UMA ANÁLISE DO SYLLABUS DA DISCIPLINA DE AUDITORIA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO NORTE-AMERICANOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UMA ANÁLISE DO SYLLABUS DA DISCIPLINA DE AUDITORIA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO NORTE-AMERICANOS"

Transcrição

1 UMA ANÁLISE DO SYLLABUS DA DISCIPLINA DE AUDITORIA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO NORTE-AMERICANOS RESUMO: O estudo objetivou identificar as características dos planos de ensino da disciplina de Auditoria na graduação e na pós-graduação em Contabilidade nas universidades norte-americanas. Caracteriza-se, quanto à natureza do objeto, como uma pesquisa de caráter descritivo. Trata-se de uma análise documental, na qual foram analisados 24 syllabus de 1 universidades, elencadas na revista U.S.News and World Report, em 2012, no ranking Best Undergraduate Business Programs e no ranking QS World University Rankings by Subject 2013 Accounting & Finance. Os resultados apontaram que, nas universidades da amostra, há uma semelhança na estrutura e na disposição dos planos de ensinos, em que nome/contato do professor, descrição/objetivo da disciplina e conteúdo programático se mostraram presentes em todos os syllabus, já a estratégia mais utilizadas na avaliação dos alunos é a Participation/Profissionalism, com 9,1 das menções. O Exam 1 e o Final Exam vêm em seguida, com 66,6 do total dos planos de ensino. Quanto às avaliações, Midterm e Final Exam são as que possuem o maior peso, valendo metade da nota. O resultado apontou que o livro mais utilizado entre os planos de ensino é o Auditing and Assurance Services: a systematic approach, de Messimer, Glover and Prawitt. Os resultados desta pesquisa limitam-se às universidades selecionadas e ao período em que os planos de ensino foram analisados, não sendo possível estender os dados para outras universidades, outras disciplinas e períodos anteriores ou subsequentes à esta pesquisa. Palavras-chave: Auditoria; Ensino Superior; Conteúdo Programático; Universidades Americanas; Plano de Ensino. Key-words: Auditing, Accounting Curriculum, Accounting Undergraduate, Accounting Graduate, Syllaus.

2 2 1 INTRODUÇÃO Assim como a prática profissional de Auditoria evoluiu para atender às mudanças da sociedade, o processo da educação em contabilidade precisa ser reavaliado continuamente, a fim de preparar os futuros profissionais para carreiras nas quais obterão sucesso. Muitas universidades americanas, com esse desafio de mudança, estão ofertando conteúdos para que os alunos de Auditoria estejam prontos para enfrentar os desafios da profissão (TITARD et al., 2004). O que se observa em boa parte das universidades americanas é que normalmente as aulas de Contabilidade são ministradas com extensas e pormenorizadas exposições. O professor é um facilitador no processo de aprendizagem do aluno, é ele quem dá uma completa assistência, desde a indicação do livro-texto e demais materiais, explicando e debatendo os pontos mais complexos, corrigindo e dando novas tarefas, até as considerações sobre as avaliações, indicando as melhores respostas ou soluções. Na verdade, o instrumento fundamental de ensino da Contabilidade é o livro-texto, pois tudo gira em torno dele (MARION, 1992). De acordo com Cheng et al. (2006), há uma discrepância óbvia de expectativa entre os prestadores de educação contábil (professores e alunos) e os demandantes dessa educação (empresas de contabilidade e demais setores). Segundo estudo realizado por Armitage (2008), que abordou as mudanças dos tópicos mencionados entre 2000 e 2005 no ensino de Auditoria das universidades norte-americanas, os temas mais importantes são os relatórios de controle interno, a consciência de fraude, os documentos de trabalho e o histórico de Auditoria. Um fato curioso em relação aos departamentos de contabilidade nas universidades americanas é o apoio irrestrito das firmas de contabilidade ou empresas de Auditoria, como chamamos. Normalmente, sócios dessas empresas de Auditoria locais e de grandes empresas de Auditoria estão envolvidos nos conselhos consultivos. Além dessas empresas conseguirem suporte financeiro para os departamentos de contabilidade junto aos seus clientes, elas mesmas (empresas de Auditoria) contribuem com generosas doações a fim de aperfeiçoar o ensino da Contabilidade (MARION, 1992). O processo de educação em Auditoria necessita ser reavaliado constantemente, em função do desenvolvimento de sua evolução, para que se possa preparar os alunos para o mercado de trabalho e ambiente profissional. Embora muitos estudiosos tenham investigado a discrepância de expectativa, não há consenso sobre que tipo de planejamento curricular é o melhor. Para sobreviver às rápidas mudanças no ambiente de negócios, cada escola deve ser capaz de preparar bem os alunos, a fim de que possam atender à intensa competição global. Portanto, o planejamento curricular tornou-se uma questão indispensável e importante para a escola de negócios (CHENG, 2006). Diante do exposto tem-se a seguinte pergunta: Quais as características dos planos de ensino das disciplinas de Auditoria ministradas na graduação e pós-graduação das universidades norteamericanas?

3 3 Este estudo propõe uma análise dos planos de ensino dos anos de 2010 a 2013, da disciplina de Auditoria, na graduação e pós-graduação em 40 universidades norte-americanas listadas no Best Undergraduate Business Programs 2012, da revista U.S.News and World Report, e no ranking QS World University Rankings by Subject 2013 Accounting & Finance. O objetivo desta pesquisa é caracterizar o ensino da disciplina de Auditoria nos cursos de graduação e pós-graduação em Ciências Contábeis, das principais universidades dos Estados Unidos, por meio da análise dos planos de ensino ou syllabus, como são chamados na língua inglesa. Serão analisadas as ementas, o conteúdo programático, o processo de avaliação, as metodologias e a bibliografia utilizada. Para tanto foram definidos os seguintes objetivos específicos: Analisar se os tópicos ensinados na disciplina de Auditoria estão em consonância com o sumário dos livros da área; Caracterizar os conteúdos e as formas de avaliação; Identificar a bibliografia básica utilizada; Verificar a metodologia de ensino empregada na disciplina de Auditoria. Este trabalho se justifica pela sua funcionalidade e utilidade tanto para os futuros profissionais da área como para as empresas e governo, pois a pesquisa explora a ênfase dada na educação em relação à demanda de um mercado cada vez mais rigoroso. O presente estudo é original, pois faz uma contribuição para a literatura existente, analisando os planos de ensino e verificando os tópicos abordados em cada uma das disciplinas de Auditoria. A viabilidade está sujeita à coleta dos syllabus, uma vez que as informações dos planos de ensino foram obtidas através do acesso à internet, podendo ser encontradas nos sites das universidades e também por contato via com os professores das disciplinas. Esse trabalho contém quatro capítulos. No primeiro capítulo, apresentase a introdução, no segundo capítulo, apresenta-se o referencial teórico, no terceiro capítulo, encontra-se a metodologia da pesquisa, e no quarto capítulo, apresenta-se a análise dos resultados da pesquisa seguido das referências utilizadas. 2 REFERENCIAL TEÓRICO As universidades buscam desenvolver os currículos dos cursos de graduação em Ciências Contábeis para permitir a formação acadêmica dos futuros contadores, visando ao maior sucesso profissional na carreira. O objetivo do curso de Ciências Contábeis é formar um contador para atuar como um agente de mudanças, adequado às necessidades do mercado atual, regional e nacional, em contínua evolução. São imprescindíveis currículos e programas bem definidos para a prática contábil, bibliografia atualizada e professores qualificados, dentre outros fatores necessários para o ensino de qualidade (HOFER, PELEIAS e WEFFORT, 2005, p.118).

