COORDENAÇÃO EXECUTIVA E TÉCNICA. Kaiser Gonçalves de Souza (1) SEDIMEOSSUPERFICIAIS DA PLATAFORMA GEOPROCESSAMENTO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COORDENAÇÃO EXECUTIVA E TÉCNICA. Kaiser Gonçalves de Souza (1) SEDIMEOSSUPERFICIAIS DA PLATAFORMA GEOPROCESSAMENTO"

Transcrição

1 COORDENAÇÃO EXECUTIVA E TÉCNICA Kaiser Gonçalves de Souza (1) SEDIMEOSSUPERFICIAIS DA PLATAFORMA GEOPROCESSAMENTO COORDENAÇÃO Francisco Edson M. Gomes (1) Patrícia Duringer Jacques (1) EXECUÇÃO Francisco Edson M. Gomes (1) Patrícia Duringer Jacques (1) Elaine de Souza Cerdeira (1) Antonio Celso Rodrigues de Melo (1) Gabriela Figueiredo de Castro Simão (1) Luiz Fernando Rezzano Fernandes (1) MAPA FISIOGRÁFICO DA PCJB E ÁREAS OCEÂNICAS ADJACENTES Autores: Jorge J. C. Palma, Ana Angélica L. A. Tavares e Izabel King Jeck Modificado de Projeto REMAC. Estruturas e tectonismo da margem continental brasileira e suas implicações nos processos sedimentares e na avaliação do potencial de recursos minerais (relatório final). Harolde Erwin Asmus, ed. Rio de Janeiro, PETROBRÁS, CENPES, DINDEP, Nota dos autores. Os limites fisiográficos expressos neste mapa são aproximados e não devem ser considerados como limites de feições definidas pelo Art. 76 da CNDUM. Toponímia: Koji Jinno. Toponímia submarina brasileira: PETROBRÁS, E&P Exploração e Produção, Projeto LEPLAC.

2 MAPA DOS SEDIMENTOS SUPERFICIAIS DA PLATAFORMA Autores: Gilberto Tavares de Macedo Dias (coordenador), Maamar Robrini, Jorge Satander Sá Freire e Alberto Figueiredo. Nota dos autores. O mapa ora apresentado é uma versão reinterpretada e atualizada do Mapa de fácies dominantes apresentada no relatório final do Projeto Ressurgência (Petrobrás /Lagemar UFRJ, 1982). Naquela época o mapa foi elaborado a partir dos dados oriundos do Projeto Remac e das Expedições Geomar XII, XVI. Na versão atual foram incluídas as informações de amostras geológicas cadastradas no BNDO-DHN (2004), alem daquelas obtidas na Expedição Geomar XX, nas Expedições Central I e II do Projeto Revizee além de outros levantamentos realizados em áreas localizadas (Saavedra, Muehe). ZONAS MARÍTIMAS BRASILEIRAS Mapa construído a partir dos limites marítimos brasileiros. Fonte: Diretoria de Hidrografia e Navegação DHN da Marinha do Brasil ANOMALIAS GRAVIMÉTRICAS BOUGUER Grid processado por Benedito Gomes. Fonte dos dados de gravimetria ar-livre satelital: site da Universidade da Califórnia em San Diego da Califórnia Mapa batimétrico integrado, elaborado na Diretoria de Hidrografia e Navegação (DHN), da Marinha do Brasil, para o LEPLAC. Software para geração da correção batimétrica 3D, baseado em Parker (PARKER, R.L The rapid calculation of potential anomalies. Geophysical Journal of the Royal Astronomical Society, 31 : ), instalado nas licenças do Oasis-Montaj (Geosoft) da Petrobras; HH da gerência de Métodos Potenciais, Geofísica, Petrobras(PETROBRAS/E&P- EXP/GEOF/MP). ANOMALIAS GRAVIMÉTRICAS AR-LIVRE Grid processado por Benedito Gomes. Fonte dos dados de gravimetria ar-livre satelital: site da Universidade da Califórnia em San Diego da Califórnia bin/get_data.cgi. ESTRUTURAS TECTÔNICAS DO OCEANO Fonte: Modificado de CPRM Serviço Geológico do Brasil. Carta geológica Brasil ao Milionésimo: sistema de informações geográficas SIG. Brasília: CPRM, CDs.

3 Traços das zonas de fraturas na região compreendida entre o paralelos 15 e 30 graus de latitude sul, segundo: Eliane da Costa Alves (UFF). Traços dos eixos da Dorsal Mesoatlântica baseados nos MDTs do relevo submarino e da gravimetria Ar-livre. ISÓPACAS DE SAL Fonte: Sal Geologia e Tectônica Exemplos nas Bacias Brasileiras. Editores: Webster Mohriak, Peter Szatmari e Sylvia M. C. dos Anjos DESENVOLVIMENTO DO APLICATIVO MULTIMÍDIA Eriveldo da Silva Mendonça (1) CAPA DO CD-ROM Projeto inicial: Divisão de Marketing e Divulgação - DIMARK Ernesto Costa Von S. de Lima FUNDO MUSICAL DA ABERTURA Trecho inicial das Bachianas Brasileiras Número. 5. Ária (Cantilena). Autor: Heitor Villa-Lobos e: Egberto Gismonti OUTRAS FONTES DE DADOS E INFORMAÇÕES Anomalias geoquímicas: Geoquímica dos Sedimentos Superficiais da Margem Continental do Brasil Autor: Gilberto José Machado. Títulos minerários no continente e no mar: Disponíveis no portal eletrônico do DNPN, no endereço: Campos de óleo e/ou gás, Perfis de sísmica 2D e Poços: ANP Unidades de Conservação - Fonte: Minist Declividade: Grid derivado do modelo digital do relevo processado na DHN.

4 Pontos de amostragem de sedimentos superficiais (dados de tenças): Banco Nacional de Dados Oceanográficos (BNDO/DHN) Esses dados são oriundos das expedições do Programa Revizee. Drenagem dupla: CPRM Serviço Geológico do Brasil. Carta geológica do Brasil ao Milionésimo: sistema de informações geográficas SIG. Brasília: CPRM, CDs. Estruturas tectônicas do continente: CPRM Serviço Geológico do Brasil. Carta geológica do Brasil ao Milionésimo: sistema de informações geográficas SIG. Brasília: CPRM, CDs. Grid da idade e isócronas do assoalho oceânico: Extrato de arquivo digital disponível na Internet: ftp://ftp.es.usyd.edu.au/pub/agegrid/. Processamento e geração dos dados: R. Dietmar Müller Department of Geology and Geophysics, University of Sydney, Australia Walter R. Roest Institut français de recherche pour l'exploitation de la mer (IFREMER) Jean-Yves Royer Université de Bretagne Occidentale (UBO) Lisa M. Gahagan Institute for Geophysics, University of Texas, Austin, Texas John G. Sclater Scripps Institution of Oceanography, La Jolla, California Grid da espessura dos sedimentos: NGDC (National Geophysical Data Center). Dados processados por Divins, D.L. Grid do topo do embasamento oceânico: Produto derivado da soma algébrica dos grids espessura dos sedimentos (NGDC) e modelo digital do relevo submarino (DHN). Dados processados por Francisco Edson M. Gomes. Isóbatas: Linhas de contornos extraídas do modelo digital do relevo submarino processado pela Diretoria de Hidrografia e Navegação DHN, da Marinha do Brasil. Isópacas de sedimentos: NGDC (National Geophysical Data Center). Dados processados por Divins, D.L. Levantamentos aéreos e Levantamentos e 3D: ANP Ocorrências minerais: Marine Mineral Resources of Brazilian Continental Margin and Adjacent Oceanic Basins Autor: Carlos Ivan Santana. (1). Relevo submarino: Figuras derivadas do modelo digital do relevo processado pela Diretoria de Hidrografia e Navegação DHN, da

