SISTEMAS ENDÓCRINO E REPRODUTOR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMAS ENDÓCRINO E REPRODUTOR"

Transcrição

1 SISTEMAS ENDÓCRINO E REPRODUTOR Jatin Das Funções Reprodutivas e Hormônios Sexuais Masculinos A funções sexuais masculinas podem ser divididas em 3 subníveis principais: a espermatogênese, a realização do ato sexual e a regulação hormonal dessas funções. 1

2 SIST. REPROD. MASCULINO ANATOMIA FISIOLÓGICA DO SISTEMA REPRODUTOR SIST. REPROD. MASCULINO ESPERMATOGÊNESE Etapas da espermatogênese: Células germinativas: espermatogônias dispostas ao longo da margem externa do epitélio tubular. Proliferam-se (mitose) e diferenciam-se (meiose) para formar as espermátides. 2

3 SIST. REPROD. MASCULINO ESPERMATOGÊNESE Etapas da espermatogênese: Células de Sertoli: estendem-se da membrana basal até o lúmen do túbulo. Fornecem nutrientes, hormônios e enzimas necessários para produzir as alterações nas espermátides. Unem-se por junções fechadas que formam a barreira hematotesticular. SIST. REPROD. MASCULINO ESPERMATOGÊNESE Etapas da espermatogênese: Espermatozóides: Durante a maturação, a espermátide perde boa parte de seu citoplasma e começa a se alongar para formar o espermatozóide: cabeça, colo, corpo e cauda. 3

4 SIST. REPROD. MASCULINO ESPERMATOGÊNESE Maturação dos espermatozóides no epidídimo: Capacidade de movimento: adquirem a capacidade de se mover mas ficam inibidos pelo líquido do epidídimo (ácido). Capacidade de fertilização: adquirem a capacidade de fertilizar o óvulo. Armazenamento dos espermatozóides: Epidídimo: pequena quantidade. Canal deferente e ampola: maior parte. SIST. REPROD. MASCULINO ESPERMATOGÊNESE Espermatozóide maduro: Velocidade do movimento: 1-4 mm/min. Direção do movimento: linha reta. Meio ótimo: de neutro a alcalino. Sobrevivência nos ductos genitais masculinos: várias semanas. Sobrevivência no aparelho genital feminino: 1-2 dias 4

5 SIST. REPROD. MASCULINO ESPERMATOGÊNESE Vesículas Seminais: Secreções: Substâncias nutrientes: frutose, ácido cítrico, etc. Prostaglandinas: torna o muco cervical mais receptivo; promove contrações peristálticas no útero e nas tubas uterinas. Fibrinogênio: proteína coagulante. Semen coagulates within seconds after ejaculation and then liquefies or decoagulates about minutes later (Mandal and Bhattacharyya, 1985; Robert and Gagnon, 1999). Baker and Bellis speculate that this keeps the semen in place while sperm travel to the cervix, and at the same time prevents the passage of rival sperm from subsequent males. SIST. REPROD. MASCULINO ESPERMATOGÊNESE Glândula Prostática: Secreção: líquido ralo, leitoso e básico (6,5 < ph < 7,5) = motilidade e fertilidade dos espermatozóides. Contém enzima coaguladora. Sêmen: Composição: líquidos do canal deferente, das vesículas seminais (60%), da próstata e das glândulas bulbouretrais. ph 7,5 Aparência: mucóide e leitosa Quantidade/ejaculação 3,5 ml ( milhões de espermatozóides/ml) 5

6 SIST. REPROD. MASCULINO ESPERMATOGÊNESE Animação SIST. REPROD. MASCULINO ATO SEXUAL MASCULINO Estímulos para a realização: Estimulação dos órgãos genitais: impulsos nervosos oriundos do pênis (glande principalmente), do escroto ou estruturas perineais, transmitidos ao SNC. Estimulação psíquica: pensamentos sexuais ou sonhos. Integração na medula: mecanismos reflexos integrados na medula lombar e sacral. 6

7 SIST. REPROD. MASCULINO ATO SEXUAL MASCULINO Etapas: Ereção: impulsos parassimpáticos da medula sacral ao pênis = dilatação das artérias. Lubrificação: impulsos parassimpáticos da medula sacral às glândulas uretrais e bulbouretrais = muco. orgasmo Emissão: impulsos simpáticos da medula lombar para a ampola, o canal deferente, vesícula seminal e próstata = sêmen na porção interna da uretra. Ejaculação: reflexo enchimento da uretra / medula / músculos isquio e bulbocarvernoso = sêmen para o exterior. SIST. REPROD. MASCULINO HORMÔNIOS SEXUAIS MASCULINOS Testosterona: Síntese e secreção: células de Leydig. Transporte: globulina fixadora de esteróides sexuais. Mecanismo de ação: genético. Diidrotestosterona: Síntese: nos tecidos alvos a partir da testosterona. Mecanismo de ação: genético. 7

8 SIST. REPROD. MASCULINO HORMÔNIOS SEXUAIS MASCULINOS Efeitos: Desenvolvimento da genitália: formação de pênis e escroto. Descida dos testículos: descida dos testículos para o escroto nos últimos 2 a 3 meses da gestação = [testosterona]. Espermatogênese: maturação final dos espermatozóides, após estimulação inicial pelo FSH. Características sexuais secundárias: crescimento de pêlos na face, no púbis, ao longo da linha média abdominal, no peito, etc. // quantidade de pêlos nas outras porções do corpo // aumento da laringe = abaixamento do timbre de voz // secreção sebácea = acne // deposição de proteínas na pele e nos músculos // retenção de Ca 2+ // estreitamento da cintura pélvica // metabolismo basal // calvice. SIST. REPROD. MASCULINO HORMÔNIOS SEXUAIS MASCULINOS Regulação: Entre 10 e 14 anos HCG Placenta 8

9 SIST. REPROD. MASCULINO HORMÔNIOS SEXUAIS MASCULINOS Anormalidades da secreção: Hipergonadismo masculino: Causa: tumores das células de Leydig. Sintomas: Em crianças: rápido crescimento e fechamento das epífises, desenvolvimento excessivo dos ógãos sexuais masculinos e de outros caracteres sexuais secundários masculinos. Em adultos: difíceis de notar. Hipogonadismo masculino: Causa: testículos não-funcionantes, falta de receptores para testosterona nas células-alvo, ou ainda, incapacidade do hipotálamo de secretar GnRH. Sintomas: formação de órgãos sexuais femininos em vez dos masculinos, ou ausência das características sexuais secundárias (deficiência de GnRH). SIST. REPROD. MASCULINO HORMÔNIOS SEXUAIS MASCULINOS Anormalidades da secreção: Hipogonadismo masculino: Mulher XY com Síndrome de Insensibilidade ao Andrógeno 9

10 Funções Reprodutivas e Hormônios Sexuais Femininos A funções sexuais femininas podem ser divididas em 3 subníveis principais: a ovogênese, a realização do ato sexual e a regulação hormonal dessas funções. SIST. REPROD. FEMININO ANATOMIA FISIOLÓGICA DO SISTEMA REPRODUTOR 10

