Instituto Politécnico de Beja

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Instituto Politécnico de Beja"

Transcrição

1 Instituto Politécnico de Beja Escola Superior de Agrária de Beja Licenciatura (1º ciclo) em Engenharia do Ambiente: Duração: 3 anos Grau: Licenciatura Directora de Curso: Doutora Rosa Maria Cabral da Cunha Fernandes Coordenadoras: Maria Teresa Carvalho / Anabela Durão Objectivos: O Plano de Estudos do curso de Engenharia do Ambiente pretende conferir competências ao nível do conhecimento e compreensão, da aplicação do conhecimento, compreensão e avaliação, da comunicação e das aptidões de aprendizagem e seu desenvolvimento. Estas passam pelo conhecimento científico e tecnológico: Do meio natural, dos diferentes ecossistemas e suas interacções; Das técnicas de avaliação da qualidade do meio ambiente e dos impactes provocados pelas fontes poluidoras; Dos métodos de controlo da qualidade ambiental, e; De conhecimento mais actual em alguns domínios da área de intervenção profissional. Intervenção na resolução de problemas do ambiente designadamente, na prevenção, avaliação e controlo de poluição que passa pelo planeamento, projecto, exploração, conservação e avaliação do funcionamento de: Sistemas de recolha, tratamento e valorização de resíduos sólidos; Sistemas de abastecimento de água; Sistemas de tratamento de águas; Sistemas de drenagem e tratamento de águas residuais; Infraestruturas de saneamento e Sistemas de efluentes gasosos. Intervenção na avaliação e resolução de problemas ambientais, nomeadamente: Tratamento e recuperação de solos;

2 Poluição atmosférica e sonora; Recuperação ambiental de áreas degradadas e Higiene e segurança no trabalho. Intervenção em equipas de análise e avaliação de impacte ambiental e auditoria ambiental. Assessoria técnica em processos de licenciamento e fiscalização ambientais. Colaboração em programas de experimentação incluindo os de I-D&E. Elaboração de pareceres relativos à resolução de problemas técnicos da área do ambiente, (recolha, selecção e interpretação da informação relevante para soluções fundamentadas). Saber receber e transmitir informação, ideias, levantar problemas e apresentar soluções a audiências especializadas ou não, envolvendo informação científica, tecnológica, económica, social e ambiental. Pretende conferir competências necessárias ao aperfeiçoamento do conhecimento com elevada autonomia promovendo a aprendizagem e capacitação em Tecnologias de Informação e Comunicação. Saídas Profissionais: Empresas, Associações, Delegações de Saúde e Autarquias: Controlo e gestão operacional de estações de tratamento de águas, de resíduos sólidos e de emissões gasosas; Análise e gestão dos recursos naturais, controlo e reabilitação dos meios poluídos; Tratamento e recuperação de solos; Auditorias e segurança das Instalações em Engenharia Sanitária; Vigilância sanitária. Laboratórios de controlo físico-químico e microbiológico: Resíduos sólidos (urbanos, industriais e hospitalares); Águas para consumo, residuais e balneares; Ar. Gabinete de Estudos e Projectos: Aterros sanitários; Impactes ambientais; Redes de distribuição de água e de drenagem; Estações de tratamento de águas de abastecimento e residuais.

3 Plano Curricular: 1º Ano (1º Semestre) Matemática 6 Química Orgânica 6 Química 6 Física Tecnologias de Informação e Comunicação 3 Introdução aos Problemas Ambientais 4 1º Ano (2º Semestre) Matemática Aplicada Bioquímica 6 Ecologia 4 Microbiologia Dinâmica de Fluidos 6 Desenho Técnico 4 2º Ano (3º Semestre) Introdução à Química do Ambiente 6 Estatística 3. Tecnologias de Transporte e Tratamento de Água e Efluentes I Equipamento e Controle de Processos e Automatismo Saúde Pública 2 Topografia e Cartografia 3. Gestão Integrada de Resíduos Sólidos 2º Ano (4º Semestre) Ecotoxicologia 4 Tecnologias de Transporte e Tratamento de Água e Efluentes II Ecologia das Águas Interiores 3 Métodos Instrumentais de Análise

4 Hidrogeologia 4 Dimensionamento de ETA I Elaboração e Análise de Projectos 4 3º Ano (º Semestre) Dimensionamento de ETA II 6 Poluição Atmosférica e Sonora I 3 Valorização de Resíduos Dimensionamento de Sistemas de Abastecimento de Água 6 Dimensionamento de ETAR I Poluição e Descontaminação de Solos 3º Ano (6º Semestre) Dimensionamento de ETAR II Higiene e Segurança 3 Poluição Atmosférica e Sonora II 4 Química do Ambiente 4 Dimensionamento de Sistemas de 6 Drenagem de Águas Pluviais e Residuais Estágio 8 Mestrado em Tecnologias do Ambiente: Duração: 2 anos Grau: Mestrado Directora de Curso: Doutora Rosa Maria Cabral da Cunha Fernandes Plano Curricular: 1º Ano (1º Semestre) Gestão, Avaliação e Tratamento do Ar Protecção e Reabilitação de Solos Gestão Integrada de Recursos Hídricos Tecnologias de Tratamento de Resíduos

5 Sólidos Tecnologias de Tratamento de Águas Fundamentos de Tecnologia Ambiental 1º Ano (2º Semestre) Biomonitorização Ambiental Valorização Energética de Resíduos Ambiente e Energia Qualidade do Ar em Espaço Confinado Sistemas de Informação Geográfica Avaliação e Análise de Impacte Ambiental 2º Ano (1º Trimestre) Higiene e Segurança Ambiental 3 Análise e Gestão de Projectos Seminários 7 2º Ano (2º Trimestre e 4º Semestre) Estágio 4

Universidade Lusófona

Universidade Lusófona Universidade Lusófona Licenciatura (1º Ciclo) em Ciências da Engenharia - Engenharia do Ambiente: Duração: 3 anos Grau: Licenciatura Director: Prof. Doutor José d'assunção Teixeira Trigo Objectivos: Formação

Leia mais

Matriz curricular do curso de graduação em Engenharia Ambiental campus de Chapecó Turno integral

