EXAME DE SELEÇÃO. Técnico de Nível Médio Subseqüente

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EXAME DE SELEÇÃO. Técnico de Nível Médio Subseqüente 2007.1"

Transcrição

1 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE Núcleo Permanente de Processos Seletivos - FUNCERN EXAME DE SELEÇÃO Técnico de Nível Médio Subseqüente ATENTE! ATENTE! ATIVIDADE PRAZO LOCAL ENTRADA DE RECURSOS 15/01/2007 até 18 horas PROTOCOLO CEFET-RN RESPOSTA AOS RECURSOS 17/01/2007 até 18 horas RESULTADO FINAL 07/02/ MATRÍCULAS A definida pela Diretoria de Ensino DEPARTAMENTOS ACADÊMICOS INSTRUÇÕES: Verifique se seu caderno contém 40 questões objetivas. Leia com atenção cada questão antes de responder. Para cada questão, existe apenas uma resposta certa. Transfira suas respostas para a Folha de Respostas somente quando não for mais modificá-las. Não deixe questão alguma sem resposta. Não amasse nem rasure sua Folha de Respostas. INSCRIÇÃO: NOME: INSCRIÇÃO NOME BOA PROVA!

2 CEFET/RN EXAME TÉCNICO SUSEQÜENTE LÍNGUA PORTUGUÊSA Novos caminhos para uma educação de qualidade Marcos Linhares e Cíntia Magalhães Para falar de combate à pobreza e à desigualdade é preciso falar de Educação de qualidade. A afirmação é do Secretário Executivo da Missão Criança, Carlos Henrique Araújo, ao falar no Seminário Educação, Pobreza e Desenvolvimento, promovido pela ONG, em Brasília. Segundo o sociólogo, boa parte das pessoas no país não tem acesso aos bens culturais de mercado, e o Brasil tem indicadores de desigualdade considerados entre os maiores do mundo. A explicação para a desigualdade se refere a três grandes ativos: terra, crédito e educação, afirma. O problema da educação está na raiz, na base. Uma grande política pública de combate à pobreza, segundo Carlos Henrique Araújo, seria uma educação básica de qualidade, porque é muito pouco as crianças somente estarem na escola, é preciso que estejam aprendendo. É fundamental que se tenha um grande movimento de transformação da educação básica nacional, eu diria até uma necessidade radical de uma reforma da educação básica em que se combata o desperdício representado pela evasão, repetência e o abandono. Existe no Brasil uma cultura da reprovação, que precisa ser revertida por uma cultura do aprendizado, defende. No Brasil, 55% das crianças de quarta série ainda não dominam a leitura competente, e isso representa um verdadeiro colapso da educação, de acordo com o professor. A educação básica brasileira sofre um verdadeiro apagão, e se demonstra muito ineficiente, ineficaz e desigual, diz. A conclusão é que se a educação básica for padronizada e funcionar, principalmente para as crianças mais pobres, por meio de uma educação pública de qualidade, o país terá chances de diminuir a desigualdade e aproveitar o desenvolvimento econômico para liberar as forças produtivas para que haja, enfim, real desenvolvimento. Outro ponto relevante em relação à má qualidade da educação está vinculado a problemas culturais. Há no Brasil uma cultura de não-valorização, de não-responsabilização, tanto dos gestores educacionais quanto das famílias. As explicações da não-qualidade da educação são muito variadas e muito complexas, mas segundo o sociólogo, o que se sabe, por inúmeras pesquisas internacionais e nacionais, é que boa parte da explicação da má-qualidade da educação está fora da escola. Normalmente, os alunos que fracassam são filhos de pais de baixíssima escolaridade, sem nenhum tipo de insumo educacional, com pouca habilidade ou hábito de estudo; são crianças que não passam pela pré-escola efetiva e vão direto para a escola pública no ensino fundamental. Araújo explica que existem três aspectos fundamentais para que haja qualidade na escola. O primeiro é que a escola esteja voltada para a questão do aprendizado, fazendo com que as crianças desenvolvam habilidades e competências, pelo menos, nas linguagens fundamentais, que são língua materna e matemática. O segundo aspecto é que haja uma gestão que cobre dos professores, com um sistema de responsabilidade de toda a escola em função dos alunos. E o terceiro é a formação do professor. O professor precisa ser bem formado, conhecedor do conteúdo, atualizado nas práticas de sala de aula, pesquisas, métodos e estratégias para fazer com que a criança goste da escola e ao mesmo tempo esteja aprendendo. Além disso, o professor precisa ser bem remunerado, motivado, valorizado e importante para a sociedade. O fundamental é que precisamos monitorar a escola brasileira e dar insumos para aquelas que não têm, para que elas consigam ter educação de qualidade, e educação de qualidade é entendida como criança aprendendo, conclui Carlos Araújo. Revista Brasil responsável, novembro de (texto adaptado)

3 CEFET/RN EXAME TÉCNICO SUSEQÜENTE De acordo com o texto, pode-se inferir que a) o fato de a educação ser desvalorizada e de não serem assumidas responsabilidades pelos fracassos educacionais é algo de responsabilidade exclusiva dos gestores educacionais. b) a educação, e não o desenvolvimento econômico, é o único fator que pode erradicar a desigualdade social no Brasil. c) uma família com pais de boa formação escolar aliada a hábitos de estudo colabora para a boa aprendizagem do aluno. d) a igualdade social, no Brasil, só será atingida em sua plenitude quando a sociedade conseguir igualar os salários dos professores em todo o país. 2 A intenção comunicativa preponderante do texto é a) expor as opiniões de um especialista sobre a relação entre a educação e a desigualdade social, visando desqualificálas. b) expor as opiniões de um especialista sobre a relação entre a educação e a desigualdade social, visando confirmá-las. c) relatar fatos relevantes ocorridos durante o seminário Educação, Pobreza e Desenvolvimento, promovido pela ONG Missão Criança, em Brasília. d) relatar acontecimentos que comprovam ser a falta de qualidade da educação brasileira um dos motivos do atraso econômico do nosso país. 3 O título do texto sugere que a) pela primeira vez, alguém aponta caminhos para uma educação de qualidade. b) há possibilidade de surgirem novos caminhos para uma educação de qualidade. c) há dúvidas quanto à possibilidade de existência de uma educação de qualidade no Brasil. d) em outro momento, já foram apontados caminhos para uma educação de qualidade. 4 O nome Carlos Henrique Araújo, no primeiro parágrafo, é retomado, no total, a) nove vezes. b) seis vezes. c) dez vezes. d) sete vezes. 5 Sobre a progressão textual apresentada, podese afirmar que a) primeiro parágrafo funciona, nesse caso, como uma introdução. b) quinto parágrafo pode, sem alterações, passar a ser o segundo. c) segundo parágrafo pode, sem alterações, passar a ser o primeiro. d) terceiro parágrafo pode, sem alterações, passar a ser o primeiro. 6 Em Além disso, o professor precisa ser bem remunerado, motivado, valorizado e importante para a sociedade (l.37), a expressão em destaque estabelece a mesma relação de sentido da palavra destacada em a) professor trabalha arduamente e recebe salários irrisórios. b) no Brasil, a desigualdade social é intensa porque a educação não funciona bem. c) professor deve dominar o conteúdo que ensina e ser um exemplo de cidadão. d) se a educação é ruim, devemos, portanto, procurar melhorá-la. 7 No trecho... se a educação básica for padronizada e funcionar, principalmente, para as crianças mais pobres, por meio de uma educação pública de qualidade, o país terá chances de diminuir a desigualdade... (l. 17), a oração em destaque estabelece, com a informação principal do período, uma relação de a) explicação. b) causa. c) concessão. d) condição. 8 Há a possibilidade do acréscimo de duas vírgulas sem que haja prejuízo ao sentido de suas informações em a) Araújo explica que existem três aspectos fundamentais para que haja qualidade na escola. b) Há no Brasil uma cultura de nãovalorização, de não-responsabilização, tanto dos gestores educacionais quanto das famílias. c) Para falar do combate à pobreza e à desigualdade é preciso falar de educação de qualidade. d) segundo aspecto é que haja uma gestão que cobre dos professores, com um sistema de responsabilização de toda a escola em função dos alunos. 9 O primeiro período do primeiro parágrafo do texto apresenta a) duas orações e a informação principal é Para falar de combate à pobreza e à desigualdade. b) três orações e a informação principal é é preciso falar de educação de qualidade. c) três orações e a informação principal é Para falar de combate à pobreza e à desigualdade. d) duas orações, e a informação principal é é preciso falar de educação de qualidade.

