PERFIL DO SETOR DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TURISMO DO DISTRITO FEDERAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PERFIL DO SETOR DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TURISMO DO DISTRITO FEDERAL"

Transcrição

1 PERFIL DO SETOR DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TURISMO DO DISTRITO FEDERAL

2 Entidades Integrantes do Conselho Deliberativo do Sebrae/DF Agência de Desenvolvimento Econômico e Comércio Exterior Adecex Banco de Brasília S.A. BrB Banco do Brasil S.A. BB Caixa Econômica Federal CEF Companhia do Desenvolvimento do Planalto Central Codeplan Federação da Agricultura e Pecuária do Distrito Federal Fape Federação das Associações Comerciais e Industriais do Distrito Federal Faci Federação das Indústrias do Distrito Federal Fibra Federação do Comércio do Distrito Federal Fecomércio Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Universidade de Brasília - UnB

3 PERFIL DO SETOR DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TURISMO DO DISTRITO FEDERAL Brasília, 2005

4 2005, Sebrae/DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste livro pode ser fotocopiada, gravada, reproduzida ou transmitida sob qualquer meio eletrônico ou mecânico sem o prévio consentimento do autor. Estudo realizado por Sebrae/DF SIA Techo 3, lote CEP Brasília, DF Telefone (61) Internet Coordenação Unidade de Desenvolvimento Setorial Projeto Turismo Redação Regina Célia Xavier dos Santos Neljanir da Silva Guimarães Revisão Leila Maria Cavallieri Resende Projeto gráfico e editoração eletrônica All Type Assessoria Editorial, Ltda. Santos, Regina Célia Xavier dos. Estudos de agências de viagens e turismo / Regina Célia Xavier dos Santos, Neljanir da Silva Guimarães. -- Brasília: SEBRAE / DF, p. 1. Turismo 2. Agência de viagens 3. Desenvolvimento Regional 4. SE- BRAE/DF 5. Guimarães, Neljanir da Silva. I. Título CDU

5 Sumário 1. Introdução Aspectos Metodológicos Fase Quantitativa: Identificação e Caracterização do Setor de Agenciamento no DF Fase Qualitativa : Cenário das Tendências Futuras para o Setor no DF Resultados Obtidos Fase Quantitativa : Identificação e Caracterização do Setor de Agenciamento no Distrito Federal Perfil do Empresário Caracterização das empresas O Mercado no Distrito Federal Fase Qualitativa : Cenário das Tendências Futuras para o Setor no DF Cenário Atual do Turismo no Distrito Federal O processo de desenvolvimento do turismo no Distrito Federal O futuro do turismo no DF Considerações finais Anexos Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal 5

6

7 1. Introdução O presente estudo foi especialmente desenvolvido para o SEBRAE/DF, entre os meses de Dezembro/2003 e Junho/ 2004, e teve por objetivo a construção do Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal. Com o desenvolvimento do trabalho pretendeu-se identificar e caracterizar o setor de agências de viagens e turismo no Distrito Federal, bem como conhecer o perfil de seus empresários e empregados. O estudo dirigiu-se a todas as empresas do segmento de agenciamento do DF (agências de viagens, agências de viagens e turismo e operadoras de turismo), regularmente inscritas na EMBRATUR. Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal 7

8

9 2. Aspectos Metodológicos O estudo desenvolveu-se em duas etapas. Uma de natureza quantitativa, por meio de entrevistas com todas as empresas sediadas no DF regularmente registradas na EMBRATUR, com o objetivo de identificar e caracterizar o segmento de agenciamento local. A outra, de natureza qualitativa, visou a dimensionar a importância econômica do segmento e construir um cenário de tendências futuras para o setor, a partir da percepção dos empreendedores e gestores do segmento. A seguir apresentamos separadamente a metodologia utilizada nas duas etapas: 2.1. Fase Quantitativa: Identificação e Caracterização do Setor de Agenciamento no DF Esta fase do trabalho envolveu a abordagem das agências registradas na EMBRATUR, com a aplicação de um questionário estruturado, por meio do qual foram identificadas as características da empresa, de seu funcionamento e de seus proprietários e gestores. Foram pesquisados os seguintes aspectos: Cadastro das empresas, contemplando: pessoa física: (responsável pela empresa): nome completo; CPF; RG; órgão emissor, data de nascimento, endereço completo, CEP, telefones, fax e , estado civil, nacionalidade, escolaridade e profissão. pessoa jurídica: razão social, nome fantasia, CNPJ, Inscrição estadual, endereço completo, CEP, telefones, fax e , atividade, no. de empregados, ati- Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal 9

10 vidade econômica, porte da empresa (micro, pequena, média, grande, informal), código CNAE; constituição jurídica (Ltda, individual, informal, outros), registro na EMBRATUR. Os dados cadastrais das pessoas físicas e jurídicas entrevistadas foram 20 digitados no ambiente operacional do SIACNet Off Line Sistema Integrado de Atendimento ao Cliente do SEBRAE-DF, não fazendo parte deste relatório. Caracterização da empresa Franchising Modalidades trabalhadas (turismo emissivo ou receptivo) Nichos de mercado trabalhados Produtos e serviços (próprio e de terceiros) Infra-estrutura operacional (fornecedores, conveniados e parceiros) Localização Descrição das instalações físicas Mercado consumidor Principais núcleos emissores para Brasília Origem dos turistas e estratégias de captação Produtos mais demandados Estratégias de marketing (divulgação e comercialização) E-commerce Recursos humanos Perfil dos funcionários e proprietários Serviços de apoio Sazonalidade Geração de emprego (mão-de-obra fixa e temporária) Benefícios oferecidos Aspectos da administração e organização Qualificação gerencial Treinamento e qualificação de mão de obra Concorrência e tipos de pagamento dos pacotes / passagens Linhas de financiamento Investimento em tecnologia da informação Capacitação gerencial Áreas Informatizadas Faturamento e comissionamento Aspectos Institucionais de apoio Gestão ambiental Saúde e segurança no trabalho Questões associativas Fiscalização Dificuldades do segmento Eficiência energética Qualidade Ações voltadas para o social 10 Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal

11 A fase de quantificação identificou no cadastro da Embratur, em situação regular, 262 agências das quais 177 foram entrevistadas e são nominalmente apresentadas no anexo 1. Outras 33 foram contatadas, mas se recusaram a participar do estudo, 21 simplesmente não responderam, contudo sem recusa formal e 31 não foram localizadas nos endereços e/ou telefones informados Fase Qualitativa : Cenário das Tendências Futuras para o Setor no DF Esta etapa do estudo foi desenvolvida a partir de um enfoque qualitativo, mediante a realização de 25 entrevistas em profundidade com personalidades do trade turístico local. Os entrevistados são dirigentes de associações profissionais de empresas e de funcionários, dirigentes do Convention Bureau de Brasília, da Secretaria de Turismo do Distrito Federal, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, bem como dirigentes de Agências de Viagens e de Eventos atuantes no DF. As entrevistas foram realizadas a partir de roteiro de temas e gravadas em meio magnético. O roteiro serviu apenas como eixo condutor, possibilitando ao entrevistado explorar com profundidade os temas mais identificados com sua atuação, bem como acrescentar aspectos relevantes. Foram os seguintes os temas abordados no roteiro: 1. Cenário atual do setor no DF percepções, expectativas, restrições 2. O desenvolvimento do turismo no DF Sobre que turismo estamos falando? Qual a vocação identificada? É necessário existir esta vocação natural ou é possível a construção de uma vocação adequada. Se sim, qual seria esta vocação e quais seriam as ações para sua construção? 3. Que papel cabe a cada agente no processo de desenvolvimento do turismo no DF? Governo do Distrito Federal Entidades: Embratur, Sindetur, Abav Outros empresários do trade turistico Setor de agências especificamente 4. O papel das entidades empresariais no desenvolvimento do turismo local Sebrae Associação Comercial Clube Diretores Lojistas Fibra, entre outros 5. Ações em desenvolvimento (percebidas): GDF, entidades, trade turístico como um todo, setor de agências Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal 11