5 Marinha do Brasil. Sismicidade: United States Geological Survey USGS. Sísmica 2D: ANP Unidades federativas, municípios costeiros, ilhas oceânicas e capitais de estados: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE, (1) Serviço Geológico do Brasil CPRM

Importância das caracterizações ambientais marinhas para gestão ambiental

Importância das caracterizações ambientais marinhas para gestão ambiental Importância das caracterizações ambientais marinhas para gestão ambiental Ana Paula C. Falcão Eduardo H. Marcon Maria Eulália R. Carneiro Maurício L. Fonseca Talita A. A. Pereira CENPES/PETROBRAS Márcia

Leia mais

Anderson Gomes de Almeida 1, Alberto Garcia de Figueiredo Jr. 2, Gilberto Pessanha Ribeiro 3

Anderson Gomes de Almeida 1, Alberto Garcia de Figueiredo Jr. 2, Gilberto Pessanha Ribeiro 3 MODELAGEM NUMÉRICA DO TERRENO A PARTIR DA RECUPERAÇÃO DA BATIMETRIA DE 1958 NA FOZ DO RIO PARAÍBA DO SUL E DA ÁREA DA PLATAFORMA CONTINENTAL ADJACENTE, E SUAS APLICAÇÕES GEOLÓGICAS Anderson Gomes de Almeida

Leia mais

45 mm INDICADORES DE PALEOLINHAS DE COSTA E VARIAÇÕES DO NÍVEL DO MAR NA PLATAFORMA CONTINENTAL SUL DE ALAGOAS

45 mm INDICADORES DE PALEOLINHAS DE COSTA E VARIAÇÕES DO NÍVEL DO MAR NA PLATAFORMA CONTINENTAL SUL DE ALAGOAS INDICADORES DE PALEOLINHAS DE COSTA E VARIAÇÕES DO NÍVEL DO MAR NA PLATAFORMA CONTINENTAL SUL DE ALAGOAS Fontes, L.C.S. 1 ; Santos, L.A. 1 ; Santos J.R. 1 ; Mendonça, J.B.S. 1 ; Santos, V.C.E 1 ; Figueiredo

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE MAPAS AVALIAÇÃO DO ESTADO DE CONSERVAÇÃO DA FAUNA BRASILEIRA

PADRONIZAÇÃO DE MAPAS AVALIAÇÃO DO ESTADO DE CONSERVAÇÃO DA FAUNA BRASILEIRA ANEXO 4 PADRONIZAÇÃO DE MAPAS AVALIAÇÃO DO ESTADO DE CONSERVAÇÃO DA FAUNA BRASILEIRA Este roteiro visa orientar a metodologia para delimitar área de ocorrência/extensão e padronizar a apresentação dos

Leia mais

Laboratório de Oceanografia Geológica

Laboratório de Oceanografia Geológica O Laboratório de Oceanografia Geológica LOG concentra suas pesquisas para no reconhecimento, e caracterização de ambientes costeiros e marinhos visando o aproveitamento do seu potencial natural, especificamente

Leia mais

MAPEAMENTO DO PALEOLEITO DO CANAL DO ALBARDÃO, BACIA DE PELOTAS - BRASIL MAPEAMENTO DO PALEOLEITO DO CANAL DO ALBARDÃO, BACIA DE PELOTAS - BRASIL

MAPEAMENTO DO PALEOLEITO DO CANAL DO ALBARDÃO, BACIA DE PELOTAS - BRASIL MAPEAMENTO DO PALEOLEITO DO CANAL DO ALBARDÃO, BACIA DE PELOTAS - BRASIL MAPEAMENTO DO PALEOLEITO DO CANAL DO ALBARDÃO, BACIA DE Rocha, R. 1 ; Griep, G. 2 ; Weigert, S. 3 ; 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE Email:renatafranciscon@gmail.com; 2 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE O TEOR DE MINERAIS PESADOS COM A DENSIDADE GAMA E A GRANULOMETRIA

RELAÇÃO ENTRE O TEOR DE MINERAIS PESADOS COM A DENSIDADE GAMA E A GRANULOMETRIA RELAÇÃO ENTRE O TEOR DE MINERAIS PESADOS COM A DENSIDADE GAMA E A GRANULOMETRIA Rodrigo Coutinho Abuchacra 1 ; Paula Ferreira Falheiro 1 ; Carolinne L. Soares Macedo 2 ; Sabrina Felix de Oliveira; Alberto

Leia mais

O ambiente GeoNetwork

O ambiente GeoNetwork O ambiente GeoNetwork Catálogo Web para a documentação, edição e disseminação de metadados geográficos. Características principais: livre e de código aberto; mecanismos de busca avançados; edição de metadados

Leia mais

45 mm CARACTERIZAÇÃO GEOMORFOLÓGICA DO FUNDO MARINHO DO TALUDE CONTINENTAL DA BACIA DE CAMPOS, RJ.

45 mm CARACTERIZAÇÃO GEOMORFOLÓGICA DO FUNDO MARINHO DO TALUDE CONTINENTAL DA BACIA DE CAMPOS, RJ. CARACTERIZAÇÃO GEOMORFOLÓGICA DO FUDO MARIHO DO TALUDE COTIETAL DA BACIA DE CAMPOS, RJ. Anderson Gomes de Almeida 1 ; Renato Oscar Kowsmann 2 andersongomes@petrobras.com.br 1 - PETROBRAS S. A. E&P-SERV

Leia mais

COMUNICADO SOBRE A DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS DIGITAIS AEROGEOFÍSICOS (MAGNETOMETRIA E GAMAESPECTROMETRIA)

COMUNICADO SOBRE A DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS DIGITAIS AEROGEOFÍSICOS (MAGNETOMETRIA E GAMAESPECTROMETRIA) COMUNICADO SOBRE A DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS DIGITAIS AEROGEOFÍSICOS (MAGNETOMETRIA E GAMAESPECTROMETRIA) A COMPANHIA DE PESQUISA DE RECURSOS MINERAIS CPRM, Empresa Pública vinculada ao Ministério de Minas

Leia mais

BANCO DE DADOS DE EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO. Sérgio Possato Superintendente de Gestão de Informações e Dados Técnicos

BANCO DE DADOS DE EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO. Sérgio Possato Superintendente de Gestão de Informações e Dados Técnicos BANCO DE DADOS DE EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO Sérgio Possato Superintendente de Gestão de Informações e Dados Técnicos Dados coletados pela Petrobras durante o monopólio: 988.366 km Sísmica 2D 19.176 Poços 28.482