11 SIST. REPROD. FEMININO OVOGÊNESE Etapas da ovogênese: Células germinativas: ovogônias presentes nos ovários. Proliferam-se (mitose) e diferenciam-se (meiose) para formar os óvulos. Cerca de ½ milhão ao nascimento. Cerca de 40 mil na puberdade. Cerca de 400 amadurecem, os demais sofrem atresia. SIST. REPROD. FEMININO OVOGÊNESE Etapas da ovogênese: Crescimento dos folículos : do nascimento à puberdade em cada ciclo ovariano Folículo primordial: ovócito primário circundado por uma camada de células da granulosa. Folículo primário: ovócito primário circundado por múltiplas camadas de células da granulosa, circundadas por células tecais (oriundas do estroma ovariano). Folículo secundário: folículo primário (já c/ ovócito secundário) + antro. Folículo maduro: maior dos folículos vesiculares (> n o de receptores para FSH e LH). 11

12 SIST. REPROD. FEMININO OVOGÊNESE Etapas da ovogênese: Ovulação: o folículo maduro continua a crescer e desenvolve uma protuberância na superfície do ovário (estigma). O estigma rompe e libera o conteúdo do antro + ovócito secundário circundado por células da granulosa (coroa radiada). SIST. REPROD. FEMININO OVOGÊNESE Etapas da ovogênese: Corpo lúteo: resíduos do folículo roto. Secreta hormônios necessários para a implantação e manutenção do zigoto, caso ocorra fertilização. 12

13 SIST. REPROD. FEMININO OVOGÊNESE Etapas da ovogênese: Transporte do ovócito pelas tubas uterinas: Os cílios das fimbrias e das tubas uterinas movem-se em direção ao útero transportando o ovócito, junto com o líquido que flui. A fertilização do ovócito ocorre logo depois da entrada na tuba uterina. SIST. REPROD. FEMININO OVOGÊNESE Etapas da ovogênese: animação 13

14 SIST. REPROD. FEMININO ATO SEXUAL FEMININO Estímulos para a realização: Estimulação dos órgãos genitais: impulsos nervosos oriundos do clitóris, dos lábios ou estruturas perineais, transmitidos ao SNC. Estimulação psíquica: pensamentos sexuais ou sonhos. Integração na medula: mecanismos reflexos integrados na medula lombar e sacral. SIST. REPROD. FEMININO ATO SEXUAL FEMININO Etapas: Ereção clitoriana, tumefação dos lábios: impulsos parassimpáticos da medula sacral ao tecido erétil = dilatação das artérias (NO). Lubrificação: impulsos parassimpáticos da medula sacral às glândulas de Bartholin = muco. Orgasmo: reflexo contração de músculos perineais. Impulsos simpáticos da medula lombar para a vagina e o útero = contratilidade rítmica. 14

15 SIST. REPROD. FEMININO HORMÔNIOS SEXUAIS FEMININOS Estrógenos (representante principal β-estradiol): Síntese e secreção: células da granulosa e tecais. Transporte: globulina fixadora de esteróides sexuais e albumina. Mecanismo de ação: genético. Progestinas (representante principal progesterona): Síntese e secreção: células da granulosa e tecais. Transporte: albumina. Mecanismo de ação: genético. SIST. REPROD. FEMININO HORMÔNIOS SEXUAIS FEMININOS Efeitos dos Estrógenos: Características sexuais secundárias: proliferação celular em determinadas regiões do corpo aumento da vagina, útero, tubas uterinas e ovários, deposição de gordura na genitália externa, crescimento de pêlos, desenvolvimento das mamas, alargamento pélvico, deposição de tecido adiposo nas áres femininas características, e crescimento ósseo rápido até o esgotamento. 15

16 SIST. REPROD. FEMININO HORMÔNIOS SEXUAIS FEMININOS Efeitos das Progestinas: Preparação do corpo para a gravidez: alterações secretoras no endométrio e nas tubas uterinas; proliferação e aumento das mamas (natureza secretora). SIST. REPROD. FEMININO HORMÔNIOS SEXUAIS FEMININOS Regulação: Entre 10 e 14 anos 16

17 SIST. REPROD. FEMININO HORMÔNIOS SEXUAIS FEMININOS Regulação: SIST. REPROD. FEMININO HORMÔNIOS SEXUAIS FEMININOS Regulação: 17

18 SIST. REPROD. FEMININO HORMÔNIOS SEXUAIS FEMININOS Ciclo ovariano: Fase folicular: folículos ovarianos em desenvolvimento. Fase ovulatória: ovulação. Fase lútea: presença do corpo lúteo. Ciclo menstrual: Fase proliferativa: proliferação do endométrio. Fase secretora: atividade secretora das glândulas endometriais. SIST. REPROD. FEMININO HORMÔNIOS SEXUAIS FEMININOS Resumo dos ciclos ovariano e menstrual: 18

19 SIST. REPROD. FEMININO HORMÔNIOS SEXUAIS FEMININOS Menopausa: Entre 40 e 50 anos, a maioria dos folículos primários já ovularam ou involuiram [estrógeno] ausência de ovulação e [FSH e LH]. SIST. REPROD. FEMININO HORMÔNIOS SEXUAIS FEMININOS Anormalidades da secreção: Hipergonadismo feminino: Causa: tumor das células da granulosa. Sintomas: hipertrofia e sangramento irregular do endométrio. Hipogonadismo feminino: Causa: ovários geneticamente anormais ou ausentes. Sintomas: ausência de secreção = ausência das características sexuais secundárias; secreção diminuída = ciclo mesntrual anormal ou amenorréia. 19

20 COMPORTAMENTO SEXUAL Do ponto de vista fisiológico o comportamento sexual é dirigido por uma conexão complexa entre a ação de hormônios esteróides, neurotransmissores e o cérebro, a qual possibilita a excitação sexual e conseqüentemente o desencadeamento de uma série de comportamentos característicos da cópula. COMPORTAMENTO SEXUAL RESPOSTA SEXUAL HUMANA Estágios: Excitação: Órgãos genitais: reflexos parassimpáticos = ereção e lubrificação Demais órgãos: FC, PA, FR, tônus muscular esquelético. Platô: Manutenção das alterações iniciadas na excitação. Presença de rubor sexual vermelhidão na face e no peito Duração: poucos segundos a vários minutos. 20

21 COMPORTAMENTO SEXUAL RESPOSTA SEXUAL HUMANA Estágios: Orgasmo: Órgãos genitais: explosão simpática = ejaculação e/ou contrações rítmicas da musculatura lisa dos órgãos genitais. Resolução: Sensação de relaxamento profundo. Parâmetros fisiológicos voltam ao normal. Mulheres = orgasmos múltiplos. Homens = período refratário (poucos minutos ou várias horas) COMPORTAMENTO SEXUAL RESPOSTA COMPORTAMENTAL Os hormônios influenciam o comportamento sexual humano através de efeitos organizadores e efeitos ativadores. Efeitos organizadores: desenvolvimento do cérebro identidade e orientação sexual. Efeitos ativadores: Homens: Potência sexual depende de níveis normais de testosterona. Controvérsia: o declínio da atividade sexual é variável após castração. Hipótese: suprarenais suprem a deficiência de testosterona testicular. Em adolescentes, níveis salivares de testosterona têm sido correlacionados positivamente com a iniciação e a quantidade de relações sexuais. 21

