1. O que é procuração?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1. O que é procuração?"

Transcrição

1 Procuração Pública

2 Plano de aula: 1. O que é procuração? 2. Forma Pública 3. Identidade e Capacidade 4. Pessoas Jurídicas 5. Poderes Gerais x Especiais 6. Ad judicia x Ad negotia 7. Substabelecimento 8. Prazo 9. Procuração em causa própria 10. Extinção do mandato

3 1. O que é procuração?

4 1. O que é procuração?

5 1. O que é procuração?

6 1. O que é procuração?

7 1. O que é procuração?

8 1. O que é procuração?

9 1. O que é procuração?

10 1. O que é procuração?

11 1. O que é procuração?

12 1. O que é procuração?

13 1. O que é procuração?

14 2. Forma Pública

15 2. Forma Pública

16 2. Forma Pública

17 3. Identidade e Capacidade

18 3. Identidade e Capacidade

19 3. Identidade e Capacidade

20 3. Identidade e Capacidade

21 3. Identidade e Capacidade

22 3. Identidade e Capacidade

23 3. Identidade e Capacidade

24 3. Identidade e Capacidade

25 4. Pessoas Jurídicas

26 4. Pessoas Jurídicas Cautelas imprescindíveis: Poderes de representação da Pessoa Jurídica. Verificar se a pessoa que comparece em nome da pessoa jurídica possui realmente poderes para representá la e para outorgar procuração a terceiro. Verificar ainda se há permissão para a prática daquele ato específico por um terceiro, sob pena de violação do contrato social.

27 4. Pessoas Jurídicas

28 4. Pessoas Jurídicas

29 4. Pessoas Jurídicas

30 4. Pessoas Jurídicas

31 4. Pessoas Jurídicas

32 4. Pessoas Jurídicas poderes gerais de administração sob pena de grave violação do contrato social:

33 4. Pessoas Jurídicas

34 4. Pessoas Jurídicas

35 4. Pessoas Jurídicas

36 4. Pessoas Jurídicas

37 4. Pessoas Jurídicas

38 5. Poderes Gerais X Especiais

39 5. Poderes Gerais X Especiais

40 5. Poderes Gerais X Especiais

41 5. Poderes Gerais X Especiais

42 5. Poderes Gerais X Especiais *Duas decisões paradigmáticas: 1) Acórdão CSM Apelação Cível nº 524 6/3 Serra Negra 03/08/2006: Procuração hábil a alienar deve conter poderes, não só expressos, como também especiais Inteligência do artigo 661, 1º, do Código Civil em vigor. 2) Acórdão CSM Apelação Cível nº 982 6/2 Capital 17/03/2009: (...) se verifica que (...) outorgou aos mandatários poderes para (...) gerir e administrar todososbens, negócios e interesses dele outorgante; podendo adquirir, vender, compromissar, ceder, transferir, permutar, hipotecar, renunciar, dar em pagamento ou por qualquer outra forma ou titulo alienar, a quem quiser, por e condições que convencionar, quaisquer bens, móveis, imóveis, (...). Esses poderes, (...), são, a meu ver, suficientes para o reconhecimento de que pela procuração outorgada o mandante habilitou os mandatários a alienar qualquer de seus bens imóveis (...).

43 5. Poderes Gerais X Especiais *Conclusão: Depreende sedasdecisõesmencionadas que, se houver outorga de poderes para alienar, de modo geral, todososbensimóveisdo Outorgante, desnecessária se faz a individualização de cada um dos imóveis na procuração, sendo suficiente a menção expressa ao poder de alienar (poderes expressos). Por outro lado, caso a outorga de poderes seja específica para a alienação de determinado bem imóvel, imprescindível a individualização do imóvel na procuração (poderes expressos e especiais).

44 6. Ad judicia x Ad negotia

45 6. Ad judicia X Ad negotia

46 6. Ad judicia X Ad negotia

47 6. Ad judicia X Ad negotia

48 7. Substabelecimento

49 7. Substabelecimento total: o procurador substabelece todos os poderes que recebeu; parcial: o procurador substabelece parte dos poderes que recebeu. com reserva de poderes: o procurador substabelece os poderes que recebeu, reservando os também para si. sem reserva de poderes: o procurador substabelece os poderes que recebeu, sem no entanto reservá los para si, ou seja, desvincula se totalmente do mandante.

50 7. Substabelecimento

51 8. Prazo

52 8. Prazo

53 8. Prazo

54 9. Procuração em causa própria

55 9. Procuração em causa própria Quando o mandato é outorgado no exclusivo interesse do mandatário envolvendo uma cessão ou uma venda, insere se a cláusula in rem propriam, em virtude da qual o mandante, que pode dispor ou alienar o que é dele, transfere ou cede ao mandatário o negócio ou afazer que é objeto do mandato. (GALHARDO, João Baptista. A transferência do imóvel por procuração em causa própria.) Previsão legal: art. 685, CC. Art Conferido o mandato com a cláusula "em causa própria", a sua revogação não terá eficácia, nem se extinguirá pela morte de qualquer das partes, ficando o mandatário dispensado de prestar contas, e podendo transferir para si os bens móveis ou imóveis objeto do mandato, obedecidas as formalidades legais.

56 9. Procuração em causa própria

57 9. Procuração em causa própria Assim, se contiver poderes expressos e especiais, com todos os requisitos de uma escritura de venda e compra, como o consenso entre as partes, a descriçãodoobjetoeopreço,poderáaprocuração em causa própria, uma vez recolhido o imposto de transmissão devido, ingressar no registro de imóveis, sendo portanto título hábil para a transferência do domínio. Por esse motivo, NÃO PODE a procuração em causa própria ser lavrada pelos Oficiais de Registro Civil das Pessoas Naturais.

58 9. Procuração em causa própria Sobre a transferência de domínio por procuração em causa própria, confira se o acórdão abaixo: Acórdão CSMSP Fonte: /84 Data Julgamento: 13/09/1984 Localidade: Serra Negra Relator: Marcos Nogueira Garcez Indiscutível, então, cuidar se, na espécie, de título registrável, consoante disciplina do artigo 167, I, n.º 29, da Lei 6.015/73, cabendo lembrar que pelo registro da procuração "in rem propriam" opera se a transmissão do domínio, conforme prevê o artigo 172 da Lei dos Registros Públicos. Anote se, ainda, que, segundo o princípio registrário da inscrição, os direitos de propriedade são sempre registráveis, por ser esta o máximo dos direitos reais.

