Guia de BOAS VINDAS 2014 Câmara Municipal de São José dos Campos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Guia de BOAS VINDAS 2014 Câmara Municipal de São José dos Campos"

Transcrição

1 2014 Câmara Municipal de São José dos Campos

2 Bem-vindos! O presente guia tem a intenção de proporcionar aos novos colaboradores da Câmara Municipal de São José dos Campos, informações sobre nossos serviços internos, normas e procedimentos. É com grande satisfação que os recebemos em nosso quadro funcional e desde já contamos com sua contribuição para o sucesso e desenvolvimento de nosso trabalho, nesta Casa Legislativa, em prol da comunidade. 2.

3 ACâmaraMunicipal A Câmara Municipal de São José dos Campos, também conhecida por Edilidade ou Casa de Leis, é o órgão legislativo do Município, constituída de Vereadores eleitos nos termos da legislação vigente e tem sua sede no Palácio Juscelino Kubitschek. Missão Legislar e fiscalizar, no âmbito do Município, a correta execução orçamentária/financeira; controlar e assessorar os atos do Executivo e praticar atos de Administração interna, com responsabilidade e imparcialidade, fortalecendo a democracia e assegurando o adequado desenvolvimento político, econômico e o bem-estar da comunidade. Visão Atuar com probidade e transparência na transformação da Câmara de um órgão burocrático em um órgão gerencial, com ênfase no controle e no resultado, aumentando a qualidade do serviço público e a satisfação do cidadão. Valores Legalidade Impessoalidade Moralidade Publicidade Eficiência Economicidade Interesse público Suas sessões ordinárias e extraordinárias terão, obrigatoriamente, por local a sua sede, sendo nulas as que acontecerem fora dela. As ordinárias são realizadas às terças e quintas-feiras, a partir do horário regimental das 17h30 (Art. 3 do Regimento Interno). As sessões solenes podem ser realizadas em outro recinto e horário. Por disposição de lei a Edilidade é composta por 21 vereadores, eleitos para um mandato de quatro anos e este período é chamado de legislatura. No primeiro dia de cada legislatura ocorre a sessão solene de instalação, sob a presidência do vereador mais votado dentre os presentes, independentemente de número, os vereadores tomam posse (Art. 6 do Regimento Interno). 3.

4 EstruturaAdministrativa GABINETE DA PRESIDÊNCIA - Onde fica a autoridade máxima do Legislativo, eleita pelos vereadores a cada dois anos, não podendo ser reeleita dentro da mesma legislatura. O(a) Presidente é o(a) ordenador(a) de despesas da Edilidade, conforme determina a lei. É também o(a) representante legal da Câmara em suas relações externas. MESA DIRETORA - Composta por cinco vereadores, a Mesa Diretora é um órgão colegiado ao qual incumbe a direção da Edilidade. Constituída pelos cargos de Presidente, 1º e 2º Vice- Presidentes, 1º e 2º Secretários, a Mesa Diretora tem a responsabilidade de, sob a orientação do(a) Presidente, dirigir os trabalhos em Plenário e assinar os autógrafos das leis destinadas à sanção e promulgação do Executivo. ES - Agentes políticos investidos no mandato eletivo municipal para uma legislatura pelo sistema partidário proporcional, por voto secreto e direto. Tem responsabilidade de fiscalizar e legislar. SECRETARIA GERAL - Responsável pela orientação, controle e fiscalização das atividades da Administração, responde diretamente à Presidência da Câmara e à Mesa Diretora. Todas as secretarias administrativas e seus respectivos setores estão subordinados ao Secretário-Geral. SECRETARIA TÉCNICO-LEGISLATIVA - Responsável pelo encaminhamento de projetos de leis, proposituras e acompanhamento de sua tramitação dentro e fora da Casa, além de coordenar os processos nas sessões ordinárias, extraordinárias e solenes. Formada pelas Diretorias Técnico- Legislativa e de Expediente. SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS - Cuida da gestão econômica, financeira e orçamentária em conformidade com a legislação vigente e também da gestão de pessoas. Concentra as Diretorias de Gestão de Pessoal, de Finanças, de Informática e de Infraestrutura, Administração e Patrimônio. SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO - Responsável pela comunicação da Casa com órgãos de Imprensa, coordena a TV Câmara e assessora os vereadores. Fazem parte as Diretorias de Imprensa, Operações, Planejamento e Programação, Produção de TV. 4.

5 Dispositivosqueregemofuncionalismo Estatuto do Servidor Pùblico Municipal é o regime jurídico dos servidores públicos do município, de suas fundações e autarquias. Instituído por meio da Lei Complementar nº 056/92 de 24 de julho de 1992 (LC 56/92). Cargo Público é o conjunto de atribuições e responsabilidades previstas na estrutura organizacional que são cometidas a um servidor. É criado por lei, com denominação própria e vencimento pago pelos cofres públicos, para provimento em caráter efetivo ou em comissão. Servidor Público: Cargo de provimento efetivo é ocupado por pessoa nomeada mediante prévia aprovação em concurso púbico de provas ou provas e títulos, obedecida a ordem de classificação e o prazo de sua validade. Cargo de provimento em comissionado é ocupado por pessoa designada ou nomeada para cargos de confiança, de livre nomeação e exoneração, podendo ser ocupado por servidor de carreira ou não. As atividades do servidor são regidas por dispositivos constitucionais e legais, dos quais destacamos: Lei Orgânica do Município de São José dos Campos Resolução nº 05/83 - Regimento Interno da Câmara Municipal de São José dos Campos Resoluções nºs 06 e 08/13 - Dispõe sobre a Reforma Administrativa da Câmara Municipal de São José dos Campos, instituindo o Plano de Cargos, carreiras e vencimento e dando providências correlatas. Constituição Federal/88 Lei 8666/93 e Lei 10520/2002 (Pregão) - Institui normas para licitações e contratos da Administração Pública. Lei Complementar Federal nº 101/ Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal. Lei Federal nº 8429/92 - Dispõe sobre as sanções aplicáveis aos Agentes Públicos nos casos de enriquecimento ilícito no exercício de mandado de cargo, emprego ou função na administração pública direta, indireta ou fundações. A Câmara é fiscalizada pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo e em alguns casos pelo Tribunal de Contas da União e pelo Ministério Público. 5.

6 Rotinasadministrativas A nomeação é um ato de competência da Mesa Diretora, (em caráter efetivo ou em comissão) que se dá com a emissão de uma Portaria, publicada no Boletim do Município e afixada no quadro de avisos no atrium da edilidade. A Jornada de Trabalho, de acordo com o Estatuto do Servidor, é de 40 horas semanais, salvo quando a lei municipal estabelecer duração diversa. O horário de expediente na Câmara é das 8h00 às 17h30, com intervalo de 1 hora e 30 minutos para refeição. Visando a compensação de dias de trabalho normal em que o mesmo é suspenso por estarem intercalados entre dias sem expediente, esse horário é acrescido de 15 ou 20 minutos diários, conforme calendário oficial do município. A Frequência do servidor deve ser comprovada em registro que certifica sua presença no local de trabalho e também para calcular sua remuneração. O registro de ponto deve ser através de um dos relógios eletrônicos por meio biométrico ou cartão de identificação. Durante o mês, o servidor poderá ter no máximo 29 minutos de atrasos, não justificados, sem incorrer em desconto pecuniário. Licenças e ausências legais devem ser comprovadas mediante documentação para não acarretarem desconto nos vencimentos: licença nojo, gala, falta abonada, doação de sangue e licença médica. Licenças médicas ou de acompanhamento familiar deverão ser comprovadas através de Atestado Médico, acompanhado da respectiva Licença Médica-GLM preenchida e assinada e ser apresentado na Diretoria de Gestão de Pessoal-DGP, em até 48 horas da data de emissão do Atestado. Os Atestados Médicos deverão estar assinados pelo médico responsável, com a indicação do Código Internacional de Doenças-CID ou descrição da doença, sem rasuras. Faltas Abonadas: o servidor tem direito a seis faltas abonadas por ano, não podendo exceder mais de uma por mês, respeitando-se a proporcionalidade da data de admissão. A solicitação de abono deve ser feita à DGP, devidamente autorizada, de preferência antes de ocorrer a falta. Pagamento mensal é feito no último dia útil do mês, por meio de depósito bancário, em conta corrente, junto ao banco conveniado. O Adiantamento é automático. Corresponde a 33.33% da remuneração e é feito no dia 15 de cada mês. Caso o servidor não queira recebê-lo, poderá solicitar o cancelamento na DGP em formulário próprio disponível na pasta da DPG na rede interna J ou Consulta. 6.

