OPORTUNIDADES E DESAFIOS DO SISCOSERV Agosto/2013

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OPORTUNIDADES E DESAFIOS DO SISCOSERV Agosto/2013"

Transcrição

1 OPORTUNIDADES E DESAFIOS DO SISCOSERV Agosto/2013

2 O QUE É O SISCOSERV? O Siscoserv é um sistema informatizado, desenvolvido pelo Governo Federal como ferramenta para o aprimoramento das ações de estímulo, formulação, acompanhamento e aferição das políticas públicas relacionadas a serviços e intangíveis bem como para a orientação de estratégias empresariais de comércio exterior de serviços e intangíveis. Carência de informações detalhadas sobre o comércio exterior de intangíveis. Déficits crescentes na conta de serviços do balanço de pagamentos. Dificuldade na fiscalização dos tributos e contribuições incidentes sobre serviços e intangíveis (importação e exportação). Acordo Geral sobre Comércio de Serviços da OMC (GATS - Decreto nº 1.355/94).

3 HISTÓRICO LEGISLATIVO (SÍNTESE) Edição da Lei / HISTÓRICO Acordo de Cooperação Técnica 36/2008 e Termos Aditivos 001/2011 e 002/2012. Portaria Conjunta 170/2008 MDIC/MF/BACEN. Portaria SCS 01/2010. Publicação do Decreto 7.708/2012 da NBS/NEBS e Portaria MDIC 113/2012 Publicação da IN RFB 1.277/2012 RFB/MF Portaria Conjunta SCS/MDIC e RFB/MF 1.908/2012 Entrada em funcionamento do SISCOSERV - (Módulo Venda e Módulo Aquisição) - 1º agosto de 2012 * * Prorrogado pela Portaria Conjunta SCS/MDIC e RFB/MF 2.319/2012, e IN RFB 1.298/2012 (180 dias). **As Portarias Conjuntas SCS/MDIC e RFB/MF 1.865/2012, 2.195/2012, 2.328/2012 e 2.860/2012 foram revogadas Portaria Conjunta SCS/MDIC e RFB/MF 232/2013, IN RFB 1.336/2013 e Portaria MDIC 261/2013 (alteração do prazo dos registros e das sanções) Portaria Conjunta SCS/MDIC e RFB/MF 275/2013 (5ª Versão dos Manuais)**

4 SISCOSERV OBRIGATORIEDADE (OPERAÇÕES) operações de exportação e importação de serviços, intangíveis e demais operações; operações realizadas por meio de presença comercial* no exterior relacionada a pessoa jurídica domiciliada no Brasil. 1 - EXEMPLOS DE OPERAÇÕES SUJEITAS AO REGISTRO: serviços de engenharia, fornecimento de refeições, serviços de correio, rateio de despesas, marcas, patentes, licenças, arrendamento mercantil, securitização, despesas com executivos no exterior, aluguel de bem imóvel (?), mútuos(?). 2 Todas as operações que produzem variações no patrimônio que estejam listadas na NBS. 3 Controladas indiretas x presença comercial (?) *Neste caso, entende-se por "Presença Comercial qualquer tipo de estabelecimento comercial ou profissional, inclusive sob a forma da constituição, aquisição ou manutenção de uma pessoa jurídica, ou da criação ou manutenção de uma sucursal ou escritório de representações, no território de um membro para o depósito da prestação de um serviço, conforme definido na letra "d" do artigo XXVIII do GATS (Acordo Geral sobre Comércio de Serviços), aprovado pelo Decreto Legislativo nº 30/1994, e promulgado pelo Decreto nº 1.355/1994.

5 SISCOSERV DISPENSA (OPERAÇÕES) Optantes Simples Nacional e o Microempreendedor Individual (MEI). as pessoas físicas residentes no País que, em nome individual, não explorem, habitual e profissionalmente, qualquer atividade econômica de natureza civil ou comercial, com o fim especulativo de lucro, desde que não realizem operações em valor superior a US$ ,00 (trinta mil dólares americanos), ou o equivalente em outra moeda, no mês (Portaria MDIC nº 261, de 22/08/2013). Regras de dispensa aplicáveis desde que não tenham utilizado mecanismos de apoio ao comércio exterior de serviços, de intangíveis.* * Exemplos de mecanismos de apoio (relação completa nos Manuais: ACC, BNDES Prosoft, PROEX, REIDI, REPENEC, RETAERO, EVENTOS FIFA, Arrendamento Mercantil de Bens de Capital, Royalties, Assistência Técnica Científica e Assemelhadas, OMC.

6 SISCOSERV - REGISTRO MÓDULO VENDA Modo 1 - Come rcio Transfronteiriço Modo 2 - Consumo no Brasil Modo 3 - Presença comercial no exterior Modo 4 Movimento temporário de pessoas físicas RVS Registro de Venda de Serviço RF Registro de Faturamento MÓDULO AQUISIÇÃO Modo 1 - Come rcio Transfronteiriço Modo 2 - Consumo no Exterior Modo 3 - Presença comercial no Brasil (não é registrada no SISCOSERV) Modo 4 Movimento temporário de pessoas físicas RAS Registro de Aquisição de Serviço RP Registro de Pagamento

7 SISCOSERV PRAZO PARA O REGISTRO (RAS ou RVS) * De 01/01/2014 até 31/12/2014, o último dia útil do 3º (terceiro) mês subseqüente à data de início da prestação de serviço, da comercialização de intangível, ou da realização da operação que produza variação no patrimônio das pessoas físicas, das pessoas jurídicas ou dos entes despersonalizados (Portaria MDIC nº 261, de 22/08/2013).

8 SISCOSERV PRAZO PARA O REGISTRO (RP ou RF)

9 SISCOSERV PRAZO PARA O REGISTRO (RP ou RF)

10 SISCOSERV CRONOGRAMA DE INÍCIO (Prorrogados por 180 dias) NBS Capítulo 1 Serviços de construção Capítulo 7 Serviços postais; serviços de coleta, remessa ou entrega de documentos (exceto cartas) ou de pequenos objetos; serviços de remessas expressas Capítulo 20 Serviços de manutenção, reparação e instalação (exceto construção) Capítulo 3 Fornecimento de alimentação e bebidas e serviços de hospedagem Capítulo 13 Serviços jurídicos e contábeis Capítulo 14 Outros serviços profissionais Capítulo 21 Serviços de publicação, impressão e reprodução Capítulo 26 Serviços pessoais Capítulo 2 Serviços de distribuição de mercadorias; serviços de despachante aduaneiro Capítulo 10 Serviços imobiliários Capítulo 18 Serviços de apoio às atividades empresariais DATA 01/08/2012 (Iniciado) 01/10/2012 (Iniciado) 01/12/2012 (Iniciado)