59 9. Procuração em causa própria EXEMPLO PROCURAÇÃO EM CAUSA PRÓPRIA PROCURAÇÃO EM CAUSA PRÓPRIA que fazem..., como abaixo se declara:... Saibam quantos este instrumento público de PROCURAÇÃO EM CAUSA PRÓPRIA virem, que, ao...dias do mês de...do ano de..., nesta cidade de... Estado de..., em meu Cartório, perante mim, tabelião, compareceram como outorgante, F...e sua mulher F..., proprietários, residentes nesta cidade, e declaram que são senhores e possuidores, por justo título e aquisição legal, devidamente transcrita, de um prédio de alvenaria e respectivo terreno situado na Rua...,nº... desta cidade, terreno que mede...metros de frente por...de fundos, que houveram de Xisto Tertius e sua mulher, tudo conforme escritura dada e passada em... e registrada no Ofício de Registro sob nº..., propriedade esta que tem livre e desembaraçada de quaisquer ônus, e que havendo ajustado e contratado a venda do referido imóvel com o Sr. F..., profissão..., residente também nessa cidade, pelo preço justo e certo de..., por esta forma de direito, nomeiam e constituem o mesmo Sr. F..., seu procurador especial e em causa própria, para que possa vender como sua e a quem lhe convier, pelo preço combinado ou maior preço, a referida propriedade, passando e dando as competentes escrituras de lei; podendo mesmo transferi la para si mediante a transcrição legal, independente de qualquer outro pagamento ou importância, visto que, neste mesmo ato, dele receberam a referida importância de..., em moeda corrente, como exato pagamento da venda, pelo que dão plena, geral e irrevogável quitação,

60 9. Procuração em causa própria ficando, por esta forma, posteriormente, o seu referido procurador em causa própria, dispensado de qualquer prestação de contas, venda ou revenda por qualquer preço a referida propriedade, e que tudo dará por firme e valioso, por si e seus herdeiros. Assim, porque esta seja a sua vontade, desde já cedem e transferem ao seu referido outorgado toda posse, direito, domínio, ação e servidões ativas que até este momento lhes assistam na referida, para que possa o mesmo dela usar como sua, dispondo a como lhe aprouver, prometendo, por si e por seus herdeiros, fazer sempre boa, firme e valiosa esta autorização irrevogável de venda, bem como responder pela evicção de direito. Fica seu outorgado investido em todos os poderes para usar e administrar a referida propriedade como sua, podendo locá la, arrendá la, hipotecá la, permutá la ou vende la, como bem entender, por mais especiais que sejam e em caráter de irrevogáveis, para defender todos os direitos atinentes à referida propriedade, propondo, alegando e requerendo em juízo ou fora dele tudo que se fizer necessário para defesa de seus interesses e direitos como senhor e possuidor do imóvel, objeto deste mandato, inclusive substabelecer estes poderes na pessoa que achar conveniente, mesmo com a transferência e cessão de todos os direitos. O outorgante F..., que também presente se encontra, declarou aceitar o presente mandato em causa própria na forma por que acima especificou, em todos os seus termos, diante das testemunhas abaixo, todas de mim conhecidas. E de como assim disseram, e ser esta a expressão da verdade, do que dou fé, me pediram que lavrasse o presente instrumento de procuração com a cláusula de autorização de venda irrevogável, o qual feito, lido e achado conforme, foi por eles e pelas testemunhas presentes assinado.

61 9. Procuração em causa própria *Não confundir com Procuração para contrato consigo mesmo: Trata se de procuração outorgada a mandatário permitindo o alienar determinado imóvel a quem lhe aprouver, inclusive a si próprio. É negócio anulável, nos termos do art. 117 do Código Civil. Por não ensejar a transferência de domínio, pode ser lavrada pelos Oficiais de Registro Civil das Pessoas Naturais. Consoante art. 489 do CC, indispensável a fixação do preço nessa espécie de procuração.

62 10. Extinção do mandato

63 10. Extinção do mandato

64 10. Extinção do mandato Revogação: o mandante, não mais desejando que o procurador continue a atuar em seu nome, revoga a procuração. A revogação não depende da aceitação do procurador, mas a este deve ser notificada, bem como aos terceiros interessados. Art A revogação do mandato, notificada somente ao mandatário, não se pode opor aos terceiros que, ignorandoa, de boa fé com ele trataram; mas ficam salvas ao constituinte as ações que no caso lhe possam caber contra o procurador. Art Tanto que for comunicada ao mandatário a nomeação de outro, para o mesmo negócio, considerar se á revogado o mandato anterior.

65 10. Extinção do mandato Renúncia: o mandatário, não mais desejando agir em nome do mandante, renuncia os poderes conferidos, notificando o. Art A renúncia do mandato será comunicada ao mandante, que, se for prejudicado pela sua inoportunidade, ou pela falta de tempo,a fim de prover a substituição do procurador, será indenizado pelo mandatário, salvo se este provar que não podia continuar no mandato sem prejuízo considerável, e que não lhe era dado substabelecer. *Tanto na revogação como na renúncia deve se fazer a devida anotação se lavrada a procuração na própria serventia. Se lavrada a procuração em outra serventia, devese comunicar imediatamente o Tabelião que a lavrou para a devida anotação, enviando também cópia do ato de renúncia ou revogação.

66 10. Extinção do mandato Morte ou Interdição: Art São válidos, arespeitodoscontraentes de boa fé, osatoscom estes ajustados em nome do mandante pelo mandatário, enquanto este ignorar a morte daquele ou a extinção do mandato, por qualquer causa. Mudança de estado: Art Embora ciente da morte, interdição ou mudança de estado do mandante, deve o mandatário concluir o negócio já começado, se houver perigo na demora. Término do prazo ou conclusão do negócio: é recomendável que as procurações sejam sempre lavradas com prazo determinado, a fim de assegurar maior segurança jurídica ao contrato de mandato. Art O mandatário que exceder os poderes do mandato, ou proceder contra eles, será considerado mero gestor de negócios, enquanto o mandante lhe não ratificar os atos.

67 10. Extinção do mandato

68 11. As novas Normas de Serviço

69 10. As novas Normas de Serviço 130. A procuração outorgada para a prática de atos em que exigível o instrumento público também deve revestir a forma pública Nas procurações outorgadas por pessoas idosas, recomenda se aos Tabeliães de Notas, especialmente quando insinuado risco concreto de comprometimento patrimonial do idoso, que as lavrem com prazo de validade não superior a 01 (um) ano, com atribuição de poderes para prática de negócios jurídicos específicos e determinados e sem previsão de cláusula de irrevogabilidade, ressalvadas as hipóteses em que esta for condição de um negócio jurídico bilateral ou tiver sido estipulada no exclusivo interesse do outorgante.

70 132. Nas procurações em que os advogados figurem como outorgados constarão o número de suas inscrições ou a declaração do outorgante de que o ignora, e nas outorgadas às sociedades de advogados constarão, como outorgados, os advogados que as integram Nas escrituras de substabelecimento, e naquelas em que as partes se fizerem representar por procurador substabelecido, o Tabelião de Notas exigirá a apresentação dos instrumentos de procuração e substabelecimento, se estes não tiverem sido lavrados nas próprias notas do cartório, arquivando os em pasta própria, com remissões recíprocas.

71 134. Os Tabeliães de Notas, ao lavrarem escritura pública de substabelecimento, renúncia ou revogação de procuração escriturada em suas serventias, anotarão essa circunstância, imediatamente e sem ônus aos interessados, à margem do ato substabelecido, objeto da renúncia ou revogado Quando o substabelecimento, a renúncia ou o ato revocatório for lavrado em outra serventia, o Tabelião de Notas, imediatamente e mediante o pagamento pelo interessado da despesa postal da carta registrada, comunicará essa circunstância ao Tabelião de Notas que lavrou o ato original, enviando lhe cópia da escritura pública de substabelecimento, renúncia ou revogação de procuração que lavrou.

72 135. As cópias das escrituras públicas de substabelecimento, revogação e renúncia de procurações serão arquivadas em pasta própria, anotando o Tabelião de Notas, à margem do ato substabelecido, objeto da renúncia ou revogado, o número da pasta e a folha em que arquivado o documento referido, com remissões recíprocas A morte do outorgante comunicada ao Tabelião de Notas pelo outorgado ou qualquer outra pessoa, comprovada por documento autêntico, deve receber igual tratamento.

