VIRTUAL ENVIRONMENT TO ASSIST THE DEAF IN LEARNING PORTUGUESE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VIRTUAL ENVIRONMENT TO ASSIST THE DEAF IN LEARNING PORTUGUESE"

Transcrição

1 VIRTUAL ENVIRONMENT TO ASSIST THE DEAF IN LEARNING PORTUGUESE João Carlos Lopes Fernandes (Faculdade de Tecnologia Eniac - FAPI, SP, Brasil) Silvia Cristina Martini Rodrigues (Universidade de Mogi das Cruzes, SP, Brasil) The deaf have linguistic and cultural model sign language. In Brazil, special education schools use LIBRAS (Brazilian Sign Language) as literacy method. It has its own rules and contrary to what many people think is not the signed Portuguese. After literacy in LIBRAS, students have contact with the written Portuguese in this case is like learning a second language has new rules. Thus, many difficulties arise and need support, being evidenced in their media. The use of computers and their systems is already a reality in schools to aid teaching and learning, so the researchers created a virtual learning environment that seeks to reduce the difficulties in learning the Portuguese language for deaf and allow its intersection with LIBRAS. The environment was divided into five phases with levels of increasing difficulty. Gaps were developed with phrases to be filled in all stages there was a video explaining the situation was shown in figure illustrating the scene. The environment was applied to a sample of 26 deaf students with a mean age years. Keywords: Learning, Portuguese, LIBRAS, Computer in education, EAD. AMBIENTE VIRTUAL PARA AUXILIAR SURDOS NA APRENDIZAGEM DA LÍNGUA PORTUGUESA Os surdos possuem como modelo linguístico e cultural a língua de sinais. No Brasil as escolas de educação especial utilizam a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), como método de alfabetização. Ela possui suas próprias regras e ao contrário do que muitas pessoas pensam não é o português sinalizado. Após a alfabetização em LIBRAS, os alunos têm o contato com o português escrito, neste caso é como aprender uma segunda língua que possui novas regras. Desta forma muitas dificuldades aparecem e necessitam de apoio, ficando evidenciada em sua comunicação social. O uso do computador e seus sistemas já é uma realidade nas escolas para o auxílio ao ensino e aprendizagem, desta forma os pesquisadores criaram um ambiente virtual de aprendizagem que busca reduzir as dificuldades na aprendizagem da língua portuguesa por surdos e permitir sua intersecção com a LIBRAS. Ele foi divido em cinco fases com níveis de dificuldade crescente. Foram desenvolvidas frases com lacunas a serem preenchidas, em todas as fases havia um vídeo explicativo da situação que era apresentada na figura que ilustrava a cena. O ambiente foi aplicado em uma amostra de 26 discentes surdos com média de idade de 11 a 15 anos. Palavras-chave: Aprendizagem, Português, LIBRAS, Computador na educação, EAD. 0590

2 1 Introdução Atualmente o uso da computação no apoio educacional, já é uma realidade. Ele auxilia não apenas os estudantes comuns no cotidiano, mas após os anos 70 com a revolução tecnológica se tornou uma ferramenta imprescindível para os alunos portadores de necessidades especiais. Este trabalho tem como objetivo desenvolver um ambiente virtual para deficientes auditivos com auxílio da tecnologia de comunicação para melhoria na escrita da língua portuguesa. Existem várias opções para apoio a educação com a utilização de computadores, como o uso de jogos, sites educacionais e ambientes para aprendizagem (Fernandes, Rodrigues, & Netto, 2013), (Franco, Brito, & Coradine, 2013), (Coradine et al., 2004) (Carvalho et al., 2013). A metodologia utilizada é o desenvolvimento e a criação de ambiente virtual de aprendizagem para auxiliar os surdos em suas dificuldades com a língua portuguesa escrita. A justificativa para a criação deste ambiente se dá a partir da observação da intersecção da LIBRAS, como forma de aprendizagem da língua portuguesa escrita. Neste método serão utilizados recursos tecnológicos como imagens e vídeos em LIBRAS buscando aproximar o deficiente auditivo de situações de seu cotidiano. Conforme (LEVY, 1996), um ambiente virtual de aprendizagem nunca poderá ir contra o real; ele deverá ser uma interface para aplicações computacionais, onde o usuário poderá interagir, em tempo real, utilizando-se dos dispositivos de entrada, como teclado, mouse entre outros. A hipótese é que essas estratégias possam ser apresentadas como informações de uma forma mais fácil para pessoas que têm problemas em assimilar um determinado conteúdo, como por exemplo, a língua portuguesa utilizando recursos teóricos de (LEVY, 1996). Todos os ambientes estudados e analisados como apoio ao desenvolvimento do AVA, não buscam interconectar a LIBRAS com a língua portuguesa, eles aparentemente trabalhavam mais como a função de tradução. Em 1996, o professor Doutor Antônio Carlos da Rocha Costa da PUC de Porto Alegre, iniciava a utilização do (Quadros, 2005). Este sistema serviu de ponto de partida para alguns softwares desenvolvidos para a produção de textos e exercícios da escrita da língua de sinais por alguns núcleos de pesquisa de educação e surdez no Brasil. A Unisinos em 2002 desenvolveu o Sign Web Message, baseado no sistema Sign Writing, através a coordenação do professor Doutor Sérgio Crespo. Ele é um webmail que permite a utilização tanto da escrita da língua portuguesa quanto a utilização da LIBRAS. O Falibras, captura a voz humana e a transforma em texto utilizando-se dos softwares da empresa IBM. O texto é analisado através de um interpretador que realiza sua correção ortografia e apresenta a tradução adequada em LIBRAS (Franco et al., 2013). Na Unicamp o professor Doutor José Mario De Martino e a Doutora Wanessa Amaral, desenvolveram um sistema utilizando computação gráfica que transformam as palavras digitadas em um computador em simbologia da LIBRAS, (Martino & Amaral, 2012). 0591

3 1.1 O cotidiano do surdo Atualmente o mercado já oferece algumas opções voltadas ao cotidiano dos surdos, na figura 1 é ilustrado um telefone que foi desenvolvido para a comunidade surda e já é utilizado em seu cotidiano. Figura 1: Solução para o cotidiano de um surdo Fonte: A Literatura Voltada ao Surdo A comunidade surda possui sua própria literatura, as editoras já produzem livros específicos, a figura 2, ilustra duas opções de livros que já se encontram a venda nas livrarias, são elas: Rapunzel Surda e Cinderela Surda. Na literatura surda todos os livros possuem o texto em português e as transcrições para a língua de sinais, na verdade ficam como uma tradução e como os alunos já são alfabetizados em LIBRAS a maioria não lê o português, a utilização destes livros deve ser mediada por professores especialistas em LIBRAS. 0592

4 Figura 2: Literatura surda Fonte: Adaptado pelos autores (10/2014). A figura 3 ilustra uma ideia de como o material didático é utilizado na alfabetização dos surdos. Figura 3: Material de alfabetização para surdos Fonte: Adaptado pelos autores (10/2014). Podem-se verificar na figura 3 que são utilizadas imagens, cores e sinais, este tipo de alfabetização é baseado na cartilha caminho suave, autora Branca Alves de Lima que desde 1948 é utilizada na alfabetização de alunos (ouvintes). Para o surdo este tipo de alfabetização é muito eficiente para LIBRAS, mas não apresenta bons resultados na formação de frases, como pode ser observado nas figuras 4 e

5 Figura 4: Frases (simples) de alunos surdos Fonte: Adaptado pelos autores (10/2014). Figura 5: Frases (complexas) de alunos surdos 1.4 Procedimentos Educacionais Fonte: Adaptado pelos autores (10/2014). No ensino de surdos existem três procedimentos ou tendências: O oralismo que busca integrar o surdo com os ouvintes, eles propõem o desenvolvimento da língua oral e valoriza a utilização de próteses auditivas. A Comunicação Total que defende a utilização de todas as formas de comunicação (gestos naturais, português sinalizado, LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), leitura labial e escrita). 0594