22 COMPORTAMENTO SEXUAL RESPOSTA COMPORTAMENTAL Efeitos ativadores: Mulheres: Diferença do ciclo menstrual em relação ao estral: capacidade para o acasalamento independe do estado hormonal. Aumento do interesse sexual no meio do ciclo (~ ovulação): estradiol e testosterona. Administração de testosterona restaura o desejo sexual de mulheres ovariectomizadas e menopausadas. Sítios de ação no cérebro: Homens: área pré-optica medial, área tegmental central e amígdala medial (observação em ratos). Mulheres: núcleo ventromedial do hipotálamo, amigdala medial, substância cinzenta periaquedutal (observação em ratas). DIFERENCIAÇÃO SEXUAL A exposição aos hormônios sexuais, tanto antes quanto depois do nascimento, é responsável pelo dimorfismo sexual. O que o cromossomo Y controla é o desenvolvimento das glândulas que produzem os hormônios sexuais masculinos. 22

23 DIFERENCIAÇÃO SEXUAL DESENVOLVIMENTO DOS ÓRGÃOS SEXUAIS Gônadas: Indiferenciadas até a 6ª semana de desenvolvimento; Transformam-se em testículos na presença do fator de determinação dos testículos (produzido pelo gene SRY do cromossomo Y), caso contrário, transformam-se em ovários; Uma vez determinadas, secretam hormônios que determinam o sexo do indivíduo: Pré-natal: efeitos organizadores influenciam o desenvolvimento dos órgãos sexuais e do cérebro. Puberdade: efeitos ativadores definem as características sexuais secundárias, ativam a espermatogênese ou a ovogênese, além de influenciar o comportamento sexual. DIFERENCIAÇÃO SEXUAL DESENVOLVIMENTO DOS ÓRGÃOS SEXUAIS Órgãos sexuais internos: No início do desenvolvimento são bissexuais (sistemas mülleriano e wolffiano); Durante o terceiro mês de gestação, apenas um dos precursores se desenvolve e o outro atrofia: Sistema mülleriano: tubas uterinas, útero, ⅔ internos da vagina. Sistema wolffiano: epidídimo, canal deferente e vesículas seminais. Mulheres = glândulas vestibulares originam-se de brotamentos endodérmicos. Homens = próstata e glândulas bulbouretrais originam-se de brotamentos endodérmicos. 23

24 DIFERENCIAÇÃO SEXUAL DESENVOLVIMENTO DOS ÓRGÃOS SEXUAIS Órgãos sexuais internos: DIFERENCIAÇÃO SEXUAL DESENVOLVIMENTO DOS ÓRGÃOS SEXUAIS Órgãos sexuais internos: Os testículos secretam: Hormônio antimülleriano: efeito desfeminizador. Andrógenos (testosterona e diidrotestosterona): efeito masculinizante. Na ausência do hormônio antimulleriano e de andrógenos, o sistema wolffiano atrofia e o mülleriano desenvolve-se. 24

25 DIFERENCIAÇÃO SEXUAL DESENVOLVIMENTO DOS ÓRGÃOS SEXUAIS Genitália externa: Na presença de diidrotestosterona, a genitália externa se tornará masculina. DIFERENCIAÇÃO SEXUAL DESENVOLVIMENTO DOS ÓRGÃOS SEXUAIS Animação 25

26 DIFERENCIAÇÃO SEXUAL DESENVOLVIMENTO DO CÉREBRO O cérebro humano é um órgão sexualmente dimórfico: Compartilhamento de funções pelos hemisférios: mulheres > homens. Tamanho do cérebro: homens > mulheres. Núcleo supraquiasmático: homossexuais > homens e mulheres heterossexuais. Orientação sexual Terceiro núcleo intersticial do hipotálamo anterior: homens heterossexuais > homens homossexuais e mulheres heterossexuais. Comissura anterior: homens homossexuais e mulheres heterossexuais > homens heterossexuais. Identidade sexual Núcleo intersticial da estria terminal: homens heterossexuais e homens homossexuais > mulheres heterossexuais. DIFERENCIAÇÃO SEXUAL DESENVOLVIMENTO DO CÉREBRO O cérebro humano é um órgão sexualmente dimórfico: Acredita-se que o dimorfismo sexual do cérebro = exposição diferencial a andrógenos no período pré-natal e no início do período pós-natal. Fatores (ainda desconhecidos) = exposição a andrógenos em homens homossexuais e exposição a andrógenos em mulheres homossexuais: Hipóteses Estresse pré-natal: exposição a andrógenos. Algumas mulheres tornam-se sensíveis a proteínas produzidas por fetos masculinos o sistema imune da mãe afeta o desenvolvimento do cérebro dos próximos filhos. 26

SISTEMAS ENDÓCRINO E REPRODUTOR

SISTEMAS ENDÓCRINO E REPRODUTOR SISTEMAS ENDÓCRINO E REPRODUTOR Jatin Das Funções Reprodutivas e Hormônios Sexuais Masculinos A funções sexuais masculinas podem ser divididas em 3 subníveis principais: a espermatogênese, a realização

Leia mais

Fisiologia do Sistema Reprodutor Masculino. Carla Cristina Zeppenfeld Doutoranda Zootecnia

Fisiologia do Sistema Reprodutor Masculino. Carla Cristina Zeppenfeld Doutoranda Zootecnia Fisiologia do Sistema Reprodutor Masculino Carla Cristina Zeppenfeld Doutoranda Zootecnia Introdução Durante a gestação, a diferenciação sexual se dá ou não pela presença do hormônio antimülleriano e da

Leia mais

SISTEMA REPRODUTOR. Sistema reprodutor feminino

SISTEMA REPRODUTOR. Sistema reprodutor feminino SISTEMA REPRODUTOR A reprodução é de importância tremenda para os seres vivos, pois é por meio dela que os organismos transmitem suas características hereditariamente e garantem a sobrevivência de suas

Leia mais

FISIOLOGIA. 7. Sistema Reprodutor Masculino. Anatomia e Fisiologia do Sistema Reprodutor Masculino

FISIOLOGIA. 7. Sistema Reprodutor Masculino. Anatomia e Fisiologia do Sistema Reprodutor Masculino FISIOLOGIA 7. Sistema Reprodutor Masculino Sistema Reprodutor Masculino Anatomia e Fisiologia do Sistema Reprodutor Masculino Espermatogênese e condução do espermatozóide Função da Vesícula Seminal Função

Leia mais

Fisiologia Endócrina do Sistema Reprodutivo

Fisiologia Endócrina do Sistema Reprodutivo Fisiologia Endócrina do Sistema Reprodutivo Profa. Letícia Lotufo Função Reprodutiva: Diferenciação sexual Função Testicular Função Ovariana Antes e durante a gravidez 1 Diferenciação sexual Sexo Genético

Leia mais

ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO. Curso Inicial & Integração Novos Representantes

ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO. Curso Inicial & Integração Novos Representantes ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO Curso Inicial & Integração Novos Representantes 1 SISTEMA REPRODUTOR FEMININO O conjunto de órgãos do sistema reprodutor feminino tem como função principal