73

COMPRA E VENDA DE MOVEIS E IMÓVEIS Modelo 02

COMPRA E VENDA DE MOVEIS E IMÓVEIS Modelo 02 ANUÊNCIA PARA DOAÇÃO OU VENDA DE IMÓVEL ENTRE ASCENDENTE E DESCENDENTES Modelo 01 a quem confere poderes para o fim especial de, como interveniente na escritura de (doação, venda ) que seu(sua)(s) ( pai,

Leia mais

ESCRITURA DE COMPRA E VENDA

ESCRITURA DE COMPRA E VENDA RGI N: ESCRITURA DE COMPRA E VENDA VENDEDOR: COMPRADORA: IMÓVEL: VALOR DA VENDA E COMPRA: R$ VALOR VENAL DE REFERÊNCIA: R$ INSCRIÇÃO CADASTRAL: S A I B A M quantos esta pública escritura virem aos ----

Leia mais

Prof. Anderson Nogueira Oliveira Roteiro de Aula Redação Jurídica Aplicada

Prof. Anderson Nogueira Oliveira Roteiro de Aula Redação Jurídica Aplicada 1 PROCURAÇÃO 1. Conceito: A procuração é um instrumento de mandato. De seu conceito entende-se que alguém (mandante, outorgante ou constituinte) outorga poderes a outrem (mandatário, outorgado ou procurador)

Leia mais

ANEXO I DECLARAÇÃO DE INEXISTÊNCIA DE AÇÃO JUDICIAL

ANEXO I DECLARAÇÃO DE INEXISTÊNCIA DE AÇÃO JUDICIAL ANEXO I DECLARAÇÃO DE INEXISTÊNCIA DE AÇÃO JUDICIAL (razão social do devedor), com inscrição no CNPJ nº, devidamente representada por (nome e qualificação do representante), DECLARA, para os fins da RN

Leia mais

TABELA A ATOS DOS TABELIÃES. 01 ABERTURA DE FIRMA (ficha de autógrafos)... R$ 4,60

TABELA A ATOS DOS TABELIÃES. 01 ABERTURA DE FIRMA (ficha de autógrafos)... R$ 4,60 TABELA A ATOS DOS TABELIÃES 01 ABERTURA DE FIRMA (ficha de autógrafos)... R$ 4,60 02 ATAS NOTARIAIS (pela lavratura e registro, conforme a complexidade do fato observado a ser transformado em ato jurídico

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE COMPRA E VENDA DE BEM IMÓVEL

INSTRUMENTO PARTICULAR DE COMPRA E VENDA DE BEM IMÓVEL INSTRUMENTO PARTICULAR DE COMPRA E VENDA DE BEM IMÓVEL Por meio deste instrumento de contrato particular pelo qual: De um lado NOME PROPRIETÁRIO(OS), brasileiro, comerciário, solteiro, RG SSP/SP, CPF,

Leia mais

DA PROMESSA DE COMPRA E VENDA DE BEM IMÓVEL NA PERSPECTIVA DO REGISTRO DE IMÓVEIS: CLÁUSULAS SUSPENSIVA E RESOLUTIVA, EXTINÇÃO E PUBLICIADE REGISTRAL

DA PROMESSA DE COMPRA E VENDA DE BEM IMÓVEL NA PERSPECTIVA DO REGISTRO DE IMÓVEIS: CLÁUSULAS SUSPENSIVA E RESOLUTIVA, EXTINÇÃO E PUBLICIADE REGISTRAL DA PROMESSA DE COMPRA E VENDA DE BEM IMÓVEL NA PERSPECTIVA DO REGISTRO DE IMÓVEIS: CLÁUSULAS SUSPENSIVA E RESOLUTIVA, EXTINÇÃO E PUBLICIADE REGISTRAL Professor Luiz Egon Richter 1. DA DISTINÇÃO ENTRE A

Leia mais

Documentação Necessária para Certificação e Registro de Imóveis Rurais

Documentação Necessária para Certificação e Registro de Imóveis Rurais Documentação Necessária para Certificação e Registro de Imóveis Rurais Diferença entre Registro, Certidão e Matrícula Diferenças entre Averbar e Registrar Necessidade de Retificar um Registro ( retificação

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CODÓ ESTADO DO MARANHÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CODÓ ESTADO DO MARANHÃO LEI Nº 1552, DE 18 DE AGOSTO DE 2011. Disciplina a dação em pagamento de obras, serviços e bem móvel como forma de extinção da obrigação tributária no Município de Codó, prevista no inciso XI do artigo

Leia mais

DO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS. Curso de Técnico em Transações Imobiliárias Curso Total

DO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS. Curso de Técnico em Transações Imobiliárias Curso Total DO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS Curso de Técnico em Transações Imobiliárias Curso Total DO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS DO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS. FINALIDADE. DOS TÍTULOS REGISTRÁVEIS: ESCRITURA

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE COMPROMISSO DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEIS, CESSÃO DE DIREITOS AQUISITIVOS SOBRE BENS IMÓVEIS E OUTRAS AVENÇAS

INSTRUMENTO PARTICULAR DE COMPROMISSO DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEIS, CESSÃO DE DIREITOS AQUISITIVOS SOBRE BENS IMÓVEIS E OUTRAS AVENÇAS INSTRUMENTO PARTICULAR DE COMPROMISSO DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEIS, CESSÃO DE DIREITOS AQUISITIVOS SOBRE BENS IMÓVEIS E OUTRAS AVENÇAS As Partes: PROMITENTE VENDEDOR ITAÚ UNIBANCO S.A., com sede em São

Leia mais

ANEXO 1 - MODELO DE ESCRITURA DE SEPARAÇÃO CONSENSUAL SEM PARTILHA DE BENS

ANEXO 1 - MODELO DE ESCRITURA DE SEPARAÇÃO CONSENSUAL SEM PARTILHA DE BENS ANEXO 1 - MODELO DE ESCRITURA DE SEPARAÇÃO CONSENSUAL SEM PARTILHA DE BENS Livro... Folha... ESCRITURA PÚBLICA DE SEPARAÇÃO CONSENSUAL que fazem, como outorgantes e reciprocamente outorgados NOME e NOME,

Leia mais

Que fazem entre si, de um lado a empresa..., na..., aqui representada. por..., brasileiro,

Que fazem entre si, de um lado a empresa..., na..., aqui representada. por..., brasileiro, 34) INSTRUMENTO DE CONTRATO DE COMPRA E VENDA Que fazem entre si, de um lado a empresa..., inscrita no CNPJ/MF sob nº...., com sede na..., aqui representada por..., brasileiro, maior, casado, administrador

Leia mais

PRÁTICA CIVIL E PROCESSUAL LEGALE

PRÁTICA CIVIL E PROCESSUAL LEGALE BEM IMOVEL Art. 79. São bens imóveis o solo e tudo quanto se lhe incorporar natural ou artificialmente. Art. 80. Consideram-se imóveis para os efeitos legais: I -os direitos reais sobre imóveis e as ações

Leia mais

Anexo III. ESCRITURA PÚBLICA ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA EM GARANTIA E OUTRAS AVENÇAS, na forma abaixo:-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.