6 2 Metodologia O Bilinguismo, que divide a alfabetização dos alunos em duas partes, neste caso o aluno é primeiro alfabetizado em uma Língua de sinais e depois como segunda língua ele aprende o idioma (língua) oficial de seu país. A pesquisa foi realizada em uma escola de ensino especial para surdos e comprovou a existência de uma grande dificuldade na utilização de tempos verbais na construção de frases, como o verificado nas figuras 4 e 5. O que o aluno tenta fazer é transformar a linguagem gestual em escrita, ele não se preocupa com os tempos verbais e com isso os resultados na criação e interpretações de frases são muito ruins. Eles utilizam como base para a criação e interpretação o alfabeto de LIBRAS, apresentado na figura 6. Figura 6: Alfabeto de LIBRAS Fonte: Segundo o relato dos professores de língua portuguesa da instituição de ensino especial, este é um problema encontrado em toda a comunidade surda Brasileira. Esta dificuldade é claramente observa nas relações sociais e podem afetar a vida acadêmica e profissional de um surdo. Os professores ainda informam que a quantidade de surdos que completam um curso superior é muito pequena, pois a base educacional não o prepara para algumas interações com pessoas ouvintes. 0595

7 2.1 Desenvolvimento O avanço da utilização dos recursos tecnológicos, como computadores e a Internet, e sua ótima aceitação pelos os alunos como apoio educacional, veem ao encontro do desenvolvimento de um ambiente virtual de aprendizagem (AVA) para auxiliar surdos na elaboração de frases, respeitando às regras gramaticais e os tempos verbais da língua portuguesa. Após análise das soluções existentes no mercado, foi desenvolvido um ambiente para o auxílio do deficiente auditivo com dificuldades de aprendizagem na língua portuguesa escrita, mas já alfabetizado na língua brasileira de sinais (LIBRAS). No desenvolvimento foi utilizado à linguagem de programação Visual Basic e o banco de dados PostgreSQL. Todo o desenvolvimento e testes foram acompanhados por especialistas da educação para surdos e aprovado no comitê de ética CAAE O ambiente foi dividido em 5 fases e os usuários deveriam preencher lacunas existentes entre as palavras, para isto foram oferecidas opções para escolha em todas as fases exceto a quinta fase que ele deveria preenche-la com suas próprias palavras. Antes do preenchimento da frase um vídeo com orientações em LIBRAS era exibido, sendo possível repeti-lo quantas vezes o usuário achasse necessário. Após assistilo o usuário deveria clicar sobre a(s) palavra(s) que julgasse ser a correta e que completaria a frase (fase 1 a 4). Caso existisse alguma dúvida ele poderia a qualquer momento acionar a função orientações (posicionada bem abaixo da caixa onde são apresentados os vídeos) e assistir o vídeo em LIBRAS novamente. O usuário deverá completar outra frase de mesmo nível de complexidade até finalizar a fase, ou seja, conseguir atingir o entendimento mínimo para prosseguir fase seguinte, criando três frases corretas. A figura 7 ilustra um exemplo de tela da primeira fase do ambiente. Figura 7: Primeira fase do ambiente. Fonte: produzido pelos autores (10/2014). 0596

8 A figura 8 ilustra a tela da quarta fase, onde se pode verificar que o nível de dificuldade e gradativo e segue as mesmas regras das fases anteriores. Figura 8: Quarta fase do ambiente. Fonte: produzido pelos autores (10/2014). Para garantir que não existiam tentativas de repetição, o vulgar chute, o ambiente embaralhava as palavras e modificava a posição das lacunas de forma aleatória. Como pode ser visto na figura 9, no detalhe (a), do Fluxograma das Tarefas. 0597

9 Figura 9: Fluxograma de Tarefas Fonte: produzido pelos autores (10/2014). 0598

10 A quinta fase era a mais avançada, nela o usuário deverá utilizar o teclado e criar uma frase sem opções de escolha, nela o sistema verificará a ortografia, sintaxe e pontuação (figura 10). Figura 10: Quinta fase do ambiente Fonte: produzido pelos autores (10/2014). A figura 11 apresenta a sinalização do ambiente. A expressão facial é utilizada e aproximando o aluno surdo da sua realidade. Figura 11: Sinalização de acerto e erro. Fonte: produzido pelos autores (10/2014). 0599

11 3 Resultados Para validação do ambiente desenvolvido foram criados dos grupos de alunos (Grupo A e B). Eles foram selecionados pelos professores especialistas da educação de surdos da escola participante. O principal parâmetro da escolha foi o aproveitamento escolar. Nestes grupos forma selecionados alunos já alfabetizados em LIBRAS e com idade entre 11 a 15 anos. O grupo A, foi composto por alunos que apresentavam o melhor aproveitamento escolar para a realidade dos surdos (notas médias em língua portuguesa próximas de cinco pontos), no grupo B ficaram os alunos com médias próximas de dois e meio pontos; as notas da instituição são similares as da educação tradicional (de zero a 10 pontos). Os alunos do grupo A não utilizaram o ambiente, apenas participavam das aulas regulares. O grupo B além das aulas regulares utilizaram o ambiente 2 vezes por semana, acompanhado por especialistas da educação de surdos. O tempo da atividade perdurou por três meses e os resultados são apresentados na figura 12. Ao final da pesquisa os alunos do grupo A também utilizaram o ambiente para a garantia de sua socialização. Figura 12: Tabulação de resultados 4 Considerações Finais Fonte: produzido pelos autores (10/2014). A análise dos resultados obtidos, apresentados na figura 12 comprova a eficiência do ambiente, ficou evidenciada que após a utilização do ambiente o escore alcançado pelos alunos na disciplina de língua portuguesa se aproximou dos melhores resultados dos alunos que não possuíam dificuldades (alunos selecionados pela escola). A utilização de vídeos em LIBRAS e as fotos utilizadas no ambiente representam 0600

12 situações enfrentadas pelos surdos e facilitaram a criação das frases em língua portuguesa e sua interpretação. Com pequenas adaptações o ambiente desenvolvido poderá ser utilizado por outras disciplinas, permitindo a interação da aprendizagem com a LIBRAS. Como em qualquer ambiente de computação serão necessárias atualizações no ambiente desenvolvido e também uma maior utilização de alunos surdos para melhoria do ambiente. Referências Carvalho, R. S., Brito, J. O., Rodrigues, J. P., Silva, I. Q., Matos, P. F., & Oliveira, C. R. S. (2013). LIBROL: Software Tradutor de Português para LIBRAS. Paper presented at the 33º Congresso da Sociedade Brasileira de Computação, Maceio. Coradine, L. C., Albuquerque, F. C., Silva, A., Madeiro, J., Pereira, M., & Tavares, O. L. (2004). Interpretação de orações simples através do FaLIBRAS (tradutor português- LIBRAS) para auxiliar na aprendizagem de crianças surdas. Paper presented at the Anais do Simpósio Brasileiro de Informática na Educação. Fernandes, J. C. L., Rodrigues, S. C. M., & Netto, O. L. d. C. (2013). A virtual environment to help deaf students with written language. International Journal of Biomedical Engineering and Technology, 12(1), Franco, N. M., Brito, P. H., & Coradine, L. C. (2013). FALIBRAS-WEB: Acessibilidade de pessoas surdas na Web em LIBRAS utilizando Design Colaborativo. Paper presented at the Nuevas Ideas en Informática Educativa, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. LEVY, P. (1996). O que é o virtual (T. e. Quatro Ed.). São Paulo. Martino, J. M. D., & Amaral, W. (2012). Comunicação estabelecida: Jornal da Unicamp. Quadros, R. M. (2005). Um capítulo da história do sign writing. 0601

Resumo. Palavras-chave: Mediado por computador, aprendizagem, português, LIBRAS.

