Ficha de Avaliação do Programa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ficha de Avaliação do Programa"

Transcrição

1 Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 21 - EDUCAÇÃO FÍSICA IES: UFSCAR - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS Programa: P7 - FISIOTERAPIA Modalidade: Acadêmico Curso Nível Ano Início Ano Início FISIOTERAPIA Doutorado 2002 Dados Disponíveis na Coleta de Dados Mestrado 1997 Curso Nível Ano Ano Ano FISIOTERAPIA Doutorado Mestrado PROPOSTA DO PROGRAMA 1.1. Coerência, consistência, abrangência e atualização das áreas de concentração, linhas de pesquisa, projetos em andamento e proposta curricular Planejamento do programa com vistas a seu desenvolvimento futuro, contemplando os desafios internacionais da área na produção do conhecimento, seus propósitos na melhor formação de seus alunos, suas metas quanto à inserção social mais rica dos seus egressos, conforme os parâmetros da área Infra-estrutura para ensino, pesquisa e, se for o caso, extensão O Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia da UFSCar teve seu mestrado iniciado em 1997 e doutorado em O Programa possui uma área de concentração denominada "Processos de e Intervenção em Fisioterapia" e conta com quatro linhas de pesquisa: 1. Processos de e Intervenção em Fisioterapia Cardiovascular e Respiratória; 2. Processos de e Intervenção em Fisioterapia do Sistema Músculo-Esquelético; 3. Instrumentação e Análise Cinesiológica e Biomecânica do Movimento; 4. Processos Básicos, Desenvolvimento e Recuperação Funcional do Sistema Nervoso Central. Estas linhas de pesquisa abrangem as disciplinas existentes no Programa, mostrando que existe uma relação e coerência com a área de concentração. Observa-se uma boa articulação entre a Área de Concentração e as Linhas de Pesquisa, bem como entre as Linhas de Pesquisas e as disciplinas e as dissertações defendidas. A grade curricular apresenta um conjunto de disciplinas que assegura uma formação sólida em ciência e método, assim como no treinamento da atividade de docência. De maneira geral, as ementas contemplam as disciplinas, sendo as bibliografias coerentes e atualizadas. Em relação à infra-estrutura para a realização das atividades relativas à pós-graduação, cabe ressaltar a presença de condições totalmente adequadas no que diz respeito tanto aos laboratórios de pesquisa, os quais atendem às atividades de pesquisa de todas as linhas de pesquisa do Programa, quanto a espaços destinados para docentes e discentes, recursos de informática e bibliotecas. Além disso, o grupo expandiu a sua capacidade, já existente, ao obter recursos do CT-infra/FINEP, bem como para projetos de pesquisa em órgãos externos de fomento, principalmente na FAPESP, CNPq, assim como por meio de bolsas de diferentes tipos, tais como, produtividade pesquisa, apoio técnico, mestrado, doutorado, pós-doutorado e iniciação científica. Destaca-se a aprovação de um projeto multicêntrico de âmbito nacional (CNPq), envolvendo Programas de Fisioterapia. É possível observar na proposta a vinculação entre os recursos captados e os projetos de pesquisa. Merece destaque o número de bolsistas produtividade em Página 1 de 7

2 pesquisa (10), o que corresponde a 55% do corpo docente permanente, superior à média desejável para a área. Os intercâmbios tem ocorrido com várias universidades nacionais e internacionais, destacando-se a Universidade de Harward (EUA); Universidade de Minnesota (EUA); Universidade de Alberta (Canadá); Universidade de Lund (Suécia); Universidade de Amsterdam (Bélgica); Universidade do Colorado (EUA); Universidade de Turin (Itália); Universidade de Salamanca (Espanha); Universidade de Griffith (Austrália); Instituto de Tecnologia de Nova York (EUA), Universidade de Sevilla (Espanha) e Universidade de Aveiro (Portugal). CORPO DOCENTE 2.1. Perfil do corpo docente, consideradas titulação, diversificação na origem de formação, aprimoramento e experiência, e sua compatibilidade e adequação à Proposta do Programa Adequação e dedicação dos docentes permanentes em relação às atividades de pesquisa e de formação do programa 2.3. Distribuição das atividades de pesquisa e de formação entre os docentes do programa Contribuição dos docentes para atividades de ensino e/ou de pesquisa na graduação, com atenção tanto à repercussão que este item pode ter na formação de futuros ingressantes na PG, quanto na formação de profissionais mais capacitados no plano da graduação Proporção do corpo docente com importante captação de recursos para pesquisa (Agências de fomento, Bolsa de produtividade, Financiamentos Nacionais e Internacionais, convênios,...) O corpo docente é composto por 78% de docentes permanentes (18/23), os quais realizam em sua totalidade, no triênio, atividades de ensino na graduação e na pós-graduação, pesquisa e orientação, sendo que 72% dos docentes realizam orientação de doutorado, demonstrando a maturidade científica do grupo na condução dos diferentes níveis de atividades. A formação do grupo é adequada, congregando docentes com maior e menor experiência, com formação diversificada e já consolidada. Houve uma expansão de 16 para 18 docentes permanentes nesse triênio. Grande parte dos docentes tem projeção nacional e alguns internacional. Ao final de 2009, 55% dos docentes permanentes tem bolsa de produtividade em pesquisa, havendo uma proporção significativa desses pesquisadores com bolsa nível 1 (50%). Além disso, a editoria da Revista Brasileira de Fisioterapia, a qual foi indexada no Medline e JCR, e que publica de forma expressiva a produção de pós-graduação da área no país, é de responsabilidade de uma docente deste grupo. Vários docentes participam de maneira destacada da editoria de periódicos e são pareceristas de órgãos de fomento, revistas científicas, bem como membros de diretoria de associações nacionais. Cabe destacar que a última representante da área de Fisioterapia no CNPq é docente do Programa. Os intercâmbios nacionais e internacionais têm sido incrementados progressivamente com a presença de discentes realizando doutorado sandwich no exterior, doutores em estágio pós-doutoral no Programa; titulação de estrangeiros tanto no mestrado quanto no doutorado, participação em corpo editorial de periódicos internacionais, convites para participação em congressos, palestras e cursos no exterior; visitas de pesquisadores internacionais ao Programa e pesquisas com publicações conjuntas decorrentes dessas interações. A média de projetos de pesquisa por docente foi de 5,5 no triênio, sendo em menor número para os docentes incorporados ao Programa nesse triênio. Todos os docentes permanentes concluíram orientações no triênio. Observa-se que a pequena variação do número de titulados entre os docentes, justificada em parte pelo fato de que dois terem sido credenciados há menos tempo. Os docentes permanentes respondem por 92,4% das atividades de ensino do Programa. Há adequada vinculação com a instituição, com todos os docentes permanentes em dedicação exclusiva e Página 2 de 7

