Construindo pontes de conhecimento entre a Filosofia, a Psicologia e a Administração junto aos alunos de Marketing

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Construindo pontes de conhecimento entre a Filosofia, a Psicologia e a Administração junto aos alunos de Marketing"

Transcrição

1 Construindo pontes de conhecimento entre a Filosofia, a Psicologia e a Administração junto aos alunos de Marketing Villardi, Beatriz 1 Santi, Angela 2 Narducci, Viviane 3 Tardin, Maria Cláudia 4 Endereço: Rua do Rosário 90 CEP TeleFax: (21) Modalidade: Comunicações b.4 - Multidisciplinaridade no ensino da Administração Resumo Trata-se da descrição de uma experiência interdisciplinar de ensino de graduação em Administração que trouxe implicações para docentes, discentes, para a estrutura curricular e a própria capacidade organizacional de aprender. Para docentes a experiência possibilitou que percebessem desenvolvendo em si os respectivos conceitos lecionados, integrando teoria e pratica assim como a capacidade de aprender em grupo. Para os discentes propiciou que pudessem exercitar sua iniciativa e criatividade, percebessem relações entre as disciplinas que os estimularam não apenas à reprodução teórica mas também a reconhecer a importância da reflexão e posicionamento critico sobre a profissão. Também trouxe implicações para a continuidade de disciplinas posteriores e a validação interna da estruturação curricular porque evidenciou a importância da integração disciplinar do conhecimento desenvolvido na graduação dos profissionais de administração de empresas para desenvolver-lhes ação reflexiva, integrada e sustentável. Finalmente, ficou também evidenciado que a organização está desenvolvendo sua capacidade de aprender através dos grupos de trabalho e de agir integrando discurso e ação. Palavras- chave interdisciplinaridade - integração teoria/prática - aprendizagem em grupo - universidade que aprende - reflexão critica. 1 Doutoranda e Mestre em Administração de Empresas pela PUC - RJ Doutora em Filosofia pela PUC - RJ e professora universitária na ESPM RJ. 3 Mestre em Administração de Empresas pela FGV - RJ, professora universitária na ESPM RJ, Estácio de Sá e consultora de empresas. 4 Mestre em Psicologia pela PUC - RJ, professora universitária na ESPM RJ e consultora de empresas.

2 Construindo pontes de conhecimento entre a Filosofia, a Psicologia e a Administração junto aos alunos de Marketing 1. Introdução Sabe-se que as expectativas do corpo discente ao iniciar um curso de graduação são muitas, soma-se a isto o fato desta graduação ser em Administração de Empresas, visto que culturalmente associa-se a este título a imagem de homens e mulheres de sucesso liderando grandes organizações. Entretanto, é comum perceber-se logo nos primeiros meses de aula um certo desencanto, ou melhor dizendo, uma certa frustração dos alunos ao notarem que não irão receber uma lista de regras ou técnicas de como agir e garantir sucesso em seus empreendimentos, e o pior (na visão deles) é quando percebem que terão que se dedicar aos estudos da filosofia, da psicologia e das teorias administrativas, entre outras. Neste momento o questionamento é geral: Para que tudo isto? Por que preciso estudar filosofia? Qual o link existente entre administração, filosofia e psicologia? Como os conceitos trabalhados em diferentes áreas contribuem para o entendimento e atuação profissional nas empresas?. Foi ao discutir estes pontos que irremediavelmente trazem dificuldades em sala de aula, que professoras de filosofia, psicologia e administração resolveram envolver os alunos num trabalho interdisciplinar objetivando promover esta visão integrada do conhecimento desenvolvido nas três disciplinas e para estimular uma futura pratica profissional reflexiva, consciente e critica. A idéia de fazer um trabalho conjunto entre as disciplinas de Administração, Filosofia e Psicologia surgiu de uma reunião inter-departamental das áreas de Administração e Humanas, onde percebemos, através da apresentação e discussão dos conteúdos programáticos, que havia pontos de afinidade entre as disciplinas que poderiam ser explicitados com maior facilidade pelo debate conjunto dos alunos. Consideramos que investir em interdisciplinaridade faz parte de uma postura pedagógica fundamental para que o aluno esteja efetivamente instrumentalizado profissionalmente, com pratica reflexiva e trabalhando em equipe e por projetos (Perrenoud, 2000). Além daquilo que é específico da sua formação técnica como administrador, entendemos que todo profissional deve ser capaz de fazer uma avaliação global e integrada dos fatos. Decidimos, então, fazer um trabalho conjunto no final do semestre, associando temas que já havíamos trabalhado nas aulas. Em discussões informais chegamos à definição de que seria trabalhado em Teoria Geral da Administração, modelos administrativos, em Psicologia, elementos motivacionais e inter-relacionais e em filosofia, questões de ética. O caráter multidisciplinar de todo curso de graduação decorre da compreensão de que o pensamento complexo, em rede, constitui o paradigma contemporâneo para abordagem de questões teóricas e práticas. Consideramos fundamental, portanto,

