Os Novos Contratos Futuros da BM&FBOVESPA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Os Novos Contratos Futuros da BM&FBOVESPA"

Transcrição

1 Os Novos Contratos Futuros da BM&FBOVESPA Fabiana Salgueiro Perobelli Urso Seminário Perspectivas para o Agribusiness em 2008 e de Junho de 2008

2 Agenda 1 Novo modelo de negociação para o milho 2 Algodão para exportação DAC 3 Índice de Commodities Brasil

3 1 Novo Modelo de Negociação para o Milho

4 Produção e demanda de milho no Brasil Localização das indústrias Aves - Abef Suínos - Abipecs Confinamentos - Assocon Elaboração: CONAB-DIGEM e BM&F

5 Evolução das Bases de Preços do Milho 1/3/05 3/3/05 5/3/05 7/3/05 9/3/05 11/3/05 1/3/06 3/3/06 5/3/06 7/3/06 9/3/06 11/3/06 1/3/07 3/3/07 5/3/07 7/3/07 9/3/07 11/3/07 1/3/08 3/3/08 5/3/08 R$/saca Cascavel (PR) Rio Verde (GO) Uberlândia (MG) Lucas do Rio Verde (MT)

6 Características do Mercado de Milho Volatilidade das bases (% ao ano) PERÍODO Rio Verde Dourados Uberlandia Cascavel Lucas R Verde Regionalização do mercado de milho Fatores de oferta e demanda locais Produto sensível aos impactos tributários e logísticos Volatilidade nas bases A formação de preço em Campinas nem sempre é transmitida na velocidade adequada

7 Modelo inédito de negociação, que permitirá a fixação do preço local para os agentes da cadeia do milho Contrato futuro (Campinas) liquidado financeiramente, combinado com: Contratos futuros de base regionais com entrega física. Os agentes fixam a base e no vencimento pode ocorrer a entrega física nos armazéns cadastrados pela Bolsa Benefícios: Novo Modelo de Negociação - Milho Reduz o risco de base; Aumenta a eficiência do hedge fixação do preço regional Valoriza os mercados regionais; Dá visibilidade à entrega física; Minimiza os problemas tributários; Atrai novos participantes de mercado.

8 Como operar A fixação do preço local será feita através de duas operações: Contrato futuro Campinas e contrato de base local Fixação do preço em Uberlândia: Vende Campinas e Vende Uberlândia R$ 28/saca e -R$ 5/saca = R$ 23/saca (local)

9 Contrato Futuro com Liquidação Financeira Cotação: R$/saca de 60 Kg Tamanho: 450 sacas de 60 Kg Data de vencimento: Dia 15 do mês de vencimento Meses de negociação: jan, mar, mai, jul, ago, set e nov. Formação de Preço: Campinas/SP Código: CCM Liquidação financeira pelo Indicador Esalq/BM&F Média dos últimos 3 dias úteis Modelo do boi gordo Contrato Futuro Financeiro

10 Indicador do Milho Esalq/BM&F Bovespa - Campinas 1/2/2004 3/2/2004 5/2/2004 7/2/2004 9/2/ /2/2004 1/2/2005 3/2/2005 5/2/2005 7/2/2005 9/2/ /2/2005 1/2/2006 3/2/2006 5/2/2006 7/2/2006 9/2/ /2/2006 1/2/2007 3/2/2007 5/2/2007 7/2/2007 9/2/ /2/2007 1/2/2008 3/2/2008 5/2/2008 R$/saca

11 Contrato de Base Objeto de negociação Padrão mercado interno Padrão exportação (base mercado externo) Cotação Reais por saca, livres de ICMS (mercado interno) Reais por saca, livres de quaisquer encargos, tributários ou nãotributários Poderá ser um número positivo, nulo ou negativo Formação de preço o da região-base Dentro da região-base serão cadastrados armazéns para entrega física da mercadoria Não haverá incidência de frete dentro da região.

12 Contrato de Base Tamanho: 450 sacas Meses: Janeiro, marco, maio, julho, agosto, setembro e novembro Último dia de negociação: Dia 15 do mês de vencimento Liquidação por entrega: Conceito de período de Intenção de Entrega (5 dias) Alocação: primeiro dia útil após o último dia de negociação

13 Potenciais Bases para Negociação Paraná: Paranaguá (Transferido) Região de Cascavel Goiás: Região de Rio Verde Minas Gerais: Região de Uberlândia Mato Grosso: Região de Lucas do Rio Verde Mato Grosso do Sul: Região de Dourados

14 Agenda 1 Novo modelo de negociação para o milho 2 Algodão para Exportação DAC

15 Motivação Desenho contratual atenderá as necessidades de hedge de preço dos exportadores e importadores; A formação de preço no Porto de Santos permitirá melhor visibilidade do preço do algodão brasileiro, além da arbitragem com o mercado internacional; Originação do algodão brasileiro pelo não-residente, sem risco País ; Contrato FOB.

