1 Introdução ao ambiente de trabalho Esta parte da ficha consiste num tutorial para introdução ao ambiente de trabalho utilizado nas aulas práticas.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1 Introdução ao ambiente de trabalho Esta parte da ficha consiste num tutorial para introdução ao ambiente de trabalho utilizado nas aulas práticas."

Transcrição

1 Ficha prática 2: 1 Introdução ao ambiente de trabalho Esta parte da ficha consiste num tutorial para introdução ao ambiente de trabalho utilizado nas aulas práticas. 1.1 Acesso ao sistema e à área pessoal ADEEC Para aceder ao sistema Linux, após reinicialização do PC, escolher a opção 1 do menu e efectuar login com: conta: root passwd: root O acesso à área pessoal no domínio DEEI (ADEEC) não é efectuado por NFS mas sim por SMBFS. Assim deve ser montado um sistema de ficheiros samba. Mais precisamente deve ser montada a área de utilizador no servidor Europa. O comando terá a forma: smbmount //europa/<conta DEEI> <mount point> o username=<conta DEEI> O ponto de montagem deverá ser um directório vazio. Poderá ser criado área local do utilizador root, ou poderá ser utilizado um já existente como mostra o exemplo seguinte: smbmount //europa/a0000 /tmp_mnt o username=a0000 Não esquecer de desmontar a área quando não fôr necessária, senão qualquer outro utilizador poderá aceder à sua área, pois o acesso nos PCs é efectuado como root. Para desmontar a área usar: smbumount <mount point> Para o exemplo anterior: smbumount /tmp_mnt O aceesso à área ADEEC também poderá ser efectuado através de um browser, como por exemplo o do KDE, o Konqueror. Para isso deverá ser escrito na barra de endereços um URL na forma: smb://europa/<conta DEEI> como por exemplo: smb://europa/a0000 O comando smbmount e smbumount são wrappers para os comandos: mount t smbfs... umount t smbfs... PIN P02-1/8

2 1.2 Verificação da versão do kernel instalado No âmbito desta disciplina será explicado como desenvolver kernel modules para o kernel 2.6. Atenção que estes procedimentos são diferentes para versões anteriores do kernel, mesmo a 2.4 e a 2.2. Um meio de se verificar qual o kernel presente no sistema é usar o comando: uname a que deverá retorna uma string como a seguinte. Linux <hostname> linux mini O que indica que está instalado um kernel 2.6, sub versão 14. Para se poder compilar módulos para o kernel é necessário que as fontes do kernel estejam instaladas. De acordo com o exemplo acima deve estar em: /usr/src/linux mini Além disso deve existir um link simbólico para este directório com o nome linux de modo que a resposta ao comando: ls l linux será: lrwxr- r-- 1 root root 32 Fev linux -> /usr/src/linux mini Por outro lado os módulos do kernel, já compilados, que foram instalados quando da instalação do sistema operativo encontram-se em: /lib/modules/linux mini isto é: /lib/modules/ uname r ou /lib/module/$(shell uname -r) pois o comando: uname r retorna: linux mini 1.3 Reinstalação do sistema operativo Linux: Com acesso de root é possível destruir o sistema operativo. Se isso suceder o sistema operativo terá de ser re-instalado. Embora o processo de instalação esteja na sua maior parte automatizado é moroso, por isso só deve ser efectuado quando o sistema operativo fôr por algum motivo destruído. Nesta secção demonstra-se como reinstalar o Linux. Por outro lado não é possível reinstalar o sistema operativo Windows NT também instalado nos PCs, deste modo. PIN P02-2/8

3 ATENÇÃO: os 3 PCs Digital na última fila não podem ser actualizados desta forma, sendo necessário desmontar o HDD e copiar a imagem do sistema operativo para o HDD noutro PC. Assim se o SO fôr destruído não poderá ser reconstruído durante a aula. Por isso será melhor só utilizá-los se ABSOLUTAMENTE necessário. Para re-instalar o sistema operativo Linux reiniciar o PC e escolher opção R. Após a cópia da imagem do Linux através da rede o sistema reinicia-se. Este processo demora aproximadamente 5 minutos para um PC isolado. Poderá demora mais tempo se usado em mais que um PC simultaneamente. Este processo não reinstala o directório /usr. Este reside no servidor da sala e é exportado com acessos de leitura apenas por NFS. Para comprovar o processo de reinstalação: #1 Aceder ao sistema Linux como supervisor (root) #3 Apagar o directório /root/linux_module_hello com: rm rf /root/linux_module_hello #4 fazer reboot ao sistema com ctr-alt-del na consola, ou escrevendo: reboot #5 No menu de arranque escolher a opção: R. #6 Entrar como root e verificar que o directório /root/linux_module_hello foi reposto. 1.4 Repor o Master Boot Record (MBR) Como será visto em aulas posteriores, a primeira pista do primeiro cilindro de um disco rígido contém o que se chama o MBR. Neste encontra-se um programa (que normalmente é chamado pela BIOS no arranque do PC) e a tabela de partições. Por agora vamos concentrarmo-nos no programa, que consiste num bootloader, isto é um programa que irá carregar outro. Assim quando no menu de arranque se escolhe a opção: 1- Boot from HardDisk é executado este programa. Correntemente o bootloader que está instalado no MBR é o GRUB. Este apresenta um menu que permite escolher entre os sistemas operativos Linux e Windows NT 4. Após escolhido o sistema a arrancar é passada a execução para o boot sector da partição que contém o sistema operativo escolhido. Neste existe outro bootloader que permite carregar o respectivo sistema operativo. Correntemente o Lilo para Linux e o NT loader para Windows NT. Assim temos uma sucessão de bootloaders. O PXE que mostra o primeiro menu que permite também reinstalar o Linux, o grub e o Lilo ou NT loader. PIN P02-3/8