4 CEFET/RN EXAME TÉCNICO SUSEQÜENTE Na construção do 6º parágrafo, a linguagem utilizada pelos autores apresenta-se, de forma preponderante, na sua função a) expressiva, pois visa a convencer o leitor. b) referencial, pois visa a convencer o leitor. c) referencial, pois visa a transmitir informações precisas. d) expressiva, pois visar a expressar impressões do autor. 11 Ocorrerá o uso do acento grave, pelo mesmo motivo que em Para falar de combate à pobreza..., na opção a) Freqüentemente são feitas observações em relação a reprovação nas escolas públicas brasileiras. b) Os altos índices de repetência nas escolas públicas estão relacionados, também, a fatores econômicos. c) Espera-se que seja adotada uma política de combate a alguns entraves que comprometem a qualidade da educação brasileira. d) combate ao analfabetismo em nosso país poderá começar a partir da implantação de uma boa política educacional. 12 Considere o trecho Uma grande política pública de combate à pobreza, segundo Carlos Henrique Araújo, seria uma educação básica de qualidade, porque é muito pouco as crianças somente estarem na escola, é preciso que estejam aprendendo. A opção cujas palavras destacadas pertencem, respectivamente, à mesma classe gramatical das palavras destacadas no trecho acima é a) brasileiro reclama dos problemas que atingem o país, mas luta pouco para resolvê-los. b) A educação brasileira sofre um verdadeiro apagão e se demonstra muito ineficiente, ineficaz e desigual, mas esse problema ainda pode ser resolvido. c) A escola é um espaço de conflitos, uma vez que reflete as desigualdades presentes na sociedade. d) ensino público brasileiro necessita de uma ampla reforma, principalmente nas séries iniciais. 13 No trecho Normalmente, os alunos que fracassam são filhos de pais de baixíssima escolaridade sem nenhum tipo de insumo educacional, com pouca habilidade ou hábito de estudo... (l. 26), a palavra em destaque poderá ser substituída, sem prejuízo ao sentido, por a) instrumento. b) incentivo. c) equipamento. d) risco. 14 No período Há no Brasil uma cultura de nãovalorização, de não-responsabilização, tanto dos gestores educacionais quanto das famílias., o verbo em destaque a) está flexionado no singular porque é impessoal, constituindo uma oração sem sujeito. b) está flexionado no singular para concordar com o sujeito simples uma cultura de nãovalorização, de não-responsabilização. c) deveria estar flexionado no plural para concordar com o sujeito composto uma cultura de não-valorização, de nãoresponsabilização. d) está flexionado no singular porque se encontra no tempo presente do modo indicativo. 15 Considere o período O professor precisa ser bem formado, conhecedor do conteúdo, atualizado nas práticas de sala de aula, pesquisas, métodos e estratégias para fazer com que a criança goste da escola e ao mesmo tempo esteja aprendendo. Se flexionarmos o primeiro verbo destacado no pretérito imperfeito do indicativo, para que seja mantida a coerência do trecho, os dois outros verbos em destaque assumirão a forma a) gostava e estava. b) gostara e estivera. c) gostou e esteve. d) gostasse e estivesse. 16 No parágrafo 7, são empregadas as palavras primeiro, segundo e terceiro para a) estabelecer uma relação temporal. b) marcar adição de informações. c) organizar as informações. d) marcar intercalação de informações. 17 Em Outro ponto relevante em relação à má qualidade da educação..., a expressão em destaque revela que a) em parágrafo(s) anterior(es) já se discutiu a má qualidade da educação. b) no(s) parágrafo(s) seguinte(s) irão ser discutidos outros pontos sobre a má qualidade da educação. c) parágrafo iniciado por ela introduz a discussão sobre a má qualidade da educação. d) parágrafo iniciado por ela conclui a discussão sobre a má qualidade da educação. 18 No segundo parágrafo, os autores fizeram uso das aspas para a) indicar o uso de palavras estrangeiras. b) destacar uma informação importante. c) indicar o uso da linguagem conotativa. d) marcar uma fala que não é de sua autoria.

5 CEFET/RN EXAME TÉCNICO SUSEQÜENTE No trecho Existe no Brasil uma cultura da reprovação que precisa ser revertida por uma cultura do aprendizado..., a expressão em destaque a) completa o sentido da palavra Brasil. b) completa diretamente o sentido de existir. c) é sujeito do verbo existir. d) indica uma circunstância para a palavra Brasil. 20 Em O professor precisa ser bem formado, conhecedor de conteúdos, atualizado nas práticas de sala de aula, pesquisas, métodos estratégias para fazer..., a acentuação gráfica das palavras em destaque justifica-se, respectivamente, pelos motivos seguintes: a) paroxítona terminada em vogal e proparoxítona. b) vogal tônica do hiato e paroxítona terminada em ditongo crescente. c) vogal tônica do hiato e vogal tônica do hiato. d) proparoxítona e paroxítona terminada em ditongo crescente. MATEMÁTICA 21 As grandezas S e T variam de acordo com os valores de x, como mostra a tabela. x S T Podemos afirmar que o menor valor de x que torna S = T é a) 12. b) 13. c) 10. d) Seja S 1 a soma de todos os números ímpares positivos de dois algarismos e S 2 a soma de todos os números pares positivos de dois algarismos. Efetuando S 2 S 1 obteremos como resultado o número a) 45. b) 44. c) 44. d) Se o par ordenado (x,y) é solução do sistema x y = 4, então podemos concluir log 2 x + log 2 y = 5 que o valor de x+y é igual a a) 8. b) 10. c) 12. d) Em determinado mês, verificou-se que o número de clientes que compraram no supermercado BARATO era dado pela função C ( t) = 30. t , em que t = 1, 2, 3,..., 30 representa cada dia do mês. A quantidade de clientes que compraram no dia 10 é igual a a) 130. b) 430. c) d) Se as matrizes dadas abaixo x A =, B = e C = 3 y são tais que A B = C, então o determinante da matriz A é igual a a) 12. b) 12. c) 6. d) Uma loja de roupas está com a seguinte promoção para o Natal: dois pares de meia + duas calças jeans + três camisetas = R$ 210,00; três pares de meia + uma calça jeans + duas camisetas = R$ 135,00; um par de meia + duas calças jeans + duas camisetas = R$ 174,00 O preço de uma calça jeans dessa promoção é igual a a) R$ 48,00. b) R$ 58,00. c) R$ 55,00. d) R$ 45, Efetuando a divisão do polinômio x + 6x - 4x + 2x - 5 por x - 3x + 1 Eduardo obteve quociente Q(x) e resto R(x). Considerando que o resto é R ( x) = 59x - 27, podemos afirmar que o valor de Q( 1) é igual a a) 14. b) 12. c) 32. d) Uma pessoa tinha uma dívida de R$ 500,00 no cartão de crédito. Devido a dificuldades financeiras, não conseguiu pagar essa quantia e, em dois meses, a dívida acrescida de juros passou a ser de R$ 650,00. Nesse caso, a taxa de juros simples cobrada mensalmente pela concessionária do cartão de crédito foi de a) 30%. b) 15%. c) 12%. d) 20%.

