Rivotril: por que o medicamento é o segundo mais vendido no país?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rivotril: por que o medicamento é o segundo mais vendido no país?"

Transcrição

1 ÉPOCA - REVISTA 19/02/ :50 - ATUALIZADO EM 19/02/ :54 Rivotril: por que o medicamento é o segundo mais vendido no país? Uma droga barata, mas de tarja preta, contra a ansiedade vende mais do que os tradicionais Tylenol e Hipoglós CRISTIANE SEGATTO E IVAN MARTINS COLABORARAM DANILO SOARES E MARCELA BUSCATO PALIATIVO Ecleide em seu quarto, em Santo André. Ela sofre de insônia e sentia-se melhor antes de abandonar a psicoterapia. Parei por relaxo, diz. Hoje, só dorme com Rivotril Alguma coisa estranha deve estar acontecendo quando um remédio contra a ansiedade tarja preta, vendido apenas com retenção de receita se torna o segundo medicamento mais consumido no Brasil. Esse remédio é o velho Rivotril, que tem 35 anos de mercado, mas nos últimos cinco escalou rapidamente o ranking dos mais vendidos até chegar ao segundo lugar. Em 2008, os brasileiros compraram nas farmácias 14 milhões de caixinhas do ansiolítico (o campeão de vendas é o anticoncepcional Microvlar, com 20 milhões de unidades). O Rivotril bate remédios de uso corriqueiro, segundo o IMS Health, instituto que audita a indústria farmacêutica. Vende mais que a pomada contra assaduras Hipoglós, o analgésico Tylenol e outros produtos que os consumidores colocam na cestinha sem saber se algum dia vão usar. O sucesso espetacular do Rivotril no Brasil não ocorre com outros medicamentos da mesma categoria. A classe dos tranquilizantes é a sétima mais vendida no país vende menos que anticoncepcionais, analgésicos, antirreumáticos e outros tipos de remédio. A clara preferência pelo Rivotril é um fenômeno brasileiro, que não se repete em outros países. A escalada desse ansiolítico na lista dos mais vendidos sugere que a população em sofrimento psíquico pode ser maior do que se imagina. Transtornos de ansiedade e depressão são comuns nas grandes cidades, castigadas pela violência, pelo trânsito e pelo desemprego. Mas a pesquisa São Paulo Megacity, uma parceria do Hospital das Clínicas de São Paulo com a Organização Mundial da Saúde, revela que cerca de 40% dos moradores da região metropolitana sofre de algum tipo de transtorno psiquiátrico. É um porcentual que os próprios psiquiatras consideram assustador e que depõe frontalmente contra a imagem de nação feliz que os estrangeiros e nós mesmos, brasileiros, gostamos de cultuar.

2 O segundo problema que leva à indicação excessiva do Rivotril é a precariedade do atendimento de saúde brasileiro, sobretudo de saúde mental. Há falta de psiquiatras no país. Consequentemente, as pessoas não recebem diagnóstico correto e não têm tratamento adequado de seus problemas. Quando o paciente chega ao consultório com enxaqueca, gastrite ou qualquer outra queixa que possa ter alguma relação com ansiedade, frequentemente ganha uma receita de Rivotril. Os médicos fazem isso porque o remédio é barato (a caixinha mais cara custa R$ 13), antigo e seguro, diz Luiz Alberto Hetem, vice-presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria. Mas ele pode mascarar quadros mais graves. O ansiolítico acalma e atenua a ansiedade, mas os problemas subjacentes não são diagnosticados. Grande parte das pessoas nem sequer sofre de ansiedade. A depressão é muito comum, afirma a psiquiatra Mônica Magadouro. Mas o atendimento é tão precário que nem se nota a diferença. O terceiro fator que contribui para a venda de Rivotril é o que o psicanalista Plínio Montagna chama de glamorização do ato de medicar-se. No passado havia preconceito contra os remédios psiquiátricos. Recentemente, houve uma guinada cultural e eles passaram a ser vistos como resposta a todos os problemas da existência. Os médicos (sobretudo os que não são psiquiatras) receitam remédios psiquiátricos com total desenvoltura. Da parte dos pacientes, também existe a expectativa de que isso aconteça.todos têm pressa. Emoções normais e importantes para a mente, como tristeza ou ansiedade em situação de perigo, são eliminadas porque incomodam, diz Montagna, que é presidente da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo. Questões existenciais são tratadas como sintomas médico-psiquiátricos, com a colaboração de uma avassaladora quantidade de dólares gastos em publicidade pela indústria farmacêutica. É frequente eu receber para tratamento pacientes com dosagens excessivas de medicação ou coquetéis de diversas substâncias, sem que os aspectos psicológicos tenham sido levados em consideração, afirma o psicanalista, que também é formado em psiquiatria. Por trás da precariedade do sistema de saúde e do modismo da medicação, existe a crescente incapacidade das pessoas e dos médicos em conviver com um dos sentimentos mais enraizados da psique humana, a ansiedade. Ela está lá desde os primórdios do homem, associada a temores e ameaças indefiníveis. Embora desagradável, é um dos motores da existência. Faz parte da nossa constituição evolutiva. Ela é um estado de alerta, um estímulo para produzir. O contrário da ansiedade é a apatia, diz o psicanalista Eduardo Boralli Rocha. Totalmente diferente dessa ansiedade benigna é a combinação explosiva de urgência, competição e sentimento de exclusão que caracteriza o nosso tempo. As pessoas sentem que em algum lugar está havendo uma festa para a qual elas não foram convidadas e têm de correr atrás, diz Boralli. Sigmund Freud, o criador da psicanálise, dizia que a ansiedade era o sintoma de algo que não estava bem resolvido interiormente. Ele diferenciava entre a ansiedade produzida por uma situação externa real e aquela imaginada ou brutalmente amplificada por nossos medos interiores. A primeira não deveria ser medicada, mas ela tornou-se tão presente, tão avassaladora, que é isso que tem sido feito, em larga escala.