4 PXE (Pré execution Environment): 1 - Boot from HardDisk Grub: Linux: Windows Lilo NT loader 2 - Boot from FloppyDisk R - Assim se por algum motivo o bootloader instalado no MBR (o gurb), fôr destruído não é possível inicializar nenhum dos sistemas operativos (Linux ou Windows) sem reconstruir o grub e o seu menu. Nesta secção vai ser demonstrado como repor o grub no MBR. Para isso primeiro vai ser destruído e depois reconstruído. Um modo de destruir o bootloader no MBR é substituí-lo por outro. Pode ser substituído pelo bootloader por defeito do Windows que a única coisa que faz é chamar o boot loader da partição Windows, neste caso o NT Loader. Para isso basta: #1 Colocar na unidade de disquetes uma disquete Windows 98 #2 Escolher a opção 2 do menu do PXE (boot from floppydisk) #2 Executar o comando: fdisk /mbr #3 arrancar novamente o PC com ctrl-alt-del #4 Escolher a opção 1 do menu do PXE (boot from harddisk) Verifica-se que se entra directamente no NT Loader, tendo-se perdido o acesso ao Linux. Para reinstalar o grub no MBR: #1 Colocar na unidade de disquetes uma disquete de arranque do GRUB #2 Escolher a opção 2 do menu do PXE (boot from floppydisk) #3 arrancar o Linux a partir do menu do GRUB e entrar como root: #4 executar o script:. /usr/tftpboot/grub-remake este script actualiza também o menu do grub, copiando /usr/tftpboot/menu.lst para o directório local /boot/grub #5 arrancar novamente o PC com ctrl-alt-del ou escrevendo reboot #6 Escolher a opção 1 do menu do PXE (boot from harddisk) Verifica-se que se volta a ter a menu do GRUB que permite executar o Linux ou o Windows NT. Nota: Existem 3 disquetes Windows 98 e de arranque do Grub na sala PIN P02-4/8

5 2 Exercícios introdutórios Nesta parte da pretende-se introduzir alguns conceitos elementares sobre acesso a discos em Linux e módulos do kernel Linux. 2.1 Visualização do MBR e boot sector de uma partição No directório /dev encontram-se ficheiros que permitem aceder a periféricos. Deste modo acesso aos discos (rígidos, flexíveis, etc.) pode ser efectuados como o acesso a um ficheiro. A convenção usada é a seguinte: /dev/fd0 /dev/fd1 ( ) /dev/hda /dev/hdb /dev/hdc /dev/hdd ( ) 1º Floppy disk 2º Floppy disk Disco rígido ou CD/DVD no canal primário do 1º interface IDE Disco rígido ou CD/DVD no canal secundário do 1º interface IDE Disco rígido ou CD/DVD no canal primário do 2º interface IDE Disco rígido ou CD/DVD no canal secundário do 2º interface IDE /dev/sda dispositivo no 1º canal do interface SCSI (HDD, CD/DVD, scanner, etc....) /dev/sdb dispositivo no 2º canal do interface SCSI /dev/sdc dispositivo no 3º canal do interface SCSI ( ) O acesso ao disco pode ser indexado também por partições. Assim para um disco rígido IDE pode-se ter: /dev/hda1 /dev/hda2 /dev/hda3 1ª Partição no Disco rígido ou CD/DVD no canal primário do 1º interface IDE 2ª Partição no Disco rígido ou CD/DVD no canal primário do 1º interface IDE 3ª Partição no Disco rígido ou CD/DVD no canal primário do 1º interface IDE A nomenclatura é idêntica para discos SCSI. p. ex.: /dev/sda1 Pertende-se visualisar o MBR e os boot sectores das partições do disco referido como /dev/hda. Para isso desenvolver um programa que permita ler os primeiros 512 bytes de um disco ou de uma partição (isto é o primeiro sector) e apresentá-los em Hexadecimal e em ASCII, segundo o formato indicado mais abaixo. O programa deve chamar-se readboot. Primeiro deve ser testada a leitura de um ficheiro de texto como por exemplo:./readboot /usr/tftpboot/grub-remake Depois deverá ser utilizado para ler o MBR e a 1ª e 3ª partição, como se mostra a seguir:./readboot /dev/hda./readboot /dev/hda1./readboot /dev/hda3 Respectivamente em cada um destes sectores deverá estar identificado o boot sector com as strings GRUB, NTLDR e LILO. Em particular a leitura do MBR, de /dev/hda deverá ser semelhante a: PIN P02-5/8

6 Sugestões: - Para acesso a ficheiros use as funções: fopen, fread, fclose. - Para visualisar melhor os caracteres ASCII imprima um ponto (.) se o código ASCII fôr menor que 32 e maior que 127, como no exemplo acima. 2.2 Inserção e remoção de módulos no kernel em tempo de execução Entre no directório: /root/linux_module_hello. Neste directório encontra-se um exemplo de um módulo do kernel muito simples. Ao ser inserido no kernel escreve na consola TTY (modo texto CTRL-ALT-F1, F2,... F6): Hello world 1 e ao ser removido Goodbye world 1. O modulo já compilado, pronto a ser inserido a quente no kernel tem a extensão *.ko. Neste caso: hello.ko. Para se se saber quais os módulos correntemente inseridos no kernel basta escrever na consola: PIN P02-6/8

7 lsmod Module Size Used by [permanent] serial_core usb_storage [permanent] usbcore usb_storage,[permanent] nls_iso8859_ [permanent] nls_cp [permanent] Sendo apresentada uma lista. Para inserir um modulo como o hello.ko deve-se usar: insmod hello.ko sendo escrito na consola: Hello world 1 agora se se pedir a lista de módulos inseridos com lsmod obtêm-se na linha de cima listado o modulo hello: Module Size Used by hello [permanent] (...) Para remover o módulo usar rmmod hello sendo escrito na consola: Goodbye world 1. repare-se que não é usada a extensão *.ko no comando lsmod, mas sim o nome do módulo que aparece listado com lsmod. Se os comandos forem dados num termial cvirtual como por exemplo o xterm as mensagens: Hello world 1 e Goodbye world 1, não são apresentadas. De facto só são apresentadas numa consola TTY. Podem no entanto ser visualizadas com o comando: dmesg hello: module license 'unspecified' taints kernel. Hello world 1. Goodbye world 1. Note-se que quando o módulo é inserido é apresentada uma mensagem indicando que o kernel pode ter sido corrompido. Havemos de voltar a este assunto no futuro. Numa análise simples do código fonte em hello.c: PIN P02-7/8

8 /* hello.c - The simplest kernel module. */ #include <linux/module.h> /* Needed by all modules */ #include <linux/kernel.h> /* Needed for KERN_ALERT */ int init_module(void) { printk("<1>hello world 1.\n"); return 0; // A non 0 return means init_module failed; module can't be loaded. } void cleanup_module(void) { printk(kern_alert "Goodbye world 1.\n"); } Após a inclusão dos headers necessários para desenvolvimento de módulos, repare-se que o módulo é dividido em duas funções: int init_module(void) e void cleanup_module(void) que respectivamente são chamadas quando o módulo é inserido e quando é removido. Nestas funções é usada a função printk para imprimir as mensagens quando o módulo é inserido e removido. A função int init_module(void) poderia também ser usada para chamar outras funções que, por exemplo, implementassem o device driver. 2.3 Bibliografia Salzman, Peter Jay, Michael Burian and Ori Pomerantz (2005). The Linux Kernel Module Programming Guide, Linux manual pages PIN P02-8/8

Apontamentos do livro de AI Linux. 1.5 Modo texto e modo gráfico

Apontamentos do livro de AI Linux. 1.5 Modo texto e modo gráfico Apontamentos do livro de AI Linux 1.5 Modo texto e modo gráfico 1 Modo texto e modo gráfico O sistema operativo Linux possui duas formas de acesso: modo texto e modo gráfico No modo gráfico, o utilizador

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática. Aluno: Anderson L. S. Moreira alsm4@cin.ufpe.br Orientador: Paulo R. R.

Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática. Aluno: Anderson L. S. Moreira alsm4@cin.ufpe.br Orientador: Paulo R. R. Sistemas RTAI Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Aluno: Anderson L. S. Moreira alsm4@cin.ufpe.br Orientador: Paulo R. R. Maciel Agenda Introdução O que é um SOTR Como funciona Exemplo

Leia mais

Manual de Instalação Solução Alinex Salas TIC Pág. 1/32

Manual de Instalação Solução Alinex Salas TIC Pág. 1/32 Í n d i c e 1) Pré-requisitos...5 2) Apresentação da solução...5 3) Instruções Passo a Passo de instalação da Solução...6 4) Primeiros passos...7 a) Preparar o equipamento...7 b) Configuração RAID em Servidores

Leia mais

Linux Caixa Mágica 14. Como Gravar um Live CD. http://www.caixamagica.pt. Julho 2009 Versão 1.1

Linux Caixa Mágica 14. Como Gravar um Live CD. http://www.caixamagica.pt. Julho 2009 Versão 1.1 Linux Caixa Mágica 14 Como Gravar um Live CD http://www.caixamagica.pt Julho 2009 Versão 1.1 Índice 1. Introdução...3 2. Gravar um Live CD em sistemas Linux...3 2.1. Verificação da Integridade da Imagem

Leia mais

Recuperando o GRUB após instalação do Windows

Recuperando o GRUB após instalação do Windows Recuperando o GRUB após instalação do Windows PET Engenharia de Computação - http://www.inf.ufes.br/~pet 1 Instruções iniciais Para efetuar as configurações a seguir talvez precisaremos executar comandos

Leia mais

Laboratório de Hardware

Laboratório de Hardware Laboratório de Hardware Prof. Marcel Santos Responsável por implementar em software um recurso que não existe no hardware. O hardware oferece simplesmente um grande conjunto de bytes contíguos, e a tarefa

Leia mais

Programação de Sistemas

Programação de Sistemas Programação de Sistemas Módulos do núcleo Programação de Sistemas Módulos : 1/15 Introdução (1) Desenvolvimentos do núcleo, como a criação de novos dispositivos, podem ser incorporados no Linux em duas

Leia mais

Administração de Sistemas Operacionais

Administração de Sistemas Operacionais Diretoria de Educação e Tecnologia da Informação Análise e Desenvolvimento de Sistemas INSTITUTO FEDERAL RIO GRANDE DO NORTE Administração de Sistemas Operacionais ESTRATÉGIA DE PARTICIONAMENTO Prof. Bruno

Leia mais

7. Gestão de ficheiros em X Window. 7.1. O Konqueror

7. Gestão de ficheiros em X Window. 7.1. O Konqueror 7. Gestão de ficheiros em X Window 7.1. O Konqueror 1 O Konqueror O ambiente gráfico KDE do Linux possuí um programa, denominado Konqueror (Figura 1.95), que além de ser um navegador Web, é também um gestor

Leia mais

Administração de Sistemas GNU/Linux

Administração de Sistemas GNU/Linux Administração de Sistemas GNU/Linux Sistema de Inicialização do Linux e os Runlevels GRACO - Gestores da Rede Acadêmica de Computação Instrutor: Ibirisol Fontes Ferreira Monitor:

Leia mais

Preparação: Verifique se a máquina virtual já está copiada em sua máquina Execute o VMWare Acesse o Linux com o usuário asa e senha aslinux12

Preparação: Verifique se a máquina virtual já está copiada em sua máquina Execute o VMWare Acesse o Linux com o usuário asa e senha aslinux12 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNC. E TEC. DA PARAÍBA CURSO DE GRADUAÇÃO DE TECNOLOGIA EM TELEMÁTICA DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS PROFESSOR: ANDERSON COSTA ASSUNTO: MÓDULOS, DISPOSITIVOS DE

Leia mais

3 Introdução às chamadas ao sistema

3 Introdução às chamadas ao sistema 3 Introdução às chamadas ao sistema 3.1 Chamadas ao sistema e à BIOS As chamadas ao sistema ou System Calls consistem nos serviços disponibilizados pelo núcleo do sistema operativo. O principio é semelhante

Leia mais

Gerenciamento do Processo de Inicialização do Linux

Gerenciamento do Processo de Inicialização do Linux Gerenciamento do Processo de Inicialização do Linux Material desenvolvido por Rafael Fernando Diorio Última revisão em 04/08/2013 www.diorio.com.br rafael@diorio.com.br Tópicos Inicialização do sistema

Leia mais

Periféricos e Interfaces Ano lectivo 2003/2004 Docente: Ana Paula Costa. Aula Teórica 11

Periféricos e Interfaces Ano lectivo 2003/2004 Docente: Ana Paula Costa. Aula Teórica 11 Sumário: O disco rígido e a disquete estrutura física. Como os dados são armazenados fisicamente. Como o MS-DOS organiza o disco. O registo de boot. Aula Teórica 11 Leitura Recomendada: Capítulos 28 e

Leia mais

Administração de Redes Linux. Unidade 1 - LINUX

Administração de Redes Linux. Unidade 1 - LINUX Administração de Redes Linux Unidade 1 - LINUX Breve Histórico O Linux é um sistema operacional moderno e gratuito, baseado nos padrões UNIX. Desenvolvido inicialmente em 1991 como um KERNEL PEQUENO E

Leia mais

Gerenciamento de Boot

Gerenciamento de Boot - Gerenciamento de Boot é um meio de você configurar e trabalhar com diversos sistemas operacionais instalados. - Gerenciador de Boot é um pequeno software instalado no Master Boot Record (MBR) nas trilhas

Leia mais

Construindo um Linux Parte 1 - Disk Boot Objetivo: Entender que o Linux é como um LEGO (Pode ser montado).

