UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR. Covilhã Portugal

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR. Covilhã Portugal"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Covilhã Portugal

2 Indice Coordenação Editorial Gabinete de Comunicação e Imagem Redacção Patrícia Gil Ginja Soares Barata Design Raquel Nina Rosa Mensagem do Reitor Região Comunidade Académica Nota Histórica Museu de Lanifícios Faculdades Faculdade de Ciências Faculdade de Engenharia Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Faculdade de Artes e Letras Faculdade de Ciências da Saúde Prémios de Mérito Empreendedorismo e Empregabilidade Mobilidade Internacional Investigação Unidades de Investigação SASUBI Conselho Geral da UBI Impressão e Acabamentos Serviços Gráficos e de Publicações ISBN Depósito Legal /11

3 Mensagem do Reitor A Universidade da Beira Interior é uma Instituição orientada para a criação, transmissão e difusão da ciência e tecnologia, do saber e da cultura em todas as suas vertentes e em comunhão com a sua região e o mundo. O que irão encontrar neste livro é apenas uma mostra da universidade, com a apresentação das várias Faculdades que a integram, da oferta formativa, das unidades de investigação e alguns exemplos de muitas parcerias feitas com o tecido empresarial. A instituição está apetrechada com os melhores equipamentos, preparada para os desafios que o futuro nos apresenta, com cursos adaptados a um mercado de trabalho cada vez mais competitivo, fomentando o empreendedorismo e a inovação. A UBI é uma universidade jovem, dinâmica e em constante desenvolvimento. Servir a região, o país e o mundo é a nossa prioridade através de uma formação exigente e uma investigação ao mais alto nível. Nos próximos anos, afirmar-nos-emos pela nossa energia e pelo que ela produzir. Acredito numa UBI que se afirma pela positiva. Acredito numa UBI que olha para o mundo e nele se integra, sem esquecer a região que a acolhe. João Queiroz A competitividade da UBI é hoje alicerçada na implementação de uma cultura de qualidade e certificação global. Por definição, a cultura de qualidade abrange uma missão e um conjunto de valores que devem ser partilhados pela comunidade académica

4 Fotografia cedida por: Turismo Serra da Estrela Fotografias cedidas por: Turismo Serra da Estrela

5 Região Localizada na encosta da Serra da Estrela, voltada a Nascente, a Covilhã oferece a quem a visita a bela paisagem do seu casario, enquadrada num majestoso anfiteatro de montanhas. Conhecer a Covilhã é também conhecer a história da indústria têxtil em Portugal. A Universidade da Beira Interior encontra-se hoje implantada em antigos edifícios fabris, construções de elevado valor histórico, cultural e arquitectónico, e que foram reconvertidos em modernas instalações destinadas ao ensino e à investigação. O respeito pelo passado tem marcado a filosofia da Instituição, que contribuiu significativamente para a reabilitação do património da cidade e da região, através de estruturas como o Museu de Lanifícios, instalado na pombalina Real Fábrica dos Panos. O Concelho da Covilhã tem uma área de mais de 550 Km2 e a sua população está estimada em habitantes, dos quais são eleitores. Se tivermos em consideração que a população estudantil ronda os 6600 alunos, podemos afirmar que a universidade é dos principais motores económicos, culturais e sociais da cidade, presenteando-a todo o ano com actividades das mais diversas índoles com seio na comunidade académica. A UBI contribui ainda para a atracção de novos investimentos para a região, contribuindo para o seu crescimento económico, animando o comércio e o turismo. Paralelamente, contraria o êxodo da população jovem invertendo o fluxo migratório, garantindo assim uma população jovem qualificada e preparada para responder a todos os desafios inerentes de qualquer sociedade, em qualquer cidade, numa qualquer parte do mundo. Localizada numa cidade da montanha, goza no Inverno de um cenário de neve único em Portugal onde podem ser praticados os mais diversos desportos de neve, como o snowboard e o esqui. A estância de montanha de penhas da saúde encontra-se a 1500 metros de altitude e dispõe de restaurantes, hotel, Pousada da Juventude e Moradias Turísticas como oferta de lazer e apoio ao esqui

6 Comunidade Académica A Universidade da Beira Interior é hoje uma instituição de referência a nível nacional e internacional, ao nível do ensino, investigação, inovação e empreendedorismo. Apostando cada vez mais na qualidade, a UBI tem investido na criação de laboratórios bem equipados, na expansão das suas instalações - quer as dedicadas às actividades de ensino e investigação, como as necessárias para oferecer aos seus estudantes as melhores condições de trabalho e de apoio social - no progressivo envolvimento em projectos de investigação de âmbito nacional e internacional e, ainda, num corpo docente altamente qualificado. Faculdade de Artes e Letras e Faculdade de Ciências da Saúde. Ao nível dos recursos humanos, a UBI conta hoje com mais de 600 docentes e 270 funcionários nas suas cinco faculdades e serviços. A evolução do número de cursos e do número de estudantes tem sido crescente ao longo dos anos, tendo já ultrapassado os 6600 alunos, provenientes de todo o país. Com uma aposta constante numa formação sólida nos mais diferentes saberes, a UBI conta actualmente com mais de 30 1º ciclos/ licenciaturas, cerca de 45 2º ciclos/mestrados e cerca de 30 3ºciclos/doutoramentos distribuídos pelas cinco faculdades: Faculdade de Ciências, Faculdade de Engenharia, Faculdade Ciências Sociais e Humanas, - 9 -

7 Nota Histórica Os primeiros passos a caminho do que hoje é a Universidade da Beira Interior foram dados na década de 70, quando nasceu o Instituto Politécnico da Covilhã, em A cidade, outrora considerada Manchester portuguesa, pela longa tradição da sua indústria de lanifícios e pela dinâmica e qualidade da sua produção têxtil, havia sido atingida, nessa década, por uma crise ao nível da indústria: grandes e pequenas fábricas começam a revelar debilidades graves que levariam ao seu encerramento, com consequências sociais e económicas desastrosas para a região. Foi neste panorama, e no âmbito das actividades do grupo de trabalho para o Planeamento Regional da Cova da Beira, que surgiu a ideia de criar na região uma instituição de ensino superior, de forma a facultar aos seus naturais a possibilidade de prosseguirem os estudos pós-secundários sem que, para isso, tivessem de se deslocar para outros pontos do País, a maioria das vezes a título definitivo. Assim, na sequência da publicação do Decreto-Lei nº 402/73, de 11 de Agosto, no quadro da chamada Reforma Veiga Simão, que deu lugar à expansão e diversificação do Ensino Superior, foi criado o Instituto Politécnico da Covilhã (IPC), que recebeu em 1975 os seus primeiros 143 alunos, nos cursos de Engenharia Têxtil e Administração e Contabilidade. Em Julho de 1979, seis anos passados, a instituição converte-se em Instituto Universitário da Beira Interior, através da publicação da Lei nº 44/79, de 11 de Setembro, que a tornaria efectiva. A conversão do Instituto Universitário em Universidade da Beira Interior veio a acontecer em 1986, através da publicação do Decreto-Lei 76-B/86, de 30 de Abril. O primeiro Reitor da Instituição foi o Prof. Doutor Cândido Manuel Passos Morgado, que se manteria no cargo entre 21 de Agosto de 1980 e 19 de Janeiro de 1996, data em que assume funções como Reitor o Prof. Doutor Manuel Santos Silva, que se mantém no cargo até 19 de Junho de Nesta data toma posse como terceiro Reitor da instituição, o Prof. Doutor João António de Sampaio Rodrigues Queiroz. Antigas Fábricas reconvertidas em Instalações de Ensino Uma das características físicas mais interessantes da UBI resulta da recuperação de antigos edifícios, de elevado valor histórico, cultural e arquitectónico. Ao mesmo tempo que se preservam marcos