Matriz curricular do curso de graduação em Engenharia Ambiental campus de Chapecó Turno integral Matriz curricular do curso de graduação em Engenharia Ambiental campus de Chapecó Turno integral 1 a 01 Matemática C 4 60-02 Geometria Analítica 4 60-03 Biologia Geral 3 45-04 Produção Textual Acadêmica

Leia mais

Universidade Católica Portuguesa. Escola Superior de Biotecnologia

Universidade Católica Portuguesa. Escola Superior de Biotecnologia Universidade Católica Portuguesa Escola Superior de Biotecnologia Licenciatura (1º Ciclo) em Bioengenharia Ramo Engenharia do Ambiente: Duração: 3 anos Grau: Licenciatura Coordenador: Professora Doutora

Leia mais

Universidade de Aveiro

Universidade de Aveiro Universidade de Aveiro Licenciatura (1º Ciclo) em Engenharia do Ambiente: Duração: 3 anos Grau: Licenciatura Director de Curso: Prof.ª Doutora Ana Isabel Couto Miranda Objectivos: A Licenciatura em Engenharia

Leia mais

Curso: ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA Curriculo: 0002-B DISCIPLINAS EM OFERTA 1º Semestre de 2016 - NOT

Curso: ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA Curriculo: 0002-B DISCIPLINAS EM OFERTA 1º Semestre de 2016 - NOT GR02149 GR02152 GR02161 GR02173 GR02177 SEMESTRE 1 Carga Horária Docentes Algoritmos Computacionais 72.00 Não ofertada no 1º semestre de 2016 Cálculo Fundamental 72.00 Não ofertada no 1º semestre de 2016

Leia mais

Horário - 1º Semestre de 2016

Horário - 1º Semestre de 2016 1º Período 07:00 08:40 Cálculo I Cálculo I Geografia Geral -T1 Cálculo I 08:50 10:30 GAAV GAAV Geografia Geral T2 GAAV Laboratório de Programação de computadores I - T1 10:40 12:20 Português Instrumental

Leia mais

Universidade do Algarve. Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente

Universidade do Algarve. Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente Universidade do Algarve Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente Licenciatura (1º Ciclo) em Engenharia do Ambiente: Duração: 3 anos Grau: Licenciatura Directores de Curso: Prof.ª Doutora Maria João Bebianno

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 145/2012

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 145/2012 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 145/2012 Altera o Currículo do Curso de Engenharia Ambiental e Sanitária para regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade do Processo nº CIV- 575/2012,

Leia mais

1. PARES ESCOLA/CURSO REGISTADOS INST. POLITÉC./ UNIVERSIDADE ESTABELECIMENTO DE ENSINO

1. PARES ESCOLA/CURSO REGISTADOS INST. POLITÉC./ UNIVERSIDADE ESTABELECIMENTO DE ENSINO 1. PARES ESCOLA/CURSO REGISTADOS INST. POLITÉC./ UNIVERSIDADE ESTABELECIMENTO DE ENSINO CURSO PRÉ-BOLONHA ESPECIALIDADE LICENCIATURA PÓS-BOLONHA ESPECIALIDADE INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA Eng.ª Alimentar

Leia mais

Europass Curriculum Vitae

Europass Curriculum Vitae Europass Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Morada(s) Telemóvel Endereço(s) de correio electrónico Clemente Machado, Tiago André Rua Quinta das Lavadeiras, nº3 1º esq.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Curso de Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária Matriz Curricular válida a partir de 2016_3 Reestruturação Aprovada em janeiro de 2016 Natureza Horas-aula Disciplinas

Leia mais

DEPARTAMENTO DE DE ENGENHARIA ENGENHARIA MECÂNICA. Ciclo de estudos integrado conducente ao grau de mestre em engenharia mecânica

DEPARTAMENTO DE DE ENGENHARIA ENGENHARIA MECÂNICA. Ciclo de estudos integrado conducente ao grau de mestre em engenharia mecânica DEPARTAMENTO DE DE ENGENHARIA ENGENHARIA MECÂNICA MECÂNICA Ciclo de estudos integrado conducente ao grau de mestre em engenharia mecânica Tronco comum º ANO Cálculo Diferencial e Integral I 6 Cálculo Diferencial

Leia mais

Aprovado no CONGRAD: 08/04/08 Vigência: ingressos a partir de 2008/1 CÓD. 482 CURSO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA. MATRIZ CURRICULAR Currículo nº 02

Aprovado no CONGRAD: 08/04/08 Vigência: ingressos a partir de 2008/1 CÓD. 482 CURSO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA. MATRIZ CURRICULAR Currículo nº 02 Aprovado no CONGRAD: 08/04/08 Vigência: ingressos a partir de 2008/1 CÓD. 482 CURSO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA MATRIZ CURRICULAR Currículo nº 02 I- NÚCLEO DE CONTEÚDOS BÁSICOS Metodologia Científica e Tecnológica

Leia mais

2º semestre - Ciências Exatas (noturno)

2º semestre - Ciências Exatas (noturno) 2º semestre - Ciências Exatas (noturno) Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira 18:50 às 19:45 Geometria Analítica Geometria Analítica Energia Energia Bases Experimentais na Química

Leia mais

EXAMES - 2º Semestre Ano lectivo 2011/2012 CURSO: ARTE E MULTIMÉDIA

EXAMES - 2º Semestre Ano lectivo 2011/2012 CURSO: ARTE E MULTIMÉDIA CURSO: ARTE E MULTIMÉDIA Estética das Artes Visuais Práticas Cerâmicas Projecto Multimédia II / Portofólio História das Artes e do Design em Portugal 10 28 3 3+4 Laboratório Multimédia II 28 Desenho/Laboratório

Leia mais

Universidade de Évora

Universidade de Évora Universidade de Évora Edital Abertura do Mestrado Engenharia Geológica No ano letivo 2012/2013 1. O Curso é promovido por: Universidade de Évora Escola de Ciências e Tecnologia Departamento de Geociências

Leia mais

Nome. Morada. Freguesia Código Postal - E-Mail. Na qualidade de: Proprietário Outra (indique qual)

Nome. Morada. Freguesia Código Postal - E-Mail. Na qualidade de: Proprietário Outra (indique qual) DEPARTAMENTO TÉCNICO DIVISÃO DE PLANEAMENTO E ADMINISTRAÇÃO URBANÍSTICA Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Moura PEDIDO DE APROVAÇÃO DOS PROJECTOS DE OBRAS DE URBANIZAÇÃO APRESENTAÇÃO DA COMUNICAÇÃO

Leia mais

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, I.P.

