Perspectivas da Mineração no Mundo e no Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Perspectivas da Mineração no Mundo e no Brasil"

Transcrição

1 Perspectivas da Mineração no Mundo e no Brasil 2ª edição ISEE Brazil Porto Alegre, 24 de outubro de 2014 UFRGS Universidade Federal do Rio Grande do Sul

2 PERSPECTIVAS DA MINERAÇÃO NO MUNDO E NO BRASIL SUMÁRIO Cenário Mundial Séries Históricas de Produção Preços das Commodities Minerais Investimento em Exploração Mineral Evolução dos Títulos DNPM Produção Mineral Brasileira Investimentos Minerais Balança Mineral Que futuro queremos?

3 O CICLO DA PRODUÇÃO MINERAL MUNDIAL Ciclos econômicos a cada anos PREÇOS EM ALTA REDUÇÃO DA OFERTA MAIS PROSPECÇÃO, NOVAS MINAS PROSPECÇÃO REDUZIDA, FECHAMENTO DE MINAS AUMENTO DA OFERTA REDUÇÃO DOS PREÇOS 3

4 Fonte: British Geological Survey

5 Fonte: British Geological Survey

6 Fonte: British Geological Survey

7 Fonte: British Geological Survey

8 Fonte: British Geological Survey

9 Fonte: British Geological Survey

10 Fonte: British Geological Survey

11 Fonte: British Geological Survey

12 Fonte: British Geological Survey

13 Fonte: British Geological Survey

14 Fonte: British Geological Survey

15 Fonte: British Geological Survey

16 Fonte: British Geological Survey

17 Fonte: British Geological Survey

18 Fonte: British Geological Survey

19 WORLD MINE PRODUCTION OF: Fonte: British Geological Survey

20 WORLD MINE PRODUCTION OF: Fonte: British Geological Survey

21 WORLD MINE PRODUCTION OF: Fonte: British Geological Survey

22 WORLD MINE PRODUCTION OF: Fonte: British Geological Survey

23 WORLD MINE PRODUCTION OF: Fonte: British Geological Survey

24 WORLD MINE PRODUCTION OF: Fonte: British Geological Survey

25 WORLD MINE PRODUCTION OF: Fonte: British Geological Survey

26 IMPORTÂNCIA DO BRASIL NA PRODUÇÃO MINERAL MUNDIAL Fonte: IBRAM

27 PERSPECTIVAS DA MINERAÇÃO NO MUNDO E NO BRASIL SUMÁRIO Cenário Mundial Séries Históricas de Produção Preços das Commodities Minerais Investimento em Exploração Mineral Evolução dos Títulos DNPM Produção Mineral Brasileira Investimentos Minerais Balança Mineral Que futuro queremos?

28 PARTICIPAÇÃO BRASILEIRA NA PRODUÇÃO MUNDIAL DE MINÉRIO DE FERRO Brasil Mundo Fonte: USGS/DNPM/IBRAM Valores em Milhões de Toneladas

29 HISTÓRICO DA % BRASILEIRA DE MINÉRIO DE FERRO NA PRODUÇÃO MUNDIAL 25,00% 20,00% 15,00% 10,00% 5,00% 0,00% Fonte: USGS/DNPM/IBRAM

30 COMPARATIVO PRODUÇÃO DE MINÉRIO DE FERRO BRASIL E AUSTRÁLIA Milhões de Toneladas Austrália Brasil Valores em mil toneladas Fonte: USGS/IBRAM 30

31 PARTICIPAÇÃO BRASILEIRA NA PRODUÇÃO MUNDIAL DE BAUXITA Brasil Mundo Valores em Mil Toneladas Fonte: USGS/DNPM/IBRAM

32 HISTÓRICO DA % BRASILEIRA DE BAUXITA NA PRODUÇÃO MUNDIAL 16,00% 14,00% 12,00% 10,00% 8,00% 6,00% 4,00% 2,00% 0,00% 4,41% 0,51% 0,43% 0,24% 0,19% 0,52% 0,86% 0,36% 1,20% 10,37% 7,81% 8,03% 8,00% 15,02% 12,93% 13,61% 11,85% Fonte: USGS/DNPM/IBRAM

33 PARTICIPAÇÃO BRASILEIRA NA PRODUÇÃO MUNDIAL DE OURO Brasil Mundo ,7 8,2 5,5 5,6 5,6 3,7 5 5,6 7,8 40,3 62, Valores em Toneladas Fonte: USGS/DNPM/IBRAM

34 HISTÓRICO DA % BRASILEIRA DE OURO NA PRODUÇÃO MUNDIAL 4,50% 4,00% 4,15% 3,90% 3,50% 3,00% 3,34% 3,07% 2,63% 2,50% 2,00% 2,13% 2,37% 2,72% 1,50% 1,00% 0,50% 0,00% 0,51% 0,63% 0,74% 0,50% 0,38% 0,57% 0,27% 0,46% 0,34% 0,65% 1,54% Fonte: USGS/DNPM/IBRAM

35 PARTICIPAÇÃO BRASILEIRA NA PRODUÇÃO MUNDIAL CONCENTRADO DE NÍQUEL Brasil Mundo Valores em Mil Toneladas Fonte: USGS/DNPM/IBRAM

36 HISTÓRICO DA % BRASILEIRA CONCENTRADO DE NÍQUEL NA PRODUÇÃO MUNDIAL 3,00% 2,50% 2,58% 2,46% 2,55% 2,79% 2,63% 2,00% 1,50% 1,54% 1,51% 1,67% 1,00% 0,50% 0,29% 0,33% 0,00% Fonte: USGS/DNPM/IBRAM

37 PARTICIPAÇÃO BRASILEIRA NA PRODUÇÃO MUNDIAL DE ZINCO , , , , , Brasil Mundo 4.000, ,0 0, Valores em Mil Toneladas Fonte: USGS/DNPM/IBRAM

38 HISTÓRICO DA % BRASILEIRA DE ZINCO NA PRODUÇÃO MUNDIAL 3,00% 2,50% 2,00% 1,50% 1,44% 1,80% 1,65% 2,03% 1,73% 2,40% 2,25% 1,89% 1,00% 1,15% 0,50% 0,00% 0,54% 0,23% 0,12% 0,00% Fonte: USGS/DNPM/IBRAM

39 PERSPECTIVAS DA MINERAÇÃO NO MUNDO E NO BRASIL SUMÁRIO Cenário Mundial Séries Históricas de Produção Preços das Commodities Minerais Investimento em Exploração Mineral Evolução dos Títulos DNPM Produção Mineral Brasileira Investimentos Minerais Balança Mineral Que futuro queremos?