12 6. O novo Centro de Convenções 7. Os Governos Federal e Distrital como clientes Importância Como se dá a relação Expectativas, restrições 8. O mercado clientes privados de turismo receptivo e emissivo 9. A concorrência As leis para a sobrevivência das grandes e pequenas, A criatividade A improvisação A falta de profissionalismo 10. A profissionalização do setor 11. O futuro do turismo no DF A relação dos entrevistados nessa fase qualitativa e dos setores que os entrevistados representam está contida no anexo Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal

13 3. Resultados Obtidos 3.1 Fase Quantitativa : Identificação e Caracterização do Setor de Agenciamento no Distrito Federal 1 Perfil do Empresário Os entrevistados, proprietários ou gerentes das agências, declaram-se em sua maioria, comerciantes/empresários (60%) ou agentes de viagem (19%). A participação feminina neste segmento é muito significativa (37% dos respondentes), em proporção superior à participação das mulheres no mercado de trabalho em geral. Cerca de 22% dos entrevistados exercem outra atividade remunerada.(tabelas 1 e 2) Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal 13

14 Tabela 1. Profissão dos empresários Percentual de empresários segundo a profissão % Comerciante / Empresário 59,9 Agente de viagem 19,2 Administrador / Gerente / Diretor / Coordenador 3,4 Engenheiro 2,3 Advogado 1,1 Turismólogo / Bacharel em Turismo 1,1 Aposentado 0,6 Bancário 0,6 Contador 0,6 Economista 0,6 Funcionário público 0,6 Professor 0,6 Médico 0,6 Não informou 9,0 Base 177 A característica do Distrito Federal de agregar brasileiros de todas as regiões do país se reflete na naturalidade desses proprietários/gerentes originários de diversas unidades da Federação. Mesmo assim, observa-se um número significativo de respondentes nascidos no Distrito Federal (24%), seguidos daqueles nascidos em Minas Gerais (12%), Rio de Janeiro (9%) e São Paulo (7%). A quase totalidade dos respondentes é brasileira (98%).(Tabela 2) 14 Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal

15 Tabela 2. Naturalidade, sexo, estado civil dos empresários e exercício de atividade remunerada Naturalidade % Naturalidade % Ceará 4,0 Rio de Janeiro 8,5 Distrito Federal 24,3 Rio Grande do Norte 1,7 Espírito Santo 0,6 Rio Grande do Sul 0,6 Goiás 6,2 Rondônia 0,6 Mato Grosso do Sul 0,6 Sergipe 0,6 Minas Gerais 12,4 Santa Catarina 0,6 Paraíba 1,7 São Paulo 6,8 Paraná 1,7 Tocantins 0,6 Pernambuco 2,8 Maranhão 4,0 Piauí 0,6 Outros 4,0 Não informou 9,0 Nacionalidade % Sexo % Brasileiros 89,8 Feminino 37,3 Não brasileiros 1,7 Masculino 56,5 Não informou 8,5 Não informou 6,2 Base 177 Base 177 Estado civil (%) Exerce outra atividade Remunerada? Solteiro 27,1 Sim 21,5 Casado 50,8 Não 71,8 Separado/Divorciado 11,3 Não informou 6,8 Viúvo 1,1 Total 177 Não informou 9,6 Base 177 A média de idade dos respondentes é de 42 anos e a maioria deles encontra-se na faixa entre 31 e 50 anos (59%). Os empresários se caracterizam por uma significativa experiência no setor, pois 54% deles têm em média 10 anos de experiência, sendo que desses 80% têm mais de seis anos de experiência. A tabela 3 apresenta os resultados relativos à idade e experiência no setor. Dois terços dos respondentes declaram sentir-se medianamente satisfeitos como empresários do setor de turismo e 57% desses têm planos de expansão imediata da empresa. Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal 15

16 Tabela 3. Idade e experiência dos proprietários e gerentes Número de agências segundo a idade e a experiência do proprietário/gerente na área de turismo Idade % Tempo de experiência % Até 30 anos 15,8 Menos de 1 ano 2,3 Entre 31 e 40 anos 24,9 Entre 1 e 5 anos 16,4 Entre 41 e 50 anos 27,7 Entre 6 e 10 anos 20,3 Entre 51 e 60 anos 19,2 Entre 11 e 20 anos 33,9 Acima de 60 anos 5,1 Acima de 20 anos 20,3 Não informou 7,3 Não informou 6,8 Base 177 Base 177 Parte significativa desses proprietários/gerentes nunca atuou em outro setor (30%), 11% exerciam profissões de nível superior em outras áreas e 10% eram empresários em outros setores da economia. (Tabela 4 ) Tabela 4. Atividade anterior Percentual de empresários segundo a atividade anterior à atual Atividade/profissão anterior % Não tem profissão anterior 24,3 Comerciante / Empresário 10,2 Aeroviário 6,2 Estudante 5,6 Funcionário público 5,6 Comerciário 5,1 Bancário 4,5 Administrador / Gerente / Diretor / Coordenador 3,4 Professor 3,4 Outras profissões 24,9 Não informou 6,8 Base de agências 177 A maioria deles tem curso superior completo (40%), notadamente nas áreas de Administração, Turismo e Direito. 16 Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal

17 Tabela 5. Escolaridade e área de graduação Escolaridade % 1º Grau 1,7 2º Grau 22,0 Superior incompleto 17,5 Superior completo 40,1 Pós-Graduado 11,9 Não informou 6,8 Base 177 Área de Graduação % Administração 17,0 Turismo 11,1 Direito 6,7 Economia 5,2 Engenharia 4,4 Pedagogia 3,7 Contabilidade 2,2 Geografia 2,2 Biologia 1,5 Processamentos de dados 1,5 História 1,5 Jornalismo 1,5 Letras 1,5 Publicidade 1,5 Arquitetura 1,5 Estatística 0,7 Medicina 0,7 Odontologia 0,7 Serviço Social 0,7 Não concluiu 23,0 Outras 0,7 Recusa informar 10,4 Base 135 (*) Somente para quem tem curso superior incompleto ou concluído. A aquisição de conhecimento no setor de turismo não foi obtida em bancos escolares, mas no exercício profissional, trabalhando em outras empresas do setor ( 62% dos casos) (Tabela 6) Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal 17

18 Tabela 6. Aquisição de conhecimentos no setor de turismo Número de agências segundo a forma de aquisição de conhecimentos em turismo (%) absoluto % Tradição familiar 15 8,5% Escolas técnicas profissionalizantes 14 7,9% Graduação em turismo 9 5,1% Trabalhando no setor ,1% Treinamento empresarial 17 9,6% Após montar a agência 19 10,7% Leitura especializada 13 7,3% Outra forma 24 13,6% Não informou 12 6,8% Base ,6% (*) Questão de múltipla escolha, os percentuais somam mais que 100% 2 Caracterização das empresas Foram investigadas 177 empresas do setor, que puderam ser classificadas em dois grandes grupos: AGÊNCIAS DE VIAGENS (48%) e AGÊNCIAS DE VIAGENS E TURIS- MO/OPERADORA (52%). Quanto à natureza jurídica, 97% são sociedades por quotas de responsabilidade limitada. 2.1 Porte das empresas O porte das empresas foi identificado, num primeiro momento, mediante auto classificação. Os empresários, em função do volume de seus negócios, definiam o porte das empresas como: micro, pequena, média ou grande. O porte das empresas também foi caracterizado segundo o número de funcionários e faturamento (Tabelas 7, 8 e 9). Em sua maioria, as agências se classificam como micro (47,5%) ou pequenas (34,5%) empresas. Somente 3,4% declaram-se grandes empresas, enquanto 14,7% declaram-se médias. (Tabela 7) 18 Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal

19 Tabela 7. O porte das empresas conforme o volume de negócios - Autoclassificação Auto classificação % de respondentes Micro 47,5 Pequena 34,5 Média 14,6 Grande 3,4 Base de agências 177 Quando o indicador de porte considerado é o faturamento da empresa, obtémse uma classificação distinta daquela obtida na auto-classificação, uma vez que empresas auto-classificadas como micro apresentam alto faturamento e empresas de baixo faturamento se classificam como grandes. Embora cerca de um terço dos respondentes não tenha informado o faturamento anual de suas agências, entre aqueles que informaram observa-se, novamente, a predominância de micro ou pequenas empresas, uma vez que 25% têm faturamento anual de até R$ ,00 e 31% faturam entre R$00.000,00 e R$ ,00. (Tabela 8). Tabela 8. O porte das empresas segundo o faturamento Faturamento (R$ 1.000,00) Total % de respondentes Corrigido* Até ,00 17,0 25,0 Mais de 100 até ,9 30,8 Mais de 500 até ,4 18,3 Mais de 1000 até ,9 17,6 Mais de ,65 8,3 Não informou 32,2 0,0 Base de agências * relativo às empresas que informaram o faturamento Quanto à definição do porte da empresa, considerando-se o número de pessoas trabalhando, observa-se maior presença de micro e pequenas empresas no setor. Conforme tabela 9, em 61% dos casos, as agências possuem não mais que cinco trabalhadores, enquanto somente 13% contam com mais de 10 trabalhadores. Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal 19

20 Tabela 9. O porte das empresas segundo o número de trabalhadores Número de pessoas** % de Respondentes Até 2 18,7 3 a 5 41,3 6 a 10 26,6 11 a 20 5,1 21 a 50 4,2 Mais de 50 4,1 Base de agências 177 ** número total de pessoas que trabalham na agência 2.2 Localização e estrutura física das instalações Localização De um modo geral, as agências participantes do estudo situam-se em local favorável ao desenvolvimento de suas atividades, aí considerados os seguintes critérios: facilidade de acesso ao ponto comercial (87% das agências); disponibilidade de estacionamento próximo (97%); tráfego intenso de veículos (69%) e de pedestres (71%) e acesso para deficientes (72%). (tabelas 10 e 11) Tabela 10. Acesso ao ponto comercial e estacionamento Facilidade de acesso ao ponto comercial % Estacionamento para veículos Bom 87,0 Próximo (até 100 m) 97,2 Regular 10,7 Distante (mais de 100 m) 2,8 Deficiente 2,3 Base 177 Base 177 Tabela 11. Tráfego de veículos no ponto comercial Intensidade do tráfego no ponto comercial Tráfego de Veículos % Tráfego de Pedestres % Forte 40,1 Forte 63,2 Boa 30,5 Boa 26,0 Regular 26,0 Regular 10,2 Nenhuma 3,4 Nenhuma 0,6 Total 177 Total 177 % 20 Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal

21 Com relação ao tamanho das instalações, predominam empresas situadas em imóveis com áreas entre 30 m 2 e 100m 2 (64,4%), sendo dois terços em prédios alugados. (Tabela 12) Tabela 12. Área das instalações da empresa Área das instalações % Até 20 m 2 5,1 Mais de 20 até 30 m 2 15,8 Mais de 30 até 50 m 2 34,5 Mais de 50 até 100 m 2 29,9 Mais de 100 m 2 13,6 Não informou 1,1 Base de agências 177 Disponibilidade de equipamentos Os respondentes foram questionados sobre a estrutura de suas agências, relativamente a sistemas de telefonia e a posse de outros equipamentos/ facilidades. Os resultados deste questionamento são apresentados em detalhes nas tabelas 13 e 14. Mais uma vez a quantidade de equipamentos disponíveis caracteriza as agências como micro e pequenas empresas. Considerando, inicialmente, os sistemas de telefonia, observa-se que quase a totalidade das empresas dispõe de linhas telefônicas (99,4%). (Tabela 13) Tabela 13. Sistemas de Telefonia Equipamentos Nº de Linhas Telefônicas Disponibilidade de ramais telefônicos (%) Não possui 0,6 33,3 Somente 1 4,0 2,8 Somente 2 15,3 5,1 Somente 3 20,3 7,9 De 4 a 10 52,5 39,5 Mais de 10 7,3 11,3 Base de agências Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal 21

22 Cerca de 20% das agências têm até duas linhas telefônicas e, destas, somente 25% dispõem de ramais telefônicos. Apenas uma minoria dispõe de mais de dez linhas telefônicas (7,3% dos casos). Um terço das agências não possui nenhum ramal telefônico, enquanto apenas 11,3% possuem mais de 10 ramais telefônicos. Relativamente aos demais equipamentos e/ou facilidades, destaca-se a posse de microcomputadores (98,3% dos casos), de aparelho de fax (97,7%) e de sistema de reservas (84,2%). (tabela 14) Tabela 14. Disponibilidade de equipamentos Tipo de equipamento Disponibilidade de equipamentos (%)* Não possui Possui apenas 1 Possui + de 1 Microcomputadores 1,7 17,5 80,8 Fax 2,3 85,3 12,4 Sistema de reservas 15,8 55,4 28,7 Videoteca 83,1 15,8 1,1 Videocassete 70,6 27,7 1,7 Televisão 55,9 40,1 4,0 Circuito interno de tv 84,7 14,7 0,6 Filmadora 87,0 12,4 0,6 Ônibus/micro ônibus 91,0 2,3 6,7 Utilitários 91,0 6,8 2,3 Automóveis 71,8 15,8 12,4 Vans 91,0 5,6 3,4 Barco 100,0 0,0 0,0 Lancha 99,4 0,4 0,0 Emissor de cupom fiscal 77,4 20,3 2,3 * A base é de 177 agências para todos os itens Interessante observar que, apesar da necessidade do uso de equipamentos de informática no desenvolvimento das atividades do setor, 3 agências (1,7%) declaram não possuir nenhum microcomputador. Mais da metade das agências (55,3%) possui entre um e três computadores, enquanto somente 9% delas possui mais de 10 computadores. Os demais equipamentos pesquisados estão ausentes da maioria das agências: somente 46% das agências pesquisadas possui aparelho de TV; 22 Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal

23 menos de 30% das agências possui videocassete (disponível em 29,4% das agências) ou automóveis (28,2%) ou emissor de cupom fiscal (22,6%); menos de 20% das agências possui videoteca (16,9%) ou circuito interno de TV (15,3%) ou filmadora (13%); os demais itens pesquisados (ônibus/microônibus, utilitários, vans, barco e lancha) estão presentes em menos de 10% das agências. Grau de informatização A quase totalidade das agências consultadas (97,7%) declara ter acesso à Internet, apesar de somente 53% delas disponibilizarem home page aos seus clientes. Predominantemente, a informatização está implantada nos sistemas de reserva (informatizados em 90% das agências); nos sistemas de venda de passagens (80%); faturamento (77%); excursões/pacotes (73%); contas a pagar/receber (71%). (tabela 15) Tabela 15. Áreas da empresa que estão informatizadas Áreas Respondentes (%)* Sistemas de reservas 89,8 Excursões/Pacotes 73,4 Venda de passagens 80,2 Faturamento 77,4 Vendas via Internet 67,2 Patrimônio 39,0 Contas a pagar/receber 71,2 Tesouraria/Finanças 59,3 Pessoal 52,0 Nenhuma área é informatizada 4,0 Base de agências 177 * Questão de múltipla escolha, os percentuais somam mais que 100% Cerca de dois terços das agências (67%) realizam venda de seus produtos e serviços pela Internet. Os principais produtos e serviços disponibilizados pela Internet são pedido de cotização/orçamento (80% das agências que realizam algum tipo de venda via Internet) e venda on line (50%). (Tabela 16) Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal 23