3 fazermos o exercício efetivo daquilo que está entre cada área de competência. Os elos, os vínculos, é que são o conteúdo dessa perspectiva e exigem um exercício sutil e continuado no cotidiano escolar, de modo a formar profissionais que tenham incorporado organicamente tal postura. 2. Situação - Problema A idéia de um trabalho interdisciplinar originou-se especificamente da necessidade de explicitar as inter-relações entre o conteúdo e a prática de disciplinas do curso de graduação para atender a pedidos da Coordenação do curso e dos próprios alunos que manifestaram - em suas avaliações sobre as disciplinas e os professores - a não compreensão dessas relações entre as matérias. A realização deste trabalho interdisciplinar de pesquisa exigido dos alunos teve como objetivo dar consistência à formação dos discentes estimulando habilidades que a universidade prioriza em sua formação de graduação: iniciativa, criatividade, empreendedorismo, inovação, sensibilidade, ação sustentável com reflexão critica. 3. Objetivo O objetivo deste artigo é descrever a apontar as implicações interdisciplinares de uma prática de docência numa universidade particular de ensino em administração do Rio de Janeiro realizada por quatro professoras com duas turmas de primeiro período do curso de graduação em Administração como forma de propiciar o desenvolvimento da capacidade de percepção de inter-relações e de síntese do conhecimento desenvolvido junto aos discentes e, da capacidade de integrar teoria e pratica junto aos docentes. Neste artigo apresentaremos duas questões centrais Como a inclusão de trabalho interdisciplinar influencia (facilita/dificulta) a capacidade de integrar o conhecimento dos conceitos numa rede de conhecimento desenvolvido em grupo? Como se desenvolve, nos discentes e docentes, uma síntese dos conceitos trabalhados nas respectivas disciplinas e a aprendizagem em equipe? 4. A elaboração do trabalho interdisciplinar Objetivos do trabalho interdisciplinar realizado: Propiciar aos alunos do primeiro período e seus docentes a elaboração de uma síntese que integre os conhecimentos desenvolvidos na filosofia-psicologiaadministração para o entendimento das organizações empresariais. Utilizar o seminário interdisciplinar como ferramenta para desenvolver conexões/redes de conhecimento e capacidade critica em relação aos conceitos trabalhados pelos docentes e discentes. Porém, não sabíamos exatamente como reunir esses temas, a partir de qual eixo. Tivemos a idéia de trabalhar a partir de casos, situações empresariais nas quais os alunos poderiam perceber qual o perfil da empresa, quais os aspectos psicológicos

4 que estariam sendo estimulados em cada perfil descrito e os princípios éticos que as caracterizavam. Os casos escolhidos eram reais ou fictícios. Ressaltamos, que esta experiência com duas turmas de 30 alunos cada uma também era nova para o corpo docente, ou seja, a proposta de escolher conceitos comuns e fazer com que os alunos olhassem através das lentes distintas de cada área, era uma experiência que até então nenhuma das professoras envolvidas havíamos realizado. Mas todas percebíamos ser necessário um esforço conjunto e não apenas o individual, para explicitar essas interconexões. Como o tempo hábil até o final do semestre era curto, nos encontros procuramos de imediato dar forma ao trabalho que seria proposto aos alunos. Foi neste processo de análise dos programas das disciplinas que percebemos e definimos alguns conceitos conexos como elos integrantes de uma rede de conhecimento mais ampla. Para evidencia-los junto aos discentes, escolhemos alguns cases a partir do material sugerido por uma das professoras e elencamos as questões para as três áreas de conhecimento que deveriam ser respondidas pelos alunos em uma única apresentação. Não havia regras para esta apresentação, isto é, os alunos poderiam optar pela forma que melhor lhes conviesse, desde que as questões fossem respondidas de forma clara e concisa. Ao final do processo percebemos a importância do estimulo ao trabalho interdisciplinar, não apenas para os alunos -que puderam perceber inter-relações e participar para desenvolver seu conhecimento-, mas também, para o corpo docente, visto ter sido possível colocar em prática vários dos conceitos por elas apregoados a respeito do trabalho em equipe (comunicação/ diálogo, motivação intra e interpessoal, ética e responsabilidade social). Os organizamos de modo pouco estruturado num trabalho de conclusão de período denominado Seminário interdisciplinar que superou pelas apresentações e descobertas propiciadas, as expectativas das docentes e dos discentes, assim como gerou subsídios para a validação interna da estrutura curricular e o aproveitamento dos links por eles percebidos para o inicio das posteriores disciplinas e o desenvolvimento da aprendizagem organizacional em grupo da própria instituição. Uma professora sugeriu a leitura do capítulo 11 do livro de Stephen Robbins (2000). Neste capítulo, o autor aborda o que é cultura organizacional, a necessidade deste estudo, as dificuldades de algumas fusões empresariais pela divergência radical das culturas organizacionais envolvidas, características das mudanças nas estruturas organizacionais das empresas. Utilizamos apenas 6 relatos de casos que Robbins cita em seu texto: O casamento entre IBM e Lótus, a comparação entre duas culturas empresariais totalmente distintas uma da outra (organização A e a organização B), o caso da Patagônia, da Microsoft, da Kodak e o da Mary Kay Cosmetics. Uma característica curiosa deste grupo de docentes foi a abertura e aceitação das propostas dadas entre si umas às outras. Em nenhum momento houve imposição de idéias, disputa de poder nem individualismo na elaboração nem durante os questionamentos e debates suscitados entre as docentes na realização das apresentações do trabalho pelos alunos.

5 Após a escolha dos casos para pesquisa dos discentes, passamos ao processo de elaboração das perguntas a ser respondidas pelos alunos. Cada professora sugeriu questões sobre o tema da outra, pois na hora deu uma saturação geral nas docentes para a criação de suas respectivas questões. Era a primeira vez que fazíamos um trabalho como este para os alunos de Marketing, na instituição já realizaram -se trabalhos inter-disciplinares mas apenas na área da Publicidade, portanto as expectativas da Coordenação e das docentes eram muitas. Em relação aos casos escolhidos para a apresentação pelos alunos de Administração, é importante assinalar que alguns dos casos eram bastante sucintos, deixando margem para que os alunos elaborassem suas próprias inferências e construíssem um raciocínio consistente com o entendimento por eles desenvolvido. Foram passadas as seguintes questões: - Para Filosofia, ficou estabelecido que os alunos deveriam localizar determinados elementos éticos nas empresas em função de perfil e modelo empresarial seguido por cada uma. O conteúdo trabalhado em sala relacionava-se aos chamados constituintes éticos, isto é, elementos que devem estar presentes nas ações humanas para que a ética realmente se efetive: liberdade, vontade, consciência e responsabilidade. Tais elementos resultam na autonomia capacidade de autoregulamentação - que é o pilar de sustentação da reflexão sobre ética. A viabilidade da atuação ética está diretamente ligada ao grau de autonomia que um indivíduo/instituição possui. Em segundo lugar, trabalhamos três tendências éticas: de princípio, de finalidade e de conseqüência. A primeira centra-se nos princípios morais a priori, a segunda define seus procedimentos em função dos fins a serem atingidos e a terceira concentra-se nos efeitos, visando atingir o maior bem para o maior número de pessoas. A partir disso, foi pedido a cada grupo que respondessem a duas perguntas: após a definição do modelo organizacional -matéria da Introdução a Administração-, do caso escolhido, qual tendência ética a empresa seguiu? e quais os princípios éticos que a empresa estaria estimulando?, buscando traçar de forma coerente um perfil do enfoque organizacional da empresa e a repercussão em termos éticos, terminando por reconhecer o caráter integrado desses elementos. - Para Psicologia, deveriam caracterizar os processos motivacionais e apontar as relações intra e interpessoais estimuladas nas situações estudadas. - Para Introdução a Administração identificariam e caracterizariam as estruturas organizacionais prevalecentes. Comunicadas a questões do seminário aos alunos, em apenas duas semanas estavam apresentando suas minuciosas pesquisas realizadas através de livros e revistas da biblioteca, na internet e inclusive com entrevistas a profissionais das empresas mencionadas nos casos. Observamos que a não proposital apresentação de pouca informação aos discentes sobre as empresas para estudo incitou-lhes a iniciativa levando-os a belas e interessantes pesquisas. Belas pois eram ricas em informações e os alunos estavam bastante motivados em apresentar o que haviam descoberto. Interessantes pela