3 DEPENDÊNCIA, em sua casa em Porto Alegre. Ela sofre de transtorno bipolar e toma Rivotril há cinco anos. Tentou parar, mas teve uma crise de abstinência. Estou conformada em depender do remédio para sempre, diz Um exemplo está na coleção de propagandas de ansiolíticos acumulada pelo professor Elisaldo Carlini, coordenador do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid) da Universidade Federal de São Paulo. São folhetos promocionais que os laboratórios deixam nos consultórios médicos. Um deles mostra uma mulher com um largo sorriso depois de tomar um remédio que corrigiu a ansiedade gerada por três bilhetes recebidos ao mesmo tempo: um do marido, avisando que chegará tarde para o jantar; outro do filho, dizendo que vai trazer o time de basquete para o lanche; e o terceiro da empregada, avisando que faltou ao trabalho porque foi a um posto de saúde. Viver dá ansiedade, mas criou-se a cultura de que problemas cotidianos devem ser enfrentados com remédios, diz Carlini. As mulheres, principalmente, aprendem que precisam ser magrinhas e calminhas. Quando indicado segundo os melhores critérios, o Rivotril pode ser bastante útil no tratamento da ansiedade generalizada. O paciente vive angustiado, preocupado, nervoso. Dorme mal, não se concentra e se irrita por qualquer coisa. Sozinho, no entanto, o remédio não resolve o problema. O tratamento depende também do uso de outros recursos, como antidepressivos, psicoterapia e atividade física. O mesmo vale para o tratamento de outros transtornos, como síndrome do pânico, fobias e transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Enquanto os antidepressivos demoram cerca de duas semanas para começar a agir, o Rivotril age rápido, assim como outros ansiolíticos (Lexotan, Valium, Frontal etc.). A função desses remédios é ser uma ponte temporária até o início da ação dos antidepressivos. Ou um apoio. A síndrome do pânico, por exemplo, é tratada com antidepressivos. Quando o paciente enfrenta situações que podem provocar recaídas, é comum que o médico recomende que tenha o Rivotril sempre à mão. Esses remédios, no entanto, não devem ser usados por muito tempo e sem rigoroso acompanhamento médico. Eles podem causar dependência. Há pessoas que desenvolvem dependência em cinco anos. Outras se viciam em menos de 30 dias. Podem ocorrer crises de abstinência com a interrupção da droga. Os sintomas mais comuns são insônia, irritabilidade excessiva e tremores. Não há dose segura contra o vício. Rivotril não deve ser remédio de uso contínuo. Deve ser reservado para as crises agudas e usado por no máximo seis semanas, diz o psiquiatra Joel Rennó Jr., coordenador do Projeto de Saúde Mental da Mulher do Hospital das Clínicas, em São Paulo. Na prática, muitos pacientes recebem a receita de Rivotril e passam meses sem ser vistos por um médico. Quando voltam a consultar um profissional de qualquer especialidade, dizem que o anterior receitou o remédio e se sentiram bem. Acabam saindo do consultório com uma nova receita. A professora gaúcha Carmen Paula Pinto, de 40 anos, toma Rivotril há cinco, como parte do tratamento de transtorno bipolar. Reclama de efeitos colaterais como sonolência e boca seca. Mas o que mais a incomoda é o enfraquecimento da memória. Quando leio um livro, muitas vezes tenho de voltar à mesma frase, ao mesmo parágrafo. Uma vez até cheguei a esquecer o que havia almoçado, diz. Há três anos, decidiu parar de tomar o remédio por conta própria. Sentiu sintomas de abstinência, como tontura e falta de equilíbrio. Depois de alguns meses, decidiu voltar ao remédio. Estou conformada em ter de depender do remédio por um bom tempo ou até para sempre. Carmen é acompanhada por um psiquiatra e compra o remédio de acordo com a orientação dele. Uma parcela dos consumidores chega ao remédio por meio de outros expedientes. Muita gente consegue adquirir ansiolítico pela internet ou compra receitas em consultórios de quinta categoria, afirma Rennó Jr. Em uma das pesquisas coordenadas por Elisaldo Carlini, do Cebrid, descobriu-se que um único médico fez mais de 7 mil prescrições de ansiolítico por ano. Houve casos também de falsificação dos receituários. As receitas que ficavam retidas nas farmácias continham o mesmo número de série ou o CRM de médicos mortos ou inexistentes. Formas ilícitas de acesso ao remédio alimentam o uso recreativo de Rivotril. Ele virou um clássico nas baladas entre jovens que o misturam com ecstasy ou álcool. Há várias comunidades no site de relacionamento Orkut criadas por usuários dessa combinação. O Rivotril potencializa a função do álcool. Em doses excessivas, a mistura pode levar ao coma. Há outro tipo de uso, associado ao ecstasy e à cocaína, drogas que deixam as pessoas ansiosas. Elas tomam Rivotril para tentar neutralizar esse efeito. Segundo os especialistas, não adianta.

4 Por trás do crescimento das vendas do Rivotril há uma história de marketing que merece ser contada. Até 1999, o remédio era promovido entre os médicos apenas como um anticonvulsivante. Era um mercado restrito. Nos últimos anos, surgiram estudos que comprovaram que ele funcionava contra a ansiedade. O fabricante passou a divulgar essa aplicação entre psiquiatras, cardiologistas, neurologistas, geriatras etc. O sucesso do Rivotril é decorrência do aumento dos casos de transtornos psiquiátricos e do perfil único do nosso produto: ele é seguro, eficaz e muito barato, diz Carlos Simões, gerente da área de produtos de neurociência e dermatologia da Roche. E o baixo preço protege o produto. O Rivotril é 600% mais barato que o seu principal concorrente, o Frontal, da Pfizer. Outra característica ajuda a explicar por que ele vende tanto. É o único de sua categoria disponível também na apresentação sublingual gotas que agem rápido se colocadas embaixo da língua. Na casa da aposentada Ecleide Moreira Rodrigues, de 60 anos, não pode faltar Rivotril. Ele é usado com duas finalidades distintas: o filho de Ecleide sofre de epilepsia e não fica sem o remédio. Há um ano, ela também virou adepta do medicamento. Não consegue dormir sem ele. Descobriu que a causa da insônia era estresse e depressão. Chegou a fazer psicoterapia e percebeu que passou a dormir melhor. Mas parou antes de receber alta. Por relaxo, diz ela. Em casos como o de Ecleide, a psicoterapia pode dar ótimos resultados. Mas não costuma ser um percurso fácil. Para vencer a ansiedade não basta recorrer a umas gotinhas de Rivotril a cada crise. É preciso reorganizar a vida. A escalada do ansiolítico no Brasil Em dez anos, o Rivotril galgou a lista dos campeões

5 1998 O Rivotril nem aparecia entre os dez mais vendidos 1 - Cataflam (analgésico e anti-inflamatório) 2 - Novalgina (analgésico e antitérmico) 3 - Hipoglós (pomada contra assaduras) 4 - Neosaldina (analgésico e antiespasmódico) 5 - Voltaren (antirreumático, anti-inflamatório e 6 - Lexotan (ansiolítico) 7 - Redoxon (vitamina C) 8 - Buscopan Composto (antiespasmódico e 9 - Sorine (descongestionante nasal) 10 - Vick Vaporub (unguento descongestionante) 2004 Ele conquista o sexto lugar no ranking 1 Microvlar (anticoncepcional) 2 - Neosaldina (analgésico e antiespasmódico) 3 - Hipoglós (pomada contra assaduras) 4 - Buscopan Composto (antiespasmódico e 5 - Novalgina (analgésico e antitérmico) 6 - RIVOTRIL (ansiolítico e anticonvulsivante) 7 - Tylenol (analgésico e antitérmico) 8 - Cataflam (analgésico e anti-inflamatório) 9 - Neovlar (anticoncepcional) 10 - Luftal (antigases) 2008 O Rivotril é o segundo mais vendido 1 - Microvlar (anticoncepcional) 2 - RIVOTRIL (ansiolítico e anticonvulsivante) 3 - Puran T4 (hormônio tireoidiano) 4 - Hipoglós (pomada contra assaduras) 5 - Neosaldina (analgésico e antiespasmódico) 6 - Buscopan Composto (antiespasmódico e 7 - Salonpas (analgésico e anti-inflamatório) 8 - Tylenol (analgésico e antitérmico) 9 - Novalgina (analgésico e anti-inflamatório) 10 - Ciclo 21 (anticoncepcional )