11 SISCOSERV CRONOGRAMA DE INÍCIO (Prorrogados por 180 dias) NBS Capítulo 9 Serviços financeiros e relacionados; securitização de recebíveis e fomento comercial Capítulo 15 Serviços de tecnologia da informação Capítulo 4 Serviços de transporte de passageiros Capítulo 5 Serviços de transporte de cargas Capítulo 6 Serviços de apoio aos transportes Capítulo 11 Arrendamento mercantil operacional, propriedade intelectual, franquias empresariais e exploração de outros direitos Capítulo 12 Serviços de pesquisa e desenvolvimento Capítulo 25 Serviços recreativos, culturais e desportivos Capítulo 27 Cessão de direitos de propriedade intelectual DATA 01/02/2013 (Iniciado) 01/04/2013 (Iniciado) 01/07/2013 (Iniciado)

12 SISCOSERV CRONOGRAMA DE INÍCIO (Prorrogados por 180 dias) NBS Capítulo 8 Serviços de transmissão e distribuição de eletricidade; serviços de distribuição de gás e água Capítulo 17 Serviços de telecomunicação, difusão e fornecimento de informações Capítulo 19 Serviços de apoio às atividades agropecuárias, silvicultura, pesca, aquicultura, extração mineral, eletricidade, gás e água Capítulo 22 Serviços educacionais Capítulo 23 Serviços relacionados à saúde humana e de assistência social Capítulo 24 Serviços de tratamento, eliminação e coleta de resíduos sólidos, saneamento, remediação e serviços ambientais DATA 01/10/2013

13 NBS Nomenclatura Brasileira de Servic os, Intangi veis e Outras Operações que Produzam Variac o es no Patrimo nio - Decreto nº 7.708, de 02/04/2012. Permite a identificação precisa do serviço sob a ótica de produto e não de atividade econômica. Já utilizada em na definição dos serviços elegíveis ao financiamento no âmbito do Programa de Financiamento às Exportações (PROEX) e na ampliação dos serviços elegíveis aos Adiantamentos de Contrato de Câmbio (ACC) e Adiantamento de Cambiais Entregues (ACE). Pode ser objeto de processo administrativo de consulta. NBS x ISS Aviso de consulta pública (26/03/2013) proposta de alterações / inclusões na NBS

14 SISCOSERV PENALIDADES LEI nº , de 27/12/2012 Art. 8 o O art. 57 da Medida Provisória n o , de 24 de agosto de 2001, passa a vigorar com a seguinte redação: Art. 57. O sujeito passivo que deixar de apresentar nos prazos fixados declaração, demonstrativo ou escrituração digital exigidos nos termos do art. 16 da Lei n o 9.779, de 19 de janeiro de 1999, ou que os apresentar com incorreções ou omissões será intimado para apresentá-los ou para prestar esclarecimentos nos prazos estipulados pela Secretaria da Receita Federal do Brasil e sujeitar-se-á às seguintes multas: I - por apresentação extemporânea: a) R$ 500,00 (quinhentos reais) por mês-calendário ou fração, relativamente às pessoas jurídicas que, na última declaração apresentada, tenham apurado lucro presumido; b) R$ 1.500,00 (mil e quinhentos reais) por mês-calendário ou fração, relativamente às pessoas jurídicas que, na última declaração apresentada, tenham apurado lucro real ou tenham optado pelo autoarbitramento; II - por não atendimento à intimação da Secretaria da Receita Federal do Brasil, para apresentar declaração, demonstrativo ou escrituração digital ou para prestar esclarecimentos, nos prazos estipulados pela autoridade fiscal, que nunca serão inferiores a 45 (quarenta e cinco) dias: R$ l.000,00 (mil reais) por mês-calendário; III - por apresentar declaração, demonstrativo ou escrituração digital com informações inexatas, incompletas ou omitidas: 0,2% (dois décimos por cento), não inferior a R$ 100,00 (cem reais), sobre o faturamento do mês anterior ao da entrega da declaração, demonstrativo ou escrituração equivocada, assim entendido como a receita decorrente das vendas de mercadorias e serviços. 1 o Na hipótese de pessoa jurídica optante pelo Simples Nacional, os valores e o percentual referidos nos incisos II e III deste artigo serão reduzidos em 70% (setenta por cento). 2 o Para fins do disposto no inciso I, em relação às pessoas jurídicas que, na última declaração, tenham utilizado mais de uma forma de apuração do lucro, ou tenham realizado algum evento de reorganização societária, deverá ser aplicada a multa de que trata a alínea b do inciso I do caput. 3 o A multa prevista no inciso I será reduzida à metade, quando a declaração, demonstrativo ou escrituração digital for apresentado após o prazo, mas antes de qualquer procedimento de ofício. (NR)

15 SISCOSERV PENALIDADES ATÉ 26/02/2013 IN RFB Nº 1.277/2012 de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) por mês ou fração de atraso, relativamente às pessoas jurídicas, no caso de prestação de informação fora dos prazos estabelecidos. de 5% (cinco por cento), não inferior a R$ 100,00 (cem reais), do valor das transações com residentes ou domiciliados no exterior, próprios da pessoa jurídica ou de terceiros em relação aos quais seja responsável tributário, no caso de informação omitida, inexata ou incompleta. A PARTIR DE 27/02/2013 IN RFB Nº 1.336/2013 a) R$ 500,00 (quinhentos reais) por mês-calendário ou fração, relativamente às pessoas jurídicas que, na última declaração apresentada, tenham apurado lucro presumido; b) R$ 1.500,00 (um mil e quinhentos reais) por mêscalendário ou fração, relativamente às pessoas jurídicas que, na última declaração apresentada, tenham apurado lucro real ou tenham optado pelo auto-arbitramento. por não atendimento à intimação da RFB, para prestar as informações ou esclarecimentos, nos prazos estipulados pela autoridade fiscal, que nunca serão inferiores a 45 dias: R$ 1.000,00 por mês-calendário.. por omitir informações ou prestar informações inexatas ou incompletas: 0,2% (dois décimos por cento), não inferior a R$ 100,00 (cem reais), sobre o faturamento do mês anterior ao da prestação da informação equivocada, assim entendido como a receita decorrente das vendas de mercadorias e serviços.