4 4 De acordo com Hofer, Peleias e Weffort (2005), os conteúdos ministrados apresentam poucas diferenças entre as instituições e propiciam a formação básica requerida para os ingressantes da profissão contábil, pois contemplam conteúdos que abrangem, desde a finalidade da Contabilidade, até a elaboração do balanço patrimonial. Seguindo o raciocínio, Slomski (2010) afirma que os cursos de Contabilidade precisam encontrar novas formas de ensinar e aprender, no intuito de tornar o ensino mais eficiente e agradável, pois aprender precisa ter sabor, gosto, prazer. O paradigma dominante hoje é de ensino utilitarista, reducionista, comportamental, no qual o aluno responde ao estímulo e, ao final, faz uma avaliação para verificar a quantidade de conteúdo retido, para ser aprovado, mesmo que não tenha aprendido. Diante do exposto, percebe-se que ao observar como o ensino superior atua na influência para os profissionais da área Contábil, é necessário que se tenha uma definição de um currículo que será útil para o futuro profissional de contabilidade. Segundo estudo realizado por Hofer, Peleias e Weffort (2005), a contabilidade poderia ser apresentada dentro de uma abordagem global da empresa, demonstrando ao estudante a importância da visão sistêmica nas organizações em que irá atuar. O conhecimento e o envolvimento do contador no processo de gestão lhe fornecem uma visão da missão e dos objetivos das empresas. E, de acordo com o resultado do estudo dos referidos autores, esse conteúdo não foi identificado na bibliografia mencionada nos planos de ensino analisados. Os resultados da pesquisa de Cheng et al. (2006) mostram que, de acordo com as entrevistas feitas, não existe uma diferença distinta de confiança entre o círculo comercial e o campo acadêmico. No entanto, essa lacuna poderia ser preenchida por meio de desenvolvimento de alterações específicas nos currículos. 2.1 ENSINO DE AUDITORIA A Auditoria surgiu como consequência da necessidade de confirmação dos registros contábeis, em virtude do aparecimento das grandes empresas e da taxação do imposto de renda, baseado nos resultados apurados em balanço. Tal fato aconteceu, primeiramente, na Inglaterra, que, como dominadora dos mares e controladora do comércio mundial, foi a primeira a possuir as grandes companhias de comércio e a primeira, também, a instituir a taxação do imposto de renda, baseado nos lucros das empresas (FRANCO, 2009). De acordo com Silva (2008), os primeiros conceitos e técnicas de Auditoria nos cursos superiores de Ciências Contábeis foram formalmente introduzidos no Brasil pelo Decreto-Lei nº. 988, de 22 de setembro de Originalmente, a disciplina de Auditoria chamava-se Revisões e Perícia Contábil. O mencionado decreto de 1945 é considerado o marco inicial do ensino superior de Ciências Econômicas e de Ciências Contábeis e Atuariais, contendo em seu artigo 3º a seguinte redação:

5 5 O curso de Ciências Contábeis e Atuariais será de quatro anos e terá a seguinte seriação de disciplinas: (...) Quarta série 1. Organização e contabilidade de seguros. 2. Contabilidade Pública. 3. Revisões e perícia contábil. 4. Instituições de direito social. 5. Legislação tributária e fiscal. 6. Prática de processo civil e comercial. A Secretaria de Educação Superior, órgão ligado ao MEC, em abril de 1999, apresentou nova proposta de Diretrizes Curriculares em que os conteúdos obrigatórios de formação básica e profissional (50 da carga horária total) não representam nomes de disciplinas, mas áreas de conhecimentos, trazendo como conteúdo para a disciplina de Auditoria: controles internos; princípios, normas e procedimentos de Auditoria; planejamento de Auditoria e papéis de trabalho (CUNHA, UTZIG e SALLA, 2013). Conforme Paulino (2008, apud BOARIN), as tendências da formação em Ciências Contábeis devem estar centradas na preparação de um profissional com competência fundamentada em conteúdo curricular que contenha conhecimentos gerais de contabilidade; e que, acima de tudo, estimule atividades práticas direcionadas à consciência ética, complementadas com habilidades de comunicação, administração de conflitos e relacionamento humano. Para Marion (1992), a ética do estudante é um assunto muito discutido atualmente nos Estados Unidos, tal trabalho aborda recente pesquisa abrangendo 300 mil estudantes de graduação realizada pela Higher Education Researche Institute da Universidade da Califórnia, Los Angeles (33), que apresentou os seguintes dados: 3 admitiram trapacear em testes (exames, provas), enquanto que 5 disseram já ter copiado as tarefas de casa valendo nota que são entregues ao professor. Marion cita o pesquisador Michael Josefhson, bastante preocupado com a ética acadêmica, principalmente em virtude da competição de boas notas para melhorar o currículo, e interroga: se há estudantes que trapaceiam na escola por que não trapaceariam também no seu local de trabalho?. A pesquisa realizada por Madeira (2001), que analisou a disciplina de Auditoria nos cursos de graduação em Ciências Contábeis, encontrou limitações pelo fato de o trabalho estar suportado apenas nas informações recebidas diretamente dos professores, por isso foi difícil obter um número mínimo de respostas que permitissem a elaboração de seu trabalho. A análise, dos programas dos cursos revelou que a maioria deles não traz uma descrição analítica de seu conteúdo; os planos de ensino devem oferecer detalhes sobre a disciplina, e algumas escolas fazem indicações muito genéricas. Madeira disse ainda que a conclusão da comparação dos programas analisados está muito aquém dos requisitos contidos na proposta, pois apenas 28 dos requisitos são atendidos.

6 6 3 METODOLOGIA DA PESQUISA O enquadramento metodológico desta pesquisa é elaborado de acordo com estrutura apresentada por Ensslin e Ensslin (2008), onde os autores dividem o enquadramento metodológico em cinco itens: (i) objetivo da pesquisa; (ii) lógica da pesquisa; (iii) processo da pesquisa; (iv) resultado da pesquisa; (v) procedimentos técnicos; e (iv) instrumentos. A seguir, apresentase o enquadramento do presente estudo com os itens acima citados. O trabalho caracteriza-se, quanto à natureza do objetivo, como uma pesquisa de caráter descritivo. Segundo Gil (1999, p.0), a pesquisa descritiva tem como principal objetivo descrever características ou comportamentos de determinada população ou fenômeno ou estabelecimento de relações entre as variáveis. A pesquisa também é caracterizada de lógica indutiva, pois analisa questões particulares até chegar a conclusões generalizadas. (RICHARDSON, 1999). Quanto à coleta de dados, faz-se uso de dados secundários, de acordo com Richardson (1999), uma vez que se baseou em planos de ensino disponibilizados em sites das instituições de ensino superior. Em relação ao procedimento de análise, trata-se de uma análise documental já que se utiliza de informações públicas obtidas por meio do site das instituições. A pesquisa documental, para Moura e Beuren (2011), baseiase em materiais que ainda não receberam um tratamento analítico ou que podem ser reelaborados de acordo com os objetivos da pesquisa. A pesquisa documental consulta material interno à organização (GIL, 2010, p.31). 3.1 PROCEDIMENTOS PARA REVISÃO DA LITERATURA A revisão da literatura para construção do referencial teórico deste estudo foi realizada, em relação ao contexto nacional em quatro congressos de contabilidade: (i) Congresso USP de Controladoria e Contabilidade; (ii) Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Ciências Contábeis (ANPCONT); (iii) Encontro da Associação Nacional de Pós- Graduação e Pesquisa em Administração (ENANPAD); e (iv) Encontro de Ensino e Pesquisa em Administração e Contabilidade (ENEPQ). Além dos congressos, a busca também foi realizada nos 13 periódicos vinculados aos programas de pós-graduação strictu sensu da área de Contabilidade: Brazilian Business Review; Revista Base; Revista Contabilidade e Organizações; Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis; Universo Contábil; Contabilidade Vista & Revista; Contabilidade & Finanças; Revista Brasileira de Gestão e Negócios; Revista de Informação Contábil; Revista de Contabilidade da UFBA; Revista Contabilidade & Controladoria; Revista Contemporânea de Contabilidade; Revista Contabilidade, Gestão e Governança. Esses periódicos e congressos são classificados no Sistema Qualis/Capes 2008 como A e B, em sua maioria, o que faz com que a inclusão deles se dê diretamente pelo destaque nacional e internacional que possuem. Materiais foram pesquisados também no portal ISI Web of Knowledge, que abrange mais de nove mil periódicos e 120 mil conferências e pode ser