16 Características do Contrato Objeto de negociação Algodão em pluma, embalado em fardos, tipo único Formação de preço Porto de Santos Formação de lotes: depósito em Regime Especial denominado Depósito Alfandegado Certificado (DAC). Meses de vencimento Março, maio, julho, outubro e dezembro Tamanho do contrato 24 toneladas

17 Contrato de Exportação Uberlândia Campinas Barueri Santo André Curitiba

18 Agenda 1 Novo modelo de negociação para o milho 2 Algodão para exportação DAC 3 Índice de Commodities Brasil

19 Evolução do ICB BCI, (Em R$) 1/2/2004 3/2/2004 5/2/2004 7/2/2004 9/2/ /2/2004 1/2/2005 3/2/2005 5/2/2005 7/2/2005 9/2/ /2/2005 1/2/2006 3/2/2006 5/2/2006 7/2/2006 9/2/ /2/2006 1/2/2007 3/2/2007 5/2/2007 7/2/2007 9/2/ /2/2007 1/2/2008 3/2/2008 5/2/2008

20 Comparativo de volatilidades em % ao ano

21 Commodities negociadas e elegíveis para o ICB Negociadas: Café Arábica Boi Gordo Soja Milho Açúcar Etanol Algodão Ouro Elegíveis: Café Arábica Boi Gordo Soja Milho Etanol (será incluído na próxima reponderação)

22 Ponderação Atual Critério Volume Financeiro Producao Liquidez Ponderacao º Quad 08 Boi Gordo 32.46% 46.12% 41.56% Café Arabica 13.07% 40.20% 31.16% Soja 35.27% 8.62% 17.50% Milho 19.20% 5.06% 9.78% 100% 100% 100% Ponderação: 1/3 pela produção e 2/3 pela liquidez. Ponderação válida para o 2º Quadrimestre de 2008.

23 Comparação com Dow Jones Agro Index BCI R$ DJ Agricultural 1/2/2004 3/2/2004 5/2/2004 7/2/2004 9/2/ /2/2004 1/2/2005 3/2/2005 5/2/2005 7/2/2005 9/2/ /2/2005 1/2/2006 3/2/2006 5/2/2006 7/2/2006 9/2/ /2/2006 1/2/2007 3/2/2007 5/2/2007 7/2/2007 9/2/ /2/2007 1/2/2008 3/2/2008 5/2/2008

24 Fabiana Salgueiro Perobelli Urso Gerente de Pecuária e Energia BM&F Bolsa de Mercadorias & Futuros (11)

Negociação de contratos futuros e de opções de milho na BVMF

Negociação de contratos futuros e de opções de milho na BVMF Negociação de contratos futuros e de opções de milho na BVMF Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Milho e Sorgo 11 de março de 2010 Agenda 1 Características do Mercado de Milho 2 Contratos Futuros e

Leia mais

Novos produtos e serviços para o agronegócio. Ivan Wedekin

Novos produtos e serviços para o agronegócio. Ivan Wedekin Novos produtos e serviços para o agronegócio Ivan Wedekin Agenda 1 Evolução do mercado de derivativos 2 Financeirização dos contratos agropecuários 3 Novos produtos e serviços para o agronegócio Mercado

Leia mais

Diretoria de Agronegócios

Diretoria de Agronegócios Proteção de Preços no Mercado Agropecuário Renato Barreto Riscos da atividade agropecuária Climáticos e/ou intempéries Preço Crédito... Mitigadores de Risco de Preço Risco: Oscilação nos preços das mercadorias

Leia mais

Índice de Commodities Brasil ICB

Índice de Commodities Brasil ICB Índice de Commodities Brasil ICB July/2015 [data] 1 Características Índice EOD diário, baseado no preço de ajuste dos contratos Commodities integrantes da carteira: Café Arábica, Etanol; Boi Gordo, Milho

Leia mais

3º Seminário BM&F Famato Os desafios da pecuária no cenário global. Mercados futuros para um Mato Grosso mais competitivo.

3º Seminário BM&F Famato Os desafios da pecuária no cenário global. Mercados futuros para um Mato Grosso mais competitivo. 3º Seminário BM&F Famato Os desafios da pecuária no cenário global Mercados futuros para um Mato Grosso mais competitivo Ivan Wedekin Você é competitivo quando tem um desempenho a longo prazo acima da

Leia mais

Guia Rápido. Como negociar Commodities Agrícolas. Leandro Benitez

Guia Rápido. Como negociar Commodities Agrícolas. Leandro Benitez Guia Rápido Como negociar Commodities Agrícolas Leandro Benitez O objetivo deste artigo é apresentar-lhe os princípios dos contratos agrícolas para que você possa iniciar suas negociações neste segmento.

Leia mais

SUMÁRIO. 1.1 - Volume Negociado de Contratos Futuros 3. 1.2 - Volume Negociado de Contratos de Opções 3

SUMÁRIO. 1.1 - Volume Negociado de Contratos Futuros 3. 1.2 - Volume Negociado de Contratos de Opções 3 Commodities: Relatório sobre o Volume Negociado Diretoria de Commodities NOVEMBRO 2010 1 SUMÁRIO 1. Balanço do Mês: Novembro/10 1.1 - Volume Negociado de Contratos Futuros 3 1.2 - Volume Negociado de Contratos

Leia mais

Tendências comerciais da pecuária de corte no cenário muncial

Tendências comerciais da pecuária de corte no cenário muncial Tendências comerciais da pecuária de corte no cenário muncial Ivan Wedekin Diretor de Produtos do Agronegócio e Energia ENIPEC Encontro Internacional dos Negócios da Pecuária 1 Brasil o gigante da pecuária

Leia mais

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO A soja é a commodity mais importante do Brasil, pelo valor da produção obtida de grão, óleo e farelo, significativa parcela na receita cambial, área plantada, consumo de

Leia mais

RELATÓRIO DE MERCADO JULHO DE 2015

RELATÓRIO DE MERCADO JULHO DE 2015 RELATÓRIO DE MERCADO JULHO DE 2015 COMMODITIES AGRÍCOLAS RESUMO DOS PRINCIPAIS INDICADORES DO MERCADO DE COMMODITIES AGRÍCOLAS SUMÁRIO OFERTA 4 8 VARIAÇÕES HISTÓRICAS E FORECAST 6 DEMANDA 9 CONSIDERAÇÕES