6 Os riscos da tranquilidade em comprimidos Os efeitos dos ansiolíticos mais vendidos, conhecidos como benzodiazepínicos O QUE ELES FAZEM Inibem algumas funções do sistema nervoso, causando relaxamento muscular, sonolência e diminuição da ansiedade PARA QUE SERVEM Estimulam a ação de um ácido (conhecido como gaba) no cérebro. Ele inibe a ativação de áreas relacionadas ao medo e à ansiedade QUANDO DEVEM SER USADOS Com outros remédios, são indicados para tratar vários transtornos mentais. Não são recomendados para aplacar tensões do cotidiano QUAIS SÃO OS EFEITOS COLATERAIS Sonolência excessiva e diminuição da coordenação motora. Podem ocorrer dificuldades no processo da aprendizagem e da memorização CAUSAM DEPENDÊNCIA? Sim. Algumas pessoas desenvolvem dependência em cinco anos. Outras se viciam em menos de 30 dias. Podem ocorrer crises de abstinência COMO EVITAR A DEPENDÊNCIA Não há dose segura contra o vício. Quanto menor a dose, menor a probabilidade de o paciente desenvolver dependência Fontes: Clarice Gorenstein, Moacyr Aizenstein e Manoel Jorge Nobre do Espírito Santo, da USP

Izabela Vanessa izabela@dsc.ufcg.edu.br

Izabela Vanessa izabela@dsc.ufcg.edu.br Universidade Federal de Campina Grande UFCG Departamento de Sistemas e Computação DSC Ciclo de Seminários Não Técnicos - CSNT izabela@dsc.ufcg.edu.br O que é automedicação? Crescimento da automedicação

Leia mais

Sumário. Prefácio... 15 Introdução... 17

Sumário. Prefácio... 15 Introdução... 17 Sumário Prefácio... 15 Introdução... 17 1. QUÊS E PORQUÊS... 21 1) O que é droga?... 21 2) O que é vício?... 21 3) O que é dependência?... 22 4) O que é abuso?... 24 5) Que drogas levam a abuso ou dependência?...

Leia mais

Dependência Química. Por que algumas pessoas ficam dependentes de drogas e outras não?

Dependência Química. Por que algumas pessoas ficam dependentes de drogas e outras não? Dependência Química Por que algumas pessoas ficam dependentes de drogas e outras não? Os fatores relacionados ao desenvolvimento da dependência química são variados. O fator genético está bem estabelecido.

Leia mais

CASOS CLÍNICOS PARA ESTUDO DIRIGIDO

CASOS CLÍNICOS PARA ESTUDO DIRIGIDO CASOS CLÍNICOS PARA ESTUDO DIRIGIDO Caros alunos, Estou encaminhando estes casos clínicos para estudo dirigido durante as supervisões. Em cada caso abaixo procure definir: 1. Hipóteses diagnósticas 2.

Leia mais

Comorbidades: Transtorno de AnsiedadeeDependênciaQuímica

Comorbidades: Transtorno de AnsiedadeeDependênciaQuímica XXII Curso de Inverno em Atualização em Dependência Química do Hospital Mãe de Deus Comorbidades: Transtorno de AnsiedadeeDependênciaQuímica Ana Paula Pacheco Psicóloga da Unidade de Dependência Química

Leia mais

Dependência Química - Classificação e Diagnóstico -

Dependência Química - Classificação e Diagnóstico - Dependência Química - Classificação e Diagnóstico - Alessandro Alves Toda vez que se pretende classificar algo, deve-se ter em mente que o que se vai fazer é procurar reduzir um fenômeno complexo que em

Leia mais

Eduardo Henrique Teixeira Professor da Faculdade de Medicina PUC - Campinas

Eduardo Henrique Teixeira Professor da Faculdade de Medicina PUC - Campinas Eduardo Henrique Teixeira Professor da Faculdade de Medicina PUC - Campinas A ansiedade é uma vivência normal que todos os seres humanos experimentam com freqüência. Estado afetivo caracterizado por uma

Leia mais

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição IDENTIFICANDO A DEPRESSÃO Querida Internauta, Lendo o que você nos escreveu, mesmo não sendo uma profissional da área de saúde, é possível identificar alguns sintomas de uma doença silenciosa - a Depressão.

Leia mais

A seguir enumeramos algumas caracteristicas do TBH:

A seguir enumeramos algumas caracteristicas do TBH: OQUEÉOTRANSTORNOBIPOLARDO HUMOR(TBH)? O transtorno bipolar do humor (também conhecido como psicose ou doença maníaco-depressiva) é uma doença psiquiátrica caracterizada por oscilações ou mudanças de humor

Leia mais

A Psiquiatria e seu olhar Marcus André Vieira Material preparado com auxílio de Cristiana Maranhão e Luisa Ferreira

A Psiquiatria e seu olhar Marcus André Vieira Material preparado com auxílio de Cristiana Maranhão e Luisa Ferreira A Psiquiatria e seu olhar Marcus André Vieira Material preparado com auxílio de Cristiana Maranhão e Luisa Ferreira Transtornos Neuróticos Aspectos históricos A distinção neuroses e psicoses foi, durante

Leia mais

Psiquiatria para o clínico Dr. André I. Petroucic Filho 07 maio 2014 Introdução Psiquiatria do dia a dia do clínico Pontos importantes sobre as principais doenças psiquiátricas Depressão, Ansiedade, Doença

Leia mais

A Saúde mental é componente chave de uma vida saudável.

A Saúde mental é componente chave de uma vida saudável. Transtornos mentais: Desafiando os Preconceitos Durante séculos as pessoas com sofrimento mental foram afastadas do resto da sociedade, algumas vezes encarcerados, em condições precárias, sem direito a

Leia mais

Transtorno de Ansiedade. Manual Informativo

Transtorno de Ansiedade. Manual Informativo Transtorno de Ansiedade Manual Informativo O que são? Principais sintomas dos transtornos de ansiedade Transtornos associados ou comorbidades Grupo de risco Diagnóstico Tratamento variantes e dificuldades

Leia mais

Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio

Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio Messiano Ladislau Nogueira de Sousa Médico Psiquiatra com aperfeiçoamento em terapia psicanalítica Abril, 2014 Sumário Conceitos

Leia mais

bromazepam Comprimido 3mg e 6mg

bromazepam Comprimido 3mg e 6mg bromazepam Comprimido 3mg e 6mg MODELO DE BULA COM INFORMAÇÕES AO PACIENTE bromazepam Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. APRESENTAÇÕES Comprimido 3mg Embalagens contendo 20, 30 e 100 comprimidos.