Anexo III. ESCRITURA PÚBLICA ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA EM GARANTIA E OUTRAS AVENÇAS, na forma abaixo:-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-. Anexo III ESCRITURA PÚBLICA ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA EM GARANTIA E OUTRAS AVENÇAS, na forma abaixo:-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-. A O S [ ] do mês de [ ] do ano de dois mil e oito (2008), nesta Cidade

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO CONTRATO DE COMPRA E VENDA

MINUTA DE CONTRATO CONTRATO DE COMPRA E VENDA MINUTA DE CONTRATO CONTRATO DE COMPRA E VENDA TERMO DE COMPROMISSO DE COMPRA E VENDA DE BEM IMÓVEL QUE ENTRE SI FAZEM A FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE ALTO VALE DO RIO DO PEIXE - FUNIARP E. Na forma abaixo: FUNDAÇÃO

Leia mais

Direito das Coisas II

Direito das Coisas II 2.8 DO DIREITO DO PROMITENTE COMPRADOR Ao cabo do que já era reconhecido pela doutrina, o Código Civil de 2002, elevou o direito do promitente comprador ao status de direito real. Dantes, tão somente constava

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DE GARANTIA DE PENHOR DE DIREITOS. Quadro Resumo

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DE GARANTIA DE PENHOR DE DIREITOS. Quadro Resumo INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DE GARANTIA DE PENHOR DE DIREITOS Quadro Resumo BANCO CNPJ/MF Banco Bradesco S.A. 60.746.948/0001 12 Sede Cidade de Deus, Município e Comarca de Osasco, Estado de

Leia mais

ANEXO II - Códigos dos atos praticados pelos serviços notariais e de registro

ANEXO II - Códigos dos atos praticados pelos serviços notariais e de registro ANEXO II - s dos atos praticados pelos serviços notariais e de registro ATOS DO TABELIÃO DE NOTAS TABELA 1 (R$) Valor Final ao Usuário 1 Aprovação de testamento cerrado 139,36 43,83 183,19 1101-5 2 Ata

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DA SOCIEDADE LIMITADA EMPRESA 1

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DA SOCIEDADE LIMITADA EMPRESA 1 INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DA SOCIEDADE LIMITADA EMPRESA 1 Pelo presente instrumento particular, atendendo as formalidades legais, SÓCIA 2; SÓCIO 2, resolvem constituir uma sociedade limitada,

Leia mais

EDITAL DE ALIENAÇÃO DE BENS IMÓVEIS LEILÃO PÚBLICO N 01/2013

EDITAL DE ALIENAÇÃO DE BENS IMÓVEIS LEILÃO PÚBLICO N 01/2013 EDITAL DE ALIENAÇÃO DE BENS IMÓVEIS LEILÃO PÚBLICO N 01/2013 1. INTRODUÇÃO 1.1 A ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SEÇÃO MINAS GERAIS, por seu Presidente, DR. LUÍS CLÁUDIO DA SILVA CHAVES, para conhecimento

Leia mais

1. COMPRA E VENDA OBJETO DE DIREITO CIVIL 1

1. COMPRA E VENDA OBJETO DE DIREITO CIVIL 1 1. COMPRA E VENDA OBJETO DE DIREITO CIVIL 1 1.1 COMPROMISSO PARTICULAR DE COMPRA E VENDA (Modelo 1) Pelo presente instrumento particular, entre partes, como promitentes vendedores, doravante denominados

Leia mais

MODELO DE CONTRATO DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA DE IMÓVEL

MODELO DE CONTRATO DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA DE IMÓVEL Sugestão de Contrato de Promessa de Compra e Venda de Imóvel MODELO DE CONTRATO DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA DE IMÓVEL Pelo presente instrumento de promessa de compra e venda, de um lado como promitente

Leia mais

O 10. QUADROS DA NBR 12.721/2006, COM ART O 11. ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO O 12. ATESTADO DE IDONEIDADE FINANCEIRA O 13. CONTRATO-PADRÃO

O 10. QUADROS DA NBR 12.721/2006, COM ART O 11. ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO O 12. ATESTADO DE IDONEIDADE FINANCEIRA O 13. CONTRATO-PADRÃO LISTA DE DOCUMENTOS 1 Lei 4.591/64, Provimento nº 260/CGJ/2013. O incorporador deverá apresentar, no Ofício de Registro de Imóveis, os seguintes documentos, organizados nesta ordem. CHECK LIST O 1. MEMORIAL

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA OITAVA CÂMARA CÍVEL 1 APELAÇÃO CÍVEL 2009.001.27482

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA OITAVA CÂMARA CÍVEL 1 APELAÇÃO CÍVEL 2009.001.27482 1 APELAÇÃO CÍVEL 2009.001.27482 APELANTE: LAUDEMIRA LEONCIA DA SILVA APELADO: LUIZ FELIPE WHYTE DYLONG PROCESSO CIVIL APELAÇÃO ADJUDICAÇÃO COMPULSÓRIA PROMESSA DE CESSÃO DE DIREITOS SOBRE IMÓVEL COM QUITAÇÃO

Leia mais

OFÍCIO CIRCULAR N.º 205/2008-CGJ/DOF (Id. 076486/08) Favor mencionar este número Cuiabá, 25 de setembro de 2008.

OFÍCIO CIRCULAR N.º 205/2008-CGJ/DOF (Id. 076486/08) Favor mencionar este número Cuiabá, 25 de setembro de 2008. OFÍCIO CIRCULAR N.º 205/2008-CGJ/DOF (Id. 076486/08) Favor mencionar este número Cuiabá, 25 de setembro de 2008. Senhor(a) Oficial(a) de Registro de Imóveis: De ordem do Excelentíssimo Senhor Desembargador

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 35, DE 24 DE ABRIL DE 2007

RESOLUÇÃO Nº 35, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Texto compilado a partir da redação dada pelas Resoluções nºs 143/2011 e 179/2013 RESOLUÇÃO Nº 35, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Disciplina a aplicação da Lei nº 11.441/07 pelos serviços notariais e de registro

Leia mais

No Tabelionato de Notas são lavradas escrituras públicas em geral, como inventários, divórcios, declaratórias de união estável, procurações,

No Tabelionato de Notas são lavradas escrituras públicas em geral, como inventários, divórcios, declaratórias de união estável, procurações, No Tabelionato de Notas são lavradas escrituras públicas em geral, como inventários, divórcios, declaratórias de união estável, procurações, testamentos, entre outras. Também são lavradas atas notariais,

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CESSÃO DE DIREITOS CREDITÓRIOS E OUTRAS AVENÇAS

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CESSÃO DE DIREITOS CREDITÓRIOS E OUTRAS AVENÇAS INSTRUMENTO PARTICULAR DE CESSÃO DE DIREITOS CREDITÓRIOS E OUTRAS AVENÇAS As Partes: CEDENTE ITAÚ UNIBANCO S.A., com sede em São Paulo -SP, na Praça Alfredo Egydio de Souza Aranha, nº 100 Torre Olavo Setubal,

Leia mais

TABELA V DOS OFICIOS DE REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS

TABELA V DOS OFICIOS DE REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS TABELA V DOS OFICIOS DE REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS Tabela elaborada sob responsabilidade da Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo Arpen-SP. Lei 11.331, de 26

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE PROMESSA DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEL URBANO, que entre si celebram:

INSTRUMENTO PARTICULAR DE PROMESSA DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEL URBANO, que entre si celebram: INSTRUMENTO PARTICULAR DE PROMESSA DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEL URBANO, que entre si celebram: I - de um lado, na qualidade de Promitente VENDEDORA, a FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL DO BANCO ECONÔMICO S/A-ECOS,

Leia mais

DIREITO CIVIL Espécies de Contratos

DIREITO CIVIL Espécies de Contratos DIREITO CIVIL Espécies de Contratos Espécies de Contratos a serem estudadas: 1) Compra e venda e contrato estimatório; 2) Doação; 3) Depósito; 4) Mandato; 5) Seguro; 6) Fiança; 7) Empréstimo (mútuo e comodato);