16 SISCOSERV PENALIDADES AS MULTAS DO SISCOSERV PASSARAM A SER DE NATUREZA TRIBUTÁRIA? HOUVE PENALIZAÇÃO? ESSAS PENALIDADES PODERIAM SER IMPOSTAS POR INSTRUÇÃO NORMATIVA? HÁ RISCO DE CONFISCO? Imagine a imposição de multa de 0,2% sobre o faturamento de uma empresa que auferiu receitas de R$ ,00 mensais (Acima de R$ ,00= prejuízo) Fenacon

17 SISCOSERV A QUESTÃO DAS DESPESAS REALIZADAS PELOS FUNCIONÁRIOS NO EXTERIOR As empresas domiciliadas no País deverão registrar pelos seus montantes acumulados mensalmente, por NBS e por País, as operações relativas à aquisição de serviços, intangíveis e outras operações de residentes ou domiciliados no exterior, que envolvam o movimento temporário de profissionais, com vínculo empregatício ou subcontratados. Nesse caso, a data de início será o primeiro dia do mês e a data de conclusão será o último dia do mês, para as operações ocorridas nesse período. Dificuldades inclusive para NBS correta

18 Processo de Consulta nº 106/13 Órgão: Superintendência Regional da Receita Federal - SRRF / 9a. Região Fiscal Assunto: Obrigações Acessórias Ementa: SISCOSERV. OPERAÇÃO COM MERCADORIAS. INCOTERM. SERVIÇOS CONEXOS. Nas operações de comércio exterior de bens e mercadorias, os serviços conexos, tais como transporte, seguro e de agentes externos, podem ser objeto de registro no Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio (Siscoserv), pois não são incorporados aos bens e mercadorias. Nessas operações, a definição dos serviços que devem ser registrados depende do Incoterm utilizado na operação, que define a repartição das responsabilidades do importador e do exportador pela contratação e pagamento do serviço - p.ex., o momento em que a mercadoria é colocada a bordo do navio, no preço FOB. Assim, no caso de importação de mercadorias, devem ser registrados no Módulo Compra do Siscoserv os serviços prestados por residentes ou domiciliados no exterior, a partir do ponto em que sua contratação e pagamento são de responsabilidade do importador residente ou domiciliado no País. E no caso de exportação de mercadorias, devem ser registrados no Módulo Venda do Siscoserv os serviços prestados por residente ou domiciliado no País, a partir do ponto em que sua contratação e pagamento são de responsabilidade do importador residente ou domiciliado no exterior. SISCOSERV. RESPONSABILIDADE PELO REGISTRO. A responsabilidade jurídica pelo registro no Siscoserv é do residente ou domiciliado no País que mantém relação contratual com residente ou domiciliado no exterior para prestação do serviço. Por esse motivo, p.ex.: (i) no comércio exterior de bens e mercadorias, a responsabilidade pelo registro no Siscoserv dos serviços conexos é do importador ou exportador, não do despachante aduaneiro; (ii) na importação de mercadorias por conta e ordem, a responsabilidade pelo registro no Siscoserv é do adquirente e do importador, cada qual pelos serviços conexos que contratar; e (iii) na importação de mercadorias por encomenda, a responsabilidade pelo registro no Siscoserv dos serviços conexos é do importador, não do encomendante. SISCOSERV. AGENCIAMENTO DE FRETE. No comércio exterior de bens e mercadorias, havendo agenciamento de frete prestado por residente ou domiciliado no País para transportador residente ou domiciliado no exterior: (i) o registro do contrato de transporte no Módulo Compra do Siscoserv é de responsabilidade do agenciador e o valor a registrar corresponderá ao do frete; e (ii) o registro do contrato de agenciamento no Módulo Venda do Siscoserv também é de responsabilidade do agenciador mas o valor a registrar corresponderá ao da comissão ou corretagem. Dispositivos Legais: IN RFB nº 1.277, de 2012, art. 1º, 1º, II, 4º; Portaria Conjunta RFB/SCS nº 275, de MARCO ANTÔNIO FERREIRA POSSETTI Chefe (Data da Decisão: ) RFB

19 Observância dos Manuais. DEMAIS CONSIDERAÇÕES Data de início da prestação dos serviços: O MIDC entende que é a efetiva prestação desses serviços, e não o contrato. (Ex: se a empresa firmar contrato de prestação de serviços de engenharia com uma empresa o exterior em 27/03/2013, para que o serviços seja prestado daqui a 5 anos, somente daqui a 5 anos as informações deverão ser inseridas no SISCOSERV). Data de início da transferência do intangível: data do efetivo início da fruição do direito. O registro no SISCOSERV independe da contratação de câmbio, do meio de pagamento ou da existência de um contrato formal (ex: pagamento com notas de débito). Cuidados com cost sharings. Reembolso de despesas: o MDIC entende que, por se tratar de transac ão financeira, não deve ser apontada no SISCOSERV.

20 DEMAIS CONSIDERAÇÕES Quitação de créditos e débitos entre residentes no exterior e residentes no País, sem movimentação cambial, por meio de simples lançamentos contábeis: a compensação privada de créditos e débitos é vedada pelo Decreto-Lei 9.025, de Sujeito a multas. Transfer Pricing Data de conclusão desconhecida: sugere-se incluir o início dos serviços quando demandados ou registrar periodicamente (mensal ou anualmente). Desconhecimento do valor: deve-se estimar para inclusão. MEP e registros das empresas controladoras e controladas: não é necessário

21 Allan Moraes Daniel Berselli Marinho

SISCOSERV: UMA VISÃO SOBRE O SISTEMA E SUA IMPLANTAÇÃO NAS EMPRESAS Setembro/2013

SISCOSERV: UMA VISÃO SOBRE O SISTEMA E SUA IMPLANTAÇÃO NAS EMPRESAS Setembro/2013 SISCOSERV: UMA VISÃO SOBRE O SISTEMA E SUA IMPLANTAÇÃO NAS EMPRESAS Setembro/2013 O QUE É O SISCOSERV? O Siscoserv é um sistema informatizado, desenvolvido pelo Governo Federal como ferramenta para o aprimoramento

Leia mais

SISCOSERV LEGISLAÇÃO. Que operações deverão ser registradas no Siscoserv?

SISCOSERV LEGISLAÇÃO. Que operações deverão ser registradas no Siscoserv? SISCOSERV Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e outras Operações que produzam Variações ao Patrimônio. Coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento, da Indústria e do Comércio

Leia mais

SISCOSERV. Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e de Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio

SISCOSERV. Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e de Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio SISCOSERV Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e de Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio Origem e Finalidade Temas a serem analisados: Obrigatoriedade e Dispensa

Leia mais

MARIA ILENE IMLAU WINTER Palestrante

MARIA ILENE IMLAU WINTER Palestrante MARIA ILENE IMLAU WINTER Palestrante 1. Definição 2. Obrigatoriedade 3. Dispensa 4. Forma de Apresentação 5. Prazo de Entrega 6. Módulos do Siscoserv 6.1. Módulo Venda 6.2. Módulo Aquisição 7. Penalidades

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR (SISCOSERV) SERVIÇOS (1), INTANGÍVEIS (2) E OUTRAS OPERAÇÕES QUE PRODUZAM VARIAÇÕES NO PATRIMÔNIO SISCOSERV

SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR (SISCOSERV) SERVIÇOS (1), INTANGÍVEIS (2) E OUTRAS OPERAÇÕES QUE PRODUZAM VARIAÇÕES NO PATRIMÔNIO SISCOSERV SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR (SISCOSERV) SERVIÇOS (1), INTANGÍVEIS (2) E OUTRAS OPERAÇÕES QUE PRODUZAM VARIAÇÕES NO PATRIMÔNIO SISCOSERV Domingos de Torre 20.12.2012 BASE LEGISLATIVA E FONTE

Leia mais

Prezado Cliente, 1. FINALIDADE DO SISCOSERV

Prezado Cliente, 1. FINALIDADE DO SISCOSERV Prezado Cliente, Tem o presente, a finalidade de informa-los e orienta-los quanto à nova obrigação criada pela Receita Federal do Brasil o SISCOSERV (Portaria Conjunta RFB/SCS nº 1.908, de 19.07.2012).