6 curiosidade despertada, criatividade para procurar informações inclusive com entrevistas por ou pessoalmente. E um fato inesperado em alunos do primeiro período, que lembrou as professoras que a estruturação excessiva pode cercear iniciativas e reforçar a passividade dos discentes. Outro fato importante de se destacar foi a troca espontânea de informações entre os alunos ao longo da pesquisa pois quando encontravam temas referentes às outras apresentações os colegas os repassavam ajudando-os assim para melhores apresentações. O espírito de cooperação sobrepujou o de competição entre grupos neste processo. 5. Apresentação dos trabalhos: No dia das apresentações a docente de Introdução à Administração não pode comparecer e solicitou que a professora de Teoria das Organizações estivesse em seu lugar, participando e colaborando nas discussões e avaliações. Foi uma troca bastante rica pois ela pode perceber o grau de conhecimento dos alunos e estimulálos nas discussões, uma vez que irão estudar esta disciplina um ano mais tarde. As professoras ficaram surpresas com o resultado do estudo dos alunos e com a motivação deles em apresentar o que haviam pesquisado assim como com suas convicções sobre os temas. 5.1 Sínteses desenvolvidas sobre conceitos trabalhados nos casos apresentados Os conceitos de ética -constituintes-, motivação -interna e externa- e estruturas organizacionais -orgânicas e mecanicistas-, foram explicitados e ficou evidente para a turma: No caso KodaK: Quem parecia ser o agente de consciência apontando que a organização não estava preparada para mudanças, tomou decisões que passavam por escolhas tais como manter os funcionários e desenvolver novos valores neles ou demitir os antigos substuindo-os por sangue novo e reduzir os custos de mudança representados pelas resistências a mudança apresentadas pelos antigos funcionários. Quem parecia ser o agente de esclarecimento com autonomia e comportamento ético, optou por um comportamento marcado pela ética da finalidade não pela ética da conseqüência. No caso Patagônia, empresários podem fazer escolhas que incluam o bem comum, incluindo a humanidade, a ecologia e também ser bem sucedidos junto ao mercado que eles mesmos também influenciam mas isto exige medidas como redução de lucros econômicos e do crescimento organizacional em prol de interesses mais abrangentes como o ecossistema. No caso Mary Kay, o ritual de reconhecimento dos resultados individuais anuais que parecia um tratamento humano e democrático também enfatizava o individualismo e competitividade pelo reforço da criação de identidade apenas através do reconhecimento alheio, da relação interpessoal e a relação intrapessoal não é desenvolvida. Com este ritual não se dava espaço ao desenvolvimento da colaboração, comunicação horizontal, nem para o trabalho em equipe que caracteriza uma estrutura organizacional orgânica. O grupo que apresentou pensou primeiro que Mary Kay tinha uma estrutura orgânica e depois de ouvir o grupo que apresentou a Patagônia percebeu que era mecanicista baseando a motivação dos funcionários no condicionamento.

7 5.2 Interrelações percebidas nas áreas de conhecimento Especificamente, em relação aos conceitos de Psicologia, a professora pode observar que os alunos souberam integrar os conhecimentos adquiridos sobre Teorias da Psicologia e de como desenvolver a inteligência emocional em si mesmo e no grupo. Também conseguiram perceber os efeitos de algumas táticas de gestão sobre a diminuição ou ao incentivo da criatividade dos funcionários, de sua motivação e engajamento no trabalho e do estímulo ou esfacelamento do trabalho em equipes na medida em que seja propiciada a relação intrapessoal assim como a interpessoal. 6. Descrição e análise dos Resultados Imediatos 6.1 Sobre os alunos O que pode inicialmente ser constatado durante a apresentação dos trabalhos e pelo depoimento de alguns dos alunos, após a apresentação, foi que tinha-se dado um grande estímulo à pesquisa, à iniciativa própria para se apresentarem a outros profissionais e à preparação para ser argüidos, além da reflexão crítica conjunta - durante a apresentações- sobre as artimanhas empresariais ocultas por trás dos discursos e algumas práticas que parecem ser democráticas e que camuflam as relações de poder entre capital e trabalho. Reflexão esta que pôde ser estimulada e que despertou curiosidade nos alunos que não estavam acostumados a desenvolverem o pensamento crítico sobre o sistema no qual estão inseridos. Outras questões importantes percebidas pelas docentes foram: a desenvoltura de uma boa parte dos alunos que usualmente apresentam uma postura tímida em sala e nas apresentações em grupo; o capricho na realização dos materiais e na apresentação dos trabalhos conjuntos. Fato este que nem sempre é observado em sala durante a apresentação de trabalhos para apenas uma professora. Em geral, eles tinham apresentado comportamentos mais imaturos. Alguns alunos brilharam mostrando posturas de profissionais de mercado, sem fazer manha para se apresentar, barganhar nota ou fazer chantagem a respeito da avaliação do professor atitudes bastante comuns em sala de aula atualmente. Nesse momento a busca por aprendizagem apareceu tão importante quanto a nota em si Com relação aos alunos vimos a apresentação de material teórico e audiovisual, pesquisa detalhada e, principalmente, boa capacidade na integração dos conteúdos ao serem estes expostos simultaneamente. 6.2 Sobre as docentes A preocupação comum aos docentes é desenvolver, nesse discente, capacidade de ação integrada teoria-prática, de apropriar-se do conhecimento especifico desenvolvido, relacioná-lo aos outros e capacidade de reflexão critica sobre sua ação profissional. Ao fim das apresentações os docentes perceberam que - estavam perante a primeira geração interdisciplinar, exposta a um debate entre os