7 acessado pelo Portal de Periódicos da Capes ou através do seu sítio eletrônico. Após definidas as fontes de coleta dos dados, efetuou-se a busca dos artigos por meio de palavras-chave: auditoria, ensino superior, conteúdo programático, universidades americanas, plano de ensino; auditing, accounting curriculum, accounting undergraduate, accounting education e syllaus. Foram encontrados 264 artigos que continham as palavras no título, resumo e/ou palavras-chave. Após esse processo, realizou-se a leitura dos resumos dos artigos e foram excluídos aqueles que não tinham em seu conteúdo o foco relacionado à disciplina de Auditoria, restando 18 artigos que compõem a plataforma teórica deste estudo. 3.2 POPULAÇÃO E AMOSTRA A população desta pesquisa é composta por 40 universidades situadas nos Estados Unidos da América, elencadas na revista de negócios U.S.News and World Report, em 2012, no ranking Best Undergraduate Business Programs, e no ranking mundial QS World University Rankings by Subject 2013 Accounting & Finance. A escolha da população se deu pelo reconhecimento dado a essas instituições no meio acadêmico e social, como sendo as melhores da área dos negócios e contabilidade, e pela relevância desses rankings que indicam os melhores cursos de graduação e pós-graduação. Uma vez definida a população, foram eliminadas as universidades que não ofereciam o curso de Contabilidade ou a disciplina de Auditoria não era ofertada. Após a eliminação destas, verificou-se uma amostra potencial de 28 universidades, representando 0 da população. Dessas 28 universidades, 1 entraram para a amostra; as demais foram excluídas devido à indisponibilidade dos planos de ensino e à falta das informações necessárias à pesquisa, que foi realizada através das páginas eletrônicas das instituições epela comunicação via s com professores que lecionam a disciplina e/ou responsáveis pelos departamentos. 3.3 PROCEDIMENTOS PARA COLETA DE DADOS A coleta de dados foi realizada por meio de um levantamento dos planos de ensino da disciplina de Auditoria, nos sites de cada uma das instituições da amostra. Não são todas as instituições que disponibilizam no seu sítio eletrônico, os planos de ensino, contendo ementa, métodos de ensino e avaliação e carga horária, bem como a bibliografia utilizada. Para as instituições que não trazem essas informações em suas páginas eletrônicas, foi feito contato via com os professores de cada disciplina, que foram identificados através dos sites das universidades. Quando estes não foram identificados, foi enviado um aleatoriamente para três professores de Contabilidade e para o responsável pelo departamento, solicitando os syllabus e demais informações.

8 8 Das 40 universidades selecionadas, seis possuíam os planos de ensino disponibilizados em seus endereços eletrônicos. Para as demais, foi necessário o contato via ; 11 instituições enviaram resposta, conforme solicitado, com os planos de ensino anexados, relevantes para o presente estudo. Foram 1 universidades que forneceram os planos de ensino, somando um total de 24 syllabus coletados, sendo 12 da graduação e 12 da pós-graduação. Foram selecionados para a pesquisa dois livros de Auditoria, escolhidos por sua procura em sites epecializados e por serem utilizados na bibliografia de diversas disciplinas: Livro 1 Auditing and Assurance Services, An Integrated Approach (ARENS, ELDER e BEASLEY, 2012); e Livro 2 Auditing & Assurance Services (LOUWERS et al., 2008). A partir deles, foi feita uma tabela padrão contendo os tópicos abordados em seus capítulos. Com o padrão criado, foi possível fazer uma análise dos planos de ensino e dos tópicos abordados nas disciplinas de Auditing, conforme Quadro 4 Tópicos em Auditoria. Quadro 4: Tópicos em Auditoria Tópico Livro 1 Livro 2 1 The Demand for Auditing and Assuranse Services x x 2 Audit Reports x x 3 Professional Ethics x x 4 Legal Liability x x 5 Audit Plan + Program and Audit Sampling for Tests of Controls and Substantive Tests of Transactions and Details of Balances 6 Audit of Internal Control and Control Risk + Materiality x x Audit Evidence x x 8 Audit Responsibilities, Objectives and Professional Standars + CPA Profession 9 Fraud Auditing + Employee Fraud and the Audit of Cash x x 10 Information Technology on the Audit Process x x 11 Audit of the Sales and Collection Cycle + Accounts Receivable x x 12 Audit of the Acquisition and Payment Cycle x x 13 Audit of the Payroll and Inventory Cycle + Audit of Cash Balances 14 Completing the Audit x x 15 Other Assurance Services x x 16 Internal and Governmental Financial Auditing and Operational Auditing Fonte: Dados da pesquisa A partir da leitura e análise dos planos de ensino ou syllabus, foram desenvolvidos quadros, contendo: os nomes das disciplinas ofertadas; a estrutura dos planos de ensino; a metodologia de ensino; os métodos de avaliação e ensino; o material utilizado; e os tópicos abordados na disciplina. Após examinar os dados, foi alcançado o objetivo da pesquisa, identificando o perfil da disciplina de Auditoria. x x x x x x x x

9 9 4 ANÁLISE DOS RESULTADOS Das 40 universidades que compunham os rankings e o artigo, 12 não possuíam o curso de Contabilidade ou a disciplina de Auditing na graduação e na pós-graduação. Nas 28 restantes, em seis foram encontrados os syllabus disponíveis em suas páginas eletrônicas. Nas demais, foi preciso contato via e- mail para o professor da disciplina, quando identificados, ou aleatoriamente envio aleatório para três professores e para o responsável do departamento, solicitando os syllabus. Porém, três não disponibilizaram ou não enviaram as informações por completo, havendo a necessidade de um reenvio de para receber as informações complementares. Os s foram enviados entre abril e maio de 2013, e optou-se pela utilização da amostragem por acessibilidade, sendo que 13 universidades retornaram os s com o syllabus anexados e duas disponibilizaram informações incompletas e irrelevantes para a amostra. Dessa forma, das 40 universidades selecionadas, 1 entraram na amostra, o que representa 42,5 da população. A Univesity of Southern California foi considerada na amostra porque tem um importante curso na área de negócios, tanto na graduação quanto na pós-graduação, apesar dos syllabus coletados serem do ano de 2006, pois somente estes se encontravam disponíveis na página eletrônica da universidade. Segue Quadro 5 Universidades Selecionadas na Amostra: Quadro 5: Universidades Selecionadas na Amostra University / School State School Type 1 Boston College Massachusetts Private 2 Boston University Massachusetts Private 3 Brigham Young University, Provo Utah Private 4 Georgetown University, McDonough District of Columbia Private 5 Georgia Institute of Technology Georgia Public 6 Indiana University, Bloomington Indiana Public New York University, Stern New York Private 8 Ohio State University, Fisher Ohio Public 9 Texas A&M University, Mays Texas Public 10 University of California, Berkeley California Public 11 University of California, Davis California Public 12 University of Illinois at Urbana-Champaign Illinois Public 13 University of Michigan, Ann Arbor Michigan Public 14 University of Pennsylvania, State Pennsylvania Public 15 University of Southern California, Marshall California Private 16 University of Texas at Austin Texas Public 1 University of Wisconsin, Madison Wisconsin Public Fonte: Dados da pesquisa

10 10 Das universidades consideradas na amostra, foram coletados um total de 24 syllabus, dispostos no Anexo 1, de diversas disciplinas de Auditoria, conforme Quadro 6 Variações da disciplina de Auditoria. Quadro 6: Variações das Disciplinas de Auditoria Nome da Disciplina Nº de Syllabus 1 Advanced Financial Statement Auditing 1 2 Audit & Assurance Services 5 3 Auditing / Audit 6 4 Auditing and Attestation Standards 2 5 Auditing and Control 1 6 Auditing and Financial Control Systems 1 Auditing Principles and Procedures 1 8 Auditing Theory and Application 1 9 Financial Statement Auditing 1 10 Internal Audit 1 11 Professional Practice Issues in Accounting and Auditing 1 12 Seminar in Auditing 1 13 Studies in Auditing 2 Total 24 Fonte: Dados da pesquisa 4.1 ESTRUTURA DOS PLANOS DE ENSINO O plano de ensino é um planejamento em que o professor demonstra os conteúdos, os objetivos e o que pretende alcançar com uma determinada disciplina. Elaborado pelo professor, tem a intenção de sintetizar o semestre/ano, organizando as atividades, visando alcançar as metas estipuladas para aquela disciplina. Neste estágio da pesquisa, foi observada a estrutura dos 24 planos de ensino, sendo 12 da graduação e 12 da pósgraduação, conforme Quadro. No quadro, pode-se notar que há certa semelhança em relação à estrutura dos planos de ensino, pois 5 dos itens foram mencionados em mais de metade dos syllabus, tanto na graduação quanto na pós. O objetivo não é comparar menções em graduação e pós-graduação, apenas observar as semelhanças e as discrepâncias dos planos de ensino em cada um dos níveis. Os elementos nome/contato do professor, descrição/objetivo da disciplina e conteúdo programático estão presentes em todos os syllabus analisados, o que demonstra objetividade dos professores das disciplinas. Os métodos de avaliação e o material utilizado também aparecem em quase todos os planos de ensino, representando aproximadamente 96 da amostra analisada, estes serão apresentados em dois quadros distintos, nas seções 4.4 e 4.5, respectivamente. Itens como cronograma das aulas, horário de aula, horário de atendimento extraclasse foram encontrados em mais de metade dos planos de ensino. A integridade acadêmica teve menções em 66,6 dos syllabus