8 históricos da cidade, estes são revitalizados em espaços agora vocacionados para o ensino e a investigação. Já a edificação do Instituto Politécnico havia começado através da recuperação das anteriores instalações do quartel do Batalhão de Caçadores 2, instalado na pombalina Real Fábrica dos Panos, de importante valor arquitectónico, localizada num dos núcleos tradicionais de concentração fabril na Covilhã, junto à Ribeira da Degoldra. Durante as obras de reconversão, em 1975, foram descobertas, soterradas, estruturas arqueológicas que pertenciam às tinturarias da Real Fábrica dos Panos, uma importante manufactura de lanifícios, mandada construir, no século XVIII, pelo Marquês de Pombal. Após duas campanhas de intervenção arqueológica e uma ampla investigação, seria criada a estrutura que daria lugar ao primeiro núcleo do Museu de Lanifícios da Universidade da Beira Interior, aberto ao público em Assim, as antigas edificações fabris localizadas na entrada Sul da Covilhã tornar-se-iam, quase naturalmente, não só uma solução lógica e de continuidade no que respeita à expansão física da Instituição, mas uma opção que viria a resultar num enorme benefício para a cidade, em termos urbanísticos e de impacto ambiental, através da recuperação de edifícios abandonados ou em ruínas que constituíam parte significativa do património industrial covilhanense, fazendo da Instituição um caso único na Universidade portuguesa. Entre os edifícios mais emblemáticos, são de salientar o Convento de Santo António, no Pólo II, destinado à Reitoria, o palacete da Família Melo e Castro, os edifícios da Fábrica do Rato, da Fábrica dos Tapetes, da Fábrica do Moço, da Fábrica Paulo Oliveira, da Empresa Transformadora de Lãs, e da Capela de S. Martinho, monumento românico dos finais do século XII, classificado como Imóvel de Interesse Público e que apoia o serviço religioso da UBI. Foi ainda adquirida a antiga residência da Família Mendes Veiga, que hoje acolhe a Biblioteca Central da Universidade, após concretização do projecto de reconversão. No polo I, a reconversão urbanística culminou com a conclusão, através do programa Polis, de um interessante parque de lazer que serve de natural extensão ao campus universitário, no seio do qual serpenteia a histórica Ribeira da Goldra. Na década de 90, optar-se-ia por expandir a Universidade para o extremo Norte da cidade, junto à Ribeira da Carpinteira, onde viria a ser criado o Pólo IV. A UBI continua a crescer. Em 2004 iniciaram as obras de construção de Faculdade de Ciências da Saúde, no Pólo III, que foram inauguradas a 30 Abril de 2007 cumprindo-se, assim, o programa de instalação das infra-estruturas do curso de Medicina. Com um espaço físico que já atinge os m2, a Universidade acolhe hoje quase 7 mil alunos

9 Museu de Lanifícios O Museu de Lanifícios da Universidade da Beira Interior foi instituído com a finalidade de salvaguardar a área das tinturarias da Real Fábrica de Panos, uma manufactura de Estado, fundada pelo Marquês de Pombal em 1764, integrada nas instalações da Universidade da Beira Interior e classificada como Imóvel de Interesse Público, em É um museu de ciência e tecnologia e tem por missão a salvaguarda e a conservação activa do património industrial têxtil, assim como a investigação e divulgação da tecnologia associadas ao processo de industrialização dos lanifícios. Tem por finalidade contextualizar antropológica, económico-social, cultural, político-institucional e ambientalmente esta actividade, numa vasta área que tem por matriz a Serra da Estrela e por centro histórico a cidade da Covilhã, afirmando-se como um centro de interpretação da rota turística peninsular Rota da Lã-TRANSLANA. Os fios do passado a tecer o futuro é o lema do Museu de Lanifícios. De acordo com este princípio defende uma conservação activa do património que tem à sua guarda. O Museu de Lanifícios é um museu polinucleado que integra os seguintes núcleos: Núcleo da Real Fábrica de Panos Focalizado no período da pré e proto industrialização dos lanifícios (séc. XVIII). Núcleo das Râmolas de Sol Núcleo ao ar livre constituído por um conjunto de râmolas de sol e um estendedouro de lãs. Núcleo da Real Fábrica Veiga / Centro de Interpretação dos Lanifícios Sede do Museu desde 2004, com as valências de Núcleo Museológico da Industrialização dos Lanifícios (sécs. XIX e XX) e de Centro de Documentação/ Arquivo Histórico dos Lanifícios. SERVIÇOS Centro de Documentação/Arquivo Histórico Especializado na área de actividade do sector têxtil/lanifícios. Reúne um vasto acervo documental proveniente de entidades públicas e privadas extintas, de empresários, técnicos e operários têxteis. Dispõe de bibliografia e documentação sobre a indústria têxtil, o património e a arqueologia industrial. Serviço educativo Organiza visitas guiadas para grupos, mediante marcação prévia, e workshops especializados em tecelagem artesanal, por telefone, fax ou . Áreas de exposições temporárias Dispõe de duas áreas expositivas vocacionadas para as temáticas do têxtil/lanifícios e das artes plásticas. Auditório Sala com 50 lugares, dotada de equipamentos audiovisuais. Cafetaria Acesso à cafetaria da Universidade da Beira Interior (Pólo 1) e acesso directo e livre à do Núcleo da Real Fábrica Veiga, aberta no mesmo horário de funcionamento do Museu. Loja Duas lojas a funcionar nas duas Recepções (Real Fábrica de Panos e Real Fábrica Veiga) no mesmo horário de funcionamento do Museu

10 Faculdades A Universidade, em termos de ensino, estrutura-se em Faculdades, que agrupam as áreas do saber que, por natureza, lhe são afins. Assim, a UBI compreende cinco faculdades: Faculdade de Ciências, Faculdade de Engenharia, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Faculdade de Artes e Letras e Faculdade de Ciências da Saúde. Encontrará de seguida uma breve caracterização de cada uma delas, com menção às principais áreas de formação que englobam. A estrutura dos cursos da Universidade segue um esquema três (anos de licenciatura), dois (anos de mestrado) e três (anos de doutoramento), existindo alguns casos de cinco anos de formação básica, designados Mestrados Integrados. A UBI viu reconhecida a excelência na aplicação do suplemento ao diploma com a atribuição do DS Label pela Comissão Europeia

11 Faculdade de Ciências cursos 1º ciclo licenciaturas cursos 2º ciclo mestrados cursos 3º ciclo doutoramentos Química, Bioquímica, Matemática e Biotecnologia Situada no Pólo I da Universidade, foi aqui, através da recuperação de diversos edifícios fabris em ruínas e da sua reconversão para instalações de ensino, que se deram os primeiros passos para a implementação do ensino superior na Covilhã e por conseguinte a Faculdade de Ciências. Integram a Faculdade os Departamentos de Química, Física e Matemática. Muitas são as saídas profissionais relacionadas com a Física, Química e Matemática, nomeadamente, algumas empresas de spin-off s que exploram, todos os dias, ideias destas áreas do saber. A própria Internet, tal como a conhecemos hoje em dia é, em grande medida, uma spin-off de investigação fundamental em Física, Química e Matemática. Apetrechados com os melhores laboratórios de ensino e investigação, são os departamentos das ciências basilares da maior parte dos cursos da instituição e através das quais os alunos são conduzidos ao mundo fascinante da Física, Química e Matemática criando-se em cada aula, em cada experiência, em cada projecto de investigação a oportunidade para testar a criatividade, a independência e a capacidade para compreender e explorar o mundo