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, I.P. 2 O r g a n i z a ç ã o e m U n i d a d e s C a p i t a l i z á v e i s Área de Formação 850. Protecção do Ambiente Itinerário de Formação 85001. Operação de Sistemas Ambientais Saída Profissional Designação:

Leia mais

Engenheiro Agrônomo: Atribuições profissionais e matriz curricular. J.O. Menten T.C. Banzato UFPB Areia/PB 27 a 30 de Outubro de 2014

Engenheiro Agrônomo: Atribuições profissionais e matriz curricular. J.O. Menten T.C. Banzato UFPB Areia/PB 27 a 30 de Outubro de 2014 Engenheiro Agrônomo: Atribuições profissionais e matriz curricular J.O. Menten T.C. Banzato UFPB Areia/PB 27 a 30 de Outubro de 2014 1. INTRODUÇÃO AGENDA 2. ATRIBUIÇÕES PROFISSIONAIS 3. MATRIZ CURRICULAR

Leia mais

As áreas temáticas visadas na construção da síntese de diagnóstico apresentam-se no Quadro 2.77

As áreas temáticas visadas na construção da síntese de diagnóstico apresentam-se no Quadro 2.77 2.7 síntese de diagnóstico A síntese de diagnóstico perspectiva desenhar a realidade insular de Santa Maria materializada em indicadores-chave, permitindo estabelecer a situação de referência no que concerne

Leia mais

Dotar o território de instrumentos de planeamento de gestão compatíveis com a preservação e conservação dos recursos;

Dotar o território de instrumentos de planeamento de gestão compatíveis com a preservação e conservação dos recursos; 1. Medida 3.5.: Apoio ao Desenvolvimento do Sistema Ambiental e do Ordenamento 2. Descrição Esta medida contempla o apoio aos investimentos a realizar nos domínios do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento

Leia mais

ÍNDICE PARTE I SERAMB... 1. 1 Quem somos... 1. 2 Objectivos... 1. 3 Organograma... 2. 4 Áreas técnicas... 2 PARTE II EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL...

ÍNDICE PARTE I SERAMB... 1. 1 Quem somos... 1. 2 Objectivos... 1. 3 Organograma... 2. 4 Áreas técnicas... 2 PARTE II EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL... Currículo Geral ÍNDICE Pág. PARTE I SERAMB... 1 1 Quem somos... 1 2 Objectivos... 1 3 Organograma... 2 4 Áreas técnicas... 2 PARTE II EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL... 5 1 Infra-estruturas de abastecimento e

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA MISSÃO DO CURSO O Curso de Engenharia Ambiental da IES tem por missão a graduação de Engenheiros Ambientais

Leia mais

Profico Projetos, Fiscalização e Consultoria, Lda.

Profico Projetos, Fiscalização e Consultoria, Lda. Profico Projetos, Fiscalização e Consultoria, Lda. Rua Alfredo da Silva, 11B 1300-040 Lisboa Tlf. +351 213 619 380 Fax. +351 213 619 399 profico@profico.pt www.profico.pt INDICE 1. DESCRIÇÃO GERAL DA PROFICO...

Leia mais

Química das Soluções Conductrimetria. Reacções de oxidação-redução. Reacções de precipitação. Complexos e reacções de complexação.

Química das Soluções Conductrimetria. Reacções de oxidação-redução. Reacções de precipitação. Complexos e reacções de complexação. Análise Matemática I Revisões; Funções reais de variável real: definições; classes de funções; propriedades. Limites e continuidade; definições e teoremas. Cálculo diferencial: definição de derivada e

Leia mais

NCE/11/00731 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/11/00731 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/11/00731 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto Politécnico De Coimbra A.1.a.

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 16-CEPE/UNICENTRO, DE 23 DE MARÇO DE 2010. Aprova o Curso de Especialização em Engenharia Aplicada aos Recursos Hídricos, modalidade regular, a ser ministrado no Campus CEDETEG, da UNICENTRO.

Leia mais

JUNTAS DE FREGUESIA, INSTITUIÇÕES E AGREMIAÇÕES PRIVADAS DE BENEFICÊNCIA, CULTURAIS, DESPORTIVAS E OUTRAS DE INTERESSE PÚBLICO. Escalão único 2,1103

JUNTAS DE FREGUESIA, INSTITUIÇÕES E AGREMIAÇÕES PRIVADAS DE BENEFICÊNCIA, CULTURAIS, DESPORTIVAS E OUTRAS DE INTERESSE PÚBLICO. Escalão único 2,1103 ÁGUA* CONSUMO DE ÁGUA CONSUMO DOMÉSTICO 1º Escalão (0 5 m 3 /mês) 0,4578 2º Escalão (6 15 m 3 /mês) 0,8330 3º Escalão (16 a 25 m 3 /mês) 1,3841 4º Escalão (superior a 25 m 3 /mês) 2,2301 COMÉRCIO, INDÚSTRIA,

Leia mais

3.6.4 As inscrições dos alunos far-se-ão de acordo com as seguintes regras:

3.6.4 As inscrições dos alunos far-se-ão de acordo com as seguintes regras: Tabela de precedências de Inscrição para efeitos de inscrição Extraordinária (aplicação do 3.6.5. do Regulamento Pedagógico) 3.6.4 As inscrições dos alunos far-se-ão de acordo com as seguintes regras:

Leia mais

EngIQ. em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química. Uma colaboração:

EngIQ. em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química. Uma colaboração: EngIQ Programa de Doutoramento em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química Uma colaboração: Associação das Indústrias da Petroquímica, Química e Refinação (AIPQR) Universidade de Aveiro Universidade

Leia mais

Mestrado em Conservação e Reabilitação do Edificado uma resposta à crise vivida no sector da Construção em Portugal

Mestrado em Conservação e Reabilitação do Edificado uma resposta à crise vivida no sector da Construção em Portugal INSCRIÇÕES ABERTAS NOS SERVIÇOS ACADÉMICOS!!! Mestrado em Conservação e Reabilitação do Edificado uma resposta à crise vivida no sector da Construção em Portugal Reabilitação Urbana e do Património Edificado

Leia mais

REGULAMENTO PARA A GESTÃO DE CARREIRAS DO PESSOAL NÃO DOCENTE CONTRATADO NO ÂMBITO DO CÓDIGO DO TRABALHO DA UNIVERSIDADE DO. Capítulo I.