3 a estabilidade dos docentes permanentes contribuem de maneira significativa para a excelência das atividades desenvolvidas. Aproximadamente 70% dos docentes permanentes do Programa realizaram orientação de iniciação científica e de trabalho de conclusão de curso, garantindo uma integração satisfatória da graduação com a pós-graduação. A capacidade de captação de recursos para o desenvolvimento das pesquisas, que foi realizada por 75% dos docentes, assim como a obtenção de bolsas de mestrado e de doutorado junto às agências de fomento têm sido uma costante deste grupo e pode ser observada durante todo o triênio. CORPO DISCENTE, TESES E DISSERTAÇÕES 3.1. Quantidade de teses e dissertações defendidas no período de avaliação, em relação ao corpo docente permanente e à dimensão do corpo discente Distribuição das orientações das teses e dissertações defendidas no período de avaliação, em relação aos docentes do programa Qualidade das Teses e Dissertações e da produção de discentes autores da pós-graduação e da graduação (no caso de IES com curso de graduação na área) na produção científica do programa, aferida por publicações e outros indicadores pertinentes à área Eficiência do Programa na formação de mestres e doutores bolsistas: Tempo de formação de mestres e doutores e percentual de bolsistas titulados No triênio , foram defendidas 48 dissertações e 28 teses. A média de orientações concluídas no período foi de 4,2/orientador. A proporção de titulados no mestrado é de 64% e no doutorado é de 46%. Não houve nenhum abandono discente do Programa durante todo o triênio. A relação de discentes/orientadores no triênio foi adequada, sendo de 2,6 no mestrado e de 2,4 no doutorado. Nesse triênio o Programa apresentou um número expressivo de discentes e egressos da pós-graduação que participaram da publicação de artigos completos em periódicos com classificação nacional/internacional, sendo 204 produções com participação de discentes e 69 produções de egressos, sendo este volume mais um indicador da excelência da formação realizada. Em relação aos discentes da graduação, em torno de 30% participaram da publicação de artigos completos. Assim, a participação de discentes na produção do Programa pode ser considerada expressiva. Quando se verifica que as publicações internacionais A1 e A2 contam com discentes ou egressos como autores e co-autores, pode-se inferir que os produtos das dissertações e tese defendidas no Programa têm qualidade satisfatória. O tempo de formação de mestres e doutores foi adequado (24 meses para mestres e 39 para doutores), garantindo um fluxo adequado de discentes. PRODUÇÃO INTELECTUAL 4.1. Publicações qualificadas do Programa por docente permanente Distribuição de publicações qualificadas em relação ao corpo docente permanente do Programa Produção técnica, patentes e outras produções consideradas relevantes Em relação à quantidade da produção, os docentes publicaram 174 artigos em periódicos indexados no Página 3 de 7

4 triênio (quase 10 artigos por docente no triênio). Esta produção foi distribuída da seguinte forma: 25 em periódicos A1 (1,4 artigos por docente no triênio); 32 em periódicos A2 (1,8 artigos por docente no triênio); 72 em periódicos B1 (4,0 artigos por docente no triênio); 33 em periódicos B2 (1,9 artigos por docente no triênio), 5 em periódicos B3 (0,3 artigos por docente no triênio), 3 em periódicos B4 (0,1 artigos por docente no triênio) e 4 em periódicos B5 (0,2 artigos por docente no triênio). Observa-se um aumento do número de artigos com classificação internacional, principalmente nos estratos A1 e A2. No que se refere ao número de pontos obtidos pela produção bibliográfica, o progama ultrapassou os valores estipulados pela área de Fisioterapia. No tocante à distribuição das publicações em periódicos, 85% dos docentes permantes do triênio atingiram pontuação igual ou superior a estipulada pela área. Do total de docentes permanentes, 10 (55%) publicaram em periódicos A1, 11 (61%) em periódicos A2, 14 (78%) em periódicos B1, 14 (78%) em periódicos B2, 6 (33%) em periódicos B3, 02 (11%) em periódicos B4 e 02 (11%) em periódicos B5. No triênio, 84% dos docentes permanentes publicaram pelo menos 1 artigo em periódico A1 ou A2. Deve ser ressaltado que 2 docentes foram credenciados em 2008 e sua produção pode ser considerada como em fase de consolidação. Diversas atividades técnicas tais como a Editoria da Revista Brasileira de Fisioterapia, a emissão de pareceres para agências de fomento e para diferentes periódicos científicos nacionais e internacionais, bem como a realização de projetos e atividades com parcerias públicas foram realizadas pelos docentes no período. INSERÇÃO SOCIAL 5.1. Inserção e impacto regional e (ou) nacional do programa Integração e cooperação com outros programas e centros de pesquisa e desenvolvimento profissional relacionados à área de conhecimento do programa, com vistas ao desenvolvimento da pesquisa e da pós-graduação Visibilidade ou transparência dada pelo programa à sua atuação O Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia da UFSCar tem contribuído de maneira importante para a formação de recursos humanos com excelente qualificação. Isto pode ser atestado pelo alto percentual de egressos do Programa inseridos no ensino superior público e privado. O programa tem formado vários discentes provenientes de outras regiões do pais. Ainda, os docentes do PPG-Ft tem procurado auxiliar os recém-egressos na montagem de projetos de pesquisa interinstitucionais tendo tido sucesso com projetos conjuntos (Casadinho: Edital MCT/CNPq). Essa solidariedade contribuiu com a instalação de parte da infraestrutura do PPGFt da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Essas atividades ilustram iniciativas solidárias do Programa e demonstram a capacidade de nucleação dos doutores formados. Destaca-se a aprovação de um projeto multicêntrico de âmbito nacional (CNPq) sob a coordenação de uma docente do Programa, envolvendo Programas de Fisioterapia o que demonstra a liderança do Programa em âmbito nacional. Outro item que demonstra a liderança do Programa, está relacionado a inserção de vários docentes em diretorias de associações nacionais Ainda, os docentes do Programa tiveram participação decisiva na criação da Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-graduação em Fisioterapia, criada em 2005 durante o I Fórum Nacional de Pesquisa e pós-graduação em Fisioterapia realizado na UFSCar com apoio de todos os Coordenadores de Programas de pós-graduação stricto sensu da área de Fisioterapia. A página web está estruturada adequadamente no que diz respeito ao acesso às teses e dissertações, assim como de informações relativas ao regulamento, à estrutura curricular, ao processo seletivo, aos docentes e laboratórios ao Programa, dando visibilidade ao Programa. Grande parte dos docentes tem participado como palestrantes de eventos científicos nacionais e internacionais. ATRIBUIÇÃO DE NOTAS 6 OU 7 Página 4 de 7