Leia mais

Psicoterapia e Psicofarmacologia. Como optar ou associá-las? Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense e Psicogeriatra AMBULIM e ProMulher IPq - USP

Psicoterapia e Psicofarmacologia. Como optar ou associá-las? Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense e Psicogeriatra AMBULIM e ProMulher IPq - USP e Psicofarmacologia. Como optar ou associá-las? Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense e Psicogeriatra AMBULIM e ProMulher IPq - USP Estudo da forma e função dos Psicofármacos Psicofármacos / Psicotrópicos

Leia mais

ORIENTAÇÃO ÀS CHEFIAS NAS SITUAÇÕES DE FUNCIONÁRIOS COM PROBLEMAS DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS. O PAPEL DA CHEFIA

ORIENTAÇÃO ÀS CHEFIAS NAS SITUAÇÕES DE FUNCIONÁRIOS COM PROBLEMAS DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS. O PAPEL DA CHEFIA ORIENTAÇÃO ÀS CHEFIAS NAS SITUAÇÕES DE FUNCIONÁRIOS COM PROBLEMAS DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS. O PAPEL DA CHEFIA Como chefe de alguém que apresenta problemas relacionados ao uso de álcool e/ou outras drogas,

Leia mais

Os Remédios para Emagrecer são quase todos à base de Anfetaminas,

Os Remédios para Emagrecer são quase todos à base de Anfetaminas, 8 Remédios para Emagrecer Evandro Murer Especialista em Teorias e Métodos de Pesquisa em Educação Física, Esportes e Lazer na UNICAMP Os Remédios para Emagrecer são quase todos à base de Anfetaminas, que

Leia mais

TRANSTORNOS ANSIOSOS. Prof. Humberto Müller Saúde Mental

TRANSTORNOS ANSIOSOS. Prof. Humberto Müller Saúde Mental TRANSTORNOS ANSIOSOS Prof. Humberto Müller Saúde Mental Porque nos tornamos ansiosos? Seleção natural da espécie Ansiedade e medo... na medida certa, ajuda! Transtornos de Ansiedade SINTOMAS: Reação exagerada

Leia mais

ÁLCOOL E JOVENS. O que um jovem precisa saber. para evitar problemas.

ÁLCOOL E JOVENS. O que um jovem precisa saber. para evitar problemas. ÁLCOOL E JOVENS O que um jovem precisa saber para evitar problemas. Cerveja, vinhos, caipirinha, chope: elementos da vida cotidiana de muita gente. Essas bebidas ajudam a celebrar datas festivas, a selar

Leia mais

2 A classificação dos transtornos de ansiedade: aspectos históricos

2 A classificação dos transtornos de ansiedade: aspectos históricos 2 A classificação dos transtornos de ansiedade: aspectos históricos A vontade do Homem de entender a origem patológica da ansiedade vem de longa data, provavelmente desde a Grécia Antiga, em que as explicações

Leia mais

TEMA: Topiramato, Olanzapina, Daforin, Rivotril em paciente com depressão grave.

TEMA: Topiramato, Olanzapina, Daforin, Rivotril em paciente com depressão grave. NOTA TÉCNICA 65/2013 Solicitante Alyrio Ramos Desembargador da 8ª Câmara Cível TJMG RÉU: ESTADO DE MINAS GERAIS E MUNICÍPIO DE ITAPECERICA Data: 05/05/2013 Medicamento x Material Procedimento Cobertura

Leia mais

Como lidar com transtornos internalizantes na sala de aula?

Como lidar com transtornos internalizantes na sala de aula? Como lidar com transtornos internalizantes na sala de aula? Rogéria Recondo Psiquiatra da Infância e Adolescência Preceptora em Psiquiatria Infantil no Hospital São Lucas da PUC Professores:cursos de capacitação

Leia mais

OTORRINOLARINGOLOGIA Labirintite e Zumbido no Ouvido

OTORRINOLARINGOLOGIA Labirintite e Zumbido no Ouvido Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira OTORRINOLARINGOLOGIA Labirintite e Zumbido no Ouvido Labirintite é um termo com significado popular

Leia mais

PONTA DELGADA AÇORES 08 a 10 de MAIO de 2013 Emmanuel Fortes S. Cavalcanti 3º Vice Presidente CFM - Brasil

PONTA DELGADA AÇORES 08 a 10 de MAIO de 2013 Emmanuel Fortes S. Cavalcanti 3º Vice Presidente CFM - Brasil PONTA DELGADA AÇORES 08 a 10 de MAIO de 2013 Emmanuel Fortes S. Cavalcanti 3º Vice Presidente CFM - Brasil Trabalho de educação continuada desenvolvido pelo CRM-AL em 2002. Atendimento de profissionais

Leia mais

SÍNDROMES ANSIOSAS E NEURÓTICAS. Profª Melissa Rodrigues de Almeida Psicopatologia II DEPSI-UFPR

SÍNDROMES ANSIOSAS E NEURÓTICAS. Profª Melissa Rodrigues de Almeida Psicopatologia II DEPSI-UFPR SÍNDROMES ANSIOSAS E NEURÓTICAS Profª Melissa Rodrigues de Almeida Psicopatologia II DEPSI-UFPR Referências Psicopatologia e Semiologia dos Transtornos Mentais (Capítulos 26 e 29) Paulo Dalgalarrondo Manual

Leia mais

12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO PSIQUIATRA. São critérios diagnósticos do Transtorno Delirante Persistente,

12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO PSIQUIATRA. São critérios diagnósticos do Transtorno Delirante Persistente, 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO PSIQUIATRA QUESTÃO 21 São critérios diagnósticos do Transtorno Delirante Persistente, EXCETO: a) O indivíduo apresenta delírios que não sejam bizarros por pelo

Leia mais

O que é Distúrbio Bipolar Bipolar Disorder Source - NIMH

O que é Distúrbio Bipolar Bipolar Disorder Source - NIMH O que é Distúrbio Bipolar Bipolar Disorder Source - NIMH Distúrbio Bipolar, também conhecido como mania e depressão, é uma desordem do cérebro que causa mudanças não previstas no estado mental da pessoa,

Leia mais

EDITORIAL EDITORIAL ÍNDICE

EDITORIAL EDITORIAL ÍNDICE EDITORIAL EDITORIAL 1 Sérgio Butka Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba Desde a primeira cartilha lançada pelo Departamento de Saúde do SMC vários problemas que fazem parte do cotidiano

Leia mais

Psicofarmacologia. Transtornos de Ansiedade. Transtornos de Ansiedade PSICOFARMACOLOGIA 15/05/2015

Psicofarmacologia. Transtornos de Ansiedade. Transtornos de Ansiedade PSICOFARMACOLOGIA 15/05/2015 Psicofarmacologia Prof. Herval de Lacerda Bonfante Departamento de Farmacologia PSICOFARMACOLOGIA Distúrbios Psiquiátricos - Tratamento : 1950 10 a 15% de prescrições - EUA Brasil prevalência de transtornos

Leia mais

FARMACOTERAPIA EXCLUSIVA Nutracêuticos para o tratamento da dependência Química

FARMACOTERAPIA EXCLUSIVA Nutracêuticos para o tratamento da dependência Química FARMACOTERAPIA EXCLUSIVA Nutracêuticos para o tratamento da dependência Química NUTRACÊUTICOS PARA TRATAMENTO DAS DEPENDÊNCIAS QUÍMICAS TRATAMENTO COM ALTA EFETIVIDADE Os mais recentes estudos científicos

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 85/2013 Informações sobre Fluvoxamina e Alprazolan

RESPOSTA RÁPIDA 85/2013 Informações sobre Fluvoxamina e Alprazolan RESPOSTA RÁPIDA 85/2013 Informações sobre Fluvoxamina e Alprazolan SOLICITANTE Dra Maria Augusta Balbinot Juíza do JESP de São João Del Rei - MG NÚMERO DO PROCESSO nº 0625.13.004802-2 (numeração única

Leia mais

Depressão. A depressão afecta pessoas de formas diferentes e pode causar vários sintomas físicos, psicológicos (mentais) e sociais.