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA DISCIPLINA DE FISIOLOGIA GERAL HORMÔNIOS MASCULINOS

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA DISCIPLINA DE FISIOLOGIA GERAL HORMÔNIOS MASCULINOS UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA DISCIPLINA DE FISIOLOGIA GERAL HORMÔNIOS MASCULINOS Andiara Onizzolo Marques Isadora Schmachtenberg Manoela Zaccani Maristela Ullrich

Leia mais

SISTEMA REPRODUTOR FEMININO. Professor: João Paulo

SISTEMA REPRODUTOR FEMININO. Professor: João Paulo SISTEMA REPRODUTOR FEMININO Professor: João Paulo SISTEMA REPRODUTOR FEMININO É constituído por: uma vulva (genitália externa), uma vagina, um útero, duas tubas uterinas (ovidutos ou trompas de Falópio),

Leia mais

APARELHO REPRODUTOR MASCULINO

APARELHO REPRODUTOR MASCULINO APARELHO REPRODUTOR MASCULINO Aparelho Reprodutor Masculino 250 (partem septos fibrosos) TESTÍCULOS Ä Funções: produzir espermatozóides e hormônio (testosterona) Ä Desenvolvem-se dentro da cavidade abdominal,

Leia mais

Módulo de Embriologia Geral

Módulo de Embriologia Geral Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP Módulo de Embriologia Geral Responsável: Prof. Ricardo G. P. Ramos -Introdução à Embriologia Humana -Gametogênese e Fertilização Bibliografia recomendada Aspectos

Leia mais

Fisiologia humana 0 (parte IV) Hormônios e reprodução. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.

Fisiologia humana 0 (parte IV) Hormônios e reprodução. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms. Fisiologia humana 0 (parte IV) Hormônios e reprodução Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Sistema Endócrino Composto pelas glândulas endócrinas integra e regula

Leia mais

REPRODUÇÃO HUMANA. Profª Fernanda Biazin

REPRODUÇÃO HUMANA. Profª Fernanda Biazin REPRODUÇÃO HUMANA Profª Fernanda Biazin Puberdade: período de transição do desenvolvimento humano, correspondente à passagem da fase da infância para adolescência. Alterações morfológicas e fisiológicas

Leia mais

Testículos Epidídimos URI Campus de Santo Ângelo Curso de Psicologia - Anatomofisiologia Prof. Claudio Alfredo Konrat. Prof. Claudio A.

Testículos Epidídimos URI Campus de Santo Ângelo Curso de Psicologia - Anatomofisiologia Prof. Claudio Alfredo Konrat. Prof. Claudio A. Aparelho Reprodutor Masculino Sistema Reprodutor Testículos Epidídimos URI Campus de Santo Ângelo Curso de Psicologia - Anatomofisiologia Prof. Claudio Alfredo Konrat Canais Deferentes Vesículas Seminais

Leia mais

APARELHO REPRODUTOR MASCULINO. É constituído pelos testículos, dutos genitais, glândulas acessórias e pênis.

APARELHO REPRODUTOR MASCULINO. É constituído pelos testículos, dutos genitais, glândulas acessórias e pênis. REPRODUÇÃO HUMANA APARELHO REPRODUTOR MASCULINO É constituído pelos testículos, dutos genitais, glândulas acessórias e pênis. TESTÍCULO O testículo produz espermatozóides e hormônio masculino e localiza-se

Leia mais

FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO

FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO 1 UNIVERSIDADE DE CUIABÁ Atividade Presencial: estudo através de Textos e Questionários realizado em sala de aula SOBRE A FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO CADA ESTUDANTE DEVERÁ IMPRIMIR E LEVAR

Leia mais

DATA: / / DIA DA SEMANA: PERÍODO: ALUNO (A) : CURSO: Esta atividade será realizada no 2º horário de aula,

DATA: / / DIA DA SEMANA: PERÍODO: ALUNO (A) : CURSO: Esta atividade será realizada no 2º horário de aula, UNIVERSIDADE DE CUIABÁ Atividade Presencial: estudo através de Textos e Questionários realizado em sala de aula SOBRE A FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO CADA ESTUDANTE DEVERÁ IMPRIMIR E LEVAR

Leia mais

SISTEMA GENITAL MASCULINO. Testículos

SISTEMA GENITAL MASCULINO. Testículos SISTEMA GENITAL MASCULINO Testículos - São as gônadas ou glândulas sexuais masculinas. Estes encontram-se alojados numa bolsa de pele, o escroto (saco escrotal); - Na fase embrionária estão dentro da cavidade

Leia mais

Sistema Endócrino. Introdução. Glândulas e suas secreções. 1. Hipotálamo: 2. Hipófise anterior (adeno-hipófise):

Sistema Endócrino. Introdução. Glândulas e suas secreções. 1. Hipotálamo: 2. Hipófise anterior (adeno-hipófise): Introdução Sistema Endócrino O sistema endócrino é composto por um grupo de tecidos especializados (glândulas) cuja função é produzir e liberar na corrente sanguínea substâncias chamadas Hormônios. Os

Leia mais

HISTOLOGIA. Folículos ovarianos

HISTOLOGIA. Folículos ovarianos HISTOLOGIA No ovário identificamos duas porções distintas: a medula do ovário, que é constituída por tecido conjuntivo frouxo, rico em vasos sangüíneos, célula hilares (intersticiais), e a córtex do ovário,

Leia mais

Aparelho Genital Feminino

Aparelho Genital Feminino Aparelho Genital Feminino Função : Produz óvulos; Secreção de hormonas; Nutre e protege o desenvolvimento do feto. Constituição: Ovários; Trompas uterinas; Útero; Vagina; Órgãos genitais externos; Mamas.

Leia mais

HORMÔNIOS SEXUAIS SISTEMA ENDÓCRINO FISIOLOGIA HUMANA

HORMÔNIOS SEXUAIS SISTEMA ENDÓCRINO FISIOLOGIA HUMANA HORMÔNIOS SEXUAIS SISTEMA ENDÓCRINO FISIOLOGIA HUMANA GLÂNDULAS SEXUAIS GÔNADAS MASCULINAS = TESTÍCULOS GÔNADAS FEMININAS = OVÁRIOS PRODUZEM GAMETAS E HORMÔNIOS SEXUAIS CONTROLE HORMONAL DO SISTEMA TESTÍCULOS

Leia mais

Aparelho Reprodutor Feminino

Aparelho Reprodutor Feminino Aparelho Reprodutor Feminino Profa Elaine C. S. Ovalle Aparelho Reprodutor Feminino Composto por: - ovários - tubas uterinas - útero - vagina - glândulas mamárias 1 Ovários Funções do Sistema Genital Feminino

Leia mais

Sistema genital feminino pudendo feminino lábios maiores lábios menores clitóris vestíbulo vaginal clitóris uretra

Sistema genital feminino pudendo feminino lábios maiores lábios menores clitóris vestíbulo vaginal clitóris uretra Sistema Reprodutor 1. Sistema genital feminino a) Órgãos - Clítoris - Vagina - Útero - Tubas uterinas - Ovários b) Hormônios sexuais femininos c) Controle hormonal do ciclo menstrual d) Fecundação O sistema

Leia mais

VICE-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO E CORPO DISCENTE COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EMBRIOLOGIA. Ana Cristina Casagrande Vianna