Leia mais

SISCOSERV. Marcia Hashimoto

SISCOSERV. Marcia Hashimoto SISCOSERV Marcia Hashimoto Como detectar se sua empresa está enquadrada nesta obrigatoriedade? O que é Quem Onde Quando Como Porquê Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras

Leia mais

3. Procedimentos relativos ao registro no Módulo Aquisição... 10

3. Procedimentos relativos ao registro no Módulo Aquisição... 10 Sumário 1. Sobre o Siscoserv... 3 1.1 Introdução... 3 1.2 Base Legal do Siscoserv... 3 1.3 Módulos Venda e Aquisição do Siscoserv... 3 1.4 Registros no Módulo Venda... 3 1.5 Registros no Módulo Aquisição...

Leia mais

Area : Fiscal Data: 11/08/2015 Autor : Sueli Sousa Revisor : Sueli Sousa

Area : Fiscal Data: 11/08/2015 Autor : Sueli Sousa Revisor : Sueli Sousa 2015-08/02 - Boletim Informativo SISCOSERV Area : Fiscal Data: 11/08/2015 Autor : Sueli Sousa Revisor : Sueli Sousa IRKO Organização Contábil Ltda. Rua Dom Jose de Barros, 177 2º andar São Paulo - Fone:

Leia mais

Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços - ENAServ. Dinâmica 1: Siscoserv e NBS Dúvidas e Propostas. São Paulo, 25 de junho de 2013

Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços - ENAServ. Dinâmica 1: Siscoserv e NBS Dúvidas e Propostas. São Paulo, 25 de junho de 2013 Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços - ENAServ Dinâmica 1: Siscoserv e NBS Dúvidas e Propostas São Paulo, 25 de junho de 2013 SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS, INTANGÍVEIS

Leia mais

Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio SISCOSERV

Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio SISCOSERV Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio SISCOSERV Origem Acordo de cooperação técnica firmado entre a Secretaria de Comércio

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS (SISCOSERV) Daniel de Oliveira Braga 08 de outubro de 2012

SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS (SISCOSERV) Daniel de Oliveira Braga 08 de outubro de 2012 SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS (SISCOSERV) Daniel de Oliveira Braga 08 de outubro de 2012 SISCOSERV Base Legal Lei nº 12.546 de 14/12/2011, em seus artigos 25 a 27, institui a obrigação

Leia mais

Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio (SISCOSERV)

Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio (SISCOSERV) Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio (SISCOSERV) Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior O Brasil

Leia mais

Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e de outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio

Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e de outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e de outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio Legislação PwC (DC0) Informação Pública Legislação Lei Federal nº 12.546/2011:

Leia mais

Empresas de Diversos Segmentos

Empresas de Diversos Segmentos Empresas de Diversos Segmentos Empresas da Cadeia Logística de Comércio Exterior Empresas Importadoras e Exportadoras Base legal: IN RFB Nº 1.277, de 28 de Junho de 2012 Lei nº 12.546, de 14 de Dezembro

Leia mais

A IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS (SISCOSERV) O Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços (Siscoserv)

A IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS (SISCOSERV) O Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços (Siscoserv) A IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS (SISCOSERV) O Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços (Siscoserv) Com implantação realizada o primeiro dia de agosto do corrente

Leia mais

Como adequar a área fiscal e contábil aos aspectos do SISCOSERV.

Como adequar a área fiscal e contábil aos aspectos do SISCOSERV. Como adequar a área fiscal e contábil aos aspectos do SISCOSERV. Como adequar a área fiscal e contábil de sua empresa aos aspectos legais e operacionais do SISCOSERV. Para saber mais sobre o tema www.mdic.gov.br

Leia mais

Reunião do Grupo Técnico do Siscoserv com setores de serviços

Reunião do Grupo Técnico do Siscoserv com setores de serviços Reunião do Grupo Técnico do Siscoserv com setores de serviços Cenário do comércio exterior de serviços: Déficits crescentes na conta de serviços do balanço de pagamentos Carência de informações detalhadas

Leia mais

NEW SOFT INTELLIGENCE

NEW SOFT INTELLIGENCE NEW SOFT INTELLIGENCE Tecnologia e informação aplicadas ao comércio exterior Apresenta: S I S C O S E R V Apresentações 1 2 3 NSI New Soft Intelligence WTM do Brasil Apresentador 4 Dúvidas e Expectativas

Leia mais

SISCOSERV. Workshop. Diretoria & Auditoria CLM Controller

SISCOSERV. Workshop. Diretoria & Auditoria CLM Controller SISCOSERV Workshop Diretoria & Auditoria CLM Controller É o Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que produzem Variações no Patrimônio das Entidades. Esse sistema

Leia mais

SISCOSERV A experiência da KPMG. Abril de 2013

SISCOSERV A experiência da KPMG. Abril de 2013 A experiência da KPMG Abril de 2013 Histórico no Brasil 1) Acordo Geral sobre Comércio de Serviços GATS ( General Agreement on Trade in Services OMC/1994) 2) Acordo de Cooperação Técnica n 13/2008 SRF

Leia mais

Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Presidente: Claudio Avelino Mac-Knight Filippi Gestão: 2014-2015

Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Presidente: Claudio Avelino Mac-Knight Filippi Gestão: 2014-2015 Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Presidente: Claudio Avelino Mac-Knight Filippi Gestão: 2014-2015 Resenha de Matérias Técnicas Nº. 856, de 10 12 2015 Matéria Especial: SISCOSERV:

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS, INTANGÍVEIS E OUTRAS OPERAÇÕES QUE PRODUZAM VARIAÇÕES NO PATRIMÔNIO - SISCOSERV

SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS, INTANGÍVEIS E OUTRAS OPERAÇÕES QUE PRODUZAM VARIAÇÕES NO PATRIMÔNIO - SISCOSERV SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS, INTANGÍVEIS E OUTRAS OPERAÇÕES QUE PRODUZAM VARIAÇÕES NO PATRIMÔNIO - SISCOSERV (versão 2, em 29/10/2013) 1. O QUE É O SISCOSERV? O Sistema Integrado

Leia mais

Guia Rápido ECF e ECD - SPED Contábil 2016

Guia Rápido ECF e ECD - SPED Contábil 2016 ÍNDICE Introdução... 3 SPED Contábil: Maio de 2016... 4 O que é o ECD - SPED Contábil?... 4 Empresas obrigadas a entregar o SPED Contábil... 4 Layout 4: enquadre de forma legal sua empresa... 5 Prazo de

Leia mais

ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE SETEMBRO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 39/2013

ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE SETEMBRO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 39/2013 ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE SETEMBRO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 39/2013 IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA DECLARAÇÃO DE ESPÓLIO - CONSIDERAÇÕES GERAIS... Pág. 537 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA SISCOSERV

Leia mais

Encontros Técnicos SISCOSERV. Novembro de 2009. Secretaria de Comércio e Serviços

Encontros Técnicos SISCOSERV. Novembro de 2009. Secretaria de Comércio e Serviços Encontros Técnicos SISCOSERV Novembro de 2009 SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS, INTANGÍVEIS E OUTRAS OPERAÇÕES QUE PRODUZEM VARIAÇÕES NO PATRIMÔNIO DAS ENTIDADES Sistema que possibilitará

Leia mais

O Canal Aduaneiro é uma empresa de consultoria, auditoria e treinamentos, nas áreas de comércio exterior, fiscal e tributária.