Construindo um Linux Parte 1 - Disk Boot Objetivo: Entender que o Linux é como um LEGO (Pode ser montado). Construindo um Linux Parte 1 - Disk Boot Objetivo: Entender que o Linux é como um LEGO (Pode ser montado). Os disquetes Linux são úteis em diversas situações, tais como: Testes de um novo kernel; Recuperação

Leia mais

Escola Profissional Vasconcellos Lebre

Escola Profissional Vasconcellos Lebre CURSO UNIDADE LOCAL DE FORMAÇÃO DURAÇÃO FORMADORA EFA-NS/NÍVEL 3 TEC. INF. GESTÃO DE REDES FT5 SISTEMA OPERATIVO DISTRIBUIÇÃO LINUX ESCOLA PROFISSIONAL VASCONCELLOS LEBRE 50 HORAS Paulo Relvas Reflexão

Leia mais

Kernel Linux. Trabalho Realizador Por: Tiago Conceição Nº 11903. Representação artística do núcleo Linux

Kernel Linux. Trabalho Realizador Por: Tiago Conceição Nº 11903. Representação artística do núcleo Linux Kernel Linux Representação artística do núcleo Linux Trabalho Realizador Por: Tiago Conceição Nº 11903 Índice Introdução...2 O que é o Kernel...3 Como surgiu...4 Para que serve...5 Versões...6 Versões

Leia mais

Revisão Aula 3. 1. Explique a MBR(Master Boot Record)

Revisão Aula 3. 1. Explique a MBR(Master Boot Record) Revisão Aula 3 1. Explique a MBR(Master Boot Record) Revisão Aula 3 1. Explique a MBR(Master Boot Record). Master Boot Record Primeiro setor de um HD (disco rígido) Dividido em duas áreas: Boot loader

Leia mais

Comandos de Linux. Autor: Patrick Wallace Figueiredo dos Santos Rocha

Comandos de Linux. Autor: Patrick Wallace Figueiredo dos Santos Rocha Comandos de Linux Autor: Patrick Wallace Figueiredo dos Santos Rocha Comandos de linux 1. ls (lista o conteúdo de um diretório) $ ls 2. ls -a (lista os diretórios, arquivos oculto e executáveis) $ ls -a

Leia mais

Periféricos e Interfaces Ano lectivo 2003/2004 Docente: Ana Paula Costa. Aula Teórica 12

Periféricos e Interfaces Ano lectivo 2003/2004 Docente: Ana Paula Costa. Aula Teórica 12 Sumário: A tabela de partições do disco rígido. A root directory. A FAT. Os serviços BIOS para disco. Aula Teórica 12 Leitura Recomendada: Capítulos 28 e 29 - Hans-Peter Messmer, The Indispensable PC Hardware

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 8.3 Montagem de dispositivos. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática

Sistema Operacional Unidade 8.3 Montagem de dispositivos. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática Sistema Operacional Unidade 8.3 Montagem de dispositivos Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 MOUNT E UMOUNT... 3 Sintaxe dos comandos... 4 Verificando Sistema de Arquivos... 4 Definindo

Leia mais

Boot Camp Manual de Instalação e Configuração

Boot Camp Manual de Instalação e Configuração Boot Camp Manual de Instalação e Configuração Conteúdo 3 Introdução 3 Do que necessita 4 Descrição geral da instalação 4 Passo 1: Procurar actualizações 4 Passo 2: Preparar o computador Mac para o Windows

Leia mais

Uso do Slax Linux. 30 de Março de 2007

Uso do Slax Linux. 30 de Março de 2007 Uso do Slax Linux Paulo Ferreira paf a dei.isep.ipp.pt 30 de Março de 2007 Características O Slax é um distribuição Linux Live CD baseada no Slackware, fácil de usar e adaptar, que tanto pode usada no

Leia mais

Disciplina: Sistemas Operacionais Professor: Cristiano Mariotti procrismar@globo.com

Disciplina: Sistemas Operacionais Professor: Cristiano Mariotti procrismar@globo.com Disciplina: Sistemas Operacionais Professor: Cristiano Mariotti procrismar@globo.com Equivalente a inicializar um computador ; Durante o bootstrapping, o kernel é carregado na memória principal e começa

Leia mais

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos Partição Parte de um disco físico que funciona como se fosse um disco fisicamente separado. Depois de criar uma partição, você deve formatá-la e atribuir-lhe uma letra de unidade antes de armazenar dados

Leia mais

Alterna para o primeiro terminal. No Linux você pode ter vários (o padrão é 6) terminais abertos ao mesmo tempo.

Alterna para o primeiro terminal. No Linux você pode ter vários (o padrão é 6) terminais abertos ao mesmo tempo. Alterna para o primeiro terminal. No Linux você pode ter vários (o padrão é 6) terminais abertos ao mesmo tempo. (n=1 a 6) Alterna para o terminal (1 a 6).

Leia mais

03/11/2011. Apresentação. SA do Linux. Sistemas de Arquivos. Curso Tecnologia em Telemática. Disciplina Administração de Sistemas Linux

03/11/2011. Apresentação. SA do Linux. Sistemas de Arquivos. Curso Tecnologia em Telemática. Disciplina Administração de Sistemas Linux Apresentação Administração de Sistemas Curso Tecnologia em Telemática Disciplina Administração de Sistemas Linux Professor: Anderson Costa anderson@ifpb.edu.br Assunto da aula Aspectos do Sistema de Arquivos

Leia mais

Introdução a Administração de Sistemas GNU/Linux

Introdução a Administração de Sistemas GNU/Linux Curso de extensão da Faculdade Ruy Barbosa Introdução a Administração de Sistemas GNU/Linux Dedicasse especial a Rogério Bastos e ao GRACO (Gestores da Rede Acadêmica de Computação) do DCC UFBA Paul Regnier

Leia mais

Editora AltaBooks. Linux: Fundamentos, Prática & Certificação LPI (Exame 117-101) Simulado

Editora AltaBooks. Linux: Fundamentos, Prática & Certificação LPI (Exame 117-101) Simulado Editora AltaBooks Linux: Fundamentos, Prática & Certificação LPI (Exame -) Simulado : Qual dos comandos a seguir nos permite saber a quantidade e quais são os dispositivos SCSI presentes no sistema: a(

Leia mais

Gerenciamento de Disco

Gerenciamento de Disco - MBR Master Boot Record Pequena área em disco (geralmente no inicio deste) que contém informações para inicialização do Sistema Operacional. - Tabela de Partição Estrutura de dados que contém informações

Leia mais

INSTALAÇÃO UBUNTU NUM INSTANTE

INSTALAÇÃO UBUNTU NUM INSTANTE INSTALAÇÃO UBUNTU NUM INSTANTE Este é um manual ilustrado quick and dirty para quem quer instalar o Ubuntu na sua máquina o mais rápido possível, sem se perder com grandes detalhes. O objectivo é providenciar

Leia mais

Instalação do Sistema Operativo Windows XP

Instalação do Sistema Operativo Windows XP Curso Profissional - Técnico de Informática de Gestão 10ºB Prof. Pedro Lopes Ficha de Trabalho nº1 S i s t e m a s d e I n f o r m a ç ã o Instalação do Sistema Operativo Windows XP A instalação de um

Leia mais

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Capitulo 1

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Capitulo 1 Capitulo 1 Montagem de duas pequenas redes com a mesma estrutura. Uma é comandada por um servidor Windows e outra por um servidor linux, os computadores clientes têm o Windows xp Professional instalados.