7 Férias é um direito do servidor ao completar o período aquisitivo, cabendo o pagamento de 1/3 conforme determina a Constituição Federal. As férias deverão ser programadas juntamente com a chefia. O servidor pode requerer: Parcelamento em apenas dois períodos. O pagamento dos valores será efetuado sempre no primeiro período; Abono pecuniário, que é a conversão de 1/3 das férias em dinheiro, ao qual o servidor tem direito desde que não tenha ultrapassado o limite de 5 faltas em seu período aquisitivo; Antecipação da 1ª parcela do 13º salário. As férias não poderão ser acumuladas No caso da existência de saldo, este deverá ser zerado antes do gozo de novas férias. Não havendo programação por parte do servidor, a DPG poderá agendar as férias comunicando posteriormente a chefia. O agendamento e as alterações referentes às férias deverão ser comunicados à DPG por meio de documento próprio com no mínimo 15 dias de antecedência. Se ocorrerem faltas injustificadas, as férias serão proporcionais sendo: 24 dias corridos, quando houver tido de 6 a 14 faltas; 18 dias corridos, quando houver tido de 15 a 23 faltas; 12 dias corridos, quando houver tido de 24 a 32 faltas. Vale-Transporte é disponibilizado em crédito no cartão do consórcio de transporte coletivo urbano. É exclusivamente para uso no trajeto residência-trabalho residência. O desconto é efetuado em folha de pagamento e limitado a 6% do vencimento ou o valor real dos valestransportes. Tíquete refeição atualmente é concedido em pecúnia por meio de crédito na folha de pagamento, calculado com base em 22 cotas mensais. O valor unitário da cota é atualizado por Lei pela Prefeitura. O desconto é efetuado de acordo com os vencimentos, sendo o máximo de 70% do valor total dos tíquetes. Seguro de vida em grupo A Câmara oferece seguro de vida em grupo e/ou Acidentes Pessoais Coletivo aos servidores, subvencionando 30% e descontando o restante em folha de pagamento e cobertura por morte natural, invalidez permanente total ou parcial por acidente ou por doença do servidor, com inclusão de cônjuge como segurado secundário. Empréstimo Consignado Convênio firmado entre a Câmara e a Caixa Econômica Federal-CEF para concessão de empréstimos aos seus servidores mediante consignação em folha de pagamento. Para solicitá-lo é necessário, primeiramente, a emissão da Carta Margem pela DGP. PROBESEM O Programa de Bolsa de Estudos para Servidores 7.

8 Públicos Municipais custeia 60% da mensalidade escolar (Lei 4783/95 e posteriores alterações). A inscrição é realizada em até 30 dias corridos do início do curso. Reembolso do Plano de Saúde De acordo com a Lei de 21/08/2013 é concedido reembolso parcial das despesas com plano de saúde aos servidores titulares, no mês subsequente ao pagamento do plano de saúde ou do desconto em folha de pagamento. A comprovação deve ser efetuada até o dia 10 de cada mês na DPG. O reembolso se dará conforme a tabela abaixo. Remuneraçãoservidor até 2.000, , , , , , ,00 acima 10,000,00 Valordorembolso 150,00 110,00 75,00 50,00 0,00 Benefício por filho menor A lei 5506/99 de 12/11/1999 concede gratificação aos servidores, a ser paga por dependente menor, mediante comprovação de escolaridade, ou atestado médico para os dependentes Descrição Menor ou igual a 7 anos Maior de 7 e menor de 14 anos Maior de 14 e menor de 18 anos Pessoa com deficiência, de qualquer idade Valor 20,00 15,00 10,00 20,00 Planodecarreira A Res. 06/2013, instituiu o novo Plano de Cargos, Carreira e Vencimento aplicável aos servidores que ingressarem no quadro de servidores efetivos da Câmara Municipal a partir de 29/11/2013. De acordo com este Plano, o servidor poderá ascender na carreira através de: Progressão Funcional: Caracteriza-se pela movimentação do servidor de uma referência para a imediatamente subsequente, dentro de uma mesma classe, observado o interstício de 2(dois) anos, de acordo com o resultado da avaliação formal de desempenho; e Promoção (a ser regulamentada): 8.

9 Caracteriza-se pela movimentação do servidor dentro de uma mesma classe, para grau de referência superior, observadas as condições para cada caso, bem como o interstício de quatro anos em relação à promoção anterior e condicionada à participação e aprovação em atividades de formação e aperfeiçoamento, compatível com as atividades desenvolvidas pela Câmara e respeitada a disponibilidade orçamentária e financeira. Estágio Probatório: Ao entrar em exercício, o servidor nomeado para cargo de provimento efetivo ficará sujeito a estágio probatório por período de 3(três) anos, durante o qual a sua aptidão e capacidade serão objeto de avaliação para o desempenho do cargo, no qual ingressou por meio de concurso público. Avaliação de Desempenho: Todo servidor será submetido à avaliação periódica de desempenho que visará o aprimoramento dos métodos de gestão, valorização do servidor, melhoria da qualidade e eficiência do serviço público e de desenvolvimento na carreira. Os servidores serão avaliados pelo seguintes requisitos: assiduidade, disciplina, iniciativa, responsabilidade, qualidade no trabalho, produtividade, relacionamento pessoal, organização e interesse pelo trabalho. Para concorrer ao processo de avaliação de desempenho para fins de progressão, os servidores deverão estar no exercício de suas funções e atender a outros requisitos definidos em lei. Para se inteirar de todos os detalhes do seu Plano de Carreira, consulte a Res. 06 de 24 de outubro de Regimedisciplinar O artigo 97 e seguintes do Estatuto dos Servidores Públicos Municipais enumera os deveres, proibições, responsabilidades e respectivas penalidades. Entre outros pontos, é dever do servidor: Comparecer pontualmente ao trabalho, executando com zelo e presteza as suas obrigações; Usar o crachá em local visível, nas dependências da Câmara; Tratar com civilidade, cortesia e afabilidade seus 9.

10 superiores, colegas e público em geral; Zelar pela economia, conservação do patrimônio e materiais cuja utilização lhe sejam confiados; Comunicar à chefia imediata sobre irregularidades que tenha conhecimento; Comunicar por escrito à DPG alterações de endereço residencial, estado civil, escolaridade e outros fatos relevantes; Cumprir as disposições do Estatuto do Servidor, principalmente nos atos e providências que dependam do próprio servidor. Proibições: Receber de terceiros, propinas, comissões e vantagens em razão de atividade exercidas na Câmara; Usar informações privilegiadas que detenha em função das atividades que exerça, em proveito próprio ou de terceiros; Ingerir bebida alcoólica quando em serviço ou comparecer alcoolizado ao trabalho; Marcar cartão de ponto para outrem; Deixar o local de trabalho em hora de expediente, exceto quando autorizado pelo superior imediato; Fazer qualquer trabalho para si ou para terceiros, servindo-se de equipamentos ou materiais da Câmara, dentro ou fora do expediente. Responsabilidade é algo elementar na vida de qualquer pessoa e, a Legislação vigente determina que, no caso do servidor público, há três tipos de responsabilidades: a civil a penal a administrativa. Considera-se servidor público, para efeitos penais, quem, embora transitoriamente ou sem remuneração, exerce cargo, emprego ou função pública em entidade estatal, autárquica ou paraestatal (CP, art. 327). Podemos concluir que as responsabilidades civil, penal e ou administrativa só surgirão se o servidor praticar alguma irregularidade no exercício de suas atribuições (arts. 102 a 107 da LC 56/92). 10.