Depressão. A depressão afecta pessoas de formas diferentes e pode causar vários sintomas físicos, psicológicos (mentais) e sociais. Depressão Introdução A depressão é uma doença séria. Se estiver deprimido, pode ter sentimentos de tristeza extrema que duram longos períodos. Esses sentimentos são muitas vezes suficientemente severos

Leia mais

DROGAS LÌCITAS E ILÌCITAS SUBSTÂNCIAS PSICOTRÒPICAS. Drogas Lícitas e Ilícitas Substancias Psicotrópicas

DROGAS LÌCITAS E ILÌCITAS SUBSTÂNCIAS PSICOTRÒPICAS. Drogas Lícitas e Ilícitas Substancias Psicotrópicas DROGAS LÌCITAS E ILÌCITAS SUBSTÂNCIAS PSICOTRÒPICAS Drogas Lícitas e Ilícitas Substancias Psicotrópicas SUBSTÂNCIAS PSICOTRÒPICAS São substancias psicoativas que agem no Sistema Nervoso Central. Produz

Leia mais

O uso de benzodiazepínicos em idosos

O uso de benzodiazepínicos em idosos O uso de benzodiazepínicos em idosos Rafael C Freire Doutor em psiquiatria Laboratório do Pânico e Respiração IPUB UFRJ INCT Translacional em Medicina Declaração de conflito de interesse Emprego Financiamento

Leia mais

bromazepam Merck S/A Comprimidos 3 mg & 6 mg

bromazepam Merck S/A Comprimidos 3 mg & 6 mg bromazepam Merck S/A Comprimidos 3 mg & 6 mg bromazepam medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. Ansiolítico APRESENTAÇÕES Comprimidos de 3 mg em caixa com 20 comprimidos. Comprimidos de 6 mg em caixa

Leia mais

Uso de inibidores seletivos de captação de serotonina (ISCS) e de noradrenalina e ISCN e (antidepressivos de modo geral)

Uso de inibidores seletivos de captação de serotonina (ISCS) e de noradrenalina e ISCN e (antidepressivos de modo geral) Curso - Psicologia Disciplina: Psicofarmacologia Resumo Aula 5- Psicofármacos e Ansiedade Ansiedade Estado desagradável de tensão, apreensão, inquietação ; Um medo às vezes de origem desconhecida; Sintomas

Leia mais

MOVIMENTO DE CURSILHOS DE CRISTANDADE GRUPO EXECUTIVO REGIONAL SUL III

MOVIMENTO DE CURSILHOS DE CRISTANDADE GRUPO EXECUTIVO REGIONAL SUL III MOVIMENTO DE CURSILHOS DE CRISTANDADE GRUPO EXECUTIVO REGIONAL SUL III FACILITANDO A COMPREENSÃO DAS DEPENDÊNCIAS QUÍMICAS MCC - GER SUL III PROJETO HUMANIZAR PALESTRA III 2 A família é o sistema modelador

Leia mais

Bipolaridade Curso Profissional de Técnico de Apoio Psicossocial- 2º ano Módulo nº5- Semiologia Psíquica Portefólio de Psicopatologia Ana Carrilho-

Bipolaridade Curso Profissional de Técnico de Apoio Psicossocial- 2º ano Módulo nº5- Semiologia Psíquica Portefólio de Psicopatologia Ana Carrilho- Bipolaridade Curso Profissional de Técnico de Apoio Psicossocial- 2º ano Módulo nº5- Semiologia Psíquica Portefólio de Psicopatologia Ana Carrilho- 11ºB Enquadramento Filme Mr.Jones Mr.Jones é um homem

Leia mais

Promoção da qualidade de vida através de psicoterapia breve de grupo

Promoção da qualidade de vida através de psicoterapia breve de grupo Promoção da qualidade de vida através de psicoterapia breve de grupo PSICOTERAPIA Categoria: GRUPO Categoria: Custos administrativos e operacionais Área: Medicina Preventiva - Programa Viver Bem Responsáveis:

Leia mais

Química e Medicamentos Automedicação e os riscos à saúde

Química e Medicamentos Automedicação e os riscos à saúde Química e Medicamentos Automedicação e os riscos à saúde A falta de consciência da população no uso de diversos medicamentos sem a prescrição médica e os riscos da automedicação à saúde foram os principais

Leia mais

1º Seminário Regimes Próprios da Previdência:

1º Seminário Regimes Próprios da Previdência: 1º Seminário Regimes Próprios da Previdência: Abordando a Sustentabilidade nos Enfoques da Saúde, do Trabalho e da Previdência Pública PMPA Outubro 2006 CAPACIDADE LABORATIVA x DOENÇAS INCAPACITANTES ALIENAÇÃO

Leia mais

Prevenção em saúde mental

Prevenção em saúde mental Prevenção em saúde mental Treinar lideranças comunitárias e equipes de saúde para prevenir, identificar e encaminhar problemas relacionados à saúde mental. Essa é a característica principal do projeto

Leia mais

Fibromialgia Sociedade Brasileira de Reumatologia

Fibromialgia Sociedade Brasileira de Reumatologia Fibromialgia Fibromialgia Cartilha para pacientes CRIAÇÃO E DESENVOLVIMENTO: Comissão de Dor, Fibromialgia e Outras Síndromes Dolorosas de Partes Moles CREDITO IMAGEM DA CAPA: http://www.singpr.com/business/singapore-telcocompanies-see-fiber-optic-light-as-future-for-broadband

Leia mais

Frontal SL alprazolam. APRESENTAÇÕES Frontal SL comprimidos sublinguais de 0,5 mg em embalagens contendo 15 ou 30 comprimidos.

Frontal SL alprazolam. APRESENTAÇÕES Frontal SL comprimidos sublinguais de 0,5 mg em embalagens contendo 15 ou 30 comprimidos. Frontal SL alprazolam I IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Frontal SL Nome genérico: alprazolam APRESENTAÇÕES Frontal SL comprimidos sublinguais de 0,5 mg em embalagens contendo 15 ou 30 comprimidos.

Leia mais

DEPRESSÃO. O que você precisa saber. Fênix Associação Pró-Saúde Mental

DEPRESSÃO. O que você precisa saber. Fênix Associação Pró-Saúde Mental DEPRESSÃO O que você precisa saber Fênix Associação Pró-Saúde Mental Eu admito que preciso de ajuda, pois sozinho não consigo... (Grupo Fênix: Os 6 Passos para a Recuperação) a 1 Edição São Paulo 2010

Leia mais

Vivendo sem Calmantes. Ajudando você a se libertar dos calmantes, da ansiedade e da depressão

Vivendo sem Calmantes. Ajudando você a se libertar dos calmantes, da ansiedade e da depressão Vivendo sem Calmantes Ajudando você a se libertar dos calmantes, da ansiedade e da depressão Editora Livre Expressão Realizando Sonhos. Enriquecendo Vidas. São Paulo Rio de Janeiro 2014 Sumário Agradecimentos...

Leia mais

TRANSTORNO DE PÂNICO: ENTENDENDO MELHOR COMO ACONTECE O TRATAMENTO NA ABORDAGEM COGNITIVO COMPORTAMENTAL.