6 CEFET/RN EXAME TÉCNICO SUSEQÜENTE Em determinada cidade, um tipo de combustível é vendido por R$ 2,09 o litro. Ele é composto por 70% de gasolina e 30% de álcool. O litro de álcool é vendido por R$ 1,60. Se os preços são mantidos proporcionais, podemos afirmar que o preço do litro de gasolina é vendido por a) R$ 2,30. b) R$ 1,85. c) R$ 2,00. d) R$ 2, Sendo q a quantidade produzida de um determinado produto, chamamos ponto de equilíbrio o ponto cuja abcissa q é tal que a receita total é igual ao custo total. Sabendo-se que a receita total e o custo total de um certo produto são dados, respectivamente, por R T = q + 2 e C T = 2q - 2, a quantidade a ser produzida no ponto de equilíbrio é a) 4. b) 6. c) 0. d) A distribuição das notas dos alunos de uma turma do Cefet, na disciplina de Matemática, é dada pelo gráfico abaixo. Nº de alunos ,0 6,0 7,0 8,0 9,0 10,0 Notas Qual das alternativas melhor representa a média das notas na disciplina de Matemática dessa turma? a) 7,5. b) 7,2. c) 7,0. d) 9,0. 32 Considere o sólido (pintado) representado a seguir, o qual foi construído a partir de um paralelepípedo reto. Se AB = 3 cm, AD = 10 cm, FG = 7 cm e BC = EF = 2 cm, o volume do sólido é a) 44 cm 3. b) 88 cm 3. c) 100 cm 3. d) 68 cm 3. E F B C G 33 O número de faces triangulares de uma pirâmide é 9. Podemos afirmar que essa pirâmide possui a) 9 vértices e 18 arestas. b) 10 vértices e 9 arestas. c) 10 vértices e 18 arestas. d) 9 vértices e 9 arestas. 34 No paralelogramo ABCD da figura abaixo AB = 6 e BC = 4. Se A( 3,0), então o vértice C é o ponto y a) C(5,4). D b) C(6,4). C c) C(5,5). d) C(6,5). A B Uma formiga se desloca sobre uma superfície esférica de diâmetro 50 cm, do ponto A ao ponto B, conforme figura. O menor trajeto possível que a formiga pode percorrer tem comprimento π a) m. 2 3π B b) m. O 2 A c) π m. π d) m Aumentando-se a base e a largura de um retângulo de 10% e 15% respectivamente, a área do retângulo é aumentada em a) 25%. b) 150%. c) 26,5%. d) 28,5%. 37 Considere todos os números de quatro algarismos distintos escritos com 1, 2, 3 e 4. Se esses números são colocados em ordem crescente, o número que ocupa a vigésima posição é a) b) c) d) x A D

7 CEFET/RN EXAME TÉCNICO SUSEQÜENTE Uma urna contém cinco bolas numeradas de 1 a 5. Uma bola é sorteada, tem seu número anotado e é recolocada na urna; em seguida, outra bola é sorteada e seu número é anotado. A probabilidade de que a média aritmética dos dois números sorteados seja igual a três é a) b) c) d) Dada a equação x - 6x -13x + 42 = 0, e considerando que suas raízes estão em progressão aritmética, a maior delas é igual a a) 14. b) 7. c) 2. d) Uma escada de 2m de comprimento está apoiada no chão e em um muro perpendicular ao chão. Se a escada faz 60 com o muro, a distância do topo da escada ao chão é de (sen 60 = 0,9; cos 60 = 0,5; tg 60 = 1,7) a) 1 m. b) 0,5 m. c) 1,5 m. d) 2 m.

8

LEIA O TEXTO A SEGUIR PARA RESPONDER ÀS QUESTÕES NUMERADAS DE 01 A 05.

LEIA O TEXTO A SEGUIR PARA RESPONDER ÀS QUESTÕES NUMERADAS DE 01 A 05. CONHECIMENTOS BÁSICOS 2 NAS QUESTÕES NUMERADAS DE 01 A 10, ASSINALE A ÚNICA ALTERNATIVA QUE RESPONDE CORRETAMENTE AO ENUNCIADO. LEIA O TEXTO A SEGUIR PARA RESPONDER ÀS QUESTÕES NUMERADAS DE 01 A 05. DE

Leia mais

PROJETOS DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: DO PLANEJAMENTO À AÇÃO.

PROJETOS DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: DO PLANEJAMENTO À AÇÃO. PROJETOS DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: DO PLANEJAMENTO À AÇÃO. LETICIA VICENTE PINTO TEIXEIRA (UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIAS). Resumo É sabido o quanto é grande o esforço das escolas em ensinar a leitura

Leia mais

PROVA DO VESTIBULAR ESAMC-2003-1 RESOLUÇÃO E COMENTÁRIO DA PROFA. MARIA ANTÔNIA GOUVEIA M A T E M Á T I C A

PROVA DO VESTIBULAR ESAMC-2003-1 RESOLUÇÃO E COMENTÁRIO DA PROFA. MARIA ANTÔNIA GOUVEIA M A T E M Á T I C A PROVA DO VESTIBULAR ESAMC-- RESOLUÇÃO E COMENTÁRIO DA PROFA. MARIA ANTÔNIA GOUVEIA M A T E M Á T I C A Q. O valor da epressão para = é : A, B, C, D, E, ( (,..., ( ( RESPOSTA: Alternativa A. Q. Sejam A

Leia mais

OS SENTIDOS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA CONTEMPORANEIDADE Amanda Sampaio França

OS SENTIDOS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA CONTEMPORANEIDADE Amanda Sampaio França OS SENTIDOS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA CONTEMPORANEIDADE Amanda Sampaio França amandi'a_07@hotmail.com Jaqueline dos Santos Costa santoscosta_jaqueline@hotmail.com Mirsa Gabriela gabiflorosa@hotmail.com

Leia mais

000 IT_005582 000 IT_007009

000 IT_005582 000 IT_007009 000 IT_00558 Um copo cilíndrico, com 4 cm de raio e cm de altura, está com água até a altura de 8 cm. Foram então colocadas em seu interior n bolas de gude, e o nível da água atingiu a boca do copo, sem

Leia mais

Desigualdade Entre Escolas Públicas no Brasil: Um Olhar Inicial

Desigualdade Entre Escolas Públicas no Brasil: Um Olhar Inicial 29 Desigualdade Entre Escolas Públicas no Brasil: Um Olhar Inicial Gabriel Barreto Correa (*) Isabel Opice (**) 1 Introdução Não é novidade que o Brasil apresenta, além de índices educacionais muito baixos

Leia mais

O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL PROPAGANDA

O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL PROPAGANDA O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL PROPAGANDA Anilda Costa Alves Jamile Alves da Silva Leônidas José da Silva Jr Universidade Estadual da Paraíba anildauepb@gmail.com milygta10@hotmail.com

Leia mais

PROVA BRASIL: DESCRITORES DE AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA

PROVA BRASIL: DESCRITORES DE AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA PROVA BRASIL: DESCRITORES DE AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA Isabel Cristina Ribeiro 1 Mary Ângela Teixeira Branda lise 2 Resumo Este trabalho tem por objetivo realizar um estudo sobre as habilidades e competências

Leia mais

PARECER DOS RECURSOS

PARECER DOS RECURSOS Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE PROCESSO SELETIVO ADMISSÃO DE PROFESSORES EM CARÁTER TEMPORÁRIO EDITAL Nº 15/ 2012/ SED PARECER DOS RECURSOS CARGO: Professor de Matemática 11) Uma

Leia mais

CPV 82% de aprovação na ESPM

CPV 82% de aprovação na ESPM CPV 8% de aprovação na ESPM ESPM julho/010 Prova E Matemática 1. O valor da expressão y =,0 é: a) 1 b) c) d) e) 4 Sendo x =, e y =,0, temos: x 1 + y 1 x. y 1 y. x 1 1 1 y + x x 1 + y 1 + x y xy = = = xy