11 11 analisados, esse item aborda posturas éticas e condutas que o aluno deve ter durante o aprendizado no semestre/ano da disciplina, e trata de assuntos como fraude, plágio, honestidade, falsificação, bem como interrupções da aula e desligamento de eletrônicos e celulares, para que todos estejam de acordo com os princípios da universidade. Estrutura Quadro : Estrutura dos Planos de Ensino Graduaçã o Pós- Graduação Mençõe s Totais 1 Conteúdo programático Descrição/objetivo da disciplina Nome/Contato do professor Material utilizado ,6 95, Métodos de avaliação ,6 95, Cronograma das aulas 10 83,3 91,6 8, Horário de atendimento 83,3 91,6 8, extraclasse Integridade acadêmica/ Ética 9 5,0 58,3 66, Horário da aula 58,3 58,3 58, ,6 25,0 Pré-requisito 5 1 8, ,0 16,6 Sítio eletrônico da disciplina 3 1 8, Créditos 1 8,33 1 8,33 2 8,33 Fonte: Dados da pesquisa Em relação ao sítio eletrônico da disciplina, pré-requisito e créditos, não foram relevantes ao total de syllabus analisados, e tiveram participação máxima de 25 das menções. 4.2 METODOLOGIAS DE ENSINO A metodologia é estruturada de acordo com o professor de cada disciplina e universidade, propondo atividades para que os alunos possam adquirir conhecimento diante dos temas abordados na disciplina. As metodologias de ensino estão dispostas de acordo com o Quadro 8 Metodologias Utilizadas: De acordo com o quadro, pode-se observar que atividades em aula e atividades para casa são as metodologias mais utilizadas, pois correspondem a mais de 60 dos syllabus avaliados, sendo que as atividades em aula aparecem na graduação com 91,66 de menções. As metodologias de estudo de caso e trabalhos em grupo foram encontrados em 50 e 54,1, respectivamente, o que demonstra sua relevância perante os métodos utilizados. O trabalho individual e o paper aparecem com as menores

12 12 porcentagens das menções, e sua incidência é de 25 e 4,1, respectivamente. Método Quadro 8: Metodologias Utilizadas Graduação Pós- Graduação Totais 1 Atividades em aula 8 66,6 9 5,00 1 0,83 2 Atividade para casa 11 91, , ,6 3 Trabalhos em grupo 58, , ,1 4 Estudo de caso 6 50, , ,00 5 Seminários 58, , ,6 6 Quizzes 3 25, ,6 8 33,33 Trabalho individual 2 16,6 4 33, ,00 8 Paper ,33 1 4,1 4.3 MÉTODOS DE AVALIAÇÃO Fonte: Dados da pesquisa Para Hofer, Peleias e Weffort (2005), um objetivo da avaliação é verificar se o planejamento e a execução dos planos de ensino estão apresentando resultados satisfatórios junto aos estudantes. Estratégia Utilizada Quadro 9: Estratégias Utilizadas na Avaliação Graduação Pós- Graduação Totais 1 Participation/ Profissionalism 10 25,00 9 5, ,1 2 Exam 1 9 5,00 58, ,6 3 Final Exam 9 83,33 58, ,6 4 Exam ,6 6 50, ,33 5 Projects 58, ,6 9 3,50 6 Cases 4 33, , ,33 Quizzes 3 25, ,6 8 33,33 8 Assignments 3 25, ,33 29,1 9 Exam ,6 4 33, ,00 10 Homework 3 25, ,6 5 20,83 11 Midterm 2 5, , ,83 12 Group Assignments 3 25,00 1 8, ,6 13 Peer Evaluation ,33 1 4,1 14 Current Event ,33 1 4,1 15 ID Card ,33 1 4,1 16 Paper Statement ,33 1 4,1 1 Policy Paper on Auditing ,33 1 4,1 Fonte: Dados da pesquisa

13 13 O Quadro 9 corresponde à estratégia utilizada de acordo com os itens observados nos planos de ensino: De acordo com o Quadro 9, a estratégia mais utilizadas na avaliação dos alunos é a Participation/Profissionalism, com 9,1 das menções. O Exam 1 e Final Exam vem em seguida, com 66,6 do total dos planos de ensino. As estratégias de Peer Evaluation, Current Event, ID Card, Paper Statement, Policy Paper on Auditing se mostraram as menos frequentes conforme análise dos planos de ensino, com apenas 4,1 das menções totais. No estudo de Sturdze (2012, apud HOFER, PELEIAS e WEFFORT, 2005), o critério de avaliação adotado pela maioria dos professores é a prova escrita, com 100; seguida de assiduidade, com 46; trabalhos em grupo, 42; trabalhos individuais, 32; resolução de exercícios, 8; e seminários e trabalhos em grupo, com 2 apenas. De acordo com tal estudo, o objetivo da avaliação é verificar se o planejamento e a execução dos planos de ensino estão apresentando resultados satisfatórios junto aos estudantes. Nessa perspectiva, a prova escrita é o critério utilizado por todos os professores. O Quadro 10 foi elaborado de acordo com os syllabus analisados e a estratégia de avaliação, visando identificar o peso dado a cada um dos métodos. Os syllabus estão dispostos de acordo com o Anexo 1. Há uma discrepância dos planos de ensino nos pesos dados aos métodos de avaliação, desse modo, percebe-se que os alunos são avaliados de maneira bastante diversa ao longo do semestre/ano da disciplina. As avaliações com os maiores pesos encontrados foram Midterm e Final Exam, com 50 da nota cada um. Após estes, os mais relevantes são o Final Exam, que aparece novamente com 42, juntamente com Projects, 41,96, e Group Assignment, com 40. O que pode ser observado nos resultados desta análise é que o Final Exam é a avaliação mais importante, pois a ele é dada a maior porcentagem da nota final, apesar de cada instituição e plano de ensino avaliá-lo com peso diferente. Quantos aos Exams 1, Exam 2 e Exam 3, houve uma homogeneidade perante aos pesos dados, porém o último não é tão frequente nos planos de ensino, como os demais. A Participation/ Profissionalism, embora bastante mencionada entre os syllabus, não tem tanta ênfase em relação à média final, equivale no máximo 33,33 da média final. Além destes métodos, outros foram utilizados e somados à nota final, variando de um plano de ensino para o outro, como é o caso dos Quizzes, Homework, Assigments e Cases. 4.4 BIBLIOGRAFIA ADOTADA O Quadro 11 apresenta a bibliografia adotada. Foram descritos os títulos dos livros, os autores, edição e ano de publicação. Em alguns syllabus foram citados livros principais e livros auxiliares, para a amostra foram todos

Auditoria e Fiscalização de Contas

Auditoria e Fiscalização de Contas Auditoria e Fiscalização de Contas Docente: António Samagaio Contactos: ISEG Departamento de Gestão Morada: Gabinete 314, Rua Miguel Lupi n.º 20, 1249 078 Lisboa Telefone directo: 21 392 59 99 Email: antonio.samagaio@iseg.utl.pt

Leia mais

A DISCIPLINA CONTABILIDADE INTERNACIONAL NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS. Prof. Dr. Jorge Katsumi Niyama Março - 2009

A DISCIPLINA CONTABILIDADE INTERNACIONAL NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS. Prof. Dr. Jorge Katsumi Niyama Março - 2009 A DISCIPLINA CONTABILIDADE INTERNACIONAL NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS: UMA ANÁLISE DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E BIBLIOGRAFIA Prof. Dr. Jorge Katsumi Niyama Março - 2009 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Leia mais

O CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS E A AUDITORIA: UMA ANÁLISE DOS ASPECTOS CURRICULARES

O CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS E A AUDITORIA: UMA ANÁLISE DOS ASPECTOS CURRICULARES O CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS E A AUDITORIA: UMA ANÁLISE DOS ASPECTOS CURRICULARES Sandro Vieira Soares * José Guilherme Soares ** Jovani Lanzarin *** Maria Denize Henrique Casagrande

Leia mais

UNIVERSIDAD E FEDERAL DE L AVR AS P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O COORDENADORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

UNIVERSIDAD E FEDERAL DE L AVR AS P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O COORDENADORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU UNIVERSIDAD E FEDERAL DE L AVR AS P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O COORDENADORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU Código Denominação DISCIPLINA Crédito(s) (*) Carga Horária Teórica Prática

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA 1. Identificação Disciplina: CONTABILIDADE COMERCIAL E INDUSTRIAL Corpo Docente:

Leia mais

AUDITORIA. (Ano Lectivo de 2008/2009)

AUDITORIA. (Ano Lectivo de 2008/2009) AUDITORIA (Ano Lectivo de 2008/2009) Licenciatura: Gestão Tipo: Escolha livre Horas/semana: 3,0 h/s (2TPx1,5) Semestres: 1º e 2º semestre Responsável: Prof. Dr. José Luís Areal Alves da Cunha Equipa Docente:

Leia mais

ANEXO F: ANEXO DO PROJETO PEDAGÓGICO VERSÃO 2007.