12 Faculdade de Engenharia mestrados integrados cursos 1º ciclo/licenciaturas cursos 2º ciclo/mestrados cursos 3º ciclo/doutoramentos Engenharias Aeronáutica, Civil, Electromecânica, Electrónica, Informática, Têxtil, Bioengenharia Instalada na antiga Empresa Transformadora de Lãs, a Faculdade de Engenharia estendese ao longo da Ribeira da Goldra, no sopé da serra onde a tecnologia e a natureza se encontram e se inspiram mutuamente Pontes e aviões foram áreas pioneiras ainda no embrião de fios da UBI e que agora conhecem um sólido e magnífico novelo, tecido por anos de aprendizagem e investigação. Equipada com laboratórios e salas de trabalho de e para todos, acolhe seis unidades de Investigação, financiadas pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, que se encontram em permanente contacto com o tecido empresarial. Duas destas unidades de investigação com avaliações externas muito positivas, são pólos de laboratórios associados, instituições de excelência na investigação em Portugal. Integram a Faculdade de Engenharia, os Departamentos de Ciência e Tecnologia Têxteis, Ciências Aeroespaciais, Civil e Arquitectura, Electromecânica e Informática. No âmbito do Processo de Bolonha, o qual veio introduzir alterações significativas ao nível da formação universitária, a UBI adequou com sucesso, em 2006, as suas Licenciaturas em Engenharia fomentando uma proximidade cada vez maior do ensino e investigação às necessidades reais da indústria. A Faculdade de Engenharia promove regularmente a divulgação científica e tecnológica através da organização de Seminários e Conferências sobre temas relacionados com as áreas dos cursos coordenados pelos Departamentos, onde participam os docentes, alunos e especialistas nacionais e estrangeiros. Paralelamente à divulgação científica, a FE apoia e estimula as actividades culturais e lúdicas desenvolvidas pelos docentes, investigadores, colaboradores e os Núcleos de Estudantes. Os cursos de Engenharia da Faculdade são acreditados pela Ordem dos Engenheiros nos colégios adequados

13 Faculdade de Ciências Sociais e Humanas cursos de 1º ciclo cursos de 2º ciclo cursos de 3º ciclo Economia, Gestão, Marketing, Desporto, Psicologia, Educação, Sociologia, Relações Internacionais Edificada na antiga fábrica do Ernesto Cruz, como é conhecida entre os estudantes e a população da Covilhã, a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, no Pólo IV, acolhe o Departamento de Gestão e Economia, Departamento de Psicologia e Educação, Departamento de Sociologia e ainda o departamento de Ciências do Desporto que se encontra no Pólo II. Dotada das mais recentes tecnologias, a faculdade privilegia a comunicação interna e externa através das suas páginas de internet permitindo aos futuros alunos conhecer a sua Escola, nomeadamente as estruturas de ensino e de investigação e oferece ao exterior, em particular aos actuais e futuros parceiros, nacionais e internacionais, um panorama das actividades que são desenvolvidas na Faculdade. É prioridade da FCSH promover o processo de ensino aprendizagem intercultural e aumentar o envolvimento dos alunos nas actividades de investigação desde os primeiros anos. Paralelamente, criam-se e fomentam-se estágios e oportunidades de aprendizagem profissional nas entidades com as quais se tem vindo a estabelecer protocolos de cooperação na região, no país e no estrangeiro. A FCSH está a trabalhar para se posicionar correctamente perante os desafios do século XXI, nomeadamente fomentando as capacidades e qualidades transversais dos seus estudantes e professores; quer treinar líderes nas diversas áreas da sua intervenção, nomeadamente nas áreas emergentes de ensino. Tem vindo a intensificar ainda a presença de professores externos nas suas actividades de ensino e investigação, assim como têm cooperado os seus docentes nas actividades de outras Universidades nacionais e internacionais, potenciando as oportunidades para programas doutorais interdisciplinares. A Faculdade de Ciências Sociais e Humanas é hoje uma referência nas suas áreas de acção, reunindo as melhores condições para aprender, ensinar e investigar

14 Faculdade de Artes e Letras cursos 1º ciclo/licenciaturas cursos 2º ciclo/mestrados cursos 3º ciclo/doutoramentos Comunicação, Cinema, Design, Filosofia, Estudos Portugueses e Espanhóis A Faculdade de Artes e Letras compreende dois Departamentos, Comunicação e Artes e Departamento de Letras. O Departamento de Comunicação e Artes inclui duas Unidades I&D, o Instituto de Filosofia Prática (IFP) e o Laboratório de Comunicação On-line (LABCOM), que desenvolvem projectos aprovados e financiados pela FCT. Estas Unidades organizam eventos científicos de carácter nacional e internacional; editam livros nas colecções Estudos em Comunicação e Ubianas (Ciências da Comunicação), e na Ta Pragmata (Filosofia); o LABCOM publica, em formato digital, os Livros Labcom e a Revista Estudos em Comunicação. Em matéria de cooperação com o exterior, destacam-se: a programação de cinema da Cinubiteca, destinada à comunidade universitária e ao público em geral; a publicação do Jornal Urbi et Orbi, em versão on-line; as emissões regulares da Tubiweb e da Rubiweb, a tv e a rádio da UBI; a produção de programas em rádios regionais; a colaboração regular nos jornais Notícias da Covilhã e O Interior; a realização de conferências em Escolas e outras instituições. Dotado de um corpo docente de atestada competência científica e pedagógica, na sua maioria doutores, os docentes do Departamento de Letras são provenientes de diversas áreas: História; Linguística; Língua e Cultura Espanhola; Língua e Cultura Inglesa; Línguas e Culturas Africanas e Brasileiras; Literatura Portuguesa; Pedagogia e Ciências da Educação; Línguas e Culturas Clássicas. Para além das instalações que utiliza no Pólo I da Universidade da Beira Interior, o Departamento de Letras dinamiza o Laboratório de Línguas, onde proporciona a frequência de cursos livres em diversas línguas como o mandarim, italiano, russo ou alemão. Por todas estas razões, integrar o espaço da Faculdade de Artes e Letras implica a participação dinâmica numa dimensão de desenvolvimento e de aprofundamento de uma grande variedade de conhecimentos e de competências, de forma integradora, aprazível e estimulante

15 Faculdade de Ciências da Saúde mestrados integrados cursos de 1º ciclo cursos de 2º ciclo cursos de 3º ciclo Medicina, Ciências Farmacêuticas, Biomedicina A forte consciência da necessidade de um salto qualitativo no desenvolvimento dos Recursos Humanos nos domínios da Saúde motivou a aprovação Governamental da criação de mais duas Faculdades de Medicina no País. Ficou, no entanto, desde logo estabelecido que os projectos candidatos teriam que apresentar alterações profundas no curriculum médico permitindo, assim, renovar o ensino da Medicina em Portugal. Em conformidade com essa disposição, a Universidade da Beira Interior lançou-se em mais um grande desafio e apresentou uma candidatura para um projecto inovador da Licenciatura em Medicina, projecto esse que foi aprovado pela Resolução do Conselho de Ministros nº 140/98 de 4 de Dezembro. Nele propunha-se o desenvolvimento de modelos inovadores de formação, pautados por padrões científicos, pedagógicos e assistenciais de elevada qualidade, em que também a articulação com as unidades de prestação de cuidados de saúde seria assegurada por um modelo organizacional diferente e inovador. Com base nos pressupostos enunciados, foram delineadas três directrizes para a metodologia pedagógica a praticar na Faculdade de Ciências da Saúde: - A criação de um modelo pedagógico que substitua o sistema de ensino tradicional, de adição de cadeiras, por um sistema de ensino integrado, baseado no estabelecimento de objectivos e recorrendo, sempre que possível, à aprendizagem baseada em problemas; - Ênfase na aprendizagem por parte do aluno, em detrimento dos processos que conduzem ao armazenamento de informação. Assim, no binómio ensinoaprendizagem é imprescindível colocar ênfase na aprendizagem, entendendo o ensino como um sistema para a facilitar; - Controlo continuado da metodologia pedagógica

16 Prémios de Mérito A Universidade da Beira Interior atribui, no dia do seu aniversário, 30 de Abril, os prémios de mérito escolares aos alunos que se destacaram no ano lectivo anterior. Estas Bolsas de Estudo de Mérito Escolar são suportadas pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e complementadas pelo patrocínio da UBI e de outros organismos externos que colaboram com a Universidade, de forma a abranger os melhores alunos de todos os cursos de licenciatura e mestrado. Muitas são as empresas do pais e da região que se associam anualmente à UBI para entrega dos prémios, fomentando assim sinergias entre ensino e tecido empresarial e licenciado/mercado de trabalho