5 As notas 6 e 7 são reservadas exclusivamente para os programas com doutorado, classificados como nota 5 na primeira etapa de realização da avaliação trienal, e que atendam necessária e obrigatoriamente duas condições: i)apresentem desempenho equivalente ao dos centros internacionais de excelência na área, ii) tenham um nível de desempenho altamente diferenciado em relação aos demais programas da área A indicação do Programa de Fisioterapia da UFSCar para o conceito 6 está fundamentado na liderança e nucleação que o Programa desempenha, bem como na sua internacionalização. O programa tem participação histórica na área, com destaque na formação de recursos humanos, com grande capacidade de nucleação, com inúmeros egressos do curso de doutorado inseridos em instituições de ensino superior, com vinculo na pósgraduação e/ou em atividades administrativas. Com a consolidação do Programa, vários docentes tem atraído estágios pósdoutoral. Os docentes tem auxiliado os recém-egressos na montagem de projetos de pesquisa interinstitucionais tendo tido sucesso com projetos conjuntos (Casadinho: Edital MCT/CNPq), destacando a contribuição na formação dos docentes e instalação de parte da infra-estrutura do PPG-Ft da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Essas atividades representam iniciativas solidárias do Programa e demonstram a capacidade de nucleação dos doutores formados. Nota-se também uma grande inserção dos egressos em IES, na maioria, vinculados a Programas de Pós-graduação (UNESP, UNIFESP, UFSCar, USP, UFTM, UNINOVE, UFPB, UFRN, UFPR, UNB, UFV, UNICID, UNIMEP) ou a Cursos de Graduação de Fisioterapia (UNIARA, UNICEP, UNAERP, Faculdades Integradas Eistein, Faculdade Barão de Mauá, UNIP, Faculdade de Santa Maria, Faculdade Pitágoras, Faculdades de Tecnologia e Ciências, UNIFRA). No que se refere a liderança, destaca-se a aprovação de projeto multicêntrico de âmbito nacional (CNPq), envolvendo 07 outros Programas de Pós-graduação, sob a coordenação de uma docente do Programa, o que demonstra a sua liderança em âmbito nacional. Nesse item, deve-se considerar ainda as representações nas Agências Governamentais (CNPq, CAPES, FAPESP, INEP e MEC), Associações de Classe (Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional-SP, CREFITO/SP) e Associações Nacionais (Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Fisioterapia-ABRAPG-Ft). A internacionalização do programa pode ser atestada nos inúmeros convênios internacionais firmados com importantes centros de pesquisa, destacando-se a Universidade de Harward (EUA); Universidade de Minnesota (EUA); Universidade de Alberta (Canadá); Universidade de Lund (Suécia); Universidade de Amsterdam (Bélgica); Universidade do Colorado (EUA); Universidade de Turin (Itália); Universidade de Salamanca (Espanha); Universidade de Griffith (Austrália); Instituto de Tecnologia de Nova York (EUA), Universidade de Sevilla (Espanha) e Universidade de Aveiro (Portugal). O Programa tem demonstrado capacidade de atrair docentes estrangeiros para aprimorar seus conhecimentos no programa objetivando a titulação no mestrado e/ou doutorado. Trata-se de um programa sedimentado, estável e com reconhecimento dos pares, o que o diferencia dos demais e o caracteriza como o mais consolidado da área de Fisioterapia. Qualidade dos Dados Quesitos PROPOSTA DO PROGRAMA CORPO DOCENTE CORPO DISCENTE, TESES E DISSERTAÇÕES PRODUÇÃO INTELECTUAL INSERÇÃO SOCIAL Comentário Os dados apresentados pelo Programa permitiram a análise adequada de todos os quesitos avaliados. Qualidade Conceito/Nota CA Quesitos Comissão PROPOSTA DO PROGRAMA 0.00 Página 5 de 7

6 Conceito/Nota CA Quesitos Comissão CORPO DOCENTE CORPO DISCENTE, TESES E DISSERTAÇÕES PRODUÇÃO INTELECTUAL INSERÇÃO SOCIAL ATRIBUIÇÃO DE NOTAS 6 OU Data Chancela: 02/09/2010 Conceito Nota O Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia da UFSCar teve seu mestrado iniciado em 1997 e doutorado em 2002, sendo o primeiro a ser autorizado na área de Fisioterapia. Apresenta destaque nacional, com grande capacidade de nucleação, com inúmeros egressos do curso de doutorado inseridos em instituições de ensino superior, com vinculo na pós-graduação. Apresenta dezoito (18) docentes permanentes com formação diversificada, proposta curricular abrangente, com coerência e consistência entre a área de concentração e linhas de pesquisa. O corpo discente está bem dimensionado em relação ao corpo de docentes permanentes. A distribuição de orientação entre os docentes mostra-se muito boa e adequada aos critérios estabelecidos pela Área 21. O envolvimento dos discentes e dos egressos na produção intelectual do Programa é muito boa, com publicação em artigos nacionais e internacionais demonstrando boa capacidade dos docentes em envolvê-los em suas publicações. A produção intelectual foi superior a média estabelecida pelos critérios da área 21, com destaque para as publicações internacionais. O corpo docente apresenta grande visibilidade nacional, sendo 5 bolsistas de produtividade nível II e 5 bolsistas nível I totalizando 55% do total de docentes permanentes do Programa. Cabe ressaltar que o Programa tem captado recursos financeiros para o desenvolvimento de projetos de pesquisa, bem como para a ampliação da sua infra-estrutura. 6 Complementos Apreciações ou sugestões complementares sobre a situação ou desempenho do programa. Recomendações da Comissão ao Programa. A CAPES deve promover visita de consultores ao Programa? Justificativa da recomendação de visita ao programa. Não A Comissão recomenda mudança de área de avaliação? Não Área Indicada: Justificativa da recomendação de mudança de área de avaliação do programa (em caso afirmativo) Nota CTC-ES Data Chancela: 09/09/2010 Nota CTC-ES: 6 Comissão Responsável pela : Sigla IES DIRCEU COSTA UNINOVE Coordenador(a) da Área JUAREZ VIEIRA DO NASCIMENTO UFSC Coordenador(a) Adjunto(a) da Área ANDRE LUIZ FELIX RODACKI UFPR Consultor(a) APARECIDA MARIA CATAI UFSCAR Consultor(a) BEATRIZ CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE CAIUBY NOVAES PUC/SP Consultor(a) LUCI FUSCALDI TEIXEIRA SALMELA UFMG Consultor(a) MARCIA KESKE SOARES UFSM Consultor(a) MARIA CECÍLIA MARTINELLI IORIO UNIFESP Consultor(a) Página 6 de 7

7 Comissão Responsável pela : Sigla IES MAURO GONÇALVES UNESP Consultor(a) PATRICIA CHAKUR BRUM USP Consultor(a) RICARDO JACO DE OLIVEIRA UNB Consultor(a) RINALDO ROBERTO DE JESUS GUIRRO USP/RP Consultor(a) SILVANA VILODRE GOELLNER UFRGS Consultor(a) Página 7 de 7