Leia mais

2ª Fase Direito Civil

2ª Fase Direito Civil 2ª Fase Direito Civil Professor Fabio Alves fabio@ferreiraecamposadv.com CONTRATOS E CDC PRINCÍPIOS AUTONOMIA DA VONTADE PACTA SUNT SERVANDA BOA-FÉ OBJETIVA 1 Formação dos contratos Proposta e Aceitação

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CESSÃO DE DIREITOS CREDITÓRIOS E OUTRAS AVENÇAS

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CESSÃO DE DIREITOS CREDITÓRIOS E OUTRAS AVENÇAS INSTRUMENTO PARTICULAR DE CESSÃO DE DIREITOS CREDITÓRIOS E OUTRAS AVENÇAS As Partes: CEDENTE ITAÚ UNIBANCO S.A., com sede em São Paulo SP, na Praça Alfredo Egydio de Souza Aranha, nº 100 Torre Olavo Setubal,

Leia mais

CADASTRO DE CLIENTES

CADASTRO DE CLIENTES CADASTRO DE CLIENTES (Indenização Danos Morais e Materiais) Empresas de Telefonia Fixa, Celulares e outras TIM CLARO OI VIVO Outras... PERGUNTAS: Período que a empresa telefônica deixou de prestar os serviços

Leia mais

ferramenta: MODELO DE CONTRATO SOCIAL

ferramenta: MODELO DE CONTRATO SOCIAL INDICADO PARA empreendedores que pretendem constituir uma sociedade e não se enquadram nos critérios aplicáveis aos Empreendedores Individuais (EI) - leia mais abaixo. SERVE PARA formalizar uma sociedade

Leia mais

CAPÍTULO III Da Fiscalização das Fundações e Associações

CAPÍTULO III Da Fiscalização das Fundações e Associações CAPÍTULO III Da Fiscalização das Fundações e Associações Art. 186. O Ministério Público, no exercício de sua atribuição fiscalizatória das fundações, 1 exerce atividade administrativa e judicial. Art.

Leia mais

5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o

5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o 5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS AVENÇAS PARTES CONTRATANTES COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o n.... e no RG sob o n...., residente

Leia mais

AMPLOS PODERES Modelo 01 a quem confere amplos, gerais e ilimitados poderes para tratar de todos os negócios dele(a) (s) Outorgante(s), administrar,

AMPLOS PODERES Modelo 01 a quem confere amplos, gerais e ilimitados poderes para tratar de todos os negócios dele(a) (s) Outorgante(s), administrar, AMPLOS PODERES Modelo 01 a quem confere amplos, gerais e ilimitados poderes para tratar de todos os negócios dele(a) (s) Outorgante(s), administrar, comprar, vender, alugar, doar, permutar, gravar ou de

Leia mais

OAB/FGV 2ª Fase de Direito Civil

OAB/FGV 2ª Fase de Direito Civil OAB/FGV 2ª Fase de Direito Civil Professor Fabio Alves fabio@ferreiraecamposadv.com 1. Marlon, famoso jogador de futebol, é contratado para ser o garoto propaganda da Guaraluz, fabricante de guaraná natural.

Leia mais

RESUMO DA TABELA DE EMOLUMENTOS E TFJ DE 2015 EM VIGOR PARA ATOS PRATICADOS A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015

RESUMO DA TABELA DE EMOLUMENTOS E TFJ DE 2015 EM VIGOR PARA ATOS PRATICADOS A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 RESUMO DA TABELA DE EMOLUMENTOS E TFJ DE 2015 EM VIGOR PARA ATOS PRATICADOS A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 1- ATOS DO REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS VALORES EM R$ ATO VALORES TOTAL BUSCA (POR PERÍODO

Leia mais

ANEXO 10-A MINUTA DE TERMO DE DAÇÃO EM PAGAMENTO DO IMÓVEL

ANEXO 10-A MINUTA DE TERMO DE DAÇÃO EM PAGAMENTO DO IMÓVEL ANEXO 10-A MINUTA DE TERMO DE DAÇÃO EM PAGAMENTO DO IMÓVEL Pelo presente instrumento, o ESTADO DO CEARÁ, representado pela SECRETARIA DE INFRAESTRUTURA DO ESTADO DO CEARÁ SEINFRA, pessoa jurídica de Direito

Leia mais

Em caso de dúvidas, entre em contato com nossa Central Especializada:

Em caso de dúvidas, entre em contato com nossa Central Especializada: MODELOS DE DECLARAÇÃO Preencha as declarações necessárias de acordo com o seu perfil e o da operação. Elas devem ser enviadas à Administradora junto com os outros documentos e formulários solicitados nessa

Leia mais

Desse modo, esse adquirente

Desse modo, esse adquirente 1-(FCC - 2012 - Prefeitura de São Paulo - SP - Auditor Fiscal do Município) Uma pessoa adquiriu bem imóvel, localizado em área urbana de município paulista, sem exigir que o vendedor lhe exibisse ou entregasse

Leia mais

PROVIMENTO Nº 12/2012 - CGJ

PROVIMENTO Nº 12/2012 - CGJ PROVIMENTO Nº 12/2012 - CGJ O Excelentíssimo Senhor Corregedor Geral da Justiça do Estado de Mato Grosso no uso de suas atribuições legais previstas nos artigos 31 e 39, alínea c, do Código de Organização

Leia mais

Corregedoria Geral de Justiça

Corregedoria Geral de Justiça Corregedoria Geral de Justiça Ronaldo Claret de Moraes Juiz Auxiliar da Corregedoria Superintendente dos Serviços Notariais e de Registro do Estado de Minas Geras SIMPÓSIO Aplicabilidade da Lei 11.441/2007

Leia mais

CONSÓRCIO DE IMÓVEIS MODELOS DE DECLARAÇÃO

CONSÓRCIO DE IMÓVEIS MODELOS DE DECLARAÇÃO MODELOS DE DECLARAÇÃO Preencha as declarações necessárias de acordo com o seu perfil e o da operação. Elas devem ser enviadas à Administradora junto com os outros documentos e formulários solicitados nessa

Leia mais

M:\BancoDeDadosDLAN\99900365\Escriturta de Cessão de Posse - CARACÍLIO NUNES DA SILVA - versão 17 06 2009.doc

M:\BancoDeDadosDLAN\99900365\Escriturta de Cessão de Posse - CARACÍLIO NUNES DA SILVA - versão 17 06 2009.doc M:\BancoDeDadosDLAN\99900365\Escriturta de Cessão de Posse - CARACÍLIO NUNES DA SILVA - versão 17 06 2009.doc ESCRITURA PÚBLICA DE ACORDO INDENIZATÓRIO PARA DESOCUPAÇÃO DE IMÓVEL, OUTRAS AVENÇAS E CESSÃO

Leia mais

novembro 2013 Coletânea de Estudos Recivil Coletânea Mandato em Causa Própria Autor: Leandro Augusto Neves Corrêa Volume 2

novembro 2013 Coletânea de Estudos Recivil Coletânea Mandato em Causa Própria Autor: Leandro Augusto Neves Corrêa Volume 2 novembro 2013 Coletânea de Estudos Coletânea Mandato em Causa Própria Autor: Leandro Augusto Neves Corrêa Volume 2 Coletânea de Estudos Coletânea Mandato em Causa Própria Volume 2 Autor: Leandro Augusto

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 541.479-4/5-00, da Comarca de. LIMEIRA, em que são apelantes e reciprocamente apelados RIO

APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 541.479-4/5-00, da Comarca de. LIMEIRA, em que são apelantes e reciprocamente apelados RIO f PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÒRDÃO/DECISAOMONOCRATICA ACÓRDÃO REGISTRADO(A) SOB N Vistos, relatados e discutidos estes autos de APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 541.479-4/5-00, da