17 Empreendedorismo e Empregabilidade GABINETE DE SAÍDAS PROFISSIONAIS Na perspectiva da promoção da empregabilidade dos seus graduados e de uma efectiva interligação com o mundo empresarial, o Gabinete de Saídas Profissionais (GSP) da UBI, tem procurado desenvolver laços duradouros com empresas e outras instituições, públicas ou privadas, seja através da concessão de estágios, ofertas de emprego e ainda na divulgação de programas e medidas de inserção dos licenciados na vida activa. A UBI orgulha-se da taxa de empregabilidade dos seus graduados que em média, na última década, segundo dados oficiais, se situou sempre acima de 90%, sendo que em algumas áreas é impossível satisfazer a procura das empresas por graduados da Universidade. A realização de um estágio em contexto real de trabalho é a melhor forma de integrar um recém-licenciado na vida activa, fazendo a sua ligação aos conhecimentos apreendidos na Universidade. O Gabinete de Saídas Profissionais tem assumido um papel cada vez mais preponderante na procura e oferta de estágios. Ano após ano, assiste a um crescimento de 10 a 15% tanto na oferta de estágios como na procura de candidatos. Este gabinete tem já inscritos mais de 2500 alunos e graduados da Universidade. CFIUTE CENTRO DE FORMAÇÃO INTERACÇÃO UBI TECIDO EMPRESARIAL O Centro de Formação Interacção UBI Tecido Empresarial (CFIUTE) tem por objectivo a oferta de formação e actualização ao longo da vida, para empresários, trabalhadores do sector público e privado, colaboradores e alunos da UBI, bem como incentivar e reforçar a cooperação entre a Universidade e as empresas. Foi a pensar na economia regional, no estímulo ao empreendedorismo e à inovação que a UBI decidiu criar esta estrutura. O CFIUTE disponibiliza oito salas de formação, entre as quais, três de multimédia e cinco de formação teórica/prática, equipadas com computadores. Disponibiliza ainda internet com fios e sem fios, projectores de vídeo, retroprojector, colunas, câmara de vídeo e auscultadores a todos os utilizadores do espaço. Desde a sua abertura tem promovido diversos cursos de formação para a população activa e particularmente funcionários da UBI e alunos, em domínios tão diversos como: informática, gestão, marketing, termalismo, inovação, empreendedorismo, construção civil, saúde, entre outros. O total de horas leccionadas no CFIUTE desde Janeiro de 2007 ascende a mais de 10 mil, envolvendo cerca de 1720 formandos

18 CIEBI CENTRO DE INOVAÇÃO EMPRESARIAL DA BEIRA INTERIOR Com base nas potencialidades locais e regionais, foi criado no seio da UBI o CIEBI Centro de Inovação Empresarial da Beira Interior, que pretende estimular a Criação e o Desenvolvimento de Empresas Inovadoras, através da sua ligação ao sistema científicotecnológico regional (UBI e institutos politécnicos) e à Rede Europeia interactiva de BIC s (Business Innovation Centres) ou Centros Europeus de Empresas e Negócios reunidos na Associação EBN (European Business and Innovation Centre Network), do qual fazem parte 214 BIC em todo o mundo. Tem como zonas de influência toda a Beira Interior num total de 25 Concelhos repartidos pelos distritos de Castelo Branco e Guarda. Entre os muitos serviços disponibilizados pelo CIEBI, destacam-se a elaboração de estudos técnicos, criação de dossiers de candidatura a fundos e programas comunitários, elaboração de planos de negocio e instalações para incubação de micro e PME s. Dispõe de uma equipa técnica altamente qualificada e de uma rede de consultores (Talent Pool) com fortes competências em diferentes áreas de negócio, permitindo desta forma, abranger todas as áreas de gestão de projectos e formação profissional sempre com o objectivo de fomentar a INOVAÇÃO e Cooperação Transnacional. PARKURBIS Um dos parceiros mais emblemáticos da UBI é o Parkurbis - Parque de Ciência e Tecnologia da Covilhã SA. Considerada a incubadora de empresas por excelência da região da Beira Interior, nasceu da convergência de vontades e esforços no sentido de concretizar um projecto de dinamização da inovação e do empreendedorismo que leve os projectos de investigação a constituírem-se como realidades empresariais. Abriu-se assim a possibilidade de desenvolver novas indústrias na região, atraindo investidores nacionais e estrangeiros, potenciando a investigação da UBI e consequentemente, proporcionando à indústria tradicional a aquisição de capacidade inovadora, diversificando e melhorando os equipamentos e tecnologias de fabrico incorporando novos avanços tecnológicos. UBIMEDICAL A criação do UBIMedical é um dos projectos vitais para o desenvolvimento regional nos próximos anos, uma vez que dotará a região de uma estrutura certificada como referência nacional e internacional na área da Saúde. Esta infra-estrutura será dotada de serviços partilhados, fundamentalmente ao nível de equipamen tos e laboratórios abrangentes. o UBImedical terá duas valências principais: Qualidade de Vida e Caracterização de Parâmetros de Saúde Pública

19 Mobilidade Internacional Tendo em conta a abertura do espaço universitário europeu decorrente do Tratado de Maastricht, uma das vertentes da política de internacionalização da Universidade da Beira Interior (UBI) tem incidido em actividades de cooperação europeia, no âmbito das quais possui uma experiência considerável. A UBI conta entre os seus estudantes, alunos das mais diversas origens geográficas com destaque para a Europa, África de língua oficial portuguesa e Brasil. A mobilidade internacional afecta também o corpo docente da Universidade, sendo que uma grande proporção teve já experiências de mobilidade internacional em diversas universidades europeias, norte-americanas e brasileiras entre as quais: Clemson University, EUA École Internationale du Papier, de la Communication Imprimée et des Biomatériaux, Grenoble INP, França École Nationale Supérieure d Ingénieurs Sud Alsace, Mulhouse, França Imperial College, London, Reino Unido Instituto Tecnológico de Aeronáutica, São José dos Campos, Brasil Keldysh Institute of Applied Mathematics, Russian Academy of Sciences, Moscow, Rússia Universidade Autónoma de Barcelona, Espanha Universidade Complutense de Madrid, Espanha University of California, Berkeley, EUA The University of Texas at Austin, EUA University of Cape Town, África do Sul University of Cincinnati, EUA Universidade de Lovaina, Bélgica Universidade Federal do Rio de Janeiro, Brasil Harvard University, EUA Universidade de Salamanca, Espanha Universidade Federal de São Carlos, São Paulo, Brasil Universidade Vaxjo, Suécia Université Catholique de Louvain, Bélgica University of Aalborg, Dinamarca Helsinki University of Technology, Finlândia University of Oulu, Finlândia Universiteit Maastricht, Holanda Uniwesitet Utrecht, Holanda