ANEXO F: ANEXO DO PROJETO PEDAGÓGICO VERSÃO 2007. ANEXO F: ANEXO DO PROJETO PEDAGÓGICO VERSÃO 2007. DESCRIÇÃO DAS EMENTAS, OBJETIVOS, PLANO DE DISCIPLINAS E BIBLIOGRAFIA. DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS: AUDITORIA II Ementa: Princípios Fundamentais de Contabilidade:

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular AUDITORIA E REVISÃO DE CONTAS Ano Lectivo 2013/2014

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular AUDITORIA E REVISÃO DE CONTAS Ano Lectivo 2013/2014 Programa da Unidade Curricular AUDITORIA E REVISÃO DE CONTAS Ano Lectivo 2013/2014 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Contabilidade 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN DEPARTAMENTO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: AUDITORIA SIGLA:

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: CONTABILIDADE GERAL PLANO DE CURSO

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: CONTABILIDADE GERAL PLANO DE CURSO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: CONTABILIDADE GERAL Código: CTB 100 Pré-requisito: Não há Período Letivo: 2015.2 Professor:

Leia mais

Programa de Mestrado em Ciências Contábeis

Programa de Mestrado em Ciências Contábeis A filosofia do Programa de Mestrado Profissional da Fucape Business Schol é voltada expressamente às necessidades de mercados específicos e sua prioridade reside na formação profissional dos alunos, sem

Leia mais

MBA em IFRS (Normas Internacionais de Contabilidade)

MBA em IFRS (Normas Internacionais de Contabilidade) MBA em IFRS (Normas Internacionais de Contabilidade) Apresentação FIPECAFI A Faculdade FIPECAFI é mantida pela Fundação Instituto de Pesquisa Contábeis, Atuariais e Financeiras, criada em 1974. Seus projetos

Leia mais

PLANO DE ENSINO PRÉ-REQUISITOS: CON III

PLANO DE ENSINO PRÉ-REQUISITOS: CON III UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN DEPARTAMENTO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: CONTABILIDADE

Leia mais

Ferramentas computadorizadas para aprimoramento dos trabalhos de auditoria interna

Ferramentas computadorizadas para aprimoramento dos trabalhos de auditoria interna CHRISTIAN TERNES ARRIAL Ferramentas computadorizadas para aprimoramento dos trabalhos de auditoria interna Projeto de pesquisa apresentado ao Programa de Pós-Graduação do Cefor como parte das exigências

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido)

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido) FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRATIVAS DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM ES Curso de Administração reconhecido pelo Decreto Federal nº 78.951, publicado no D.O.U. de 16-12-1976 Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

PROJETO VITRINE. Raquel Carvalho Gravina Universidade Federal de Juiz de Fora - NIDEEM/UFJF raquelcgravina@hotmail.com

PROJETO VITRINE. Raquel Carvalho Gravina Universidade Federal de Juiz de Fora - NIDEEM/UFJF raquelcgravina@hotmail.com PROJETO VITRINE Raquel Carvalho Gravina Universidade Federal de Juiz de Fora - NIDEEM/UFJF raquelcgravina@hotmail.com Amarildo Melchiades da Silva Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF xamcoelho@terra.com.br

Leia mais

MBA TECNOLOGIA, INOVAÇÃO E GERENCIAMENTO TURMAS JUNDIAÍ

MBA TECNOLOGIA, INOVAÇÃO E GERENCIAMENTO TURMAS JUNDIAÍ MBA TECNOLOGIA, INOVAÇÃO E GERENCIAMENTO TURMAS JUNDIAÍ Apresentação FIPECAFI A Faculdade FIPECAFI é mantida pela Fundação Instituto de Pesquisa Contábeis, Atuariais e Financeiras, criada em 1974. Seus

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DAS DISCIPLINAS DE CONTABILIDADE NA FORMAÇÃO DO GRADUANDO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS

CONTRIBUIÇÕES DAS DISCIPLINAS DE CONTABILIDADE NA FORMAÇÃO DO GRADUANDO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS 6.00.00.00-7 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS 6.02.00.00-6 ADMINISTRAÇÃO CONTRIBUIÇÕES DAS DISCIPLINAS DE CONTABILIDADE NA FORMAÇÃO DO GRADUANDO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS ADONILTON ALMEIDA DE SOUZA Curso

Leia mais

Educação em Contabilidade na América Latina e no Brasil. Taiki Hirashima Abril de 2008

Educação em Contabilidade na América Latina e no Brasil. Taiki Hirashima Abril de 2008 Educação em Contabilidade na América Latina e no Brasil Taiki Hirashima Abril de 2008 1 Agenda CReCER Regional Conference O survey da educação contábil na América Latina (AL) Principais tendências positivas

Leia mais

FIPECAFI e CFC renovam convênio de capacitação de profissionais de Contabilidade

FIPECAFI e CFC renovam convênio de capacitação de profissionais de Contabilidade FIPECAFI e CFC renovam convênio de capacitação de profissionais de Contabilidade A FIPECAFI (Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras) e o CFC (Conselho Federal de Contabilidade)

Leia mais

Características Curriculares dos Doutorados em Finanças Brasileiros e Norte- Americanos: Requisitos de Entrada/Saída e Disciplinas Ofertadas

Características Curriculares dos Doutorados em Finanças Brasileiros e Norte- Americanos: Requisitos de Entrada/Saída e Disciplinas Ofertadas Características Curriculares dos Doutorados em Finanças Brasileiros e Norte- Americanos: Requisitos de Entrada/Saída e Disciplinas Ofertadas Autoria: Flávia Cruz de Souza Esta pesquisa teve como objetivo

Leia mais

O ensino de administração no curso de ciências contábeis da Universidade estadual do centro-oeste/unicentro campus universitário de Irati/PR

O ensino de administração no curso de ciências contábeis da Universidade estadual do centro-oeste/unicentro campus universitário de Irati/PR O ensino de administração no curso de ciências contábeis da Universidade estadual do centro-oeste/unicentro campus universitário de Irati/PR Edson Roberto Macohon (FURB) edson_macohon@al.furb.br Maria

Leia mais

A Gestão do Ensino da Contabilidade Trajetória

A Gestão do Ensino da Contabilidade Trajetória A Gestão do Ensino da Contabilidade Trajetória Profª Drª Elizabeth Castro Maurenza de Oliveira 1 elizabeth.oliveira@metodista.br Resumo Pretende-se nesse artigo apresentar diversos enfoques sobre o ensino

Leia mais

A CONTABILIDADE NOS PROCESSOS DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL: ANÁLISE NA COMARCA DE SÃO PAULO. Prof. Ms. Sérgio Moro Junior

A CONTABILIDADE NOS PROCESSOS DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL: ANÁLISE NA COMARCA DE SÃO PAULO. Prof. Ms. Sérgio Moro Junior A CONTABILIDADE NOS PROCESSOS DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL: ANÁLISE NA COMARCA DE SÃO PAULO Prof. Ms. Sérgio Moro Junior Banca examinadora: Prof. Dr. Martinho Maurício Gomes de Ornelas Profa. Dra. Elionor Farah

Leia mais

FIPECAFI oferece curso elearning Tópicos de Contabilidade Internacional com foco em IFRS

FIPECAFI oferece curso elearning Tópicos de Contabilidade Internacional com foco em IFRS FIPECAFI oferece curso elearning Tópicos de Contabilidade Internacional com foco em IFRS A FIPECAFI (Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras) abre inscrições para o curso elearning:

Leia mais

FACULDADE DE MINAS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

FACULDADE DE MINAS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS FACULDADE DE MINAS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ANILTON ROCHA SILVA CAROLINA CLIVIAN PEREIRA AVIER DÉBORA LORAINE CARVALHO DE OLIVEIRA FERNANDA CAROLINE SILVA FERNANDA SANTOS CLAUDINO JULIANA DE SOUZA PAULA

Leia mais

CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS PLANO DE ENSINO: 2012.2 P L A N O D E E N S I N O

CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS PLANO DE ENSINO: 2012.2 P L A N O D E E N S I N O CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS PLANO DE ENSINO: 2012.2 DISCIPLINA: AUDITORIA 6º PERÍODO PROFESSOR: CHRISTIAN ABRÃO DE OLIVEIRA CARGA HORÁRIA: 72 HORAS I. EMENTA P L A N O D E E N S I N O Ambiente de Auditoria:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS - PPGCC FICHA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS - PPGCC FICHA DE DISCIPLINA FICHA DE DISCIPLINA Disciplina Metodologia do Ensino da Contabilidade Código Carga Horária 60 Créditos 4 Tipo: PPGCC19 Eletiva OBJETIVOS Analisar e entender os conceitos relativos à metodologia de ensino

Leia mais

O valor da Auditoria Interna e imperativos para o sucesso.