Leia mais

FACULDADE CDL. Edital do Primeiro Concurso Vestibular 2016.2

FACULDADE CDL. Edital do Primeiro Concurso Vestibular 2016.2 FACULDADE CDL Credenciada pela Portaria MEC n o 354 de 14 de março de 2008; D.O.U. nº 53, de 18/03/2008. Edital do Primeiro Concurso Vestibular 2016.2 O Diretor Geral da Faculdade CDL, no uso de suas atribuições

Leia mais

RASCUNHO Nº DE INSCRIÇÃO. PROVA ESCRITA OBJETIVA CARGO: PROFESSOR CLASSE SL (MATEMÁTICA) DATA: 20/01/2013 HORÁRIO: 9h às 12h (horário do Piauí)

RASCUNHO Nº DE INSCRIÇÃO. PROVA ESCRITA OBJETIVA CARGO: PROFESSOR CLASSE SL (MATEMÁTICA) DATA: 20/01/2013 HORÁRIO: 9h às 12h (horário do Piauí) NÚCLEO DE CONCURSOS E PROMOÇÃO DE EVENTOS NUCEPE PROCESSO SELETIVO SEDUC/PI - 2012 FOLHA DE ANOTAÇÃO DO GABARITO - ATENÇÃO: Esta parte somente deverá ser destacada pelo fiscal da sala, após o término da

Leia mais

22.5.1. Data de Equivalência no Futuro... 22.5.2. Data de Equivalência no Passado... 2. 22.5. Equivalência de Capitais Desconto Comercial...

22.5.1. Data de Equivalência no Futuro... 22.5.2. Data de Equivalência no Passado... 2. 22.5. Equivalência de Capitais Desconto Comercial... Aula 22 Juros Simples. Montante e juros. Descontos Simples. Equivalência Simples de Capital. Taxa real e taxa efetiva. Taxas equivalentes. Capitais equivalentes. Descontos: Desconto racional simples e

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DAS VÍDEO AULAS NA FORMAÇÃO DO EDUCANDO.

AS CONTRIBUIÇÕES DAS VÍDEO AULAS NA FORMAÇÃO DO EDUCANDO. AS CONTRIBUIÇÕES DAS VÍDEO AULAS NA FORMAÇÃO DO EDUCANDO. Autor: José Marcos da Silva Instituição: UFF/CMIDS E-mail: mzosilva@yahoo.com.br RESUMO A presente pesquisa tem como proposta investigar a visão

Leia mais

André Ito ROTEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO E REVISÃO

André Ito ROTEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO E REVISÃO Pág. 1 de 7 Aluno (: Disciplina Matemática Curso Professor Ensino Fundamental II André Ito ROTEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO E REVISÃO Série 8º ANO Número: 1 - Conteúdo: Equações de 1º grau (Operações,

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA INTERATIVIDADE FINAL DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES AULA. AULA: 23.1 Conteúdo: Texto dissertativo-argumentativo

LÍNGUA PORTUGUESA INTERATIVIDADE FINAL DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES AULA. AULA: 23.1 Conteúdo: Texto dissertativo-argumentativo : 23.1 Conteúdo: Texto dissertativo-argumentativo Habilidades: Perceber como se organizam os parágrafos de um texto dissertativo-argumentativo. Texto dissertativo O texto dissertativo é um tipo de texto

Leia mais

Impacto_ Aproximar o ambiente escolar do desenvolvimento de habilidades socioemocionais cria espaço para um aprendizado mais completo e tem impacto no bem-estar ao longo de toda a vida. Isso porque, segundo

Leia mais

TEXTO 1964, PASSADO E PRESENTE

TEXTO 1964, PASSADO E PRESENTE LÍNGUA PORTUGUESA TEXTO 1964, PASSADO E PRESENTE Mundo, maio/2014 O golpe de 1964, que completou meio século, é passado e presente simultaneamente. Passado: o golpe se inscreve na geopolítica da Guerra

Leia mais

Entre 1998 e 2001, a freqüência escolar aumentou bastante no Brasil. Em 1998, 97% das

Entre 1998 e 2001, a freqüência escolar aumentou bastante no Brasil. Em 1998, 97% das INFORME-SE BNDES ÁREA PARA ASSUNTOS FISCAIS E DE EMPREGO AFE Nº 48 NOVEMBRO DE 2002 EDUCAÇÃO Desempenho educacional no Brasil: O que nos diz a PNAD-2001 Entre 1998 e 2001, a freqüência escolar aumentou

Leia mais

Processo Seletivo Salesiano

Processo Seletivo Salesiano COLÉGIO SALESIANO NOSSA SENHORA AUXILIADORA Processo Seletivo Salesiano Concurso de Bolsas de Estudos Nome do(a) aluno(a): Número de Inscrição: Série: 7º Ano Ensino Fundamental II ORIENTAÇÕES Ao receber

Leia mais

A 'BC' e, com uma régua, obteve estas medidas: = h = 3,6. Portanto a área do triângulo ABC vale = 7,56cm

A 'BC' e, com uma régua, obteve estas medidas: = h = 3,6. Portanto a área do triângulo ABC vale = 7,56cm 1 Um estudante tinha de calcular a área do triângulo C, mas um pedaço da folha do caderno rasgou-se. Ele, então, traçou o segmento 'C' paralelo a C, a altura C' H do triângulo 'C' e, com uma régua, obteve

Leia mais

1ª EDIÇÃO DO PRÊMIO EXPERIÊNCIAS DE SUCESSO PROFESSOR NOTA 10 REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO I

1ª EDIÇÃO DO PRÊMIO EXPERIÊNCIAS DE SUCESSO PROFESSOR NOTA 10 REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO I Das Disposições Gerais 1ª EDIÇÃO DO PRÊMIO EXPERIÊNCIAS DE SUCESSO PROFESSOR NOTA 10 REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO I Art. 1º - O Prêmio Experiências de Sucesso 2015 Professor Nota 10, é uma promoção da Secretaria

Leia mais

Laboratório didático de Física

Laboratório didático de Física Laboratório didático de Física Como redigir um relatório Como escrever um relatório? Esperamos nos próximos parágrafos passar algumas informações úteis para escrever um relatório. É possível que algumas

Leia mais

Programa de Iniciação. Tecnológica e Cidadania

Programa de Iniciação. Tecnológica e Cidadania Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte Pró-Reitoria de Ensino Departamento de Gestão em Tecnologias Educacionais e Educação a Distância Programa de Iniciação Tecnológica

Leia mais

Guia de Discussão Série Eu e meu dinheiro Episódio: O piano ou a Aninha

Guia de Discussão Série Eu e meu dinheiro Episódio: O piano ou a Aninha Guia de Discussão Série Eu e meu dinheiro Episódio: O piano ou a Aninha Sumário Sobre a série... 3 Material de apoio... 3 Roteiro para uso dos vídeos em grupos... 4 Orientações para o facilitador... 4

Leia mais

OFICINA DE JOGOS MATEMÁTICOS E MATERIAIS MANIPULÁVEIS

OFICINA DE JOGOS MATEMÁTICOS E MATERIAIS MANIPULÁVEIS OFICINA DE JOGOS MATEMÁTICOS E MATERIAIS MANIPULÁVEIS Mais informações: Site PIBID: http://www.pibid.ufrn.br/ Site LEM/UFRN: http://www.ccet.ufrn.br/matematica/lemufrn/index.html E-mail do LEM/UFRN: lem2009ufrn@yahoo.com.br

Leia mais

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA - APRESENTAÇÃO 1- COMO SURGIU A IDÉIA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 2- O QUE SIGNIFICA INCLUSÃO ESCOLAR? 3- QUAIS AS LEIS QUE GARANTEM A EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 4- O QUE É UMA ESCOLA

Leia mais

A) 1, 2 e 3. B) 1, 3 e 4. C) 2, 3 e 4. D) 2, 4 e 5. E) 3, 4 e 5.