Leia mais

Tutorial Classmate: Resolvendo bug do X na tela. Nathalia Sautchuk Patrício

Tutorial Classmate: Resolvendo bug do X na tela. Nathalia Sautchuk Patrício Tutorial Classmate: Resolvendo bug do X na tela Nathalia Sautchuk Patrício Apareceu um X na tela? Quando você liga seu Classmate normalmente e aparece o X na tela ao invés de aparecer o seu Desktop, o

Leia mais

Curso GNU/Linux. Instalação do Linux...2 O HD não possui nenhuma partição...3. Existe apenas uma partição com espaço livre...3

Curso GNU/Linux. Instalação do Linux...2 O HD não possui nenhuma partição...3. Existe apenas uma partição com espaço livre...3 Cesar Kállas - cesarkallas@gmx.net Curso GNU/Linux Realização CAECOMP Puc Campinas 2004 Capítulo 3 Instalação do Linux...2 O HD não possui nenhuma partição...3 O HD tem espaço livre não particionado...3

Leia mais

Guia passo a passo para eliminar um vírus do PC

Guia passo a passo para eliminar um vírus do PC Guia passo a passo para eliminar um vírus do PC Date : 12 de Fevereiro de 2016 Não é difícil ficar exposto a todo o tipo de ameaças aquando do uso do PC. Worms, Trojans, vírus e outros espécimes maliciosos

Leia mais

Configurando NFS + NIS Ubuntu Linux

Configurando NFS + NIS Ubuntu Linux Configurando NFS + NIS Ubuntu Linux Introdução Este tutorial tem por objetivo ensinar a configurar o NFS + NIS no Ubuntu de forma rápida e simples, mas sem deixar de transmitir os conceitos necessários

Leia mais

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux SOFTWARE LIVRE A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito. A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito

Leia mais

Capítulo 8. Serviço de Ficheiros em Rede. Sistemas operativos UNIX e Linux. Network File System (NFS) Network Information System (NIS)

Capítulo 8. Serviço de Ficheiros em Rede. Sistemas operativos UNIX e Linux. Network File System (NFS) Network Information System (NIS) Capítulo 8 Serviço de Ficheiros em Rede. Sistemas operativos UNIX e Linux Network File System (NFS) Network Information System (NIS) Gestão de Redes e Serviços (GRS) Capítulo 8 1/1 Network File System

Leia mais

Tutorial BuildRoot. Meu Primeiro Linux embarcado: Programação de Periféricos CC FACIN PUCRS

Tutorial BuildRoot. Meu Primeiro Linux embarcado: Programação de Periféricos CC FACIN PUCRS Tutorial BuildRoot Programação de Periféricos CC FACIN PUCRS Configuração do Ambiente de Trabalho: 1. Criar um diretório de trabalho: Ex: mkdir ~/buildroot 2. Ir para o diretório de trabalho: Ex: cd ~/buildroot

Leia mais

Turno/Horário Noturno PROFESSOR : Salomão Dantas Soares AULA Apostila nº

Turno/Horário Noturno PROFESSOR : Salomão Dantas Soares AULA Apostila nº UNIDADE 1I: SISTEMA COMPITACIONAL Elementos hardware e periféricos Um sistema computacional consiste num conjunto de dispositivos eletrônicos (hardware) capazes de processar informações de acordo com um

Leia mais

Extracto on Line Aplicação Local Guia do Administrador

Extracto on Line Aplicação Local Guia do Administrador Extracto on Line Aplicação Local Guia do Administrador 1 Índice 1. Sobre o Guia... 3 1.1 Objectivo... 3 1.2 Conceitos e Termos... 3 1.2 Utilização do Guia... 3 2. Ferramentas de Administração... 4 2.1

Leia mais

Manual de Comando Linux

Manual de Comando Linux Manual de Comando Linux 1 Índice Índice... 2 Introdução... 3 Comandos Simples Linux... 3 Gerir Directórios e Ficheiros... 4 Gerir processos... 6 Estrutura de Diretórios do LINUX... 6 Executar comandos

Leia mais

NBT - é o protocolo que faz o mapeamento entre nomes (de computadores ) e IP s.

NBT - é o protocolo que faz o mapeamento entre nomes (de computadores ) e IP s. Capítulo 9 Serviços de ficheiros em rede Microsoft (SMB) Introdução Em 1984 a Microsoft fez uma API (Application Programming Interface) para que as suas aplicações pudessem partilhar dados numa rede. Esta

Leia mais

Manual de Instalação Linux Comunicações - Servidor. Centro de Computação Científica e Software Livre - C3SL

Manual de Instalação Linux Comunicações - Servidor. Centro de Computação Científica e Software Livre - C3SL Manual de Instalação Linux Comunicações - Servidor Centro de Computação Científica e Software Livre - C3SL Sumário 1 Instalando o Linux Comunicações para Telecentros (servidor) 2 1.1 Experimentar o Linux

Leia mais

Gestor de Janelas Gnome

Gestor de Janelas Gnome 6 3 5 Gestor de Janelas Gnome Nesta secção será explicado o funcionamento de um dos ambientes gráficos disponíveis no seu Linux Caixa Mágica, o Gnome. Na figura 5.1 apresentamos o GDM, o sistema gráfico

Leia mais

Boot Camp Manual de Instalação e Configuração

Boot Camp Manual de Instalação e Configuração Boot Camp Manual de Instalação e Configuração Índice 3 Introdução 4 Descrição geral da instalação 4 Passo 1: Verificar se existem actualizações 4 Passo 2: Preparar o computador Mac para o Windows 4 Passo

Leia mais

Treinamento para Manutenção dos Telecentros

Treinamento para Manutenção dos Telecentros Treinamento para Manutenção dos Telecentros Módulo II :: Utilizando o Linux Básico do Sistema Manoel Campos da Silva Filho Professor do IFTO/Palmas 1 2 Código Aberto/Open Source Programas (softwares/aplicativos)