Leia mais

COMUNICADO SOBRE A DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS DIGITAIS AEROGEOFÍSICOS (MAGNETOMETRIA E GAMAESPECTROMETRIA)

COMUNICADO SOBRE A DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS DIGITAIS AEROGEOFÍSICOS (MAGNETOMETRIA E GAMAESPECTROMETRIA) COMUNICADO SOBRE A DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS DIGITAIS AEROGEOFÍSICOS (MAGNETOMETRIA E GAMAESPECTROMETRIA) A COMPANHIA DE PESQUISA DE RECURSOS MINERAIS CPRM, Empresa Pública vinculada ao Ministério de Minas

Leia mais

da ZONA PILOTO João Duarte Aurora Bizarro

da ZONA PILOTO João Duarte Aurora Bizarro Caracterização Ambiental da ZONA PILOTO João Duarte Aurora Bizarro Lisboa, 15/06/2009 Zona Piloto Decreto Lei 5/2008 de 8 de Janeiro Delimitação tendo em conta, nomeadamente, ausência de afloramentos rochosos

Leia mais

COMUNICADO SOBRE A DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS DIGITAIS AEROGEOFÍSICOS (MAGNETOMETRIA E GAMAESPECTROMETRIA)

COMUNICADO SOBRE A DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS DIGITAIS AEROGEOFÍSICOS (MAGNETOMETRIA E GAMAESPECTROMETRIA) COMUNICADO SOBRE A DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS DIGITAIS AEROGEOFÍSICOS (MAGNETOMETRIA E GAMAESPECTROMETRIA) A COMPANHIA DE PESQUISA DE RECURSOS MINERAIS CPRM, Empresa Pública vinculada ao Ministério de Minas

Leia mais

Instituto Hidrográfico - Marinha. Infra-estrutura de dados geoespaciais sobre o ambiente marinho

Instituto Hidrográfico - Marinha. Infra-estrutura de dados geoespaciais sobre o ambiente marinho Instituto Hidrográfico - Marinha Infra-estrutura de dados geoespaciais sobre o ambiente marinho Sumário Instituto Hidrográfico - Capacidades instaladas A Actividade Capacidades únicas Integração dos sistemas

Leia mais

OS ESTUÁRIOS NA MARGEM CONTINENTAL SUL dialética do acontecimento sedimentar

OS ESTUÁRIOS NA MARGEM CONTINENTAL SUL dialética do acontecimento sedimentar OS ESTUÁRIOS NA MARGEM CONTINENTAL SUL dialética do acontecimento sedimentar Publicado no site em 13/11/2014 Euripedes Falcão Vieira*/** Na margem continental sul-brasileira a presença de dois estuários

Leia mais

GEOLOGIA GERAL GEOGRAFIA

GEOLOGIA GERAL GEOGRAFIA GEOLOGIA GERAL GEOGRAFIA Segunda 7 às 9h Quarta 9 às 12h museu IC II Aula 2 Deriva continental e Tectônica de placas Turma: 2015/2 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com Dinâmica da Terra Deriva

Leia mais

SEDIMENTOLOGIA E GEOFÍSICA NA PLATAFORMA INTERNA DO RIO GRANDE DO SUL: PRO-REMPLAC.

SEDIMENTOLOGIA E GEOFÍSICA NA PLATAFORMA INTERNA DO RIO GRANDE DO SUL: PRO-REMPLAC. SEDIMENTOLOGIA E GEOFÍSICA NA PLATAFORMA INTERNA DO RIO GRANDE DO SUL: PRO-REMPLAC. De Oliveira, A.O 1 ; Calliari, L.J 2 ; Griep, G. 2 ; Corrêa, I.C.S 3 ; Goulart, E. 2 ; Veiga, F. 2. e Albergone, E. 2.

Leia mais

Estrutura da Indústria do

Estrutura da Indústria do Estrutura da Indústria do Petróleo e Gás Professora Elaine Ribeiro EMENTA Noções de exploração e produção de petróleo e gás natural. PETRÓLEO EXPLORAÇÃO Art. 6º - lei 9478 de 1997 XV - Pesquisa ou Exploração:

Leia mais

GEOLOGIA GERAL CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

GEOLOGIA GERAL CIÊNCIAS BIOLÓGICAS GEOLOGIA GERAL CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Quarta 14 às 18h museu IC II Aula 18 Praias e Ambiente Marinho Turma: 2015/1 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com Praias Definição de praia zona de material

Leia mais

MARGEM RIFTEADA LESTE-NORDESTE DO BRASIL

MARGEM RIFTEADA LESTE-NORDESTE DO BRASIL MARGEM RIFTEADA LESTE-NORDESTE DO BRASIL LIMITES CONTINENTE-OCEANO, ADIÇÃO MAGMÁTICA, AFINAMENTOS CRUSTAIS E LITOSFÉRICOS Hamsi Jr., G.P. - PETROBRAS/UO-SEAL Kusznir, N. - Universidade de Liverpool Objetivo

Leia mais

COMUNICADO SOBRE A DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS DIGITAIS AEROGEOFÍSICOS (MAGNETOMETRIA E GAMAESPECTROMETRIA)

COMUNICADO SOBRE A DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS DIGITAIS AEROGEOFÍSICOS (MAGNETOMETRIA E GAMAESPECTROMETRIA) COMUNICADO SOBRE A DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS DIGITAIS AEROGEOFÍSICOS (MAGNETOMETRIA E GAMAESPECTROMETRIA) A COMPANHIA DE PESQUISA DE RECURSOS MINERAIS CPRM, Empresa Pública vinculada ao Ministério de Minas

Leia mais

Instituto de Pesquisas Hidráulicas. IPH - UFRGS, Porto Alegre, RS, Brasil. Av. Bento Gonçalves 9500, 91509-900, Porto Alegre, RS, Brasil

Instituto de Pesquisas Hidráulicas. IPH - UFRGS, Porto Alegre, RS, Brasil. Av. Bento Gonçalves 9500, 91509-900, Porto Alegre, RS, Brasil IDENTIFICAÇÃO DE JAZIDAS POTENCIAIS DE AREIA NA PLATAFORMA CONTINENTAL INTERNA PARA RECUPERAÇÃO DE PRAIAS URBANAS ENTRE AS CIDADES DE NITERÓI E MACAÉ RJ Julio F. de Oliveira 1 ; Dieter Muehe 2 ; Luiz E.