20 GPRI GABINETE DE PROGRAMAS E RELAÇÕES INTERNACIONAIS Sendo a mobilidade uma das novas políticas do Ensino Superior que gera progresso, inovação, criatividade e competitividade, o Gabinete de Programas e Relações Internacionais tem como principal preocupação promover a mobilidade de estudantes, pessoal docente e não docente da UBI, permitindo uma abertura dos horizontes tanto a nível educacional como profissional através de troca de valores, conhecimentos e experiências. Desta forma, o GPRI coordena os seguintes programas: Erasmus O Programa Erasmus é um programa de acção comunitária do domínio da aprendizagem ao longo da vida que oferece aos estudantes a possibilidade de efectuarem um período de estudos/estágio numa outra Universidade/ Empresa Europeia, com reconhecimento académico (como parte integrante do programa de estudos da Universidade de origem). A UBI acolhe todos os anos, ao abrigo do programa Erasmus, mais de cem estudantes oriundos de diversos países da Europa, como Espanha, França, Alemanha, Itália, República Checa, Polónia, Eslovénia, Turquia, entre outros. Programa Almeida Garrett O Programa Almeida Garrett é o programa de mobilidade Nacional de alunos do Ensino Superior, e visa promover a qualidade e reforçar a dimensão nacional no ensino superior. As universidades que integram este programa de mobilidade para além da UBI são as seguintes: Açores, Algarve, Aveiro, Coimbra, Évora, ISCTE, Lisboa, Madeira, Minho, Nova de Lisboa, Porto, Técnica de Lisboa e Trásos-Montes. Bolsas Fulbright A Comissão Fulbright tem por missão fomentar o entendimento mútuo entre Portugal e os Estados Unidos da América através da oferta de oportunidades de intercâmbio de professores, investigadores e estudantes, com base no mérito; da disponibilização de orientação e informação de qualidade sobre os sistemas de ensino dos dois países; e da organização de iniciativas que potenciem a partilha de conhecimento. As bolsas de estudo do Programa Fulbright oferecem a estudantes e professores portugueses a oportunidade de estudar, leccionar ou fazer investigação Estados Unidos da América, bem como a estudantes e professores americanos a oportunidade de desenvolver o mesmo tipo de actividades em Portugal. Programa de Bolsas Luso-brasileiras Santander Totta O Programa de Bolsas Luso-Brasileiras Santander Universidades, em vigor na UBI desde 2007, visa estreitar as relações académicas bilaterais e promover um espaço ibero-americano de educação. Participam no programa 16 universidades portuguesas, entre as quais a Universidade da Beira Interior, e 16 universidades brasileiras. Através deste programa os estudantes dos primeiros ciclos, ciclos de estudos integrados e segundos ciclos de estudos da UBI poderão usufruir de uma experiência de intercâmbio durante um semestre, com garantia de reconhecimento das habilitações efectuadas e com direito a uma bolsa no valor de cerca de 2300, integralmente suportada pelo banco Santander Totta. IAESTE A IAESTE é uma organização internacional com mais de 80 Países-membros em cinco continentes, que promove o intercâmbio de estudantes universitários entre os países-membros, com o objectivo de lhes proporcionar uma experiência de trabalho na indústria, instituições de pesquisa e outras entidades empregadoras. Os períodos de estágios nas empresas estão organizados de forma a que possam ser realizados nas férias prolongadas do estudante, sendo a sua duração mínima de um mês, embora se considere desaconselhável um período inferior a seis semanas. Os estágios podem prolongar-se até 12 meses. As áreas abrangidas pelos Programas de Intercâmbio da IAESTE abrangem todos os ramos da Engenharia, vários ramos da Ciências Exactas e Naturais, tais como a Matemática, Física, Química, Geologia e Biologia, bem como outros domínios tais como a Arquitectura, Agronomia, Farmácia, Ciências Veterinárias e muitas outras. CPLP Paralelamente a estes programas, a UBI recebe ainda anualmente mais de uma centena de estudantes provenientes da Comunidade de Países de Língua Portuguesa, como o Brasil, Angola, Timor, entre outros. Programa Vulcanus O Programa consiste num estágio numa empresa industrial japonesa, para estudantes de países da União Europeia. Entrar em contacto com a tecnologia japonesa, em grandes empresas líderes de Mercado, aprender japonês e ficar com know-how para interagir com empresas japonesas de futuro, são os principais objectivos do programa. Começa em Setembro e termina em Agosto do ano seguinte, por forma a corresponder aos anos académicos dos estudantes da União Europeia, permitindo aos estudantes a frequência de um seminário com a duração de uma semana sobre o Japão, Quatro meses de curso intensivo de língua japonesa e oito meses de estágio numa empresa japonesa

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR. Covilhã Portugal

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR. Covilhã Portugal UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Covilhã Portugal Coordenação Editorial Gabinete de Comunicação e Imagem Redacção Patrícia Gil Ginja Soares Barata Design Raquel Nina Rosa Impressão e Acabamentos Serviços

Leia mais

APRESENTAÇÃO AEFCUP. Informações. AEFCUP Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto

APRESENTAÇÃO AEFCUP. Informações. AEFCUP Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto APRESENTAÇÃO AEFCUP Informações AEFCUP Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Rua do Campo Alegre, 1021 4150 180 Porto GPS: 41º 11'10.25'' N 8º41'25.32''W Tlf. AEFCUP

Leia mais

COORDENAÇÃO DO CURSO CURSO DE EMPREENDEDORISMO E VALORIZAÇÃO DA INVESTIGAÇÃO. Prof. Doutora Maria José Silva

COORDENAÇÃO DO CURSO CURSO DE EMPREENDEDORISMO E VALORIZAÇÃO DA INVESTIGAÇÃO. Prof. Doutora Maria José Silva COORDENAÇÃO DO CURSO Prof. Doutora Maria José Silva PORQUÊ O CURSO DE EMPREENDEDORISMO E VALORIZAÇÃO DA INVESTIGAÇÃO? Numa realidade onde a transposição do conhecimento científico e tecnológico gerado

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE. UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Covilhã Portugal

MANUAL DA QUALIDADE. UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Covilhã Portugal MANUAL DA QUALIDADE 1/20 20/08/2009; Rev.6 Índice Pág. 1. APRESENTAÇÃO DA UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR...3 1.1. Introdução... 3 1.2. Compromisso da Gestão de Topo... 4 1.3. Historial... 6 1.4. Missão,

Leia mais

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU Programas de MESTRADO Online MBA Master in Business Administration Mestrado em Direcção de Empresas Mestrado em Direcção de Marketing e Vendas Mestrado em Direcção Financeira Mestrado em Comércio Internacional

Leia mais

Plano de Atividades 2014

Plano de Atividades 2014 Plano de Atividades 2014 Escola de Ciências Universidade do Minho 1. Missão A Escola de Ciências tem como missão gerar, difundir e aplicar conhecimento no âmbito das Ciências Exatas e da Natureza e domínios

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

Nome da instituição Nome do curso Grau Vagas iniciais de 2013

Nome da instituição Nome do curso Grau Vagas iniciais de 2013 Nome da instituição Nome do Grau na 1.ª fase de pelo 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) Prep. Mestrado Integrado 15 15 155,8 0110 8085 Universidade

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2010-1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2010-1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - 1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Código Código Nome do Estabelecimento Nome do Curso Grau Localidade 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas

Leia mais

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique Programa de Acção Luis Filipe Baptista ENIDH, Setembro de 2013 Motivações para esta candidatura A sociedade actual está a mudar muito

Leia mais

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2014: 1.ª FASE

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2014: 1.ª FASE da Nome da Nome Grau 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 15 10 134,0 5 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências da Nutrição

Leia mais

design de jogos digitais o essencial da licenciatura

design de jogos digitais o essencial da licenciatura design de jogos digitais o essencial da licenciatura ÍNDICE ciclo de estudos plano de estudos metodologias de ensino perfil de saída candidaturas ipb virtual Dados do ciclo de estudos ciclo de estudos

Leia mais

SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Sistema de Incentivos às Empresas O que é? é um dos instrumentos fundamentais das políticas públicas de dinamização económica, designadamente em matéria da promoção da

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2009-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Pares estabelecimento/curso objecto de concurso nacional Código Estab.

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2009-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Pares estabelecimento/curso objecto de concurso nacional Código Estab. ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2009-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Pares estabelecimento/curso objecto de concurso nacional Estab. Curso Nome do Estabelecimento Nome do Curso Grau Localidade Vagas 2009

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN]

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Frederico Mendes & Associados Sociedade de Consultores Lda. Frederico Mendes & Associados é uma

Leia mais

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO DE 2013 RESULTADOS DA 2.ª FASE

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO DE 2013 RESULTADOS DA 2.ª FASE 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 10 1 1 10 127,3 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências da Nutrição (Preparatórios)

Leia mais

ACEF/1112/03902 Relatório final da CAE

ACEF/1112/03902 Relatório final da CAE ACEF/1112/03902 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Identificação

Leia mais

CONTINGENTE ESPECIAL PARA PORTADORES DE DEFICIÊNCIA FÍSICA OU SENSORIAL: 2007-2011

CONTINGENTE ESPECIAL PARA PORTADORES DE DEFICIÊNCIA FÍSICA OU SENSORIAL: 2007-2011 Colocados CONCURSO NACIONAL DE ACESSO E INGRESSO NO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO CONTINGENTE ESPECIAL PARA PORTADORES DE DEFICIÊNCIA FÍSICA OU SENSORIAL: 2007-2011 Etapa 1: colocação dos candidatos às vagas

Leia mais

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Pedro Jorge Richheimer Marta de Sequeira Marília Oliveira Inácio Henriques 1 P á g i n a 1. Enquadramento da Candidatura