Leia mais

Jackson Barbosa de Azevedo <jacksonbazevedo@hotmail.com>

Jackson Barbosa de Azevedo <jacksonbazevedo@hotmail.com> Autor: Jackson Barbosa de Azevedo Revisores: Aecio Pires 1 Conteúdo Sobre o OpenSUSE... 3 Procedimento de Instalação... 3 Preparando a Instalação do

Leia mais

Sistemas Embarcados. Filesystem Hierarchy Standard (FHS) Root filesystem. Aula 06

Sistemas Embarcados. Filesystem Hierarchy Standard (FHS) Root filesystem. Aula 06 Introdução Sistemas Embarcados Root File System Linux (kernel) é apenas uma parte de um sistema embarcado Preciso executa a inicialização do sistema e de aplicações Necessário montar o sistema de arquivos

Leia mais

Objectivos Gerais da Aplicação 5 Requisitos Mínimos e Recomendados 5 Processo de Instalação 6

Objectivos Gerais da Aplicação 5 Requisitos Mínimos e Recomendados 5 Processo de Instalação 6 MANUAL DO UTILIZADOR A informação contida neste manual, pode ser alterada sem qualquer aviso prévio. A Estratega Software, apesar dos esforços constantes de actualização deste manual e do produto de software,

Leia mais

Manual de instalação. Manual de instalação. Liberdade. Liberdade. Versão 1.0.0-31/10/2002. Versão 1.0.0-31/10/2002

Manual de instalação. Manual de instalação. Liberdade. Liberdade. Versão 1.0.0-31/10/2002. Versão 1.0.0-31/10/2002 Liberdade Manual de instalação Liberdade Manual de instalação Versão 1.0.0-31/10/2002 Versão 1.0.0-31/10/2002 Praça dos Açorianos, s/n - CEP 90010-340 Porto Alegre, RS (051) 3210-3100 http:\\www.procergs.com.br

Leia mais

Reparar inicialização BOOTMGR IS MISSING (Está ausente) Este erro indica que o setor de inicialização está danificado ou ausente.

Reparar inicialização BOOTMGR IS MISSING (Está ausente) Este erro indica que o setor de inicialização está danificado ou ausente. Reparar inicialização BOOTMGR IS MISSING (Está ausente) Este erro indica que o setor de inicialização está danificado ou ausente. Observação Para concluir estas etapas, você deve ter um disco de instalação

Leia mais

Gerenciador de Boot Simples

Gerenciador de Boot Simples Gerenciador de Boot Simples Este tutorial é uma simples caminhada através de um Gerenciador de Boot Hello World. Este, como qualquer outro gestor, tem que obedecer a algumas regras. Termos utilizados:

Leia mais

Manual técnico da Registadora SAM4S SPS-530. Versão: 1.0.1 Nº de actualizações: 1

Manual técnico da Registadora SAM4S SPS-530. Versão: 1.0.1 Nº de actualizações: 1 Manual Técnico da Registadora SAM4S SPS-530 Manual técnico da Registadora SAM4S SPS-530 Versão: 1.0.1 Nº de actualizações: 1 2 Índice 3 Configuração de dispositivos... 4 SAM4S Mux... 6 SAM4S Gaveta...

Leia mais

[Detalhe: cfdisk -z /dev/sdx zera totalmente o disco (x é o que aparece no final; no nosso caso f /dev/sdf)]

[Detalhe: cfdisk -z /dev/sdx zera totalmente o disco (x é o que aparece no final; no nosso caso f /dev/sdf)] FORMATAR UNIDADES NO TERMINAL DO LINUX 1 15/04/2015 Você pode usar o cfdisk, no terminal (como root), para executar as tarefas de formatação de pendrives. Insira o pendrive e no terminal

Leia mais

Catálogo Nacional de Compras Públicas. Manual de Fornecedores

Catálogo Nacional de Compras Públicas. Manual de Fornecedores 10 de Julho de 2009 Índice 1. Introdução... 3 1.1. Objectivo... 3 2. Fornecedor... 4 2.1. AQs/CPAs... 4 2.2. Contratos... 4 2.3. Grupos AQ/CPA... 5 3. Carregamento e Actualização do Catálogo... 7 3.1.

Leia mais

Menus do Norton Ghost

Menus do Norton Ghost Menus do Norton Ghost O Norton Ghost é formado por 3 Opções: *Ghost Basic *Ghost Advanced *Ghost Utilities 9 Ghost Basic Tem as operações básicas do software. Este menu é constituído por 3 opções: Backup

Leia mais

Administração de Sistemas Orlando Sousa Aula 8 Tarefas e detalhes da Pós-instalação do Linux Resolução de problemas da instalação Ficheiros que permitem verificar a instalação e outros problemas: /root/install.log

Leia mais

MINIX Manual de Instalação de MINIX no LINUX

MINIX Manual de Instalação de MINIX no LINUX MINIX Manual de Instalação de MINIX no LINUX Autores: Daniel da Cunha Porto Guilherme Yokaichiya Neury Dias de Freitas Paulo Henrique Pereira de Morais Yuri Koldaev Revisor: Neury Dias de Freitas Data

Leia mais

Actualização, Cópias de Segurança e Recuperação de Software

Actualização, Cópias de Segurança e Recuperação de Software Actualização, Cópias de Segurança e Recuperação de Software Manual do utilizador Copyright 2006 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft e Windows são marcas registadas da Microsoft Corporation

Leia mais

Principais Comandos do Terminal no LINUX

Principais Comandos do Terminal no LINUX Principais Comandos do Terminal no LINUX Estes comandos não visam ser um compêndio completo de operação, haja vista que se possui mais comandos que esses aqui que serão listados, logo os comandos são:

Leia mais

TUTORIAL DO ASSISTENTE VIRTUAL (QUICK START)

TUTORIAL DO ASSISTENTE VIRTUAL (QUICK START) TUTORIAL DO ASSISTENTE VIRTUAL (QUICK START) VERSÃO DO ASSISTENTE VIRTUAL: 1.3.1 POR ADS DIGITAL (WWW.ADSDIGITAL.COM.BR) 1 º Passo: Endereços do Assistente Virtual Para uso/perguntas código_cliente.adsdigital.com.br

Leia mais

LEARNING NETWORK MANAGER 2007 MANUAL DE INSTALAÇÃO

LEARNING NETWORK MANAGER 2007 MANUAL DE INSTALAÇÃO LEARNING NETWORK MANAGER 2007 MANUAL DE INSTALAÇÃO Preâmbulo No âmbito do Plano Tecnológico para a Educação considera-se de especial importância a actualização tecnológica dos espaços escolares, traduzindo-se