8 seus professores de cada matéria e a apreciar o diferente aprendizado dos colegas de turma de modo participativo e reflexivo. Puderam construir nessa apresentação o sentido de cada conceito estudado integrando três perspectivas que a pesar de parecer contraditórias superficialmente, eram também complementares após uma primeira reflexão. Ficou para reflexão de todas por exemplo, no caso Mary Kay: Esse ritual de reconhecimento era democrático também para os que não participaram?. As docentes presentes ganharam um senso de que o trabalho em equipe redundaria na melhoria do aproveitamento dessas turmas para, no próximo período estudar e aprender Teoria das Organizações. - que a experiência de ouvir seus professores debatendo juntos e perceber as diferentes opiniões sobre temas comuns estimula nos discentes o entendimento do conjunto de conhecimentos que estão estudando e da importância de cada um deles, - que as aparentes contradições complementam-se explicando os conceitos de modo mais abrangente. Outro resultado deste trabalho foi, além deste artigo, a organização de dois Seminários (um no turno diurno e outro no turno da noite) a todos os alunos das graduações desta universidade onde serão apresentados os três casos mais polêmicos: da Mary Kay Cosmetics (que mascara através da modelagem comportamental a estrutura de gestão mecanicista), da Patagônia (que impressiona através de sua política de gestão que impõe limites ao crescimento e lucro econômico) e da Kodak (que apresenta uma tática funcionalista bastante divulgada de mudança de cultura organizacional e possibilita a reflexão sobre seus princípios éticos) para estimular os calouros e docentes de outras disciplinas a continuar com a construção de pontes entre as diferentes áreas de conhecimento que desenvolvem o conhecimento do profissional de administração. Esta atividade interdisciplinar proporcionou aos professores a troca e, principalmente, o aprimoramento dos conhecimentos em função da necessidade de pensá-los segundo uma lógica que posiciona cada tema específico numa rede de relações. Paralelamente à apresentação dos alunos, houve entre os professores um debate permanente onde sentimos a necessidade de explicitar e refinar conceitos, idéias, efetivando dinamicamente a integração pedagógica. Entender a perspectiva de uma outra área é um exercício fundamental para que nossas atividades e conhecimentos ganhem vitalidade. Sem imposição, estabeleceu-se o espírito de grupo de estudo, onde acontece o compartilhamento de conhecimentos, construção de referenciais comuns, consenso na definição de termos e das diferentes perspectivas que cada disciplina propicia. 6.3 Sobre a instituição Do ponto de vista organizacional, a ampliação da percepção dos discentes sobre o conhecimento que vem sendo desenvolvido junto aos futuros profissionais foi facilitada, talvez, porque a instituição estimule seu corpo docente a inovar em sua didática de ensino, dá suporte ao trabalho apoiando ideologicamente e com os recursos materiais que se fizerem necessários. Fato este que contribui bastante ao surgimento de propostas experimentais diversificadas e inovadoras entre os docentes.

9 Um outro fato que merece ser destacado como facilitador da realização deste trabalho foi a característica do imaginário organizacional desta instituição de ensino de agregar professores que têm o hábito de refletir entre si sobre suas práticas, com os coordenadores e inclusive com a direção em suas salas e em diversos encontros que são espontaneamente criados como lazer tais como: festas, reuniões e almoços onde sempre aparecem os temas referentes às problemáticas vivenciadas em seus trabalhos. O ambiente de dialogo que inclui espaço para discussão e debate é estimulado e exercitado na pratica da Direção e Coordenação assim como pela informalidade e porte da instituição. Esta característica organizacional pode ter estimulado este exercício, não proposital, de compartilhamento de informações e de experiências, ou seja, da prática da aprendizagem em grupo disciplina proposta por Peter Senge (1990) para desenvolver as organizações de aprendizagem. A instituição também oferece duas à três vezes ao ano, um programa pioneiro de desenvolvimento de professores chamado Academia de Professores onde recebemos palestras sobre didática de ensino, avaliações de aprendizagem, teatro e outras técnicas para dinamizar o professor e suas aulas e onde também expomos nossas experiências em sala de aula e testamos possíveis alternativas. Discutimos a filosofia e ética da própria organização de ensino além de trocarmos bastante dúvidas e sugestões na resolução de problemas de aprendizagem. O que se observa, em relação ao trabalho em outras instituições, uma vez que os mesmos docentes trabalham em outras faculdades, é que o espírito de equipe, solidariedade, experiência conjunta de professores de matérias diferentes na mesma sala de aula, troca de informações e inclusive dicas sobre os problemas vividos internamente acontecem freqüente e espontaneamente no cotidiano da universidade criando um clima motivador, aconchegante e de singular aproximação entre os docentes que alavanca outros trabalhos além dos curriculares dentro desta filosofia empreendedora. Na instituição desenvolve-se um tipo de cultura organizacional que propicia a aproximação dos docentes e a aproximação das disciplinas. Gerou-se um grupo de estudo interdisciplinar informal onde questionamos permanentemente sobre o perfil do discente que estamos desenvolvendo e buscamos uma identidade distintiva e sustentável. Nesta cultura organizacional em constante desenvolvimento, a aprendizagem em grupo e a visão compartilhada estão sendo desenvolvidas mesmo que não propositalmente. 7. Bibliografia CHANLAT, Jean-François. Ciências Sociais e Management. Reconciliando o econômico e o social. São Paulo: Atlas, CHAUÍ, Marilena Convite à Filosofia.Rio de Janeiro: Atlas, McINTYRE, Janet. Consideration of categories and tools for holistic thinking. in Systemic Practice and Action Research, v.11, n.2, pp , 1998 PERRENOUD, Philippe. Dez novas competências para ensinar. Convite à viagem. Porto Alegre: Artes medicas Sul, ROBBINS, Stephen. Criando e mantendo a cultura da organização. Rio de Janeiro: Saraiva, 2000.