Leia mais

Índice BM&FBOVESPA S/A. BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS MERCADO FUTURO WEBTRADING

Índice BM&FBOVESPA S/A. BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS MERCADO FUTURO WEBTRADING WebTranding Índice BM&FBOVESPA S/A. BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS MERCADO FUTURO WEBTRADING BM&FBOVESPA BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS BM&FBOVESPA S/A Sociedade anonima, que organiza,

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas sexta-feira, 13 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 139,70 0,00 0,00-0,55 SET13 116,25 116,10 115,75-0,20

Leia mais

Fundamentos de Mercado Futuro e de Opções no Agronegócio

Fundamentos de Mercado Futuro e de Opções no Agronegócio Fundamentos de Mercado Futuro e de Opções no Agronegócio Quais alternativas um produtor rural tem para diminuir os riscos de preços na hora de vender sua safra? Modelo tradicional: contato direto com o

Leia mais

Mercados Futuros (BM&F)

Mercados Futuros (BM&F) Neste segmento de mercado se negociam contratos e minicontratos futuros de ativos financeiros ou commodities. Ou seja, é a negociação de um produto que ainda não existe no mercado, por um preço predeterminado

Leia mais

08/09/2015. Mundo Evolução da área (índice 100= safra 2000/01) Bolsa de Chicago Relação soja/milho no 1º contrato PROPHETX/AGRURAL

08/09/2015. Mundo Evolução da área (índice 100= safra 2000/01) Bolsa de Chicago Relação soja/milho no 1º contrato PROPHETX/AGRURAL PERSPECTIVAS PARA A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA NOS PRÓXIMOS 5 ANOS FERNANDO MURARO JR. Engenheiro agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas ANDA 5º CONGRESSO BRASILEIRO DE FERTILIZANTES

Leia mais

Soja-Comercialização Safra 2011/12 e Cenario 2012/13. NILVA CLARO COSTA nilva.claro@conab.gov.br

Soja-Comercialização Safra 2011/12 e Cenario 2012/13. NILVA CLARO COSTA nilva.claro@conab.gov.br Soja-Comercialização Safra 2011/12 e Cenario 2012/13 NILVA CLARO COSTA nilva.claro@conab.gov.br Comercialização Safra-2011/12 60,00 55,00 50,00 45,00 40,00 35,00 30,00 25,00 20,00 S oja Grã o P re ços

Leia mais

Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013

Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013 Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013 dezembro, 2012 Índice 1. Algodão 2. Soja 3. Milho 4. Boi Gordo 5. Valor Bruto da Produção ALGODÃO Mil toneladas

Leia mais

Silvia H. G. de Miranda Coordenadora técnica Indicador do arroz CEPEA/ESALQ-USP/BM&F 10o. Seminário Arroz e Pecuária Uruguaiana Maio/2007

Silvia H. G. de Miranda Coordenadora técnica Indicador do arroz CEPEA/ESALQ-USP/BM&F 10o. Seminário Arroz e Pecuária Uruguaiana Maio/2007 Possibilidade de Comercialização de Arroz no Mercado Futuro Silvia H. G. de Miranda Coordenadora técnica Indicador do arroz CEPEA/ESALQ-USP/BM&F 10o. Seminário Arroz e Pecuária Uruguaiana Maio/2007 1 Estrutura

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas sábado, 14 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 139,00 0,00 0,00-0,70 SET13 115,55 115,70 115,70-0,70

Leia mais

O MERCADO FUTURO COMO ALTERNATIVA PARA MINIMIZAR OS RISCOS DE PREÇOS DOS PRODUTORES DE SOJA DO MÉDIO-NORTE DE MATO GROSSO 1

O MERCADO FUTURO COMO ALTERNATIVA PARA MINIMIZAR OS RISCOS DE PREÇOS DOS PRODUTORES DE SOJA DO MÉDIO-NORTE DE MATO GROSSO 1 O MERCADO FUTURO COMO ALTERNATIVA PARA MINIMIZAR OS RISCOS DE PREÇOS DOS PRODUTORES DE SOJA DO MÉDIO-NORTE DE MATO GROSSO 1 RESUMO Márcia F. Silveira 2 Paulo J. Körbes 3 É conhecido o fato de que a agricultura

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO...1 CAPÍTULO 2 CONCEITOS BÁSICOS DE MERCADOS FUTUROS..5 CAPÍTULO 3 MERCADO FUTURO DE DÓLAR COMERCIAL...

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO...1 CAPÍTULO 2 CONCEITOS BÁSICOS DE MERCADOS FUTUROS..5 CAPÍTULO 3 MERCADO FUTURO DE DÓLAR COMERCIAL... SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO..................................1 CAPÍTULO 2 CONCEITOS BÁSICOS DE MERCADOS FUTUROS..5 2.1 Introdução...........................................5 2.2 Posições.............................................6

Leia mais

03/10/2014. Roteiro da Apresentação FINANCEIRIZAÇÃO DO MERCADO ANÁLISE TÉCNICA E DE CICLOS OFERTA E DEMANDA

03/10/2014. Roteiro da Apresentação FINANCEIRIZAÇÃO DO MERCADO ANÁLISE TÉCNICA E DE CICLOS OFERTA E DEMANDA OS MERCADOS DE SOJA, MILHO E TRIGO EM 2015 FERNANDO MURARO JR. Engenheiro agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas OCEPAR Curitiba (PR), 02/out/14 www.agrural.com.br A INFORMAÇÃO

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com História do Milho - Os primeiros registros do cultivo datam de 7.300 anos - Origem Americana: litoral do México - Nome, de origem indígena, significa "sustento

Leia mais

Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ

Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ DACEC Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ Comentários referentes ao período entre 21/06/2013 a 27/06/2013 Prof. Dr. Argemiro Luís Brum 1 Prof. Ms.