TRANSTORNO DE PÂNICO: ENTENDENDO MELHOR COMO ACONTECE O TRATAMENTO NA ABORDAGEM COGNITIVO COMPORTAMENTAL. TRANSTORNO DE PÂNICO: ENTENDENDO MELHOR COMO ACONTECE O TRATAMENTO NA ABORDAGEM COGNITIVO COMPORTAMENTAL. * Danielle Moraes; Juliana Vieira; Marcos Fagundes. ** Cláudia Mazzoni * Alunos do curso de graduação

Leia mais

Depressão* Marcos Vinicius Z. Portela** Fonte: www.institutoreichiano.com.br

Depressão* Marcos Vinicius Z. Portela** Fonte: www.institutoreichiano.com.br Marcos Vinicius Z. Portela** Depressão* Em primeiro lugar, gostaria de agradecer a oportunidade para estar aqui hoje nesta breve exposição - a qual pretendo, com a ajuda de todos, transformar numa conversa

Leia mais

Cliente: Sindicerv Veículo: www.qchute.com.br Data: 14-09-2010 Imagem Corporativa Loiras de cevada ou de trigo, ou simplesmente cerveja No Japão a indústria de cerveja é enorme, mesmo entre os brasileiros

Leia mais

Professor: Tiago Luiz Pereira

Professor: Tiago Luiz Pereira Professor: Tiago Luiz Pereira Ansiedade: inquietação, agonia, aflição, préocupação, expectativa de um acontecimento inesperado e perigoso diante do qual a pessoa sente-se indefesa ou impotente. Dividem-se

Leia mais

Ansiedade em crianças e adolescentes

Ansiedade em crianças e adolescentes Ansiedade em crianças e adolescentes A ansiedade é uma parte normal do desenvolvimento das crianças. Contudo, algumas crianças/jovens sentem ansiedade de uma forma mais intensa e frequente do que a maioria

Leia mais

O cérebro e seu funcionamento Reflexões sobre tratamento medicamentoso. Sônia Nemi

O cérebro e seu funcionamento Reflexões sobre tratamento medicamentoso. Sônia Nemi Sônia Nemi O objetivo deste texto não é responder todas as perguntas que os interessados possam ter sobre o tema; pretendo apenas iluminar aspectos, talvez desconhecidos ou por vezes negligenciados para,

Leia mais

TOC E A INTERFERÊNCIA NA VIDA SOCIAL DO PACIENTE

TOC E A INTERFERÊNCIA NA VIDA SOCIAL DO PACIENTE TOC E A INTERFERÊNCIA NA VIDA SOCIAL DO PACIENTE Laís Rosiak 1 Rebeca Bueno dos Santos ¹ Mara Regina Nieckel da Costa 2 RESUMO O presente artigo apresenta o estudo realizado sobre o Transtorno Obsessivo

Leia mais

Medicamento O que é? Para que serve?

Medicamento O que é? Para que serve? Medicamento O que é? Para que serve? Os Medicamentos são produtos farmacêuticos, tecnicamente obtidos ou elaborados, com finalidade profilática, curativa, paliativa ou para fins de diagnóstico (Lei nº

Leia mais

Farmacêutica Priscila Xavier

Farmacêutica Priscila Xavier Farmacêutica Priscila Xavier A Organização Mundial de Saúde diz que há USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS: quando pacientes recebem medicamentos apropriados para suas condições clínicas, em doses adequadas às

Leia mais

SAUDE MENTAL DA MULHER NOS CICLOS DE VIDA

SAUDE MENTAL DA MULHER NOS CICLOS DE VIDA SAUDE MENTAL DA MULHER NOS CICLOS DE VIDA ENCONTRO MULHER DE ATITUDE Campanha de Prevenção do Câncer Cérvico C Uterino Março o 2013 Maristela C Sousa - Médica Psiquiatra DVSAM/DACC/SAS/SESA Dados Epidemiológicos

Leia mais

CONHECENDO A PSICOTERAPIA

CONHECENDO A PSICOTERAPIA CONHECENDO A PSICOTERAPIA Psicólogo Emilson Lúcio da Silva CRP 12/11028 2015 INTRODUÇÃO Em algum momento da vida você já se sentiu incapaz de lidar com seus problemas? Se a resposta é sim, então você não

Leia mais

Especial O equilíbrio do cérebro

Especial O equilíbrio do cérebro Especial O equilíbrio do cérebro Uma boa notícia para depressivos, ansiosos e fóbicos: amparados em novas descobertas, psiquiatras e psicólogos unem forças para combater os transtornos da mente, superando

Leia mais

Prescrição Médica. Medicina. Prática Médica. Prática Médica. Do latim ars medicina : arte da cura.

Prescrição Médica. Medicina. Prática Médica. Prática Médica. Do latim ars medicina : arte da cura. Medicina Do latim ars medicina : arte da cura. Prescrição Médica Surge de reações instintivas para aliviar a dor ou evitar a morte. Prof. Dr. Marcos Moreira Prof. Adjunto de Farmacologia, ICB/UFJF Prof.

Leia mais

ESQUADRÃO VIDA PARA ADOLESCENTES Projeto de Atendimento PsicosSocial

ESQUADRÃO VIDA PARA ADOLESCENTES Projeto de Atendimento PsicosSocial Projeto P A S Esquadrão Vida para Adolescentes ESQUADRÃO VIDA PARA ADOLESCENTES Projeto de Atendimento PsicosSocial Elas detonam neurônios, geram dependência, acabam com a sua vida. Mas imitam as moléculas

Leia mais

DEPRESSÃO CONHECENDO SEU INIMIGO

DEPRESSÃO CONHECENDO SEU INIMIGO DEPRESSÃO CONHECENDO SEU INIMIGO E- BOOK GRATUITO Olá amigo (a), A depressão é um tema bem complexo, mas que vêm sendo melhor esclarecido à cada dia sobre seu tratamento e alívio. Quase todos os dias novas

Leia mais

Diana Pais (Estagiária de Dietética) Centro Hospitalar de Tondela - Viseu

Diana Pais (Estagiária de Dietética) Centro Hospitalar de Tondela - Viseu 1 Diana Pais (Estagiária de Dietética) Estilo de Vida Saudável Ter uma alimentação saudável; 2 Tomar sempre o pequeno-almoço; Praticar exercício físico, pelo menos, 30 minutos por dia; Dormir, pelo menos,

Leia mais

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL N.º 01/2015 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL N.º 01/2015 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL N.º 01/2015 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS PROCESSO SELETIVO 07 TÉCNICO DE ENFERMAGEM (Saúde Mental e Psiquiatria) 01. C 11. E 21. D 02. E 12.

Leia mais

Quando o medo transborda

Quando o medo transborda Quando o medo transborda (Síndrome do Pânico) Texto traduzido e adaptado por Lucas Machado Mantovani, mediante prévia autorização do National Institute of Mental Health, responsável pelo conteúdo original

Leia mais

De volta para vida: a inserção social e qualidade de vida de usuários de um Centro de Atenção Psicossocial

De volta para vida: a inserção social e qualidade de vida de usuários de um Centro de Atenção Psicossocial De volta para vida: a inserção social e qualidade de vida de usuários de um Centro de Atenção Psicossocial Eliane Maria Monteiro da Fonte DCS / PPGS UFPE Recife PE - Brasil Pesquisa realizada pelo NUCEM,

Leia mais

Sumário. 1 O início do enigma: o diagnóstico e suas angústias... 13. 2 Transtorno bipolar: a doença da instabilidade... 16

Sumário. 1 O início do enigma: o diagnóstico e suas angústias... 13. 2 Transtorno bipolar: a doença da instabilidade... 16 Sumário Prefácio... 9 1 O início do enigma: o diagnóstico e suas angústias... 13 2 Transtorno bipolar: a doença da instabilidade... 16 As faces do transtorno bipolar... 20 Depressão... 22 Sintomas da depressão...