10 SENGE, Peter et alli The Dance of change. The challenges to sustaining momentum in Learning organizations. Doubleday, New York, SENGE, Peter A quinta Disciplina. São Paulo: Best Seller, 1990.

XIII ENCONTRO ANUAL DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL TEMA: INOVAÇÕES E INVESTIMENTOS NO ENSINO DE ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL

XIII ENCONTRO ANUAL DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL TEMA: INOVAÇÕES E INVESTIMENTOS NO ENSINO DE ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL XIII ENCONTRO ANUAL DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL TEMA: INOVAÇÕES E INVESTIMENTOS NO ENSINO DE ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL COMUNICAÇÃO SUBTEMA: QUESTÕES DIDÁTICO-PEDAGÓGICAS A MATEMÁTICA

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

REGULAMENTO PROJETO EMPRESARIAL CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO

REGULAMENTO PROJETO EMPRESARIAL CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO Apêndice Regulamento do Projeto Empresarial REGULAMENTO PROJETO EMPRESARIAL CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO 1. APRESENTAÇÃO O Projeto Empresarial constitui um momento de aquisição, construção e aprimoramento

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

1 REFLEXÃO. 1 PERRENOUD, Philippe. Novas Competências para Ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000, p.81.

1 REFLEXÃO. 1 PERRENOUD, Philippe. Novas Competências para Ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000, p.81. UNIDADE DE GESTÃO TECNOLÓGICA (GETEC) PIC PLANEJAMENTO INTERDISCIPLINAR POR CURSO Curso: TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA Período: 2º e 4º Ano: 2011/2 Coordenador (a): Jackson Eduardo Gonçalves Professores a cooperação

Leia mais

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL.

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. TayaraCrystina P. Benigno, UERN; tayara_bbg@hotmail.com Emerson Carlos da Silva, UERN; emersoncarlos90@hotmail.com

Leia mais

ANALISE DA METODOLOGIA DESENVOLVIDA NADISCIPLINA INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CIVIL DA UNEB

ANALISE DA METODOLOGIA DESENVOLVIDA NADISCIPLINA INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CIVIL DA UNEB ANALISE DA METODOLOGIA DESENVOLVIDA NADISCIPLINA INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CIVIL DA UNEB Resumo Telma Dias Silva dos Anjos 1 - UNEB Tânia Regina Dias Silva Pereira 2 - UNEB Inaiá Brandão Pereira

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS MISSÃO DO CURSO O Curso de Licenciatura em Artes Visuais busca formar profissionais habilitados para a produção, a pesquisa

Leia mais

O PEDAGOGO NAS ORGANIZAÇÕES

O PEDAGOGO NAS ORGANIZAÇÕES O PEDAGOGO NAS ORGANIZAÇÕES KOWALCZUK, Lidiane Mendes Ferreira - PUCPR lidianemendesf@gmail.com VIEIRA, Alboni Marisa Dudeque Pianovski - PUCPR alboni@alboni.com Eixo Temático: Formação de Professores

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS.

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. DIPLOMA CONFERIDO: TECNÓLOGO DE

Leia mais

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES:

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: A Teoria das Organizações em seu contexto histórico. Conceitos fundamentais. Abordagens contemporâneas da teoria e temas emergentes. Balanço crítico. Fornecer aos mestrandos

Leia mais

Formação Pedagógica em Educação Profissional: A Prática Pedagógica na Tutoria em Enfermagem

Formação Pedagógica em Educação Profissional: A Prática Pedagógica na Tutoria em Enfermagem Formação Pedagógica em Educação Profissional: A Prática Pedagógica na Tutoria em Enfermagem Resumo Maria Marly de Oliveira Coelho 1 Francinete Massulo Corrêa 2 O texto em pauta tem como foco reflexões,

Leia mais

Faculdade Sumaré Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos

Faculdade Sumaré Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos Faculdade Sumaré Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos 4º. Semestre PROJETO PROFISSIONAL INTERDISCIPLINAR IV Tema: Gestão de Remuneração Objetiva desenvolver o tema proposto abrangendo:

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ADMINISTRAÇÃO - BACHARELADO MISSÃO DO CURSO Formar profissionais de elevado nível de consciência crítica, competência técnica empreendedora, engajamento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO CIÊNCIAS BIOLÓGICAS LICENCIATURA PLENA ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS O Curso de Ciências Biológicas, através

Leia mais

UMA PROPOSTA PARA INTEGRAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NAS LICENCIATURAS EM MATEMÁTICA

UMA PROPOSTA PARA INTEGRAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NAS LICENCIATURAS EM MATEMÁTICA 1 UMA PROPOSTA PARA INTEGRAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NAS LICENCIATURAS EM MATEMÁTICA Resumo. Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa realizada nas Instituições de Ensino

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Vendas PROEJA FORMA/GRAU:( x )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Regulamento de Projeto Integrador dos Cursos Superiores de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Segurança da Informação e Sistemas para Internet

Leia mais

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior.

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Josimar de Aparecido Vieira Nas últimas décadas, a educação superior brasileira teve um expressivo

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS MISSÃO DO CURSO Formar profissionais de elevado nível de consciência crítica, competência técnica empreendedora, engajamento ético

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Liderança e Gestão de Pessoas

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Liderança e Gestão de Pessoas DESCRITIVO DE CURSO MBA em Liderança e Gestão de Pessoas 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negocios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Administração FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes Sólidos conteúdos com alegria - essas são algumas características das palestras de Marcelo de Elias. Outra característica marcante: Cada palestra é um projeto

Leia mais

A POSSIBILIDADE DE ATUAÇÃO DO PEDAGOGO NA CONTEMPORANEIDADE

A POSSIBILIDADE DE ATUAÇÃO DO PEDAGOGO NA CONTEMPORANEIDADE A POSSIBILIDADE DE ATUAÇÃO DO PEDAGOGO NA CONTEMPORANEIDADE Ana Paula Moura da Silva (UNEAL / SENAI-AL) Israel Silva de Macêdo (SENAI-AL, UNIAFRA, FRM) Resumo Esta pesquisa apresenta uma reflexão sobre