O Canal Aduaneiro é uma empresa de consultoria, auditoria e treinamentos, nas áreas de comércio exterior, fiscal e tributária. Quem somos O Canal Aduaneiro é uma empresa de consultoria, auditoria e treinamentos, nas áreas de comércio exterior, fiscal e tributária. Contando com profissionais de diversos segmentos (contadores, advogados,

Leia mais

AGENDA - Janeiro de 2016

AGENDA - Janeiro de 2016 OBRIGAÇÕES FISCAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS PARA O MÊS DE JANEIRO.: (ÂMBITO FEDERAL) :. AGENDA - Janeiro de 2016 PRAZO NATUREZA DISCRIMINAÇÃO 04.01 08.01 GPS SALÁRIOS CAGED GFIP FGTS SIMPLES DOMÉSTICO

Leia mais

Legislação Básica da Micro e Pequena Empresa

Legislação Básica da Micro e Pequena Empresa Legislação Básica da Micro e Pequena Empresa A Constituição Federal e o Estatuto Os artigos 146, 170, 179 da Constituição de 1988 contêm os marcos legais que fundamentam as medidas e ações de apoio às

Leia mais

3. Procedimentos relativos ao registro no Módulo Venda... 13

3. Procedimentos relativos ao registro no Módulo Venda... 13 Sumário 1. Sobre o Siscoserv... 4 1.1 Introdução... 4 1.2 Base Legal do Siscoserv... 4 1.3 Módulos Venda e Aquisição do Siscoserv... 4 1.4 Registros no Módulo Venda... 4 1.5 Registros no Módulo Aquisição...

Leia mais

III Mesa de Debates ABEAD

III Mesa de Debates ABEAD III Mesa de Debates ABEAD SISCOSERV Principais aspectos e desafios Roberta Folgueral roberta@canaladuaneiro.com.br 11-3419-1737 Skype: r.folgueral Twitter: @folgueral SOBRE A INSTRUTORA Contato: roberta@canaladuaneiro.com.br

Leia mais

Dispõe sobre a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF).

Dispõe sobre a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF). INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF Nº 974, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF). O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL, no uso das atribuições

Leia mais

WTM do Brasil. Facilitador. 4 Dúvidas e Expectativas

WTM do Brasil. Facilitador. 4 Dúvidas e Expectativas 1 2 3 WTM do Brasil Facilitador Participantes/Empresa/Função 4 Dúvidas e Expectativas É um novo sistema criado pela RFB e pelo MDIC no qual os contribuintes residentes no Brasil precisam informar todas

Leia mais

5. Nomenclatura Brasileira de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio (NBS)... 66. 6. Glossário...

5. Nomenclatura Brasileira de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio (NBS)... 66. 6. Glossário... Sumário 1. Sobre o Siscoserv... 3 1.1 Introdução... 3 1.2 Base Legal do Siscoserv... 3 1.3 Módulos Venda e Aquisição do Siscoserv... 3 1.4 Registros no Módulo Venda... 4 1.5 Registros no Módulo Aquisição...

Leia mais

3. Procedimentos relativos ao registro no Módulo Venda... 12

3. Procedimentos relativos ao registro no Módulo Venda... 12 Sumário 1. Sobre o Siscoserv... 3 1.1 Introdução... 3 1.2 Base Legal do Siscoserv... 3 1.3 Módulos Venda e Aquisição do Siscoserv... 3 1.4 Registros no Módulo Venda... 3 1.5 Registros no Módulo Aquisição...

Leia mais

SISCOSERV MANUAL INFORMATIZADO MÓDULO VENDA

SISCOSERV MANUAL INFORMATIZADO MÓDULO VENDA SISCOSERV MANUAL INFORMATIZADO MÓDULO VENDA 3 Acesse o site: www.siscoserv.mdic.gov.br 3 Vá até Escolha um dos serviços disponíveis; 3 Em Sistemas, escolha a opção SISCOSERV - Módulo Venda; 3 Em seguida

Leia mais

Receita.fazenda.gov.br (05/01/2009)

Receita.fazenda.gov.br (05/01/2009) Instrução Normativa RFB nº 903, de 30 de dezembro de 2008 Dispõe sobre a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF). O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL SUBSTITUTO, no uso da atribuição

Leia mais

Boletimj. Manual de Procedimentos. ICMS - IPI e Outros. Alagoas. Federal. Estadual. IOB Setorial. IOB Comenta. IOB Perguntas e Respostas

Boletimj. Manual de Procedimentos. ICMS - IPI e Outros. Alagoas. Federal. Estadual. IOB Setorial. IOB Comenta. IOB Perguntas e Respostas Boletimj Manual de Procedimentos Fascículo N o 50/2013 Alagoas Federal IPI Construção civil - Edificação - Exclusão do conceito de industrialização.... 01 Estadual ICMS Leilão de mercadorias apreendidas

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA SETEMBRO DE 2015

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA SETEMBRO DE 2015 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA SETEMBRO DE 2015 Até dia Obrigação 3 IRRF Salário de Agosto de 2015 Histórico ocorridos no período de 21 a 31.08.2015, incidente sobre rendimentos de (art. 70, I, letra

Leia mais

Calendário Mensal das Obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Outubro de 2015

Calendário Mensal das Obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Outubro de 2015 Calendário Mensal das Obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Outubro de 2015 Nota: Os dias de vencimentos apresentados são de nível nacional e respeitando os referidos feriados, caso for feriado

Leia mais

ÍNDICE. - Instrução Normativa RFB nº 1.463/2014...02. - Fichas da DIPJ 2014...04

ÍNDICE. - Instrução Normativa RFB nº 1.463/2014...02. - Fichas da DIPJ 2014...04 ÍNDICE - Instrução Normativa RFB nº 1.463/2014...02 - Fichas da DIPJ 2014...04 1 Instrução Normativa RFB nº 1.463, de 24 de abril de 2014 DOU 25.04.2014 Aprova o programa gerador e as instruções para preenchimento

Leia mais

DECLARAÇÕES Lucro Presumido, Isentas e Simples

DECLARAÇÕES Lucro Presumido, Isentas e Simples DECLARAÇÕES Lucro Presumido, Isentas e Simples Wagner Mendes Contador, Pós-Graduado em Controladoria, Auditoria e Tributos, Consultor Tributário, Especialista em Tributos Federais, Contabilidade e Legislação

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2015

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2015 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2015 Até dia Obrigação 4 IRRF Histórico Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.01.2015,

Leia mais

IR-FONTE Rendimentos de Aplicações Financeiras, Juros Sobre Capital Próprio, Prêmios, Multas e Vantagens, de que trata o art. 7º da Lei nº 9.