40 PREÇO MUNDIAL DO MINÉRIO DE FERRO, US$ POR TONELADA HISTÓRICO DE 7 ANOS 191,00 81,00 57,50 Fonte: Platts 40

41 PREÇO MUNDIAL DO MINÉRIO DE FERRO, US$ POR TONELADA HISTÓRICO DE 1 ANO 140,0 81,00 Out Fonte: Platts 41

42 PREÇO MUNDIAL OURO, US$ POR ONÇA HISTÓRICO DE 10 ANOS 1246,00 426,78 Fonte: Gold Price 42

43 PREÇO MUNDIAL OURO, US$ POR ONÇA HISTÓRICO DE 1 ANO 1.346, ,00 Fonte: Gold Price 43

44 PREÇO MUNDIAL ALUMÍNIO, US$ POR TONELADA HISTÓRICO DE 8 ANOS 2.085,00 Fonte: LME 44

45 PREÇO MUNDIAL ALUMÍNIO, US$ POR TONELADA HISTÓRICO DE 4 ANOS 2.100,00 Fonte: LME 45

46 PREÇO MUNDIAL DO NÍQUEL, US$ POR TONELADA HISTÓRICO DE 8 ANOS ,00 Fonte: LME 46

47 PREÇO MUNDIAL DO NÍQUEL, US$ POR TONELADA HISTÓRICO DE 4 ANOS ,00 Fonte: LME 47

48 PREÇO MUNDIAL DO ZINCO, US$ POR TONELADA HISTÓRICO DE 8 ANOS 2.157,0 Fonte: LME 48

49 PREÇO MUNDIAL DO ZINCO, US$ POR TONELADA HISTÓRICO DE 4 ANOS 2.187,0 Fonte: LME 49

50 Por: Luiz Alberto da Cunha Bustamante Consultor Legislativo - Área de Minas e Energia

51 Por: Luiz Alberto da Cunha Bustamante Consultor Legislativo - Área de Minas e Energia

52 PERSPECTIVAS DA MINERAÇÃO NO MUNDO E NO BRASIL SUMÁRIO Cenário Mundial Séries Históricas de Produção Preços das Commodities Minerais Investimento em Exploração Mineral Evolução dos Títulos DNPM Produção Mineral Brasileira Investimentos Minerais Balança Mineral Que futuro queremos?

53 RELAÇÃO ENTRE OCORRÊNCIAS MINERAIS anomalias 100 alvos sondados 15 depósitos minerais 4 jazidas Capital de Alto Risco para a Pesquisa Mineral 2 bons projetos 1 Mina Fonte: IBRAM 53

54 BRASIL OCUPA A 10ª POSIÇÃO EM EXPLORAÇÃO MUNDIAL NO SETOR MINERAL O Brasil, apesar do seu enorme potencial geológico, não tem se mostrado um país competitivo em questão de atração de investimentos de exploração e número de perfurações relevantes. Situação prejudicial para asjuniors Mining Companies. 54

55 PERSPECTIVAS DA MINERAÇÃO NO MUNDO E NO BRASIL SUMÁRIO Cenário Mundial Séries Históricas de Produção Preços das Commodities Minerais Investimento em Exploração Mineral Evolução dos Títulos DNPM Produção Mineral Brasileira Investimentos Minerais Balança Mineral Que futuro queremos?

56 EVOLUÇÃO DOS TÍTULOS MINERÁRIOS NO BRASIL Requerimentos de pesquisa Alvarás de pesquisa Relatórios de pesquisa aprovados Portarias de Lavra ,5 % 6,3 % 69 % 100% Fonte: DNPM

57 EVOLUÇÃO DOS TÍTULOS MINERÁRIOS NO BRASIL EM 2013 Requerimentos de pesquisa Alvarás de pesquisa Relatórios de pesquisa aprovados Portarias de Lavra 177 0,9 % 8,4 % 70 % 100% Fonte: DNPM

58 PERSPECTIVAS DA MINERAÇÃO NO MUNDO E NO BRASIL SUMÁRIO Cenário Mundial Séries Históricas de Produção Preços das Commodities Minerais Investimento em Exploração Mineral Evolução dos Títulos DNPM Produção Mineral Brasileira Investimentos Minerais Balança Mineral Que futuro queremos?

59 O CICLO DA PRODUÇÃO MINERAL Onde estamos em 2014? Ciclos econômicos a cada anos PREÇOS EM ALTA REDUÇÃO DA OFERTA MAIS PROSPECÇÃO, NOVAS MINAS PROSPECÇÃO REDUZIDA, FE CHAMENTO DE MINAS 2014 REDUÇÃO DOS PREÇOS AUMENTO DA OFERTA 59

60 Por: Luiz Alberto da Cunha Bustamante Consultor Legislativo - Área de Minas e Energia

61 PRODUÇÃO MINERAL BRASILEIRA EM US$ BILHÕES PMB Brasil em US$ bilhões O IBRAM realizou em fev/2014 a revisão dos valores da PMB 2012 e 2013, este último era anunciado como estimativa. Fonte: IBRAM Não inclui Petróleo e Gás. Valor médio por ano da PMB 61

62 PERSPECTIVAS DA MINERAÇÃO NO MUNDO E NO BRASIL SUMÁRIO Cenário Mundial Séries Históricas de Produção Preços das Commodities Minerais Investimento em Exploração Mineral Evolução dos Títulos DNPM Produção Mineral Brasileira Investimentos Minerais Balança Mineral Que futuro queremos?

63 A FORÇA DA BALANÇA MINERAL BRASILEIRA 2013 Brasil 2013 Exportações Importações Saldo 2013 Valores em US$ FOB Milhões Bens Minerais Valores em US$ FOB Milhões TOTAL Brasil Estado MG Exportações Importações Saldo Valores em US$ FOB Milhões Bens Minerais Valores em US$ FOB Milhões TOTAL estado Estado PA Exportações Importações Saldo Valores em US$ FOB Milhões Bens Minerais Valores em US$ FOB Milhões TOTAL estado Fonte: MDIC, elaboração IBRAM Estimativas calculadas em 07/ Saldo Mineral 12,5X o Saldo Brasil Saldo Mineral de MG responde por 85% de todo o saldo do Estado Saldo Mineral do PA responde por 80% de todo o saldo do Estado Saldo Est Saldo Est Saldo Est

64 PERSPECTIVAS DA MINERAÇÃO NO MUNDO E NO BRASIL SUMÁRIO Cenário Mundial Séries Históricas de Produção Preços das Commodities Minerais Investimento em Exploração Mineral Evolução dos Títulos DNPM Produção Mineral Brasileira Investimentos Minerais Balança Mineral Que futuro queremos?

65 O FUTURO QUE QUEREMOS Documento Final da RIO Nós assinalamos que os minerais e os metais constituem uma importante contribuição para a economia mundial e para as sociedades modernas. Nós observamos que as indústrias de mineração são importantes para todos os países com recursos minerais, em particular os países em desenvolvimento. Nós observamos também que a mineração oferece a oportunidade de catalisar o desenvolvimento econômico em base ampla, de reduzir a pobreza e de ajudar os países em desenvolvimento no cumprimento de metas de desenvolvimento acordadas internacionalmente, inclusive os Objetivos do Desenvolvimento do Milênio, quando geridos de forma efetiva e apropriada. Nós assinalamos que os países têm o direito soberano de desenvolver seus recursos minerais de acordo com suas prioridades nacionais e reponsabilidade concernente à explotação de recursos descrita nos Princípios do Rio. Adicionalmente, nós assinalamos que as atividades devem maximizar os benefícios sociais e econômicos, bem como efetivamente enfrentar os impactos ambientais e sociais negativos. Quanto a isto, nós reconhecemos que os Governos demandam forte capacidade para desenvolver, administrar e regular suas indústrias de mineração no interesse do desenvolvimento sustentável.

66 O FUTURO QUE QUEREMOS Documento Final da RIO Nós reconhecemos a importância de estruturas legais e regulatórias, de políticas e práticas sólidas e efetivas para o setor da mineração que tragam benefícios econômicos e sociais e incluam salvaguardas que reduzam os impactos ambientais, bem como conserve a biodiversidade e os ecossistemas, inclusive durante o pós-fechamento das minas. Nós conclamamos governos e empresários a promover contínuos aperfeiçoamentos na responsabilidade e na transparência, bem como na efetividade de mecanismos existentes relevantes na prevenção de fluxos financeiros ilícitos oriundos de atividades de mineração.

67 O FUTURO QUE QUEREMOS Documento Final da RIO+20 Destaque do tópico MINERAÇÃO, i) a importância dos minerais e dos metais para a economia mundial e para as sociedades modernas, particularmente para os países detentores de recursos minerais e os em desenvolvimento; ii) o direito soberano dos países na exploração e no aproveitamento desses seus recursos de acordo com suas prioridades nacionais; iii) a responsabilidade que têm de conduzir essas atividades maximizando os benefícios sociais e econômicos, bem como de enfrentar os impactos ambientais e sociais negativos que delas possam decorrer; iv) a forte demanda aos Governos quanto à capacidade para desenvolver, administrar e regular as indústrias de mineração de seus países no interesse do desenvolvimento sustentável; v) a importância de estruturas legais e regulatórias, de políticas e práticas sólidas e efetivas para a mineração que tragam benefícios econômicos e sociais e incluam salvaguardas que reduzam os impactos ambientais, bem como conservem a biodiversidade e os ecossistemas, inclusive no pósfechamento das minas.

68 PANORAMA ATUAL DA MINERAÇÃO TRIPÉ FUNDAMENTAL RESPEITO AOS DIREITOS ADQUIRIDOS ATRATIVIDADE PARA INVESTIMENTOS SEGURANÇA JURÍDICA

69 QUE FUTURO ESTAMOS BUSCANDO PARA O SETOR MINERAL?

70 COMO AS ÁREAS DE INFRAESTRUTURA SÃO PERCEBIDAS PELA INDÚSTRIA: Portos Saneamento Rodovias e Ferrovias Aeroportos Energia Telecom Menos Desenvolvido Nível de Desenvolvimento e Competitividade do Setor Mais Desenvolvido Fonte: CNI

71 A BAIXA QUALIDADE DA INFRAESTRUTURA PENALIZA OS CUSTOS DE PRODUÇÃO: Estradas de má qualidade, portos ineficientes, cabotagem pequena, falta de ferrovias e de áreas de armazenagem, entre outros, afetam a indústria e a sua capacidade de se integrar às cadeias globais de produção. A indústria moderna necessita de sistemas integrados de transportes e sistemas logísticos eficientes. O governo já percebeu que a recuperação do déficit da infraestrutura depende da efetiva participação do setor privado no investimento e na gestão dos serviços. Lembrando que 75% da carga das ferrovias brasileiras é minério de ferro e que 95% das exportações saem por via marítima. Fonte: CNI

72 OS PORTOS: INEFICIÊNCIA E CRESCENTE ESTRANGULAMENTO Os portos brasileiros são o principal gargalo da nossa cadeia logística. Sua baixa eficiência e saturação vêm comprometendo a competitividade da economia brasileira. No último ranking do Fórum Econômico Mundial, publicado em setembro de 2012, o Brasil figura entre as 10 piores nações em termos de qualidade da infraestrutura portuária dentre 144 países analisados (posição 135). Ranking Fórum Econômico Mundial Portos (2012)

73 DESAFIOS QUE PODEM SE TORNAR OPORTUNIDADES PARA O BRASIL País de Dimensões Continentais País de Tradição Mineral Conhecimento Geológico Relativa Logística Favorável Formação de Capital Humano

74 DESAFIOS QUE PODEM SE TORNAR OPORTUNIDADES PARA O BRASIL As grandes empresas de mineração querem estar no Brasil Fatores Demandantes Mundiais continuarão forte por pelo menos 15 anos Déficit Habitacional Aumento da renda do brasileiro Bônus Demográfico até 2020

75 DESAFIOS QUE PODEM SE TORNAR OPORTUNIDADES PARA O BRASIL Materiais em Turbinas Eólicas em kg/mw Turbina Aço, Inox Concreto Fibra de Vidro Vários Cobre Nd Ferro Fundido Peso Total Modelo Modelo , Fonte: Wind Energy in the United States and Materials Required for the Land-Based Wind Turbine Industry From Through U.S. Department of the Interior & U.S. Geological Survey Por: Luiz Alberto da Cunha Bustamante Consultor Legislativo - Área de Minas e Energia

76 Obrigado! Marcelo Ribeiro Tunes Diretor de Assuntos Minerários

Perspectivas da Mineração no Mundo e no Brasil. Rio de Janeiro, 25 de novembro de 2014 Hotel Pestana

Perspectivas da Mineração no Mundo e no Brasil. Rio de Janeiro, 25 de novembro de 2014 Hotel Pestana Perspectivas da Mineração no Mundo e no Brasil Rio de Janeiro, 25 de novembro de 2014 Hotel Pestana O FUTURO QUE QUEREMOS Documento Final da RIO+20 227. Nós assinalamos que os minerais e os metais constituem

Leia mais

TEMA: DESAFIOS LOGÍSTICOS

TEMA: DESAFIOS LOGÍSTICOS Câmara dos Deputados Comissão Especial PL 0037/11 Audiência Pública em 18 de Setembro de 2013 TEMA: DESAFIOS LOGÍSTICOS (Brasília-DF) INSTITUTO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO SUMÁRIO 1) A MINERAÇÃO HOJE 2) MINERAÇÃO

Leia mais

Workshop Oportunidades de Desenvolvimento e Inovação em Mineração e Metais

Workshop Oportunidades de Desenvolvimento e Inovação em Mineração e Metais Workshop Oportunidades de Desenvolvimento e Inovação em Mineração e Metais 27 de Outubro de 2015 Local: Finep - Av. República do Chile, 330, 10º andar - Centro, Rio de Janeiro RJ IBRAM-Instituto Brasileiro

Leia mais

1º FÓRUM BRASILEIRO DE MINERAÇÃO

1º FÓRUM BRASILEIRO DE MINERAÇÃO 1º FÓRUM BRASILEIRO DE MINERAÇÃO Painel 2 Fatores Presentes e Projeções de Futuro para a Mineração Brasileira José Fernando Coura Diretor Presidente IBRAM Belo Horizonte (MG) - 21 de fevereiro de 2014

Leia mais

CONGRESSO TOCANTINENSE DE ENGENHARIA E MINERAÇÃO. Gestão para a Sustentabilidade na Mineração 20 anos de história

CONGRESSO TOCANTINENSE DE ENGENHARIA E MINERAÇÃO. Gestão para a Sustentabilidade na Mineração 20 anos de história CONGRESSO TOCANTINENSE DE ENGENHARIA E MINERAÇÃO Gestão para a Sustentabilidade na Mineração 20 anos de história Palmas, 13 de maio de 2014 IBRAM-Instituto Brasileiro de Mineração Organização privada,

Leia mais

Investimentos do Setor Mineral e seus Aspectos Positivos para a Economia Brasileira

Investimentos do Setor Mineral e seus Aspectos Positivos para a Economia Brasileira Investimentos do Setor Mineral e seus Aspectos Positivos para a Economia Brasileira Equipo Mining 2012 14 a 17 de agosto de 2012 MEGA SPACE - Grande Belo Horizonte BELO HORIZONTE, 15 de agosto de 2012

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO. Assunto: Produção Mineral Brasileira X Mundial 1930-2012. (Brasília-DF, 04 de Abril de 2013)

INSTITUTO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO. Assunto: Produção Mineral Brasileira X Mundial 1930-2012. (Brasília-DF, 04 de Abril de 2013) INSTITUTO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO Assunto: Produção Mineral Brasileira X Mundial 1930-2012 (Brasília-DF, 04 de Abril de 2013) DISTRIBUIÇÃO DAS SUBSTÂNCIAS EM % NO VALOR DA PRODUÇÃO GLOBAL Fonte: ICMM e

Leia mais

A A Mineração e o Novo Cenário Socioeconômico Painel 3: A Infraestrutura no Brasil e a Expansão da Produção dos Bens Minerais José de Freitas Mascarenhas Vice-Presidente e Presidente do Coinfra (CNI) Belo

Leia mais

TEMA: MINERAÇÃO NO BRASIL

TEMA: MINERAÇÃO NO BRASIL TEMA: MINERAÇÃO NO BRASIL ( 23.10.2003, Manaus-AM) INSTITUTO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO A mineração é uma das atividades econômicas mais antigas e tradicionais do Brasil. A mineração é uma das atividades

Leia mais

O Ambiente da Mineração no Brasil. Mining Day PwC

O Ambiente da Mineração no Brasil. Mining Day PwC O Ambiente da Mineração no Brasil Mining Day PwC 24 de setembro de 2012 Um pouco sobre o IBRAM IBRAM-Instituto Brasileiro de Mineração Organização privada, sem fins lucrativos, que representa a Indústria

Leia mais

A Mineração e a. Política Nacional de Mudança do Clima

A Mineração e a. Política Nacional de Mudança do Clima Secretaria de Geologia, A e a Política Nacional de Mudança do Clima Departamento de Desenvolvimento Sustentável na Secretaria de Geologia, Ministério das Minas e Energia Secretaria de Geologia, SUMÁRIO

Leia mais

PARÁ Fomento à exploração mineral

PARÁ Fomento à exploração mineral PARÁ Fomento à exploração mineral Ouro Preto, Maio de 2016 2 O ESTADO DO PARÁ Brasil Região Amazônica Estado do Pará Regiões de Integração Informações PARÁ Part (%) no Brasil Área (1.000 km 2 ) 1.248 15%

Leia mais

SIMEXMIN 2012 - Visão Empresarial Sobre as Diretrizes do Governo para o Setor Mineral e Contribuição à Sua Adequação

SIMEXMIN 2012 - Visão Empresarial Sobre as Diretrizes do Governo para o Setor Mineral e Contribuição à Sua Adequação SIMEXMIN 2012 - Visão Empresarial Sobre as Diretrizes do Governo para o Setor Mineral e Contribuição à Sua Adequação SIMEXMIN 2012 OURO PRETO, 21 de maio de 2012 IBRAM-Instituto Brasileiro de Mineração

Leia mais

ENCONTRO: AS OPORTUNIDADES E O FUTURO DO SETOR DE MINERAÇÃO E AS TENDÊNCIAS INTERNACIONAIS

ENCONTRO: AS OPORTUNIDADES E O FUTURO DO SETOR DE MINERAÇÃO E AS TENDÊNCIAS INTERNACIONAIS ENCONTRO: AS OPORTUNIDADES E O FUTURO DO SETOR DE MINERAÇÃO E AS TENDÊNCIAS INTERNACIONAIS Perspectivas da Indústria Mineral em Minas Gerais Painel: As oportunidades e o futuro do setor de mineração no

Leia mais

DESAFIOS E PERSPECTIVAS DA INFRAESTRUTURA LOGÍSTICA BRASILEIRA

DESAFIOS E PERSPECTIVAS DA INFRAESTRUTURA LOGÍSTICA BRASILEIRA DESAFIOS E PERSPECTIVAS DA INFRAESTRUTURA LOGÍSTICA BRASILEIRA Fernando S. Marcato 23.03.2015 Três pontos principais... Gargalos da infraestrutura constituem um dos maiores entraves ao crescimento sustentado

Leia mais

Problemas, perspectivas e desafios

Problemas, perspectivas e desafios Mineração no Brasil Problemas, perspectivas e desafios Bruno Milanez Universidade Federal de Juiz de Fora Rede Brasileira de Justiça Ambiental Extractivismo: nuevos contextos de dominacióny resistencias

Leia mais

A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências

A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências Prof. Manoel A. S. Reis, PhD I SEMINÁRIO DE INFRAESTRUTURA DA BRITCHAM Segmento de Transportes no Brasil São Paulo 18 de Novembro de 2010 1. Características

Leia mais

Julia Paletta Mestre em Economia Internacional pela Universidade de Xangai

Julia Paletta Mestre em Economia Internacional pela Universidade de Xangai Investimentos EstrangeirosDiretos China -Brasil Julia Paletta Mestre em Economia Internacional pela Universidade de Xangai / p Tópicos abordados 1.Evolução do IED Chinês no Brasil e mudança de perfil ao

Leia mais

ÁGUA NA INDÚSTRIA MINERAL, IMPACTOS DA SECA, PERSPECTIVAS

ÁGUA NA INDÚSTRIA MINERAL, IMPACTOS DA SECA, PERSPECTIVAS ÁGUA NA INDÚSTRIA MINERAL, IMPACTOS DA SECA, PERSPECTIVAS Virginia S. T. Ciminelli Departamento de Engenharia Metalúrgica e Materiais, UFMG INCT em Recursos Minerais, Água e Biodiversidade. Raíssa R. V.

Leia mais

Os desafios da extração mineral na Região Norte em prol do desenvolvimento socioeconômico

Os desafios da extração mineral na Região Norte em prol do desenvolvimento socioeconômico Centro de Tecnologia Mineral Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Os desafios da extração mineral na Região Norte em prol do desenvolvimento socioeconômico Rodrigo Braga da Rocha Villa Verde Renata

Leia mais

José de F. Mascarenhas Presidente do Conselho de Infraestrutura da CNI

José de F. Mascarenhas Presidente do Conselho de Infraestrutura da CNI José de F. Mascarenhas Presidente do Conselho de Infraestrutura da CNI Os nós da infraestrutura OS CENÁRIOS CONSIDERADOS Patinando na infraestrutura deficitária Atingindo a velocidade de cruzeiro Para

Leia mais

EQUIPE DE PROJETO NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM

EQUIPE DE PROJETO NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM EQUIPE DE PROJETO NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM Brasília, Outubro de 2015 EQUIPE DE PROJETO INTRODUÇÃO E MOTIVAÇÃO A área marítima e portuária deverão atrair no próximos anos muitos investimentos; Motivos para

Leia mais

CSHG Strategy II FIC FIA Comentário do Gestor

CSHG Strategy II FIC FIA Comentário do Gestor A presente Instituição aderiu ao Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento. CSHG Strategy II FIC FIA Comentário do Gestor Agosto 2010 Em Agosto, o fundo CSHG Strategy

Leia mais

Experiência da CNI na promoção da Inovação no Setor Mineral

Experiência da CNI na promoção da Inovação no Setor Mineral Experiência da CNI na promoção da Inovação no Setor Mineral PAULO MOL Diretor de Inovação Brasília, 10 de junho de 2013 Brasil precisa ser mais competitivo e a inovação é um dos caminhos 6ª Economia Mundial

Leia mais

BALANÇO ECONÔMICO 2013 & PERSPECTIVAS 2014

BALANÇO ECONÔMICO 2013 & PERSPECTIVAS 2014 BALANÇO ECONÔMICO 2013 & PERSPECTIVAS 2014 Porto Alegre, 4 de fevereiro de 2014 a CENÁRIO INTERNACIONAL CRESCIMENTO ANUAL DO PIB VAR. % ESTADOS UNIDOS: Focos de incerteza Política fiscal restritiva Retirada

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA

AUDIÊNCIA PÚBLICA COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA AUDIÊNCIA PÚBLICA COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA Impactos ambientais, financeiros e sociais do novo Código de Mineração 07 de julho de 2015 O Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) Organização privada,

Leia mais

Radar das Dimensões da Sustentabilidade na Mineração. Maria Amélia Enríquez mameliaenriquez@gmail.com amelia@ufpa.br

Radar das Dimensões da Sustentabilidade na Mineração. Maria Amélia Enríquez mameliaenriquez@gmail.com amelia@ufpa.br Radar das Dimensões da Sustentabilidade na Mineração Maria Amélia Enríquez mameliaenriquez@gmail.com amelia@ufpa.br Percepções da mineração Previsão de crescimento populacional Países (por nível de renda):

Leia mais

O SETOR MINERAL BRASILEIRO

O SETOR MINERAL BRASILEIRO Ministério de Minas Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral - SGM O SETOR MINERAL BRASILEIRO CARLOS NOGUEIRA DA COSTA JUNIOR Secretário ACADEMIA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS Simpósio Recursos

Leia mais

MINERAÇÃO NA BAHIA: RANKING NACIONAL E POTENCIAL DA PESQUISA MINERAL

MINERAÇÃO NA BAHIA: RANKING NACIONAL E POTENCIAL DA PESQUISA MINERAL MINERAÇÃO NA BAHIA: RANKING NACIONAL E POTENCIAL DA PESQUISA MINERAL Sessão Técnica: Mina a Céu Aberto Aspectos Econômicos e Sociais AUTORES: Cláudia Maia, Eriberto Leite, Osmar Silva e Rodrigo Lanfranchi

Leia mais

O DESAFIO BRASILEIRO

O DESAFIO BRASILEIRO O DESAFIO BRASILEIRO 1 Principais desafios do comércio mundial para o Brasil O comércio global brasileiro por meio de contêineres principal motor para a globalização do país está crescendo cerca de 4%

Leia mais

(Hangar Centro de Convenções da Amazônia / Belém-PA 10 de novembro de 2008)

(Hangar Centro de Convenções da Amazônia / Belém-PA 10 de novembro de 2008) PRONUNCIAMENTO DO DIRETOR-PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO IBRAM, PAULO CAMILLO VARGAS PENNA NA SOLENIDADE DE ABERTURA DA EXPOSIBRAM AMAZÔNIA 2008 I CONGRESSO DE MINERAÇÃO DA AMAZÔNIA E

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral

Ministério de Minas e Energia Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral Ministério de Minas e Energia Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral 1 Objetivos do Novo Modelo Fortalecer a ação do Estado no processo regulatório (soberania sobre os recursos minerais);

Leia mais

Pronunciamento de Ronaldo Lima, Gerente Executivo do IBRAM Amazônia, durante sua posse, em 15/04/2013.

Pronunciamento de Ronaldo Lima, Gerente Executivo do IBRAM Amazônia, durante sua posse, em 15/04/2013. Pronunciamento de Ronaldo Lima, Gerente Executivo do IBRAM Amazônia, durante sua posse, em 15/04/2013. Quero agradecer a presença de todos os que aqui vieram prestigiar esse evento. Agradeço a Federação

Leia mais

Entraves às exportações brasileiras limitam o crescimento das vendas ao exterior

Entraves às exportações brasileiras limitam o crescimento das vendas ao exterior propostas de política comercial Entraves às exportações brasileiras limitam o crescimento das vendas ao exterior Marcelo Souza Azevedo O Brasil não pode cair na armadilha de acreditar que o mercado consumidor

Leia mais

Integração latino-americana no contexto da crise mundial: a perspectiva empresarial 27/09/2011 Comissão de Assuntos Sociais

Integração latino-americana no contexto da crise mundial: a perspectiva empresarial 27/09/2011 Comissão de Assuntos Sociais Integração latino-americana no contexto da crise mundial: a perspectiva empresarial 27/09/2011 Comissão de Assuntos Sociais Temas da Apresentação 1. Exportação de Serviços de Engenharia e Integração Regional

Leia mais

O que é a Pesquisa Mineral?

O que é a Pesquisa Mineral? O que é a Pesquisa Mineral? Belém, 08 de Agosto de 2012 O QUE É A PESQUISA MINERAL? A Pesquisa Mineral é um conjunto de atividades desenvolvidas, sem garantia de sucesso, para evidenciar a existência de

Leia mais

Empresas mineradoras no Brasil

Empresas mineradoras no Brasil Em 211, a Produção Mineral Brasileira (PMB) deverá atingir um novo recorde ao totalizar US$ 5 bilhões (valor estimado), o que configurará um aumento de 28% se comparado ao valor registrado em 21: US$ 39

Leia mais

A Economia Brasileira e o Governo Dilma: Desafios e Oportunidades. Britcham São Paulo. Rubens Sardenberg Economista-chefe. 25 de fevereiro de 2011

A Economia Brasileira e o Governo Dilma: Desafios e Oportunidades. Britcham São Paulo. Rubens Sardenberg Economista-chefe. 25 de fevereiro de 2011 A Economia Brasileira e o Governo Dilma: Desafios e Oportunidades Britcham São Paulo 25 de fevereiro de 2011 Rubens Sardenberg Economista-chefe Onde estamos? Indicadores de Conjuntura Inflação em alta

Leia mais

Análise do Mercado de Alumínio

Análise do Mercado de Alumínio Análise do Mercado de Alumínio 5º. Seminario de Trefilação - ABM 24.11.2014 Preparado por: Eng. Ayrton Filleti Diretor Técnico/ Presidente Emérito Associação Brasileira do Alumínio - ABAL Roteiro Introducão

Leia mais

CONSTRUTORA ÁPIA Praça Santo Antônio, 100 Aeroporto. Cep: 31270-860 Belo Horizonte. Minas Gerais Tel: (31) 3490.4200. grupoapia.com.

CONSTRUTORA ÁPIA Praça Santo Antônio, 100 Aeroporto. Cep: 31270-860 Belo Horizonte. Minas Gerais Tel: (31) 3490.4200. grupoapia.com. CONSTRUTORA ÁPIA Praça Santo Antônio, 100 Aeroporto. Cep: 31270-860 Belo Horizonte. Minas Gerais Tel: (31) 3490.4200 grupoapia.com.br EVOLUINDO A CADA DIA, para crescermos fortes,assumindo nossa parte

Leia mais

Brasil-China no Século XXI

Brasil-China no Século XXI Brasil-China no Século XXI Pespectivas para uma Parceria de Sucesso Gabriel Stoliar Diretor Executivo de Planejamento e Gestão Abril 2004 1 A progressão da economia chinesa é um dos fenômenos deste início

Leia mais

Curso de Políticas Públicas e Desenvolvimento Econômico Aula 2 Política Macroeconômica

Curso de Políticas Públicas e Desenvolvimento Econômico Aula 2 Política Macroeconômica Escola Nacional de Administração Pública - ENAP Curso: Políticas Públicas e Desenvolvimento Econômico Professor: José Luiz Pagnussat Período: 11 a 13 de novembro de 2013 Curso de Políticas Públicas e Desenvolvimento

Leia mais

SINGEO/MG NOVO MARCO REGULATÓRIO DA MINERAÇÃO: IMPACTOS SOBRE INVESTIMENTOS JOÃO CÉSAR DE FREITAS PINHEIRO. GEÓLOGO, Ph.D

SINGEO/MG NOVO MARCO REGULATÓRIO DA MINERAÇÃO: IMPACTOS SOBRE INVESTIMENTOS JOÃO CÉSAR DE FREITAS PINHEIRO. GEÓLOGO, Ph.D SINGEO/MG NOVO MARCO REGULATÓRIO DA MINERAÇÃO: IMPACTOS SOBRE INVESTIMENTOS JOÃO CÉSAR DE FREITAS PINHEIRO GEÓLOGO, Ph.D Belo Horizonte Junho de 2013 GF Consultoria Características dos Investimentos Setor

Leia mais

Mapa de Riscos Jurídicos Ambientais

Mapa de Riscos Jurídicos Ambientais Mapa de Riscos Jurídicos Ambientais Atividades Minerárias Seminário Internacional de Direito Ambiental Empresarial Rio de Janeiro 31/05/2012 1 Grupo Votorantim 94 ANOS de historia Multinacional brasileira

Leia mais

Não é tarde demais para combater as mudanças climáticas O sumário do IPCC diz:

Não é tarde demais para combater as mudanças climáticas O sumário do IPCC diz: Sumário dos resultados-chave do Quarto Relatório de Avaliação do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, Grupo de Trabalho III de Mitigação de Mudanças Climáticas Bangkok, Maio de 2007 Não é

Leia mais

A Mineração Industrial em Goiás

A Mineração Industrial em Goiás A Mineração Industrial em Goiás Luciano Ferreira da Silva 1 Resumo: A extração mineral constitui atividade de relevante importância para a economia do estado de Goiás, ocupando posição de destaque no cenário

Leia mais

Luciano Coutinho Presidente

Luciano Coutinho Presidente Atratividade do Brasil: avanços e desafios Fórum de Atratividade BRAiN Brasil São Paulo, 03 de junho de 2011 Luciano Coutinho Presidente O Brasil ingressa em um novo ciclo de desenvolvimento A economia

Leia mais

Seminário Nacional do Setor Metalúrgico O Brasil diante da desindustrialização e o ajuste fiscal

Seminário Nacional do Setor Metalúrgico O Brasil diante da desindustrialização e o ajuste fiscal Seminário Nacional do Setor Metalúrgico O Brasil diante da desindustrialização e o ajuste fiscal Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda São Paulo, 07 de Outubro de 2015 1 2 3 4 5 O quadro internacional A

Leia mais

China: novos rumos, mais oportunidades

China: novos rumos, mais oportunidades China: novos rumos, mais oportunidades Brasil pode investir em diversas áreas, como tecnologia, exploração espacial e infraestrutura 10 KPMG Business Magazine A China continua a ter na Europa o principal

Leia mais

As perspectivas da. Murilo Ferreira Diretor-presidente Belo Horizonte, 24 de setembro de 2013

As perspectivas da. Murilo Ferreira Diretor-presidente Belo Horizonte, 24 de setembro de 2013 As perspectivas da mineração no Brasil Murilo Ferreira Diretor-presidente Belo Horizonte, 24 de setembro de 2013 Agenda Carajás, Brazil 1 A mineração no Brasil 2 A d d l b l minérios e metais A demanda

Leia mais

AUSTRÁLIA Comércio Exterior

AUSTRÁLIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC AUSTRÁLIA Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Grande Carajás, projetos de desenvolvimento e conflitos no Maranhão

Grande Carajás, projetos de desenvolvimento e conflitos no Maranhão Grande Carajás, projetos de desenvolvimento e conflitos no Maranhão Horácio Antunes de Sant Ana Júnior e Bartolomeu Rodrigues Mendonça 1 A primeira década do século XXI, no Brasil, pode ser caracterizada

Leia mais

Cidades: O Que Fazer? Competitividade e Desenvolvimento Sustentável no Brasil Senado Federal Subcomissão Permanente de Acompanhamento da Rio+20 e do

Cidades: O Que Fazer? Competitividade e Desenvolvimento Sustentável no Brasil Senado Federal Subcomissão Permanente de Acompanhamento da Rio+20 e do Cidades: O Que Fazer? Competitividade e Desenvolvimento Sustentável no Brasil Senado Federal Subcomissão Permanente de Acompanhamento da Rio+20 e do regime internacional sobre mudanças climáticas Brasília,

Leia mais

FOCO NA MINERAÇÃO OPÇÃO ESTRATÉGICA PARA PLANEJAMENTO DE MÍDIA VOLTADO ESPECIALMENTE AO SETOR MINERAL

FOCO NA MINERAÇÃO OPÇÃO ESTRATÉGICA PARA PLANEJAMENTO DE MÍDIA VOLTADO ESPECIALMENTE AO SETOR MINERAL FOCO NA MINERAÇÃO OPÇÃO ESTRATÉGICA PARA PLANEJAMENTO DE MÍDIA VOLTADO ESPECIALMENTE AO SETOR MINERAL M E D I A K I T 2 0 1 6 PERFIL EDITORIAL IN THE MINE é uma publicação dirigida à indústria de mineração

Leia mais

Análise econômica e suporte para as decisões empresariais

Análise econômica e suporte para as decisões empresariais Cenário Moveleiro Análise econômica e suporte para as decisões empresariais Número 01/2008 Cenário Moveleiro Número 01/2008 1 Cenário Moveleiro Análise econômica e suporte para as decisões empresariais

Leia mais

Cadeia Produtiva da Indústria Mineral Metodologias e boas práticas

Cadeia Produtiva da Indústria Mineral Metodologias e boas práticas Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral Cadeia Produtiva da Indústria Mineral Metodologias e boas práticas Carlos Nogueira da Costa Junior Secretário-Adjunto Natal, 13de outubro de 2005

Leia mais

O NOVO MARCO REGULATÓRIO DA MINERAÇÃO NO BRASIL

O NOVO MARCO REGULATÓRIO DA MINERAÇÃO NO BRASIL O NOVO MARCO REGULATÓRIO DA MINERAÇÃO NO BRASIL Comissão Especial de Mineração da Câmara dos Deputados Brasília, 27 de agosto de 2013 I PANORAMA ATUAL DA MINERAÇÃO A) BRASIL NO MUNDO Area > 3 milhões km²

Leia mais

Necessidade de Capacitação Institucional para os Próximos Três Anos

Necessidade de Capacitação Institucional para os Próximos Três Anos REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS Reforço da Gestão Macro Fiscal No Contexto da Exploração dos Recursos Naturais Necessidade de Capacitação Institucional para os Próximos Três Anos Por: Isabel

Leia mais

Brasil: Potência ou Colônia? Uma reflexão necessária...

Brasil: Potência ou Colônia? Uma reflexão necessária... Brasil: Potência ou Colônia? Uma reflexão necessária... Sede Nacional Sede Nacional - SP Fundação: 1937 - origem em um sindicato têxtil; Possui 1.500 empresas associadas e representa 4,5 mil empresas;

Leia mais

FIESP MUDANÇA DO CLIMA

FIESP MUDANÇA DO CLIMA MUDANÇA DO CLIMA Posicionamento FIESP Posicionamento FIESP para a COP16 A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), representante do maior parque industrial brasileiro, tem acompanhado atentamente

Leia mais

Operações Estruturadas sob o Conceito de Parceria Público Privado -PPP

Operações Estruturadas sob o Conceito de Parceria Público Privado -PPP Operações Estruturadas sob o Conceito de Parceria -PPP Premissas: Modelos apresentados são meramente exemplificativos; Não há comprometimento do BB na concessão de crédito ou prestação de garantia; Trata-se

Leia mais

A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO E DE BENS DE CAPITAL

A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO E DE BENS DE CAPITAL A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO E DE BENS DE CAPITAL Uma análise do período 2000 2011 Abril de 2012 A competitividade da ind. de transformação e de BK A evolução do período 2000 2011, do:

Leia mais

Cenários Macroeconômicos para 2014. Wellington Santos Damasceno ETENE

Cenários Macroeconômicos para 2014. Wellington Santos Damasceno ETENE Cenários Macroeconômicos para 2014 Wellington Santos Damasceno ETENE Fortaleza CE 28/11/2013 Cenário Internacional Regiões e Países Selecionados Variação do PIB real (%) Fonte: World Economic Outlook Database,

Leia mais

Portugal 2020 Lançados Programas Operacionais

Portugal 2020 Lançados Programas Operacionais Portugal 2020 Lançados Programas Operacionais Novos PO detêm um valor global de quase 12,2 mil M de financiamento comunitário Alerta de Cliente Dezembro de 2014 Temas/Assuntos: Numa cerimónia realizada

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO DESAFIOS LOGÍSTICOS FLORIANÓPOLIS AGOSTO 2013

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO DESAFIOS LOGÍSTICOS FLORIANÓPOLIS AGOSTO 2013 AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO DESAFIOS LOGÍSTICOS ENESUL -2013 FLORIANÓPOLIS AGOSTO 2013 Metodologia de Trabalho Identificação de Mercados Aptidão e Competitividade da Produção Competitividade

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima Plano de Mineração de Baixa Emissão de Carbono (PMBC)

CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima Plano de Mineração de Baixa Emissão de Carbono (PMBC) CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima Plano de Mineração de Baixa Emissão de Carbono (PMBC) Rio de Janeiro/RJ 6 de julho de 2012 Processo de Construção do PMBC Grupo

Leia mais

32º Seminário de Logística

32º Seminário de Logística 32º Seminário de Logística Antônio Bacelar Teixeira Painel 3: Impacto da Logística na competitividade da Siderurgia 1 A provocação e o desafio... Seminário ABM 2012 (BH) (Leal / Rogério / Carlos Fernandes)

Leia mais

Econ. Paulo Zoldan SEF/Dior

Econ. Paulo Zoldan SEF/Dior Econ. Paulo Zoldan SEF/Dior Estrutura da Apresentação População - distribuição e estrutura Produção (PIB) distribuição e evolução Agricultura Industria Serviços Emprego - distribuição e evolução Balança

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO OPORTUNIDADES E DESAFIOS SENADO FEDERAL AUDIÊNCIA MEDIDA PROVISÓRIA 595 MARÇO 2013 Enfrentamento dos gargálos logísticos Programa rodoviário Programa

Leia mais

Situação e Perspectivas Mercado de Minério de ferro

Situação e Perspectivas Mercado de Minério de ferro São Paulo, Brasil 12-14 de julho, 2015 Situação e Perspectivas Mercado de Minério de ferro Congresso Brasileiro do Aço, 26ª edição Peter Poppinga Diretor Executivo de Ferrosos isclaimer Esse comunicado

Leia mais

Oportunidades para o Fortalecimento da Indústria Brasileira de Fertilizantes

Oportunidades para o Fortalecimento da Indústria Brasileira de Fertilizantes Oportunidades para o Fortalecimento da Indústria Brasileira de Fertilizantes Marcelo Alves Pereira, Bunge Fertilizantes Novembro - 2009 Estimativas da ONU indicam que a população mundial em 2050 será de

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO OPORTUNIDADES E DESAFIOS VALOR

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO OPORTUNIDADES E DESAFIOS VALOR AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO OPORTUNIDADES E DESAFIOS VALOR AVALIAÇÕES TÉCNICAS JUNHO 2013 EVOLUÇÃO DO BRASIL HÁ 50 ANOS = IMPORTADOR HÁ 20 ANOS = VENDEDOR HOJE = FORNECEDOR DISPUTADO

Leia mais

II Seminário Brasileiro de Terras-Raras

II Seminário Brasileiro de Terras-Raras II Seminário Brasileiro de Terras-Raras Mineração e materiais: a falta de um planejamento estratégico 29 de novembro de 2013 Paulo César Ribeiro Lima Consultor Legislativo da Câmara dos Deputados Importância

Leia mais

A EVOLUÇÃO DO INVESTIMENTO EXTERNO DIRETO (IED) NO BRASIL: 1995-2013 1 RESUMO

A EVOLUÇÃO DO INVESTIMENTO EXTERNO DIRETO (IED) NO BRASIL: 1995-2013 1 RESUMO 1 A EVOLUÇÃO DO INVESTIMENTO EXTERNO DIRETO (IED) NO BRASIL: 1995-2013 1 Cleidi Dinara Gregori 2 RESUMO Este artigo tem como objetivo analisar a evolução do investimento externo direto, também conhecido

Leia mais

Proposição de Padrões de Emissão para Fontes Fixas Existentes de Alumínio Primário. Subgrupo Alumínio Primário

Proposição de Padrões de Emissão para Fontes Fixas Existentes de Alumínio Primário. Subgrupo Alumínio Primário Proposição de Padrões de Emissão para Fontes Fixas Existentes de Alumínio Primário Subgrupo Alumínio Primário rio - Fontes Fixas 7ª Reunião do GT Fontes Fixas do Conama 23 e 24 de setembro de 2010 Subgrupo

Leia mais

Inova Mineral 27/10/2015

Inova Mineral 27/10/2015 Inova Mineral Workshop para estruturação de um Plano Conjunto BNDES-FINEP de apoio à inovação tecnológica no setor de mineração e transformação mineral 27/10/2015 Inova Mineral AGENDA Objetivo: Propor

Leia mais

O Mercado comum de Ouro

O Mercado comum de Ouro O Mercado comum de Ouro Armin Mathis Após quinze anos da histórica alta de preço do ouro em 1979/80, quando a onça troy chegou a ser negociada em Londres na faixa de 800 US$ (ver Figura A), a mineração

Leia mais

O PROGRAMA DE EXPLORAÇÃO MINERAL CBPM. SIMEXMIN Ouro Preto - Maio 2012

O PROGRAMA DE EXPLORAÇÃO MINERAL CBPM. SIMEXMIN Ouro Preto - Maio 2012 O PROGRAMA DE EXPLORAÇÃO MINERAL CBPM SIMEXMIN Ouro Preto - Maio 2012 REFERENCIAIS HISTÓRICOS A Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM) é uma sociedade de economia mista, criada pela Lei Estadual nº

Leia mais

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia lançamento do Marco Regulatório da Mineração - Brasília/DF

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia lançamento do Marco Regulatório da Mineração - Brasília/DF Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia lançamento do Marco Regulatório da Mineração - Brasília/DF Deputado André Vargas, presidente em exercício da Câmara dos Deputados.

Leia mais

POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S.

POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S. POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S. Souza e Silva ** Nos últimos anos, tem crescido a expectativa em torno de uma possível

Leia mais

Catalisadora de Riquezas em Processos Industriais

Catalisadora de Riquezas em Processos Industriais Catalisadora de Riquezas em Processos Industriais Junho de 2015 1 Catalisadora de riquezas em processos minerais BioMIDAS processamento mineral biotecnológico Inovação e P&D como cultura organizacional

Leia mais

INOVAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS: VISÃO DO MME (SGM)

INOVAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS: VISÃO DO MME (SGM) Ministério de Minas e Energia Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral V Seminário de Pesquisa e Inovação (Decanato de Pesquisa e Pós-graduação/UNB) Tema: PRINCIPAIS TECNOLOGIAS, A FRONTEIRA

Leia mais

O 3 relatório preliminar do Novo Código da Mineração está pronto para ser votado?

O 3 relatório preliminar do Novo Código da Mineração está pronto para ser votado? O 3 relatório preliminar do Novo Código da Mineração está pronto para ser votado? Uma contribuição para a reflexão e o debate Alessandra Cardoso Instituto de Estudos Socioeconômicos alessandra@inesc.org.br

Leia mais

Seminário Novo Marco Regulatório do Setor Mineral

Seminário Novo Marco Regulatório do Setor Mineral Instituto Brasileiro de Mineração IBRAM na Câmara dos Deputados Comissão de Minas e Energia Seminário Novo Marco Regulatório do Setor Mineral Painel 2: As possíveis alterações na Compensação Financeira

Leia mais

Bradesco: Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Conjuntura Macroeconômica Semanal

Bradesco: Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Conjuntura Macroeconômica Semanal INFORMATIVO n.º 35 AGOSTO de 2015 Bradesco: Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Conjuntura Macroeconômica Semanal Depreciação do yuan traz incertezas adicionais à economia chinesa neste ano

Leia mais

CONSIDERANDO o disposto na Lei Federal 6.496/77;

CONSIDERANDO o disposto na Lei Federal 6.496/77; NORMA 06/2005 - CEGM Dispõe sobre a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) nos serviços técnicos exigidos pelo Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). A CÂMARA ESPECIALIZADA DE GEOLOGIA E

Leia mais

Janeiro 2012 Perspectivas para a balança comercial da Argentina [pág. 02] Criação da Secretaria de Comércio Exterior

Janeiro 2012 Perspectivas para a balança comercial da Argentina  [pág. 02] Criação da Secretaria de Comércio Exterior Janeiro 2012 Perspectivas para a balança comercial da Argentina: a forte seca que atinge a Argentina poderá reduzir as exportações de commodities e aumentar a importação de energia, com reflexos importantes

Leia mais

O Instituto LIFE é responsável pelo

O Instituto LIFE é responsável pelo LIFE CertificaçãoLIFE Lasting Initiative For Earth O Instituto LIFE é responsável pelo desenvolvimento e gestão do sistema de Certificação LIFE. A Certificação LIFE reconhece organizações que desenvolvem

Leia mais

Informações sobre a Economia Mineral do Estado do Pará. Informações até Dezembro de 2014 Divulgado em 26 de Março de 2015

Informações sobre a Economia Mineral do Estado do Pará. Informações até Dezembro de 2014 Divulgado em 26 de Março de 2015 Informações sobre a Economia Mineral do Estado do Pará Informações até Dezembro de 2014 Divulgado em 26 de Março de 2015 Distribuição da Produção Mineral no Pará Fonte: IBRAM Amazônia. CLASSIFICAÇÃO DENTRE

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES DO ESTADO DO PARÁ

SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES DO ESTADO DO PARÁ . SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES DO ESTADO DO PARÁ PLANO ESTADUAL DE LOGÍSTICA E TRANSPORTES DO ESTADO DO PARÁ ANÁLISE ESPACIAL DA MINERAÇÃO NO PARÁ SÃO PAULO MARÇO/2009 EQUIPE TÉCNICA Carlos Roberto

Leia mais

DEMOGRAFIA, ECONOMIA E MERCADOS FINANCEIROS

DEMOGRAFIA, ECONOMIA E MERCADOS FINANCEIROS 9 de setembro de 2011 Página 1 de 21 De Olho Na Bolsa "A relação entre economia e demografia não é, efetivamente, muito percebida pela maior parte dos economistas, haja vista que poucos são os cursos que

Leia mais

CARTA EMPRESARIAL PELA CONSERVAÇÃO E USO SUSTENTÁVEL DA BIODIVERSIDADE

CARTA EMPRESARIAL PELA CONSERVAÇÃO E USO SUSTENTÁVEL DA BIODIVERSIDADE CARTA EMPRESARIAL PELA CONSERVAÇÃO E USO SUSTENTÁVEL DA BIODIVERSIDADE A Organização das Nações Unidas declarou 2010 como o Ano Internacional da Biodiversidade, com o objetivo de trazer ao debate público

Leia mais

Operador de Transporte Multimodal: Desafios e Perspectivas. André Dulce G. Maia Especialista em Regulação - ANTT

Operador de Transporte Multimodal: Desafios e Perspectivas. André Dulce G. Maia Especialista em Regulação - ANTT Operador de Transporte Multimodal: Desafios e Perspectivas André Dulce G. Maia Especialista em Regulação - ANTT Lei 9.611, de 19 de fevereiro de 1998 Art. 2º - Transporte Multimodal de Cargas é aquele

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS ETAPAS DE LICENCIAMENTO E PÓS-LICENCIAMENTO DE EMPREENDIMENTOS MINERÁRIOS RIOS. Feam/Ibram CMRR, 28-29/05/08 29/05/08

AVALIAÇÃO DAS ETAPAS DE LICENCIAMENTO E PÓS-LICENCIAMENTO DE EMPREENDIMENTOS MINERÁRIOS RIOS. Feam/Ibram CMRR, 28-29/05/08 29/05/08 Seminário Encerramento de Mina: Aspectos Ambientais e Socioeconômicos Feam/Ibram CMRR, 28-29/05/08 29/05/08 AVALIAÇÃO DAS ETAPAS DE LICENCIAMENTO E PÓS-LICENCIAMENTO DE EMPREENDIMENTOS MINERÁRIOS RIOS

Leia mais

A Importância do Planejamento e da Estruturação de Projetos nas Obras Públicas

A Importância do Planejamento e da Estruturação de Projetos nas Obras Públicas A Importância do Planejamento e da Estruturação de Projetos nas Obras Públicas Pinheiro IBRE/FGV IE/UFRJ Porto Alegre, 11 Dezembro 2014 Estrutura Déficit brasileiro de infraestrutura não está melhorando

Leia mais

O setor aquaviário e o comércio exterior

O setor aquaviário e o comércio exterior O setor aquaviário e o comércio exterior Associação de Comércio Exterior do Brasil AEB ENAEX 2011 - Encontro nacional de comércio exterior Rio de Janeiro, RJ 19 de agosto de 2011 Fernando Antonio Brito

Leia mais

2ª REUNIÃO DO COMITÊ DE LÍDERES DA MEI DE 2016. As Prioridades da Agenda da MEI

2ª REUNIÃO DO COMITÊ DE LÍDERES DA MEI DE 2016. As Prioridades da Agenda da MEI 2ª REUNIÃO DO COMITÊ DE LÍDERES DA MEI DE 2016 As Prioridades da Agenda da MEI Pedro Wongtschowski Grupo Ultra 13 de maio de 2016 US$ bilhões MANUFATURA - VALOR AGREGADO Brasil x Outros países 450 400

Leia mais

INFORME AOS INVESTIDORES 2T15

INFORME AOS INVESTIDORES 2T15 INFORME AOS INVESTIDORES 2T15 São Paulo, 12 de agosto de 2015 A BRADESPAR [BM&FBOVESPA: BRAP3 (ON), BRAP4 (PN); LATIBEX: XBRPO (ON), XBRPP (PN)] anuncia os resultados referentes ao segundo trimestre de

Leia mais

CONJUNTURA DA ECONOMIA BRASILEIRA EM 2015: CONTEXTUALIZAÇÃO VIA RESTRIÇÕES INTERNAS E EXTERNAS

CONJUNTURA DA ECONOMIA BRASILEIRA EM 2015: CONTEXTUALIZAÇÃO VIA RESTRIÇÕES INTERNAS E EXTERNAS CONJUNTURA DA ECONOMIA BRASILEIRA EM 2015: CONTEXTUALIZAÇÃO VIA RESTRIÇÕES INTERNAS E EXTERNAS OBJETIVO: ILUSTRAR CONCEITOS TRABALHADOS EM MACROECONOMIA Patricia Bonini - patriciabonini@gmail.com Roteiro

Leia mais

11. ESTIMATIVA DE VALOR DO PORTFÓLIO DE OPORTU- NIDADES DE INVESTIMENTO NO RN - QUANTIFICAÇÃO IN- DICATIVA 2016-2035

11. ESTIMATIVA DE VALOR DO PORTFÓLIO DE OPORTU- NIDADES DE INVESTIMENTO NO RN - QUANTIFICAÇÃO IN- DICATIVA 2016-2035 11. ESTIMATIVA DE VALOR DO PORTFÓLIO DE OPORTU- NIDADES DE INVESTIMENTO NO RN - QUANTIFICAÇÃO IN- DICATIVA 2016-2035 217 218 A partir da escolha do melhor cenário Um Pacto pelo Mais RN o Mais RN definiu

Leia mais