Resumo. Palavras-chave: Mediado por computador, aprendizagem, português, LIBRAS. Recebido em: 07/09/2014. Aprovado em: 22/11/2014. Disponibilizado em: 26/12/2014 1. João Carlos Lopes Fernandes é Doutor em Engenharia Biomédica na área de Tecnologias Computacionais pela Universidade

Leia mais

Tutorial de ensino de LIBRAS para crianças com elevado grau de perda auditiva

Tutorial de ensino de LIBRAS para crianças com elevado grau de perda auditiva Tutorial de ensino de LIBRAS para crianças com elevado grau de perda auditiva João Carlos de C. e Silva Ribeiro 1, Ana Cláudia Fagundes Antunes 2, Úrsula A. Lisboa Fernandes Ribeiro 1, Jiani Cordeiro Cardoso

Leia mais

INTERFACE TECNOLÓGICA DE APRENDIZAGEM DA LÍNGUA PORTUGUESA PARA ALUNOS COM NECESSIDADES ESPECIAIS AUDITIVAS.

INTERFACE TECNOLÓGICA DE APRENDIZAGEM DA LÍNGUA PORTUGUESA PARA ALUNOS COM NECESSIDADES ESPECIAIS AUDITIVAS. I Seminário Internacional de Integração Étnico-Racial e as Metas do Milênio INTERFACE TECNOLÓGICA DE APRENDIZAGEM DA LÍNGUA PORTUGUESA PARA ALUNOS COM NECESSIDADES ESPECIAIS AUDITIVAS. Technological Interface

Leia mais

Ambiente virtual para auxiliar surdos na construção de frases com diferentes tempos verbais

Ambiente virtual para auxiliar surdos na construção de frases com diferentes tempos verbais Ambiente virtual para auxiliar surdos na construção de frases com diferentes tempos verbais J.C.L. Fernandes 1, 2, 3, S.C.M. Rodrigues 1 1UMC Universidade de Mogi das Cruzes, Mogi das Cruzes, Brasil, 5511

Leia mais

PORTUGUÊS PARA DEFICIENTES AUDITIVOS: EXPERIÊNCIAS INICIAIS COM UM EDITOR DE TEXTOS BASEADO NA LIBRAS

PORTUGUÊS PARA DEFICIENTES AUDITIVOS: EXPERIÊNCIAS INICIAIS COM UM EDITOR DE TEXTOS BASEADO NA LIBRAS PORTUGUÊS PARA DEFICIENTES AUDITIVOS: EXPERIÊNCIAS INICIAIS COM UM EDITOR DE TEXTOS BASEADO NA LIBRAS Ronnie E. S. Santos Universidade Federal de Pernambuco/Brasil ress@gmail.com Ellen P. R. Souza Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA LINDOMÁRIO LIMA ROCHA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA LINDOMÁRIO LIMA ROCHA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA LINDOMÁRIO LIMA ROCHA FACILITADOR VIRTUAL DA APRENDIZAGEM EM QUÍMICA Campina Grande-

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE RECURSOS VISUAIS COMO ESTRATÉGIA PEDAGÓGICA NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM DE ALUNOS SURDOS.

A UTILIZAÇÃO DE RECURSOS VISUAIS COMO ESTRATÉGIA PEDAGÓGICA NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM DE ALUNOS SURDOS. A UTILIZAÇÃO DE RECURSOS VISUAIS COMO ESTRATÉGIA PEDAGÓGICA NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM DE ALUNOS SURDOS. Rosane Batista Miranda¹ Eliane Vasconcelos Soares² Introdução O presente artigo visa á

Leia mais

Objetivos. Introdução. Letras Português/Espanhol Prof.: Daniel A. Costa O. da Cruz. Libras: A primeira língua dos surdos brasileiros

Objetivos. Introdução. Letras Português/Espanhol Prof.: Daniel A. Costa O. da Cruz. Libras: A primeira língua dos surdos brasileiros Letras Português/Espanhol Prof.: Daniel A. Costa O. da Cruz Libras: A primeira língua dos surdos brasileiros Objetivos Apresentar a discussão atual sobre a primeira língua dos surdos: a língua de sinais;

Leia mais

Bingo Químico em Braille.

Bingo Químico em Braille. Bingo Químico em Braille. Carine Fernanda Drescher * (IC), Julieta Saldanha Oliveira (PQ) e Liana da Silva Fernandes (PQ). E-mail: carinedrescher@gmail.com Rua Riachuelo, CEP- 97050011, 115, apto 305.

Leia mais

O MUNDO DAS LIBRAS: Vivendo e convivendo com surdos

O MUNDO DAS LIBRAS: Vivendo e convivendo com surdos O MUNDO DAS LIBRAS: Vivendo e convivendo com surdos Natássia Silva Oliveira* 1 RESUMO: O método das LIBRAS- Língua Brasileira de Sinais, esta sendo ampliado e discutido cada dia com mais intensidade, devido

Leia mais

Questão 1: SignWriting é:

Questão 1: SignWriting é: Questão 1: SignWriting é: a) um método criado na Comunicação Total para o ensino de surdos. b) um sistema de escrita visual direta de sinais. c) um conjunto de sinais dados para gestos icônicos. d) nome

Leia mais

Um jogo para aprender libras e português nas séries iniciais utilizando a tecnologia da realidade aumentada

Um jogo para aprender libras e português nas séries iniciais utilizando a tecnologia da realidade aumentada Um jogo para aprender libras e português nas séries iniciais utilizando a tecnologia da realidade aumentada Luiz C. M. Santos 12, Theresinha Miranda 2, Maria A. Icó 3, Antonio C. S. Souza 12, Márcio C.

Leia mais

VIDEOAULAS: UMA FORMA DE CONTEXTUALIZAR A TEORIA NA PRÁTICA

VIDEOAULAS: UMA FORMA DE CONTEXTUALIZAR A TEORIA NA PRÁTICA 1 VIDEOAULAS: UMA FORMA DE CONTEXTUALIZAR A TEORIA NA PRÁTICA Curitiba PR Maio 2014 Alexandre Oliveira Universidade Positivo Online alexandre@alexandreoliveira.com Pâmella de Carvalho Stadler Universidade

Leia mais

A língua brasileira de sinais. A língua brasileira de sinais - LIBRAS

A língua brasileira de sinais. A língua brasileira de sinais - LIBRAS A língua brasileira de sinais Os sinais, essa dança das palavras no espaço, são minha sensibilidade, minha poesia, meu eu íntimo, meu verdadeiro estilo.(emmanuelle Laborit) 1 A língua brasileira de sinais

Leia mais

LIBRAS: A INCLUSÃO DE SURDOS NA ESCOLA REGULAR

LIBRAS: A INCLUSÃO DE SURDOS NA ESCOLA REGULAR LIBRAS: A INCLUSÃO DE SURDOS NA ESCOLA REGULAR Andréa Oliveira Almeida andrea.libras@hotmail.com UniFOA Centro Universitário de Volta Redonda Maria da Conceição Vinciprova Fonseca concyvf@uol.com.br Associação

Leia mais

Endereço Eletrônico: proic@unicentro.br ANEXO VIII DO REGULAMENTO DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, PROIC, DA UNICENTRO

Endereço Eletrônico: proic@unicentro.br ANEXO VIII DO REGULAMENTO DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, PROIC, DA UNICENTRO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DIRETORIA DE PESQUISA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Endereço Eletrônico: proic@unicentro.br ANEXO

Leia mais

SOFTWARE EDUCATIVO DE MATEMÁTICA: SHOW MATH

SOFTWARE EDUCATIVO DE MATEMÁTICA: SHOW MATH SOFTWARE EDUCATIVO DE MATEMÁTICA: SHOW MATH Anderson Clavico Moreira Profª. Ms. Deise Deolindo Silva short_acm@hotmail.com deisedeolindo@hotmail.com Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de