11 InstitutodePrevidênciadoServidor O Instituto de Previdência do Servidor Municipal-IPSM foi instituído pela Lei Municipal nº 4220, de 08 de julho de 1992, que estabelece este órgão como gestor do sistema de previdência dos servidores do Município, de suas Autarquias e Fundações, garantindo os seus benefícios assistenciais e prestando serviços a seus segurados. Com a contribuição mensal de cada servidor e mais a contribuição patronal, o IPSM mantém as aposentadorias, pensões e licenças médicas acima de 15 dias, licenças por acidente de trabalho e licença gestante. Para mais informações, você pode ir pessoalmente ou pode acessar o site EntidadesAssociadas FAMME-Fundo de Assistência Médica e Medicamentosa O FAMME é um órgão do município que atende seus servidores em consultas e no fornecimento de alguns medicamentos. O custo é de 1% sobre o salário bruto, até o limite de 10% sobre o salário mínimo vigente no país, sendo o atendimento centralizado na Av. João Guilhermino, 317. Para fazer parte basta preencher a solicitação de inclusão no FAMME, disponível na rede interna J, na pasta DEPARTAMENTO PESSOAL, e encaminhar à DPG ASSEM-Associação dos Servidores Municipais A Assem é uma entidade sem fins lucrativos com a finalidade de proporcionar atividades recreativas, esportivas e culturais, além de outras vantagens aos seus associados. A sede social proporciona atividades esportivas como aulas de dança, pilates, ballet, musculação e piscina para hidroginástica. Possui um clube de campo com piscinas, salão de festas, quadra poliesportiva, campo de futebol society, quiosques com churrasqueiras, sauna, restaurante e playground, além de uma pousada em Caraguatatuba. 11.

12 Possui ainda convênios com operadoras de planos de saúde, seguradoras e outros. Para se associar confira no site a documentação necessária e saiba tudo o que acontece na Assem em CRESSEM-Cooperativa de Economia dos Servidores Municipais Uma sociedade de auxílio mútuo que objetiva criar o hábito de economia sistemática por meio de depósitos periódicos e regulares dos seus associados, beneficiando-se ao mesmo tempo com empréstimo a juros baixos. O capital é formado pela integralização mensal através de desconto em folha de pagamento. A somatória das integralizações forma o montante de recursos que a Cooperativa tem para emprestar. Existem algumas linhas de empréstimos e financiamentos, além de descontos em empresas conveniadas como seguros, planos odontológicos, academias, escolas entre outros. A Cressem possui o BASSEM-Banco do Servidor Municipal através do SICOOB- Sistema de Cooperativas do Brasil, parte do grupo BANCOOB-Banco Cooperativo do Brasil. Oferece aos seus correntistas serviços personalizados com tarifas abaixo do mercado. Mais informações em Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de São José dos Campos Órgão representativo de classe em defesa da categoria. Possui convênios com operadoras de planos de saúde, seguradoras e outros. Mais informações em

13 Caixas Eletrônicos e Posto de Atendimento Bancário A agência bancária conveniada disponibiliza caixas eletrônicos nas dependências da Câmara. O posto de atendimento bancário mais próximo encontra-se no andar térreo do Paço Municipal. Informaçõesimportantes O café da manhã na Copa é servido a partir das 6h30 até as 7h50, de segunda a sexta-feira, exceto finais de semana, feriados e dias compensados. É importante respeitar o horário do café, afinal, o expediente inicia-se pontualmente às 8 horas. A ginástica laboral é um programa aplicado por profissionais da Prefeitura visando a reeducação postural e alívio do estresse, valorizando a prática de atividades físicas como instrumento de promoção de saúde e prevenção de lesões como LER-Lesões por Esforços Repetitivos e DORT-Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho. Terças e quintas, às 14h30 e quartas e sextas, às 9h00. Rotina para Compras e Licitações 1 compras diretas abaixo de R$ 8.000,00 (de acordo com a lei 8666/93). solicitação de compra com o detalhamento do material e/ou serviço pretendido envio da solicitação ao Secretário-Geral para aprovação setor de compras para aquisição recebimento do material solicitado será feito no almoxarifado 2 para licitações solicitação de compra com o detalhamento do material e/ou serviço pretendido envio da solicitação ao Secretário-Geral para aprovação setor de compras dará andamento ao processo licitatório recebimento do material solicitado será feito no almoxarifado Rotina para o Almoxarifado os materiais de consumo constantes do estoque do almoxarifado estão descritos em relação com códigos e descrição do produto as requisições devem ser assinadas pelo chefe imediato e entregues no almoxarifado às segundas, quartas e sextas-feiras, até as 12h a entrega dos materiais solicitados será feita nestes dias à partir das 15h materiais de consumo que não constam da relação do 13.

14 almoxarifado devem ser solicitadas através de compra direta. Patrimônio: Todos os móveis e equipamentos são registrados e possuem uma placa de patrimônio informando quem é o responsável e de qual setor pertence aquele item. Se precisar mover o equipamento ou móvel de um local para outro, não o faça sem antes avisar a Divisão de Patrimônio, pois toda vez que algo é movido sem a divida autorização, novo inventário tem que ser feito. A Diretoria de Informática e seus serviços O Drive de Rede H:\(nome do setor) é disponibilizado para cada departamento através de uma área na rede, para utilização e guarda de arquivos comuns a todos do setor. Já o Drive de Rede J:\(consulta) é outro drive de rede disponível. Tem a função de disponibilizar arquivos internos de forma TEMPORÁRIA. É bastante utilizada para acessar informações importantes dos diversos departamentos. Para acesso aos microcomputadores e notebooks da Câmara é necessário inserir usuário e senha. Para criação de login é preciso encaminhar memorando à Diretoria de Informática. A Intranet é o site principal ao iniciar a navegação na internet, onde se pode checar informações e notícias de uso interno, classificados e aniversariantes. Além de links para o banco Santander, Portal do Servidor, assistir à sessão de Câmara e lista de ramais internos. Veja o link O site da Câmara é o ponto principal de contato via WEB com os munícipes, possui link para Leis Municipais, Lei da Transparência, Licitações, Sessões Plenárias, etc. O oficial do servidor é configurado apenas em seu computador principal de trabalho, no software Outlook. As mensagens baixadas neste software não ficam armazenadas no servidor, somente no seu computador. Arquivos anexos não devem ter mais que 15Mb. 14.

15 Possuímos rede Wireless para utilização de notebooks, celulares e tabletes da CMSJC e outra rede MUNÍCIPE para equipamentos particulares. Para acesso à rede MUNÍCIPE, acesse:. Wi Fi Usuário: CMSJC Senha: CMSJC2013 Em 2013, entrou no ar a TV Câmara, transmitindo via internet e através da TV a cabo Net canais 7 (digital) e 29 (analógico). Sua programação destinase às transmissões diretas das sessões de Câmara e fatos de interesse da comunidade, tratados no âmbito do Poder Legislativo. Transmite ainda entrevistas com os Vereadores, sobre assuntos ligados à cidade e aos munícipes, além de outros programas de interesse público, culturais, educativos, esportivos, etc. Omunícipe O munícipe é o motivo pelo qual o órgão público existe. O atendimento a ele prestado deve ser de excelência e norteado por critérios de eficiência, eficácia e economia, sendo de suma importância que todos os servidores públicos estejam comprometidos com este objetivo. Veja o que pode ser feito para um atendimento eficaz: O atendimento - algumas pessoas são mais sensíveis do que outras. Ao comunicar-se você deve levar em conta o ouvinte. É necessário ser empático, levar em conta os sentimentos do outro. O tom de voz, sua escolha de palavras ou sua falta de tato podem fazer com que sua fala seja interpretada como ameaça ou agressão, dificultando o relacionamento entre ambas as partes. Não interrompa a fala do outro. Procure dar atenção ao que a pessoa está colocando. 15.