24 Tabela 16. Venda de produtos e serviços via internet Produtos e serviços % de respondentes Total Corrigido* Venda on line 32,2 50,0 Divulgação de telefones para venda 15,8 24,6 Pedido de cotização/orçamento 51,4 79,8 Outra forma 8,5 13,2 Não sabe informar 0,6 0,9 Não realiza venda via Internet 33,3 0,0 Base de agências * relativo às empresas que realizam venda de produtos e serviços via Internet 2.3 Recursos Humanos Quadro de funcionários A concentração de micro e pequenas empresas no setor de agências de viagens e/ou turismo se revela, também, na análise dos recursos humanos envolvidos. Cerca de 60% das agências contam, no máximo, com cinco pessoas trabalhando. O trabalho exclusivamente familiar acontece em 37% das agências consultadas, sendo que em 54% das agências existe algum familiar do proprietário (além do próprio) trabalhando. Em 29% delas não há nenhum empregado com registro em carteira. (Tabelas 17, 18 e 19) Além disso, é relativamente baixa a utilização de estagiários (15% das empresas) ou empregados free lancers /sem registro (29%). Tabela 17. Participação da família no trabalho Nº de pessoas da família do proprietário (aí incluído) que trabalham na agência? Número de pessoas Percentual de agências 0 9,0 1 37,4 2 35,6 3 12,4 4 2,8 5 ou mais 2,8 Base Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal

25 Tabela 18. Número de empregados Total de pessoas que trabalham na agência (com ou sem registro) Número de empregados Percentual de agências Nenhum 16,9 1 ou 2 23,2 3 a 5 31,1 6 a 10 18,6 Mais de 10 10,2 Base 177 Tabela 19. Número de empregados com registro em carteira Empregados com registro em carteira Número de empregados Percentual de agências Nenhum 28,8 1 ou 2 25,5 3 a 5 22,6 6 a 10 13,0 Mais de 10 10,1 Base 177 A atividade de gerência das empresas é exercida, em geral, pelo próprio proprietário (72% das agências) ou por familiares (11%). Somente 16% das agências é gerenciada por pessoa contratada fora do círculo familiar do proprietário conforme se vê na tabela 20. A organização administrativa das empresas é por meio da relação direta proprietário-empregados (46% das agências) ou proprietário-gerente-empregados (21%). Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal 25

26 Tabela 20. A gerência da empresa Quem exerce a gerência da agência % de agências Proprietário 72,3 Proprietário e familiares 10,2 Apenas familiares 0,6 Pessoa contratada 16,4 Outros 0,6 Base 177 O pequeno porte da maioria das empresas faz que os trabalhadores não tenham funções definidas em 46% das agências, onde todo mundo faz de tudo. O cargo de gerente é o que possui maior destaque, sendo ocupado em 29% das agências pesquisadas por uma pessoa definida. A tabela 21 apresenta o número de funcionários por empresa segundo a função que executa. Tabela 21. Número de Pessoas em Funções Específicas Funções Percentual de agências segundo o número de pessoas que executam funções específicas Número de pessoas Nenhuma* Uma Duas Mais de duas Recepcionista 85,3 11,9 1,7 1,1 177 Guia de turismo 95,5 2,8 0,6 0,6 177 Emissor de passagens 53,7 10,2 11,3 24,8 177 Administrativo/contábil 60,5 18,6 12,4 8,5 177 Office boy/copa/limpeza 69,5 18,1 7,3 5,1 177 Suporte de informática 88,1 9,6 1,7 0,6 177 Gerente 56,5 29,4 10,7 3,4 177 Outras funções 74,6 10,7 6,8 7,9 177 * inclui as agências nas quais os trabalhadores não têm função definida Base A seleção de pessoal para trabalhar nas agências é feita, em geral, por indicação dos próprios empregados (46% das agências) ou de familiares (24%) ou, ainda, mediante o aproveitamento de estagiários. (Tabela 22) 26 Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal

27 Tabela 22. Seleção de pessoal Percentual de empresas segundo a forma de seleção de profissionais % Indicação dos empregados 45,8% Empresa especializada em recrutamento/ seleção 11,3% Anúncio em jornal 9,0% Oportunidade para estagiário 19,2% Indicação de familiares 23,7% Outros 39,5% Não tem empregado fixo 9,6% Base 177 (*) Questão de multipla escolha, os percentuais somam mais que 100% Somente 11% das agências mencionam a utilização de empresas especializadas em recrutamento e seleção de pessoal. (Tabela 22) A utilização de empregados temporários ocorre em menos de 20% das empresas consultadas, conforme a tabela 23. Tabela 23. Geração de empregos temporários Percentual de empresas segundo o número de empregos temporários gerados por ano Número de empregos temporários % Não gera emprego temporário 80,7 1 emprego 4,0 2 empregos 5,1 3 empregos 1,7 4 empregos 3,4 5 empregos 1,1 10 ou mais empregos 3,4 Não informou 0,6 Base 177 Cerca de 80% das agências utiliza mão-de-obra terceirizada, principalmente nos serviços de contabilidade (86%), moto boy (55%) e serviços gerais (16%). A tabela 24 apresenta a intensidade da terceirização em cada atividade. Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal 27

28 Tabela 24. Atividades terceirizadas nas agências Percentual de empresas com serviços terceirizados segundo a atividade * Atividade terceirizada % Moto boy 55,4 Outros serviços gerais 15,8 Administração 2,9 Contabilidade 86,3 Atendimento 5,0 Consultor especializado em turismo 5,8 Empresa de eventos 0,7 Guia Turístico 2,2 Distribuidor de panfletos 1,4 Informática 11,5 Faxineira 1,4 Advogado 1,4 Publicidade 0,7 Central telefônica (Telemarketing) 0,7 Professor 0,7 Outros 2,2 Base 139** (*) Questão de multipla escolha, os percentuais somam mais que 100% (**) Apenas para agência que utiliza mão-de-obra de terceiros Experiência no setor A tabela 25 resume os resultados relativos à experiência dos trabalhadores no setor de turismo, informando o número de pessoas por cada agência segundo os anos de experiência. Como se pode observar nessa tabela, a pesquisa indicou a existência de profissionais experientes na grande maioria das agências. Em mais de dois terços das agências existem trabalhadores com mais de 10 anos de experiência no setor. (Tabela 25) 28 Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal

29 Tabela 25. Percentual de agências segundo o número de pessoas e anos de experiência no setor de turismo Número de Pessoas Anos de experiência no setor de turismo De 1 a 3anos De 4 a 7 anos De 8 a 10 anos Mais de 10anos Nenhuma pessoa* 32,8 45,8 66,1 31,6 1 pessoa 26,0 20,9 16,9 26,0 2 pessoa 20,9 16,4 6,8 19,8 3 a 5 pessoas 11,3 8,5 7,9 16,4 Mais de 5 pessoas 9,0 8,4 2,4 6,2 Base de agências * Não existem pessoas com esse número de anos de experiência Política salarial Considerando os salários pagos pelas agências aos seus funcionários, em relação aos pisos salariais de cada categoria, observa-se que, nas atividades de emissor de passagens, assistente administrativo e promotor de vendas, os salários concentram-se na faixa de 1 a 3 pisos, enquanto a função de gerência tem remuneração acima de seis pisos. A função de guia de turismo é rara nas agências (presente em 6% das empresas pesquisadas), fato que impediu uma conclusão relativa aos salários dos profissionais que executam essa atividade. A tabela 26 apresenta o percentual de agências segundo o salário pago a profissionais de algumas atividades típicas do setor. Tabela 26. Percentuais de agências segundo faixa salarial em pisos salariais da categoria por função executada Funções Faixa salarial ( em salários-piso da categoria ) 1 salário + de 1 até 3 + de 3 até 6 + de 6 Não tem* Guia de turismo 1,7 1,7 1,1 1,1 94,4 Emissor de passagens 16,4 39,0 10,7 1,1 31,6 Gerente 3,4 8,5 11,9 22,0 53,1 Promotor de vendas 4,5 9,6 5,1 2,3 77,4 Administrativo 6,2 31,1 7,3 1,1 53,1 Base de agências *A agência não tem empregados registrados nessa função O pagamento de comissões se dá, principalmente, na atividade de emissor de passagens e situa-se entre 0,6% e 2% na maioria das empresas que paga comissões Perfil do Setor de Agências de Viagens e Turismo do Distrito Federal 29

CDD - 338.4791 CDU - 379.85

CDD - 338.4791 CDU - 379.85 D536 Diagnóstico dos fatores críticos da competitividade setorial: agenciamento e operações turísticas / Associação Brasileira de Agências de Viagens, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas;

Leia mais

Dispomos de filiais em Natal/RN, bairro de Ponta Negra.