O valor da Auditoria Interna e imperativos para o sucesso. O valor da Auditoria Interna e imperativos para o sucesso. 29 de julho de 2011 Como Mensurar o Trabalho da Auditoria Interna e Demonstrar o Quanto a Área Agrega Valor para a Empresa Walter Batlouni Jr

Leia mais

MBA em gestão de negócios

MBA em gestão de negócios MBA em gestão de negócios MBA EXECUTIVO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS O MBA Executivo em Gestão de Negócios do Grupo Ibmec foi desenvolvido para responder à demanda do mercado por profissionais cada vez mais qualificados

Leia mais

Governança Corporativa. Prof. Tiago Ramos alunos@professortiagoramos.com.br

Governança Corporativa. Prof. Tiago Ramos alunos@professortiagoramos.com.br Governança Corporativa Prof. Tiago Ramos alunos@professortiagoramos.com.br Reflexão... Fonte: www.educarparecescer.com.br Bibliografia adotada ANDRADE, A; ROSSETI, J. P. Governança Corporativa. 6ª Ed.

Leia mais

ANÁLISE DA DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC) DAS EMPRESAS DE PAPEL E CELULOSE POR MEIO DE INDICADORES

ANÁLISE DA DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC) DAS EMPRESAS DE PAPEL E CELULOSE POR MEIO DE INDICADORES ANÁLISE DA DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC) DAS EMPRESAS DE PAPEL E CELULOSE POR MEIO DE INDICADORES RESUMO O presente estudo aborda a importância da DFC para a organização, pois além de ser uma

Leia mais

Administração 5ª Série Estrutura e Análise das Demonstrações Financeiras

Administração 5ª Série Estrutura e Análise das Demonstrações Financeiras Administração 5ª Série Estrutura e Análise das Demonstrações Financeiras A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de etapas,

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( ) Presencial

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( )

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( X ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso CIÊNCIAS CONTÁBEIS

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO - BACHARELADO Modalidade: PRESENCIAL REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO - BACHARELADO Modalidade: PRESENCIAL REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE ADMINISTRAÇÃO MODALIDADE: PRESENCIAL SÃO PAULO 2011 2 UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO - BACHARELADO Modalidade: PRESENCIAL REGULAMENTO

Leia mais

Palavras-chave: Doutorados em Finanças; Brasil; Estados Unidos.

Palavras-chave: Doutorados em Finanças; Brasil; Estados Unidos. CARACTERÍSTICAS CURRICULARES DOS DOUTORADOS EM FINANÇAS BRASILEIROS E NORTE-AMERICANOS: REQUISITOS DE ENTRADA/SAÍDA E DISCIPLINAS OFERTADAS CURRICULAR CHARACTERISTICS OF THE BRAZILIAN AND NORTH AMERICAN

Leia mais

http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=k4425100e2

http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=k4425100e2 Page 1 of 5 Claudio Nascimento Alfradique Doutorando em Ciência Política e Relações Internacionais pelo IUPERJ (2011), Mestre em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas - RJ (2008), graduado

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO - ESCOLA DE NEGÓCIOS. CURSOS: ADMINISTRAÇÃO, COMÉRCIO EXTERIOR e CIÊNCIAS CONTÁBEIS MANUAL DE ESTÁGIO ESCOLA DE NEGÓCIOS

MANUAL DE ESTÁGIO - ESCOLA DE NEGÓCIOS. CURSOS: ADMINISTRAÇÃO, COMÉRCIO EXTERIOR e CIÊNCIAS CONTÁBEIS MANUAL DE ESTÁGIO ESCOLA DE NEGÓCIOS MANUAL DE ESTÁGIO ESCOLA DE NEGÓCIOS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE COMÉRCIO EXTERIOR CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Profª. Dra. Neyde Lopes de Souza Prof. Ms. Luiz Vieira da Costa SUMÁRIO Pág. 1. Apresentação...

Leia mais

CBA EM GESTÃO DE NEGÓCIOS

CBA EM GESTÃO DE NEGÓCIOS CBA EM GESTÃO DE NEGÓCIOS CBA EM GESTÃO DE NEGÓCIOS O CBA em Gestão de Negócios é um curso que proporciona aos participantes sólidos fundamentos em gestão e liderança. O programa tem o objetivo de formar

Leia mais

PLANO DE CURSO CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: CONTABILIDADE PARA ADMINISTRAÇÃO

PLANO DE CURSO CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: CONTABILIDADE PARA ADMINISTRAÇÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS 1 PLANO DE CURSO CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: CONTABILIDADE PARA ADMINISTRAÇÃO CÓDIGO: NÚMERO DE HORAS SEMANAIS:

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR EM IES DO ESTADO DE SÃO PAULO

PROJETO DE PESQUISA SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR EM IES DO ESTADO DE SÃO PAULO 552 PROJETO DE PESQUISA SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR EM IES DO ESTADO DE SÃO PAULO Silvio Carvalho Neto (USP) Hiro Takaoka (USP) PESQUISA EXPLORATÓRIA

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Instituto de Informática Engenharia de Software Código da Matriz Curricular: 105P1NB

Universidade Federal de Goiás Instituto de Informática Engenharia de Software Código da Matriz Curricular: 105P1NB Universidade Federal de Goiás Instituto de Informática Engenharia de Software Código da Matriz Curricular: 105P1NB Plano de Disciplina Ano Letivo: 2013-1 º Semestre Dados da Disciplina Código Disc. Nome

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral. Objetivos Específicos

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral. Objetivos Específicos SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: CIÊNCIAS CONTÁBEIS Missão A missão do curso é formar profissionais em Ciências Contábeis com elevada competência técnica, crítica, ética e social, capazes de conceber

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( ) Presencial

Leia mais

MBA CONTROLLER (Parceria ANEFAC)

MBA CONTROLLER (Parceria ANEFAC) MBA CONTROLLER (Parceria ANEFAC) Apresentação FIPECAFI A Faculdade FIPECAFI é mantida pela Fundação Instituto de Pesquisa Contábeis, Atuariais e Financeiras, criada em 1974. Seus projetos modificaram o

Leia mais

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO TÍTULO I - APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA... 1 TÍTULO II - DOS OBJETIVOS...

Leia mais

I. DO PROCESSO SELETIVO 1.1. O processo seletivo docente será composto de três etapas: homologação da inscrição, prova didática e entrevista.