REGULAMENTO PARA A GESTÃO DE CARREIRAS DO PESSOAL NÃO DOCENTE CONTRATADO NO ÂMBITO DO CÓDIGO DO TRABALHO DA UNIVERSIDADE DO. Capítulo I. Regulamentos REGULAMENTO PARA A GESTÃO DE CARREIRAS DO PESSOAL NÃO DOCENTE CONTRATADO NO ÂMBITO DO CÓDIGO DO TRABALHO DA UNIVERSIDADE DO PORTO Aprovado pelo Conselho de Gestão na sua reunião de 2011.01.20

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO DA QUALIDADE E DA SEGURANÇA ALIMENTAR 2ª EDIÇÃO (início a 24 de Outubro de 2005)

PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO DA QUALIDADE E DA SEGURANÇA ALIMENTAR 2ª EDIÇÃO (início a 24 de Outubro de 2005) PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO DA QUALIDADE E DA SEGURANÇA ALIMENTAR 2ª EDIÇÃO (início a 24 de Outubro de 2005) Horário Pós-Laboral 3 dias/semana das 18:30 às 23:00 Apoio: Gestão da Qualidade e da Segurança Alimentar

Leia mais

1 os CICLOS e MESTRADOS INTEGRADOS

1 os CICLOS e MESTRADOS INTEGRADOS 1 os CICLOS e MESTRADOS INTEGRADOS Índice Apresentação 2 Oferta formativa 7 1º Ciclo Biologia 8 Bioquímica 9 Ciências da Saúde 10 Engenharia Geoespacial 12 Engenharia Informática 13 Estatística Aplicada

Leia mais

Cargo, Carreira, Categoria. Actividade /Atribuições / Projectos / Competências ou Perfil

Cargo, Carreira, Categoria. Actividade /Atribuições / Projectos / Competências ou Perfil Mapa de Pessoal 2016 Mapa de Pessoal 2016 ESTRUTURA ORGÂNICA POSTOS DE TRABALHO OCUPADOS POSTOS DE TRABALHO CATIVOS * POSTOS TRABALHO A OCUPAR Unidade Orgânica Serviço ou Função Director de Serviços Director

Leia mais

PORTAL DA EMPRESA DOCUMENTOS INSTRUTÓRIOS. Estabelecimento industrial tipo 1 - autorização prévia para instalação. 29_10_2011 Página 1 de 5

PORTAL DA EMPRESA DOCUMENTOS INSTRUTÓRIOS. Estabelecimento industrial tipo 1 - autorização prévia para instalação. 29_10_2011 Página 1 de 5 1 - a) Projeto de instalação com o conteúdo previsto no n.º 2; b) Pagamento da taxa que for devida nos termos do regime de exercício da atividade industrial; c) Identificação da decisão sobre o pedido

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO. Biólogos Regulamentação das Atividades

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO. Biólogos Regulamentação das Atividades VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO Biólogos Regulamentação das Atividades Orientador Empresarial RESOLUÇÃO CFBio nº 227/2010 DOU: 19.08.2010 Dispõe sobre a regulamentação

Leia mais

PROJETOS. Principais aplicações:

PROJETOS. Principais aplicações: 1 PROJETOS 2 PROJETOS A Econsulting atua na atividade de desenvolvimento de projetos diversos relativos à área ambiental, sendo esta uma das atividades pioneiras da empresa e atingindo um número superior

Leia mais

ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LICENÇA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DESCARGA DE ÁGUAS RESIDUAIS

ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LICENÇA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DESCARGA DE ÁGUAS RESIDUAIS ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LICENÇA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DESCARGA DE ÁGUAS RESIDUAIS I IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE Nome/Denominação social, identificação fiscal n.º, bilhete

Leia mais

Agrupamento de Escolas n.º 2 de Beja. Regulamento Interno. Biblioteca Escolar

Agrupamento de Escolas n.º 2 de Beja. Regulamento Interno. Biblioteca Escolar Agrupamento de Escolas n.º 2 de Beja Regulamento Interno 2014 1. A 1.1. Definição de A é um recurso básico do processo educativo, cabendo-lhe um papel central em domínios tão importantes como: (i) a aprendizagem

Leia mais

VALÊNCIAS AMBIENTAIS EM ENGENHARIA (VAE) (2ºano MEAmbi) Mestrado Integrado em Engª do Ambiente (2015/2016) Sala QA1.4

VALÊNCIAS AMBIENTAIS EM ENGENHARIA (VAE) (2ºano MEAmbi) Mestrado Integrado em Engª do Ambiente (2015/2016) Sala QA1.4 DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL, ARQUITETURA E GEORRECURSOS VALÊNCIAS AMBIENTAIS EM ENGENHARIA (VAE) (2ºano MEAmbi) Mestrado Integrado em Engª do Ambiente (2015/2016) Sala QA1.4 SISTEMAS DE ABASTECIMENTO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 5. 746, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 5. 746, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010. PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 5. 746, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010. Autoriza o Poder Executivo a contratar, sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho, por tempo determinado

Leia mais

Europass-Curriculum Vitae

Europass-Curriculum Vitae Europass-Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Morada(s) Cristina Cota Sequeira e Rua Maluda nº 10 3º Dtº, 1750-465 Lisboa, Portugal Telefone(s) 217931889 Telemóvel: 962835470

Leia mais

M A T E M Á T I C A ENGENHARIA GEOGRÁFICA LICENCIATURAS MESTRADOS DOUTORAMENTOS

M A T E M Á T I C A ENGENHARIA GEOGRÁFICA LICENCIATURAS MESTRADOS DOUTORAMENTOS M A T E M Á T I C A ENGENHARIA GEOGRÁFICA LICENCIATURAS MESTRADOS DOUTORAMENTOS JÁ PENSASTE EM ESTUDAR MATEMÁTICA? Esta brochura destina-se a todos os jovens que gostam de Matemática e que querem conhecer

Leia mais

MAPA DE PESSOAL / ANO DE 2012

MAPA DE PESSOAL / ANO DE 2012 MUNICÍPIO DE CARRAZEDA DE ANSIÃES MAPA DE PESSOAL / ANO DE 202 Atribuições / a criar Artigo º do Decreto-lei n.º 93/200, de 20 de Abril Director de Departamento 2 (a) Artigo º do Decreto-lei n.º 93/200,

Leia mais

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança)

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) 1 - Apresentação Grau Académico: Mestre Duração do curso: : 2 anos lectivos/ 4 semestres Número de créditos, segundo o Sistema

Leia mais

QUÍMICA APLICADA I/ Prática DESENHO TÉCNICO I: GEOMETRIA ANALÍTICA: 60 36. Cálculo 1 - B Desenho Técnico- 1 Geometria Analítica Introdução à Eng.