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DE GARANTIA DE ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA. Quadro Resumo

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DE GARANTIA DE ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA. Quadro Resumo INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DE GARANTIA DE ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA Quadro Resumo BANCO CNPJ/MF Banco Bradesco S.A. 60.746.948/0001 12 Sede Cidade de Deus, Município e Comarca de Osasco, Estado

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 249 - Data 12 de setembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: NORMAS DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA A promessa de compra e venda de

Leia mais

CONCORRÊNCIA MAIOR PREÇO CRBio-01 Nº 01/2015

CONCORRÊNCIA MAIOR PREÇO CRBio-01 Nº 01/2015 CONCORRÊNCIA MAIOR PREÇO CRBio-01 Nº 01/2015 DA APRESENTAÇÃO 1.1. O CRBio-01, por intermédio da Comissão de Licitação constituída pela Portaria CRBio-01 nº 10/2015, fará realizar CONCORRÊNCIA PÚBLICA para

Leia mais

Válida até 30/03/2011

Válida até 30/03/2011 Tabela de Emolumentos / 2011 (1) Válida até 30/03/2011 Anexo da Portaria nº 1448 /CGJ/2010 (a que se refere o 1º do artigo 2º da Lei n.º 15.424, de 30 de dezembro de 2004, atualizado nos termos do artigo

Leia mais

PRINCIPAIS PRAZOS NA LEI Nº 6.015, DE 21-12-1973 (Lei dos Registros Públicos)

PRINCIPAIS PRAZOS NA LEI Nº 6.015, DE 21-12-1973 (Lei dos Registros Públicos) PRINCIPAIS PRAZOS NA LEI Nº 6.015, DE 21-12-1973 (Lei dos Registros Públicos) Anotações Art. 106. Sempre que o oficial fizer algum registro ou averbação, deverá, no prazo de cinco dias, anotá-lo nos atos

Leia mais

RETA FINAL - MG Disciplina: Direito Empresarial Aula nº 01 DIREITO EMPRESARIAL

RETA FINAL - MG Disciplina: Direito Empresarial Aula nº 01 DIREITO EMPRESARIAL DIREITO EMPRESARIAL 1. Atividade Empresarial ( art. 966 e ss do CC) Art. 966. Considera-se empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou a circulação de bens

Leia mais

TÍTULO IV Do Registro de Títulos e Documentos CAPÍTULO I Das Atribuições

TÍTULO IV Do Registro de Títulos e Documentos CAPÍTULO I Das Atribuições TÍTULO IV Do Registro de Títulos e Documentos CAPÍTULO I Das Atribuições Art. 127. No Registro de Títulos e Documentos será feita a transcrição: (Renumerado do art. 128 pela Lei nº 6.216, de 1975). I -

Leia mais

ATA DE ELEIÇÃO DA COMISSÃO DE REPRESENTANTES DO GRUPO DE BENEFICIÁRIOS. Aos dias do mês de de ( / / ), os beneficiários do empreendimento

ATA DE ELEIÇÃO DA COMISSÃO DE REPRESENTANTES DO GRUPO DE BENEFICIÁRIOS. Aos dias do mês de de ( / / ), os beneficiários do empreendimento ATA DE ELEIÇÃO DA COMISSÃO DE REPRESENTANTES DO GRUPO DE BENEFICIÁRIOS Aos dias do mês de de ( / / ), os beneficiários do empreendimento, a ser implementado no município, reuniram na e realizaram Assembléia

Leia mais

1. REGISTRAR MENOR 2. INVENTÁRIO E PARTILHA 3. FORO EM GERAL 4. AMPLOS PODERES 5. DETRAN 6. VENDA DE CARRO 7. ENTRADA COM PROCESSO DE CASAMENTO 8

1. REGISTRAR MENOR 2. INVENTÁRIO E PARTILHA 3. FORO EM GERAL 4. AMPLOS PODERES 5. DETRAN 6. VENDA DE CARRO 7. ENTRADA COM PROCESSO DE CASAMENTO 8 MODELOS DE PODERES ATENÇÃO: O outorgante deve perguntar ao seu advogado ou ao órgão no Brasil junto ao qual será apresentada a procuração qual o texto adequado e quais os poderes a serem delegados ao procurador,

Leia mais

Dados Básicos. Ementa. Íntegra

Dados Básicos. Ementa. Íntegra Dados Básicos Fonte: 0011879-16.2011.8.26.0132 Tipo: Acórdão CSM/SP Data de Julgamento: 18/10/2012 Data de Aprovação Data não disponível Data de Publicação:17/01/2013 Estado: São Paulo Cidade: Catanduva

Leia mais

Dados Básicos. Legislação. Verbetação. Ementa. Íntegra

Dados Básicos. Legislação. Verbetação. Ementa. Íntegra Dados Básicos Fonte: 1.0145.08.491031-7/001(1) Tipo: Acórdão TJMG Data de Julgamento: 08/02/2011 Data de Aprovação Data não disponível Data de Publicação:11/03/2011 Estado: Minas Gerais Cidade: Juiz de

Leia mais

A responsabilidade pelo pagamento das cotas condominiais em caso de aquisição do imóvel mediante arrematação judicial

A responsabilidade pelo pagamento das cotas condominiais em caso de aquisição do imóvel mediante arrematação judicial A responsabilidade pelo pagamento das cotas condominiais em caso de aquisição do imóvel mediante arrematação judicial Por Maria Angélica Jobim de Oliveira À luz do artigo 1.336, inciso I, do Código Civil,

Leia mais

Anexo 1.2.7 : Modelo de instrumento de cessão de crédito sem coobrigação

Anexo 1.2.7 : Modelo de instrumento de cessão de crédito sem coobrigação Anexo 1.2.7 : Modelo de instrumento de cessão de crédito sem coobrigação INSTRUMENTO PARTICULAR DE CESSÃO DE CRÉDITOS SEM COOBRIGAÇÃO Por este instrumento, as partes a seguir designadas e qualificadas,

Leia mais

ITBI - Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis Direito Tributário

ITBI - Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis Direito Tributário 1 ITBI - Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis Direito Tributário Posição histórica Também conhecido como sisa, até 1988 era da competência dos Estados. A partir da Constituição Federal de 1988, passou

Leia mais

CAIXA DE PREVIDÊNCIA DOS FUNCIONÁRIOS DO SISTEMA BANERJ PREVI-BANERJ EM LIQUIDAÇÃO EXTRAJUDICIAL EDITAL DE CONCORRÊNCIA PARA VENDA DE BENS IMÓVEIS

CAIXA DE PREVIDÊNCIA DOS FUNCIONÁRIOS DO SISTEMA BANERJ PREVI-BANERJ EM LIQUIDAÇÃO EXTRAJUDICIAL EDITAL DE CONCORRÊNCIA PARA VENDA DE BENS IMÓVEIS CAIXA DE PREVIDÊNCIA DOS FUNCIONÁRIOS DO SISTEMA BANERJ PREVI-BANERJ EM LIQUIDAÇÃO EXTRAJUDICIAL EDITAL DE CONCORRÊNCIA PARA VENDA DE BENS IMÓVEIS O Liquidante da CAIXA DE PREVIDÊNCIA DOS FUNCIONÁRIOS

Leia mais

AS LICENÇAS CREATIVE COMMONS SÉRGIO BRANCO

AS LICENÇAS CREATIVE COMMONS SÉRGIO BRANCO AS LICENÇAS CREATIVE COMMONS SÉRGIO BRANCO I O PROBLEMA Direitos Patrimoniais: Art. 29: depende de autorização prévia e expressa do autor a utilização da obra, por quaisquer modalidades, tais