Leia mais

SEDIMENTAÇÃO QUATERNÁRIA NA BACIA DO RIO MACAÉ (RJ): ESPACIALIZAÇÃO E ANÁLISE DE TERRAÇOS FLUVIAIS

SEDIMENTAÇÃO QUATERNÁRIA NA BACIA DO RIO MACAÉ (RJ): ESPACIALIZAÇÃO E ANÁLISE DE TERRAÇOS FLUVIAIS SEDIMENTAÇÃO QUATERNÁRIA NA BACIA DO RIO MACAÉ (RJ): ESPACIALIZAÇÃO E ANÁLISE DE TERRAÇOS FLUVIAIS Renato de Lima Hingel 1;3 ; Mônica dos Santos Marçal 2 ; Telma Mendes da Silva 2 rengeografia@yahoo.com.br;

Leia mais

1 a Lista de Exercícios

1 a Lista de Exercícios UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO OCEANOGRÁFICO IOF1202 - Oceanografia Física Descritiva Arquivo obtido em: http://www.danilorvieira.com/ 1 a Lista de Exercícios 2 a Semestre de 2007 Aluno Danilo Rodrigues

Leia mais

AULA 9: BORDAS DE PLACAS TRANSFORMANTES

AULA 9: BORDAS DE PLACAS TRANSFORMANTES GEOTECTÔNICA TECTÔNICA GLOBAL Prof. Eduardo Salamuni AULA 9: BORDAS DE PLACAS DIVERGENTES E TRANSFORMANTES EVOLUÇÃO DAS BORDAS DIVERGENTES A evolução se faz em 3 estágios Rifting: abertura de vale em rift

Leia mais

Fichas FS-039-02 ou FS-078-98 ou FS-001-02 disponíveis em: http://water.usgs.gov/wid/index-environ.html.

Fichas FS-039-02 ou FS-078-98 ou FS-001-02 disponíveis em: http://water.usgs.gov/wid/index-environ.html. h CARTOGRAFIA DO FUNDO DO MAR Adaptado de: http://oceanexplorer.noaa.gov/explorations/deepeast01/background/education/dehslessons2.pdf TEMA Batimetria do fundo do mar (e.g. canhão submarino); NÍVEIS DE

Leia mais

Investimentos em Prospecção: Bacia do São Francisco

Investimentos em Prospecção: Bacia do São Francisco Investimentos em Prospecção: Bacia do São Francisco Haroldo Lima Diretor-Geral da ANP Comissão de Serviços de Infra-Estrutura Senado Federal 27 de março de 2008 Situação atual do O&G no Brasil (2007) Reservas

Leia mais

Gerência de HSE e Operações HSE

Gerência de HSE e Operações HSE Gerência de HSE e Operações HSE AGENDA Mitigação e compensação Estudos de caso Mitigação "Ações propostas com finalidade de reduzir a magnitude ou a importância dos impactos ambientais adversos são chamadas

Leia mais

NOTAS TÉCNICAS DO BANCO DE DADOS DO ATLAS DIGITAL GEOAMBIENTAL QUADRILÁTERO FERRÍFERO

NOTAS TÉCNICAS DO BANCO DE DADOS DO ATLAS DIGITAL GEOAMBIENTAL QUADRILÁTERO FERRÍFERO NOTAS TÉCNICAS DO BANCO DE DADOS DO ATLAS DIGITAL GEOAMBIENTAL QUADRILÁTERO FERRÍFERO Segunda versão: 21 de maio de 2015 Elaboração INSTITUTO PRISTINO Apoio SOBRE AS NOTAS TÉCNICAS DO BANCO DE DADOS DO

Leia mais

Divisão de Geoprocessamento João Henrique Gonçalves Chefe

Divisão de Geoprocessamento João Henrique Gonçalves Chefe na Prática MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA Edison Lobão Ministro de Estado Cláudio Scliar Secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral Roberto Ventura Santos Diretor do Departamento de Geologia

Leia mais

Ciências da Informação Geográfica Aula de Hidrografia. Definição e Objectivo da Hidrografia. Questão colocada a um painel de peritos em 1979

Ciências da Informação Geográfica Aula de Hidrografia. Definição e Objectivo da Hidrografia. Questão colocada a um painel de peritos em 1979 Hidrografia Definição e Objectivo da Hidrografia O que é a Hidrografia? Questão colocada a um painel de peritos em 1979 Identificados três vertentes essenciais Identificados três grupos de utilizadores

Leia mais

GESTÃO DA INFORMAÇÃO BIBLIOTECA BANCO DE DADOS GEOPROCESSAMENTO INFORMÁTICA

GESTÃO DA INFORMAÇÃO BIBLIOTECA BANCO DE DADOS GEOPROCESSAMENTO INFORMÁTICA BIBLIOTECA BANCO DE DADOS GEOPROCESSAMENTO INFORMÁTICA CPRM - SERVIÇO GEOLÓGICO DO BRASIL TODAS AS INFORMAÇÕES GERADAS pela Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais/Serviço Geológico do Brasil (CPRM/SGB)

Leia mais

IAGC. Associação Internacional dos Contratistas de Geofísica. Possui um Comitê Ambiental cuja missão é:

IAGC. Associação Internacional dos Contratistas de Geofísica. Possui um Comitê Ambiental cuja missão é: IAGC Associação Internacional dos Contratistas de Geofísica Possui um Comitê Ambiental cuja missão é: Estabelecer um fórum no qual se facilite o intercâmbio dos aspectos ambientais e assuntos relacionados

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / DIURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / DIURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / DIURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: CARTOGRAFIA E TOPOGRAFIA CÓDIGO: CRT003 CLASSIFICAÇÃO: Obrigatória PRÉ-REQUISITO: não tem CARGA HORÁRIA: TÉORICA : 30 horas

Leia mais

COMUNICADO SOBRE A DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS DIGITAIS AEROGEOFÍSICOS (MAGNETOMETRIA E GAMAESPECTROMETRIA)

COMUNICADO SOBRE A DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS DIGITAIS AEROGEOFÍSICOS (MAGNETOMETRIA E GAMAESPECTROMETRIA) COMUNICADO SOBRE A DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS DIGITAIS AEROGEOFÍSICOS (MAGNETOMETRIA E GAMAESPECTROMETRIA) A COMPANHIA DE PESQUISA DE RECURSOS MINERAIS CPRM, Empresa Pública vinculada ao Ministério de Minas

Leia mais

PLATAFORMA CONTINENTAL O Novo Mapa de Portugal. Seminário Diplomático

PLATAFORMA CONTINENTAL O Novo Mapa de Portugal. Seminário Diplomático PLATAFORMA CONTINENTAL O Novo Mapa de Portugal 1/9/2014 PROJETAR PORTUGAL 1 1 Sumário O limite exterior da plataforma continental para lá das 200 milhas náuticas Plataforma continental: o projeto português

Leia mais

Deriva Continental e Tectônica de Placas

Deriva Continental e Tectônica de Placas Deriva Continental e Tectônica de Placas 1 A teoria da tectônica de placas é muito recente, e tem trazido grande ajuda na compreensão dos fenômenos observados na Terra. Abraham Ortelius, um elaborador

Leia mais

TECTONISMO QUATERNÁRIO DO ARQUIPÉLAGO DE SÃO PEDRO E SÃO PAULO, OCEANO ATLÂNTICO EQUATORIAL: O SOERGUIMENTO ATIVO MAIS RÁPIDO DO BRASIL