Leia mais

CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Centro

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 215-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados Instit. Curso Instituição Curso Grau Vagas Iniciais Ministério da Educação e Ciência - Direcção Geral do Ensino Superior

Leia mais

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Participamos num processo acelerado de transformações sociais, políticas e tecnológicas que alteram radicalmente o contexto e as

Leia mais

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Identificação

Leia mais

Direção-Geral do Ensino Superior Página 1 de 21

Direção-Geral do Ensino Superior Página 1 de 21 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 8 1 0 9 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências da Nutrição (Preparatórios) PL 14

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À

SISTEMA DE INCENTIVOS À SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISOS PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS INOVAÇÃO PRODUTIVA EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO Elisabete Félix Turismo de Portugal, I.P. - Direcção de Investimento PRIORIDADE

Leia mais

Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva

Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva centro tecnológico da cerâmica e do vidro coimbra portugal Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva Victor Francisco CTCV Responsável Unidade Gestão

Leia mais

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2013: 1.ª FASE

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2013: 1.ª FASE Nome da Nome do Grau 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 15 11 130,8 4 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências da Nutrição

Leia mais

2006 a 2010 REGIMES ESPECIAIS. PALOP s e Timor-Leste. DSAES: Vânia Néné Virgínia Ferreira. Colaboração Bruno Pereira Maria das Dores Ribeiro

2006 a 2010 REGIMES ESPECIAIS. PALOP s e Timor-Leste. DSAES: Vânia Néné Virgínia Ferreira. Colaboração Bruno Pereira Maria das Dores Ribeiro 2006 a 2010 DSAES: Vânia Néné Virgínia Ferreira Outubro de 2011 Colaboração Bruno Pereira Maria das Dores Ribeiro ÍNDICE: 1. Enquadramento e apreciação dos resultados.. pág. 2 2. Estatísticas dos candidatos,

Leia mais

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2013: 1.ª FASE

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2013: 1.ª FASE Nome da Nome do Grau 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 15 11 130,8 4 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências da Nutrição

Leia mais

Programa de Acção da Candidatura a Presidente

Programa de Acção da Candidatura a Presidente Programa de Acção da Candidatura a Presidente do Instituto Politécnico de Beja de Manuel Alberto Ramos Maçães 1 Índice I. O Porquê da Candidatura II. III. IV. Intenção Estratégica: Visão, Envolvimento

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados Código Instit. Código Curso Instituição Curso Grau Vagas Iniciais Colocados Nota do últ. colocado (cont. geral) (1) (2)

Leia mais

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade De Lisboa A.1.a. Outras Instituições

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Pares instituição/curso objeto de concurso nacional Código Instit.

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Pares instituição/curso objeto de concurso nacional Código Instit. ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - 1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Nome da Instituição Nome do Grau Direção-Geral do Ensino Superior Página 1 de 25 Fase (cont. geral) 0110 8031 Universidade dos Açores

Leia mais

O que somos hoje. Empreendedorismo

O que somos hoje. Empreendedorismo O que somos hoje Ensino Investigação Empreendedorismo O que podemos ser Ensino Investigação Inovação O que podemos fazer Linhas de brinquedos historicamente informados Roteiros de turismo sénior Aplicações

Leia mais

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 Factores Determinantes para o Empreendedorismo Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 IAPMEI Instituto de Apoio às PME e à Inovação Principal instrumento das políticas económicas para Micro e Pequenas

Leia mais

2015/2016. Página 1 de 11 I. NOTA INTRODUTÓRIA 2. EIXOS ESTRATÉGICOS 2.1. OFERTA EDUCATIVA, NOVOS PÚBLICOS, ATRATIVIDADE. Código IMP.EM.EI.

2015/2016. Página 1 de 11 I. NOTA INTRODUTÓRIA 2. EIXOS ESTRATÉGICOS 2.1. OFERTA EDUCATIVA, NOVOS PÚBLICOS, ATRATIVIDADE. Código IMP.EM.EI. 2015/2016 I. NOTA INTRODUTÓRIA A missão, os princípios e os valores de uma instituição são fulcrais para a sua definição estratégica, conforme expresso nos seus estatutos. O Instituto Superior de Ciências

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA

AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA PLANO DE COMUNICAÇÃO E DIVULGAÇÃO Deliverable 4 Fase 2 Novembro 2008 1 P á g i n a Índice 1. Objectivos... 3 2. Públicos-alvo... 4 3. Estratégia de Comunicação... 5 3.1

Leia mais

AVISO. Admissão de Pessoal. (m/f)

AVISO. Admissão de Pessoal. (m/f) AVISO Admissão de Pessoal (m/f) A AJITER Associação Juvenil da Ilha Terceira pretende admitir jovens recém-licenciados à procura do primeiro emprego, para estágio no seu serviço, ao abrigo do Programa

Leia mais

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Identificação

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS PROVAS DE INGRESSO ALTERAÇÕES PARA 2016, 2017, 2018 PÚBLICO PRIVADO COMISSÃO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS PROVAS DE INGRESSO ALTERAÇÕES PARA 2016, 2017, 2018 PÚBLICO PRIVADO COMISSÃO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS PROVAS DE INGRESSO ALTERAÇÕES PARA 2016, 2017, 2018 PÚBLICO PRIVADO COMISSÃO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR DIREÇÃO GERAL DO ENSINO SUPERIOR Direção de Serviços de

Leia mais

Cooperação entre instituições de ensino superior portuguesas e cubanas

Cooperação entre instituições de ensino superior portuguesas e cubanas Cooperação entre instituições de ensino superior portuguesas e cubanas Instituição Portuguesa Instituição Cubana Objectivos / áreas de cooperação Validade Universidade do Algarve Universidade de Pinar

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR +

APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR + APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR + Ponta Delgada, 28 de Abril de 2014 Intervenção do Presidente do Governo Regional

Leia mais

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 A aposta no apoio à internacionalização tem sido um dos propósitos da AIDA que, ao longo dos anos, tem vindo a realizar diversas acções direccionadas para

Leia mais

Jornadas de Educação Pelo Desporto 1

Jornadas de Educação Pelo Desporto 1 Jornadas de Educação Pelo Desporto 1 Jornadas de Educação Pelo Desporto As Jornadas de Educação Pelo Desporto alinham-se com os objetivos gerais do Diálogo Estruturado na área da juventude, uma vez que

Leia mais

CANDIDATURAS ABERTAS:

CANDIDATURAS ABERTAS: Resumo das candidaturas aos Sistemas de Incentivos QREN CANDIDATURAS ABERTAS: Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Tipologia de Projectos Abertura Encerramento Individuais

Leia mais

Universidade do Algarve. Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente

Universidade do Algarve. Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente Universidade do Algarve Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente Licenciatura (1º Ciclo) em Engenharia do Ambiente: Duração: 3 anos Grau: Licenciatura Directores de Curso: Prof.ª Doutora Maria João Bebianno

Leia mais

WWW.WEB-EMPREGO.COM. 1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO: 2010 Código Código Iniciais. (vagas adicionais)

WWW.WEB-EMPREGO.COM. 1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO: 2010 Código Código Iniciais. (vagas adicionais) (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) (10) 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 15 15 0 155,8 0 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA DO CONSUMIDOR OBSERVATÓRIO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

1 os CICLOS e MESTRADOS INTEGRADOS

1 os CICLOS e MESTRADOS INTEGRADOS 1 os CICLOS e MESTRADOS INTEGRADOS Índice Apresentação 2 Oferta formativa 7 1º Ciclo Biologia 8 Bioquímica 9 Ciências da Saúde 10 Engenharia Geoespacial 12 Engenharia Informática 13 Estatística Aplicada

Leia mais

Cursos de Licenciatura

Cursos de Licenciatura DLLM Cursos de Licenciatura 2009-2010 1 Cursos de Licenciatura 2009/2010 1º Ciclo Bolonha DLLM Departamento de Línguas e Literaturas Modernas 2 Cursos de Licenciatura 2009-2010 DLLM DLLM Cursos de Licenciatura

Leia mais

MESTRADO EM FISCALIDADE

MESTRADO EM FISCALIDADE MESTRADO EM FISCALIDADE 1 - APRESENTAÇÃO Grau Académico: Mestre em Fiscalidade Duração do curso: 2 anos lectivos/ 4 semestres Número de créditos, segundo o Sistema Europeu de Transferência de Créditos:

Leia mais

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012 Apoio à Internacionalização CENA 3 de Julho de 2012 Enquadramento Enquadramento Comércio Internacional Português de Bens e Serviços Var. 13,3% 55,5 68,2 57,1 73,4 48,3 60,1 54,5 66,0 67,2 61,7 Exportação

Leia mais

Estratégias regionais, para a investigação e inovação, implementadas nas Regiões. O que foi feito?