I. DO PROCESSO SELETIVO 1.1. O processo seletivo docente será composto de três etapas: homologação da inscrição, prova didática e entrevista. Rua do Salete, 50, Barris - Salvador - Bahia. Tel: (71) 2108-8562 / 2108-8503 home page: www.cairu.br - E-mail: presidencia@fvc.br E D I T A L A FVC - Fundação Visconde de Cairu, informa a abertura das

Leia mais

EMENTA / PROGRAMA DE DISCIPLINA. ANO / SEMESTRE LETIVO Administração 2015.2. 72h 6º

EMENTA / PROGRAMA DE DISCIPLINA. ANO / SEMESTRE LETIVO Administração 2015.2. 72h 6º Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA. RCC6100 Análise das Demonstrações Contábeis SEMESTRE: 1º/2014 SEGUNDAS-FEIRAS: 14:00-19:00 HORAS

PROGRAMA DA DISCIPLINA. RCC6100 Análise das Demonstrações Contábeis SEMESTRE: 1º/2014 SEGUNDAS-FEIRAS: 14:00-19:00 HORAS PROGRAMA DA DISCIPLINA RCC6100 Análise das Demonstrações Contábeis SEMESTRE: 1º/2014 SEGUNDAS-FEIRAS: 14:00-19:00 HORAS Mestrado em Controladoria e contabilidade PROF. DR. ELISEU MARTINS emartins@usp.br

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

Faculdades Integradas Teresa D Ávila

Faculdades Integradas Teresa D Ávila Faculdades Integradas Teresa D Ávila CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecido pela Portaria Ministerial nº. 4.571 de 28/12/05 e publicado no DOU em 29/12/05. Componente Curricular: Gerencial Carga-horária: 80

Leia mais

AUDITORIA GOVERNAMENTAL

AUDITORIA GOVERNAMENTAL AUDITORIA GOVERNAMENTAL 416 Dayane Cristina da Silva, Irene Caires da Silva Universidade do Oeste Paulista UNOESTE, Curso de MBA Auditoria e Perícia Contábil, Presidente Prudente, SP. E- mail: irene@unoeste.br

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão Estratégica Empresarial

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão Estratégica Empresarial DESCRITIVO DE CURSO MBA em Gestão Estratégica Empresarial 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que

Leia mais

COORDENAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

COORDENAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS COORDENAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ORIENTAÇÕES PARA TCC - 2015 O QUE É O TCC? O Trabalho de Conclusão de Curso TCC é uma atividade obrigatória aprovada pelo colegiado do curso de Ciências Contábeis

Leia mais

FORMULÁRIO DE PROJETO DE PESQUISA

FORMULÁRIO DE PROJETO DE PESQUISA FORMULÁRIO DE PROJETO DE PESQUISA 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO Título do projeto: Dimensões Epistemológicas e Ontológicas da Pesquisa em Contabilidade no Brasil Pesquisador responsável: Flaviano Costa Contatos:

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DO RISCO NA PLANIFICAÇÃO DAS AÇÕES DE CONTROLE DA SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS

A UTILIZAÇÃO DO RISCO NA PLANIFICAÇÃO DAS AÇÕES DE CONTROLE DA SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS LUIZ RENATO COSTA XAVIER A UTILIZAÇÃO DO RO NA PLANIFICAÇÃO DAS AÇÕES DE CONTROLE DA SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS Projeto de pesquisa apresentado ao Instituto Serzedello Corrêa,

Leia mais

BALANÇO SOCIAL: UM ESTUDO DE CASO DE UMA EMPRESA DO RAMO DE ENERGIA ELÉTRICA

BALANÇO SOCIAL: UM ESTUDO DE CASO DE UMA EMPRESA DO RAMO DE ENERGIA ELÉTRICA 2, 3 e 4 de Julho de 2009 ISSN 1984-9354 BALANÇO SOCIAL: UM ESTUDO DE CASO DE UMA EMPRESA DO RAMO DE ENERGIA ELÉTRICA Sandro Vieira Soares UFSC José Meirelles Neto UFSC Gustavo Rugoni de Sousa UFSC Elisete

Leia mais

FORMAÇÃO PROFISSIONAL: RESPONSABILIDADE DO PROFESSOR FRENTE ÀS EXIGÊNCIAS DE MERCADO E AO EXAME DE SUFICIÊNCIA. Prof. Dr.

FORMAÇÃO PROFISSIONAL: RESPONSABILIDADE DO PROFESSOR FRENTE ÀS EXIGÊNCIAS DE MERCADO E AO EXAME DE SUFICIÊNCIA. Prof. Dr. FORMAÇÃO PROFISSIONAL: RESPONSABILIDADE DO PROFESSOR FRENTE ÀS EXIGÊNCIAS DE MERCADO E AO EXAME DE SUFICIÊNCIA Prof. Dr. Valmor Slomski A CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS

Leia mais

CURSO DE EXTENSÃO CONTABILIDADE APLICADA

CURSO DE EXTENSÃO CONTABILIDADE APLICADA FACULDADE DE INHUMAS CURSO DE EXTENSÃO CONTABILIDADE APLICADA Coordenadoras do Curso de Extensão Profas. Cilma Freitas e Elenita Evangelista Coordenadores do projeto Prof. Gildeone Gonçalves de Carvalho

Leia mais

Regulamento do Trabalho de Conclusão do Curso de Ciências Contábeis

Regulamento do Trabalho de Conclusão do Curso de Ciências Contábeis Regulamento do Trabalho de Conclusão do Curso de Ciências Contábeis O regulamento do Trabalho de Conclusão do Curso (TCC) de Ciências Contábeis do (UNIFEB) utiliza como embasamento a resolução nº 10 de

Leia mais

a) ser substituída por outra, não podendo retornar a fazer a auditoria da empresa no prazo de dez anos.

a) ser substituída por outra, não podendo retornar a fazer a auditoria da empresa no prazo de dez anos. Comentado pelo professor Ted Jefferson Auditoria 1) (ESAF/AFRFB/2012) A empresa Betume S.A. é uma empresa de interesse público que vem sendo auditada pela empresa Justos Auditores Independentes, pelo mesmo

Leia mais

A QUEM SE DESTINA? COORDENADOR DO CURSO

A QUEM SE DESTINA? COORDENADOR DO CURSO CBA EM FINANÇAS CBA EM finanças O CBA em Finanças é um programa que proporciona aos participantes sólidos fundamentos em finanças e liderança. O programa tem o objetivo de preparar executivos para enfrentar

Leia mais

Faculdade Escola Paulista de Direito

Faculdade Escola Paulista de Direito REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO São Paulo 2014 ESCOLA PAULISTA DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades

Leia mais

ENCONTRO GAÚCHO SOBRE A NOVA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO EDIÇÃO 2013

ENCONTRO GAÚCHO SOBRE A NOVA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO EDIÇÃO 2013 ENCONTRO GAÚCHO SOBRE A NOVA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO EDIÇÃO 2013 Tendências de pesquisa acadêmica na área de Gestão Pública e Fontes de Informação para Pesquisa Foco em CASP Prof. Ariel

Leia mais

PPI PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL Política Pedagógica Institucional Faculdade Eniac Ver. 02 (2010 / 2011) APRESENTAÇÃO

PPI PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL Política Pedagógica Institucional Faculdade Eniac Ver. 02 (2010 / 2011) APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO O presente documento tem por finalidade apresentar o PPI que é o Projeto Pedagógico Institucional do ENIAC, conjunto das melhores práticas pedagógicas, tecnológicas, administrativas e de gestão

Leia mais

Risco de Mercado: Desafios para o Segmento de Capitalização

Risco de Mercado: Desafios para o Segmento de Capitalização Risco de Mercado: Desafios para o Segmento de Capitalização (4o Encontro Nacional de Atuários) 16/09/2015 A resolução sobre Capital para Risco de Mercado foi publicada no final de 2014 (e revogada pela

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Vendas FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Turismo

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Sem. CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS I II III IV V VI VI I Matriz Curricular válida para os acadêmicos ingressantes

Leia mais

NCIA O NOVO PROFISSIONAL CONTÁBIL

NCIA O NOVO PROFISSIONAL CONTÁBIL 12ª SEMANA DE CONTABILIDADE DO BANCO CENTRAL PAINEL 6: O PROCESSO DE CONVERGÊNCIA NCIA O NOVO PROFISSIONAL CONTÁBIL PROF. DR. JORGE KATSUMI NIYAMA, UnB Maio/2007 O QUE É CONTABILIDADE INTERNACIONAL? 1.