A) 1, 2 e 3. B) 1, 3 e 4. C) 2, 3 e 4. D) 2, 4 e 5. E) 3, 4 e 5. Seleção para Cursos Técnicos 007 CONHECIMENTOS DE PORTUGUÊS Texto 1: Gol de placa contra o trabalho infantil Até o começo deste ano Isaias Maciel tinha uma enxada velha, a sua companheira de finais de

Leia mais

compreensão ampla do texto, o que se faz necessário para o desenvolvimento das habilidades para as quais essa prática apresentou poder explicativo.

compreensão ampla do texto, o que se faz necessário para o desenvolvimento das habilidades para as quais essa prática apresentou poder explicativo. 9 Conclusão Neste estudo, eu me propus a investigar os efeitos de práticas de Língua Portuguesa no aprendizado de leitura e como esses efeitos se diferenciam conforme o ano de escolaridade dos alunos e

Leia mais

FGV-EAESP PROVA DE RACIOCÍNIO MATEMÁTICO CURSO DE GRADUAÇÃO AGOSTO/2004

FGV-EAESP PROVA DE RACIOCÍNIO MATEMÁTICO CURSO DE GRADUAÇÃO AGOSTO/2004 QUESTÃO 1. Numa cidade do interior do estado de São Paulo, uma prévia eleitoral entre 2.000 filiados revelou as seguintes informações a respeito de três candidatos A, B, e C, do Partido da Esperança (PE)

Leia mais

O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS

O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS Daiana Rodrigues dos Santos Prado¹; Francine de Paulo Martins² Estudante do Curso de Pedagogia; e-mail:

Leia mais

O que é protagonismo juvenil?

O que é protagonismo juvenil? O que é protagonismo juvenil? Branca Sylvia Brener * Índice Protagonismo Juvenil Por que a participação social dos jovens? O papel do educador Bibliografia Protagonismo Juvenil A palavra protagonismo vem

Leia mais

3. Quais são as modalidades de estágio? Estágio obrigatório e Estágio não obrigatório (art. 2º da Lei 11.788/2008).

3. Quais são as modalidades de estágio? Estágio obrigatório e Estágio não obrigatório (art. 2º da Lei 11.788/2008). 1. O que é o estágio? Estágio é o ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de estudantes. O estágio integra o itinerário

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA ESTÁGIO DE PEDAGOGIA

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA ESTÁGIO DE PEDAGOGIA ORIENTAÇÕES GERAIS PARA ESTÁGIO DE PEDAGOGIA INTRODUÇÃO Os Estágios Supervisionados constam de atividades de prática pré-profissional, exercidas em situações reais de trabalho, sem vínculo empregatício,

Leia mais

Diagnosticando conhecimentos matemáticos requeridos nas provas do ENEM

Diagnosticando conhecimentos matemáticos requeridos nas provas do ENEM Diagnosticando conhecimentos matemáticos requeridos nas provas do ENEM Maria das Dores de Morais Brasil dora.pe@gmail.com Leonardo de Morais UFPE Brasil leonardob.morais@gmail.com Resumo Este trabalho

Leia mais

Matemática para Concursos - Provas Gabaritadas. André Luiz Brandão

Matemática para Concursos - Provas Gabaritadas. André Luiz Brandão Matemática para Concursos - Provas Gabaritadas André Luiz Brandão CopyMarket.com Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida sem a autorização da Editora. Título:

Leia mais

Experimento. Guia do professor. Otimização da cerca. Secretaria de Educação a Distância. Ministério da Ciência e Tecnologia. Ministério da Educação

Experimento. Guia do professor. Otimização da cerca. Secretaria de Educação a Distância. Ministério da Ciência e Tecnologia. Ministério da Educação Números e funções Guia do professor Experimento Otimização da cerca Objetivos da unidade 1. Resolver um problema de otimização através do estudo de uma função quadrática. 2. Estudar as propriedades de

Leia mais

( ) =. GABARITO: LETRA A + ( ) =

( ) =. GABARITO: LETRA A + ( ) = ) Há 0 anos, em º de julho de 994, entrava em vigor o real, moeda que pôs fim à hiperinflação que assolava a população brasileira. Nesse novo sistema monetário, cada real valia uma URV (Unidade Real de

Leia mais

Nível 3 IV FAPMAT 28/10/2007

Nível 3 IV FAPMAT 28/10/2007 1 Nível 3 IV FAPMAT 8/10/007 1. A figura abaixo representa a área de um paralelepípedo planificado. A que intervalo de valores, x deve pertencer de modo que a área da planificação seja maior que 184cm

Leia mais

PLANO DE TRABALHO TÍTULO: PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NO PROCESSO DE LEITURA E ESCRITA DAS CRIANÇAS

PLANO DE TRABALHO TÍTULO: PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NO PROCESSO DE LEITURA E ESCRITA DAS CRIANÇAS PLANO DE TRABALHO TÍTULO: PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NO PROCESSO DE LEITURA E ESCRITA DAS CRIANÇAS IDENTIFICAÇÃO O presente projeto de intervenção está sendo desenvolvido na Escola Municipal Professor

Leia mais

A PROBLEMATIZAÇÃO DE JOGOS COMO ESTRATÉGIA DE APRENDIZAGEM PARA AS QUATRO OPERAÇÕES FUNDAMENTAIS

A PROBLEMATIZAÇÃO DE JOGOS COMO ESTRATÉGIA DE APRENDIZAGEM PARA AS QUATRO OPERAÇÕES FUNDAMENTAIS A PROBLEMATIZAÇÃO DE JOGOS COMO ESTRATÉGIA DE APRENDIZAGEM PARA AS QUATRO OPERAÇÕES FUNDAMENTAIS Cristiane Borges Angelo (Orientadora) Emmanuel De Sousa Fernandes Falcão (Orientador) Vilmara Luiza Almeida

Leia mais

TIPO DE PROVA: A. Questão 3. Questão 1. Questão 2. Questão 4. alternativa E. alternativa A. alternativa B

TIPO DE PROVA: A. Questão 3. Questão 1. Questão 2. Questão 4. alternativa E. alternativa A. alternativa B Questão TIPO DE PROVA: A Em uma promoção de final de semana, uma montadora de veículos colocou à venda n unidades, ao preço único unitário de R$ 0.000,00. No sábado foram vendidos 9 dos Questão Na figura,

Leia mais

Leia estas instruções:

Leia estas instruções: Leia estas instruções: 1 2 3 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local deste

Leia mais

UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE AS DIFICULDADES DOS ALUNOS DAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO MÉDIO ENVOLVENDO FRAÇÕES

UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE AS DIFICULDADES DOS ALUNOS DAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO MÉDIO ENVOLVENDO FRAÇÕES UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE AS DIFICULDADES DOS ALUNOS DAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO MÉDIO ENVOLVENDO FRAÇÕES Taciany da Silva Pereira¹, Nora Olinda Cabrera Zúñiga² ¹Universidade Federal de Minas Gerais / Departamento

Leia mais

Discurso: Avaliação dos resultados das políticas públicas de educação em MT

Discurso: Avaliação dos resultados das políticas públicas de educação em MT Discurso: Avaliação dos resultados das políticas públicas de educação em MT Senhor presidente, Senhores e senhoras senadoras, Amigos que nos acompanham pela agência Senado e redes sociais, Hoje, ocupo

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 GESTÃO DA APRENDIZAGEM ESCOLAR EM MATEMÁTICA RELATO DE EXPERIÊNCIA NO PROGRAMA GESTAR II Sidnei Luís da Silva Escola Municipal Vereador Benedito Batista Congatem - MG sidneiluisdasilva@yahoo.com.br Camila

Leia mais

MA.01. 4. Sejam a e b esses números naturais: (a + b) 3 (a 3 + b 3 ) = a 3 + 3a 2 b + 3ab 2 + b 3 a 3 b 3 = = 3a 2 b + 3ab 2 = 3ab (a + b)