QUÍMICA APLICADA I/ Prática DESENHO TÉCNICO I: GEOMETRIA ANALÍTICA: 60 36. Cálculo 1 - B Desenho Técnico- 1 Geometria Analítica Introdução à Eng. SEMESTRE: º SEMESTRE - A PERÍODO LETIVO: 205.2 INTRODUÇÃO À ENGENHARIA: 60 36 60 Lab. Infor. INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO: 0 METODOLOGIA: 40 4 QUÍMICA APLICADA I/ Prática DESENHO TÉCNICO I: Cálculo I: Cálculo

Leia mais

AVALIAÇÃO E MELHORIA CONTÍNUA DO CURRÍCULO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DA FURB

AVALIAÇÃO E MELHORIA CONTÍNUA DO CURRÍCULO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DA FURB AVALIAÇÃO E MELHORIA CONTÍNUA DO CURRÍCULO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DA FURB Sub-tema: Diretrizes Curriculares Matos, Lúcio Flávio da Silveira; Eng. Civil, M. Eng. (1) lucius@furb.rct-sc.br Rudolf,

Leia mais

ÍNDICE [Resumido] 2.Implementação do Sistema de Gestão Ambiental Introdução

ÍNDICE [Resumido] 2.Implementação do Sistema de Gestão Ambiental Introdução CONTEÚDOS Este livro escrito em parceria por 9 co-autores, de entre académicos e profissionais de engenharia, fornece uma ajuda preciosa na aquisição de conhecimentos e de competências, tidas como necessárias

Leia mais

ENGENHARIA AMBIENTAL. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC

ENGENHARIA AMBIENTAL. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC ENGENHARIA AMBIENTAL Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: ENGENHARIA AMBIENTAL Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo

Leia mais

Conferência Liberdade de Escolha da Escola - Os instrumentos da liberdade 30 de janeiro de 2015

Conferência Liberdade de Escolha da Escola - Os instrumentos da liberdade 30 de janeiro de 2015 2º PAINEL - LIBERDADE DE ESCOLHA DA ESCOLA: INSTRUMENTOS DE FINANCIAMENTO DA ESCOLA E DA ESCOLHA DAS FAMÍLIAS Luís Farrajota Subdiretor-Geral do Planeamento e Gestão Financeira Resumo O MEC além das despesas

Leia mais

VII REUNIÓN DEL PANEL TÉCNICO DE APOYO DE LA CODIA, Foz do Iguaçu, 22 Novembro 2012

VII REUNIÓN DEL PANEL TÉCNICO DE APOYO DE LA CODIA, Foz do Iguaçu, 22 Novembro 2012 Evolución de la gestión de recursos hídricos e de los servicios del agua en Portugal Evolução da gestão de recursos hídricos e serviços de água em Portugal António Guerreiro de Brito Parceria Portuguesa

Leia mais

índice O Instituto Meios de Suporte à Actividade Acreditações e Certificações Áreas de Negócio Unidade de Tecnologias Ambientais

índice O Instituto Meios de Suporte à Actividade Acreditações e Certificações Áreas de Negócio Unidade de Tecnologias Ambientais índice O Instituto Meios de Suporte à Actividade Acreditações e Certificações Áreas de Negócio Unidade de Tecnologias Ambientais Unidade de Certificação Ambiental e Segurança Industrial Unidade de Formação

Leia mais

ORGÂNICA ECONÓMICA D E S I G N A Ç Ã O ORGÂNICA ECONÓMICA

ORGÂNICA ECONÓMICA D E S I G N A Ç Ã O ORGÂNICA ECONÓMICA ENTIDADE MUNICIPIO DE MOGADOURO ORÇAMENTO DA DESPESA ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DOTAÇÕES INICIAIS DO ANO 2009 PÁGINA : 1 01 01.01 ADMINISTRACAO MUNICIPAL OPERACOES FINANCEIRAS 5.094.863,00

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIAS DE 24 DE AGOSTO DE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIAS DE 24 DE AGOSTO DE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIAS DE 24 DE AGOSTO DE 2005 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA - Disciplina semestral 32 aulas previstas

EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA - Disciplina semestral 32 aulas previstas EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA 3ºCICLO DO ENSINO BÁSICO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 7.ºANO EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA - Disciplina semestral 32 aulas previstas CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Os Conteúdos Programáticos estão enunciados

Leia mais

Para um futuro mais seguro

Para um futuro mais seguro Para um futuro mais seguro ESTRATÉGIA MARKETING COMUNICAÇÃO GESTÃO COMERCIAL INTERNACIONALIZAÇÃO SOLUÇÃO. PLANO INTEGRADO DE SUCESSÃO FAMILIAR www.janunescarneiro.pt Como? >Análise FAMÍLIA e suas >Desenho

Leia mais

Caracterização do Sector Português da Água

Caracterização do Sector Português da Água Caracterização do Sector Português da Água ÁGUAGLOBAL A Internacionalização do Sector Português da Água AEP - Edifício de Serviços 19 de Abril de 2012 Centro Empresarial Torres de Lisboa Rua Tomás da Fonseca,

Leia mais

ENGENHARIA CIVIL. COORDENADOR José Carlos Bohnenberger bohnen@ufv.br

ENGENHARIA CIVIL. COORDENADOR José Carlos Bohnenberger bohnen@ufv.br ENGENHARIA CIVIL COORDENADOR José Carlos Bohnenberger bohnen@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2008 179 Currículo do Curso de Engenharia Civil Engenheiro Civil ATUAÇÃO Ao Engenheiro Civil compete o desempenho

Leia mais

Curso: ENGENHARIA CIVIL Semestre: Turma: Ano: Período: 1º 2015s2-A 2015 Noturno. Central. Informática Aplicada à Engenharia

Curso: ENGENHARIA CIVIL Semestre: Turma: Ano: Período: 1º 2015s2-A 2015 Noturno. Central. Informática Aplicada à Engenharia 1º 2015s2-A 2015 Noturno Turma: Comunicação e Expressão Física Geral Desenho Técnico Aux. por Computador Informática Aplicada à Engenharia Fundamentos de Cálculo Introdução à Engenharia Civil Física Geral

Leia mais

Em caso de serviços específicos possui equipes diferenciadas para cada atendimento.