IR-FONTE Rendimentos de Aplicações Financeiras, Juros Sobre Capital Próprio, Prêmios, Multas e Vantagens, de que trata o art. 7º da Lei nº 9. AGENDA TRIBUTÁRIA FEDERAL JANEIRO DE 2016 06.01 (4ª Feira) IR-FONTE Rendimentos de Aplicações Financeiras, Juros Sobre Capital Próprio, Prêmios, Multas e Vantagens, de que trata o art. 7º da Lei nº 9.430/1996

Leia mais

Normas Sistema Gestão da Informação

Normas Sistema Gestão da Informação Normas Sistema Gestão da Informação Visão Anotada INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 1599, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2015 (Publicado(a) no DOU de 14/12/2015, seção 1, pág. 32) Dispõe sobre a Declaração de Débitos e

Leia mais

DECRETO N 974, DE 8 DE NOVEMBRO DE 1993

DECRETO N 974, DE 8 DE NOVEMBRO DE 1993 DECRETO N 974, DE 8 DE NOVEMBRO DE 1993 Regulamenta a Lei n 8.685, de 20 de julho de 1993, que cria mecanismos de fomento à atividade audiovisual, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no

Leia mais

SPED ECF. ECF Escrituração Contábil Fiscal. Danilo Lollio São Paulo - SP. Esta apresentação é de propriedade da Wolters Kluwer Prosoft.

SPED ECF. ECF Escrituração Contábil Fiscal. Danilo Lollio São Paulo - SP. Esta apresentação é de propriedade da Wolters Kluwer Prosoft. SPED ECF ECF Escrituração Contábil Fiscal Danilo Lollio São Paulo - SP Esta apresentação é de propriedade da Wolters Kluwer Prosoft. É proibida a reprodução, distribuição ou comercialização deste conteúdo.

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA NOVEMBRO DE 2015

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA NOVEMBRO DE 2015 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA NOVEMBRO DE 2015 Até dia Obrigação 5 IRRF Histórico Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.10.2015,

Leia mais

OBRIGAÇÕES FEDERAIS OUTUBRO/2008

OBRIGAÇÕES FEDERAIS OUTUBRO/2008 OBRIGAÇÕES FEDERAIS OUTUBRO/2008 DIA 2 (Quinta) CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS RECLAMATÓRIA TRABALHISTA PESSOAS OBRIGADAS: Empregadores, inclusive domésticos, que participaram de ação judicial na Justiça

Leia mais

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DO REGIME DE TRIBUTAÇÃO UNIFICADA

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DO REGIME DE TRIBUTAÇÃO UNIFICADA PROJETO DE LEI Institui o Regime de Tributação Unificada - RTU na importação, por via terrestre, de mercadorias procedentes do Paraguai. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DO REGIME DE TRIBUTAÇÃO

Leia mais

3. Procedimentos relativos ao registro no Módulo Aquisição... 11

3. Procedimentos relativos ao registro no Módulo Aquisição... 11 Sumário 1. Sobre o Siscoserv... 3 1.1 Introdução... 3 1.2 Base Legal do Siscoserv... 3 1.3 Módulos Venda e Aquisição do Siscoserv... 3 1.4 Registros no Módulo Venda... 3 1.5 Registros no Módulo Aquisição...

Leia mais

Agenda de Obrigações Federal - Maio/2015

Agenda de Obrigações Federal - Maio/2015 Agenda de Obrigações Federal - Maio/2015 Até: Quarta-feira, dia 6 IOF Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de abril/2015: - Operações de crédito - Pessoa Jurídica - Cód. Darf 1150 - Operações de crédito

Leia mais

EFD-Contribuições Informações PIS/COFINS

EFD-Contribuições Informações PIS/COFINS EFD-Contribuições Informações PIS/COFINS 1. Introdução 2. Obrigatoriedade e dispensa 3. Periodicidade e prazo de entrega (Alterações IN nº 1.305/2012 e ADE Cofis nº 65/2012) 4. Dispensa do Dacon 5. Forma

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI Nº 9.276, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009.

RIO GRANDE DO NORTE LEI Nº 9.276, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009. RIO GRANDE DO NORTE LEI Nº 9.276, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009. Autoriza o Poder Executivo a conceder parcelamento de débitos fiscais relacionados com o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias

Leia mais

DECRETO Nº 31.246, DE 12 DE JANEIRO DE 2010 DODF de 13.01.2010

DECRETO Nº 31.246, DE 12 DE JANEIRO DE 2010 DODF de 13.01.2010 DECRETO Nº 31.246, DE 12 DE JANEIRO DE 2010 DODF de 13.01.2010 Altera o Decreto nº 18.955, de 22 de dezembro de 1997, que regulamenta o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Retenção na fonte sobre adiantamento pago por PJ a outra Pessoa Jurídica

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Retenção na fonte sobre adiantamento pago por PJ a outra Pessoa Jurídica Retenção na fonte sobre adiantamento pago por PJ a outra Pessoa Jurídica 19/10/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 3.1.

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPÍTULO II DA DEFINIÇÃO DE MICROEMPRESA SOCIAL

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPÍTULO II DA DEFINIÇÃO DE MICROEMPRESA SOCIAL ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR LEI Nº 6.559, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2004 Publicada no DOE em 31 de dezembro de 2004 DISPÕE SOBRE A MICROEMPRESA SOCIAL, ESTABELECENDO TRATAMENTO TRIBUTÁRIO DIFERENCIADO,

Leia mais

46 KPMG Business Magazine. Siscoserv inspira cuidados

46 KPMG Business Magazine. Siscoserv inspira cuidados 46 KPMG Business Magazine Siscoserv inspira cuidados Novo sistema eletrônico demanda dados até então não sistematizados pelas empresas, elevando os riscos ao compliance da norma Em meio a um emaranhado

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.437, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006. Mensagem de veto Altera a destinação de receitas decorrentes da Contribuição para o Desenvolvimento

Leia mais

CAPÍTULO III DA FORMA DE ELABORAÇÃO

CAPÍTULO III DA FORMA DE ELABORAÇÃO Instrução Normativa RFB Nº 1246 DE 03/02/2012 (Federal) Data D.O.: 06/02/2012 Dispõe sobre a apresentação da Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda referente ao exercício de 2012, ano-calendário