Leia mais

TÍTULO: KOUPHÓS IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA PARA AUXÍLIO/TRADUÇÃO DE LIBRAS-ASL

TÍTULO: KOUPHÓS IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA PARA AUXÍLIO/TRADUÇÃO DE LIBRAS-ASL TÍTULO: KOUPHÓS IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA PARA AUXÍLIO/TRADUÇÃO DE LIBRAS-ASL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE TECNOLOGIA

Leia mais

O USO DO FÓRUM DE DISCUSSÃO E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO AVA MOODLE: UMA ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA PARA ALUNAS SURDAS

O USO DO FÓRUM DE DISCUSSÃO E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO AVA MOODLE: UMA ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA PARA ALUNAS SURDAS O USO DO FÓRUM DE DISCUSSÃO E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO AVA MOODLE: UMA ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA PARA ALUNAS SURDAS Carlos Eduardo Rocha dos Santos, UNIBAN, carlao_santos@yahoo.com.br Oswaldo

Leia mais

A Aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no Ambiente Escolar

A Aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no Ambiente Escolar A Aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no Ambiente Escolar Tatiana Medeiros Cardoso Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de Maio, 141 95.520-000 Osório RS Brasil tati.info@gmail.com

Leia mais

Concurso Público para provimento de cargo efetivo de Docentes. Edital 13/2015 LETRAS/PEDAGOGIA/LIBRAS Campus São João del-rei

Concurso Público para provimento de cargo efetivo de Docentes. Edital 13/2015 LETRAS/PEDAGOGIA/LIBRAS Campus São João del-rei Questão 01 O reconhecimento oficial da Língua Brasileira de Sinais como meio legal de comunicação se deu a partir: a) da publicação da Lei n o 10.436, em 2002. b) da elaboração do Dicionário de Língua

Leia mais

Sumário. Prefácio... 11 Introdução... 13. 1. Cultura, identidade e surdez... 21. 2. A idade crítica para a aquisição da linguagem...

Sumário. Prefácio... 11 Introdução... 13. 1. Cultura, identidade e surdez... 21. 2. A idade crítica para a aquisição da linguagem... Sumário Prefácio... 11 Introdução... 13 PARTE I: REALIDADES FABRICADAS... 19 1. Cultura, identidade e surdez... 21 SURDO: DIFERENTE OU DEFICIENTE?... 23 A BUSCA DA IDENTIDADE... 41 REFLEXÕES ACERCA DA

Leia mais

Fundamentos e Práticas em Libras II

Fundamentos e Práticas em Libras II Fundamentos e Práticas em Libras II Aula 01 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

LIBRAS LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS LIBRAS LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS

LIBRAS LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS LIBRAS LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS LIBRAS LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS 2007 LIBRAS LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS TELMA TIETRE RODRIGUES RIO DE JANEIRO 2007 CARTILHA LIBRAS LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS 2 INTRODUÇÃO O objetivo desta cartilha

Leia mais

O LETRAMENTO DE SURDOS NA SEGUNDA LÍNGUA

O LETRAMENTO DE SURDOS NA SEGUNDA LÍNGUA O LETRAMENTO DE SURDOS NA SEGUNDA LÍNGUA Mariana Rodrigues Ferreira Fantinelli (G UENP, campus de Jac.) naninha_fantinelli@hotmail.com Sonia Maria Dechandt Brochado ( Orientadora UENP) O letramento do

Leia mais

Libras: a inclusão de surdos na escola regular. Libras: the inclusion of deaf students in regular school

Libras: a inclusão de surdos na escola regular. Libras: the inclusion of deaf students in regular school Libras: the inclusion of deaf students in regular school Andréa Oliveira Almeida 1 andrea.libras@hotmail.com Maria da Conceição Vinciprova Fonseca 1 Resumo A presente pesquisa trata da inclusão de alunos

Leia mais

O DESIGN DE MODA NA LIBRAS. The fashion design in Brazilian Sign language

O DESIGN DE MODA NA LIBRAS. The fashion design in Brazilian Sign language 11 Colóquio de Moda 8 Edição Internacional 2 Congresso Brasileiro de Iniciação Cientifica em Design e Moda 2015 O DESIGN DE MODA NA LIBRAS The fashion design in Brazilian Sign language Seibel, Bárbara

Leia mais

O JOGO DIGITAL NOS PROCESSOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA UM ESTUDO ATRAVÉS DAS SEQUÊNCIAS NARRATIVAS. Vanessa Doumid Damasceno

O JOGO DIGITAL NOS PROCESSOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA UM ESTUDO ATRAVÉS DAS SEQUÊNCIAS NARRATIVAS. Vanessa Doumid Damasceno i O JOGO DIGITAL NOS PROCESSOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA UM ESTUDO ATRAVÉS DAS SEQUÊNCIAS NARRATIVAS Vanessa Doumid Damasceno ii UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNISINOS Dissertação

Leia mais

O USO DO OBJETO DE APRENDIZAGEM TUX PAINT NA PRODUÇÃO ESCRITA EM LÍNGUA PORTUGUESA COM ALUNOS SURDOS

O USO DO OBJETO DE APRENDIZAGEM TUX PAINT NA PRODUÇÃO ESCRITA EM LÍNGUA PORTUGUESA COM ALUNOS SURDOS O USO DO OBJETO DE APRENDIZAGEM TUX PAINT NA PRODUÇÃO ESCRITA EM LÍNGUA PORTUGUESA COM ALUNOS SURDOS 1411 Dilma Pereira dos Santos, Raquel Rosan Christino Gitahy Universidade do Oeste Paulista UNOESTE,

Leia mais

ENSINO DE LIBRAS PARA ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA POR MEIO DE UMA AÇÃO EXTENSIONISTA

ENSINO DE LIBRAS PARA ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA POR MEIO DE UMA AÇÃO EXTENSIONISTA ENSINO DE LIBRAS PARA ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA POR MEIO DE UMA AÇÃO EXTENSIONISTA Merlânia Lino da Silva (1); Ana Cristina Silva Daxenberger (2) (1) Universidade Federal da Paraíba (CCA), merlaniaareiapb@gmail.com

Leia mais

Módulo II - Teórico TEXTO 3: SURDEZ, FUNÇÕES COGNITIVAS E LIBRAS

Módulo II - Teórico TEXTO 3: SURDEZ, FUNÇÕES COGNITIVAS E LIBRAS 1 1 Módulo II - Teórico TEXTO 3: SURDEZ, FUNÇÕES COGNITIVAS E LIBRAS Rosimar Bortolini Poker A principal conseqüência da surdez refere-se aos prejuízos na comunicação natural dos sujeitos surdos que atingem

Leia mais

PRODUÇÃO DE SIGNIFICADOS PARA OBJETOS DE APRENDIZAGEM: DE AUTORES E LEITORES PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

PRODUÇÃO DE SIGNIFICADOS PARA OBJETOS DE APRENDIZAGEM: DE AUTORES E LEITORES PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA LUCIANE MULAZANI DOS SANTOS PRODUÇÃO DE SIGNIFICADOS PARA OBJETOS DE APRENDIZAGEM: DE AUTORES E LEITORES PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Dissertação apresentada como requisito parcial à obtenção do grau de

Leia mais

III SEMINÁRIO EM PROL DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA Desafios Educacionais

III SEMINÁRIO EM PROL DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA Desafios Educacionais III SEMINÁRIO EM PROL DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA Desafios Educacionais SURDEZ: UM MAPEAMENTO DAS PRODUÇOES ACADÊMICAS EM UM PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO ESCOLAR ALVES, R. A. 1 MANZOLI, L. P. 2 URBAN,