Leia mais

CONJUNTURA MENSAL JUNHO

CONJUNTURA MENSAL JUNHO SOJA - MATO GROSSO CONJUNTURA MENSAL JUNHO ANO 1 Nº2 O preço mundial da commodity apresenta movimento de alta em nível mundial, impulsionado principalmente pelas condições climáticas adversas nos Estados

Leia mais

BOVINOCULTURA DE CORTE

BOVINOCULTURA DE CORTE ISS 36-9 BOVINOCULTURA DE CORTE Os preços médios da arroba do boi e da vaca, em Mato Grosso do Sul, no mês de fevereiro, foram de R$8,8 e R$,99, respectivamente. Em relação ao mês anterior, houve um avanço

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: AGOSTO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

27 de abril de 2016. Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2016/2017

27 de abril de 2016. Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2016/2017 27 de abril de 2016 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2016/2017 ROTEIRO I. Considerações sobre a atual situação do setor sucroenergético II. Bioeletricidade III. Condições climáticas e agronômicas

Leia mais

Assunto: Derivativos Prof. Ms Keilla Lopes

Assunto: Derivativos Prof. Ms Keilla Lopes Assunto: Derivativos Prof. Ms Keilla Lopes Graduada em Administração pela UEFS Especialista em Gestão Empresarial pela UEFS Mestre em Administração pela UFBA Assunto: DERIVATIVOS Objetivos da aula: Conceito

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas quarta-feira, 18 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 133,50 0,00 0,00-4,85 SET13 111,05 114,75 111,10-3,75

Leia mais

AGRONEGÓCIOS TENDÊNCIAS DOS MERCADOS NO BRASIL E NO MUNDO EM 2015/2016. Carlos Cogo Outubro/2015

AGRONEGÓCIOS TENDÊNCIAS DOS MERCADOS NO BRASIL E NO MUNDO EM 2015/2016. Carlos Cogo Outubro/2015 AGRONEGÓCIOS TENDÊNCIAS DOS MERCADOS NO BRASIL E NO MUNDO EM 2015/2016 Carlos Cogo Outubro/2015 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 115 110 105 100 95 90 85 80 75 70 65 60 55 CARNES: EVOLUÇÃO

Leia mais

ALGODÃO Período: 19 a 23/09/2011

ALGODÃO Período: 19 a 23/09/2011 ALGODÃO Período: 9 a 23/09/20 Quadro I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR Algodão em Pluma - (em R$/unidade) Períodos anteriores Semana Atual Centros de Produção Unid. 2 meses () mês () semana () Média do mercado

Leia mais

Míni de Ibovespa WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você.

Míni de Ibovespa WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você. Míni de Ibovespa WEBTRADING É acessível. É descomplicado. É para você. WEBTRADING O futuro em um clique Com apenas um clique, você pode negociar minicontratos. O acesso ao WTr é simples, rápido e seguro.

Leia mais

SOJA MERCADO INTERNO

SOJA MERCADO INTERNO SOJA MERCADO INTERNO Dezembro se inicia com desvalorização nos preços médios da soja. O preço da saca recuou Dentre as praças pesquisadas, Maracaju registrou a maior desvalorização, 2,74%, com a em média

Leia mais

DERIVATIVOS. Por Abraão Maia. Ulisses Malveira

DERIVATIVOS. Por Abraão Maia. Ulisses Malveira DERIVATIVOS Por Abraão Maia Ulisses Malveira REVISÃO DE DERIVATIVOS Contratos a Termo O que é? Um contrato que lhe dá o direito de receber uma quantidade X de um produto Y. Quem? Duas pessoas, um comprador

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas segunda-feira, 23 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 134,55 0,00 0,00 0,00 DEZ13 117,75 121,95 121,50-1,25

Leia mais

FUT - ICF - Café arábica Z12 2.552,21 2.552,27. FUT - ICF - Café arábica H13 2.628,70 2.628,68. FUT - ICF - Café arábica K13 2.662,62 2.

FUT - ICF - Café arábica Z12 2.552,21 2.552,27. FUT - ICF - Café arábica H13 2.628,70 2.628,68. FUT - ICF - Café arábica K13 2.662,62 2. FUT - ICF - Café arábica Z12 2.552,21 2.552,27 FUT - ICF - Café arábica H13 2.628,70 2.628,68 FUT - ICF - Café arábica K13 2.662,62 2.662,58 FUT - ICF - Café arábica N13 2.679,18 2.679,26 FUT - ICF - Café

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: MARÇO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

MENU DE COMMODITIES SOJA MAIO (SOJK10) Soja fechou em leve baixa, trabalha na casa entre 21,50 e 21,80. JULHO 2009/ MAIO 2010 (N/K)

MENU DE COMMODITIES SOJA MAIO (SOJK10) Soja fechou em leve baixa, trabalha na casa entre 21,50 e 21,80. JULHO 2009/ MAIO 2010 (N/K) MENU DE COMMODITIES SOJA MAIO (SOJK10) SOJA MAIO (SOJK10) Médias no Profitchart utilizando o after market. Tempo 60 minutos MÉDIAS 12 SIMPLES E 23 SIMPLES TEMPO 60 MINUTOS SUPORTE 1 R$ 21,80 SITUAÇÃO VENDA

Leia mais

Míni de Dólar WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você.