TECTONISMO QUATERNÁRIO DO ARQUIPÉLAGO DE SÃO PEDRO E SÃO PAULO, OCEANO ATLÂNTICO EQUATORIAL: O SOERGUIMENTO ATIVO MAIS RÁPIDO DO BRASIL TECTONISMO QUATERNÁRIO DO ARQUIPÉLAGO DE SÃO PEDRO E SÃO PAULO, OCEANO ATLÂNTICO EQUATORIAL: O SOERGUIMENTO ATIVO MAIS RÁPIDO DO BRASIL Akihisa Motoki 1 ; Susanna Eleonora Sichel 2 ; Thomas Ferreira de

Leia mais

PLANO DECENAL - ANP. Mauro Barbosa de Araújo Superintendência de Definição de Blocos

PLANO DECENAL - ANP. Mauro Barbosa de Araújo Superintendência de Definição de Blocos PLANO DECENAL - ANP Planejamento das Atividades de Estudos Geológicos & Geofísicos nas Bacias Sedimentares Brasileiras Visando a Exploração de Petróleo e Gás Natural Mauro Barbosa de Araújo Superintendência

Leia mais

BANCO NACIONAL DE DADOS OCEANOGRÁFICOS

BANCO NACIONAL DE DADOS OCEANOGRÁFICOS BANCO NACIONAL DE DADOS OCEANOGRÁFICOS SUMÁRIO LEGISLAÇÃO DADOS ARMAZENADOS USUÁRIOS ATENDIMENTOS NECESSIDADES AÇÕES EM ANDAMENTO PERSPECTIVAS FUTURAS INFORMAÇÕES E CONTATOS LEGISLAÇÃO DECRETO de 5 de

Leia mais

Recursos Não-Vivos da Plataforma Continental Brasileira e Áreas Oceânicas Adjacentes

Recursos Não-Vivos da Plataforma Continental Brasileira e Áreas Oceânicas Adjacentes ISSN 1678-5975 Março - 2009 Edição Especial 86 pg Porto Alegre Recursos Não-Vivos da Plataforma Continental Brasileira e Áreas Oceânicas Adjacentes Souza K.G. 1 ; Martins L.R. 2 ; Cavalcanti V.M. 3 Pereira

Leia mais

Palavras-chave: Side scan sonar, detrital material, Campos Bay. 1. Introdução

Palavras-chave: Side scan sonar, detrital material, Campos Bay. 1. Introdução INTERPRETAÇÃO AMBIENTAL DE UMA ÁREA DE PERFURAÇÃO EXPLORATÓRIA MARÍTIMA ATRAVÉS DA APLICAÇÃO DE IMAGENS DE SONAR DE VARREDURA LATERAL, FOTOGRAFIAS DE FUNDO E VIDEOS, NA BACIA DE CAMPOS-RJ, BRASIL* Iran

Leia mais

3 Geo/Sensoriamento Remoto

3 Geo/Sensoriamento Remoto 3 Geo/Sensoriamento Remoto Neste item, serão apresentadas pesquisas desenvolvidas em programas da Coppe/UFRJ relacionadas à temática geo/sensoriamento remoto. Alguns resultados parciais desta linha temática

Leia mais

Atividade Sísmica Fevereiro 2012 Relatório-Síntese

Atividade Sísmica Fevereiro 2012 Relatório-Síntese Atividade Sísmica Fevereiro 212 Relatório-Síntese CONTEÚDOS Sede do IM, I.P. 1 Resumo Mensal 2 Resumo da Sismicidade Continente 5 Resumo da Sismicidade Madeira 6 Resumo da Sismicidade - Açores 9 Sismicidade

Leia mais

Nona Rodada de Licitações Bacia do Parnaíba. Geóloga Eliane Petersohn,, M.sc. Superintendência de Definição de Blocos

Nona Rodada de Licitações Bacia do Parnaíba. Geóloga Eliane Petersohn,, M.sc. Superintendência de Definição de Blocos Nona Rodada de Licitações Bacia do Parnaíba Geóloga Eliane Petersohn,, M.sc. Superintendência de Definição de Blocos Localização Área total 668.858 km 2 Bacia paleozóica intracratônica Cobertura Cretácea

Leia mais

BATIMETRIA E DISTRIBUIÇÃO DOS SEDIMENTOS DA PLATAFORMA CONTINENTAL INTERNA PARANAENSE PARANÁ - BRASIL

BATIMETRIA E DISTRIBUIÇÃO DOS SEDIMENTOS DA PLATAFORMA CONTINENTAL INTERNA PARANAENSE PARANÁ - BRASIL BATIMETRIA E DISTRIBUIÇÃO DOS SEDIMENTOS DA PLATAFORMA CONTINENTAL INTERNA PARANAENSE PARANÁ - BRASIL Luiz Henrique Sielski de Oliveira 1 ; Fernando Alvim Veiga 2 ; Rodolfo José Angulo 1 ; Maria Cristina

Leia mais

AS NOVAS FRONTEIRAS DO PETRÓLEO BRASILEIRO

AS NOVAS FRONTEIRAS DO PETRÓLEO BRASILEIRO XXIX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. AS NOVAS FRONTEIRAS DO PETRÓLEO BRASILEIRO Leonardo Antonio Monteiro Pessôa (COPPE/UFRJ) lampessoa@terra.com.br Rodrigo Abrunhosa Collazo (COPPE/UFRJ)

Leia mais

Opções de utilização de produtos cartográficos e gerenciamento de bases de dados espaciais na Gestão Municipal, Prefeitura de Joinville/SC.

Opções de utilização de produtos cartográficos e gerenciamento de bases de dados espaciais na Gestão Municipal, Prefeitura de Joinville/SC. Opções de utilização de produtos cartográficos e gerenciamento de bases de dados espaciais na Gestão Municipal, Prefeitura de Joinville/SC. Geógrafo, Msc Celso Voos Vieira Gerente da Unidade de Gestão

Leia mais

GESTÃO DA INFORMAÇÃO DOCUMENTAÇÃO E BIBLIOTECA BANCOS DE DADOS GEOPROCESSAMENTO INFORMÁTICA

GESTÃO DA INFORMAÇÃO DOCUMENTAÇÃO E BIBLIOTECA BANCOS DE DADOS GEOPROCESSAMENTO INFORMÁTICA GESTÃO DA INFORMAÇÃO DOCUMENTAÇÃO E BIBLIOTECA BANCOS DE DADOS GEOPROCESSAMENTO INFORMÁTICA GESTÃO DA INFORMAÇÃO AS INFORMAÇÕES obtidas pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM/SGB) são gerenciadas por meio

Leia mais

ILHA DOS GUARÁS (MARITEUA) - MUNICÍPIO DE CURUÇA (NE DO PARÁ):

ILHA DOS GUARÁS (MARITEUA) - MUNICÍPIO DE CURUÇA (NE DO PARÁ): ILHA DOS GUARÁS (MARITEUA) - MUNICÍPIO DE CURUÇA (NE DO PARÁ): ASPECTOS FÍSICOS, METEOROLÓGICOS. & OCEANOGRÁFICOS (Figuras) CLIENTE: COMPANHIA DOCAS DO PARÁ - CDP EXECUTORES: Cartografia, Hidrografia e

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE MODELOS DIGITAIS DE TERRENOS COMO RECURSOS EDUCATIVOS

UTILIZAÇÃO DE MODELOS DIGITAIS DE TERRENOS COMO RECURSOS EDUCATIVOS UTILIZAÇÃO DE MODELOS DIGITAIS DE TERRENOS COMO RECURSOS EDUCATIVOS Hélder Pereira Departamento de Biologia e Geologia, Escola Secundária de Loulé, Portugal hpereira@es-loule.edu.pt UTILIZAÇÃO DE MODELOS

Leia mais

Utilização de SIG aliado ao sistema de gestão ambiental em cursos d água urbanos.