Estratégias regionais, para a investigação e inovação, implementadas nas Regiões. O que foi feito? Estratégias regionais, para a investigação e inovação, implementadas nas Regiões Ultraperiféricas e Cabo Verde: O que foi feito? O que está a ser fit? feito? Resolução do Conselho do Governo nº41/2008,

Leia mais

30546 Diário da República, 2.ª série N.º 140 22 de Julho de 2011

30546 Diário da República, 2.ª série N.º 140 22 de Julho de 2011 30546 Diário da República, 2.ª série N.º 140 22 de Julho de 2011 INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA Despacho n.º 9220/2011 Ao abrigo do disposto nos artigos 75.º a 80.º do Decreto -Lei n.º 74/2006, de 24 de

Leia mais

Amarante, 06 de Março de 2012 Centro de Desenvolvimento Empresarial do Norte

Amarante, 06 de Março de 2012 Centro de Desenvolvimento Empresarial do Norte Incentivos às empresas Amarante, 06 de Março de 2012 Centro de Desenvolvimento Empresarial do Norte Os Incentivos na estratégia do IAPMEI para as PME Facilitar e assistir as PME nas suas estratégias de

Leia mais

Procura de Excelência

Procura de Excelência www.mba.deg.uac.pt Procura de Excelência MASTER IN BUSINESS ADMINISTRATION Mestrado em Gestão (MBA) Secretariado Departamento de Economia e Gestão Rua da Mãe de Deus Apartado 1422 E-mail: mba@uac.pt Tel:

Leia mais

Cooperação Universidade Empresa

Cooperação Universidade Empresa INTERVENÇÃO DO PRESIDENTE DA AEP - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE PORTUGAL, JOSÉ ANTÓNIO BARROS, NA CERIMÓNIA DE ABERTURA DO ANO LECTIVO 2010/2011, DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO, SOB O TEMA «CONTRIBUIÇÃO DO ENSINO

Leia mais

Formação e Tendências de Mercado da Formação Graduada e Pós graduada 1

Formação e Tendências de Mercado da Formação Graduada e Pós graduada 1 Número de Alunos Formação e Tendências de Mercado da Formação Graduada e Pós graduada 1 Susana Justo, Diretora Geral da Qmetrics 1. Formação em ensino superior, graduada e pós graduada. Em Portugal continua

Leia mais

O Relatório da OCDE: A avaliação do sistema de ensino superior em Portugal. Lisboa, 13 de Dezembro de 2006

O Relatório da OCDE: A avaliação do sistema de ensino superior em Portugal. Lisboa, 13 de Dezembro de 2006 O Relatório da OCDE: A avaliação do sistema de ensino superior em Portugal Lisboa, 13 de Dezembro de 2006 O relatório de avaliação do sistema de ensino superior em Portugal preparado pela equipa internacional

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Universidade de Évora, 10 de março de 2015 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral

Leia mais

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Da União Europeia vão chegar até 2020 mais de 20 mil milhões de euros a Portugal. Uma pipa de massa, nas palavras do ex-presidente da Comissão

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2016-2019 INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA

PLANO ESTRATÉGICO 2016-2019 INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA PLANO ESTRATÉGICO 2016-2019 INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA FICHA TÉCNICA Publicação editada ao abrigo do novo Acordo Ortográfico, exceto a transposição de conteúdos de documentos elaborados

Leia mais

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx SUPLEMENTO AO DIPLOMA Este Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. A finalidade deste Suplemento é fornecer dados independentes

Leia mais

CARTA EUROPEIA DO DESPORTO

CARTA EUROPEIA DO DESPORTO CARTA EUROPEIA DO DESPORTO Objectivo da Carta... 3 Definição e âmbito de aplicação da Carta... 3 O movimento desportivo... 4 Instalações e actividades... 4 Lançar as bases... 4 Desenvolver a participação...

Leia mais

NOVO PERIODO DE PROGRAMAÇÃO INCENTIVOS DO QREN CERTIFICAÇÃO DE EMPRESAS

NOVO PERIODO DE PROGRAMAÇÃO INCENTIVOS DO QREN CERTIFICAÇÃO DE EMPRESAS NOVO PERIODO DE PROGRAMAÇÃO INCENTIVOS DO QREN CERTIFICAÇÃO DE EMPRESAS 04-06-2008 Índice A. NOVO PERÍODO DE PROGRAMAÇÃO 2007-2013. B. ACÇÃO INTEGRADA DO IDE-RAM NO PERÍODO 2007-2013. C. APOIOS À ACTIVIDADE

Leia mais

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx SUPLEMENTO AO DIPLOMA Este Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. A finalidade deste Suplemento é fornecer dados independentes

Leia mais

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012 ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS DO ENSINO SUPERIOR CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012 SUPLEMENTO N.º 1 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES CURSOS CONGÉNERES DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR JULHO DE 2012

Leia mais

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Centro Cultural de Belém, Lisboa, 11 de Outubro de 2006 Intervenção do Secretário

Leia mais

Universidade do Porto Reitoria Praça Gomes Teixeira 4099-002 Porto. Telefone: +351 220 408 000 Fax: +351 220 408 186/7. www.up.pt up@up.

Universidade do Porto Reitoria Praça Gomes Teixeira 4099-002 Porto. Telefone: +351 220 408 000 Fax: +351 220 408 186/7. www.up.pt up@up. Universidade do Porto Reitoria Praça Gomes Teixeira 4099-002 Porto Telefone: +351 220 408 000 Fax: +351 220 408 186/7 www.up.pt up@up.pt A Universidade do Porto é a maior universidade portuguesa e uma

Leia mais

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2013: 1.ª FASE

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2013: 1.ª FASE Nome da Nome do Grau Coloca 0110 8031 Universidade dos Açor - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 15 11 130,8 4 0110 8085 Universidade dos Açor - Angra do Heroísmo Ciências da Nutrição

Leia mais

Relatório de atividades do IPAM- Aveiro

Relatório de atividades do IPAM- Aveiro Relatório de atividades do IPAM- Aveiro 2013 2014 Índice INTRODUÇÃO... 4 1. Grau de cumprimento do plano estratégico e do plano anual e dos respetivos objetivos... 5 Enquadramento: plano e objetivos...

Leia mais

Projecto de Candidatura da Universidade de Coimbra a Património Mundial

Projecto de Candidatura da Universidade de Coimbra a Património Mundial Projecto de Candidatura da Universidade de Coimbra a Património Mundial 1 Coimbra - 1941 Coimbra - 2001 2 Pólo II - Estado actual Pólo III - Estado actual 3 Pólo I - Estado actual 4 Pólo I - Estado actual

Leia mais

inserralves INDÚSTRIAS CRIATIVAS Programa do Concurso para Selecção de Ideias e Projectos

inserralves INDÚSTRIAS CRIATIVAS Programa do Concurso para Selecção de Ideias e Projectos inserralves INDÚSTRIAS CRIATIVAS Programa do Concurso para Selecção de Ideias e Projectos ÍNDICE 1. Enquadramento e Objectivos 2. Definição 3. Atribuições da Fundação de Serralves 4. Destinatários 5. Candidaturas

Leia mais

ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE

ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Fundação Minerva - Cultura - Ensino E Investigação

Leia mais

Universidade Autónoma de Lisboa Luís de Camões. Aprovado na reunião do Conselho Científico de / /