Leia mais

MANUAL DE PREENCHIMENTO DO TERMO DE EXCLUSÃO DO SIMPLES NACIONAL

MANUAL DE PREENCHIMENTO DO TERMO DE EXCLUSÃO DO SIMPLES NACIONAL MANUAL DE PREENCHIMENTO DO TERMO DE EXCLUSÃO DO SIMPLES NACIONAL A pessoa jurídica, optante pelo Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas

Leia mais

PORTARIA Nº 615, DE 28 DE AGOSTO DE 2012 - DOU de 30/08/2012

PORTARIA Nº 615, DE 28 DE AGOSTO DE 2012 - DOU de 30/08/2012 PORTARIA Nº 615, DE 28 DE AGOSTO DE 2012 - DOU de 30/08/2012 MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL SUPERINTENDÊNCIAS REGIONAIS 7ª REGIÃO FISCAL A SUPERINTENDENTE REGIONAL DA RECEITA

Leia mais

DECRETO Nº 2.232 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013

DECRETO Nº 2.232 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 DECRETO Nº 2.232 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 Regulamenta o regime de substituição tributária do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza ISSQN, instituído pela Lei Complementar n 03, de 17 de setembro

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Venda entrega futura para optantes pelo regime Simples Nacional

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Venda entrega futura para optantes pelo regime Simples Nacional Venda 20/08/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 2.1. Consulta Receita Federal... 3 2.2. PN CST 73/1973... 4 2.3. RIR/99... 4 3. Análise da Consultoria...

Leia mais

Cria mecanismos de fomento à atividade audiovisual, e dá outras providências

Cria mecanismos de fomento à atividade audiovisual, e dá outras providências LEI Nº 8.685, de 20 de Julho de 1993 ("Lei do Audiovisual") -------------------------------------------------------------------------------- Cria mecanismos de fomento à atividade audiovisual, e dá outras

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 151 - Data 17 de junho de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: SIMPLES NACIONAL SIMPLES NACIONAL. AGÊNCIAS DE PROPAGANDA E PUBLICIDADE.

Leia mais

OBRIGAÇÕES EMPRESARIAIS (FISCAIS,TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS) MARÇO DE 2010

OBRIGAÇÕES EMPRESARIAIS (FISCAIS,TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS) MARÇO DE 2010 OBRIGAÇÕES EMPRESARIAIS (FISCAIS,TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS) MARÇO DE 2010 03.03 (4ª feira) Último dia para recolhimento do Imposto de Renda na Fonte referente a juros sobre o capital próprio, aplicações

Leia mais

3. Procedimentos relativos ao registro no Módulo Aquisição... 11

3. Procedimentos relativos ao registro no Módulo Aquisição... 11 Sumário 1. Sobre o Siscoserv... 3 1.1 Introdução... 3 1.2 Base Legal do Siscoserv... 3 1.3 Módulos Venda e Aquisição do Siscoserv... 3 1.4 Registros no Módulo Venda... 4 1.5 Registros no Módulo Aquisição...

Leia mais

Agenda de Obrigações Federal - Abril/2015

Agenda de Obrigações Federal - Abril/2015 Agenda de Obrigações Federal - Abril/2015 Até: Segunda-feira, dia 6 IOF Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de março/2015: - Operações de crédito - Pessoa Jurídica - Cód. Darf 1150 - Operações de crédito

Leia mais

Ricardo Almeida R O T E I R O

Ricardo Almeida R O T E I R O ISSQN sobre serviços iniciados ou provenientes do exterior e o SISCOSERV Ricardo Almeida TÍTULO ISSQN sobre serviços iniciados ou provenientes do exterior e o SISCOSERV R O T E I R O 1) ISSQN sobre serviços

Leia mais

Espaço DIPJ 2013. Declaração de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica (DIPJ-2013), relativa ao ano-calendário de 2012.

Espaço DIPJ 2013. Declaração de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica (DIPJ-2013), relativa ao ano-calendário de 2012. Espaço DIPJ 2013 Declaração de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica (DIPJ-2013), relativa ao ano-calendário de 2012. SUMÁRIO 1. Introdução 2. Quem Está Obrigado à Apresentação da DIPJ 2.1.

Leia mais

Parte III. Profa. Alessandra Brandão

Parte III. Profa. Alessandra Brandão Parte III Profa. Alessandra Brandão DIRF - Declaração do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte É a declaração feita pela FONTE PAGADORA, com o objetivo de informar à Secretaria da Receita Federal do Brasil:

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS ABRIL/2014. Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de Março/2014:

AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS ABRIL/2014. Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de Março/2014: AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS ABRIL/2014 03/Abril. 5ª Feira. IOF - Imposto sobre Operações Financeiras. Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de Março/2014: - Operações

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 257 - Data 26 de setembro de 2014 Processo ***** Interessado ***** CNPJ/CPF ***** Assunto: OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS SISCOSERV. SERVIÇO DE TRANSPORTE

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2011

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2011 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2011 Até dia Obrigação Histórico 3 IRRF Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.01.2011,

Leia mais

Doações aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente

Doações aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente Doações aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente Apesar de ter sido sancionada em 13 de junho de 1990, a Lei nº 8.069, que permite às empresas e às pessoas físicas destinar parte do que pagam

Leia mais

IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços. São Paulo, 25 de junho de 2013

IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços. São Paulo, 25 de junho de 2013 2013 IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços São Paulo, 25 de junho de 2013 BALANÇA BRASILEIRA DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS* - US$ Bilhões 2011 2012 Δ% 2012/2011 Exportações

Leia mais

3. Procedimentos relativos ao registro no Módulo Aquisição... 10

3. Procedimentos relativos ao registro no Módulo Aquisição... 10 Sumário 1. Sobre o Siscoserv... 3 1.1 Introdução... 3 1.2 Base Legal do Siscoserv... 3 1.3 Módulos Venda e Aquisição do Siscoserv... 3 1.4 Registros no Módulo Venda... 4 1.5 Registros no Módulo Aquisição...

Leia mais

CIRCULAR N 3015. Art. 6º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. Daniel Luiz Gleizer Diretor

CIRCULAR N 3015. Art. 6º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. Daniel Luiz Gleizer Diretor CIRCULAR N 3015 Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio de Taxas Flutuantes para incluir título relativo a Transferências Postais. A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão realizada

Leia mais

TRIBUTÁRIO. pela Presidência do Senado Federal

TRIBUTÁRIO. pela Presidência do Senado Federal TRIBUTÁRIO 06/03/2015 Devolução da Medida Provisória nº 669 de 2015 pela Presidência do Senado Federal Na última sexta-feira, foi publicada a Medida Provisória nº 669 de 26 de fevereiro de 2015 ( MP nº

Leia mais

e o Comércio Exterior de Serviços Banco do Brasil S/A Vinicius Oliveira Abril / 2017 * Para uso interno e exclusivo do Banco do Brasil S.A.