Utilização de SIG aliado ao sistema de gestão ambiental em cursos d água urbanos. Utilização de SIG aliado ao sistema de gestão ambiental em cursos d água urbanos. AUTORES: Reginal Exavier¹, Elizabeth Rodrigues Brito Ibrahim² ¹Graduado no curso de Engenharia Ambiental e Sanitária pelo

Leia mais

Nona Rodada de Licitações Bacia do Rio do Peixe

Nona Rodada de Licitações Bacia do Rio do Peixe Nona Rodada de Licitações Bacia do Rio do Peixe Cid Queiroz Fontes Superintendência de Definição de Blocos LOCALIZAÇÃO DA BACIA E CONDIÇÕES DE OPERACIONALIDADE Mapa de Localização Aspectos Gerais Pertence

Leia mais

Projeto nacional de ações integradas público-privadas para a biodiversidade

Projeto nacional de ações integradas público-privadas para a biodiversidade Projeto nacional de ações integradas público-privadas para a biodiversidade Novembro-2009 Marcia Chame PROBIO II Programa Institucional Biodiversidade & Saúde PIBS Promoção da Saúde e Conservação da Biodiversidade

Leia mais

ESCOLA FERREIRA CASTRO 13/14 PROFª SANDRA NASCIMENTO III TECTÓNICA DE PLACAS

ESCOLA FERREIRA CASTRO 13/14 PROFª SANDRA NASCIMENTO III TECTÓNICA DE PLACAS ESCOLA FERREIRA CASTRO 13/14 PROFª SANDRA NASCIMENTO III TECTÓNICA DE PLACAS Regresso à deriva continental O interesse pela Teoria da Deriva Continental reacendeu-se, por volta de 1950, quando se começou

Leia mais

8 PROGNÓSTICO AMBIENTAL

8 PROGNÓSTICO AMBIENTAL 8 PROGNÓSTICO AMBIENTAL O prognóstico ambiental elaborado para a Atividade de Pesquisa Sísmica Marítima 3D na Bacia Sedimentar do Ceará -, contempla as possíveis alterações dos fatores ambientais analisados

Leia mais

Superintendência do Porto de Rio Grande. http://www.portoriogrande.com.br

Superintendência do Porto de Rio Grande. http://www.portoriogrande.com.br Superintendência do Porto de Rio Grande http://www.portoriogrande.com.br 1º WORSHOP SOBRE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOS PORTOS DAS REGIÕES SUL E SUDESTE ESTUDO DE CASO LICENÇA DE OPERAÇÃO DO PORTO ORGANIZADO

Leia mais

GEOPROCESSAMENTO. Herondino Filho

GEOPROCESSAMENTO. Herondino Filho GEOPROCESSAMENTO Herondino Filho Sumário 1. Introdução 1.1 Orientações Avaliação Referência 1.2 Dados Espaciais 1.2.1 Exemplo de Dados Espaciais 1.2.2 Aplicações sobre os Dados Espaciais 1.3 Categoria

Leia mais

QUE HORAS SÃO? Neuza Machado Vieira Professora Assistente Doutora (aposentada) em Geografia da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais UNESP/Franca

QUE HORAS SÃO? Neuza Machado Vieira Professora Assistente Doutora (aposentada) em Geografia da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais UNESP/Franca QUE HORAS SÃO? Analúcia Bueno dos Reis Giometti Professora Doutora Titular do Departamento de Educação, Ciências Sociais e Políticas Públicas da Faculdade de História, Direito e Serviço Social UNESP/Franca.

Leia mais

PROJETO OCEANOP INFORMAÇÕES METEOROLÓGICAS PARA REGIÃO OCEÂNICA DO BRASIL

PROJETO OCEANOP INFORMAÇÕES METEOROLÓGICAS PARA REGIÃO OCEÂNICA DO BRASIL PROJETO OCEANOP INFORMAÇÕES METEOROLÓGICAS PARA REGIÃO OCEÂNICA DO BRASIL Angelo Barcelos BARBARIOLI 1, César Henrique de Assis RIBEIRO 1 & Luiz Silva do COUTO 1 RESUMO O monitoramento permanente de parâmetros

Leia mais

ANEXO XII ATIVIDADES NÃO REALIZADAS POR RESTRIÇÃO DE PESSOAL E DE ORÇAMENTO

ANEXO XII ATIVIDADES NÃO REALIZADAS POR RESTRIÇÃO DE PESSOAL E DE ORÇAMENTO ANEXO XII ATIVIDADES NÃO REALIZADAS POR RESTRIÇÃO DE PESSOAL E DE ORÇAMENTO ANEXO XII ATIVIDADES NÃO REALIZADAS POR RESTRIÇÃO DE PESSOAL E DE ORÇAMENTO QUADRO 1 Atividades a não serem realizadas por restrição

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDEDOR E EMPRESA CONSULTORA

1. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDEDOR E EMPRESA CONSULTORA 1/16 1. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDEDOR E EMPRESA CONSULTORA 1. empreendedor ou Razão Social Superintendência de Desenvolvimento Industrial e Comercial - SUDIC Número do CNPJ 40.556.276/0001-75 Endereço

Leia mais

Mapa índice digital na CPRM: recurso a serviço da disseminação da informação cartográfica

Mapa índice digital na CPRM: recurso a serviço da disseminação da informação cartográfica Powered by TCPDF (www.tcpdf.org) Mapa índice digital na CPRM: recurso a serviço da disseminação da informação cartográfica Isabel Angela dos Santos Matos (CPRM) - isabel.matos@cprm.gov.br Resumo: Este

Leia mais

LIDERANÇA. Gardline Marine

LIDERANÇA. Gardline Marine LIDERANÇA A OceanPact é uma empresa brasileira dedicada ao gerenciamento e resposta a emergências e ao desenvolvimento e implantação de soluções ligadas ao meio ambiente marinho e costeiro, principalmente

Leia mais

O Papel do Canal Submarino de Pernambuco na Margem Continental Oriental Brasileira

O Papel do Canal Submarino de Pernambuco na Margem Continental Oriental Brasileira O Papel do Canal Submarino de Pernambuco na Margem Continental Oriental Brasileira Author 1: Luiz Carlos, TORRES, Fundação de Estudos do Mar - FEMAR torres.luizcarlos@gmail.com Author 2: Hélio Heringer,

Leia mais

BANCO NACIONAL DE DADOS OCEANOGRÁFICOS (BNDO) - A MODERNIZAÇÃO DO BNDO FRENTE ÀS NOVAS TECNOLOGIAS

BANCO NACIONAL DE DADOS OCEANOGRÁFICOS (BNDO) - A MODERNIZAÇÃO DO BNDO FRENTE ÀS NOVAS TECNOLOGIAS ANAIS DA 67ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC - SÃO CARLOS - SP - JULHO/2015 BANCO NACIONAL DE DADOS OCEANOGRÁFICOS (BNDO) - A MODERNIZAÇÃO DO BNDO FRENTE ÀS NOVAS TECNOLOGIAS Elaine Villares Silveira SUMÁRIO 1.