Leia mais

A psicologia tem uma dimensão prática que se integra em vários contextos e instituições sociais: escolas, hospitais, empresas, tribunais, associações

A psicologia tem uma dimensão prática que se integra em vários contextos e instituições sociais: escolas, hospitais, empresas, tribunais, associações PSICOLOGIA APLICADA A psicologia tem uma dimensão prática que se integra em vários contextos e instituições sociais: escolas, hospitais, empresas, tribunais, associações Os níveis de intervenção vão desde

Leia mais

Afinal de contas, o que é ansiedade? Mas ser ansioso não é normal? Ansiedade é uma doença?

Afinal de contas, o que é ansiedade? Mas ser ansioso não é normal? Ansiedade é uma doença? Afinal de contas, o que é ansiedade? Mas ser ansioso não é normal? Ansiedade é uma doença? Ansiedade = falta de confiança na vida No senso comum, ansiedade é igual a aflição, angústia, nervosismo, perturbação

Leia mais

Maconha. Alessandro Alves. Conhecendo a planta

Maconha. Alessandro Alves. Conhecendo a planta Maconha Alessandro Alves Entenda bem. A maconha é a droga ilícita mais utilizada no mundo. Está entre as plantas mais antigas cultivadas pelo homem. Na China seus grãos são utilizados como alimento e no

Leia mais

Depressão e Qualidade de Vida. Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP

Depressão e Qualidade de Vida. Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP Depressão e Qualidade de Vida Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP 1 Percepções de 68 pacientes entrevistadas. 1. Sentimentos em relação à doença Sinto solidão, abandono,

Leia mais

A Saúde Mental dos Trabalhadores da Saúde

A Saúde Mental dos Trabalhadores da Saúde A Saúde Mental dos Trabalhadores da Saúde Tatiana Thiago Mendes Psicóloga Clínica e do Trabalho Pós-Graduação em Saúde e Trabalho pelo HC FM USP Perita Judicial em Saúde Mental Panorama da Saúde dos Trabalhadores

Leia mais

Estado do Espírito Santo CÂMARA MUNICIPAL DE VILA VELHA "Deus seja Louvado"

Estado do Espírito Santo CÂMARA MUNICIPAL DE VILA VELHA Deus seja Louvado PROJETO DE LEI Nº /2015 EMENTA: INSTITUI A CAMPANHA MUNICIPAL DE COMBATE E CONSCIENTIZAÇÃO A SÍNDROME DE BURNOUT A SER REALIZADA ANUALMENTE NA SEMANA DO DIA 15 DE OUTUBRO, E DA OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Câmara

Leia mais

(A) distúrbios endócrinos que resultam na produção de prolactina (ginecomastia, lactação e mamas doloridas);

(A) distúrbios endócrinos que resultam na produção de prolactina (ginecomastia, lactação e mamas doloridas); 1- Os neurolépticos são fármacos antipsicóticos usados normalmente nas alterações psiquiátricas. Devem ser administrados sob a supervisão e o acompanhamento da enfermagem uma vez que apresentam importantes

Leia mais

Psicologia em Odontopediatria. Professora: Maria Salete Nahás Pires Corrêa Doutoranda: Christiana Murakami Sato. murakami@usp.br

Psicologia em Odontopediatria. Professora: Maria Salete Nahás Pires Corrêa Doutoranda: Christiana Murakami Sato. murakami@usp.br Psicologia em Odontopediatria Professora: Maria Salete Nahás Pires Corrêa Doutoranda: Christiana Murakami Sato Comunicação Não-verbal (ex. postura, toque, olhar) Distração (ex. música) Modelagem Reforço

Leia mais

ESTUDO FÁRMACO-ECONÔMICO DO PERFIL DE CONSUMO DE MEDICAMENTOS OFERTADOS PELO CAPS AD WALTER SARMENTO DA CIDADE DE SOUSA-PB

ESTUDO FÁRMACO-ECONÔMICO DO PERFIL DE CONSUMO DE MEDICAMENTOS OFERTADOS PELO CAPS AD WALTER SARMENTO DA CIDADE DE SOUSA-PB ESTUDO FÁRMACO-ECONÔMICO DO PERFIL DE CONSUMO DE MEDICAMENTOS OFERTADOS PELO CAPS AD WALTER SARMENTO DA CIDADE DE SOUSA-PB 1 Roosevelt Albuquerque Gomes, Faculdade Santa Maria, roosevelt.ag@gmail.com 2

Leia mais

Modelo de bula Paciente Bipogine 25mg, 50mg e 100mg. Bipogine lamotrigina. Comprimidos 25 mg, 50 mg & 100 mg

Modelo de bula Paciente Bipogine 25mg, 50mg e 100mg. Bipogine lamotrigina. Comprimidos 25 mg, 50 mg & 100 mg Bipogine lamotrigina Comprimidos 25 mg, 50 mg & 100 mg LEIA ESTA BULA ATENTAMENTE ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO. I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO COMPOSIÇÃO Bipogine lamotrigina FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES

Leia mais

EMERGÊNCIAS EM PSIQUIATRIA

EMERGÊNCIAS EM PSIQUIATRIA EMERGÊNCIAS EM PSIQUIATRIA Hailton Martinelli / Gustavo Vieira Caetano I) INTRODUÇÃO Existe um grande número de definições de emergências em psiquiatria, muitas contraditórias entre si, principalmente

Leia mais

Especialistas em Alcoolismo e Dependência Química

Especialistas em Alcoolismo e Dependência Química Especialistas em Alcoolismo e Dependência Química Entenda como funciona A Clínica Viva desenvolveu um programa intensivo de reabilitação do alcoolismo com abordagem médica e psicoterapêutica individual

Leia mais

MANDAMENTOS DO USO CORRETO DOS MEDICAMENTOS

MANDAMENTOS DO USO CORRETO DOS MEDICAMENTOS ELIEZER J. BARREIRO NATALIA MEDEIROS DE LIMA MANDAMENTOS DO USO CORRETO DOS MEDICAMENTOS ISBN 978-85-910137-1-5 INCT INOFAR/ Portal dos Fármacos 2009 DOS MEDICAMENTOS INCT INOFAR/ Portal dos Fármacos 2009

Leia mais

Como Prevenir e Tratar as Dependências Químicas nas Empresas?

Como Prevenir e Tratar as Dependências Químicas nas Empresas? Como Prevenir e Tratar as Dependências Químicas nas Empresas? Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense Ana Carolina S. Oliveira Psi. Esp. Dependência Química Importância Preocupação permanente de gestores

Leia mais

Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro

Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro Perturbadores do SNC ObjeDvos Conhecer as formas de apresentação e de uso Compreender o mecanismo de

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA GERAL E ANÁLISE DO COMPORTAMENTO PSICOLOGIA CLÍNICA NA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO ANSIEDADE

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA GERAL E ANÁLISE DO COMPORTAMENTO PSICOLOGIA CLÍNICA NA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO ANSIEDADE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA GERAL E ANÁLISE DO COMPORTAMENTO PSICOLOGIA CLÍNICA NA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO ANSIEDADE Gabriele Gris Kelly Cristina da Silva Cardoso Luciana

Leia mais

Nitrapan. nitrazepam. Comprimidos 5 mg. Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE

Nitrapan. nitrazepam. Comprimidos 5 mg. Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE Nitrapan nitrazepam Comprimidos 5 mg Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE 1 IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nitrapan nitrazepam APRESENTAÇÕES Comprimidos de 5 mg Caixa com 200

Leia mais

ツVivo Feliz Sem Drogas. Capa

ツVivo Feliz Sem Drogas. Capa Capa ツVivo Feliz Sem Drogas Projeto ツVivo Feliz Sem Drogas Prevenindo o uso indevido de drogas Capa fim MUNICIPIO DE ITAPEVA SP Secretaria Municipal de Defesa Social Projeto ツVivo Feliz Sem Drogas Prevenindo

Leia mais

Des estresse! 01. Afinal de contas, o que é estresse?