Leia mais

CURSO DE CAPACITAÇÃO EM LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS -LIBRAS. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente)

CURSO DE CAPACITAÇÃO EM LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS -LIBRAS. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) CURSO DE CAPACITAÇÃO EM LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS -LIBRAS Mostra Local de: Apucarana (Municípios do Vale do Ivaí) Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Nome

Leia mais

Avaliação de Interfaces de Ferramentas Computacionais para o Ensino de Estruturas de Dados e Algoritmos em Grafos: Heurísticas de Usabilidade *

Avaliação de Interfaces de Ferramentas Computacionais para o Ensino de Estruturas de Dados e Algoritmos em Grafos: Heurísticas de Usabilidade * Avaliação de Interfaces de Ferramentas Computacionais para o Ensino de Estruturas de Dados e Algoritmos em Grafos: Heurísticas de Usabilidade * Rodrigo Pereira dos Santos 1, Heitor Augustus Xavier Costa

Leia mais

Propostas para melhorias da fala de crianças com síndrome de down

Propostas para melhorias da fala de crianças com síndrome de down Propostas para melhorias da fala de crianças com síndrome de down Resumo Esse vídeo pretende oferecer instrumentos aos professores da educação infantil e do ensino fundamental para as tarefas da educação

Leia mais

ENSINO DE GEOMORFOLOGIA A DISTÂNCIA: ESTRATÉGIAS ADOTADAS NA LICENCIATURA EM GEOGRAFIA DO CEDERJ/UERJ

ENSINO DE GEOMORFOLOGIA A DISTÂNCIA: ESTRATÉGIAS ADOTADAS NA LICENCIATURA EM GEOGRAFIA DO CEDERJ/UERJ ENSINO DE GEOMORFOLOGIA A DISTÂNCIA: ESTRATÉGIAS ADOTADAS Afonso, A.E. 1 ; Silva, T.M. 2 ; 1 DGEO/FFP/UERJ Email:aniceafonso@gmail.com; 2 DEPTO. GEOGRAFIA/UFRJ Email:telmendes@globo.com; RESUMO: O ensino

Leia mais

INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA DEFICIENTE AUDITIVO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DE TRABALHO REALIZADO EM COLÉGIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA DEFICIENTE AUDITIVO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DE TRABALHO REALIZADO EM COLÉGIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA DEFICIENTE AUDITIVO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DE TRABALHO REALIZADO EM COLÉGIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Adriana Oliveira Bernardes UENF (Universidade do Estado do Norte

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE UMA METODOLOGIA PARA A TRADUÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA PARA A LÍNGUA DE SINAIS BRASILEIRA NOS CURSOS DO SENAI DA BAHIA.

IMPLEMENTAÇÃO DE UMA METODOLOGIA PARA A TRADUÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA PARA A LÍNGUA DE SINAIS BRASILEIRA NOS CURSOS DO SENAI DA BAHIA. IMPLEMENTAÇÃO DE UMA METODOLOGIA PARA A TRADUÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA PARA A LÍNGUA DE SINAIS BRASILEIRA NOS CURSOS DO SENAI DA BAHIA. Vanessa de Almeida Moura Maria das Graças Barreto da Silva André Luiz

Leia mais

CONSIDERAÇÕES INICIAIS ACERCA DOS ESTUDOS REALIZADOS PELO SUBPROJETO PIBID DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO DO MUNICÍ- PIO DE ALTO ARAGUAIA-MT

CONSIDERAÇÕES INICIAIS ACERCA DOS ESTUDOS REALIZADOS PELO SUBPROJETO PIBID DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO DO MUNICÍ- PIO DE ALTO ARAGUAIA-MT CONSIDERAÇÕES INICIAIS ACERCA DOS ESTUDOS REALIZADOS PELO SUBPROJETO PIBID DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO DO MUNICÍ- PIO DE ALTO ARAGUAIA-MT Ellen Regina Moraes Bispo, Edinéia Guimarães Nunes e

Leia mais

Facebook utilizado como um Objeto de aprendizagem para ajudar os estudantes do Instituto Federal do Paraná, no formato de educação a distância.

Facebook utilizado como um Objeto de aprendizagem para ajudar os estudantes do Instituto Federal do Paraná, no formato de educação a distância. 1 Facebook utilizado como um Objeto de aprendizagem para ajudar os estudantes do Instituto Federal do Paraná, no formato de educação a distância. Outubro/ 2014 Carmem Lúcia Graboski da Gama Instituto Federal

Leia mais

Tutorial Moodle Visão do Aluno

Tutorial Moodle Visão do Aluno Tutorial Moodle Visão do Aluno Conteúdo Apresentação...4...4 1Enviar Tarefa...5 2Fórum...6 2.1Participação no Fórum...6 2.2 Inserir Imagem no Fórum...7 2.3 Anexar Arquivo...8 3Modificar Perfil...9 4 Enviar

Leia mais

O uso do DOSVOX no Laboratório de Informática Educativa do IBC

O uso do DOSVOX no Laboratório de Informática Educativa do IBC O uso do DOSVOX no Laboratório de Informática Educativa do IBC Bianca Della Líbera Vanessa França da Silva Instituto Benjamin Constant Eixo Temático: Tecnologia assistiva Palavras chave: deficiência visual,

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO PARA DEFICIENTES AUDITIVOS: Intervenções Psicopedagógicas e LIBRAS

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO PARA DEFICIENTES AUDITIVOS: Intervenções Psicopedagógicas e LIBRAS ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO PARA DEFICIENTES AUDITIVOS: Intervenções Psicopedagógicas e LIBRAS Clério Cezar Batista Sena Joicy Midiã Figueiredo Macedo Matheus Soares ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO PARA DEFICIENTES

Leia mais

Exemplo: Na figura 1, abaixo, temos: Clique aqui para continuar, que é a primeira atividade que você precisa realizar para iniciar seus estudos.

Exemplo: Na figura 1, abaixo, temos: Clique aqui para continuar, que é a primeira atividade que você precisa realizar para iniciar seus estudos. Visão Geral VISÃO GERAL Esse material abordará o acesso ao AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) da Proativa do Pará, com intenção de ilustrar os aspectos na visão do Aprendiz. Essa abordagem dedica-se

Leia mais

Palavras chave: Formação de Professores, Tecnologias Assistivas, Deficiência.

Palavras chave: Formação de Professores, Tecnologias Assistivas, Deficiência. FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE DE PROFESSORES PARA ATUAÇÃO COM ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIAS Gislaine Coimbra Budel PUC PR Elaine Cristina Nascimento PUC PR Agência Financiadora: CAPES Resumo Este artigo apresenta

Leia mais

O Uso de Softwares Educativos... Pacheco & Barros. O Uso de Softwares Educativos no Ensino de Matemática

O Uso de Softwares Educativos... Pacheco & Barros. O Uso de Softwares Educativos no Ensino de Matemática O Uso de Softwares Educativos no Ensino de Matemática José Adson D. Pacheco & Janaina V. Barros - UPE Resumo: O presente artigo avalia a utilização de softwares educativos de matemática na sala de aula

Leia mais

Aula 8 POWER POINT. Patrícia Soares de Lima. META Aprender a utilizar o Power Point como ferramenta pedagógica nas aulas de Química.