Leia mais

SGB Sistema de Gestão de Bolsas Manual do Usuário

SGB Sistema de Gestão de Bolsas Manual do Usuário Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro da Educação Fernando Haddad Secretário-Executivo José Henrique Paim Fernandes Subsecretário de Assuntos Administrativos Jose Eduardo Bueno de

Leia mais

CARTOGRAFIA DIDÁTICA DO PISF

CARTOGRAFIA DIDÁTICA DO PISF Universidade Federal do Vale do São Francisco UNIVASF Centro de Referência para Recuperação de Áreas Degradadas CRAD CARTOGRAFIA DIDÁTICA DO PISF Agosto de 2009 PETROLINA MSc. Jefferson Rodrigues Maciel

Leia mais

Padrões de Dados para INDE

Padrões de Dados para INDE Padrões de Dados para INDE Apresentação: Cap Gabriel Dresch Rio de Janeiro RJ, 17 de Agosto de 2012 OBJETIVO Apresentar as especificações técnicas que estão sob responsabilidade do Exército Brasileiro.

Leia mais

Deriva Continental LITOSFERA

Deriva Continental LITOSFERA LITOSFERA Deriva Continental De acordo com determinadas teorias científicas, a crosta terrestre não é uma camada rochosa inteiriça, e sim, fragmentada. A primeira teoria a defender essa tese ficou conhecida

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA Instituto de Ciências Ambientais e Desenvolvimento Sustentável Prof. Pablo Santos 4 a Aula SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA - SIG Introdução Definições Necessárias

Leia mais

SNIMar - Informação geográfica integrada para a gestão de águas marinhas e costeiras

SNIMar - Informação geográfica integrada para a gestão de águas marinhas e costeiras SNIMar - Informação geográfica integrada para a gestão de águas marinhas e costeiras Teresa Rafael 11 de março de 2014 Pontos chave: O que é o SNIMar? Quais são os objetivos? Organização e gestão do projeto

Leia mais

APOIO TÉCNICO LABORATÓRIOS CARTOGRAFIA E EDITORAÇÃO

APOIO TÉCNICO LABORATÓRIOS CARTOGRAFIA E EDITORAÇÃO LABORATÓRIOS CARTOGRAFIA E EDITORAÇÃO CPRM - SERVIÇO GEOLÓGICO DO BRASIL NESTE CAPÍTULO são apresentados os resultados obtidos em 2005 na área de apoio técnico, que inclui os laboratórios, as bases cartográficas

Leia mais

Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT

Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT Paula Bernasconi Ricardo Abad Laurent Micol Maio de 2008 Introdução O município de Alta Floresta está localizado na região norte do estado de Mato

Leia mais

GESTÃO DE ARQUIVO DE DADOS

GESTÃO DE ARQUIVO DE DADOS 1 GESTÃO DE ARQUIVO DE DADOS 1 2014 Agenda 2 1. Introdução 2. Actividades gerais do Arquivo Técnico de E&P 3. Importância do Arquivo Técnico de E&P para a Sonangol 4. Tipo de documentos e formatos 5. Tipos

Leia mais

Site da disciplina: Site do Laboratório de Geotecnologias Aplicadas: https://moodleinstitucional.ufrgs.br. http://www.ufrgs.

Site da disciplina: Site do Laboratório de Geotecnologias Aplicadas: https://moodleinstitucional.ufrgs.br. http://www.ufrgs. Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Geociências Departamento de Geografia Sistemas de Informações Geográficas I GEO 01007 Professora: Eliana Lima da Fonseca Site da disciplina: https://moodleinstitucional.ufrgs.br

Leia mais

INVENTÁRIO DAS FONTES POLUIDORAS/CONTAMINANTES DOS RECURSOS VIVOS MARINHOS DO BRASIL

INVENTÁRIO DAS FONTES POLUIDORAS/CONTAMINANTES DOS RECURSOS VIVOS MARINHOS DO BRASIL INVENTÁRIO DAS FONTES POLUIDORAS/CONTAMINANTES DOS RECURSOS VIVOS MARINHOS DO BRASIL ANTECEDENTES Em continuidade aos trabalhos do Programa Nacional de Gerenciamento Costeiro (GERCO), o Ministério do Meio

Leia mais

Programa Plataformas Tecnológicas PLATEC ONSHORE. Workshop Tecnológico Sondas de Perfuração Onshore FIEBE Salvador/BA 31 de julho de 2012

Programa Plataformas Tecnológicas PLATEC ONSHORE. Workshop Tecnológico Sondas de Perfuração Onshore FIEBE Salvador/BA 31 de julho de 2012 Programa Plataformas Tecnológicas PLATEC ONSHORE Workshop Tecnológico Sondas de Perfuração Onshore FIEBE Salvador/BA 31 de julho de 2012 PLATEC - CONCEITUAL Plataformas Tecnológicas É uma base de conhecimentos

Leia mais

Conselho Econômico e Social 29 de junho de 2007 Original: espanhol

Conselho Econômico e Social 29 de junho de 2007 Original: espanhol Nações Unidas Conselho Econômico e Social 29 de junho de 2007 Original: espanhol E/CONF.98/100/Add.1 Nona Conferência das Nações Unidas sobre Padronização de Nomes Geográficos New York, 21 a 30 de agosto

Leia mais

http://mapas.ipea.gov.br/i3geo/

http://mapas.ipea.gov.br/i3geo/ IPEAMAPAS Disponibilização de forma espacializada dos dados publicados pelo IPEA; Permite interatividade com outros dados disponíveis (infraestrutura, assistência social, saúde, educação, cultura e dados

Leia mais

TENDÊNCIAS DE TRANSPORTE SEDIMENTAR AO LONGO DAS PRAIAS DO MUNICÍPIO DE PONTAL DO PARANÁ (PR): DADOS PRELIMINARES.

TENDÊNCIAS DE TRANSPORTE SEDIMENTAR AO LONGO DAS PRAIAS DO MUNICÍPIO DE PONTAL DO PARANÁ (PR): DADOS PRELIMINARES. TENDÊNCIAS DE TRANSPORTE SEDIMENTAR AO LONGO DAS PRAIAS DO MUNICÍPIO DE PONTAL DO PARANÁ (PR): DADOS PRELIMINARES. Larissa Cristina Alves 1 ; Marcelo Renato Lamour 1 ; larialves_oceano@ufpr.br 1 Centro

Leia mais

2.Desejo fazer mestrado (ou doutorado) sobre petróleo; existe um programa de pós-graduação com esta temática na Unicamp?