Míni de Dólar WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você. Míni de Dólar WEBTRADING É acessível. É descomplicado. É para você. FUTURO WEBTRADING EM UM CLIQUE O futuro em um clique Com apenas um clique, você pode negociar minicontratos. O acesso ao WTr é simples,

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas CAFÉ CAFÉ Bolsas BM&F ICE FUTURES Contrato Fechamento Máxima Mínimo Variação Contrato Fechamento Máxima Mínimo Variação SET13 136,80 136,50 135,80-1,80 SET 113,50 115,70 113,25-1,45

Leia mais

2 Contratos Futuros Agropecuários no Brasil

2 Contratos Futuros Agropecuários no Brasil 2 Contratos Futuros Agropecuários no Brasil A presente seção apresenta as commodities agrícolas negociadas no mercado futuro brasileiro. Além disso, revela a estrutura básica dos contratos futuros e traça

Leia mais

Reunião Pública Dezembro de 2015

Reunião Pública Dezembro de 2015 Reunião Pública Dezembro de 2015 Cenário Macroeconômico Arlindo de Azevedo Moura CEO 2 Cenário Macroeconômico 3 COMMODITIES Pressão de queda nos preços Menor preço dos últimos 16 anos TAXA DE CÂMBIO RESTRIÇÃO

Leia mais

ANÁLISE GRÁFICA GRÁFICO MILHO SETEMBRO BM&F (CCMU10) SUPORTE 1 R$ 20,50 RESISTÊNCIA1 R$ 20,70 SUPORTE 2 R$ 20,20 RESISTÊNCIA 2 R$ 20,80

ANÁLISE GRÁFICA GRÁFICO MILHO SETEMBRO BM&F (CCMU10) SUPORTE 1 R$ 20,50 RESISTÊNCIA1 R$ 20,70 SUPORTE 2 R$ 20,20 RESISTÊNCIA 2 R$ 20,80 ANÁLISE MERCADO FUTURO DE SOJA 09/08/2010 SOJA COMENTÁRIO - Preços firmes para a soja em Chicago neste início de semana. As preocupações com o tempo seco ao sul e oeste do Cinturão e região do Delta do

Leia mais

Preço médio da Soja em Mato Grosso do Sul Abril de 2013 - Em R$ por saca de 60 kg.

Preço médio da Soja em Mato Grosso do Sul Abril de 2013 - Em R$ por saca de 60 kg. ANÁLISE SOJA MERCADO INTERNO: Nos primeiros dez dias do mês de maio houve valorização nos preços praticados da saca de soja de 6 kg quando comparados aos preços observados em 1 de maio,,38% de aumento

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA O mês de março de 2015 foi marcado pelo anúncio dos principais resultados da economia de 2014 e deste início de 2015. Dentre eles destacaramse o PIB, taxa de desemprego nas principais

Leia mais

Características Gerais do Projeto

Características Gerais do Projeto Brasil - Indústria Características Gerais do Projeto Engenharia: Capacidade inicial de 600 cabeças/dias, expansível para 1000 cabeças/dias em 2008. O investimento inicial : R$ 17.045.000 A expansão se

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: JULHO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

FERTILIZANTES: PRODUTO E MERCADO. XIII Encontro Nacional de Produção e Abastecimento de Batata ABBA

FERTILIZANTES: PRODUTO E MERCADO. XIII Encontro Nacional de Produção e Abastecimento de Batata ABBA FERTILIZANTES: PRODUTO E MERCADO XIII Encontro Nacional de Produção e Abastecimento de Batata ABBA Holambra, 25 de Outubro de 2007 Fertilizantes: Análise Mercadológica Produto: Insumo Bem homogêneo Bem

Leia mais

Balança Comercial. Manoela Oliveira E-mail: manoela.teixeira@agricultura.mg.gov.br Tel: (31) 3915-8603 - Belo Horizonte/MG

Balança Comercial. Manoela Oliveira E-mail: manoela.teixeira@agricultura.mg.gov.br Tel: (31) 3915-8603 - Belo Horizonte/MG Edição 01 Janeiro Balança Comercial Manoela Oliveira E-mail: manoela.teixeira@agricultura.mg.gov.br Tel: (31) 3915-8603 - Belo Horizonte/MG 3 Exportações As exportações do agronegócio mineiro totalizaram

Leia mais

2 Mercado Futuro. 2.1 Conceituação Básica

2 Mercado Futuro. 2.1 Conceituação Básica 13 2 Mercado Futuro Este capítulo tem como objetivo fazer um breve resumo sobre o Mercado Futuro, mostrando sua origem e evolução, importância e seus principais contratos. 2.1 Conceituação Básica Um contrato

Leia mais

Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ

Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ DACEC Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ Comentários referentes ao período entre 05/07/2013 a 11/07/2013 Prof. Dr. Argemiro Luís Brum 1 Prof. Ms.