Em caso de serviços específicos possui equipes diferenciadas para cada atendimento. A ROMEC é conhecida por sua experiência em assessoria e consultoria em Segurança do Trabalho e Meio Ambiente. Conta com uma equipe multidisciplinar de profissionais altamente capacitados e oferecemos assessoria

Leia mais

MESTRADO EM ANÁLISES CLÍNICAS (i.é. ANÁLISES QUÍMICO-BIOLÓGICAS)

MESTRADO EM ANÁLISES CLÍNICAS (i.é. ANÁLISES QUÍMICO-BIOLÓGICAS) MESTRADO EM ANÁLISES CLÍNICAS (i.é. ANÁLISES QUÍMICO-BIOLÓGICAS) º Ciclo Bolonha Aviso n.º/0 (D.R. N.º,.ª série, de Dezembro de 0) Registo DGES: / (DR) Extracto do Regulamento Geral de Mestrados do ISCSEM

Leia mais

Licenciatura em Gestão de Marketing (LMK)

Licenciatura em Gestão de Marketing (LMK) UNIVERSIDADE TÉCNICA DE MOÇAMBIQUE UDM DIRECÇÃO ACADÉMICA CURRÍCULO DA ÁREA DE FORMAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO DE EMPRESAS AFAGE Licenciatura em Gestão de Marketing (LMK) Maputo, Julho de 2015 UDM 1

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO PARÁ - CREA-PA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO PARÁ - CREA-PA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E DO PARÁ - CREA-PA Relação entre os serviços da ART utilizado no antigo sitema e os serviços do Sistema Atual (serviços mais utilizados) Grupo Sistema

Leia mais

Licenciatura em Administração Pública (LAP)

Licenciatura em Administração Pública (LAP) UNIVERSIDADE TÉCNICA DE MOÇAMBIQUE UDM DIRECÇÃO ACADÉMICA CURRÍCULO DA ÁREA DE FORMAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO DE EMPRESAS AFAGE Licenciatura em Administração Pública (LAP) Maputo, Julho de 2015 UDM

Leia mais

MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL ESTBARREIRO/IPS

MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL ESTBARREIRO/IPS MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL ESTBARREIRO/IPS Seminário de Apresentação, 18 de junho 2014 Tópicos Introdução Saídas profissionais Funcionamento Plano de Estudos Calendário Escolar Datas candidaturas Ingresso

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. CÓD. 1551 Tarde/Noite - Currículo nº 03 CÓD. 3655 Manhã - Currículo nº 02 MATRIZ CURRICULAR

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. CÓD. 1551 Tarde/Noite - Currículo nº 03 CÓD. 3655 Manhã - Currículo nº 02 MATRIZ CURRICULAR Aprovado no CONGRAD de 26.08.14 Vigência: ingressos a partir de 2015/1 CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CÓD. 1551 Tarde/Noite - Currículo nº 03 CÓD. 3655 Manhã - Currículo nº 02 MATRIZ CURRICULAR CÓD. DISCIPLINAS

Leia mais

ENGENHARIA FLORESTAL. COORDENADORA Angélica de Cássia Oliveira Carneiro cassiacarneiro@ufv.br

ENGENHARIA FLORESTAL. COORDENADORA Angélica de Cássia Oliveira Carneiro cassiacarneiro@ufv.br ENGENHARIA FLORESTAL COORDENADORA Angélica de Cássia Oliveira Carneiro cassiacarneiro@ufv.br 78 Currículos dos Cursos do CCA UFV Currículo do Curso de Engenharia Engenheiro ATUAÇÃO O Engenheiro estará

Leia mais

Regulamento. do Mestrado em Gestão Ambiental

Regulamento. do Mestrado em Gestão Ambiental Regulamento do Mestrado em Gestão Ambiental Artigo 1º O Instituto Superior Dom Afonso III (INUAF), concede o grau de Mestre em Gestão Ambiental. Artigo 2º Objectivos Gerais O curso de Mestrado em Gestão

Leia mais

S.R. DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EQUIPAMENTOS Despacho n.º 29/2010 de 13 de Janeiro de 2010

S.R. DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EQUIPAMENTOS Despacho n.º 29/2010 de 13 de Janeiro de 2010 S.R. DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EQUIPAMENTOS Despacho n.º 29/2010 de 13 de Janeiro de 2010 Considerando a necessidade de preencher o cargo de Delegado da Secretaria Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos

Leia mais

O ACOMPANHAMENTO TÉCNICO COMO CONTRIBUTO PARA A MELHORIA DO DESEMPENHO DA INDÚSTRIA EXTRACTIVA

O ACOMPANHAMENTO TÉCNICO COMO CONTRIBUTO PARA A MELHORIA DO DESEMPENHO DA INDÚSTRIA EXTRACTIVA O ACOMPANHAMENTO TÉCNICO COMO CONTRIBUTO PARA A MELHORIA DO DESEMPENHO DA INDÚSTRIA EXTRACTIVA Guerreiro, Humberto Eng. de Minas - Visa Consultores, S.A., Oeiras. 1. INTRODUÇÃO Na exploração de minas e

Leia mais

sustentabilidade da construção Isabel Santos e Carla Silva

sustentabilidade da construção Isabel Santos e Carla Silva O papel do Ambiente Urbano na sustentabilidade da construção Isabel Santos e Carla Silva SUMÁRIO O PAPEL DO AMBIENTE URBANO NA SUSTENTABILIDADE DA CONSTRUÇÃO APRESENTAÇÃO DOS SERVIÇOS DE AMBIENTE URBANO

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Corrupção e Infracções Conexas