Aula 8 POWER POINT. Patrícia Soares de Lima. META Aprender a utilizar o Power Point como ferramenta pedagógica nas aulas de Química. Aula 8 POWER POINT META Aprender a utilizar o Power Point como ferramenta pedagógica nas aulas de Química. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: Discutir, de forma breve, a utilização deste software

Leia mais

O MATERIAL DIDÁTICO IMPRESSO COMO FACILITADOR NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1

O MATERIAL DIDÁTICO IMPRESSO COMO FACILITADOR NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1 O MATERIAL DIDÁTICO IMPRESSO COMO FACILITADOR NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1 Laíssa Rodrigues Esposti Pacheco 2 ; Cristiano Farias Coelho 3 Grupo 4.1. Tecnologias na educação a distância: Concepção e produção

Leia mais

Promovendo a Inclusão Digital Por Meio do Projeto Multiplicadores

Promovendo a Inclusão Digital Por Meio do Projeto Multiplicadores PROGRAMA INSTITUCIONAL DE ACÕES AFIRMATIVAS RELATÓRIO FINAL DE ATIVIDADES (AGOSTO/2009 A AGOSTO/2010) Promovendo a Inclusão Digital Por Meio do Projeto Multiplicadores Paulo Eduardo Boeira Capeller Dr(ª).

Leia mais

Dicas para EaD. Mapa do Tutorial. Ambientação em Educação a Distância. Educação a Distância. Aluno na Modalidade EaD.

Dicas para EaD. Mapa do Tutorial. Ambientação em Educação a Distância. Educação a Distância. Aluno na Modalidade EaD. Dicas para EaD Mapa do Tutorial Ambientação em Educação a Distância Você está aqui! Aula 1 Aula 2 Aula 3 Aula 4 Aula 5 Introdução Educação a Distância Aluno na Modalidade EaD Dicas para EaD Orientações

Leia mais

JANGADA IESC ATENA CURSOS

JANGADA IESC ATENA CURSOS JANGADA IESC ATENA CURSOS MÁRCIA INÊS DE OLIVEIRA DA SILVA SURDEZ PROJETO DE PESQUISA Passo Fundo 2015 TEMA: Surdez DELIMITAÇÃO DO TEMA: O Tema delimita-se a inclusão de crianças surdas nas escolas de

Leia mais

Teatro com Surdos: Facilitador da Leitura e da Escrita

Teatro com Surdos: Facilitador da Leitura e da Escrita Teatro com Surdos: Facilitador da Leitura e da Escrita Ivani Rodrigues SILVA, Eunice R.S. CAMILO, Fátima Ap.G. MENDES, Juliane A. M.CORRADI CEPRE/FCM - UNICAMP ivars@fcm.unicamp.br, nycecamillo@yahoo.com.br,

Leia mais

Uma análise qualitativa RESUMO

Uma análise qualitativa RESUMO Mostra Nacional de Iniciação Científica e Tecnológica Interdisciplinar III MICTI Fórum Nacional de Iniciação Científica no Ensino Médio e Técnico - I FONAIC-EMT Camboriú, SC, 22, 23 e 24 de abril de 2009

Leia mais

Matemática em Toda Parte II

Matemática em Toda Parte II Matemática em Toda Parte II Episódio: Matemática no Transporte Resumo O episódio Matemática no Transporte, da série Matemática em Toda Parte II, vai mostrar como alguns conceitos matemáticos estão presentes

Leia mais

UMA EXTENSÃO AO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM MOODLE PARA A ADAPTAÇÃO DE CONTEÚDOS A PORTADORES DE NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS

UMA EXTENSÃO AO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM MOODLE PARA A ADAPTAÇÃO DE CONTEÚDOS A PORTADORES DE NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS UMA EXTENSÃO AO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM MOODLE PARA A ADAPTAÇÃO DE CONTEÚDOS A PORTADORES DE NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS Sérgio M. Baú Júnior* e Marco A. Barbosa* *Departamento de Informática

Leia mais

A VOZ DO PROFESSORE SOBRE A INCLUSÃO DE ALUNOS SURDOS NA ESCOLA REGULAR DE ENSINO

A VOZ DO PROFESSORE SOBRE A INCLUSÃO DE ALUNOS SURDOS NA ESCOLA REGULAR DE ENSINO A VOZ DO PROFESSORE SOBRE A INCLUSÃO DE ALUNOS SURDOS NA ESCOLA REGULAR DE ENSINO Elisabeth, FIGUEIREDO CUNHA, UFU 1 Atna, Gomes Silva PELET, UFU 2 Eleuza, SOUZA, UFU 3 Resumo: Este estudo apresenta o

Leia mais

Guia do Professor. Festa de Aniversário: Primeiros Passos na Matemática

Guia do Professor. Festa de Aniversário: Primeiros Passos na Matemática Guia do Professor Festa de Aniversário: Primeiros Passos na Matemática Introdução As pessoas com Deficiência Mental apresentam limitações no funcionamento intelectual e no comportamento adaptativo manifestos

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE UMA METODOLOGIA PARA A TRADUÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA PARA A LÍNGUA DE SINAIS BRASILEIRA NOS CURSOS DO SENAI DA BAHIA.

IMPLEMENTAÇÃO DE UMA METODOLOGIA PARA A TRADUÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA PARA A LÍNGUA DE SINAIS BRASILEIRA NOS CURSOS DO SENAI DA BAHIA. IMPLEMENTAÇÃO DE UMA METODOLOGIA PARA A TRADUÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA PARA A LÍNGUA DE SINAIS BRASILEIRA NOS CURSOS DO SENAI DA BAHIA. Vanessa de Almeida Moura Maria Das Graças Barreto Da Silva André Luiz

Leia mais

PERMANÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR: UMA QUESTÃO DE DIREITO

PERMANÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR: UMA QUESTÃO DE DIREITO PERMANÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR: UMA QUESTÃO DE DIREITO Autora: Simone Silvestre Santos Freitas, Pedagoga/UFS silvestrebb@hotmail.com Co-autora: Caroline Santos Siqueira, Curso Pedagogia/UFS carol18.siqueira@bol.com.br

Leia mais

Software livre e Educação: vantagens e desvantagens das novas tecnologias

Software livre e Educação: vantagens e desvantagens das novas tecnologias Software livre e Educação: vantagens e desvantagens das novas tecnologias Poliana Cristina Fideles ad Silveira Neste artigo será discutido o uso das novas tecnologias e como o software livre pode ser usado

Leia mais

MATEMÁTICA PARA ESTUDANTES SURDOS: UMA PROPOSTA PARA INTERVENÇÃO EM SALA DE AULA RESUMO

MATEMÁTICA PARA ESTUDANTES SURDOS: UMA PROPOSTA PARA INTERVENÇÃO EM SALA DE AULA RESUMO MATEMÁTICA PARA ESTUDANTES SURDOS: UMA PROPOSTA PARA INTERVENÇÃO EM SALA DE AULA Carla Eliza Santos Universidade Tecnológica Federal do Paraná carlaesantos@hotmail.com Clovis Batista de Souza Universidade

Leia mais

REPOSITÓRIO EDUCACIONAL ABERTO PARA SURDOS: UMA PRIMEIRA ABORDAGEM

REPOSITÓRIO EDUCACIONAL ABERTO PARA SURDOS: UMA PRIMEIRA ABORDAGEM GT8 - Informação e Tecnologia Modalidade de apresentação: Pôster REPOSITÓRIO EDUCACIONAL ABERTO PARA SURDOS: UMA PRIMEIRA ABORDAGEM Romario Antunes da Silva Universidade Federal de Santa Catarina Rosângela

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.626, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2005. Regulamenta a Lei n o 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira

Leia mais

X Encontro Gaúcho de Educação Matemática

X Encontro Gaúcho de Educação Matemática INCLUSÃO DE ALUNOS SURDOS NO ENSINO REGULAR: INVESTIGAÇÃO DAS PROPOSTAS DIDÁTICO-METODOLÓGICAS DESENVOLVIDAS POR PROFESSORES DE MATEMÁTICA NO ENSINO MÉDIO DA EENAV GT 07 Educação Matemática, avaliação