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS PORTARIA DE CREDENCIAMENTO DA FACULDADE Portaria Nº 3.544 de 13 de dezembro de 2002, publicada no DOU em 16 de dezembro de 2002. Diretor da Faculdade: José Carlos

Leia mais

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1 PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Sistema de Informações Professores: Izolema Maria Atolini izolema@hotmail.com Período/ Fase: 5ª. Semestre:

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

Elaboração de Projetos

Elaboração de Projetos Elaboração de Projetos 2 1. ProjetoS Projeto: uma nova cultura de aprendizagem ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de. Projeto: uma nova cultura de aprendizagem. [S.l.: s.n.], jul. 1999. A prática pedagógica

Leia mais

Desenvolvimento de Competências Múltiplas e a Formação Geral na Base da Educação Superior Universitária

Desenvolvimento de Competências Múltiplas e a Formação Geral na Base da Educação Superior Universitária Desenvolvimento de Competências Múltiplas e a Formação Geral na Base da Educação Superior Universitária Paulo Gabriel Soledade Nacif, Murilo Silva de Camargo Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Leia mais

Palavras chave: PIBID, Teoria e Prática, Formação inicial.

Palavras chave: PIBID, Teoria e Prática, Formação inicial. A TECITURA DA PROFISSÃO PROFESSOR: REFLEXÕES A PARTIR DAS EXPERIÊNCIAS NO PIBID Gloria Ramona Gomes Aguero 1 ; Laudelina Sanabria Trindade 2 ; Almerinda Mª dos Reis Vieira Rodrigues 3. 1 Bolsista Pibid

Leia mais

PRÉ-REQUISITOS (ESPECIFICAR CONTEÚDOS E, SE POSSÍVEL, DISCIPLINAS)

PRÉ-REQUISITOS (ESPECIFICAR CONTEÚDOS E, SE POSSÍVEL, DISCIPLINAS) 7.5. Disciplina Clínica Médica 4: Atenção Primária (Atual Medicina Geral de Adultos II (CLM006)) CÓDIGO DA DISCIPLINA ATUAL: CLM006 NOME ATUAL: Medicina Geral de Adultos II NOVO NOME: Clínica Médica 4:

Leia mais

MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA

MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA Jaqueline Oliveira Silva Ribeiro SESI-SP josr2@bol.com.br Dimas Cássio Simão SESI-SP

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PEDAGOGIA Disciplina: Comunicação e Expressão Ementa: A leitura como vínculo leitor/texto através do conhecimento veiculado pelo texto escrito. Interpretação:

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Administração Disciplina: Filosofia Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º 1 - Ementa (sumário, resumo) Introdução à Filosofia, o estudo da filosofia;

Leia mais

REGULAMENTO DE MONITORIA FAESA

REGULAMENTO DE MONITORIA FAESA REGULAMENTO DE MONITORIA FAESA Página 1 de 11 1. CONCEITO / FINALIDADE : A monitoria consiste na atividade de apoio aos alunos das disciplinas de oferta regular do currículo as quais os coordenadores de

Leia mais

Projeto Pedagógico do Curso

Projeto Pedagógico do Curso Projeto Pedagógico do Curso Fundamentação Diretrizes curriculares do MEC Diretrizes curriculares da SBC Carta de Princípios da UNICAP Projeto Pedagógico Institucional da UNICAP Diretrizes Curriculares

Leia mais

As Organizações e o Processo de Inclusão

As Organizações e o Processo de Inclusão As Organizações e o Processo de Inclusão Introdução Não há nada permanente, exceto a mudança. Heráclito, filósofo grego (544-483 a.c.). Mudança é o processo no qual o futuro invade nossas vidas. Alvin

Leia mais

EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios CURSO/MODALIDADE: Curso Técnico em Vendas Integrado PROEJA Turma 1 DISCIPLINA: Educação Física

EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios CURSO/MODALIDADE: Curso Técnico em Vendas Integrado PROEJA Turma 1 DISCIPLINA: Educação Física MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SANTA ROSA Rua Uruguai, 1675Bairro Central CEP: 98900.000

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC BLUMENAU

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC BLUMENAU FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC BLUMENAU PORTARIA DE CREDENCIAMENTO DA FACULDADE Portaria Nº 1.325 de 18 de maio de 2004, publicada no DOU em 20 de maio de 2004. Diretor da Faculdade: Elita Grosch Maba Diretor

Leia mais

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Boas propostas são essenciais para que uma gestão tenha êxito, mas para que isso ocorra é fundamental que os dirigentes organizacionais

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA PROGRAMA DA DISCIPLINA CÓDIGO DISCIPLINA NATUREZA ANO ADM025 COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL Obrigatória 2012.1 CARGA HORÁRIA PRÉ-REQUISITO 72 horas PROFESSOR RESPONSÁVEL Roberto Paz/ Ludmilla F. Fiscina

Leia mais

UMA ANÁLISE DO FORMATO DO ESTÁGIO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN. Natal/RN, 05/2009.

UMA ANÁLISE DO FORMATO DO ESTÁGIO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN. Natal/RN, 05/2009. 1 UMA ANÁLISE DO FORMATO DO ESTÁGIO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN Natal/RN, 05/2009. Auta Stella de Medeiros Germano - SEDIS-UFRN - autastella@yahoo.com.br Categoria (Gerenciamento e Logística)

Leia mais

A MATEMÁTICA FINANCEIRA COMO AUXÍLIO À REFLEXÃO SOBRE A COMPRA DE BENS DE CONSUMO

A MATEMÁTICA FINANCEIRA COMO AUXÍLIO À REFLEXÃO SOBRE A COMPRA DE BENS DE CONSUMO A MATEMÁTICA FINANCEIRA COMO AUXÍLIO À REFLEXÃO SOBRE A COMPRA DE BENS DE CONSUMO GT 02 Educação Matemática no Ensino Médio e Ensino Superior Janete Jacinta Carrer Soppelsa UCS - jsopelsa@gmail.com Raquel

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Introdução A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional afirma que cabe aos estabelecimentos de ensino definir

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS - FAN CEUNSP SALTO /SP CURSO DE TECNOLOGIA EM MARKETING TRABALHO INTERDISCIPLINAR