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 21 - EDUCAÇÃO FÍSICA IES: 33003017 - UNICAMP - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Programa: 33003017046P6 - EDUCAÇÃO FÍSICA Modalidade: Acadêmico Curso

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 8 - CIÊNCIAS BIOLÓGICAS II IES: 33003017 - UNICAMP - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Programa: 33003017040P8 - BIOLOGIA FUNCIONAL

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Ficha de do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 2 - CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO IES: 24001015 - UFPB/J.P. - UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA/JOÃO PESSOA Programa: 24001015047P4

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 4 - QUÍMICA IES: 31033016 - UENF - UNIVERSIDADE ESTADUAL DO NORTE FLUMINENSE DARCY RIBEIRO Programa: 31033016013P0 - CIÊNCIAS NATURAIS Modalidade:

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de Avaliação: 2007 a 2009 Etapa: Avaliação Trienal 2010 Área de Avaliação: 48 - BIOTECNOLOGIA IES: 33008019 - UMC - UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES Programa: 33008019005P0 - BIOTECNOLOGIA Modalidade:

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Ficha de do Programa Período de : 2010 a 2012 Etapa: Trienal 2013 Área de : 10 - ENGENHARIAS I IES: 42002010 - UFSM - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Programa: 42002010020P0 - ENGENHARIA CIVIL

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Ficha de do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 26 - DIREITO IES: 33057010 - UNIB - UNIVERSIDADE IBIRAPUERA Programa: 33057010003P3 - DIREITO Modalidade: Acadêmico

Leia mais

Inserção social... o que é, como foi avaliada nesse triênio e, o que deverá ser feito para o próximo?

Inserção social... o que é, como foi avaliada nesse triênio e, o que deverá ser feito para o próximo? IX Fórum Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação Stricto Sensu em Fisioterapia Londrina / PR Inserção social... o que é, como foi avaliada nesse triênio e, o que deverá ser feito para o próximo? Rinaldo R

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 20 - ENFERMAGEM IES: 25004018 - FESP/UPE - FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO Programa: 25004018015P7 - ENFERMAGEM Modalidade: Acadêmico Curso Nível

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 13 - ENGENHARIAS III IES: 33021015 - UNITAU - UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ Programa: 33021015006P5 - ENGENHARIA MECÂNICA Modalidade: Profissional

Leia mais

CRITÉTIOS DE AVALIAÇÃO DA CAPES

CRITÉTIOS DE AVALIAÇÃO DA CAPES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO PROFISSIONAL TECNOLOGIA,

Leia mais

ÁREA: ODONTOLOGIA TRIÊNIO 2007-2010. Coordenadora: Isabela Almeida Pordeus (UFMG) Coordenador-Adjunto: Lourenço o Correr Sobrinho (Unicamp)

ÁREA: ODONTOLOGIA TRIÊNIO 2007-2010. Coordenadora: Isabela Almeida Pordeus (UFMG) Coordenador-Adjunto: Lourenço o Correr Sobrinho (Unicamp) Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Avaliação ÁREA: ODONTOLOGIA TRIÊNIO 007-00 00 Coordenadora: Isabela Almeida Pordeus (UFMG) Coordenador-Adjunto:

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 17 - MEDICINA III IES: 33009015 - UNIFESP - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO Programa: 33009015010P0 - MEDICINA (CIRURGIA CARDIOVASCULAR) Modalidade:

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 10 - ENGENHARIAS I IES: 32020015 - CEFET/MG - CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECN. DE MINAS GERAIS Programa: 32020015004P3 - ENGENHARIA CIVIL

Leia mais

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009 Identificação Área de Avaliação: ANTROPOLOGIA / ARQUEOLOGIA Coordenador de Área: CARLOS ALBERTO STEIL Coordenador-Adjunto de Área: CARLOS FAUSTO Modalidade: Acadêmica I. Considerações gerais sobre o estágio

Leia mais

PANORAMA PPGCOM-ESPM. Coordenadora: Rose de Melo Rocha Vice-Coordenadora: Tânia Hoff

PANORAMA PPGCOM-ESPM. Coordenadora: Rose de Melo Rocha Vice-Coordenadora: Tânia Hoff PANORAMA PPGCOM-ESPM Coordenadora: Rose de Melo Rocha Vice-Coordenadora: Tânia Hoff Quem somos Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu com Cursos de Doutorado (desde 2013) e Mestrado Acadêmico (desde 2006)

Leia mais

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009 Identificação Área de Avaliação: FILOSOFIA/TEOLOGIA Coordenador de Área: MARCELO PERINE Coordenador-Adjunto de Área: LUIZ BERNARDO LEITE ARAUJO Modalidade: Acadêmica I. Considerações gerais sobre o estágio

Leia mais

COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE GEOGRAFIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012

COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE GEOGRAFIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE GEOGRAFIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 03 de Abril de 2012 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: GEOGRAFIA PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2012 ANO DE PUBLICAÇÃO DESTE DOCUMENTO:

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 18 - ODONTOLOGIA IES: 33003033 - UNICAMP/Pi - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS/PIRACICABA Programa: 33003033005P9 - RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA Modalidade:

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2004 a 2006 Etapa: Trienal 2007 Área de : 15 - MEDICINA I IES: 50001019 - UFMT - UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO Programa: 50001019009P9 - CIÊNCIAS DA SAÚDE Modalidade: Acadêmico Curso

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 42 - CIÊNCIAS AGRÁRIAS I IES: 50001019 - UFMT - UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO Programa: 50001019016P5 - CIÊNCIAS FLORESTAIS E AMBIENTAIS Modalidade:

Leia mais

DOCUMENTO DE ÁREA 2009

DOCUMENTO DE ÁREA 2009 Identificação Área de Avaliação: SERVIÇO SOCIAL/ECONOMIA DOMÉSTICA Coordenadora de Área: MARIANGELA BELFIORE WANDERLEY Coordenadora-Adjunta de Área: MARILDA VILLELA IAMAMOTO Modalidade: Acadêmica I. Considerações

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Ficha de do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 16 - MEDICINA II IES: 33002029 - USP/RP - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO/ RIBEIRÃO PRETO Programa: 33002029029P3 - MEDICINA

Leia mais

Plataforma Sucupira. Ficha de Recomendação. Cursos. Nome Nível Situação

Plataforma Sucupira. Ficha de Recomendação. Cursos. Nome Nível Situação Instituição de Ensino: Programa: EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO (UNIVASF) Educação Física Número/Ano: 1217/2014 Modalidade: Área de Avaliação: Período de Avaliação: ACADÊMICO

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 2007 2009 TRIENAL 2010

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 2007 2009 TRIENAL 2010 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 2007 2009 TRIENAL 2010 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: ENGENHARIAS II COORDENADOR DE ÁREA: CARLOS HOFFMANN SAMPAIO COORDENADOR ADJUNTO DE ÁREA: SELENE MARIA DE ARRUDA GUELLI ULSON