Leia mais

A EDUCAÇÃO DOS SURDOS: UMA ANÁLISE HISTÓRICO-CRÍTICA RESUMO

A EDUCAÇÃO DOS SURDOS: UMA ANÁLISE HISTÓRICO-CRÍTICA RESUMO A EDUCAÇÃO DOS SURDOS: UMA ANÁLISE HISTÓRICO-CRÍTICA Mayara Cordeiro da Silva ( UFAL) Mayaracordeiro4@gmail.com Rebecca Thamyres de Missena Costa( UFAL) rebecca.ufal@gmail.com RESUMO Muito vem sendo discutido

Leia mais

PORTFÓLIOS ELETRÔNICOS E AVALIAÇÃO EM MATEMÁTICA

PORTFÓLIOS ELETRÔNICOS E AVALIAÇÃO EM MATEMÁTICA PORTFÓLIOS ELETRÔNICOS E AVALIAÇÃO EM MATEMÁTICA Marcelo Almeida Bairral Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro mbairral@ufrrj.br Ronaldo Campelo da Costa Instituto Federal de Educação, Ciência e

Leia mais

FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA PROJETO PARA INCLUSÃO SOCIAL DOS SURDOS DA FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA

FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA PROJETO PARA INCLUSÃO SOCIAL DOS SURDOS DA FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA PROJETO PARA INCLUSÃO SOCIAL DOS SURDOS DA FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA PARNAÍBA-PI 2014 FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA DIRETOR ADMINISTRATIVO Prof. Esp. Walter Roberto

Leia mais

O USO DO EDITOR DE APRESENTAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES EDUCATIVAS

O USO DO EDITOR DE APRESENTAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES EDUCATIVAS O USO DO EDITOR DE APRESENTAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES EDUCATIVAS Mário Sérgio de Andrade Mendonça, mariomendonc@gmail.com Eduardo Machado Real, eduardomreal@uems.br UEMS Universidade Estadual

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE PROGRAMAS DE COMPUTADOR DEDICADOS AO ENSINO DE LIBRAS DE FORMA LÚDICA E BASEADOS EM TÉCNICAS MULTIMÍDIA

DESENVOLVIMENTO DE PROGRAMAS DE COMPUTADOR DEDICADOS AO ENSINO DE LIBRAS DE FORMA LÚDICA E BASEADOS EM TÉCNICAS MULTIMÍDIA DESENVOLVIMENTO DE PROGRAMAS DE COMPUTADOR DEDICADOS AO ENSINO DE LIBRAS DE FORMA LÚDICA E BASEADOS EM TÉCNICAS MULTIMÍDIA BOTARO, Cássio Oliveira 1 ALMEIDA, Matheus Henrique Nascimento 2 CORRÊA, Gean

Leia mais

HyperCAL 3D MODELADOR DE SÓLIDOS PARA GEOMETRIA DESCRITIVA

HyperCAL 3D MODELADOR DE SÓLIDOS PARA GEOMETRIA DESCRITIVA HyperCAL 3D MODELADOR DE SÓLIDOS PARA GEOMETRIA DESCRITIVA Fábio Gonçalves Teixeira Régio Pierre da Silva Tânia Luísa Koltermann da Silva Anelise Todeschini Hoffmann José Luís Farinatti Aymone UFRGS -

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE TECNOLOGIAS PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA

UTILIZAÇÃO DE TECNOLOGIAS PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA ISSN 2177-9139 UTILIZAÇÃO DE TECNOLOGIAS PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA Natanna Silva Dutra natannabg@hotmail.com Fundação Universidade Federal do Pampa, Campus Bagé, 96413-170 Bagé, RS, Brasil Nathália Cabral

Leia mais

Software de auxílio ao deficiente visual: DOSVOX

Software de auxílio ao deficiente visual: DOSVOX Software de auxílio ao deficiente visual: DOSVOX SAKAGUCHI, Raquel Antunes Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva RESUMO Adaptar os deficientes visuais ao computador era antes considerado

Leia mais

INCLUSÃO DIGITAL NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA)

INCLUSÃO DIGITAL NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) INCLUSÃO DIGITAL NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) LOURENÇO, Érica Simone 1 PELOZO, Rita de Cassia Borguetti 2 VIEIRA, Kátia Solange Borges 3 VIEIRA, Rosimeire Garcia 4 RESUMO Este artigo tem como

Leia mais

Decreto Lei de LIBRAS

Decreto Lei de LIBRAS Decreto Lei de LIBRAS Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.626, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe

Leia mais

SISTEMA DE ALFABETIZAÇÃO PARA CRIANÇAS SURDAS

SISTEMA DE ALFABETIZAÇÃO PARA CRIANÇAS SURDAS UNIVERSIDADE DO PLANALTO CATARINENSE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (BACHARELADO) ANANIAS DE MEDEIROS SISTEMA DE ALFABETIZAÇÃO PARA CRIANÇAS SURDAS LAGES,

Leia mais

ESTUDO DE CASO: LeCS: Ensino a Distância

ESTUDO DE CASO: LeCS: Ensino a Distância ESTUDO DE CASO: LeCS: Ensino a Distância HERMOSILLA, Lígia Docente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais de Garça FAEG - Labienópolis - CEP 17400-000 Garça (SP) Brasil Telefone (14) 3407-8000

Leia mais

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS Kelly Cristina de Oliveira 1, Júlio César Pereira 1. 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí PR Brasil kristhinasi@gmail.com,

Leia mais

77... DESIGN INSTRUCIONAL E O DESENVOLVIMENTO DE MATERIAIS DIDÁTICOS NA UNISULVIRTUAL

77... DESIGN INSTRUCIONAL E O DESENVOLVIMENTO DE MATERIAIS DIDÁTICOS NA UNISULVIRTUAL 77 DESIGN INSTRUCIONAL E O DESENVOLVIMENTO DE MATERIAIS DIDÁTICOS NA UNISULVIRTUAL Cristina Klipp de Oliveira Daniela Erani Monteiro Will Márcia Loch Roseli Rocha Moterle RESUMO: O material didático utilizado

Leia mais

Educação a Distância: Proposta de Ensino e Aprendizagem Musical de pessoas com deficiência visual

Educação a Distância: Proposta de Ensino e Aprendizagem Musical de pessoas com deficiência visual Educação a Distância: Proposta de Ensino e Aprendizagem Musical de pessoas com deficiência visual Brasília - DF - 05/2015 Elias do Nascimento Melo Filho - Universidade de Brasília eliasmelofilho@globomail.com

Leia mais

Projeto: TE Conhecer, aprender, saber...

Projeto: TE Conhecer, aprender, saber... Colégio Pe. João Bagozzi Formação de Educadores Tecnologias da Informação e da Comunicação - TICs http://blog.portalpositivo.com.br/ticbagozzi Projeto: TE Conhecer, aprender, 1 Objetivos e Atividades:

Leia mais

APLICATIVOS BR OFFICE: UMA FERRAMENTA EFICAZ NO ENSINO DA ESTATÍSTICA

APLICATIVOS BR OFFICE: UMA FERRAMENTA EFICAZ NO ENSINO DA ESTATÍSTICA APLICATIVOS BR OFFICE: UMA FERRAMENTA EFICAZ NO ENSINO DA ESTATÍSTICA Fabíola da Cruz Martins 1 Grazielle de Souto Pontes Haus 2 Alecxandro Alves Vieira 3 Resumo O presente relato descreve um trabalho

Leia mais

Educação especial: um novo olhar para a pessoa com deficiência

Educação especial: um novo olhar para a pessoa com deficiência Educação especial: um novo olhar para a pessoa com deficiência INOCÊNCIO, Sibelle Williane Dias dos Santos DAXENBERGER, Ana Cristina Silva Universidade Federal da Paraíba Centro de Ciências Agrárias Departamento

Leia mais

O papel das TIC acessíveis para a educação inclusiva das Pessoas com Deficiência. Rita Bersch Assistiva Tecnologia e Educação www.assistiva.com.