Plano de Prevenção de Riscos de Corrupção e Infracções Conexas Plano de Prevenção de Riscos de Corrupção e Infracções Conexas Indice 1. Enquadramento... 3 2. Objectivos... 4 3. Âmbito do Plano... 4 4. Missão da Entidade... 4 5. Áreas avaliadas, Principais Riscos e

Leia mais

TECNOLOGIA EM MEIO AMBIENTE

TECNOLOGIA EM MEIO AMBIENTE TECNOLOGIA EM MEIO AMBIENTE 1. TURNO: Noturno MODALIDADE: Saneamento ÁREA: Meio Ambiente e Tecnologia da Saúde GRAU ACADÊMICO: Tecnólogo em Meio Ambiente PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 3 anos Máximo =

Leia mais

consultoria em arquitectura e engenharia

consultoria em arquitectura e engenharia consultoria em arquitectura e engenharia para construir o futuro Empresa angolana refundada em 2011, desenvolve a sua actividade de consultoria em arquitectura e engenharia actuando a par do desenvolvimento

Leia mais

JORNAL OFICIAL Segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

JORNAL OFICIAL Segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 Série Sumário PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Despacho n.º 17/2013 Designa em regime de comissão de serviço por um ano, da

Leia mais

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Gestão

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Gestão O Social pela Governança Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Gestão ÍNDICE GESTÃO... 3 OBJECTIVOS... 3 DESTINATÁRIOS... 3 CONDIÇÕES DE ACESSO E SELECÇÃO DOS CANDIDATOS... 3 INSCRIÇÕES E NÚMERO

Leia mais

Dispõe sobre a criação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente - SMAC e dá outras providências.

Dispõe sobre a criação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente - SMAC e dá outras providências. LEI Nº 2.138, de 11 de maio de 1994 LEI 2.138 11/05/94 13.05.94 LEGISLATIVO Dispõe sobre a criação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente - SMAC e dá outras providências. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO

Leia mais

Blueprint - Proteção dos recursos hídricos da Europa Perspetivas para Portugal Encontro Técnico, IPQ, Caparica, 9 Abril 2014

Blueprint - Proteção dos recursos hídricos da Europa Perspetivas para Portugal Encontro Técnico, IPQ, Caparica, 9 Abril 2014 Comissão Setorial para a Água CS/04 Instituto Português da Qualidade APDA Blueprint - Proteção dos recursos hídricos da Europa Perspetivas para Portugal Encontro Técnico, IPQ, Caparica, 9 Abril 2014 Integração

Leia mais

ENGENHARIA, AMBIENTE E QUALIDADE DE VIDA ENGENHARIA, AMBIENTE E QUALIDADE DE VIDA. www.prospectiva.pt

ENGENHARIA, AMBIENTE E QUALIDADE DE VIDA ENGENHARIA, AMBIENTE E QUALIDADE DE VIDA. www.prospectiva.pt ENGENHARIA, AMBIENTE E QUALIDADE DE VIDA ENGENHARIA, AMBIENTE E QUALIDADE DE VIDA www.prospectiva.pt HISTÓRIA, MISSÃO, VISÃO E VALORES HISTÓRIA A PROSPECTIVA nasceu em 1977 para desenvolver Estudos e Projectos

Leia mais

FACULDADE METROPLITANA DA AMAZÔNIA-FAMAZ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CALENDÁRIO DE PROVAS DA 1ª AVALIAÇÃO CURSO: ENGENHARIA CIVIL

FACULDADE METROPLITANA DA AMAZÔNIA-FAMAZ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CALENDÁRIO DE PROVAS DA 1ª AVALIAÇÃO CURSO: ENGENHARIA CIVIL CALENDÁRIO DE PROVAS DA 1ª AVALIAÇÃO TURMA: 450116 - SALA: 102 Bloco I TURNO: VESPERTINO 1º PERÍODO (1º semestre/2014) 1ª Avaliação Regimental Fundamentos da Engenharia 20.03.2014 14:00 às 17:30 Comportamento

Leia mais

Para um futuro mais seguro

Para um futuro mais seguro Para um futuro mais seguro ESTRATÉGIA MARKETING COMUNICAÇÃO GESTÃO COMERCIAL INTERNACIONALIZAÇÃO SOLUÇÃO. PLANO INTEGRADO DE SUCESSÃO FAMILIAR www.janunescarneiro.pt Como? >Análise FAMÍLIA e suas >Desenho

Leia mais

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC)

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC) Ano letivo 2014/2015 Ano/Semestre curricular Unidade Curricular [designação e tipo/se é do tipo obrigatório ou optativo] Língua de ensino ECTS - tempo de trabalho (horas) 1ºAno FICHA DE UNIDADE CURRICULAR

Leia mais

Manda o Governo, pelos Ministros de Estado e das Finanças, do Ambiente, do Ordenamento do

Manda o Governo, pelos Ministros de Estado e das Finanças, do Ambiente, do Ordenamento do Diploma: Ministérios das Finanças e da Administração Pública, do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional, da Economia e da Inovação, da Agricultura, do Desenvolvimento Rural

Leia mais

OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO

OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO SÃO BRÁS DE ALPORTEL 25 MAIO 2015 APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA OPERACIONAL DA SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA NO USO DE RECURSOS PARA 2014-2020 OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO HELENA PINHEIRO DE AZEVEDO PORTUGAL

Leia mais

CONTEÚDOS FUNCIONAIS:

CONTEÚDOS FUNCIONAIS: CONTEÚDOS FUNCIONAIS: Ref.ª A) TÉCNICO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO AMBIENTE Realizar análises, estudo e emissão de pareceres dos assuntos que lhe são submetidos, tendo como base as melhores praticas legais

Leia mais

Unidades curriculares disponíveis para Programa IPL60+ 1º Semestre 15-16. Escola Superior de Tecnologia e Gestão

Unidades curriculares disponíveis para Programa IPL60+ 1º Semestre 15-16. Escola Superior de Tecnologia e Gestão Unidades curriculares disponíveis para Programa IPL60+ 1º Semestre 15-16 Escola Superior de Tecnologia e Gestão Administração Pública Introdução à Administração Pública Noções Fundamentais de Direito Ciência