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS - FAN CEUNSP SALTO /SP CURSO DE TECNOLOGIA EM MARKETING TRABALHO INTERDISCIPLINAR APRESENTAÇÃO DO TI O Trabalho Interdisciplinar é um projeto desenvolvido ao longo dos dois primeiros bimestres do curso. Os alunos tem a oportunidade de visualizar a unidade da estrutura curricular do

Leia mais

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS Cesar Aparecido Silva 1 Patrícia Santos Fonseca 1 Samira Gama Silva 2 RESUMO O presente artigo trata da importância do capital

Leia mais

Credenciada pela Portaria Ministerial nº 1734 de 06/08/2001, D.O.U. de 07/08/2001

Credenciada pela Portaria Ministerial nº 1734 de 06/08/2001, D.O.U. de 07/08/2001 ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA: EDUCAÇÃO FÍSICA (Portaria de Reconhecimento nº 428 de 28 de julho de 2014) E PEDAGOGIA (Portaria de Reconhecimento nº 286 de 21 de dezembro de 2012) ORIENTAÇÕES

Leia mais

INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO.

INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO. INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO. Grupo PET Administração Universidade Federal de Lavras UFLA Resumo Os jovens formam o conjunto

Leia mais

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE DOCENTES NO ENSINO SUPERIOR

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE DOCENTES NO ENSINO SUPERIOR FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE DOCENTES NO ENSINO SUPERIOR As transformações sociais no final do século passado e início desse século, ocorridas de forma vertiginosa no que diz respeito aos avanços tecnológicos

Leia mais

Andragogia, uma estratégia em T&D.

Andragogia, uma estratégia em T&D. Andragogia, uma estratégia em T&D. Por PAULA FRANCO Ensinar exige o reconhecimento de ser condicionado Gosto de gente porque, inacabado, sei que sou um ser condicionado, mas, consciente do inacabamento,

Leia mais

REGULAMENTO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL

REGULAMENTO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL REGULAMENTO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC - 2010 SUMÁRIO CAPÍTULO I... 1 DOS OBJETIVOS GERAIS... 1 CAPÍTULO II... 1 DOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 1 CAPÍTULO III...

Leia mais

Palavras-chave: Didática; Estágio; Formação; Teoria; Prática.

Palavras-chave: Didática; Estágio; Formação; Teoria; Prática. ESTÁGIO E DIDÁTICA: DESAFIOS E PERSPECTIVAS Maria do Socorro Sousa e Silva Universidade Estadual Vale do Acaraú UVA Resumo O presente artigo objetiva registrar e refletir sobre a disciplina de Estágio

Leia mais

CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA

CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA Jacqueline Oliveira de Melo Gomes Faculdade de Formação de Professores da Mata Sul / FAMASUL-PE jacomgomes@yahoo.com.br

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ENGENHARIA ELÉTRICA MISSÃO DO CURSO O Curso de Engenharia Elétrica tem por missão a graduação de Engenheiros Eletricistas com sólida formação técnica que

Leia mais

DESAFIOS PARA FORMAÇÃO DE UM DOCENTE DE DESENHO INDUSTRIAL Sandra Lúcia de Oliveira Martins

DESAFIOS PARA FORMAÇÃO DE UM DOCENTE DE DESENHO INDUSTRIAL Sandra Lúcia de Oliveira Martins DESAFIOS PARA FORMAÇÃO DE UM DOCENTE DE DESENHO INDUSTRIAL Sandra Lúcia de Oliveira Martins INTRODUÇÃO A permanente a preocupação com a formação docente e a falta de prática em sala de aula, que não conduz

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico Ingressantes em 2007 Dados: Sigla: Licenciatura em Educação Física Área: Biológicas

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Administração 5ª Série Administração de Recursos Humanos I A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Bacharelado em Sistemas de Informação FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( X ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/01

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/01 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO Curso de Engenharia da Computação RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/01 CATEGORIAS & DIMENSÕES AVALIADAS: Discentes: Desempenho docente e Projeto Pedagógico

Leia mais

MEDICINA PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE MEDICINA (SÍNTESE)

MEDICINA PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE MEDICINA (SÍNTESE) PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE (SÍNTESE) Ao longo de mais de cinco décadas, a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas) estruturou um ambiente acadêmico intelectualmente rico

Leia mais

1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar

1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar 1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar Prof. Dr. Stavros Panagiotis Xanthopoylos stavros@fgv.br Brasília, 27 de novembro de 2009

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/01

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/01 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO Curso de Bacharelado em Enfermagem RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/01 CATEGORIAS & DIMENSÕES AVALIADAS: Discentes: Desempenho Docente e Projeto Pedagógico

Leia mais

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE Sérgio Dal-Ri Moreira Pontifícia Universidade Católica do Paraná Palavras-chave: Educação Física, Educação, Escola,

Leia mais

CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE. Elaine Fernanda Dornelas de Souza

CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE. Elaine Fernanda Dornelas de Souza Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 721 CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE Elaine Fernanda Dornelas de Souza Serviço Nacional de

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Início em 28 de setembro de 2015 Aulas as segundas e quartas, das 19h às 22h Valor do curso: R$ 21.600,00 À vista com desconto: R$ 20.520,00 Consultar planos de parcelamento.

Leia mais

NÚCLEO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES - NAC

NÚCLEO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES - NAC NÚCLEO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES - NAC APRESENTAÇÃO Tendo como objetivo propiciar ao aluno um conjunto de oportunidades que se refletirão, de forma direta e decisiva, no desenvolvimento das competências

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO E SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO FUNDAMENTAL, PROPORCIONANDO A LEITURA E ESCRITA.