O papel das TIC acessíveis para a educação inclusiva das Pessoas com Deficiência. Rita Bersch Assistiva Tecnologia e Educação www.assistiva.com. O papel das TIC acessíveis para a educação inclusiva das Pessoas com Deficiência Rita Bersch Assistiva Tecnologia e Educação www.assistiva.com.br Educação e Desenho Universal FATO: NA ESCOLA SOMOS TODOS

Leia mais

TRADUTOR E INTERPRETE DE LINGUA DE SINAIS: preleção a cerca de sua atuação e formação

TRADUTOR E INTERPRETE DE LINGUA DE SINAIS: preleção a cerca de sua atuação e formação - 310 - TRADUTOR E INTERPRETE DE LINGUA DE SINAIS: preleção a cerca de sua atuação e formação Uiara Vaz Jordão 1 Sempre que a condição lingüística do surdo é respeitada, crescem as chances de ele desenvolver-se

Leia mais

Internet e Ensino: Saberes indispensáveis aos Imigrantes digitais

Internet e Ensino: Saberes indispensáveis aos Imigrantes digitais Internet e Ensino: Saberes indispensáveis aos Imigrantes digitais Cristina Novikoff c_novikoff@yahoo.com.br UNIGRANRIO Natália Xavier Pereira nxpereira@hotmail.com UNIGRANRIO Resumo:O uso da tecnologia

Leia mais

DidaTIC: ferramenta para elaboração de conteúdos didáticos digitais para EAD

DidaTIC: ferramenta para elaboração de conteúdos didáticos digitais para EAD DidaTIC: ferramenta para elaboração de conteúdos didáticos digitais para EAD Cristiane Borges Braga 1, Cassandra Ribeiro de O. e Silva 1, Fabrice Joye 1, Marcos Portela 1, Jane Fontes Guedes Melo 2 1 Núcleo

Leia mais

Unidade 4: Planejamento de aulas virtuais síncronas

Unidade 4: Planejamento de aulas virtuais síncronas Unidade 4: Planejamento de aulas virtuais síncronas 1 Coordenação Prof. Dra. Sílvia Dotta Autores Prof. Érica Jorge Prof. MsC. Paulo Aguiar Colaboração Prof. Dra. Juliana Braga PACC Programa Anual de Capacitação

Leia mais

OS DESAFIOS DA ESCOLA PÚBLICA PARANAENSE NA PERSPECTIVA DO PROFESSOR PDE Produções Didático-Pedagógicas

OS DESAFIOS DA ESCOLA PÚBLICA PARANAENSE NA PERSPECTIVA DO PROFESSOR PDE Produções Didático-Pedagógicas Versão On-line ISBN 978-85-8015-075-9 Cadernos PDE OS DESAFIOS DA ESCOLA PÚBLICA PARANAENSE NA PERSPECTIVA DO PROFESSOR PDE Produções Didático-Pedagógicas SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEED SUPERINTENDÊNCIA

Leia mais

A AQUISIÇÃO DO ESPANHOL INSTRUMENTAL NA PLATAFORMA MOODLE *

A AQUISIÇÃO DO ESPANHOL INSTRUMENTAL NA PLATAFORMA MOODLE * 1 A AQUISIÇÃO DO ESPANHOL INSTRUMENTAL NA PLATAFORMA MOODLE * Valéria Jane Siqueira Loureiro (Universidade Federal de Sergipe) RESUMO: Este trabalho se propõe a analisar o curso de extensão universitária

Leia mais

SOFTWARE EDUCACIONAL: RECURSO PEDAGÓGICO PARA MELHORAR A APRENDIZAGEM NA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA

SOFTWARE EDUCACIONAL: RECURSO PEDAGÓGICO PARA MELHORAR A APRENDIZAGEM NA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA SOFTWARE EDUCACIONAL: RECURSO PEDAGÓGICO PARA Resumo MELHORAR A APRENDIZAGEM NA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA Clara Celina Ferreira Dias Universidade Federal de Santa Maria UFSM claracelinafd@professor.rs.gov.br

Leia mais

A LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS SURDAS

A LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS SURDAS 110 A LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS SURDAS Dayanne Barbosa Dias Especializando em Educação Especial Inclusiva - CENSUPEG Dayanne16barbosa@hotmail.com Resumo: O presente trabalho apresenta a relevância

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 431, DE 2011 (Do Sr. Neilton Mulim)

PROJETO DE LEI N.º 431, DE 2011 (Do Sr. Neilton Mulim) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 431, DE 2011 (Do Sr. Neilton Mulim) Institui-se obrigatoriedade da inclusão de intérpretes de Libras em repartições públicas. DESPACHO: APENSE-SE À(AO) PL-2574/2000.

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL QUESTÕES DE PROVAS DE CONCURSOS PÚBLICOS DO MAGISTÉRIO

EDUCAÇÃO ESPECIAL QUESTÕES DE PROVAS DE CONCURSOS PÚBLICOS DO MAGISTÉRIO EDUCAÇÃO ESPECIAL 01. A base da educação inclusiva é considerar a deficiência de uma criança ou de um jovem como mais uma das muitas características diferentes que os alunos podem ter e, sendo assim, respeitar

Leia mais

ABRIL/2004 UMA FERRAMENTA PARA AUXILIAR O PROFESSOR NO ENSINO À DISTÂNCIA

ABRIL/2004 UMA FERRAMENTA PARA AUXILIAR O PROFESSOR NO ENSINO À DISTÂNCIA 1 ABRIL/2004 UMA FERRAMENTA PARA AUXILIAR O PROFESSOR NO ENSINO À DISTÂNCIA Andréa Pereira de Castro Universidade de Cruz Alta UNICRUZ, Cruz Alta andreap@unicruz.edu.br Adriana Pereira Cocco Universidade

Leia mais

ROSSI, Tereza Ribeiro de Freitas. Brincar: uma opção para a interação entre mãe ouvinte/filho surdo. Campinas: Unicamp, 2000. 169p.

ROSSI, Tereza Ribeiro de Freitas. Brincar: uma opção para a interação entre mãe ouvinte/filho surdo. Campinas: Unicamp, 2000. 169p. CADER, Fatima Ali Abdalah Abdel,; FÁVERO, Maria Helena (orientadora) - Leitura e escrita na sala de aula: uma pesquisa de intervenção com crianças surdas. UNB. Resumo Este trabalho descreve e analisa etapas

Leia mais

Software Tutorial sobre Sistema Solar

Software Tutorial sobre Sistema Solar Software Tutorial sobre Sistema Solar Alan Correa, Antônio Rocir, Sandro Niederauer Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de maio, 141 95520-000 Osório RS Brasil {sandroniederauer, alan.sms}@hotmail.com,

Leia mais

AQUISIÇÃO DE L2: o contexto da pessoa surda i Ronice Müller de Quadros ii

AQUISIÇÃO DE L2: o contexto da pessoa surda i Ronice Müller de Quadros ii QUADROS, Ronice Muller de. Aquisição de L2: o contexto da pessoa surda. In: III SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE LINGÜÍSTICA, 1996, Porto Alegre. Anais do III Seminário Internacional e Lingüística. Porto Alegre:

Leia mais

JUSTIFICATIVA PEDAGÓGICA DA PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS NA FORMATAÇÃO DO SOFTWARE EDUCACIONAL (SIMULAÇÃO E ANIMAÇÃO)

JUSTIFICATIVA PEDAGÓGICA DA PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS NA FORMATAÇÃO DO SOFTWARE EDUCACIONAL (SIMULAÇÃO E ANIMAÇÃO) JUSTIFICATIVA PEDAGÓGICA DA PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS NA FORMATAÇÃO DO SOFTWARE EDUCACIONAL (SIMULAÇÃO E ANIMAÇÃO) De acordo com o Edital de produção de conteúdo digitais multimídia, alguns aspectos

Leia mais