MA.01. 4. Sejam a e b esses números naturais: (a + b) 3 (a 3 + b 3 ) = a 3 + 3a 2 b + 3ab 2 + b 3 a 3 b 3 = = 3a 2 b + 3ab 2 = 3ab (a + b) Reformulação Pré-Vestibular matemática Cad. 1 Mega OP 1 OP MA.01 1.. 3. 4. Sejam a e b esses números naturais: (a + b) 3 (a 3 + b 3 ) a 3 + 3a b + 3ab + b 3 a 3 b 3 3a b + 3ab 3ab (a + b) Reformulação

Leia mais

Fundamentos e Práticas em Libras II

Fundamentos e Práticas em Libras II Fundamentos e Práticas em Libras II Aula 01 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

O ato elaborar planos não diz respeito a decisões futuras, mas às implicações futuras de decisões presentes. PLANEJAR PARA QUEM? PARA O OUTRO (ALUNO)

O ato elaborar planos não diz respeito a decisões futuras, mas às implicações futuras de decisões presentes. PLANEJAR PARA QUEM? PARA O OUTRO (ALUNO) Efetivação das Políticas Educacionais Pós-Publicação dos Pls de Educação Explicitar como o consenso na construção em torno de uma política de educação para o decênio de forma ativa e participativa, constituído

Leia mais

+ Do que xxx e escadas

+ Do que xxx e escadas Reforço escolar M ate mática + Do que xxx e escadas Dinâmica 6 1º Série 2º Bimestre DISCIPLINA Série CAMPO CONCEITO Matemática Ensino Médio 1ª Campo Geométrico DINÂMICA + Do que xxx e escadas Razões trigonométricas

Leia mais

ipea políticas sociais acompanhamento e análise 7 ago. 2003 117 GASTOS SOCIAIS: FOCALIZAR VERSUS UNIVERSALIZAR José Márcio Camargo*

ipea políticas sociais acompanhamento e análise 7 ago. 2003 117 GASTOS SOCIAIS: FOCALIZAR VERSUS UNIVERSALIZAR José Márcio Camargo* GASTOS SOCIAIS: FOCALIZAR VERSUS UNIVERSALIZAR José Márcio Camargo* Como deve ser estruturada a política social de um país? A resposta a essa pergunta independe do grau de desenvolvimento do país, da porcentagem

Leia mais

Prova Final de Matemática. 3.º Ciclo do Ensino Básico. Prova 92/1.ª Chamada. Duração da Prova: 90 minutos. Tolerância: 30 minutos.

Prova Final de Matemática. 3.º Ciclo do Ensino Básico. Prova 92/1.ª Chamada. Duração da Prova: 90 minutos. Tolerância: 30 minutos. PROVA FINAL DO 3.º CICLO DO ENSINO BÁSICO Matemática/Prova 92/1.ª Chamada/2012 Decreto-Lei n.º 6/2001, de 18 de janeiro A PREENCHER PELO ESTUDANTE Nome completo Documento de identificação CC n.º ou BI

Leia mais

ANEXO II. Regulamentação da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrado. Capítulo I Da admissão

ANEXO II. Regulamentação da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrado. Capítulo I Da admissão ANEXO II ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNANBUCANO Resolução nº 031/2010 De 30 de setembro de 2010 Regulamentação da Educação Profissional Técnica de

Leia mais

CARTILHA. Previdência. Complementar NOVA TRIBUTAÇÃO. www.sulamericaonline.com.br

CARTILHA. Previdência. Complementar NOVA TRIBUTAÇÃO. www.sulamericaonline.com.br CARTILHA Previdência Complementar NOVA TRIBUTAÇÃO www.sulamericaonline.com.br Índice 1. Os Planos de Previdência Complementar e o Novo Regime Tributário 4 2. Tratamento Tributário Básico 5 3. Características

Leia mais

I SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DAS CIÊNCIAS DA LINGUAGEM NO CARIRI DE 21 a 23 DE NOVEMBRO DE 2012 - ISSN 2318-8391

I SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DAS CIÊNCIAS DA LINGUAGEM NO CARIRI DE 21 a 23 DE NOVEMBRO DE 2012 - ISSN 2318-8391 ENSINO E APRENDIZAGEM DE LATIM NA URCA: UM ESTUDO DE CASO SOUZA, Yascara Simão 1 ARRUDA, Francisco Edmar Cialdine 2 RESUMO Este trabalho tem como objetivo apresentar análises colhidas de materiais como

Leia mais

PROEJA: UMA EXPERIÊNCIA DA IMPLANTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO NA EEEFM PROFESSOR GETÚLIO GUEDES EM PEDRAS DE FOGO PB

PROEJA: UMA EXPERIÊNCIA DA IMPLANTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO NA EEEFM PROFESSOR GETÚLIO GUEDES EM PEDRAS DE FOGO PB PROEJA: UMA EXPERIÊNCIA DA IMPLANTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO NA EEEFM PROFESSOR GETÚLIO GUEDES EM PEDRAS DE FOGO PB INTRODUÇÃO ARAGÃO, Wellington Alves Secretaria Estadual de Educação- PB welledu@yahoo.com.br

Leia mais

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA PROVA OBJETIVA PROCESSO SELETIVO DE AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE Prezado candidato(a), você recebeu o seguinte material: - um caderno de questões contendo 30 (trinta) questões

Leia mais

Direito a inclusão digital Nelson Joaquim

Direito a inclusão digital Nelson Joaquim 1 Direito a inclusão digital Nelson Joaquim Vivemos num mundo globalizado, numa sociedade da informação e do conhecimento. A inclusão digital faz parte do direito à educação, até porque as novas tecnologias

Leia mais

Matemática. O coeficiente angular dado pelo 3º e 4º pontos é igual ao coeficiente angular dado pelo 1º e 3º. Portanto:

Matemática. O coeficiente angular dado pelo 3º e 4º pontos é igual ao coeficiente angular dado pelo 1º e 3º. Portanto: Matemática O gráfico de uma função polinomial do primeiro grau passa pelos pontos de coordenadas ( x, y) dados abaixo x y 0 5 m 8 6 4 7 k Podemos concluir que o valor de k m é: A 5,5 B 6,5 C 7,5 D 8,5

Leia mais

Direito à Educação. Parceria. Iniciativa. Coordenação Técnica. Apoio

Direito à Educação. Parceria. Iniciativa. Coordenação Técnica. Apoio Direito à Educação Apoio Parceria Coordenação Técnica Iniciativa Objetivos Refletir sobre: O que é Direito à Educação e como chegamos até aqui Garantia do direito à educação no Brasil Papel atual do Gestor

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2006 (Do Sr. Ricardo Santos e outros) O Congresso Nacional decreta:

PROJETO DE LEI Nº, DE 2006 (Do Sr. Ricardo Santos e outros) O Congresso Nacional decreta: 1 PROJETO DE LEI Nº, DE 2006 (Do Sr. Ricardo Santos e outros) Autoriza o Poder Executivo a criar o Programa Nacional Pró-Infância Brasileira e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: Artigo

Leia mais

04. Sem perder de vista a sua relação com o texto, alguns vocábulos em destaque aparecem nos 5 trechos abaixo, seguidos de uma análise gramatical:

04. Sem perder de vista a sua relação com o texto, alguns vocábulos em destaque aparecem nos 5 trechos abaixo, seguidos de uma análise gramatical: CONHECIMENTOS BÁSICOS 2 NAS QUESTÕES NUMERADAS DE 01 A 10, ASSINALE A ÚNICA ALTERNATIVA QUE RESPONDE CORRETAMENTE AO ENUNCIADO. LÍNGUA PORTUGUESA LEIA O TEXTO A SEGUIR PARA RESPONDER ÀS QUESTÕES NUMERADAS