VICE-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO E CORPO DISCENTE COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EMBRIOLOGIA. Ana Cristina Casagrande Vianna VICE-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO E CORPO DISCENTE COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EMBRIOLOGIA Conteudista Ana Cristina Casagrande Vianna Rio de Janeiro / 2009 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS À UNIVERSIDADE

Leia mais

FISIOLOGIA HUMANA III

FISIOLOGIA HUMANA III FISIOLOGIA HUMANA III UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO Profª Drª Silvia Aparecida Pieta Interação dos sistemas nervoso e endócrino Os sistemas nervoso e

Leia mais

Unidade 7. Fecundação. Gestação. Parto

Unidade 7. Fecundação. Gestação. Parto Unidade 7 Fecundação Gestação Parto Reprodução Sexual A fecundação resulta na formação de uma nova célula (célula-ovo ou zigoto), que dará origem a um novo indivíduo. A célula deste novo indivíduo contém

Leia mais

SISTEMA REPRODUTOR. Prof. André Maia

SISTEMA REPRODUTOR. Prof. André Maia SISTEMA REPRODUTOR Denomina-se reprodução a capacidade que os seres vivos possuem de produzir descendentes. Ocorre a reprodução sexuada no homem, ou seja, para que esta reprodução aconteça é necessário

Leia mais

3º ano-lista de exercícios-reprodução humana

3º ano-lista de exercícios-reprodução humana 1. (Udesc) Observe o gráfico a seguir em que estão representadas as curvas de crescimento (médias) de diferentes partes do corpo. (HARRISON, G. A. et al., apud SANTOS, M. A. dos. BIOLOGIA EDUCACIONAL.

Leia mais

Sistema reprodutor masculino e feminino

Sistema reprodutor masculino e feminino ANATOMIA E FISIOLOGIA DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS Sistema reprodutor masculino e feminino Valdirene Zabot valdirene@unochapeco.edu.br Introdução O sistema genital masculino está constituído principalmente por:

Leia mais

Raniê Ralph GO. 24 de Setembro de 2008. Professor Sobral. Ciclo Menstrual

Raniê Ralph GO. 24 de Setembro de 2008. Professor Sobral. Ciclo Menstrual 24 de Setembro de 2008. Professor Sobral. Ciclo Menstrual Fisiologia O ciclo menstrual para ocorrer depende de uma série de intercomunicações entre diversos compartimentos femininos. Todo o ciclo menstrual

Leia mais

29/03/2012. Biologia. Principais glândulas endócrinas humanas

29/03/2012. Biologia. Principais glândulas endócrinas humanas Biologia Tema: Módulo 01: Anatomia e fisiologia Marcos Vinícius Introdução É um sistema que juntamente com o sistema nervoso atua no controle das funções gerais do nosso organismo. É representado pelos

Leia mais

DIFERENCIAÄÅO DIFERENCIAÄÅO SEXUALSEXUAL

DIFERENCIAÄÅO DIFERENCIAÄÅO SEXUALSEXUAL DIFERENCIAÄÅO DIFERENCIAÄÅO SEXUALSEXUAL Desenvolvimento de gçnadas e de sexuais internos e externos sexo genütico - sexo gonádico - sexo fenotàpico ÉrgÑos 1 Os cromossomos sexuais determinam o sexo genético

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 41 APARELHO REPRODUTOR MASCULINO

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 41 APARELHO REPRODUTOR MASCULINO BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 41 APARELHO REPRODUTOR MASCULINO Como pode cair no enem? (PUC) A produção do hormônio luteinizante estimula as células intersticiais ou de Leydig a liberar um hormônio que,

Leia mais

Professor Fernando Stuchi

Professor Fernando Stuchi REPRODUÇÃO Aulas 2 a 5 1º Bimestre Professor Fernando Stuchi Seres Vivos Segundo a Teoria Celular, todos os seres vivos (animais e vegetais) são constituídos por células (exceção dos vírus que não possuem

Leia mais

Reprodução humana. Aula 01. Sistema genital masculino Sistema genital feminino Gametogênese. Espermatogênese Ovogênese UNIDADE 3 ESPÉCIE HUMANA

Reprodução humana. Aula 01. Sistema genital masculino Sistema genital feminino Gametogênese. Espermatogênese Ovogênese UNIDADE 3 ESPÉCIE HUMANA Reprodução humana UNIDADE 3 ESPÉCIE HUMANA Sistema genital masculino Sistema genital feminino Gametogênese CAPÍTULO 11 Espermatogênese Ovogênese Aula 01 1. SISTEMA GENITAL MASCULINO ÓRGÃOS DO SISTEMA GENITAL

Leia mais

Abstinência sexual: acto de privar-se temporária ou permanentemente da actividade sexual.

Abstinência sexual: acto de privar-se temporária ou permanentemente da actividade sexual. Glossário A Abstinência sexual: acto de privar-se temporária ou permanentemente da actividade sexual. Afrodisíaco: substância que se acredita excitar o desejo sexual e aumentar a capacidade para a actividade

Leia mais

GAMETOGÊNESES & SISTEMAS REPRODUTORES HUMANOS PROF. CARLOS FREDERICO

GAMETOGÊNESES & SISTEMAS REPRODUTORES HUMANOS PROF. CARLOS FREDERICO GAMETOGÊNESES & SISTEMAS REPRODUTORES HUMANOS PROF. CARLOS FREDERICO GAMETOGÊNESES O processo de formação de gametas, na maioria dos animais, se dád através s da meiose e recebe a denominação de gametogênese..

Leia mais

BIOLOGIA 12ºano Parte I Reprodução Humana. A estrutura anatómica reprodutiva do homem

BIOLOGIA 12ºano Parte I Reprodução Humana. A estrutura anatómica reprodutiva do homem BIOLOGIA 12ºano Parte I Reprodução Humana Mitose / Meiose Mitose Processo que decorre na divisão do núcleo das células eucarióticas, pelo que se formam núcleos com o mesmo número de cromossomas do núcleo

Leia mais

Transmissão da Vida... Fisiologia do aparelho reprodutor Ciclos Sexuais Gravidez e Parto

Transmissão da Vida... Fisiologia do aparelho reprodutor Ciclos Sexuais Gravidez e Parto Transmissão da Vida... Fisiologia do aparelho reprodutor Ciclos Sexuais Gravidez e Parto Transmissão da Vida... - Morfologia do Aparelho Reprodutor Feminino Útero Trompa de Falópio Colo do útero Vagina

Leia mais

Anatomia da Reprodução Masculina

Anatomia da Reprodução Masculina FUPAC Fundação Presidente Antônio Carlos Faculdade Presidente Antônio Carlos de Uberlândia CURSO: MEDICINA VETERINÁRIA DISCIPLINA: FISIOPATOLOGIA DA REPRODUÇÃO ANIMAL Anatomia da Reprodução Masculina Prof.