Universidade Autónoma de Lisboa Luís de Camões. Aprovado na reunião do Conselho Científico de / / Universidade Autónoma de Lisboa Luís de Camões REGULAMENTO GERAL DE CURSOS NÃO CONFERENTES DE GRAU Aprovado na reunião do Conselho Científico de / / Lisboa 2007 2 Regulamento Geral de Cursos não Conferentes

Leia mais

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL Nº 12/2012 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO ANEXO I VAGAS POR ÁREA DE CONHECIMENTO VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP 1) Área de Conhecimento:

Leia mais

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS NO ÂMBITO DO QREN ABERTURA DE CONCURSOS

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS NO ÂMBITO DO QREN ABERTURA DE CONCURSOS INCENTIVOS ÀS EMPRESAS NO ÂMBITO DO QREN ABERTURA DE CONCURSOS SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO (SI INOVAÇÃO) - INOVAÇÃO PRODUTIVA Objectivos e Prioridades O presente concurso destina-se a apoiar investimentos

Leia mais

E R A S M U S + ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Apresentação

E R A S M U S + ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Apresentação ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa Apresentação ERASMUS+ - Ensino Superior O Erasmus+ é o novo programa da UE dedicado à educação, formação, juventude e desporto. O programa tem início

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)*

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)* FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)* Bolsa / / Reservado aos Serviços A preencher pelo candidato Nome completo: Domínio científico principal (indicar apenas

Leia mais

Mecanismo de Apoio e Incentivo à Inovação e I&DT

Mecanismo de Apoio e Incentivo à Inovação e I&DT Mecanismo de Apoio e Incentivo à Inovação e I&DT Victor Francisco Responsável Unidade Gestão e Promoção da Inovação [victor.francisco@ctcv.pt] Seminário Gestão da Inovação - ACIB 25 de Março 2010 1 Sumário

Leia mais

Estatuto Orgânico do Ministério da Ciência e Tecnologia

Estatuto Orgânico do Ministério da Ciência e Tecnologia Estatuto Orgânico do Ministério da Ciência e Tecnologia Conselho de Ministros Decreto Lei n.º 15/99 De 8 de Outubro Considerando que a política científica tecnológica do Governo propende para uma intervenção

Leia mais

DEBATE DO PG SRETC 21/05/2015

DEBATE DO PG SRETC 21/05/2015 DEBATE DO PG SRETC 21/05/2015 Senhor Presidente da Assembleia Legislativa Regional, Excelência Senhor Presidente do Governo Regional da Madeira, Excelência Senhoras e Senhores Secretários Regionais Senhoras

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS EDUCATIVAS

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS EDUCATIVAS INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS EDUCATIVAS RELATÓRIO ANUAL (2009/2010) Índice 1 Cumprimento do plano estratégico e do plano anual... 2 1.1. Do plano estratégico... 2 1.1.1. - Desenvolvimento e Inovação

Leia mais

1 RESPOSTA A EVENTUAIS DÚVIDAS EXPERIMENTADAS PELOS ESTUDANTES A FREQUENTAR O CURSO PELA PRIMEIRA VEZ

1 RESPOSTA A EVENTUAIS DÚVIDAS EXPERIMENTADAS PELOS ESTUDANTES A FREQUENTAR O CURSO PELA PRIMEIRA VEZ DO CURSO DE LICENCIATURA EM RELAÇÕES PÚBLICAS E COMUNICAÇÃO 1 RESPOSTA A EVENTUAIS DÚVIDAS EXPERIMENTADAS PELOS ESTUDANTES A FREQUENTAR O CURSO PELA PRIMEIRA VEZ 1. A quem devo dirigir-me, caso tenha dúvidas

Leia mais

Rede de Informação do INE em Bibliotecas do Ensino Superior

Rede de Informação do INE em Bibliotecas do Ensino Superior Rede de Informação do INE em Bibliotecas do Ensino Superior Francisco Correia Departamento de Difusão e Promoção Instituto Nacional de Estatística Avenida António José de Almeida 1000-043 Lisboa Tel: 218426143

Leia mais

INOVAÇÃO E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO

INOVAÇÃO E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO INOVAÇÃO E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO O contexto da Globalização Actuação Transversal Aposta no reforço dos factores dinâmicos de competitividade Objectivos e Orientações Estratégicas para a Inovação Estruturação

Leia mais

SAÍDAS PROFISSIONAIS

SAÍDAS PROFISSIONAIS SAÍDAS PROFISSIONAIS Telf: 234 340 220 * Fax: 234 343 272 * info@aesbernardo.pt * www.aesbernardo.pt Página 1 de 6 CURSO CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS ÁREA DAS CIÊNCIAS ÁREA DA ANIMAÇÃO ÁREA DA SAÚDE AREA DO

Leia mais

Contribuir para o desenvolvimento da região em que se inserem;

Contribuir para o desenvolvimento da região em que se inserem; SIPIE SISTEMA DE INCENTIVOS A PEQUENAS INICIATIVAS EMPRESARIAIS FICHA DE MEDIDA Apoia projectos com investimento mínimo elegível de 15.000 e a um máximo elegível de 150.000, que visem a criação ou desenvolvimento

Leia mais

Ficha de Caracterização de Projecto

Ficha de Caracterização de Projecto Ficha de Caracterização de Projecto Projecto +Skillz E5G Programa Escolhas Promotor: Associação Mais Cidadania 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto Projecto +Skillz E5G Promotor: Associação Mais

Leia mais

Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas

Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas Fórum novo millenium Nuno Mangas Covilhã, 22 Setembro 2011 Índice 1 Contextualização 2 Os CET em Portugal 3 Considerações Finais 2 Contextualização

Leia mais

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes 2 Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Índice 1 Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) 2 Crédito

Leia mais

Código IMP.EM.EE.37_00. Ano Lectivo: 2014/2015 I. PREÂMBULO

Código IMP.EM.EE.37_00. Ano Lectivo: 2014/2015 I. PREÂMBULO Ano Lectivo: 2014/2015 I. PREÂMBULO A Escola Superior de Saúde Egas Moniz (ESSEM), tutelada pela Egas Moniz Cooperativa de Ensino Superior, C.R.L., foi criada pelo decreto-lei 381/99 de 22 de Setembro,

Leia mais

Curriculum Vitae. João António de Sampaio Rodrigues Queiroz

Curriculum Vitae. João António de Sampaio Rodrigues Queiroz Curriculum Vitae João António de Sampaio Rodrigues Queiroz 1. Dados Biográficos Data de nascimento: 29 de setembro de 1964; Cartão de Cidadão nº 6500257; Nacionalidade: Portuguesa; Filiação: Francisco

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2013

PLANO DE ACTIVIDADES 2013 PLANO DE ACTIVIDADES 2013 Documento elaborado por: Teresa Paiva Diretora da UDI Índice I. INTRODUÇÃO 1 1.1.Enquadramento, Missão e Estratégia 1 1.2.Breve caracterização do ambiente interno e externo 1

Leia mais

FEDERAL ANEXO I MATRIZ ESPECÍFICA DE CORRELAÇÃO DO CONHECIMENTO

FEDERAL ANEXO I MATRIZ ESPECÍFICA DE CORRELAÇÃO DO CONHECIMENTO ANEXO I MATRIZ ESPECÍFICA DE CORRELAÇÃO DO CONHECIMENTO CARGO/ESPECIALIDADES Art. 378. Ao Consultor Legislativo, Especialidade Assessoramento Legislativo. ÁREAS DE INTERESSE DO SENADO FEDERAL Agronomia;

Leia mais

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança)

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) 1 - Apresentação Grau Académico: Mestre Duração do curso: : 2 anos lectivos/ 4 semestres Número de créditos, segundo o Sistema

Leia mais

FORMAÇÃO 2012/2013 CURSOS GRATUITOS. HORÁRIO PÓS-LABORAL

FORMAÇÃO 2012/2013 CURSOS GRATUITOS. HORÁRIO PÓS-LABORAL FORMAÇÃO 01/013 CURSOS GRATUITOS. HORÁRIO PÓS-LABORAL INFORMAÇÕES FUNDAÇÂO MINERVA Cultura - Ensino e Investigação Científica Universidade Lusíada de Vila Nova de Famalicão Largo Tinoco de Sousa 760. 108

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais