Estudos clínicos com Helixor (Viscum album L.) para o tratamento do câncer

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estudos clínicos com Helixor (Viscum album L.) para o tratamento do câncer"

Transcrição

1 Arte Médica Ampliada Ano XXXI n.1 Outono 2011 Estudos clínicos com Helixor (Viscum album L.) para o tratamento do câncer Dietrich Schlodder, médico antroposófico Nilo E. Gardin, médico antroposófico e homeopata Endereço para correspondência: Resumo: Os autores sumarizam estudos clínicos realizados com Helixor (Viscum album) em pacientes com câncer, ressaltando seu efeito positivo na sobrevida, qualidade de vida e redução dos efeitos adversos da quimioterapia e radioterapia antineoplásica. Preferencialmente estudos prospectivos e randomizados foram citados. As particularidades desse medicamento antroposófico são resumidamente apresentadas. Palavras-chave: Viscum album, Helixor, câncer, medicamento antroposófico. Introdução Viscum album é um medicamento antroposófico usado para o câncer, estados pré-cancerosos, doenças crônicas multissistêmicas (doença de Crohn, doenças articulares), e hepatite C (Gardin & Schleier, 2009). Sua via de administração é geralmente subcutânea. Helixor é uma das apresentações injetáveis de Viscum album, registrado na Alemanha, Áustria, Suíça, Luxemburgo, Suécia, Lituânia, Letônia, Finlândia, China, Coreia, Rússia, Chile e Peru. Recentemente, o Helixor começou a ser usado no Brasil, o que estimulou essa revisão. Na Alemanha 58,4% dos pacientes com câncer usam terapias complementares, e destes, 61,6% usam Viscum album de acordo com estudo multicêntrico transversal feito em diversos hospitais (Weis et al., 1998). Nesse país, Helixor é o terceiro medicamento citostático mais prescrito ambulatorialmente (Schwabe & Paffrath, 2007). Particularidades do Helixor Helixor é o extrato aquoso fresco padronizado não fermentado de Viscum album (ex herba recens), formado pela mistura de extratos do verão e do inverno, produzido a partir das recomendações de Rudolf Steiner (GA 314, 1924). São quatro épocas de colheita do Viscum: época do Natal (durante o inverno no Hemisfério Norte), durante sua florada (também no inverno), no meio do verão (época de São João) e na época de Micael (final do verão, iní- cio do outono). Do total do extrato, ¾ são provenientes do inverno e ¼ do verão, pois o extrato de inverno tem maiores concentrações de lectinas, o que confere maior efeito citotóxico antitumoral ao preparado. A proporção de frutos no extrato é constante. Em seu processo de produção, o extrato do verão goteja verticalmente no extrato do inverno que gira horizontalmente, num fluxo laminar helicoidal o que também foi orientado por Rudolf Steiner. Existem três tipos de Helixor, de acordo com a árvore hospedeira de onde o Viscum foi colhido: Helixor A (Abietis ou abeto), Helixor M (Mali ou macieira) e Helixor P (Pini ou pinheiro). Suas apresentações variam de 0,01 mg a 100 mg por ampola (1 ml), com caixas de posologia única ou combinada em doses progressivas. Como é uma premissa para um medicamento verdadeiramente antroposófico, existe uma atitude mental apropriada das pessoas envolvidas no processo de produção do Helixor, o que diz respeito à meditação e leitura de versos antroposóficos selecionados. Os passos de sua produção são realizados em dias especiais, de acordo com suas condições de luz e calor conforme calendário proposto por Steiner e desenvolvido por Maria Thun. A posologia é adaptada individualmente de acordo com a necessidade e a reação do paciente. O efeito adequado do Viscum album, proposto por Steiner, seria o de envolver o tumor com um manto de calor. Uma atenção especial também deve ser dada à capacidade do paciente em desenvolver febre, o que também tem a ver com sua organização calórica. 14 Arte Med. Ampl.

2 Viscum album Estudos clínicos Diversos estudos clínicos foram feitos com Helixor. Aqui resumimos os principais, divididos por seus objetivos primários. Estudos de eficácia em combinação com quimioterapia A eficácia do Helixor em combinação com quimioterapia foi examinada em quatro estudos clínicos. Em estudo prospectivo e randomizado (Douwes et al., 1986), os pacientes com câncer colorretal metastático tratados com 5-fluorouracil (5-FU) e ácido folínico que receberam adicionalmente Helixor, houve aumento na sobrevida quando comparados àqueles que receberam somente quimioterapia. A diferença, porém, não foi estatisticamente significante. Em estudo prospectivo e randomizado (Douwes et al., 1988), os pacientes com câncer colorretal tratados com 5-FU e ácido folínico que receberam adicionalmente Helixor (N=20) tiveram aumento significante na sobrevida quando comparados àqueles que receberam somente quimioterapia (N=20) (Fig. 1). Figura 1. Sobrevida (Kaplan-Meier) dos pacientes com câncer colorretal com e sem Helixor. Helixorgruppe: grupo Helixor; Kontrollgruppe: grupo controle; Monate: meses; Ueberlebensrate in Prozent: taxa de sobrevida em porcentagem. Pacientes com leucemia mieloide crônica (N=30) tiveram prolongamento da mediana de sobrevida pelo acréscimo de Helixor ao Bussulfano (55,7 meses contra 30 meses do grupo controle histórico com fatores prognósticos comparáveis, tratado apenas com Bussulfano) (Gutsch, 1982). A eficácia do tratamento adjuvante com Helixor em linfoma e leucemia crônica foi analisado em estudo retrospectivo com 700 pacientes (Stumpf et al., 2000): o tratamento adicional com Viscum album resultou em aumento de sobrevida mediana (11,4 anos versus 8,6 anos para os pacientes sem Viscum) porém sem significância estatística. Além disso, os pacientes relataram melhora na qualidade de vida. A objeção teórica sobre impactos não favoráveis do uso do Viscum em neoplasias malignas do sistema linfático e hematopoiético é refutada por esse estudo. Redução dos efeitos adversos à quimioterapia Não apenas a eficácia, mas também a tolerância à quimioterapia pode ser melhorada com a terapia concomitante com Viscum album. Gutsch e Kühne (1986) conduziram em estudo piloto prospectivo randomizado com 44 pacientes com câncer de ovário inoperável, carcinoma de células escamosas do pulmão ou câncer de cabeça e pescoço, que foram tratados com quimioterapia agressiva (ifosdamida, cisplatina) combinada com radioterapia. O tratamento adjuvante com Helixor resultou em melhora significante da qualidade de vida medida pelo índice de Karnofsky (P<0,001), assim como menos náuseas (P=0,005), vômitos (P=0,08) e dor relacionada ao câncer (P=0,04). A recuperação da leucopoiese foi mais rápida no grupo Helixor (P=0,003), o que contribuiu para que esses pacientes recebessem a dose total planejada de quimioterapia e obtivessem melhores taxas de remissão (78,2%) que o grupo controle (61,9%). Um estudo multicêntrico, randomizado e prospectivo de Piao et al. (2004) avaliou a influência do tratamento complementar com Helixor na qualidade de vida em pacientes com câncer de mama (N=68), ovário (N=71) e pulmão não pequenas células (N=94). Houve melhora significantemente no grupo Helixor em comparação com o grupo controle (P<0,05) usando os índices de Karnofsky, FLIC (functional living index-cancer) e o Índice da Medicina Tradicional Chinesa. Adicionalmente houve menos eventos adversos no grupo Helixor que no grupo controle, ou seja, houve melhor tolerância à quimioterapia. Em estudo piloto prospectivo, randomizado e duplo cego (Auerbach et al., 2005), mulheres (N=23) com câncer de mama estádio I ou II operadas foram tratadas com seis ciclos de quimioterapia adjuvante (CMF: ciclofosfamida, metotrexate e 5-FU). As pacientes que receberam adicionalmente Helixor tiveram atividade significativamente mais alta de células natural killer em Arte Med. Ampl. 15

3 relação àquelas que receberam placebo (P=0,0005), o que pode indicar redução nos efeitos imunossupressores da quimioterapia. Ao mesmo tempo, este estudo mostrou que o desenho duplo cego nem sempre é adequado à avaliação da eficácia do Viscum album, pois tanto pacientes quanto investigadores notam a típica reação inflamatória que ocorre no local da aplicação da injeção subcutânea desse medicamento. Tröger et al. (2008) conduziram estudo prospectivo randomizado fase III que incluiu 89 pacientes com câncer de mama no pós-operatório. O grupo que recebeu Viscum album (Helixor ou outra apresentação) juntamente com a quimioterapia (CAF: ciclofosfamida, doxorrubicina e 5-FU) teve significativamente menos dor, náuseas, vômitos, insônia e diarreia em relação ao grupo controle. Em um estudo farmacoepidemiológico de coorte com 741 pacientes com câncer de mama após o término do tratamento adjuvante (quimio ou radioterapia), o uso de Helixor reduziu significantemente a frequência de queixas relacionadas ao tratamento convencional especialmente dor, fadiga, mucosite, quando comparado ao grupo controle (P<0,001) (Beuth et al., 2008) (Fig. 3). Estudos sobre o uso de Helixor como terapia adjuvante após o tratamento oncológico convencional Estudo multicêntrico, prospectivo e controlado (Gutsch et al., 1988) envolveu 643 pacientes após mastectomia radical para câncer de mama. As pacientes foram divididas em três grupos: as que receberam tratamento com Helixor (N=192), com quimioterapia (CMF +/- Oncovin) (N=177), e o grupo controle sem esses medicamentos (N=274). Cada ciclo de Helixor era de 30 mg três vezes por semana por 5 semanas, via subcutânea. No 1º ano de tratamento, eram feitos dez ciclos. Gradativamente se reduzia o número de ciclos até que no 5º ano eram feitos quatro a cinco ciclos e no 6º ano zero a quatro ciclos. Os resultados se visualizam na Figura 2. Figura 2. Sobrevida (Kaplan-Meier) dos pacientes após mastectomia. Significância estatística: *Grupo CMF(O) versus controle: P=0,025. **Grupo Helixor versus controle: P=0, Jahres Rate: taxa aos 5 anos. Kontrolle: grupo controle. Monate: meses. Überlebensrate: taxa de sobrevida. Figura 3. Porcentagem de reações adversas e queixas no pós-tratamento convencional ao câncer de mama. Para pleurodese Em dois estudos, a eficácia de instilação intrapleural de altas doses de Helixor para derrame pleural maligno foi testada, com intuito de se promover a pleurodese. Em estudo prospectivo com 20 pacientes consecutivos hospitalizados com derrame pleural maligno (por câncer de mama ou broncogênico), Helixor foi testado como agente para pleurodese (Stumpf & Schietzel, 1994). Onze de 18 pacientes avaliáveis apresentaram pleurodese e em dois pacientes houve resposta parcial. O tratamento foi bem tolerado (1,2% de efeitos adversos, classificados como grau I da Organização Mundial de Saúde). A diminuição do volume do derrame pleural e das células malignas no líquido foi significantemente dependente da frequência e da dose de instilação do Helixor (P<0,001). A dose inicial de Helixor usada para instilação pleural foi de 100 mg (diluídos em soro fisiológico para um volume de 10 ml), com acréscimo de mais 100 mg a cada nova instilação, chegando ao máximo de 1000 mg. Em média foram feitas 7,1 instilações por paciente. Kim et al. (1999) conduziram estudo prospectivo e randomizado com trinta pacientes com derrame pleural maligno. A instilação de Helixor resultou em maior taxa de resposta completa de pleurodese em comparação com a terapia padrão com doxiciclina (81% versus 40%), maior taxa de resposta global (91% versus 66,6%, P<0,05) e em menos efeitos adversos (P<0,05). 16 Arte Med. Ampl.

4 Viscum album Redução do tumor com uso intratumoral A experiência com o uso de Helixor intratumoral (ou intralesional) tem crescido ultimamente. Helixor M, em doses escalonadas de 100 a 2500 mg, foi usado em tumor de fígado (N=27, sendo 21 pacientes com metástases de câncer colorretal e 6 com carcinoma hepatocelular), por injeção intratumoral guiada por ultrassonografia, uma a três vezes por semana (Matthes, 1997). Cinco pacientes com carcinoma hepatocelular (82%) responderam favoravelmente à terapia: dois pacientes com redução maior que 75%, dois acima de 50% e um paciente acima de 25% do diâmetro inicial dos tumores. Essa resposta foi combinada com significativa redução nos níveis séricos de alfa-fetoproteína. Dos pacientes com metástases de câncer colorretal, onze (52%) tiveram resposta favorável: um apresentou redução no tamanho dos tumores de mais de 75%, quatro pacientes acima de 50% e seis acima de 25% do diâmetro inicial dos tumores. Em média foram sete injeções com doses crescentes. Em estudo piloto, Matthes e colaboradores (2005) utilizaram injeção intratumoral de Helixor guiada por ultrassonografia endoscópica para 12 pacientes com carcinoma de pâncreas inoperável nos dias 1, 3, 5, 8, 10 e 12, e depois uma vez a cada três semanas, em doses progressivas. Um paciente entrou em remissão completa, seis em remissão parcial (redução do tumor > 50%), quatro permaneceram com doença estável e um apresentou progressão da doença. A sobrevida global aos 12 meses foi de 58%. Não houve toxicidade maior. Em sete pacientes houve febre >38,5 o C duas a oito horas após a aplicação do Helixor intraltumoral. A qualidade de vida (SF 36) aumentou em 83%. Revisões sistemáticas Em revisões sistemáticas que avaliaram estudos clínicos sobre a terapia com Viscum album (Kienle & Kiene, 2003; Kienle et al., 2006; Kienle & Kiene, 2007), foram considerados válidos oito estudos com Helixor que mostraram aumento na sobrevida (Boie & Gutsch, 1980; Boie et al., 1981; Douwes et al., 1986; Douwes et al., 1988; Gutsch, 1982; Gutsch & Kühne, 1986; Auerbach et al., 2005; Gutsch et al., 1988) e cinco estudos que mostraram melhora na qualidade de vida (Boie & Gutsch, 1980; Boie et al., 1981; Piao et al., 2004; Auerbach et al., 2005; Lange et al., 1985). A base de dados Cochrane efetuou revisão sobre Viscum album como tratamento complementar para o câncer (Horneber et al., 2008). Houve benefício em 14 de 16 estudos randomizados investigando o impacto desse medicamento na qualidade de vida, e em seis de 13 estudos investigando sobrevida. Em geral, os estudos mostraram boa tolerabilidade do tratamento com Viscum e poucos efeitos adversos. Nesta análise, quatro estudos incluídos com Helixor foram considerados de alto perfil (Douwes et al., 1986; Piao et al., 2004; Auerbach et al., 2005; Lange et al., 1985 Outros estudos Diversos outros estudos clínicos retrospectivos não foram citados neste artigo, devido ao seu peso menor em termos de nível de evidência ainda que sejam válidos. Declaração de conflito de interesses Dietrich Schlodder é colaborador da Helixor há 30 anos. Referências bibliográficas Auerbach L, Dostal V, Vaclavik-Fleck I, Kubista E, Rosenberger A, Rieger S, Tröger W, Schierholz JM. Signifikant höherer Anteil aktivierter NK- Zellen durch additive Misteltherapie bei chemotherapierten Mamma-Ca-Patientinnen in einer prospektiv-randomisierten doppelblinden Studie. In: Scheer, Bauer, Becker, Fintelmann, Kemper, Schilcher (Hrg.): Fortschritte in der Misteltherapie. Aktueller Stand der Forschung und klinischen Anwendung, Essen: KVC Verlag, p Beuth J, Schneider B, Schierholz JM. Impact of complementary treatment of breast cancer patients with standardized mistletoe extract during aftercare: a controlled multicenter comparative epidemiological cohort study. Anticancer Research, 28(1B):523-7, Boie D, Gutsch J. Helixor bei Kolon- und Rektumkarzinom. Krebsgeschehen, 23:65-76, Boie D, Gutsch J, Burkhardt R. Die Behandlung von Lebermetastasen verschiedener Primärtumoren mit Helixor. Therapiewoche, 31: , Douwes FR, Wolfrum DI, Migeod F. Ergebnisse einer prospektiv randomisierten Studie: Chemotherapie Arte Med. Ampl. 17

5 versus Chemotherapie plus Biological Response Modifier bei metastasierendem kolorektalem Karzinom. Krebsgeschehen, 18(6):155-64, Douwes FR, Kalden M, Frank G, Holzhauer P. Behandlung des fortgeschrittenen kolorektalen Karzinoms. Deutsche Zeitschrift für Onkologie, 20(3):63-7, Gardin NE, Schleier R. Medicamentos antroposóficos: Vademecum. São Paulo: João de Barro, p. Gutsch J, Berger H, Scholz G, Denck H. Prospektive Studie beim radikal operierten Mammakarzinom mit Polychemotherapie, Helixor und unbehandelter Kontrolle. Deutsche Zeitschrift für Onkologie, 20(4):94-101, Gutsch J, Kühne A. Pharmakologische und klinische Erfahrung mit dem Mistelextrakt Helixor. Heilkunst, 99(4):156-72, Gutsch J. Zum Stand der Therapie der chronisch myeloischen Leukämie Erwachsener mit dem Mistelpräparat Helixor. Ärztezeitschrift für Naturheilverfahren, 23(9):523-44, Horneber MA, Bueschel G, Huber R, Linde K, Rostock M. Mistletoe in oncology (Review), The Cochrane Collaboration. John Wiley & Sons, Ltd. Issue 2, Kienle GS, Kiene H. Die Mistel in der Onkologie. Stuttgart, New York: Schattauer Verlag, Kienle GS, Kiene H, Albonico HU. Anthroposophic Medicine Effectiveness, utility, costs, safety. Stuttgart, New York: Schattauer Verlag, Kienle GS, Kiene H. Complementary Cancer Therapy: A systematic review of prospective clinical trials on anthroposophic mistletoe extracts. European Journal of Medical Research. 12(3):103-19, Kim MH, Lee SH, Kim SC, Kim YK, Park SH. Comparative study on the effects of a Viscum album (L.) extract (mistletoe) and doxycycline for pleurodesis in patients with malignant pleural effusion. Korean Journal of Medicine, 57(Suppl. 2): S121, Lange O, Scholz G, Gutsch J. Modulation der subjektiven und objektiven Toxizität einer aggressiven Chemo-/Radiotherapie mit Helixor. Unpublished report, 1985 Matthes H, Schad F, Buchwald D, Schenk G. Endoscopic ultrasound-guided fine-needle injection of Viscum album L. (mistletoe; Helixor M) in the therapy of primary inoperable pancreas cancer: a pilot study. Gastroenterology;128(4 Suppl 2):A-433, Matthes H. Intraläsionale Mistelinjektionen in Lebermetastasen bei kolorektalem Karzinom und in das primäre Hepatozelluläre Karzinom. (Abstract) Der Merkurstab, 50 (Sonderheft Juni):41, Piao BK; Wang YX; Xie GR; Mansmann U; Matthes H; Beuth J; Lin HS. Impact of complementary mistletoe extract treatment on quality of life in breast, ovarian and nonsmall cell lung cancer patients. A prospective randomized controlled clinical trial. Anticancer Res, 24(1):303-9, Schwabe U, Paffrath D. Arzneiverordnungs-Report Berlin Heidelberg: Springer Verlag, Stumpf C, Rosenberger A, Rieger S, Tröger W, Schietzel M. Therapie mit Mistelextrakten bei malignen hämatologischen und lymphatischen Erkrankungen eine monozentrische retrospektive Analyse über 16 Jahre. Forschende Komplementärmedizin, 7: , Stumpf C, Schietzel M. Intrapleurale Instillation eines Extraktes aus Viscum album (L.) zur Behandlung maligner Pleuraergüsse. Tumordiagnostik und Therapie, 15: 57-62, Tröger W, Matijasevic M, Zdrale Z, Tisma N, Jezdic S. Additional therapy with mistletoe extracts in breast cancer patients receiving chemotherapy a prospective randomized open label pilot study. In: Scheer, Alban, Becker, Holzgrabe, Kemper, Kreis, Matthes, Schilcher (Hrg.): Die Mistel in der Tumortherapie 2. Aktueller Stand der Forschung und klinische Anwendung, Essen: KVC Verlag, p Weis J, Bartsch HH, Hennies F, Rietschel M, Heim M, Adam G, Gärtner U, Ammon A. Complementary medicine in cancer patients: demand, patients attitudes and psychological beliefs. Onkologie, 21: 141-9, Arte Med. Ampl.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS SUMÁRIO DAS CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO

INFORMAÇÕES TÉCNICAS SUMÁRIO DAS CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO INFORMAÇÕES TÉCNICAS SUMÁRIO DAS CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO Helixor A M P 1 Nome dos medicamentos: Helixor A 0,1 mg Helixor M 0,1 mg Helixor P 0,1 mg Helixor A 1 mg Helixor M 1 mg Helixor P 1 mg Helixor

Leia mais

1.Introdução Educação e Atualização em Cancerologia)

1.Introdução Educação e Atualização em Cancerologia) 1 SILVA, M.B..; FONSECA, C.A.; RODRIGUES, A.J.L.; Terapia medicamentosa do câncer. In III SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E I JORNADA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DA UEG. 2005, Anápolis. Anápolis: UEG,

Leia mais

Processo número: 0013603-80.2014 TEMA: IRESSA (GEFITININIBE) NO TRATAMENTO DO CÂNCER DE PULMÃO NÃO PEQUENAS CÉLULAS METASTÁTICO

Processo número: 0013603-80.2014 TEMA: IRESSA (GEFITININIBE) NO TRATAMENTO DO CÂNCER DE PULMÃO NÃO PEQUENAS CÉLULAS METASTÁTICO NOTA TÉCNICA 81/2014 Solicitante Ilma Dra. Marcela Maria Amaral Novais Juíza de Direito Comarca de Caeté Minas Gerais Data: 03/05/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Processo número: 0013603-80.2014

Leia mais

NEOPLASIAS. Prof. Dr. Fernando Ananias

NEOPLASIAS. Prof. Dr. Fernando Ananias NEOPLASIAS Prof. Dr. Fernando Ananias Neoplasia = princípio básico CLASSIFICAÇÃO DOS TUMORES Comportamento Benigno versus Maligno Crescimento lento rápido Semelhança com O tecido de origem (Diferenciação)

Leia mais

Diretrizes Assistenciais

Diretrizes Assistenciais Diretrizes Assistenciais Protocolo de tratamento adjuvante e neoadjuvante do câncer de mama Versão eletrônica atualizada em Fevereiro 2009 Tratamento sistêmico adjuvante A seleção de tratamento sistêmico

Leia mais

Processo número: 0040.14.000.969-3 TEMA: IRESSA (GEFITININIBE) OU TARCEVA (ERLOTINIBE) NO TRATAMENTO DO ADENOCARCINOMA DE PULMÃO

Processo número: 0040.14.000.969-3 TEMA: IRESSA (GEFITININIBE) OU TARCEVA (ERLOTINIBE) NO TRATAMENTO DO ADENOCARCINOMA DE PULMÃO NOTA TÉCNICA 18/2014 Solicitante Ilmo Dr. José Aparecido Fausto de Oliveira Juiz de Direito Data: 31/01/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Processo número: 0040.14.000.969-3 TEMA: IRESSA

Leia mais

Journal of Thoracic Oncology Volume 3, Number 12, December 2008

Journal of Thoracic Oncology Volume 3, Number 12, December 2008 R1 CIT Vinícius Journal of Thoracic Oncology Volume 3, Number 12, December 2008 Prolongamento na sobrevida em pacientes com Câncer avançado não-pequenas células (CPNPC) Recentemente, 2 estudos randomizados,

Leia mais

CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE DEFESA DA SAÚDE CESAU ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 07 /2014 - CESAU. OBJETO: Parecer. Centro de Apoio Operacional

CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE DEFESA DA SAÚDE CESAU ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 07 /2014 - CESAU. OBJETO: Parecer. Centro de Apoio Operacional ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 07 /2014 - CESAU Salvador, 20 de janeiro de 2014 OBJETO: Parecer. Centro de Apoio Operacional de Defesa da Saúde- CESAU. REFERÊNCIA: xxxx Promotoria da Justiça de Salvador / Dispensação

Leia mais

TEMA: SORAFENIBE NO TRATAMENTO DO CÂNCER HEPATOCELULAR EM PACIENTE COM PROGRESSÃO DO TUMOR APÓS USO DE SORAFENIBE

TEMA: SORAFENIBE NO TRATAMENTO DO CÂNCER HEPATOCELULAR EM PACIENTE COM PROGRESSÃO DO TUMOR APÓS USO DE SORAFENIBE NT 14/2013 Solicitante: Ilmo Dra JACQUELINE DE SOUZA TOLEDO E DUTRA Juíza de Direito do 2º JESP da Unidade Jurisdicional do Juizado Especial da Comarca de Pouso Alegre Data: 09/02/2013 Medicamento X Material

Leia mais

Gencitabina em câncer de pulmão: avaliação retrospectiva de resposta clínica, sobrevida livre de progressão e sobrevida global

Gencitabina em câncer de pulmão: avaliação retrospectiva de resposta clínica, sobrevida livre de progressão e sobrevida global 12 Artigo Original Gencitabina em câncer de pulmão: avaliação retrospectiva de resposta clínica, sobrevida livre de progressão e sobrevida global Ana Lucia Coradazzi CRM SP 87.242 Gustavo Fernando Veraldi

Leia mais

Diretrizes Assistenciais

Diretrizes Assistenciais Diretrizes Assistenciais Câncer de Vias Biliares Versão eletrônica atualizada em Julho 2009 Os colangiocarcinomas e carcinomas de vesícula biliar são tumores originários do epitélio dos ductos biliares

Leia mais

TEMA: Trastuzumabe (Herceptin ) para tratamento câncer de mama localmente avançado

TEMA: Trastuzumabe (Herceptin ) para tratamento câncer de mama localmente avançado NTRR 09/2013 Solicitante: Desembargador Alyrio Ramos Número do processo: 1.0134.12.010459-8/001 Impetrato: Secretaria de Caratinga Data: 02/02/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura TEMA: Trastuzumabe

Leia mais

Quimioterapia citotóxica aumenta a sobrevida de 5 anos no câncer maligno de adultos em apenas 2,3% na Austrália e 2,1% nos Estados Unidos da América

Quimioterapia citotóxica aumenta a sobrevida de 5 anos no câncer maligno de adultos em apenas 2,3% na Austrália e 2,1% nos Estados Unidos da América Quimioterapia citotóxica aumenta a sobrevida de 5 anos no câncer maligno de adultos em apenas 2,3% na Austrália e 2,1% nos Estados Unidos da América Graeme Morgan, Robyn Wardt e Michael Barton Graeme Morgan

Leia mais

Legifol CS folinato de cálcio. APRESENTAÇÕES Legifol CS solução injetável de 10 mg/ml em embalagens contendo 10 ampolas de 5 ml (50 mg).

Legifol CS folinato de cálcio. APRESENTAÇÕES Legifol CS solução injetável de 10 mg/ml em embalagens contendo 10 ampolas de 5 ml (50 mg). Legifol CS folinato de cálcio I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Legifol CS Nome genérico: folinato de cálcio APRESENTAÇÕES Legifol CS solução injetável de 10 mg/ml em embalagens contendo

Leia mais

TEMA: SORAFENIBE NO TRATAMENTO DO CÂNCER HEPATOCELULAR

TEMA: SORAFENIBE NO TRATAMENTO DO CÂNCER HEPATOCELULAR NT 34/2013 Solicitante: Des. Vanessa Verdolim Hudson Andrade Número do processo: 1.0000.13.021277-2/000 Reu: Secretaria de Saúde de Minas Gerais Data: 28/03/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura

Leia mais

PARECER TÉCNICO-CIENTÍFICO: SUNITINIBE NO TRATAMENTO DE PRIMEIRA LINHA DO TUMOR IRRESSECÁVEL OU METASTÁTICO DE RIM

PARECER TÉCNICO-CIENTÍFICO: SUNITINIBE NO TRATAMENTO DE PRIMEIRA LINHA DO TUMOR IRRESSECÁVEL OU METASTÁTICO DE RIM PARECER TÉCNICO-CIENTÍFICO: SUNITINIBE NO TRATAMENTO DE PRIMEIRA LINHA DO TUMOR IRRESSECÁVEL OU METASTÁTICO DE RIM 30/2013 Belo Horizonte Junho/2013 Declaração de possíveis conflitos de interesse. Nenhum

Leia mais

Radioterapia de Intensidade Modulada (IMRT) no Tratamento do. Câncer de Cabeça e Pescoço. Contexto da Medicina Baseada em Evidências

Radioterapia de Intensidade Modulada (IMRT) no Tratamento do. Câncer de Cabeça e Pescoço. Contexto da Medicina Baseada em Evidências CONGRESSO DE AUDITORIA - NATAL - 2015 Radioterapia de Intensidade Modulada (IMRT) no Tratamento do Câncer de Cabeça e Pescoço Contexto da Medicina Baseada em Evidências Tratamento do Câncer de Cabeça e

Leia mais

TEMA: Temozolomida para tratamento de glioblastoma multiforme

TEMA: Temozolomida para tratamento de glioblastoma multiforme NOTA TÉCNICA 2014 Solicitante Dr. Renato Martins Prates Juiz Federal da 8ª Vara Data: 19/02/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura TEMA: Temozolomida para tratamento de glioblastoma multiforme

Leia mais

Atuação da Acupuntura na dor articular decorrente do uso do inibidor de aromatase como parte do tratamento do câncer de mama

Atuação da Acupuntura na dor articular decorrente do uso do inibidor de aromatase como parte do tratamento do câncer de mama Atuação da Acupuntura na dor articular decorrente do uso do inibidor de aromatase como parte do tratamento do câncer de mama O câncer de mama - 2º tipo de câncer mais freqüente no mundo e o mais comum

Leia mais

Incorporação, na tabela Unimed-BH de materiais e medicamentos: Gemcitabina (Gemzar ) para tratamento do câncer avançado de bexiga, mama e pâncreas.

Incorporação, na tabela Unimed-BH de materiais e medicamentos: Gemcitabina (Gemzar ) para tratamento do câncer avançado de bexiga, mama e pâncreas. Parecer do Grupo Técnico de Auditoria em Saúde 038/05 Tema: Gemcitabina I Data: 01/11/2005 II Grupo de Estudo: Dr. Lucas Barbosa da Silva Dra. Lélia Maria de Almeida Carvalho Dra. Silvana Márcia Bruschi

Leia mais

II Congresso Internacional de Neuro-Oncologia. Tema: Tratamento da doença Leptomeníngea

II Congresso Internacional de Neuro-Oncologia. Tema: Tratamento da doença Leptomeníngea II Congresso Internacional de Neuro-Oncologia Módulo: Doença Metastática para Sistema Nervoso central Bloco: Manejo das Lesões Múltiplas Tema: Tratamento da doença Leptomeníngea Aknar Calabrich Oncologia

Leia mais

Estamos prontos para guiar o tratamento com base no status do HPV?

Estamos prontos para guiar o tratamento com base no status do HPV? Controvérsias no Tratamento de Câncer de Cabeça e Pescoço Localmente Avançado Estamos prontos para guiar o tratamento com base no status do HPV? Igor A. Protzner Morbeck, MD, MSc Oncologista Clínico Onco-Vida,

Leia mais

TEMA: Octreotida LAR no tratamento de tumor neuroendócrino

TEMA: Octreotida LAR no tratamento de tumor neuroendócrino NTRR 31/2013 Solicitante: Juiz Juarez Raniero Número do processo:0479.13.003726-6 Reu: Secretaria de Saúde de Passos Data: 25/03/2013 Medicamento x Material Procedimento Cobertura TEMA: Octreotida LAR

Leia mais

Atendimento odontológico ao paciente com câncer bucal na cidade de Goiânia*

Atendimento odontológico ao paciente com câncer bucal na cidade de Goiânia* UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ODONTOLOGIA PROGRAMA DE EXTENSÃO E CULTURA Atendimento odontológico ao paciente com câncer bucal na cidade de Goiânia* VIEIRA,Denise Ferreira 1 ; SOARES,Mariana

Leia mais

TEMA: GEFITINIBE (IRESSA ) NO TRATAMENTO DE SEGUNDA LINHA PARA PACIENTE COM CÂNCER METASTÁTICO DE PULMÃO.

TEMA: GEFITINIBE (IRESSA ) NO TRATAMENTO DE SEGUNDA LINHA PARA PACIENTE COM CÂNCER METASTÁTICO DE PULMÃO. NT 213/2013 Data: 05/11/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Solicitante Dr. Jayme de Oliveira Maia Número do processo: 0058335-95.2013.8.13.0720 TEMA: GEFITINIBE (IRESSA ) NO TRATAMENTO

Leia mais

Importância de um protocolo de treinamento resistido para pacientes em tratamento contra o câncer- Revisão Sistemática Palavras-Chave: câncer,

Importância de um protocolo de treinamento resistido para pacientes em tratamento contra o câncer- Revisão Sistemática Palavras-Chave: câncer, Importância de um protocolo de treinamento resistido para pacientes em tratamento contra o câncer- Revisão Sistemática Palavras-Chave: câncer, exercício resistido, efeitos colaterais, qualidade de vida.

Leia mais

TEMA: GEFITINIBE (IRESSA ) NO TRATAMENTO DE SEGUNDA LINHA PARA PACIENTE COM CÂNCER METASTÁTICO DE PULMÃO, COM MUTAÇÃO DE EGFR.

TEMA: GEFITINIBE (IRESSA ) NO TRATAMENTO DE SEGUNDA LINHA PARA PACIENTE COM CÂNCER METASTÁTICO DE PULMÃO, COM MUTAÇÃO DE EGFR. NT 24/2012 Solicitante: Juiz Geraldo Claret de Arantes Número do processo: Data: 26/11/2012 Medicamento X Material Procedimento Cobertura TEMA: GEFITINIBE (IRESSA ) NO TRATAMENTO DE SEGUNDA LINHA PARA

Leia mais

ATUALIZAÇÕES EM CÂNCER: TRATAMENTO

ATUALIZAÇÕES EM CÂNCER: TRATAMENTO ATUALIZAÇÕES EM CÂNCER: TRATAMENTO Elaine Jacob da Silva Carmo 1 ; Cristiane Alves da Fonseca 2,3 Andréia Juliana Leite Rodrigues 2,3, 4. 1 Curso de Ciências Biológicas, Unidade Universitária de Ciências

Leia mais

Boas-vindas e Introdução

Boas-vindas e Introdução Ensaios clínicos ou tratamento padrão? Opções para leucemias Boas-vindas e Introdução Ensaios clínicos ou tratamento padrão? Opções para leucemias John P. Leonard, médico Reitor Associado de Pesquisa Clínica

Leia mais

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186 Câncer de Pulmão Todos os tipos de câncer podem se desenvolver em nossas células, as unidades básicas da vida. E para entender o câncer, precisamos saber como as células normais tornam-se cancerosas. O

Leia mais

TEMA: TEMOZOLOMIDA PARA TRATAMENTO DE GLIOBLASTOMA MULTIFORME

TEMA: TEMOZOLOMIDA PARA TRATAMENTO DE GLIOBLASTOMA MULTIFORME NOTA TÉCNICA /2014 Solicitante Ilmo Dr Fernando de Moraes Mourão Juiz de Direito Data: 21/02/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Processo número: 0042.14.00611-7 TEMA: TEMOZOLOMIDA PARA

Leia mais

Sorafenibe para o câncer de fígado: evidências sobre sua eficácia e segurança.

Sorafenibe para o câncer de fígado: evidências sobre sua eficácia e segurança. Sorafenibe para o câncer de fígado: evidências sobre sua eficácia e segurança. Mariana Michel Barbosa 1, Marina Amaral de Ávila Machado 2, Francisco de Assis Acurcio 3, Augusto Guerra Júnior 3. 1 Centro

Leia mais

Perspectivas sobre a Quimioterapia de Primeira Linha e Manutenção em NSCLC Não Escamoso Metastático

Perspectivas sobre a Quimioterapia de Primeira Linha e Manutenção em NSCLC Não Escamoso Metastático Lucio Crinò, MD: Olá, bem vindo a este programa! Sou Lucio Crinò, Médico Oncologista de Perugia, Itália. Hoje, estou aqui para discutir o paradigma de tratamento atual para câncer de pulmão de células

Leia mais

Analisar a sobrevida em cinco anos de mulheres. que foram submetidas a tratamento cirúrgico, rgico, seguida de quimioterapia adjuvante.

Analisar a sobrevida em cinco anos de mulheres. que foram submetidas a tratamento cirúrgico, rgico, seguida de quimioterapia adjuvante. Estudo de sobrevida de mulheres com câncer de mama não metastático tico submetidas à quimioterapia adjuvante Maximiliano Ribeiro Guerra Jane Rocha Duarte Cintra Maria Teresa Bustamante Teixeira Vírgilio

Leia mais

GABARITO. Resposta: Cálculo da superfície corporal para dose de gencitabina 1 m 2 --- 1000 mg 1,66 m 2 --- X mg X = 1660 mg

GABARITO. Resposta: Cálculo da superfície corporal para dose de gencitabina 1 m 2 --- 1000 mg 1,66 m 2 --- X mg X = 1660 mg GABARITO 1 - Sr José, 65 anos, apresenta dor abdominal intensa há dois meses. Após solicitação de ultrasonografia pelo médico assistente chegou-se ao diagnóstico de câncer de pâncreas. O tratamento proposto

Leia mais

Câncer de Pulmão: Radioterapia Profilática de Crânio Total. Quais as evidências e os benefícios?

Câncer de Pulmão: Radioterapia Profilática de Crânio Total. Quais as evidências e os benefícios? FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS UNIVERSIDADE DE CAMPINAS Câncer de Pulmão: Radioterapia Profilática de Crânio Total. Quais as evidências e os benefícios? JUMARA MARTINS RADIOTERAPIA UNICAMP 2012 Introdução

Leia mais

TEMA: Sunitinibe (Sutent ) para o tratamento do cancer renal

TEMA: Sunitinibe (Sutent ) para o tratamento do cancer renal Nota Técnica 90/2013 Data: 18/05/2014 Solicitante: Dr. Daniel da Silva Ulhoa Juíz de Direito Comarca de Timóteo Medicamento Material Procedimento Cobertura x Número do processo: 0009774-08.2014.8.13.0667

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO PRÉVIA DO MEDICAMENTO PARA USO HUMANO EM MEIO HOSPITALAR

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO PRÉVIA DO MEDICAMENTO PARA USO HUMANO EM MEIO HOSPITALAR RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO PRÉVIA DO MEDICAMENTO PARA USO HUMANO EM MEIO HOSPITALAR DCI gefitinib N.º Registo Nome Comercial Apresentação/Forma Farmacêutica/Dosagem PVH PVH com IVA Titular de AIM 30 comprimidos

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA OXALIPLATINA NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CÂNCER DE COLON (FOLFOX, FLOX) 06/2008

UTILIZAÇÃO DA OXALIPLATINA NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CÂNCER DE COLON (FOLFOX, FLOX) 06/2008 UNIMED-BH COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO LTDA GRUPO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE - GATS UTILIZAÇÃO DA OXALIPLATINA NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CÂNCER DE COLON (FOLFOX, FLOX) 06/2008 Belo Horizonte

Leia mais

TEMA: Temozolomida para tratamento de glioblastoma multiforme

TEMA: Temozolomida para tratamento de glioblastoma multiforme NOTA TÉCNICA 256/2013 Solicitante Dr. Carlos Renato de Oliveira Corrêa Juiz de Direito São Domingos do Prata Data: 19/12/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Processo número: 0610.13.002372-0

Leia mais

Apudoma TABELAS DE PROCEDIMENTOS POR NEOPLASIA E LOCALIZAÇÃO. PROCED. DESCRIÇÃO QT CID At. Prof. Vr. TOTAL

Apudoma TABELAS DE PROCEDIMENTOS POR NEOPLASIA E LOCALIZAÇÃO. PROCED. DESCRIÇÃO QT CID At. Prof. Vr. TOTAL TABELAS DE PROCEDIMENTOS POR NEOPLASIA E LOCALIZAÇÃO Apudoma 0304020117 Quimioterapia paliativa de apudoma (doença loco-regional avançada, inoperável, metastática ou recidivada; alteração da função hepática;

Leia mais

TEMA: Sunitinibe (Sutent ) para o tratamento do cancer renal

TEMA: Sunitinibe (Sutent ) para o tratamento do cancer renal Nota Técnica 49/2013 Data: 23/03/2014 Solicitante: Dr. José Hélio da Silva Juíz de Direito da 4a Vara Civel Comarca de Pouso Alegre em Medicamento Material Procedimento Cobertura x Número do processo:

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CANCEROLOGIA 21. O melhor esquema terapêutico para pacientes com neoplasia maligna de bexiga, os quais são clinicamente inelegíveis para cirurgia radical, é: a) Ressecção

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO PRÉVIA DO MEDICAMENTO PARA USO HUMANO EM MEIO HOSPITALAR

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO PRÉVIA DO MEDICAMENTO PARA USO HUMANO EM MEIO HOSPITALAR RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO PRÉVIA DO MEDICAMENTO PARA USO HUMANO EM MEIO HOSPITALAR DCI sunitinib N.º Registo Nome Comercial Apresentação/Forma Farmacêutica/Dosagem PVH PVH com IVA Titular de AIM 5072103 Sutent

Leia mais

Mandado de segurança contra ato do Secretário Municipal de Saúde RITUXIMABE PARA LINFOMA NÃO-HODGKIN FOLICULAR TRANSFORMADO EM DIFUSO

Mandado de segurança contra ato do Secretário Municipal de Saúde RITUXIMABE PARA LINFOMA NÃO-HODGKIN FOLICULAR TRANSFORMADO EM DIFUSO Data: 08/12/2012 Nota Técnica 2012 Juízo da 4ª Vara de Fazenda Pública Municipal Juiz Renato Dresh Numeração Única: 3415341-21.201 Impetrante Marlene Andrade Montes Medicamento Material Procedimento Cobertura

Leia mais

TEMA: RITUXIMABE PARA A LEUCEMIA LINFOCÍTICA

TEMA: RITUXIMABE PARA A LEUCEMIA LINFOCÍTICA Data: 17/05/2013 NOTA TÉCNICA 73 /2013 Medicamento Material Procedimento Cobertura x Solicitante: Juíza Vanessa Guimarães da Costa Vedovotto Número do processo: TEMA: RITUXIMABE PARA A LEUCEMIA LINFOCÍTICA

Leia mais

Partes: CÉLIO FERREIRA DA CUNHA MUNICÍPIO DE COROMANDEL-MG

Partes: CÉLIO FERREIRA DA CUNHA MUNICÍPIO DE COROMANDEL-MG RESPOSTA RÁPIDA 208/2014 Assunto: Azacitidina para tratamento de mielodisplasia SOLICITANTE Juiz de Direito da comarca de Coromandeu NÚMERO DO PROCESSO 0193.14.001135-7 DATA 16/04/2014 Coromandel, 14/04/2014

Leia mais

Metodologia em Estudos Clínicos

Metodologia em Estudos Clínicos Metodologia em Estudos Clínicos Gabriela Stangenhaus Livre Docente - USP Prof. Adjunto - UNICAMP Pesquisa Científica e Estudos Clínicos Pesquisa Científica Aquisição de novo conhecimento Pesquisa Científica

Leia mais

Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Departamento de Cirurgia Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Departamento de Cirurgia Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Departamento de Cirurgia Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço D I R E T R I Z E S 2 0 07 Antonio Jose Gonçalves A Disciplina de Cirurgia de

Leia mais

Arimide. Informações para pacientes com câncer de mama. Anastrozol

Arimide. Informações para pacientes com câncer de mama. Anastrozol Informações para pacientes com câncer de mama. AstraZeneca do Brasil Ltda. Rod. Raposo Tavares, km 26,9 CEP 06707-000 Cotia SP ACCESS net/sac 0800 14 55 78 www.astrazeneca.com.br AXL.02.M.314(1612991)

Leia mais

FADIGA EM PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA EM RADIOTERAPIA CONVENCIONAL. E-mail: julyanaweb@hotmail.com. E-mail: dalete.mota@gmail.com

FADIGA EM PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA EM RADIOTERAPIA CONVENCIONAL. E-mail: julyanaweb@hotmail.com. E-mail: dalete.mota@gmail.com FADIGA EM PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA EM RADIOTERAPIA CONVENCIONAL Julyana Cândido Bahia 1, Dálete Delalibera Corrêa de Faria Mota 2 1 Acadêmica da Faculdade de Enfermagem/ Universidade Federal de Goiás

Leia mais

TEMA: RITUXIMABE PARA LINFOMA NÃO HODGKIN DE PEQUENAS CÉLULAS

TEMA: RITUXIMABE PARA LINFOMA NÃO HODGKIN DE PEQUENAS CÉLULAS NOTA TÉCNICA 46/2014 Data: 17/03/2014 Medicamento Material Procedimento Cobertura x Solicitante: Juiz de Direito Eduardo Soares de Araújo Número do processo: 0011607-07.2014.8.13.0026 Requerido(s): MUNICÍPIO

Leia mais

CIRURGIA CITORREDUTORA E NO TRATAMENTO DA CARCINOMATOSE PERITONEAL. Ademar Lopes

CIRURGIA CITORREDUTORA E NO TRATAMENTO DA CARCINOMATOSE PERITONEAL. Ademar Lopes CIRURGIA CITORREDUTORA E QUIMIOTERAPIA INTRAPERITONEAL HIPERTÉRMICA NO TRATAMENTO DA CARCINOMATOSE PERITONEAL Ademar Lopes CÂNCER COLORRETAL SOB mediana em doença avançada versus tratamento sistêmico Meyerhardt

Leia mais

Controle loco-regional na doença metastática

Controle loco-regional na doença metastática Câncer de pâncreas Controle loco-regional na doença metastática Fabio Kater Centro Paulista de Oncologia Hospital Nove de Julho Não tenho conflitos de interesse FIGURE 1 Ten Leading Cancer Types for the

Leia mais

Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências. Avaliação de Tecnologias em Saúde. Sumário das Evidências e Recomendações sobre o uso

Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências. Avaliação de Tecnologias em Saúde. Sumário das Evidências e Recomendações sobre o uso Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências Avaliação de Tecnologias em Saúde Sumário das Evidências e Recomendações sobre o uso do PET Scan no diagnóstico, e r do câncer de pulmão pequenas células

Leia mais

OS AINES (ANTIINFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS) SÃO FÁRMACOS DE PRIMEIRA ELEIÇÃO NO TRATAMENTO DE INFLAMAÇÕES CRÔNICAS OU AGUDAS

OS AINES (ANTIINFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS) SÃO FÁRMACOS DE PRIMEIRA ELEIÇÃO NO TRATAMENTO DE INFLAMAÇÕES CRÔNICAS OU AGUDAS Firocoxibe - Últimos avanços no tratamento de neoplasias em cães e gatos Marta León Artozqui Doutora em Medicina Veterinária Gerente Técnica - Animais de Companhia Merial Espanha OS AINES (ANTIINFLAMATÓRIOS

Leia mais

Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo TRATAMENTO CIRÚRGICO DAS METÁSTASES HEPÁTICAS Carcinoma Metastático do Fígado METÁSTASES HEPÁTICAS Neoplasia primeira

Leia mais

Tratamento de glioma de alto grau: temozolomida ou nitrosuréias

Tratamento de glioma de alto grau: temozolomida ou nitrosuréias Tratamento de glioma de alto grau: temozolomida ou nitrosuréias Julho / 2011 Elaboração: Silvana Márcia Bruschi Kelles (NATS HC/UFMG) Revisão Técnica: Carlos Faria Santos Amaral (NATS HC/UFMG) Declaração

Leia mais

Como tratar o câncer de mama na paciente com mutação genética? Prof. Dr. Giuliano Duarte

Como tratar o câncer de mama na paciente com mutação genética? Prof. Dr. Giuliano Duarte Como tratar o câncer de mama na paciente com mutação genética? Prof. Dr. Giuliano Duarte Quem é a paciente com mutação BRCA1/2? Ansiedade Penetrância dos genes BRCA1 e BRCA 2 até os 70 anos Meta-análise

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DOS GRAUS HISTOLÓGICOS ENTRE TUMOR PRIMÁRIO E METÁSTASE AXILAR EM CASOS DE CÂNCER DE MAMA

ANÁLISE COMPARATIVA DOS GRAUS HISTOLÓGICOS ENTRE TUMOR PRIMÁRIO E METÁSTASE AXILAR EM CASOS DE CÂNCER DE MAMA ANÁLISE COMPARATIVA DOS GRAUS HISTOLÓGICOS ENTRE TUMOR PRIMÁRIO E METÁSTASE AXILAR EM CASOS DE CÂNCER DE MAMA Pinheiro, A.C ¹, Aquino, R. G. F. ¹, Pinheiro, L.G.P. ¹, Oliveira, A. L. de S. ¹, Feitosa,

Leia mais

doença Sem especificação de fase da doença Sem especificação de fase da doença Estágios avançados Linfomas Mama Micose Fungóide

doença Sem especificação de fase da doença Sem especificação de fase da doença Estágios avançados Linfomas Mama Micose Fungóide SUBSTÂNCIA LOCALIZAÇÃO INDICAÇÃO Acetato de Abiraterona Anastrozol Bicalutamida Bussulfano Metastático resistente à castração em homens que receberam quimioterapia prévia com docetaxel Adjuvante na pós-menopausa

Leia mais

Folheto para o paciente

Folheto para o paciente Folheto para o paciente Quimioembolização Transarterial com Eluição de Fármaco (detace) de tumores hepáticos: Uma opção minimamente invasiva para o tratamento de tumores hepáticos Diagnóstico do hepatocarcinoma

Leia mais

Helixor (Viscum album L.) na prática clínica: como iniciar o tratamento e encontrar a dose adequada para cada paciente

Helixor (Viscum album L.) na prática clínica: como iniciar o tratamento e encontrar a dose adequada para cada paciente Arte Médica Ampliada Arte Médica Ampliada Vol. 33 N. 2 Abril / Maio / Junho de 2013 Artigo de atualização Update article Helixor (Viscum album L.) na prática clínica: como iniciar o tratamento e encontrar

Leia mais

Passos para a prática de MBE Elaboração de uma pergunta clínica Passos para a prática de MBE

Passos para a prática de MBE Elaboração de uma pergunta clínica Passos para a prática de MBE Passos para a prática de MBE Elaboração de uma pergunta clínica Dr. André Deeke Sasse 1. Formação da pergunta 2. Busca de melhor evidência resposta 3. Avaliação crítica das evidências 4. Integração da

Leia mais

Key Words: câncer de mama, quimioterapia neoadjuvante, quimioterapia, resposta patológica, carbopaltina.

Key Words: câncer de mama, quimioterapia neoadjuvante, quimioterapia, resposta patológica, carbopaltina. Alta taxa de resposta completa patológica (prc) em câncer de mama triplo negativo após quimioterapia neoadjuvante sequencial Augusto Ribeiro GABRIEL, MD* Ruffo de FREITAS JÚNIOR, MD, PhD* * Programa de

Leia mais

EMENTA: Câncer urológico - Critérios de alta para pacientes com câncer CONSULTA

EMENTA: Câncer urológico - Critérios de alta para pacientes com câncer CONSULTA PARECER Nº 2422/2013 CRM-PR PROCESSO CONSULTA N.º 11/2013 PROTOCOLO N. º 10115/2013 ASSUNTO: CRITÉRIOS DE ALTA DE SERVIÇOS DE CANCEROLOGIA PARECERISTA: CONS. JOSÉ CLEMENTE LINHARES EMENTA: Câncer urológico

Leia mais

Considerações sobre o medicamento Trastuzumabe

Considerações sobre o medicamento Trastuzumabe NOTA TÉCNICA 19 2013 Considerações sobre o medicamento Trastuzumabe Incorporado no SUS para tratamento de câncer de mama HER2 positivo, em fase inicial ou localmente avançado. CONASS, julho de 2013 1 Considerações

Leia mais

Cetuximabe para Carcinoma de Laringe recidivado

Cetuximabe para Carcinoma de Laringe recidivado NOTA TÉCNICA 152/2014 Solicitante: Juiz Fernando de Moraes Mourão Número do processo: 0042.14.002900-2 Réu: MUNICÍPIO DE ARCOS e ESTADO DE MINAS GERAIS Data: 23/07/2013 Medicamento x Material Procedimento

Leia mais

A pesquisa clínica no combate ao câncer de mama. Proporcionando o futuro do tratamento do câncer de mama para as pacientes de hoje

A pesquisa clínica no combate ao câncer de mama. Proporcionando o futuro do tratamento do câncer de mama para as pacientes de hoje A pesquisa clínica no combate ao câncer de mama Proporcionando o futuro do tratamento do câncer de mama para as pacientes de hoje Câncer de Mama no Brasil Antropofagia, de Tarsila do Amaral, 1929 2 DADOS

Leia mais

Carcinoma do pénis. La Fuente de Carvalho, Ph.D MD

Carcinoma do pénis. La Fuente de Carvalho, Ph.D MD Carcinoma do pénis La Fuente de Carvalho, Ph.D MD Epidemiologia - idade > 50 anos - 550 novos casos / ano (Reino Unido) - 1250 novos casos / ano (EUA) - Centro Registo California - entre 1988 2004 2.870

Leia mais

Paulo César Jark Serviço de Oncologia Veterinária Unesp - Jaboticabal

Paulo César Jark Serviço de Oncologia Veterinária Unesp - Jaboticabal Paulo César Jark Serviço de Oncologia Veterinária Unesp - Jaboticabal Metastatis (grego) Transferência, mudança de lugar Disseminação da doença Sinal de doença avançada Qual a via preferencial de metástase

Leia mais

Protocolo de Tratamento do Câncer de Mama Metastático. Versão eletrônica atualizada em Dezembro 2009

Protocolo de Tratamento do Câncer de Mama Metastático. Versão eletrônica atualizada em Dezembro 2009 Protocolo de Tratamento do Câncer de Mama Metastático Versão eletrônica atualizada em Dezembro 2009 Protocolo de Tratamento do Câncer de Mama Metastático O tratamento de pacientes com câncer de mama metastático

Leia mais

Agentes Biológicos e Terapia Alvo em Câncer de Mama Metastático. Antonio C. Buzaid

Agentes Biológicos e Terapia Alvo em Câncer de Mama Metastático. Antonio C. Buzaid Agentes Biológicos e Terapia Alvo em Câncer de Mama Metastático Antonio C. Buzaid Índice TDM4450g: Trastuzumab Emtansine (T-DM1) Versus Trastuzumab + Docetaxel em Pacientes com CMM Her-2 + sem Tratamento:

Leia mais

S R E V R I V Ç I O D E E C IR I URGIA I A T O T RÁCIC I A

S R E V R I V Ç I O D E E C IR I URGIA I A T O T RÁCIC I A Neoadjuvância Julio Espinel R2 CIT Cristiano Feijó Andrade Outubro 2009 Importância Estadiamento linfonodal Unificar para discutir e poder propor modificações; Selecionar tratamento multimodais; Discordâncias

Leia mais

ASERCIT dacarbazina. Cada frasco-ampola de ASERCIT(dacarbazina) 200 mg contém: dacarbazina... 200 mg excipientes* q.s.p...

ASERCIT dacarbazina. Cada frasco-ampola de ASERCIT(dacarbazina) 200 mg contém: dacarbazina... 200 mg excipientes* q.s.p... Pó liófilo injetável FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES: 100 mg. Embalagem com 1 frasco-ampola. 00 mg. Embalagem com 1 frasco-ampola. USO INTRAVENOSO USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE ANOS DE IDADE COMPOSIÇÃO:

Leia mais

CODIFICAÇÃO DE TUMORES E CLASSIFICAÇÕES UTILIZADAS EM REGISTROS DE CÂNCER

CODIFICAÇÃO DE TUMORES E CLASSIFICAÇÕES UTILIZADAS EM REGISTROS DE CÂNCER CODIFICAÇÃO DE TUMORES E CLASSIFICAÇÕES UTILIZADAS EM REGISTROS DE CÂNCER CLASSIFICAÇÕES PADRONIZADAS UTILIZADAS EM REGISTROS DE CÂNCER CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE DOENÇAS - 10ª Revisão (CID-10) CLASSIFICAÇÃO

Leia mais

Tratamento do câncer no SUS

Tratamento do câncer no SUS 94 Tratamento do câncer no SUS A abordagem integrada das modalidades terapêuticas aumenta a possibilidade de cura e a de preservação dos órgãos. O passo fundamental para o tratamento adequado do câncer

Leia mais

Processo número: 0075666-71.2013.8.13.0694. TEMA: IPILIMUMABE NO TRATAMENTO DE PRIMEIRA LINHA DO MELANOMA MALIGNO METASTÁTICO

Processo número: 0075666-71.2013.8.13.0694. TEMA: IPILIMUMABE NO TRATAMENTO DE PRIMEIRA LINHA DO MELANOMA MALIGNO METASTÁTICO NOTA TÉCNICA 231/2013 Solicitante Dr. Felipe Manzanares Tonon Juiz de Direito Comarca de Três Pontas Data: 27/11/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Processo número: 0075666-71.2013.8.13.0694.

Leia mais

Quimioterapia Metronômica novos usos para drogas antigas.

Quimioterapia Metronômica novos usos para drogas antigas. Quimioterapia Metronômica novos usos para drogas antigas. A gama de opções de drogas quimioterápicas disponíveis para uso veterinário continua a se expandir bem como o aprendizado com a oncologia humana

Leia mais

RELATÓRIO PARA A. SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS

RELATÓRIO PARA A. SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE Este relatório é uma versão resumida do relatório técnico

Leia mais

Escrito por Prof. Dr. Sabas Carlos Vieira Sex, 18 de Junho de 2010 14:48 - Última atualização Qui, 15 de Julho de 2010 14:30

Escrito por Prof. Dr. Sabas Carlos Vieira Sex, 18 de Junho de 2010 14:48 - Última atualização Qui, 15 de Julho de 2010 14:30 Prof. Dr. Sabas Carlos Vieira INTRODUÇÃO Para o ano de 2010, o INCA estima que ocorrerão cerca de 500mil novos casos de câncer no Brasil. Hoje cerca de 60% destes pacientes terão seus tumores controlados

Leia mais

MODELO DE BULA DO PRODUTO TAXOL CONCENTRADO PARA INJEÇÃO

MODELO DE BULA DO PRODUTO TAXOL CONCENTRADO PARA INJEÇÃO MODELO DE BULA DO PRODUTO TAXOL CONCENTRADO PARA INJEÇÃO TAXOL paclitaxel PCF USO INTRAVENOSO SOMENTE APRESENTAÇÃO TAXOL (paclitaxel PCF) concentrado para injeção, é apresentado em embalagem contendo 1

Leia mais

Tema: NIVOLUMABE EM ADENOCARCINOMA MUCINOSO DE PULMÃO ESTADIO IV

Tema: NIVOLUMABE EM ADENOCARCINOMA MUCINOSO DE PULMÃO ESTADIO IV Nota Técnica 2015 NATS HC UFMG Solicitante: Renato Martins Prates Juiz Federal da 8ª Vara Seção Judiciária de Minas Gerais Nº Processo: 41970-36.2015.4.01.3800 Data 20/08/2015 Medicamento X Material Procedimento

Leia mais

II ENCONTRO DE UROLOGIA DO SUDESTE CÂNCER DE BEXIGA QUANDO INDICAR UMA TERAPIA MAIS AGRESSIVA NO T1 DE ALTO GRAU? CARLOS CORRADI

II ENCONTRO DE UROLOGIA DO SUDESTE CÂNCER DE BEXIGA QUANDO INDICAR UMA TERAPIA MAIS AGRESSIVA NO T1 DE ALTO GRAU? CARLOS CORRADI II ENCONTRO DE UROLOGIA DO SUDESTE CÂNCER DE BEXIGA QUANDO INDICAR UMA TERAPIA MAIS AGRESSIVA NO T1 DE ALTO GRAU? CARLOS CORRADI T1 ALTO GRAU DOENCA AGRESSIVA 4ª Causa de Óbito oncológico Pouca melhora

Leia mais

SUNITINIBE PARA CARCINOMA RENAL DE CÉLULAS CLARAS

SUNITINIBE PARA CARCINOMA RENAL DE CÉLULAS CLARAS Nota Técnica NATS 59/2012 Número do processo: 1311922-91.2012.8.13.0000 Data: 08/12/2012 Medicamento Material Procedimento Cobertura X SUNITINIBE PARA CARCINOMA RENAL DE CÉLULAS CLARAS Sumário 1. RESUMO

Leia mais

13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 O PROJETO DE EXTENSÃO CEDTEC COMO GERADOR DE FERRAMENTAS PARA A PESQUISA EM CÂNCER DE MAMA

13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 O PROJETO DE EXTENSÃO CEDTEC COMO GERADOR DE FERRAMENTAS PARA A PESQUISA EM CÂNCER DE MAMA 13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE (X ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

QUIMIOTERAPIA ADJUVANTE EM CÂNCER DE PULMÃO: ONDE ESTAMOS? Riad N. Younes

QUIMIOTERAPIA ADJUVANTE EM CÂNCER DE PULMÃO: ONDE ESTAMOS? Riad N. Younes QUIMIOTERAPIA ADJUVANTE EM CÂNCER DE PULMÃO: ONDE ESTAMOS? Riad N. Younes Introdução A cirurgia ainda é considerada o tratamento de escolha para a cura potencial de pacientes com câncer de pulmão não pequenas

Leia mais

BENDAMUSTINA PARA LEUCEMIA LINFOCÍTICA CRÔNICA. Data: 31/01/2013. Medicamento. Nota Técnica 07/ 2013. Material

BENDAMUSTINA PARA LEUCEMIA LINFOCÍTICA CRÔNICA. Data: 31/01/2013. Medicamento. Nota Técnica 07/ 2013. Material Data: 31/01/2013 Nota Técnica 07/ 2013 Número do processo: MANDADO DE SEGURANÇA nº 145120844231, impetrado por Luiz Ernesto Bernardino Alves Filho contra ato do Secretário de Saúde de Juiz de Fora Medicamento

Leia mais

Lapatinibe para câncer de mama

Lapatinibe para câncer de mama Data: 05/11/2013 NTRR 212/2013 Solicitante: Desembargador Geraldo Augusto de Almeida Mandado de Segurança: nº1.0000.13.083981-4/000 Impetrado: Secretário de Estado da Saúde de Minas Gerais. Medicamento

Leia mais

EMENTA: Utilização - Indicação - Fornecimento do Medicamento Temozolamida CONSULTA

EMENTA: Utilização - Indicação - Fornecimento do Medicamento Temozolamida CONSULTA PARECER Nº 2392/2012 CRM-PR PROCESSO CONSULTA N.º 41/2012 PROTOCOLO N. º 21582/2012 ASSUNTO: FORNECIMENTO DO MEDICAMENTO TEMOZOLAMIDA PARECERISTA: CONS. JOSÉ CLEMENTE LINHARES EMENTA: Utilização - Indicação

Leia mais

TEMA: RITUXIMABE PARA A LEUCEMIA LINFOCÍTICA. Data: 05/03/2014 NOTA TÉCNICA /2014. Medicamento x Material Procedimento Cobertura

TEMA: RITUXIMABE PARA A LEUCEMIA LINFOCÍTICA. Data: 05/03/2014 NOTA TÉCNICA /2014. Medicamento x Material Procedimento Cobertura NOTA TÉCNICA /2014 Data: 05/03/2014 Medicamento x Material Procedimento Cobertura Solicitante: Marly Gonçalves Pinto - PJPI 3998-2 - Oficial de Apoio Judicial B - Escrivã Judicial da Comarca de Cláudio/MG

Leia mais

HEMORIO HEMORIO HEMORIO HEMORIO HEMORIO HEMORIO HEMORIO HEMORIO AGENDA PARTE 1 Conceitos e Introdução Medicina baseada em evidências PARTE 2 Dor na Doença Falciforme Protocolo clínico na emergência PARTE

Leia mais

Registro Hospitalar de Câncer de São Paulo:

Registro Hospitalar de Câncer de São Paulo: Registro Hospitalar de Câncer de São Paulo: Análise dos dados e indicadores de qualidade 1. Análise dos dados (jan ( janeiro eiro/2000 a setembro/201 /2015) Apresenta-se aqui uma visão global sobre a base

Leia mais

Diagnóstico do câncer

Diagnóstico do câncer UNESC FACULDADES ENFERMAGEM - ONCOLOGIA FLÁVIA NUNES Diagnóstico do câncer Evidenciado: Investigação diagnóstica por suspeita de câncer e as intervenções de enfermagem no cuidado ao cliente _ investigação

Leia mais

PASSOS PARA A PRÁTICA DE MBE. ELABORAÇÃO DE UMA PERGUNTA CLÍNICA André Sasse sasse@cevon.com.br PASSOS PARA A PRÁTICA DE MBE ELABORAÇÃO DA PERGUNTA

PASSOS PARA A PRÁTICA DE MBE. ELABORAÇÃO DE UMA PERGUNTA CLÍNICA André Sasse sasse@cevon.com.br PASSOS PARA A PRÁTICA DE MBE ELABORAÇÃO DA PERGUNTA PASSOS PARA A PRÁTICA DE MBE Curso Avançado MBE ELABORAÇÃO DE UMA PERGUNTA CLÍNICA André Sasse sasse@cevon.com.br 1. Formação da pergunta 2. Busca de melhor evidência resposta 3. Avaliação crítica das

Leia mais

04/06/2012. Curso Nacional de Atualização em Pneumologia SBPT 2012. Tratamento da dor oncológica. Definição. Dr Guilherme Costa

04/06/2012. Curso Nacional de Atualização em Pneumologia SBPT 2012. Tratamento da dor oncológica. Definição. Dr Guilherme Costa Curso Nacional de Atualização em Pneumologia SBPT 2012 Tratamento da dor oncológica Dr Guilherme Costa Mestre em Pneumologia - UNIFESP Especialista em Pneumologia SBPT Coordenador da Comissão de Câncer

Leia mais

Comitê Gestor dos Programas de Qualificação dos Prestadores de Serviços COGEP

Comitê Gestor dos Programas de Qualificação dos Prestadores de Serviços COGEP Comitê Gestor dos Programas de Qualificação dos Prestadores de Serviços COGEP GT Indicadores de SADT 3ª Reunião Subgrupo Oncologia 22 de abril de 2013 GERPS/GGISE/DIDES/ANS Agenda Definição da Estratificação

Leia mais

Medindo a Qualidade de Vida em Estudos Clínicos de FC: Outra Peça do Quebra-Cabeça

Medindo a Qualidade de Vida em Estudos Clínicos de FC: Outra Peça do Quebra-Cabeça Ensaios Clínicos Medindo a Qualidade de Vida em Estudos Clínicos de FC: Outra Peça do Quebra-Cabeça Janice Abbott, PhD Professora de Psicologia da Saúde Faculdade de Saúde Universidade de Central Lancashire

Leia mais

Assunto: Atendimento a pacientes corn Neoplastia Maligna pelo SUS.

Assunto: Atendimento a pacientes corn Neoplastia Maligna pelo SUS. ESTADO OE SAO PAULO - BRASIL Prefeitura Municipal de Limeira Gabinete do Prefeito A / C"tAh S LA DASASS 0EaJlt/ Limeira, 16 de outubro de 2014. OF. CM. n 2718/2014 A Sua Excelencia o Senhor RONEI COSTA

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO PRÉVIA DE MEDICAMENTO PARA USO HUMANO EM MEIO HOSPITALAR

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO PRÉVIA DE MEDICAMENTO PARA USO HUMANO EM MEIO HOSPITALAR RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO PRÉVIA DE MEDICAMENTO PARA USO HUMANO EM MEIO HOSPITALAR DCI RALTITREXEDO Medicamento PVH PVH com IVA Titular de AIM TOMUDEX Embalagem contendo 1 frasco com pó para solução injectável

Leia mais