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO E SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO FUNDAMENTAL, PROPORCIONANDO A LEITURA E ESCRITA. 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO E SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO FUNDAMENTAL, PROPORCIONANDO A LEITURA E ESCRITA. Grupo de trabalho GT (01) Alfabetização e Letramento Escolar Rita de Cássia da Conceição Maria

Leia mais

Projeto de Extensão. Título: Esporte e Inclusão Social no Instituto de Educação Física da Universidade Federal Fluminense

Projeto de Extensão. Título: Esporte e Inclusão Social no Instituto de Educação Física da Universidade Federal Fluminense Projeto de Extensão Título: Esporte e Inclusão Social no Instituto de Educação Física da Universidade Federal Fluminense 1.0 - JUSTIFICATIVA Considerando que a Extensão Universitária tem entre as suas

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE SERVIÇO SOCIAL PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO PARA ESTUDANTES DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE SERVIÇO SOCIAL PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO PARA ESTUDANTES DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE SERVIÇO SOCIAL PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO PARA ESTUDANTES DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL INTRODUÇÃO O estágio curricular obrigatório é aquele definido

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR CENECISTA DE FARROUPILHA Mantido pela Campanha Nacional de Escolas da Comunidade

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR CENECISTA DE FARROUPILHA Mantido pela Campanha Nacional de Escolas da Comunidade MANUAL DE ESTÁGIO Curso de PEDAGOGIA S U M Á R I O 1. Apresentação... 03 2. Proposta de Estágio... 03 3. Aspectos legais... 04 4. Objetivo Geral... 04 5. Campo de Estágio... 05 6. Modalidades de Estágio...

Leia mais

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS DIPLOMA CONFERIDO:

Leia mais

OFICINA PEDAGÓGICA DE PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO DO CURSO DE ENFERMAGEM DAS FACULDADES INTA

OFICINA PEDAGÓGICA DE PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO DO CURSO DE ENFERMAGEM DAS FACULDADES INTA 1 OFICINA PEDAGÓGICA DE PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO DO CURSO DE ENFERMAGEM DAS FACULDADES INTA Maria Adelane Monteiro da Silva Antonia Eliana de Araújo Aragão Keila Maria de Azevedo Ponte Lourdes Claudênia

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE

REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE 2013 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE PADI DA FACULDADE DE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÃDO

Leia mais

CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA

CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA Habilidades Computacionais 32 h/a Oferece ao administrador uma visão sobre as potencialidades da tecnologia

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO - LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO - LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA 1. APRESENTAÇÃO O curso de Educação Física da FISMA, através de sua orientação de estagio supervisionado obrigatório, vem por meio de o presente documento estabelecer as diretrizes básicas da realização

Leia mais

PEDAGOGIA DE PROJETOS MANUAL DE ORIENTAÇÕES

PEDAGOGIA DE PROJETOS MANUAL DE ORIENTAÇÕES PEDAGOGIA DE PROJETOS MANUAL DE ORIENTAÇÕES 1 APRESENTAÇÃO Educadores(as) da Faculdade Canção Nova, Este Manual tem o propósito de aprimorar a aplicação da Pedagogia de Projetos nos períodos previstos

Leia mais

Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo

Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo Eliane Aparecida Toledo Pinto Docente da Faculdade Municipal de Filosofia,

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/01

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/01 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO Curso de Bacharelado em Odontologia RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/01 CATEGORIAS & DIMENSÕES AVALIADAS: Discentes: Desempenho Docente e Projeto Pedagógico

Leia mais

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.)

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Resenha Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Patrícia Morais da Silva 1 Superar as expectativas do mercado atendendo de forma satisfatória as demandas dos clientes

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 2-CEPE/UNICENTRO, DE 3 DE JANEIRO DE 2011. Aprova o Curso de Especialização em Gestão Estratégica e da Inovação, modalidade regular, a ser ministrado no Campus Santa Cruz, da UNICENTRO. O

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO CURSO: TURISMO ( bacharelado) Missão Formar profissionais humanistas, críticos, reflexivos, capacitados para planejar, empreender e gerir empresas turísticas, adaptando-se ao

Leia mais

ASSESSORIA PEDAGÓGICA PORTFÓLIO DE PALESTRAS E OFICINAS

ASSESSORIA PEDAGÓGICA PORTFÓLIO DE PALESTRAS E OFICINAS Dificuldades de Palestra EF e EM Todas Conscientizar sobre as dificuldades de aprendizagem aprendizagem que podem ser manifestadas pelos alunos numa sala de aula e sugerir ações de encaminhamento, conforme

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Curso de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos

Curso de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos Curso de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos Manual Projeto Interdisciplinar Ano: 2014 2 Sumário 1. Introdução... 2. Caracterização Geral do Projeto... 3 4 2.1 Projeto Interdisciplinar I... 5 2.2

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e negócios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: ADMINISTRAÇÃO FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA Coordenadora do Curso: Prof a Maria Cláudia Alves Guimarães IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. Denominação

Leia mais

CURSO: Matemática. Missão

CURSO: Matemática. Missão CURSO: Matemática Missão O Curso de Licenciatura em Matemática tem por missão a formação de docentes com um novo perfil fundamentado na conexão de dois eixos, pedagógico e matemático, permeado pelos recursos

Leia mais

CST em Gestão Financeira 2ª Série Estatística Aplicada

CST em Gestão Financeira 2ª Série Estatística Aplicada CST em Gestão Financeira 2ª Série Estatística Aplicada A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de etapas, acompanhadas pelo

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SANTA ROSA Rua Uruguai, 1675Bairro Central CEP: 98900.000

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão.

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão. MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES Porto Alegre/RS 2014 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. O ESTÁGIO... 3 3. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DO ESTÁGIO... 3 4. OBJETIVOS DO ESTÁGIO... 3

Leia mais

ENSINO DE RELAÇÕES PÚBLICAS: UMA PROPOSTA DE ESTRUTURA CURRICULAR. Dra. Cláudia Peixoto de Moura (FAMECOS/PUCRS)

ENSINO DE RELAÇÕES PÚBLICAS: UMA PROPOSTA DE ESTRUTURA CURRICULAR. Dra. Cláudia Peixoto de Moura (FAMECOS/PUCRS) ENSINO DE RELAÇÕES PÚBLICAS: UMA PROPOSTA DE ESTRUTURA CURRICULAR Dra. Cláudia Peixoto de Moura (FAMECOS/PUCRS) Este trabalho versa sobre a aplicação das diretrizes curriculares na Comunicação Social,

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE LÍDERES

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE LÍDERES PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE LÍDERES Sobre o curso: O programa fornece conhecimentos técnicos e de gestão, bem como, ferramentas práticas que auxiliem os participantes na condução das suas equipes. Para

Leia mais