Leia mais

1. Verificar se a Microsoft.NET Framework 2.0 está instalada. Se não estiver, efectuar o download a partir do link e instalar:

1. Verificar se a Microsoft.NET Framework 2.0 está instalada. Se não estiver, efectuar o download a partir do link e instalar: SigmaDoc INSTALAÇÃO/ACTUALIZAÇÃO Para efectuar a actualização, proceder do seguinte modo: 1. Verificar se a Microsoft.NET Framework 2.0 está instalada. Se não estiver, efectuar o download a partir do link

Leia mais

Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática. Sistema de Arquivos. Prof. João Paulo de Brito Gonçalves

Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática. Sistema de Arquivos. Prof. João Paulo de Brito Gonçalves Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática Sistema de Arquivos Prof. João Paulo de Brito Gonçalves Introdução É com o sistema de arquivos que o usuário mais nota a presença do sistema operacional.

Leia mais

Questões Tópico 102. sexta-feira, 21 de junho de 13

Questões Tópico 102. sexta-feira, 21 de junho de 13 Qual comando pode ser usado para listar as partições do dispositivo /dev/sda? a) cat /dev/sda b) ls -l /dev/sda c) fdisk -p /dev/sda d) fdisk -l /dev/sda 1 Qual comando pode ser usado para listar as partições

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2007 / 2008

PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2007 / 2008 Departamento de Engenharia Electrotécnica PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2007 / 2008 Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e Computadores 1º ano 1º semestre Introdução ao ambiente Linux http://tele1.dee.fct.unl.pt

Leia mais

Actualização, Cópias de Segurança e Recuperação de Software

Actualização, Cópias de Segurança e Recuperação de Software Actualização, Cópias de Segurança e Recuperação de Software Manual do utilizador Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca comercial registada da Microsoft Corporation

Leia mais

Formação de Administradores de Redes Linux LPI level 1. Aula 3 SENAC TI Fernando Costa

Formação de Administradores de Redes Linux LPI level 1. Aula 3 SENAC TI Fernando Costa Formação de Administradores de Redes Linux LPI level 1 Aula 3 SENAC TI Fernando Costa Agenda Manipulação de arquivos Comandos: cat, cut, expand,fmt, head, join, nl, od, paste, pr, split, tac, tail, tr,

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO TERMINAL DE PORTA

MANUAL DE UTILIZAÇÃO TERMINAL DE PORTA MANUAL DE UTILIZAÇÃO TERMINAL DE PORTA www.xdsoftware.pt Resumo da Aplicação O XD Terminal de Porta é um módulo do XD Disco destinado a coletores de dados com o sistema operativo Windows mobile. Junta

Leia mais

Tutorial de Instalação C3SL

Tutorial de Instalação C3SL Tutorial de Instalação C3SL 1 / 27 Tutorial de Instalação Linux Educacional Este tutorial tem como objetivo auxiliar na instalação do sistema operacional Linux Educacional - versão 5.0. Aqui, são descritos

Leia mais

1) Ao ser executado o código abaixo, em PHP, qual será o resultado impresso em tela?

1) Ao ser executado o código abaixo, em PHP, qual será o resultado impresso em tela? Exercícios sobre Linguagem PHP: 1) Ao ser executado o código abaixo, em PHP, qual será o resultado impresso em tela? 2) Considere a linguagem de programação PHP e seus operadores. A execução da sentença:

Leia mais

Guia e Utilização do Visual Studio 6.0

Guia e Utilização do Visual Studio 6.0 Guia e Utilização do Visual Studio 6.0 Objectivo Este guia acompanha-o através do processo de criação de uma aplicação C++ utilizando o ambiente de desenvolvimento Visual Studio 6.0. Passo 1: Criação de

Leia mais

Manual de Reposição de Linux Caixa Mágica

Manual de Reposição de Linux Caixa Mágica Manual de Reposição de Contract Ref.: Ref. Contrato Sistema de Reposição Date: Pages: Issue: State: Access: Reference: 10/9/2004 13 Draft Public i Approved Version: RR Name Function Signature Date Paulo

Leia mais

Linguagem C Tipos de Dados. void; escalares; sizeof Vectores; strings em C Estruturas Introdução ao pré-processador

Linguagem C Tipos de Dados. void; escalares; sizeof Vectores; strings em C Estruturas Introdução ao pré-processador Linguagem C Tipos de Dados void; escalares; sizeof Vectores; strings em C Estruturas Introdução ao pré-processador Funções void void pode ser usado em lugar de um tipo, para indicar a ausência de valor

Leia mais

WEBSITE DEFIR PRO WWW.DEFIR.NET

WEBSITE DEFIR PRO WWW.DEFIR.NET MANUAL DO UTILIZADOR WEBSITE DEFIR PRO WWW.DEFIR.NET 1. 2. PÁGINA INICIAL... 3 CARACTERÍSTICAS... 3 2.1. 2.2. APRESENTAÇÃO E ESPECIFICAÇÕES... 3 TUTORIAIS... 4 3. DOWNLOADS... 5 3.1. 3.2. ENCOMENDAS (NOVOS

Leia mais

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO Sistema Operacional Conteúdo retirado do livro Sistemas Operacionais Marcos Aurélio Pchek Laureano Diogo Roberto Olsen

Leia mais

Preparatório LPIC-1 Tópico 104

Preparatório LPIC-1 Tópico 104 Preparatório LPIC-1 Tópico 104 Professor M.Sc. Thiago Leite thiago.leite@udf.edu.br 1 Qual comando do fdisk cria uma nova partição no disco atual? a) c b) n c) p d) w 2 Qual comando do fdisk cria uma nova

Leia mais

I N F O R M Á T I C A. Sistemas Operacionais Prof. Dr. Rogério Vargas Campus Itaqui-RS

I N F O R M Á T I C A. Sistemas Operacionais Prof. Dr. Rogério Vargas Campus Itaqui-RS I N F O R M Á T I C A Sistemas Operacionais Campus Itaqui-RS Sistemas Operacionais É o software que gerencia o computador! Entre suas funções temos: inicializa o hardware do computador fornece rotinas

Leia mais

ROM-BIOS Inicialização Sistemas de Arquivos Formatação

ROM-BIOS Inicialização Sistemas de Arquivos Formatação ROM-BIOS Inicialização Sistemas de Arquivos Formatação 1 ROM-BIOS ROM-BIOS Basic Input/Output System (Sistema Básico de Entrada/Saída). O termo é incorretamente conhecido como: Basic Integrated Operating

Leia mais

Digi Voice. DigiVoice. Manual do Usuário - DigiVoice Hardware Tests. DigiVoice Tecnologia em Eletrônica. DigiVoice Hardware Tests Versão 1.0.