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com História Antes do dólar a moeda de referência internacional era a Libra Esterlina, pois a Inglaterra era a grande economia mundial. Somente após a segunda

Leia mais

BOLETIM SEMANAL R$ 68,70 R$ 67,90 R$ 430,00 R$ 400,00

BOLETIM SEMANAL R$ 68,70 R$ 67,90 R$ 430,00 R$ 400,00 13/2 15/2 17/2 19/2 21/2 23/2 25/2 27/2 1/3 3/3 5/3 7/3 9/3 11/3 13/3 15/3 Contratos Negociados (x 1000) Cents de US$/bu Análise Estatística de Algodão Algodão PREÇOS CAEM: Assim como no cenário de âmbito

Leia mais

CONTRATO DE OPÇÃO DE VENDA DE CAFÉ

CONTRATO DE OPÇÃO DE VENDA DE CAFÉ 1727-2002 275 ANOS NOVO INSTRUMENTO DE POLÍTICA AGRÍCOLA CONTRATO DE OPÇÃO DE VENDA DE CAFÉ GOVERNO LANÇA CONTRATOS DE OPÇÃO DE VENDA PARA SUSTENTAR OS PREÇOS DO CAFÉ Os cafeicultores brasileiros terão,

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA "LUIZ DE QUEIROZ"

DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ Na média, pecuarista ganha da inflação em setembro Em setembro, o custo efetivo da pecuária, pesquisado pela CNA/Cepea-USP, teve alta de apenas 0,22%, enquanto que a inflação medida pelo IGP-M alcançou

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com Boi - Mercado Mercado de Boi gordo - Brasil: * Maior exportador mundial, * Consumo interno: mais de 70%, * Maior rebanho comercial, * Perda de área para outras culturas. - Mundo:

Leia mais

Perspectivas de Mercado

Perspectivas de Mercado Perspectivas de Mercado Estratégico Nível Gestão Gerencial Nível Caixa Nível Operacional Pecuária Custos de Corte Tecnologia do uso da informa ção Alcides Torres Insumos Bens de Fabiano R. Tito Rosa Scot

Leia mais

Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária. Novembro 2015 PARANÁ

Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária. Novembro 2015 PARANÁ Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro 2015 PARANÁ A estimativa de área para a safra 2015/16 de soja é recorde no Paraná. Segundo os técnicos de campo serão semeados 5,24 milhões de hectares,

Leia mais

Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica

Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica Produção mundial deve recuar em 2007/08 Segundo o relatório de oferta e demanda divulgado pelo Usda em setembro

Leia mais

Mercado de Capitais e seu Papel Indutor no Desenvolvimento do Agronegócio

Mercado de Capitais e seu Papel Indutor no Desenvolvimento do Agronegócio Mercado de Capitais e seu Papel Indutor no Desenvolvimento do Agronegócio Fabio Dutra Diretor Comercial e de Desenvolvimento de Mercados 16/06/2015 1 AGENDA DESAFIOS DO AGRONEGÓCIO MERCADO DE CAPITAIS

Leia mais

Milho Perspectivas do mercado 2011/12

Milho Perspectivas do mercado 2011/12 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA Milho Perspectivas do mercado 2011/12 março de 2012 Milho - Oferta e Demanda - Mundo milhões de t. Safras 2008/09 2009/10

Leia mais

3,8 milhões de hectares de lavouras ruins nos EUA

3,8 milhões de hectares de lavouras ruins nos EUA BOLSA DE CHICAGO 3,8 milhões de hectares de lavouras ruins nos EUA Chuvas diminuíram nesta semana, mas ainda acumularam grandes volumes em pontos já muitos úmidos do Meio-Oeste 3 EUA Lavouras De Soja Ruins

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas quinta-feira, 12 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 140,25 0,00 0,00 4,40 SET13 116,45 116,00 114,00

Leia mais

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES / 2007 1- Balança Comercial Mato Grosso continua tendo superávit na Balança Comercial registrando em 2007 um expressivo saldo de US$ 4,38 bilhões valor que representa

Leia mais

Mercado Financeiro e de Capitais. Taxas de juros reais e expectativas de mercado. Gráfico 3.1 Taxa over/selic

Mercado Financeiro e de Capitais. Taxas de juros reais e expectativas de mercado. Gráfico 3.1 Taxa over/selic III Mercado Financeiro e de Capitais Taxas de juros reais e expectativas de mercado A meta para a taxa Selic foi mantida durante o primeiro trimestre de 21 em 8,75% a.a. Em resposta a pressões inflacionárias

Leia mais

Mercado Financeiro e de Capitais. Taxas de Juros Reais e Expectativas de Mercado. Gráfico 3.1 Taxa over/selic

Mercado Financeiro e de Capitais. Taxas de Juros Reais e Expectativas de Mercado. Gráfico 3.1 Taxa over/selic III Mercado Financeiro e de Capitais Taxas de Juros Reais e Expectativas de Mercado A taxa Selic efetiva totalizou 8,2% em 213 e a taxa Selic real acumulada no ano, deflacionada pelo IPCA, atingiu 2,2%.

Leia mais

MARGENS ESTREITAS PARA O PRODUTOR DE ALGODÃO

MARGENS ESTREITAS PARA O PRODUTOR DE ALGODÃO MARGENS ESTREITAS PARA O PRODUTOR DE ALGODÃO Custos Algodão A produção de algodão no Brasil está crescendo de forma expressiva, devido à boa competitividade dessa cultura frente a outras concorrentes em

Leia mais

Milho Período: 19 a 23/10/2015

Milho Período: 19 a 23/10/2015 Milho Período: 19 a 23/10/2015 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços médios semanais apresentados nas praças de

Leia mais

Agropecuária Brasileira: Oportunidades e Desafios

Agropecuária Brasileira: Oportunidades e Desafios Agropecuária Brasileira: Oportunidades e Desafios José Ricardo Severo Superintendência Técnica CNA Março 2010 1 Objetivos: 1. Importância do Agronegócio; 2. Alavanca exportadora como fator de crescimento;

Leia mais

PANORAMA SEMANAL DO MERCADO SUÍNO DO DF 06/02/2015

PANORAMA SEMANAL DO MERCADO SUÍNO DO DF 06/02/2015 PANORAMA SEMANAL DO MERCADO SUÍNO DO DF 06/02/2015 Cotação Diária do Suíno Vivo, por Unidade da Federação Data MG SP PR SC RS DF MT Carcaça CEPEA 05/02/2015 R$ 3,68 R$ 3,35 R$ 3,17 R$ 3,23 R$ 3,28 R$ 4,01

Leia mais

O QUE É HEDGE E COMO ELE FUNCIONA

O QUE É HEDGE E COMO ELE FUNCIONA O QUE É HEDGE E COMO ELE FUNCIONA! O que é hedge?! Como estar protegido de um eventual prejuízo de uma operação financeira da empresa no futuro?! Como podemos hedgear uma operação efetuada em dólar?! Como

Leia mais

Há 30 anos no mercado, a Futura Corretora iniciou suas atividades nos mercados de derivativos, como sócia fundadora da BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros). Desde sua fundação, vem disseminando em todo

Leia mais

Agronegócios: momento e perspectivas.

Agronegócios: momento e perspectivas. Agronegócios: momento e perspectivas. Perfil das propriedades rurais brasileiras. Familiares Patronais Região Estabelecimentos Familiares (a) Norte 380.895 Nordeste 2.055.157 Centro-Oeste 162.062 Sudeste

Leia mais

COMPRADOR VENDEDOR SACAS PREÇO QUALIDADE NOTÍCIAS: CONAB VENDE CAFÉ COM MAIS DE 20 ANOS E ARRECADA R$1,97 MI

COMPRADOR VENDEDOR SACAS PREÇO QUALIDADE NOTÍCIAS: CONAB VENDE CAFÉ COM MAIS DE 20 ANOS E ARRECADA R$1,97 MI M dcheg BARÃO COMISSÁRIA DE CAFÉ LTDA Alameda Otávio Marques de Paiva, 220 Bairro Santa Luiza CEP 37062-670 - Varginha-MG (35) 3214-7725 / 8855-0050 / 8879-0040 / 8876-0030 www.baraocomissariadecafe.com.br

Leia mais

Derivativos Agropecuários Mercado Futuro

Derivativos Agropecuários Mercado Futuro 1 Índice 1. INTRODUÇÃO...Pág. 01 2. A BM&FBOVESPA...Pág. 01 3. CONCEITOS DE MERCADO À VISTA E MERCADOS DE DERIVATIVOS...Pág. 01 4. DIFERENÇA ENTRE MERCADO BALCÃO, ORGANIZADO, NÃO ORGANIZADO, E MERCADO

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: ABRIL/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

EFETIVIDADE DO HEDGE DE SOJA EM GRÃO BRASILEIRA COM CONTRATOS FUTUROS DE DIFERENTES VENCIMENTOS NA CHICAGO BOARD OF TRADE 1

EFETIVIDADE DO HEDGE DE SOJA EM GRÃO BRASILEIRA COM CONTRATOS FUTUROS DE DIFERENTES VENCIMENTOS NA CHICAGO BOARD OF TRADE 1 Anamaria Gaudencio Martins & Danilo R. D. AguiarISSN 1679-1614 EFETIVIDADE DO HEDGE DE SOJA EM GRÃO BRASILEIRA COM CONTRATOS FUTUROS DE DIFERENTES VENCIMENTOS NA CHICAGO BOARD OF TRADE 1 Anamaria Gaudencio

Leia mais

Sicredi Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Renda Fixa Prime Longo Prazo (CNPJ n 08.252.576/0001-58) (Administrado pelo Banco

Sicredi Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Renda Fixa Prime Longo Prazo (CNPJ n 08.252.576/0001-58) (Administrado pelo Banco Sicredi Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Renda Fixa Prime (CNPJ n 08.252.576/0001-58) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes

Leia mais

Agosto/2015 Belo Horizonte - MG

Agosto/2015 Belo Horizonte - MG SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Agosto/2015 Belo Horizonte - MG ÍNDICE 03. Apresentação 04. Dados de Minas Gerais 05. Área, Produção

Leia mais

Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ

Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ DACEC Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ Comentários referentes ao período entre 03/05/2013 a 09/05/2013 Prof. Dr. Argemiro Luís Brum 1 Prof. Ms.

Leia mais

Bom Dia Commodities. Commodities. 12 de Agosto, 2013. Café

Bom Dia Commodities. Commodities. 12 de Agosto, 2013. Café Bom Dia Café Semana positiva para o café. Finalmente saiu a medida que os produtores estavam esperando. A presidente Dilma anunciou que enxugará do mercado 3 milhões de sacas em março/14 a R$346,00/saca

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SOJA. Setembro 2014 Belo Horizonte MG

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SOJA. Setembro 2014 Belo Horizonte MG SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SOJA Setembro 2014 Belo Horizonte MG ÍNDICE 03. Apresentação 04. Dados de Minas Gerais 05. Área, Produção e Produtividade

Leia mais

Soluções estratégicas em economia

Soluções estratégicas em economia Soluções estratégicas em economia Cenário macroeconômico e perspectivas para 2014/2018 maio de 2014 Perspectivas para a economia mundial Perspectivas para a economia brasileira Perspectivas para os Pequenos

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DA RORAIMA Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 224.118 2,64% 5,82% População - mil (1)

Leia mais

BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008

BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008 BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008 Mercado Internacional Em 2007, a produção anual de milho atingiu quase 720 milhões de tonelada (Tabela 1), quando os Estados Unidos,

Leia mais

Diversificação como estratégia de gestão de risco financeiro na agropecuária

Diversificação como estratégia de gestão de risco financeiro na agropecuária 1 Diversificação como estratégia de gestão de risco financeiro na agropecuária Karine Diniz Xavier UFG Reginaldo Santana Figueiredo UFG Kellen Cristina Campos Fernandes UFG 26/11/2013 2 Introdução 2 Problema

Leia mais

Operações com derivativos (item 7 do edital BB)

Operações com derivativos (item 7 do edital BB) Operações com derivativos (item 7 do edital BB) Prof.Nelson Guerra set / 2012 INTRODUÇÃO Os preços gerais das mercadorias agrícolas, das taxas de juros e do câmbio têm-se mostrado altamente instável no

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE BOVINA NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE BOVINA NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE BOVINA NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS PARTICIPAÇÃO NA PRODUÇÃO Produção de carnes NACIONAL - USDA - mil ton DO COMPLEXO CARNES - 2014 Carne Bovina

Leia mais

MERCADOS INTERNACIONAIS DE CAPITAIS

MERCADOS INTERNACIONAIS DE CAPITAIS MERCADOS INTERNACIONAIS DE CAPITAIS Fontes de recursos financeiros para o financiamento empresarial Fontes INTERNAS EXTERNAS Lucros retidos Ativos maior que passivos Proteção Fiscal Outros Recursos de

Leia mais

VALORIZAÇÃO DO BEZERRO ATRAI ATENÇÃO PARA A CRIA

VALORIZAÇÃO DO BEZERRO ATRAI ATENÇÃO PARA A CRIA Ano 6 - Edição 25 Agosto 2014 VALORIZAÇÃO DO BEZERRO ATRAI ATENÇÃO PARA A CRIA Por Prof. Dr. Sergio De Zen, Pesquisador; Equipe Pecuária de Corte As cotações praticadas em todos os elos da cadeia pecuária

Leia mais

ISS 2316-1019 I N F O R M AT I VO Casa Rural. edição outubro 2012. Agricultura. Soja - Milho - Insumos Agrícolas

ISS 2316-1019 I N F O R M AT I VO Casa Rural. edição outubro 2012. Agricultura. Soja - Milho - Insumos Agrícolas ISS 2316-119 I N F O R M AT I VO Casa Rural edição outubro 212 Agricultura Soja - Milho - Insumos Agrícolas SOJA Comportamento dos Preços Internos de Mato Grosso do Sul (R$/SC) 75, 74, 73, 72, 71, 7, 69,

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM LONDRINA-PR

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM LONDRINA-PR CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM LONDRINA-PR Foi realizado no dia 12 de julho de 2012 em Londrina (PR), o painel de custos de produção de grãos. A pesquisa faz parte do Projeto Campo Futuro da Confederação

Leia mais

Algodão: BM&F forma novos classificadores. Simulador BM&F começa 2008 com novos contratos 15/1/2008 313 ANO 10

Algodão: BM&F forma novos classificadores. Simulador BM&F começa 2008 com novos contratos 15/1/2008 313 ANO 10 Simulador BM&F começa 2008 com novos contratos 15/1/2008 313 ANO 10 página 2 Algodão: BM&F forma novos classificadores A Bolsa de Mercadorias & Futuros realiza, de 11 de fevereiro a 17 de março, o Curso

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Índice 1 - Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 1.1 Agronegócio Soja 1.2 Agronegócio Milho 1.3 Agronegócio Algodão 1.4 Agronegócio Boi 2 Competitividade 2.1 Logística

Leia mais

Luciano de Souza Vacari Mercado Futuro Hedging e Opções Novembro/2006

Luciano de Souza Vacari Mercado Futuro Hedging e Opções Novembro/2006 Luciano de Souza Vacari Mercado Futuro Hedging e Opções Novembro/2006 O que é uma Bolsa de Futuros? Local organizado para administrar risco; Organização sem fins lucrativos; Dar visibilidade nos preços;

Leia mais

A contribuição dos Engenheiros para o Moderno Agronegócio Brasileiro

A contribuição dos Engenheiros para o Moderno Agronegócio Brasileiro A contribuição dos Engenheiros para o Moderno Agronegócio Brasileiro Robson Mafioletti Eng. Agr., MSc. Economia Aplicada - Diretor da AEAPR-Curitiba, Conselheiro Titular do CREA/PR Atua na Getec/Ocepar

Leia mais

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil FACT-SHEET Cana-de-Açúcar, Milho e Soja Programa Agricultura e Meio Ambiente WWF - Brasília Março 28 WWF- Secretaria Geral Denise Hamú Superintendência de Conservação de Programas Temáticos Carlos Alberto

Leia mais

Mercado Financeiro e de Capitais. Taxas de juros reais e expectativas de mercado. Gráfico 3.1 Taxa over/selic

Mercado Financeiro e de Capitais. Taxas de juros reais e expectativas de mercado. Gráfico 3.1 Taxa over/selic III Mercado Financeiro e de Capitais Taxas de juros reais e expectativas de mercado O ciclo de flexibilização monetária iniciado em janeiro, quando a meta para a taxa básica de juros foi reduzida em p.b.,

Leia mais