Leia mais

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros Gado de Leite 1/35 Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros Erick Fonseca de Castilho Doutor em Reprodução Animal (UFV/MG) efcmv@yahoo.com.br 2/35 Introdução Cronologia dos conceitos

Leia mais

e) O indivíduo X é o esporófito proveniente da multiplicação celular mitótica.

e) O indivíduo X é o esporófito proveniente da multiplicação celular mitótica. Aula n ọ 05 01. A meiose é um processo de divisão celular que ocorre na natureza e que visa à produção de esporos ou gametas. Esta divisão celular produz células-filhas com a metade dos cromossomos da

Leia mais

SISTEMAS GENITAIS HUMANOS

SISTEMAS GENITAIS HUMANOS https://naturalmath.wikispaces.com/birds+and+learning SISTEMAS GENITAIS HUMANOS Maximiliano Mendes 2015 maxaug.blogspot.com Youtube.com/maxaug 1 Somos uma espécie: Dioica: cada organismo possui apenas

Leia mais

Reprodução. Mantenedora das espécies Caminho da Evolução

Reprodução. Mantenedora das espécies Caminho da Evolução Reprodução Mantenedora das espécies Caminho da Evolução Breve Histórico Geração espontânea Com ajuda do microscópio... Não se esqueçam que toda teoria precisa ser testada! Pra que serve a reprodução? Tipos

Leia mais

Profa. Juliana Normando Pinheiro UNIC -Universidade de Cuiabá SISTEMA REPRODUTOR FEMININO

Profa. Juliana Normando Pinheiro UNIC -Universidade de Cuiabá SISTEMA REPRODUTOR FEMININO Profa. Juliana Normando Pinheiro UNIC -Universidade de Cuiabá SISTEMA REPRODUTOR FEMININO Funções Produz gametas: óvulos Produz hormônios da reprodução Recebe as células reprodutivas do macho Fornece local

Leia mais

COLÉGIO SÃO PAULO Rio de Janeiro, junho/2014.

COLÉGIO SÃO PAULO Rio de Janeiro, junho/2014. COLÉGIO SÃO PAULO Rio de Janeiro, junho/2014. ENSINO MÉDIO RECUPERAÇÃO PARALELA PARCIAL ORIENTAÇÃO DE ESTUDO DISCIPLINA: Biologia (2ª série) PROFESSOR: Priscila Temas/Capítulos - Cap 12 Núcleo, divisões

Leia mais

TD DE CIÊNCIAS 8ª. série PROFa. Marjory Tôrres. INTRODUÇÃO À GENÉTICA Os princípios básicos da Hereditariedade

TD DE CIÊNCIAS 8ª. série PROFa. Marjory Tôrres. INTRODUÇÃO À GENÉTICA Os princípios básicos da Hereditariedade TD DE CIÊNCIAS 8ª. série PROFa. Marjory Tôrres INTRODUÇÃO À GENÉTICA Os princípios básicos da Hereditariedade Todas as pessoas são diferentes, cada um é único, apresentam características que são próprias

Leia mais

Resumo Aula 5- Estrutura e Função dos Sistemas Endócrino e Reprodutor. Funções corporais são reguladas por dois sistemas principais: Sistema Nervoso

Resumo Aula 5- Estrutura e Função dos Sistemas Endócrino e Reprodutor. Funções corporais são reguladas por dois sistemas principais: Sistema Nervoso Curso - Psicologia Disciplina: Bases Biológicas do Comportamento Resumo Aula 5- Estrutura e Função dos Sistemas Endócrino e Reprodutor Sistema Endócrino Funções corporais são reguladas por dois sistemas

Leia mais

Biologia. Aulas 33, 34 e 35 Setor B. Prof. Rafa

Biologia. Aulas 33, 34 e 35 Setor B. Prof. Rafa Biologia Aulas 33, 34 e 35 Setor B Prof. Rafa Tipos de glândulas: Exócrinas: com ducto de saída lacrimais, mamárias, salivares, sebáceas e sudoríparas Endócrinas: sem ducto de saída, secreções (hormônios)

Leia mais

SAÚDE DA MULHER FACULDADE PITÁGORAS BETIM PROFª DANIELE REZENDE FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO

SAÚDE DA MULHER FACULDADE PITÁGORAS BETIM PROFª DANIELE REZENDE FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO SAÚDE DA MULHER FACULDADE PITÁGORAS BETIM PROFª DANIELE REZENDE FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO As estruturas reprodutivas femininas externas e internas desenvolvem-se

Leia mais

Ciclo Sexual ou Estral dos Animais Domésticos Prof. Dr. Wellerson Rodrigo Scarano Departamento de Morfologia Instituto de Biociências de Botucatu

Ciclo Sexual ou Estral dos Animais Domésticos Prof. Dr. Wellerson Rodrigo Scarano Departamento de Morfologia Instituto de Biociências de Botucatu Controle Hormonal da Gametogênese Feminina Ciclo Sexual ou Estral dos Animais Domésticos Prof. Dr. Wellerson Rodrigo Scarano Departamento de Morfologia Instituto de Biociências de Botucatu Ovários Formato

Leia mais

Classificação: valores

Classificação: valores ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS BARREIRO 1º Teste Sumativo DISCIPLINA DE BIOLOGIA 12ºano Turma A TEMA : Reprodução Humana 20 de Outubro de 2011 90 minutos Nome: Nº Classificação: valores A professora:

Leia mais

GAMETOGÊNESE MASCULINA: ESPERMATOGÊNESE ESPERMATOGÊNESE

GAMETOGÊNESE MASCULINA: ESPERMATOGÊNESE ESPERMATOGÊNESE GAMETOGÊNESE MASCULINA: ESPERMATOGÊNESE Prof. Dr. Wellerson Rodrigo Scarano 1 ESPERMATOGÊNESE Definição Processo pelo qual se formam os gametas masculinos, os espermatozóides, a partir de células germinativas

Leia mais

Sistema Endócrino. Introdução

Sistema Endócrino. Introdução Introdução A coordenação das funções do organismo é feita pelos sistemas nervoso e endócrino. Este é formado pelo conjunto das glândulas, que produzem os hormônios, substâncias lançadas no sangue que influenciam

Leia mais

Mas por que só pode entrar um espermatozóide no óvulo???

Mas por que só pode entrar um espermatozóide no óvulo??? Mas por que só pode entrar um espermatozóide no óvulo??? Lembre-se que os seres humanos só podem ter 46 cromossomos, sendo um par sexual, por exemplo: se dois espermatozóides com cromossomo sexual X e

Leia mais

EMBRIOLOGIA HUMANA. -Disciplina: Genética e Embriologia. -Profª: Ana Cristina Confortin -2014/1

EMBRIOLOGIA HUMANA. -Disciplina: Genética e Embriologia. -Profª: Ana Cristina Confortin -2014/1 EMBRIOLOGIA HUMANA -Disciplina: Genética e Embriologia -Profª: Ana Cristina Confortin -2014/1 ÚTERO * Compreender a estrutura do tero é base para compreensão dos ciclos reprodutivos e da implantação do

Leia mais

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE 15 CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP Só se constrói uma nação com cidadãos. Só se constrói cidadãos

Leia mais

Isabel Dias CEI Biologia 12

Isabel Dias CEI Biologia 12 Ciclo biológico do Homem A espécie humana reproduz-se sexuadamente com participação de indivíduos de sexo diferente. A recombinação genética assegura descendência com grande variabilidade. O ciclo de vida