Leia mais

RELAÇÃO DE ÁREAS E CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA

RELAÇÃO DE ÁREAS E CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA RELAÇÃO DE ÁREAS E CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA Em cumprimento ao disposto no art. 2º da Portaria Normativa MEC nº. 3, de 1o de abril de 2008, e considerando as orientações das Comissões Assessoras

Leia mais

Mestrado Construção Civil. Edital 3ª Edição 2011-2012

Mestrado Construção Civil. Edital 3ª Edição 2011-2012 Mestrado Construção Civil Edital 3ª Edição 2011-2012 Barreiro, Maio de 2011 ENQUADRAMENTO O curso de Mestrado em Construção Civil da Escola Superior de Tecnologia do Barreiro do Instituto Politécnico de

Leia mais

O Processo de Bolonha na ESTBarreiro/IPS

O Processo de Bolonha na ESTBarreiro/IPS O Processo de Bolonha na ESTBarreiro/IPS João Vinagre Santos A ESTBarreiro/IPS Criação em Julho de 1999, pelo Ministro da Educação Prof. Marçal Grilo 4ª Escola do IPS, 2ª Escola de Tecnologia, 1ª Escola

Leia mais

A PARCERIA PORTUGUESA PARA A ÁGUA Visita da Delegação da Comissão de Recursos Hídricos do Rio das Pérolas 17 de Maio 2011

A PARCERIA PORTUGUESA PARA A ÁGUA Visita da Delegação da Comissão de Recursos Hídricos do Rio das Pérolas 17 de Maio 2011 O que quer que possuamos, duplica o seu valor quando temos a oportunidade de o partilhar com outros. JEAN-NICOLAS BOUILLY (1763-1842) A PARCERIA PORTUGUESA PARA A ÁGUA Visita da Delegação da Comissão de

Leia mais

DECRETO-LEI Nº 207/94 DE 6 DE AGOSTO

DECRETO-LEI Nº 207/94 DE 6 DE AGOSTO Decreto-Lei n.º 207/94, de 6 de Agosto Sumário: Aprova o regime de concepção, instalação e exploração dos sistemas públicos e prediais de distribuição de água e drenagem de águas residuais. Texto: Os problemas

Leia mais

Ciclo de Estudos Conducente ao Grau de Mestre em Tecnologia e Segurança Alimentar. Normas regulamentares

Ciclo de Estudos Conducente ao Grau de Mestre em Tecnologia e Segurança Alimentar. Normas regulamentares Ciclo de Estudos Conducente ao Grau de Mestre em Tecnologia e Segurança Alimentar Normas regulamentares Preâmbulo O regulamento do Ciclo de Estudos Conducente ao Grau de Mestre em Tecnologia e Segurança

Leia mais

Projecto de Decreto-lei

Projecto de Decreto-lei Projecto de Decreto-lei O Decreto Lei nº273/2003, de 29 de Outubro, sobre as regras gerais de planeamento, organização e coordenação para promover a segurança e saúde no trabalho em estaleiros da construção,

Leia mais

Processamento de Dados. Desenho Eletricidade Resistência dos Materiais Fenômenos de Transporte Humanidade e Ciências Sociais Economia

Processamento de Dados. Desenho Eletricidade Resistência dos Materiais Fenômenos de Transporte Humanidade e Ciências Sociais Economia (EXEMPLO RELATIVO À ENGENHARIA CIVIL) BÁSICA GERAL dos Solo Hidrologia Aplicada Hidráulica Teoria das Estruturas MATERIAIS Materiais de Construção Civil ÁREA CIVIL Sistemas Estruturais Transportes Saneamento

Leia mais

SITUAÇÃO ACTUAL DA GESTÃO DO REGULAMENTO DE DESCARGA DE ÁGUAS RESIDUAIS INDUSTRIAIS DO MUNICÍPIO DE LOURES

SITUAÇÃO ACTUAL DA GESTÃO DO REGULAMENTO DE DESCARGA DE ÁGUAS RESIDUAIS INDUSTRIAIS DO MUNICÍPIO DE LOURES SITUAÇÃO ACTUAL DA GESTÃO DO REGULAMENTO DE DESCARGA DE ÁGUAS RESIDUAIS INDUSTRIAIS DO MUNICÍPIO DE LOURES Ana M. da MATA(1); Carlos M. MARTINS(2); Maria Cristina CORTEZ(3) RESUMO Faz-se uma breve caracterização

Leia mais

Técnico Superior de Higiene e Segurança no Trabalho

Técnico Superior de Higiene e Segurança no Trabalho Técnico Superior de Higiene e Segurança no Trabalho (580H) FORMAÇÃO À MEDIDA DO SEU ÊXITO Contacto Formação Empresa Horácio Faria Largo de S.Domingos, n.º1 a 4 4900-330 Viana do Castelo Tlm. 961717337

Leia mais

Revisor Oficial de Contas, desde 1990.

Revisor Oficial de Contas, desde 1990. 1. Dados pessoais Nome: Vitor Manuel Batista de Almeida Data de nascimento: 14 de Julho de 1956 Naturalidade: Lisboa Residência: Calçada das Lages, Lote 3, Nº 61-A, 14º C 1900-291 Lisboa Telefone casa:

Leia mais

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : ENGENHARIA FLORESTAL. CRÉDITOS Obrigatórios: 241 Optativos: 12.

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : ENGENHARIA FLORESTAL. CRÉDITOS Obrigatórios: 241 Optativos: 12. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Pró-reitoria de Graduação - DAARG DRA - Divisão de Registros Acadêmicos Sistema de Controle Acadêmico Grade Curricular 30/01/2014-13:09:29 Curso : ENGENHARIA

Leia mais

ÍNDICE ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE DE SANTARÉM 1. ÍNDICE 2. PROMULGAÇÃO 3. DESCRIÇÃO DA ESCOLA. 3.1 História. 3.2 Objetivo e Domínio da Certificação

ÍNDICE ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE DE SANTARÉM 1. ÍNDICE 2. PROMULGAÇÃO 3. DESCRIÇÃO DA ESCOLA. 3.1 História. 3.2 Objetivo e Domínio da Certificação ÍNDICE 1. ÍNDICE 2. PROMULGAÇÃO 3. DESCRIÇÃO DA ESCOLA 3.1 História 3.2 Objetivo e Domínio da Certificação 4. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE 4.1 Processos 4.2 Requisitos da Documentação 4.3 Controlo dos

Leia mais