2.Desejo fazer mestrado (ou doutorado) sobre petróleo; existe um programa de pós-graduação com esta temática na Unicamp? 1.O que é o Cepetro e como atua? O CEPETRO (Centro de Estudos de Petróleo) foi criado há em 1987 para atender a demanda por ensino de pósgraduação e pesquisas na área de petróleo e gás. Sua concepção buscou

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA Jugurta Lisboa Filho Departamento de Informática Universidade Federal de Viçosa (MG) jugurta@dpi.ufv.br Universidade Federal de Viçosa Departamento de Informática Tópicos

Leia mais

Teste diagnóstico de Geologia (10.º ano)

Teste diagnóstico de Geologia (10.º ano) Teste diagnóstico de Geologia (10.º ano) 10.º Ano Objetivos Averiguar os conhecimentos prévios dos alunos acerca de alguns dos temas de Geociências que irão ser tratados ao longo do ensino secundário,

Leia mais

Logo Inicial. II Encontro Nacional de Produtores e Usuários de Informações Sociais, Econômicas e Territoriais 2006

Logo Inicial. II Encontro Nacional de Produtores e Usuários de Informações Sociais, Econômicas e Territoriais 2006 Logo Inicial II Encontro Nacional de Produtores e Usuários de Informações Sociais, Econômicas e Territoriais 2006 1 Sumário Histórico Atribuições Compromissos Governamentais Estrutura Funcional Acervo

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO GEOMORFOLÓGICA DO GRÁBEN DO RIO MAMUABA E SUAS ADJACÊNCIAS

CARACTERIZAÇÃO GEOMORFOLÓGICA DO GRÁBEN DO RIO MAMUABA E SUAS ADJACÊNCIAS CARACTERIZAÇÃO GEOMORFOLÓGICA DO GRÁBEN DO RIO MAMUABA E SUAS ADJACÊNCIAS Lima, V. (UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA) ; Furrier, M. (UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA) RESUMO O presente trabalho aborda alguns

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: Licenciatura Plena em Geografia Disciplina: Hidrogeografia Carga Horária: 60hs Teórica: 60hs Prática: 00hs Semestre: 2013.2 Professor: Antonio Marcos

Leia mais

HISTÓRIA DAS INVESTIGAÇÕES DO FUNDO OCEÂNICO

HISTÓRIA DAS INVESTIGAÇÕES DO FUNDO OCEÂNICO HISTÓRIA DAS INVESTIGAÇÕES DO FUNDO OCEÂNICO DE PESOS E CABOS AOS SATÉLITES E SONARES Os oceanos no inicio do Sec. XX 1521 Fernando de Magalhães lançou 400 fathoms (730 m) de cabo no Pacífico e não chegou

Leia mais

SUBSÍDIOS À GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS SUBTERRÂNEOS NA BORDA NORDESTE DA BACIA SEDIMENTAR DO PARNAÍBA

SUBSÍDIOS À GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS SUBTERRÂNEOS NA BORDA NORDESTE DA BACIA SEDIMENTAR DO PARNAÍBA SUBSÍDIOS À GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS SUBTERRÂNEOS NA BORDA NORDESTE DA BACIA SEDIMENTAR DO PARNAÍBA Robério Bôto de Aguiar (REFO) Liano Silva Veríssimo (REFO) Sônia M. Silva Vasconcelos (UFC) Serviço

Leia mais

Bacia do Parnaíba. Geólogo Marcos André Rodrigues Alves Superintendência de Definição de Blocos

Bacia do Parnaíba. Geólogo Marcos André Rodrigues Alves Superintendência de Definição de Blocos Bacia do Parnaíba Geólogo Marcos André Rodrigues Alves Superintendência de Definição de Blocos Roteiro Localização Infraestrutura Histórico Exploratório Evolução Tectonoestratigráfica Bacia do Parnaíba

Leia mais

NOTAS TÉCNICAS DO BANCO DE DADOS DO ATLAS DIGITAL GEOAMBIENTAL BACIA DO SANTO ANTÔNIO

NOTAS TÉCNICAS DO BANCO DE DADOS DO ATLAS DIGITAL GEOAMBIENTAL BACIA DO SANTO ANTÔNIO NOTAS TÉCNICAS DO BANCO DE DADOS DO ATLAS DIGITAL GEOAMBIENTAL BACIA DO SANTO ANTÔNIO Terceira versão: 03 de julho de 2015 Elaboração INSTITUTO PRISTINO institutopristino.org.br Apoio SOBRE AS NOTAS TÉCNICAS

Leia mais

A CPRM e o Novo Marco da Mineração

A CPRM e o Novo Marco da Mineração cprm.jpg Serviço Geológico do Brasil CPRM A CPRM e o Novo Marco da Mineração Roberto Ventura DGM/CPRM SISTEMA BRASILEIRO DE GEOLOGIA E MINERAÇÃ ÇÃO MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA - MME SECRETARIA DE ENERGIA

Leia mais

Geodinâmica/Geofísica aplicada ao Setor Petróleo e Gás (mestrado e doutorado);

Geodinâmica/Geofísica aplicada ao Setor Petróleo e Gás (mestrado e doutorado); PRH 22 - Programa de Formação em Geologia, Geofísica e Informática no Setor Petróleo e Gás na UFRN Instituição: UFRN - Universidade Federal do Rio Grande do Norte Reitor: José Ivonildo do Rego Helenice

Leia mais

I-123 - SISTEMA GERENCIADOR DE REDES COLETORAS DO PROJETO TIETÊ

I-123 - SISTEMA GERENCIADOR DE REDES COLETORAS DO PROJETO TIETÊ I-123 - SISTEMA GERENCIADOR DE REDES COLETORAS DO PROJETO TIETÊ Julio Casarin (1) Engenheiro Civil pela Escola Politécnica da USP. Pós-Graduação em Estruturas e Patologia das Estruturas. Gerente de Divisão

Leia mais

2. METODOLOGIA DE TRABALHO

2. METODOLOGIA DE TRABALHO TRAÇADO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE (APP) UTILIZANDO FERRAMENTAS DE GEOPROCESSAMENTO COMO TÉCNICA AUXILIAR NA RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DE ÁREAS DEGRADADAS Autores: Adriana Gomes de Souza Pesquisadora

Leia mais

Cálculo da área de drenagem e perímetro de sub-bacias do rio Araguaia delimitadas por MDE utilizando imagens ASTER

Cálculo da área de drenagem e perímetro de sub-bacias do rio Araguaia delimitadas por MDE utilizando imagens ASTER Cálculo da área de drenagem e perímetro de sub-bacias do rio Araguaia delimitadas por MDE utilizando imagens ASTER Murilo R. D. Cardoso Universidade Federal de Goiás, Instituto de Estudos Sócio-Ambientais/GO

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Paulo Bernardo Silva INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente Eduardo Pereira Nunes

Leia mais

SOFTWARES PARA GESTÃO DE FAZENDAS DE ALGODÃO NO BRASIL

SOFTWARES PARA GESTÃO DE FAZENDAS DE ALGODÃO NO BRASIL SOFTWARES PARA GESTÃO DE FAZENDAS DE ALGODÃO NO BRASIL Ziany Neiva Embrapa Algodão 10º Congresso Brasileiro do Algodão 03 de setembro de 2015. Foz do Iguaçu, PR, Brasil. ANÁLISE DE SOFTWARES PARA GESTÃO

Leia mais