Leia mais

Sistema reprodutor masculino

Sistema reprodutor masculino Sistema reprodutor masculino O sistema reprodutor masculino é composto por: Testículos Vias espermáticas Glândulas anexas Pênis Saco escrotal Assim como o pênis está localizado externamente ao corpo,

Leia mais

Puberdade Normal. Mª Joana Santos, Olinda Marques Serviço de Endocrinologia - Hospital de Braga

Puberdade Normal. Mª Joana Santos, Olinda Marques Serviço de Endocrinologia - Hospital de Braga Puberdade Normal Mª Joana Santos, Olinda Marques Serviço de Endocrinologia - Hospital de Braga Definição Fase do processo contínuo de desenvolvimento, que vai desde o início dos primeiros sinais pubertários

Leia mais

Anatomia e Fisiologia Humana

Anatomia e Fisiologia Humana Introdução Boa parte do funcionamento do corpo humano depende da comunicação entre as células por meio de mensageiros químicos que viajam pelos sangue. Conjunto de células produtoras de hormônios. Hormônios

Leia mais

Fisiologia do Sistema Endócrino-I

Fisiologia do Sistema Endócrino-I Curso Preparatório para Residência em Enfermagem-2012 Fisiologia do Sistema Endócrino-I Prof. Fernando Ramos Gonçalves -Msc Glândulas endócrinas: Funções: Secreções de substâncias (hormônios) que atuam

Leia mais

Sistema Endócrino É UM SISTEMA SOFISTICADO E SENSÍVEL FORMADO POR VÁRIOS ÓRGÃOS OU

Sistema Endócrino É UM SISTEMA SOFISTICADO E SENSÍVEL FORMADO POR VÁRIOS ÓRGÃOS OU SISTEMA ENDRÓCRINO Sistema Endócrino É UM SISTEMA SOFISTICADO E SENSÍVEL FORMADO POR VÁRIOS ÓRGÃOS OU GLÂNDULAS DIFERENTES QUE SECRETAM HORMÔNIOS. OS HORMÔNIOS SÃO MENSAGEIROS QUÍMICOS,GERALMENTE TRANSPORTADOS

Leia mais

GAMETOGÊNESE E INTERAÇÃO HORMONAL: ESPERMATOGÊNESE E OVOGÊNESE

GAMETOGÊNESE E INTERAÇÃO HORMONAL: ESPERMATOGÊNESE E OVOGÊNESE GAMETOGÊNESE E INTERAÇÃO HORMONAL: ESPERMATOGÊNESE E OVOGÊNESE Professora: Valeska Silva Lucena valeskasl@hotmail.com OBJETIVOS Conhecer o que é gametogênese; Reconhecer a importância da gametogênese e

Leia mais

O que é a sexualidade?

O que é a sexualidade? O que é a sexualidade? Desde cedo, tendo em conta as características do nosso corpo, é-nos atribuído um sexo: Possuem um pénis. Masculino Feminino Possuem uma vagina. Caracteres sexuais primários Apresentam

Leia mais

SISTEMA UROGENITAL MASCULINO: ASPECTOS EMBRIOLÓGICOS. Profa. Dra. Maria. Spadella Disciplina Embriologia Humana FAMEMA

SISTEMA UROGENITAL MASCULINO: ASPECTOS EMBRIOLÓGICOS. Profa. Dra. Maria. Spadella Disciplina Embriologia Humana FAMEMA SISTEMA UROGENITAL MASCULINO: ASPECTOS EMBRIOLÓGICOS Profa. Dra. Maria Angélica Spadella Disciplina Embriologia Humana FAMEMA Sistema Urogenital Sistema urinário: Excreção Sistema genital: Reprodução Origem

Leia mais

Biologia 12ºAno. Autor: Francisco Cubal. Unidade da Reprodução Humana até Anexos Embrionários

Biologia 12ºAno. Autor: Francisco Cubal. Unidade da Reprodução Humana até Anexos Embrionários Biologia 12ºAno Autor: Francisco Cubal Unidade da Reprodução Humana até Anexos Embrionários 1. Aparelho Reprodutor Masculino Aparelho Reprodutor Masculino Órgãos Externos Órgãos Internos Escroto (Envolve

Leia mais

Reprodução dos Seres Vivos Reprodução Humana Extras. Sistema Reprodutor. Prof. Thiago Lins. tiagolinsnasc@gmail.com 1 /32

Reprodução dos Seres Vivos Reprodução Humana Extras. Sistema Reprodutor. Prof. Thiago Lins. tiagolinsnasc@gmail.com 1 /32 Sistema Reprodutor Prof. Thiago Lins tiagolinsnasc@gmail.com 2014 1 /32 Sumário Reprodução dos Seres Vivos 1 Reprodução dos Seres Vivos Reprodução Tipos de Reprodução Tipos de desenvolvimento nos vertebrados

Leia mais

ANATOMIA HUMANA II. Sistema Urinário

ANATOMIA HUMANA II. Sistema Urinário ANATOMIA HUMANA II Educação Física Sistema Genito-urinário Prof. Me. Fabio Milioni Sistema Urinário Função Excretar substâncias do corpo urina (Micção) (ác. úrico, ureia, sódio, potássio, etc) Órgãos rins

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO PREPARATÓRIO 2016 / PROGRAMA DA DISCIPLINA DE BIOLOGIA

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO PREPARATÓRIO 2016 / PROGRAMA DA DISCIPLINA DE BIOLOGIA OBJECTIVOS ESPECÍFICOS: 1. CONHECER: a) Conceitos fundamentais utilizados em Biologia; b) Os níveis de organização da matéria viva; c) A célula como a unidade morfo-funcional de todos seres vivos; d) Os

Leia mais

FISIOLOGIA DO EIXO HIPOTÁLAMO - HIPÓFISE OVÁRIO. Rosy Ane de Jesus Pereira Araujo Barros

FISIOLOGIA DO EIXO HIPOTÁLAMO - HIPÓFISE OVÁRIO. Rosy Ane de Jesus Pereira Araujo Barros FISIOLOGIA DO EIXO HIPOTÁLAMO - HIPÓFISE OVÁRIO Rosy Ane de Jesus Pereira Araujo Barros CICLO MENSTRUAL A menstruação é um sangramento genital periódico e temporário na mulher. É um importantes marcador

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá Disciplina de Embriologia Material organizado e elaborado pela professora LUZMARINA HERNANDES GAMETOGÊNESE

Universidade Estadual de Maringá Disciplina de Embriologia Material organizado e elaborado pela professora LUZMARINA HERNANDES GAMETOGÊNESE Universidade Estadual de Maringá Disciplina de Embriologia Material organizado e elaborado pela professora LUZMARINA HERNANDES GAMETOGÊNESE Os gametas são os veículos de transferência dos genes para as

Leia mais

Hipófise (ou glândula Pituitária)

Hipófise (ou glândula Pituitária) Sistema Hormonal Sistema Hormonal O sistema endócrino é formado pelo conjunto de glândulas endócrinas, as quais são responsáveis pela secreção de substância denominadas hormonas. As glândulas endócrinas

Leia mais

BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 37 REPRODUTOR MASCULINO

BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 37 REPRODUTOR MASCULINO BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 37 REPRODUTOR MASCULINO Bexiga urinária Vesícula seminal Canal deferente Osso Púbis Pênis Uretra Corpos cavernosos Glande peniana Prepúcio Escroto Testículo Glândula bulbouretal