Dispomos de filiais em Natal/RN, bairro de Ponta Negra. Quem Somos? Atua há 22 anos firmada no mercado como agência especializada na negociação, planejamento, divulgação e execução das atividades turísticas. Empresa esta, devidamente cadastrada pelos órgãos

Leia mais

FRANQUIA HOME OFFICE

FRANQUIA HOME OFFICE FRANQUIA HOME OFFICE SUMÁRIO QUEM SOMOS PREMIAÇÕES ONDE ESTAMOS NOSSO NEGÓCIO MULTIMARCAS MULTISERVIÇOS PERFIL DO FRANQUEADO VANTAGENS DA FRANQUIA CLUBE TURISMO DESCRITIVO DO INVESTIMENTO PROCESSO DE SELEÇÃO

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta

Leia mais

Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo

Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo PERFIL PROFISSIONAL Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo É o profissional que atua em agências de viagens, em meios de hospedagem, em empresas de transportes e de eventos; promove

Leia mais

Entendendo custos, despesas e preço de venda

Entendendo custos, despesas e preço de venda Demonstrativo de Resultados O empresário e gestor da pequena empresa, mais do que nunca, precisa dedicar-se ao uso de técnicas e instrumentos adequados de gestão financeira, para mapear a situação do empreendimento

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE "SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO" Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS

PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE "SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO" Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS Maio/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio 1.2 Empreendedores

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Gestão e Negócios

Universidade. Estácio de Sá. Gestão e Negócios Universidade Estácio de Sá Gestão e Negócios A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades em 1970, como

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL. Mapa de oportunidades para Agências de Viagens

GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL. Mapa de oportunidades para Agências de Viagens GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL Mapa de oportunidades para Agências de Viagens O que é ABAV? Entidade empresarial, sem fins lucrativos, que representa as Agências de Viagens espalhadas

Leia mais

FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE

FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE SUMÁRIO QUEM SOMOS 02 PREMIAÇÕES 03 ONDE ESTAMOS 04 O MODELO QUIOSQUE 06 NOSSO NEGÓCIO 07 MULTIMARCAS 07 MULTISERVIÇOS 08 PERFIL DO FRANQUEADO 09 VANTAGENS DA FRANQUIA CLUBE

Leia mais

Introdução. Núcleo de Pesquisas

Introdução. Núcleo de Pesquisas Introdução O verão é um período onde Santa Catarina demonstra todo a sua vocação para a atividade turística. Endereço de belas praias, o estado se consolidou como um dos principais destinos de turistas,

Leia mais

FRANQUIA MODALIDADE LOJA

FRANQUIA MODALIDADE LOJA FRANQUIA MODALIDADE LOJA SUMÁRIO QUEM SOMOS PREMIAÇÕES ONDE ESTAMOS NOSSO NEGÓCIO MULTIMARCAS MULTISERVIÇOS PERFIL DO FRANQUEADO VANTAGENS DA FRANQUIA CLUBE TURISMO DESCRITIVO DO INVESTIMENTO PROCESSO

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser fotocopiada,

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FOTOGRAFIA E FILMAGEM

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FOTOGRAFIA E FILMAGEM OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FOTOGRAFIA E FILMAGEM 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser fotocopiada,

Leia mais

e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Associação e a cooperação Micro e Pequeno Empreendedorismo

e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Associação e a cooperação Micro e Pequeno Empreendedorismo e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Micro e Pequeno Empreendedorismo e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Micro e Pequeno Empreendedorismo

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Turismo, Hotelaria e Gastronomia

Universidade. Estácio de Sá. Turismo, Hotelaria e Gastronomia Universidade Estácio de Sá Turismo, Hotelaria e Gastronomia A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ESTÚDIO PILATES, YOGA E FISIOTERAPIA

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ESTÚDIO PILATES, YOGA E FISIOTERAPIA OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ESTÚDIO PILATES, YOGA E FISIOTERAPIA 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

Outras oportunidades podem ser visualizadas através de nosso site: www.crescerh.com.br

Outras oportunidades podem ser visualizadas através de nosso site: www.crescerh.com.br Olá! A CRESCER RH dispõe de vagas em diversas áreas. Outras oportunidades podem ser visualizadas através de nosso site: ASSISTENTE DE TI (Cód. 119060) Área de atuação: Assistente de TI, responsável pela

Leia mais

ÁREA: CONTÁBIL / FISCAL / ADM / RH / ECONOMIA / PUBLICIDADE

ÁREA: CONTÁBIL / FISCAL / ADM / RH / ECONOMIA / PUBLICIDADE Cadastre seu currículo em nosso site Valores de cadastro: R$ 25,00 (nível fundamental /médio /técnico) R$ 30,00 (nível superior (em andamento ou concluído)) Informações: (49) 3329.6218 ÁREA: CONTÁBIL /

Leia mais

Produto da Divisão Marketing

Produto da Divisão Marketing Marketing para o Terceiro Setor Produto da Divisão Marketing OBJETIVO Dispor ao mercado de entidades relacionadas ao Terceiro Setor, um leque de atividades relacionados ao marketing e comunicação voltados

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO MELHOR IDADE - SERVIÇOS DE CUIDADOR

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO MELHOR IDADE - SERVIÇOS DE CUIDADOR OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO MELHOR IDADE - SERVIÇOS DE CUIDADOR 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

Estudo da Demanda Turística Internacional

Estudo da Demanda Turística Internacional Estudo da Demanda Turística Internacional Brasil 2012 Resultados do Turismo Receptivo Pontos de Coleta de Dados Locais de entrevistas - 25 Entrevistados - 31.039 15 aeroportos internacionais, que representam

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ESCOLA DE IDIOMAS PARA CRIANÇAS

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ESCOLA DE IDIOMAS PARA CRIANÇAS OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ESCOLA DE IDIOMAS PARA CRIANÇAS 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode

Leia mais

Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil. Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas

Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil. Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas As diretrizes estratégicas dão foco ao negócio Perspectivas Simplificar e agilizar a utilização

Leia mais

Projeto: Pesquisa, Desenvolvimento e Validação de Metodologia para Capacitação de Empresários de MEs e EPPs

Projeto: Pesquisa, Desenvolvimento e Validação de Metodologia para Capacitação de Empresários de MEs e EPPs Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico - CDT Universidade de Brasília - UnB Projeto: Pesquisa, Desenvolvimento e Validação de Metodologia para Capacitação de Empresários de MEs e EPPs Ministério

Leia mais

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO CATEGORIAS TÉCNICO TECNÓLOGO TEMAS LIVRE INCLUSÃO SOCIAL COOPERATIVISMO 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO 1.1 Nome da Instituição 1.2 Nome do Reitor(a)/Diretor(a)-Geral/Diretor(a) 1.3

Leia mais

FRANQUIA MODALIDADE ESCRITÓRIO

FRANQUIA MODALIDADE ESCRITÓRIO FRANQUIA MODALIDADE ESCRITÓRIO SUMÁRIO QUEM SOMOS PREMIAÇÕES ONDE ESTAMOS NOSSO NEGÓCIO MULTIMARCAS MULTISERVIÇOS PERFIL DO FRANQUEADO VANTAGENS DA FRANQUIA CLUBE TURISMO DESCRITIVO DO INVESTIMENTO PROCESSO

Leia mais

LAJES PINTADAS 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS

LAJES PINTADAS 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 31/12/1958 - Distância da capital: 128 km - Área: 130 Km 2 - Localização Mesorregião: Agreste Potiguar Microrregião: Borborema Potiguar - População: 4.217 (IBGE/2007)