Digi Voice. DigiVoice. Manual do Usuário - DigiVoice Hardware Tests. DigiVoice Tecnologia em Eletrônica. DigiVoice Hardware Tests Versão 1.0. Digi Voice Tecnologia em Eletrônica Hardware Tests Versão 1.0.0 Manual do Usuário - Hardware Tests Versão: 1.0 Copyright 2009 Tecnologia em Eletrônica I Conteúdo 3 Parte I Introdução 1 Bem Vindo... 3 5

Leia mais

Instalação em Dual Boot

Instalação em Dual Boot Manual Instalação em Dual Boot tutorial de instalação Dual boot Windows XP e o Linux Educacional 2.0 Francisco Willian Saldanha Analista de Teste de Sistemas MEC/SEED/DITEC/CETE Manual Instalação em Dual

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Sistema de Inicialização BOOT 15/10/09 08:58 PM Prof. André Luiz 1 Sistema de Boot POST e BIOS Responsáveis pela inicialização do Hardware. Após realizar os testes iniciais (POST)

Leia mais

Estrutura de um Sistema Linux Moderno Padrões de um Sistema Linux. Prof. Claudio Silva

Estrutura de um Sistema Linux Moderno Padrões de um Sistema Linux. Prof. Claudio Silva Estrutura de um Sistema Linux Moderno Padrões de um Sistema Linux Estrutura de um Sistema Linux Por ter sua origem universitária, a forma como o Linux foi concebido é de perfeito agrado para o seu estudo.

Leia mais

Manual do Fénix. Portal Secretaria da Escola Portal Conselho Científico Portal Direcção de Curso. Candidatura Online para o 2.

Manual do Fénix. Portal Secretaria da Escola Portal Conselho Científico Portal Direcção de Curso. Candidatura Online para o 2. Manual do Fénix Portal Secretaria da Escola Portal Conselho Científico Portal Direcção de Curso Candidatura Online para o 2. º Ciclo SI (Versão 1.0) Maio 2011 Este manual tem como objectivo auxiliar na

Leia mais

LEI Sistemas de Computação 2011/12. Níveis de Abstração. TPC4 e Guião laboratorial. Luís Paulo Santos e Alberto José Proença

LEI Sistemas de Computação 2011/12. Níveis de Abstração. TPC4 e Guião laboratorial. Luís Paulo Santos e Alberto José Proença LEI Sistemas de Computação 2011/12 Níveis de Abstração TPC4 e Guião laboratorial Luís Paulo Santos e Alberto José Proença ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Unix: Sistema de Arquivos. Geraldo Braz Junior

Unix: Sistema de Arquivos. Geraldo Braz Junior Unix: Sistema de Arquivos Geraldo Braz Junior 2 Arquivos Um arquivo é visto pelo SO apenas como uma seqüência de bytes: nenhuma distinção é feita entre arquivos ASCII, binários, etc.; Muitos programas

Leia mais

Realizado por: Fábio Rebeca Nº6. Iuri Santos Nº8. Telmo Santos Nº23

Realizado por: Fábio Rebeca Nº6. Iuri Santos Nº8. Telmo Santos Nº23 Realizado por: Fábio Rebeca Nº6 Iuri Santos Nº8 Telmo Santos Nº23 1 Tutorial de instalação e partilha de ficheiros na Caixa Mágica Índice Índice... 1 Introdução... 2 Material que iremos utilizar... 3 Instalação

Leia mais

ZSRest. Manual de Configuração ZSPDA. V2011-Certificado

ZSRest. Manual de Configuração ZSPDA. V2011-Certificado Manual de Configuração ZSPDA V2011-Certificado 1 1. Índice 2. Introdução... 2 3. Pré-requisitos... 3 a) Base de dados... 3 b) Firewall... 3 c) Licença... 3 d) Rede sem fios... 3 e) PDA... 4 4. ZSPDA Interface...

Leia mais

Reposição de imagens XD Linux

Reposição de imagens XD Linux Reposição de imagens XD Linux Reposição de imagens XD Linux Esta distribuição é ideal para uma máquina de ponto de venda já que garante a exclusividade ao software XD não permitindo, sem autorização técnica,

Leia mais

Tutorial Kurumin GNU/Linux 6.0 1/20

Tutorial Kurumin GNU/Linux 6.0 1/20 Tutorial Kurumin GNU/Linux 6.0 1/20 Tutorial para particionamento, instalação do Kurumin GNU/Linux 6.0 e configuração de boot loader. Tutorial Kurumin GNU/Linux 6.0 2/20 Introdução... 3 Requisitos... 4

Leia mais

Revisão LPI101. Tópicos e Objetivos. - 1.102 Instalação e Gerenciamento de Pacotes do Linux. - 1.104 Dispositivos, Sistemas de Arquivos Linux e o FHS

Revisão LPI101. Tópicos e Objetivos. - 1.102 Instalação e Gerenciamento de Pacotes do Linux. - 1.104 Dispositivos, Sistemas de Arquivos Linux e o FHS Tópicos e Objetivos - 1.101 Hardware e Arquitetura - - 1.103 Comandos GNU e Unix - 1.104 Dispositivos, Sistemas de Arquivos Linux e o FHS - 1.1.10 Sistema Xwindow 65 Questões em 90 minutos = 1m24s por

Leia mais

SAFT para siscom. Manual do Utilizador. Data última versão: 07.11.2008 Versão: 1.01. Data criação: 21.12.2007

SAFT para siscom. Manual do Utilizador. Data última versão: 07.11.2008 Versão: 1.01. Data criação: 21.12.2007 Manual do Utilizador SAFT para siscom Data última versão: 07.11.2008 Versão: 1.01 Data criação: 21.12.2007 Faro R. Dr. José Filipe Alvares, 31 8005-220 FARO Telf. +351 289 899 620 Fax. +351 289 899 629

Leia mais

Tutorial Instalação Dual Boot Ubuntu e Windows XP Virtualização com VirtualBox

Tutorial Instalação Dual Boot Ubuntu e Windows XP Virtualização com VirtualBox System Technology Tutorial Instalação Dual Boot Ubuntu e Windows XP Virtualização com VirtualBox Weslley Barboza Tutorial para instalação de uma maquina virtual com dual boot utilizando Windows XP Professional

Leia mais