Leia mais

ANATOMIA DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS Sistema Endócrino

ANATOMIA DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS Sistema Endócrino ANATOMIA DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS Sistema Endócrino O sistema nervoso e as glândulas endócrinas são os dois principais mecanismos de comunicação e coordenação do corpo humano. Eles regulam quase todos os

Leia mais

Histologia e Embriologia do Sistema Genital Feminino

Histologia e Embriologia do Sistema Genital Feminino Universidade Federal do Pampa Campus Uruguaiana - Curso de Medicina Veterinária Disciplina de Histologia e Embriologia Animal II Histologia e Embriologia do Sistema Genital Feminino Daniela dos Santos

Leia mais

TESTE DE AVALIAÇÃO ESCRITA º 2 MÓDULO 2. Prova Escrita de Consulta da Disciplina de Saúde Infantil

TESTE DE AVALIAÇÃO ESCRITA º 2 MÓDULO 2. Prova Escrita de Consulta da Disciplina de Saúde Infantil TESTE DE AVALIAÇÃO ESCRITA º 2 MÓDULO 2 Curso Profissional de Técnico de Apoio à Infância/Ensino Secundário Prova Escrita de Consulta da Disciplina de Saúde Infantil Turma [I] do 10º Ano de Escolaridade

Leia mais

CIÊNCIAS DA NATUREZA REVISÃO 1 REVISÃO 2 INTERATIVIDADE SISTEMA SOLAR

CIÊNCIAS DA NATUREZA REVISÃO 1 REVISÃO 2 INTERATIVIDADE SISTEMA SOLAR SISTEMA SOLAR 2 Aula de Revisão 1 Planeta terra Somos todos habitantes do planeta Terra. É nosso dever mantê-lo habitável. 3 Planeta Terra habitável 4 Planeta Terra não habitável 5 Dicas para cuidar melhor

Leia mais

OVÁRIOS. Fonte de gametas e hormônios

OVÁRIOS. Fonte de gametas e hormônios OVÁRIOS Fonte de gametas e hormônios OVOGÊNESE No feto células germinativas multiplicamse ovogônias Cresce meiose I para na prófase I ovócito I nascimento milhares de ovócitos primários. Ovócito primário

Leia mais

Fisiologia do Sistema Reprodutivo

Fisiologia do Sistema Reprodutivo Fisiologia do Sistema Reprodutivo Profa. Geanne Matos de Andrade Depto de Fisiologia e Farmacologia Objetivos ajudar o estudante a: Descrev er em linhas gerais o papel dos hormônios e fatores relacionados

Leia mais

7ª série / 8º ano U. E. 11

7ª série / 8º ano U. E. 11 7ª série / 8º ano U. E. 11 Os sistemas genitais masculino e feminino A espécie humana se reproduz sexuadamente. As células reprodutivas femininas os óvulos são produzidas nos ovários da mulher, e as células

Leia mais

O que é gametogênese?

O que é gametogênese? O que é gametogênese? É o processo pelo qual os gametas são produzidos nos organismos dotados de reprodução sexuada. Nos animais, a gametogênese acontece nas gônadas, órgãos que também produzem os hormônios

Leia mais

Reprodução Humana Assistida 2011/2012

Reprodução Humana Assistida 2011/2012 Reprodução Humana Assistida 2011/2012 HORMONAS SEXUAIS HIPOFIOTRÓFICAS HORMONAS PRODUZIDAS PELA HIPÓFISE ANTERIOR Reprodução Humana Assistida (2011-2012) Acção das Hormonas Sexuais Fisiologia da Reprodução

Leia mais

CONTROLE E INTEGRAÇÂO

CONTROLE E INTEGRAÇÂO CONTROLE E INTEGRAÇÂO A homeostase é atingida através de uma série de mecanismos reguladores que envolve todos os órgãos do corpo. Dois sistemas, entretanto, são destinados exclusivamente para a regulação

Leia mais

A neurohipófise tem comunicação

A neurohipófise tem comunicação A aula de hoje é sobre o eixo hipotálamohipófise - ovário. Porque que nós vamos falar desse eixo? Porque é ele que rege toda a fisiologia hormonal feminina, então pra nós falarmos do ciclo menstrual, nós

Leia mais

Aspectos biológicos e emocionais

Aspectos biológicos e emocionais Aspectos biológicos e emocionais a. Biologia da reprodução humana Do ponto de vista biológico, o objectivo do sexo é fundir dois grupos de informações genéticas, um da mãe e outro do pai, para formar um

Leia mais

Quais hormônios regulam a ovogênese?

Quais hormônios regulam a ovogênese? Controle Endócrino da Ovogênese Ciclo Sexual Feminino Prof. Dr. Wellerson Rodrigo Scarano Departamento de Morfologia 1 Quais hormônios regulam a ovogênese? 2 1 CONTROLE HORMONAL DA OVOGÊNESE A ovogênese

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 42 APARELHO REPRODUTOR FEMININO

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 42 APARELHO REPRODUTOR FEMININO BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 42 APARELHO REPRODUTOR FEMININO Fixação 1) (UERJ) O gráfico abaixo ilustra um padrão de níveis plasmáticos de vários hormônios durante o ciclo menstrual da mulher. a) Estabeleça

Leia mais

Anatomia e fisiologia dos Órgãos Reprodutores Femininos. # Divididos em dois grupos: órgãos internos e genitália externa

Anatomia e fisiologia dos Órgãos Reprodutores Femininos. # Divididos em dois grupos: órgãos internos e genitália externa 1 Anatomia e fisiologia dos Órgãos Reprodutores Femininos # Divididos em dois grupos: órgãos internos e genitália externa Órgãos Reprodutores Externos (fig.01) - Monte de Vênus (monte pubiano): Constituído

Leia mais

Perpetuando a vida - 2

Perpetuando a vida - 2 A U A UL LA Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Perpetuando a vida - 2 Atenção - Maria, olhe só o resultado do exame: positivo para gonadotrofina coriônica! Alberto e Maria olharam um para o outro, sem

Leia mais

FISIOLOGIA REPRODUTIVA DO MACHO BOVINO

FISIOLOGIA REPRODUTIVA DO MACHO BOVINO FISIOLOGIA REPRODUTIVA DO MACHO BOVINO O sistema reprodutivo masculino é constituído de diversos órgãos peculiares que atuam em conjunto para produzir espermatozóides e liberá- los no sistema reprodutor

Leia mais

Aula 23 Sistema endócrino

Aula 23 Sistema endócrino Aula 23 Sistema endócrino O sistema endócrino é formado por órgãos e tecidos que secretam hormônios. Os hormônios são lançados na corrente sangüínea e influenciam a atividade de células, órgãos ou sistemas.

Leia mais

Bem Explicado - Centro de Explicações Lda. C.N. 9º Ano Reprodução humana

Bem Explicado - Centro de Explicações Lda. C.N. 9º Ano Reprodução humana Bem Explicado - Centro de Explicações Lda. C.N. 9º Ano Reprodução humana Nome: Data: / / 1. Os sistemas reprodutores masculino e feminino são diferentes apesar de serem constituídos por estruturas com

Leia mais