Leia mais

CONTRATO PROMESSA DE COMPRA E VENDA

CONTRATO PROMESSA DE COMPRA E VENDA CONTRATO PROMESSA DE COMPRA E VENDA Entre: ESTAMO PARTICIPAÇÕES IMOBILIÁRIAS, S.A., pessoa colectiva número 503152544, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa, com sede na Av. Defensores

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA COM CESSÃO E TRANSFERÊNCIA DE QUOTAS DE SOCIEDADE POR QUOTAS DE RESPONSABILIDADE LIMITADA

CONTRATO DE COMPRA E VENDA COM CESSÃO E TRANSFERÊNCIA DE QUOTAS DE SOCIEDADE POR QUOTAS DE RESPONSABILIDADE LIMITADA 1 CONTRATO DE COMPRA E VENDA COM CESSÃO E TRANSFERÊNCIA DE QUOTAS DE SOCIEDADE POR QUOTAS DE RESPONSABILIDADE LIMITADA I PARTES: a) Sócia 2, doravante denominada simplesmente PROMITENTE VENDEDOR CEDENTE;

Leia mais

CONTRATO DE ADMINISTRAÇÃO DE IMÓVEIS N.º XXXX/XX

CONTRATO DE ADMINISTRAÇÃO DE IMÓVEIS N.º XXXX/XX Página 1 de 5 CONTRATO DE ADMINISTRAÇÃO DE IMÓVEIS N.º XXXX/XX Pelo presente Instrumento Particular, de um lado, como ADMINISTRADORA, a empresa VIVER NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS LTDA ME CRECI/RN sob o nº 2990

Leia mais

INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 11 INADIMPLEMENTO DAS OBRIGAÇÕES

INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 11 INADIMPLEMENTO DAS OBRIGAÇÕES INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 11 INADIMPLEMENTO DAS OBRIGAÇÕES Índice 1. Inadimplemento das Obrigações...4 1.1. Mora... 4 1.2. Das Perdas e Danos... 4 1.3. Juros moratórios ou juros

Leia mais

Simpósio sobre a Aplicabilidade da Lei 11.441, de 04.01.2007

Simpósio sobre a Aplicabilidade da Lei 11.441, de 04.01.2007 Simpósio sobre a Aplicabilidade da Lei 11.441, de 04.01.2007 (Escrituras de Inventário, Separação e Divórcio) Antonio Carlos Parreira Juiz de Direito da Vara de Família e Sucessões de Varginha MG Art.

Leia mais

PLANILHA DE QUALIFICAÇÃO COMPRA E VENDA *

PLANILHA DE QUALIFICAÇÃO COMPRA E VENDA * PLANILHA DE QUALIFICAÇÃO COMPRA E VENDA * PROTOCOLO n o MATRÍCULA (S) n o S = Sim N = Não NA = Não se aplica ANÁLISE DA MATRÍCULA 1 Proceda a uma análise da matrícula e faça um resumo de todos os atospositivos

Leia mais

MODELO CONTRATO CONSTITUTIVO DE SOCIEDADE DE ADVOGADOS

MODELO CONTRATO CONSTITUTIVO DE SOCIEDADE DE ADVOGADOS MODELO CONTRATO CONSTITUTIVO DE SOCIEDADE DE ADVOGADOS NOME DO ADVOGADO, brasileiro, divorciado, advogado, inscrito na OAB/BA sob n ------, CPF.: -----------------------, residente e domiciliado nesta

Leia mais

JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS

JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS (Anexo 1- Entendimentos) ENTENDIMENTOS E106 E107 E108 E109 E110 E111 E112 E113 Spe- Prazo de duração O prazo de duração deve ser limitado ao término de empreendimento de objeto específico e determinado,

Leia mais

PLANEJAMENTO PATRIMONIAL, FAMILIAR E SUCESSÓRIO

PLANEJAMENTO PATRIMONIAL, FAMILIAR E SUCESSÓRIO PLANEJAMENTO PATRIMONIAL, FAMILIAR E SUCESSÓRIO CLIENT ALERT DEZEMBRO/2015 GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SANCIONA AS NOVAS REGRAS REFERENTES AO IMPOSTO SOBRE A TRANSMISSÃO CAUSA MORTIS E DOAÇÃO

Leia mais

PARECER CONJUR / MCIDADES Nº 1796/2007. Processo nº 80000.014403/2007-50

PARECER CONJUR / MCIDADES Nº 1796/2007. Processo nº 80000.014403/2007-50 PARECER CONJUR / MCIDADES Nº 1796/2007 CONSULTA EFETUADA PELA CAIXA. ANÁLISE DE ESCRI- TURA DE ÁREA DE INTERVENÇÃO, REFERENTE A CON- TRATO DE REPASSE CELEBRADO COM O MUNICÍPIO DE (...). IMÓVEL ORIUNDO

Leia mais

MODELO 1 Pessoa Física PROCURAÇÃO AD JUDICIA

MODELO 1 Pessoa Física PROCURAÇÃO AD JUDICIA Modelos práticos 1. Mandato MODELO 1 Pessoa Física PROCURAÇÃO AD JUDICIA NOME DO OUTORGANTE, (nacionalidade), (estado civil), (profissão), portador do documento de identidade RG. n.º (número do documento)

Leia mais

CADASTRO DE CLIENTES

CADASTRO DE CLIENTES 1/5 Aposentadoria Rural CADASTRO DE CLIENTES Aposentadoria por Invalidez Pensão Rural LOAS Salário Maternidade PERGUNTAS: Tempo de Trabalho na Zona Rural, Laudo Médico, INCRA, ITR, Sindicato, Notas Fiscais,

Leia mais

CONVÊNIOS E CONSÓRCIOS

CONVÊNIOS E CONSÓRCIOS CONVÊNIOS E CONSÓRCIOS 1. LEGISLAÇÃO - Fundamentação Constitucional: Art. 241 da CF/88 - Fundamentação Legal: Art. 116 da Lei 8.666/93, 2. CONCEITO - CONVÊNIO - é o acordo firmado por entidades políticas

Leia mais

DO REFINANCIAMENTO DA DÍVIDA IMOBILIÁRIA COM TRANSFERÊNCIA DE CREDOR SUB- ROGAÇÃO

DO REFINANCIAMENTO DA DÍVIDA IMOBILIÁRIA COM TRANSFERÊNCIA DE CREDOR SUB- ROGAÇÃO DO REFINANCIAMENTO DA DÍVIDA IMOBILIÁRIA COM TRANSFERÊNCIA DE CREDOR SUB- ROGAÇÃO Inovações trazidas pela Lei Federal n.º 12.810 de 15 de maio de 2013. João Pedro Lamana Paiva* 1 Desde o advento da Lei

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA Estado do Paraná

PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA Estado do Paraná LEI Nº 872/2009 Disciplina a dação de bens imóveis como forma de extinção da obrigação tributária no município de Juranda,, prevista no inciso XI do artigo 156 do Código Tributário Nacional, acrescido

Leia mais

DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA TRANSMISSÃO IMOBILIARIA

DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA TRANSMISSÃO IMOBILIARIA DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA TRANSMISSÃO IMOBILIARIA Para que você possa adquirir o seu imóvel com segurança, deve exigir do vendedor todos os documentos necessários, para que não seja surpreendido futuramente

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO VICENTE Cidade Monumento da História Pátria Cellula Mater da Nacionalidade