Des estresse! 01. Afinal de contas, o que é estresse? Akira Nakao Des estresse! Você é competitivo, estressado, equilibrado, acomodado, tranquilo ou couraceiro? Lembra do material da nossa primeira semana? 01. Afinal de contas, o que é estresse? É um mecanismo:

Leia mais

FADIGA, NEURASTENIA ou. Paulo Lessa IAMMG Instituto de Acupuntura Médica de Minas Gerais IVN SP Instituto Van Nghi São Paulo

FADIGA, NEURASTENIA ou. Paulo Lessa IAMMG Instituto de Acupuntura Médica de Minas Gerais IVN SP Instituto Van Nghi São Paulo FADIGA, NEURASTENIA ou TRANSTORNOS SOMATOFORMES Paulo Lessa IAMMG Instituto de Acupuntura Médica de Minas Gerais IVN SP Instituto Van Nghi São Paulo Sinais e sintomas relatados por pacientes com fadiga

Leia mais

O QUE É A TENSÃO PRÉ-MENSTRUAL ( TPM )?

O QUE É A TENSÃO PRÉ-MENSTRUAL ( TPM )? O QUE É A TENSÃO PRÉ-MENSTRUAL ( TPM )? Introdução A famosa TPM, também conhecida como síndrome da tensão pré-menstrual, é um termo que se refere a um conjunto de sintomas físicos e comportamentais que

Leia mais

TRANSTORNO BIPOLAR as duas faces do humor

TRANSTORNO BIPOLAR as duas faces do humor TRANSTORNO BIPOLAR as duas faces do humor Há dias em que a euforia bate no céu. Em outros a depressão leva ao fundo do poço. A novidade sobre essa gangorra de emoções é que os cientistas confirmam a suspeita

Leia mais

Abordagens Integrativas e Planos Terapêuticos

Abordagens Integrativas e Planos Terapêuticos 1 Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Estudos e Pesquisas sobre Álcool e outras Drogas Centro Regional de Referência sobre Drogas do Espírito

Leia mais

Benzodiazepínicos, hipnóticos e opióides

Benzodiazepínicos, hipnóticos e opióides Benzodiazepínicos, hipnóticos e opióides Alessandro Alves O amor não é aquilo que te deixa feliz, calmo e tranquilo. O nome disso é Rivotril. Frase atribuída a James Brown Benzodiazepínicos Estão entre

Leia mais

INSTITUTO DE TREINAMENTO E PESQUISA EM GESTALT TERAPIA DE GOIÂNIA-ITGT

INSTITUTO DE TREINAMENTO E PESQUISA EM GESTALT TERAPIA DE GOIÂNIA-ITGT Disciplina: Psicopatologia Grupo de Especialização: XXIII Período: 2013/1 Carga horária: 30 hs/a Dia: 4ª feira Horário: 18:30 às 20:10 Professora: Sandra Albernaz L. M. Saddi Monitor: Raphael Basílio Ementa

Leia mais

ABUSO DO CONSUMO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS, UMA QUESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA. Senhor Presidente,

ABUSO DO CONSUMO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS, UMA QUESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA. Senhor Presidente, Discurso proferido pelo deputado GERALDO RESENDE (PMDB/MS), em sessão no dia 04/05/2011. ABUSO DO CONSUMO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS, UMA QUESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados,

Leia mais

O que posso fazer com a insónia?

O que posso fazer com a insónia? Psicóloga: Chou Im Keng A noite é longa e as horas não passam, reviro-me na cama, não consigo dormir e espero pelo nascer do sol creio que quem já teve insónia com certeza já teve esse tipo de experiência

Leia mais

0 ponto - Não há perda de memória óbvia. Esquecimentos irregulares que não interferem com as atividades diárias

0 ponto - Não há perda de memória óbvia. Esquecimentos irregulares que não interferem com as atividades diárias Para fazer o teste é preciso focar nas mudanças que eventualmente tenham ocorrido na capacidade cognitivas e funcionais do paciente. Em cada categoria, deve ser escolhida a frase que melhor descrever o

Leia mais

Psicologia USP versão impressa ISSN 0103-6564. Psicol. USP v.12 n.2 São Paulo 2001. http://dx.doi.org/10.1590/s0103-65642001000200019

Psicologia USP versão impressa ISSN 0103-6564. Psicol. USP v.12 n.2 São Paulo 2001. http://dx.doi.org/10.1590/s0103-65642001000200019 Psicologia USP versão impressa ISSN 0103-6564 Psicol. USP v.12 n.2 São Paulo 2001 http://dx.doi.org/10.1590/s0103-65642001000200019 PSICANÁLISE E UNIVERSIDADE: PESQUISA Cláudio Laks Eizirik 1 Universidade

Leia mais

Psicoterapia Cognitivo Comportamental

Psicoterapia Cognitivo Comportamental Psicoterapia Cognitivo Comportamental Selma Rejane Setani Diretora Técnica de Serviço de Saúde, especialista em dependência química, especializada em T.C.C. para dependência de álcool e Outras Drogas srsetani-cratod@saude.sp.gov.br

Leia mais

DROGAS DE ABUSO. Profa. Dra. Eline Matheus

DROGAS DE ABUSO. Profa. Dra. Eline Matheus DROGAS DE ABUSO DROGAS QUE ATUAM NO SNC ESTIMULANTES DEPRESSORES DROGAS ESTIMULANTES COCAÍNA (CRACK & OXI) ANFETAMÍNICOS EFEDRINA ALUCINÓGENOS ANABOLIZANTES COCAÍNA Corte cerebral pós-mortem de um adicto

Leia mais

CRACK. Alexandre de Araújo Pereira. Psiquiatra Mestre em Educação Médica ENSP/UECE Docente da Faculdade de Ciências Médicas UNIFENAS BH/ IPEMED

CRACK. Alexandre de Araújo Pereira. Psiquiatra Mestre em Educação Médica ENSP/UECE Docente da Faculdade de Ciências Médicas UNIFENAS BH/ IPEMED CRACK Alexandre de Araújo Pereira Psiquiatra Mestre em Educação Médica ENSP/UECE Docente da Faculdade de Ciências Médicas UNIFENAS BH/ IPEMED Breve histórico do uso de drogas Pré História 4.000 à 5.000

Leia mais

Depressão. Manual Informativo

Depressão. Manual Informativo Depressão Manual Informativo O que é? Sintomas e riscos associados Como prevenir o suicídio? Depressão e outras doenças: comorbidade Diagnóstico Tratamento: dificuldades e variantes O apoio dos familiares

Leia mais