Leia mais

Seminário de Acompanhamento de Programas de Pós-Graduação em Odontologia 3 x 3

Seminário de Acompanhamento de Programas de Pós-Graduação em Odontologia 3 x 3 Seminário de Acompanhamento de Programas de Pós-Graduação em Odontologia 3 x 3 Isabela Almeida Pordeus (UFMG) Arnaldo de França Caldas Jr (UFPE) Outubro 2011 OBJETIVOS Refletir sobre trajetórias, discutir

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 15 - MEDICINA I IES: 33009015 - UNIFESP - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO Programa: 33009015045P8 - MEDICINA INTERNA E TERAPÊUTICA Modalidade: Acadêmico

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 41 - LETRAS / LINGUÍSTICA IES: 33002010 - USP - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Programa: 33002010113P9 - LETRAS (LÍNGUA ESPANHOLA E LIT. ESPANHOLA E HISPANO-

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2004 a 2006 Etapa: Trienal 2007 Área de : 10 - ENGENHARIAS I IES: 24009016 - UFCG - UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE Programa: 24009016002P1 - ENGENHARIA CIVIL E AMBIENTAL Modalidade:

Leia mais

CURSO: MESTRADO ACADÊMICO

CURSO: MESTRADO ACADÊMICO IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: ARTES/MÚSICA PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2016 ANO DE PUBLICAÇÃO DESTE DOCUMENTO: 2016 COORDENADOR DE ÁREA: ANTÔNIA PEREIRA BEZERRA COORDENADOR ADJUNTO: VERA BEATRIZ SIQUEIRA

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de Avaliação: 2007 a 2009 Etapa: Avaliação Trienal 2010 Área de Avaliação: 37 - PSICOLOGIA IES: 32001010 - UFMG - UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Programa: 32001010041P9 - PSICOLOGIA Modalidade:

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Ficha de do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 26 - DIREITO IES: 33005010 - PUC/SP - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO Programa: 33005010019P5 - DIREITO

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 41 - LETRAS / LINGUÍSTICA IES: 33002010 - USP - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Programa: 33002010110P0 - LITERATURA BRASILEIRA Modalidade: Acadêmico Curso

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 25 - CIÊNCIA DE ALIMENTOS IES: 42003016 - UFPEL - UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Programa: 42003016009P9 - CIÊNCIA E TECNOLOGIA Modalidade: Acadêmico

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 16 - MEDICINA II IES: 33009015 - UNIFESP - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO Programa: 33009015033P0 - PSICOBIOLOGIA Modalidade: Acadêmico Curso Nível

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 18 - ODONTOLOGIA IES: 33114013 - UNIARARAS - CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMINIO OMETTO Programa: 33114013001P8 - ODONTOLOGIA Modalidade: Profissional Curso

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO

A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO Isabela Almeida Pordeus Novembro 2009 A Pós-Graduação em Odontologia Evolução dos Programas: Odontologia Evolução do Programas

Leia mais

X Fórum Nacional de Pesquisa e Pós Graduação Stricto Sensu em Fisioterapia. André F Rodacki UFPR Rinaldo R J Guirro FMRP/USP

X Fórum Nacional de Pesquisa e Pós Graduação Stricto Sensu em Fisioterapia. André F Rodacki UFPR Rinaldo R J Guirro FMRP/USP X Fórum Nacional de Pesquisa e Pós Graduação Stricto Sensu em Fisioterapia André F Rodacki UFPR Rinaldo R J Guirro FMRP/USP Portarias - CAPES Período de avaliação Estabilidade do sistema Cursos não consolidados

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Ficha de do Programa Período de : 2010 a 2012 Etapa: Trienal 2013 Área de : 38 - EDUCAÇÃO IES: 40014010 - UNICENTRO - UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE Programa: 40014010009P1 - Educação Modalidade:

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de Avaliação: 2010 a 2012 Etapa: Avaliação Trienal 2013 Área de Avaliação: 27 - ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO IES: 42001013 - UFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Programa:

Leia mais

Capes Critérios de Implantação Mestrado e Doutorado Acadêmico. Avaliação de Proposta de Cursos Novos APCN Área de Avaliação: EDUCAÇÃO Dezembro / 2005

Capes Critérios de Implantação Mestrado e Doutorado Acadêmico. Avaliação de Proposta de Cursos Novos APCN Área de Avaliação: EDUCAÇÃO Dezembro / 2005 CAPES PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE CURSOS NOVOS DOUTORADO ÁREA DE EDUCAÇÃO Os projetos de cursos novos de doutorado serão julgados pela Comissão de Avaliação da área de Educação com base nos dados obtidos

Leia mais

1 / 17. Orientações do CTC Reunião de 07/06/2006 sobre a Nova Ficha de Avaliação

1 / 17. Orientações do CTC Reunião de 07/06/2006 sobre a Nova Ficha de Avaliação Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Capes Critérios de Avaliação Trienal Triênio Avaliado 2004 2007 Área de Avaliação: ADMINISTRAÇÃO/TURIMSO PROGRAMAS/CURSOS ACADÊMICOS

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 38 - EDUCAÇÃO IES: 42004012 - FURG - FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE Programa: 42004012002P0 - EDUCAÇÃO AMBIENTAL Modalidade: Acadêmico

Leia mais

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009 Identificação Área de Avaliação: PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL / DEMOGRAFIA Coordenadora de Área: RAINER RANDOLPH Coordenador-Adjunto de Área: ROSANA APARECIDA BAENINGER Modalidade: Acadêmica I. Considerações

Leia mais

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR Coordenadoria Executiva das Atividades Colegiadas e de Consultorias

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR Coordenadoria Executiva das Atividades Colegiadas e de Consultorias FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR Coordenadoria Executiva das Atividades Colegiadas e de Consultorias QUESITOS, INDICADORES E CRITÉRIOS PARA A AVALIAÇÃO TRIENAL DA GRANDE

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA APCN - 2016

ORIENTAÇÕES PARA APCN - 2016 Identificação Área de Avaliação: Química Coordenador de Área: Adriano Lisboa Monteiro Coordenador-Adjunto de Área: Maysa Furlan Coordenador-Adjunto de Mestrado Profissional: Paulo Anselmo Ziani Suarez

Leia mais

GEOCIÊNCIAS ÁREA: TRIÊNIO DE AVALIAÇÃO 2007-2009. Coordenador: Roberto Dall Agnol Coordenador-Adjunto: Ministério da Educação

GEOCIÊNCIAS ÁREA: TRIÊNIO DE AVALIAÇÃO 2007-2009. Coordenador: Roberto Dall Agnol Coordenador-Adjunto: Ministério da Educação Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Avaliação ÁREA: GEOCIÊNCIAS TRIÊNIO DE AVALIAÇÃO 2007-2009 2009 COORDENAÇÃO 2008-2010 2010 Coordenador: Roberto