Leia mais

PONTOS CRÍTICOS NA AVALIAÇÃO DAS AUDITORIAS EM RELAÇÃO À CONTABILIDADE DE SEUS CLIENTES

PONTOS CRÍTICOS NA AVALIAÇÃO DAS AUDITORIAS EM RELAÇÃO À CONTABILIDADE DE SEUS CLIENTES PONTOS CRÍTICOS NA AVALIAÇÃO DAS AUDITORIAS EM RELAÇÃO À CONTABILIDADE DE SEUS CLIENTES Claudio de Souza Miranda Doutor em Controladoria e Contabilidade Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade

Leia mais

PROVA BRASIL: A AVALIAÇÃO EM MATEMÁTICA E AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO 5º ANO

PROVA BRASIL: A AVALIAÇÃO EM MATEMÁTICA E AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO 5º ANO PROVA BRASIL: A AVALIAÇÃO EM MATEMÁTICA E AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO 5º ANO Sylmara Fagundes da Silva Sylmara.fagundes@hotmail.com RESUMO O presente trabalho teve como objetivo analisar os resultados das

Leia mais

MBA EXECUTIVO EM FINANÇAS

MBA EXECUTIVO EM FINANÇAS MBA EXECUTIVO EM FINANÇAS Apresentação FIPECAFI A Faculdade FIPECAFI é mantida pela Fundação Instituto de Pesquisa Contábeis, Atuariais e Financeiras, criada em 1974. Seus projetos modificaram o cenário

Leia mais

Gestão de Marketing e Ética Empresarial

Gestão de Marketing e Ética Empresarial Escola de Economia e Gestão Gestão de Marketing e Ética Empresarial Reconhecer e explicar os conceitos pilares do marketing e seu ambiente; Reconhecer a estratégia de marketing e aplicar os principais

Leia mais

V Congresso UFV de Administração e Contabilidade e II Mostra Científica

V Congresso UFV de Administração e Contabilidade e II Mostra Científica UMA ANÁLISE DA ADERÊNCIA DOS CURRÍCULOS DOS CURSOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO INTERIOR PAULISTA AO PROPOSTO PELA FUNDAÇÃO BRASILEIRA DE CONTABILIDADE AN ANALYSIS OF THE ADHERENCE OF THE CURRICULA OF ACCOUNTANCY

Leia mais

SUPERVISÃO E COORDENAÇÃO: IMPACTOS NA QUALIDADE DOS TRABALHOS DE AUDITORIA DA CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO

SUPERVISÃO E COORDENAÇÃO: IMPACTOS NA QUALIDADE DOS TRABALHOS DE AUDITORIA DA CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO JOSÉ MARCELO CASTRO DE CARVALHO SUPERVISÃO E COORDENAÇÃO: IMPACTOS NA QUALIDADE DOS TRABALHOS DE AUDITORIA DA CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO Projeto de pesquisa apresentado à Coordenação como parte das exigências

Leia mais

Apresentar benchmarks considerando: Como os auditores internos avaliam suas competências atuais Quais competências necessitam de aprimoramento Como

Apresentar benchmarks considerando: Como os auditores internos avaliam suas competências atuais Quais competências necessitam de aprimoramento Como 1ª Pesquisa Protiviti/Audibra sobre as Tendências da Auditoria Interna no Brasil Junho, 2010 Objetivo da Pesquisa Apresentar benchmarks considerando: Como os auditores internos avaliam suas competências

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Administração Disciplina: Administração Financeira Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6 1 - Ementa (sumário, resumo) Conceitos gerais e uso atual

Leia mais

O ENSINO DA TEORIA DA CONTABILIDADE EM CURSOS DE GRADUAÇÃO E EM CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU NO BRASIL

O ENSINO DA TEORIA DA CONTABILIDADE EM CURSOS DE GRADUAÇÃO E EM CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU NO BRASIL O ENSINO DA TEORIA DA CONTABILIDADE EM CURSOS DE GRADUAÇÃO E EM CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU NO BRASIL Larissa Couto Campos Mestranda em Ciências Contábeis Universidade Federal de Uberlândia lccampos@facic.ufu.br

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 128/2014- COU/UNICENTRO. DISPOSITIVOS DO PROJETO PEDAGÓGICO APROVADO POR ESTA RESOLUÇÃO, ESTÃO ALTERADOS PELA RESOLUÇÃO Nº 26/2009-COU/UNICENTRO.

Leia mais

IX EPCT Encontro de Produção Científica e Tecnológica Campo Mourão, 27 a 31 de Outubro de 2014 ISSN 1981-6480

IX EPCT Encontro de Produção Científica e Tecnológica Campo Mourão, 27 a 31 de Outubro de 2014 ISSN 1981-6480 A PRODUÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS SOBRE AUDITORIA CONTÁBIL: UM ESTUDO BIBLIOMÉTRICO A PARTIR DA BASE DE DADOS DA CAPES NO PERIODO DE 2008 A 2013. Aline dos Santos Perbelin(G), Unespar Câmpus de Campo

Leia mais

Giselle Mesquita. Projeto de pesquisa apresentado ao Programa de Iniciação Científica das Faculdades Integradas Simonsen.

Giselle Mesquita. Projeto de pesquisa apresentado ao Programa de Iniciação Científica das Faculdades Integradas Simonsen. Giselle Mesquita O uso da contabilidade na formação do preço e no planejamento das vendas: um estudo empírico sobre micro e pequenas empresas da zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. Projeto de pesquisa

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, BACHARELADO Administração LFE em Administração de Empresas Administração LFE em Análise de Sistemas

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Controladoria Estratégica e Contabilidade Empresarial

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Controladoria Estratégica e Contabilidade Empresarial DESCRITIVO DE CURSO MBA em Controladoria Estratégica e Contabilidade Empresarial 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica,

Leia mais

A pós-graduação e sua contribuição para a formação profissional dos administradores

A pós-graduação e sua contribuição para a formação profissional dos administradores 1 A pós-graduação e sua contribuição para a formação profissional dos administradores RESUMO O presente artigo consiste em analisar as expectativas que os alunos do Curso de Administração de duas Instituições

Leia mais

MBA GOVERNANÇA CORPORATIVA (Parceria IBGC)

MBA GOVERNANÇA CORPORATIVA (Parceria IBGC) MBA GOVERNANÇA CORPORATIVA (Parceria IBGC) Apresentação FIPECAFI A Faculdade FIPECAFI é mantida pela Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras, criada em 1974. Seus projetos modificaram

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Vendas PROEJA FORMA/GRAU:( x )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*)

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Ciências Contábeis, bacharelado, e dá outras providências. O Presidente da Câmara de Educação

Leia mais

Planejamento Estratégico para Escritórios de Advocacia ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012

Planejamento Estratégico para Escritórios de Advocacia ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012 Planejamento Estratégico para Escritórios de Advocacia ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação Getulio Vargas (FGV) deu início a

Leia mais

Faculdade de Engenharia

Faculdade de Engenharia Manual de Estágio Faculdade de Engenharia Faculdade de Engenharia Ano de 2015 ÍNDICE O que é Estágio 3 Tipos de Estágio 3 Como Oficializar seu Estágio 4 Relatório de Acompanhamento de Estágio 4 Termo de

Leia mais

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS Graduação PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS Prepara os estudantes para o empreendedorismo e para a gestão empresarial. Com foco nas tendências

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS DE ACORDO COM O ENADE

AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS DE ACORDO COM O ENADE AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS DE ACORDO COM O ENADE Jéssica Beatriz da Silva jessicabeatriz18@gmail.com Myckelle Michely da Silva Ferreira myckellemichely@hotmail.com

Leia mais

Governança de TI em Instituições Federais de Ensino Superior

Governança de TI em Instituições Federais de Ensino Superior Governança de TI em Instituições Federais de Ensino Superior Aluno: Mauro André Augusto Leitão Orientador: Asterio Kiyoshi Tanaka Co-Orientadora: Renata Mendes Araujo Programa de Pós-Graduação em Informática

Leia mais

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS PLANEJAMENTO PARA ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA 1º SEMESTRE DE 2016 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação Getulio Vargas (FGV) deu início a suas atividades em 1944 com o objetivo de preparar profissionais bem

Leia mais

The implementation of Observatório de Ideias da UEG Information Management in Education and Training

The implementation of Observatório de Ideias da UEG Information Management in Education and Training The implementation of Observatório de Ideias da UEG Information Management in Education and Training Carla Conti de Freitas (Universidade Estadual de Goiás, Goiás, Brasil) carlacontif@gmail.com Armando

Leia mais

M B A P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E S P E C I A L I Z A Ç Ã O E M G E R E N C I A M E N T O D E P R O J E T O S * Programa sujeito a alterações

M B A P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E S P E C I A L I Z A Ç Ã O E M G E R E N C I A M E N T O D E P R O J E T O S * Programa sujeito a alterações depto. mkt. IBE FGV * Programa sujeito a alterações RESOLUÇÃO DO MEC Os cursos MBA Pós-Graduação Especialização da Fundação Getulio Vargas atendem aos requisitos da Resolução CNE / CES nº 01, de 08/06/07.

Leia mais

A pesquisa na formação do professor

A pesquisa na formação do professor A pesquisa na formação do professor Karen Maria Jung Introdução Este trabalho tem por objetivo mostrar como a pesquisa, na formação de novos professores, é abordada nos diferentes cursos de Licenciatura

Leia mais