e o Comércio Exterior de Serviços Banco do Brasil S/A Vinicius Oliveira Abril / 2017 * Para uso interno e exclusivo do Banco do Brasil S.A. e o Comércio Exterior de Serviços Banco do Brasil S/A Vinicius Oliveira Abril / 2017 * Para uso interno e exclusivo do Banco do Brasil S.A. SISCOSERV Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SMF Nº 06/07 1

INSTRUÇÃO NORMATIVA SMF Nº 06/07 1 INSTRUÇÃO NORMATIVA SMF Nº 06/07 1 Define contribuintes do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza obrigados a efetuar a Declaração Mensal - escrituração eletrônica mensal do livro fiscal, a ser realizada

Leia mais

AGENDA DE CONTRIBUIÇÕES, TRIBUTOS E OBRIGAÇÕES

AGENDA DE CONTRIBUIÇÕES, TRIBUTOS E OBRIGAÇÕES Sinduscon Ceará - Agosto / 2014 DIAS OBRIGAÇÕES DESCRIÇÃO FUNDAMENTAÇÃO LEGAL 05 (terça-feira) IRRF RETIDO NA FONTE Recolher até o 3º dia útil após o último decêndio do mês anterior, os fatos gerados a

Leia mais

Intercâmbio Nova Sistemática de Contabilização

Intercâmbio Nova Sistemática de Contabilização Nova Sistemática de Contabilização Impactos financeiros, contábeis, operacionais e fiscais Lycia Braz Moreira (lycia@fblaw.com.br) Assessoria Jurídica Unimed Federação Rio Definição O que é Intercâmbio?

Leia mais

A seguir segue a configuração no CONSISANET da geração do DARF de uma empresa por lucro presumido:

A seguir segue a configuração no CONSISANET da geração do DARF de uma empresa por lucro presumido: GERAÇÃO DE DARF COM DEDUÇÃO PIS\COFINS\IRPJ\CSLL IRPJ. VENDA DE VEÍCULOS USADOS Nas operações de venda de veículos usados, adquiridos para revenda, inclusive quando recebidos como parte do pagamento do

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 57 - Data 13 de maio de 2016 Processo *** Interessado *** CNPJ/CPF *** ASSUNTO: OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS SISCOSERV. TRANSPORTE INTERNACIONAL

Leia mais

IPI ICMS - SP LEGISLAÇÃO - SP ANO XX - 2009-2ª SEMANA DE JANEIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 02/2009

IPI ICMS - SP LEGISLAÇÃO - SP ANO XX - 2009-2ª SEMANA DE JANEIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 02/2009 IPI ANO XX - 2009-2ª SEMANA DE JANEIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 02/2009 INFRAÇÕES E ACRÉSCIMOS MORATÓRIOS Infrações - Procedimentos do Contribuinte - Pagamento - Acréscimos Moratórios - Multa de Mora

Leia mais

Orientações Gerais Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física DIRPF E Declaração de Capitais Brasileiros no Exterior CBE

Orientações Gerais Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física DIRPF E Declaração de Capitais Brasileiros no Exterior CBE Orientações Gerais Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física DIRPF E Declaração de Capitais Brasileiros no Exterior CBE Exercício 2013 Ano base 2012 I. DIRPF - Obrigatoriedade de Apresentação da Declaração

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 200 - Data 5 de agosto de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE A RENDA DE PESSOA JURÍDICA - IRPJ LUCRO PRESUMIDO. PERCENTUAL

Leia mais

Relatório. Data 22 de abril de 2015 Processo *** Interessado *** CNPJ/CPF ***

Relatório. Data 22 de abril de 2015 Processo *** Interessado *** CNPJ/CPF *** 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 105 - Cosit Data 22 de abril de 2015 Processo *** Interessado *** CNPJ/CPF *** ASSUNTO: OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS SUBSCRIÇÃO E INTEGRALIZAÇÃO DE CAPITAL

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 578, DE 2012

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 578, DE 2012 MEDIDA PROVISÓRIA Nº 578, DE 2012 SETEMBRO/2012 Nota Descritiva 2 SUMÁRIO I MATÉRIA...3 II JUSTIFICATIVA E RENÚNCIA FISCAL...5 III EMENDAS PARLAMENTARES...5 2012 Câmara dos Deputados. Todos os direitos

Leia mais

IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços. São Paulo, 25 de junho de 2013

IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços. São Paulo, 25 de junho de 2013 2013 IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços São Paulo, 25 de junho de 2013 BALANÇA BRASILEIRA DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS* - US$ Bilhões 2011 2012 Δ% 2012/2011 Exportações

Leia mais

Base de Cálculo do Imposto sobre Importações. Hipóteses de desconsideração do valor declarado previstas no AVA e penalidades.

Base de Cálculo do Imposto sobre Importações. Hipóteses de desconsideração do valor declarado previstas no AVA e penalidades. Base de Cálculo do Imposto sobre Importações. Hipóteses de desconsideração do valor declarado previstas no AVA e penalidades. Miguel Hilú Neto IMPOSTO SOBRE IMPORTAÇÕES: CRITÉRIO MATERIAL E BASE DE CÁLCULO

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 146, DE 2010.

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 146, DE 2010. SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 146, DE 2010. Altera o art. 40 da Lei nº 11.196, de 21 de novembro de 2005, para permitir a atualização monetária de bens imóveis de pessoa física na apuração

Leia mais

BOLETIM DE ATUALIZAÇÃO TRIBUTÁRIA. Código das Melhores Práticas de

BOLETIM DE ATUALIZAÇÃO TRIBUTÁRIA. Código das Melhores Práticas de BOLETIM DE ATUALIZAÇÃO TRIBUTÁRIA Código das Melhores Práticas de N 1 Data 10.02.2016 Período Governança pesquisado: Atos publicados entre 01.02.2016 a 10.02.2016 Corporativa LEGISLAÇÃO FEDERAL Data da

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 30 - Data 29 de janeiro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS - IPI IMPORTAÇÃO POR CONTA

Leia mais

Regulamenta a Lei nº 9.841, de 5 de outubro de 1999, que institui o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, e dá outras providências.

Regulamenta a Lei nº 9.841, de 5 de outubro de 1999, que institui o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, e dá outras providências. DECRETO N o 3.474, DE 19 DE MAIO DE 2000. Regulamenta a Lei nº 9.841, de 5 de outubro de 1999, que institui o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal após a Lei 11638/07 Quando informado o registro: as instituições sujeitas

Leia mais

Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático

Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Normas Operacionais Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Capítulo I - REGULAMENTO 1. OBJETIVO Apoiar, na fase pós-embarque, a comercialização, no exterior, de bens de fabricação nacional, observadas

Leia mais

D A C O N. O que é Dacon? Quais tributos são declarados? Quem deve entregar? Periodicidade

D A C O N. O que é Dacon? Quais tributos são declarados? Quem deve entregar? Periodicidade D A C O N O que é Dacon? As siglas DACON significam: DEMONSTRATIVO DE APURAÇÃO DE CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS. O Demonstrativo de Apuração de Contribuições Sociais (Dacon) foi instituído pela Instrução Normativa

Leia mais