Leia mais

Relatório de Ficha de Acompanhamento/Avaliação do Programa

Relatório de Ficha de Acompanhamento/Avaliação do Programa Período de Avaliação: 2007 a 2009 Etapa: Acompanhamento 2009 (Ano Base 2008) Área de Avaliação: 45 - INTERDISCIPLINAR IES: 42024013 - UNIJUÍ - UNIV. REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 48 - BIOTECNOLOGIA IES: 28025016 - CPqGM - CENTRO DE PESQUISA GONÇALO MONIZ - FIOCRUZ Programa: 28025016001P4 - BIOTECNOLOGIA EM SAÚDE E MEDICINA

Leia mais

COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE QUÍMICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012

COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE QUÍMICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012 COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE QUÍMICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: QUÍMICA PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2012 ANO DE PUBLICAÇÃO DESTE DOCUMENTO:

Leia mais

Comissão da Área de Odontologia Relatório da Avaliação do triênio 2004-2006 Apreciação e informações sobre a avaliação:

Comissão da Área de Odontologia Relatório da Avaliação do triênio 2004-2006 Apreciação e informações sobre a avaliação: Comissão da Área de Odontologia Relatório da Avaliação do triênio 2004-2006 Apreciação e informações sobre a avaliação: A comissão se reuniu no período de 6 a 10 de agosto de 2007 na FINATEC, UNB, Brasília

Leia mais

DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO PROFISSIONAL

DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO PROFISSIONAL DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO PROFISSIONAL I) Apresentação Este documento descreve as diretrizes e parâmetros de avaliação de mestrado profissional em Administração,

Leia mais

HISTÓRIA ÁREA: TRIÊNIO 2007-2010. Coordenador: Raquel Glezer. Coordenador-Adjunto: Luiz Carlos Soares. Ministério da Educação

HISTÓRIA ÁREA: TRIÊNIO 2007-2010. Coordenador: Raquel Glezer. Coordenador-Adjunto: Luiz Carlos Soares. Ministério da Educação Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Avaliação ÁREA: HISTÓRIA Coordenador: Raquel Glezer TRIÊNIO 2007-2010 2010 Coordenador-Adjunto: Luiz Carlos

Leia mais

RELATÓRIO DAS VISITAS A PROGRAMAS 3X3 DA ÁREA DE QUÍMICA

RELATÓRIO DAS VISITAS A PROGRAMAS 3X3 DA ÁREA DE QUÍMICA RELATÓRIO DAS VISITAS A PROGRAMAS 3X3 DA ÁREA DE QUÍMICA No segundo semestre de 2011 foram realizadas as visitas aos 4 programas 3x3 da área de Química: Universidade Federal de Sergipe UFS Consultores:

Leia mais

DOCUMENTO DE ÁREA 2013

DOCUMENTO DE ÁREA 2013 Identificação Área de Avaliação: MEDICINA III Coordenadora de Área: Lydia Masako Ferreira (UNIFESP) Coordenador-Adjunto de Área: Cleber Dario Pinto Kruel (UFRGS) Coordenador-Adjunto de Mestrado Profissional:

Leia mais

Experiência de Estratégias para a Ascenção de Conceito. Programa de Pós Graduação em Ciências da Reabilitação EEFFTO/UFMG

Experiência de Estratégias para a Ascenção de Conceito. Programa de Pós Graduação em Ciências da Reabilitação EEFFTO/UFMG Experiência de Estratégias para a Ascenção de Conceito Programa de Pós Graduação em Ciências da Reabilitação EEFFTO/UFMG Histórico Marco teórico: Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade

Leia mais

DOCUMENTO DE ÁREA 2013

DOCUMENTO DE ÁREA 2013 Identificação Área de Avaliação: GEOGRAFIA Coordenador de Área: João Lima Sant Anna Neto (UNESP-PPrudente) Coordenador-Adjunto de Área: Marcio Piñon Oliveira (UFF) Coordenador-Adjunto de Mestrado Profissional:

Leia mais

FORMAÇÃO PLENA. Desde a criação do primeiro Programa de NA PÓS-GRADUAÇÃO

FORMAÇÃO PLENA. Desde a criação do primeiro Programa de NA PÓS-GRADUAÇÃO FORMAÇÃO PLENA NA PÓS-GRADUAÇÃO Desde a criação do primeiro Programa de Pós- Sricto Sensu, em Fitotecnia, em 1975, a UFLA ocupou-se de pautar as suas ações em fundamentos morais sólidos e em valores que

Leia mais

Padrões de Qualidade para Cursos de Graduação em Economia

Padrões de Qualidade para Cursos de Graduação em Economia MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE ECONOMIA Padrões de Qualidade para Cursos

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de Avaliação: 2007 a 2009 Etapa: Avaliação Trienal 2010 Área de Avaliação: 20 - ENFERMAGEM IES: 50001019 - UFMT - UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO Programa: 50001019015P9 - ENFERMAGEM Modalidade:

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 2007 2009 TRIENAL 2010

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 2007 2009 TRIENAL 2010 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 2007 2009 TRIENAL 2010 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: QUÍMICA COORDENADOR DE ÁREA: Jairton Dupont COORDENADOR ADJUNTO DE ÁREA: Luiz Carlos Dias I. APRESENTAÇÃO DA AVALIAÇÃO REALIZADA

Leia mais

Treinamento da Plataforma Sucupira. Bergmann Morais e Demétrio Filho (DPP Diretoria)

Treinamento da Plataforma Sucupira. Bergmann Morais e Demétrio Filho (DPP Diretoria) Treinamento da Plataforma Sucupira Bergmann Morais e Demétrio Filho (DPP Diretoria) Sumário Apresentação sobre a CAPES, sua missão e os objetivos da avaliação Overview da plataforma Sucupira CAPES A Campanha

Leia mais

Tabela 1. Evolução do total de Programas de Pós-Graduação da Área da Psicologia nas avaliações da CAPES - 1996-2007

Tabela 1. Evolução do total de Programas de Pós-Graduação da Área da Psicologia nas avaliações da CAPES - 1996-2007 Introdução Acreditamos que a apresentação dos Critérios de Avaliação da Área da Psicologia para a Avaliação Trienal de 2007 deva ser precedida de alguns dados sobre a situação da área e dos próprios objetivos

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA BOLSA DE PÓS-DOUTORADO

PROCESSO SELETIVO PARA BOLSA DE PÓS-DOUTORADO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Faculdade de Educação Física Coordenação de Pós-Graduação Rua Érico Veríssimo 701 - Barão Geraldo - Campinas/SP - 13083-851 Tel (19)3521-6609 PROCESSO SELETIVO PARA BOLSA