Leia mais

Coleção Cadernos Afro-Paraibanos APRESENTAÇÃO

Coleção Cadernos Afro-Paraibanos APRESENTAÇÃO Coleção Cadernos Afro-Paraibanos APRESENTAÇÃO O racismo é um fenômeno das relações sociais do Brasil. No estado da Paraíba, onde mais de 60% da população é negra, não encontramos essa mesma proporcionalidade

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI NADIR DIAS DE FIGUEIREDO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI NADIR DIAS DE FIGUEIREDO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DO OBJETIVO REGULAMENTO Art. 1.º Os cursos de pós-graduação lato sensu do SENAI de São Paulo, obedecem o que dispõe a Resolução CNE/CES n.º 1, de 8 de junho de 2007, do Conselho Nacional de Educação e

Leia mais

GRADUAÇÃO FGV 2005 PROVA DISCURSIVA DE MATEMÁTICA

GRADUAÇÃO FGV 2005 PROVA DISCURSIVA DE MATEMÁTICA GRADUAÇÃO FGV 005 PROVA DISCURSIVA DE MATEMÁTICA PREENCHA AS QUADRÍCULAS ABAIXO: NOME DO CANDIDATO: NÚMERO DE INSCRIÇÃO: Assinatura 1 Você receberá do fiscal este caderno com o enunciado de 10 questões,

Leia mais

DISCIPLINA: ECONOMIA DA ENGENHARIA I Professor JORGE JUNIOR E.MAIL: jjuniorsan@ceunes.ufes.br

DISCIPLINA: ECONOMIA DA ENGENHARIA I Professor JORGE JUNIOR E.MAIL: jjuniorsan@ceunes.ufes.br UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO DISCIPLINA: ECONOMIA DA ENGENHARIA I Professor JORGE JUNIOR E.MAIL: jjuniorsan@ceunes.ufes.br Apostila integralmente

Leia mais

Paulo Freire. A escola é

Paulo Freire. A escola é Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão MEC/SECADI Paulo Freire A escola é "um processo ativo e dinâmico de discussão e construção. Não será construída com facilidade porque

Leia mais

Prova 3 - Matemática

Prova 3 - Matemática Prova 3 - QUESTÕES OBJETIIVAS N ọ DE ORDEM: N ọ DE INSCRIÇÃO: NOME DO CANDIDATO: IINSTRUÇÕES PARA A REALIIZAÇÃO DA PROVA. Confira os campos N ọ DE ORDEM, N ọ DE INSCRIÇÃO e NOME, que constam na etiqueta

Leia mais

INTERVENÇÕES ESPECÍFICAS PARA ALUNOS DO PROEJA: FORMAS DE POTENCIALIZAR A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO

INTERVENÇÕES ESPECÍFICAS PARA ALUNOS DO PROEJA: FORMAS DE POTENCIALIZAR A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO INTERVENÇÕES ESPECÍFICAS PARA ALUNOS DO PROEJA: FORMAS DE POTENCIALIZAR A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO Cláucia Honnef; Pablo Camargo Flores; Mateus Silva de Medeiros; Ana Paula Del Aghenese; Lutiele Machado

Leia mais

Fração como porcentagem. Sexto Ano do Ensino Fundamental. Autor: Prof. Francisco Bruno Holanda Revisor: Prof. Antonio Caminha M.

Fração como porcentagem. Sexto Ano do Ensino Fundamental. Autor: Prof. Francisco Bruno Holanda Revisor: Prof. Antonio Caminha M. Material Teórico - Módulo de FRAÇÕES COMO PORCENTAGEM E PROBABILIDADE Fração como porcentagem Sexto Ano do Ensino Fundamental Autor: Prof. Francisco Bruno Holanda Revisor: Prof. Antonio Caminha M. Neto

Leia mais

Matemática Aplicada II

Matemática Aplicada II Matemática Aplicada II 010G Cópia não autorizada. Reservados todos os MATEMÁTICA direitos APLICADA autorais. II 5E Editora Aline Palhares Desenvolvimento de conteúdo, mediação pedagógica e design gráfico

Leia mais

CPV 82% de aprovação dos nossos alunos na ESPM

CPV 82% de aprovação dos nossos alunos na ESPM CPV 8% de aprovação dos nossos alunos na ESPM ESPM Resolvida Prova E 11/novembro/01 MATEMÁTICA 1. A distribuição dos n moradores de um pequeno prédio de 4 5 apartamentos é dada pela matriz 1 y, 6 y + 1

Leia mais

ENSINO DE LIBRAS PARA ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA POR MEIO DE UMA AÇÃO EXTENSIONISTA

ENSINO DE LIBRAS PARA ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA POR MEIO DE UMA AÇÃO EXTENSIONISTA ENSINO DE LIBRAS PARA ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA POR MEIO DE UMA AÇÃO EXTENSIONISTA Merlânia Lino da Silva (1); Ana Cristina Silva Daxenberger (2) (1) Universidade Federal da Paraíba (CCA), merlaniaareiapb@gmail.com

Leia mais

CEFET-MA/COPEAC Seletivo Técnico 2008 Língua Portuguesa e Matemática 0

CEFET-MA/COPEAC Seletivo Técnico 2008 Língua Portuguesa e Matemática 0 PROCESSO SELETIVO AOS CURSOS TÉCNICOS SUBSEQÜENTES / 008 UNED SÃO LUÍS CEFET-MA/COPEAC Seletivo Técnico 008 Língua Portuguesa e Matemática 0 PROCESSO SELETIVO AOS CURSOS TÉCNICOS SUBSEQÜENTES / 008 UNED

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2015-2º. semestre

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2015-2º. semestre MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO 2015-2º. semestre Caro Candidato, Este é o manual do processo seletivo para o 2º. semestre de 2015 para os cursos de Licenciatura em Pedagogia e Letras-Língua Portuguesa

Leia mais

Banco do Brasil + BaCen

Banco do Brasil + BaCen 1. TAXA Taxa [ i ] é um valor numérico de referência, informado por uma das notações: Forma percentual, p.ex. 1%. Forma unitária, p.ex. 0,01 Forma fracionária centesimal, p.ex. 1/100. Ambos representam

Leia mais

Caderno de Prova MARQUE ASSIM NÃO MARQUE ASSIM. Pedofilia é crime, denuncie.

Caderno de Prova MARQUE ASSIM NÃO MARQUE ASSIM. Pedofilia é crime, denuncie. Edital de Abertura do Concurso Público Caema - MA n o 01/2014 Auxiliar de Serviços e Obras de Saneamento Caderno de Prova LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO Prezado(a) Candidato(a), 1. Ao receber este

Leia mais

PROPOSTAS DE TRABALHO PARA OS ALUNOS A PARTIR DE JOGOS 2º ANO. Adriana da Silva Santi Coordenação Pedagógica de Matemática

PROPOSTAS DE TRABALHO PARA OS ALUNOS A PARTIR DE JOGOS 2º ANO. Adriana da Silva Santi Coordenação Pedagógica de Matemática PROPOSTAS DE TRABALHO PARA OS ALUNOS A PARTIR DE JOGOS 2º ANO Adriana da Silva Santi Coordenação Pedagógica de Matemática Piraquara Abril/214 1 JOGOS E PROPOSTAS DE TRABALHO PARA OS ALUNOS JOGO DOS 6 PALITOS

Leia mais

ESTEQUIMETRIA LÚDICA: RESSIGNIFICANDO A APRENDIZAGEM POR MEIO DE UMA MARATONA QUÍMICA

ESTEQUIMETRIA LÚDICA: RESSIGNIFICANDO A APRENDIZAGEM POR MEIO DE UMA MARATONA QUÍMICA ESTEQUIMETRIA LÚDICA: RESSIGNIFICANDO A APRENDIZAGEM POR MEIO DE UMA MARATONA QUÍMICA Patrícia Severiano de Oliveira* (1) (1) Universidade Federal de Alagoas Campus Arapiraca *patríciaufal2011@gmail.com