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO VICENTE Cidade Monumento da História Pátria Cellula Mater da Nacionalidade Institui o imposto sobre transmissão intervivos, a qualquer título, por ato oneroso, de bens imóveis, por natureza ou acessão física e de direitos reais sobre imóveis, exceto os de garantia, bem como cessão

Leia mais

Tabela reajustada com índice de 23,67% - INPC (NOV/2004 FEV/2009) ANEXO I TABELA I - CUSTAS PROCESSUAIS I - DEPÓSITO PRÉVIO

Tabela reajustada com índice de 23,67% - INPC (NOV/2004 FEV/2009) ANEXO I TABELA I - CUSTAS PROCESSUAIS I - DEPÓSITO PRÉVIO Tabela reajustada com índice de 23,67% - INPC (NOV/2004 FEV/2009) I - DEPÓSITO PRÉVIO ANEXO I TABELA I - CUSTAS PROCESSUAIS 1. Nas causas de valor até R$ 3.000,00 ou inestimável R$ 70,28 R$ 14,06 R$ 84,34

Leia mais

MRV LOGISTICA E PARTICIPAÇÕES S.A. PLANO DE OUTORGA DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES ("PLANO")

MRV LOGISTICA E PARTICIPAÇÕES S.A. PLANO DE OUTORGA DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES (PLANO) MRV LOGISTICA E PARTICIPAÇÕES S.A. PLANO DE OUTORGA DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES ("PLANO") DATADO DE 17 DE NOVEMBRO, 2010 2 MRV LOGÍSTICA E PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ/MF nº 09.041.168/0001-10 NIRE 31.300.027.261

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº Dados Básicos Fonte: 70039973367 Tipo: Acórdão TJRS Data de Julgamento: 08/06/2011 Data de Aprovação Data não disponível Data de Publicação:14/06/2011 Estado: Rio Grande do Sul Cidade: Porto Alegre Relator:

Leia mais

28. Convenção sobre os Aspectos Civis do Rapto Internacional de Crianças

28. Convenção sobre os Aspectos Civis do Rapto Internacional de Crianças 28. Convenção sobre os Aspectos Civis do Rapto Internacional de Crianças Os Estados signatários da presente Convenção, Firmemente convictos de que os interesses da criança são de primordial importância

Leia mais

ANEXO IV MINUTA DE INSTRUMENTO PARTICULAR DE COMPROMISSO DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEL COM CONDIÇÃO RESOLUTIVA

ANEXO IV MINUTA DE INSTRUMENTO PARTICULAR DE COMPROMISSO DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEL COM CONDIÇÃO RESOLUTIVA ANEXO IV MINUTA DE INSTRUMENTO PARTICULAR DE COMPROMISSO DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEL COM CONDIÇÃO RESOLUTIVA Lote nº Data do Leilão: / / I PROMITENTE VENDEDOR: RAZÃO SOCIAL, com sede na Capital do Estado

Leia mais

Gabinete do Desembargador CAMARGO NETO 302980-17 ApC(04) APELAÇÃO CÍVEL Nº 302980-17.2003.8.09.0032 (200393029808) CERES

Gabinete do Desembargador CAMARGO NETO 302980-17 ApC(04) APELAÇÃO CÍVEL Nº 302980-17.2003.8.09.0032 (200393029808) CERES APELAÇÃO CÍVEL Nº 302980-17.2003.8.09.0032 (200393029808) CERES APELANTE: APELADO: RELATOR: CÂMARA: EXXXXXXXXXXX E OUTRO MXXXXXXXXXX E OUTROS DESEMBARGADOR CAMARGO NETO 6ª CÍVEL EMENTA: APELAÇÃO CÍVEL.

Leia mais

Lição 20. Outros tipos de contratos

Lição 20. Outros tipos de contratos Lição 20. Outros tipos de contratos MANDATO Mandato é o contrato pelo qual o mandatário se obriga a praticar atos jurídicos ou a administrar interesses por outra pessoa. A procuração é o instrumento do

Leia mais

- Cessão de Crédito, - Cessão de Débito, - Cessão de Contrato, ou Cessão de Posição Contratual.

- Cessão de Crédito, - Cessão de Débito, - Cessão de Contrato, ou Cessão de Posição Contratual. 3 - TRANSMISSÃO DAS OBRIGAÇÕES As obrigações podem ser transmitidas por meio da cessão, a qual consiste na transferência negocial, a título oneroso ou gratuito, de uma posição na relação jurídica obrigacional,

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Os poderes especiais de representação: pré-requisitos essenciais para o credenciamento no pregão presencial Bruno Soares de Souza * Em quem se pode confiar? Esta pergunta provavelmente

Leia mais

Em regra, todos os créditos podem ser cedidos (art. 286 CC) a) Créditos de natureza personalíssima;

Em regra, todos os créditos podem ser cedidos (art. 286 CC) a) Créditos de natureza personalíssima; Turma e Ano: Flex B (2013) Matéria / Aula: Direito Civil / Aula 11 Professor: Rafael da Mota Mendonça Conteúdo: V- Transmissão das Obrigações: 1. Cessão de Crédito. V - Transmissão das Obrigações: 1. CESSÃO

Leia mais

DIREITO REAL DE AQUISIÇÃO DO PROMITENTE COMPRADOR

DIREITO REAL DE AQUISIÇÃO DO PROMITENTE COMPRADOR UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS CAMPUS DE PALMAS CURSO DE DIREITO DIREITO CIVIL V TRABALHO DE DIREITO CIVIL DIREITO REAL DE AQUISIÇÃO DO PROMITENTE COMPRADOR Alunos: Maria Aparecida P. S. Apinajé Lucas

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça

Conselho Nacional de Justiça Poder Judiciário Conselho Nacional de Justiça PROVIMENTO Nº 37 Dispõe sobre o registro de união estável, no Livro "E", por Oficial de Registro Civil das Pessoas Naturais. O CORREGEDOR NACIONAL DE JUSTIÇA

Leia mais

Principais artigos do Código Civil, Livro II, Direito de Empresa, para concursos.

Principais artigos do Código Civil, Livro II, Direito de Empresa, para concursos. Principais artigos do Código Civil, Livro II, Direito de Empresa, para concursos. Olá, amigos. Como vão? Espero que tudo bem. Traremos hoje os principais artigos do Código Civil a serem estudados para

Leia mais

REGISTRO PÚBLICO DE IMÓVEIS: BASE SEGURA PARA O CRÉDITO IMOBILIÁRIO

REGISTRO PÚBLICO DE IMÓVEIS: BASE SEGURA PARA O CRÉDITO IMOBILIÁRIO REGISTRO PÚBLICO DE IMÓVEIS: BASE SEGURA PARA O CRÉDITO IMOBILIÁRIO Seminário ABECIP 20/09/2012: dobrando a participação do crédito imobiliário no PIB Flaviano Galhardo Registrador de Imóveis 1 - FINS

Leia mais

ABRIR MÃO DOS DIREITOS HEREDITÁRIOS Modelo 01 ao utilizar este modelo, lembre-se de preencher os dados específicos no texto abaixo

ABRIR MÃO DOS DIREITOS HEREDITÁRIOS Modelo 01 ao utilizar este modelo, lembre-se de preencher os dados específicos no texto abaixo ABRIR MÃO DOS DIREITOS HEREDITÁRIOS Modelo 01 a quem confere os mais amplos e gerais poderes para o fim especial de representá-lo (a)(s) como anuente e concordante na escritura de doação a ser outorgada

Leia mais