16 Não reaja precipitadamente. A postura profissional e apresentação pessoal são fatores importantes e indispensáveis para quem atende ao público. Postura profissional diz respeito às atitudes, comportamentos, maneira de pensar e agir no trabalho. Onde trabalhamos existem regras, modo adequado de se vestir e de se comportar. Use o bom senso sempre! Na relação líder/colaborador deve existir sempre um clima de abertura e transparência, que permita aos integrantes do grupo de trabalho questionar a imagem de si, tomar consciência da imagem que apresentam aos outros e ao próprio grupo. A qualidade do serviço público está na aplicação adequada de recursos financeiros, visando atender às necessidades da população, a redução dos gastos desnecessários com a diminuição do desperdício e finalmente a correção dos serviços prestados, evitando-se o retrabalho. Dicas Ousar mais é o segredo do sucesso. Não está apenas nas características pessoais de cada um, mas em como cada um faz o seu trabalho. É necessário demonstrarmos fome de sucesso, iniciativa, praticar novas habilidades, automotivação e ter capacidade para resolver problemas. Encare novos trabalhos como forma de desenvolvimento. Ter iniciativa significa fazer algo além do que seu cargo pede. Geralmente envolve algum tipo de risco, mas com certeza muitos ganhos. Multiplique seus contatos com outras pessoas de áreas diferentes a fim de reunir mais informações, melhorar seu relacionamento interpessoal e aumentar sua produtividade. Comece por reconhecer o que não sabe, mas precisa saber. Descubra quem pode lhe ajudar e cultive relacionamentos com estas pessoas. Procure coisas novas para fazer. Não vá até o chefe pedir. Adiante-se e busque novas experiências para agregar habilidades. Pergunte-se O que posso fazer esta semana para acrescentar valor à minha carreira? Veja cada etapa do trabalho de uma forma mais ampla. Você vai descobrir muitas outras formas que podem ajudar o seu setor a melhorar. 16.

17 Se você não se propuser a atualizar-se, sua evolução profissional fica comprometida. É preciso preparar-se para múltiplas funções. Para se ter competência naquilo que se quer é necessário treino, estudo e continuidade. Tudo em que somos competentes é resultado de muito treino. A cada momento procure mudar, aperfeiçoar-se, observar e absorver tudo que possa reverter positivamente seu curso de vida e da carreira profissional. Novas amizades, livros, lugares são ótimas oportunidades. O homem nunca se banha nas mesmas águas do mesmo rio. Evite aquelas coisas que enfraquecem o cérebro: barulho, fadiga, negativismo, excessos em geral. Perdedores são pessoas hábeis em reclamar, acusar e dar desculpas, o que só faz aumentar os seus problemas. 10pontos 1. Proporcione às pessoas ótima qualidade no atendimento. 2. Participe com seu trabalho no progresso da Câmara. 3. Execute suas tarefas de forma econômica. 4. Procure sempre maior eficiência. 5. Coopere com seus colegas e chefias. 6. Procure ampliar constantemente seus conhecimentos. 7. Lembre-se: a Câmara, que lhe proporciona um emprego, pertence aos munícipes. 8. Trate o público com civilidade, cortesia e afabilidade e só lhe prometa o que possa ser cumprido. 9. Não esconda suas ideias criativas para a melhoria dos serviços, leve-as à sua chefia. 10. Torne a cidade melhor com a qualidade de seu serviço. 17.

18 Referência BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 26 junho BRASIL. Emendas Constitucionais. Disponíveis em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/quadro_e mc.htm>. Acesso em: 26 junho MEIRELLES, H. L. Direito administrativo brasileiro. 27. ed. São Paulo: PC Editorial, SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. Lei Complementar nº 254 de 22/05/2003. Disponível em: <http://www.ceaam.net/sjc/legislacao>. Acesso em: 26 junho SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. Lei Complementar nº 079 de 02/07/1993. Disponível em: <http://www.ceaam.net/sjc/legislacao>. Acesso em 26 de junho 2014 SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. Lei Municipal nº 4220 de 08/07/1992. Disponível em: <http://www.ceaam.net/sjc/legislacao>. Acesso em: 26 junho SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. Lei Municipal nº 4580 de 31/05/1994. Disponível em: <http://www.ceaam.net/sjc/legislacao>. Acesso em: 26 junho SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. Lei Municipal nº 4783 de 14/12/1995. Disponível em: <http://www.ceaam.net/sjc/legislacao>. Acesso em: 26 junho SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. Resolução nº 005 de 1º/12/1983. Disponível em: <http://www.ceaam.net/sjc/legislacao>. Acesso em: 26 junho

19 Relaçãoderamais-Administração 19.

20 Relaçãoderamais-Gabinetes 20.

21 WILLIS MOTORISTAS SALA DOS ÁREA VERDE SANITÁRIOS ÁREA VERDE ALVARENGA VALDIR A AMÉLIA NAOMI MOTA ALA DOS ES Localize-se-pisotérreo ILHA DE EDIÇÃO DA DR. RONIEL TONHÃO DUTRA A DULCE RITA ROBERTO PONTO ELETRÔNICO DE ENTRADA E SAÍDA DO ELEVEN PATRIMÔNIO ÁREA VERDE SANITÁRIOS ÁREA VERDE ÁREA VERDE SANITÁRIOS SANITÁRIOS SETOR DE COMPRAS SETOR DE CÓPIAS ALA DA ADMINISTRAÇÃO A JULIANA FRAGA PETITI DA FARMÁCIA COMUNITÁRIA CARLINHOS TIACA ÁREA VERDE ÁREA VERDE ÁREA VERDE HALL DE ENTRADA (RECEPÇÃO) EXPEDIENTE PISO TÉRREO TOLDO DA ENTRADA PRINCIPAL ALMOXARIFADO COPA INFORMÁTICA PONTO ELETRÔNICO DE ENTRADA E SAÍDA 21.

22 RENATA PAIVA A ESTÁFANO REUNIÕES NICOLAU SALA DE ÁREA VERDE Localize-se-pisosuperior SALA PEDRO BALA COPA PLENÁRIO AUDITÓRIO LUIZ EDUARDO MAGALHÃES PLENÁRIO MÁRIO SCHOLZ AUDITÓRIO MÁRIO COVAS PLENÁRIO MÁRIO SCHOLZ PRESIDÊNCIA A ANGELA PROF. CALASANS CAMARGO SHAKESPEARE CARVALHO JUVENIL SILVÉRIO ÁREA VERDE CORREDOR DE ACESSO AO PLENÁRIO SANITÁRIOS ADMINISTRAÇÃO ÁREA VERDE SANITÁRIOS SANITÁRIOS CORREDOR DE ACESSO AO PLENÁRIO ÁREA VERDE ÁREA VERDE JURÍDICO TV CÂMARA SANITÁRIOS ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO ALA DOS ES MESANINO ALA DA ADMINISTRAÇÃO DILERMANDO DIÉ ROBERTINHO DA PADARIA ROGÉRIO CYBORG ÁREA VERDE WALTER HAYASHI MACEDO BASTOS ASSESSORIA JURÍDICA ÁREA VERDE ÁREA VERDE SECRETARIA GERAL SALA DE LICITAÇÕES DEPARTAMENTO PESSOAL PISO SUPERIOR SETOR DE FINANÇAS ASSESSORIA TÉCNICO LEGISLATIVA 22.

Manual de Recursos Humanos

Manual de Recursos Humanos Manual de Recursos Humanos Associação dos Amigos do Paço das Artes Francisco Matarazzo Sobrinho Organização Social de Cultura 1 Finalidade: Disponibilizar princípios básicos de gestão de pessoal que devem

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31389 de 31/03/2009

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31389 de 31/03/2009 DIÁRIO OFICIAL Nº. 31389 de 31/03/2009 GABINETE DA GOVERNADORA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº_03 /2009. O Defensor Público Geral do Estado do Pará, no uso de atribuições previstas

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNIZ FREIRE - ES

PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNIZ FREIRE - ES DECRETO Nº 6.106/2013 REGULAMENTA AS LICENÇAS PARA TRATAMENTO DE SAÚDE, DE QUE TRATAM OS ARTS. 80, I; 82 A 100, DA LEI MUNICIPAL Nº 1.132, DE 02 DE JULHO DE 1990 (ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO

Leia mais

MINUTA RESOLUÇÃO Nº... /2014, DE.. DE... DE 2014.

MINUTA RESOLUÇÃO Nº... /2014, DE.. DE... DE 2014. MINUTA RESOLUÇÃO Nº... /2014, DE.. DE... DE 2014. Regulamenta a avaliação de desempenho funcional dos Servidores Técnico-Administrativos da Fundação Universidade Regional de Blumenau - FURB prevista na

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais;

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais; LEI Nº 2451 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o estágio de estudantes junto ao poder público Municipal, suas autarquias e fundações e dá outras providencias. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado

Leia mais

AGÊNCIA REGULADORA DE ÁGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 03, DE 02/02/2015, PÁGINAS 03 A 08

AGÊNCIA REGULADORA DE ÁGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 03, DE 02/02/2015, PÁGINAS 03 A 08 AGÊNCIA REGULADORA DE ÁGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 03, DE 02/02/2015, PÁGINAS 03 A 08 PORTARIA Nº. 17, DE 23 DE JANEIRO DE 2015. Aprova

Leia mais

DECRETO Nº. 1.370/2015 DE 05 DE JANEIRO DE 2015. O Prefeito Municipal de Querência - MT, no uso de suas

DECRETO Nº. 1.370/2015 DE 05 DE JANEIRO DE 2015. O Prefeito Municipal de Querência - MT, no uso de suas DECRETO Nº. 1.370/2015 DE 05 DE JANEIRO DE 2015. Dispõe acerca da Política de uso do ponto eletrônico e da jornada de trabalho dos servidores públicos do Poder Executivo município de Querência - MT. atribuições,

Leia mais

Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Niquelândia

Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Niquelândia PROCEDIMENTOS E ROTINAS AO DARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS Título: Instrução Normativa nº. 001/2012. Ementa: Recomenda procedimentos para o Departamento de Recursos Humanos dos Órgãos da Administração Direta

Leia mais

Prefeitura Municipal de Castelo Av. Nossa Senhora da Penha, 103 Centro Cep: 29360 000 Castelo/ES Tel.: +55 28 3542 2124 8526

Prefeitura Municipal de Castelo Av. Nossa Senhora da Penha, 103 Centro Cep: 29360 000 Castelo/ES Tel.: +55 28 3542 2124 8526 DECRETO Nº 13.492 DE 25 DE SETEMBRO DE 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 017/2014, DISPÕE SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO NA PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTELO / ES, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO 1/8 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Disciplinar e normatizar os procedimentos operacionais na administração de recursos humanos; 1.2) Garantir maior segurança na admissão e exoneração de pessoal; 1.3) Manter atualizado

Leia mais

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO MARANHÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO MARANHÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO N.º 01/2010-TJ PODER JUDICIÁRIO Dispõe sobre o controle de frequência dos servidores do Poder Judiciário do Estado do Maranhão. O PRESIDENTE DO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES PORTARIA INSTITUCIONAL Nº 08 A Direção Geral da Faculdades SPEI, no uso das suas atribuições, ouvido o Conselho Superior e aprovado pela Mantenedora, conforme Regimento Interno, RESOLVE: Estabelecer o

Leia mais

ATO DO 1º SECRETÁRIO Nº 2, DE 2013.

ATO DO 1º SECRETÁRIO Nº 2, DE 2013. ATO DO 1º SECRETÁRIO Nº 2, DE 2013. Regulamenta o controle do cumprimento da jornada e do horário de trabalho pelos servidores do Senado Federal, nos termos do Ato da Comissão Diretora nº 7, de 2010. O

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE NORTELÂNDIA

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE NORTELÂNDIA CNPJ 15.061.773/00-55 DISTRIBUIDOR P L E N Á R I O RECEBEMOS 06/06/21 às 08:00hs PROJETO DE LEI 008/11 AUTORES: MESA DIRETORA DA CÂMARA MUNICIPAL Dispõe sobre a reforma da Estrutura Administrativa e o

Leia mais

LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006.

LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006. LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006. O PREFEITO MUNICIPAL DE URUGUAIANA: Dispõe sobre a Estrutura Administrativa e institui organograma da Câmara Municipal de Uruguaiana e dá outras providências. Faço saber,

Leia mais

REGULAMENTO/COGEP Nº 001, DE 1º DE JUNHO DE 2012. 2ª Edição Atualizada em 29 de janeiro de 2013.

REGULAMENTO/COGEP Nº 001, DE 1º DE JUNHO DE 2012. 2ª Edição Atualizada em 29 de janeiro de 2013. REGULAMENTO/COGEP Nº 001, DE 1º DE JUNHO DE 2012. 2ª Edição Atualizada em 29 de janeiro de 2013. Dispõe acerca da Política de uso do PONTO ELETRÔNICO E DA JORNADA DE TRABALHO dos servidores do Instituto

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 016/2012

ATO NORMATIVO Nº 016/2012 ATO NORMATIVO Nº 016/2012 Dispõe sobre o horário de expediente e a jornada de trabalho dos servidores, no âmbito do Ministério Público do Estado da Bahia, e dá outras providências. O PROCURADOR-GERAL DE

Leia mais

BOLSA DE ESTUDO PARA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO Perguntas Mais Frequentes

BOLSA DE ESTUDO PARA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO Perguntas Mais Frequentes BOLSA DE ESTUDO PARA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO Perguntas Mais Frequentes Que norma regulamenta a concessão da bolsa de estudo? A Instrução Normativa nº 104, de 25 de janeiro de 2010, regulamenta a concessão

Leia mais

I - Técnico de Apoio Fazendário e Financeiro, integrando a categoria funcional de Profissional de Apoio Operacional;

I - Técnico de Apoio Fazendário e Financeiro, integrando a categoria funcional de Profissional de Apoio Operacional; (*) Os textos contidos nesta base de dados têm caráter meramente informativo. Somente os publicados no Diário Oficial estão aptos à produção de efeitos legais. ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL DECRETO Nº 10.609,

Leia mais

Cooperativismo. Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da INFRAERO

Cooperativismo. Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da INFRAERO Cooperativismo Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da INFRAERO GESTÃO: Samuel José dos Santos Diretor Presidente Marco Antonio da C.Guimarães - Diretor Operacional João Gonçalves dos Santos Diretor

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO SÃO CARLOS 2011 SUMÁRIO TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º a 3º... 3 Capítulo I Da Natureza (art. 1º)... 3 Capítulo II Da Finalidade

Leia mais

REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Os estágios curriculares do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo do Instituto

Leia mais

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Férias

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Férias pág.: 1/6 1 Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos para programação, concessão e pagamento de férias aos empregados da COPASA MG. 2 Referências Para aplicação desta norma poderá ser necessário

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL Copia Controlada nº Código: RHP07 V05 Emissão: 30/05/2012 Folha: 1/18 MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS Registro de Ponto Copia Controlada nº Código: RHP07 V05 Emissão: 30/05/2012 Folha: 2/18 1 Conteúdo

Leia mais

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 06/2010

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 06/2010 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS Campus Universitário Viçosa, MG 36570-000 Telefone: (31) 3899-2127 - Fax: (31) 3899-1229 - E-mail: soc@ufv.br RESOLUÇÃO

Leia mais

Regulamento do Laboratório de Informática FACOS - MARQUÊS

Regulamento do Laboratório de Informática FACOS - MARQUÊS Regulamento do Laboratório de Informática FACOS - MARQUÊS Art. 1º A missão do Laboratório de Informática da FACOS/Marquês é buscar a excelência no atendimento aos seus usuários. seguintes: informática.