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Celular CRT

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Celular CRT Demonstrações Financeiras Relatório Anual 04 Visão Prev Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Celular CRT Período: 04 e 03 dezembro R$ Mil Descrição 04 03 Variação (%). Ativos.85.769

Leia mais

UFSM 2009 - MATEMÁTICA

UFSM 2009 - MATEMÁTICA UFSM 009 - MATEMÁTICA 0) Coronel Pilar afinado com a música é a manchete do jornal A Razão, seção Educação, do dia de julho de 008. Segundo a notícia, a Escola Estadual Coronel Pilar deu início ao projeto

Leia mais

Surdez: Desafios para o Próximo Milênio Mônica Pereira dos Santos 1

Surdez: Desafios para o Próximo Milênio Mônica Pereira dos Santos 1 Surdez: Desafios para o Próximo Milênio Mônica Pereira dos Santos 1 Introdução O presente trabalho objetiva se constituir em um ensaio a respeito das contradições com que o discurso pela igualdade se reflete

Leia mais

CPV O Cursinho que Mais Aprova na GV

CPV O Cursinho que Mais Aprova na GV CPV O Cursinho que Mais Aprova na GV FGV ADM Objetiva Prova A 03/junho/01 matemática 01. Em um período de grande volatilidade no mercado, Rosana adquiriu um lote de ações e verificou, ao final do dia,

Leia mais

A Inteligência Empresarial

A Inteligência Empresarial A Inteligência Empresarial A produtividade do Conhecimento deve ser, portanto, a preocupação central dos administradores do século XXI. Conhecimento, inovação e empreendedorismo formam, assim, um tripé

Leia mais

Conversando sobre a REALIDADE. Propostas Educação. Ano 1 - nº 3 - Nov/15

Conversando sobre a REALIDADE. Propostas Educação. Ano 1 - nº 3 - Nov/15 Conversando sobre a REALIDADE social do BRASIL Propostas Educação Ano 1 - nº 3 - Nov/15 Partido da Social Democracia Brasileira Presidente: Senador Aécio Neves Instituto Teotônio Vilela Presidente: José

Leia mais

O projeto piloto de acompanhamento pedagógico dos estudantes do CTISM/UFSM

O projeto piloto de acompanhamento pedagógico dos estudantes do CTISM/UFSM UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA O projeto piloto de acompanhamento pedagógico dos estudantes do CTISM/UFSM Mariglei Severo Maraschin CTISM/UFSM Camila Sehnem - CTISM/UFSM Débora Marschal CTISM/UFSM

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME. Secretaria-Executiva. Diretoria de Projetos Internacionais - DPI CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME. Secretaria-Executiva. Diretoria de Projetos Internacionais - DPI CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria-Executiva Diretoria de Projetos Internacionais - DPI CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR MODALIDADE: Produto TERMO DE REFERÊNCIA Projeto Agência: PNUD

Leia mais

Conheça as 20 metas aprovadas para o Plano Nacional da Educação _PNE. Decênio 2011 a 2021. Aprovado 29/05/2014

Conheça as 20 metas aprovadas para o Plano Nacional da Educação _PNE. Decênio 2011 a 2021. Aprovado 29/05/2014 Conheça as 20 metas aprovadas para o Plano Nacional da Educação _PNE Decênio 2011 a 2021. Aprovado 29/05/2014 Meta 1 Educação Infantil Universalizar, até 2016, o atendimento escolar da população de 4 e

Leia mais

(A) é Alberto. (B) é Bruno. (C) é Carlos. (D) é Diego. (E) não pode ser determinado apenas com essa informação.

(A) é Alberto. (B) é Bruno. (C) é Carlos. (D) é Diego. (E) não pode ser determinado apenas com essa informação. 1. Alberto, Bruno, Carlos e Diego beberam muita limonada e agora estão apertados fazendo fila no banheiro. Eles são os únicos na fila, e sabe se que quem está imediatamente antes de Carlos bebeu menos

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 2/2014/CM

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 2/2014/CM PROVIMENTO N. 2/2014/CM Atualiza a política de gratificação por encargo de curso ministrado/desenvolvido pelos magistrados e servidores do Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso que atuarem como instrutores

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA Minuta Lei Municipalização Ensino Fundamental 2009 Estabelece critérios para a municipalização do Ensino Fundamental da rede pública do Estado e a movimentação de servidores e estabelece outras providências.

Leia mais

PROPOSTA PARA MINIMIZAÇÃO DA EVASÃO ESCOLAR COM O USO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

PROPOSTA PARA MINIMIZAÇÃO DA EVASÃO ESCOLAR COM O USO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1 PROPOSTA PARA MINIMIZAÇÃO DA EVASÃO ESCOLAR COM O USO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA São Paulo SP 04/2012 Categoria: C - Métodos e Tecnologias Setor Educacional: 3 Educação Universitária Natureza do Trabalho:

Leia mais

QUESTÃO 16 Na figura, temos os gráficos das funções f e g, de em. O valor de gof(4) + fog(1) é:

QUESTÃO 16 Na figura, temos os gráficos das funções f e g, de em. O valor de gof(4) + fog(1) é: Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA A ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM 4 Disciplina: MaTeMÁTiCa Prova: desafio nota: QUESTÃO 6 Na figura, temos os gráficos das funções f e g,

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DA UNESP 2016 - FASE 1. POR PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEICÃO GOUVEIA.

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DA UNESP 2016 - FASE 1. POR PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEICÃO GOUVEIA. RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DA UNESP 06 - FASE. POR PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEICÃO GOUVEIA. Questão 84 A taxa de analfabetismo representa a porcentagem da população com idade de anos ou mais que é

Leia mais

O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA

O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA Denise Ritter Instituto Federal Farroupilha Campus Júlio de Castilhos deniseritter10@gmail.com Renata da Silva Dessbesel Instituto

Leia mais

12) A círculo = π r 2. 13) A lateral cone = π.r.g. 16) V esfera = 18) A lateral pirâmide = 19) (y y 0 ) = m(x x 0 ) 20) T p+1 = a

12) A círculo = π r 2. 13) A lateral cone = π.r.g. 16) V esfera = 18) A lateral pirâmide = 19) (y y 0 ) = m(x x 0 ) 20) T p+1 = a MATEMÁTICA FORMULÁRIO 0 o 45 o 60 o sen cos tg base altura ) A triângulo = ) A círculo = π r x y ) A triângulo = D, onde D = x y x y ) A lateral cone = π.r.g ) sen (x)+ cos (x)= 4) A retângulo = base altura

Leia mais

Mestre em Economia/UFMT e Gestor Governamental (SEPLAN/MT). Email: edmarvieira@seplan.mt.gov.br.

Mestre em Economia/UFMT e Gestor Governamental (SEPLAN/MT). Email: edmarvieira@seplan.mt.gov.br. Governo do Estado de Mato Grosso Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral Superintendência de Planejamento Coordenadoria de Avaliação ET CAV/SP/SEPLAN nº 10/2013 Educação: o desafio da

Leia mais

Universalizar a educação primária

Universalizar a educação primária Universalizar a educação primária META 2 terminem um ciclo completo de ensino. Garantir que, até 2015, todas as crianças, de ambos os sexos, Escolaridade no Estado de São Paulo O aumento sistemático das

Leia mais

Escola Básica do 2º e 3º Ciclos S. Paio de Moreira de Cónegos

Escola Básica do 2º e 3º Ciclos S. Paio de Moreira de Cónegos Escola Básica do 2º e 3º Ciclos S. Paio de Moreira de Cónegos Ficha de Avaliação - Matemática 7. Ano A Nome: N.º: Turma: Classificação: Professor: Enc. Educ.: Esta ficha é constituída por duas partes,

Leia mais

EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA: DIREITO À DIVERSIDADE

EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA: DIREITO À DIVERSIDADE EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA: DIREITO À DIVERSIDADE Ana Carolina Marques de GOES 1 RESUMO: A educação inclusiva, especificamente relativa às pessoas com deficiência, é um assunto muito

Leia mais