOS, DA DATA, LOCAL E HORÁRIO PARA A REALIZAÇÃO DA MATRÍCULA. 1.1. A matrícula será realizada conforme a tabela a seguir: A Direção da Faculdade SATC, mantida pela Associação Beneficente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina - SATC, credenciada pela Portaria Ministerial n. 3.556 de 26/11/2003, publicada no D.O.U., em

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO

ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA PRÓ-REITORIA DE ENSINO ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA DA CURITIBA/PR 2011 1 SUMÁRIO TÍTULO I - DA ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA... 4 CAPÍTULO

Leia mais

EDITAL Nº. 81/2013 PROCESSO SELETIVO 2014/1

EDITAL Nº. 81/2013 PROCESSO SELETIVO 2014/1 EDITAL Nº. 81/2013 PROCESSO SELETIVO 2014/1 O Diretor Superintendente da Faculdade Autônoma de Direito FADISP, no uso de suas atribuições regimentais e em acordo com a Lei nº. 9394/1996 das Diretrizes

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO LUTERANO DE JI-PARANÁ Reconhecido pela Portaria Ministerial nº 3.950, de 30/12/02, D.O.U. 31/12/02, Seção 1, p. 31.

CENTRO UNIVERSITÁRIO LUTERANO DE JI-PARANÁ Reconhecido pela Portaria Ministerial nº 3.950, de 30/12/02, D.O.U. 31/12/02, Seção 1, p. 31. CENTRO UNIVERSITÁRIO LUTERANO DE JI-PARANÁ Reconhecido pela Portaria Ministerial nº 3.950, de 30/12/02, D.O.U. 31/12/02, Seção 1, p. 31. ATO EDITAL Nº 02/2013 (Resolução CEPE n 16, de 03 de setembro de

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FÍSICA

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FÍSICA REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FÍSICA TÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º O Programa de Pós-Graduação em Física (PPGFIS) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) tem por finalidade a formação de

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DE DIVINÓPOLIS Rua Santos Dumont, 1001 Manoel Valinhas 35500-286 (31) 2101-4877. EDITAL Processo Seletivo nº 01/2014

FACULDADE PITÁGORAS DE DIVINÓPOLIS Rua Santos Dumont, 1001 Manoel Valinhas 35500-286 (31) 2101-4877. EDITAL Processo Seletivo nº 01/2014 EDITAL Processo Seletivo nº 01/2014 O Diretor Geral da Faculdade Pitágoras de Divinópolis, no uso de suas atribuições e demais disposições legais, aprova e torna público o presente edital contendo orientações

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR AO EDITAL UFU/PROGRAD/DIRPS Nº 04/2016 - Edital de Solicitação de Matrícula

EDITAL COMPLEMENTAR AO EDITAL UFU/PROGRAD/DIRPS Nº 04/2016 - Edital de Solicitação de Matrícula EDITAL COMPLEMENTAR AO EDITAL UFU/PROGRAD/DIRPS Nº 04/2016 - Edital de Solicitação de Matrícula A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) torna pública a divulgação do Edital Complementar ao Edital UFU/PROGRAD/DIRPS

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PERFORMANCES CULTURAIS MESTRADO - ÁREA INTERDISCIPLINAR DA CAPES UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

REGULAMENTO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PERFORMANCES CULTURAIS MESTRADO - ÁREA INTERDISCIPLINAR DA CAPES UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGULAMENTO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PERFORMANCES CULTURAIS MESTRADO - ÁREA INTERDISCIPLINAR DA CAPES UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS TÍTULO I DO PROGRAMA CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1o

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA TRANSFERÊNCIA EXTERNA E PORTADOR DE DIPLOMA DE GRADUAÇÃO 2013/1

EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA TRANSFERÊNCIA EXTERNA E PORTADOR DE DIPLOMA DE GRADUAÇÃO 2013/1 EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA TRANSFERÊNCIA EXTERNA E PORTADOR DE DIPLOMA DE GRADUAÇÃO 2013/1 O Presidente da Comissão de Processo Seletivo Unificado, torna público por meio do presente Edital, que serão

Leia mais

Câmara Superior de Pós-Graduação do Conselho Universitário da Universidade Federal de

Câmara Superior de Pós-Graduação do Conselho Universitário da Universidade Federal de RESOLUÇÃO Nº 02/2012 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE PÓS-GRADUAÇÃO Aprova a criação do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, denominado

Leia mais

Universidade Federal da Integração Latino Americana MANUAL DO ESTAGIÁRIO

Universidade Federal da Integração Latino Americana MANUAL DO ESTAGIÁRIO Universidade Federal da Integração Latino Americana MANUAL DO ESTAGIÁRIO MANUAL DO ESTAGIÁRIO PROGRAD - Pró-Reitoria de Graduação DEAC - Divisão de Estágios e Atividades Complementares Sumário 1. Apresentação...

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA SECRETARIA ACADÊMICA

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA SECRETARIA ACADÊMICA MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA SECRETARIA ACADÊMICA P A R A N A V A Í 2 0 1 1 1 APRESENTAÇÃO A Secretaria Acadêmica é o órgão que operacionaliza todas as atividades ligadas à vida acadêmica do aluno, desde

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO 1º/2015 Coordenador: Prof. Dr. Saddo Ag Almouloud Vice-Coordenadora: Profa. Dra. Barbara Lutaif Bianchini Estarão abertas, no período de 01/10/2014 a 24/10/2014, as inscrições

Leia mais

EDITAL 04/2015 REITORIA

EDITAL 04/2015 REITORIA EDITAL 04/2015 REITORIA Matrículas 2º semestre letivo de 2015 O UDF - Centro Universitário torna público o Edital de Matrícula dos Cursos de Graduação para o 2º semestre letivo de 2015. 1. Renovação de

Leia mais

SOLICITAÇÕES DE 24/06/2015 a 24/08/2015

SOLICITAÇÕES DE 24/06/2015 a 24/08/2015 TRANSFERÊNCIA EXTERNA 2015/2 (Isento de Taxa) Informativo GR nº 002/2015, de 23/06/2015 SOLICITAÇÕES DE 24/06/2015 a 24/08/2015 ATENÇÃO! ESTE INFORMATIVO CONTÉM TODAS AS ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS NECESSÁRIOS

Leia mais

E D I T A L. 1º Entende-se por Portador de Diploma de Curso Superior quem já concluiu, pelo menos, um curso de graduação.

E D I T A L. 1º Entende-se por Portador de Diploma de Curso Superior quem já concluiu, pelo menos, um curso de graduação. EDITAL PROEPE/PROAP 18/2015 ABRE INSCRIÇÃO PARA PROCESSO SELETIVO DE PREENCHIMENTO DE VAGAS DISPONÍVEIS NOS S DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF, DESTINADAS A CANDIDATOS PORTADORES DE DIPLOMA

Leia mais

Edital 2/2015 PROGRAD

Edital 2/2015 PROGRAD Edital 2/2015 PROGRAD A Pró-Reitoria de Graduação da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PROGRAD/PUC Goiás), com sede à Avenida Universitária, 1.440, CEP 74605-900 - S. Universitário, Goiânia -

Leia mais

PORTARIA nº 002/MED/2013

PORTARIA nº 002/MED/2013 PORTARIA nº 002/MED/2013 O Prof. Dr. Guilherme de Menezes Succi, Coordenador do Curso de Medicina da Faculdade São Leopoldo Mandic e Presidente da Comissão de Transferências para o referido Curso, no uso

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSU

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSU UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSU RESOLUÇÃO N.º 507/2007 Publicada no D.O.E. de 08/09-12-2007, pág. 24 Altera a Resolução Nº. 634/04 CONSEPE, que aprova o Regulamento de

Leia mais