Leia mais

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE)

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE) TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE) PARTES ESSENCIAIS: I- QUALIFICAÇÃO DAS PARTE; II- INFORMAÇÕES RELEVANTES; III- CLÁUSULAS; IV- ASSINATURAS: das partes através de seus representantes

Leia mais

CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN

CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN 1. Que vantagens além do vencimento podem ser pagas ao servidor? a) indenizações, que não se incorporam

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SERGIPE, Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado aprovou e que eu sanciono a seguinte Lei Complementar

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SERGIPE, Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado aprovou e que eu sanciono a seguinte Lei Complementar Publicada no Diário Oficial do dia 07 de julho de 2011 Estabelece a Estrutura Administrativa do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe e do Ministério Público Especial; cria, modifica e extingue órgãos

Leia mais

Lei n.º 29/87, de 30 de Junho ESTATUTO DOS ELEITOS LOCAIS

Lei n.º 29/87, de 30 de Junho ESTATUTO DOS ELEITOS LOCAIS Lei n.º 29/87, de 30 de Junho ESTATUTO DOS ELEITOS LOCAIS A Assembleia da República decreta, nos termos dos artigos 164.º, alínea d), 167.º, alínea g), e 169.º, n.º 2, da Constituição, o seguinte: Artigo

Leia mais

LEI Nº 599/2011. Artigo 1 - As consignação Pública direta e indireta do Município de Novo São Joaquim são disciplinadas por esta Lei.

LEI Nº 599/2011. Artigo 1 - As consignação Pública direta e indireta do Município de Novo São Joaquim são disciplinadas por esta Lei. LEI Nº 599/2011 DISPÕE SOBRE AS CONSIGNAÇÕES EM FOLHA DE PAGAMENTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS E DA OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEONARDO FARIAS ZAMPA, Prefeito Municipal de Novo São Joaquim MT faz saber

Leia mais

CAPÍTULO III DA REESTRUTURAÇÃO

CAPÍTULO III DA REESTRUTURAÇÃO LEI N 3934 DISPÕE SOBRE A REESTRUTURAÇÃO E REORGANIZAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO MUNICIPIO DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM E DÁ OUTRA PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal de Cachoeiro de Itapemirim,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MUSEU DE ARTE SACRA SAMAS. MANUAL DE RECURSOS HUMANOS DO MUSEU DE ARTE SACRA

ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MUSEU DE ARTE SACRA SAMAS. MANUAL DE RECURSOS HUMANOS DO MUSEU DE ARTE SACRA ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MUSEU DE ARTE SACRA SAMAS. MANUAL DE RECURSOS HUMANOS DO MUSEU DE ARTE SACRA I -FINALIDADE. Este Regulamento tem por finalidade apresentar os princípios básicos de pessoal que devem

Leia mais

ACORDO BÁSICO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA Assinado no Rio de Janeiro, a 29 de dezembro de 1964.

ACORDO BÁSICO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA Assinado no Rio de Janeiro, a 29 de dezembro de 1964. ACORDO BÁSICO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA Assinado no Rio de Janeiro, a 29 de dezembro de 1964. Aprovado pelo Decreto Legislativo nº 11, de 1966. Entrada em vigor (art. 6º, 1º) a 2 de maio de 1966. Promulgado

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 29 DE OUTUBRO DE 2010.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 29 DE OUTUBRO DE 2010. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 29 DE OUTUBRO DE 2010. Dispõe sobre a jornada de trabalho, o registro e o controle da frequência dos servidores da ANAC. A DIRETORA-PRESIDENTE

Leia mais

ESTADO DO TOCANTINS MUNICÍPIO DE COLINAS DO TOCANTINS LEI MUNICIPAL Nº 1.376, DE 08 DE DEZEMBRO DE 2014.

ESTADO DO TOCANTINS MUNICÍPIO DE COLINAS DO TOCANTINS LEI MUNICIPAL Nº 1.376, DE 08 DE DEZEMBRO DE 2014. ESTADO DO TOCANTINS MUNICÍPIO DE COLINAS DO TOCANTINS LEI MUNICIPAL Nº 1.376, DE 08 DE DEZEMBRO DE 2014. Cria gratificação de produtividade aos Agente de Combate a Endemias, Agente de Controle Químico

Leia mais

Normas e Procedimentos para os Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu (MBA, Especialização e Aperfeiçoamento)

Normas e Procedimentos para os Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu (MBA, Especialização e Aperfeiçoamento) Normas e Procedimentos para os Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu (MBA, Especialização e Aperfeiçoamento) 1 Contato com alunos O contato com o aluno de Pós-Graduação da UCS acontece, de forma preferencial,

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 030/2013.

PROJETO DE LEI N.º 030/2013. PROJETO DE LEI N.º 030/2013. Institui o Programa Menor Aprendiz no âmbito do Município de Bela Vista de Minas e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Bela Vista de Minas, Estado de Minas Gerais,

Leia mais

DISPÕE SOBRE A AVALIAÇÃO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

DISPÕE SOBRE A AVALIAÇÃO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 2001/2006 DISPÕE SOBRE A AVALIAÇÃO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. IRANI CHIES, Prefeito Municipal de Carlos Barbosa, Estado do Rio Grande do Sul, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010.

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010. Dispõe sobre a estrutura organizacional do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte e dá outras providências. A GOVERNADORA

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E FINALIDADE

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E FINALIDADE REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E FINALIDADE Art. 1º - O Conselho Municipal do Idoso CMI de Carlos Barbosa, criado pela Lei Municipal nº 1754,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO ASSESSORIA INTERNACIONAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO ASSESSORIA INTERNACIONAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO ASSESSORIA INTERNACIONAL REGULAMENTO GERAL PARA AFASTAMENTO DE SERVIDOR DO INSTITUTO FEDERAL GOIANO PARA

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CONSELHO GESTOR DAS UNIDADES DE SAUDE

REGIMENTO INTERNO CONSELHO GESTOR DAS UNIDADES DE SAUDE REGIMENTO INTERNO CONSELHO GESTOR DAS UNIDADES DE SAUDE SEÇÃO I Da Instituição: Art. 1º - O presente Regimento Interno, regula as atividades e as atribuições do Conselho Gestor na Unidade de Saúde, conforme

Leia mais

Faculdade de Lucas do Rio Verde Credenciada pela Portaria Ministerial nº. 2.653 de 07/12/01 D.O.U. de 10/12/01.

Faculdade de Lucas do Rio Verde Credenciada pela Portaria Ministerial nº. 2.653 de 07/12/01 D.O.U. de 10/12/01. CONSELHO PEDAGÓGICO - COP RESOLUÇÃO Nº. 13/2008, DE 03 DE ABRIL DE 2008 Aprova o Regulamento de Monitoria Faculdade de Lucas do Rio Verde. O Presidente do Conselho Pedagógico - COP, face ao disposto no

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA ACADÊMICA DE ESPORTES E SAÚDE - LIES Capítulo I - Da Natureza e Finalidade ART. 1º - A Liga Acadêmica de Esportes e Saúde é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual e,

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual e, DECRETO N.º 2297 R, DE 15 DE JULHO DE 2009. (Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial de 16/07/2009) Dispõe sobre procedimentos para concessão de licenças médicas para os servidores públicos

Leia mais

Programa de Capacitação e Aperfeiçoamento do DAP

Programa de Capacitação e Aperfeiçoamento do DAP Programa de Capacitação e Aperfeiçoamento do DAP LEGISLAÇÃO DE PESSOAL COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO Regime Jurídico dos Servidores Públicos Federais Lei nº. 8.112/90 Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSA DE INICIAÇÃO AO TRABALHO. Das Definições e Finalidades

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSA DE INICIAÇÃO AO TRABALHO. Das Definições e Finalidades CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSA DE INICIAÇÃO AO TRABALHO Das Definições e Finalidades Art. 1º. O Programa de Bolsa de Trabalho do Centro Federal

Leia mais

, Prefeito Municipal de. FAÇO saber a todos os habitantes deste Município que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

, Prefeito Municipal de. FAÇO saber a todos os habitantes deste Município que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº Dispõe sobre o Sistema de Controle Interno, cria a Controladoria Municipal e dá outras providências., Prefeito Municipal de FAÇO saber a todos os habitantes deste Município

Leia mais

REGULAMENTO/DIGEP Nº 002, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014.

REGULAMENTO/DIGEP Nº 002, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. REGULAMENTO/DIGEP Nº 002, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. Dispõe acerca das regras e procedimentos para a concessão, indenização, parcelamento e pagamento da remuneração de férias dos servidores do Instituto

Leia mais

LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007

LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007 LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007 Súmula: Dispõe sobre o Sistema de Controle Interno Municipal, nos termos do artigo 31 da Constituição Federal e do artigo 59 da Lei Complementar n 101/2000 e cria a

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE

REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE TÍTULO I DA COMPOSIÇÃO E DAS COMPETÊNCIAS CAPÍTULO I - DA COMPOSIÇÃO Art. 1º O CONSEPE é o órgão colegiado superior que supervisiona e

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 020/2006-CONSU de 22 de agosto de 2006

RESOLUÇÃO Nº 020/2006-CONSU de 22 de agosto de 2006 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 020/2006-CONSU de 22 de agosto de 2006 EMENTA: Normatiza os Afastamentos de Curta, Média e Longa Duração de Docentes.

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 128/2013/TCE-RO

RESOLUÇÃO N. 128/2013/TCE-RO RESOLUÇÃO N. 128/2013/TCE-RO Dispõe sobre a concessão de folgas compensatórias e o gozo de Licença-Prêmio por Assiduidade dos servidores do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL

Leia mais

SE Brasília/DF Jan./2013 24.000 ex. 10,5x29,7cm Editora MS/CGDI/SAA OS 2013/0124

SE Brasília/DF Jan./2013 24.000 ex. 10,5x29,7cm Editora MS/CGDI/SAA OS 2013/0124 1 12 SE Brasília/DF Jan./2013 24.000 ex. 10,5x29,7cm Editora MS/CGDI/SAA OS 2013/0124 SE Brasília/DF Jan./2013 24.000 ex. 10,5x29,7cm Editora MS/CGDI/SAA OS 2013/0124 12 Em 2013, o registro de dados no

Leia mais

Em 2013, o registro de dados no SIOPS passará a ser obrigatório.

Em 2013, o registro de dados no SIOPS passará a ser obrigatório. Em 2013, o registro de dados no SIOPS passará a ser obrigatório. Fique atento aos procedimentos e prazos estabelecidos pela Lei para declaração de despesas com saúde. art certificado digital-siops-10,5x29,7.indd

Leia mais

Marcones Libório de Sá Prefeito

Marcones Libório de Sá Prefeito Mensagem n. 010 /2015 Salgueiro, 14 de Setembro de 2015. Senhor Presidente, Senhores (as) Vereadores (as), Considerando os princípios de descentralização e transparência, que tem levado esta administração

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PO Procedimento Operacional

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PO Procedimento Operacional CONCESSÃO DE BENEFÍCIOS AOS COLABORADORES PO. 12 00 1 / 7 1. OBJETIVOS O Crea-GO, visando atrair e melhorar o índice de retenção de colaboradores, institui a concessão de benefícios, mediante a adoção

Leia mais

NORMA DE FÉRIAS. RES. nº 1628/09. Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba

NORMA DE FÉRIAS. RES. nº 1628/09. Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba Vinculada ao Ministério da Integração Nacional - M I. nº 1628/09 FOR-101 1/5 S U M Á R I O 1 Objetivo, 2/5 2 Definição, 2/5 3 Competências,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 Artigo 1º. - A FUNDAÇÃO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM AGRONOMIA, MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA - FUNEP, além das disposições constantes de seu Estatuto

Leia mais

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 06/2003 DG/DNIT DO DIREITO E DA CONCESSÃO

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 06/2003 DG/DNIT DO DIREITO E DA CONCESSÃO INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 06/2003 DG/DNIT O GESTOR DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES - DNIT, no uso das atribuições que lhe conferem os artigos 7 - C e 19 da Estrutura Regimental

Leia mais

ESTADO DO MARANHAO PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO ALEGRE DO PINDARÉ GABINETE DO PREFEITO CAPÍTULO I DA FINALIDADE

ESTADO DO MARANHAO PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO ALEGRE DO PINDARÉ GABINETE DO PREFEITO CAPÍTULO I DA FINALIDADE ESTADO DO MARANHAO PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO ALEGRE DO PINDARÉ GABINETE DO PREFEITO LEI DE N 142/2013 de 18 de abril de 2013. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA GERIATRIA E GERONTOLOGIA - LIG Capítulo I - Da Natureza e Finalidade ART. 1º - A LIGA DE GERIATRIA E GERONTOLOGIA é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob a supervisão

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO Art. 1º Este documento, doravante denominado Regulamento de Empréstimo, estabelece os direitos e as obrigações da Boticário Prev, dos Participantes e Assistidos, para a concessão

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 194, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2000.

RESOLUÇÃO Nº 194, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2000. RESOLUÇÃO Nº 194, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2000. Dispõe sobre as férias dos servidores do Supremo Tribunal Federal. O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, no uso das atribuições que lhe confere o art.

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 13.421, DE 05 DE ABRIL DE 2010. (publicada no DOE nº 062, de 05 de abril de 2010 2ª edição) Institui a Carreira

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE CONTRATO DE APRENDIZAGEM

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE CONTRATO DE APRENDIZAGEM CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE CONTRATO DE APRENDIZAGEM Termo que deverá ser assinado entre EMPRESA E APRENDIZ com a presença do responsável legal. (Delegacia Regional do Trabalho Imprimir em Papel Timbrado

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM CAPÍTULO I Natureza, Finalidade, Sede e Foro Art. 1º - A Comissão Nacional de Residência em Enfermagem - CONARENF, criada pela Portaria

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2013

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2013 Regulamenta o processo de implementação e avaliação da flexibilização para ajuste de jornada de trabalho

Leia mais

S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Despacho n.º 341/2015 de 6 de Fevereiro de 2015

S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Despacho n.º 341/2015 de 6 de Fevereiro de 2015 S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Despacho n.º 341/2015 de 6 de Fevereiro de 2015 Considerando que nos termos do disposto na Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas o empregador público deve elaborar regulamentos

Leia mais

(Minuta) Decreto N..., de 2010.

(Minuta) Decreto N..., de 2010. (Minuta) Decreto N..., de 2010. Aprova o Regimento Interno do Conselho Municipal de Políticas sobre Drogas. O PREFEITO DE...(município)... segue o texto de aprovação do presente Decreto, conforme o trâmite

Leia mais

Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito Instituto HSBC Solidariedade

Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito Instituto HSBC Solidariedade Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito Instituto HSBC Solidariedade Leia estas informações importantes para aproveitar todas as vantagens do seu novo cartão de crédito. Resumo do Contrato de seu

Leia mais

ESTÁGIO PROBATÓRIO. Universidade Federal Fluminense

ESTÁGIO PROBATÓRIO. Universidade Federal Fluminense ESTÁGIO PROBATÓRIO Lei nº 12.772 de 28 de Dezembro de 2012 Dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreiras e Cargos do Magistério Federal; - sobre a Carreira do Magistério Superior, de que trata a Lei

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º XXX, DE XX DE XXXXXX DE 2013

RESOLUÇÃO N.º XXX, DE XX DE XXXXXX DE 2013 RESOLUÇÃO N.º XXX, DE XX DE XXXXXX DE 2013 O PRESIDENTE DO CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO, no uso de suas atribuições regulamentares e, considerando

Leia mais

Portaria nº 962/2011 Florianópolis, 11 de julho de 2011.

Portaria nº 962/2011 Florianópolis, 11 de julho de 2011. Portaria nº 962/2011 Florianópolis, 11 de julho de 2011. O Reitor pro tempore do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento normatiza as atividades do Estágio Supervisionado em Publicidade e Propaganda

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Reitoria

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Reitoria AUXÍLIO-TRANSPORTE Eu,, [nome completo do servidor (a)] 1) DECLARO PARA FINS DE PERCEPÇÃO DE AUXÍLIO-TRANSPORTE, e sob as penas da lei que: Ocupo o cargo de: Matrícula SIAPE n : Local de exercício das

Leia mais

MANUAL CONSIGFÁCIL Acesso: Servidor

MANUAL CONSIGFÁCIL Acesso: Servidor Sistema de Gestão e Controle de Consignações On-Line - CONSIGFÁCIL MANUAL CONSIGFÁCIL Acesso: Servidor V.4.2 (Agosto/2014) 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 1. ACESSANDO O CONSIGFÁCIL... 4 1.1. NAVEGADOR... 4

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI

ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI Reconhecida pela SEC/SC - Portarias 0390/86 e 0424/92 ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E PROFESSORES DA ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI-ETEVI-FURB-BLUMENAU-SC CAPÍTULO I

Leia mais

Art. 3º. A concessão de diárias fica condicionada a existência de disponibilidade orçamentária e financeira.

Art. 3º. A concessão de diárias fica condicionada a existência de disponibilidade orçamentária e financeira. LEI Nº 3466/2014, DE 08 DE ABRIL DE 2014. DISPÕE SOBRE AS VIAGENS OFICIAIS E A CONCESSÃO DE DIÁRIAS AOS VEREADORES E SERVIDORES DO PODER LEGISLATIVO MUNICIPAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

EDITAL Nº 038 DE 13 DE AGOSTO DE 2014

EDITAL Nº 038 DE 13 DE AGOSTO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA, TECNICA E TECNOLÓGICA COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA EDITAL Nº 038 DE 3 DE AGOSTO DE 204 SELEÇÃO

Leia mais

Capítulo I Das Disposições Preliminares

Capítulo I Das Disposições Preliminares RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 10, DE 1º DE MARÇO DE 2004 Estabelece normas complementares relativas ao registro, controle e apuração da frequência dos servidores públicos da administração direta, autárquica e fundacional

Leia mais

NÚCLEO DE JOVENS EMPREENDEDORES DA ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E EMPRESARIAL DE SUZANO CAPÍTULO I - DAS FINALIDADES

NÚCLEO DE JOVENS EMPREENDEDORES DA ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E EMPRESARIAL DE SUZANO CAPÍTULO I - DAS FINALIDADES 1 NÚCLEO DE JOVENS EMPREENDEDORES DA ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E EMPRESARIAL DE SUZANO CAPÍTULO I - DAS FINALIDADES Art. 1 o O Núcleo de Jovens Empreendedores da Associação Comercial e Empresarial de Suzano

Leia mais

RESOLUÇÃO CFP Nº 009/2009

RESOLUÇÃO CFP Nº 009/2009 RESOLUÇÃO CFP Nº 009/2009 Dispõe sobre o reajuste, direitos e deveres dos empregados do Conselho Federal de Psicologia. O CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA, no uso de suas atribuições legais, estatutárias

Leia mais

Faço saber que a Câmara de Vereadores aprovou e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei:

Faço saber que a Câmara de Vereadores aprovou e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei: LEI MUNICIPAL Nº 1833/2015. AUMENTA O NÚMERO DE CARGOS EM COMISSÃO, CRIA PADRÃO DE VENCIMENTO E FUNÇÕES GRATIFICADAS NO QUADRO DE CARGOS E FUNÇÕES PÚBLICAS DO MUNICÍPIO, E DA OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO

Leia mais

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT CARTILHA DO PLANO D Cartilha - Plano D INTRODUÇÃO Você está recebendo a Cartilha do Plano D. Nela você encontrará um resumo das principais características do plano. O Plano D é um plano moderno e flexível

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º. O presente Regulamento estabelece as políticas

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1.º - O Conselho Fiscal do Fundo de Aposentadoria e Pensão do Servidor- FAPS, criado

Leia mais

Informações sobre afastamento para qualificação e licença para capacitação

Informações sobre afastamento para qualificação e licença para capacitação Informações sobre afastamento para qualificação e licença para capacitação O que é capacitação? A Política Nacional de Desenvolvimento de Pessoal assim define capacitação: Processo permanente e deliberado

Leia mais

LEI Nº 358/2011. Súmula: Institui o Fundo Municipal de Saúde e dá outras providências. Capitulo I. Objetivos

LEI Nº 358/2011. Súmula: Institui o Fundo Municipal de Saúde e dá outras providências. Capitulo I. Objetivos LEI Nº 358/2011 Faço saber a todos os habitantes que a Câmara Municipal de Cafeara, Estado do Paraná aprovou e eu sanciono a presente Lei, que revoga a Lei nº. 084/92 de 17/09/1992. Súmula: Institui o

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO APERFEIÇOAMENTO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO CURSO APERFEIÇOAMENTO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO Escola de Contas Conselheiro Otacílio Silveira REGULAMENTO DO CURSO APERFEIÇOAMENTO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

Leia mais

3 Benefícios. 3.1 Plano de Saúde

3 Benefícios. 3.1 Plano de Saúde 3 Benefícios O Processo de Benefícios atua como agente visando minimizar as situações problemas existentes na relação homem-trabalho, através de orientações e esclarecimentos aos empregados sobre os benefícios

Leia mais

Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO...

Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO... Manual do Cooperado Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO... 3 5 COOPERHIDRO... 3 6 RECONHECIMENTO PARA FUNCIONAMENTO...

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PROPOSTA DE RESOLUÇÃO CONSELHEIRO LUIZ MOREIRA GOMES JÚNIOR. RESOLUÇÃO Nº, de de de 2013.

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PROPOSTA DE RESOLUÇÃO CONSELHEIRO LUIZ MOREIRA GOMES JÚNIOR. RESOLUÇÃO Nº, de de de 2013. CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PROPOSTA DE RESOLUÇÃO CONSELHEIRO LUIZ MOREIRA GOMES JÚNIOR RESOLUÇÃO Nº, de de de 2013. Dispõe sobre as férias dos Membros dos Ministérios Públicos da União e dos

Leia mais

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007.

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. Dispõe sobre a criação do Instituto Escola de Governo e Gestão Pública de Ananindeua, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE ANANINDEUA estatui, e eu

Leia mais

POLÍTICA DE CRÉDITO E DE EMPRÉSTIMO OUTUBRO D E

POLÍTICA DE CRÉDITO E DE EMPRÉSTIMO OUTUBRO D E POLÍÍTIICA DE CRÉDIITO E DE EMPRÉSTIIMO OUTUBRO D E 2 0 0 9 COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS FUNCIONÁRIOS DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRETOS - COOPERFEB POLÍTICA DE CRÉDITO E DE EMPRÉSTIMO

Leia mais

ATUALIZAÇÃO CADASTRAL DO SERVIDOR MUNICIPAL

ATUALIZAÇÃO CADASTRAL DO SERVIDOR MUNICIPAL ATUALIZAÇÃO CADASTRAL DO SERVIDOR MUNICIPAL ORIENTAÇÕES SOBRE A ATUALIZAÇÃO CADASTRAL DO SERVIDOR MUNICIPAL Apresentação A Prefeitura Municipal de Goiânia realizará a atualização cadastral dos Servidores

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO Nº 010/2001

ORDEM DE SERVIÇO Nº 010/2001 ORDEM DE SERVIÇO Nº 010/2001 Estabelece normatização quanto à frequência, assiduidade e questões funcionais dos servidores além dos fluxos de encaminhamento dos documentos e seu posterior arquivamento.

Leia mais