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 30 - PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL / DEMOGRAFIA IES: 31032010 - UCAM - UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES Programa: 31032010007P8 - PLANEJAMENTO REGIONAL

Leia mais

ANEXO I Programa de Bolsas de Iniciação Científica da UNILA

ANEXO I Programa de Bolsas de Iniciação Científica da UNILA ANEXO I Programa de Bolsas de Iniciação Científica da UNILA Formulário para declaração de produtividade intelectual do pesquisador Artigos e trabalhos completos publicados Peso Quantidade Subtotal Artigo

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DE UM PROGRAMA (MESTRADO) NOTA 3

CARACTERÍSTICAS DE UM PROGRAMA (MESTRADO) NOTA 3 CAPES - ÁREA DE ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA ÁREA 46 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA PROGRAMAS ACADÊMICOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU CARACTERÍSTICAS DE UM PROGRAMA (MESTRADO) NOTA 3 Para obter nota

Leia mais

Luiz Roberto Liza Curi Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com

Luiz Roberto Liza Curi Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com Luiz Roberto Liza Curi Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com 1 Luiz Roberto Liza Curi Sociólogo Doutor em Economia Conselheiro do Conselho Nacional de Educação Diretor LEYA

Leia mais

RELATÓRIO DA REUNIÃO DE COORDENADORES DOS PROGRAMAS DE PÓS GRADUAÇÃO DA ÁREA DE BIOTECNOLOGIA

RELATÓRIO DA REUNIÃO DE COORDENADORES DOS PROGRAMAS DE PÓS GRADUAÇÃO DA ÁREA DE BIOTECNOLOGIA Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Avaliação 48.biot@capes.gov.br RELATÓRIO DA REUNIÃO DE COORDENADORES DOS PROGRAMAS DE PÓS GRADUAÇÃO DA ÁREA

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Ficha de do Programa Período de : 2010 a 2012 Etapa: Trienal 2013 Área de : 22 - SAÚDE COLETIVA IES: 33002010 - USP - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Programa: 33002010066P0 - MEDICINA (MEDICINA PREVENTIVA)

Leia mais

MODELO DE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO PERÍODO: MARÇO DE 2009 A MARÇO DE 2012 CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS

MODELO DE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO PERÍODO: MARÇO DE 2009 A MARÇO DE 2012 CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS MODELO DE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO PERÍODO: MARÇO DE 2009 A MARÇO DE 2012 CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS APRESENTAÇÃO DO CURSO Caracterização geral do Curso de Ciências Econômicas da Unemat: Denominação

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA ANEXO I - Programa de Iniciação Científica da UNILA Identificação do Proponente Nome completo do Pesquisador: Silvia Aparecida Zimmermann Área do qualis

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 32 - SERVIÇO SOCIAL IES: 33004072 - UNESP/FR - UNIVERSIDADE EST.PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO/FRANCA Programa: 33004072067P2 - SERVIÇO SOCIAL Modalidade:

Leia mais

PADRÕES DE QUALIDADE OUTUBRO 2000

PADRÕES DE QUALIDADE OUTUBRO 2000 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE POLÍTICA DO ENSINO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE FARMÁCIA PADRÕES

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - UNESP. Margarida Maria R.B.P.Leal

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - UNESP. Margarida Maria R.B.P.Leal M I N I S T É R I O DA EDUCAÇÃO CONSELHO F E D E R A L DE EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - UNESP INTERESSADO/MANTENEDORA UF SP ASSUNTO; Recredenciamento do curso de pós-graduação em Ciências Biológicas,

Leia mais

Padrões de Qualidade e Roteiro para Avaliação dos Cursos de Graduação em Artes Visuais (Autorização e Reconhecimento)

Padrões de Qualidade e Roteiro para Avaliação dos Cursos de Graduação em Artes Visuais (Autorização e Reconhecimento) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE ARTES VISUAIS Padrões de Qualidade e Roteiro

Leia mais

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009 Identificação Área de Avaliação: EDUCAÇÃO Coordenadora de Área: CLARILZA PRADO DE SOUSA Coordenadora-Adjunta de Área: ELIZABETH FERNANDES DE MACEDO Modalidade: Acadêmica I. Considerações gerais sobre o

Leia mais

Universidade de São Paulo

Universidade de São Paulo PROCESSO CFE Nº 23038.003553/88-15 DESPACHO DE INTERESSADO/MANTENEDORA Universidade de São Paulo RELATOR- Ib Gatto Falcão -ASSUNTO- CÂMARA Nº 119/93 CÂMARA. CESu Renovação de Credenciamento do curso de

Leia mais

FAPERJ CNPQ. EDITAL MCT/CNPq Nº066/2010 Objetivo:

FAPERJ CNPQ. EDITAL MCT/CNPq Nº066/2010 Objetivo: FAPERJ EDITAL FAPERJ Nº22/2010-PROGRAMA APOIO AO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO REGIONAL NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO-2010 Apoiar o desenvolvimento científico e tecnológico no Estado do Rio de

Leia mais

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE RECURSOS HUMANOS:

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE RECURSOS HUMANOS: UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM FORMULAÇÃO E GESTÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS NELSINO MITSUO NOGAI O PLANEJAMENTO

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 26 - DIREITO IES: 22002014 - UNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZA Programa: 22002014003P8 - DIREITO CONSTITUCIONAL Modalidade: Acadêmico Curso Nível

Leia mais

Seminário do Mestrado Profissional Gestão de Trabalho e da Educação na Saúde

Seminário do Mestrado Profissional Gestão de Trabalho e da Educação na Saúde Seminário do Mestrado Profissional Gestão de Trabalho e na Saúde Rio de Janeiro, 15 de setembro de 2009 Prof. LIVIO AMARAL DIRETOR DE AVALIAÇÃO CAPES Titulação doutores x artigos publicados (ISI) 1987-2007

Leia mais

(MAPAS VIVOS DA UFCG) PPA-UFCG RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA UFCG CICLO 2006-2008 ANEXO (PARTE 2) DIAGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES

(MAPAS VIVOS DA UFCG) PPA-UFCG RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA UFCG CICLO 2006-2008 ANEXO (PARTE 2) DIAGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES 1 PPA-UFCG PROGRAMA PERMANENTE DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA UFCG CICLO 2006-2008 ANEXO (PARTE 2) DIAGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES (MAPAS VIVOS DA UFCG) 2 DIMENSÃO MISSÃO E PDI MAPAS VIVOS DE

Leia mais

ANEXO I RESOLUÇÃO Nº 13, DE 23 DE MAIO DE 2014. REQUERIMENTO. RSC I RSC II RSC III Data de ingresso no Ifes: Nº de documentos de comprovação:

ANEXO I RESOLUÇÃO Nº 13, DE 23 DE MAIO DE 2014. REQUERIMENTO. RSC I RSC II RSC III Data de ingresso no Ifes: Nº de documentos de comprovação: ANEXO I RESOLUÇÃO Nº 13, DE 23 DE MAIO DE 2014. REQUERIMENTO Nome do Servidor: SIAPE: Lotação: Email: Telefone: Graduação: Titulação: Nível de RSC pretendido (marque com x o perfil pretendido) RSC I RSC

Leia mais

RELATÓRIO DA REUNIÃO DE COORDENADORES DOS PROGRAMAS DE PÓS GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO. Dias 03 e 04 de novembro de 2011

RELATÓRIO DA REUNIÃO DE COORDENADORES DOS PROGRAMAS DE PÓS GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO. Dias 03 e 04 de novembro de 2011 RELATÓRIO DA REUNIÃO DE COORDENADORES DOS PROGRAMAS DE PÓS GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO Dias 03 e 04 de novembro de 2011 Local: CAPES Brasília/DF Nos dias 3 e 4 de novembro

Leia mais

Ir. Elvo Clemente. Mons. Urbano Zilles

Ir. Elvo Clemente. Mons. Urbano Zilles Histórico A Pós-Graduação na Universidade é quase tão antiga como a própria instituição. Os títulos de magister (mestre) e doctor (doutor) remontam ao período medieval. Entretanto, como a história da universidade

Leia mais

NUCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA - UESC

NUCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA - UESC Boletim 08 Editais / FAPESB Visite nosso blog: / Edital convida os pesquisadores a apresentarem projetos de pesquisa da área de saúde e em conformidade com os temas, no âmbito do Programa Pesquisa para

Leia mais

UNIVERSIDADE DE MARILIA- UNIMAR PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITO PLANEJAMENTO PARA O TRIÊNIO 2013/15:

UNIVERSIDADE DE MARILIA- UNIMAR PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITO PLANEJAMENTO PARA O TRIÊNIO 2013/15: UNIVERSIDADE DE MARILIA- UNIMAR PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITO PLANEJAMENTO PARA O TRIÊNIO 2013/15: Para o PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITO da UNIMAR são apresentadas as seguintes propostas que integram

Leia mais

UFRJ CCS - FACULDADE DE MEDICINA

UFRJ CCS - FACULDADE DE MEDICINA UFRJ CCS - FACULDADE DE MEDICINA Critérios para a Avaliação Docente referente à Promoção para as categorias de PROFESSOR TITULAR, ASSOCIADO, ADJUNTO, ASSITENTE E AUXILIAR do Departamento de FISIOTERAPIA

Leia mais

(a) Os objetivos do sistema de avaliação continuada; (b) A comissão de acompanhamento; (c) Os pesos dos quesitos na Ficha de Avaliação ;

(a) Os objetivos do sistema de avaliação continuada; (b) A comissão de acompanhamento; (c) Os pesos dos quesitos na Ficha de Avaliação ; Relatório Anual: Avaliação Continuada 2005 - Ano Base 2004 ENGENHARIAS: I - Introdução QUÍMICA MATERIAIS METALÚRGICA MINAS NUCLEAR O objetivo deste documento é apresentar uma atualização dos procedimentos

Leia mais

Criar cursos de graduação, tanto presenciais quanto à distância, e pós-graduação multidisciplinares.

Criar cursos de graduação, tanto presenciais quanto à distância, e pós-graduação multidisciplinares. 12.1) Otimizar a capacidade instalada da estrutura física e de recursos humanos das instituições públicas de educação superior mediante ações planejadas e coordenadas, de forma a ampliar e interiorizar

Leia mais

FÓRUM NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA, FONOAUDIOLOGIA, FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL FÓRUM PG-EF/FONO/FT/TO

FÓRUM NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA, FONOAUDIOLOGIA, FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL FÓRUM PG-EF/FONO/FT/TO ATA DA REUNIÃO DO FÓRUM NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO DAS ÁREAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FONOAUDIOLOGIA, FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL Aos nove dias do mês de novembro de 2004, às nove horas, reuniram-se os

Leia mais

8. Excelência no Ensino Superior

8. Excelência no Ensino Superior 8. Excelência no Ensino Superior PROGRAMA: 08 Órgão Responsável: Contextualização: Excelência no Ensino Superior Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI O Programa busca,

Leia mais

INTRODUÇÃO DESENVOLVIMENTO

INTRODUÇÃO DESENVOLVIMENTO INTRODUÇÃO A avaliação da pós-graduação na área da enfermagem tem como missão contribuir na formação de mestres e doutores críticos, éticos e reflexivos, capazes de, através da investigação científica,

Leia mais

Art. 3ºO mestrado profissional é definido como modalidade de formação pósgraduada stricto sensu que possibilita:

Art. 3ºO mestrado profissional é definido como modalidade de formação pósgraduada stricto sensu que possibilita: PORTARIA NORMATIVA Nº 7, DE 22 DE JUNHO DE 2009 Dispõe sobre o mestrado profissional no âmbito da Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES. O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO,

Leia mais

Panorama e planejamento de Pós-graduação visando notas 06 e 07 na UFV

Panorama e planejamento de Pós-graduação visando notas 06 e 07 na UFV Pós-Graduação da UFV em debate 2012 26-27 de Novembro de 2012 Panorama e planejamento de Pós-graduação visando notas 06 e 07 na UFV Profa. Simone EF Guimarães Pós Graduação em Genética e Melhoramento UFV

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 034, de 13 DE OUTUBRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº. 034, de 13 DE OUTUBRO DE 2014 Parecer N o 070/04 Aprovado em //04 RESOLUÇÃO Nº. 04, de DE OUTUBRO DE 04 ANEXO I - CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE PONTUAÇÃO CAMPO I ATIVIDADES DE ENSINO. Docência em curso de graduação sem remuneração adicional

Leia mais

INTRODUÇÃO. Capes Relatório Anual: Avaliação Continuada 2005 - Ano Base 2004 Área de Avaliação: EDUCAÇÃO FÍSICA

INTRODUÇÃO. Capes Relatório Anual: Avaliação Continuada 2005 - Ano Base 2004 Área de Avaliação: EDUCAÇÃO FÍSICA 1 INTRODUÇÃO Com o propósito de proceder ao acompanhamento dos programas de pós-graduação da Área 21 - Educação Física, Fonoaudiologia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional- reuniuse em Brasília no período

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de Avaliação: 2007 a 2009 Etapa: Avaliação Trienal 2010 Área de Avaliação: 31 - CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS I IES: 42001013 - UFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Programa: 42001013062P4

Leia mais

Modelo - Formulário de Adesão ao PROFBIO

Modelo - Formulário de Adesão ao PROFBIO Modelo - Formulário de Adesão ao PROFBIO Importante: É fundamental que os docentes participantes tenham seu LATTES atualizado e completo, para que seja feita a importação de dados para o APCN pela Plataforma

Leia mais