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO MONITORAMENTO E RASTREAMENTO DE VEÍCULOS

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO MONITORAMENTO E RASTREAMENTO DE VEÍCULOS OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO MONITORAMENTO E RASTREAMENTO DE VEÍCULOS 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DOS TURISTAS DA COPA 2014 (PST Copa 2014)

RESULTADOS CONSOLIDADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DOS TURISTAS DA COPA 2014 (PST Copa 2014) RESULTADOS CONSOLIDADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DOS TURISTAS DA COPA 2014 (PST Copa 2014) Os resultados a seguir são baseados em 2.257 entrevistas realizadas com turistas no período de 14 de junho a

Leia mais

Circular de Oferta 5102/ sto Ago

Circular de Oferta 5102/ sto Ago Circular de Oferta Agosto / 2015 Índice Introdução 03 Quem Somos 04 Como funciona o negócio 05 Vantagens de ser constituir uma agência 06 Produtos e serviços 07 Ferramentas de apoio 08 Atividades desempenhadas

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SAÚDE LABORAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SAÚDE LABORAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SAÚDE LABORAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser fotocopiada,

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA "FRALDAS DESCARTAVEIS" Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA

PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA FRALDAS DESCARTAVEIS Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA "FRALDAS DESCARTAVEIS" Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA Fevereiro/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio

Leia mais

Pesquisa Hábitos de Consumo Dia dos Pais 2015

Pesquisa Hábitos de Consumo Dia dos Pais 2015 Pesquisa Hábitos de Consumo Dia dos Pais 2015 Agosto de 2015 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1 Índice o Objetivo, metodologia e amostra... 03 o Sumário... 04 o Perfil dos respondentes... 05 o Pretensão

Leia mais

PROGRAMA PARANÁ MICE PROJETO DE PESQUISAS DE DEMANDA

PROGRAMA PARANÁ MICE PROJETO DE PESQUISAS DE DEMANDA PROGRAMA PARANÁ MICE PROJETO DE PESQUISAS DE DEMANDA PROMOTORES DE EVENTOS ASSOCIATIVOS ESTADUAIS ASSOCIATIVOS LOCAIS CORPORATIVOS TURISTAS NEGÓCIOS ( 2016) EVENTOS FEIRAS CONGRESSOS 2 SEMINÁRIO PARANÁ

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ASSISTÊNCIA TÉCNICA - HARDWARE E SOFTWARE

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ASSISTÊNCIA TÉCNICA - HARDWARE E SOFTWARE OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ASSISTÊNCIA TÉCNICA - HARDWARE E SOFTWARE 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

Informe Econômico N 3

Informe Econômico N 3 Conjuntura Econômica Gerente Legislativa: Sheila Tussi da Cunha Barbosa Analista Legislativa: Cláudia Fernanda Silva Almeida Assistente Administrativa: Quênia Adriana Camargo Ferreira Estagiário: Tharlen

Leia mais

PROPOSTA GERAL DE ASSOCIAÇÃO (PE/PB)

PROPOSTA GERAL DE ASSOCIAÇÃO (PE/PB) PROPOSTA GERAL DE ASSOCIAÇÃO (PE/PB) A Delegação Pernambuco e Paraíba, representada pela Carbone & Vicenzi Consulting, é um ponto de assistência oficia da Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio e Indústria

Leia mais

PROJETO SOLO É VIDA SISTEMA INTEGRADO DE CRIAÇÃO DE MINHOCAS VOLUME CRIAÇÃO E MANEJO AGROECOLÓGICO. Manual de Instrução

PROJETO SOLO É VIDA SISTEMA INTEGRADO DE CRIAÇÃO DE MINHOCAS VOLUME CRIAÇÃO E MANEJO AGROECOLÓGICO. Manual de Instrução PROJETO SOLO É VIDA SISTEMA INTEGRADO DE CRIAÇÃO DE MINHOCAS VOLUME CRIAÇÃO E MANEJO AGROECOLÓGICO Manual de Instrução Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal Sebrae do Distrito

Leia mais

Apresentação. Quem Somos

Apresentação. Quem Somos Apresentação Quem Somos A UAI Tecnologia e Comunicação, nome fantasia da UAI Software LTDA., (que significa "Unidade de Apoio à Informação do Software") foi fundada em 19 de Março de 2004, por Luiz Gustavo

Leia mais

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento;

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento; CAPÍTULO : 10 - Viagens Internacionais, Cartões de Uso Internacional e Transferências Postais SEÇÃO : 1 - Viagens Internacionais 1. Esta seção trata das compras e das vendas de moeda estrangeira, inclusive

Leia mais

Análise dos resultados

Análise dos resultados Análise dos resultados Caracterização da entidade e supervisão A Pesquisa das Entidades de Assistência Social Privadas sem Fins Lucrativos - PEAS, realizada em 2006, levantou informações sobre 16 089 entidades,

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO GALERIA E CENTRO DE ARTES

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO GALERIA E CENTRO DE ARTES OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO GALERIA E CENTRO DE ARTES 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser

Leia mais

Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio.

Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio. Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio. Participe da rede de distribuição dos produtos exclusivos da

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS História da Cultura CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO Repassar ao alunado a compreensão do fenômeno da cultura e sua relevância para

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Taxa de Serviço do Consumidor pelos Serviços Prestados de Agência de Viagens

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Taxa de Serviço do Consumidor pelos Serviços Prestados de Agência de Viagens Parecer Consultoria Tributária Segmentos Taxa de Serviço do Consumidor pelos Serviços Prestados de Agência de Viagens 28/09/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo

Leia mais

Segmentação CATHO ONLINE LTDA. Empresa: Base: 34ª Edição. Região Geográfica: Grande São Paulo. Faturamento: R$ 31 a 45 milhões. Indústria Automotiva

Segmentação CATHO ONLINE LTDA. Empresa: Base: 34ª Edição. Região Geográfica: Grande São Paulo. Faturamento: R$ 31 a 45 milhões. Indústria Automotiva Edição: Fevereiro/2011 Segmentação Empresa: CATHO ONLINE LTDA Base: 34ª Edição Região Geográfica: Grande São Paulo Faturamento: R$ 31 a 45 milhões Ramo de atividade: Indústria Automotiva Apresentação Este

Leia mais

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES Organizador Patrocínio Apoio PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 O Turismo é uma das maiores fontes de

Leia mais

ANÁLISE DOS RESULTADOS DAS OPERAÇÕES DE VENDA DA AGÊNCIA DE VIAGEM

ANÁLISE DOS RESULTADOS DAS OPERAÇÕES DE VENDA DA AGÊNCIA DE VIAGEM REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA TURISMO PERIODICIDADE SEMESTRAL ANO III EDIÇÃO NÚMERO 5 JUNHO DE 2006 ANÁLISE DOS RESULTADOS DAS OPERAÇÕES DE VENDA DA AGÊNCIA DE VIAGEM BARROS, Darci K. Y. de Curso de Turismo

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DE DADOS PROFISSIONAIS

ATUALIZAÇÃO DE DADOS PROFISSIONAIS ATUALIZAÇÃO DE DADOS PROFISSIONAIS 1. DADOS PESSOAIS Nome Completo : Alexandre Otávio Pereira de Castro Data de Nascimento : 17/12/1961 Estado Civil : Casado Nº Filhos/idade : 03 ( 28/23/16 anos ) Endereço

Leia mais

REGULAMENTO. I Prêmio do Empreendedorismo Universitário

REGULAMENTO. I Prêmio do Empreendedorismo Universitário REGULAMENTO I Prêmio do Empreendedorismo Universitário 1. INTRODUÇÃO 1.1. O presente regulamento visa orientar os interessados em participar da 1.ª edição do Prêmio do Empreendedorismo Universitário, iniciativa

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO HORTALIÇAS E VEGETAIS PROCESSADOS

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO HORTALIÇAS E VEGETAIS PROCESSADOS OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO HORTALIÇAS E VEGETAIS PROCESSADOS 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

Pesquisa: Monitoramento de Mercado sobre o uso de recursos de Tecnologia da Informação em Escritórios de Contabilidade

Pesquisa: Monitoramento de Mercado sobre o uso de recursos de Tecnologia da Informação em Escritórios de Contabilidade Pesquisa: Monitoramento de Mercado sobre o uso de recursos de Tecnologia da Informação em Escritórios de Contabilidade Belo Horizonte, Junho de 2009 Sumário Introdução 03 A pesquisa 04 Caracterização do

Leia mais

PESQUISA DE IMAGEM DO TCE GO SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA

PESQUISA DE IMAGEM DO TCE GO SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE GOIAS PROGRAMA NACIONAL DE MODERNIZAÇÃO DO CONTROLE EXTERNO PROMOEX PESQUISA DE IMAGEM DO TCE GO SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA PESQUISA QUANTITATIVA NOVEMBRO / DEZEMBRO / 2010

Leia mais

FICHA DE CADASTRO EMPRETEC. Município Data: / /

FICHA DE CADASTRO EMPRETEC. Município Data: / / FICHA DE CADASTRO EMPRETEC Município Data: / / Caro Empreendedor, Obrigado por seu interesse pelo Empretec, um dos principais programas de desenvolvimento de empreendedores no Brasil e no Mundo! As questões

Leia mais

Perfil geral do Porto Digital (atualizado para Dezembro/2010) www.datametrica.com.br faleconosco@datametrica.com.br 81.3316.2600

Perfil geral do Porto Digital (atualizado para Dezembro/2010) www.datametrica.com.br faleconosco@datametrica.com.br 81.3316.2600 Perfil geral do Porto Digital (atualizado para Dezembro/2010) Dados Gerais do Porto Digital 191 Empresas *Empresas de TIC: Empresas de software e serviços de TIC; **Serviços associados: Empresas que prestam

Leia mais

INTERESSADOS DEVERÃO CADASTRAR CURRICULO GRATUITAMENTE EM NOSSO SITE WWW.MDRH.COM.BR MAIS INFORMAÇÕES TELEFONE 49-3323 5804

INTERESSADOS DEVERÃO CADASTRAR CURRICULO GRATUITAMENTE EM NOSSO SITE WWW.MDRH.COM.BR MAIS INFORMAÇÕES TELEFONE 49-3323 5804 Gerente Administrativo - Chapecó/SC Tipo de contrato: Indiferente Descrição: Atuará na área administrativa/ financeira na negociação com bancos, controle de contas, liberação de pagamentos,financiamentos.

Leia mais

Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012

Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012 Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012 Informações Básicas Recursos Humanos Foram pesquisadas as pessoas que trabalhavam na administração direta e indireta por vínculo empregatício e escolaridade;

Leia mais

XIII Seminário Internacional de Países Latinos Europa-América. Políticas de Facilitação de Créditos para o Desenvolvimento das PME

XIII Seminário Internacional de Países Latinos Europa-América. Políticas de Facilitação de Créditos para o Desenvolvimento das PME XIII Seminário Internacional de Países Latinos Europa-América Políticas de Facilitação de Créditos para o Desenvolvimento das PME Fortaleza, 30 de outubro de 2006 1 Sumário 1 - Mercado MPE 2 - Acesso ao

Leia mais

BRASÍLIA, 2013 CAPITAL DE GIRO COMO AS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS PODEM SE BENEFICIAR

BRASÍLIA, 2013 CAPITAL DE GIRO COMO AS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS PODEM SE BENEFICIAR BRASÍLIA, 2013 CAPITAL DE GIRO COMO AS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS PODEM SE BENEFICIAR CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA CNI Robson Braga de Andrade Presidente Diretoria de Comunicação Carlos Alberto

Leia mais

PLANO DE AÇÃO APLICADO NAS ORGANIZAÇÕES

PLANO DE AÇÃO APLICADO NAS ORGANIZAÇÕES Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins APLICADO NAS ORGANIZAÇÕES Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins APLICADO NAS ORGANIZAÇÕES Trabalho apresentado à disciplina

Leia mais

Norte Nordeste Centro-Oeste Sudeste Sul INTERNACIONAL

Norte Nordeste Centro-Oeste Sudeste Sul INTERNACIONAL 3.11 Perfil do turista Os documentos utilizados para a análise do perfil do turista que visita o Ceará são: Relatório de Pesquisa da Demanda Turística via Fortaleza 1999 foram aplicados 4.032 questionários

Leia mais

2ª Etapa 2009 a 2011. EI - Empreendedor Individual Profissionalizar para prosperar. Aqui, todos ganham!

2ª Etapa 2009 a 2011. EI - Empreendedor Individual Profissionalizar para prosperar. Aqui, todos ganham! 2ª Etapa 2009 a 2011 EI - Empreendedor Individual Profissionalizar para prosperar. Aqui, todos ganham! Benefícios para o Setor de Agenciamento de Viagens Com a Lei Complementar 128/08 - que alterou o Estatuto

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRA4007 EDITAL Nº 3/2010 1. Perfil: no. 1 Sol e Praia 3. Qualificação educacional: Pós-graduação em turismo, geografia, educação ambiental, recreação

Leia mais

VENHA FAZER PARTE DA NOSSA EQUIPE DE VENCEDORES! PROPOSTA DISTRIBUIDOR LA POZZI

VENHA FAZER PARTE DA NOSSA EQUIPE DE VENCEDORES! PROPOSTA DISTRIBUIDOR LA POZZI VENHA FAZER PARTE DA NOSSA EQUIPE DE VENCEDORES! PROPOSTA DISTRIBUIDOR LA POZZI INTRODUÇÃO A LaPozzi Professional Cosméticos fornece ao mercado de cosméticos capilar profissional, produtos inovadores,

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE NOVEMBRO/09

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE NOVEMBRO/09 SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE NOVEMBRO/09 COMENTÁRIOS Índice Nacional da Construção Civil apresentou variação de 0,33% em novembro O Índice

Leia mais

Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014

Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014 Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014 EQUIPE TÉCNICA DO IPETURIS Coordenação: Mariana Nery Pesquisadores: César Melo Tamiris Martins Viviane Silva Suporte: Gerson

Leia mais

Outras oportunidades podem ser visualizadas através de nosso site: www.crescerh.com.br

Outras oportunidades podem ser visualizadas através de nosso site: www.crescerh.com.br Olá! A CRESCER RH dispõe de vagas em diversas áreas. Outras oportunidades podem ser visualizadas através de nosso site: TELEMARKETING (Cód. 107635) Escolaridade: Ensino médio completo e/ou superior cursando

Leia mais

Perfil Sócio econômico do Turista de Eventos Apoiados / Captados pelo Recife Convention & Visitors Bureau Relatório de Pesquisa 2009

Perfil Sócio econômico do Turista de Eventos Apoiados / Captados pelo Recife Convention & Visitors Bureau Relatório de Pesquisa 2009 pesquisa e consult or ia Perfil Sócio econômico do Turista de Eventos Apoiados / Captados pelo Recife Convention & Visitors Bureau Relatório de Pesquisa 2009 DADOS GERAIS SOBRE A PESQUISA I- Apresentação:

Leia mais

O mercado de agências de São Luís do Maranhão, uma análise sobre gerenciamento em RH e serviços ofertados

O mercado de agências de São Luís do Maranhão, uma análise sobre gerenciamento em RH e serviços ofertados O mercado de agências de São Luís do Maranhão, uma análise sobre gerenciamento em RH e serviços ofertados Setor de Planejamento & Viagens Núcleo de Pesquisa e Documentação em Turismo. 1 UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

Feira e Congresso da Construção Civil. Data: 05 a 08 de outubro Local: Pavilhão da Expoville - Joinville(SC) Horário: 15h às 22h

Feira e Congresso da Construção Civil. Data: 05 a 08 de outubro Local: Pavilhão da Expoville - Joinville(SC) Horário: 15h às 22h Feira e Congresso da Construção Civil Data: 05 a 08 de outubro Local: Pavilhão da Expoville - Joinville(SC) Horário: 15h às 22h APRESENTAÇÃO ÓTIMAS OPORTUNIDADES REUNIDAS EM UM AMBIENTE DE GRANDES NEGÓCIOS

Leia mais

AVISO DE RETIFICAÇÃO II CREDENCIAMENTO N.º 502/2009

AVISO DE RETIFICAÇÃO II CREDENCIAMENTO N.º 502/2009 AVISO DE RETIFICAÇÃO II CREDENCIAMENTO N.º 502/2009 O SESI/SENAI - PR, torna pública a RETIFICAÇÃO referente ao Edital de CREDENCIAMENTO N.º 502/2009, conforme segue: Fica Incluído no ANEXO III - ÁREAS

Leia mais

Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões. Diretor-Presidente Luiz Eduardo Pereira Barretto Filho

Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões. Diretor-Presidente Luiz Eduardo Pereira Barretto Filho brasília-df 2012 2012. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação

Leia mais

PESQUISA SOBRE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO ONLINE NO BRASIL. Luiz E. M. Pagnez Valeria C. Bertolucci Viviane C. J. Macedo

PESQUISA SOBRE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO ONLINE NO BRASIL. Luiz E. M. Pagnez Valeria C. Bertolucci Viviane C. J. Macedo PESQUISA SOBRE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO ONLINE NO BRASIL Luiz E. M. Pagnez Valeria C. Bertolucci Viviane C. J. Macedo Fevereiro de 2011 INTRODUÇÃO Pesquisa sobre recrutamento e seleção online no Brasil Para

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO TREINAMENTO EMPRESARIAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO TREINAMENTO EMPRESARIAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO TREINAMENTO EMPRESARIAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser fotocopiada,

Leia mais

Demanda e Marketing Turísticos em Áreas Rurais

Demanda e Marketing Turísticos em Áreas Rurais Demanda e Marketing Turísticos em Áreas Rurais Retrato do Turismo Rural no Brasil, com foco nos Pequenos Negócios Perfil Empresarial Andrea Faria da Silva 1 Resumo: O estudo objetiva a geração de insumos,

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DOS PAIS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DOS PAIS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DOS PAIS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG 06/08/2012 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DOS PAIS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG Professores

Leia mais

O seu negócio, ao alcance da sua mão! Elaborado por TT Marketing

O seu negócio, ao alcance da sua mão! Elaborado por TT Marketing O seu negócio, ao alcance da sua mão! Um site que oferece espaço para outras empresas anunciarem seus produtos e serviços em todo território nacional, este é o Meu Guia.com. Nosso objetivo é estar sempre

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO LAVAGEM DE VEÍCULOS A SECO

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO LAVAGEM DE VEÍCULOS A SECO OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO LAVAGEM DE VEÍCULOS A SECO 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser

Leia mais

Ficha Técnica. Supervisão Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP

Ficha Técnica. Supervisão Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP Referência Ficha Técnica Plano de comunicação Resolução n 1.025, de 30 de outubro de 29 Supervisão Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP Elaboração Projeto ART e Acervo Técnico - Equipe

Leia mais

Seleciona : Área Administrativa Gestor de Custos Gerente de Compras Controller - Concórdia Coordenador de RH

Seleciona : Área Administrativa Gestor de Custos Gerente de Compras Controller - Concórdia Coordenador de RH Seleciona : Área Administrativa Gestor de Custos Empresa do ramo de transporte seleciona gestor de custos para auditorias nas filiais. Superior Completo em Ciências Contábeis ou Administração. Diferencial

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO LAVANDERIA ESPECIALIZADA

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO LAVANDERIA ESPECIALIZADA OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO LAVANDERIA ESPECIALIZADA 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser

Leia mais

PROPOSTA DE COVÊNIO JUNTO À ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE EMPRESAS DE TECNOLOGIA - ACATE -

PROPOSTA DE COVÊNIO JUNTO À ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE EMPRESAS DE TECNOLOGIA - ACATE - PROPOSTA DE COVÊNIO JUNTO À ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE EMPRESAS DE TECNOLOGIA - ACATE - Florianópolis, 27 de Agosto de 2014 Descrição do negócio: Empresa: Desterro Soluções Empresariais EIRELI EPP, CNPJ

Leia mais

ROTEIRO DE LEVANTAMENTO DE DADOS E INFORMAÇÕES PARA UM DIAGNÓSTICO INTEGRADO DE PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA

ROTEIRO DE LEVANTAMENTO DE DADOS E INFORMAÇÕES PARA UM DIAGNÓSTICO INTEGRADO DE PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS - UNICAMP INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS - IFCH DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E PLANEJAMENTO ECONÔMICO - DEPE CENTRO TÉCNICO ECONÔMICO DE ASSESSORIA EMPRESARIAL

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. Felipe Bornier)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. Felipe Bornier) PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. Felipe Bornier) Regulamenta o exercício do Profissional de Marketing, e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: Art. 1 0 - Quem é o que faz o profissional

Leia mais

PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL

PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO IV PERFIL DO TURISTA TABELAS JOÃO PESSOA-PB, JUNHO 2004 TABELA Nº01 PROCEDÊNCIA DOS TURISTAS JANEIRO/1999

Leia mais

Arranjo Produtivo Local

Arranjo Produtivo Local Arranjo Produtivo Local GN CAPTAÇÃO MICRO E PEQUENA EMPRESA SN Micro e Pequena Empresa Atuação em APL da CAIXA tem o objetivo de promover: Principais setores apoiados Aeroespacial Biotecnologia Couro e

Leia mais

São Francisco do Sul. Masculino 66% 56% 50% 51% 55% Feminino 34% 44% 50% 49% 45%

São Francisco do Sul. Masculino 66% 56% 50% 51% 55% Feminino 34% 44% 50% 49% 45% 1 2 A FECOMÉRCIO SC, com o intuito de mapear o perfil do turista e do empresário do turismo de carnaval em Santa Catarina, realizou uma pesquisa com esses públicos nas quatro cidades de maior movimento

Leia mais

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS OFICINA EMPRESARIAL COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS - ATENDIMENTO COLETIVO - 01 Como tudo começou... Manuais da série Como elaborar Atividade 02 Por que as empresas fecham? Causas das dificuldades e

Leia mais

0800 570 0800 / www.sebrae.com.br

0800 570 0800 / www.sebrae.com.br Sebrae em Goiás Conselho Deliberativo Marcelo Baiocchi Carneiro Presidente Elaboração e Coordenação Unidade de Gestão Estratégica Camilla Carvalho Costa Gerente Ficha Técnica Diretoria Executiva Manoel

Leia mais

O primeiro guia online de anúncios de Guarulhos a se tornar franquia nacional

O primeiro guia online de anúncios de Guarulhos a se tornar franquia nacional O primeiro guia online de anúncios de Guarulhos a se tornar franquia nacional O guia online Vitrine de Guarulhos é um dos produtos do Grupo Vitrine X3, lançado no dia 11/11/11 com o objetivo de promover

Leia mais

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo. 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Maio/ 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRA E CONFIANÇA DO CONSUMIDOR

PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRA E CONFIANÇA DO CONSUMIDOR DEZEMBRO/2010 PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRA E CONFIANÇA DO CONSUMIDOR RELATÓRIO MENSAL DA PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRA E CONFIANÇA DO CONSUMIDOR DE MANAUS, ANO 2010 - N 12 MANAUS AM 67,2% dos consumidores

Leia mais

Uma fonte inédita de informação

Uma fonte inédita de informação Mensagem do Presidente Uma fonte inédita de informação Este trabalho, patrocinado pelo Sincor-SP, corresponde a uma expectativa do setor quanto aos dados relativos às corretoras de seguros, em um momento

Leia mais

SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA. Presidente Nacional João Alberto Viol

SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA. Presidente Nacional João Alberto Viol SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA Presidente Nacional João Alberto Viol Diretor Executivo Antonio Othon Pires Rolim Gerente Executivo Claudinei Florencio Consultor

Leia mais